Press Kit - Festa do Cinema Italiano

festadocinemaitaliano.com

Press Kit - Festa do Cinema Italiano

½

8Festa do

Cinema italiano

6ª edição

O 8 ½ Festa do Cinema Italiano

regressa em 2013, de 20 de Março a 9

de Junho, para celebrar a sua 6ª edição

com o objetivo de trazer a Portugal uma

seleção das mais relevantes produções

cinematográficas italianas.

Numa edição marcada pela passagem do

evento para o Cinema São Jorge o cartaz

apresenta uma mostra das melhores

longas – metragens (em competição e

fora de competição) produzidas ao longo

da última temporada em itália; ciclos

de retrospectiva (Focus: Mani in Alto!

Cinema de género italiano dos anos 70),

uma homenagem aos 50 anos de 8 ½

de Federico Fellini e de Il Gattopardo, de

Luchino Visconti (Amaracord). A grande

novidade este ano a nível de estrutura

de programação, é o lançamento da

secção Altre Visioni, composta por obras

que refletem uma abordagem singular à

linguagem cinematográfica. É dado ainda

espaço à música, com o concerto dos

Calibro 35, banda inspirada nas trilhas

sonoras dos policiais italianos dos anos

70. Haverá ainda lugar para a exibição

de uma seleção de curtas numa sessão

especial dedicada ao jovem autor Alessio

di Zio.

Como já é hábito, a Festa do Cinema

Italiano é ainda pautada por uma série

de eventos (Dopo le 8 ½), onde se

incluem encontros, concertos, festas,

cine-jantares e cine-aperitivos.

À semelhança do que aconteceu na

passada edição, os espetadores do 8

½ têm uma palavra a dizer, através do

prémio do público, distinção que, a par

do Prémio Oficial Rottapharm – Madaus

– atribuído pelo painel dos jurados

do 8 ½ - visa distinguir os filmes em

competição.

Para dar continuidade ao seu processo

de itinerância e devido ao elevado

grau de aceitação que o 8 1/2 obtém

um pouco por todo o país, este ano

a Festa faz-se à estrada novamente

e vai até a Coimbra, Funchal, Porto,

chegando, pela primeira vez ao Algarve,

mais precisamente à cidade de Loulé.

Esta edição é também pautada pela

primeira incursão do 8 ½ no circuito

internacional, voando em Junho até

Luanda, Angola.

A realização da Festa do Cinema Italiano

não seria possível sem a fundamental

colaboração das muitas entidades que

apoiam e patrocinam o evento. A todas

elas, a organização dirige os seus mais

sinceros agradecimentos, com menção

especial à Embaixada de Itália, Instituto

Italiano de Cultura de Lisboa, Câmara

Municipal de Lisboa/EGEAC, Cinema

São Jorge e ao patrocinador Oficial,

Rottapharm – Madaus.


No ciNema Nada se perde,

tudo se traNsforma

Talvez o cientista Antoine Laurent

Lavoisier tivesse gostado de ver a

sua célebre lei transformada no título

de um pequeno escrito destinado a

circular em papéis, sites da internet,

flyers, artigos de imprensa. Num

tempo onde se lamenta continuamente

a perda de patrimónios culturais e

artísticos, a carência de valores éticos, o

desaparecimento de um passado mítico

que não aparenta vontade de regressar

em breve, decidimos refletir sobre o

que permanece e como permanece.

E deparámo-nos de imediato com

uma série infindável de belíssimas

transmutações que animam esta 6ª

edição de 8 1/2 - Festa do Cinema

Italiano.

Metralhadoras e gabardinas.

Comecemos pelo fenómeno todo

italiano conhecido sob a definição de

cinema di genere, que podemos traduzir

aproximadamente com B-movies. Dentro

desse grande contentor encontramos

as gabardinas dos célebres spaghetti

western e o policial violento dos anos

Setenta, mas também o cinema de

terror que na Itália conhece uma fortuna

sem igual. Trata-se de uma categoria

de filmes fortemente caracterizados

pelo género cinematográfico ao qual

fazem referência. Produções baratas,

industriais, onde se reaproveitam

cenários, personagens, atores, guiões.

Muitas vezes inspiram-se em grandes

produções hollywoodianas de êxito

certeiro. Cinecittà como Bollywood.

E o deserto de Almería transmuta-se

na América de italianíssimos sonhos

adolescentes. Milano, alienada nouvelle

métropole que acaba de sair do boom

económico dos Sessenta, torna-se

mais violenta que qualquer city estadounidense.

O cinema di genere foi

muitas vezes acusado injustamente de

superficialidade, vítima de uma legítima

mas maioritária visão da arte que não

deixa espaço ao entretenimento. Esta

desclassificação do género aconteceu

segundo um processo semelhante - e

que está na sua origem - que viu nascer

a oposição entre narrativa literária

e narrativa popular. E todo o mundo

esquece que Os miseráveis ou Os

três mosqueteiros foram em princípio

feuilletons graças aos quais os seus

autores sobreviviam (mal) e o público

divertia-se (muito) e aprendia a pensar.

Hoje encontram-se nas prateleiras

dos clássicos da literatura e os seus

autores entre os gigantes de todos os

tempos. É assim que ao longo da última

década o cinema di genere passou a ser

cinema de culto; películas que todos

davam por mortas ganharam nova vida,

transformando-se também em modelos

para recentes produções de grande

êxito. E nós queremos dar-lhes uma

"nova vida portuguesa", mostrando ao

nosso público o melhor do cinema di

genere italiano e, no caso de alguns

filmes, pela primeira vez.

Historia magistra vitae. Outra

transformação cinematográfica que

registámos foi a da história italiana dos

anos que seguiram o Maio de '68. As

recordações dolorosas do massacre de

Piazza Fontana juntam-se à investigação

mais documentada e fazem-se cinema

em Romanzo di una strage di Marco

Tullio Giordana. A realidade torna-se

ficção para que nada se perca. Para

que a memória não desvaneça, mas

se transforme antes em consciência.

Paralelamente, as recordações cómicas

de três jovens daqueles anos coagulamse

num road movie que finalmente

nos faz sorrir. Em I primi della lista de

Roan Johnson vê-se a estratégia da

tensão inaugurada pelos factos de

Piazza Fontana transformar-se em vida

quotidiana; a História com H maiúsculo

humaniza-se com ironia, mas permanece

sempre como magistra vitae.

Tudo deve mudar para que tudo fique

como está. Eis uma pessoalíssima

interpretação do postulado de Lavoisier,

da autoria de Fabrizio Corbera, Príncipe

de Salina. Tudo mudou em volta de Il

Gattopardo de Luchino Visconti, mas

o filme perdurou na sua grandeza

cinematográfica e volta a mostrarse

ao público português no ano do

seu cinquentenário. Porém, há outro

"esplêndido cinquentão" do cinema

italiano - nosso mentor e nossa

inspiração - que nos vem visitar este

ano a Portugal. 8 1/2 de Federico Fellini

regressa do sem-tempo que o caracteriza

e a maravilhosa rumba da Saraghina

soltar-se-á de novo na nossa imaginária

praia-plateia lusitana. E é ainda graças

a um processo de transformação que

ambas as películas voltam a espalhar a

sua magia, a um restauro cuidadoso que

é garantia da sua persistência no futuro

do Cinema.

La famiglia. Grande protagonista da

história do Cinema Italiano, a família

continua a ser objeto da investigação

dos autores contemporâneos. Tornase

o reagente que em contacto com

a máquina fílmica traz à superfície

as idiossincrasias da Itália de hoje.

Encontramos a solidão de Leone na

comédia Una famiglia perfetta di Paolo

Genovesi, que contrata uma inteira

companhia de teatro para representar

a família que nunca teve. O cinismo

tragicómico de È stato il figlio de

Daniele Ciprì, onde a sobrevivência da

família torna-se castigo para os seus

membros mais fracos. É um jogo feito de

equilíbrios que se partem e se recriam

segundo regras próprias. Em Pulce non

c'è de Giuseppe Bonito a estabilidade

de uma família que vive a diversidade

de uma maneira muito própria e serena,

é destruída de repente por uma terrível

suspeita: a máquina judicial começa

o seu trabalho e passa por cima do

Humano com a fria brutalidade de um

tanque. Paralelamente, é uma banal

traição a quebrar o equilíbrio da família

de Giulio em Gli equilibristi de Ivano De

Matteo. Funâmbulo suspenso sobre as

adversidades da vida, Giulio acaba por

cair no abismo porque o seu próprio

orgulho impede-o de ter qualquer rede

de segurança. O mesmo amparo que

vem a faltar com a morte dos pais aos

jovens irmãos protagonistas de Il futuro

de Alicia Scherson, baseado no conto

Una novelita lumpen do escritor chileno

Roberto Bolaño. Para eles a vida adulta

chega sem pedir licença, sórdida e

cruel. Por fim, em Tutto parla di te Alina

Marazzi dá-nos um doloroso retrato

da complexidade da experiência da

maternidade, demasiadas vezes pintada

em tons cor-de-rosa, restituindo voz às

muitas mulheres que ficam presas na

vergonha da depressão post-partum, da

própria não-conformidade ao modelo

feminino dominante.

Merece atenção especial Bellas

Mariposas de Salvatore Mereu, filme

que tem vindo a atrair a atenção da

crítica internacional. Um dia na vida

de Cate e Luna, contado por uma das

protagonistas desta história suspensa

entre sonho e realidade que se passa na

periferia de Cagliari (Sardenha).

Tudo se transforma, nada se perde,

num mosaico de metamorfoses

cinematográficas. Lavoisier confortanos

neste nosso barulhento século

XXI. Quando tivermos medo da nossa

distração ou da nossa fraqueza,

podemos ficar descansados. O

Cinema está lá para nós, a garantir

a continuidade do pensamento, da

observação da realidade, da memória,

dos sentimentos, das belezas e das

torpezas do nosso mundo. Apenas

temos que continuar a acreditar no seu

sonho infinito.


ConviDaDoS

Marco Tullio GiordaNa

20/24 de Março

O realizador da Melhor Joventude

volta a contar a história de Itália num

dos filmes mais apreciados da última

temporada.

Paolo GeNovese

22 /24 de Março

Depois do grande êxito de bilheteira

de Immaturi, Paolo Genovese regressa

a comédia de autor junto de Sergio

Castellitto com Una famiglia perfetta.

salvaTore Mereu

23/25 de Março

Os seus filmes (Ballo a tre passi,

Sonetàula e Tanajone) foram

apresentados e premiados em grandes

festivais internacionais como Veneza e

Berlim. Salvatore Mereu vem a Lisboa

para apresentar a sua última obra

Bellas Mariposas.

FraNcesco vairaNo

22/26 de Março

Um dos mais importantes directores de

dobragem italiano. Intérprete da voz de

alguns dos mais proeminentes atores

de Hollywood, tais como Roberto

Downey Jr., William Hurt, Geoffrey Rush,

deu também a voz a Gollum, no Senhor

dos Anéis, interpretada originalmente

por Andy Serkys. Será um dos

protagonistas do encontro SUB VS DUB.

alessio di Zio

26/28 de Março

Jovem realizador autodidata, Alessio di

Zio foi uma das mais belas surpresas

do novíssimo cinema italiano. Apresenta

em Lisboa uma serie de curtas e media

metragens entre as quais a premiada “

Le Favole di Casimiro”

DeStaqueS

DIA 21

21h30

Cinema São Jorge - Sala Manoel de

Oliveira

Sessão de Abertura

Romanzo di una strage

de Marco Tullio Giordana – Com a

presença do realizador

DIA 22

19h15

Cinema São Jorge – Sala Manoel de

Oliveira

Gli equilibristi

Ivano de Matteo

21h30

São Jorge – Sala Manoel de Oliveira

È stato il figlio

Daniele Ciprì

21h00

Teatro do Bairro

Inicio do ciclo ManI In aLTO!

DIA 23

19h15

São Jorge – Salla Manoel de Oliveira

Bellas Mariposas

Salvatore Mereu – com a presença do

realizador

21h30

São Jorge – Sala Manoel de Oliveira

Una famiglia perfetta

Paolo Genovese - com a presença do

realizador

15h30 São Jorge - Sala Montepio

Sub vs Dub

DIA 24

15h30

Cinema São Jorge – Sala Manoel de

Oliveira

Benfica Torino 4-3

17h30

Cinema São Jorge – Sala Manoel de

Oliveira

Il Gattopardo,

Luchino Visconti

cópia digital restaurada

19h30

Centro das Artes Culinárias

Cine-Jantar

Miseria e nobiltà

DIA 25

21h15

São Jorge - Sala 3

La leggenda di Kaspar Hauser

Davide Manuli

DIA 26

21h15

São Jorge Sala 3

Il Corto Sessão Especial Alessio di Zio

19h15

São Jorge - Sala Manoel de Oliveira

Il Futuro

Alicia Scherson

DIA 27

21h30

São Jorge Sala Manuel de Oliveira

Pulce non c’è

Giuseppe Bonito

DIA 28

19h15

Cinema São Jorge - Sala Manoel de

Oliveira

Su re

Giovanni Columbu

21h30

Sessão de Encerramento

Cinema São Jorge sala Manoel de Oliveira

La migliore offerta

Giuseppe Tornatore

00h00

Ritz Clube

Concerto Calibro 35 + Festa de

Encerramento


SeCÇÕeS

PaNoraMa

coMPeTiTiva

alTre visioNi

Focus: MaNi iN alTo

aMarcord

il corTo

ascolTa

sessÕes esPeciais

doPo le 8½

DoPo


PANORAMA

Nesta secção, o 8 ½ apresenta uma seleção de longasmetragens

produzidas ao longo do último ano, aplaudidas

pelo público e pela crítica internacional. Um cinema que

não escolhe elites e que ainda assim prima pela qualidade

e pela originalidade artística, como comprova a grande

afluência do público nas salas italianas e o interesse especial

demonstrado por parte dos críticos mais exigentes.

romaNZo di uNa straGe

MARCO TULLIO GIORDANA

PANORAMA | Itália // 2012 // 130’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Marco Tullio Giordana

Fotografia

Roberto Forza

Montagem

Francesca Calvelli

Música

Franco Piersanti

Produção

Cattleya

Intérpretes

Valerio Mastandrea, Pierfrancesco Favino,

Michela Cescon, Laura Chiatti, Fabrizio

Gifuni

siNoPse

Milão, 12 de Dezembro de 1969: massacre de Piazza

Fontana. Um dos episódios mais sangrentos da recente

história italiana. A polícia segue uma pista anárquica e

para obter informações interroga Pinelli, anárquico não

violento, ao longo de 3 dias de jejum e insónia, ao fim dos

quais se precipita misteriosamente da janela do Gabinete

do Comandante Calabresi. Ausente no momento do

acontecimento, será ele a ser identificado como o direto

responsável. Continuando as indagações, Calabresi descobre

pistas neonazis e de tráfico ilícito de armas, encobertos pelos

Serviços Secretos e pelo Estado. No dia 17 de Maio de 1972,

Calabresi é assassinado.

SeCÇÕeS


La miGLior offerta

GIUSEPPE TORNATORE

PANORAMA | Itália // 2012 // 124’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Giuseppe Tornatore

Fotografia

Fabio Zamarion

Montagem

Massimo Quaglia

Música

Ennio Morricone

Produção

Warner Bros. Italia

Intérpretes

Geoffrey Rush, Jim Sturgess, Sylvia Hoecks,

Donald Sutherland, Philip Jackson

siNoPse

Virgili Oldman é um famosíssimo leiloeiro e grande

colecionador de arte, misantropo, misógino e riquíssimo,

obcecado com mulheres que não consegue se consegue

aproximar de ninguém que só pode possuir em retratos.

Assistido pelo velho amigo Billy, conseguiu formar uma

enorme coleção de retratos femininos que guarda num quarto

secreto. Nunca teve uma mulher ao seu lado e toda a sua

paixão está direcionada à arte, até receber o telefonema

de Claire, jovem e esquiva herdeira de um interessante

património familiar...

SeCÇÕeS


È stato iL fiGLio

DANIELE CIPRì

PANORAMA | Itália // 2011 // 90’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Massimo Guadioso, Daniele Ciprì em

colaboração com Miriam Rizzo

Fotografia

Daniele Ciprì em colaboração com Mimmo

Caiuli

Montagem

Francesca Calvelli

Música

Carlo Crivelli

Produção

Faro Film

Intérpretes

Toni Sevillo, Giselda Volodi, Alfredo Castro,

Fabrizio Falco, Aurora Quattrocchi

siNoPse

É um senhor desleixado chamado Busu que introduz a

história, narrada no futuro, da família Ciraulo que vive em

pobreza no bairro Zen de Palermo. Estacionado a frente da

porta dos Ciraulo está um esplendido Mercedes, comprado

com o dinheiro de compensação recebido após da morte da

filha Serenella, que se encontrou por acaso no meio de um

tiroteio entre mafiosos. O Mercedes é, porém, um símbolo da

riqueza que se transforma em miséria, instrumento de derrota

e ruína. Uma tragicomédia inspirada na obra È stato il figlio

de Roberto Alajmo.

SeCÇÕeS


uNa famiGLia perfetta

PAOLO GENOVESE

PANORAMA | Itália // 2012 // 120’// Cor // 35mm

FicHa TÉcNica

Argumento

Paolo Genovese, Luca Miniero, Marco Alessi

Fotografia

Fabrizio Lucci

Montagem

Consuelo Catucci

Produção

Medusa Film, Marco Belardi per Lotus

Intérpretes

Sergio Castellitto, Claudia Gerini, Marco

Giallini, Carolina Crescentini, Eugenio

Franceschini

siNoPse

Una famiglia perfetta é a história de Leone, um homem de 50

anos rico, poderoso e misterioso… mas, sobretudo sozinho.

No Natal, decide pagar a um grupo de atores para poder

passar os dias de festa em “família”. Os resultados irão além

das suas expectativas.

SeCÇÕeS


L’iNterVaLLo

LEONARDO DI COSTANzO

PANORAMA | Itália-Suiça // 2012 // 90’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Maurizio Braucci, Mariangela Barbanente,

Leonardo di Costanzo

Fotografia

Luca Bigazzi

Montagem

Carlotta Cristiani

Música

Tempesta e Amka films productions

Produção

Medusa Film

Intérpretes

Francesca Riso, Alessio Gallo, Carmine

Paternoster, Salvatore Ruocco, Antonio Buil

siNoPse

Nápoles, um prédio abandonado: Veronica fez uma afronta

ao boss da Camorra do seu bairro que aí a fechou à força;

Salvatore foi obrigado a fazer-lhe de guarda. Ela tem 16 e

é segura de si, quase sem vergonha. Ele é tímido, alto e

pesado. Não conseguiu dizer que não aos “sabujos” do

boss, mas também não consegue olhar a rapariga nos olhos,

fazer de carcereiro é uma humilhação para ele. Ambos são

prisoneiros naquele lugar deserto, à espera que o boss

chegue para dar a Veronica a punição que merece.

SeCÇÕeS


COMPETITIVA

Sete novos filmes, primeiras ou segundas obras, de autores

italianos concorrem ao prémio de melhor filme em competição.

Esta secção promove a descoberta dos registos mais

proeminentes do novo cinema italiano e de obras que se

destacam pela inovação a nível de conteúdo e de linguagem.

Foram selecionados sete filmes que pela sua ousadia e

capacidade expressiva, se distinguiram ao longo do último

ano afirmando-se através da sua competência e do desejo de

fazer cinema de qualidade.

a.c.a.B. aLL cops are Bastards

STEFANO SOLLIMA

COMPETITIVA | Itália // 2012 // 112’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Daniele Cesarano, Barbara Petronio,

Leonardo Valenti

Fotografia

Paolo Carnera

Montagem

Patrizio Marone

Música

Mokadelic

Produção

Cattleya

Intérpretes

Pierfrancesco Favino, Filippo Nigro, Marco

Giallini, Andrea Sartoretti, Domenico Diele

siNoPse

A.C.A.B é o acrónimo de All cops are bastards, chamada

universal à guerrilha civil. Três polícias de intervenção

mergulham na violência de uma sociedade exasperada,

privada das regras que eles querem fazer respeitar. Uma

jovem recruta educada à legalidade, à ordem e também à

violenta aplicação da lei, é a lente para contar uma realidade

controversa com um inédito olhar “de dentro”. Como pano

de fundo dos mais desconcertantes episódios de violência

urbana dos últimos anos em Itália.

ComPetitiva

SeCÇÕeS


BeLLas mariposas

SALVATORE MEREU

COMPETITIVA | Itália // 2012 // 100’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Salvatore Mereu

Fotografia

Massimo Foletti

Montagem

Patrizio Marone

Música

Train to Roots, Balentes, Antonio

Castrignanò, Rosalba Piras

Produção

Viacolvento, Rai Cinema

Intérpretes

Sara Podda, Maya Mulas, Davide Todde,

Simone Paris, Luciano Curelli

siNoPse

O filme, ambientado em Cagliari, conta a história de Cate e

Luna, duas meninas nos primeiros anos de uma adolescência

cheia de sonhos, medos e titubeação. Aproximam-se à “vida”,

nunca deixando de sonhar apesar da torpeza da periferia em

que vivem. Ou é mesmo o facto de viverem nesta degradação,

humana e material, que as empurra a um sentimento de fuga

e evasão?

ComPetitiva

SeCÇÕeS


GLi eQuiLiBristi

IVANO DE MATTEO

COMPETITIVA | Itália-França // 2012 // 100’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Valentina Ferlan, Ivano de Matteo

Fotografia

Vittorio Omodei Zorini

Montagem

Marco Spoletini

Música

Francesco Cerasi

Produção

Rodeo Drive, Babe Films

Intérpretes

Valerio Mastrandrea, Barbora Bobulova,

Rosabell Laurenti Sellers, Grazia Schiavo,

Antonio Gerardi

siNoPse

Giulio tem 40 anos e uma vida aparentemente tranquila: uma

casa alugada, um trabalho fixo, um carro em prestações,

uma filha rebelde mas simpática e um filho doce e sonhador,

uma mulher que ama… mas que trai. Giulio é descoberto e

deixado. Mas o que acontece a um casal que, hoje em dia,

“ousa” separar-se? O filme, através de uma sequência de

eventos, quer trágicos quer irónicos, acompanha-nos de mão

dada no mundo de um homem que de repente descobre o

quão pequena é a fronteira entre o bem-estar e pobreza.

SeCÇÕeS


i primi deLLa Lista

ROAN JOHNSON

COMPETITIVA | Itália // 2011 // 85’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Davide Lantieri

Fotografia

Tommaso Borgstrom

Montagem

Marco Guelfi

Música

Ratchev & Carratello

Produção

Palomar e Urania Pictures com Rai Cinema

Intérpretes

Caludio Santamaria, Francesco Turbanti,

Paolo Cioni, Sergio Pierattini, Daniela

Morozzi

siNoPse

Pisa, 1 de Junho de 1970. Uma história verdadeira.

No meio do movimento estudantil circulam vozes sobre

um golpe militar em Itália, como o dos coronéis gregos em

1967. Para os rapazes mais expostos, é melhor ir embora

por uns dias. Masi, famoso compositor de canções de luta

(A Bailada do Pinelli, o ino da extrema esquerda) decide

afastar-se juntamente com dois liceais, Lulli e Gismondi,

desejosos de tocar em concerto com ele. Ao longo da

viagem, os três encontram soldados armados e, presumindo

o pior, perdem a cabeça e esquecem-se da anual celebração

do dia da Republica.

SeCÇÕeS


iL futuro

ALICIA SCHERSON

COMPETITIVA | Itália-Chile-Alemanha-Espanha // 2013 // 94’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Alicia Scherson

Fotografia

Ricardo de Angelis

Montagem

Eduardo Henriquez, Caroline Chaspoul

Música

Eduardo Henriquez, Caroline Chaspoul

Produção

Christoph Friedel, Claudia Steffen, Mario

Mazzarotto, Emanuele Nespeca

Intérpretes

Manuela Martelli, Rutger Hauer, Luigi Ciardo,

Nicolas Vaporidis, Alessandro Giallocosta

siNoPse

Baseado em Una Nuvelita Lumpen de Roberto Bolaño, o

filme é a história de dois irmãos adolescentes, chilenos,

obrigados pela ditadura a exilar-se com a família em Itália.

Ficando órfãos, os dois são empurrados para uma dura vida

criminosa por dois verdadeiros delinquentes que se fingem

amigos. Quem os salva é Maciste (Rutger Hauer), ex-estrela

do cinema, cego mas sempre fascinante, musculoso e com

um coração gigante.

SeCÇÕeS


io soNo Li

ANDREA SEGRE

COMPETITIVA | Itália- França //2011 // 100’// Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Marco Pettenello, Andrea Segre

Fotografia

Luca Bigazzi

Montagem

Sara Zavarise

Música

François Couturier

Produção

Jolefilm con Aeternam Films em

colaboração com Rai Cinema e Arte Cinema

Intérpretes

Zhao Tao, Rade Sherbedgia, Marco Paolini,

Roberto Citran, Giuseppe Battiston

siNoPse

Shun Li trabalha num laboratório têxtil na periferia de Roma

para obter os documentos necessários à chegada do filho

em Itália. De repente, é transferida para perto de Veneza,

para trabalhar como empregada de balcão numa taberna que

Bepi, pescador de origem eslava, chamado ‘o Poeta’, costuma

frequentar. O encontro entre eles é uma fuga poética da

solidão, um diálogo silencioso entre culturas diferentes que

já não são distantes. Esta amizade, porém, incomoda quer

a comunidade chinesa quer a local, que se opõem a esta

relação da qual talvez ainda tenham demasiado medo.

SeCÇÕeS


puLce NoN c’È

GIUSEPPE BONITO

COMPETITIVA | Itália // 2012 // 97’ // Cor // 35mm

FicHa TÉcNica

Argumento

Monica Zapelli

Montagem

Roberto Missiroli

Música

Mokadelic

Produção

Overlook Production

Intérpretes

Pippo Delbono, Marina Massironi, Piera

Degli Espositi, Francesca di Benedetto,

Luduvica Falda

siNoPse

Pulce tem 9 anos, dois grandes olhos brilhantes, ouve Tango

e comunica continuamente, embora não fale. Pulce é autista.

Há cerca de 2 anos que a mãe tenta facilitar e melhorar a

vida da filha enquanto o pai, médico com ar de bruto, inventa

receitas de batatas para lhe acalmar o pânico noturno. Num

dia qualquer, Pulce é afastada da família pelos serviços

sociais sem muitas explicações porque contra o pai foi

lançada uma grave acusação. Através do sensível e atento

olhar da irmã Giovanna, entramos no quotidiano de uma

família anormal.

SeCÇÕeS


ALTRE

VISIONI

Com a secção Altre visioni 8½ pretende dar a conhecer

um conjunto de trabalhos dedicados aos autores que se

destacam no panorama italiano e internacional pela audácia

da sua abordagem estética e pelo desenvolvimento de uma

poética singular na maneira como fazem e pensam Cinema.

La LeGGeNda di Kaspar Hauser

DAVIDE MANULI

ALTRE VISIONI | Itália // 2012 // 85’ // P/B // 35mm

FicHa TÉcNica

Argumento

Davide Manuli

Fotografia

Tarek Ben Abdallah

Montagem

Rossella Mocci

Produção

Blue Film, Shooting Hope Productions

Intérpretes

Vincent Gallo, Elisa Sednaoui, Claudia

Gerini, Silvia Calderoni, Fabrizio Gifuni

siNoPse

Depois de ter desaparecido ainda pequeno, por mão dos seus

inimigos, para que não pudesse herdar a coroa, o príncipe

Kaspar Hauser volta de repente a aparecer numa praia

deserta do Mar Mediterrâneo, num tempo e num lugar não

especificados. Deverá confrontar-se com a crueldade de uma

Grã-duquesa que sente ameaçado o poder que ela exerce

sobre a comunidade. Para livrar-se do intruso loiro, procura

então a ajuda de Pusher, um criminoso com o qual tem uma

relação. Mas ele esquece-se de tomar em conta o xerife, um

DJ que considera Kaspar o Novo Messias.

SeCÇÕeS


su re

GIOVANNI COLOMBU

ALTRE VISIONI | Itália // 2012 // 80 ’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Giovanni e Michele Colombu

Fotografia

Massimo Foletti

Montagem

Giovanni Colombu

Produção

Giovanni Columbo per Luches, Rai Cinema

Intérpretes

Fiorenzo Mattu, Pietrina Menneas, Tonino

Murgia, Paolo Pillonca, Antonio Forma

siNoPse

A Paixão de Cristo é transposta na Sardenha. No filme, o

conto começa e acaba no Sepulcro onde Maria chora sobre

o corpo do filho. Tudo já aconteceu, mas os factos anteriores

voltam a aparecem como lembranças e como sonhos dos

vários protagonistas.

Inspirado visualmente em Pasolini e Bresson, Colombu

renova um evento mítico recreando um tempo arcaico

e feroz onde o seu olhar fixa asceticamente as caras

desarmônicas das pessoas comuns escolhidas como atores

para celebrar esta missa.

SeCÇÕeS


tuLpa

FEDERICO zAMPAGLIONE

ALTRE VISIONI | Itália // 2012 // 82’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Giacomo Gensini, Federico Zampaglione

Fotografia

Giuseppe Maio

Montagem

Marco Spoletini

Música

Francesco Zampaglione, Andrea Moscionese

Produção

IDF-Italian Dreams Factory, Seven Dreams

Productions

Intérpretes

Claudia Gerini, Michela Crescion, Michele

Placido, Ennio Tozzi, Ivan Franek

siNoPse

Lisa Boeri é uma manager rica cuja vida é totalmente focada

na carreira. Ela é o símbolo do sucesso. Mas a dedicação

total ao trabalho tornou-a numa mulher sozinha. Para

preencher este vazio frequenta um sex-club, o Tulpa, gerido

por um misterioso guru tibetano onde os sócios podem

encontrar-se e libertar os seus instintos e fantasias eróticas.

Aí, Lisa terá relações ocasionais com parceiros diferentes

que, sucessivamente, serão encontrados brutalmente

assassinados.

SeCÇÕeS


tutto parLa di te

ALINA MARAzzI

ALTRE VISIONI | Itália // 2012 // 83 ’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Alina Marazzi e Dario Zonta com

Daniela Persico

Fotografia

Mario Masini

Montagem

Ilaria Fraioli

Música

Dominik Scherrer e Ronin

Produção

MIR Cinematografica,Ventura Film con Rai

Cinema, RSI Radiotelevisione svizzera

Intérpretes

Charlotte Rampling, Elena Radonicich,

Valerio Binasco, Maria Grazia Mandruzzato

siNoPse

Pauline regressa a Turim passado muitos anos e retoma

contacto com Ângela,com quem travou conhecimento no

estrangeiro, e que agora dirige um Centro de Maternidade.

Aqui, Pauline inicia uma pesquisa sobre as experiências

e os problemas das mães modernas. Entre elas, Emma,

jovem bailarina que frequenta o Centro, linda, esquiva e

em profunda crise. Ela e Pauline desenvolvem uma relação

de cumplicidade que, num jogo especular, leva Pauline a

enfrentar o seu passado trágico e ao mesmo tempo permite a

Emma reencontrar-se a ela própria no seu novo papel de mãe.

SeCÇÕeS


Focus:

MANI IN

ALTO!

A retrospetiva deste ano é dedicada ao cinema di genere

italiano, denominação que designa todas aquelas produções

cinematográficas internacionalmente conhecidas como

B-movies. Em particular ao poliziottesco, uma peculiar

evolução do macro-género policial, que se afirma com

características próprias nos anos Setenta, época marcada em

Itália pela brutalidade que adquire quer a luta política, quer

a criminalidade organizada. Para além do enredo constituído

por episódios delituosos típico do policial, o poliziottesco

caracteriza-se pela violência explicita, o ritmo rápido da

montagem e bandas sonoras que se tornaram legendárias.

Mostraremos verdadeiras pérolas do género, como Milano

calibro 9 de Fernando di Leo. Paralelamente apresentaremos

outro sector do cinema di genere, o spaghetti western. Uma

Ámerica reinventada nos estúdios italianos, pistoleiros com

o gatilho fácil, muito sangue e muita ironia, como no clássico

I quatro dell’apocalisse de Lucio Fulci. A retrospetiva foi

organizada em colaboração com a revista Nocturno, primeira

publicação mensal inteiramente dedicada ao universo do

cinema di genere. O espetáculo começa, mani in alto!

Milano calibro 9

Fernando Di Leo

Itália // 1972 // 100’

La mala ordina

Fernando Di Leo

Itália // 1972 // 95’

Il boss

Fernando Di Leo

Itália // 1973 // 100’

Milano odia: la polizia non può sparare

Umberto Lenzi

Itália // 1974 // 99’

Vamos a matar, compañeros!

Sergio Corbucci

Itália | Alemanha | Espanha // 1970 // 118’

Keoma

Enzo G. Castellari

Itália // 1976 // 105’

Se sei vivo spara

Giulio Questi

Itália | Espanha // 1967 // 100’

Da uomo a uomo

Giulio Petroni

Itália // 1967 // 120’

Eurocrime!

Mike Malloy

EUA | Itália | França // 2012 // 126’

SeCÇÕeS


AMARCORD

La Guerra dei VuLcaNi

The war of The Vulcanoes: Bergman and magnani

FRANCESCO PATIERNO

ALTRE VISIONI | Itália // 2012 // 52 ’ // P/B // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Francesco Patierno, Chiara Laudani

Montagem

Renata Salvatore

Música

Santi Pulvirenti

Produção

Todos Contiestos Y Yo Tambien in

collaborazione com Cinecittà Luce, Wide

House, Centro Studi Eoliano

Intérpretes

Roberto Rossellini, Anna Magnani, Ingrid

Bergman

siNoPse

O maior escândalo cinematográfico-sentimental de sempre.

Protagonistas: Roberto Rossellini, Ingrid Bergman e Anna

Magnani. Ligado a Magnani numa relação de amor e trabalho,

em 1949 Rossellini resolve deixa-la pela mais atraente

Bergman, que se torna protagonista do filme Stromboli.

Humilhada, a atriz italiana decide vingar-se, instalando-se nas

Ilhas Eolias, para realizar o filme Vulcani, grande produção

americana que pretendia ofuscar a pelicula do Rossellini.

Começa assim a “guerra dos vulcões”!

SeCÇÕeS


AMARCORD

8 ½

Podíamos descrever 8 ½ de Federico Fellini em oito

palavras e meia. Porém também seriam demais. Fellini

não se relata, vê-se. E é, a cada vez, uma experiência nova

e surpreendente que desejamos a qualquer um, até ao

nosso pior inimigo. Expande a visão, alarga os horizontes

microscópicos do cérebro humano. Instila nostalgia, daquela

doce que aos navegantes enternece o coração. E 8 1/2 é

talvez a obra mais sofrida do realizador italiano, onde ousa

mais porque julga que não tem nada a perder, oferecendo

ao seu público algo que mudou para sempre a história do

Cinema. E ficam os óculos de Mastroianni, um chapéu e

uma luz enigmáticos, o barulho das águas que não saram e

infinitos outros sonhos que a película nos permite sonhar.

Faz este ano cinquenta anos desde a sua estreia nas salas

e a Festa do Cinema Italiano que lhe furtou burlescamente

o nome não podia não homenagear a obra e o seu autor.

Buona visione!

8 ½

FEDERICO FELLINI

AMARCORD | Itália-França // 1963 // 138’ // P/B // 35mm

FicHa TÉcNica

Argumento

Federico Fellini, Ennio Flaviano

Fotografia

Gianni Di Venanzo

Montagem

Leo Catozzo

Música

Nino Rota

Produção

Cineriz, Francinex

Intérpretes

Marcello Mastroianni, Claudia Cardinale,

Anouk Aimée, Sandra Milo, Barbara Steele

siNoPse

Guido Anselmi é um famoso realizador à procura de repouso

numa famosa estação termal. Mas o lugar que lhe deveria

dar cura e distensão começa a povoar-se de personagens que

fazem parte da sua vida, sejam elas verdadeiros ou irreais,

aumentando a confusão de Guido e estimulando lembranças

de tempos longínquos. Realidade e imaginação misturam-se

e a crise não parece resolver-se. Quando está quase prestes

a deixar definitivamente o projeto do novo filme, no set

abandonado aparecem novas personagens da sua vida…

SeCÇÕeS


AMARCORD

IL

GATTO

PARDO

Enorme, fortíssimo. A pele branca, o cabelo loiro e olho azul

deixam adivinhar antepassados germânicos. A gigantesca

figura de Don Fabrizio Corbera, príncipe de Salina, é

símbolo de um universo em extinção. Perfila-se cansada

e orgulhosa contra as misérias humanas dos tempos que

mudam. Il Gattopardo de Giuseppe Tomasi di Lampedusa

é um romance sobre a morte, uma profunda e luxuosa

contemplação do fim. A escrita desenrola-se segundo um

compasso regular e faustoso que se torna única sintaxe

possível para falar daquela Sicília, daquela Itália. E o filme

de Luchino Visconti consegue recriar com extrema exatidão

a grandeza única do texto lampedusiano. Traduz sabiamente

a escrita em imagem e movimento, transformando-se na

obra prima de cinema que temos o prazer de apresentar no

ano do seu cinquentenário. Il Gattopardo brilha de nova luz

numa cópia digital, após um magnífico restauro realizado

pela Cineteca di Bologna, em colaboração com o Centro

Sperimentale di Cinematografia-Cineteca nazionale de Roma

e a prestigiada The Film Foundation.

iL Gattopardo

LUCHINO VISCONTI

AMARCORD | Itália // 1963 // 205 ’ // P/B // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Luchino Visconti, Suso Cecchi D’Amico,

Pasquale Festa Campanile, Enrico Medioli,

Massimo Fraciosa

Fotografia

Giuseppe Rotunno

Montagem

Mario Serandrei

Música

Nino Rota

Produção

Goffredo Lombardo

Intérpretes

Burt Lancaster, Alain Delon, Claudia

Cardinale, Paolo Stoppa, Rina Morelli

siNoPse

1860. Enquanto Garibaldi e as camicie rosse avançam na

Sicília, Tancredi, neto do Príncipe Dom Fabrício de Salina,

recruta-se voluntariamente garibaldino e namora com

Angelica, filha de um novo-rico. Episódio importante será

o baile organizado na sua Quinta de Palermo em que a

aristocracia siciliana, que já se via no declino, festeja a

temida mas evitada revolução. Esplendida e festiva ilustração

da passagem da Sicília dos Borbons aos Saboia e da

conciliação entre dois mundos para que “tudo mude sem

nada mudar”. Do homónimo romance de Giuseppe Tomasi

de Lampedusa.

amaRCoRD

SeCÇÕeS


il

corTo

A curta-metragem é um dos mais entusiasmantes

laboratórios para a criação de novos talentos do cinema e

do audiovisual. Um lugar onde se pode e deve experimentar

diversas linguagens e exprimir livremente as próprias ideias

e sugestões. 8 ½ traz a Portugal uma mostra das mais

interessantes e curiosas obras em curto formato produzidas

no último ano.

cusutu ‘N coddu (cuciTo addosso)

GIOVANNI LA PAROLA

IL CORTO | Itália // 2012 // 17’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Giovanni La Parola

Fotografia

Marco Bassano

Montagem

Giovanni La Parola

Música

Francesco Cerasi

Produção

Davide Giglio,Giovanni La Parola

Intérpretes

Filippo Pucillo, Giovanni Calcagno,

Francesco Foti

siNoPse

Num pequeno feudo siciliano, nos finais de 1800, um grupo

de camponeses esfomeados e ferozes insurgem-se contra o

senhorio. A dirigir esta revolta está Salvo, o segurança que

quer ser patrão. Durante a revolta Salvo decide não matar

Peppino, o alfaiate do feudatário, porque deseja um magnifico

fato aristocrático personalizado. Num duelo entre os

protagonistas, o alfaiate poderá pôr em prática o seu antigo

plano de vingança.

SeCÇÕeS


deLL’ammaZZare iL maiaLe

SIMONE MASSI

IL CORTO | Itália // 2011 // 6 ’20’’ // P/B

FicHa TÉcNica

Argumento

Simone Massi

Fotografia

Julia Gromskaya

Montagem

Lola Capote Ortiz

Música

Stefano Sasso

Produção

Simone Massi

siNoPse

Nos primeiros dias de Janeiro vários homens amarram um

porco pelo focinho. São precisos 8 homens, uma corda e uma

lâmina afiada porque lá fora a manhã está fria e o animal não

está interessado em sair. O animal nunca percebe o homem,

olha para ele com grande desanimo; a besta é estupida e

sente pelo seu assassino uma piedade sincera e profunda.

SeCÇÕeS


La coLpa

FRANCESCO PRISCO

IL CORTO | Itália // 2011 // 12’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Francesco Prisco

Fotografia

Ettore Cestari

Montagem

Lorenzo Peluso

Música

Fabrizio Romano

Produção

El sinore film

Intérpretes

Gian Marco Tognazzi, Hossein Teheri,

Teresa Saponangelo, Giorgia Sinicorni, Fabio

De Caro

siNoPse

Mauro é um teimoso advogado que acredita saber tudo sobre

si e sobre os outros. Será um misterioso homem do médiooriente,

numa manhã como muitas outras, a fazer vacilar as

suas certezas e fazer-lhe perceber que nem sempre tudo é

como parece…

SeCÇÕeS


terra

PIERO MESSINA

IL CORTO | Itália // 2012 // 23’ // Cor // Digital

FicHa TÉcNica

Argumento

Piero Messina

Fotografia

Diana G. Palombaro

Montagem

Matteo Passerini

Música

Piero Messina, Marco Mangani, Alma

Napolitano

Produção

CSC Production em colaboração com

Rai Cinema

Intérpretes

Giorgio Colangeli, Giacomo Tarsi, Teresa

Campus, Franchino Bertuzzi

siNoPse

Num barco, à noite, uma viagem secreta de um homem que

regressa a casa.

SeCÇÕeS


traiNiNG autoGeNo

ASTUTILLO SMERIGLIA

IL CORTO | Itália // 2011 // 7’ // Cor // MOV HD

FicHa TÉcNica

Argumento

Astutillo Smeriglia

Fotografia

Astutillo Smeriglia

Montagem

Astutillo Smeriglia

Música

Lo Zio Giorgio

Produção

Antonio Zucconi

Vozes

Alessia Cespuglio, Alessandra Falca, Laura

Regali, Alex Lucchesi, Guglielmo Favilla

siNoPse

Uma história de amor.

SeCÇÕeS


sessão

esPecial

il corTo

alessio di Zio nasce em Caserta em 1992. Consegue

o diploma do Liceu Clássico como autodidata,

realizando, ao mesmo tempo, as suas primeiras longasmetragens.

A partir de 2001 realiza uma série de

retratos de lugares, circunstâncias e personagens de

um interior Casertano pouco reconhecível. Participa e

ganha prémios em vários festivais entre os quais Le

Giornate Degli autori- Festival de Veneza, Rencontres

Internationales, Festival del Cine//b, Minneapolis Film

Festival, arcipelago Film Festival, Cinemavvenire. Ativo

também na área do videoclipe com os Santk Otten,

Captain Swing, Micro b.

appuNti per uN fiLm su rodoLfo VaLeNtiNo

ALESSIO DI zIO

IL CORTO | Itália // 2012 // 10’ // Cor // HD

FicHa TÉcNica

Argumento

Alessio di Zio

Fotografia

Alessio di Zio

Montagem

Alessio di Zio

Produção

Alessio di Zio

Intérpretes

Rodolfo Valentino

siNoPse

Rodolfo Valentino: um homem silencioso que passa os seus

dias na escuridão do seu lugar, entre criações pictóricas,

projetos, invenções e nostalgias musicais. Sobrevive em

isolamento, confinado, sem higiene, num edifício de dois

andares prestes a cair, sem água nem eletricidade, longe de

portas e janelas, longe da realidade do mundo que o rodeia. A

solidão consome-lhe a existência, minando-a com obsessões,

aparições misteriosas e personagens pouco recomendáveis.

SeCÇÕeS


IL CORTO |

La famiGLia deLL’orco

ALESSIO DI zIO

IL CORTO | Itália // 2012 //25 ’ // Cor // HD

FicHa TÉcNica

Argumento

Alessio di Zio

Fotografia

Alessio di Zio, Fabrizio Polpettini

Montagem

Alessio di Zio, Fabrizio Polpettini

Produção

Alessio di Zio

siNoPse

O Rio Orco e os seus estranhos banhistas, a festa da aldeia,

as danças, um rancho de um cowboy piemontesi, uma família

de criadores, um realizador (Tonino De Bernardi) empenhado

na concepção de um molho de tomate. Personagens e

quadros de vida, circunstâncias do mesmo espaço físico, no

Monferrato. Episódios filmados nos três dias do Monfilfestival

de Casalborgone, recolhendo as primeiras sensações de uma

pequena aldeia de campo da região Piemonte.

SeCÇÕeS


Le faVoLe di casimiro

ALESSIO DI zIO

IL CORTO | Itália // 2011 // 53’ // Cor // HD

FicHa TÉcNica

Argumento

Alessio di Zio

Fotografia

Nicola Di Roma

Montagem

Nicola Di Roma

Música

Patrick Everman

Produção

Shooting Stars Comet Tales

Intérpretes

Andrea Di Zio, Luca Minichino, Rosa Maria

Leone, Pasquale Zimbardi, Cristina Mucerino

siNoPse

Casimiro, quase 12 anos, sente-se angustiado por causa

da grande festa de aniversário que os seus pais lhe querem

organizar. Uma obsessão que o acompanha insistentemente

ao longo dos seus dias e da qual ninguém o pode libertar. Até

que, na manhã do seu aniversário, decide fugir e escapar a

todos os festejos preparados…

SeCÇÕeS


ascolTa

CalibRo 35

Calibro 35 é um projeto nascido da

paixão por um repertorio italiano

musical esquecido, com a intenção de

voltar a propor os seus sons e as suas

atmosferas. A fusão entre funk, jazz e

rock progressivo que caracterizava as

bandas sonoras de Milano Calibro 9,

Il gatto a nove code e La mala ordina

revivem graças a: Enrico Gabrielli –

sopros e órgãos (Mariposa), Massimo

Martellotta – guitarras e lap steel

(Steward Copeland), Fabio Rondanini

– bateria e percussões (Niccolò Fabi,

Collettivo Angelo Mai), Luca Cavina –

baixo (Zeus!, Transgender) e Tommaso

Colliva – produção (Muse, Afterhours).

Os primeiros reconhecimentos vêm

do estrangeiro com concertos na

Bélgica e no Luxemburgo, artigos em

webzines e blogs americanos e o Funk

& Soul Show da BBC que transmite

a faixa Italia a mano armata, que dá

seu nome ao álbum editado em 2008.

A banda é chamada aos EUA para

participar em vários festivais e para

a tocar nos mais prestigiados clubes

nova-iorquinos. Em 2010 é a vez

de: Ritornano quelli di… é um álbum

unanimemente apreciado que entra

logo nas tabelas não só italianas como

também norte-americanas e é também

o ano em que a faixa Calling all Units To

Broccolino (Convergere in Giambellino)

é escolhido para musicar os créditos

do blockbuster R.E.D. com Bruce Willis,

Hellen Mirren, John Malkovich e Morgan

Freeman; criam a banda sonora das

duas mais importantes produções

cinematográficas italianas — Romanzo

criminale e Vallanzasca — , participam

na rodagem de um filme de Michele

Placido e realizam dois projetos ao

vivo: a sonorização do filme Milano

odia: la polizia non può sparare (de

Umberto Lenzi com musicas de Ennio

Morricone) e o especial Indagini sul

cinema del brivido.

Ogni riferimento a persone esistenti o

a fatti accaduti è puramente casuale

saiu no ano passado, com duas faixas

inéditas e duas “jóias” do passado. Um

álbum caracterizado por um som mais

sujo e contaminado mas que nunca

abandona as raízes funk.

Dalla Boavisa a Brooklyn é o último Ep

acompanhado por uma banda escrita

por Marco Philopat e desenhada por

Gianfranco Enrietto.


sessÕes

esPeciais

BeNfica-toriNo 4-3

ANDREA RAGUSA, NUNO FIGUEIREDO

Itália-Portugal // 2012 // 58’ // Cor // HDTV 720 P

FicHa TÉcNica

Argumento

Andrea Ragusa

Fotografia

Nuno Figueiredo

Montagem

Massimo Gasole

Música

Pippo Barzizza

Produção

Figura Film

siNoPse

A equipa do Grande Torino passa os seus últimos dias em

Portugal, para participar no jogo amigável em homenagem a

Francisco Ferreira. A 3 de Maio de 1949, no Jamor, o Benfica

e o Torino vão mostrar um belo espetáculo de desporto,

marcando sete golos no total. Mas no dia a seguir, na viagem

de regresso, um trágico acidente de avião custa a vida a toda

a equipa italiana. A desgraça gera grande comoção no mundo

e nomeadamente em Portugal. Milhares de pessoas juntamse

à porta da embaixada de Itália para dar os seus pêsames.

SeCÇÕeS


Cine-JantaR

“O cinema é uma fatia de bolo,

não uma fatia de realidade”.

Após o sucesso do ano passado, regressa a iniciativa

Cinejantar, uma colaboração entre o 8 ½ e a Associação

Idade dos Sabores – Centro das Artes Culinárias do antigo

mercado de Santa Clara.

Desde os seus primórdios, o cinema sempre teve relacionado

com a comida. Já em 1895, exatamente durante a sua

primeira projeção, os irmãos Lumière inserem o episódio Le

dejeuner du bébé e são inúmeros os títulos de filmes nos

quais os alimentos assumem um papel importantíssimo:

na história do cinema italiano recordamos Alberto Sordi em

Un americano a Roma (1954) enquanto devora um prato

de massa depois de ter dito a sua célebre frase: Macarrão,

provocaste-me e agora sou eu que te destruo! Como-te!, ou

Nanni Moretti e o ataque noturno a um gigantesco boião de

Nutella em Bianca (1984), citando apenas dois entre muitos

exemplos possíveis.

O segundo Cinejantar da Festa do Cinema Italiano propõe

uma exibição especial da jantarada, provavelmente, mais

famosa do cinema italiano: Miseria e nobiltà (1954), na qual

o grande Totò dança sobre a mesa com o esparguete na mão,

exprimindo toda a alegria que a comida lhe suscita.

A projeção especial desta incontornável obra será

acompanhada de um jantar inspirado no particular menu

que o grande Mario Mattoli nos deixa saborear na sua

divertidíssima película.

miseria e NoBiLtÀ

MARIO MATTOLI

Itália // 1954 // 95’ // Cor // 35mm

FicHa TÉcNica

Argumento

Eduardo Scarpetta, Eugenio Maccari

Fotografia

Karl Struss, Luciano Trasatti

Montagem

Roberto Cinquini

Música

Pippo Barzizza

Produção

Dino De Laurentiis, Carlo Ponti

Intérpretes

Totò, Sophia Loren, Enzo Turco, Franca

Faldini Doleres Palumbo

siNoPse

Baseado na homónima ópera teatral de Eugenio Scarpetta de

1888, Miseria e nobiltà conta a história das famílias humildes

de Felice Pasquale e do seu colega que são contratados por

um Marquês que quer casar com a filha de um cozinheiro

simples mas rico: eles devem fazer-se passar por aristocratas

em casa do sogro. Teatro declaradamente filmado e explícito,

com pequenas modificações de Maccari e do mesmo

realizador, a comédia de Scarpetta não parece ter ferrugem.

SeCÇÕeS


morte a VeNeZia

LUCHINO VISCONTI

Itália- EUA // 1971 // 130’ // Cor // 35mm

FicHa TÉcNica

Argumento

Luchino Visconti, Nicola Badalucco

Fotografia

Pasquale De Santis

Montagem

Ruggero Mastroianni

Música

Gustav Mahler, Franz Lehár, Modest

Mussorgsky e Ludwig van Beethoven

Produção

Warner Bros.

Intérpretes

Dirk Bogarde, Romolo Valli, Björn Andresen,

Silvana Mangano, Marisa Berenson

siNoPse

Gustav von Aschenbach, músico de meia-idade em grande

crise espiritual, resolve passar férias em Veneza. No hotel

conhece uma numerosa família aristocrática polaca, ficando

fortemente fascinado pelo filho, o adolescente Tadzio, que

encarna o ideal estético perseguido por Aschenbach desde

sempre. O turbamento sempre mais descontrolado pelo

jovem, impede-lhe de deixar a cidade, ameaçada por uma

epidemia de cólera que as autoridades locais tentam em

todas as maneiras esconder, para não comprometer a

estação turística. Baseado no romance Morte a Veneza de

Thomas Mann de 1912.

SeCÇÕeS


DoPo le 8 ½

QuiosQue do MelHor

Bolo de cHocolaTe

do MuNdo

O Quiosque do melhor bolo de

chocolate do mundo, situado mesmo em

frente Cinema São Jorge, prolonga as

noites e convida-o a vir degustar algumas

das suas especialidades, após a

exibição dos filmes. A acompanhar servese

música seleccionada especialmente

para a Festa do Cinema Italiano.

Este será também o palco para a

projecção do projecto audiovisual

Italian Zapping Party. Uma selecção de

vídeos com a curadoria e montagem

de Marc Lamothe - Director do Fantasia

International Film Festival, um dos

mais emblemáticos festivais de cinema

de género do mundo - que revisita o

cinema de género que através de uma

série de vídeos nos leva a assistir às

cenas mais representativas do cinema

italiano dos anos 70. Do erótico

ao terror, passando pelo Spaghetti

Western, Poliziottesco e Peplum.

FesTas 8 ½

No TeaTro do Bairro

Nas noites de 22 e 23 de Março o

Teatro do Bairro é palco de duas festas

que prometem animar as noites de

Lisboa. A Entrada é livre e as portas

abrem logo após as sessões de cinema.

FesTa de aBerTura

A já mítica Festa de Abertura do 8 ½ no

belíssimo Miradouro Portas do Sol tem

lugar no dia 20 de Março.

Aberta a todos os convidados, curiosos

e interessados pela cultura Italiana em

busca de boa disposição, requinte

e que não se importem de dar

um pezinho de dança com vista

panorâmica. É neste ambiente

descontraído e recetivo, entre o rio e

Alfama, que Lisboa recebe Itália de

braços abertos, num espaço que já faz

parte da história da Festa do Cinema

Italiano.

A música estará a cargo de Il

Commissario Cinzano e dos seus

criminal grooves & soft porn.

FesTa de eNcerraMeNTo

Regressa a secção musical da Festa do

Cinema Italiano, este ano dedicada a

uma banda vintage e ao mesmo tempo

explosiva: Calibro 35.

Ao longo do festival, serão projetados

vídeos da banda para aquecer o público

para a festa de encerramento, dia 28

de Março, na qual os Calibro 35 tocam

ao vivo no Ritz Clube, um concerto que

promete catapultar-nos diretamente

para a contagiante atmosfera policial

dos anos Setenta italianos.


DoPo le 8 ½

eXPosiÇão de carTaZes

8 ½ em colaboração com Nocturno

Cinema inaugura, no dia 18 de Março,

uma exposição de cartazes dedicada

ao cinema di genere italiano. Cartazes

que contam a história de uma parte

do cinema italiano ainda hoje capaz

de encher salas, embora ignorada ou

pouco apreciada pela crítica da altura.

O breve mas intenso percurso proposto

no espaço Baixa-Chiado PT-Bluestation,

tenciona explorar o lado artístico destes

trabalhos gráficos complexos onde era

necessário resumir, numa só imagem,

a essência da história impressa na

pelicula. Testemunhas de uma grande

capacidade comunicativa e de síntese

para que o impacto sobre o público

fosse forte, a eles cabiam o papel

mais importante na divulgação dos

filmes. Uma pequena viagem, desde

os policiais italianos aos spaghetti

western, dentro das cores e das linhas

que definiram o cinema italiano de trinta

anos atras sem nunca perder a própria

intensidade.

ciNe-aPeriTivos

Todos os dias a partir das 19h30

o Cinema São Jorge transforma-se

na casa da gastronomia italiana em

Lisboa.

O aperitivo é um momento social

fortemente enraizado na cultura italiana,

o 8 ½ dá oportunidade ao seu público

de partilhar um pouco desta experiência

de convívio all’italiana. Todos os dias é

oferecido um petisco diferente, cortesia

do restaurante Cantina Baldracca.

WorksHoP loMokiNo

23 de Março

12h

Teatro do Bairro

A Embaixada Lomográfica promove um

workshop de Lomokino inspirado nos

filmes poiliciais italianos dos anos 70. Os

resultados serão divulgados no dia 28 de

Março e às 21h45 no Cinema São Jorge.

Sub vS Dub

Como se sabe, em Itália é praxis realizar a dobragem da

maior parte dos filmes estrangeiros que estreiam nas

salas. Existe uma tradição muito antiga e consolidada de

dobragem fílmica, realizada por atores profissionais que são

especialistas nesta difícil mas importantíssima tarefa e, claro,

por tradutores que trabalham com conhecimentos específicos

que são indispensáveis para garantir um resultado de elevado

nível. Em suma, não se trata apenas de traduzir o guião e de

"falar por cima" do original.

Ao contrário, em Portugal preferiu-se desde sempre optar pela

"legendagem" e desenvolveu-se uma techne refinadíssima no

que diz respeito à tradução escrita para cinema. A técnica da

dobragem ficou reservada a obras "menores", ou pelo menos

obras que desse modo são consideradas pela maior parte do

público.

Desde o aparecimento do cinema sonoro — ou seja há

menos de 100 anos atrás — nestes dois países têm-se

desenvolvido em paralelo duas formas de tradução que são

absolutamente antitéticas, que requerem conhecimentos

muito diferentes e que levam a um resultado final

formalmente distinto. Pareceu-nos ser um tema de confronto

cultural perfeito para ser incluído no âmbito do nosso Festival,

que tem tido entre os seus objetivos refletir e repensar

constantemente o diálogo cultural luso-italiano.

oradores

RAUL BARBOSA

Director da On-Air, empresa de

dobragem portuguesa.

ISABEL MONTEIRO

Director da Dialectus, empresa de

tradução e dobragem portuguesa.

CARLOS FREIXO

Actor e dobrador.

MARGARIDA SILVA DIAS

Tradutora e legendadora para Cinema.

GIANLUIGI DE ROSA

Professor da Universidade de Salento

e autor do livro Mondi doppiati, sobre a

tradução audiovisual de português para

italiano.

FRANCESCO VAIRANO

Um dos mais importantes directores

de dobragem italiano. Intérprete da

voz de alguns dos mais proeminentes

atores de Hollywood, tais como Roberto

Downey Jr., William Hurt, Geofrey Rush,

deu também a voz a Gollum, no Senhor

dos anéis, interpretada originalmente

por Andy Serkys.


eSPaÇoS

CINEMA SãO JORGE

Desde a sua abertura, a 24 de

Fevereiro de 1950, que o Cinema São

Jorge se afirmou como uma das mais

emblemáticas salas de cinema da capital

portuguesa, integrando o roteiro cultural

da cidade e fazendo parte do imaginário

dos lisboetas. Em 2003, a EGEAC, EEM

assumiu a gestão do Cinema São Jorge

e depois da sua reabertura, em Maio de

2006, multiplicou-se em esforços para

proporcionar aos visitantes do São Jorge

não eventos que primam só pela qualidade

a que estavam habituados no passado

mas também quantidade. A oferta cultural

do espaço foi consideravelmente alargada

– passando a incluir, para além do cinema,

a música, o teatro, exposições, debates,

colóquios e encontros temáticos.

TEATRO DO BAIRRO

Aberto desde 2011, o Teatro do Bairro,

ocupa o espaço onde até ao início da

década de 90 se encontrava sedeado

o Diário Popular. Com uma diversa e

abrangente oferta cultural, o teatro do

bairro apresenta regularmente, para

além de teatro, cinema, música ao vivo e

é também o palco de algumas das mais

divertidas festas a cidade de Lisboa.

O espaço é programada e gerido pela

produtora Ar de Filmes e foi concebido

pelo Arquitecto Alberto Souza de Oliveira.

PorTo

CINEMA PASSOS MANUEL

Cinema emblemático da cidade do Porto,

criado em 1971, onde anteriormente

se situava o Salão Jardim Passos

Manuel. Mantendo-se fiel à exibição

cinematográfica durante mais de 30 anos,

fecha as portas em 2002 e reabre em

2004 com uma vertente mais abrangente,

acolhendo um nível mais abrangente

de ofertas culturais, desde cinema a

concertos passando por exposições,

teatro e demais manifestações artisticas.

coiMBra

TEATRO ACADéMICO GIL VICENTE

O Teatro Académico Gil Vicente é uma

estrutura cultural da Universidade de

Coimbra, criada em 1661, que desenvolve

atividades no âmbito da formação,

promoção e difusão cultural, tendo

desempenhado, ao longo dos anos, um

sólido posicionamento de inteface cultural,

artístico e educativo na cidade de Coimbra

e em toda a região. Integra desde 2008

a Fundação Cultural da Universidade de

Coimbra.

loulÉ

CINE-TEATRO LOULETANO

A Câmara Municipal de Loulé adquiriu, em

2003, este ex-líbris cultural da cidade. Ao

longo dos anos, a Câmara Municipal tem

levado a efeito obras de conservação e

modernização deste imóvel de forma a

satisfazer as exigências dos espectáculos

de qualidade que fazem parte do cartaz de

animação daquela que é considerada a mais

importante sala de espectáculos da cidade.

FuNcHal

TEATRO MUNICIPAL BALTAzAR DIAS

O Teatro Municipal Baltazar Dias é o principal

teatro da cidade do Funchal, na Madeira. Data

de 1884, inicialmente com o nome de Teatro

D. Maria Pia. Hoje é parte integrante da vida

da ilha e uma importante fonte de dinamização

cultural. Baltazar Dias o actual nome do

Teatro, homenageia o dramaturgo de origem

Madeirense, com o mesmo nome.

luaNda

CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS

Criado em 1996 o Centro Cultural Português

em Luanda está instalado no edifício da

Embaixada de Portugal. Nos últimos dois

anos foi objeto de uma profunda remodelação

nas suas instalações e equipamento. Esta

renovada estrutura permitiu alcançar em termos

de imagem e funcionamento uma posição de

destaque na oferta e na qualidade dos serviços

prestados no âmbito da missão de difusão da

Língua e Cultura Portuguesa em Angola.

bilHeteiRaS

Os bilhetes estão à venda a partir de dia 18 de Março nos

espaços onde ocorrem as sessões e na Ticketline.

Horário das bilheteiras

Cinema São Jorge

15h às 22h

Teatro do Bairro

A confirmar.

lisBoa

Preço dos bilhetes

4,00€

Descontos

1,50€ - amigos do IIC Lisboa e estudantes universitários

3,50€ menores de 25 anos e maiores de 65 anos

*Pack Mani in Alto!

20,00€

**Cine-Jantar:

(inclui filme e jantar)

15€

***Concerto Calibro 35

6,00€

* À venda no Teatro do Bairro

** À venda no Welcome Desk do Cinema São Jorge

*** À venda no Welcome Desk do Cinema São Jorge

Os bilhetes são adquiridos nas bilheteiras do espaço onde ocorre a

sessão pretendida. As excepções estão devidamente assinaladas acima.

Os bilhetes para as sessões a decorrer na Cinemateca Portuguesa

— Museu do Cinema estão enquadrados nos preços de tabela

praticados pela entidade.


SPonSoRS

ORGANIzAÇãO E PRODUÇãO

Associação Il Sorpasso

La Capella Underground

Ascip

Edicarte

PARCERIA ESTRATéGIA

CML/EGEAC

CO-PRODUÇãO

Cinema São Jorge

PATROCINADORES INSTITUCIONAIS

Embaixada de Itália

Instituto Italiano de Cultura

Ministerio ber i beni e le ativita culturali

Cinecitta luce

Cinemateca Portuguesa Camara Funchal

Camara Coimbra

Universidade de Coimbra

Camara Porto

Porto Lazer

Consolato Onorario do Porto

Camara Municipal de Loulé

PATROCINADORES

TapAP

Go Natural

Lavazza

VIATURA OFICIAL

Lancia

SEGURADORA OFICIAL

Generali

HOTEL OFICIAL

Tivoli

MEDIA PARTNER

RTP2

Antena 1

Antena 3

PARCEIROS DE HOSPITALIDADE

MSC Cruzeiros

Martini

Brasserie Flo

Cantina Baldracca

Casanostra_ pizzapezzi_casanova

Centro das Artes Culinárias

Portas do Sol

Hotel D. Pedro

Negrini

PARCEIROS DE DIVULGAÇãO

Turismo de Lisboa

MOP

Fnac

Baixa-Chiado Pt Bluestation

Sapo

Meo Kanal

Ticketline

Le Cool

Rua de Baixo

Take Cinema

Lomografia Portugal

Quiosque do Refresco

Cinemaville

PARCEIROS DE PROGRAMAÇãO

Teatro Académico Gil Vicente

Cine-Teatro Louletano

Teatro do Bairro

Ritz Clube

Quiosque do melhor bolo de chocolate

do mundo

PARCEIROS TECNOLÓGICOS

Formas do Possível

Cision

Moving Wide

APOIOS

Irmão Lúcia

Poliparque

Pai Tirano

Void Production

FiCHa tÉCniCa

DIRETOR ARTÍSTICO

Stefano Savio

PROGRAMADORES

Stefano Savio | Adriano Smaldone

DIRETORIA DE PRODUÇãO

Carla Capela e Sandra Almeida

SECRETÁRIA DE PRODUÇãO

Aida Santos

CHEFE DE PRODUÇãO

Cátia Domingues

ESTAGIÁRIA DE PRODUÇãO

Cátia Félix

HOSPITALIDADE

Maria do Sameiro André | Silvana Urzini | Neva Cerantola

CONTABILIDADE

Alessandra Cerami

DIRETORA DE COMUNICAÇãO

Teresa Sequeira

ASSISTENTE DE COMUNICAÇãO

Carolina Prata

EDITORAS DE CONTEÚDOS

Clelia Bettini | Cristina Terzoni

ASSESSORA DE IMPRENSA

Inês Caridade

DESIGN

Sérgio Neves

Atelier Formas do Possível

IMAGEM

Giuseppe Ferrario

SPOT

Filipe Melo

FOTOGRAFIA

Joana Linda

SITE

Moving Wide

COBERTURA AUDIOVISUAL E MONTAGEM

Bruno Soares

COORDENADOR DE CÓPIAS

Adriano Smaldone

FUNCHAL

Edicarte | Francisco Faria Paulino

COIMBRA

Universidade de Coimbra - Estudos Italianos | Clelia Bettini e Rita Marnoto

Com o apoio de Angela Latorraca

PORTO

ASCIP Associação Socio-Culturale Italiana del Portogallo | Francesco Cancelliere e

Carlos Amaral


ContaCtoS

8 1/2 FESTA DO CINEMA ITALIANO

Escritório

Rua D. Duarte, 3 - 5ª Esq.

1100-198

Tel.: 210 990 552

Mail: info@festadocinemaitaliano.com

PRODUÇãO

Carla Capela

carla.capela@festadocinemaitaliano.com

Sandra Almeida

sandra.almeida@festadocinemaitaliano.com

COMUNICAÇãO

Teresa Sequeira

teresa.sequeira@festadocinemaitaliano.com

IMPRENSA

Inês Caridade

91 992 88 68.

press@festadocinemaitaliano.com

PROGRAMAÇãO

Adriano Smaldone

programming@festadocinemaitaliano.com

More magazines by this user
Similar magazines