PIAS Programa de Ingresso por Avaliação Seriada - Uniube

uniube.br

PIAS Programa de Ingresso por Avaliação Seriada - Uniube

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Comissão Permanente de Processos Seletivos

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

DIALOGANDO COM O PIAS

ISSN 1679­155X

Dial. com o PIAS Uberaba ­ MG V. 7 N. 7 Set. 2008

1


PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

UNIVERSIDADE DE UBERABA

PROGRAMA DE INGRESSO POR AVALIAÇÃO SERIADA

Campus Uberaba

Av. Nenê Sabino, 1.801

Bairro Universitário

38.055­500 – Uberaba – MG

Tel.: (34) 3319 ­ 8800

(34) 3319 ­ 8851

Fax: (34) 3314 ­ 8910

Campus Uberlândia

Rua Coronel Severiano, 251 – Bairro Tabajaras

Tel.: (34) 3231 1900

Rua Av. Rondon Pacheco, n.º 2.000, Lidici

Tel.: (34) 3234­3503

Unidade Araxá

Av. Amazonas, 295 – Bairro São Geraldo

Tel.: 34 3664 ­ 2551

Internet: http://www.uniube.br

e­mail: pias@uniube.br

REITOR

Marcelo Palmério

PRÓ­REITORA DE ENSINO SUPERIOR

Inara Barbosa Pena Elias

DIALOGANDO COM O PIAS

ORGANIZAÇÃO

Marilene Ribeiro Resende

REVISÃO DE REDAÇÃO

Newton Luís Mamede

EDITORAÇÃO

Maria Aparecida Pegorari

CAPA

Ney Braga

IMPRESSÃO

Gráfica Universitária

2

Catalogação elaborada pelo setor de Referência da Biblioteca Central da UNIUBE

D541 Dialogando com o PIAS / Universidade de Uberaba,

Programa de Ingresso por Avaliação Seriada. – Vol. 1,

n. 1 (set. 2000)­ . Uberaba, MG: UNIUBE/PIAS,

2000­ .

v. : il.

Anual

ISSN 1679­155X

1. Avaliação educacional. I. Universidade de Uberaba.

Programa de Ingresso por Avaliação Seriada.

CDD 371.2605

15

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada


102

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

PIASPrograma de Ingresso Por Avaliação Seriada

PROFESSORES COLABORADORES

Anderson Osvaldo Ribeiro

Beatriz Ribeiro Ferreira Pu ci

Edila Pinto

Eliane Mendonça Marquez de Rezende

Geraldo Thedei

Giuliana Thedei

Helena Borges Ferreira

Irene de Lima Freitas

Júlio César de Jesus Onofre

Julliana de Paula Medeiros

Leila Janice Maxwell

Márcia Beatriz da Silva

Márcia Regina Pires

Marilene Ribeiro Resende

Mauro Luiz Begnini

Natal Junio Pires

Newton Luís Mamede

Otaviano Mendonça Ribeiro Filho

Ricardo Baratella

Sandra Eleutério Campos Martins

Sandra Mara Dantas

Sebastião Francelino da Cruz

Sônia Maria Cecílio de Oliveira

Váldina Gonçalves da Costa

3


4

REDAÇÃO

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Sumário

1ª etapa ...................................................................................................... 6

2ª etapa ....................................................................................................... 12

3ª etapa ........................................................................................................ 17

QUESTÕES ABERTAS

1ª etapa........................................................................................................ 23

2ª etapa ........................................................................................................ 25

3ª etapa ....................................................................................................... 27

LÍNGUA PORTUGUESA

1ª etapa ......................................................................................................... 29

2ª etapa ......................................................................................................... 33

3ª etapa ......................................................................................................... 36

LITERATURA

1ª etapa .......................................................................................................... 40

2ª etapa .......................................................................................................... 41

3ª etapa .......................................................................................................... 44

LÍNGUA ESTRANGEIRA (Inglesa)

1ª etapa .......................................................................................................... 46

2ª etapa .......................................................................................................... 48

3ª etapa .......................................................................................................... 50

QUÍMICA

1ª etapa ........................................................................................................... 53

2ª etapa ........................................................................................................... 55

3ª etapa ........................................................................................................... 57

MATEMÁTICA

1ª etapa ........................................................................................................... 59

2ª etapa ........................................................................................................... 63

3ª etapa ........................................................................................................... 67

FÍSICA

1ª etapa ........................................................................................................... 69

2ª etapa ........................................................................................................... 72

3ª etapa ........................................................................................................... 74

BIOLOGIA

1ª etapa ........................................................................................................... 76

2ª etapa ........................................................................................................... 79

3ª etapa ........................................................................................................... 82

HISTÓRIA

1ª etapa ............................................................................................................ 85

2ª etapa ............................................................................................................ 87

3ª etapa ............................................................................................................. 90

GEOGRAFIA

1ª etapa ............................................................................................................ 93

2ª etapa ............................................................................................................ 96

3ª etapa ............................................................................................................. 99

Questão Nº 36

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

“Na base do Monte Everest, a montanha mais alta do mundo, e nas paredes da Muralha da China, ativistas estrangeiros estenderam

faixas com os dizeres: One world, one dream. Free Tibet 2008.”

(Folha de São Paulo, Caderno Mundo 2, 01.set.2007, página A21)

Sobre o Tibete, analise as afirmativas e assinale a INCORRETA:

A) Em 1949, os comunistas proclamam a República Popular da China, reorganizada nos moldes comunistas. Em 1950, a China

ocupa e anexa o Tibete. O governo comunista destrói a maioria dos monastérios da região e toma medidas para suprimir a

identidade e a religião do povo tibetano.

B) O Tibete é uma região de tradição budista que nunca aceitou a ocupação chinesa. Uma rebelião liderada por monges

budistas é esmagada pelas tropas da China, forçando ao exílio o líder espiritual tibetano, o Dalai Lama, que se refugia na

Índia.

C) A causa da independência do Tibete ganha força no Ocidente, após a concessão do Prêmio Nobel da Paz ao Dalai Lama, mas

a China continua a punir severamente os militantes pela independência.

D) Um ano antes do início dos Jogos Olímpicos de Pequim, o slogan oficial da competição ganhou ares de protesto ao incorporar

mensagens pela libertação da região autônoma do Tibete: Free Tibet ameaça eclipsar a olimpíada.

E) No território chinês são proibidos sites e vídeos relacionados a temas considerados pelo governo chinês como ameaça à

estabilidade nacional – o movimento pela independência do Curdistão, da Caxemira e a própria figura do Dalai Lama.

Comentário

A B C D E

13% 22% 18% 29% 18%

Índice de Dificuldade: 82%

O tema “Tibete”, amplamente explorado pela mídia, principalmente com a aproximação dos Jogos Olímpicos de Pequim, parece

não ter sido discutido em sala de aula, apesar de os conflitos mundiais serem tema da terceira etapa do Ensino Médio. Causou

surpresa verificar que 29% dos candidatos assinalaram a alternativa D, e não a alternativa E, como incorreta, e que, portanto,

desconhecem que os conflitos do Curdistão ocorrem com a República da Turquia, e os conflitos da Caxemira, com a República

da Índia e a República Islâmica do Paquistão. Com isso, o índice de dificuldade da questão foi altíssimo (81%), e o índice de

discriminação ficou deficiente.

Questão Nº 37

Observe o quadro a seguir:

Fontes de

Energia

X

Y

Tipo Produtores Impactos Duração

Não­

renovável.

Não­

renovável.

Rússia;

Oriente

Médio;

Alguns

países

africanos.

China é o

maior

produtor.

Maiores

reservas:

Estados

Unidos,

China e

Rússia.

Gera menos

poluentes

atmosféricos

quando

comparado

com outros

combustíveis

fósseis.

É um dos

maiores

contribuintes

do chamado

efeito estufa.

As letras X e Y do quadro podem ser substituídas, respectivamente, por:

A) petróleo e carvão;

B) carvão e gás natural;

C) energia nuclear e petróleo;

D) biomassa e xisto betuminoso;

E) gás natural e carvão.

Comentário

O suprimento

atual é

suficiente para

os próximos 60

anos.

É o

combustível

fóssil mais

abundante do

mundo, com

duração

estimada de

mais de 150

anos.

A B C D E

35% 11% 18% 3% 33%

Índice de Dificuldade: 67%

A questão aborda as fontes de energia – gás natural e carvão – dentro do contexto mundial. Apesar de o tema ser bastante

explorado, a expectativa da banca era de que, no geral, o índice de acertos fosse maior. Mas, como 50% dos vestibulandos do

grupo de melhor desempenho acertaram a questão, o índice de discriminação foi relativamente bom. Muitos candidatos marcaram

a alternativa A como correta, inserindo no quadro, na letra X, petróleo ao invés de gás natural. Faltou, portanto, ao aluno uma melhor

análise do quadro em relação aos produtores, impactos e duração, porque sabemos que o gás natural é menos poluente que o

petróleo, e as reservas conhecidas podem durar cerca de 60 anos, enquanto que as de petróleo, na melhor das previsões,

apenas 40 anos.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 93­101, set. 2008

101


PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

(errada) foi assinalada por 26% dos candidatos, e a C (correta), por apenas 24%, o que levou a um alto índice de dificuldade (76%).

Questão Nº 33

Foram legados de Boris Ieltsin:

I) Promover a criação da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), que reúne os territórios que antes pertenciam ao

Império Russo.

II) Promover as reformas que resultaram no fim da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas: a glasnot (transparência) e a

perestroika (reestruturação).

III) Promover a desmontagem das principais instituições da URSS. A URSS deixa de existir. As 15 repúblicas socialistas que a

constituíam transformaram­se em 15 nações independentes, das quais a principal é a Federação Russa.

IV) Promover o fim de sete décadas de comunismo e a implantação de um programa de desestatização e liberalização econômica.

Sob a liderança de Ieltsin, a Rússia viveu o período de maior liberdade política de sua história.

São CORRETAS as afirmações contidas em:

A) I e II,apenas

B) II,apenas

C) III, apenas

D) III e IV, apenas

E) I, II, III e IV.

Comentário

100

A B C D E

13% 17% 16% 36% 18%

Índice de Dificuldade: 64%

O objetivo da questão foi avaliar o papel de Bóris Ieltsin na desmontagem das principais instituições da URSS. A estatística do

resultado da questão confirmou a expectativa da banca, pois 56% dos alunos de desempenho superior assinalaram a resposta

correta. Como o tema abordado nesta questão foi o mesmo das questões 32 e 34 (já insceridas e comentadas na p. 90),

percebemos que existe um aprofundamento dele em sala de aula, além de ser bastante explorado pelos livros didáticos tanto de

História como de Geografia, pois o índice de discriminação das três questões foi bom, e o de dificuldade, de médio para difícil.

Questão Nº 35

Em 2004, desaparecia oficialmente a Iugoslávia, situada no centro da Península Balcânica, que passou a denominar­se Sérvia e

Montenegro. Em 2006 a independência de Montenegro marca mais um capítulo da desagregação iugoslava, iniciada em 1992.

Sobre a atual Sérvia, analise as afirmativas:

I) Voivodina e Kosovo são regiões autônomas da Sérvia.

II) A província de Kosovo, embora pertença formalmente à Sérvia, permanece sob controle internacional,desde que a Otan

[aliança militar ocidental] interveio militarmente na região.

III) A Rússia é aliada da Sérvia. Portanto, é contra o plano para a independência de Kosovo, em exame nas Nações Unidas, e

apoiado pelos EUA.

IV) Enquanto os sérvios da província de Kosovo lutam pela independência, os albaneses, que constituem 90% da população,

concordam apenas com a concessão de maior autonomia.

São CORRETAS as afirmações contidas em:

A) I e II, apenas.

B) I, II e III, apenas.

C) II e III, apenas.

D) III e IV, apenas;

E) I, III e IV.

Comentário

A B C D E

12% 30% 29% 14% 15%

Índice de Dificuldade: 70%

A temática desta questão é o conflito em Kosovo, região autônoma da ex­Iugoslávia que também busca sua independência. A

antiga Federação Iugoslava vem se desagregando desde 1992 e já se dividiu em seis países. Apesar de o tema ser amplamente

abordado pela mídia, a questão alcançou alto grau de dificuldade (70%), o que nos leva a concluir que o vestibulando precisa de

mais leitura. O índice de discriminação ficou deficiente. Como a alternativa C foi bastante assinalada, acreditamos que os

candidatos tenham confundido a expressão “autonomia” com “independência”. É importante que os professores discutam sempre

em sala de aula a diversidade de conflitos que vêm ocorrendo hoje em todas as partes do mundo, sejam eles políticos, econômicos,

religiosos ou étnicos. Leituras de jornais, revistas e paradidáticos são essenciais para que isso ocorra.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 84­93, set. 2008

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Editorial

Com o Nº 7, o periódico Dialogando com o PIAS dá prosseguimento ao seu objetivo de divulgar o material didático produzido

pela equipe de professores da Universidade de Uberaba, a partir das provas aplicadas em 2007. Acreditamos ser um

material rico para os professores do Ensino Médio, pois contém as questões, os resultados, comentários e sugestões.

Eles poderão usá­lo em suas salas, aplicando as questões, comentando­as e comparando os resultados obtidos pelos

candidatos com os de suas turmas. É também valioso para os alunos, pois poderão resolver as questões, uma vez que são

dadas as respostas, além de observações e comentários. Acreditamos ser também um material útil para os pais, pois lhes

permite acompanhar as tendências dos processos seletivos do ensino superior, como também incentivar os filhos para os

estudos.

Inicialmente, é apresentado um texto intitulado Entre o saber e o mostrar: compreendendo o proce so de leitura e escrita

na prova de redação do PIAS. São apresentadas, em seguida, as propostas de redação para as três etapas, ilustradas,

com produções dos candidatos consideradas boas.

Seguem as questões abertas, com o padrão de respostas e a inserção de boas respostas dos alunos.

Posteriormente, são apresentadas as questões comentadas de cada disciplina em cada etapa. Para cada uma delas há

um quadro com o percentual de respostas em cada alternativa, sendo que a resposta correta está sombreada. É apresentado,

também, o Índice de Dificuldade da questão, que é o percentual de respostas erradas. Alguns comentários fazem referência

aoÍndice de Discriminação, que traduz o poder da questão em separar os alunos de desempenho superior dos de desempenho

inferior na prova como um todo.

Estamos abertos ao diálogo e aguardamos os seus comentários através do site pias@uniube.br.

Conselho Editorial

5


PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Redação

Entre o saber e o mostrar: compreendendo o processo de leitura e escrita

na prova de redação do PIAS.

6

Todo acontecimento da cidade, da casa, da casa do vizinho, meu avô escrevia nas

paredes. Quem casou, morreu, fugiu, caiu, matou, traiu, comprou, juntou, chegou, partiu.

Coisas simples como a agulha perdida no buraco do assoalho, ele escrevia (...) As

paredes eram o caderno do meu avô. Cada quarto, cada sala, cada cômodo, uma

página.

Enquanto ele escrevia, eu inventava histórias sobre cada pedaço da parede; a casa do

meu avô foi o meu primeiro livro. Até história de assombração tinha.

(Bartolomeu Campos de Queiroz, Por parte de pai .p.10­12)

Ao ler o fragmento, fica difícil não questionar: por que o avô escrevia nas paredes? Para registrar sua história e das

pessoas que conhecia? Para representar os acontecimentos e refletir melhor sobre eles? Para se comunicar? Para dizer e dizer­

se? Para não perder de vista a tessitura da vida?

O fato é que o menino o observava e, então, refletia, imaginava, inventava, tecia. As histórias eram construídas quase que

por acaso, inspiradas, convidadas pelos registros do progenitor. De um lado, a figura do avô que, mesmo sem intencionalidade

pedagógica, instigava, fazia nascer o desejo enunciativo; e, por outro lado, a leitura e a escrita que, saboreadas em casa,

tornavam­se familiares. A imaginação encontrava o espaço da liberdade, em que palavras podem ser usadas sem medos. Talvez,

esse seja o segredo de Bartolomeu e de tantos outros amantes da linguagem, para se iniciarem no exercício da leitura e escrita,

com tanto prazer.

De uma forma ou de outra, é no aconchego do lar que as crianças experimentam a linguagem pela primeira vez. As

conversas com amigos invisíveis, as canções que inventam, os recontos que elaboram revelam­nos o quanto levantam hipóteses

acerca da construção lingüística e como as usam com espontaneidade e criatividade.

Com o ingresso na escola, devido a uma série de fatores, muito dessa beleza, do contato lúdico com a palavra, dos

escritos na “parede” se perdem ou tornam­se algo duro, difícil, e sem prazer, alargando a distância entre o que se quer dizer e o

que se diz. Talvez, o racionalismo, a obediência cega às normas e as receitas de como fazer desconsiderem a alteridade e a

singularidade dos caminhos que devem ser encontrados pelo sujeito autor, apoderando­se dos espaços que deveriam estar

disponíveis para a subjetividade, na qual as vozes interiores são construídas. O que era prazer, então, transforma­se em sofrimento.

O desejo enunciativo e as experiências de construção do discurso se rompem e a dúvida reflexiva e propulsora transforma­se em

insegurança ameaçadora e, muitas vezes, esterilizante. Então, o educando acaba desistindo de acreditar no seu potencial, sente­

se incapaz e apela para fórmulas milagrosas e rápidas de fazer sem compreender.

Sabe­se que para a formação do sujeito leitor, do sujeito autor, é preciso mais que exercitar o jogo lingüístico: é necessário

desenvolver a competência de dominar a palavra e fazê­la libertadora, conquistando formas de usá­la. Nesse sentido, a escola

deve oportunizar ao educando a interação com diferentes tipos de textos, gêneros, autores, possibilitando­lhe refletir e construir a

familiaridade e a liberdade, indispensáveis à criação do desejo enunciativo.

É fato que, no momento de uma prova de qualquer processo seletivo, o nervosismo, a pressão familiar e pessoal fazem

com que o ato de redigir, que é complexo, torne­se um problema, um obstáculo, um dificultador a mais. Além disso, a suposta

situação de produção do discurso e o conteúdo temático, oferecidos no enunciado, podem acabar sendo enfraquecidos diante da

situação de avaliação. Quando isso ocorre, o candidato deixa de cumprir a intencionalidade comunicativa proposta na atividade,

para transformar seu texto, em, apenas, uma redação a ser avaliada. Não acreditando em sua competência lingüística, ele lança

mão de regras e de estereótipos e reproduz mecanicamente as dicas e estruturas estáticas apresentadas como moldes para os

mais variados textos, como se fosse possível engessar as palavras.

O Programa de ingresso por Avaliação Seriada da Universidade de Uberaba – PIAS – tem procurado selecionar

estudantes que saibam pensar, expressar­se com clareza, levantar e verificar hipóteses, além de dominar os conteúdos do

ensino médio. Dentre os objetivos do PIAS, está avaliar se os candidatos são capazes de expressar­se de maneira clara;

organizar suas idéias; estabelecer relações; demonstrar capacidade para interpretar dados e fatos; elaborar hipóteses; dominar

os conteúdos das disciplinas do núcleo comum do ensino médio. Por isso, a avaliação é constituída de questões objetivas,

discursivas e uma redação. É importante mencionar que a prova de Redação, ao avaliar o modo de escrever um texto, não leva em

conta apenas o conhecimento da modalidade culta da língua. Muito mais do que isso, essa prova é um instrumento cujo objetivo

é avaliar a forma de escrever sobre um determinado assunto, o que implica processos de leitura e de elaboração de argumentos

a partir de uma determinada situação. A prova da primeira etapa é constituída de três propostas de redação, apenas do gênero

narração. A prova da segunda e da terceira etapa é constituída de três propostas de redação, cada qual acompanhada de

instruções específicas que determinam o tema e o tipo de texto/gênero que deve ser elaborado. Essas propostas contêm um texto

ou fragmento de texto que serve de subsídio para a elaboração da redação. O objetivo disso é desencadear uma reflexão inicial

sobre o tema. Entretanto, esperamos que o candidato articule sua experiência de vida, leitura e reflexão com a leitura que faz do

texto presente na proposta.

A proposta A solicita sempre um texto dissertativo, em que é importante que o candidato discuta e explore argumentos de

modo a sustentar sua perspectiva sobre o tema. Assim, espera­se que se produza um texto crítico sobre o tema proposto,

indicando domínio na identificação das partes, na análise das relações e na interpretação dos sentidos. Já a proposta B solicita

sempre um texto narrativo, no qual é importantíssimo uma boa construção da voz narrativa que relacione os elementos descritivos

de um texto de ficção (espaço, tempo, enredo, personagens, dentre outros). É importante lembrar que, nesse tipo de texto, o foco

narrativo deve ser o fio. Finalmente, a proposta C pede ao candidato que elabore uma carta argumentativa: um espaço de

comunicação interpessoal em que a elaboração da argumentação é mediada por uma interlocução sólida, apontando de uma

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008

A região, no Estado de São Paulo, citada no texto acima, é o Vale do Rio:

A) Paraíba do Sul

B) Paraná

C) Mogi–Guaçu

D) Ribeira de Iguape

E) Tietê

Comentário

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A B C D E

26% 24% 25% 13% 12%

Índice de Dificuldade: 87%

Foi a questão de geografia da 2ª etapa considerada mais difícil pelos candidatos, pois o índice de dificuldade foi altíssimo, 87%.

Os candidatos erraram a questão porque não souberam associar a maior região produtora de banana do país com o vale do

rio Ribeira de Iguape. Com isso o índice de discriminação foi muito baixo.

A banca reconhece que a questão não exigiu dos alunos outras habilidades, apenas conhecimento, embora tivesse o mapa como

referência.

3ª Etapa

Questão Nº 31

“O fenômeno El Niño costuma ser definido como uma anomalia climática, mas muitos pesquisadores preferem interpretá­lo

como mecanismo normal de regulação climática”.

(Demétrio Magnoli; Regina Araújo. Geografia: a construção do mundo – Geografia Geral e do Brasil).

Sobre o El Niño, considere as afirmativas.

I) A instalação do El Niño evidencia­se no início do verão, quando as águas frias da corrente de Humboldt, nas costas peruanas,

são interceptadas por águas quentes que vêm do norte e do oeste.

II) A desigual distribuição de chuvas verificada nas áreas litorâneas é uma conseqüência do El Niño, fenômeno oceânico típico

da Zona Temperada do Pacífico Norte, que se caracteriza por um aquecimento superior à média de suas águas superficiais.

III) O El Niño, fenômeno regional, em função do volume imenso e da vasta superfície do Pacífico, adquire dimensões continentais

ou globais, alterando padrões climáticos nas Américas, Ásia, Oceania e África.

IV) O Anti­El Niño, também denominado La Niña, menos freqüente, caracteriza­se pelo aquecimento anormal das águas do

Oceano Atlântico, embora seus efeitos sejam menos intensos.

Comentário

A B C D E

16% 26% 24% 20% 14%

Índice de Dificuldade: 76%

A temática abordada, o “El Niño”, fenômeno climático natural cujas causas ainda são incertas mas que tem conseqüências

globais, é amplamente divulgada pela mídia. Mas, como os vestibulandos tiveram muita dificuldade em responder a questão, a

banca sugere maior aprofundamento do assunto na sala de aula pelo professor, pois é um tema bastante complexo e que ainda

suscita muitas dúvidas. Afinal, o “El Niño”, apesar de ser um fenômeno regional, adquire dimensões continentais, alterando

padrões climáticos na maioria dos continentes e repercutindo também nas atividades humanas. Como apenas 36% dos alunos

de desempenho superior acertaram a questão, o índice de discriminação foi deficiente. No desempenho geral, a alternativa B

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 93­101, set. 2008

99


Questão Nº 34

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Os números, no mapa, representam a distribuição geográfica das principais formações vegetais originais do território brasileiro.

As alternativas indicam as características do espaço de algumas dessas formações vegetais. Faça a correlação adequadamente.

( ) Quente, planície alagada parte do ano, grande variedade de espécies vegetais.

( ) Quente, relevo serrano, formação arbórea condicionada a esse tipo de relevo e à umidade oceânica.

( ) Quente, chuvas abundantes, rios caudalosos, cobertura arbórea grande e densa.

( ) Clima ameno, chuvas regulares, relevo serrano, formação aciculifoliada.

( ) Quente, semi­úmido, solo ácido, predomínio de arbustos retorcidos com raízes profundas.

( ) Quente, semi­árido, chuvas escassas e irregulares e vegetação resistente à seca.

Assinale a associação CORRETA:

A) 1, 4, 8, 5, 2 e 3.

B) 2, 1, 8, 4, 3 e 5.

C) 3, 8, 4, 1, 5 e 2.

D) 8, 4, 1, 5, 2 e 3.

E) 8, 1, 4, 5, 3 e 2.

Comentário

98

A B C D E

29% 8% 7% 46% 10%

Índice de Dificuldade: 54%

Esta questão foi considerada pela banca de geografia, tendo em vista a estatística das respostas, como a de melhor resultado

nesta etapa, pois apresentou índice de dificuldade de 53% e o melhor índice de discriminação: 0,57.

O mapa das Formações Vegetais Brasileiras contribuiu para resolução da questão, pois ajudou o candidato a identificar os

espaços correspondentes a cada uma delas. O tema, amplamente discutido em sala de aula, tanto no Ensino Fundamental como

no Médio, também colaborou para que 80% dos alunos do grupo de melhor desempenho assinalassem a alternativa correta.

A banca sugere que os professores utilizem sempre os mapas em suas aulas, pois a sua leitura e interpretação é fundamental

para a boa compreensão do espaço geográfico.

Questão Nº 35

Trabalhadores da maior região produtora de banana do país, o Vale do [...], não têm registro em carteira, (ou salário

abaixo do piso mínimo), não usam equipamentos de proteção, têm de arcar com os custos de suas ferramentas e são até

pulverizados com agrotóxico...

A situação de trabalho na região é mais degradante do que imaginávamos. Além de a informalidade predominar, não há

orientação para manipulação de agrotóxicos. Trata­se de dumping social. Como não há perspectiva de trabalho na região, eles

se submetem a condições degradantes. [...] há cerca de 4.000 pequenos produtores de banana espalhados em 17 municípios,

onde trabalham ao menos 28.000 pessoas. [...] a produção chega a 1 milhão de toneladas. [...] área plantada está próxima de 40

mil hectares. No estado, o cultivo da banana só perde para o de cana­de­açúcar e o de laranja.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 84­93, set. 2008

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

maneira bem definida a imagem de quem a escreve e de quem a recebe, o que significa assegurar, nesse tipo de texto, o lugar

essencial da argumentação.

Ao se corrigir as redações do PIAS, a banca observa se o candidato foi capaz de pensar um projeto de texto em função de

um objetivo específico e o elaborou por meio da modalidade escrita da língua. Dessa forma, os critérios de correção da redação

são a adequação ao tema, ao tipo de texto e à norma culta, além da coesão, coerência e autoria. Nesse sentido, busca­se avaliar

a capacidade de leitura do candidato, observada, sobretudo, através da relação estabelecida entre o texto que ele elabora e o

fragmento da proposta; a consistência temática e textual, por meio do trabalho que se elabora com o tema e o tipo de texto, e a

articulação escrita, analisada por meio de uma boa exploração dos elementos coesivos e da modalidade escrita.

Assim, como conseqüência, no texto do candidato deve haver pontos de contato com o texto da proposta, no qual o candidato deve

se ancorar para produzir o seu, mas sem que se copiem quaisquer trechos; a redação do candidato deve estar de acordo com as

características do tipo de texto da proposta escolhida, realizadas por meio dos elementos estruturais de cada tipo; o candidato

deve elaborar um texto cuja leitura seja fácil, natural e atraente, resultado de uma estruturação sintático­semântica bem articulada

pelos recursos coesivos. Além disso, o candidato deve demonstrar o domínio de vocabulário amplo e do padrão normativo das

regras de acentuação, ortografia, concordância e regência verbo­nominal, dentre outras.

Ao analisar a prova de redação do PIAS, professores, educandos e avaliadores têm a oportunidade de se auto­avaliarem,

de perceberem suas expectativas em relação a cada ator, de identificarem os acertos e o que precisa ser melhorado, instigando

reflexões sobre o processo de formação lingüística.

Entendendo esta análise como um convite à reflexão, surgem alguns questionamentos fundamentais: como possibilitar

que os alunos e os professores se reconheçam na prova de redação do PIAS e a percebam como um recurso, uma forma de auto­

avaliação, que aponta reflexões e sugere caminhos? Como fazer desse instrumento de avaliação, um ponto de convergência, de

diálogo em que se entrecruzam muitas vozes? Como contribuir para que a vontade enunciativa seja mantida ao longo da formação

escolar e para que a linguagem seja usada com liberdade, prazer e pertinência em diferentes situações de produção do discurso?

É com essa intenção que passamos, agora, a analisar e comentar as propostas de produção apresentadas aos candidatos e

algumas redações de cada etapa.

1ª Etapa

Proposta A

Leia o texto abaixo, extraído de uma crônica do livro Tia Zulmira e Eu, do escritor e humorista carioca Stanislaw Ponte Preta:

Eram mais ou menos 2 horas da madrugada, quando a porta se abriu e uma lufada de vento entrou pela sala, espalhando

os papéis que estavam sobre a mesa. Atrás do vento entrou um homem horrível, com cara de macaco, orelhas grandes e

cabeludas. Seu olhar era de faminto e sua expressão era a de um louco. Imenso, deu dois passos em direção ao dono da casa e,

estendendo a mão enorme, disse com voz rouca: – Eu quero comer.

Comentário

PRETA, Stanislaw Ponte. Tia Zulmira e Eu. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975, p. 212.

Narre (invente), agora, uma história ligeiramente de terror, em continuação ao episódio exposto, dando solução à curiosidade

do leitor sobre o que irá acontecer. Releia as instruções apresentadas no início.

Nessa proposta, esperava­se que o candidato desse continuidade ao episódio apresentado e satisfizesse a curiosidade

do leitor sobre o que aconteceria na seqüência. Deveria produzir um texto narrativo, atentando para ambientação, caracterização

dos personagens, construção do clímax e apresentação de um desfecho surpreendente. Tendo em vista o mínimo de 20 linhas

para escrever a história, é certo que a curiosidade do leitor não deveria ser desfeita logo no início. Assim, a habilidade lingüística

do candidato seria revelada pela forma cadenciada de sustentar a trama e de conferir ao texto um desfecho inusitado. Além disso,

era necessário manter o foco narrativo na terceira pessoa do singular e atentar­se para o fato de escrever uma história ligeiramente

de terror.

Esse tipo de proposta exige considerável proficiência em interpretação textual, uma vez que, para estabelecer a coerência

do texto com o início posto, o candidato deve perceber indícios e levantar hipóteses concisas acerca do cenário, do tempo

histórico­social, da subjetividade dos personagens, de seus possíveis papéis e intencionalidades, além de perceber e manter o

estilo da linguagem. Se, de uma forma, deve apelar para sua criatividade, de outra, deve articulá­la à criatividade do primeiro autor.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008

7


Exemplo de redação

8

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Na narrativa analisada, há mecanismos básicos de coesão que contribuem para a coerência do texto. As situações

vivenciadas pelos personagens e a seqüência temporal, em grande parte, são elucidadas pelo uso adequado de advérbios e de

locuções adverbiais de modo e de tempo. As concordâncias nominal e verbal, a utilização de adjetivos e de outros recursos da

norma padrão foram, relativamente, bem empregadas.

O texto apresenta repetições desnecessárias e redundância, evidenciadas, em grande parte da redação, na retomada de

situações semelhantes às narradas no primeiro parágrafo. Pela riqueza dos recursos lingüísticos utilizados em alguns fragmentos,

percebe­se que o candidato priorizou a construção composicional da narrativa, em detrimento da criatividade temática.

A idéia do desfecho é interessante, pois evoca uma situação positiva em que o sentimento nobre do perdão é o responsável

pela transformação de um personagem. Isso nos permite fazer, mesmo que vagamente, uma alusão aos contos de fadas, em

que, pelo poder do sentimento amor, sapos transformam­se em príncipes e feras transformam­se em homens.

O candidato, também, não revelou indícios de como ocorreu a transformação do ex­funcionário numa criatura estranha e

isso é extremamente importante para a articulação entre o jogo fantástico e a verossimilhança. Se o texto fosse mais bem

elaborado, o interdiscurso com o gênero conto de fadas seria estabelecido mais intensamente.

Embora haja algumas inadequações quanto ao emprego da norma culta, o autor apresenta idéias interessantes, mantém

a progressão textual e a expressividade, além de satisfazer a curiosidade do leitor sobre o que irá acontecer.

Comentário

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

É realmente preocupante verificar que os candidatos assinalaram como corretas mais as alternativas A (29%) e D (24%) do que

a C. Não souberam, portanto, distinguir as características das sub­regiões nordestinas, temática exaustivamente abordada

desde o Ensino Fundamental. Daí o alto índice de dificuldade (85%) e o baixíssimo índice de discriminação.

Questão Nº 33

Com base nas informações do gráfico e nos conhecimentos sobre o assunto, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO:

A) O complexo siderúrgico brasileiro está altamente concentrado no Sudeste, em virtude da proximidade dos grandes mercados

consumidores industriais.

B) No interior da região, Minas Gerais concentra a maior parte da produção siderúrgica, em virtude da proximidade das jazidas da

Serra de Carajás.

C) O Vale do Aço é a maior concentração siderúrgica do país. Ele está conectado por ferrovias ao Vale do Paraíba e ao Porto de

Tubarão, no Espírito Santo.

D) No Rio de Janeiro, a Companhia Siderúrgica Nacional está conectada por ferrovia às reservas minerais do Quadrilátero

Ferrífero e aos portos marítimos.

E) O Brasil é o maior produtor mundial de ferro­gusa, e Minas Gerais é o estado com o maior número de produtores.

Comentário

A B C D E

10% 18% 37% 18% 17%

Índice de Dificuldade: 82%

Deparamos mais uma vez, nesta 2ª Etapa, com uma questão que apresentou alto índice de dificuldade (82%). A banca reconhece

que são questões que exigem, além de determinadas habilidades, uma boa dose de conhecimento dos conteúdos ministrados

na segunda série do Ensino Médio. O índice de discriminação foi também muito baixo, os candidatos optaram mais pelas

alternativas C (37%) e D (18%), erradas, do que pela B, que é a correta.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 93­101, set. 2008

97


Comentário

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Das questões de geografia da 1ª Etapa, esta foi a que apresentou o melhor índice de discriminação (0,50), pois 70% dos

candidatos de desempenho superior responderam­na corretamente. Como o Brasil está localizado no continente americano e a

temática abordada foi a “Urbanização da América Latina”, ficou mais fácil para o candidato reconhecer a alternativa que não

apresenta características dessa urbanização (vivenciada por todos os brasileiros!): recente, rápida, concentrada nas grandes

cidades (metropolização) e principalmente terciária. Características estas bem diferentes das do mundo desenvolvido.

O desempenho geral dos alunos foi bom, porque 43% deles acertaram a questão.

2ª Etapa

Questão Nº 31

Leia a asserção e a razão e depois assinale a alternativa correta.

96

Asserção Razão

O sistema de fusos

horários permite a

determinação das horas

de todos os lugares

relativamente à hora do

meridiano inicial

(Meridiano de

Greenwich). No Brasil,

existem 4 fusos horários,

todos eles com as horas

adiantadas em relação

ao fuso horário inicial.

Porque

O território brasileiro

está situado totalmente

no hemisfério ocidental,

e o movimento de

rotação realiza­se no

sentido anti­horário, ou

seja, de oeste para leste.

A) Asserção errada, razão correta.

B) Asserção correta, razão correta, mas a razão não justifica a asserção.

C) Asserção correta, razão correta, e a razão justifica a asserção.

D) Asserção correta, razão errada.

E) Asserção e razão erradas.

Comentário

A B C D E

17% 19% 27% 22% 15%

Índice de Dificuldade: 83%

Apesar de a temática “Sistemas de Fusos Horários” ser amplamente explorada nos livros didáticos e na sala de aula, desde as séries

iniciais do Ensino Fundamental, percebe­se que os candidatos ainda não a dominam bem, necessitando de um maior aprofundamento.

O índice de dificuldade foi muito alto (83%), o que surpreendeu a banca, porque tanto a asserção como a razão são afirmativas

claras e de fácil entendimento, e muito debatidas em sala de aula.

O índice de discriminação ficou deficiente porque a questão quase não conseguiu separar os candidatos do grupo de desempenho

superior do grupo de menor desempenho.

No desempenho geral, os alunos assinalaram mais as alternativas B, C e D do que a A, que é a correta.

Questão Nº 32

A relação abaixo apresenta três sub­regiões do Nordeste, com algumas de suas características:

­ Parte importante dessa sub­região corresponde ao planalto da Borborema. Historicamente, seu espaço organizou­se com base

na policultura familiar em pequenas propriedades. Suas principais cidades adquiriram importante função comercial.

­ Essa sub­região é constituída por uma vasta depressão pontilhada por chapadas. Historicamente, seu espaço organizou­se

com base no latifúndio pecuarista, muitas vezes associado à produção algodoeira.

­ Essa sub­região está situada no Nordeste Ocidental. A principal atividade econômica é o extrativismo vegetal, destacando­se a

carnaúba e o babaçu, cuja coleta emprega grande quantidade de mão­de­obra. Seus produtos são utilizados no artesanato e

como matéria prima para as indústrias.

As sub­regiões do Nordeste acima caracterizadas são, respectivamente:

A) Zona da Mata, Agreste e Sertão.

B) Sertão, Agreste e Meio­Norte.

C) Agreste, Sertão e Meio­Norte.

D) Sertão, Meio­Norte e Zona da Mata.

E) Meio Norte, Sertão e Agreste.

A B C D E

29% 19% 15% 24% 13%

Índice de Dificuldade: 85%

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 84­93, set. 2008

Proposta B

Leia o texto abaixo, extraído da revista VEJA:

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Condenado: a 25 anos de prisão o escritor polonês Krystian Bala pelo assassinato do publicitário Dariusz Janiszewski. Em 2000,

Janiszewski foi torturado, amarrado e jogado vivo num rio. Sem nenhuma pista que a levasse ao assassino, a polícia considerou o crime

“perfeito”. Mas a paixão literária acabou por entregar o assassino. No romance Amok (Possuído, em polonês), best­seller lançado em 2003, Bala

relata um episódio idêntico com uma riqueza de detalhes que levantou a suspeita dos investigadores. O escritor matou o publicitário por ciúme

da ex­mulher.

Veja. 12/09/2007, p. 100.

Narre, agora, uma história policial inspirada no episódio exposto, em que um assassino é descoberto ao “inventar” uma

história idêntica ao crime que ele cometeu. Não se esqueça de citar os fatos que levaram a polícia à descoberta do

criminoso. Releia as instruções apresentadas no início.

Comentário

Esperava­se que o candidato narrasse uma história policial semelhante ao episódio apresentado na notícia da revista.

A trama deveria ser sustentada por fatos que conduziriam os policiais à descoberta do criminoso. As pistas, se bem distribuídas

na narrativa, contribuiriam para a construção do clímax e para a criação de suspense. Como o desfecho da história já estava

delineado, o candidato deveria mostrar sua competência lingüística por meio da forma de evidenciar os indícios e articulá­los aos

fatos para descoberta das provas, despertando no leitor uma curiosidade investigativa.

Exemplo de redação

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008

9


10

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

O texto selecionado apresenta boa adequação ao tema. A caracterização dos personagens protagonistas e suas relações

são reveladas logo no início da narrativa, conferindo contextualização à trama. Um encontro, propositadamente casual, entre a

filha da vítima e o escritor, deflagra um desencadeamento de fatos que conduzem o detetive a desconfiar do autor do livro. Embora

tenha optado pela confissão do assassino, em vez de fazer com que os policiais descobrissem o criminoso, o candidato soube

narrar os fatos de forma cadenciada e, com isso, prender a atenção do leitor para, no final, apresentar um desfecho inesperado.

Diferente do que foi proposto, é o autógrafo que se constitui como o indício principal para a solução do caso. Além disso, há a

rendição do assassino antes mesmo de ele ser descoberto. Nota­se a progressão textual nas situações vivenciadas pelos

personagens, marcada pelo uso adequado de advérbios e de locuções adverbiais de tempo. A utilização de adjetivos e de

locuções adjetivas na caracterização dos personagens e, também, de elementos de coesão referencial deu maior leveza e

coesão ao texto.

No entanto, há inadequações em relação à concordância, à estrutura composicional, ao emprego dos tempos verbais, à

ortografia e à pontuação.

Proposta C

Leia o texto abaixo, extraído do livro Contos Tradicionais do Brasil, do escritor e folclorista brasileiro Luís da Câmara Cascudo:

Era uma vez um moço pescador muito destemido e bom que lutava com as maiores dificuldades para viver. Ultimamente

o vento mudara e quase não havia peixe. Passava horas e horas na praia, com a pindaíba na mão e os peixes fugiam dele como

o diabo da cruz. O rapaz estava mesmo desanimado e dormia com fome o mais das vezes.

Numa noite de luar estava ele querendo pescar e o peixe escapuliu depois de comer a isca. A noite foi avançando,

avançando, o luar ficando alvo como a prata e caindo mesmo a friagem. O rapaz não queria voltar a sua casinha sem levar

nem que fosse um peixinho para matar a fome.

Já ia ficando desanimado quando...

Comentário

CASCUDO, Luís da Câmara. Contos tradicionais do Brasil. In DELVAUX, Nestor. Antologia Portuguesa. São

Paulo: F. T. D. Ltda., 1964, p. 244.

Narre (invente), agora, uma história folclórica, em continuação ao episódio exposto, dando solução à curiosidade

do leitor sobre o que irá acontecer. Releia as instruções apresentadas no início.

Nesta proposta, o candidato deveria ler atentamente o texto­base e compreendê­lo, para dar continuidade ao episódio

narrado. Precisava manter o estilo da linguagem e estabelecer a coerência com o cenário, com o tempo histórico­social, com a

subjetividade do personagem e com as possíveis intencionalidades. A proposta oferecia, ainda, a possibilidade de acrescentar

outros elementos à narrativa e, também, de referir­se a criaturas folclóricas, tais como a Iara e o Boto cor­de­rosa.

São CORRETAS as alternativas contidas em:

A) I e III, apenas

B) II e IV, apenas

C) II e III, apenas

D) I e IV, apenas

E) I, III e IV, apenas

Comentário

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A B C D E

24% 5% 7% 16% 48%

Índice de Dificuldade: 52%

A questão exige do aluno, além da leitura da tabela, conhecimentos sobre a classificação dos países quanto ao nível de

desenvolvimento, sobre as nações mais extensas do planeta, sobre os países mais populosos e sobre alguns conceitos demográficos

fundamentais.

O índice de dificuldade foi de 51%, talvez pelo fato de o tema ser bastante abordado nas aulas de geografia. Como 72% dos

vestibulandos do grupo de desempenho superior acertaram a questão, e apenas 26% do grupo de desempenho inferior, o índice

de discriminação foi de 0,46, considerado bom. A banca considerou que a questão atingiu seu objetivo.

Questão Nº 39

Relacione a Revolução Tecno­Científica com os itens a seguir:

I) Produção em massa.

II) Ampliação dos postos de trabalho do setor secundário.

III) Formação de rede entre as empresas.

IV) Petróleo como principal fonte de energia.

V) Biotecnologia como setor de ponta.

VI) Produção flexível.

Na caracterização da revolução Tecno­Científica, os itens pertinentes são:

A) I, III e VI, apenas

B) II, IV e V, apenas

C) III, VI e V, apenas

D) I, II e VI, apenas

E) III, V e VI, apenas

Comentário

A B C D E

21% 18% 28% 14% 19%

Índice de Dificuldade: 81%

À medida que a produção industrial se moderniza, é possível considerar estágios bem distintos em sua evolução. Esta questão

exige dos candidatos o domínio das características de cada um desses estágios. Os impactos geográficos do último estágio ou

período técnico­científico têm sido discutidos na maioria dos livros didáticos do Ensino Médio. Portanto, a banca se surpreendeu

quando percebeu que 28% dos candidatos assinalaram como alternativa correta a letra C (considerando o petróleo ainda como

a principal fonte de energia), e 21% dos candidatos optaram pela letra A (considerando ainda a produção em massa como

característica desse novo sistema de produção). Sendo assim, o índice de dificuldade foi de 81%, e o de discriminação, deficiente.

Talvez o tema “Etapas da Revolução Industrial” tenha que ser mais debatido pelos professores na sala de aula. A Revolução

Industrial não provocou mudanças apenas na forma de produção, mas direcionou toda a configuração do espaço atual, daí sua

importância.

Questão Nº 40

A urbanização latino­americana – assim como da maior parte do mundo subdesenvolvido – diferencia­se em muitos aspectos da

ocorrida nos países desenvolvidos.

Caracterizam a urbanização latino­americana, EXCETO:

A) Valorização do subúrbio, no qual se localizam muitas residências de alto padrão.

B) Impressionante fluxo migratório campo­cidade.

C) Extrema aceleração (ritmo intenso) e concentração (metropolização).

D) Urbanização terciária (concentração de pessoas em serviços, comércio, etc.).

E) Fase mais intensa ocorrida em período recente, particularmente após a segunda guerra mundial.

A B C D E

43% 11% 11% 15% 20%

Índice de Dificuldade: 57%

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 93­101, set. 2008

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008 95


Questão Nº 37

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Os mapas 1 e 2 representam a região de Salvador (Bahia), com as seguintes escalas:

I) No mapa 2, de menor escala, a área representada é maior.

II) O mapa 1, de maior escala, fornece maior riqueza de detalhes.

III) No mapa 1, a escala numérica foi a única utilizada.

IV) Pela escala do mapa 2, cada centímetro corresponde a 10.000 metros (ou 10 km) da superfície representada.

São CORRETAS as alternativas contidas em:

A) I e III, apenas

B) I e II, apenas

C) I, II e IV, apenas

D) III e IV, apenas

E) I, II, III e IV

Comentário

O índice de dificuldade muito alto (75%) contrariou as expectativas da banca, porque a temática é abordada nos livros didáticos de

geografia desde o Ensino Fundamental e principalmente no Ensino Médio. Mais estranho ainda é o fato de que 50% dos alunos

do grupo de melhor desempenho assinalaram a alternativa B como correta, causando o baixíssimo índice de discriminação, o

que indica que não sabem utilizar adequadamente a escala gráfica.

É essencial para o aluno saber “ler” a escala, tanto a gráfica como a numérica, pois é a escala que estabelece a correspondência

entre as distâncias representadas no mapa e as distâncias reais da superfície cartografada. Mas, para “ler” a escala, o aluno

precisa saber usar o sistema métrico, que, por sua vez, necessita de explicações da matemática. Daí, talvez, o alto índice de

dificuldade. Esse é um assunto que está presente no cotidiano dos alunos, não só em geografia. Exige dos professores, trabalhar

com situações como essa que é bastante interessante.

Questão Nº 38

94

Mapa 1 (1:10.000) Mapa 2 (1:1.000.000)

A B C D E

14% 39% 25% 14% 8%

Índice de Dificuldade: 75%

Com base nas informações da tabela e nos conhecimentos sobre

o assunto, analise as afirmações abaixo:

I) Com essa taxa de crescimento anual, a Índia caminha para se

tornar, futuramente, o país mais populoso do mundo, superando

a China.

II) Os países mais desenvolvidos são os que apresentam as

maiores taxas de crescimento anual.

III) Brasil, Estados Unidos e Rússia possuem as menores

densidades demográficas porque são países de grande

extensão territorial.

IV) Mais da metade dos países que lideram a lista dos mais

populosos está situada na Ásia.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 93­101, set. 2008

Exemplo de redação

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A redação analisada mantém o estilo da linguagem informal e poética do texto­base. O candidato demonstrou conhecer

e saber aplicar figuras de linguagem, o que enriqueceu bastante a narrativa. Estimulado, possivelmente, por algumas expressões

como o luar ficando alvo como a prata, o candidato utilizou recursos como a comparação, a gradação, a personificação, dentre

outros, que evidenciaram o mundo interior dos personagens. Vale ressaltar o quanto o bem e o amor são enaltecidos pelas

atitudes singelas e reveladoras da inocência dos enamorados. Isso contribuiu para a construção de um final simples, porém,

surpreendente. O autor da redação conseguiu, evocando valores positivos, provocar surpresa no leitor, quando, normalmente, a

maioria dos candidatos usa sentimentos e atitudes negativas para esse fim.

A narrativa mantém a coerência com o episódio exposto, entretanto, não adota o estilo folclórico, por isso não atende

completamente à proposta temática. Embora o texto apresente algumas inadequações quanto à norma culta, percebe­se que a

coesão, a coerência, a escolha lexical, a articulação semântica e a poeticidade conferem autoria à história. A simplicidade do

enredo, contrastada à forma cadenciada de como ele é construído, conduz o leitor a atentar­se para detalhes das cenas. Assim,

a construção elaborada das imagens revela momentos, normalmente despercebidos, que antecedem e constroem o nascimento

do amor.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008

11


2ª Etapa

12

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Proposta A ­ Dissertação Argumentativa

Leia o texto a seguir, extraído da revista VEJA:

A polícia que não queremos.

Mais um caso de desvio de conduta mostra anarquia em instituições policiais do Rio.

(...) Na semana passada, um grupo de policiais fora do horário de expediente e de sua jurisdição usou carros da própria

polícia para simular blitze nas ruas de Niterói, na região metropolitana do Rio. Não queriam necessariamente roubar. Estavam se

“divertindo”, conforme alegou em seu depoimento o mais graduado entre eles, o delegado de polícia civil Célio Erthal, lotado em

uma delegacia distante 100 quilômetros de onde estava naquele momento. O divertimento a que se referiu foi um festival de

arbitrariedades: truculência, intimidação, violência física e abuso de autoridade. Um motorista chegou a afirmar que teve o

dinheiro roubado. (...)

Se cenas desse tipo já são suficientemente assustadoras, pior quando se olha o entorno e se vê o número de crimes

quase simultâneos cometidos por policiais. Ainda na semana passada, a polícia fluminense – a parte que trabalha dentro da lei,

fique claro – prendeu uma quadrilha formada por um PM, um bombeiro e um guarda municipal acusada de praticar seqüestros e

extorsões.

Veja. 12/09/2007

Com base no texto, redija uma dissertação argumentativa abordando a insegurança em que vive a sociedade brasileira, ao

não poder confiar nas instituições que têm o dever, a função e o ofício de praticar a justiça contra toda sorte de arbitrariedades

e desmandos que prejudiquem o bom funcionamento da vida social civilizada. Instituições que praticam os mesmos delitos

dos criminosos que elas devem perseguir e punir.

Comentário

Nessa proposta, o candidato deveria escrever um texto dissertativo que evidenciasse a questão da insegurança da população

brasileira e a falta de confiança das pessoas nas instituições que deveriam protegê­las e praticar a justiça. O texto motivador traz

um tema que retrata uma situação atual, com exemplos que ilustram o problema apresentado e provocam reflexões acerca do

assunto em questão. Como o enunciado não oferece a possibilidade de contestação, uma vez que é consenso a insegurança em

que vive a sociedade brasileira, o candidato deveria sustentar sua argumentação, considerando hipóteses que proporcionariam

mudanças frente ao problema, além de enfatizar o alcance social dessas medidas. Inspirado pelo texto­base, o autor da redação

poderia argumentar sobre a necessidade de uma reestruturação dos setores responsáveis pela segurança pública e até mesmo

das instâncias dos poderes públicos municipal, estadual e federal.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008

As afirmativas CORRETAS estão contidas em :

A) I, II, IV e V, apenas

B) II, III e IV, apenas

C) I, II e IV, apenas

D) III e V, apenas

E) I, II, III, IV e V

Comentário

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A B C D E

27% 19% 36% 7% 11%

Índice de Dificuldade: 73%

A utilização de charges, literatura de cordel, poesias e histórias em quadrinhos têm sido expressiva no contexto histórico atual.

A questão aborda as relações entre militares americanos e soldados iraquianos através de uma história em quadrinhos clara

e significativa. A falta de prática para compreender e interpretar a história dentro desse contexto assustou a banca.

Provavelmente as escolas não têm trabalhado com essas novas linguagens. O índice de dificuldade foi 73% e levou a banca a

novas reflexões sobre a carência de utilização dessas novas linguagens.

1ª Etapa

Questão Nº 36

Tipo de

Aglomeração

Urbana

I

II

III

Geografia

Leia as informações contidas no quadro abaixo, com relação aos tipos de aglomeração urbana:

IV

Conceito Exemplo

É a superposição ou o encontro

de duas ou mais cidades

próximas em razão de seu

crescimento.

É a fusão de várias metrópoles

em um único e gigantesco tecido

urbano.

São centros urbanos com mais de

20 milhões de habitantes.

São centros nodais das finanças

internacionais, do comércio

mundializado, dos serviços

internacionais de consultoria

especializada e das instituições

públicas multilaterais.

ABCD em São Paulo

Boston a Washington

Tóquio.

Nova York e Los Angeles.

Os números I, II, III e IV, no quadro, podem ser substituídos, respectivamente, pelos seguintes tipos de aglomerações urbanas:

A) Metacidades, megalópole, cidades globais e conurbação.

B) Conurbação, megalópole, cidades globais e metacidades.

C) Cidades globais, conurbação, metacidades e megalópole.

D) Conurbação, megalópole, metacidades e cidades globais.

E) Cidades globais, metacidades, conurbação e megalópole.

Comentário

A B C D E

15% 18% 9% 48% 10%

Índice de Dificuldade: 52%

A questão avaliou o conhecimento das características dos diferentes tipos de aglomerações urbanas hoje existentes no mundo.

Bastava ao aluno identificar o tipo de aglomeração que se adequava ao conceito e aos exemplos contidos no quadro. Como o

tema, Aglomerações Urbanas, é bastante explorado nos livros didáticos de geografia, desde as séries iniciais, o índice de

dificuldade foi médio (51%), e o índice de discriminação foi bom. A banca considera que a questão atingiu seu objetivo, pois 73%

dos alunos do grupo de melhor desempenho assinalaram a alternativa correta.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 93­101, set. 2008

93


Comentário

92

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A B C D E

23% 22% 15% 27% 13%

Índice de Dificuldade: 85%

A questão tem como objetivo avaliar a capacidade de: identificar o nível de conhecimento literário do aluno, compreender e

relacionar obras literárias de autores latinos e extrapolar conhecimentos adquiridos pela leitura, resenha e/ou resumo de obras

latino­americanas.

A resposta não surpreendeu a banca, pois, apesar de as abordagens históricas se aproximarem do conhecimento adquirido pela

leitura de obras expressivas da literatura, o aluno pouco lê e não consegue identificar as obras significativas da literatura atual.

A questão foi considerada difícil, (85%), embora Gabriel Garcia Marquez seja um autor conhecido, assim como a obra Cem Anos

de Solidão. Isso significa que o aluno marcou aleatoriamente a questão por não ter subsídios de leituras.

Questão Nº 40

Folha de São Paulo, 19/08/2007

Na província de Anbar, no Iraque, em dezembro de 2004, dois militares americanos são incumbidos de transformar um grupo da

Guarda Nacional Iraquiana (GNI) em soldados, capazes de, segundo as palavras de George W. Bush, “ se erguer” para que nós

possamos “abaixar”.

Aps a leitura do texto e da história em quadrinhos´, e com base nos conhecimentos sobre a situação do Iraque atual, analise as

afirmativas:

I) a região conflituosa do Iraque, situada no Oriente Médio, localiza­se entre os rios Tigre e Eufrates e, na Antiguidade, era

conhecida como Mesopotâmia.

II) o campo de treinamento dos EUA, na região do Iraque atual, objetiva transformar um grupo da Guarda Nacional Iraquiana em

soldados competentes e destemidos.

III) o grupo da Guarda Nacional Iraquiana é adestrado com competência e disciplina pelos americanos, e, segundo a história

em quadrinhos, capta rapidamente as orientações recebidas.

IV) o campo de treinamento dos EUA no Oriente Médio utiliza mais da capacidade física do que da capacidade mental dos

integrantes da Guarda Nacional Iraquiana.

V) As palavras do presidente Bush revelam o propósito de os Estados Unidos se retirarem do território iraquiano.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 84­93, set. 2008

Exemplo de redação

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

No exemplo apresentado, percebe­se que o candidato consegue elaborar um texto bem escrito e interessante. Já no

parágrafo inicial, com estilo, expressividade e bom vocabulário, demonstra conhecimentos acerca do tema e o aborda com muita

propriedade. Remete­nos à “política que não queremos”, introduzindo o assunto e a responsabilidade dos governantes em

relação à questão. Pela articulação “política e polícia”, estabelece a relação causa e conseqüência, evidenciando a oposição

entre o discurso e a inércia políticas. Nos parágrafos seguintes, sustenta argumentos que demonstram os pontos que fragilizam

o sistema policial. Menciona o filme “Tropa de Elite”, de forma coesa e bem estruturada, e propõe formas de se combater o

problema, que são passíveis de serem implantadas. Cita fatos noticiados pela mídia e critica determinadas ações que são

apresentadas como soluções para o problema citado na proposta. A riqueza semântica pode ser comprovada pela adequada

utilização de vocábulos como “veementes”, “máquina governamental”, “frotas de veículos”, “quantitativamente”, “ineficiência”,

“relevante”, “modelo corrupto interno” e “ascendente”. O candidato demonstra força argumentativa ao defender estratégias para

a resolução do problema, conduzindo o leitor a entender que o que falta é vontade política. Na conclusão, retoma as idéias

expostas nos primeiros parágrafos, para arrematar o texto.

Pode­se verificar que o texto apresenta uso adequado da ortografia, das relações sintático­semânticas e morfológicas,

que concorre para a coerência, a coesão e a progressão textual. Em relação ao jogo discursivo, o candidato demonstra

conhecimento da dinâmica social acerca do tema, o que contribui para expressividade e para a consistência dos argumentos.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. = 2008

13


Proposta B ­ Narração

Comentário

Exemplo de redação

14

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Leia o texto a seguir, extraído de uma crônica do livro Primo Altamirando e Elas, do escritor e humorista carioca Stanislaw Ponte

Preta:

Com a gola do paletó levantada e a aba do chapéu abaixada, caminhando pelos cantos escuros, era quase impossível a

qualquer pessoa que cruzasse com ele, ver seu rosto. No local combinado, parou e fez o sinal que tinham já estipulado à guisa de

senha. Parou debaixo do poste, acendeu um cigarro e soltou a fumaça em três baforadas compassadas. Imediatamente um

sujeito mal encarado, que se encontrava no café em frente, ajeitou a gravata e cuspiu de banda.

Era aquele.

PRETA, Stanislaw Ponte. Primo Altamirando e Elas. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1963

O texto acima é um exemplo de narração. Narre (invente), agora, a continuação do episódio apresentado, dando solução à

curiosidade do leitor sobre o que irá acontecer. Lembre­se dos aspectos que constituem um texto narrativo. Dê nomes aos

personagens, caracterize o tempo e o lugar, crie expectativas (suspense) e apresente um final interessante.

Na segunda proposta, o candidato deveria ser capaz de, após compreender o trecho de uma crônica, dar continuidade ao episódio

apresentado e satisfazer a curiosidade do leitor sobre o que aconteceria em seguida. Deveria dar nomes aos personagens,

caracterizar o tempo e o lugar, criar um certo suspense e apresentar um desfecho interessante para a história. Em síntese, deveria

atentar­se para os aspectos indispensáveis à produção de uma boa narração. O texto­base oferece inúmeras possibilidades de

encaminhamento que, se bem estruturadas, permitiriam a escrita de textos criativos, densos, recheados de suspense e com

desfechos inusitados.

Comentário

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Enfocando a Revolução Russa, a questão é, em certa medida, extensão das questões anteriores porque envolve o conhecimento

do processo revolucionário de 1917 e o governo que se instalou em seguida. Dentre os vários desdobramentos elencados, o

aspecto econômico é ressaltado, os demais aspectos são políticos. Em suma, a competência específica privilegiada, representação

e comunicação, exige que o candidato tenha a capacidade de interpretar os diferentes contextos envolvidos em um processo

histórico e distinguir os diversos aspectos que integram a realidade. Com índice médio de dificuldade (58%) e bom índice de

discriminação, percebe­se que, na resolução da questão, grande parte dos candidatos aplicou tal competência.

Questão Nº 38

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarcou ontem, às 19h (13h em Brasília) em Helsinque, precedido por um potente

bater de bumbo para o Brasil, ao afirmar em entrevista ao jornal “Helsingin Sanomat” que pretende fazer do país “uma potência

mundial”.(...) A entrevista ao jornal finlandês retoma o tema pelo qual Lula confessa estar obcecado: a expansão mundial do

etanol, como parte do que o presidente imagina ser uma “revolução na matriz energética”.

Folha de São Paulo,10/09/2007

Sobre as questões envolvidas na notícia transcrita anteriormente, pode­se afirmar que:

I) o presidente está preocupado com a expansão do etanol, que seria um elemento da revolução na matriz energética para o

fortalecimento da economia nacional.

II) a “revolução da matriz energética” permitiria ao pais elevar seu perfil global até atingir o status de potência mundial.

III) as multinacionais operantes no Brasil impediriam a formação de uma nova potência mundial.

IV) O sonho de chegar ao status de potência mundial está muito longe, mas passos nessa direção vêm sendo dados, como, por

exemplo, a participação do Brasil no G 20 (grupo dos países em desenvolvimento).

Estão CORRETAS as afirmativas:

A) I, II e III, apenas

B) II e III, apenas

C) I, II, III e IV

D) I, II e IV, apenas

E) III e IV, apenas

Comentário

A B C D E

42% 16% 15% 17% 10%

Índice de Dificuldade: 58%

A B C D E

12% 5% 12% 65% 6%

Índice de Dificuldade: 35%

Esta questão tem o objetivo de verificar a capacidade do candidato de extrapolar conhecimentos adquiridos via jornal, revistas e

televisão, e abordagens da atualidade. A figura do atual presidente do Brasil está sendo intensamente divulgada na mídia escrita

e visual. A banca não estranhou o resultado, pois já se esperava certo nível de leitura da atualidade por parte dos alunos. A questão

foi considerada fácil, com um índice de dificuldade de 35%.

Questão Nº 39

Folha de São Paulo, 30/05/2007

O aniversário de Gabriel Garcia Márquez (80 anos) foi, segundo a imprensa, bastante comemorado. A obra que consagrou o autor

colombiano intitula­se :

A) A Guerra do Fim do Mundo, cuja temática enfoca o conflito de Canudos, ocorrido no início do período republicano brasileiro.

B) Padre Cícero, o Salvador do Nordeste Brasileiro, em que Márquez analisa a personalidade do Padre Cícero e seus conchavos

com os coronéis da região.

C) Cem Anos de Solidão, em que o autor focaliza o cotidiano de uma cidade onde ninguém tinha mais de 30 anos e onde

ninguém tinha ainda morrido.

D) História Universal da Infâmia, em que o autor reflete sobre as questões da vida, do tempo do ser humano e sobre o sentido

do universo.

E) Ensaio sobre a Cegueira, uma reflexão sobre a questão da cegueira como limitação do ser humano no contexto social em que

o personagem vive de uma forma geral e reflexiva.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008 Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 84­93, set. 2008

91


PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A ÚNICA seqüência que responde corretamente as afirmações acima é:

A) V F F V V

B) F V V V F

C) V V V F F

D) F F V V F

E) V F F V V

Comentario

Questão reflexiva, que exigiu dos candidatos atenção e mobilizou seus conhecimentos de História da América Latina. Dado o grau

de dificuldade encontrado pelos candidatos, 70% de erros, vê­se que o estudo do caudilhismo merece maior atenção dos

estudantes de Ensino Médio. A temática contempla o eixo temático Nações e nacionalismos sugeridos pelos PCNEM. O caudilhismo

integra o estudo da formação dos Estados Nacionais latino­americanos após sua emancipação. É importante seu estudo para a

compreensão das noções de cidadania presentes na América Latina ainda hoje e, ao mesmo tempo, recupera os elementos

constituidores da identidade latina.

3ª Etapa

Questão Nº 32

90

A B C D E

31% 13% 30% 11% 15%

Índice de Dificuldade: 70%

O processo que levou ao fim da URSS foi permeado por vários eventos. Dentre os relacionados abaixo, qual(is) deles

contribuiu(ram) para o desmoronamento da experiência comunista no então país de maior extensão territorial do mundo.?

I) ataque russo à Chechênia para evitar que ela proclamasse sua independência, ocasionando a morte de um terço da

população masculina adulta.

II) morosidade dos processos de abertura política e econômica, respectivamente, glasnost e perestroika, o que agravava a

situação de penúria da população russa.

III) burocratização excessiva dos órgãos estatais, bem como elevado índice de corrupção que aprofundava os problemas

socioeconômicos.

IV) dissolução do Partido Comunista e da KGB por incentivarem a manutenção da planificação econômica e a restrição às

liberdades individuais.

V) discussão por autonomia de algumas repúblicas soviéticas, incentivadas pelo ressurgimento do sentimento de nacionalismo.

Estão CORRETAS as respostas contidas em:

A) I, III, V, apenas

B) II e IV, apenas

C) IV e V, apenas

D) I, II, III, apenas

E) II, III, V, apenas

Comentário

A B C D E

20% 17% 14% 13% 36%

Índice de Dificuldade: 64%

Questão considerada difícil, (64% de erros) com bom índice de discriminação. É uma questão de História Contemporânea que

pressupõe o conhecimento do processo histórico da URSS no século XX. O candidato deveria conhecer não apenas o movimento

revolucionário de 1917 como também os desdobramentos dele. Após a Revolução Russa, instaurou­se a primeira experiência

socialista mundial, que durou quase um século. Pioneiro, o socialismo na URSS se burocratizou demasiadamente, criando uma

série de vícios que contribuiu para sua derrocada. O cerceamento da liberdade política e de expressão, a excessiva centralização

e perseguição de quaisquer possíveis oposicionistas, a planificação econômica, o ressurgimento do sentimento nacionalista em

algumas das repúblicas anexadas são alguns dos elementos que auxiliam compreender o desmoronamento do socialismo real.

Questão Nº 34

A Revolução Russa de 1917, que oportunizou o nascimento da URSS, foi liderada pelos bolcheviques, que, logo após a tomada

do poder, iniciaram uma série de medidas para consolidar o processo revolucionário. No aspecto econômico, a medida de maior

impacto foi:

A) a abolição da propriedade privada, nacionalização de todas as terras e dos bancos e controle das fábricas pelos operários.

B) a perseguição e fuzilamento dos opositores, do czar e da família real russa, e formação de campos de trabalhos forçados,

os gulags.

C) a criação dos soviets como organismo permanente para observar o desenrolar do processo de transição para o comunismo.

D) a criação do Exército Vermelho, com a finalidade de defender a revolução contra inimigos internos e externos.

E) a aceitação dos termos e assinatura do Tratado Brest­Litovsk, pelo qual a Rússia saía da Primeira Guerra Mundial.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 84­93, set. 2008

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

No texto selecionado, é possível perceber que o candidato demonstrou ser capaz de dar prosseguimento aos fatos

narrados, de forma suave e coerente com o episódio apresentado, mantendo o suspense. Os personagens desenvolvem a

dinâmica assumida no início, fortalecendo seus supostos perfis psicológicos, posicionamentos ideológicos, lugares sociais e

intencionalidades, evocados no fragmento. A narrativa cadenciada apresenta elementos de um mesmo campo semântico, que

são articulados estrategicamente.

Os fatos concorrem para a construção de hipóteses que conduzem o leitor a suspeitar de um fim trágico. A construção

composicional é laboriosamente pensada; o candidato seleciona palavras e expressões que direcionam a imaginação para um

final que parece ser único. Mas, no desfecho, mostra algo totalmente inesperado. A habilidade do candidato em fazer articulações

também pode ser percebida quando compõe o nome do personagem Emilidriano.

Em vários momentos, o candidato revela familiaridade com a linguagem literária, uma vez que, para escrever algumas

cenas, utiliza­se de um detalhamento poético. A adequação semântica, a utilização de adjetivos, de verbos conjugados no

pretérito mais­que­perfeito e o bom uso da norma culta, aliados à criatividade do enredo, em muito contribuíram para que a

narrativa obtivesse uma boa nota da banca avaliadora.

Proposta C ­ Carta Argumentativa

Leia o texto a seguir, extraído da revista ISTO É:

Renan livra­se da cassação...

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB­AL), surpreendeu­se. No mapeamento que ele e seus aliados fizeram

antes do início da sessão secreta que decidiria sobre o pedido de cassação de seu mandato, na quarta­feira 12, contavam­se dez

abstenções. Era um acerto feito principalmente com senadores da base governista que não estavam convictos da sua inocência.

Em troca dessa posição neutra, Renan aceitava a hipótese de licenciar­se da presidência da Casa até as coisas se acalmarem,

mas apenas se a margem de votos que evitaria a sua cassação fosse muito apertada. Ao final, foram apenas seis abstenções.

Outros 40 senadores manifestaram­se pela absolvição de Renan Calheiros. E 35 parlamentares votaram pela sua cassação.

Como eram necessários pelo menos 41 votos para que Renan perdesse o mandato, a verdade é que ele teve a seu favor 46 votos.

Isto é. 19/09/2007

Se você considera Renan Calheiros culpado das acusações que lhe são atribuídas, escreva uma carta a um representante

(fictício) dos 46 senadores (40 que votaram pela absolvição, e 6 que se abstiveram de votar) que o inocentaram, expondo

seus argumentos que justifiquem a cassação do mandato do Senador, pois, absolvendo­o, o Senado inteiro pactua com os

crimes praticados por seu presidente. Se você considera Renan Calheiros inocente, escreva uma carta a um representante

(fictício) dos 35 parlamentares que votaram pela cassação de seu mandato, expondo seus argumentos que justifiquem a

absolvição do Senador, pois a intenção de condená­lo não passa de intrigas e de conchavos políticos de seus opositores.

Em ambos os casos, lembre­se de que a arte de convencer é fundamental.

Comentário

A produção de uma carta argumentativa possibilita criar uma situação particular de interlocução, a partir da qual serão

apresentados argumentos específicos voltados para o convencimento do leitor a quem se dirige. É uma forma de se exercer a

cidadania, de desenvolver a capacidade de expressão dos direitos e defender pontos de vista em uma real necessidade de

argumentação. Inicialmente, o escritor deve refletir cuidadosamente sobre o assunto, a fim de identificar a questão tematizada ou

polemizada. Uma vez definido seu posicionamento, passa­se à enumeração e seleção de argumentos, opiniões e/ou pontos de

vista que satisfaçam a necessidade enunciativa. Estando, ainda, consciente das condições sociais efetivas de produção, recepção,

circulação e finalidades desse gênero, precisa definir a qual interlocutor a argumentação será dirigida, reunindo informações

sobre ele, sobre o que pensa a respeito da questão, sobre seu comportamento, dentre outros.

Nessa proposta, o candidato deveria assumir uma posição a respeito da inocência ou não de Renan Calheiros, afinal,

o enunciado pressupõe motivos tanto para a defesa quanto para a acusação do presidente do Senado. A carta seria escrita a um

político fictício, que supostamente teria participado da sessão que julgou tal mérito. Aspectos como colocação da data, uso

adequado de vocativo e de pronomes de tratamento, emprego da linguagem formal e atendimento à orientação de não se

identificar deveriam ser considerados. Além disso, o texto deveria ser arrematado de forma concisa, considerando o emprego de

expressões de despedida.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008

15


Exemplo de redação

16

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Na carta analisada, o candidato expõe sua posição, argumentando e fazendo comparações. Pontua caminhos diferentes

que poderiam ter sido seguidos, estabelecendo a relação causa e conseqüência, introduz o assunto e mostra­se indignado com

o fato de Calheiros ter sido absolvido. Assume seu lugar social enquanto cidadão, pai de dois filhos, e afirma que o resultado seria

outro, se o desejo da população brasileira fosse ouvido. Sustenta argumentos pertinentes e ainda ironiza a situação, demonstrando

sua criticidade. Utiliza linguagem clara e objetiva e demonstra conhecimento das normas estabelecidas para correspondências

dirigidas a autoridades que ocupam cargos ministeriais. Isso é percebido no uso adequado do vocativo e do pronome de

tratamento, inclusive, empregando, por extenso, o pronome “senhor”.

Embora ainda deixe a desejar em relação ao uso correto de marcas de interlocução no decorrer da carta e à utilização dos

padrões cultos da língua, o texto apresenta coerência satisfatória e boa adequação ao tema proposto.

Considerações finais

Narração

• Quanto às propostas de produção de textos narrativos, percebemos que foram muito semelhantes, divergindo apenas em

relação ao tema.

• A palavra “invente” gerou uma certa confusão na interpretação dos alunos e contribuiu para que fossem escritas histórias que

não mantinham coerência com o texto­base.

• A autoria e a expressividade foram prejudicadas pelo fato de a maioria dos candidatos não conseguir, ao construir a progressão

da narrativa, prender a atenção do leitor e elaborar um desfecho surpreendente. E esse foi um fator determinante para o alto

índice de notas medianas.

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

I) A abertura dos portos às “nações mui amigas” do Brasil, no caso, a Inglaterra, já que os países europeus estavam sob o

domínio de Napoleão Bonaparte.

II) A abertura dos portos e, consequentemente, o fim do pacto colonial, permitindo que a burguesia européia comercializasse

seus produtos com o Brasil.

III) À colônia brasileira sediar o poder político e administrativo do império português.

IV) A criação de manufaturas no Brasil, ao revogar o Alvará de D. Maria I, que impedia a sua produção na colônia.

As afirmativas CORRETAS estão contidas em :

A) III e IV, apenas

B) I , II , III e IV

C) II e III, apenas

D) I e IV, apenas

E) I e III, apenas

Comentário

A B C D E

6% 27% 32% 15% 20%

Índice de Dificuldade: 73%

O trabalho com charge está cada vez mais ocupando espaço na sala de aula. É uma linguagem que humoriza, satiriza e envolve

o aluno. Considerando que comemoramos os 200 anos da chegada da família real portuguesa ao Brasil, nada mais oportuno do

que elaborar uma questão explorando a temática, que intensamente vem sendo abordada pela mídia escrita e oral, desde o início

do segundo semestre de 2007. O índice de dificuldade foi de 73%, portanto uma questão que pode ser considerada difícil.

Questão Nº 39

A Revolução Industrial, a partir do século XVIII, causou enormes mudanças nos processos produtivos, com desdobramentos

socioeconômicos e culturais, além de outros efeitos que alcançam nossos dias.

A respeito dos inúmeros desdobramentos da Revolução Industrial, pode­se afirmar que:

Revista Época Vestibular 2008 – Atualidades – Fascículo 6

I) Produziu alterações nas concepções de mundo, nas relações sociais e nos hábitos alimentares dos indivíduos.

II) Aumentou a demanda por consumo de energia e matérias­primas, o que levou ao aumento da emissão de substâncias

poluentes no ambiente.

III) Reduziu a expectativa de vida das populações devido às exaustivas jornadas de trabalho e salário insuficiente para a aquisição

dos bens de subsistência.

IV) Acelerou a migração do campo para a cidade, ocasionando grande concentração populacional que constitui a mão­de­obra

para a indústria.

V) Provocou desmatamentos, desertificações de solos, modificações climáticas e, por conseguinte, aumento da ocorrência de

doenças respiratórias.

As afirmações CORRETAS estão contidas em:

A) I, II, III, IV, V

B) II e V, apenas

C) III e IV, apenas

D) I, II, IV e V, apenas

E) I, III e IV, apenas

Comentário

A B C D E

37% 8% 10% 35% 10%

Índice de Dificuldade: 65%

A Revolução Industrial é uma temática importante para compreendermos o mundo contemporâneo e os contínuos avanços

técnico­científicos. É disso que tratou a proposição, que explorou os desdobramentos vivenciados após sua deflagração. Temática

recorrente nos diversos processos seletivos para ingresso nas universidades brasileiras, é estranha a dificuldade encontrada,

pelos candidatos na resolução da questão, que exigiu uma análise dos aspectos social e econômico da Revolução Industrial.

Além disso, considere­se que, em certa medida, tais desdobramentos estão presentes no cotidiano. A banca elaboradora insiste

na necessidade de estudar História, sem fragmentação, buscando articular os eventos, pois é na compreensão do processo que

os sentidos e as experiências se tornam inteligíveis.

Questão Nº 40

Após a emancipação dos países latino­americanos, o processo de organização dos Estados nacionais foi marcado pela exclusão

das camadas populares e por acirradas disputas entre a elite criolla, contribuindo para o surgimento do caudilhismo. O caudilhismo

é um fenômeno político existente na América Espanhola do século XIX, caracterizado por:

Leia atentamente as afirmações e coloque V quando a afirmativa for verdadeira e F quando a afirmativa for falsa.

( ) Concentração de poder nas mãos dos grandes proprietários de terras, os caudilhos.

( ) Ausência de poder político centralizado para administrar os conflitos de interesses.

( ) Manutenção de uma ordem econômica voltada para os interesses do capital estrangeiro.

( ) Formação de exércitos particulares para combater as tentativas hispânicas de recolonização.

( ) Elaboração de princípios racionais e institucionais para nortear as práticas sociopolíticas.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 84­93, set. 2008

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set.2008 89


Comentário

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A questão avalia o conhecimento de peculiaridades e características de um movimento esquecido durante muito tempo pela

História brasileira oficial. Hoje, seu estudo é fundamental para que possamos traçar um paralelo entre os movimentos de

resistência do período colonial: Conjuração Mineira e Conjuração Baiana. O índice de dificuldade foi de 63%, portanto uma

questão considerada difícil.

Questão Nº 37

O livro de Manuel Antônio de Almeida, Memórias de um Sargento de Milícias, é útil para pensarmos o contexto histórico do Brasil no

século XIX. A história contada no romance se passa no Rio de Janeiro do período joanino, iniciado com a transferência da família

real portuguesa para terras tropicais, em 1808.

Na tessitura do romance, o autor aborda os seguintes aspectos da sociedade brasileira daquele período:

A) As práticas das camadas altas da sociedade e os acordos políticos estabelecidos na Corte.

B) O mundo e os hábitos dos homens livres pobres da cidade do Rio de Janeiro.

C) A corrupção dos altos escalões de servidores da Corte, interessados em enriquecimento fácil e rápido.

D) As formas de lazer e as relações afetivas dos funcionários e prestadores de serviço da Corte.

E) As festas e tradições dos negros cativos que aliviavam suas penosas jornadas de trabalho.

Comentário

88

A B C D E

24% 26% 34% 8% 8%

Índice de Dificuldade: 74%

A obra literária mencionada na questão, Memórias de um sargento de milícias, de Manuel Antônio de Almeida, é indicada como

leitura obrigatória para a realização da prova de literatura desse processo seletivo. É um romance histórico ambientado no Rio de

Janeiro do início do século XIX, quando chegou ao Brasil a família real portuguesa. O objetivo da banca ao elaborar a questão foi

explorar a interface história e literatura, bastante recorrente nos estudos contemporâneos e que mobiliza as competências de

representação e comunicação em que o aluno deve analisar e interpretar linguagens diversas presentes em fontes documentais

de natureza também diversa, e contextualização sociocultural, que consiste em situar as produções da cultura no contexto

histórico de sua produção e significação. As afirmativas apresentadas referem­se ao contexto histórico de que trata a obra literária,

cabendo ao candidato julgá­las, considerando seus conhecimentos da leitura do livro e do processo histórico desenrolado no

Brasil do período mencionado. A questão considerada difícil, 74% de erros, não permitiu discriminar os candidatos mais bem

preparados e aponta algumas hipóteses: a ausência de leitura da obra literária e/ou leitura desatenciosa que não considerou seu

contexto histórico; não incorporação de novas linguagens no ensino de História nas escolas de Ensino Médio. O conhecimento

histórico não se prende à memorização de personagens e eventos, ele está articulado às dimensões do real e não é possível

desconsiderá­las, o que exige de professores e estudantes um exercício interdisciplinar no processo ensino­aprendizagem.

Questão Nº 38

ALENCAR, C. RIBEIRO, M.V., CECCON, C. Brasil Vivo. Petrópolis: Vozes, 1986.

A charge acima é uma das várias que apresentam uma caricatura de D. João VI, divulgada em muitos jornais da época e em

diversos livros didáticos. Sobre as imagens do Monarca, que sempre se apresenta como bonachão, desarrumado e comendo

frango, devemos analisá­las com cautela, pois as charges devem ser contextualizadas e devem focalizar as características do

período histórico que elas caricaturizam.

Sobre a charge de D. João VI, devemos ressaltar que ela representa um momento importante da nossa história – a vinda da

família real portuguesa para o Brasil –, que em janeiro de 2008 comemora duzentos anos.

A vinda da família real portuguesa para o Brasil possibilitou :

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 84­93, set. 2008

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

• Vale ressaltar que houve uma melhora significativa nos aspectos ortografia, pontuação, acentuação e concordância nominal

e verbal.

• No entanto, percebemos que ainda é necessário um trabalho mais intenso com os alunos em relação ao estabelecimento da

coesão e da coerência.

Dissertação argumentativa

• O tema proposto para a produção do texto dissertativo­argumentativo é atual e do conhecimento de todos, o que facilitou a

escrita sobre o assunto.

• Muitos candidatos optaram por esse tipo de texto, provavelmente, por acreditarem ter mais facilidade em escrevê­lo. No

entanto, ao produzirem a dissertação, isso não se comprovou, pois expuseram o assunto mas não apresentaram argumentos

consistentes para o convencimento do leitor.

• Percebemos, também, um esforço de grande parte dos candidatos em estabelecer a intertextualidade com o filme “Tropa de

Elite”, entretanto, o interdiscurso não se consolidou; uma vez que tal tentativa ficou restrita à descrição de cenas e de

personagens.

• Identificamos ainda alguns problemas de coesão e de coerência, haja vista que muitos candidatos não conseguiram fazer

a conexão das idéias e apresentaram contradições no decorrer do texto.

Carta argumentativa

• A proposta de escrita de carta argumentativa trouxe um tema que estava em evidência no período em que as provas do Pias

foram realizadas. No entanto, para escrever sobre esse assunto, o candidato precisava também estar inteirado de informações

veiculadas tanto pela mídia impressa quanto pela televisiva.

• Embora a proposta apresentasse a opção de se escrever para dois destinatários diferentes, percebemos que, independente

da escolha feita, os textos dos candidatos deveriam convergir para uma conclusão que já estava posta.

• O número bastante reduzido de candidatos que optaram pela produção de carta argumentativa foi um dificultador para a

obtenção de dados que nos permitiriam fazer uma análise mais aprofundada do desempenho dos alunos na escrita desse

gênero textual.

• Dentre as cartas produzidas, havia uma tendência à informalidade, embora, de acordo com a proposta, fosse exigido mais

formalidade. Também percebemos certa dificuldade dos candidatos para selecionar os argumentos e apresentar apenas os

que convencessem o leitor sobre o ponto de vista que estava sendo defendido.

Referências bibliográficas

EVANGELISTA, A. A.M; BRANDÃO, H. M. B.; MACHADO, M. Z. V. (org). Escolarização da leitura literária. 2. ed., 1º reimp. Belo

Horizonte: Autêntica, 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. (Coleção

Leitura)

POSSENTI, Sírio. Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas, SP: Mercado das Letras: Associação de Leitura do Brasil,

1996. (Coleção Leituras no Brasil)

QUEIRÓS, Bartolomeu Campos. Por parte de pai. Belo Horizonte.RHJ, 1995, p.10,11,12

ROJO, Roxane. (org) A prática de linguagem em sala de aula: praticando os PCNs. São Paulo: EDUC; Campinas: Mercado das

Letras, 2000. (Coleção As faces da Lingüística Aplicada).

TRAVAGLIA, Luis Carlos. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática. 9 ed. rev. São Paulo: Cortez, 2003.

3ª Etapa

Proposta A ­ Dissertação Argumentativa

Leia o texto a seguir, do poeta brasileiro Jorge de Lima:

Lá vem o acendedor de lampiões da rua!

Este mesmo que vem infatigavelmente,

Parodiar o sol e associar­se à lua

Quando a sombra da noite enegrece o poente!

Um, dois, três lampiões, acende e continua

Outros mais a acender imperturbavelmente,

À medida que a noite aos poucos se acentua

E a palidez da lua apenas se pressente.

Triste ironia que o senso humano irrita: –

Ele que doira a noite e ilumina a cidade,

Talvez não tenha luz na choupana em que habita.

Tanta gente também nos outros insinua

Crenças, religiões, amor, felicidade,

Como este acendedor de lampiões da rua!

LIMA, Jorge Mateus de. O acendedor de lampiões. In MOISÉS, Massaud. A literatura brasileira através dos

textos. São Paulo: Cultrix, 1973.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008

17


Exemplo de redação:

18

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

O poema apresentado é uma versão literária e refinada do aforismo “casa de ferreiro, espeto de pau”. Tema que também

está presente na profunda e famosa obra do filósofo socialista Karl Marx, quando afirma que o produto do trabalho do

operário não lhe pertence, é alienado, pois o operário faz, fabrica as coisas para os outros, mas ele não possui aquilo que

ele mesmo produz. Com base no texto, redija uma dissertação argumentativa abordando a realidade de muitas pessoas

que fazem ou dão para os outros aquilo que elas mesmas não possuem ou não podem possuir, e vivem em situação pior

do que a das pessoas que elas ajudam.

Comentário

A proposta A – Dissertação Argumentativa – apresenta ao candidato o poema “O Acendedor de Lampiões”, de autoria de

Jorge de Lima, que constitui uma versão literária do provérbio “casa de ferreiro, espeto de pau”, tema que está presente também

na obra do filósofo socialista Karl Marx, segundo o qual o produto do trabalho do operário não lhe pertence, pois ele não possui

aquilo que produz. A partir da leitura do poema e de reflexões sobre o tema, solicitava­se ao candidato que produzisse um texto

disssertativo­argumentativo, abordando a realidade de muitas pessoas que fazem ou dão para os outros aquilo que elas mesmas

não podem possuir, vivendo em situação pior do que a das pessoas que ela ajudam.

Assim, esperava­se que o candidato atendesse às instruções, assegurando um adequado desenvolvimento temático, o

que pode ser observado no exemplo de redação a seguir.

Comentário

A B C D E

36% 18% 20% 11% 15%

Índice de Dificuldade: 80%

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A questão foi considerada difícil com índice de dificuldade de 80% e com baixo índice de discriminação. Fica demonstrada

novamente a carência de estudos sobre a História da América, já que a questão aborda aspectos básicos da colonização

espanhola. A banca não ficou surpresa com o resultado, mas entristeceu­se com a pouca valorização dada aos conteúdos latino­

americanos.

Questão Nº 35

Pedro, o Grande, Czar da Rússia, escolheu um lugar estratégico, expulsou os inimigos e construiu ali uma fortaleza. Contratou os

melhores urbanistas e arquitetos disponíveis, trouxe milhares de trabalhadores das regiões distantes (...) Posteriormente Pedro

transferiu a capital da Rússia para esse lugar, moveu os órgãos públicos, obrigou a nobreza a edificar palácios e fundou uma

academia de ciências. Proibiu construções semelhantes no resto do País. Fez tudo por decreto, porque podia.

Folha de São Paulo – 5ª.feira – 04/10/2007

Sobre a administração de Pedro, o Grande, pode­se afirmar que :

I) A criação da cidade de São Petersburgo, capital da Rússia, marcou a ocidentalização do País.

II) O seu governo foi absolutista e por isso pôde realizar, por decreto, todos os seus projetos urbanísticos.

III) A construção de São Petersburgo foi realizada com sacrifício humano, e cerca de 150.000 trabalhadores perderam as suas

vidas.

IV) A nobreza submeteu­se às diretrizes do Czar porque dependia dos privilégios que lhe eram concedidos por ele.

As afirmativas CORRETAS estão contidas em :

A) III e IV, apenas

B) I , II , III, apenas

C) II e IV, apenas

D) I , II e III, apenas

E) I , II , III e IV

Comentário

A B C D E

9% 16% 37% 11% 27%

Índice de Dificuldade: 73%

Questão considerada difícil, com um nível de dificuldade de 73%. O assunto aborda o período de consolidação do poder Absolutista

dos Czares Russos. Assunto que não é muito estudado, apesar de constar do programa e fazer parte do contexto da primeira fase

do PIAS. A questão avalia o conhecimento de peculariedades e características de um período famoso politicamente, com intervenções

expressivas na política e no aspecto socioeconômico da Rússia.

2ª Etapa

Questão Nº 36

A Conjuração Baiana expressou as contradições do Antigo Sistema Colonial. Os ideais iluministas e as idéias revolucionárias

francesas exerceram significativa influência no movimento.

A Conjuração Baiana ou Revolta dos Alfaiates, também conhecida como Revolta dos Búzios, pode ser caracterizada como um

movimento que:

I) Recebeu influência maçônica iluminista que revelou objetivos emancipacionistas e republicanos.

II) Diferenciou­se dos demais movimentos coloniais pelo seu caráter social e pelas lutas de igualdade racial.

III) Contou com o apoio de elementos das camadas populares (soldados, artesãos, alfaiates, ourives, domésticas, negros

escravos e forros).

IV) Obteve apoio dos pensadores absolutistas que defendiam o pensamento iluminista e a doutrina mercantilista.

As afirmativas CORRETAS estão contidas em :

A) II e IV, apenas

B) I e III, apenas

C) I , II, III, IV

D) I, II e III, apenas

E) III e IV, apenas

A B C D E

12% 15% 21% 37% 15%

Índice de Dificuldade: 63%

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008 Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 84­93, set. 2008

87


Comentário

86

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A B C D E

20% 10% 30% 15% 25%

Índice de Dificuldade: 80%

A lei 10.639/2003 tornou obrigatório o ensino de História da África e afrodescendentes, considerando o enfoque secundário

conferido aos africanos que aportaram no Brasil desde os tempos da colonização e que auxiliaram na formação da sociedade e

da cultura brasileiras. A África não é, como comumente se pensa, um espaço estático caracterizado por grandes florestas e

animais bravios e habitado por povos negros, atrasados e apáticos. Ao contrário, não é possível falar de África, mas uma

pluralidade de Áfricas, não apenas no aspecto geográfico e de recursos naturais, como também no aspecto humano. Habitada

por diferentes povos desde a Antiguidade, na África se desenvolveram florescentes civilizações e culturas específicas que, com a

chegada do europeu, foram se desestabilizando. A imagem recorrente de que o africano estava acostumado com a escravidão e

por esse motivo se acomodou a ela na América é falsa, porque a escravidão africana tinha sentidos diferentes daquela praticada

no continente americano. O conhecimento da história da África para desmistificar essas imagens é um dos objetivos do estudo,

e não é somente pela força da lei que o continente africano deve estar na sala de aula, mas pela importância histórica que os

povos africanos legaram ao mundo ocidental, especialmente ao Brasil, que possui a maior população afrodescendente das

Américas. Considerada difícil, com 80% de erros, a questão não discriminou os candidatos, o que faz supor que a temática ainda

é desconhecida pelos estudantes, embora esteja presente nos programas de ensino das escolas. A superação dessa condição

pode ser empreendida pelo estudo sistemático nas aulas de História e reconhecimento de seu significado por alunos e professores.

Questão Nº 33

As civilizações da Antigüidade Ocidental, também denominadas “Civilizações Clássicas”, desenvolveram­se, originariamente, em

duas penínsulas: a Balcânica e a Itálica, ambas situadas no Mar Mediterrâneo. Diferentemente de outros povos, os gregos

desenvolveram uma brilhante civilização que se expandiu pelo Mediterrâneo. Uma das características históricas do período grego

denominado de Arcaico foi o desenvolvimento de um intenso comércio marítimo entre as colônias e as primeiras cidades – estado

da Grécia Continental.

Sobre as peculiaridades dessa expansão marítima grega, pode­se afirmar que ela contribuiu para que :

I) A economia mercantil, já monetarizada, fosse dinamizada e divulgada.

II) A produção de vinho, azeite e peças de cerâmica e outras mercadorias fossem exportadas para as novas colônias.

III) A camada social surgida em decorrência desse intercâmbio fosse fortalecida com a constituição de comerciantes enriquecidos.

IV) Os conflitos entre os comerciantes enriquecidos e os aristocratas fossem atenuados e posteriormente extintos.

As afirmativas CORRETAS estão contidas em :

A) I e II, apenas

B) I, III e IV, apenas

C) I , II e III, apenas

D) III e IV, apenas

E) III, apenas

Comentário

A B C D E

17% 22% 40% 10% 11%

Índice de Dificuldade: 60%

A questão objetiva verificar as habilidades do aluno de identificar, contextualizar e extrapolar conhecimentos obtidos ao longo do

Ensino Médio. E tanto no ensino Fundamental quanto no ensino Médio, as civilizações clássicas são estudadas intensamente. A

capacidade do candidato de identificar dados e contextualizá­los permeou a questão. O índice de dificuldade foi considerado

médio, já que o assunto é analisado nos livros didáticos. É uma questão cujas afirmativas abordam as características das

relações entre as colônias e as cidades­estados da Grécia Continental.

Questão Nº 34

A colonização espanhola na América foi caracterizada por uma luta intensa entre colonizadores e colonizados. Numa aparente

contradição, os impérios asteca e inca, altamente militarizados e organizados, foram conquistados em poucos anos, enquanto

outras populações resistiam tenazmente aos europeus.

A dominação espanhola na América permitiu à Metrópole grandes lucros e enormes dividendos econômicos.

Esse acúmulo de capital foi possível porque :

A) A Espanha incentivou a vinda maciça de escravos africanos para a América, os quais possuíam condições físicas para

trabalhar nas minas de ouro e de prata descobertas.

B) Produtos agrícolas tradicionais dos indígenas foram exportados e intensamente consumidos pelos europeus.

C) A colonização espanhola baseou­se numa administração centralizada e empreendedora.

D) O domínio político e econômico nas colônias espanholas foi exercido pelo criollos, que eram autoritários.

E) A participação do Estado nos lucros obtidos foi intensa e beneficiou exclusivamente a iniciativa privada.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 84­93, set. 2008

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

O autor desse texto inicia a sua produção com um comentário acerca da obra de Marx, em que o filósofo mostra que a

luta de classes e a exploração de uma classe por outra menos favorecida sempre existiu. O candidato dá vários exemplos da

ocorrência dessa luta ao longo da história da humanidade, revelando ter muitos conhecimentos sobre o assunto. O candidato

menciona, ainda, a mais­valia, teoria marxista, segundo a qual o operário recebe apenas uma parte muito pequena do que produz,

enquanto que todo o resto de sua produção fica com o patrão. A progressão temática do texto segue com inúmeros exemplos de

situações em que isso ocorre, na sociedade contemporânea, confirmando que, conforme aponta o candidato, de acordo com

Marx, essa luta de classes não terá fim, a menos que ocorra uma verdadeira revolução comunista ou socialista. Cada um desses

exemplos constitui um argumento para defender a posição do candidato de que essa exploração da mão­de­obra é injusta e difícil

de ser exterminada, o que pode ser comprovado pelo emprego do indicador atitudinal “infelizmente”, no início do último parágrafo,

em que o enunciador se representa diante dos enunciados que produz.

Em relação à coesão, o texto está muito bem construído, tendo sido empregados com total adequação os conectivos e

operadores argumentativos, como em “Se um operário produz dez pares de tênis em um dia de trabalho, deveria receber o

equivalente a dez pares de tênis como salário. Mas não é isso que acontece.”

No que se refere à norma culta, o texto revela que o candidato tem um bom domínio, embora tenha cometido alguns

pequenos deslizes, como em “constroe” (constrói); “Pode existir alguém que trabalha em uma joalheria..” (trabalhe). Entretanto

as relações de concordância, regência, colocação pronominal, o emprego das formas e tempos verbais, dentre outros aspectos

da norma culta, estão muito bem realizados na redação desse candidato.

Não há nenhuma incoerência e, quanto à autoria, verifica­se que o autor do texto revela­se capaz de apropriar­se do

discurso do outro, mas incorpora­o em seu texto com uma forma de expressão própria. Um trecho que muito chamou a atenção

da banca foi a forma como o candidato concluiu o quarto parágrafo, inserindo uma pergunta que poderia ser considerada um

problema para o tipo de texto em questão, mas que, com habilidade, o candidato transformou em mais um argumento na defesa

de sua posição.

Proposta B ­ Narração

Leia o trecho a seguir, extraído do romance Vidas Secas, de Graciliano Ramos, em que o personagem Fabiano receia ser

enganado pelos comerciantes da cidade:

Fabiano tinha ido à feira da cidade comprar mantimentos. Precisava sal, farinha, feijão e rapaduras. Sinhá Vitória pedira

além disso uma garrafa de querosene e um corte de chita vermelha. Mas o querosene de seu Inácio estava misturado com água,

e a chita da amostra era cara demais.

Fabiano percorreu as lojas, escolhendo o pano, regateando um tostão em côvado, receoso de ser enganado. Andava

irresoluto, uma longa desconfiança dava­lhe gestos oblíquos. À tarde puxou o dinheiro, meio tentado, e logo se arrependeu, certo

de que todos os caixeiros furtavam no preço e na medida: amarrou as notas na ponta do lenço, meteu­as na algibeira, dirigiu­se

à bodega de seu Inácio, onde guardara os picuás.

Aí certificou­se novamente de que o querosene estava batizado e decidiu beber uma pinga, pois sentia calor. Seu Inácio

trouxe a garrafa de aguardente. Fabiano virou o copo de um trago, cuspiu, limpou os beiços à manga, contraiu o rosto. Ia jurar que

a cachaça tinha água. Por que seria que seu Inácio botava água em tudo? perguntou mentalmente. Animou­se e interrogou o

bodegueiro:

– Por que é que vossemecê bota água em tudo?

Seu Inácio fingiu não ouvir.

Comentário

RAMOS, Graciliano. Vidas Secas. São Paulo: Martins, 1969, 22 ed., p. 69.

O texto acima é um exemplo de narração. Narre (invente), agora, a continuação do episódio apresentado, dando solução à

curiosidade do leitor sobre o desfecho do “bate­boca” entre o freguês e o comerciante. Lembre­se dos aspectos que

constituem um texto narrativo. Dê nome aos novos personagens que você criar, caracterize o tempo e novos lugares, se for

o caso, crie expectativas (suspense) e apresente um final interessante.

Um fragmento do romance “Vidas Secas”, de Graciliano Ramos, em que o personagem Fabiano receia ser enganado

pelos comerciantes da cidade, introduz a proposta B – Narração. A partir dos elementos constitutivos do trecho na narrativa

apresentado, pedia­se que o candidato continuasse o episódio, propondo uma solução para o desentendimento (bate­boca) que

se estabeleceu entre o freguês, no caso, o Fabiano, e o comerciante, o seu Inácio. Solicitava­se que se dessem nomes aos novos

personagens que por ventura fossem criados, que se caracterizasse o tempo e os novos lugares. Sugeria­se, ainda, que o

candidato criasse expectativas, construindo um final interessante para a sua história.

Dessa forma, esperava­se que o candidato conseguisse dar continuidade a um enredo já iniciado, mostrando­se

capaz de fazer o texto progredir, sem romper ou afastar­se do fio condutor da história; que, ao elaborar a continuação da narrativa,

inserisse a adequada caracterização dos espaços e personagens novos, criando suspense e desfecho interessantes. Isso no

que se refere ao tema e tipo de texto em questão.

Além disso, para que construísse um texto de boa qualidade, era preciso que o candidato cuidasse da adequação à

norma culta (ortografia, acentuação, concordância, regência, colocação pronominal, dentre outros); dos aspectos relacionados ao

sentido e tessitura do texto, tais como o emprego adequado dos mecanismos e elementos coesivos, e também à autoria e

expressividade, em que se avalia a habilidade do candidato de construir uma expressão própria, sem a utilização de frases feitas

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set.2008

19


Exemplo de Redação

20

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

No exemplo de redação selecionado, verifica­se que o candidato atendeu às instruções da proposta e deu continuidade

à narrativa. Optou, na maior parte do texto, pelo discurso indireto em terceira pessoa (narrador onisciente), construindo períodos

longos, com muitas relações ora de subordinação, ora de coordenação e o emprego adequado dos sinais de pontuação, com

raras exceções, como em “Eita homem esperto esse seu Inácio (!)”. Como não introduziu personagens nem espaços novos na

história, o texto tem poucas seqüências descritivas, que marcariam as caracterizações. O seu enredo não criou expectativas, mas

o candidato conseguiu construir um desfecho inesperado, embora se perceba uma certa inconsistência na tênue constituição do

clímax. Há também pequenos problemas na delimitação das vozes no texto. Há trechos, como no penúltimo parágrafo, em que

a voz de seu Inácio mistura­se à fala do narrador, pois o candidato não empregou as estratégias e marcas lingüísticas adequadas

para separá­las, como a mudança de parágrafo ou as aspas.

Em relação à norma culta, percebe­se o emprego adequado de muitos recursos, mas há alguns desvios, como em

“...ao sair da bodega de seu Inácio, se deparou com...” (colocação pronominal), “ele assistiu (a) toda a cena” (regência verbal) ou

“ouví­lo” (acentuação). Em relação à autoria e expressividade, essa redação constitui apenas um exemplar regular, pois não há

nada de excepcional ou de original na expressão do candidato. Entretanto, no que se refere à coerência, não há qualquer tipo de

incongruência. Quanto à coesão, a referenciação está bem construída, sem qualquer ambigüidade. Também os elos que

estabelecem as relações lógico­semânticas estão todos adequadamente empregados. Caso contrário, o texto apresentaria

problemas de coerência.

Referências:

Questão Nº 31

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. 1998.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO. Matrizes Curriculares de Referência, 1998

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO. ENEM: Matriz de Competências, 1998.

PADRÓS, Enrique Serra et. al. Ensino de História: formação de professores e cotidiano escolar. Porto Alegre: EST, 2002.

PCN + Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais – Ensino Médio.

1ª Etapa

dez anos, na madrugada do dia 20 de abril de 1997, o índio Galdino Jesus dos Santos, do povo Pataxó, do estado da Bahia,

dormia no ponto de ônibus de uma praça pública de Brasília quando acordou com o corpo completamente em chamas. Socorrido,

foi atendido em um hospital, mas não resistiu às queimaduras e morreu no dia seguinte. Galdino e uma delegação dederes de

seu povo estavam em Brasília para tratar de questões relativas à devolução de suas terras demarcadas e invadidas por fazendeiros.

A morte de Galdino causou grande comoção em todo o país e chamou a atenção não só para a violência do atentado, como

também para as questões indígenas. Desde a chegada dos portugueses nas terras brasileiras, a população indígena enfrenta

sérios desafios, dentre os quais destacamos:

I) Tentativa de aculturação e perda da identidade nativa pela introjeção de hábitos e valores do homem branco.

II) Melhoria do manejo do plantio e cultivo nas terras agricultáveis devido à aprendizagem e utilização de práticas mais modernas.

III) Relutância na demarcação das terras e oposição, às vezes armada, de fazendeiros, grileiros e posseiros.

IV) Diversidade étnica que dificulta a formação de uma plataforma unificada de luta pelo reconhecimento dos direitos indígenas.

V) Retomada do crescimento populacional e preservação dos hábitos, costumes e tradições para as novas gerações, bem

como apropriação de elementos da cultura branca.

As afirmações CORRETAS estão contidas em:

A) I, III, IV, apenas B) II e V ,apenas C) I, II, IV, V , apenas D) III, apenas E) I, III e V, apenas

Comentário

A B C D E

46% 7% 17% 6% 24%

Índice de Dificuldade: 76%

Para tratar da questão indígena no Brasil, o suporte da questão recupera o acontecimento da morte do índio pataxó Galdino Jesus

dos Santos, ocorrido há dez anos, evento que chocou o país, dada a violência que o envolveu. É sabido que, ao longo do processo

de colonização, a população indígena no Brasil foi significativamente reduzida, e só no século XX tornou­se questão política

discutida com a criação dos órgão de apoio e proteção como a FUNAI. No último quartel do século, a população indígena voltou

a crescer, todavia ainda são sérios os desafios que enfrenta como grilagem de terras, preservação da identidade, e cultura nativa

e diversidade étnica. Estudar a questão indígena não se restringe ao enfoque das populações nativas do período colonial. A

contribuição dos povos nativos na formação da sociedade brasileira é significativa e não pode ser desprezada, e tal contribuição

não cessou. Os povos indígenas brasileiros têm direito à voz e à visibilidade, e um dos espaços onde podem receber atenção é

a sala de aula de História. No entanto, a questão foi considerada difícil, com um índice de erros de 76%.

Questão Nº 32

Desde a Antiguidade os homens escravizam outros, considerados como inimigos ou inferiores. A escravidão pode ser considerada

como uma situação na qual o indivíduo não pode transitar livremente nem pode escolher o que vai fazer, podendo ser castigado

fisicamente e vendido, caso o senhor considere conveniente. Por esses termos, a escravidão existiu em muitas sociedades

africanas bem antes da chegada dos europeus.

Texto adaptado de SOUZA, Marina de Mello. África e Brasil Africano. São Paulo: Ática, 2006.

A escravidão e o comércio de escravos existentes na África, que são diferentes dos praticados na América, podem ser explicados

por alguns dos fatos abaixo numerados:

4 – Derrota na guerra com conseqüente aprisionamento

8 – Penas por transgressões e crimes cometidos

16 – Impossibilidade de pagar dívidas

32 ­ Garantia de recursos materiais como moradia e alimentação

64 – Demonstração de poderio econômico e superioridade cultural

A soma dos números correspondentes à justificações CORRETAS é:

A) 60 B) 40 C) 28 D) 72 E) 84

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008 Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 84­93, set. 2008

85


Questão Nº 29

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Numa população humana em equilíbrio, ou seja, na qual pode ser aplicado o modelo de Hardy – Weinberg, em que (p + q) 2 = 1,

p indica a freqüência do gene dominante e q a freqüência do gene recessivo, observou­se que a freqüência de indivíduos Rh ­ é de

16%.

Considerando as informações acima e os conhecimentos sobre o assunto, a freqüência de indivíduos Rh + homozigotos e Rh +

heterozigotos, respectivamente, nessa população, é:

A) 36% e 48%

B) 64% e 52%

C) 60% e 40%

D) 42% e 42%

E) 28% e 56%

Comentário

84

A B C D E

23% 9% 26% 22% 20%

Índice de Dificuldade: 77%

A questão 29 trata de um assunto estudado em genética de populações, no qual geralmente os alunos mostram alguma

dificuldade. Essa questão apresentou um índice de dificuldade alto (77%), sendo que entre os alunos de desempenho superior

apenas 36% assinalaram a resposta correta, o que acarretou um índice de discriminação baixo (0,21), 32% dos alunos desse

grupo marcaram um item que continha uma resposta sem nenhuma relação com o raciocínio que deveria se fazer para se chegar

ao resultado correto, reforçando mais uma vez uma dificuldade dos alunos com esse assunto.

Área de Ciências Humanas

História

Ao iniciar seu livro mais conhecido, Apologia da História, o renomado historiador francês Marc Bloch comenta que ele é

uma resposta à indagação de seu filho em sua infância: para que serve a História? A questão aparentemente inocente, afirma, é

incisiva porque questiona a legitimidade da própria História. Não foi apenas o filho de Bloch que formulou a indagação, comumente

o professor da disciplina depara com esse questionamento dos alunos em sala de aula.

Estudar História não se resume a memorizar fatos e datas, nomes de personagens e suas respectivas ações. O ensino

de História se vincula à cidadania, é compreender as experiências humanas nas diferentes temporalidades, entender a si

mesmo como sujeito histórico e ampliar estudos sobre as problemáticas atuais, relacionando­as ao processo histórico.

O historiador britânico Eric Hobsbawm comenta que todos os homens têm consciência do passado, mas os sentidos do

passado são diferentes entre os homens. A partir da afirmação do historiador, os Parâmetros Curriculares Nacionais para o

Ensino Médio (PCNEM) e o PCN+ _ Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais

argumentam que isso ocorre porque a “compreensão das sociedades, constituídas pelas inter­relações estabelecidas por

conjuntos de pessoas, também pode ajudar a nos situar na complexa trama da história, em que, mal comparando, somos como

o inseto que produz a teia e, ao mesmo tempo, o que por ela está enredado”. Por isso, continua o documento, “o passado pode

ter sentidos diferentes correspondentes às diferentes maneiras de vivenciar e apreender o tempo e de registrar sua duração e a

sucessão dos eventos – e que podem ser incluídos como objetos de estudos históricos”(PCN+, p.71).

Nesse sentido, segundo os PCNEM, o objetivo do ensino de História no Ensino Médio é “o desenvolvimento de

competências e habilidades cognitivas que conduzam à apropriação, por parte dos alunos, de um instrumental conceitual que

lhes permita analisar e interpretar as situações concretas da realidade vivida e construir novos conceitos ou conhecimentos”

(PCN+, p.77).

As proposições das questões do PIAS para as turmas de Ensino Médio buscam explorar as competências e habilidades

características desse nível de ensino: representação e comunicação; investigação e compreensão e contextualização sociocultural.

As questões elaboradas consideram o conhecimento histórico como construção utilizando de diferentes suportes documentais

e valendo­se de um diálogo interdisciplinar para compreender as diversas experiências humanas na trajetória histórica.

A banca trabalhou com o intuito de fomentar a reflexão histórica dos candidatos, enfocando temáticas usuais em processos

seletivos e incorporando novas linguagens, tendência não somente na historiografia como também no ensino de História. Os

resultados aferidos nos exames apontam a necessidade de que o ensino de História incorpore as múltiplas linguagens como

literatura, charges, música, mídia e outros para o desenvolvimento das competências e habilidades sugeridas para o Ensino

Médio e, também, para o desenvolvimento do potencial crítico­reflexivo do aluno. Como sujeito histórico que é, o estudo de História

contribui para que o aluno compreenda a realidade de modo mais crítico para nela atuar.

Outro aspecto a ser destacado é a atenção às temáticas relativas à História da América e História da África. A história se

desenrola nos diferentes espaços e os eventos históricos estão integrados, isto é, o processo histórico não pode ser compreendido

de modo fragmentado, e em uma sociedade globalizada como a em que vivemos, é necessário uma cultura que vá além da

técnica ou da mera memorização, é fundamental, como indica o professor Enrique Padrós, “apropriar­se de mecanismos adequados

para capacitar­se qualitativamente e poder inserir, não só como agentes produtivos mas, também, como consciências críticas

num mundo tão caracterizado pela vertigem das mudanças.” (PADRÓS, p. 39)

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 84­93, set. 2008

Proposta C ­ Carta Argumentativa

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Leia o texto a seguir, publicado na revista Veja, a respeito da atitude do cantor Roberto Carlos de proibir a publicação e a venda de

um livro que contém sua biografia, que ele afirma não ter autorizado:

A burrice do rei.

A cena é repulsiva: o caminhão parou diante do depósito da editora e recolheu 670 caixas, cada uma delas com dezesseis

exemplares do livro. Carregando 10 700 exemplares, dirigiu­se para um depósito em Santo André. Ali, os livros poderão ter dois

destinos: ou serão reciclados, rendendo cerca de 2,5 toneladas de papel, ou queimados numa fogueira.

Eis, em resumo, o desfecho do caso envolvendo o livro Roberto Carlos em Detalhes, escrito pelo historiador Paulo Cesar

de Araújo, que foi censurado como resultado do acordo judicial mais escandaloso e esdrúxulo de que se tem notícia. É inacreditável

que num país livre, em plena vigência do estado de direito democrático, com uma Constituição que assegura a liberdade de

expressão, tenhamos uma fogueira queimando milhares de livros. É grotesco e vergonhoso.

A grande fogueira, no entanto, vai queimar mais do que livros. Vai queimar a biografia mesma de Roberto Carlos e, junto

com ela, o respeito que alguns milhares de fãs têm pelo rei – e que se incinerou com sua iniciativa intolerante e burra. É intolerante

porque não há nada, nas 504 páginas do livro, que possa ser considerado uma invasão de privacidade em se tratando de uma

personalidade pública (...). E, por fim, é uma iniciativa burra porque alguém com uma carreira artística há quarenta anos, e um

sucesso inigualável, deveria ter ao menos uma noção da relevância da liberdade de expressão – a sua, a dos outros, a de todos.

PETRY, André. In Veja. 9/05/2007, p. 53.

Se você é a favor da proibição da divulgação e venda do livro, conseguida na Justiça pelo cantor biografado Roberto

Carlos, escreva uma carta ao articulista André Petry, expondo seus argumentos que justifiquem a atitude do cantor, pois

a liberdade de expressão tem limites, não significa invadir a intimidade ou privacidade das pessoas. Se você é contra a

proibição, escreva uma carta ao cantor Roberto Carlos, expondo seus argumentos que justifiquem a publicação e venda

do livro e que condenem a atitude do artista, pois as pessoas famosas têm sua vida exposta ao público. Em ambos os

casos, lembre­se de que a arte de convencer é fundamental.

Comentário

Em primeiro lugar, é importante lembrar que, em relação à carta argumentativa, apesar de o gênero possibilitar ao

candidato um conhecimento do destinatário com quem poderia dialogar, a clareza dos objetivos de sua produção escrita e a

oportunidade de posicionar­se face às questões contempladas no tema das propostas, pouquíssimos foram os candidatos que

escolheram produzir uma carta argumentativa, dentre os que realizavam a avaliação da terceira etapa.

Mais uma vez a opção pela carta argumentativa é feita por uma porção muito pequena dos candidatos, tanto nas

avaliações do PIAS, como em outros processos seletivos da Universidade de Uberaba. Isso revela que a maioria dos candidatos

ainda se sente insegura para redigir esse gênero de texto, principalmente quando se trata de se dirigir a um interlocutor que exija

uma linguagem mais formal. Talvez isso se explique pelo desenvolvimento da tecnologia da informática, a partir da qual não só os

adolescentes, mas grande parte das pessoas que têm acesso a essa tecnologia estão perdendo o hábito de escrever cartas.

Porém, a vida cotidiana continua exigindo habilidades de escrita cada vez mais complexas, imprescindíveis àqueles que desejam

obter sucesso em atividades de comunicação ou serviços administrativos. Além disso, há que se garantir aos jovens o exercício

da cidadania, o qual cada vez mais pressupõe a habilidade de saber reivindicar direitos, especialmente por escrito.

A proposta de produção da carta argumentativa de 2007 trazia, para iniciar uma reflexão sobre o tema, um texto publicado na revista

VEJA, a respeito da atitude do cantor Roberto Carlos de proibir a publicação e a venda de um livro que conte a sua biografia, a qual

ele afirma não ter autorizado. Propunha­se que, após a leitura do texto, o candidato se posicionasse em relação a essa proibição

da divulgação e venda do livro pelo “rei”. Se favorável, deveria escrever uma carta argumentativa ao articulista da Veja, André Petry,

expondo seus argumentos. Caso contrário, o candidato deveria escrever a Roberto Carlos, argumentando em defesa de sua

posição contrária à proibição.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008

21


Exemplo de Redação

22

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Nesse exemplo selecionado, há aspectos positivos a destacar. Inicialmente, pode­se afirmar que o candidato atendeu

à proposta: posicionou­se contra a proibição da publicação do livro contendo a sua biografia, apresentando bons argumentos

para defender essa sua posição. Em segundo lugar, a adequação do tratamento formal dispensado ao “rei”, um interlocutor com

o qual o locutor não tinha intimidade, com exceção da expressão “liberte­se”, ao final do texto, que sugere uma certa liberdade com

o interlocutor. Em relação à adequação à norma culta, a carta está bem redigida, com poucos desvios, como no primeiro parágrafo,

em que deveria haver duas orações ao invés de uma, em “Esta carta não tem como objetivo julgá­lo, escrevo ao Sr. com a intenção

de comentar sua atitude perante a ordem judicial que conseguiu para censurar sua biografia escrita pelo historiador Paulo César

de Araújo.” Nesse trecho, há também um pequena incoerência, pois Roberto Carlos não censurou, mas proibiu a publicação de

sua biografia. Há também algumas inadequações no que tange ao emprego de vírgulas, à troca de “há” por “a” (3º parágrafo),

dentre outros. Em relação à coesão, a construção do texto está razoável: mesmo que o processo de referenciação esteja bom, a

seqüenciação apresenta alguns problemas, embora possa se verificar uma perfeita correlação entre conectivo e tempo verbal,

como em “ Embora seja difícil...”. Uma inadequação dessa ordem aparece no trecho “E como todos nós sabemos, a época da

ditadura já se extinguiu a anos, a censura se foi, o que predomina agora é a livre expressão, o poder de se expressar e opinar;

entanto, Paulo César de Araújo se sentiu no direito de mostrar ao público...”, no qual o conectivo “entanto” está inadequadamente

empregado, num contexto em que o candidato deveria usar “portanto”, o que origina um outro problema de coerência. Quanto ao

critério de autoria e expressividade, o candidato saiu­se razoavelmente bem, uma vez que organizou sua argumentação de forma

peculiar, embora sem muita expressividade. Pode­se perceber, em seu texto, o apagamento da autoria do discurso dos outros,

dos quais vamos nos apropriando, à medida que escrevemos.

Questão Nº 27

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Por volta de 1930, quatro cientistas: Fisher, Haldane, Wright e Chetverikov, fizeram a síntese das informações disponíveis sobre o

processo evolutivo até aquela época, e por isso a teoria deles passou a ser conhecida como Teoria Sintética da Evolução ou

Neodarwinismo. O neodarwinismo explica as causas das variações nos seres vivos, ponto que o darwinismo clássico não

conseguiu explicar.

Com base nos estudos do darwinismo e do neodarwinismo, analise as afirmações abaixo.

I) As mutações e a recombinação gênica são as principais causas da variabilidade genética nos seres vivos, enquanto a

seleção natural “modela” o processo evolutivo, direcionando­o através da “escolha” das variações favoráveis ou adaptativas

num determinado ambiente.

II) Segundo Darwin, o ambiente não causa as mudanças nos indivíduos, pode apenas selecioná­las depois que já aconteceram:

a adaptação é o resultado da seleção das variações de que resultam “acidentalmente” indivíduos mais favoráveis.

III) Enquanto as mutações e a recombinação gênica aumentam a variabilidade genética nos seres vivos, a seleção natural

diminui, uma vez que tende a eliminar os indivíduos portadores de genes não­adaptativos, que condicionam variações

desfavoráveis num certo ambiente.

Está(ão) CORRETA(s) a(s) afirmação(ões) contida(s) em:

A) I, II e III

B) I e II, apenas

C) II e III, apenas

D) I e III, apenas

E) III, apenas

Comentário

A B C D E

27% 16% 10% 41% 6%

Índice de Dificuldade: 73%

A resposta correta da questão é a letra A , ou seja, todas as afirmações estão CORRETAS. A maioria dos alunos assinalou a letra

D (41%), considerando somente as afirmações I e III corretas. Vale a pena destacar que muitos alunos apresentam ainda

dificuldades sobre as idéias de Darwin.

Caso seja possível, sugerimos que os professores solicitem aos alunos a leitura do livro A origem das espécies, de

Charles Darwin. Com certeza, muitas dúvidas serão sanadas.

A noção de variabilidade, ou variação, é fundamental para se entender o mecanismo de seleção natural: o ambiente

seleciona nas populações os indivíduos portadores das variações mais bem adaptadas a ele; esses indivíduos têm

maior probabilidade de sobrevivência e de reprodução do que os demais. Isso significa que têm mais chances de

transmitir as características favoráveis a seus descendentes. Dois mecanismos fundamentais são responsáveis pela

variação: a mutação e a recombinação genética.

Questão Nº 28

A meiose é uma maneira natural de se obter variabilidade genética. Artificialmente, o homem pode produzir organismos com

características genéticas inexistentes na espécie original, através da Engenharia Genética. Sobre esse assunto, analise as

afirmações abaixo:

I) As características inseridas em um organismo por técnicas de Engenharia Genética, nunca são transmitidas aos descendentes

desse organismo.

II) Usando­se a Engenharia Genética é possível que uma bactéria passe a produzir uma proteína que normalmente sua espécie

não produz.

III) Para que um organismo adquira a capacidade de expressar uma característica de um outro organismo, é necessário inserir

nele o gene que codifica essa característica (a produção de uma proteína, por exemplo).

Estão CORRETAS as afirmações contidas em:

A) I, II e III

B) I e III, apenas

C) III, apenas

D) II e III, apenas

E) II, apenas

Comentário

A B C D E

15% 12% 9% 59% 5%

Índice de Dificuldade: 41%

A questão 28, que se refere a um assunto atual de Engenharia Genética, mostrou um índice de dificuldade médio (41%), sendo

que 80% dos candidatos de desempenho superior marcaram a resposta correta desta questão e entre os candidatos de

desempenho médio 59% também foram capazes de reconhecer o item que trazia a resposta correta. Assim, o índice de discriminação

foi bom índice (0,45).

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 6­22, set. 2008 Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 76­84, set. 2008

83


3ª Etapa

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Com base no texto a seguir e nos estudos sobre os mecanismos da evolução, responda às questões 26 e 27.

Charles Darwin foi um naturalista bastante perspicaz que observou uma grande

quantidade de diferentes estruturas e comportamentos, os quais, a seu ver, pareciam ter­se

desenvolvido para auxiliar a sobrevivência e o sucesso reprodutivo dos indivíduos que os

apresentavam. Segundo Darwin, as espécies não são imutáveis, elas sofrem modificações,

ou adaptações, ao longo do tempo, e o agente que produz as modificações é a seleção

natural.

(...)Quando propôs sua teoria de seleção natural, Darwin não possuía exemplos de

seleção que estivessem operando na natureza. Havia baseado seus argumentos nos resultados

observados na seleção de espécies domésticas. Sabemos atualmente que a evolução biológica

consiste de modificação da composição genética de uma população ao longo do tempo.

Darwin compreendeu a importância da hereditariedade para sua teoria, mas desconhecia

qualquer modelo de herança genética. Empregou muito na tentativa de desenvolver uma teoria

de hereditariedade, no entanto, foi incapaz de descobrir as leis que governam a herança genética

e, apesar de ter acesso ao trabalho de Gregor Mendel – aparentemente Darwin leu os trabalhos

de Mendel, não foi capaz de compreender o significado desses estudos.

Questão Nº 26

82

(Adaptado HELLER, H. Craig; ORIANS, GORDON H.; PURVES, William

K. e SADAVA, David. Vida: a ciência da biologia. Tradução

Anapaula Somer Vinagre… [et al.] 6.ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.)

Charles R. Darwin aos 40

Darwin considerou que certas características poderiam contribuir para a sobrevivência e reprodução de certos indivíduos num

determinado ambiente. Considerando o exemplo da evolução da girafa, o darwinismo explica o longo pescoço do animal e o

grande desenvolvimento de suas patas dianteiras de uma maneira diferente daquela defendida pelo lamarckismo.

De acordo com os estudos de Darwin, analise as afirmações abaixo e, em seguida, assinale a alternativa CORRETA.

A) Darwin supunha que eventuais alterações ambientais desencadeariam, numa espécie, uma necessidade de modificação,

que propiciaria sua adaptação às novas condições vigentes.

B) Segundo Darwin, as características adquiridas pelo uso ou perdidas pelo desuso são transmitidas de geração a geração, por

meio do mecanismo reprodutivo.

C) O darwinismo supõe que características novas são adquiridas por indução do ambiente, por um processo de evolução

baseado no uso ou desuso de órgãos ou estruturas do organismo.

D) Para Darwin, às vezes, a sobrevivência de indivíduos depende da “sorte”, mas, de modo geral, são os mais adaptados que

têm maior probabilidade de sobreviver e se reproduzir, ou seja, o ambiente, com as suas características, seleciona as

variações de caracteres mais oportunas.

E) Os darwinistas fundamentavam­se na hipótese de que o meio ambiente cria a necessidade de uma determinada estrutura

no organismo, assim, o organismo se esforça para responder a essa necessidade e, como resposta a esse esforço, há uma

modificação na estrutura do organismo.

Comentário

A B C D E

25% 10% 13% 35% 17%

Índice de Dificuldade: 65%

A resposta da questão é a letra D. Para Darwin, as espécies não são imutáveis, elas sofrem modificações, ou adaptações ao

longo do tempo, e o agente que produz as modificações é a seleção natural. Em resumo, para Darwin, o ambiente tem o papel de

selecionar, dentro de um grupo, os organismos com as variações mais “interessantes” para aquele ambiente. Já essas variações

são hereditárias, os “escolhidos”, com maior chance de sobreviver e de reproduzir, transmitem suas características a seus

descendentes, tornando assim a população cada vez mais adaptada.

Muitos alunos confundem as teorias lamarckistas e darwinistas. Nossa sugestão é que os professores trabalhem

esse assunto com muitos exemplos que relacionem essas duas teorias. Para um melhor enriquecimento do estudo

sobre as teorias da evolução, sugerimos que levem para a sala de aula vários textos, de diferentes autores, que

retratem o tema, e procurem discutir sobre as idéias de Lamarck e Darwin.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 76­84, set. 2008

1ª Etapa

Questão Nº 1

Templo no Peru tem 4.000 anos

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Questões Abertas

Um grupo de arqueólogos anunciou anteontem a descoberta de um templo de 4.000 anos na costa leste do Peru, um centro

cerimonial que pode ter os murais mais antigos das Américas.

Folha de S. Paulo ­ Ciência 12/11/2007

Na região onde hoje se localizam o Peru e a Bolívia, desenvolveram­se várias civilizações pré­colombianas, como a que foi

descoberta por escavações recentes, que data de 4.000 anos. Dentre elas, uma das mais expressiva foi a civilização dos incas.

Escreva um texto (com no mínimo 10 e no máximo 15 linhas), focalizando as características da civilização dos incas, e explique a

importância dos achados arqueológicos para conhecimento das sociedades da Antiguidade.

Comentário

O conteúdo referente às civilizações pré­colombianas é bastante estudado no ensino Fundamental e Médio. A questão, que

aborda os aspectos expressivos da Civilização Inca, foi bastante contextualizada, apresentando pistas para os alunos, inclusive

na questão nº 34. A segunda parte da questão enfocou e extrapolou os resultados desses estudos abordando a importância dos

achados arqueológicos para as pesquisas sobre as civilizações pré­colombianas de um modo geral.

Grande parte dos candidatos pontuou as características das civilizações dos incas e isso evidenciou para a banca a pertinência

da escolha do tema.

A 2ª parte da questão avalia as exigências de leituras de jornais e focaliza a importância dos achados arqueológicos para a

recuperação dos povos pré­colombianos. A questão possibilita uma resposta ligada à primeira, mas exige do candidato uma

habilidade de extrapolação e de interpretação do texto.

A banca considerou que essa questão apresentou uma das melhores respostas do PIAS na primeira etapa e ficou feliz com os

resultados obtidos.

Questão 02

Cadê o cálcio que estava aqui?

A falta do mineral na dieta dos jovens brasileiros preocupa os médicos. Num futuro próximo, essa carência pode aumentar a

incidência de osteoporose.

Doença típica de mulheres na menopausa, a osteoporose entrou para o rol das preocupações dos pediatras. O motivo é que,

essencial para a formação de um esqueleto forte, o cálcio praticamente desapareceu da dieta das crianças e adolescentes

brasileiros. Se nada for feito para reverter esse quadro, os especialistas prevêem uma epidemia de ossos fracos num futuro bem

próximo. A baixa ingestão do mineral na juventude aumenta em 20% o risco de osteoporose na idade adulta. “É urgente, portanto,

mudar os hábitos alimentares de nossos jovens”, diz a endocrinologista Marise Lazaretti Castro, diretora do departamento de

doenças osteometabólicas da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Alguns médicos, inclusive, já indicam a

suplementação do mineral para seus pacientes, especialmente as meninas, a partir dos 10 anos.

Revista Veja, 30/05/2007

A química e a biologia comandam as nossas vidas! Todos os vertebrados são constituídos de substâncias orgânicas e inorgânicas.

No texto acima, há uma referência à importância do cálcio na alimentação e à falta do mineral na dieta dos jovens, conseqüência

da profunda mudança de hábitos alimentares ocorrida nos últimos anos. Considerando as informações acima e os conhecimentos

sobre o assunto, responda as questões a seguir:

a) Cite duas outras funções importantes do cálcio para os seres vivos.

b) Quais as principais fontes de alimento do mineral cálcio?

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 23­28, set. 2008

23


Comentário

item “c”:

24

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

c) Sabendo­se que o cálcio possui número atômico igual a 20, faça a distribuição eletrônica, de acordo com o diagrama de

2 +

Linus Pauling, para o 20 Ca e para o íon 20 Ca .

Determine o número de prótons, nêutrons e elétrons em cada caso.

d) O cálcio pode ser encontrado no organismo na forma livre ou ligado a proteínas e a outros ânions, tais como


HCO 3 ,

A questão explora a inter­relação entre conceitos de Química e Biologia, tentando apresentar de forma integrada o quanto essas

duas ciências são importantes para a manutenção da vida.

O texto descreve como a falta do mineral cálcio na dieta dos jovens brasileiros está preocupando os médicos, já que sua carência

pode aumentar a incidência de osteoporose, e inclusive alguns médicos já indicam a suplementação do mineral para suas

pacientes, a partir dos dez anos.

item “a”:

Sua importância no organismo se faz sentir na ossificação e dentição, sob a forma cristalina de fosfatos e carbonatos de cálcio,

ou como íons, nos líquidos orgânicos, participando catalicamente de fenômenos como a coagulação sangüínea ou,

intracelularmente, na contração da fibra muscular. Sua concentração no sangue é regulada por hormônios das glândulas

paratireóides (paratormônio) e tireóide (tireocalcitonina).

item “b”:

2 −

H , HPO .


2 4 PO

leite e seus derivados e cascas de ovos.

Veja a resposta de um candidato:

4

Escreva a fórmula química dos três compostos formados entre os ânions citados e o íon cálcio.

Um número bastante expressivo de alunos não respondeu a letra a da questão; já na letra b, a maioria dos alunos relacionou as

principais fontes do mineral cálcio.

Esse assunto é discutido freqüentemente em jornais e revistas; além disso, o estudo dos sais minerais é um dos temas mais

abordados na Química celular. Esses compostos, presentes em todas as células, são indispensáveis para a sobrevivência de

qualquer ser vivo.

O item “c” visa explorar a capacidade do aluno de conhecer as partículas formadoras da matéria, bem como estão elas organizadas

no átomo, além de reconhecer a formação de íons e como esse processo se dá, ou seja, com perda ou ganho de elétrons.

item “d”:

O item “d” busca avaliar a capacidade do aluno para combinar ânions e cátions em uma proporção correta para se ter o que

denominamos de compostos, sendo de extrema importância para o aluno ter essa noção, que o auxilie para obter subsídios com

relação à ligação iônica.

Questão Nº 26

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Observe atentamente a representação esquemática do sistema digestório de uma ave, mostrando suas diversas partes.

AMABIS, J.M.e MARTHO, G.R. Conceitos de Biologia. São

Paulo: Moderna, 2002

Pela análise da figura e com base na fisiologia da digestão das aves, assinale a alternativa INCORRETA:

A) As aves podem ser herbívoras, carnívoras ou onívoras.

B) As aves têm uma região dilatada do tubo digestório, o papo, especializada em armazenar o alimento ingerido.

C) O estômago das aves é dividido em duas partes: na primeira, chamada proventrículo, o alimento é misturado a enzimas

digestivas; a segunda parte do estômago é a moela, capaz de triturar os alimentos.

D) O intestino das aves abre­se na cloaca, onde também desembocam os condutos do sistema excretor e do sistema reprodutor.

E) O proventrículo atua como um “estômago mecânico”, já a moela atua como um “estômago químico.”

Comentário

A B C D E

32% 3% 17% 9% 39%

Índice de Dificuldade: 61%

A resposta da questão é a letra E, pois é a única alternativa INCORRETA. O estômago das aves apresenta duas partes: o

proventrículo, ou estômago químico, e a moela, ou estômago mecânico. 39% dos alunos acertaram a questão, mas, para nossa

surpresa, 32% assinalaram a letra A como incorreta.

Acreditamos que a maior dificuldade dos alunos foi relacionar os conceitos de herbívoras, carnívoras ou onívoras

com as características das aves. Destacamos que a questão era considerada fácil pela banca, com abordagem de

conceitos simples ao estudo dessa classe de vertebrados. Sugerimos que os professores trabalhem com as

definições de uma maneira mais contextualizada na sala de aula. Procurem exigir dos alunos reflexões sobre as

aprendizagens mais significativas, evitando trabalhar somente com questões objetivas.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 23­28, set. 2008 Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 76­84, set. 2008

81


Questão Nº 25

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Observe a representação esquemática do ciclo do platelminto trematódeo Schistosoma mansoni.

80

AMABIS, J.M.e MARTHO, G.R. Conceitos de Biologia. São Paulo: Moderna, 2002.

Com base no esquema acima, e nos conhecimentos sobre o assunto, analise as afirmações que se seguem:

I) Os ovos do esquistossomo, se caírem na água de riachos e lagoas, liberam uma larva ciliada, o miracídio.

II) No caramujo, o miracídio sofre grandes transformações, reproduzindo­se assexuadamente e passando por uma série de

estágios larvais.

III) Enquanto os seres humanos são definidos como hospedeiros definitivos do esquistossomo, os caramujos planorbídeos

são considerados como hospedeiros intermediários.

IV) O esquistossomo é dióico; as fêmeas são longas e esguias, no que diferem dos machos, cujos corpos são mais curtos e

mais grossos.

Estão CORRETAs as afirmativas contidas em:

A ) I, II, III e IV.

B ) I, II e III, apenas.

C ) II, III e IV, apenas.

D ) I e IV, apenas.

E ) II e III, apenas.

Comentário

A B C D E

33% 40% 11% 9% 7%

Índice de Dificuldade: 67%

A resposta da questão é a letra A, pois todas as afirmações estão CORRETAS. Uma porcentagem de 40% dos alunos assinalou

a letra B, considerando, assim, que a afirmação IV está errada. Mas verifique, nos livros didáticos, que os esquistossomos são

dióicos, ou seja, de sexos separados; o que significa macho e fêmea distintos. Além disso, a descrição da morfologia deles está

correta, pois as fêmeas são longas e esguias, já os machos são mais curtos e mais grossos.

Os professores devem sempre ilustrar as aulas ao estudarem as verminoses. É importante relatar que alguns termos

devem ser bem explicitados, como: monóicos e dióicos. Muitos alunos confundem essas terminologias, sendo isso

uma provável justificativa do número acentuado de alunos que erraram a questão.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 76­84, set. 2008

Questão Nº 01

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

As notas dos candidatos, num total de 5,5 pontos, estão apresentadas na tabela a seguir:

Nota Nº de alunos

0 – 1 884

1,01 – 2 356

2,01 – 3 153

3,01 – 4 29

4,01 – 5 11

5,01 – 6 0

2ª Etapa

A BEBIDA LEVA ABAIXO QUALQUER DIETA

Apesar de passar a semana inteira à base de saladinhas, grelhados, desnatados, lights e diets, você não consegue enxugar as

medidas. Dê uma olhada rápida no seu cardápio das noitadas, happy hours ou coisa que o valha. Lá pode estar a fonte calórica

que não lhe deixa emagrecer: os drinques.

As bebidas alcoólicas, além de não alimentarem nadinha, têm muitas calorias. Se a intenção é perder peso, as bebidas alcoólicas

precisam ser banidas (ou pelo menos bastante reduzidas) da dieta. Cada grama de álcool tem sete calorias, enquanto um grama

de proteínas ou carboidratos tem quatro calorias. Jornal de Uberaba, 29/07/06

A produção dos diferentes tipos de bebida alcoólica varia de acordo com o substrato fermentado, com o tipo de levedura utilizada

e com as diferentes técnicas de fabricação. Agora, que você leu todas as informações, responda as questões a seguir.

a) Explique como os fungos participam na fabricação de bebidas alcoólicas.

b) Qual é a forma de nutrição dos fungos, em geral?

c) Para que a energia seja liberada, o álcool é metabolizado no organismo, primeiramente, a acetaldeído sob a ação da enzima

álcool desidrogenase, e é rapidamente convertido em acetato por outras enzimas, sendo, finalmente, metabolizado a dióxido

de carbono e água. Discuta o papel das enzimas na conversão do álcool do ponto de vista cinético, relacionando esse efeito

com a energia cinética.

d) Além de levar abaixo qualquer dieta, o álcool (etanol) consumido em excesso causa vários danos ao organismo. Uma

concentração de álcool no organismo acima de 0,45 g/100 mL pode levar o indivíduo à morte. Sabendo­se que um paciente

dá entrada em um hospital com uma quantidade de álcool no sangue de 0,46g/100 mL , determine a concentração molar do

álcool no sangue do indivíduo. Dados: massa molar do etanol: 46 g/mol.

Comentário

A questão explora a inter­relação entre conceitos de Química e Biologia, tentando apresentar de forma integrada o quanto essas

duas ciências são importantes para a manutenção da vida.

O texto descreve que as bebidas alcoólicas podem variar de acordo com o substrato fermentado, mas não nos alimentam e

apresentam uma fonte calórica que não nos deixa emagrecer, apesar da restrição de alimentos na dieta. Cada grama de álcool

fornece sete calorias, enquanto um grama de proteínas e carboidratos tem quatro calorias.

item “a”

Os lêvedos são fungos unicelulares visíveis apenas no microscópio. Na ausência de oxigênio, eles realizam a fermentação

alcoólica, em vez de respiração aeróbica. Assim, eles “queimam” açúcares, obtendo a energia necessária para a sua sobrevivência,

e liberam álcool etílico e gás carbônico. Um fato curioso é que, quando a fermentação atinge 14% de álcool, os lêvedos morrem.

Portanto, bebidas com quantidades maiores de álcool são destiladas, e não fermentadas.

ítem “b”

Os fungos são heterótrofos por absorção, pois suas hifas crescem penetrando nos substratos orgânicos e lançando neles

suas enzimas digestivas.

Veja a resposta de um candidato:

Item “c”:

De acordo com os resultados apresentados, grande parte dos alunos demonstrou pouco

conhecimento relativo às relações entre as partículas fundamentais que constituem o átomo.

Além disso, há grande dificuldade em prever as fórmulas dos compostos com base nas

cargas apresentadas por ânions e cátions. Esses conceitos são de fundamental importância

para alunos que futuramente venham a trabalhar na área tecnológica.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 23­28, set. 2008

25


PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

O item “c” aborda a importância das enzimas em nosso organismo, no sentido de acelerar processos vitais, tais como reações

metabólicas para provimento de energia, assim como para eliminar substâncias nocivas presentes em nossas células. A questão

visa explorar a capacidade do aluno de reconhecer a ação catalítica das enzimas, o que leva à diminuição da energia de ativação,

e consequentemente acelerando as reações.

Item “d”:

O item “d” apresenta valores limites de concentração de álcool no organismo de um indivíduo e busca verificar se o aluno

apresenta conhecimento para realizar a conversão de uma unidade de concentração em outra qualquer.

Questão Nº 02

O mundo passa por acelerado processo de urbanização. Em 2006, pela primeira vez na história, a população urbana ultrapassou

a rural. No Brasil, em 1940, apenas 30% dos brasileiros viviam nas cidades, contra 70% no meio rural. A urbanização brasileira

consolidou­se na década de 1970, quando a população residente em cidades superou o número de moradores das zonas rurais.

Em seis décadas (1940 – 2000), a população urbana brasileira passou de 12,8 para 137,6 milhões de pessoas! De cada 10

habitantes, 8 moram em cidades.

a) Cite os motivos que levaram à urbanização brasileira.

b) Aponte conseqüências da urbanização brasileira.

c) Calcule o percentual correspondente ao crescimento da população urbana brasileira de 1940 a 2000.

Comentário

O objetivo da questão é verificar o conhecimento do aluno em relação à problemática do processo de urbanização no Brasil,

apontando suas causas e conseqüências (itens A e B).

No item A, esperávamos do candidato uma explanação sobre:

• a industrialização no Brasil;

• o êxodo rural, cujos determinantes foram de ordem econômica;

• a mecanização das atividades rurais, gerando o desemprego;

• a concentração fundiária.

Esses foram fatores relevantes para justificar a nossa acelerada urbanização.

No item B, esperávamos do candidato uma explanação sobre:

• aumento dos problemas sociais e econômicos: a economia informal, a pobreza, a exclusão social, os favelados e os sem

teto, dos problemas de atendimento escolar e de assistência médico­hospitalar.

• agravamento das questões ambientais: invasões de terrenos, loteamentos clandestinos, desmatamentos, ocupação de

áreas de preservação de mananciais ou as de risco (encostas), poluição, problemas no trânsito, falta de saneamento e

de coleta de lixo, etc.

• a violência urbana e a criação de “cidades inchadas”.

No item C, o candidato, para alcançar o resultado esperado, deveria desenvolver uma simples regra de três, conteúdo desenvolvido

desde o Ensino Fundamental, entretanto, foi neste item que o índice de dificuldade foi maior.

Da análise estatística da questão concluímos que:

48% dos candidatos obtiveram nota de 0 a 1;

45% dos candidatos obtiveram nota de 1,01 a 3;

7% dos candidatos obtiveram nota de 3,01 a 5,5.

No desempenho global dos candidatos, a média alcançada foi de 1,46, e, infelizmente, apenas 2 candidatos obtiveram nota acima

de 5,01 pontos.

A seguir, inserimos a resolução da questão por um aluno que conseguiu a melhor pontuação.

26

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 23­28, set. 2008

2ª Etapa

Questão Nº 23

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A contração muscular é um evento altamente ordenado que ocorre mediante um estímulo que chega à fibra muscular na forma de

um impulso nervoso. São eventos envolvidos na contração muscular:

I ) liberação do cálcio retido no retículo sarcoplasmático;

II ) deslocamento dos filamentos de actina sobre o filamento de miosina;

III ) ligação da cabeça de miosina no filamento de actina;

IV) dissociação da cabeça de miosina nos filamentos de actina.

A ordemCORRETA dos eventos é:

A ) II, I, IV e III

B ) III, II, IV e I

C ) I, III, II e IV

D ) I, II, III e IV

E ) III, I, II e IV

Comentário

A B C D E

13% 23% 27% 19% 18%

Índice de Dificuldade: 73%

A análise de itens referentes a esta questão mostra que ela foi considerada difícil (índice de dificuldade = 73%), sendo que a

resposta correta foi assinalada por 36% dos classificados no grupo de desempenho superior (S), 26% dos classificados no grupo

mediano e 19% dos classificados no grupo de desempenho inferior (I). Assim sendo, o índice de discriminação mostrou­se

deficiente, havendo pequena diferença entre os grupos “S” e “I”.

A questão trata de etapas envolvidas na contração muscular e pode ter sido classificada como “difícil” devido à atenção dispensada

pelos alunos em compreender o fenômeno, a ponto de indicar a ordem de seus principais eventos. Sabe­se que a contração da

fibra muscular é um processo ordenado no tempo e no espaço, com interação de várias moléculas presentes na célula.

Questão Nº 24

A digestão é um processo complexo que ocorre ao longo do trato gastrointestinal, desde a cavidade oral até o intestino. Esse

processo é coordenado por uma série de hormônios que ativa sobre os órgãos envolvidos na digestão, causando efeitos

específicos. Com base nas informações nos conhecimentos sobre o controle hormonal da digestão, analise as informações

abaixo e assinale a alternativa que só contém informações verdadeiras:

I) O hormônio gastrina é produzido no estômago e sua função é estimular a produção do suco gástrico.

II) O hormônio secretina não atua sobre o pâncreas.

III) O hormônio colecistoquinina atua sobre a vesícula biliar, induzindo a liberação da bile.

IV) O hormônio secretina estimula a liberação do bicarbonato pelo pâncreas.

V) A colecistoquinina atua no estômago, estimulando a liberação do HCl.

Estão CORRETAS as afirmativas contidas em:

A) I, IV e V, apenas

B) II, III e IV, apenas

C) III e IV, apenas

D) I, III e IV, apenas

E) I, II e V, apenas

Comentário

A B C D E

17% 9% 6% 49% 19%

Índice de Dificuldade: 51%

A análise de itens referentes a esta questão mostra que ela foi considerada média (51%), tendo sido assinalada a resposta

correta por 61% dos classificados no grupo de desempenho superior (S), 49% dos classificados no grupo mediano e 37% dos

classificados no grupo de desempenho inferior (I). Assim sendo, o índice de discriminação mostrou­se marginal (ID = 0,23),

havendo pequena diferença entre os grupos “S” e “I”.

A análise das questões assinaladas revela que as alternativas “A” e “E” foram assinaladas por aproximadamente 17 e 19% dos

candidatos, revelando uma falta de entendimento do papel dos hormônios secretina e colecistoquinina, cujas funções e locais de

atuação estavam incorretos nas afirmações contidas nas alternativas “A” e “E”.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 76­84, set. 2008

79


PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Assinale a alternativa que contém as afirmações que representam as ETAPAS da síntese de proteínas, representada na figura

acima:

A) III, II, I, IV e V

B) I, IV, III, V e II

C) IV, III, II, I e V

D) I, IV, II, III e V.

E) II, III, IV, I e V

Comentário

78

A B C D E

28% 42% 13% 13% 4%

Índice de Dificuldade: 58%

A resolução desta questão exige do aluno uma observação detalhada da figura e o conhecimento das funções da cada uma das

organelas envolvidas no processo de síntese das proteínas. As funções dessas organelas estão expressas nas afirmativas, o

que é um facilitador para o aluno que conhece o assunto. Caberia ao candidato apenas selecionar esses conhecimentos na

seqüência correta para responder à questão. Esta questão avalia as habilidades de extrair dados de uma figura para usá­los em

sua resposta e também associar as funções de diferentes organelas em um processo biológico como a síntese de proteínas.

Como a questão foi considerada de dificuldade média pelos alunos, percebe­se ainda uma falha na habilidade de trabalhar com

dados contidos em uma linguagem que não a escrita, ou seja, ainda não é tranqüilo para o aluno trabalhar com informações

contidas em uma figura ou esquema.

Questão Nº 22

Os gráficos abaixo mostram o efeito do pH e da temperatura na atividade de uma enzima. Analise­os e, em seguida, verifique as

afirmações que se seguem:

Atividade

I) As condições ideais para o funcionamento desta enzima são pH 7 e temperatura 35ºC.

II) Abaixo do pH 7, o funcionamento da enzima é melhor.

III) Quanto menor a temperatura, melhor será a atividade enzimática.

IV) Em temperaturas acima de 35ºC, a enzima pode sofrer desnaturação.

V) Quanto maior forem o pH e a temperatura, maior será a atividade enzimática.

Estão CORRETAS as afirmações contidas em:

A) I e IV, apenas

B) IV e V, apenas

C) II e III, apenas

D) I, II e III, apenas

E) I, IV e V, apenas

Comentário

7

pH

Atividade

A B C D E

8% 32% 25% 22% 13%

Índice de Dificuldade: 68%

A análise de itens referentes a esta questão mostra um índice de dificuldade médio (52%) e um índice de discriminação bom

(0,46), pois entre os 27% classificados no grupo de desempenho superior, 73% assinalaram a alternativa correta.

A alternativa E foi a de maior freqüência depois da alternativa correta (alternativa “A”) e continha o erro de afirmar que “quanto maior

forem o pH e a temperatura, maior será a atividade enzimática”. Isso revela que esses candidatos não conseguiram fazer a leitura

completa do gráfico, que descreve uma parábola, mostrando que a atividade sobe com o aumento da temperatura até um

determinado ponto, mas em seguida começa a cair. Isso ocorre porque a temperatura e o pH apresentam um valor ideal, fora do

qual (abaixo ou acima) a atividade deixa de ser ideal.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 76­84, set. 2008

35

temperatura (ºC)

3ª Etapa

Questão Nº 01

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Quase toda a energia que aquece a Terra e as residências provém do Sol, sem nenhum custo para nós. Se não houvesse essa

energia solar inesgotável (capital solar), a temperatura média do planeta seria de ­240ºC (­400ºF) e a vida como a conhecemos

não existiria.

Essa injeção direta de energia solar produz diversas formas indiretas de energia solar renovável. Alguns exemplos são o vento, as

quedas d’água, a água corrente (hidreletricidade) e a biomassa (energia solar convertida em energia química e armazenada nas

ligações químicas dos compostos orgânicos nas árvores e em outras plantas).

Uma outra forma de energia são os biocombustiveis, fontes de energias renováveis, derivados de produtos agrícolas como a

cana­de­açúcar, plantas oleaginosas, biomassa florestal e outras fontes de matéria orgânica. Em alguns casos, os biocombustíveis

podem ser usados tanto isoladamente, como adicionados aos combustíveis convencionais. Como exemplos, podemos citar o

biodiesel, o etanol, o metanol, o metano e o carvão vegetal.

A energia comercial vendida no mercado compõe o 1% restante de energia que utilizamos para suplementar a entrada direta de

energia solar. A maior parte da energia comercial advém da extração e queima de recursos minerais não renováveis obtidos da

crosta terrestre, principalmente combustíveis fósseis que contêm carbono ¾ petróleo, gás natural e carvão.

Adaptado de JUNIOR, G. Tyler Miller. Ciência Ambiental. 11. ed. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

a) De acordo com o texto acima, o metano, metanol e etanol, entre outros, são classificados como biocombustíveis que podem

ser adicionados aos combustíveis convencionais, visando à diminuição do impacto ambiental através do efeito estufa. Assim

sendo, demonstre a fórmula estrutural para o metano, metanol e etanol e comente, de forma sucinta, como são produzidas

essas substâncias.

b) O biodiesel é um combustível biodegradável alternativo ao diesel de petróleo (biocombustível), obtido quimicamente a partir

de fontes renováveis de energia. Escreva como é obtido o biodiesel, suas matérias primas e formas de obtenção e, em

seguida, discuta sobre os benefícios do biodiesel comparado ao diesel para o meio ambiente.

Comentário

A questão explora as alternativas de combustíveis em relação à diminuição da disponibilidade de petróleo no mundo. É uma

questão que envolve conhecimentos de química, biologia e aspectos geográficos, uma vez que os biocombustíveis citados no

texto são, em alguns casos, regionalizados, como o biodiesel.

O item “a” da questão explora o reconhecimento, pelo aluno, da fórmula molecular e sua nomenclatura para o metano (gás gerado

em biodigestores), o metanol (álcool obtido da pela destilação da madeira ou por síntese orgânica) e o etanol (álcool obtido,

principalmente, pela fermentação dos açúcares da cana­de­açúcar) e as principais metodologias de obtenção dessas substâncias.

Considera­se a questão de nível médio de dificuldade, uma vez que as estruturas químicas são muito simples e, apenas na

metodologia de obtenção, o aluno poderia encontrar dificuldades. Na verdade não foi isso que aconteceu, pois aproximadamente

50,0% dos alunos erraram a questão de maneira integral ou não a responderam.

No entanto, foi observado que alguns alunos, em torno de 12%, responderam a questão com bastante clareza, demonstrando

bom conhecimento do assunto. Veja a amostra de uma avaliação a seguir:

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 23­28, set. 2008

27


28

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Já o item b da questão avalia conhecimentos específicos na obtenção de biodiesel. A questão explora desde as matérias­primas

e a forma de obtenção, como também as conseqüências do uso do biodiesel comparado ao diesel em termos de efeitos

ambientais.

Na análise das respostas escritas pelos alunos, pode­se perceber que não existe um conhecimento concreto sobre temas de

grande discussão, como o biodiesel. Alguns alunos, em torno de (25%), resolveram parcialmente a questão, demonstrando

pequeno conhecimento sobre o assunto, e, em alguns casos, havendo equívoco de resposta. Observe a resposta a seguir.

Na resposta acima, o aluno não tem a noção real do que é biodiesel, no entanto consegue perceber que é uma fonte alternativa

menos poluente quando comparada ao diesel. Acreditamos que assuntos de forte influência política e social devam ser trabalhados

e discutidos na sala de aula como uma forma de integrar conteúdos de diversas áreas de conhecimento.

Questão Nº 02

O homem é o sujeito da história e, para assegurar sua sobrevivência, ele transforma, continuamente, o mundo a seu redor,

utilizando­se dos diversos recursos que o cercam, como as inúmeras formas de energia. E convém ressaltar que a utilização das

formas de energia acarreta impactos positivos e negativos à vida humana.

No mundo contemporâneo, torna­se cada vez mais necessária a discussão para o aproveitamento das formas de energia, de

modo a proporcionar ao homem uma melhor qualidade de vida, sem agredir frontalmente o meio ambiente.

Escolha uma das formas de energia mencionadas e discuta, em um texto de até 10 linhas, os impactos ambientais, tanto no

âmbito da exploração como no de consumo, e os impactos econômicos e sociais que ela traz ao cotidiano do homem.

Comentário

Um dos princípios que norteiam a escola contemporânea é a interdisciplinaridade, entendendo que os alunos mobilizam diferentes

conhecimentos adquiridos ao longo de sua vida escolar, e, ao estabelecer relações com sua realidade/experiência, sua

aprendizagem é maior. A questão apresentada toca uma das temáticas mais recorrentes na mídia, o aproveitamento de formas

alternativas de energia. A expectativa da banca foi despertar a reflexão dos candidatos, não se restringindo aos aspectos ecológicos,

como também aos das relações sociais. O baixo desempenho, visto na pontuação auferida pela maioria dos candidatos, média

de 1 em 5,5 pontos, indica que os candidatos de Ensino Médio ainda consideram o conhecimento de modo compartimentado, e

não conseguiram estabelecer relações entre as diferentes dimensões de um objeto de estudo. A resposta à proposição deveria,

inicialmente, escolher uma forma de energia (energia elétrica, biocombustível, energia solar e outras) e apontar os benefícios

gerados (conforto e facilitação da vida cotidiana, transformação da realidade, aumento da produção de bens duráveis e não

duráveis), bem como os problemas decorrentes como os custos para geração de energia, o aproveitamento de recursos humanos

e naturais (devastação de áreas verdes, poluição, concentração de renda).

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Em seguida analise o quadro abaixo e as informações contidas nos itens 1 a 5:

Tecido Características Funções

Sustentação do

Tecido ósseo. a).........................

corpo e proteção

do sistema nervoso

central.

Tecido

cartilaginoso.

Matriz rígida,

avascular.

b)............................

Tecido Estrias

muscular

estriado

transversais,

muitos núcleos

c)............................

esquelético. periféricos.

Tecido epitelial. d)........................,

avascular.

Matriz

Tecido extracelular rica

conjuntivo. em fibras,

vascularizado.

1 – Matriz calcificada e avascular

2 – Preenchimento e transporte

3 – Contração voluntária

4 – Revestimento de superfícies ósseas

5 – Células justapostas

Revestimento de

superfícies.

e)............................

Assinale a alternativa que contenha os números correspondentes às informações que completam corretamente as lacunas do

quadro acima, na seqüência a,b,c,d,e:

A) 2, 5, 1, 4, 3

B) 5, 1, 3, 2, 4

C) 1, 4, 3, 5, 2

D) 4, 5, 3, 2, 1

E) 3, 4, 2, 1, 5

Comentário

A B C D E

17% 15% 15% 32% 21%

Índice de Dificuldade: 79%

Nesta questão o aluno deveria, inicialmente, analisar os dados da figura com base em seus conhecimentos sobre as características

básicas de cada um dos tecidos que compõem o nosso corpo. A seguir, ler as informações contidas no quadro e completar as

lacunas com os dados abaixo dele.

Apesar de todas as informações necessárias estarem expressas na própria questão, ainda tivemos um grande número de

alunos que não assinalaram a alternativa correta, demonstrando o desconhecimento das características básicas dos tecidos que

compõem o corpo humano. Como se trata de um conteúdo que compõe o currículo do Ensino Médio, podemos inferir que falta ao

aluno o conhecimento dessas características e a habilidade de identificar os diferentes tecidos a partir de uma imagem e transpor

esses dados para a resposta a ser dada.

Questão Nº 21

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 23­28, set. 2008 Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 76­84, set. 2008

77

Proteí­

nas

No nosso organismo, existem células com várias funções, como a de sintetizar proteínas

(anticorpos) sempre que necessário, por exemplo, quando o nosso corpo é invadido por

um antígeno (corpo estranho). Essas funções são realizadas em âmbito celular. Como

você sabe, a célula está composta por vários elementos, cada um realizando uma função

específica. Na figura acima, você vê alguns desses elementos celulares (organelas

celulares) envolvidos na síntese das proteínas. Nesse caso, a proteína sintetizada

(anticorpo) terá que ser lançada para fora da célula.

A seguir, você tem várias afirmativas corretas, que se referem aos acontecimentos

observados durante a síntese das proteínas. Leia­as com bastante atenção e compare­

as com a figura acima:

I) A informação genética fornecida pelo DNA da célula, localizado no seu núcleo, é

levada até ao retículo endoplasmático rugoso pelo RNAm (RNA mensageiro).

II) As vesículas de transporte que se desprendem do retículo endoplasmático rugoso

levam as moléculas de proteínas para serem formatadas e embaladas no complexo

de Golgi.

III) O complexo de Golgi é responsável pela função de acabamento e embalagem das

moléculas e recebe as proteínas sintetizadas no retículo endoplasmático rugoso.

IV) O retículo endoplasmático rugoso seleciona as moléculas necessárias à síntese

dos nucleotídeos que irão compor as moléculas de proteínas necessárias ao

organismo naquele momento.

V) As vesículas que se desprendem do Complexo de Golgi carregam as proteínas

formatadas até a membrana onde elas serão eliminadas para o meio externo.


1ª Etapa

Questão Nº 19

76

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Biologia

Logo após a fecundação, tem­se a célula­ovo ou zigoto, que inicia uma série de divisões sucessivas (clivagem ou segmentação),

que, dependendo do tipo de ovo, poderá ser holoblástica ou meroblástica. Na figura abaixo, você vê um ovo de galinha, que é do

tipo telolécito e cuja segmentação é meroblástica.

Essa célula­ovo (gema) é o mesmo que zigoto. Sobre o zigoto, é INCORRETO afirmar:

A) É uma célula diplóide, pois se formou pela junção de 23 cromossomos maternos e 23 cromossomos paternos.

B) A clivagem do zigoto de aves dá origem a macrômeros e micrômeros que formam a mórula.

C) Contém todas as informações necessárias para dar origem aos diferentes tipos de células que compõem o corpo do

animal.

D) O zigoto resulta da fusão de um único ovócito por um único espermatozóide.

A) Resulta sempre da fusão de duas células haplóides (gametas masculino e feminino).

Comentário

Tendo em vista a porcentagem de alunos que assinalaram alternativas diferentes da correta, ou seja: A (18%); C (14%); D (19%)

e E (17%), enquanto apenas 32% marcaram a alternativa certa, podemos inferir que falta a esses alunos conhecimentos básicos,

como os conceitos de zigoto, fecundação, célula haplóide e diplóide, macrômeros e micrômeros e diferentes tipos de clivagem

(segmentação), avaliados nas diferentes alternativas apresentadas. Esses conceitos fazem parte dos conteúdos sobre o

desenvolvimento embrionário de animais, inclusive a espécie humana (mamíferos), a serem trabalhados no Ensino Médio.

Diante do índice de dificuldade apresentado pelos alunos, que levou a questão a ser classificada como difícil, conclui­se que há

uma deficiência de conhecimentos básicos de fundamental importância no Ensino Médio.

Questão Nº 20

A B C D E

18% 32% 14% 19% 17%

Índice de Dificuldade: 68%

Na figura abaixo, vê­se uma articulação do tipo diartrose (articulação de grande movimento) do joelho de um macaco. Em

articulações desse tipo, encontram­se vários tipos de tecidos, a saber: tecido ósseo, tecido cartilaginoso, tecido muscular, tecido

epitelial e tecido conjuntivo. Analise a figura indicada a seguir:

www.artrologiamedvet.blogspot.com

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 76­84, set. 2008

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Área de Linguagens e Códigos

Língua Portuguesa

A prova de Português visa a avaliar a capacidade de ler, compreender e interpretar criticamente textos de gêneros diversos

­ literários e não literários ­, bem como a capacidade de mobilizar conhecimentos lingüísticos na produção de textos que atendam

aos requisitos de adequação, correção, coesão e coerência.

A leitura dos diversos gêneros textuais, além de ampliar a competência lingüística, aponta para o sujeito inúmeras

formas de participação social, pois capacita­o a compreender e produzir os diversos textos por meio dos quais as interações

verbais realizam­se em qualquer sociedade letrada. Assim, o indivíduo deverá ser capaz de proceder à análise crítica de textos em

diferentes níveis de compreensão e interpretação, para o que é imprescindível o conhecimento das diferentes tipologias textuais,

cujas especificidades envolvem diferentes gêneros, com funções diversas e de múltiplos domínios de conhecimento (textos

jornalísticos, literários, publicitários, práticos, religiosos, científicos, humorísticos, etc.), identificando os fatores de textualidade,

reconhecendo e analisando informações centrais e periféricas, inferindo significados, a partir da relação entre o explícito e o

implícito no texto, percebendo o uso dos mecanismos coesivos e lógico­argumentativos que garantem a organização do texto,

avaliando o efeito de sentido produzido pelos recursos lingüísticos utilizados pelo autor, tais como as escolhas lexicais e

sintáticas, a plurissignificação, a ironia e a intertextualidade, além de estabelecer relações de intertextualidade entre diferentes

textos, tecer relações entre eles e suas condições de produção e distinguir marcas de variantes lingüísticas, de modo a levá­lo a

uma postura crítica e reflexiva diante do mundo.

Nesse sentido, adotamos um conceito de estrutura segundo o qual essa palavra designa um conjunto de elementos

solidários entre si, ou de elementos cujas partes são funções umas das outras, de modo que cada um dos componentes se

articula com os demais e com a totalidade, de forma que não há independência de um em relação aos outros. Dessa forma, essa

visão de estrutura orienta a elaboração das questões de língua portuguesa do PIAS, as quais privilegiam a análise dos efeitos de

sentido e dessas relações entre as formas lingüísticas, em detrimento da memorização de nomenclaturas e classificações. Por

isso, as estruturas lingüísticas não são tratadas isolada nem linearmente, mas de forma a verificar se o indivíduo tem consciência

de como os mecanismos lingüísticos contribuem para a construção de sentidos do texto.

Vamos, então, comentar cada uma das questões das provas de 2007, começando pela da primeira etapa.

O texto a seguir foi selecionado para que, a partir dele, pudéssemos avaliar a experiência de leitura e o conhecimento do

funcionamento das estruturas lingüísticas.

Leia o texto para responder as questões de 1 a 4:

Tatuagens atrapalham início da vida profissional

Marcas ainda são malvistas em profissões mais conservadoras.

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

1ª Etapa

PAULANUNES

COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Para conseguir trabalhar em uma companhia aérea, a estudante Flávia Cristina Veloso dos Santos, 21, viu­se

obrigada a retirar sua única tatuagem.

“Eu a fiz há três anos e nunca pensei que ela me prejudicaria profissionalmente”, comenta. O desenho de uma

pequena borboleta na nuca causou­lhe problemas na primeira busca por um emprego no setor de eventos, como

promotora. “Nem todas as empresas aceitam pessoas tatuadas”, admite.

Ter desenhos no corpo e colocar piercings são iniciativas cada vez mais acessíveis. Existem estúdios de tatuagens

até mesmo em shopping centers.

Ainda assim, no mundo corporativo, ostentar tais adereços dificulta a carreira – sobretudo a de iniciantes –,

ressalta Fernanda Campos, sócia­diretora da Mariaca InterSearch.

”O candidato deve ficar atento ao perfil da profissão que quer seguir e das empresas em que gostaria de

ingressar antes de fazer uma tatuagem em um lugar visível”, explica Campos.

Nuca, pescoço, pulsos e tornozelos são os locais que mais chamam a atenção dos contratantes. Marcas nesses

locais, portanto, podem criar dificuldades para o candidato conseguir a tão almejada vaga.

Mentir sobre ter tatuagens ou piercings também está fora de cogitação. “Denota falta de ética”, decreta Campos.

Algumas profissões, como a de comissária de bordo, sonho da estudante Flávia Santos, não admitem pessoas

com desenhos em locais visíveis.

“Ter uma tatuagem em um local que não aparece no uniforme já não é bem­visto pelas empresas; já em uma

parte visível do corpo praticamente anula as chances de a pessoa ser contratada”, enfatiza o coordenador do Ceab

(Centro Educacional de Aviação do Brasil), Ricardo Augusto Marques.

Aos que desejam seguir carreira no funcionalismo público, especialmente os profissionais do setor jurídico, o

juiz federal William Douglas, autor do livro “Como Passar em Provas e Concursos” (ed. Campus/Elsevier), é categórico:

“Tatuagens não devem ser feitas e, se existirem, devem ser retiradas”. “Elas já apresentam hoje melhor aceitação

popular, mas as bancas avaliadoras ainda são compostas de antigos profissionais, que não as vêem com bons olhos”,

observa Douglas. Ramon Mateo Jr., 48, juiz de uma vara cível de Santos e magistrado há 18 anos, foi contra essa

indicação e recentemente fez uma tatuagem no braço.

Como trabalha de terno, poucos colegas sabem da novidade. Mas Mateo admite que, se ele tivesse esse

desenho no corpo quando prestou concurso, talvez não tivesse conquistado a posição que ocupa hoje. “Não existe regra

que impeça o candidato de ter tatuagem. Mas ainda há certo nível de preconceito”, argumenta.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 29­39, set. 2008

(Folha de São Paulo, domingo, 16 de setembro de 2007)

29


Questão Nº 01

Do texto, pode­se inferir que:

30

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A) Nenhuma empresa contrata pessoas com tatuagens nas partes visíveis do corpo.

B) Apenas os iniciantes têm problemas para serem contratados, se forem tatuados.

C) Para se conseguir a vaga almejada, pode­se mentir sobreter tatuagens ou piercings.

D) Segundo a legislação, o serviço público não pode contratar pessoas tatuadas.

E) A tatuagem pode impedir que uma pessoa seja contratada, tanto por empresas do setor privado como público.

Comentário

A B C D E

4% 4% 1% 3% 88%

Índice de Dificuldade: 12%

Trata­se de uma questão que procura verificar se o candidato é capaz de fazer uma leitura proficiente, inferindo significados, a

partir da relação entre os implícitos e explícitos do texto. Exige reflexão e análise, possibilitando que o candidato demonstre sua

habilidade de compreender um texto. Os resultados apontam um índice de dificuldade muito baixo 12%, ou seja, os candidatos

acharam a questão muito fácil. Acreditamos que esse deve ser o motivo pelo qual esse item teve um índice de discriminação tão

baixo, tanto a maioria dos alunos que tiveram os melhores resultados quanto daqueles cujo desempenho ficou abaixo da média,

souberam responder a questão. Desse fato, pode­se depreender que a grande parte dos candidatos já desenvolveram a habili­

dade de inferir significados, a partir da relação entre o explícito e o implícito, num texto ou que a alternativa correta estava muito

evidente. Pensamos que esse tipo de exercício deve estar sendo contemplado na metodologia cotidiana do ensino da leitura, do

professor de língua materna, num trabalho contínuo e sistemático com os alunos, a partir de atividades que possibilitem essa

aprendizagem.

Questão Nº 02

Assinale a ÚNICA alternativa em que o referente do elemento em destaque está corretamente indicado entre parênteses:

A) “Para conseguir trabalhar em uma companhia aérea, a estudante Flávia Cristina Veloso dos Santos, 21, viu­se obrigada a

retirar sua única tatuagem”. ( linha 02) ( companhia aérea)

B) “Eu a fiz há três anos e nunca pensei que ela me prejudicaria profissionalmente.” (linha 03) ( Flávia)

C) “O desenho de uma pequena borboleta na nuca causou­lhe problemas na primeira busca por um emprego no setor de

eventos, como promotora.” (linha 03) (desenho)

D) “Ainda assim, no mundo corporativo, ostentar tais adereços dificulta a carreira – sobretudo a de iniciantes –, ressalta Fernanda

Campos, sócia­diretora da Mariaca InterSearch.” (linha 8 ) (carreira)

E) “Tatuagens não devem ser feitas e, se existirem, devem ser retiradas”. “Elas já apresentam hoje melhor aceitação popular,

mas as bancas avaliadoras ainda são compostas de antigos profissionais, que não as vêem com bons olhos ...” (linha

22 ) (bancas avaliadoras)

A B C D E

Comentário

6% 9% 5% 77% 3%

Índice de Dificuldade: 23%

Essa questão solicita ao candidato que perceba como os mecanismos de coesão referencial garantem a organização do texto e

que efeito de sentido esses mecanismos produzem ao serem empregados. Exige­se do candidato uma volta ao texto para uma

leitura atenta, a fim de identificar os referentes dos termos “sua”, “ela”, “lhe”, “a” e “Elas”, destacadas nos fragmentos selecionados

para a questão, os quais conectam informações novas a informações já mencionadas. O índice de dificuldade de 23% revela que

a questão foi considerada fácil, pois dentre os 27% dos candidatos que ficaram acima da média, 97% optaram pela alternativa

correta e dentre os que ficaram na média, 85% acertaram na escolha da alternativa. Mas essa porcentagem diminui, em relação

ao desempenho dos que obtiveram resultados abaixo da média. Isso demonstra que o índice de discriminação foi bom, como

aponta a taxa de 0,53.

Essa é uma habilidade que constitui a competência da leitura e que, portanto, o seu desenvolvimento deve constar do planejamento dos

professores de português, não apenas no ensino médio, mas em toda a educação básica, com propostas de atividades interessantes e que

exijam dos alunos um diálogo com os textos, na busca pela compreensão.

Questão Nº 03

Observe o trecho a seguir.

“Não existe regra que impeça o candidato de ter tatuagem. Mas ainda há certo nível de preconceito.”

Esse trecho só NÃO pode ser reescrito, pois alteraria o sentido, por:

A) Não existe regra que impeça o candidato de ter tatuagem, entretanto ainda há certo nível de preconceito.

B) Como não existe regra que impeça o candidato de ter tatuagem, ainda há certo nível de preconceito.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 29­39, set. 2008

O enunciado a seguir refere­se às questões 24 e 25:

Um chuveiro tem especificação técnica dada na tabela abaixo:

Tensão (Volts): 127V (alternada)

Potência Nominal Watts: 4.800W

Potência Econômica Watts: 3.000W

Seção Mínima do condutor (mm²): 10,0

Disjuntor ou Fusível (Ampères): 40A

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Considere que a potência nominal é a máxima fornecida, quando a chave está na posição “morno” ou “verão”, e a potência

econômica é fornecida quando a chave está na posição “quente” ou “inverno”. Quando se muda a chave de posição visando alterar

a temperatura da água, altera­se a intensidade da corrente elétrica pela variação no comprimento, e, conseqüentemente, no valor

da resistência elétrica fornecida pelo condutor.

Questão Nº 24

A corrente elétrica que passa pelo chuveiro entre as posições “morno” e “quente” assume valores de, aproximadamente:

A) 10 A e 40 A

B) 24 A e 38 A

C) 1 , 7 A e 15 A

D) 3 A e 4 , 8 A

E) 30 A e 50 A

Comentário

Esta questão foi anulada devido a um equívoco cometido no enunciado, que trocou a localização dos termos “morno”, que se

referia à potência econômica, e “quente”, referente à potência nominal.

Caso esses termos estivessem corretos no enunciado da questão, as potências fornecidas pelo chuveiro nas posições verão e

inverno seriam, respectivamente, 3000 W e 4800 W, resultando em correntes elétricas de valor aproximadamente igual a 24 A e 38

A, e a alternativa B seria a resposta correta da questão.

Questão Nº 25

Segundo os dados técnicos, a redução no valor da resistência elétrica entre as posições “quente” e “morno” para esse chuveiro

foi de:

A) 10 %

B) 25 %

C) 75 %

D) 90 %

E) 63 %

Comentário

A B C D E

13% 36% 20% 6% 25%

Índice de Dificuldade: 75%

Apesar de o texto utilizado para as questões 24 e 25 ter trocado a posição de dois termos, como já foi descrito no comentário da

questão anterior, a banca entendeu que não haveria necessidade de se anular a questão 25, uma vez que esta poderia ser

respondida através de uma simples relação entre os valores das potências indicadas para as posições inverno e verão.

Assim, a relação entre as potências econômica e nominal resulta num valor de 0,625, ou seja, uma redução de cerca de 63% do

valor, o que representaria a redução no valor da resistência elétrica, uma vez que a alimentação do chuveiro seria sempre realizada

sob a mesma tensão elétrica.

A questão apresentou um índice de dificuldade de 75%, o que a classifica como difícil e mostra que apenas 25% dos candidatos

acertaram­na. Este resultado não era esperado pela banca, que durante a elaboração havia classificado a questão como de nível

fácil.

A banca sugere aos professores que seja dada uma atenção aos exercícios que envolvam comparação entre os

valores de uma grandeza física em duas situações distintas, principalmente naqueles exercícios que envolvam

uma comparação de valores em percentual, nos quais geralmente os alunos apresentam grandes dificuldades.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 69­75, set. 2008

75


3ª Etapa

Questão Nº 22

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A formação da imagem nos tubos de TV é feita com base em princípios físicos. Um canhão eletrônico, localizado no fundo do tubo,

emite um feixe de elétrons que, ao passarem por um conjunto de bobinas, sofrem uma deflexão (desvio na trajetória). O campo

magnético formado pelas bobinas muda periodicamente de sentido e, conforme cada desvio diferente na trajetória do elétron,

muda no ponto em que esse elétron atinge a frente do tubo, formando a imagem que você vê na televisão. Observe o esquema na

figura abaixo:

74

Fonte: MÁXIMO, Antônio. ALAVARENGA, Beatriz. Curso

de Física. v 3. 5 ed. São Paulo: Scipione, 2000.

Sobre os fundamentos físicos presentes nesse processo de formação da imagem, é correto afirmar que:

A) A necessidade de existência de um campo magnético para desviar o elétron se deve ao fato de os elétrons não estarem

sujeito à ação de um campo elétrico.

B) A mudança no sentido do campo magnético produzido pelas bobinas está relacionada a uma inversão no sentido da corrente

elétrica que percorre a bobina.

C) Para promover um desvio na trajetória do movimento, a força magnética que atua sobre o elétron produz uma alteração na

energia cinética do movimento dele.

D) O valor da força magnética que atua sobre os elétrons é inversamente proporcional à intensidade do campo magnético

produzido pelas bobinas.

E) Para que os elétrons sofram a deflexão, a força magnética que atua sobre eles deve ter uma componente paralela à velocidade

do elétron.

Comentário

A B C D E

8% 32% 25% 22% 13%

Índice de Dificuldade: 68%

Buscando a contextualização, a questão aborda, a partir de um exemplo do cotidiano, os fenômenos magnéticos envolvidos na

formação de imagens em uma televisão. A questão foi considerada difícil, sendo que 68% dos candidatos a erraram.

Na análise estatística, dentre as demais alternativas assinaladas pelos candidatos, destacamos a alternativa (C) escolhida por

cerca de 25% dos candidatos. Ao considerar essa alternativa como correta, o erro cometido pelo candidato está relacionado a uma

não diferenciação entre grandezas vetoriais, no caso a velocidade do elétron, e grandezas escalares, como a energia cinética do

movimento desse mesmo elétron.

Exercitar a diferenciação entre grandezas vetoriais e grandezas escalares em diversas aplicações físicas, é importante

para a aprendizagem do assunto.

Questão Nº 23

Considere um corpo condutor que esteja eletricamente carregado com um excesso de 5.10 13 elétrons. Esse corpo então é ligado

à terra através de um fio e, após um intervalo de tempo de 2.10 ­4 segundos, está eletricamente neutro. Se considerarmos

constante a corrente elétrica que percorreu o fio durante o processo de descarga, o valor dessa corrente é:

A) 5,0 mA B) 0,65 mA C) 3,0 mA D) 0,2 mA E) 1,3 mA

Comentário

A questão envolve conceitos de eletrostática e eletrodinâmica, considerada fácil pela banca, porém, por um erro de edição, a

resposta correta não foi colocada entre as alternativas. Assim, a questão foi anulada. No seu desenvolvimento, correto, o cálculo

8 µ C

da carga elétrica do corpo condutor seria igual a , e a corrente elétrica, igual a .

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 69­75, set. 2008

0 , 4 mA

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

C) Mesmo que não exista regra que impeça o candidato de ter tatuagem, ainda há certo nível de preconceito.

D) Apesar de não existir regra que impeça o candidato de ter tatuagem, ainda há certo nível de preconceito.

E) Embora não exista regra que impeça o candidato de ter tatuagem, ainda há certo nível de preconceito.

Comentário

A B C D E

14% 52% 19% 7% 8%

Índice de Dificuldade: 48%

As habilidades de perceber de que forma são usados os mecanismos lógico­argumentativos que garantem a organização do

texto e de inferir as relações que eles estabelecem, nos enunciados em que são empregados, estão contempladas nesta

questão. O candidato foi solicitado a interpretar qual a relação de sentido que o conectivo mas estabelece, no contexto em que foi

utilizado. Além disso, exigia do candidato que ele fosse capaz de reconstruir o enunciado, empregando outros conectivos de modo

a manter a mesma relação semântica. Os índices obtidos apontam que a questão, embora tenha sido considerada de facilidade

média 48%, discriminou bem, uma vez que a maioria dos 27% dos candidatos que tiveram desempenho acima da média ( 85%)

optou pela resposta correta; dentre os 46% que ficaram com o desempenho na média, 48% acertaram na escolha da alternativa

correta, enquanto que no grupo dos que obtiveram os resultados abaixo da média apenas 23% acertaram.

O emprego e a função desse e dos demais elementos de coesão, referentes ao mecanismo da conjunção,

precisam ser ensinados na escola. Desse conhecimento depende, em grande parte, o desenvolvimento da habilidade

de escolher adequadamente os itens lingüísticos que reforçam a argumentação, na construção de um texto dissertativo­

argumentativo.

Questão Nº 04

Observe a palavra contratantes, no trecho “Nuca, pescoço, pulsos e tornozelos são os locais que mais chamam a atenção dos

contratantes.” Nessa palavra, formada pelo processo de derivação sufixal, o sufixo –ante atribui ao verbo contratar a noção de

agente, transformando a palavra em substantivo que significa “aquelas que contratam”. Assinale a alternativa em cuja palavra o

sufixo –ante não significa aquele que age:

A) Protestante B) Tolerante C) Estudante D) Navegante E) Elegante

Comentário

A B C D E

5% 11% 6% 5% 73%

Índice de Dificuldade: 27%

Nessa questão, leva­se o candidato a refletir sobre a função do sufixo –ante ao ser empregado com o radical contrat­, ou seja,

atribuindo ao verbo contratar a noção de agente. Cobra­se que ele seja capaz de analisar outras formas lingüísticas, a partir da

noção de estrutura como “estruturante do significado”, demonstrando sua capacidade de reconstrução dos sentidos de cada uma

delas, em relação à função desse sufixo, de modo a ser capaz de perceber em qual delas a estrutura –ante não significa o mesmo

que em contratante. Pelo índice de dificuldade do item, observa­se claramente que muitos dos estudantes já desenvolveram

essa habilidade. Entretanto, conforme apontam os indicadores da quantidade de candidatos que escolheram a alternativa certa,

a maioria dos alunos que acertaram a questão está entre aqueles cujo desempenho ficou acima da média, com uma taxa de 94%

do total; dentre aqueles cujo desempenho está dentro da média, 77% da totalidade acertaram; e, dentre os que tiveram seu

desempenho abaixo da média, essa taxa diminui para 46%.

Conforme mencionamos na análise da questão anterior, pensamos que itens como esse precisam integrar a metodologia

cotidiana do ensino de língua materna, propondo exercícios que obriguem os estudantes a esse tipo de análise dos

elementos da estrutura morfológica da língua portuguesa e não apenas a memorizar o nome do morfema e/ou do

processo de formação de palavras do qual ele faz parte, com vistas a levá­los a uma consciência de como os mecanismos

lingüísticos contribuem para a construção de sentidos e a perceberem que as palavras e as construções lingüísticas,

em geral, constituem portas para o acesso à construção do conhecimento e da comunicação.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 29­39, set. 2008

31


Questão Nº 05

Leia atentamente a tirinha a seguir.

32

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

( Extraído de QUINO. O Mundo de Mafalda. Martins Fontes, 1999)

Desde quando era estudante, Von Braun dedicou­se às experiências com foguetes e, a partir de 1932, desenvolveu modelos com

combustível líquido para o exército. Durante o regime de Adolf Hitler, tornou­se figura­chave no programa de rearmamento da

Alemanha, concentrando­se na concepção de foguetes de combustível líquido e sólido. Com base nessa informação e na leitura

da tirinha, pode­se inferir que:

A) O personagem Manolito não é bom em matemática.

B) Para Manolito, a atividade proposta pela professora não foi produtiva.

C) Manolito encontrou muita dificuldade no conteúdo da aula daquele dia.

D) Manolito sentiu­se muito inteligente, por ter conseguido fazer a atividade proposta.

E) Manolito é excelente em cálculos, pois resolveu tudo rapidamente.

Comentário

Essa questão exige do candidato uma observação atenta no momento da leitura, a fim de refletir sobre a opinião do personagem

que está implícita no texto. Pede­se, então, que o candidato, a partir de uma leitura proficiente seja capaz de inferir significados,

através do explícito e do implícito no texto, demonstrando capacidade de reconstrução dos efeitos de sentido produzidos. Pelos

resultados obtidos pode­se dizer que a pergunta foi considerada fácil 39% de erros, porém com um ótimo índice de discriminação

(0,47). Isso demonstra que a maioria dos acertos pertencem aos que obtiveram as melhores notas. Assim, dentre os 27% dos

candidatos que ficaram acima da média,82% assinalaram a resposta correta; dentre os 46% que ficaram na média, 64% também

acertaram na escolha da alternativa certa; entretanto, apenas 35% dos 27% cujo desempenho ficou abaixo da média acertaram

a questão.

O desenvolvimento da habilidade exigida nessa questão, requer um trabalho contínuo e sistemático de leitura e

compreensão desses gêneros textuais no dia­a­dia da sala de aula.

Questão Nº 06

A B C D E

8% 61% 13% 16% 2%

Índice de Dificuldade: 39%

Ainda a respeito da tirinha, observe a forma “TOOOOOOODOS”, no terceiro quadrinho. O emprego dessa forma:

A) revela que o personagem adorou a atividade.

B) demonstra que Manolito ficou entediado, ao fazer as atividades.

C) aponta que os alunos participaram entusiasmados das atividades.

D) mostra que a sala toda aprendeu o conteúdo proposto.

E) indica que nenhum dos alunos deixou de realizar os exercícios.

Comentário

A B C D E

1% 32% 2% 5% 60%

Índice de Dificuldade: 68%

As habilidades de perceber de que forma são usados os elementos do idioma e de avaliar os efeitos de sentido que eles

produzem, nos enunciados em que são empregados, estão contempladas nesta questão. O candidato foi solicitado a

descobrir qual o efeito de sentido produzido pelo emprego da forma linguística “TOOOOOOODOS”, no terceiro quadrinho.

Para tal, ele precisa saber que o significado das palavras não está de antemão pronto, mas que são construídos nas

sequências lingüísticas que constituem o contexto em que foram utilizadas. Como o índice de dificuldade foi de 68%,

constata­se que a questão foi considerada difícil. A questão não discriminou bem, apesar de o número de candidatos que

escolheram a resposta certa ter sido bem menor, dentre os que obtiveram as notas mais baixas.

Insistimos em afirmar que esse gênero de texto precisar ser mais trabalhado nas aulas de língua portuguesa, para

possibilitar aos alunos a construção de conhecimento não apenas sobre a sua constituição linguística, mas também a

respeito de sua função social.

Questão Nº 21

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A leitura e interpretação são de fundamental importância para a compreensão de fenômenos das ciências naturais,

como física e química. Percebe­se ainda que a eficácia da aprendizagem aumenta à medida que conseguimos

analisar situações problema de mais fácil identificação para o aluno, e que o professor tem uma fonte riquíssima de

informações para o enriquecimento de suas aulas nas reportagens veiculadas pela mídia, e ainda filmes que abordam

essa temática.

Um objeto linear encontra­se a 4,0 cm de distância do vértice de um espelho esférico côncavo de raio de curvatura 24 cm. Com

relação à imagem fornecida por esse espelho para esse objeto, é correto afirmar que:

A) Tem tamanho igual ao do objeto.

B) Tem o dobro do tamanho do objeto.

2

3

C) Tem do tamanho do objeto.

D) Tem tamanho igual a 1,5 vez o tamanho do objeto.

E) Tem a metade do tamanho do objeto.

Comentário

A B C D E

18% 27% 21% 18% 16%

Índice de Dificuldade: 82%

A situação proposta pela questão apresenta um objeto colocado à frente de um espelho esférico, e solicita que o aluno analise a

variação que ocorre na imagem fornecida pelo espelho para o objeto, em relação ao tamanho do objeto.

De acordo com a análise estatística, a questão foi classificada como difícil, com cerca de 18% de acerto. A distribuição dos

candidatos entre os itens errados não permitiu à banca identificar algum possível erro cometido por eles no equacionamento da

questão, que levasse à concentração das respostas em um determinado item.

Porém, devido ao alto índice de erros na questão, a banca identifica grandes dificuldades encontradas pelos alunos no

equacionamento de uma situação­problema, na análise conceitual dos dados numéricos fornecidos, como a relação entre o raio

de curvatura, fornecido no enunciado da questão, e a distância focal necessária ao equacionamento do problema.

A leitura e interpretação são de fundamental importância para a compreensão de problemas das ciências naturais, como

física e química. Aliados a essa leitura, estão os conceitos envolvidos nos exercícios e o equacionamento matemático que

permite a análise quantitativa da situação­problema. A memorização das expressões matemáticas utilizadas nestas

ciências ocorre mais facilmente à medida que melhor se compreendem os conceitos envolvidos, e, ainda, com a realização

de exercícios de aplicação dessas fórmulas.

Questão Nº 22

Conhecendo­se o calor específico de fusão do gelo, 80 cal/g, e o calor específico da água, 1,0 cal/g· o C, é possível afirmar que,

fornecendo­se uma quantidade de calor 10.000 cal a uma amostra de 100 g de gelo, inicialmente a 0 o C, obtêm­se:

A) 80 g de água líquida e 20 g de gelo, ambos na temperatura de o C.

B) 100 g de água na temperatura de 20 o C.

C) 90 g de gelo a 0 o C e 10 g de água na temperatura 5 o C.

D) 100 g de água líquida na temperatura 2 o C.

E) 30 g de gelo a 0 o C e 70 g de água na temperatura 5 o C.

Comentário

A B C D E

23% 32% 17% 18% 10%

Índice de Dificuldade: 68%

A questão envolve uma mudança de estado físico da água. A análise quantitativa da questão necessita de cálculos que, no

entendimento da banca, são relativamente simples e necessitam de um equacionamento que pode ser construído pela análise

das grandezas físicas envolvidas. Apesar de as grandezas envolvidas no exercício não se apresentarem no sistema internacional,

estão descritas numa forma comumente utilizada no ensino médio.

A banca esperava um índice de dificuldade médio para a questão. No entanto, a análise estatística mostrou que, para os candidatos,

a questão apresentou­se como difícil, com 32% de acerto.

No entendimento da banca, a estatística das questões também mostrou uma dificuldade dos alunos em entender o processo de

mudança de fase, uma vez que 27% dos candidatos se dividiram entre os itens C e E, que apresentam uma situação de um

suposto equilíbrio entre duas fases da água em temperaturas diferentes.

O processo de transformação de fase, ainda que possa ser analisado quantitativamente, deve ser primeiramente

entendido qualitativamente a partir dos conceitos físicos envolvidos. A banca sugere aos professores que sejam

destacadas, nesse tipo de exercício, as diferenças entre calor latente e calor sensível, e suas relações com a mudança

de estado de agregação e variação da temperatura da substância.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 29­39, set. 2008 Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 69­75, set. 2008

73


PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

alunos em identificar a velocidade vetorial constante do ônibus, como uma conseqüência de uma força resultante nula sobre ele.

Dessa forma, a banca entende que os candidatos consideraram correto o item I) por relacionarem diretamente o termo velocidade

ao movimento, porém não atentaram à relatividade do movimento, que permitiria identificar que o ônibus estava se movendo

somente em relação a um referencial externo, o que não seria possível devido às cortinas fechadas.

Ainda que, na maioria dos exercícios de cinemática, o movimento dos corpos seja evidenciado apenas pela existência de

uma velocidade, não se destacando em relação a qual referencial essa velocidade está sendo medida, é de extrema

importância que os alunos identifiquem a relatividade do movimento dos corpos, uma vez que somente se tem a

percepção de que um corpo está em movimento quando ele muda de posição em relação a um referencial.

2ª Etapa

Questão Nº 19

O violão possui 6 cordas, sendo que cada uma possui um diâmetro diferente e é capaz de produzir notas musicais a partir de suas

vibrações. Na afinação do instrumento, regula­se a tensão nas cordas a partir de pinos que ficam na cabeça do violão, na

extremidade do braço, e, com isso alteram­se as características do som emitido.

Assinale a alternativa CORRETA:

A) Se o som produzido pela corda for mais baixo do que o desejado, é preciso diminuir a tensão na corda, fazendo com que o som

fique mais agudo.

B) Se o som produzido pela corda for mais alto do que o desejado, é preciso aumentar a tensão na corda, fazendo com que o som

fique mais grave.

C) Se o som produzido pela corda for mais alto do que o desejado, é preciso diminuir a tensão na corda, fazendo com que o som

fique mais agudo.

D) Se o som produzido pela corda for mais baixo do que o desejado, é preciso aumentar a tensão na corda, fazendo com que o

som fique mais agudo.

E) Se o som produzido pela corda for mais baixo do que o desejado, é preciso aumentar a tensão na corda, fazendo com que o

som fique mais grave.

Comentário

72

A B C D E

8% 9% 16% 44% 23%

Índice de Dificuldade: 56%

A questão propõe, através do conteúdo de fenômenos ondulatórios, a compreensão física da afinação de um instrumento musical

de corda, no caso, o violão. A questão foi considerada de índice de dificuldade médio, o que foi confirmado, pois cerca de 45% dos

candidatos a acertaram.

Analisando outras respostas dadas pelos alunos, cerca de 15% assinalaram a alternativa (C), e aproximadamente 23%, a

alternativa (E), o que demonstra uma dificuldade de interpretação das alternativas.

Questão Nº 20

O efeito estufa é o fenômeno natural pelo qual a energia emitida pelo Sol – em forma de luz e radiação – é _________ pela

superfície e pela atmosfera terrestres, __________ a temperatura do planeta. _____________ para a existência de diversas

espécies biológicas, o efeito estufa acontece principalmente pela ação de dióxido de carbono, CFCs, metano, óxido nitroso e

vapor de água, que formam uma barreira ___________ a dissipação da energia solar. A maioria dos cientistas climáticos crê que

um aumento na quantidade desses gases provoca uma elevação da temperatura da Terra.

(Revista Veja, junho de 2007)

A alternativa que contém a seqüência que completa corretamente as lacunas no texto acima é:

A) absorvida – aumentando – Fundamental – que impede

B) refletida – aumentando – Prejudicial – que impede

C) absorvida – diminuindo – Fundamental – que intensifica

D) refletida – diminuindo – Fundamental – que intensifica

E) absorvida – diminuindo – Prejudicial – que impede

Comentário

A B C D E

40% 47% 5% 3% 5%

Índice de Dificuldade: 60%

A questão aborda uma temática bastante atual, que é a formação do efeito estufa, determinante do aquecimento global, a partir da

reportagem de uma revista de circulação nacional. A banca esperava um índice de dificuldade considerado fácil para a questão, o

que não se confirmou, pois, pela análise estatística, cerca de 40% dos candidatos acertaram­na.

Ainda relativo à estatística das questões, ressalta­se que 47% dos candidatos marcaram a alternativa (B), o que leva a banca a

avaliar que há um desconhecimento com relação ao fenômeno físico envolvido na formação do efeito estufa, e, ainda, que, talvez

numa interpretação equivocada das informações veiculadas pela imprensa sobre o aquecimento global, comece­se a formar

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 69­75, set. 2008

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

No mês de abril/2007 a revista Veja publicou uma reportagem especial sobre o Aquecimento Global. Leia o fragmento abaixo,

retirado dessa reportagem, para responder às questões de 1 a 5.

Onde o desastre já começou

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

2ª Etapa

Questão Nº 01

(...)Os glaciares são rios de gelo que escorrem lentamente e perdem massa aos poucos.Uma geleira estável não

diminui de tamanho porque suas perdas são compensadas pela queda de neve. Nestes tempos de desequilíbrio

climático, contudo, praticamente todos os glaciares do planeta estão escorrendo mais rápido e perdendo volume. A

velocidade do Helheim, na Groenlândia, saltou de 20 metros por dia em 2001 para os atuais 33 metros. Nesse curto

período, a espessura da geleira perdeu 40 metros. “Quanto mais o glaciar afina, mais rápido ele tende a se movimentar

e a perder gelo”, diz o glaciologista americano Jack Kohler, do Instituto Polar Norueguês, em Tromsø.

Os pesquisadores estão atrás de um modelo matemático capaz de prever a quantidade de gelo que a

Groenlândia perderá nas próximas décadas. Disso depende não só o nível dos oceanos como também o equilíbrio

climático do planeta. Se o ritmo do derretimento aumentar, o enorme reservatório de água doce da Groenlândia pode

diluir a salinidade do mar. O resultado seria o enfraquecimento da corrente marítima do Golfo, cujo calor mantém

amena a temperatura na Europa Ocidental. Não seria apenas um pesadelo para os europeus, mas um rompimento

brutal do clima da Terra. Seria possível encontrar icebergs no litoral inglês, e a Alemanha teria um inverno tão rigoroso

quanto o que atualmente ocorre no Canadá.

Não menos catastrófica é a perspectiva do derretimento do solo congelado que cobre 20% da superfície

terrestre e chega a mais de 1 500 metros de profundidade na Sibéria. O permafrost armazena mais gás carbônico que

todas as florestas temperadas e tropicais do mundo juntas. Quando se derrete, o solo do Ártico libera parte desse gás

do efeito estufa, contribuindo para piorar o aquecimento global. A hidróloga alemã Julia Boike, do Instituto Alfred Wegener

para Pesquisa Polar e Marinha, na Alemanha, faz medições periódicas de temperatura no permafrost do Alasca, de

Svalbard e da Sibéria e está habituada com os sinais do derretimento do solo. “Há casas na Sibéria que estão

desmoronando porque o chão simplesmente descongelou e afundou”, diz Boike. Dela se ouve uma confissão alarmante:

“Há tantas transformações ocorrendo ao mesmo tempo no Ártico que nós, cientistas, mal temos tempo de registrar e

estudar”.(...)

Revista VEJA ­ 11/04/07

Todas as alternativas abaixo podem ser comprovadas pelo texto, EXCETO:

A) O Helheim – rio de gelo denominado glaciar – perdeu espessura da geleira em curto período de tempo.

B) Todos os glaciares do planeta estão escorrendo mais rápido, mas não diminuem o volume porque suas perdas são

compensadas pela queda de neve.

C) Com o derretimento das geleiras, a Europa Ocidental corre o risco de ter sua temperatura amena transformada em invernos

rigorosos.

D) A piora do aquecimento global deve­se, também, à liberação de gases quando o solo do Ártico sofre derretimentos.

E) O equilíbrio climático do planeta dependerá da quantidade de gelo que a Groenlândia perderá nas próximas décadas.

Comentário

A B C D E

6% 62% 8% 7% 17%

Índice de Dificuldade: 38%

Essa questão requer do candidato a capacidade de observação e atenção no momento da leitura, a fim de refletir sobre as idéias

essenciais contidas no texto. Exige­se, então, que, a partir dessa leitura proficiente, ele seja capaz de inferir significados, observando

o contexto imediato e o contexto de situação do texto, bem como os dados explícitos e implícitos, para, assim, demonstrar

condições para reconstruir os sentidos por meio dos dados apresentados pelo autor. Pelos resultados obtidos, como o índice de

dificuldade é de 38%, pode­se dizer que a pergunta foi considerada fácil, pois, dos 25% dos candidatos que ficaram acima da

média, 84% assinalaram a resposta correta; e, dentre os 25% que ficaram na média, 62% também acertaram na escolha da

alternativa correta. Quanto ao índice de discriminação – 0,47 – foi bom.

Fica claro, então, que, para o desenvolvimento da habilidade exigida nessa questão, os professores do Ensino Fundamental

e do Ensino Médio devem desenvolver um trabalho contínuo e sistemático de leitura e compreensão de textos no dia­a­dia

da sala de aula.

Questão Nº 02

Em todas as alternativas abaixo há, entre as orações, uma relação semântica de comparação, EXCETO em:

A) “...a Alemanha teria um inverno tão rigoroso quanto o que atualmente ocorre no Canadá”. ( linha 12)

B) “Não menos catastrófica é a perspectiva do derretimento do solo congelado que cobre 20% da superfície terrestre...” ( linha

14)

C) “O permafrost armazena mais gás carbônico que todas as florestas temperadas e tropicais do mundo juntas.” ( linha 15)

D) “Quanto mais o glaciar afina, mais rápido ele tende a se movimentar e a perder gelo...” ( linha 05)

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 29­39, set. 2008

33


Comentário

34

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A B C D E

8% 29% 8% 19% 36%

Índice de Dificuldade: 81%

Estão contempladas, nesta questão, as habilidades de perceber de que forma são usados os mecanismos lógico­semânticos

que garantem a organização do texto e de inferir as relações de sentido que eles estabelecem, nos enunciados em que são

empregados. O candidato foi solicitado a reconhecer em que alternativa estaria o enunciado no qual não haveria uma relação

lógico­semântica de comparação. A questão foi considerada difícil (81% de erros), porque na relação lógico semântica de

temporalidade, com tempo contínuo ou progressivo (proporcionalidade, em termos da gramática normativa), há também a presença

de dois termos ou de dois aspectos do mesmo termo, como na relação de comparação, dando a impressão de que se comparam

esses dois termos ou aspectos. Além disso, a análise das respostas dos candidatos revela que a questão não discriminou, uma

vez que apenas cerca de 19% dos candidatos optaram pela resposta correta, tanto dentre os 27% que ficaram com as notas acima

da média, dentre os 46% que ficaram com o desempenho na média, como também dentre os 27% cujos resultados ficaram

abaixo da média.

O emprego e a função e não apenas a classificação desse e dos demais elementos de coesão seqüencial, referentes

ao mecanismo da conjunção, precisam ser ensinados na escola. Desse conhecimento depende, em grande parte, o

desenvolvimento da habilidade de articular coerentemente as idéias e de escolher adequadamente os itens lingüísticos

que reforçam a argumentação, na construção de um texto dissertativo­argumentativo.

Questão Nº 03

Observe: as orações, abaixo, estabelecem relações de sentido quando se juntam para compor o período. Leia­as com atenção.

I) Disso depende não só o nível dos oceanos como também o equilíbrio climático do planeta. (linha 08)

II) Se o ritmo do derretimento aumentar, o enorme reservatório de água doce da Groenlândia poderá diluir a salinidade do mar.

(linha 09)

III) Não seria apenas um pesadelo para os europeus, mas um rompimento brutal do clima da Terra. (linha 11 )

IV) Quando se derrete, o solo do Ártico libera parte desse gás do efeito estufa, contribuindo para piorar o aquecimento global.

(linha 16)

V) “Há tantas transformações ocorrendo ao mesmo tempo no Ártico que nós, cientistas, mal temos tempo de registrar e

estudar”.(linha 21)

Os termos em negrito estabelecem, respectivamente, relação de:

A) comparação; condição; concessão; contraste; explicação;

B) adição; explicação; concessão; conseqüência; conclusão;

C) conseqüência; condição; contraste; temporalidade; conclusão;

D) comparação; finalidade; adição; condição; conseqüência;

E) adição; condição; contraste; temporalidade; conseqüência

Comentário

A B C D E

22% 16% 12% 12% 38%

Índice de Dificuldade: 62%

Trata­se de uma questão que requer do candidato conhecimentos lingüísticos na área de coesão textual, pois avalia a habilidade

de identificar o valor semântico de um elo coesivo empregado em um determinado contexto. Para que se identifique corretamente

a relação de sentido estabelecida entre as orações, faz necessária uma observação atenta aos diversos contextos lingüísticos

em que os conectores foram utilizados e para os sentidos aí instaurados. Tal habilidade contribui para que o candidato faça uma

leitura mais acurada do texto e demonstre capacidade de reconstrução dos sentidos. Pelos dados obtidos, percebe­se que a

questão foi considerada difícil, 62% de erros, pois dentre os 25% dos candidatos que demonstraram desempenho acima da

média, 74% acertaram na escolha da alternativa, e, dentre os 25% que ficaram abaixo da média, 10% optaram pela alternativa

correta. Isso demonstra que, por meio dessa questão, pode­se separar os candidatos que certamente já consolidaram parte de

seus estudos na área da coesão textual, daqueles que ainda não desenvolveram essa habilidade.

Os índices parecem mostrar que a escola não se deve pautar por um ensino puramente metalingüístico em que se exija

apenas decorar listas de conjunções, mas que se deve, principalmente, trabalhar de forma efetiva os mecanismos de

coesão, segundo as abordagens da lingüística textual, privilegiando­se atividades mais contextualizadas.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 29­39, set. 2008

Questão Nº 25

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Em 1960, o americano Joseph Kittinger saltou de um balão a 31,35 km de altura. Após 30 segundos, a 27,30 km do chão, ele

atingiu a velocidade de 972 km/h. Considerando sua queda como um movimento exclusivamente vertical, a aceleração média do

americano foi de, aproximadamente:

A) 5 m/s 2

B) 17 m/s 2

C) 9 m/s 2

D) 30 m/s 2

E) 22 m/s 2

Comentário

A B C D E

13% 16% 24% 33% 14%

Índice de Dificuldade: 76%

A questão procura, através de uma situação real, abordar conceitos de cinemática no movimento retilíneo uniformemente variado.

Embora algumas grandezas físicas envolvidas estejam expressas em unidades não pertencentes ao sistema internacional (S.I.),

as transformações de unidades necessárias são, no entender da banca, de fácil realização por envolverem valores inteiros.

Esperava­se que os alunos interpretassem o movimento vertical do homem como um tipo de movimento retilíneo uniformemente

variado, suscetível à aplicação das funções horárias da posição e da velocidade e ainda, da equação de Torricelli, uma vez que, ao

pedir que o aluno determinasse um valor médio para a aceleração do movimento, esta aceleração poderia ser calculada

considerando um valor constante e se utilizando das equações descritas anteriormente.

A estatística das respostas demonstrou um índice de dificuldade classificado como difícil, pois 76% dos alunos erraram a

questão.

Também, através da estatística das respostas, a banca destaca uma aparente dificuldade dos alunos na transformação das

unidades envolvidas no equacionamento do problema. Tal observação se dá pelo fato de cerca de 33% dos candidatos terem

respondido a alternativa C, cujo valor (

se aproxima do resultado que seria obtido pelos alunos que, de forma

equivocada, não realizassem a transformação da unidade de medida da velocidade, chegando ao valor de

A banca sugere que, no desenvolvimento teórico e na resolução de exercícios, procure­se enfatizar a importância

da coerência entre as unidades de medida das grandezas físicas envolvidas.

Questão Nº 26

Você está no interior de um ônibus e, como as cortinas do mesmo estão cerradas, você está impossibilitado de ver a paisagem

exterior. Considere que o ônibus está em uma estrada plana, que não apresenta irregularidades na pista.

Com relação a essa situação, analise as afirmativas a seguir:

I) Quando a velocidade vetorial do ônibus for constante, você consegue perceber que está em movimento.

II) Quando o ônibus é acelerado, você tem a sensação de movimento, pois a resultante das forças que atua sobre o ônibus não

é nula.

III) Quando o ônibus faz uma curva, de forma que não haja alteração do módulo do vetor velocidade, você não tem a sensação de

movimento, porque o vetor velocidade permanece constante.

IV) Quando o ônibus freia, você sente seu corpo sendo projetado para frente, pois devido à inércia, você tende a manter­se em

movimento.

São CORRETAS as afirmações contidas em:

A) I, II, III e IV

B) I, III e IV, apenas

C) II e IV, apenas

D) II e III, apenas

E) I, II e IV, apenas

Comentário

30 /

2

m s )

A B C D E

11% 8% 42% 6% 33%

Índice de Dificuldade: 58%

km / h

32, 4 .

s

Esta questão procura abordar conceitos de cinemática vetorial colocando o candidato numa situação­problema que, na opinião

da banca, seria de fácil visualização. Os conceitos abordados na questão envolvem a existência ou ausência de uma força

resultante atuando sobre um móvel, a relação dessa força com a trajetória do movimento e as variações do vetor velocidade.

Na elaboração da questão, a banca esperava um índice de dificuldade médio, o que foi confirmado pelo desempenho dos alunos,

com um índice de acerto de 42%.

Cerca de 33% dos candidatos marcaram a alternativa E como correta. Para a banca, tal fato demonstra uma dificuldade dos

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 69­75, set. 2008

71


PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

As massas dos blocos são m A = 3,0 Kg e m B = 5,0 Kg. Se a máxima tração suportada pelo fio que liga os blocos A e B é 6,0 N, o

máximo valor da força para que esse fio não se arrebente é:

A) 16 N

B) 5,0 N

C) 4,5 N

D) 20 N

E) 8,0 N

Comentário

70

F


A B C D E

21% 18% 13% 12% 36%

Índice de Dificuldade: 79%

A questão aborda conceitos de dinâmica, destacando­se a terceira lei de Newton, pois, para a correta resolução, era necessário

que o aluno fizesse a análise das forças exercidas em cada um dos corpos isoladamente.

A estatística das respostas demonstrou um índice de dificuldade que classifica a questão como difícil, pois 79% dos alunos

erraram­na. A banca entende que os resultados apontam para uma dificuldade dos alunos na compreensão das leis de Newton,

pois cerca de 36% dos alunos assinalaram a alternativa E, cujo valor (8,0N) se aproxima do resultado que seria obtido ao somar

os valores das massas dos blocos.

A banca sugere que, no desenvolvimento teórico e na resolução de exercícios, procure­se exercitar a análise de

situações em que se levem em consideração as forças de interação entre corpos.

Questão Nº 24

Um bloco de 200 gramas é solto a partir do repouso sobre uma mola vertical, não deformada, que possui constante elástica

K = 300 N / m. O bloco passa então a ficar apoiado sobre a mola, comprimindo­a de 10 cm até parar por um instante.

Considerando­se que os efeitos de resistência do ar e demais atritos sejam desprezíveis, e, ainda, adotando­se 10 m/s 2 para a

aceleração do campo gravitacional, a altura na qual o bloco se encontrava em relação ao topo da mola indeformada, antes de

iniciar sua queda, era de:

A) 50 cm

B) 55 cm

C) 45 cm

D) 80 cm

E) 65 cm

Comentário

A B C D E

29% 18% 25% 16% 12%

Índice de Dificuldade: 88%

Esta questão abordou o conteúdo de conservação de energia, relacionando as transformações de energia potencial gravitacional

em energia potencial elástica. Na elaboração da questão, a banca considerava esta questão de índice de dificuldade médio, o que

foi não confirmado pelo desempenho dos alunos, com um índice de acerto de 12%.

Abordar as fontes de energia é tema atual e importante, porém a banca sugere que, na medida do possível, seja

abordado o equacionamento dessas energias e realizados exercícios que abordem suas transformações.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 69­75, set. 2008

Questão Nº 04

Leia com atenção as afirmativas, a seguir, para responder ao que se pede:

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

I) A frase “Quanto mais o glaciar afina, mais rápido ele tende a se movimentar e a perder gelo”( linha 05 ) está entre aspas

porque se trata da citação de um discurso direto.

II) Pelo fragmento lido, pode­se concluir que reportagem é o relato de um acontecimento importante que contém, dentre outras

coisas, descrição do fato e opinião de especialistas.

III) Na frase Disso depende não só o nível dos oceanos como também o equilíbrio climático do planeta. ( linha 08), o termo

“disso” refere­se à expressão “modelo matemático”.

IV) O autor do texto usou, predominantemente, a norma culta da língua escrita: preocupação com as regras gramaticais,

formalidade.

Estão CORRETAS as afirmações contidas em:

A) I, II, III e IV B) II e IV, apenas C) I, II e IV, apenas D) I e III apenas E) I e IV, apenas

Comentário

A B C D E

27% 14% 47% 7% 5%

Índice de Dificuldade: 53%

A questão avalia o conhecimento dos modos de organização textual e a habilidade de identificar e reconhecer os diferentes tipos

de texto, cujas especificidades envolvem diferentes gêneros e funções. Contempla o conhecimento dos fatores de textualidade,

de modo mais específico, a coesão referencial. Avalia as habilidades de o candidato perceber o uso dos mecanismos coesivos

que garantem a organização do texto e fazer uma leitura proficiente, demonstrando capacidade de reconstrução dos diversos

sentidos do texto. Além disso, solicita do candidato um julgamento acerca da variedade lingüística e do grau de formalidade

empregados no texto. O índice de dificuldade de 53% aponta que os candidatos consideraram a questão como sendo de grau

médio de dificuldade, talvez por envolver conhecimentos lingüísticos de natureza diversa. Por isso, sugerimos que esse tipo de

questão seja trabalhada continuamente em sala de aula, para que os alunos desenvolvam a habilidade de lidar com esse tipo de

item de avaliação. Verifica­se, assim, que a questão não discriminou bem, o que pode ter ocorrido justamente pelo grau de

dificuldade e pela complexidade da questão.

Questão Nº 05

Os modos e tempos verbais podem indicar a atitude do falante em relação ao fato expresso. Na frase: “Os pesquisadores estão

atrás de um modelo matemático capaz de prever a quantidade de gelo que a Groenlândia perderá nas próximas décadas” (linha

15), a forma verbal em negrito exprime:

A) incerteza a respeito de um fato que ocorre no presente;

B) um fato futuro em relação a outro que já passou;

C) um fato futuro que ocorre depois de outro também futuro;

D) uma verdade científica que dura por tempo indeterminado;

E) um fato ­ realizável ou não ­ posterior ao momento em que se fala.

Comentário

A B C D E

11% 24% 24% 17% 24%

Índice de Dificuldade: 76%

Conforme mencionamos na introdução a esse trabalho, adotamos uma noção de estrutura como “estruturante dos sentidos” e,

assim, essa questão avalia exatamente a capacidade do candidato de reconstruir os efeitos de sentidos obtidos pelo emprego da

forma verbal perderá. Não é por acaso que a língua portuguesa dispõe de inúmeras formas verbais, mas cada uma delas, seja

em relação às categorias de modo, tempo, pessoa ou número, tem uma função definida que precisa ser aprendida. Esse

conhecimento só pode ser trabalhado, a partir do contexto lingüístico em que as formas verbais são empregadas, uma vez que

esse contexto é que determina a escolha de uma ou de outra forma. Pelo resultado, percebe­se que o conhecimento dos

candidatos acerca das formas verbais ainda não os capacita a explicitar o funcionamento textual­discursivo desses elementos

lingüísticos . Os resultados mostram que, embora os candidatos tenham achado a questão difícil (índice de dificuldade 76%), ela

não auxiliou muito na seleção, conforme aponta o baixíssimo índice de discriminação. Não separa os candidatos que tem

desenvolvida a habilidade avaliada no item daqueles que ainda não a desenvolveram, pois, dentre o grupos dos 27% que ficaram

com o seu desempenho acima da média, apenas 31% escolheram a alternativa correta; dentre os que ficaram com o seu

desempenho na média, 24% acertaram na escolha da alternativa

Conforme já apontamos, é necessário que o trabalho com a linguagem em sala de aula possibilite que o candidato não

apenas conheça os tempos verbais, mas que relacione o que está explícito na forma verbal com os significados

implícitos. Só assim poderá avaliar o efeito de sentido produzido pelos recursos lingüísticos utilizados pelo autor.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 29­39, set. 2008

35


Questão Nº 06

Observe atentamente a charge

36

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

(Disponível em http://humortadela.uol.com.br/charges/charges_arquivo_48.html)

A leitura do texto aponta um tema que também se encontra, de forma mais delimitada, nos versos de Morte e Vida Severina

transcritos em:

A) “ ­ Essa cova em que estás,

com palmos medida,

é a cota menor

que tiraste em vida.

­ é de bom tamanho,

nem largo nem fundo,

é a parte que te cabe

neste latifúndio”.

D) “E o que havia ele feito

irmãos das almas,

e o que havia ele feito

contra a tal pássara?

­ Ter um hectare de terra,

irmão das almas,

de pedra e areia lavada

que cultivava”.

Comentário

B) “Somos muitos Severinos

iguais em tudo e na sina:

a de abrandar estas pedras

suando­se muito em cima,

a de tentar despertar

terra sempre mais extinta,

a de querer arrancar

alguns roçado da cinza”.

E) “E era grande sua lavoura,

irmãos das almas,

lavoura de muitas covas,

tão cobiçada?

­ Tinha somente dez quadras,

irmão das almas,

todas nos ombros da serra,

nenhuma várzea”.

C) “E de onde que o estais trazendo,

irmãos das almas,

onde foi que começou

vossa jornada?

­ Onde a caatinga é mais seca,

irmão das almas,

onde uma terra que não dá

nem planta brava”.

A B C D E

55% 14% 5% 15% 11%

Índice de Dificuldade: 45%

Para solucionar o problema proposto, o candidato deve ser capaz de estabelecer relações de intertextualidade entre diferentes

textos. Essa habilidade precisa ser “ensinada” na escola, é papel do professor de língua materna e depende muito da capacidade

de leitura e compreensão dos alunos. Embora todos os fragmentos apresentados nas cinco alternativas relacionem­se diretamente

com a charge, era preciso que o candidato percebesse a estreitíssima relação entre “teríamos a nossa terrinha” e “é a parte que

te cabe neste latifúndio” . O índice de dificuldade de 45% revela que os candidatos consideram a questão meio difícil, mas a

disciminação do item foi apenas regular, sendo que do grupo cujas notas ficaram acima da média, 74% acertaram; dentre

aqueles que tiveram desempenho na média, 54% marcaram a opção certa.

Leia com atenção o texto para responder às questões de 1 a 5

Cuidado com o que ouvem

“Achar que tudo o que ouvimos é verdadeiro é viver ingenuamente, com sérias conseqüências para nossa vida profissional”

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

3ª Etapa

“Vigilância epistêmica” é a preocupação que todos nós devíamos ter com relação a tudo o que lemos, ouvimos

e aprendemos de outros seres humanos, para não sermos enganados. Significa não acreditar em tudo o que é escrito

e é dito por aí, inclusive em salas de aula. Achar que tudo o que ouvimos é verdadeiro, que nunca há uma segunda

intenção do interlocutor, é viver ingenuamente, com sérias conseqüências para nossa vida profissional(...)

Vigilância epistêmica é uma expressão mais elegante do que aquela palavra que todos nós já conhecíamos por

desconfiômetro”, que nossos pais nos ensinaram e infelizmente a maioria de nós esqueceu. Estudos mostram que

crianças de até 3 anos são de fato ingênuas, acreditam em tudo o que vêem, mas a partir dos 4 anos percebem que não

devem crer. Por isso, crianças nessa idade adoram mágicas, ilusões óticas, truques. Assim, elas aprenderão a ter

vigilância epistêmica no futuro. Lamentavelmente, muitos acabam se esquecendo disso na fase adulta e vivem confusos

e enganados, porque não sabem mais o que é verdade ou mentira.

Nossa imprensa infelizmente não ajuda nesse sentido; ela também não sabe mais separar o joio do trigo. Hoje,

o Google indexa tudo o que encontra pela frente na internet, mesmo que se trate de uma grande bobagem ou de uma

grande mentira. Qualquer “opinião” é divulgada aos quatro cantos do mundo(...)

Todos nós precisamos estar atentos a dois aspectos com relação a tudo o que ouvimos e lemos:1­ Se quem nos

500 500

+ 5 =

n + 5 n

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

. Se assim tivéssemos optado, nossa resposta aparecia diretamente como uma das soluções desta equação.

Com relação aos índices obtidos nesta questão, embora quase a metade de nossos candidatos tenham respondido corretamente,

consideramos ainda preocupante tal resultado, pois os conceitos relacionados a tal questão são básicos. De um modo geral,

precisamos repensar na preocupante situação em que nossa educação e, consequentemente, nossos educandos se encontram,

principalmente, no que se refere ao ensino de Matemática.

Questão Nº 30

Analisando a fórmula, ou o modelo proposto por Hard­Weinberg, descrito na questão anterior, (questão 29 da prova de Biologia)

coloque V para as afirmações verdadeiras e F para as falsas.

I) ( ) A soma da freqüência do gene dominante com a do gene recessivo é menor que 1, pois o quadrado

dessa soma deve ser igual a 1.

II) ( ) Os números p e q são racionais e tais que 0 < p < 1 e 0 < q < 1.

III) ( ) (p + q) 2 é um caso particular de um Binômio de Newton.

IV)( ) Se p = 60%, então q = 40%.

A alternativa que contém a seqüência CORRETA é:

A) F V V V

B) V F F F

C) V V V V

D) F F F V

E) F V V F

Comentário

A B C D E

31% 11% 26% 15% 17%

Índice de Dificuldade: 69%

Os dados apresentados na Questão 29, de Biologia, foram aproveitados para essa questão de matemática em que se busca

avaliar:

• a identificação do binômio de Newton;

• a identificação de p e q como números racionais que satisfazem uma dada condição;

• a identificação de p e q como probabilidades numa lei binomial de probabilidades.

Resolução:

I) (F) Em se tratando de probabilidades, a soma p + q deve ser igual a 1.

II) (V) Em se tratando de freqüências (ou probabilidades), os números p e q são racionais e variam no intervalo de 0 a 1.

n

III) (V) A expressão é do tipo ( a + b ) com n ∈ Ν .

IV) (V) Como p + q = 1, se p = 60% = 0,60, então q = 40% = 0,40.

A questão foi considerada difícil, com 69% de erros. 26% dos alunos marcaram a alternativa C, o que demonstra que consideraram

o item I) como verdadeiro, esquecendo­se de que, se p + q = 1, o quadrado também é igual a 1.

A matemática é também um instrumento de leitura da realidade. Assim, a formulação e a interpretação de modelos

devem fazer parte de seu ensino.

1ª Etapa

Questão Nº 23

Física

A figura abaixo representa dois corpos A e B, ligados através de um fio inextensível e de massa desprezível. Os dois blocos são

feitos de material bastante liso e os efeitos de atrito entre os blocos e a superfície horizontal podem ser desprezados.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 29­39, set. 2008 Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 69­75, set. 2008

69

A

B

F


Comentário

A questão avalia a capacidade de:

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

• ler e interpretar textos sob a forma de diferentes linguagens;

• compreender conceitos, procedimentos e estratégias matemáticas ligadas ao estudo de Geometria Analítica

Para responder a questão, o candidato deveria saber que os lados opostos de um paralelogramo são congruentes e paralelos.

Com esses dados, ele conseguiria achar o ponto C (item I) e, conseqüentemente, teria condições de determinar o tamanho do

segmento DC (item III). Dependendo do caminho escolhido para a resolução, também poderia auxiliar na obtenção do ponto de

encontro das diagonais (item IV). Quanto à equação da reta AD, os dados já se encontravam no plano cartesiano, era só calcular.

Entretanto o que a banca percebeu é uma dificuldade quanto a esse cálculo, pois 32% dos alunos assinalaram a letra D,

considerando que o item II estava incorreto.

A questão foi considerada difícil, pois apenas 21% dos candidatos acertaram­na, embora envolva conceitos e procedimentos

básicos de Geometria Analitica. Teve um bom índice de discriminação, pois 52% dos candidatos do grupo de desempenho

superior conseguiram acertá­la.

Questão Nº 21

Um grupo de amigos resolveu fazer uma “fezinha” em um dos jogos da loteria federal. Decidiram fazer um “bolão” e apostar R$

500,00 em um desses jogos. No dia de efetuar o pagamento e, conseqüentemente, a aposta, 5 desses amigos desistiram,

aumentando em R$ 5,00 a parcela do restante do grupo. Nestas condições, o número de pessoas que efetuaram a aposta foi:

A) 25

B) 20

C) 50

D) 10

E) 15

Comentário

68

A B C D E

17% 15% 15% 32% 21%

Índice de Dificuldade: 79%

A B C D E

28% 42% 13% 13% 4%

Índice de Dificuldade: 58%

Esta questão aborda conceitos matemáticos básicos como razões, proporções e equações do 2º grau, para resolver uma

situação­problema. Muitas questões abordadas em processos seletivos, tais como vestibulares e concursos, utilizam, em suas

provas, conteúdos como estes, pois, além de englobar conceitos básicos de matemática, exigem a interpretação lógico­dedutiva

de um problema específico, de uma situação particular. Vários educadores e autores de livros didáticos, já utilizam questões

envolvendo situações­problema no ensino de matemática, e, neste caso, certamente aparecerão em suas obras e lições questões

como esta, contextualizada.

Façamos, assim, a análise desta:

Seja n a quantidade inicial de amigos. Assim reais. Por outro lado, como ocorreu a desistência de 5 amigos, o número

real de apostadores será de n ­ 5. Como essas desistências acarretaram um aumento de 5 reais para cada apostador, temos

a seguinte equação:

Resolvendo esta equação, teremos:

500 500

= + 5

n − 5 n

500

n

500 500 500 500 + 5 n

= + 5 → = → 500n = 500 + 5n n − 5

n − 5 n n − 5 n

( )( )

Continuando a resolução por meios de operações algébricas, chegamos à seguinte equação do 2º grau:

Como queremos determinar o valor de n, utilizando a Fórmula de Bhaskara, chegamos aos dois valores:

Como n representa uma quantidade de pessoas de um grupo, o valor de n procurado é um número natural positivo, ou seja,

n = 25.

Neste momento, nosso candidato teria que utilizar a interpretação adequada para marcar a resposta, pois, pela montagem do

problema, uma vez fixado n como sendo a quantidade inicial de amigos, o número de apostadores seria de n ­ 5, isto é, seria de

20 apostadores, logo a resposta correta é 20.

Vale a pena ressaltar que a forma apresentada aqui para resolução desta questão não é única. Poderíamos, por exemplo, ter

considerado n como sendo a quantidade de apostadores, e, reformulando nossa situação, teríamos a equação equivalente:

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 59­69, set. 2008

2

n − 5n − 500 = 0

n = 25 e n = − 20 .

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

fala ou escreve conhece a fundo o assunto, é um especialista comprovado, pesquisou ele próprio o tema, sabe do que

está falando ou é no fundo um idiota que ouviu falar e simplesmente está repassando o que leu e ouviu, sem acrescentar

absolutamente nada. 2­ Se o autor está deliberadamente mentindo.

Aumentar a nossa vigilância epistêmica é uma necessidade cada vez mais premente num tempo que todos os

gurus chamam de “Era da Informação”. Discordo profundamente desses gurus, estamos na realidade na “Era da

Desinformação”, de tanto lixo e “ruído” sem significado científico que nos são transmitidos diariamente por blogs, chats,

podcasts e internet, sem a menor vigilância epistêmica de quem os coloca no ar. É mais uma conseqüência dessa visão

neoliberal de que todos têm liberdade de expressar uma opinião, como se opiniões não precisassem de rigor científico

e epistemológico antes de ser emitidas.

Infelizmente, não nos ensinam epistemologia, aquela parte da filosofia que nos propõe indagar o que é real, o

que dá para ser mensurado ou não, e assim por diante.

Embora o ser humano nunca tenha tido tanto conhecimento como agora, estamos na “Era da Desinformação”

porque perdemos nossa vigilância epistêmica. Ninguém nos ensina nem nos ajuda a separar o joio do trigo.

Questão Nº 01

Adaptação do texto de Stephen Kanitz – Veja, 03/10/2007.

Apenas uma das alternativas abaixo contém idéia NÃO defendida pelo aurtor. Assinale­a.

A) julga que quem crê em tudo que ouve ou lê é ingênuo.

B) considera que há “manipulação” nas informações.

C) lamenta o não­ensino de teoria do conhecimento nos tempos atuais.

D) considera que algumas informações atuais não têm rigor científico.

E) aplaude as informações divulgadas pelo Google.

Comentário

A B C D E

2 3% 4% 3% 88%

Índice de Dificuldade: 12%

Sabendo­se que os sentidos de um texto não são transparentes, o objetivo dessa questão é levar o candidato a refletir sobre as

idéias difundidas pelo autor, a respeito do tema já expresso na epígrafe: “Achar que tudo o que ouvimos é verdadeiro é viver

ingenuamente, com sérias conseqüências para nossa vida profissional” . Para que se possa inferir significados, é preciso que

o candidato se coloque como um bom observador e atento leitor, pois, tendo sido solicitado a depreender a idéia não defendida

pelo autor, faz­se necessário que se verifique, primeiramente, qual é o ponto de vista defendido – que estão nas quatro primeiras

alternativas –, para, daí, chegar ao ponto de vista não defendido por Stefen kanitz, expresso na alternativa de letra “E” . Em outras

palavras, exige­se um leitor capaz de inferir significados a partir da relação entre o explícito na materialidade lingüística e o que

está implícito ou subentendido no texto. Os resultados mostram que os candidatos acharam a questão muito fácil, já que o índice

de dificuldade foi 12%. Porém, pode­se observar que o índice de discriminação, 0,37, separa os candidatos que têm desenvolvida

a habilidade de fazer inferências, daqueles que ainda não a desenvolveram, pois, dentre o grupo dos que ficaram com o seu

desempenho acima da média, 99% escolheram a alternativa correta, e, dentre os que ficaram com o desempenho abaixo da

média, 62% dos candidatos acertaram na escolha da alternativa.

Acreditamos que esse tipo de exercício deve estar contemplado pelo professor de língua materna, na metodologia

cotidiana do ensino da leitura, uma vez que, por se tratar de uma habilidade, é necessário um trabalho contínuo e

sistemático com os alunos, a partir de atividades que possibilitem o desenvolvimento dessa habilidade.

Questão Nº 02

Leia com atenção as informações para responder, abaixo, o que se pede:

I) O texto foi escrito na norma coloquial da língua portuguesa.

II) Trata de um artigo de tipo dissertativo­argumentativo.

III) A expressão “vigilância epistêmica” é considerada sinônimo dedesconfiômetro”.

IV) As palavras “blogs”, “chats”, “podcasts” e “internet” são neologismos incorporados à língua portuguesa.

Estão CORRETAS as afirmativas contidas em:

A) I e II, apenas B) II e III, apenas C) II, III e IV, apenas D) I e IV, apenas E) I, III e IV, apenas

Comentário

A B C D E

7% 24% 53% 2% 14%

Índice de Dificuldade: 47%

O que essa questão procura verificar é a habilidade do candidato de fazer uma leitura proficiente a fim de inferir significados e

sentidos presentes no texto. Se o candidato desconhecer os estudos sobre variação lingüística e sobre tipologia textual, já

esbarrará em uma dificuldade, isto é, caso não saiba reconhecer marcas que evidenciem se a norma utilizada pelo autor insere­

se na variedade “coloquial” e caso desconheça características de um texto “dissertativo”, não saberá decidir se os itens I e II estão

corretos ou não. Também exige­se do candidato a capacidade de identificar o sentido da expressão “vigilância epistêmica”,

mesmo que desconheça palavras afins ou sinônimas de seu significado, pois, pelo contexto, é possível resgatar o sentido aí

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 29­39, set. 2008

37


38

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

instaurado. Da mesma forma, espera­se que o vestibulando tenha conhecimento de estudos do léxico, mais especificamente

sobre neologismos, a fim de identificar, em uma série de escolhas lexicais, as que são consideradas neologismos. Só assim

poderá avaliar o efeito de sentido produzido pelos recursos lingüísticos utilizados pelo autor e reconhecer os itens que o levarão

à alternativa correta. Os índices obtidos apontam para um grau médio de dificuldade, 47%, uma vez que, dentre os 25% dos

candidatos que demonstraram desempenho acima da média, 66% optaram pela resposta correta; e, dentre os 25% que ficaram

com o desempenho na média, 34% acertaram na escolha da alternativa correta. Assim, o índice de discriminação, 0,31, mostra­

se também como sendo médio.

Consideramos que o desenvolvimento da habilidade exigida nessa questão requer um trabalho contínuo e sistemático

de leitura e compreensão de textos no dia­a­dia da sala de aula. Só assim, o aluno caminhará para uma leitura

profícua, não apenas no ambiente escolar, mas nas diferentes esferas de atividades de sua vida, já que o ser humano

vive envolto em linguagem, com a linguagem e pela linguagem.

Questão Nº 03

Assinale a única alternativa em que a relação de sentido estabelecida entre as orações NÃO está corretamente indicada entre

parênteses.

A) “Por isso, crianças nessa idade adoram mágicas, ilusões óticas, truques.” (linha 08) (relação de conclusão)

B) “...muitos acabam se esquecendo disso na fase adulta e vivem confusos e enganados...” (linha 09) (relação de adição)

C) “...e vivem confusos e enganados, porque não sabem mais o que é verdade ou mentira.” (linha 09) (relação de causa)

D) “Embora o ser humano nunca tenha tido tanto conhecimento como agora, estamos na ‘Era da Desinformação’ ”... (linha 26)

(relação de conseqüência)

E) “Embora o ser humano nunca tenha tido tanto conhecimento como agora, estamos na ‘Era da Desinformação’ ”. .. (linha 26)

(relação de comparação)

A B C D E

Comentário

6% 21% 10% 53% 10%

Índice de Dificuldade: 47%

Essa questão avalia as seguintes habilidades do candidato: conhecimento a respeito dos fatores de textualidade; percepção da

maneira como são empregados os mecanismos e recursos coesivos e lógico­argumentativos que garantem a organização do

texto; reconhecimento do efeito de sentido produzido por esses recursos lingüísticos, no contexto em que estão inseridos. Sabe­

se que esses recursos não podem ser classificados ou caracterizados de forma única e categórica, fora do contexto. É preciso

verificar a relação semântica estabelecida entre as orações, pois só assim perceber­se­á o efeito de sentido aí constituído. Dessa

forma, apenas a alternativa de letra D não apresenta indicação correta da relação estabelecida entre as orações, pois trata­se de

um valor semântico de concessão e não de conseqüência. O índice de dificuldade de 47% denota uma dificuldade média. Quanto

ao índice de discriminação, apresentou­se como muito bom ( 0,56), já que, dentre o grupo dos que ficaram com o seu desempenho

acima da média, 81% escolheram a alternativa correta, e, dentre os que ficaram com o desempenho abaixo da média, 26% dos

candidatos acertaram na escolha da alternativa. Esse resultado revela que grande parte dos candidatos, ao analisar o emprego

dos elos coesivos nos contextos específicos dos enunciado, é capaz de compreender a relação de sentido estabelecida entre as

orações.

Consideramos que é de grande importância, para os alunos, que os docentes da área de Linguagem

desenvolvam, em sala de aula, atividades semelhantes a esta, chamando a atenção para o fato de que pouco

adianta decorar listas de conjunções e seus respectivos nomes, em estudos puramente metalingüísticos, pois

o mais importante é a reflexão sobre o fato lingüístico em seu contexto de uso, para que se possam reconhecer

as relações de sentido estabelecidas entre as orações.

Questão Nº 04

Assinale a única alternativa INCORRETA:

A expressão “Separar o joio do trigo” (linha 24)

A) é uma alusão a uma passagem bíblica.

B) trata­se de uma criação do autor.

C) é uma ocorrência de intertextualidade.

D) ajuda a dar coerência ao texto.

E) pode ser considerada uma metáfora.

A B C D E

16% 44% 8% 7% 25%

Índice de Dificuldade: 56%

3ª Etapa

Questão Nº 19

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

O número de modos que o estudante tem para rotular aleatoriamente os frascos é:

A) 27 B) 3! C) 3 D) 8 E) 5

Comentário

A B C D E

19% 44% 22% 8% 6%

Índice de Dificuldade: 56%

A situação­problema apresentada tornou­se contextualizada, com o aproveitamento dos dados da questão nº 18, uma questão de

química, numa situação em que o aluno deveria rotular 3 frascos, aleatoriamente, usando as letras X, Y e Z , sem repeti­las. Tratase

de uma questão que busca avaliar as regras de contagem trabalhadas no estudo de Análise Combinatória, previsto no

programa da 3ª etapa. Exigia também o domínio do conceito de fatorial. Os resultados apontam para uma questão de nível médio

de dificuldade com 56% de erros e um índice muito bom de discriminação, pois 80% dos alunos do grupo de melhor desempenho

acertaram a questão, enquanto apenas 17% dos alunos do grupo de nível de desempenho inferior foram capazes de resolvê­la.

Resolução

Dado o conjunto {X, Y, Z} com 3 elementos, vamos escolher 3 deles. O número de modos que temos para fazê­lo é dado por 3 x

2 x 1 = 3!. Ou, usando o conceito de permutação simples: 3 3 ! = P

O estudo de Análise Combinatória é uma importante forma de leitura da realidade. Contudo, é considerado difícil,

porque se enfatizam as fórmulas, ao invés de explorar as Regras de Contagem que resolvem grande parte dos

problemas.

Questão 20

Os pontos A, B e D são vértices de um paralelogramo ABCD que possui todas as suas coordenadas no 1º quadrante do plano

cartesiano.

Com base nessas informações, analise os itens a seguir:

I) As coordenadas do vértice C são (10,4).

II) A equação da reta AD é y – x = 0

III) O segmento DC mede 6 u.c. (unidades de comprimento).

IV) O ponto de encontro das diagonais desse paralelogramo tem coordenadas (5,2).

Assinale a alternativa CORRETA:

A) I e III, apenas

B) II e IV, apenas

C) I, II e III, apenas

D) I, III e IV, apenas

E) I, II, III, IV

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 29­39, set. 2008 Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 59­69, set. 2008

67


66

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

( )

( )

⎧ ⎪ 4a + 5b = 23 4


⎪ ⎩ 5a + 4b = 22 5

Multiplicando a equação (4) pelo fator 5 e a equação (5) pelo fator ­4, e após a adição das equações resultantes, teremos:

( )

( )

⎪ ⎧ 4a + 5b = 23 Multiplicando por 5 ⎧ 20a + 25b = 115

⎨ → ⎨

→ 0a + 9b = 27 → b = 3

⎪ ⎩ 5a + 4b = 22 Multiplicando por ­ 4 ⎩ −20a − 16b = − 88

Agora, substituindo o valor de b = 3 encontrado em uma das equações (4) ou (5), por exemplo, na equação 4a +5b = 25,

4a + 5⋅ 3 = 23 → 4a = 8 → a = 2

= = e c = 1 . Logo, com

temos que: . Assim, obtemos a solução do sistema: a 2, b 3

base nestes resultdos, a pessoa comprou 2 quilos de feijão, 3 quilos de arroz e 1 quilo de batata. Logicamente que este problema

não tem, de forma alguma, o intuito de retratar a melhor solução para o consumidor, já que buscamos apenas a solução que

satisfaça as três situações simultaneamente. Mas em questões como esta, ao analisá­las em sala de aula, o professor poderia

formular aos alunos algumas perguntas, tais como:

• A quantidade de produtos que o consumidor comprou dentro desta situação mudaria se ele comprasse todos os

produtos em uma mesma barraca?

• Se você fosse o consumidor, compraria o produto em barracas diferentes?

• Qual seria a melhor alternativa de compra para esse consumidor? Isto é, a compra mais econômica?

levando­os à percepção de que, já que as quantidades seriam a mesma, na prática, o melhor seria comprar os 2 kg de feijão, os

3 kg de arroz e o 1 kg de batata, na Barraca C, pois economizaria, como dito no problema, 1 real nesta escolha.

Portanto, voltando à questão propriamente dita, a alternativa correta é a que se encontra na letra C.

E aqui, mais uma vez, vemos a importância de trabalhar com a manipulação de dados concretos desde as séries

iniciais, não como estratégia única de aprendizagem, e, sim, como mais uma ferramenta pedagógica de apoio à

aprendizagem.

Questão Nº 30

Observando as figuras a seguir que representam planificações de figuras tridimensionais, coloque V para as afirmações

verdadeiras e F para as falsas.

Fig.1 Fig.2 Fig.3

Fig.4

I) ( ) A figura 1 representa a planificação de uma pirâmide pentagonal.

II) ( ) A figura 2 representa a planificação de um sólido que tem 10 vértices.

III) ( ) A figura 3 representa a planificação de um tetraedro regular.

IV) ( ) A figura 4 representa a planificação de um prisma, chamado paralelepípedo retângulo.

V) ( ) A figura 5 representa a planificação de uma pirâmide hexagonal.

VI) ( ) Todas as figuras representam planificações de poliedros.

Assinale a alternativa que contém a seqüência CORRETA:

A) V V V V F V

B) V V F F F V

C) V F V V V F

D) F V F F V F

E) F F V F F V

Comentário

A questão avalia a capacidade do candidato de:

A B C D E

31% 19% 32% 6% 12%

Índice de Dificuldade: 69%

• compor figuras espaciais a partir de seus moldes ou de suas planificações.

• identificar e classificar o sólido montado.

Pode ser considerada uma questão difícil pois apenas 31% dos candidatos responderam­na corretamente. A questão apresentou

um índice de discriminação bom, pois 56% dos candidatos de desempenho superior foram capazes de respondê­la.

O desenvolvimento da visão espacial e a identificação dos sólidos geométricos são habilidades importantes para qualquer

pessoa.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 59­69, set. 2008

Fig. 5

Comentário

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Essa questão tem por finalidade avaliar o conhecimento do candidato a respeito do processo denominado alusão, ou seja,

processo de apropriação do discurso alheio. Tal ocorrência configura­se como uma das formas de intertextualidade que, por sua

vez, constitui­se um dos fatores de coerência do texto. É um recurso largamente utilizado na elaboração de textos orais ou

escritos, pois o falante sempre cria o seu texto, buscando outros “já­ditos” em diferentes campos da atividade humana. Nesse

caso, Stefen Kanitz buscou recursos nos dizeres da Bíblia para, ao fazer alusão a “separar o joio do trigo”, tecer os fios de seu

texto. O candidato precisa ter conhecimento de mundo, bagagem de leitura e conhecimentos sobre recursos de inserção de

outras vozes, num determinado texto, para que seja capaz de reconhecer a alusão empregada no enunciado que fora destacado.

Essa alusão caracteriza­se, também, como metáfora, já que o seu sentido é conotativo, é sentido figurado, processo este –

metaforização – utilizado, insistentemente, na Bíblia. Pode­se dizer que a aprendizagem das formas de apropriação do discurso

do outro e dos meios de anexá­lo em outros textos constitui uma habilidade essencial à construção de textos de diferentes

gêneros. O índice de dificuldade foi considerado médio: 56%; e o índice de discriminação considerado muito bom:0,51, já que

dentre os candidatos que ficaram acima da média encontram­se 72% que escolheram a alternativa correta, e, dos que ficaram

abaixo da média, apenas 20% optaram pela alternativa correta.

Nada melhor para tornar o aluno um leitor competente e proficiente do que incentivar sempre a leitura de bons jornais,

boas revistas e boas obras literárias, pois bons autores sempre dialogam com outros textos, outras vozes, trazendo para

o seu próprio texto os intertextos. Assim, o aluno aprenderá como lançar mão do recurso da intertextualidade, de forma

adequada e pertinente, além de ampliar o seu conhecimento de mundo que lhe facilitará essa prática.

Questão Nº 05

Leia com atenção:

I) “...Achar que tudo o que ouvimos é verdadeiro, que nunca há uma segunda intenção do interlocutor, é viver ingenuamente, com

sérias conseqüências para nossa vida profissional ...” (linha 3) (= desconfiadamente)

II) “Hoje, o Google indexa tudo o que encontra pela frente na internet, mesmo que se trate de uma grande bobagem ou de uma

grande mentira.” (linha 11) (= valoriza)

III) “Se o autor está deliberadamente mentindo.” (linha 17) (= propositalmente)

IV) “Aumentar a nossa vigilância epistêmica é uma necessidade cada vez mais premente num tempo que todos os gurus

chamam de ‘Era da Informação’ ...”. (linha 18) (= urgente)

Assinale a alternativa que mostra os enunciados em que as palavras sublinhadas estão adequadamente interpretadas, entre

parênteses, de acordo com seu sentido no texto:

A) III e IV, apenas B) I e II, apenas C) I, e IV, apenas D) II, e III, apenas E) I, II, III, IV

Comentário

A B C D E

56% 4% 5% 21% 14%

Índice de Dificuldade: 44%

Trata­se de uma questão que procura verificar a habilidade do candidato de fazer uma leitura proficiente e de inferir significados,

a partir da relação entre o explícito e o implícito do texto, demonstrando capacidade de construção dos diversos sentidos aí

instaurados. Sabe­se que, nos estudos da sinonímia, se se dispõe de várias palavras para a expressão da mesma idéia, a

escolha deve recair sobre aquela que melhor se adapte ao contexto ou que se encaixe mais harmoniosamente na estrutura da

frase e que seja mais apropriada ao tom geral do conjunto. A gramática tradicional às vezes define sinônimos como palavras com

o mesmo significado. Na prática, porém, comprova­se a inexistência de palavras com significados idênticos; o que pode ocorrer

é duas ou mais palavras apresentarem significados mais ou menos equivalentes, pois não existem sinônimos perfeitos. Assim

sendo, o candidato deverá inferir o significado de uma palavra ou expressão verificando o contexto em que ela está inserida.

Pelo índice de dificuldade de 44% e de discriminação de 0,55, percebe­se que a questão seleciona bem os candidatos que já

têm essa habilidade desenvolvida, daqueles que não a têm, pois, dentre os que ficaram com o desempenho acima da média,

aparecem 81% que optaram pela alternativa correta, e, dentre os que ficaram abaixo da média , 26% acertaram na escolha da

alternativa.

Acreditamos que esse tipo de exercício deve fazer parte do cotidiano da sala de aula, no que diz respeito à prática de

leitura e de escrita, já que, dentre outras habilidades, contribui grandemente para o enriquecimento do vocabulário

individual de cada um.

Questão Nº 06

Questão anulada.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 29­39, set. 2008

39


40

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Literatura

As questões de Literatura do Pias buscam observar nos candidatos, principalmente, a capacidade de leitura e compreensão dos

textos literários, além de relacioná­los aos períodos literários em que foram produzidos e às características específicas de cada

escritor.

Com base nas análises dos acertos e dos erros dos candidatos, percebemos que essa habilidade não está sendo bem

desenvolvida nos alunos dentro das salas de aula ou os alunos não estão lendo as bibliografias indicadas, pois são questões de

fácil resolução e apresentaram um alto índice de dificuldades. Vejamos os comentários de cada uma delas:

1ª Etapa

Questão Nº 07

Leia com bastante atenção o poema abaixo:

Camões, grande Camões, quão semelhante

Acho teu fado ao meu, quando os cotejo!

Igual causa nos fez, perdendo o Tejo,

Arrostar co’o sacrílego gigante;

Como tu, junto ao Ganges sussurrante,

Da penúria cruel no horror me vejo;

Como tu, gostos vãos, que em vão desejo,

Também carpindo estou, saudoso amante.

Ludíbrio, como tu, da sorte dura

Meu fim demando ao Céu, pela certeza

De que só terei paz na sepultura.

Modelo meu tu és, mas... oh, tristeza

Se te imito nos transes da Ventura,

Não te imito nos dons da Natureza.

Com base na leitura desse poema de Bocage, assinale a alternativa INCORRETA:

(BERARDINELLI, C. (org.). Os melhores poemas de Bocage)

A) Nesse soneto, Bocage invoca Camões, comparando as suas desventuras com as dele.

B) As semelhanças entre os dois são muitas: ambos cruzaram o cabo da Boa Esperança, eram boêmios, briguentos, tiveram

muitos amores e morreram quase na miséria.

C) No último terceto do poema, Bocage, como era de costume no período Neoclássico, admite que Camões é o seu modelo.

D) O terceiro e quarto versos da primeira estrofe fazem referência ao episódio do Gigante Adamastor, de Os Lusíadas,

representando o Cabo das Tormentas (Sul da África), limite do mar conhecido pelo navegador Vasco da Gama.

E) Tanto Bocage quanto Camões fazem parte do Realismo Português.

Comentário

Nesta questão, o aluno deveria fazer aproximações entre o poema de Bocage e a influência que Camões exercia sobre ele. Tal

afirmação pode ser facilmente observada na última estrofe do poema, quando Bocage assume: “Modelo meu tu és, mas... oh,

tristeza/ Se te imito nos transes da Ventura,/ Não te imito nos dons da Natureza.” Esta citação também caracteriza a postura

neoclássica do poeta, pois era costume da época que os artistas se espelhassem nos grandes clássicos da literatura. Com base

neste tão convincente argumento, fica claro dizer que a alternativa INCORRETA é a letra E, pois nenhum dos dois poetas era

Realista. Camões fazia parte do movimento chamado Classicismo, e Bocage, do Neoclassicismo. A questão foi considerada

difícil (76% de erros). Como as resposta se distribuíram de forma quase eqüitativa nas alternativas B, C, D e E, podemos inferior

que os alunos responderam ao acaso.

Questão Nº 08

Com relação à obra O Mistério da Casa Verde, de Moacyr Scliar, marque a alternativa CORRETA:

A) O texto foi narrado na 3ª pessoa e o narrador é onisciente, isto é, detém a verdade sobre os fatos e sobre o texto.

B) Os personagens Arturzinho e os amigos ocupam a Casa Verde com o intuito de desvendar a fronteira que divide a razão da

loucura.

C) Todos os que manifestam hábitos e atitudes de uma sociedade realista – os fúteis, mentirosos, os que não possuem caráter

nem opinião – são considerados loucos.

D) A história é contada do ponto de vista do personagem principal, Arturzinho.

E) O desfecho ocorre quando a Casa Verde é fechada, pois Arturzinho e os amigos sentem­se impotentes diante da complexidade

da loucura.

A B C D E

Comentário

A B C D E

13% 21% 18% 22% 26%

Índice de Dificuldade: 74%

28% 22% 21% 21% 8%

Índice de Dificuldade: 72%

Para a resolução desta questão, o candidato deveria ter conhecimento global da história do livro e dos elementos estruturais do

texto narrativo, pois a questão nada mais cobra do que aspectos relacionados à leitura e compreensão do texto, relacionando­o

ao processo de produção textual.

Com um índice de erros de 72%, pode ser considerada uma questão difícil e com um baixo índice de discriminação.

Questão Nº 29

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Em uma feira, há 3 barracas, A, B e C, com os mesmos produtos e com preços diferentes por quilo de produto, conforme tabela

a seguir:

Feijão Arroz Batata

A R$ 4,00 R$ 5,00 R$ 3,00

B R$ 5,00 R$ 4,00 R$ 4,00

C R$ 5,00 R$ 4,00 R$ 3,00

Se uma pessoa comprar a quilos de feijão, b quilos de arroz e c quilos de batatas, tanto na barraca A quanto na barraca B, a pessoa

gastaria a mesma quantia: R$26,00; comprando as mesmas quantidades na barraca C, ela economizaria R$1,00.

A quantidade, em quilos, que a pessoa comprou de cada produto, feijão, arroz e batata, foi, respectivamente:

A) 1, 2, 3

B) 3, 2, 1

C) 2, 3, 1

D) 1, 3, 2

E) 2, 1, 3

Comentário

A B C D E

7% 16% 58% 11% 8%

Índice de Dificuldade: 42%

Este tipo de questão é um modelo padrão de exercícios abordados na teoria de resoluções de sistemas de equações lineares

aplicadas em situações­problema. Ela faz com que o estudante seja levado à formulação e interpretação lógica de uma situação

em que se busca uma solução única, partindo de dados previamente conhecidos. E, a nosso ver, é aí que os alunos encontram

certa dificuldade, pois nem sempre estão acostumados à manipulação/generalização de dados concretos, fatos estes que

também, na nossa opinião, justificam a margem de erros, próxima de 42% do total de candidatos.

Uma forma de obter a solução deste problema seria por tentativas, já que as possíveis soluções foram apresentadas como

alternativas, tornando assim a questão relativamente simples. Nossa estratégia de resolução não será por tentativas, e, sim, pela

formulação e utilização de ferramentas básicas de resoluções de sistemas lineares, como dito anteriormente. Vejamos, portanto,

o que esperávamos na resolução da questão:

Considerando a = quilos de feijão; b= quilos de arroz e c= quilos de batata, temos:

Barraca A: Cada quilo de feijão custa 4,00 reais, logo a quilos de feijão custarão 4a de reais. De forma análoga, b quilos de arroz

custarão 5b de reais, e c quilos de batata custarão 3c de reais, dados estes retirados das informações apresentadas na primeira

linha da tabela (referente a valores de produtos da Barraca A) fornecida na questão. Como tal compra, efetuada apenas nesta

barraca, é de 26 reais, temos a seguinte equação linear a três variáveis: 4a + 5b +3c = 26;

Barraca B: De forma análoga, considerando agora os valores apresentados na segunda linha da tabela referente à Barraca B,

temos a seguinte equação linear: 5a + 4b +4c = 26, já que a compra efetuada nesta barraca totalizaria também 26 reais, dado este

fornecido no enunciado da questão;

Barraca C: Neste caso, formalizaremos os dados de maneira análoga, só que o problema nos apresenta que, se a compra for

efetuada unicamente nesta barraca, ela economizaria R$ 1,00, isto é, gastaria não mais R$ 26,00, e, sim, R$ 25,00, e neste caso

teremos a seguinte equação: 5a + 4b +3c = 25.

Como nossa busca é pelas quantidades a, b e c, que satisfazem simultaneamente as três equações ao mesmo tempo, temos

que determinar a solução do sistema:

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 40­46, set. 2008

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 59­69, set. 2008

65

( )

( )

( )

⎧ 4a + 5b + 3c = 26 1


⎨ 5a + 4b + 4c = 26 2


⎩ 5a + 4b + 3c = 25 3

Poderíamos, neste momento, utilizar qualquer um dos métodos de resolubilidade de sistemas de equações lineares, abordados

no Ensino Médio, mas optaremos em particular pelos Métodos da Eliminação, seguido do de Substituição. Vejamos:

Subtraindo a equação (3) da equação (2), temos:

O que implica que c = 1.

Substituindo este valor nas equações (1) e (2), teremos:

5a + 4b + 4c = 26


5a + 4b + 3c = 25

0a + 0b + 1⋅ c = 1

4a + 5b + 3⋅ 1 = 26 → 4a + 5b = 23 e 5a + 4b + 4⋅ 1 = 26 → 5a + 4b = 22 .

só que, agora, com duas equações e duas incógnitas, a saber:

Assim, teremos um novo sistema linear,


Comentário:

A questão avalia a capacidade de:

64

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A B C D E

22% 19% 28% 20% 11%

Índice de Dificuldade: 81%

• ler e interpretar dados sob a forma de diferentes linguagens;

• calcular o volume do sólido a partir da decomposição do mesmo.

O candidato deveria decompor o sólido em um cilindro com altura de 5m e um cone com altura de 3m. Acreditamos que a

dificuldade foi na interpretação e transposição dos dados, além da decomposição da figura. O índice de dificuldade foi muito alto

(81%), o que retrata, no entender da banca, que a geometria ainda é tema desprezado no Ensino Médio, o que estamos enfatizando

em vários exemplares desta revista.

Resolução

A geometria faz parte do cotidiano dos seres humanos e, portanto, a escola deveria dar uma ênfase a esse tema.

Também ressaltamos a importância de não se priorizar apenas as habilidades de cálculo, mas também outras, tais

como observar, comparar, conjecturar, dentre outras.

Questão Nº 28

No quadro, abaixo estão características das funções trigonométricas: seno, cosseno e tangente, cujos nomes foram substituídos

pelos números 1, 2, 3, 4 e 5.

F u n ç õ e s C a ra c te rís tic a s

1

2

3

4

5

É de finida pa ra qua lque r núm e ro re a l

e se us va lore s pa ra

π

x = e x = 2 π , sã o,

2

re spe ctiva m e nte , 1 e 0 .

N ã o e stá de finida pa ra qua lque r

x ∈ IR e é se m pre cre sce nte .

É positiva pa ra a rcos no 1 º e 2 º

qua dra nte s e ne ga tiva no 3 º e 4 º

qua dra nte s.

N o ciclo trigonom é trico, é a a bscissa

do ponto P , e xtre m ida de do a rco.

O se u m a ior va lor é 1 e o m e nor é

– 1 . É cre sce nte no 1 º e 4 º

qua dra nte s.

Assinale a alternativa que contém a seqüência dos nomes que correspondem aos números 1, 2, 3, 4 e 5, nessa ordem:

A) seno, tangente, seno, cosseno, seno

B) seno, cosseno, tangente, seno, cosseno

C) tangente, tangente, cosseno, cosseno, seno

D) cosseno, tangente, seno, cosseno, seno

E) cosseno, seno, tangente, cosseno, seno

Comentário

2

2

3

V = π R . h = π . 2 . 5 = 20 π m

V

V

cil

cone

total

2

2

π . R . h π . 2 . 3

3

= = = 4 π m

3 3

3

= 24 π m

A B C D E

30% 22% 16% 23% 9%

Índice de Dificuldade: 70%

Esta questão tem o objetivo de avaliar aspectos relacionados ao domínio, variação, sinais e valores das funções trigonométricas

seno, cosseno e tangente. Aparentemente, é uma questão que não avalia habilidades, apenas memorização. No entanto, se o

aluno aprende a definir essas funções no ciclo trigonométrico e nele trabalhar, os elementos solicitados surgem naturalmente.

Decorar esses elementos de todas elas é difícil e se constitui numa aprendizagem momentânea e sem significados. E, é isso o

que acontece, geralmente, com esse estudo, justificando o alto índice de erros, 70%, embora o nível de discriminação tenha sido

bom, pois 50% dos candidatos de melhor desempenho foram capazes de respondê­la corretamente.

O ensino significativo da trigonometria é necessário, pois trata­se de uma ferramenta matemática importante para

outras áreas, por exemplo, na física. Há, hoje, materiais didáticos que facilitam o trabalho no ciclo trigonométrico,

como o Tri­ Legal.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 59­69, set. 2008

Questão Nº 09

Sobre a Farsa de Inês Pereira, assinale a alternativa INCORRETA:

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A) Por ser uma farsa, caracteriza­se por uma caricatura contra os maus costumes e uma crítica social carregada de alusões

pessoais.

B) Foi escrita com base no provérbio “ Mais quero um asno que me carregue do que um cavalo que me derrube”.

C) Em muitas passagens da peça, há retratação de cenas grotescas em que se notam traços da cultura popular.

D) Gil Vicente revela uma visão positivista do homem de fé que se liberta das doenças através das divindades.

E) A história gira em torno de Inês, que, no início, apresenta­se como uma moça casadoura, cheia de ilusões e sonhos de

amor, que vê no casamento a possibilidade de fugir de uma vida árdua, ocupada pelos trabalhos domésticos.

Comentário:

A B C D E

14% 17% 10% 38% 21%

Índice de Dificuldade: 62%

O que se espera do candidato com este tipo de questão é que consiga estabelecer relações entre o texto e as características

literárias de seu produtor, considerando as marcas de estilo da época a que pertenceu Gil Vicente e a visão de mundo por ele

adotada, no caso da “Farsa de Inês Pereira”, e a caracterização do teatro de costumes, através de personagens tipos. Também

nesta questão, o candidato deve ter conhecimento global da obra e saber reconhecer a crítica apresentada pelo autor ao descrever

os personagens e suas atitudes.

Foi também uma questão difícil com 62% de respostas erradas, porém com um bom índice de discriminação.

Questão Nº 10

Leia o fragmento abaixo:

BÉRALDE – Entendo, meu irmão, que não vejo pessoa que esteja menos doente do que vós, e que eu não pediria melhor

constituição do que a vossa. Uma grande prova de que andais bem, e que tendes um corpo perfeitamente bem regulado, é que

com todos os remédios que já tomastes, ainda não conseguiste estragar a vossa saúde. Vê que não estais morto com todos os

medicamentos que lhe fizeram tomar.

ARGAN – Mas sabeis, meu irmão, que é isto que me conserva, e que o senhor Purgon disse que eu sucumbiria se ele ficasse

somente três dias sem me tratar?

Com base na leitura do texto de Molière, assinale a afirmativa VERDADEIRA:

(MOLIÈRE. O doente imaginário. São Paulo: Martin Claret, 2006)

A) A história é basicamente caracterizada pela sátira ao comportamento de todas as camadas sociais: a nobreza, o clero e o

povo.

B) É uma comédia que retrata a paradoxal condição do ser humano em suas paixões contraditórias.

C) Possui personagens mitológicas que aparecem alegoricamente.

D) Exalta os valores e heróis brasileiros do século XX.

E) Apresenta um humor sutil e permanente, destruindo as ilusões românticas.

Comentário

A B C D E

32% 30% 11% 4% 23%

Índice de Dificuldade: 70%

A questão exige que o candidato consiga ler, compreender e relacionar a história global ao fragmento apresentado. Exige, ainda,

o conhecimento da história do “Doente Imaginário” e a percepção da comédia presente no texto, além das contradições das

paixões do ser humano.

Com 70% de respostas erradas, pode ser considerada difícil para os candidatos.

2ª Etapa

Questão Nº 07

Leia o fragmento abaixo:

Verdes mares bravios de minha terra natal, onde canta a jandaia nas frondes da carnaúba;

Verdes mares, que brilhais como líquida esmeralda aos raios do Sol nascente, perlongando as alvas praias ensombradas de

coqueiros;

Serenai, verdes mares, e alisai docemente a vaga impetuosa, para que o barco aventureiro manso resvale à flor das águas.

Onde vai a afouta jangada, que deixa rápida a costa cearense, aberta ao fresco terral a grande vela?

Onde vai como branca alcíone buscando o rochedo pátrio nas solidões do oceano?

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 40­46, set. 2008

(ALENCAR, José. Iracema. São Paulo: Martin Claret, 2006, p.25).

41


42

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Através da leitura do livro Iracema e do fragmento acima, percebe­se na prosa de Alencar as seguintes características, EXCETO:

A) É um prosa poética.

B) Há preocupação com a Cor Local, através da exaltação à paisagem tropical.

C) Há a idealização do índio como “bom selvagem”, vivendo em perfeita harmonia com a natureza.

D) Apresenta um tom lendário, através da criação do mito das origens de um povo.

E) Focaliza o índio na fase anterior ao contato com os colonizadores.

Comentário

A B C D E

14% 15% 15% 23% 33%

Índice de Dificuldade: 67%

Nesta questão, o candidato deveria ser capaz de reconhecer na obra de José de Alencar as características próprias do autor e do

primeiro momento do Romantismo brasileiro, incluindo a forma poética em que fazia suas narrativas. Outro fator preponderante

para a resolução desta questão é o conhecimento global da história. Questão difícil para os candidatos, com 67% de erros.

Questão Nº 08

FRAGMENTO 1:

Logo que pôde andar e falar tornou­se um flagelo; quebrava e rasgava tudo que lhe vinha à mão. Tinha uma paixão decidida pelo

chapéu armado do Leonardo; se este o deixava por esquecimento em algum lugar ao seu alcance, tomava­o imediatamente,

espanava, esfregava­o em uma parede, e acabava por varrer com ele a casa; até que a Maria, exasperada pelo que aquilo lhe

havia de custar aos ouvidos, e talvez às costas, arrancava­lhe das mãos a vítima infeliz. Era, além das traquinas, guloso; quando

não traquinava, comia. A Maria não lhe perdoava; trazia­lhe bem maltratada uma região do corpo; porém ele não se emendava,

que era também teimoso, e as travessuras recomeçavam mal acabava a dor das palmadas.

FRAGMENTO 2:

(ALMEIDA, Manuel Antônio. Memórias de um sargento de milícias. São Paulo: Martin Claret, 2007, p17).

Iracema, a virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna, e mais longos que seu talhe

de palmeira.

O favo do jati não era doce como seu sorriso; nem a baunilha recendia no bosque como seu hálito perfumado.

Mais rápida que a ema selvagem, a morena virgem corria o sertão e as matas do Ipu, onde campeava sua guerreira tribo,

da grande nação tabajara. O pé grácil e nu, mal roçando, alisava apenas a verde pelúcia que vestia a terra com as primeiras águas.

(ALENCAR, José. Iracema. São Paulo: Martin Claret, 2006, p.26).

Os fragmentos acima descrevem dois heróis românticos: Leonardo Pataca e Iracema. Com base na leitura das obras, dos

fragmentos e de seus conhecimentos sobre o Romantismo, assinale a alternativa INCORRETA:

A) Em Memórias de um Sargento de Milícias, percebe­se uma escrita inovadora para sua época por ser um romance de

costumes.

B) Em Iracema, de uma forma idealizada, o autor descreve o primeiro contato de uma índia com um colonizador.

C) Contrário ao livro Iracema, Memória de um Sargento de Milícias opõe­se ao tratamento idealizado e sentimental das relações

amorosas, dominante no Romantismo.

D) Enquanto Iracema retrata a lenda no período da formação do Ceará, Memórias de um Sargento de Milícias focaliza a trajetória

de um militar empenhado em manter os ideais monárquicos.

E) Enquanto Iracema é descrita de forma idealizada, com uma linguagem totalmente lírica, Leonardo, desde pequeno, sempre

foi descrito como um “anti­herói”, através de uma linguagem despojada, precisa e coloquial.

Comentário

A B C D E

15% 12% 25% 29% 19%

Índice de Dificuldade: 71%

Questão comparativa, em que o candidato deve ser capaz de perceber, através dos fragmentos apresentados e da leitura das

duas obras, as relações entre os dois autores e seus respectivos romances. O aluno deveria demonstrar a compreensão de que,

mesmo pertencendo ao mesmo período literário (Romantismo), as obras apresentam características distintas, perceptíveis

através da leitura das obras. Questão difícil, com 71% de respostas erradas.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 40­46, set. 2008

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

3) com três células diplóides, tem­se, no final da meiose, doze células haplóides.

E assim sucessivamente.

Com base nas informações acima, analise os itens a seguir.

I) Considerando n o número de células­mães, o número de células­filhas, ao final da meiose, será expresso por 2 n , portanto

uma função exponencial.

II) A sequência formada pelo número de células­filhas, como indicada no exemplo, é uma progressão aritmética de razão 4.

III) Considerando n o número de células­mães e f(n) o resultado da divisão ocorrida na telófase I, tem­se que f(n) = 2n, portanto

uma função polinomial de 1º grau.

IV) Com 23 células diplóides ao final da meiose II, obtêm­se 92 células haplóides.

Estão CORRETAS as afirmativas contidas em:

A) I e II, apenas B) III e IV, apenas

C) II e III, apenas D) II, III e IV, apenas

E) I, II, III e IV

Comentário

A B C D E

16% 13% 15% 42% 14%

Índice de Dificuldade: 58%

É uma questão interdisciplinar que explora conhecimentos de matemática e biologia. Com grau de dificuldade médio, ou seja,

58% dos alunos erraram a questão. Com exceção da alternativa correta, letra D, as demais alternativas foram assinaladas,

praticamente, pelo mesmo número de candidatos. Para analisar o item:

I) o candidato teria que saber que ao final da meiose, de uma célula mãe, tem­se quatro células­filhas, e, partindo desse dado,

era só verificar a lei de formação, f(n)=4n. Por outro lado, o candidato poderia verificar os exemplos dados e determinar a lei de

formação sem ter conhecimento de meiose.

II) o candidato teria que observar a regularidade do fenômeno a partir dos exemplos ou por meio da compreensão da meiose e

ter o domínio do conceito de progressão aritmética.

III) o candidato, necessariamente, deveria saber o que acontece na telófase I, analisar e determinar a lei de formação.

IV) o candidato teria que analisar a regularidade do fenômeno, determinar a lei de formação e fazer os cálculos. Também poderia

fazer uma regra de três a partir dos exemplos, sabendo que se trata de uma função polinomial do primeiro grau.

Essas análises exigem do candidato algumas habilidades, que são:

• compreender conceitos, procedimentos e estratégias matemáticas e aplicá­los a situações diversas no contexto das ciências

e das atividades cotidianas;

• ler e interpretar textos sob diferentes linguagens.

Ressaltamos a importância de se estabelecerem relações entre as áreas de conhecimento, também reforçada pelos

Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio­PCNEM e pelo PCN+, assim como interpretar e expressar a

regularidade de fenômenos na linguagem matemática.

2ª Etapa

Questão Nº 27

A figura a seguir está desenhada sobre o eixo de rotação a. Ao girá­la em torno do eixo, obtém­se o sólido à direita:

5 m

2 m

O volume do sólido formado é:

8 m

A) 32 . π m ³ B) 24 . π m ³ C) 64 . π m ³ D) 36 . π m ³ E) 96 . π m ³

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 59­69, set. 2008

63


62

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

desde propriedades sobre números naturais e reais, até propriedades gráficas de funções exponenciais. É uma questão que a

banca classificaria como abrangente e não muito difícil, embora tenha ocorrido um nível de dificuldade alto de 89%.

Questão Nº 17

O Sr. André foi a um determinado estabelecimento de crédito financeiro solicitar um empréstimo no valor de R$ 1.000,00, aproveitando

a modalidade de empréstimo do banco, que era de 15 % ao ano a juros simples. Sabe­se que ele, ao efetuar o pagamento da

última parcela de seu financiamento, acumulou um total pago de R$ 2.500,00. Nestas condições, pode­se afirmar que o total de

parcelas foi de:

A) 7

B) 8

C) 9

D) 10

E) 12

Comentário

A B C D E

10% 10% 13% 43% 24%

Índice de Dificuldade: 57%

A presente questão traz como elemento principal o conceito de juros simples, que é abordado de forma introdutória no Ensino

Fundamental, estendendo­se esta abrangência até o Ensino Médio. Nossos alunos, principalmente os das séries iniciais, a

nosso ver, não devem ser “bombardeados” por fórmulas, principalmente por fórmulas passíveis de dedução por meios simples.

Nós, educadores, em alguns momentos não temos outra alternativa a não ser incentivar a memorização de fórmulas, visto que,

nem sempre todas as deduções de fórmulas estão à altura do conhecimento de nossos alunos, mas este tipo de estratégia de

aprendizagem, sempre que possível, deve ser considerada como último recurso e não como o recurso. Esta questão reflete muito

bem isto, pois, ao invés de trabalhar os juros simples (e até mesmo juros compostos) através de fórmulas prontas, poderíamos

trabalhar o conteúdo por dedução. E é por esta linha de aprendizagem que analisaremos a questão em si. Vejamos:

Valor do empréstimo: R$ 1.000,00

Taxa de juros simples: 15% ao ano

Ano 0 (Ano do empréstimo):

M

Ano 1 (Um ano após empréstimo) :

0 =

1

. 000

⎛ 15 ⎞

M 1 = 1000 + 15% ⋅ 1000 = 1000 ⎜1+ ⎟ = 1000 ( 1+ 0,15 )

⎝ 100 ⎠

Ano 2 (Dois anos após empréstimo) :

⎛ 15 ⎞

M 2 = 1000 + 2⋅15% ⋅ 1000 = 1000⎜1 + 2⋅ ⎟ = 1000 1+ 2 ⋅ 0,15

⎝ 100 ⎠

Ano 3 (Três anos após empréstimo) :

( )

⎛ 15 ⎞

M 3 = 1000 + 3⋅15% ⋅ 1000 = 1000 ⎜1+ 3⋅ ⎟ = 1000 ( 1+ 3⋅ 0,15 )

⎝ 100 ⎠

E de um modo geral, n­anos após o empréstimo:

⎛ 15 ⎞

Mn = 1000 + n ⋅15% ⋅ 1000 = 1000 ⎜1+ n ⋅ ⎟ = 1000( 1+ n ⋅ 0,15 )

⎝ 100 ⎠

Como a dívida acumulada ao final do pagamento de n parcelas (anuais) foi de 2.500 reais, teremos:

( )

1000 1+ n ⋅ 0,15 = 2500 → 1000 + 150n = 2500 → 150n = 1500 → n = 10

Tal questão, no entender da banca, é relativamente simples, pois, como dito anteriormente, nossos candidatos poderiam ter

deduzido tal resposta, interpretando corretamente os dados fornecidos, sustentando­se apenas no conceito de juros simples e

na resolução de uma equação do 1º grau. A justificativa pelo alto índice de dificuldade obtido (57%), cremos que deve­se à

interpretação incorreta dos dados fornecidos. Esse fato nos leva à conclusão de que devemos sempre conduzir nossos educandos

à interpretação de textos, gráficos, tabelas, entre outros objetos (meios representativos de dados), em que os conceitos matemáticos

envolvem outros fatores, como tempo, crescimento, decrescimento, lucros, prejuízos, como também incentivá­los ao pensamento

lógico­dedutivo. Enfim, levá­los na medida do possível, a construções generalizadas e abstratas, a partir de situações­problema.

Questão Nº 18

No início da meiose, tem­se uma célula­mãe, diplóide, e, após a meiose II, essa célula dará origem a quatro células­filhas,

haplóides.

Por exemplo:

1) com uma célula diplóide, tem­se, no final da meiose, quatro células haplóides.

2) com duas células diplóides, tem­se, no final da meiose, oito células haplóides.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 59­69, set. 2008

Questão Nº 09

Leia o poema para responder a questão.

Quando Ismália enlouqueceu,

Pôs­se na torre a sonhar...

Viu uma lua no céu,

Viu outra lua no mar.

No sonho em que se perdeu,

Banhou­se toda em luar...

Queria subir ao céu,

Queria descer ao mar...

E, no desvario seu,

Na torre pôs­se a cantar...

Estava perto do céu,

Estava longe do mar...

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

E como um anjo pendeu

As asas para voar...

Queria a lua do céu,

Queria a lua do mar...

As asas que Deus lhe deu

Ruflaram de par em par...

Sua alma subiu ao céu,

Seu corpo desceu ao mar...

(GUIMARAENS, Alphonsus de. Coleção Melhores Poemas.

São Paulo: Global, 2001, p.101)

Com base na leitura do poema acima, coloque V para assertivas verdadeiras e F para as falsas:

( ) As rimas, os versos curtos (7 sílabas métricas), as assonâncias, as aliterações, as reticências e os paralelismos são

responsáveis pela musicalidade presente no texto.

( ) Os temas centrais desse poema, bem marcado nas duas primeiras estrofes, são o amor e a saudade.

( ) Na segunda estrofe, os desejos de Ismália (querer subir ao céu/ querer descer ao mar) representam a morte, entendida

como reunião entre corpo e alma, integração com a natureza.

( ) Encontramos nesse poema o triângulo que marca a obra de Alphonsus de Guimaraens: morte, misticismo e ódio.

( ) A morte aparece como o único meio de atingir a sublimação.

Assinale a alternativa correspondente à sequência CORRETA

A) V F V F V B) F V F V F C) V V F F V D) F F V V F E) V V V V F

Comentário

A B C D E

52% 5% 16% 8% 19%

Índice de Dificuldade: 48%

Das questões apresentadas nesta fase, esta foi a que apresentou o menor índice de dificuldade. Nela, o candidato deveria

apresentar habilidades de leitura e compreensão textual do poema, além de alguns conceitos básicos: tipos de rimas, número de

sílabas métricas, assonâncias, aliterações, paralelismos, características do autor e obra, entre outras. Com 48% de respostas

erradas pode ser considerada uma questão com nível de dificuldade médio, sendo que 70% dos alunos de melhor desempenho

acertaram a questão.

Questão Nº 10

NOVA CALIFÓRNIA

Nada houve de anormal na primeira noite, na segunda e na terceira; mas, na quarta, quando os vigias já se dispunham

a cochilar, um deles julgou lobrigar um vulto esgueirando­se por entre a quadra dos carneiros. Correram e conseguiram apanhar

dois dos vampiros. A raiva e a indignação até aí sopitadas no ânimo deles não se contiveram mais e deram tanta bordoada nos

macabros ladrões, que os deixaram estendidos como mortos.

A notícia correu logo de casa em casa e, quando, de manhã se tratou de estabelecer a identidade dos dois malfeitores,

foi diante da população inteira que foram neles reconhecidos o Coletor Carvalhais e o Coronel Bentes, rico fazendeiro e presidente

da Câmara. Este último ainda vivia e, a perguntas repetidas que lhe fizeram, pôde dizer que juntava os ossos para fazer ouro e o

companheiro que fugira era o farmacêutico.

Houve espanto e houve esperanças. Como fazer ouro com ossos? Seria possível? Mas aquele homem rico, respeitado,

como desceria ao papel de ladrão de mortos se a coisa não fosse verdade!

Se fosse possível fazer, se daqueles míseros despojos fúnebres se pudesse fazer alguns contos de réis, como não seria

bom para todos eles!

O carteiro, cujo velho sonho era a formatura do filho, viu logo ali meios de consegui­la. Castrioto, o escrivão do juiz de paz,

que o ano passado conseguiu comprar uma casa, mas ainda não a pudera cercar, pensou no muro, que lhe devia proteger a horta

e a criação. Pelos olhos do sitiante Marques, que andava desde anos atrapalhado para arranjar um pasto, passou logo o prado

verde do Costa, onde os seus bois engordariam e ganhariam forças.

As necessidades de cada um, aqueles ossos que eram ouro, viriam atender, satisfazer e felicitá­los; e aqueles dois ou três

milhares de pessoas, homens, crianças, mulheres, moços e velhos, como se fossem uma só pessoa, correram à casa do

farmacêutico.

(BARRETO, Lima. Melhores Contos. São Paulo: Global, 2002, p.45­46)

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 40­46, set. 2008

43


44

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Com base na leitura do conto “Nova Califórnia”, assinale a alternativa INCORRETA:

A) Como nos demais contos de Lima Barreto, este também busca participação política e denúncia social.

B) Há uma forte denuncia sobre a organização da sociedade.

C) Através da ironia, descreve a ambição das personagens ao invadirem o cemitério em busca de ossos que supostamente

virariam ouro.

D) Encontramos uma linguagem simples, próxima da fala cotidiana e com incorporações de recursos da crônica jornalística.

E) Há uma forte descrição regionalista.

A B C D E

8% 17% 13% 22% 40%

Índice de Dificuldade: 60%

Comentário

Esta questão requer as habilidades de leitura e compreensão textual, aliadas ao conhecimento que o candidato traz sobre a obra

e o autor. Também apresentou um grau mediano de dificuldade, com 40% de acertos.

3ª Etapa

Questão Nª 07

Leia com atenção os fragmentos abaixo, retirados dos romances Chapadão do Bugre e Vidas Secas:

Fragmento 1:

Os primeiros a desbravar o vale do Araraúna – chão superior de mata­virgem, massapé roxo sem mistura – foram uns

Inácios, gente vinda das Gerais. Chegaram e se afazendaram a seu modo: café, cana e zebu.

Derrubada a mataria, a zona mudou de aspecto: em cada vertente de ribeirão, boa sede assombrada, curralama de lei,

engenho de serra e de açúcar. Num curto correr de anos, virou lugar afamado, de muito progresso e fartura.

Fragmento 2:

(PALMÉRIO, Mário. Chapadão do Bugre, p.15)

Na planície avermelhada os juazeiros alargavam duas manchas verdes. Os infelizes tinham caminhado o dia inteiro,

estavam cansados e famintos. Ordinariamente andavam pouco, mas como haviam repousado bastante na areia do rio seco, a

viagem progredira bem três léguas. Fazia horas que procuravam uma sombra. A folhagem dos juazeiros apareceu longe, através

dos galhos pelados da catinga rala.

Arrastaram­se para lá, devagar, sinhá Vitória com o filho mais novo escanchado no quarto e o baú de folha na cabeça, Fabiano

sombrio, cambaio, o aió a tiracolo, a cuia pendurada numa correia presa ao cinturão, a espingarda de pederneira no ombro. O

menino mais velho e a Baleia iam atrás.

(RAMOS, Graciliano. Vidas Secas, p. 9)

Com base na leitura das obras e dos trechos acima descritos, assinale a alternativa INCORRETA:

A) Lingüisticamente, há uma forte presença da variante caboclo­sertaneja da língua portuguesa, transfigurada, do ponto de vista

do estilo, pelos respectivos autores.

B) Tematicamente, as duas obras possuem um traço comum: a ação se desenvolve, no interior, no sertão, em regiões de

pequena propriedade ou de criação de gado, surgindo não raro um conflito entre esse mundo agrário – e os protagonistas

dele procedentes – e a civilização urbana.

C) Esses romances se ligam, no plano do assunto, ao Brasil antigo, pré­industrial, marcado por uma cultura rural e religiosa, de

raízes ibéricas, transformada ao longo dos séculos.

D) Em Vidas Secas, o autor enfoca os modos de ser e as condições de existência no meio da seca.

E) Em Chapadão do Bugre, a história passa­se no sertão de Goiás nos primeiros anos do século XVIII, entre disputas de

coronéis e jagunços numa realidade incerta e violenta, onde impera a vontade do mais forte e a honra é lavada com sangue.

Comentário

A B C D E

8% 24% 30% 6% 32%

Índice de Dificuldade: 68%

Espera­se que nesta questão o candidato tenha conhecimento global das obras apresentadas e que consiga estabelecer

comparações entre elas, identificando os valores culturais de cada região nelas descritas. Com 68% de erros, pode ser considerada

difícil e com baixo índice de discriminação.

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A 0 = área A 0

A 0

A 1 = (Metade de A 0 )

2

A 1

A 0

A 2 = (Metade de A 1 ) → A 2 = 2

2

2

A 2

A 0

A 3 = (Metade de A 2 ) → A 3 = 3

2

2


A 0

A 10 = . Uma vez determinada a área de

2

E assim, perceberia por meio dos resultados acima que 10

A 10 em função de A 0 , utilizando o valor aproximado da área de

999949 1000000

2 1024

2

A 0 ≅ 999949 mm , teríamos:

2

A 10 ≅ ≅ ≅ 977 mm

10

, obtendo assim a verificação de que esta sentença é

também verdadeira.

• Sentença III – Tal sentença, a nosso ver, é bastante interessante, pois relaciona conceitos de seqüências numéricas (no

caso, elementos de uma P.G.) com funções, ao mesmo tempo em que se relaciona com as sentenças anteriores, pois:

⎛ 1 ⎞

f ( 0) = A0 ⎜ ⎟ = A 0

⎝ 2 ⎠

⎛ 1 ⎞ A 0

f ( 1) = A0 ⎜ ⎟ = = A 1

⎝ 2 ⎠ 2

⎛ 1 ⎞ A 0

f ( 2) = A0 ⎜ ⎟ = = A 2 2

⎝ 2 ⎠ 2

E assim sucessivamente.

Portanto também temos a veracidade desta sentença.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 40­46, set. 2008 Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 59­69, set. 2008

61

1

2

0

• Sentença IV – Nesta sentença, os candidatos deveriam recordar que potência de um número é sempre um

n

número positivo, isto é, a função

⎛ 1 ⎞

f ( n) = A 0 ⎜



2 ⎠

é sempre positiva, independentemente do valor escolhido para n , ou

seja, o gráfico da função nunca tocaria o eixo das abscissas, pois, caso assim ocorresse, existiria pelo menos um número

natural n , tal que, f ( n ) = 0 , contradizendo o resultado comentado anteriormente. Pensando por este ângulo, nossos

candidatos poderiam ter abordado a análise desta sentença, fazendo o seguinte questionamento: Será que existe n ∈ N ,

n

tal que f ( n ) = 0 ? Ou seja, será que existe n ∈ N , tal que

1

A 0 0

2

⎛ ⎞ ⎜ ⎟ =

⎝ ⎠

? Ao fazer este questionamento, o candidato

lembraria que um produto de dois números reais sendo igual a 0 (zero), pelo menos um destes deverá ser igual a 0 (zero),

n

ou seja, neste caso, teríamos A 0 = 0 ou

⎛ 1 ⎞

⎜ = 0



2 ⎠

. Como A0 representa uma área retangular, ela não poderia ser nula

n

( A 0 ≠ 0 ) , e, pela observação anterior sobre potências de números reais positivos, teríamos que

conclusão de que esta sentença também é verdadeira.

⎛ 1 ⎞

⎜ ≠ 0



2 ⎠

, levando­o à

Ainda sobre esta sentença, pelos índices obtidos de erros e acertos, mais da metade dos candidatos responderam que ela é

falsa, o que conseqüentemente nos sugere ser necessária uma maior abordagem sobre as propriedades de potências de

números reais e sobre propriedades gráficas de funções, por exemplo, interseções do gráfico nos eixos coordenados e

propriedades dos pontos onde ocorrem tais interseções.

Após esta análise, chegamos à conclusão de que a alternativa correta era aquela em que todas as sentenças são verdadeiras,

isto é, a alternativa A. De um modo geral, pode­se perceber que esta questão envolve vários conceitos básicos de matemática,


Questão Nº 16

60

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A classificação usual referente às folhas de papel que são vendidas e consumidas no mercado para trabalhos gráficos, como as

que usamos em impressoras, por exemplo, obedece a uma nomenclatura relativa a suas dimensões, utilizando­se uma letra e

um número natural, como se pode observar no quadro abaixo:

E assim sucessivamente.

Modelo (Nomenclatura) Área relativa (aproximada)

A0 A0

A1 Metade de A0

A2 Metade de A1

A3 Metade de A2

Com base nas informações acima, coloque V para as sentenças verdadeiras e F para as falsas.

I) a seqüência formada pelos valores das áreas das folhas de papel A0, A1, A2, A3, ... é uma progressão geométrica de razão

.

II) Se a área de A0 é de, aproximadamente, 999 949mm 2 , então a área aproximada de A10 é 977mm 2 1

2

.

III) Os termos da seqüência formada pelos valores das áreas das folhas de papel A0, A1, A2, A3, ... correspondem a valores

n

⎛ 1 ⎞

do conjunto imagem da função f ( n ) = A 0 . ⎜ ⎟ , sendo n, um número natural.

n

IV) O gráfico da função ⎛ 1 ⎞ ⎝ 2 ⎠

de IN (números naturais) em IR (números reais,) não intercepta o eixo das abscissas.

A sequência CORRETA está contida em:

A) V V V V

B) V V F F

C) F F V V

D) F V F F

E) V F V F

Comentário

f ( n ) = A 0 . ⎜ ⎟

⎝ 2 ⎠

A B C D E

11% 15% 17% 9% 48%

Índice de Dificuldade: 89%

Esta questão envolve conceitos de progressão geométrica, normalmente introduzida nas séries iniciais do Ensino Médio. A

questão propriamente dita é de natureza simples, embora tenha ocorrido um alto índice de dificuldade, ela foi considerada muito

difícil.Tal índice pode ser justificado pelo tipo de questão, em que o candidato deveria analisar não apenas uma resposta, mas,

sim, várias alternativas relacionadas a um problema específico. Além disso, a situação é contextualizada e, muitas vezes, no

estudo desse assunto, a ênfase recai na resolução de problemas em que o aluno faz substituição direta em fórmulas.

Vejamos a análise de cada uma das sentenças desta questão, com base nos coeficientes obtidos pelo processo:

• Sentença I – A maioria de nossos candidatos respondeu que esta sentença é verdadeira, o que de fato é verdade, visto

que cada área será obtida pela metade da área referente à nomenclatura anterior, ou seja:

A3 A2 A 1 1

= = =

A2 A1 A 0 2

A 0 = área A 0

A 0

A 1 = (Metade de A 0 )

2

A 1

A 2 = (Metade de A 1 )

2

A 2

A 3 = (Metade de A 2 )

2

E assim, , o que nos indica ser uma progressão geométrica. Neste caso, diante destes fatos, vimos que

o conceito de P.G. é algo que está nítido e bem formalizado para a maioria de nossos candidatos.

• Sentença II – Consideramos esta sentença uma das mais difíceis desta questão, pois o candidato deveria recordar ou

deduzir a fórmula geral do n­ésimo termo (no nosso caso, 10º termo) da progressão geométrica. Como dissemos, o

candidato poderia analisar tal sentença de forma dedutiva e não apenas memorizada. Vejamos:

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 59­69, set. 2008

Questão Nº 08

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Com base na leitura do livro O Monstro, de Sergio Sant’Anna, assinale a alternativa INCORRETA:

A) No conto Uma carta, a construção da carta se dá como o processo de uma relação entre estranhos: descobrimento,

desvendamento de impulsos carnais, clímax e afastamento.

B) A estrutura pela qual é formado o conto O monstro – perguntas e respostas – deixa entrever nos parênteses abertos, antes

das respostas do entrevistado, a

sensibilidade do assassino.

C) No conto As cartas não mentem jamais, percebemos a presença da metalinguagem, através de uma narrativa dentro de outra.

D) O tema central do conto O monstro é a violência, tratada de forma simplista e banal tal como aparece nos jornais

sensacionalistas que, rotineiramente, estampam as suas primeiras páginas com crimes hediondos.

E) Nos contos Uma carta e As cartas não mentem jamais, encontramos características da narrativa pós­moderna, isto é, da

produção literária contemporânea.

Comentário

A B C D E

10% 20% 19% 32% 19%

Índice de Dificuldade: 68%

Para a resolução desta questão, o candidato deve conhecer as três histórias (contos) que compõem o livro de Sergio Sant’Anna,

pois é solicitado que o aluno assinale a alternativa que apresenta o enredo correto relacionado a uma das histórias. Também

difícil uma questão com 68% de erros e com bom índice de discriminação.

Questão Nº 09

Leia o fragmento abaixo, retirado da crônica Pequeno balaio de amor, de Cecília Meireles:

Há um leve acordar de oboés, daqui, dali, como um oco palpitante. O bosque respira a cor ainda nevoenta da manhã. Os

animais aquáticos se entretêm num jogo alegre. Sente­se que há fontes, que há flores abertas. A luz do Sol é também um feliz

animal dançando. Assim o dizem as harpas com suas graves gotas de ouro. Ai, mas os oboés se aproximam, daqui, dali, numa

cautelosa busca. Reúnem­se as gazelas, dispersam­se em pânico. Erguem a fronte e as pálpebras, antes de desaparecerem. E

logo, em breve galope, foge por entre as árvores a curva airosa de flancos.

Com base no fragmento acima, é INCORRETO dizer que:

(MEIRELES, Cecília. Coleção Melhores Crônicas: Cecília Meireles, p.93)

A) no plano estilístico – ao contrário do coloquialismo dos poetas modernos – há uma linguagem elevada, carregada de

musicalidade e lirismo.

B) descreve um retrato direto da realidade em seus elementos históricos e sociais.

C) as palavras presentes no fragmento mais sugerem do que descrevem, ganhando força as impressões sensoriais.

D) há o registro de estados de ânimo vagos e quase incorpóreos, com predomínio da melancolia.

E) percebe­se uma aguda consciência da passagem do tempo, da brevidade enganosa de todas as coisas, sobremodo dos

sentimentos.

A B C D E

Comentário

12% 43% 16% 20% 9%

Índice de Dificuldade: 57%

Questão de cunho interpretativo. Nela, o candidato deve perceber a sutileza de estilo no fragmento apresentado, que, apesar de

se tratar de uma crônica, texto que na maioria das vezes é vinculado ao jornalismo, possui uma linguagem carregada de lirismo

e subjetividade, característica de Cecília Meireles. Com 57% de erros é uma questão de nível médio de dificuldade e com bom

índice de discriminação.

Questão Nº 10

Leia com atenção o poema abaixo:

(...)

Penetra surdamente no reino das palavras.

Lá estão os poemas que esperam ser escritos.

Estão paralisados, mas não há desespero,

há calma e frescura na superfície intata.

Ei­los sós e mudos, em estado de dicionário.

Convive com teus poemas, antes de escreve­los.

Tem paciência, se obscuros. Calma, se te provocam.

Espera que cada um se realize e consume

com seu poder de palavra

e seu poder de silêncio.

Não forces o poema a desprender­se do limbo.

Não colhas no chão o poema que se perdeu.

Não adules o poema. Aceite­o

com ele aceitará sua forma definitiva e concentrada

No espaço.

Chega mais perto e contempla as palavras.

Cada uma

tem mil faces secretas sob a face neutra

e te pergunta, sem interesse pela resposta,

pobre ou terrível, que lhe deres:

Trouxeste a chave?

(ANDRADE, Carlos Drummond de. A rosa do povo. Rio de Janeiro: Record, 2006, p.

25­26)

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 40­46, set. 2008

45


Comentário

46

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Assinale a alternativa que corresponde tematicamente ao poema acima:

A) Poesia sobre poesia

B) Poesia social

C) Poesia sobre o passado

D) Poesia sobre o amor

E) Poesia do cotidiano

A B C D E

72% 11% 3% 3% 11%

Índice de Dificuldade: 28%

Baseada na divisão que muitos estudiosos fazem da poesia de Drummond, espera­se, nesta questão, que o candidato perceba

a metalinguagem presente no fragmento apresentado, ou seja, uma poesia que fala sobre o processo de produção da própria

poesia. Com 72% de acertos, pode ser considerada uma questão fácil.

1ª Etapa

Tourism problems with Peru quake

Churches, hotels, haciendas seriously damaged along southern coast

Newsweek: Adapt. Updated: 11:41 a.m. Aug. 23, 2007

Historic churches and colonial­era haciendas along Peru’s southern coast suffered serious damage in last week’s earthquake,

which also stopped boat trips to a wildlife reserve. Launches

that normally take sightseers to the rugged, guano­coated

Ballestas Islands — home to sea lions and myriad bird species,

including Humboldt penguins — sit idle at port after authorities

closed the Paracas National Reserve, some 165 miles

southeast of the capital. The luxury Paracas Hotel near the

reserve was closed indefinitely, damaged by a 5­foot ocean

surge that flooded the 114­room hotel.

The 329­year­old colonial Hacienda San Jose, outside the city

of Chincha, suffered partially collapsed walls but was largely

intact, saved by its wooden roof. The hacienda was declared a

national monument in the late 1960s. Tourism Ministry officials

are also inspecting hotels in the area that could be unstable.

Many were severely damaged because they were “poorly

constructed,” the ministry said.

In the port city of Pisco — hit hardest by last week’s quake that

killed at least 540 people — the five­story Embassy Hotel fell onto its ground floor, killing 15. Most buildings were built with

unreinforced adobe in Pisco, where 85 percent of the homes were destroyed.

Oscar Gonzales, head of Inca’s National Culture Institute, said burial sites are particularly vulnerable because of the loose desert

soil. The Nazca lines, world­famous desert geoglyphs, suffered no damage, the ministry said. Nor did the Inca ruins of Tambo

Colorado, inland along the Pisco River, although a huge boulder partially blocked the highway leading to it.

Questão Nº 11

Todos estes locais ficaram danificados pelo terremoto no Peru, no mês de agosto de 2007, EXCETO:

A) As igrejas históricas na costa sul.

B) A cidade portuária de Pisco.

C) As ruínas do povo Inca em Tambo Colorado, às margens do rio Pisco.

D) A fazenda São José, nos arredores de Chincha.

E) O Hotel Embassy de 5 andares, em Pisco, e o luxuoso Hotel Paracas, próximo à Reserva Nacional.

Comentário

A B C D E

23% 6% 37% 23% 11%

Índice de Dificuldade: 63%

Língua Inglesa

Esta questão avalia:

A leitura significativa de textos;

A capacidade de compreender detalhes do texto, utilizando as estratégias de leitura, e de inferir significados a partir de um

contexto que apresenta vocabulário que talvez seja desconhecido do aluno.

Somente 37% dos alunos da 1 a série acertaram esta questão, demonstrando um grau de dificuldade maior que o esperado. O

índice de discriminação foi considerado bom, mas sujeito a um aprimoramento, o que nos leva à conclusão de que a maior parte

dos alunos não conseguiu compreender o texto de forma adequada, por não dominarem ainda os conceitos básicos.

1ª Etapa

Questão Nº 15

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Matemática

Vista aérea da região devastada pelo terre­

moto que alcançou 8 graus na escala Ritcher.

Folha de São Paulo – 17/08/2007

A escala de Richter foi desenvolvida em 1935 pelos sismólogos Charles Francis Ritcher e Beno Gutenberg. É uma escala

logarítmica em que a magnitude do sismo corresponde ao logaritmo da medida da amplitude das ondas sísmicas de tipo P

(primária) e S (secundária), a 100 km do epicentro

(http://wikipedia.org)

Assim:

M L = log A − log A 0 → em que A representa a amplitude máxima medida no sismógrafo, M , uma amplitude de referência

L

e A 0 , a magnitude do sismo.

I) a fórmula M L = log A − log A 0 pode ser escrita como M L = .

II)

0

Um terremoto com magnitude 8 tem uma amplitude 100 vezes maior que um terremoto de amplitude 6.

A

M , log = 8 ,

A

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 59­69, set. 2008

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 46­52, set. 2008 59

A

log

A

8

III) Se L = 8

então A= 10 . A 0

0

IV) O logaritmo é o expoente que uma dada base deve ter para produzir certa potência, isto é,

x

log b a = x ⇔ b = a , com 0 < a ≠ 1 e b > 0 .

Estão CORRETAS as afirmativas contidas em:

A) I e II, apenas

B) I e IV, apenas

C) II e III, apenas

D) I, III e IV, apenas

E) I, II, III e IV

A B C D E

13% 33% 17% 30% 7%

Índice de Dificuldade: 70%

Comentário

Nesta questão, buscou­se contextualizar o estudo de logaritmos na leitura e interpretação de um fenômeno da natureza, os

terremotos, particularmente o ocorrido no Peru, em 2007. A partir de uma notícia veiculada pelo jornal e informações referentes

à escala Richter, foram propostas quatro alternativas que deveriam ser analisadas a partir dos dados e dos conhecimentos sobre

logaritmos, especialmente a definição e a propriedade que envolve o logaritmo do quociente.

Resolução

A afirmação contida no item I é verdadeira, pois trata­se de uma propriedade dos logaritmos: a diferença dos logaritmos de dois

números positivos A e A 0 corresponde ao logaritmo do quociente desses números.

A afirmação II é falsa, porque um terremoto com magnitude 8 tem uma magnitude 100 vezes maior que a de um que tem

magnitude 6, e não amplitude 100 vezes maior como consta do enunciado. Baseia­se na definição de logaritmo.

A afirmação III é verdadeira, porque pode ser justificada pela propriedade enunciada no item I e na definição de logaritmos.

A afirmação IV é verdadeira, porque é a definição de logaritmos.

O índice de dificuldade foi de 70%, uma questão difícil para os candidatos, embora envolvendo conhecimentos

elementares sobre o assunto. Muitos candidatos (33%) assinalaram a letra B, o que demonstra terem considerado

como falso o item III.


Questão Nº 17

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

O Ciclamato é um edulcorante artificial utilizado na produção de adoçantes artificiais, com a finalidade de substituir o açúcar

comum (sacarose) em algumas dietas. Quando ingerido, aproximadamente 40% são absorvidos e excretados sem alteração de

sua estrutura química. O restante é convertido em alguns metabólitos, um dos quais é demonstrado abaixo:

58

NH 2

Comentário

Em relação a esse composto, seu nome e a função orgânica à qual pertence é:

A) Fenilamina, amina.

B) Ciclohexilamina, amida.

C) Ciclohexilamina, amina

D) Fenilamina, amida.

E) Ciclohexilamina, aminoácido.

A B C D E

29% 11% 36% 12% 12%

Índice de Dificuldade: 64%

A questão aborda um tema polêmico: o uso de adoçante artificial à base de edulcorante conhecido como ciclamato. Nessa

questão, o aluno é questionado em relação ao reconhecimento de funções orgânicas e à nomenclatura de compostos orgânicos.

Esse tipo de situação contextualizada contribui para o entendimento de assuntos de maneira mais generalizada e completa.

Apesar de a questão explorar apenas o reconhecimento da função orgânica e sua nomenclatura, ela apresentou um índice de

dificuldade bastante alto. Acredita­se que em certas situações o professor não esteja conseguindo desenvolver todo o conteúdo

de química orgânica de maneira satisfatória. Dessa maneira, o aluno não consegue ainda identificar as funções orgânicas em um

composto de maneira correta. Acreditamos que o reconhecimento da função orgânica do composto e a sua nomenclatura devam

ser trabalhadas sempre em situações contextualizadas.

Questão Nº 18

Um estudante em um laboratório de química esqueceu­se de rotular três frascos com substâncias diferentes: acetona (C 3 H 6 O),

água (H 2 O) e benzeno (C 6 H 6 ). Para identificar as substâncias, o aluno fez o seguinte procedimento: nomeou os compostos, de

maneira aleatória, de X, Y e Z, e, após alguns testes, constatou que:

X e Z são miscíveis entre si.

X e Y são inflamáveis em presença de ar.

Y e Z são imiscíveis entre si.

Com base nos resultados dos testes realizados pelo aluno, pode­se afirmar que os frascos X, Y e Z contêm, respectivamente:

A) Benzeno, acetona e água.

B) Acetona, água e benzeno.

C) Água, acetona e benzeno.

D) Água, benzeno e acetona.

E) Acetona, benzeno e água.

Comentário

A B C D E

12% 14% 10% 8% 56%

Índice de Dificuldade: 44%

A questão coloca em discussão as propriedades físico­químicas dos compostos, tais como a solubilidade, a inflamabilidade e a

miscibilidade. Esses assuntos levam em consideração as forças intermoleculares que levam a alterações dessas propriedades,

fazendo com que um composto seja miscível (se misture) em outro e praticamente imiscível em outro.

Dentro desse contexto, o estudo das propriedades dos compostos envolve conhecimentos bastante específicos sobre os grupos

funcionais em química orgânica e suas conseqüências em temos de propriedades físico­químicas.

Novamente uma questão que explora habilidades dos alunos em extrapolar conceitos básicos na resolução de situações­

problema. A questão, considerada difícil pela banca, teve um bom aproveitamento pelos alunos, visto que 56% marcaram a

alternativa correta. Os conceitos podem e devem ser trabalhados de maneira integrada com o cotidiano do aluno, sendo que, na

maioria das vezes, a exploração das propriedades físico­químicas dos compostos é um tema bastante integrador e facilitador

para a aprendizagem do aluno.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 53­58, set. 2008

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

para esta fase listados no Manual do Candidato. Talvez não tenham conseguido fazer uma leitura com atenção a pequenos

detalhes, o que faz uma grande diferença em uma questão como esta, que exige uma boa interpretação

Acreditamos que o trabalho realizado dentro de sala de aula deva ser mais consciente e consistente, com maior ênfase

às estratégias de leitura, à leitura nas entrelinhas, à compreensão das marcas lingüísticas e tipográficas, levando os

alunos a levantarem hipóteses, fazerem suposições e deduções. Atenção especial deve ser dada à palavra EXCETO e o

que ela implica em uma questão avaliativa.

Questão Nº 12

Os seguintes números que aparecem destacados no texto,

114 329 540 15 85 representam, respectivamente:

A) quantidade total de cômodos no Hotel Paracas; ano em que foi construída a Fazenda São José; quantidade de pessoas que

morreram em Pisco; quantidade de pessoas que morreram no Hotel Embassy; porcentagem de casas destruídas em Pisco.

B) quantidade de quartos no Hotel Paracas; idade da Fazenda São José; quantidade aproximada de pessoas que morreram em

Pisco; quantidade de pessoas que morreram no Hotel Embassy; porcentagem de casas destruídas em Pisco.

C) quantidade de quartos do Hotel Embassy; idade da Fazenda São José; quantidade de pessoas que morreram em Pisco;

quantidade de pessoas que morreram no Hotel Paracas; porcentagem de casas destruídas em Pisco.

D) quantidade de quartos no Hotel Paracas; ano em que a Fazenda São José foi tombada como patrimônio histórico peruano;

quantidade aproximada de pessoas que morreram em Paracas; quantidade de pessoas que morreram no Hotel Embassy;

porcentagem de casas que não foram danificadas em Pisco.

E) idade do Hotel Paracas; idade da Fazenda São José; quantidade exata de pessoas que morreram em Pisco; quantidade de

pessoas que morreram no Hotel Embassy; porcentagem de casas destruídas em Pisco.

Comentário

A B C D E

16% 60% 10% 8% 6%

Índice de Dificuldade: 40%

Esta questão avalia:

Leitura significativa com ênfase em informação específica relacionada à identificação de números presentes no texto (marcas

tipográficas), que permitem uma interpretação adequada.

Esta questão teve 60% de acertos, demonstrando um índice de discriminação muito bom, com 88% de acertos no grupo de

desempenho superior e 60% no mediano. Ela foi considerada uma questão fácil, embora, na verdade, requeira muita atenção a

detalhes. Isto nos leva a crer que houve um trabalho mais intenso com relação a informações específicas, o que é difícil, tratando­

se de alunos de primeira etapa. A presença de números também direciona o olhar dos alunos, facilitando o processo de interpretação

e compreensão.

Questão Nº 13

Leia os seguintes fragmentos e marque a alternativa que contém a seqüência correta dos tempos verbais, também destacados

no texto:

· “… southern coast suffered serious damage…”

· “…normally take sightseers to…”

· “…officials are also inspecting hotels in the area…”

· “…five­story Embassy Hotel fell onto its ground floor…”

· “…burial sites are particularly vulnerable…”

A) passado simples regular; presente simples; presente contínuo; passado simples irregular; presente simples do verbo to be.

B) passado simples; passado simples irregular; futuro progressivo; passado simples irregular; presente simples do verbo to

be.

C) passado simples regular; presente simples; passado contínuo; passado simples regular; presente simples do verbo to be.

D) passado simples irregular; presente simples; presente contínuo; passado simples regular; passado do verbo to be.

E) passado perfeito regular; passado simples; presente progressivo; passado simples regular; presente simples do verbo to

be.

A B C D E

Comentário

52% 10% 20% 12% 6%

Índice de Dificuldade: 48%

A questão avalia:

A compreensão de elementos lingüísticos formadores de estruturas específicas, neste caso, envolvendo tempos verbais

básicos da língua inglesa.

Esta questão trouxe um índice médio de dificuldade aos alunos, sendo que 52% deles a acertaram. Novamente percebemos um

trabalho bem realizado no cotidiano da sala de aula, levando em conta que se trata da primeira etapa. O índice de discriminação

foi muito bom. Com 83% de acertos no grupo de desempenho superior e 23% no grupo de desempenho inferior.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 46­52, set. 2008

47


Questão Nº 14

48

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Garfield site: acesso em junho 02/2007

Após a leitura da história em quadrinhos acima, escolha a sentença que melhor resume a IDÉIA CENTRAL do texto:

A) Garfield não tem o hábito de dormir em um canteiro de flores.

B) O canteiro de flores fica na própria casa de Garfield e Jon.

C) Garfield se enfeitou com pétalas propositalmente.

D) Esta foi a primeira vez que Garfield dormiu no canteiro de flores de Mrs. Feeny.

E) Jon deduz que Garfield dormiu novamente no canteiro de flores, por estar cheio de pétalas.

Comentário

A B C D E

5% 2% 6% 15% 72%

Índice de Dificuldade: 28%

A questão avalia:

Leitura significativa e atenção a detalhes em um texto na forma de tirinha.

Esta questão foi considerada fácil pelos alunos, pois 72% conseguiram acertá­la. Isto mostra que os alunos estão atentos a

detalhes de imagem, que, em leitura de tirinhas, faz toda a diferença para uma boa interpretação. Foi uma questão que levou a

uma boa discriminação, com 94% de acertos no grupo de desempenho superior.

Percebemos, de forma muito positiva, uma maior tranqüilidade dos alunos ao responderem a essas questões. Houve

um melhor desempenho por parte dos alunos, com relação aos resultados obtidos nas primeiras etapas dos anos

anteriores.

Os educadores devem dar continuidade a esse bom trabalho contextualizado, introduzindo sempre, em suas aulas, os

conceitos básicos que possibilitem aos alunos desenvolverem a habilidade de leitura. Trabalho como este levará os

alunos a identificar palavras desconhecidas, seja pela compreensão de cognatos, ou o acréscimo de afixos, conferindo,

assim, significado ao texto. Além do mais, o reconhecimento das formas verbais básicas, da atenção a detalhes, auxilia

muito os alunos a compreenderem o teor principal do texto. O professor deve ainda mostrar aos alunos que termos que

não interferem na compreensão geral devem ser menosprezados.

Outro fator de grande importância é a necessidade de conscientizar os alunos sobre sua própria responsabilidade no

seu desenvolvimento lingüístico, buscando leituras extra­aula, no intuito de trabalhar a habilidade de leitura de forma

sistemática. Toda essa dinâmica promove uma leitura mais prazerosa e significativa.

2ª Etapa

Brain Foods

A new study links artificial food dyes and preservatives to an increase in hyperactivity in kids ­ By Sarah Kliff ­

Newsweek: Sept. 7, 2007 (Adapted)

Could a modern diet full of artificial coloring and preservatives be contributing to hyperactivity in children? Researchers found that

when kids (ages 3, 8, and 9) increased their consumption of artificial colors, dyes and preservatives found in popular foods like

candy and soft drinks, their behavior became progressively more hyperactive. But do the findings suggest that removing artificial

dyes, colors and preservatives could reduce the growing incidence of attention deficit hyperactivity

disorder (ADHD)? Not necessarily. Eugene Arnold, emeritus professor of psychiatry at Ohio

State University talked about what the new research means for parents and the food industry.

Research on the link between food additives and hyperactivity goes back about 30 years, but

this study is different from the others because it’s the first where they didn’t attempt to just

study kids who had a problem with hyperactivity or behavior. They went out and asked for

everyone in a certain school to participate, so the sample is much more representative. There

are huge economic issues involved with food preservatives. Preservatives make the food

supply safer and reduce costs because they make foods less perishable. If we take

preservatives out we would have to balance against the cost in terms of money and also the

public health cost in terms of food contamination. The food colorings would have very little

economic impact except for manufacturers of the dyes. Right now no company can afford to give up food coloring because they

would lose to the competition. As for artificial additives, that means things such as refined sugar and popsicles aren’t so great. But

these are all things that are not an essential food group.

In practical terms, you might reduce the hyperactivity of the average child by a small amount. That could add up to a huge amount

in terms of a school atmosphere or learning environment. If every kid in the classroom is a little more subdued and more focused

on their work then that could change things.

Questão Nº 15

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

de uma substância. Tais conceitos podem ser trabalhados na escola na forma de um projeto integrado sobre a dengue. Dessa

forma, há uma conscientização dos alunos em relação aos perigos da dengue e um incentivo a mais para que aprendam química

e as outras disciplinas.

3ª Etapa

O Ocimeno, estrutura abaixo, é um trieno que faz parte da composição de óleos essenciais de muitas plantas.

Sobre o Ocimeno são verdadeiras as afirmações, EXCETO:

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 46­52, set. 2008

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 53­58, set. 2008

57

Ocimeno

A) Possui fórmula molecular C 10 H 16 .

B) Ao ser tratado com três mols de hidrogênio, em presença de paládio como catalisador metálico, leva a formação do 2,6­

dimetiloctano.

C) É um hidrocarboneto insaturado e não apresenta solubilidade em água.

D) Possui três ligações duplas e todas possuem isomeria geométrica trans.

E) É uma molécula formada por átomos de carbono e hidrogênio, onde seis carbonos possuem hibridização sp 2 .

Comentário

A B C D E

19% 22% 15% 30% 14%

Índice de Dificuldade: 70%

A questão explora os conceitos relacionados aos conhecimentos do aluno na análise de uma estrutura química de um composto

orgânico e a influência em suas propriedades físico­químicas. Nessa questão, o aluno foi questionado sobre a conversão da

fórmula estrutural para a molecular, alguns tipos de reações clássicas em química orgânica, como a reação de hidrogenação

catalisada por metais, o conceito de composto saturado e insaturado e a presença de isomeria geométrica em um composto.

Esse tipo de questão explora o conhecimento do aluno na análise de uma situação problema, buscando a solução através de

conceitos fundamentais em química orgânica.

A questão apresentou um índice de dificuldade relativamente alto (70%). No entanto, se analisarmos o nível da questão, boa parte

dos alunos (30%) conseguiu desenvolver o raciocínio. Acredita­se que questões que explorem situações que envolvam o

conhecimento do aluno de várias conteúdos dentro de uma disciplina contribuem para um aprendizado mais sólido e um

pensamento mais crítico e reflexivo.

Acreditamos que simplesmente fazer o aluno enxergar ou reconhecer uma função orgânica não é suficiente, mas trabalhar o

significado da presença dessa função no composto leva o aluno a entender a situação.

Questão Nº 16

Com certa freqüência têm­se notícias de acidentes petrolíferos causando derramamento de petróleo em rios e mares. Os

vazamentos são identificados por manchas negras que se formam na superfície da água, causando sérios problemas para a

fauna e flora daquele habitat. Essas manchas são perceptíveis na superfície da água devido ao fato de:

A) o petróleo ser constituído basicamente por hidrocarbonetos que são insolúveis em água, tendo, assim, maior densidade que

a água.

B) o petróleo ser constituído por hidrocarbonetos que são insolúveis em água e possuem menor densidade que a água.

C) o petróleo ser formado por sais solúveis em água e que, assim, são facilmente visualizados.

D) existirem macromoléculas no petróleo, formando camadas solúveis na superfície da água.

E) existirem, no petróleo, minerais insolúveis e mais densos,que tornam a água da superfície mais escura.

Comentário

A B C D E

32% 53% 2% 2% 11%

Índice de Dificuldade: 47%

A questão apresenta uma situação em que ocorreu um derramamento de petróleo em alto mar. Contextualiza a aplicação da

química para a compreensão da situação. Essa questão busca avaliar a capacidade de o aluno explicar a observação de que o

petróleo não se mistura com a água e também o fato de ficar sobre a água. Essa observação implica o conhecimento do conteúdo

de polaridade e densidade de compostos.

A questão apresentou médio índice de dificuldade. O aluno conseguiu interpretar o fenômeno com base em conteúdos discutidos,

às vezes, de maneira isolada.


Questão Nº 17

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A chuva ácida é um problema ambiental que afeta vários países industrializados. Em certas regiões, o pH da chuva pode ficar

entre 4,0 e 4,5. A figura a seguir apresenta uma escala com valores típicos de pH para algumas substâncias do cotidiano em

comparação com a chuva.

Água da

chuva pura

56

Suco de

limão

Vinagre

Água destilada

pura

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Escala de pH

Água do mar

A) A concentração de íons H + é maior no leite de magnésia do que no suco de limão.

B) A água de chuva pura é ligeiramente básica.

C) A água do mar é mais alcalina do que a água destilada pura.

D) O vinagre é menos ácido do que a água destilada.

Leite de

Magnésia

E) Uma chuva com pH 4,0 possui uma concentração de íons H + menor do que a da água destilada.

Comentário

A B C D E

23% 14% 35% 10% 18%

Índice de Dificuldade: 65%

Amônia

A questão aborda um problema ambiental tratado na maioria dos livros de química do ensino médio, que é aquele relacionado à

chuva ácida. Esse problema é mais comum em regiões onde há emissão de gases do tipo SO 2 , SO 3 e NO x , em processos de

combustão de derivados do petróleo e atividades naturais (vulcões). Geralmente isso ocorre em maior intensidade em grandes

centros urbanos e áreas de atividade vulcânica. A questão busca avaliar a capacidade de relacionar os conceitos de pH e

concentração hidrogeniônica ([H + ]). Isso é importante para que o aluno tenha a capacidade de realizar uma medida (pH) em

laboratório e interpretá­la (converter para concentração de íons H + ).

Apesar de basicamente exigir a interpretação da figura e sua relação com a concentração de hidrogeniônica ([H + ]), a questão

apresentou um índice de dificuldade elevado (65%). O conceito de pH, apesar de ser de grande importância, muitas vezes não é

trabalhado com os alunos. Substâncias tais como um sabonete neutro ou uma fruta ácida podem auxiliar o educador na

mediação da construção do conhecimento com os alunos.

Questão Nº 18

Com o inicio das chuvas, a população volta a se preocupar com o fantasma da dengue. As larvas do mosquito Aedes Aegypti, o

transmissor do vírus, desenvolvem­se em água limpa e parada. Contra o mosquito, pode­se utilizar o veneno organofosforado

Temefós ( C

), diluído em água na concentração 50% m/v.

16 H 20 O 6 P 2 S 3

De acordo com a concentração e a fórmula molecular do Temefós, assinale a alternativa INCORRETA.

A) A massa molecular do Temefós é igual a 466 g/mol.

B) Para se preparar 5 litros do veneno, um agente de saúde necessitará de 2,5 kg de Temefós.

C) A porcentagem de carbono em massa, no composto, é aproximadamente 41,2 %.

D) A concentração molar da solução preparada é, aproximadamente, 1,07 mol/L.

E) A maior porcentagem em massa, na molécula do composto, é de átomos de hidrogênio.

Dados: massas atômicas:

(C = 12; H = 1u; S = 32u; O = 16u; P = 3 u)

Comentário

A B C D E

34% 12% 15% 15% 24%

Índice de Dificuldade: 76%

A questão coloca em discussão um tema bastante atual caracterizado como problema de saúde pública. A dengue é bastante

comum em nossas cidades e precisamos ter vários cuidados para evitar a sua disseminação descontrolada, o que traria enorme

prejuízo a toda a sociedade. Neste sentido, aparece a química com uma solução para o problema, a utilização de um produto

químico para combater as larvas do mosquito, evitando a sua proliferação. A questão explora os conceitos químicos de massa

molecular, fórmulas molecular e centesimal, concentração de soluções e interpretação.

Novamente uma questão que exige conceitos básicos e que apresentou um índice de dificuldade elevado (76% de erros).

Aproximadamente um terço dos alunos marcaram a alternativa (A), demonstrando uma dificuldade em calcular a massa molecular

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 53­58, set. 2008

Questão Nº 11

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Verifique os elementos de coesão textual but, because, and also, such as e or, destacados no texto, e escolha a alternativa que

indica a relação que eles estabelecem entre as proposições que ligam, respectivamente:

A) condição; exemplificação; adição; exemplificação; alternância.

B) ênfase; exemplificação; seqüência; resumo; condição.

C) contraste; causa; exemplificação; série ou seqüência; alternância.

D) contraste; causa; adição; exemplificação; alternância.

E) alternância; condição; adição; exemplificação; adição.

Comentário

A B C D E

20% 9% 15% 50% 6%

Índice de Dificuldade: 50%

A questão avalia:

A estrutura morfossintática da língua inglesa relacionada à presença de elementos de coesão textual dentro de um texto.

Esta questão teve 50% de acertos, o que indica um índice de dificuldade mediano e um índice de discriminação muito bom, com

78% dos alunos de desempenho superior acertando a questão.

Podemos afirmar que os alunos de segunda série já se encontram mais bem preparados para realizar uma leitura significativa,

considerando os elementos de coesão textual. Podemos concluir que um bom trabalho está sendo realizado e a continuidade

desse processo é imprescindível, pois desta forma os alunos ganham tempo ao utilizar os elementos coesivos como referência

para chegarem à alternativa correta com segurança.

Cabe aos educadores continuarem esse trabalho sistemático com relação à leitura, evidenciando a necessidade da prática em

sala de aula de questões que saiam do nível de respostas óbvias e que propiciem uma análise mais profunda dos textos lidos.

Questão Nº 12

Os adjetivos increased, artificial, different, huge e essential, destacados no texto, têm como formas OPOSTAS, respectivamente:

A) decreased; natural; the same; tiny; unnecessary;

B) discreased; natural; the same; very small; necessary;

C) decreased; unnatural; equal; giant; unnecessary;

D) uncreased; disartificial; unequal; tiny; unnecessary;

E) decreased; disartificial; the same; tiny; disnecessary.

Comentário

A B C D E

51% 18% 10% 8% 13%

Índice de Dificuldade: 49%

A questão avalia:

• A compreensão lexical e o uso de afixos.

Considerando que 51% dos alunos conseguiram chegar à resposta certa, vemos uma melhoria em relação ao estudo do

vocabulário, que parece estar sendo mais explorado na leitura de textos em sala de aula. O índice de dificuldade foi considerado

mediano e o índice de discriminação foi muito bom, já que 82% dos alunos de desempenho superior acertaram a questão.

Assim, podemos dizer que está havendo um trabalho contextualizado contemplando o léxico, a formação de palavras com

reconhecimento de afixos, dentro de contextos.

Questão Nº 13

Com base no texto, analise as afirmativas, assinalando F para as falsas e V para as verdadeiras. Em seguida, assinale a

seqüência CORRETA:

I) ( ) Colorantes e conservantes artificiais utilizados em alimentos podem contribuir para o aumento de hiperatividade em

crianças.

II) ( ) Os problemas econômicos que envolvem a questão dos colorantes e conservantes em alimentos e a hiperatividade em

crianças são insignificantes.

III) ( ) O estudo da relação entre hiperatividade infantil e o consumo de colorantes e conservantes em alimentos tem sido

desenvolvido nos últimos 30 anos.

IV) ( ) Mesmo que haja uma redução pequena na hiperatividade das crianças em geral, o benefício obtido será significativo, se

considerarmos a questão em termos de uma sala de aula.

V) ( ) A diminuição do consumo de colorantes e conservantes em alimentos leva também a uma diminuição considerável na

hiperatividade das crianças.

A) F V F V F

B) V F V V F

C) V F V F F

D) F F V V V

E) F V F F V

A B C D E

7% 49% 19% 19% 6%

Índice de Dificuldade: 51%

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 46­52, set. 2008

49


Comentário

Esta questão avalia:

50

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A leitura significativa de textos;

A capacidade de compreender detalhes do texto, utilizando as estratégias de leitura, e de inferir significados a partir de um

contexto que apresenta vocabulário que talvez seja desconhecido do aluno.

49% dos alunos conseguiram identificar a resposta correta, com um índice bom de discriminação, mas que exige certo

aprimoramento no trabalho em sala de aula. Há necessidade de reforço com relação a leituras significativas, levando o aluno a ter

atenção a detalhes, fazer inferências, fazer deduções e ler nas entrelinhas.

Questão Nº 14

Garfield site: june 15/2007

Assinale a ÚNICA afirmação que NÃO pode ser comprovada no texto lido:

A) A namorada de Jon sabe que está sendo difícil para Garfield seguir a dieta.

B) Garfield não conseguiu controlar sua fome e comeu a carteira da namorada de Jon.

C) A namorada de Jon está procurando sua carteira.

D) A namorada de Jon parou de fazer dieta.

E) Devido à dieta que Garfield está fazendo, a namorada de Jon oferece­lhe apoio moral.

Comentário

A B C D E

8% 18% 9% 49% 16%

Índice de Dificuldade: 51%

A questão avalia:

A leitura significativa de texto em forma de tirinha;

A capacidade de detectar informações específicas dentro de um contexto.

A maior complexidade desta tirinha impediu um desempenho melhor, mas, mesmo assim, 49% dos alunos obtiveram sucesso

na escolha da resposta correta. O índice de dificuldade foi considerado médio e a questão discriminou muito bem, sendo que 82%

dos alunos de desempenho superior acertaram a questão.

O resultado obtido aponta para pequenas falhas de atenção do próprio aluno em relação à leitura do texto. Há uma necessidade

de o educador continuar dando prioridade a todo gênero de texto, inclusive tirinhas que demandam uma inferência em grau mais

complexo.

3ª Etapa

The Green Campus

How to teach new respect for the environment? The 3 Rs: reduce your carbon footprint, reuse and recycle.

By Anne Underwood

Newsweek ­ Aug. 20­27, 2007

Traveling Science Fair: Dartmouth’s Big Green Bus is fueled by

waste cooking oil

More and more colleges are seriously worried about going green. In June, 284 university presidents representing some of the

nation’s most influential schools announced an agreement promising to make their campuses “carbon neutral”. The message

was clear. “We’re saying that sustainability is no longer an elective,” says Cornell president David Skorton.

2ª Etapa

Questão Nº 15

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Em outubro de 2007, o alemão Gerhard Ertl foi laureado com o prêmio Nobel de química pelos seus trabalhos realizados no campo

da química de superfície. Essa área da química estuda as características da superfície de materiais, tais como estado de oxidação,

estruturas atômicas e eletrônicas, interações químicas entre a superfície e outras substâncias. De acordo com os organizadores, os

estudos de Ertl ajudaram a entender os mais diversos fenômenos, tais como o processo de oxidação do ferro (Fe) pelo oxigênio

do ar (O 2 ) e a destruição da camada de ozônio, e também foi de fundamental importância no desenvolvimento de sistemas como

as células combustíveis e catalisadores veiculares.

De acordo com o texto e com os conhecimentos sobre o assunto, assinale a alternativa INCORRETA.

A) Um catalisador veicular é utilizado para acelerar a conversão de alguns gases provenientes da combustão em produtos

menos nocivos ao meio ambiente.

B) No processo de oxidação do ferro no meio ambiente, os elétrons são transferidos do ferro para o oxigênio.

C) Células combustíveis são dispositivos eletroquímicos, nos quais um combustível é consumido com a finalidade de se produzir

energia.

D) Em uma célula combustível (pilha) de H 2 /O 2 (produto é H 2 O), o hidrogênio é fornecido no lado do ânodo e o oxigênio no

lado do cátodo.

E) A principal substância destruidora da camada de ozônio é o dióxido de carbono.

Comentário

A B C D E

11% 27% 9% 38% 15%

Índice de Dificuldade: 85%

A questão aborda conceitos relacionados a conhecimentos atuais e históricos, que muitas vezes não são explorados no contexto

da sala de aula. Além disso, traz uma grande preocupação ambiental ligada ao uso de combustíveis alternativos, e também

conceitos acerca de processos eletroquímicos que são de grande importância para a explicação de diversos fenômenos que

acontecem em nosso dia­a­dia. Com isso, o estudo da química torna­se mais prazeroso e incentiva os alunos à busca pela

leitura.

A questão apresentou um índice de dificuldade alto, mesmo trabalhando com temas do cotidiano. Acreditamos que a dificuldade

dos alunos esteja relacionada com os conceitos de eletroquímica e cinética química. Sugerimos que esse tema seja trabalhado

a partir de experimentos, de modo que o aluno possa construir o conhecimento de forma significativa.

Questão Nº 16

A Química desempenha um importante papel na sociedade, garantindo, ao contrário do que muitas pessoas pensam, uma

melhor qualidade de vida para toda a população. Vários são os exemplos, e, dentre eles, podemos citar aquele relacionado à

cloração da água, uma das etapas essenciais do tratamento da água, realizada com intuito de desinfetar a água, matando

microrganismos patogênicos. Originalmente, o gás cloro (Cl 2 ) é dissolvido em água para reagir e formar o ácido hipocloroso

(HClO), que ioniza em meio aquoso, gerando o íon hipoclorito (ClO ­ ), que é o agente de desinfecção e ácido clorídrico (HCl),

conforme apresentado pela equação química a seguir.

Cl 2(g) + H 2 O (ℓ) HClO (aq) + HCl (aq)

Com relação ao processo descrito anteriormente, assinale a alternativa CORRETA.

A) O processo mostra uma reação em que os dois átomos da molécula de cloro (Cl 2 ) sofrem oxidação.

B) Neste processo, após a reação química, um átomo de cloro passa a ter Nox igual +1 e o outro passa a ter Nox igual ­1.

C) Os hidrogênios da molécula de água sofreram oxidação.

D) O oxigênio da molécula de água sofreu uma redução.

E) Nenhum átomo mudou o seu Nox durante a reação representada pela equação anterior.

Comentário

A B C D E

23% 36% 14% 11% 16%

Índice de Dificuldade: 64%

A questão apresenta uma situação prática de aplicação da química para o bem da sociedade, buscando mudar a idéia de que a

química é responsável pela poluição, trazendo uma aplicabilidade importante dessa ciência, que é no tratamento da água,

deixando­a com uma qualidade tal que ficamos resguardados de muitos problemas que apareceriam, caso não se fizesse o

tratamento citado e outros. Ela também busca avaliar no aluno a capacidade de reconhecer espécies que sofrem redução e

oxidação em uma reação química.

A questão apresentou um índice de dificuldade elevado (64% de erros), apesar de trabalhar conceitos básicos, tais como número

de oxidação. A identificação do número de oxidação de uma substância química é a base para o entendimento das reações de

oxi­redução.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 46­52, set. 2008 Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 53­58, set. 2008

55


PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

A partir da situação anterior e das características envolvidas, assinale a alternativa INCORRETA:

A) O sólido 2 no fundo do recipiente é o alumínio, pois sua densidade é maior que a da água e do CCl 4 .

B) Não podemos afirmar nada sobre os sólidos 1 e 2, pois a diferença de densidade não possibilitará a separação desejada.

C) O sólido 1 na interface dos líquidos 1 e 2 são pedaços de garrafa plástica, pois sua densidade é maior que a da água, porém

menor que a do CCl 4 .

D) Água e tetracloreto de carbono não se misturam, e com isso podemos concluir que o tetracloreto de carbono é uma substância

de caráter apolar.

E) A fase líquida superior (líquido 1) é a água, pois sua densidade é menor que aquela do tetracloreto de carbono.

Comentário

54

A B C D E

12% 52% 13% 15% 8%

Índice de Dificuldade: 48%

A questão aborda diferentes conceitos tais como densidade, forças intermoleculares, conceitos esses de extrema importância

em nossas vidas, pois é a partir deles que passamos a compreender vários fenômenos interessantes em nosso cotidiano. O

aluno é colocado frente a uma situação­problema em que, fazendo uso de seus conhecimentos e um bom raciocínio, pode

resolvê­la sem grandes problemas.

Esta questão teve um bom índice de acerto, o que mostra que os alunos fizeram uma boa interpretação do que foi exposto na

questão. Contudo, podemos observar que boa parte dos alunos ainda optaram pela alternativa “D”, o que mostra deficiência na

questão relativa à interpretação e reconhecimento de substâncias apolares e polares, bem como à tendência que elas apresentam

em interagir umas com as outras.

Questão Nº 30

Suponha que os elementos do planeta SAIP tenham a mesma periodicidade que elementos aqui na Terra. Suponha também que

o planeta SAIP tenha uma Tabela Periódica dos Elementos. Aqui é apresentada uma parte da Tabela Periódica e uma tabela de

raios atômicos.

O n

C h E M

Elemento Raio Atômico (pm)

1 90

2 120

3 140

4 180

1 pm = 1 picômetro 10 ­12 metros

Com relação às afirmações anteriores, assinale a alternativa INCORRETA:

A) Os elementos 1, 2, 3 e 4 são, respectivamente, os elementos On, M, E e Ch.

B) Entre os elementos Ch, E e M, o de maior energia de ionização é o elemento M.

C) Entre os elementos On e E, o de menor energia de ionização é o elemento On.

D) O elemento On é o de maior eletronegatividade, dentre os quatro representados.

E) Entre os elementos E e M, o de menor eletronegatividade é o elemento E.

Comentário

Líquido 1

Líquido 2

A B C D E

22% 18% 24% 22% 14%

Sólido 1

Sólido 2

Índice de Dificuldade: 76%

A questão busca avaliar se o aluno tem conhecimento sobre as principais propriedades periódicas da Tabela Periódica, com o

intuito de que, a partir desses conhecimentos, ele possa fazer previsões de combinação entre elementos, assim como suas

propriedades e possíveis aplicações em nosso cotidiano. Esses conceitos são, sem dúvida, de extrema importância para o

campo tecnológico.

O resultado nos mostra que os alunos têm grande dificuldade em relacionar de maneira adequada as propriedades periódicas,

no sentido de estabelecer relações convenientes e fazer previsões com base nessas propriedades, pois o índice de erros foi de

76%.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 53­58, set. 2008

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Their motivation wasn’t merely to reduce energy consumption and waste. As a $315 billion sector of the economy—and one that will

train future leaders—higher education has a special responsibility to encourage environmental management. The university

presidents hope that even students who don’t pursue increasingly popular majors in environmental studies will learn simply from

being on a green campus absorbing everyday messages of conservation. “In the long run, students will say, ‘Why would I want to go

to a school that doesn’t care about this?’ ”, says Michael Crow, president of Arizona State University, which has made a major

commitment to sustainability.

At Harvard, going green starts before students even arrive on campus, when freshmen receive mailings urging them to buy only

energy­efficient refrigerators for their dorm rooms and purchase compact fluorescent bulbs, which use an average of 18 watts

apiece instead of 75. But some of the most effective lobbying comes from students themselves. Harvard pays 20 undergraduates

to help get the green message out to fellow students in a fun way. One day a year, students collect trash from Harvard Yard and pile

it into a single heap, called “Mount Trashmore.” The giant mound reminds students how much they are throwing away—and how

much waste they could avoid by recycling. Students even compete to come up with the best eco­themed cartoons. “Energy use in

the dorms has decreased 15 percent over the past few years, and recycling has risen 40 percent,” said Leith Sharp, head of the

Harvard Green Campus Initiative

Questão Nº 11

Com base no texto, analise as afirmativas, assinalando F para as falsas e V para as verdadeiras. Em seguida, assinale a

seqüência CORRETA.

1­ ( ) Uma lâmpada fluorescente consome em média 75 watts.

2­ ( ) De acordo com David Skorton, a sustentabilidade ambiental não é mais uma questão eletiva, mas, sim, que exige atitudes

urgentes.

3­ ( ) Os alunos calouros de Harvard recebem instruções claras sobre comprometimento ambiental somente após sua chegada

ao campus universitário.

4­ ( ) O principal objetivo da Universidade do Estado de Arizona é motivar a diminuição do consumo de energia.

5­ ( ) Na Universidade de Harvard, o projeto ambiental tem sido bem sucedido.

A) F V F F V

B) F F F F V

C) V F F V F

D) V V V F V

E) F V V V F

Comentário

A questão avalia:

A leitura significativa de textos;

A capacidade de compreender detalhes do texto, utilizando as estratégias de leitura, e de inferência de significados a partir de

um contexto.

Esta questão teve 44% de acertos, o que significa um grau de dificuldade mediano e um índice de discriminação muito bom.

O tema central do texto, o meio­ambiente, é um assunto bastante difundido, e o conhecimento de mundo que o aluno traz

influencia bastante para uma leitura significativa. O próprio assunto em foco leva à inferência do significado de palavras

desconhecidas, e a leitura minuciosa, cuidadosa das alternativas da questão também é um auxílio que não deve ser desprezado.

Esses detalhes devem ser explorados pelo professor, numa tentativa de levar o aluno a fazer uma leitura mais consciente, com

maior probabilidade de acertos.

Questão Nº 12

O fragmento “Energy use in the dorms has decreased 15 percent…”, said Leith Sharp” destacado no texto, em discurso indireto

é:

A) Leith Sharp was saying energy use in the dorms was decreased 15 percent.

B) Leith Sharp said energy use in the dorms had been decreased 15 percent.

C) Leith Sharp said energy use in the dorms had decreased 15 percent.

D) Leith Sharp asked if energy use in the dorms decreased 15 percent.

E) Leith Sharp admitted that energy use in the dorms has decreased 15 percent.

Comentário

A B C D E

44% 12% 8% 16% 20%

Índice de Dificuldade: 56%

A B C D E

12% 24% 42% 12% 10%

A questão avalia:

Índice de Dificuldade: 58%

• O conhecimento de elementos lingüísticos com foco nos tempos verbais para a formação do discurso indireto.

42% dos alunos conseguiram acertar esta questão, o que demonstra que este ponto gramatical está sendo trabalhado, porém

deveria ser mais intensamente explorado em sala de aula. A transferência de discurso direto para indireto requer o conhecimento

de detalhes gramaticais, formas verbais e compreensão da mensagem dita, dentro de um espaço de tempo. Para que os alunos

sintam­se realmente seguros, o trabalho em sala de aula deve ser sistemático. Os alunos devem ser expostos a várias questões

semelhantes no seu dia­a­dia de sala de aula de língua estrangeira. Talvez a pouca ênfase dada a esse tipo de trabalho seja a

responsável pelo índice obtido na questão.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 46­52, set. 2008

51


Questão Nº 13

52

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Todas as alternativas abaixo podem ser comprovadas pelo texto, EXCETO:

A) A Universidade de Harvard paga a 20 alunos para ajudarem na divulgação da idéia de sustentabilidade ambiental entre os

demais alunos, de forma lúdica.

B) O “campus verde” possibilitará a todos os seus alunos despertarem para as questões ambientais, simplesmente vivenciando

mensagens do dia­a­dia.

C) A coleta de lixo anual que ocorre na Universidade de Harvard tem como objetivo conscientizar os alunos quanto ao desperdício

praticado por eles e à necessidade de reciclagem de materiais.

D) O acordo firmado entre 284 representantes de universidades americanas teve como objetivo principal a redução do consumo

de energia e lixo.

E) A campanha verde na universidade de Harvard já levou a uma redução de 15% no consumo de energia e um aumento de 40%

na prática da reciclagem.

Comentário

A B C D E

29% 19% 13% 34% 5%

Índice de Dificuldade: 66%

A questão avalia:

• A leitura significativa de textos;

• A capacidade de entender a temática geral do texto, com especial atenção a alguns detalhes importantes para uma leitura

realmente significativa.

Embora as opções envolvidas não tenham tido um grau de exigência muito grande, o índice de acerto foi bem abaixo do esperado.

Acreditamos que a palavra EXCETO tenha contribuído para este resultado, pois somente uma leitura bastante criteriosa, com

especial atenção a esta particularidade, teria levado a um resultado mais satisfatório. Muitas vezes os alunos não se atêm a

certas palavras que mudam o foco das instruções e cometem erros que poderiam ser evitados. O professor, em sala de aula, é

o responsável por chamar a atenção de seus alunos para esses pequenos detalhes que podem reverter este quadro, elevando

o número de acertos. Com 66% de erros, pode ser considerada uma questão difícil para o grupo.

Questão Nº 14

Leia a tirinha abaixo:

O último quadro diz que:

A) O peixe se escondeu por ser tímido.

B) É um peixe raro.

C) Garfield acaba de comer o peixe.

D) A namorada de Jon não vai mais esperar o peixe.

E) Garfield gosta de praticar mergulho.

Comentário

Garfield site Agosto 2007.

A B C D E

27% 8% 51% 5% 9%

Índice de Dificuldade: 49%

A questão avalia:

A leitura significativa de texto em forma de tirinha;

A capacidade de inferir significados a partir de informação não­verbal.

51% dos alunos foram capazes de apontar a resposta correta, o que demonstra um trabalho mais intenso com relação à leitura

de imagens ligadas a texto. A questão discriminou bem, e percebemos que os alunos conseguiram captar a mensagem

humorística, que, na verdade, precisa ser inferida.

As deficiências apresentadas poderiam diminuir, se os educadores trabalhassem sempre de forma contextualizada, abandonando o

estudo de questões lingüísticas de forma fragmentada. Comprovadamente, o trabalho contextualizado leva a um melhor desenvolvimento

e, conseqüentemente, a um melhor desempenho.

Nossa sugestão é que seja desenvolvido um trabalho que utilize atividades que valorizem tanto a leitura rápida para captar informações

gerais do texto, quanto a busca de informações centrais que possibilitem a identificação de dados específicos levando à compreensão

adequada, fugindo, assim, do ensino tradicional, descontextualizado. Essa preocupação deve ser uma constante na prática docente. A

exploração de atividades com esse foco beneficia os alunos em suas leituras, proporcionando­lhes maturidade e segurança na interpretação

e escolha da alternativa correta.

Percebemos a necessidade de um trabalho contínuo e sistemático que contemple o estudo das estruturas da língua também de forma

contextualizada. Os educadores devem oportunizar situações em que os alunos vivenciem questões semelhantes às desta avaliação,

utilizando estratégias diferenciadas e material pedagógico apropriado, para envolver os alunos e promover uma consolidação dessas

estruturas de forma consciente.

1ª Etapa

Questão Nº 27

PIAS ­ Programa de Ingresso por Avaliação Seriada

Átomos de elementos químicos, iguais ou diferentes, interagem por meio de ligações moleculares, iônicas ou coordenadas,

possibilitando, assim, a formação de inúmeros compostos, com as mais diferentes propriedades.

As ligações covalentes caracterizam­se pelo compartilhamento eletrônico, identificado nas substâncias:

A) H 2 , NaCl, NH 3

B) O 2 , KCl, CaCl 2

C) Cl 2 , Na 2 O, HF

D) F 2 , MgCl 2 , O 3

E) N 2 , H 2 O, HCl

Comentário

Área de Ciências da Natureza e Matemática

Química

A B C D E

30% 14% 13% 16% 27%

Índice de Dificuldade: 73%

A questão explora os conceitos relacionados às ligações químicas, que são as “grandes responsáveis” pela (trans)formação da

matéria, sendo seu conhecimento de suma importância para o aluno entender como as substâncias podem ser usadas para os

mais diferentes fins em nosso cotidiano. Neste caso, é trabalhada mais especificamente a ligação covalente.

O problema aqui encontrado é que os alunos não estão conseguindo, através de análise da Tabela Periódica, prever qual o tipo

de ligação que surgirá entre os átomos. Para tal, devemos explorar em uma seqüência lógica os conceitos de raio atômico,

energia de ionização, eletroafinidade, no sentido de dar subsídios ao aluno, de forma que ele reconheça facilmente o tipo de

ligação com base nos elementos químicos que estão envolvidos.

Questão Nº 28

Indicadores ácido­base são espécies extremamente importantes para verificarmos se um dado meio está ácido, neutro ou

básico. Um dos indicadores mais empregados na Química em geral é o azul de bromotimol, que se apresenta amarelo em meio

ácido, verde em meio neutro e azul em meio básico. A partir dessas informações, julgue os itens abaixo:

I) Numa solução contendo um limpador de fornos a base de NaOH, o azul de bromotimol apresentará a coloração azul.

II) Se colocarmos Ajax® , um “limpa tudo” a base de amônia (NH 3 ), em água e, logo em seguida, adicionarmos o indicador azul

de bromotimol, teremos uma solução de cor amarela.

III) Se pegarmos um refrigerante do tipo Sprite ® (contém H 2 CO 3 ) e gotejarmos azul de bromotimol, o indicador se apresentará

com a cor amarela.

IV) Se pegarmos um limão (sabor azedo) e “espremermos” seu suco em um copo contendo azul de bromotimol, iremos

observar a coloração azul.

Estão CORRETAS as afirmativas contidas em:

A) I e IV, apenas

B) I e III, apenas

C) II e III, apenas

D) I, II e IV, apenas

E) II, III e IV, apenas

Comentário

A B C D E

11% 37% 24% 17% 11%

Índice de Dificuldade: 63%

A questão apresenta situações­problema em que o aluno terá que raciocinar frente a uma questão de uso de indicadores para ver

se um meio está ácido ou básico. Para se sair bem, o aluno deveria ter a capacidade de reconhecer quais espécies são ácidas

e quais são básicas, e tomar a decisão correta frente ao problema.

A maioria dos alunos acertou o item correto, porém grande parte errou, fazendo a opção pela letra “C”. Talvez isso seja decorrente

do fato de que o aluno não consegue reconhecer a molécula de amônia (NH 3 ) como uma base, pois ele traz consigo a idéia de

que, para ser base, a substância deverá conter obrigatoriamente hidroxilas tais como NaOH, KOH, Ca(OH) 2 , etc.

Questão Nº 29

O tetracloreto de carbono (CCl 4 ), nas condições ambiente (25 o C), é um líquido que possui densidade igual a 1,58 g/cm 3 ,

enquanto a água, nas mesmas condições, possui densidade igual a 1 g/cm 3 . Você tinha uma mistura de pedaços de alumínio

(d = 2,70 g/cm 3 ) e de garrafa plástica de refrigerante (d = 1,37 g/cm 3 ) e, para separá­los, você fez o seguinte experimento: colocou

em um recipiente um certo volume de tetracloreto de carbono, seguido de um mesmo volume de água em um recipiente; em

seguida, você adicionou pedaços da mistura de alumínio e da garrafa plástica ao recipiente, quando se observou a seguinte

situação.

Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 46­52, set. 2008 Dial. com o Pias, Uberaba, MG, v.7, n.7, p. 53­58, set. 2008

53

More magazines by this user
Similar magazines