D

arquivonacional.gov.br
  • No tags were found...

Ano 2, boletim n.3 - Arquivo Nacional

InformativoO professor Jaime Antunes da Silva novo Presidente, ladeadopelo Presidente da ACAN Dr. Lício Araújo e os Diretores da ALA,Professora Marilda T. Dias Alves Dias e Dr. Márcio Médici.Brasil volta a ser Sede dosArquivos Latino-americanosDepois de longos 20 anos o Brasil tornacomo País onde irá funcionar aAssociação Lartino-americana de Arquivos– ALA, em razão da eleição dos novosdirigentes brasileiros, Professor JaimeAntunes da Silva, atual Diretor Geral do Arquivo Nacional,presidente e como diretores a Professora Marilda T. DiasAlves e o Conselheiro Marcio Medici a ALA funcionaráatendendo aos paises associados, com novametodologia administrativa. Esta informação foi dadapelo presidente da ACAN, Lício Araújo, duranteAssembléia Geral Ordinária, levantando aplausos daassistência para os eleitos.O Professor Jaime Antunes, agradecendo asmanifestações dos associados, esclareceu que aentidade foi fundada em Lima, no Peru em 1973, efundamentalmente, busca incentivar a comunicação ePág. 06O Pres. da AGO, Dr. Marco Pólo Moreira Leitea cooperação entre todos os países membros dacomunidade arquivística mediante organização decongressos, seminários e encontros internacionais,e estabelecimento de convênios e outrosinstrumentos arquivísticos atualizados decooperação entre os responsáveis de arquivos eorganismos oficiais e, ainda, o conhecimento denormas atualizadas para o bom cumprimento desuas finalidades. A meta estabelecida pela ALA visa,principalmente, acelerar o desenvolvimento integraldos arquivos e a adequada proteção do patrimôniodocumental dos países latino-americanos. Aindadurante a assembléia presidida pelo ConselheiroMarco Pólo Moreira Leite, foram empossados osnovos titulares do Conselho Fiscal e aprovadas asindicações dos novos associados da ACAN, cujosnomes são citados nesta edição.1


InformativoNovas ovas ParceriasEm visita realizada ao nordeste, opresidente da ACAN visitou váriosarquivos públicos, mantendo estreitocontato com seus diretores e osdirigentes de associações culturais,similares a ACAN, as quais ficaram vivamenteinteressadas em manter um protocolo de parceria.Voltado à permanente troca de informações epermuta de documentos necessários a ampliação,este acordo resultará na melhoria do conceito edos serviços que as entidades prestam atualmenteà comunidade consulente.Entre os arquivos visitados destacam-se os deOlinda e o da capital pernambucana, este últimoprestes a se transferir para um majestoso prédio,de destacada significação histórica, situado naprincipal praça do centro do Recife, a Praça daIndependência, local onde funcionou, durante muitosanos, o mais antigo matutino, o Diário dePernambuco.O diretor do Arquivo, Professor Hildo Rosa,destacado profissional, admirado pela comunidadedo campo da arquivologia, fez uma breveexplanação sobre os projetos da entidade e solicitoudo presidente da ACAN, apoio na parte relativa acapacitação e aperfeiçoamento dos seusfuncionários, prometendo envidar esforços junto àDireção Geral do Arquivo Nacional, a qual competeatender ao pleito da entidade pernambucana.Mesa RedondaEm Olinda, durante uma manhã inteira, opresidente da ACAN reuniu-se com uma numerosaequipe de arquivistas e funcionários de secretariasmunicipais, ocasião em que se discutiu oscaminhos avançados bem como a resolução quedispõe sobre a implantação de uma políticamunicipal de arquivos, a construção de arquivos ewebsites de instituições arquivísticas e adoção doCódigo de Classificação de Documentos. A tudo opresidente Licio Araújo escutou para reportar-se aoArquivo Nacional que poderá prestar significativaajuda. Entre os presentes no Arquivo Olindenseestavam: Marlene Morais (Coordenadora), SandraO professor Hildo Leal Rosa (D), Coordenador do Arquivo Público doEstado de Pernambuco, recebe do Dr. Lício Araújo, uma publicaçãoilustrada dos 150 anos do Arquivo NacionalMaia, Silvana Delacio, Aneide Santana, JovenildoPinheiro, Emerson Araújo, Flávio Dionizio,Alexandre Dias, Irismar Rocha,Isabel Paiva,Lindinalva Rodrigues, Maria de Fátima Rigaud,Maria da Paz Dantas Marcia Souto (Secretáriade Patrimônio, Cultura, Ciência e Turismo),Professora Ceres Figueiredo, destacadapersonalidade cultural no município de Olinda,Marcília Gama (Arquivo Estadual ) CristinaMoraes - Arquivo Estadual. Todos foramextremamente gentis com o visitante durante osdias em que esteve no nordeste.Basílica de São Bento, vista da janela do Arquivo Municipal de Olinda2


InformativoLigeira reflexão pelomundo da comunicaçãoAnalisarmos os processos de comunicação,por épocas distintas, nos assombramos, hoje,pela velocidade de interação entre pessoas epovos. Nada é muito diferente das civilizaçõestribais. Senão vejamos: A comunicaçãoauditiva tem sua origem na percussão dostambores, quando à distância, os grupos primitivosidentificavam as mensagens de festa ou de guerra contra outrospovos fato que, grotescamente comparado, seria a transmissãoe recepção das modernas ondas artesianas propulsoras daradiofonia e da telefonia celular, na sociedade moderna.Da mesma forma, se contrastada a combinação entreos sons percutidos pelos tambores, intercalados à fumaçadas fogueiras nos terreiros tribais, certamente, outrasmensagens de paz, guerra, mortes, doenças, perigos, chegadaou partida de um líder guerreiro poderiam, também,grotescamente, ser comparadas à divulgação animada,oferecida pela televisão do mundo contemporâneo. O somdos tambores compartilhado com a imagem formada pelafumaça intermitente das fogueiras, compara-se à combinaçãoauditiva e animada, da mensagem televisada.E não fica por aí: Os trabalhos em talhe, na pedra oumadeira, grafados em pequenos objetos domiciliares de culturaerudita, ou nas paredes das cavernas, deixados por nossosantepassados, nada mais são que a escrita moderna emassificada, em um primeiro momento pela tipografia, e maismodernamente, pelos processos informatizados do mundográfico. Os adornos dos povos antigos com lábios dilatados por“Os anseios da comunicação, comparadosaos objetivos alcançados no passado, na“verdade, são os mesmosinstrumentos superpostosna boca; os brincos enormese cocares enfeitados pelaspenas das aves silvestres; aepiderme pintada em coresberrantes, com desenhosassustadores tudo isto ébem comparado aomarketing moderno, onde aembalagem futurista sesuperpõe ao produtoescondido por de traz doinvólucro que o protege.A comunicação compactada por regiões, nas civilizaçõesantigas, ganha fronteiras, na utilização dos satélites. Ampliasecom o advento dos celulares, da Internet, da mundivisão edos recursos da informatização através dos e-mails.A velocidade, oportunidade, qualidade etransparência tiveram, também, ganhos significativos econtinuam em celeridade cada vez maior a armazenaroutros ganhos tecnológicos. Os anseios dacomunicação, comparados aos objetivos alcançados nopassado, na verdade, são os mesmos. A tecnologiadesenvolvida avançou através dos séculos,aperfeiçoando, no decorrer dos anos, os mesmosprocessos da antigüidade e, assim, a tecnologia deagora procura atingir os alvos que foram alcançados pornossos ancestrais.Fernando Abelha é Diretor Cultural daACAN, jornalista e professor universitário.3


InformativoNo Recife: Homenagem aoArquivo NacionalOArquivo Nacional recebeu significativahomenagem no Recife, durante ascomemorações dos 75 Anos de fundaçãodo primeiro Rotary Club em Pernambuco em solenidadepresidida pelo Dr. Fernando Lima Cabral e contou coma presença de autoridades governamentais, dedirigentes de grandes empresas do nordeste, dentreelas a Companhia Hidro-Elétrica do São Francisco(CHESF), na pessoa do seu presidente e do ex-Presidente do Rotary Club Rio de Janeiro, ComandanteFernando Reis de Souza.O Engenheiro Eudes de Souza Leão Pinto,Governador do Rotary e Coordenador do programainternacional da Pólio Plus para todo o Brasil, duranteseu discurso, fez alusão às nobres atividades doArquivo Nacional para a preservação da memóriabrasileira e sua importância na formação de técnicose cientistas que o procuram para consultas eelaboração de estudos e projetos.Coube ao Presidente da Associação Cultural doArquivo Nacional (ACAN), Dr. Licio Araújo, convidadoespecial à solenidade e que se encontrava no nordesteem visita aos arquivos públicos, apresentar osagradecimentos, em nome da Direção Geral, eaproveitou, na oportunidade, para fazer entrega deuma publicação especial contendo um relato emostras do acervo dos últimos 150 da mais importanteinstituição. Arquivística do Brasil.O Governador do Rotary Club, Dr.Eudes de Souza Leão Pinto recebeucomo lembrança uma publicaçãoilustrada que retrata os 150 anos deatividades do Arquivo NacionalInformaInforma ExpedienteEditado pela Diretoria CulturalJornalista Responsável: Fernando João Abelha SallesProgramação Visual: Cristine SilveiraRevisão: Fernanda CaralineFotos: Enéas G. LoretoPeriódico de Circulação Interna e Via InternetPraça da República, 173, prédio P, nível 2CEP: 20211-350 Rio de Janeiro - RJVisite a NovaSede do ArquivoNacional4


InformativoViver em Colônias:índios, negros,judeus e ciganosno BrasilOArquivo Nacional realizou, com o apoioda Associação Cultural do ArquivoNacional (ACAN), nos dias 28 e 29 denovembro, o I Seminário ARQUIVONACIONAL E A HISTÓRIA LUSO-BRASILEIRA como tema Viver em Colônias: índios, negros, judeus eciganos no Brasil.O Seminário insere-se no projeto O ArquivoNacional e a História Luso-Brasileira, que visa adisseminação e a preservação da história ibérica ecolonial a partir da divulgação de documentoscompreendidos entre o século XVI e o ano de 1821.Representa atividade cultural integrante doPrograma do Arquivo Nacional para ascomemorações dos 200 anos da chegada de DomJoão ao Brasil.Este primeiro seminário abordou o tema dadiversidade étnico-cultural e a formação do Brasil.Milhões de índios, negros, judeus e ciganos, com seussaberes, suas línguas, suas crenças, tradições,sangue e armas contribuíram decisivamente para aedificação da nação brasileira. Recuperar os múltiplosprocessos de interação entre esses diferentessegmentos populacionais resultantes da colonizaçãoeuropéia a partir dos documentos históricos quecompõem o acervo do Arquivo Nacional constitui aproposta básica desta iniciativa.Índios, negros, judeus e ciganos, como atoresdo processo histórico e sua representação nos livrosdidáticos, foram os temas discutidos pelosprofessores José Ribamar Bessa Freire, KeilaGrinberg, Miriam Alves de Souza, Ivana Stolze Lima,Felipe Berocan Veiga, Maria Luiza Tucci Carneiro eTânia Bessone, de universidades do Rio de Janeiroe São Paulo.O evento dirigiu-se, prioritariamente, aosprofessores de História dos níveis fundamental,médio e superior, e aos pesquisadores, docentes ealunos dos programas de graduação e pósgraduaçãoem História e Ciências Sociais. O exameda presença de segmentos da população até então“secundários” no processo histórico brasileiro podeindicar novas orientações e descobertas queprecisam atingir, com urgência, os estabelecimentosde ensino e os centros de pesquisa. A discussão dopapel de índios, negros, judeus e ciganos na Históriado Brasil pretende, assim, promover a revisão dosconteúdos nos livros didáticos e a produção denovas abordagens, o que propiciará aos professoresmeios para combater o preconceito em sala de aulae gerar novas maneiras de olhar e entender o mundoe, em especial, o país em que vivemos.Com a realização deste Seminário, o ArquivoNacional contribui para o respeito à diversidadesócio-cultural, condição para a comunicaçãoe a articulação de grupos sociais diversos que,mantendo suas especificidades, sejamcapazes de uma convivência definida pelademocracia e pela paz.5


InformativoAssociados aprovamContas da RestauraçãoO Conselheiro Marco Pólo ladeado pelo prof. Jaime Antunes daSilva, Lício Araújo e a professora Saskia RadinoAs contas do exercício 2005, final das obras derestauração do Arquivo Nacional, foram aprovadasdurante assembléia geral da ACAN, que tevecomo presidente o Conselheiro Marco PóloMoreira Leite, ocasião em que também foramaprovados nomes de ilustres personalidades paracompor o Quadro de Associados da ACAN.Logo após a leitura do parecer do Conselho Fiscal, queapreciou a aplicação dos recursos, feita durante a gestão doMinistro Rubens Bayma Denys, Benemérito da ACAN, no anofinal de conclusão das obras, o Conselheiro Marco Pólo teceucomentários elogiosos a pessoa do ex-presidente e submeteu odocumento oficial ao referendum da AGO, recebendo aprovaçãounânime dos presentes.Dra. Marijane Tavares lêo termo de sua possecomo vice-presidentePara compor o Quadro de Associados, coube aoEmpresário Associado Geraldo Rezende Ciribelli, Conselheiroda ACAN, apresentar a primeira proposta lendo sua carta napresença de todos com a indicação do nome do EmbaixadorMarcílio Marques Moreira. Seguiu-se o Prof. Paulo Santosfazendo a indicação do Desembargador Gama Malcher, expresidentedo Tribunal de Justiça e os senhores, Dr. MarioVeiga de Almeida e do Desembargador Alberto Nogueira, doTribunal Regional Federal.Ato contínuo, foi lida em plenário pela Profa.Saskia Radino, a carta da associada e membroda Diretoria Operacional, Dra. Maria Regina daCosta Duarte, que propunha o nome do JuizFrancisco Horta, encerrando o primeiro bloco deproposições.Em primeiro plano Dr.Wanderley Medeiros, Prof. JoséCarlos Barbosa,Ten-Brig-do-Ar Mauro Gandra,Dr. PauloMonnerat, Prof. Paulo Santos e Dr. Geraldo Cioribelli, entreos Conselheiros que indicaram novos nomes para oQuadro Social da ACANNa segunda parte foram apresentados osseguintes nomes:Eng. José Pedro de Oliveira, V.Alt Olavo Freire da Rocha, V Alte Fernando doNascimento, pelo Engenheiro Alfredo SebastiãoSeixas; Reverendo Guilhermino Cunha, pelo Econ.Charley Fayal Lyra Junior; Dr. Sérgio Faria Lemosda Fonseca Junior, pelo Econ. José Gomes de Almeida Netto,Dir Administrativo e Financeiro da ACAN; Sr. Renato Diniz,pela Profa. Marilda T. Dias Alves, do Conselho Deliberativo; oCel. Eng. Waldo Sette de Albuquerque, ex-presidente da RedeFerroviária Federal S/A, a artista plástica Mariantônia ParreiraAlves, pela presidência da ACAN e o Publicitário José CarlosPerreira da Silva, unanimimente aprovados.6


InformativoVisitantes IlustresGeneral HeraldoO presidente do Conselho Deliberativo daAssociação Beneficente Rio Criança Cidadã, GenEx Heraldo Tavares Alves, esteve em visita aoArquivo Nacional. Acompanhado por seusassessores, o ex-Comandante Militar do Lestemanifestou sua opinião sobre o trabalho derestauração realizado durante a administração doMinistro Rubens Bayma Denys, qualificando-ocomo, primorosoO ilustre visitante falou em nosso modernoauditório durante a cerimônia de entrega do“Prêmio Cidadania” ao Arquivo Nacional, em razãodo excelente atendimento que a entidadeproporciona aos consulentes e à sociedadebrasileira como um todo.General Heraldo Tavares Alves em nosso moderno auditórioRuy BarretoO empresário Ruy Barreto, Grande Beneméritoda Associação Comercial do Rio de Janeiro e ex-Presidente da Federação Nacional das AssociaçõesComerciais, manifestou seu contentamento ao visitara nova sede do Arquivo Nacional. Percorreu asinstalações acompanhado pelo Diretor Geral doArquivo Nacional, Professor Jaime Antunes da Silva.Desembargador LiborniO Desembargador Liborni Siqueira foi um dosvisitantes ilustres ao Arquivo Nacional, e declarouseempolgado com a obra realizada pelos artesõesna restauração do velho prédio onde funcionoudurante mais de 100 anos a Casa da Moeda doBrasil. Sua excelência conheceu o modernoauditório, salão nobre e pátio onde são realizadosos grandes eventos culturais, além dos setores deConsulta e Pesquisa, acompanhado por diretoresda ACAN.O Desembargador, que também dirigeconceituada organização de ensino e educaçãode jovens, estimou a possibilidade de promoveruma visita de seus alunos à sede nova do arquivoe desfrutar da oportunidade para estudos eatualização.O empresário Rui Barreto, encantado com a restauraçãoDesembargador Liborni Siqueira8


InformativoEm DestaqueViajorLício Araújo, George Masset, Paulo Monnerat e GeraldoCiribelli, ladeiam o homenageado em clima de festaHomengem ao Dr. IsaldoO Adv. Isaldo Vieira de Mello, Membro do ConselhoConsultivo da ACAN, foi alvo de grandes homenagenspor parte dos seus amigos e dos empresários do ramoimobiliário, durante almoço festivo na AssociaçãoComercial, ao completar seus 80 anos. Foi saudadopelo Desembargador Enéas Marzano, Membro doConselho Fiscal da ACAN, e pelo empresário GeorgeEduardo de Moraes Masset, Presidente da ABADI,entidade que o homenageado tambem presidiu.BoëchatO vice-presidente da ACAN, engenheiro Oscar Boechat,viajou à República Popular da China, na oportunidade em quese realizava a “II Brasil-China Expo”. A importância desse eventopode ser bem avaliada pela presença de altas personalidadesde governos e empresas, pelo nível dos expositores e pelaqualidade dos produtos exibidos. Uma variedade de empresasbrasileiras marcou presenças, dentre elas destacam-se aPetrobrás, a Companhia Vale do Rio Doce e a Embraer –Empresa Brasileira de Aeronáutica.No âmbito da exposição, propriamente, realizaram-seworkshops voltados para a área da energia, dos portos e dotransporte de longo curso, setores imprescindíveis paraambicioso programa de expansão bilateral do comércio exterior.A estabilidade da economia brasileira e o dinamismo dachinesa são aspectos relevantes nessa conjuntura. Nesteparticular, deve-se destacar o extraordinário crescimento anualdo PIB chinês da ordem de 9%, nos últimos 25 anos, fatoque levou o país à quarta posição no ranking da economiamundial. Os produtos brasileiros, de carnes industrializadasa aviões, são altamente considerados pelos exigentesimportadores chineses, o que justifica o contrato bilionáriofirmado recentemente com a Embraer.Homengem ao Pres. BarbosaO Dr. José dos Santos Barbosa, presidente da Casa daMoeda do Brasil e membro do Quadro Social da ACAN foidistinguido com o título de Colaborador Emérito do Exército,durante as comemorações do Dia do Soldado. A cerimônia foipresidida pelo Gen Ex Domingos Carlos de Campos Curado,Comandante Militar do Leste, no salão nobre do Palácio Duquede Caxias, prestigiada por destacadas personalidades do meioeconômico-financeiro e amigos do homenageado. Na foto oDr. José Barbosa exibindo o Diploma recebido,entre a Dra.MariaRegina da Costa Duarte, Eng .Alfredo Seixas e Dr. Licio AraújoNo breve encontro do Informativo ACAN com o nosso vicepresidente,não faltou a clássica pergunta: o que mais oimpressionou por lá? Diz Boechat que quase tudo é fantástico.As grandes cidades são enormes canteiros de obras, ospreparativos para as Olimpíadas de 2008 seguem em ritmofrenético para que o evento se transforme no grande show deprimeiro mundo. Outro setor que impressiona pelo crescimentoé o do turismo, graças aos produtos que são ícones universais: aGrande Muralha, a Cidade Proibida e o Exército dos Guerreirosde Terra-Cota, para citar alguns dos mais focalizados. E concluiBoechat: mas inacreditável, mesmo, é a competência paraadministrar, com razoável êxito, um bilhão e trezentos milhõesde seres humanos, em território com 9,6 milhões de km².9


InformativoArquivo NacionalFalar sobre o Arquivo Nacional, criadoem 1838, é falar sobre o Brasil e suariquíssima história.É falar sobre todos os períodos, do colonial aoperíodo contemporâneo. É falar sobre personagens quevivenciaram estes períodos. É falar sobre homens esobre fatos.Instituição científica, de renome internacional, oArquivo Nacional tem contribuído com todos aquelesbrasileiros e estrangeiros que buscam em seusarquivos, dados e informações preciosos, para aelaboração de suas obras, monografias,dissertações e teses.Aos que o procuram não se pergunta sobre quemsão ou sobre o que fazem. Para o Arquivo Nacionaltodos são iguais, são simplesmente pesquisadores.Não seria exagero afirmar que é impossível a umaNação construir seu futuro, sem conhecer suas raízes.Molda-se um País pela história de seu povo,de sua gente.A imagem que parece mais adequada ao nossoArquivo Nacional é de um veio aurífero, ondepesquisadores, como garimpeiros, buscam apreciosidade de documentos de toda espécie, paraexpô-los à inteligência de pensadores e intelectuaisbrasileiros que buscam registrar, em caráterdefinitivo, a nossa história.Paulo SantosReconhecido internacionalmente como instituição decaráter científico e tecnológico, o Arquivo Nacional atingiuesta posição de excelência, não só em razão do apoiopúblico e privado da Associação Cultural do ArquivoNacional, mas, principalmente, pela competência epatriotismo de seus abnegados funcionários e dirigentes.É dever de todos, sociedade e governo, apoiar,incondicionalmente, esta notável Instituição que é oArquivo Nacional.O autor é Advogado e Professor de Direito daUniversidade Veiga de Almeida.Galeria dos Presidentes da ACANProfª. Celina Vargas do Amaral Peixoto - l987 a 1989Eng. Israel Klabin - 1989 a 1990Profª. Rosina Iannibelli de Almeida - 1990 a 1992Dr. Cândido Guinle de Paula Machado - 1992 a 1993Profº. Theophilo de Azeredo dos Santos -1993 a 1995Ministro Renato B. Archer da Silva -1995 a 1998Profº. Airton Young -1998Gen Div Eng. Hermano Lomba Santoro - 1999Ministro Rubens Bayma Denys - 2000 a 200510


InformativoDiretoria da ACANRegistro EspecialDIRETORIA EXECUTIVAPresidente: Licio Ramos de AraújoVice-Presidente: Oscar Boëchat FilhoDiretor Administrativo-Financeiro: José Gomes deAlmeida NettoDiretor Técnico – Operacional: Alfredo Sebastião SeixasDiretora Adjunta Técnico-Operacional: Maria Regina daCosta DuarteDiretor Cultural: Fernando João Abelha SallesDiretora Adjunta Cultural: Saskia RadinoAssessora: Iracema Souza Dotori von UslarAssessor: Charley Fayal de Lyra Jr.CONSELHO FISCALPresidente: Wanderley Pinto de MedeirosVice-Presidente: Marijane Vasconcelos TavaresMembros:José Elias Jacob AloanEnéas MarzanoGilson Neder CunhaCONSELHO DELIBERATIVOPresidente: Licio Ramos de AraújoVice-Presidente: Oscar Boëchat FilhoMembros:Jaime Antunes da SilvaMarilda T. Dias AlvesVicente Luís Barbosa MarottaPaulo SantosCONSELHO CONSULTIVOPresidente: Hans Jürgen Fernando DohmannVice-Presidente: Rubens Bayma DenysMembros:Airton YoungÁlvaro Albuquerque JuniorAntonio Jorge CorrêaArnaldo NiskierCelina Vargas do Amaral PeixotoCharley Fayal de Lyra JrEduardo Lessa BastosGeraldo Rezende CiribelliHaroldo Bezerra da CunhaHermano Lomba SantoroIsaldo Vieira de MelloJaime RotsteinJosé Carlos Barbosa de OliveiraMarco Polo Moreira LeiteMaria Alice BarrosoMauro José Miranda GandraNelson Mufarrej FilhoPaulo Márcio DecartPaulo SantosPaulo Victor da Costa MonneratPedro Luiz de Araujo BragaRui BarretoVicente Luiz Barbosa MarottaNovo Diretor do Centrode Estudos EstratégicosO Gen Ex Pedro Luiz de Araújo Braga, membrodo Conselho Consultivo da ACAN, tomou posse nocargo de Diretor do Centro de Estudos Estratégicosdo Instituto Brasileiro de Medicina de Rehabilitação(Uni IBMR) em cerimônia na sede da Entidade, naPraia de Botafogo 158, no Rio de Janeiro.O ato, presidido pelo Magnífico Reitor daUniversidade, professor Herminio Silveira, foi prestigiadopor ilustres personalidades ligadas ao Instituto e contoucom a presença de Diretores e Associados da ACAN .Posse na Associação dosAposentados da RFFSASob a presidência do Dr. Nelson Fernandes Cruz,(D)presidente nacional da entidade, o Prof. Fernando JoãoAbelha Salles, Diretor Cultural da Associação Culturaldo Arquivo Nacional (ACAN) foi empossado no cargode Vice-Presidente da Associação dos Aposentados daRede Ferroviária Federal (AARFFSA), em cerimôniaque contou com a presença de destacadaspersonalidades, ex-diretores da ferrovia, da REFER eassociados da AARFFSA. Os cumprimentos dosdiretores e associados da ACAN.11


InformativoNovo ovo Passaporte BrasileiroFoi lançado, no Palácio do Planalto, o novopassaporte brasileiro, em cerimônia quecontou com a presença do Presidente daRepública, Luis Inácio Lula da Silva, doMinistro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, do Ministro doTurismo, Walfrido dos Mares Guia, do Presidente da Casada Moeda, José dos Santos Barbosa, do Presidente doSerpro, Wagner Quirici e do Superintendente da PolíciaFederal, Paulo Lacerda. A Casa da Moeda é partefundamental no processo de fabricação do novopassaporte. Ela receberá as informações coletadas pelaPolícia Federal junto ao cidadão, dados biométricos,assinatura e foto, através do sistema eletrônico elaboradopelo Serpro e vai processar esses dados personalizadose imprimí-los nas cadernetas, que continuam a serproduzidas na CMB. O documento terá diversos elementosde segurança, o que o coloca entre os mais modernos eseguros do mundo, conforme o Presidente da CMBsalientou “este novo passaporte coloca o Brasil no patamardo primeiro mundo. A parceria com a Polícia Federal, oMinistério da Justiça, a Casa da Moeda e o Serpro foiexercida de forma abnegada e competente, gerando umpassaporte seguro e com alta tecnologia.”Compareceram à cerimônia o Diretor Técnico CarlosRoberto de Oliveira e Marco Antônio Rosa de Andrade,empregado responsável pelo CPDOC, representando todaa sua equipe.O Presidente Lula considerou o novo documento como umavanço tecnológico desenvolvido pela Casa da MoedaO Chefe da Nação ladeado pelo Presidente da Casa da Moeda,Diretor Técnico e Empregado, após o lançamentoMais uma vez a Casa da Moeda trabalhando comdedicação a serviço do Brasil.12

More magazines by this user
Similar magazines