A SAGA DO JORNALISMO LIVRE - Koosb

koosb.com

A SAGA DO JORNALISMO LIVRE - Koosb

E por que o povo não reivindica seus direitos?

O povo, coitado, é quem paga. Paga por estar mal instruído. Não conhece seus direitos.

Vou continuar batendo nessa tecla. E-DU-CA-ÇÃO. Um exemplo disso é o voto nulo.

Quase ninguém sabe o que é o voto nulo. O que acontece. O que se vê é o povo cada

vez mais insatisfeito e votando no cara. Às vezes faço uma enquête na minha loja e de

50 pessoas que entram lá, uma sabe o que é o voto nulo. Como se anula, o que acontece

se tiver mais de cinqüenta por cento de votos nulos. Essa é a única arma que o povo

tem. O povo acha que votar é obrigação. Isso não é obrigação. É direito. De direito para

obrigação existe uma distância enorme. Eles levam para outro lado. O povo não tem de

ir votar porque é obrigado, mas por estar convicto da escolha de seu representante, ou

então para botar todos eles na rua.

.

Isso seria uma grande mudança no modo do povo se relacionar com a política.

O povo não conhece a lei eleitoral. Só quer cesta básica e declaração. Recebi um e-mail,

onde um ex-combatente de guerra ensinava ao seu professor como se prende porco do

mato. Ele disseque era muito fácil. Era só jogar um punhado de milho no quintal e

esperar o porco vir comer. Depois de ele aparecer para comer o milho durante um

tempo, se coloca uma cerca de um lado. Passado algum tempo, o porco já vai ter se

acostumado a ela. Aí você fecha em L. Passado mais um tempo, você fecha em U. Um

belo dia você fecha a cerca deixando apenas o portão para ele entrar e sair. Quando ele

menos esperar você fecha o portão. O bolsa família é o milho. O povo não precisa de

esmola. Ele tem de ter condições dignas de ir ao mercado e fazer suas compras. Essa

história de cesta básica é antiga. O povo tem direito a saúde e educação, mas ninguém

dá isso a ele. Eles querem que o povo viva como o porco da história. Se acostumando ao

milho atirado no quintal, para quando menos esperar estar cercado.

.

E por que o governo não investe em educação?

.Porque não é interessante para ele. Eu só posso acreditar nisso. O povo está muito mal

informado. Dá pena de um povo que está sendo privado da verdadeira informação. Eles

falam coisas que não tem nada a ver com a realidade. Muitas vezes, a culpa de certas

coisas cai sobre pessoas que não tem como resolver certos problemas. No meu caso, por

exemplo, canso de escutar pessoas me recriminando como se tudo fosse culpa do

Presidente da Associação. Eu faço o ofício, peço a obra, acompanho e aí, quando chega

ao setor competente, eles alegam que não tem dinheiro... Que não vão fazer... Se não

tiver voto, um acordo com uma pessoa que abrace a área vai ficar chupando dedo na

pista. É muito difícil trabalhar assim. São pessoas que não querem ver nosso verdadeiro

crescimento. Querem sempre que estejamos dependendo de ajuda.

CHUMBINHO E AS COISAS SIMPLES DA VIDA

Paulo Roberto de Lima, conhecido como Chumbinho, nasceu no Rio de Janeiro, mas foi

ainda jovem para Niterói, cidade que adotou como morada e o recebeu de braços

abertos. "Daqui não saio mais", anuncia satisfeito. Mesmo tendo tocado com grandes

nomes da MPB e participando de diversos trabalhos da atualidade, ele consegue

desfrutar dos prazeres do anonimato. Durante um de seus passeios pela cidade, depois

de tomar um café com pão na chapa, em uma padaria de Santa Rosa, sentamos na

pracinha do Largo do Marrão, onde batemos um papo bem humorado e descontraído

8

Similar magazines