Revista Compa - Agosto 2012 - Colégio da Companhia de Maria

compa.sp.com.br

Revista Compa - Agosto 2012 - Colégio da Companhia de Maria

Compa

Edição 01 | Agosto 2012

Chegou a

nova revista

do Compa!

1


índice

editorial 4

destaque 6

acontece 8

perfil 12

pessoas 16

3


4

editorial

compa

em novo

tempo

Apresentamos uma nova

publicação do Colégio da

Companhia de Maria, o Compa

em Revista. Nossa Comunidade

Educativa, formada por

alunos, famílias, professores,

funcionários, religiosas, equipe

técnica e Direção, terá acesso

a muitas novidades, a começar

por nossa nova linguagem

visual, ao mesmo tempo

moderna e clássica.

Queremos com isso evidenciar

que “tradição e inovação podem

ser companheiros de classe”,

na feliz expressão de um de

nossos professores. E, por falar

em tradição, fomos ao início da

Companhia de Maria, ao século

17, para resgatar o escudo

que, desde então, passou a

simbolizar a Companhia de

Maria em todo o mundo.

Com o destaque que se

dá à cruz, representando a

pessoa de Jesus, e ao “M”

que enfatiza a pessoa de

Maria, o escudo significa

vínculo, pertencimento.

É um estímulo constante

para viver com fidelidade

os valores que o Colégio

semeia e cultiva no coração

de todos os que integram

a Comunidade Educativa.

O escudo, presente em nossas

Instituições e impressos, levanos

a transcender os limites

geográficos de Brasil e nos

vincula à Família Companhia

de Maria, espalhada pela África,

Ásia, Europa e Américas.

Nesta edição inaugural da

revista, o escudo ocupa posição

de destaque – no alto da

página, à esquerda. Sob sua

proteção, seguiremos adiante

para criar uma publicação que

vá ao encontro das expectativas

da Comunidade Educativa e

apresente o novo momento

do Compa e da Companhia de

Maria em todo mundo.

Apresentamos na revista as

irmãs Pilar Panadés e Zirlene


Barbosa, que assumiram no início do ano a gestão

do Colégio e a compartilham com a já conhecida

diretora pedagógica, Rita Magnani. Revelamos

também histórias de sucesso – de ex-alunos que

tiveram um bom desempenho nos vestibulares.

Abordamos ainda as mudanças cuja implantação

teve início no ano passado, a partir da ouvidoria

da qual participaram os alunos e suas famílias,

professores, funcionários e religiosas. São

mudanças expressivas, que implicam no

fortalecimento pedagógico da instituição, na

adoção de novos processos na formação de

professores e funcionários, na modernização da

linha de comunicação da escola.

Nossa equipe está animada e mobilizada

para promover adequadamente as mudanças

necessárias. Queremos um Compa com os olhos

voltados para o século 21, inovador e dinâmico.

Queremos um Colégio animado pelo espírito de

Joana de Lestonnac, pelo carisma inquebrantável

da Companhia de Maria. O mundo, nossos alunos

e suas famílias precisam da força que emana deste

espírito e deste carisma.

Que Deus nos ilumine neste caminho e nos ajude a

superar os desafios que virão. Boa leitura!

Direção do Compa

5


6

destaque

As Irmãs Pilar Panadés e Zirlene Barbosa assumiram a

direção do COMPA no início deste ano e, juntamente

com a Diretora Pedagógica do Colégio, Rita Magnani,

estão mobilizadas a levar adiante a bem sucedida gestão

realizada pela Irmã Ana Amélia Gonçalves da Silva e

sua equipe que, por 12 anos, dirigiram os destinos do

Colégio da Companhia de Maria.

“Não começamos hoje, a Companhia de Maria tem 405

anos. Nosso Colégio tem 55. Cada equipe que passou

por nossa escola deu o melhor de si na construção da

Comunidade Educativa do Colégio”, explica Ir. Pilar, hoje

a principal responsável pelos rumos do Compa.

“Recebemos um colégio pronto para crescer e

deslanchar”, afirma Ir. Zirlene, responsável pela direção

Administrativa e Financeira da escola. “A equipe está

unida, motivada e trabalhando de forma intensa para

construir o melhor colégio que formos capazes de ousar”.

O grande desafio a que se propôs a nova direção do

Compa é modernizar a escola, “adaptando-a aos novos

tempos e lugares”, tal como preconizava Joana de

Lestonnac, a Santa Joana, fundadora da Companhia de

Maria, em 1607. E a mudança já começou.

Mudanças já começaram: “Fizemos, no ano passado,

um trabalho de ouvidoria que nos permitiu identificar

A NOVA

DIREÇÃO

Construir o novo para

servir mais e melhor

com clareza quais são, aos olhos da nossa Comunidade

Educativa, os pontos fortes do Colégio e quais são

aqueles que precisavam de aperfeiçoamento”, aponta

Ir. Pilar.

“Ouvimos mães e pais, alunos, professores, funcionários,

equipe pedagógica e as irmãs da Companhia. O

resultado foi um amplo diagnóstico e um plano de

ações que está agora sendo implementado”.

Para fazer deslanchar rapidamente o processo, o

Colégio vem realizando reuniões mensais com todos

os professores e funcionários. Até junho foram quatro

reuniões coletivas. Outras quatro estão programadas

para o segundo semestre. Tudo isso sem prejuízo das

reuniões pedagógicas já previstas e dos Encontros de

Formação: o realizado em 28 de abril e o próximo, em

agosto.

Nesses encontros, a Equipe do Compa lança um olhar

para o mundo, procurando identificar as principais

tendências, conflitos e desafios para os jovens e as

famílias. A Equipe analisa qual deve ser o papel da

Escola nesse contexto de desafios e mudanças. E

propõe um caminho, uma linha de atuação para o

Compa nos campos pedagógico e educacional, que

leve em conta o carisma da Companhia de Maria e os


princípios norteadores legados por Joana de

Lestonnac. “Estamos, certamente, pensando no

uso da tecnologia como importante ferramenta

educacional”, afirma Ir. Pilar Panadés.

“Mas nosso olhar vai muito além disso”, diz a

educadora. “Identificamos que nossos alunos

precisam de apoio, de orientação para agir no

mundo atual e no ambiente digital utilizando-o

com critérios e sabedoria, sem correr riscos”.

Para ela, a escola tem um papel decisivo para

ajudar os alunos e as famílias a superar os desafios

provenientes do mundo contemporâneo.

“Não mitificamos a tecnologia, nem fazemos dela

o centro de tudo. Reconhecemos, no entanto, o

papel excepcional que ela pode desempenhar

– e já vem desempenhando – no mundo atual,

principalmente quando está sob controle ético,

humano, cristão”.

Acolhimento e exigência

Pilar Panadés lembra que a ouvidoria constatou que

uma virtude do Compa é a capacidade de acolhimento

de sua equipe em relação aos alunos e suas famílias.

“Isso é algo que não vai mudar. Vamos trabalhar sempre

para acolher crianças e jovens como Joana de Lestonnac

fazia no século XVII, marca do caminhar da Companhia

de Maria nestes 4 séculos. O Compa vai continuar

sendo, hoje e sempre, um Colégio acolhedor e atento

às diferenças e características de cada aluno”.

Seguindo um movimento já iniciado há alguns anos,

o Compa é um “colégio acolhedor e pedagogicamente

forte” - e quer seguir assim no futuro imediato.

Ou seja, vão prosseguir as exigências em relação ao

estudo, à postura do aluno como estudante, em relação

às lições de casa, às provas e simulados – naturalmente

adaptadas à realidade do grupo.

Seguirá também em ritmo acelerado o trabalho de

ressignificação do Projeto Pedagógico do Compa levado

à frente pela Equipe Pedagógica. “Nosso projeto tem

uma base sólida. Cabe-nos agora estudá-lo e ressignificálo

à luz das importantes mudanças pelas quais passam o

mundo e as práticas de ensino-aprendizagem”, explica a

diretora Pedagógica, Rita Magnani.

“O currículo é cada vez mais narrativo e menos

prescritivo, segue o conceito da interdisciplinaridade”,

afirma Rita. “Ou seja, para fazer frente a um mundo

líquido, que muda o tempo todo, é preciso ter um

currículo mais flexível e interdisciplinar. Nesse processo,

o professor não é o centro do saber como era no

passado. Ele funciona muito mais como um facilitador,

um mediador e orientador de estudos”.

Comunicação mais dinâmica

Outra mudança no Compa diz respeito à comunicação

com os alunos, as famílias e a comunidade em geral.

“A ouvidoria foi clara quanto a isso: precisávamos

mesmo modernizar e dinamizar nossa comunicação

com as famílias”. Algumas mudanças já puderam ser

observadas por meio de mensagens enviadas (Dia da

Mulher, Páscoa, Dia das Mães). E outras virão ao longo

do ano.

No elenco das novas plataformas e ferramentas está

a Revista do Compa, cuja primeira edição é agora

apresentada à Comunidade. “Vamos também criar uma

revista eletrônica para ser usada na comunicação mais

rotineira, cotidiana”. Todas as peças passam hoje pela

criação de um design atraente, moderno e expressivo.

7


8

acontece

A comemoração da Festa Junina do Colégio da

Companhia de Maria foi um grande sucesso! Os alunos,

ex-alunos, professores e funcionários, junto com a APM

(Associação de Pais e Mestres) realizaram um evento

inesquecível e mostraram que uma das festas típicas

mais tradicionais do País pode e deve andar de mãos

dadas com a solidariedade.

A celebração teve início antes mesmo da abertura dos

portões, com todos os coordenadores e terceirizados

unidos em um círculo para receber a bênção para este

dia tão especial. Com a abertura dos portões, às 10

horas, os alunos e a comunidade tomaram conta do

nosso colégio, dentro de um clima de união, alegria e

fraternidade.

Neste ano, a festa teve um gostinho especial,

pois praticamente todos os recursos arrecadados

foram revertidos para a unidade do CEJOLE recémconstruída,

que atende cerca de 200 crianças. “Fico

muito feliz em ver o resultado de um grupo tão grande

– a Família Compa – reunido em prol dos necessitados”,

afirma Vera Turrisse – diretora social da APM.

Para Vera, grande parte dos resultados atingidos

é fruto de um trabalho contínuo de formação de

valores, respeito e união. Mas ressalta que sem o

CELEBRAÇÃO E

SOLIDARIEDADE

NO ARRAIaL DO

COMPA!

comprometimento das pessoas esse resultado não

poderia ser alcançado: “O ato de doar de si para o

próximo nos deixa com a sensação de dever cumprido”.

“Foi a oportunidade de ver pais, alunos e professores

engajados em uma mesma causa – a palavra

solidariedade diz tudo”, afirma a diretora.

Rita Magnani, nossa diretora pedagógica, reforça que

o resultado desse trabalho foi conquistado graças à

motivação de todos: pais, professores, funcionários

e alunos, que assumiram esse papel com motivação,

compraram esta causa. E conclui: “Vejo que é possível

construir um futuro melhor através da educação”.


RECURSOS

ARRECADADOS

serão

REVERTIDOS

PARA A UNIDADE

DO CEJOLE,

QUE ATENDE

CERCA DE 200

CRIANÇAS E

JOVENS.

Muito forró, comida

e diversão durante o

dia todo.

No ano em que completaria 100 anos,

o cantor e compositor Luiz Gonzaga foi

o grande homenageado nas danças de

nossos alunos. As apresentações seguiram

durante todo o dia, contagiando um público

emocionado com um clima nordestino pra lá

de animado.

As atrações das barracas não deixaram por

menos, com muito pastel, cachorro quente e

comidas típicas. Nas brincadeiras, a Bola ao

Pato fez a alegria de uns e o Chute ao Gol foi

um sucesso com a molecada. Não faltaram

prendas e diversão.

Os mais de 3 mil participantes da festa

mostraram que a Família Compa não para de

crescer e que o espírito de solidariedade e

fraternidade está cada vez mais forte.

9


10

acontece

ACOMPAMENTO

O ACANTONAMENTO DA SOLIDARIEDADE

Uma Festa Junina realizada com tanta união

e cooperação em prol de uma grande causa

mereceu uma confraternização à altura.

Foi exatamente isso que o Compa e a

APM ofertaram aos alunos e à equipe

que se dedicaram à Festa Junina e,

consequentemente, ao CEJOLE: um

acantonamento em pleno colégio.

Os alunos foram convidados a passar uma

noite de confraternização no colégio,

com direito a muitas atividades, jogos,

diversão, e uma experiência importante:

sem aparelhos eletrônicos – que não

fizeram falta alguma, pois todos se

divertiram bastante e se comunicaram

intensamente (dormir cedo, nem pensar!).

Para a coord. Lúcia, a nova proposta da

Festa Junina apenas reforça a abordagem

cooperativa e todos ganham com isso:

“durante a festa ficou consagrado o fim

solidário, com o ganho em valores que

transcendem o caráter de premiação,

ressignificando o conceito de gratuidade”.

“O aCOMPAmento, como nossos alunos

rebatizaram o acantonamento, foi um

momento de união de todos nós e veio

para coroar a dedicação de nossos alunos

e nossa comunidade”.


Acompanhe os depoimentos

de alguns dos alunos que

participaram da Festa Junina

e do Acantonamento:

“A Festa Junina é um evento muito fraterno, de cooperação.

Neste ano [como não havia competição] as barracas se

ajudaram muito durante toda a festa. Muitos ficaram

decepcionados por não ter a premiação, mas participamos

do mesmo jeito, porque ajudamos o CEJOLE. Eles precisam

da nossa ajuda, as crianças têm o direito de serem felizes.

Já o acantonamento foi uma experiência inacreditável, foi

muito bom! Diversão a noite toda.”

André Leonardi 7º ano

“Eu gosto muito de ajudar as pessoas, fico me imaginando

no lugar delas; de não ter o que comer. O CEJOLE é uma

grande oportunidade para essas crianças. Quando vi

o vídeo com as mudanças [antes e depois], me arrepiei

muito e já combinei com meu pai de ir visitar o Centro.

O acantonamento foi muito divertido, principalmente o

teatro, do qual adorei participar.“

Izadora Vargas 6º ano

“É muito legal ir ao Hopi Hari, quem não gosta de ir ao

parque de diversão?! Mas não devemos pensar apenas

em diversão na vida. Existem pessoas que não têm muita

coisa na vida, e devem sofrer muito. Penso que você deve

ajudar aos outros porque você quer.

Acho muito bonito de nossa parte ajudar as pessoas. E

depois de tudo isso ainda participar do acantonamento,

foi muito bom.

O aCOMPAmento foi muito demais, o teatro foi muito legal.

Durante a noite, no quarto das meninas, conversamos

muito, fizemos guerra de travesseiro... Não tem como

explicar: foi uma oportunidade que nunca tivemos no

colégio.”

Juliana Naufal 7º ano

“Nas festas dos anos anteriores nós competíamos uns

com os outros alunos; esse ano mudou. O Colégio

resolveu tirar a competição, que não é saudável. E

mesmo sabendo que não haveria prêmio, os alunos se

empenharam para ajudar. A proposta da Festa Junina

é a fraternidade, e ajudar o CEJOLE é bem importante.

Quando soubemos que não haveria premiação, nos

reunimos na aula de português para buscar uma

solução viável para o colégio, aí surgiu a ideia do

acantonamento. No final foi uma grande surpresa

quando nos foi proposto o acantonamento, pois já

tínhamos participado da Festa Junina.

Nunca pensei em dormir dentro da escola, menos

ainda na sala de aula. E chegar ao Colégio para o

aCOMPAmento com todos os amigos que participaram

da Festa, reunidos com mochila e violão, foi uma

experiência inesquecível.“

Henrique Maluly 9º ano

“Nos outros anos quem participasse da Festa Junina

ganhava um dia no Hopi Hari. Este ano muita

gente demorou a se inscrever, mas no fim todos se

empenharam. Achei que devíamos nos inscrever para

ajudar o colégio, mas principalmente o CEJOLE.

Assistindo ao vídeo [apresentado no acantonamento]

pudemos ver o CEJOLE antes e o resultado depois.

Ficou muito legal. A gente percebe que trabalhando,

participando, ajudamos muitas famílias. E assim, dar

uma oportunidade pra quem não tem nada. Para a

gente é comum: comida, escola, família, mas para eles

não. Com a Festa Junina, conseguimos ajudar. Sintome

gratificada.

Participar do acantonamento foi muito divertido!

Fizemos apresentações de teatro muito divertidas,

todos riram muito. Foi uma verdadeira zona, e também

uma oportunidade de fazer amizade com quem era

mais afastada.

No final ganhamos um certificado destacando os

principais valores que nosso grupo demonstrou e a

honra de participar do 1º Acantonamento do Compa.”

Victória Andrade 8ª ano

11


12

perfil

Principal responsável pelos destinos do Compa-SP

desde o início deste ano, a Irmã Pilar Panadés traz na

bagagem uma rica experiência educacional e religiosa.

Formada em teologia e psicologia, ela nasceu na

Espanha e veio para o Brasil ainda criança. A família

instalou-se em Minas Gerais, na cidade de Resplendor,

no Vale do Rio Doce. Os pais e os nove filhos tinham

uma efetiva vivência cristã.

A vocação para a educação começou a frutificar bem

cedo. No colégio onde estudava, das Irmãs Carmelitas,

Pilar admirava a dedicação daquelas religiosas aos

jovens. Começava aí uma atração que mais tarde se

aprofundou, transformando-se em vocação, ou seja,

um claro chamado para consagrar-se a Deus e doar-se

aos outros, chamado ao qual decidiu, em liberdade,

responder “sim”.

A confirmação do chamado aconteceu em Belo

Horizonte, para onde havia se mudado a família e onde

ela prosseguiu os estudos. Na capital mineira ela teve

a oportunidade de participar de um retiro espiritual

na perspectiva inaciana, herança de Santo Inácio de

Loyola, o fundador da Companhia de Jesus, cujos

membros são conhecidos como jesuítas.

IRMÃ PILAR

PANADÉS

Vocação e experiência

a serviço da educação

“Senti então o chamado de Deus para consagrarlhe

a minha vida, sendo educadora, dentro da

espiritualidade inaciana”, revela Irmã Pilar. “Procurei

uma ordem religiosa que unisse a missão de educadora

à espiritualidade inaciana. Encontrei esta síntese na

Companhia de Maria”. Ir. Pilar lembra ainda que a

Companhia de Maria atua sob inspiração de Joana de

Lestonnac e Maria, Nossa Senhora. “Somos inspiradas

sempre pela pessoa de Maria, como mulher aberta ao

mundo e a Deus, companheira de todas as horas”.

A opção pela Vida Religiosa não se deu sem barreiras.

Houve muitas pedras no caminho, que Pilar soube

ultrapassar de forma “tranquila, segura e serena”, graças

à força de sua convicção.

Até chegar aos votos perpétuos, quando a religiosa

faz a sua opção definitiva, foram 10 anos de estudos e

preparação. “Todo esse processo é feito em liberdade,

para que cada uma tenha todo o espaço necessário

para refletir e verificar se esta é mesmo a sua vocação”.

No Colégio da Companhia de Maria, do Rio de

Janeiro, onde Ir. Pilar esteve por 7 anos, foi professora,

coordenadora de série e coordenadora da Pastoral. A

sua vocação de educadora ganhou um novo caminho


Em 2012, no Compa

“Este Colégio é uma missão confiada por Deus à

Companhia de Maria”, diz Ir. Pilar ao falar de sua

presença à frente da instituição. “E quando Deus confia

uma missão a alguém, Ele acompanha, esta é a minha

tranquilidade”. Pilar lembra neste momento uma

máxima do pensamento inaciano: “trabalhar e dedicarse

ao máximo, como se tudo dependesse de nós e

confiar como se tudo dependesse de Deus”.

Reforçar o trabalho pedagógico é um dos objetivos

da atual gestão – uma iniciativa já impulsionada na

anterior. E o caminho para isso já foi aberto, com o

aumento no número de reuniões da comunidade

educativa e na qualificação deste trabalho de formação

de professores e de educadores.

Irmã Pilar Panadés acredita que é importante valorizar

as comemorações e os eventos festivos, como a Gincana

e a Festa Junina, ambas com um forte cunho solidário e

de gratuidade. Considera, no entanto, que é importante

para se expressar quando ela foi chamada, pela

Congregação, para coordenar o trabalho de

formação das jovens que queriam ingressar na

Companhia. Passou por um período de dois anos e

meio de preparação em Roma, na Itália.

Durante 14 anos atuou em São Paulo na formação

dessas jovens e, ao mesmo tempo, articulando

trabalhos de educação popular na periferia da

capital, no CEJOLE e Comunidades da Paróquia.

E em meio a tudo isto, ainda sobrou tempo para

fazer o curso de psicologia. Em 1997, foi nomeada

a Provincial da Companhia de Maria no Brasil,

responsável pela gestão geral dos colégios, obras

sociais e comunidades de irmãs.

Em 2003, Pilar foi chamada a integrar a instância

máxima da Companhia, a Equipe Geral, formada

pela Madre Geral e mais quatro representantes dos

continentes onde a Ordem está presente. Nesta

função, conheceu a Companhia presente nos

demais países. Em 2008, foi escolhida para integrar

a Equipe Provincial do Cone Sul, constituída por

seis religiosas da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile e

Paraguai – função que desempenhou até 2011.

fazer isso sem produzir impactos negativos na sala de

aula. “O pedagógico é soberano e deve ser o polo de

referência principal de uma instituição de ensino como

a nossa, que busca a excelência acadêmica e, claro,

a formação de lideranças responsáveis, capazes de

diálogo com este mundo conturbado em que vivemos,

sabendo posicionar-se com sabedoria, a partir de

valores humanos e cristãos”.

Pilar Panadés confia especialmente na parceria entre

escola e família. “Contar com tantas famílias que somam

com a gente é algo fundamental para a formação

de nossas crianças e jovens”, afirma. Para isso, Irmã

Pilar mostra-se aberta ao diálogo com a Comunidade

Educativa Companhia de Maria. “Estamos sempre

prontos a receber mães, pais, alunos – a comunidade

inteira, enfim. Vamos conversar sempre. Estou muito

confiante e satisfeita por contar com o apoio da equipe

técnica, de professores, funcionários, alunos e famílias.

Que Deus nos ajude nesta nova missão!”

13


14

perfil

IRMÃ ZIRLENE

BARBOSA

Determinação e proximidade

com instituições irmãs

Natural de Araçuaí, município situado

no norte de Minas Gerais, Irmã

Zirlene Barbosa entrou para a Ordem

da Companhia de Maria em 2002.

Formada em Ciências Contábeis e

Enfermagem, sua experiência na área

administrativa foi essencial para que

ela assumisse, no início deste ano, a

Diretoria Administrativa do Compa-SP,

como uma missão que a Companhia

de Maria lhe confia.

Com sua jovialidade, alegria e

disposição, ela chegou com muita

vontade de aproximar o Colégio de

outras instituições irmãs, pois acredita

que o colégio está preparado para

“unir forças para a missão”, frase

de Joana de Lestonnac, garantia

de uma caminhada inspiradora. O

objetivo é fazer com que experiências

bem sucedidas em uma escola

da Companhia de Maria sejam

compartilhadas com outras. “Vamos

nos aproximar mais do nosso colégio

do Rio de Janeiro e de outras escolas


da Companhia na Argentina, Chile, Paraguai e Bolívia”,

com que formamos uma só província.

Irmã Zirlene Barbosa acredita que uma gestão moderna

pressupõe o exercício da “visão ampla”. É preciso

enxergar longe, compartilhar experiências, saber ouvir

e acolher. Ela entende que é preciso “descentralizar”

algumas decisões e construir uma “gestão participativa”.

O setor administrativo, segundo Ir. Zirlene deve dar

todo o apoio necessário para o ótimo desempenho

pedagógico e pastoral da escola”, explica. “Precisaremos

sempre usar bem as fontes de recursos que temos e

administrá-las corretamente para atender às exigências

da nossa comunidade e às exigências do tempo em que

vivemos”.

IRMÃ ANA AMÉLIA

& MADRE SILVA

Merecida homenagem

A Direção do Compa se alegra ao render merecida homenagem à Irmã Ana Amélia

Gonçalves da Silva pelo excepcional trabalho realizado, durante 12 anos, com

competência e dedicação, ao conduzir os destinos do Colégio da Companhia de Maria

de São Paulo. Ir. Ana Amélia teve sempre ao seu lado a incansável Madre Silva que,

com extrema dedicação diária, coordenou a Pastoral do Compa por muitos anos.

Nossa escola alcançou nesse período bons resultados na área pedagógica e na

administrativa. O Compa fez importantes reformas em suas instalações, o que deu

à escola um novo visual e novas estruturas. As conquistas realizadas permitem ao

Colégio seguir adiante, buscando superar novos desafios.

Irmã Ana Amélia e Madre Silva tiveram, acima de tudo, uma forte liderança espiritual.

O exemplo delas deixa para a Comunidade Educativa Companhia de Maria uma marca

extremamente positiva que jamais se apagará.

Para Irmã Ana Amélia e Madre Silva, a eterna gratidão do Compa-SP.

Zirlene Barbosa lembra que manter a escola saudável do

ponto de vista pedagógico, administrativo e financeiro

é importante para preservar e fortalecer o próprio

colégio em seus diversos aspectos, e apoiar as obras

sociais da Companhia.

Irmã Zirlene Barbosa sente que assumir esta nova

responsabilidade constitui para ela um “apelo de Deus”,

ao qual deseja responder com a máxima dedicação e

carinho como o fazer educativo, ao estilo de Joana de

Lestonnac, significa para ela. “Vamos dar continuidade

ao bom trabalho que vinha sendo exercido pela gestão

anterior e contar com o firme apoio de toda a nossa

equipe”.

15


16

pessoas

Já imaginou o

tamanho da alegria

em se formar no

Ensino Médio do

Compa e entrar na

universidade do

seu sonho?

Essa é a história

dos nossos

vencedores, alunos

que se dedicaram

aos estudos,

com garra e

determinação

e conquistaram a

tão sonhada vaga

na universidade.

Veja os depoimentos

de alguns alunos,

apresentados

à Equipe de

Comunicação

do Compa.

histórias

de sucesso

“Foi uma grande realização! Cursar direito foi minha primeira

opção desde sempre. Tive que ralar muito no colégio. O mais

importante foi a formação completa que tive no Compa, não

apenas acadêmica, que me deu mais maturidade para enfrentar

os desafios da vida. E força para entrar na USP.

O ano passado foi muito importante também. Pude representar

o Compa na “Jornada Mundial da Juventude”, onde, além da

experiência e aprendizado, tive tempo para reflexão e voltar mais

preparado para o vestibular. Eu tenho uma dívida e um carinho

enorme pelo Compa, onde passei 14 anos da minha vida.”

Luiz Fernando Silva Ramos Filho, que entrou em

Direito na USP.


“Entrar na Universidade foi uma grande conquista para mim, foram anos de

luta e muito estudo. Desde a quinta série eu decidi que queria fazer medicina,

não tenho nenhum familiar próximo nessa carreira, mas ela sempre atraiu

minha atenção.

Quando estava no segundo colegial, no Compa, resolvi pesquisar se era

exatamente isso que eu queria para minha vida, conversei com meus

professores de química e biologia e pesquisei outras carreiras na área da saúde,

como farmácia ou biomedicina. Essa pesquisa só me fez chegar à conclusão de

que era realmente medicina o que eu queria, eu queria cuidar do próximo, ter

contato com as pessoas.

O Compa teve uma enorme contribuição com esta conquista! Primeiramente, os

valores pessoais que a escola nos ensinou; o respeito ao próximo, o carinho com

os deficientes, as ajudas que fazíamos às instituições de caridade através de

arrecadações pela Festa Junina e Gincana e, também, o zelo das madres e dos

professores com os alunos! Houve as contribuições didáticas: professores muito

preocupados com os alunos e que lutavam até o fim para a classe aprender.”

Karoline Guerreiro Lichy, que entrou em Medicina na Faculdade

Estadual de Marília.

“Minha primeira opção não era engenharia, mas como sempre gostei de exatas e também

pensando na questão do mercado, optei por esta carreira. A escolha foi ótima, estou gostando

muito. Para tomar esta decisão, os professores e coordenadores do Compa me ajudaram

muito, trazendo informações, matérias e me esclarecendo sobre cada profissão.

Eu estudei desde 1997 no Compa e hoje percebo que a parte acadêmica do colégio me deu

uma base muito boa para entrar na faculdade. Nos últimos anos, as provas e simulados foram

ficando cada vez mais puxados, e deram uma noção muito boa de tempo e segurança para

entrar na FEI.

Hoje, levo comigo todos os ensinamentos e todo o carinho que sempre tive no Compa

Gabriela Chofakian, que entrou em Engenharia de Produção na FEI, na Federal do

ABC e no Mackenzie.

“Como a maioria dos alunos do Ensino Médio, mudei de opção diversas vezes, mas somente o

curso de Relações Internacionais me fez realmente ter a certeza da experiência que eu queria

ter como universitária. A USP sempre foi um dos meus maiores objetivos, mas também prestei

outras faculdades muito boas na minha área. No entanto, escolher a USP foi extremamente

fácil: a única lista em que eu realmente fiquei emocionada, com aquela sensação de conquista

e de orgulho.

Fui aluna do Compa do 6º ano do Ensino Fundamental até o final do Ensino Médio, ou

seja, o colégio teve grande influência sobre minha formação. Tenho muito a agradecer aos

professores que me auxiliaram durante o Ensino Médio, principalmente no último ano. Os

professores não hesitavam em me auxiliar em qualquer dúvida ou problema que tivesse com

os estudos.

Não há sensação melhor do que pertencer a uma comunidade com que você se identifica.

A experiência universitária deve oferecer mais do que conhecimento: conforto, felicidade e

satisfação.”

Julia Cimionatto, que entrou em Relações Internacionais na USP, PUC e UMB (Brasília).

17


18

Saiba quem foram os outros vencedores

do Compa, que também conquistaram a

sonhada vaga na Universidade.

CAROLINA CAVALHEIRO LUMARE

cursando Administração na PUC e Moda no SENAC.

CAROLINA PARADA TURRISSE

cursando Publicidade no Mackenzie,

também entrou na Faculdade Belas Artes

e na Casper Líbero.

DENISE SANCHEZ OLIVEIRA

cursando Direito no Mackenzie.

FELIPE ESTEVES ALCARAZ

cursando Engenharia Civil na USP,

também entrou na UNESP e em São Carlos.

FERNANDA HERMES DA FONSECA

cursando Psicologia no Mackenzie.

FERNANDA NICOLINI VON PFUHL

cursando Psicologia no Mackenzie.

GABRIELLE CRISTINA FERREIRA PINTO

cursando Áudio Visual na USP.

GIOVANNA ABBUD MALAGRINO

cursando Psicologia no Mackenzie.

JONATHAN MARK BUSCARIOLLI MAJONI

cursando Administração na PUC.

“Estou muito feliz! Para entrar na USP eu tive um apoio

muito grande de todos do Compa, que me ajudaram

da escolha do curso à preparação para o vestibular.

Nós tivemos muitos simulados e também pudemos

ouvir palestrantes falando sobre carreiras e profissões.

Os professores foram muito solícitos nos últimos anos

e chegavam, inclusive, a ficar fora do período de aulas

para nos ajudar com determinada matéria. Deram

apoio e estiveram presentes em todos os momentos.”

Fernanda Nobre Granjo Lelli, que entrou

em Relações Internacionais na USP, PUC e UNESP.

JÚLIA DE MACEDO CAMARGO PIRES

cursando Publicidade na Anhembi Morumbi.

LUIZA ELIZABETH FERRARI MOREIRA FERNANDES

cursando Publicidade na Casper Líbero.

MARIANA LICCIARDI OLIVO

cursando Direito no Mackenzie.

MARIANA SPERANDIO

cursando Direito na PUC,

também entrou na São Bernardo ABC .

VICTÓRIA CALDEIRA CESAR PESTANA

cursando Jornalismo no Mackenzie.

VICTORIA REIS SOUSA E BRAGA

cursando Arquitetura no Mackenzie.

VIVIAN CHIODO DIAS

cursando Ciência da Computação no Mackenzie.

Nossos parabéns

a todos eles!


20

Colégio da Companhia de Maria

Rua Afonso Brás, 847 - Vila Nova Conceição

São Paulo - SP - CEP 04511-011

Fone (11) 3842-5403 / Fax (11) 3842-4398

www.compa-sp.com.br

Similar magazines