07.04.2013 Views

Janeiro - Cenibra

Janeiro - Cenibra

Janeiro - Cenibra

SHOW MORE
SHOW LESS

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

Jornal da CENIBRA<br />

No. 291 . Ano 26<br />

<strong>Janeiro</strong> 2010<br />

Jacutinga e<br />

seu filhote<br />

Nasce a primeira geração das<br />

jacutingas reintroduzidas na RPPN<br />

Fazenda Macedônia. Pág. 6


2<br />

EDITORIAL<br />

Iniciamos uma nova década em meio a um cenário preocupante, no qual todos<br />

os segmentos da sociedade buscam estratégias que garantam harmonia entre a<br />

preservação do meio ambiente e a sustentabilidade da economia global.<br />

Diante da preocupação mundial em relação à mudança de clima, verificamos<br />

quão significativa é a contribuição do setor de celulose e papel que, com 4,8<br />

milhões de hectares de florestas – sendo 2 milhões de hectares equivalentes a<br />

florestas plantadas e o restante em áreas de preservação – absorve anualmente<br />

64 milhões de toneladas de CO2, além da implantação de diversos Mecanismos<br />

de Desenvolvimento Limpo (MDL).<br />

Na CENIBRA, os resultados dos projetos e iniciativas que promovem a geração de<br />

renda, o desenvolvimento social e a preservação da biodiversidade comprovam<br />

que estamos no caminho da sustentabilidade. É com satisfação e orgulho que<br />

verificamos fatos, até então inéditos no Brasil, como o nascimento de jacutingas<br />

em nossa Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), Fazenda Macedônia.<br />

Este é mais um dos resultados diretos do Projeto Mutum. Uma parceria técnicocientífica<br />

entre a CENIBRA e a Sociedade de Pesquisa do Manejo e da Reprodução<br />

Silvestre (CRAX) que há 20 anos possibilita de modo exemplar a reintrodução de<br />

espécies ameaçadas de extinção ao seu habitat natural.<br />

O compromisso da Empresa com o meio ambiente é efetivo. Acredito que ele<br />

está na intensa participação em comitês de bacias hidrográficas e conselhos de<br />

desenvolvimento ambiental, nas 350 mil mudas de árvores de espécies nativas<br />

plantadas em cerca de 50 municípios de Minas Gerais, nos 99.228 ha de áreas de<br />

reserva legal e preservação permanente.<br />

Estou convicto de que o sucesso dos diversos projetos e ações socioambientais<br />

desenvolvidas pela CENIBRA deve-se ao fato de que nosso foco não está apenas<br />

nas questões de mercado. As iniciativas do presente são passos fundamentais<br />

para a construção de um mundo melhor para todos.<br />

EXPEDIENTE<br />

DIRETOR-PRESIDENTE<br />

Fernando Henrique da Fonseca<br />

DIRETOR ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO<br />

Naohiro Doi<br />

DIRETOR INDUSTRIAL E TÉCNICO<br />

Kenji Takashima<br />

DIRETOR COMERCIAL<br />

Satoshi Miyake<br />

COORDENAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL<br />

Leida Hermsdorff Horst Gomes<br />

COMITÊ EDITORIAL<br />

Afonso Carlos dos Reis Fioravante<br />

Ana Carolina Farias Mendes<br />

Érica de Souza Pinheiro Costa<br />

Fernando Palha Leite<br />

Jacinto Moreira Lana<br />

José Roberto Gonçalves<br />

Yara Aparecida Furbino de Melo<br />

Fernando Henrique da Fonseca<br />

Diretor-Presidente<br />

PROJETO GRÁFICO<br />

E EDITORAÇÃO ELETRÔNICA<br />

Café c/ Design<br />

Fotos | Arquivo<br />

Tiragem | 4.500 exemplares<br />

FALE COM O FIBRA<br />

31 3829.5038<br />

comunicacaosocial@cenibra.com.br<br />

SEDE FÁBRICA<br />

BR 381 | km 172 | Belo Oriente<br />

Minas Gerais | CEP 35196-000<br />

Telefone: 31 3829.5010<br />

Fax: 31 3829.5260<br />

BELO HORIZONTE<br />

Rua Bernardo Guimarães | 245 | 8º andar<br />

Bairro Funcionários | CEP 30140-080<br />

Telefone: 31 3235.4041<br />

Fax: 31 3235.4002


INSTITUTO CENIBRA<br />

UNIÃO DOS CONSELhOS TUTELARES<br />

EVENTO FOI PROMOVIDO PELA SEDESE DE TIMóTEO EM PARCERIA COM O<br />

INSTITUTO CENIBRA<br />

Encontro reuniu cerca de 100 pessoas<br />

A Casa de Hóspedes da CENIBRA foi sede do 1º<br />

Encontro Regional de Conselhos Tutelares da Regional<br />

da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedese) de<br />

Timóteo. Realizado em 16 de dezembro de 2009, o<br />

evento foi promovido pelo Instituto CENIBRA, Associação<br />

Beneficente Ágape, Fórum de Organizações e Conselhos<br />

Os voluntários da Rede de Percepção de Odor (RPO) foram<br />

convidados, no fim do ano passado, para participar de mais<br />

um encontro promovido pela CENIBRA. A reunião teve como<br />

objetivo promover a reciclagem técnica destes voluntários<br />

com apresentação de conceitos, conscientização ambiental,<br />

dados estatísticos, fontes emissoras, limites de percepção<br />

e melhorias implantadas. Durante a reunião, a empresa<br />

apresentou os novos participantes para o trabalho. Eles<br />

foram convidados após um projeto, desenvolvido por uma<br />

empresa especializada, e proposto pela empresa para<br />

redimensionamento da rede.<br />

de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente<br />

(FOCON) – Regional Vale do Aço e Médio Piracicaba.<br />

Com a participação de cerca de 100 pessoas, o encontro<br />

teve como objetivo formar a União Regional dos<br />

Conselhos Tutelares, eleger e empossar os novos diretores<br />

e conselheiros. A União é formada pelos Conselhos<br />

Tutelares dos municípios de Bom Jesus do Amparo,<br />

Coronel Fabriciano, Guanhães, Ipaba, Caratinga, São<br />

João Evangelista, Braúnas, Açucena, Iapu, Jaguaraçu, São<br />

João do Oriente, Nova Era, Bela Vista de Minas, Ipatinga,<br />

Ferros, Santa Maria de Itabira, Mesquita, Ubaporanga e<br />

Santana do Paraíso. Célia Cristina Gonçalves de Melo, do<br />

município de Coronel Fabriciano, foi eleita presidente. O<br />

Conselho Tutelar é um órgão permanente e autônomo,<br />

não jurisdicional e tem como principal objetivo zelar pelo<br />

cumprimento dos direitos da criança e do adolescente.<br />

Conselho Eficaz<br />

Uma realização do Instituto CENIBRA desde 2003, o projeto<br />

Conselho Eficaz promove a capacitação dos Conselhos e<br />

o seu fortalecimento no controle das políticas públicas,<br />

com capacidade de monitoramento e intervenção no<br />

Orçamento Público. Anualmente, o Instituto promove<br />

uma campanha de incentivo à destinação de recursos para<br />

o Fundo para Infância e Adolescência (FIA). A destinação<br />

ao FIA é uma renúncia fiscal que financia diversos<br />

projetos. A destinação dos empregados da CENIBRA para<br />

o FIA contempla o Projeto Conselho Eficaz.<br />

COMUNIDADE<br />

MAIS VOLUNTÁRIOS<br />

CENIBRA CONVIDA NOVAS PESSOAS DA COMUNIDADE PARA INTEGRAR RPO<br />

A Rede de Percepção de Odor foi criada em 1997 e,<br />

atualmente, conta com a participação de um grupo<br />

voluntário de 32 moradores das comunidades vizinhas,<br />

capacitados para registrar e transmitir informações à<br />

empresa sobre percepção dos odores característicos da<br />

fábrica. Essas informações são utilizadas para monitorar<br />

as emissões odorosas, subsidiar o gerenciamento das<br />

fontes estacionárias, o atendimento às necessidades<br />

da comunidade, melhorias de processos e orientar<br />

investimentos.<br />

3


4<br />

MEIO AMBIENTE<br />

RECUPERAÇÃO AMBIENTAL<br />

CENIBRA PROMOVE O PLANTIO DE 350 MIL MUDAS DE ÁRVORES<br />

O plantio de mudas faz parte do trabalho contínuo de recuperação ambiental da empresa<br />

Em 2009, a CENIBRA atingiu a<br />

significativa marca de 350 mil<br />

mudas de árvores de espécies<br />

nativas plantadas em cerca de<br />

50 municípios no Leste de Minas<br />

Gerais. O objetivo é a promoção da<br />

melhoria da qualidade ambiental<br />

e a conservação da Mata Atlântica<br />

da região. “O plantio de mudas<br />

de árvores de espécies nativas<br />

faz parte do trabalho contínuo de<br />

recuperação ambiental promovido<br />

pela empresa”, explica o especialista<br />

do departamento de Meio Ambiente<br />

e Qualidade, Antônio Claret de<br />

Oliveira Neves.<br />

O investimento na melhoria<br />

da qualidade ambiental e na<br />

conservação das áreas preservadas<br />

com vegetação nativa não visam<br />

apenas à sustentabilidade da<br />

CENIBRA. “Esse investimento<br />

promove também a conservação<br />

dos mananciais hídricos e da vida<br />

silvestre, a recomposição de matas<br />

ciliares, a formação de corredores<br />

ecológicos, a melhoria do microclima<br />

local e a harmonia paisagística de<br />

forma geral, beneficiando todo<br />

o meio ambiente e a sociedade”,<br />

acrescenta Claret.<br />

A CENIBRA possui uma área total de<br />

253 mil hectares nos quais cultiva<br />

eucalipto em 125 mil hectares<br />

e destina 100 mil hectares à<br />

conservação de remanescentes da<br />

Mata Atlântica. “Isso quer dizer que,<br />

para cada cinco hectares cultivados,<br />

quatro hectares são destinados<br />

à conservação dos ecossistemas<br />

naturais”, detalha o especialista.<br />

COMO FUNCIONA<br />

Antes de plantar as mudas das<br />

árvores, a empresa realiza estudos<br />

para diagnosticar e conhecer<br />

o estágio de conservação e a<br />

diversidade de espécies das áreas<br />

preservadas. “Esses estudos<br />

auxiliam na definição dos locais aos<br />

quais se deve dar prioridade e as<br />

técnicas de manejo a ser adotadas<br />

para promover a melhoria da<br />

qualidade ambiental desses<br />

ambientes”, destaca Claret.<br />

O manejo para conservação<br />

contempla um conjunto de<br />

tratamentos silviculturais, como<br />

controle de formigas cortadeiras,<br />

controle de ervas daninhas e plantios<br />

de mudas de árvores nativas. Entre<br />

as espécies de árvores plantadas<br />

para aumentar a biodiversidade,<br />

estão o cedro, a braúna, o ipê roxo e<br />

o amarelo, o jacarandá, o vinhático,<br />

o jequitibá, o palmito, o angico, o<br />

jerivá, a quaresmeira, entre tantas<br />

outras. São mais de 40 espécies<br />

utilizadas nos plantios realizados<br />

pela CENIBRA.<br />

MAIS AÇÕES<br />

Além do plantio de mudas, a<br />

CENIBRA desenvolve, ainda, um<br />

intenso e eficaz trabalho de proteção<br />

de suas áreas contra incêndios,<br />

pisoteio pelo gado, caça, corte de<br />

árvores nativas e atividades ilegais.<br />

“Durante esse trabalho, também, a<br />

empresa procura sempre envolver<br />

estudantes e comunidades locais<br />

próximas às áreas de recuperação e<br />

preservação. O objetivo é passar a<br />

essas pessoas noções de educação<br />

ambiental e a importância de se<br />

preservar o meio ambiente em que<br />

vivem”, finaliza o especialista.


PARA A SOCIEDADE E O MEIO AMBIENTE<br />

CENIBRA PARTICIPA DE COMITêS DE BACIAS hIDROGRÁFICAS E CODEMAS<br />

Como forma de descentralizar a<br />

gestão dos recursos hídricos em<br />

Minas Gerais, o Governo do Estado<br />

instituiu os Comitês de Bacias<br />

Hidrográficas (CBH’s). Esses comitês<br />

são órgãos normativos e deliberativos<br />

que têm por finalidade promover<br />

o gerenciamento de recursos<br />

hídricos nas suas respectivas bacias<br />

hidrográficas, de forma participativa<br />

e integrada.<br />

Os CBH’s são compostos por<br />

representantes do poder público<br />

municipal e estadual, por usuários<br />

de recursos hídricos e por entidades<br />

da sociedade civil ligadas a recursos<br />

hídricos. E a CENIBRA participa<br />

diretamente de quatro deles,<br />

representada pelo especialista em<br />

Meio Ambiente da Coordenação<br />

de Licenciamento Ambiental, Edson<br />

Valgas. São três comitês Estaduais<br />

– rios Piracicaba, Santo Antônio e<br />

Suaçuí - e um Federal – rio Doce.<br />

A IMPORTâNCIA DA ágUA<br />

“Na prática, a empresa já desenvolve<br />

diversas ações que vão ao encontro<br />

aos objetivos dos Comitês de<br />

Bacias Hidrográficas, como o<br />

desenvolvimento de projetos de<br />

recuperação de áreas degradadas<br />

e de programas de educação<br />

ambiental. É muito importante<br />

integrar esses grupos, instituídos<br />

em áreas de atuação da CENIBRA,<br />

A água, um mineral presente em toda a natureza nos três estados, é essencial<br />

para a manutenção da vida no planeta e para a realização das mais variadas<br />

atividades. É utilizada para o abastecimento público, geração de energia<br />

elétrica, navegação, saciar a sede de animais, suprir as atividades industriais,<br />

auxiliar o crescimento de culturas agrícolas, conservar a flora e a fauna e<br />

proporcionar recreação e lazer.<br />

“Todos os seres vivos detêm o direito de usar a água. Mas, para garantir sua<br />

sustentabilidade, foi necessário criar políticas voltadas para o uso racional dos<br />

recursos hídricos. Essas políticas determinam os parâmetros para que as águas<br />

em utilização aumentem em qualidade e quantidade”, explica Edson Valgas.<br />

A empresa participa oferecendo apoio técnico a partir da experiência dos empregados<br />

porque a empresa pode contribuir<br />

com orientações técnicas referentes<br />

ao uso racional dos recursos hídricos”,<br />

explica Edson Valgas.<br />

NOS CODEMAS<br />

A empresa integra ainda os Conselhos<br />

de Desenvolvimento Ambiental<br />

(Codemas) dos municípios de<br />

Belo Oriente, Açucena, São João<br />

Evangelista, Santa Bárbara e Santana<br />

do Paraíso. Os Codemas têm a função<br />

de auxiliar a gestão ambiental nos<br />

municípios, fornecendo subsídios<br />

ao gestor municipal para tomadas<br />

de decisões sobre as questões<br />

ambientais.<br />

“Nos conselhos desses municípios,<br />

a empresa participa, especialmente,<br />

oferecendo apoio técnico a partir<br />

da experiência dos empregados<br />

que a representam”, acrescenta o<br />

especialista.<br />

5


6<br />

DESTAQUE<br />

RENOVAÇÃO DA VIDA<br />

CENIBRA COMEMORA O NASCIMENTO DE JACUTINGAS NA FAzENDA MACEDôNIA<br />

O mês de novembro de 2009 tornouse<br />

uma data histórica e especial para<br />

a Reserva Particular do Patrimônio<br />

Natural (RPPN) Fazenda Macedônia,<br />

mantida pela CENIBRA e localizada<br />

à margem direita do Rio Doce, no<br />

município de Ipaba, região leste de<br />

Minas Gerais. Durante as atividades<br />

de rotina, monitores que trabalham<br />

na RPPN observaram seis filhotes<br />

de jacutinga, acompanhados de<br />

jacutingas adultas que foram soltas<br />

na reserva. “Trata-se dos primeiros<br />

filhotes da espécie nascidos em vida<br />

livre na RPPN”, destaca o Especialista<br />

em Meio Ambiente, da coordenação<br />

de Licenciamento Ambiental, Edson<br />

Valgas.<br />

Esse fato é inédito no Brasil e<br />

digno de comemoração, pois tratase<br />

da primeira vez que jacutingas<br />

reintroduzidas se reproduzem na<br />

natureza. “Agora podemos afirmar<br />

que o projeto está no caminho certo,<br />

ou seja, está contribuido para retirar<br />

a jacuntinga da lista de espécies<br />

ameaçadas de extinção”, acrescenta<br />

Edson.<br />

Os primeiros casais de jacutinga<br />

foram reintroduzidos nas matas da<br />

Fazenda Macedônia em 2003. “Eram<br />

10 casais há cerca de sete anos.<br />

Atualmente, já contabilizamos 17<br />

devolvidos ao habitat natural. Como<br />

alguns casais migraram para outras<br />

matas da região, acreditamos que o<br />

número de filhotes de jacutinga seja<br />

ainda maior”, revela Edson.<br />

A jacutinga (Pipile jacutinga) é uma<br />

ave da família dos cracídeos, mede<br />

cerca de 75 cm e alimenta-se de frutos<br />

e alguns invertebrados. As jacutingas<br />

são naturais da Mata Atlântica e eram<br />

comumente vistas nesse habitat até<br />

1960. O desmatamento e a caça<br />

predatória reduziram drasticamente<br />

a sua população e atualmente a<br />

espécie é considerada criticamente<br />

em perigo de extinção em Minas<br />

Gerais e ameaçada de extinção em<br />

nível nacional. Em nível mundial,<br />

é mencionada na Lista Vermelha<br />

da União Internacional para<br />

A reprodução das jacutingas é um fato inédito no Brasil<br />

Conservação da Natureza (IUCN)<br />

como vulnerável.<br />

A última observação de jacutingas<br />

no leste de Minas Gerais ocorreu em<br />

1981, no Parque Estadual do Rio Doce,<br />

confirmando que a espécie ocorria na<br />

região, a sua extinção regional e que<br />

o projeto de reintrodução é a única<br />

alternativa para o repovoamento<br />

das matas com jacutingas. Destacase<br />

que elas são aves dispersoras de<br />

sementes e que sua extinção pode<br />

desencadear a de diversas espécies<br />

vegetais. O registro da reprodução<br />

das espécies reintroduzidas por meio<br />

do Projeto Mutum conforme estudos<br />

científicos, demonstra que tanto<br />

em cativeiro quanto no campo, a<br />

reintrodução de animais na natureza,<br />

o monitoramento e a manutenção<br />

de áreas protegidas são estratégias<br />

bem sucedidas para conservação<br />

das espécies ameaçadas da fauna<br />

brasileira.<br />

O qUE É O PROJETO<br />

MUTUM<br />

Há 20 anos, a CENIBRA desenvolve,<br />

na Fazenda Macedônia, o pioneiro<br />

Projeto de Reintrodução de Aves<br />

Silvestres Ameaçadas de Extinção:<br />

o Projeto Mutum. O trabalho é<br />

realizado por meio de um acordo<br />

de cooperação técnico-científica<br />

entre a CENIBRA e a Sociedade de<br />

Pesquisa do Manejo e da Reprodução<br />

da Fauna Silvestre (CRAX), entidade<br />

não governamental sediada em<br />

Contagem (MG).<br />

Desde então, o projeto já possibilitou<br />

a soltura do mutum-do-sudeste<br />

(Crax blumembachii), do macuco<br />

(Tinamus solitarius), da capoeira<br />

(Odontophorus capueira), do<br />

jaó (Crytpturellus n. noctivagus),<br />

do inhambuaçu (Crytpturellus<br />

obsoletus), do jacuaçu (Penelope<br />

obscura) e da jacutinga (Pipile<br />

jacutinga).<br />

“Na sede da CRAX, é feito todo o<br />

trabalho de preparação das aves<br />

e manejo adequado, de forma a<br />

proporcionar maior facilidade de<br />

readaptação ao habitat natural.<br />

De lá, elas seguem para a Fazenda<br />

Macedônia, reconhecida pelo<br />

Instituto Brasileiro do Meio<br />

Ambiente e dos Recursos Naturais<br />

Renováveis (IBAMA) como RPPN“,<br />

explica Edson Valgas.


RECURSOS HUMANOS<br />

APRESENTAÇÃO DE TRABALhO<br />

EMPREGADAS DO Rh PARTICIPAM DE CONGRESSO BRASILEIRO DE<br />

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO<br />

A assistente técnica de Recursos Humanos, Mônica<br />

Ferraz Moreira, e a coordenadora de Administração de<br />

Pessoal, Yara Furbino, participaram do 24º Congresso<br />

Brasileiro de Treinamento e Desenvolvimento (CBTD),<br />

com a apresentação do trabalho “Mapeamento de<br />

competências técnicas”. O evento foi promovido pela<br />

Associação Brasileira de treinamento e Desenvolvimento<br />

(ABTD) na cidade de Santos, em São Paulo, entre os dias<br />

1º e 4 de dezembro de 2009, e contou com a presença de<br />

mais de 2 mil profissionais das áreas de Recursos Humanos<br />

e Treinamento.<br />

Mas até chegar lá, as duas empregadas da CENIBRA<br />

percorreram um longo caminho. É que ABTD recebeu 348<br />

propostas de trabalhos a serem apresentadas no congresso.<br />

Destas, apenas 72 foram selecionadas e a proposta enviada<br />

por Mônica e Yara ficou entre as melhores avaliadas.<br />

Uma comissão científica, formada por 14 profissionais<br />

de RH, foi incumbida de selecionar os assuntos mais<br />

interessantes a serem tratados no congresso. A proposta<br />

apresentada pela empresa foi escolhida pelo conteúdo<br />

técnico e contextual.<br />

O TRABALHO<br />

O mapeamento de competências técnicas é uma<br />

metodologia de definição das principais atribuições e<br />

tarefas de cada cargo e posição da empresa, e também<br />

do grau de domínio necessário para exercê-lo. Seus<br />

objetivos são mapear as necessidades de conhecimento<br />

técnico, monitorar a formação de novos empregados,<br />

reciclar e promover o desenvolvimento dos funcionários,<br />

acompanhar a evolução tecnológica das áreas da<br />

empresa e reduzir os custos com T& D (treinamento e<br />

desenvolvimento).<br />

“Parece simples, mas para diversas empresas é um dilema<br />

recorrente aplicar a metodologia de mapeamento de<br />

competências técnicas. Utilizando o SAP (software de<br />

gestão empresarial), a CENIBRA conseguiu desenvolver<br />

uma forma inovadora e diferenciada de aplicar essa<br />

metodologia. As necessidades de treinamento são<br />

agrupadas à luz dos conceitos acadêmicos de processos<br />

e subprocessos, possibilitando mecanismos de diagnose<br />

para encontrar diversas oportunidades de melhoria”,<br />

detalha Mônica.<br />

O trabalho de Yara e Mônica foi um dos 72 escolhidos para o<br />

evento<br />

AVALIAÇÃO<br />

Para Mônica e Yara, participar do CBTD, um dos maiores<br />

congressos de treinamento da América Latina, foi<br />

muito produtivo. “Tal evento nos possibilitou a troca de<br />

experiências, autoavaliação e despertou o interesse para<br />

criar novos projetos. O resultado é totalmente positivo<br />

para nós, empregadas, e para a empresa representada”,<br />

resumem.<br />

7


8<br />

CENIBRA E VOCÊ<br />

ANO NOVO, MATERIAL NOVO<br />

PROGRAMA DE DISTRIBUIÇÃO DE MATERIAL ESCOLAR ENTREGA kITS PARA<br />

DEPENDENTES DE EMPREGADOS<br />

Passada a euforia das festas de<br />

Natal e réveillon, o início de cada<br />

ano costuma ser oneroso. É época<br />

de pagar o IPVA, viagens de férias<br />

e, ainda, matrículas e aquisição de<br />

material escolar para os filhos.<br />

Para ajudar no orçamento da<br />

família e incentivar os estudantes, a<br />

CENIBRA oferece aos dependentes<br />

legais dos empregados, matriculados<br />

no ensino fundamental ou médio,<br />

kits de material escolar. Trata-se<br />

do Programa de Distribuição de<br />

Material Escolar, um dos benefícios<br />

oferecidos pela empresa.<br />

O kits contêm cadernos brochurão,<br />

apontador, borracha, lápis preto,<br />

régua, caixa de lápis de cor, cola<br />

em bastão, tesoura, cadernos<br />

universitários, canetas, pincel marca<br />

texto, estojo de grafite e lapiseira.<br />

De acordo com a assistente social da<br />

CENIBRA, Lílian Franco Venâncio de<br />

Carvalho, a empresa vai distribuir,<br />

este ano, mais de 1.100 kits,<br />

montados de acordo com o ano<br />

escolar do dependente. “Os kits<br />

para os alunos do 1º ao 5º ano do<br />

ensino fundamental são compostos<br />

por cadernos brochurão, lápis de<br />

cor, cola líquida, tesoura, régua,<br />

lápis preto, apontador e borracha.<br />

Para pos estudantes das demais<br />

séries, os kits são compostos por<br />

cadernos universitários, cola em<br />

bastão, lapiseira, estojo de grafite,<br />

canetas, pincel marca texto e cola<br />

em bastão”, detalha Lílian.<br />

A empresa ainda reembolsa,<br />

mensalmente, parte dos custos com<br />

despesas escolares aos empregados<br />

estudantes.<br />

PERSONALIzADOS<br />

Os cadernos oferecidos pelo<br />

Pro grama de Distribuição de<br />

Material Escolar são personalizados<br />

com informações relacionadas às<br />

atividades sócio-ambientais da<br />

empresa. Em 2010, o Projeto de<br />

Reintrodução de Aves Silvestres<br />

Ameaçadas de Extinção – PROJETO<br />

MUTUM – ilustra o material.<br />

Com 20 anos de existência, o Projeto<br />

é fruto de um acordo de cooperação<br />

técnico-científico entre a CENIBRA<br />

e a Sociedade de Pesquisa do<br />

Manejo e da Reprodução da Fauna<br />

Silvestre – CRAX, entidade sediada<br />

em Contagem (MG). A população<br />

de mutuns na Fazenda Macedônia<br />

está estimada em cerca de 200<br />

indivíduos, incluindo aqueles que<br />

foram soltos e seus descendentes.<br />

O material<br />

fornecido alivia<br />

as contas do<br />

início do ano e<br />

a preocupação<br />

com a compra<br />

do material<br />

escolar...<br />

Débora, Antônio Ivan e Dhenife: incentivo aos estudos e alívio nas contas<br />

ALíVIO NAS CONTAS<br />

Para o laboratorista da coordenação de Pesquisa e Desenvolvimento Florestal,<br />

Antônio Ivan Martins, é um alívio poder contar com a distribuição de material<br />

escolar pela CENIBRA. “Trabalho há 21 anos na empresa e tenho três filhos.<br />

O material fornecido alivia as contas do início do ano e a preocupação com a<br />

compra do material escolar. A gente fica tranquilo sabendo que pode contar<br />

com este beneficio”, resume o empregado. Segundo Antônio, todo início de<br />

ano os filhos aguardam ansiosos pelos cadernos personalizados.


QUALIDADE<br />

CRIATIVIDADE A FAVOR DO TRABALhO<br />

EMPREGADOS E COLABORADORES DESENVOLVEM FORMAS INOVADORAS DE<br />

LIMPEzA DE CARRETAS<br />

Diariamente, cerca de 200 carretas<br />

descarregam toras de eucalipto<br />

na fábrica da CENIBRA. Apesar de<br />

descascada, a madeira ainda traz<br />

para a fábrica alguns resíduos, como<br />

folhas das árvores, galhos e cascas. É<br />

por isso que, antes de ser novamente<br />

utilizada, a carreta precisa passar<br />

por uma limpeza geral.<br />

Como a limpeza é realizada em<br />

turnos ininterruptos de 24 horas,<br />

a coordenação de Serviços Gerais,<br />

em parceria com a coordenação<br />

de Logística e com a equipe de<br />

colaboradores da Delta Engenharia,<br />

responsável pelos serviços de<br />

limpeza e conservação da fábrica,<br />

desenvolveram soluções para<br />

tornar este trabalho mais eficiente,<br />

confortável e seguro para todos os<br />

envolvidos.<br />

O qUE FOI FEITO<br />

O primeiro passo para implantar as<br />

melhorias na limpeza das carretas<br />

foi definir o local apropriado,<br />

dentro da fábrica. “Junto com toda<br />

a equipe, identificamos uma área,<br />

no pátio de madeira, apropriada<br />

para isso. O segundo foi preparar o<br />

terreno e realizar um levantamento<br />

do material necessário para efetuar<br />

as mudanças”, explicou a gerente da<br />

Delta Engenharia, Rosiane Moneque<br />

Ribeiro.<br />

O técnico administrativo da<br />

coordenação de Serviços Gerais<br />

da CENIBRA, José Maria de<br />

Lima, acrescenta que o restante<br />

das mudanças foi promovida<br />

com criatividade e boa vontade<br />

pelos próprios empregados e<br />

colaboradores. “Utilizando<br />

estruturas metálicas em desuso e<br />

outros materiais, desenvolvemos<br />

uma infraestrutura eficiente,<br />

operacional, segura e mais<br />

confortável para a execução do<br />

trabalho de limpeza das carretas”,<br />

afirma José Maria.<br />

Essa infraestrutura é composta de<br />

um ambiente onde os empregados<br />

podem se abrigar das chuvas,<br />

guardar os materiais de limpeza<br />

e ferramentas, armazenar água e<br />

realizar a coleta seletiva de lixo.<br />

Adilson, Nilson, Rosiane e José Maria: melhorias desenvolvidas em equipe<br />

Plataforma metálica proporciona mais conforto na execução do trabalho<br />

O piso do terreno foi coberto com<br />

escória e concreto; com ferragem,<br />

foi construída uma plataforma que<br />

se nivela à altura das carretas. “A<br />

utilização dessa estrutura reduz os<br />

riscos de acidentes, oferece maior<br />

comodidade aos empregados na<br />

execução das atividades e melhora<br />

os resultados de forma geral”,<br />

analisa José Maria.<br />

OPINIÃO<br />

Ninguém melhor do que os<br />

empregados que trabalham na<br />

limpeza das carretas para avaliar<br />

as mudanças promovidas. E eles<br />

reafirmam que as condições<br />

de trabalho tiveram alterações<br />

positivas. É o que explica o<br />

colaborador da Delta Engenharia,<br />

Adilson Rodrigues de Souza.<br />

“Melhorou 100%. Com a plataforma,<br />

subir e descer das carretas todos<br />

os dias ficou muito mais fácil. A<br />

construção do abrigo também<br />

tornou nosso ambiente de trabalho<br />

mais confortável”, garante Adilson.<br />

Seu supervisor, Nilson Pereira Jorge,<br />

também aprovou as modificações.<br />

“Noto que os empregados da Delta<br />

gostaram muito das melhorias<br />

implantadas. Até os motoristas<br />

das carretas têm elogiado as<br />

novidades. Agora, os empregados<br />

contam com a segurança oferecida<br />

pela plataforma e o conforto do<br />

ambiente coberto”, avalia Nilson.<br />

9


10<br />

NO CAMPO<br />

ECONOMIA DE COMBUSTíVEL<br />

MÁqUINAS DE COLhEITA DE MADEIRA PASSAM POR AJUSTES DE EFICIêNCIA<br />

Na CENIBRA, o trabalho de colher e descascar as toras<br />

de eucalipto é realizado por 31 máquinas, harvesters e<br />

forwarders, todas movidas a óleo diesel. Recentemente,<br />

os equipamentos, adquiridos das fabricantes Komatsu e<br />

John Deere passaram por ajustes para reduzir o consumo<br />

de óleo, e consequentemente, a emissão de poluentes.<br />

Segundo o coordenador de Manutenção de Equipamentos<br />

Florestais, Edvaldes J. Amaral, as adequações seguiram<br />

duas linhas de trabalho. Os equipamentos da Komatsu<br />

receberam uma adequação de engenharia com a<br />

inserção de novo dispositivo de controle de combustível.<br />

Já as máquinas da John Deere passaram por assistência<br />

técnica, com base na exigência operacional da região de<br />

Guanhães. Os parâmetros de eficiência dos equipamentos<br />

foram modificados a partir da observação dos próprios<br />

operadores e mecânicos.<br />

“Ano após ano, a empresa investe em equipamentos<br />

e máquinas mais eficientes no controle de emissão de<br />

poluentes. Tais adequações cumprem as diretrizes do<br />

Protocolo de Kyoto, implantado em 1997 e que prevê a<br />

redução de gases na atmosfera entre os anos de 2008 e<br />

2012”, revela Edvaldes.<br />

Tornar a colheita de eucalipto o mais mecanizada<br />

possível é uma busca constante norteada por um dos<br />

princípios da CENIBRA: fazer tudo com qualidade,<br />

confiabilidade e competitividade. “A mecanização na<br />

colheita proporciona mais segurança, ergonomia e<br />

conseqüentemente, mais produtividade”, afirma o<br />

coordenador de Colheita, Ézio Tadeu Lopes. Mas é<br />

justamente numa das áreas mais produtivas da empresa<br />

que se encontra o maior desafio para o aumento da<br />

mecanização: a região do Cocais, no município de Nova<br />

Era (MG). Numa área de 40 mil hectares, 19,6 mil são de<br />

plantio e com inclinação de até 45 O .<br />

O desafio é encontrar soluções para mecanizar a<br />

colheita numa declividade tão acentuada. As tentativas<br />

começaram com utilização de cabos aéreos, guindastes<br />

de grande porte e até a fusão de dois equipamentos.<br />

“Em parceria com a coordenação de Manutenção de<br />

As máquinas da John Deere passaram por assistência técnica,<br />

com base na exigência operacional da região de Guanhães<br />

Na ponta do lápis, as alterações vão promover uma redução<br />

de aproximadamente 80 mil litros de óleo diesel por ano<br />

nas máquinas Jonh Deere, na regional de Guanhães. Na<br />

regional Rio Doce, a redução será de mais de 28 mil litros<br />

por ano nas máquinas Komatsu, promovendo redução<br />

significativa nas emissões e nos custos.<br />

PROCESSOS MAIS MECANIzADOS<br />

CENIBRA ENCONTRA SOLUÇÕES MAIS SEGURAS E ERGONôMICAS PARA<br />

COLhEITA NO COCAIS<br />

Equipamentos Florestais, colocamos um cabeçote<br />

Harvester numa máquina base Feller Buncher. A<br />

adaptação proporcionou a colheita da madeira de 6,5<br />

m descascada. Realizar a colheita descendo o terreno, e<br />

não subindo, como é usual, foi outra alternativa utilizada<br />

que deu resultado”, revela Ézio.<br />

Todas as práticas resultaram num aumento de 30% para<br />

50% da mecanização no Cocais e estes testes deverão<br />

ser ampliados e consolidados, por os resultados são<br />

promissores. Com o teste de novos equipamentos, a<br />

CENIBRA pretende aumentar ainda mais o percentual de<br />

mecanização e expandir as melhorias para outras regiões<br />

de plantio da empresa. De acordo com o coordenador de<br />

Manutenção de Equipamentos Florestais, Edvaldes José<br />

do Amaral, de uma forma geral, a empresa pretende<br />

mecanizar 70% do processo de colheita.


FRUTOS DO GERENCIAMENTO DE ROTINA<br />

EMPREGADOS DESENVOLVEM PROJETO DE MELhORIA DE DISTRIBUIÇÃO MANUAL<br />

DE CALCáRIO<br />

Empregados receberam o treinamento da metodologia PDCA e<br />

desenvolveram melhorias<br />

Depois de receberem treinamento em metodologia PDCA<br />

(Plan, Do, Check, Action – Planejar, Executar, Checar,<br />

Agir) como parte do programa de implementação do<br />

Gerenciamento de Rotina, os empregados da coordenação<br />

de Silvicultura da região de Guanhães (MG) desenvolveram<br />

um projeto de melhoria para distribuição manual de<br />

calcário nos plantios de eucalipto. “A mudança se deu na<br />

logística de distribuição do calcário”, resume o supervisor<br />

de Silvicutura, Adelmo Geraldo de Souza.<br />

De acordo com Adelmo, o projeto consiste na substituição<br />

da parte manual do processo de distribuição de calcário<br />

por uma forma mecanizada. “Uma carreta basculante,<br />

movida por um trator, distribui o produto em sacas nas<br />

bordas dos talhões. A partir daí, empregados utilizam as<br />

sacas para redistribuir o calcário manualmente”, detalha<br />

o supervisor.<br />

FOMENTO FLORESTAL TEM DIA DE CAMPO<br />

REGIONAL RIO DOCE REUNIU FOMENTADOS PARA APROxIMAÇÃO COM EMPRESA<br />

A regional Rio Doce promoveu, em dezembro do ano<br />

passado, um encontro entre os integrantes do Programa<br />

Fomento Florestal de Belo Oriente e de Caratinga. De<br />

acordo com o coordenador de Silvicultura Rio Doce,<br />

Mauro Henrique Batista Birro, o encontro teve como<br />

objetivo aproximar a empresa dos fomentados e<br />

solucionar suas dúvidas.<br />

“Foi apresentado a eles como a madeira fornecida à<br />

empresa é recebida, medida e pesada. Durante o encontro,<br />

ainda levamos os fomentados a conhecer um pouco<br />

mais sobre os procedimentos de colheita mecanizada<br />

e semimecanizada, a fim de que os produtores possam<br />

levar um pouco das práticas de segurança da CENIBRA<br />

para suas propriedades”, detalha Mauro Birro.<br />

Em muitos casos, como mostra a imagem, o calcário é<br />

colocado dentro do talhão, reduzindo o deslocamento<br />

do funcionário para aplicação e contribuindo com a<br />

diminuição do desgaste físico. “O novo processo ainda<br />

promove a redução de riscos de acidentes e do esforço<br />

ergonômico do colaborador. No fim das contas, o projeto<br />

proporcionou mais rendimento na hora/homem por<br />

hectare em atividade de aplicação de calcário manual”,<br />

avalia Adelmo.<br />

FINALIDADE DO CALCÁRIO<br />

O calcário é utilizado pela empresa com o objetivo de corrigir<br />

os baixos níveis de cálcio e magnésio existentes no<br />

solo de suas áreas de plantio, garantindo nutrição adequada<br />

das plantas de eucalipto O produto é aplicado uma<br />

única vez durante o ciclo da cultura, numa quantidade que<br />

varia de 700 a 2 mil quilos por hectare.<br />

Carreta basculante distribui o calcário até os talhões<br />

O Programa Fomento Florestal teve início em 1985,<br />

tendo como parceiro o Instituto Estadual de Florestas<br />

(IEF). Ao longo dos anos, o programa tem proporcionado<br />

alternativa de renda, trabalho e diversificação da<br />

produção no meio rural.<br />

O Programa implanta florestas comerciais em áreas<br />

não aproveitáveis para a agricultura ou para a pecuária.<br />

Além de ser um agronegócio lucrativo e uma alternativa<br />

para o produtor, o Fomento Florestal também oferece<br />

benefícios para a sociedade e para o meio ambiente.<br />

As áreas do programa nas três regionais da CENIBRA<br />

(Guanhães, Nova Era e Rio Doce) somam cerca de 35 mil<br />

hectares e correspondem a aproximadamente 10% da<br />

produção de madeira da empresa.<br />

11


FAUNA E FLORA<br />

RAROS NO BRASIL, ABUNDANTES EM MINAS<br />

No Brasil, alguns destes animais integram a lista de animais ameaçados de extinção. Felizmente, nas regionais da<br />

CENIBRA ainda podem ser vistos com certa facilidade, em seu habitat natural. Conheça três espécies da fauna brasileira<br />

e fique atento à eleição dos novos símbolos das regionais. Mais informações na Intranet.<br />

REGIONAL: NOVA ERA<br />

LOBO-GUARÁ Chrysocyon brachyurus<br />

O lobo-guará caracteriza-se pelos longos membros, que<br />

permitem seu deslocamento ágil por meio da vegetação<br />

esparsa dos cerrados e dos campos. Sua pelagem<br />

característica é avermelhada por todo o corpo, exceto no<br />

pescoço, lombo, patas e ponta da cauda, que são de cor<br />

preta. Na ponta da cauda, das orelhas e do papo, pode<br />

apresentar a cor branca. Mede cerca de 1,5 metro de<br />

comprimento da cabeça à cauda e pesa entre 20 e 23 kg.<br />

Ao contrário dos demais lobos, essa espécie não forma<br />

alcateias. Tem hábitos solitários, juntando-se apenas em<br />

casais durante a época de reprodução. Essa espécie tem<br />

sido observada com frequência nas áreas da CENIBRA na<br />

região de Santa Bárbara.<br />

REgIONAL: RIO DOCE<br />

TAMANDUÁ-MIRIM Tamandua tetradactyla<br />

É um tamanduá de médio porte. Seu corpo mede entre<br />

54 e 60 cm e a cauda entre 54 e 56 cm, coberto por<br />

pelos curtos, densos e grossos, com coloração variada. É<br />

comum uma faixa de pelos pretos em volta do pescoço,<br />

como uma coleira, daí o nome vulgar de tamanduá-decoleira.<br />

Como todos os tamanduás, o mirim não possui<br />

dentes e alimenta-se, principalmente, de formigas e<br />

cupins. O animal habita florestas e cerrados de todo<br />

o Brasil e é comum observar a espécie nas áreas da<br />

CENIBRA nas regiões de Belo Oriente e Ipaba.<br />

REGIONAL: GUANhÃES<br />

RAPOSA Cerdocyon thous<br />

A raposa é um mamífero da família dos canídeos,<br />

amplamente distribuído pela América do Sul. Cada animal<br />

mede cerca de 65 cm de comprimento, com pelagem<br />

cinza-clara de base amarelada, e faixa dorsal negra,<br />

que se estende da nuca à ponta da cauda. São onívoros<br />

e oportunistas e sua dieta consiste de frutas, ovos,<br />

artrópodes, répteis, pequenos mamíferos e carcaças de<br />

animais mortos. Também são conhecidos pelos nomes<br />

de guaraxaim, cachorro-do-mato, graxaim, graxaim-domato<br />

e lobinho. Pode ser facilmente observado nas áreas<br />

da CENIBRA nas regiões de Sabinópolis e Virginópolis.

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!