MAPA DA VIOLÊNCIA 2012

wngbrch

MAPA DA VIOLÊNCIA 2012

Desde 1998 os diversos mapas divulgados vêm acompanhando e analisando a evolução da vio-

lência no país, principalmente a sua violência letal. Desde essa data, e incluindo o presente, já são 19

os relatórios divulgados, contando aqui os Cadernos Complementares abordando tópicos específicos.

Em todos eles constatamos elevados níveis de letalidade, principalmente no capítulo dos

homicídios. Nas diversas comparações internacionais que realizamos a partir dos dados da Organização

Mundial da Saúde, o Brasil sempre ocupou uma das primeiras posições em função de

seus elevados índices de homicídio: país violento em uma das regiões mais violentas do mundo: a

América Latina.

Ao longo desse período fomos focalizando aspectos relevantes para o entendimento dos elevados

níveis de violência que o país registrava. Já no primeiro mapa, divulgado em 1998, o subtítulo Os

Jovens do Brasilindica claramente o foco desse trabalho: a elevada concentração de homicídios na faixa

jovem da população. Esse foco repetiu-se em muitos outros estudos e perdura ate os dias de hoje

por ser, ainda, uma questão não resolvida pelas políticas do país. Outros relatórios focalizaram a

violência contra as mulheres, a dirigida contra crianças e adolescentes ou a violência em contextos

específicos (América Latina ou o Estado de São Paulo). O tema da raça/cor aparece tardiamente

nos mapas e como item ou capítulo dentro de um relatório. Mas isso não aconteceu por desconhecer

a gravidade do problema. Foram outros os motivos:

• O Sistema de Informações de Mortalidade, do Ministério da Saúde (SIM/MS) é a única fonte

que verifica o quesito raça/cor dos homicídios em nível nacional até os dias de hoje.

Mas só incorpora o tema em 1996, quando muda sua sistemática passando da Classificação

Internacional de Doenças 9 para a 10 (CID9/CID10) por orientação da Organização Mundial

da Saúde.

5

Similar magazines