Views
5 years ago

Untitled

Untitled

  • Page 5 and 6: 5ERTR0
  • Page 7 and 8: COELHO NETTO sertAo LIVRARIA LÉLO
  • Page 9: P^U LO PI
  • Page 13 and 14: Ao Dr Mattim Francisco Estava a exp
  • Page 15 and 16: PRAGA 11 Velhas senzalas ermas, esc
  • Page 17 and 18: PRAGA tanga apenas passada á cinta
  • Page 19 and 20: PH AG 15 A retirada fazia-se lenta
  • Page 21 and 22: Ao i PRAGA 17 sol, uma guardadora d
  • Page 23 and 24: PRAGA 19 Horas depois trouxerani-lh
  • Page 25 and 26: PRAGA que lhe serVia de travesseiro
  • Page 27 and 28: PRAGA 23 poucos desfallecendo e aca
  • Page 29 and 30: PEAGA L J brára todo o dia : se un
  • Page 31 and 32: PRAGA L'7 Cora a boca entreaberta,
  • Page 33 and 34: PEAG 29 sando o contorno rijo dos p
  • Page 35 and 36: se : Vem cébê-la. cá, anda ! E P
  • Page 37 and 38: — 2sa boca, não ! — Você tem
  • Page 39 and 40: Esse tangido lúgubre, isolado na t
  • Page 41 and 42: PRAGA 37 nas represas ; elle resist
  • Page 43 and 44: A velha conservou -se irnmovel. PRA
  • Page 45 and 46: pr aí; a 41 inerte, como num tronc
  • Page 47 and 48: VI Com essa recordação tranca, re
  • Page 49 and 50: PRAGA -J uni vento glacial. Gentia
  • Page 51 and 52: P&A3A 47 oulas de miolos roxos e ra
  • Page 53 and 54:

    P&AGA 49 piando-se, recuando quando

  • Page 55 and 56:

    FRAGA 51 nú, crispado, indómito,

  • Page 57 and 58:

    PRAGA 53 tropel das patas — era v

  • Page 59 and 60:

    ' PRAGA 55 mocambeiros, picadas est

  • Page 61 and 62:

    PRAGA 57 leiras, atiaehando-sc, a t

  • Page 63 and 64:

    PRAGA 59 d estrupido do gado partiu

  • Page 65:

    PEAGA 61 com a terra, de roldão, e

  • Page 69 and 70:

    Outubro. O sol, em pleno, alargava

  • Page 71 and 72:

    O ENTERRO 67 desciam na direcção

  • Page 73 and 74:

    O ENTERRO 69 Sobre os seus eabellos

  • Page 75:

    A TAPERA

  • Page 78 and 79:

    74 SEE-TÃO aguas corressem perto,

  • Page 80 and 81:

    76 SERTÃO Indo por aqui, no seu va

  • Page 82 and 83:

    78 SERTÃO só, miravam a lagoa imm

  • Page 84 and 85:

    80 SERTÃO gado, onde os mameis ver

  • Page 86 and 87:

    82 SERTÃO gente foi desertando o s

  • Page 88 and 89:

    S4 SERTÃO meu cavallo, mergulhado

  • Page 90 and 91:

    86 SERTÃO mer, acenou para que seg

  • Page 92 and 93:

    88 SERTÃO Assim faiando, lentament

  • Page 94 and 95:

    90 SERTÃO dos a curraes, nascidos

  • Page 96 and 97:

    92 SERTÃO delia prociirando-me. Ol

  • Page 98 and 99:

    94 SERTÃO qne pn^pssemos vencer a

  • Page 100 and 101:

    96 SERTÃO sertanejas e, apesar da

  • Page 102 and 103:

    98 SBSTÃO ein pranto pedindo-tne,

  • Page 104 and 105:

    100 SERTÃO • — Está no tronco

  • Page 106 and 107:

    102 SERTÃO Tirei a chave, abri a p

  • Page 108 and 109:

    104 SERÃO E, apegar de todas as su

  • Page 110 and 111:

    106 SERTÃO Serapião ergueu-se les

  • Page 112 and 113:

    108 SERTÃO e, ás vezos, no murmul

  • Page 114 and 115:

    110 SERTÃO Porque não cresce entr

  • Page 116 and 117:

    IV Á noite subia, silenciosa e dia

  • Page 118 and 119:

    114 SERTÃO a linha natural. De rep

  • Page 120 and 121:

    110 SERTÃO plandeoeram os olhos li

  • Page 122 and 123:

    118 SERTÃO do, e muito tempo ouvi

  • Page 124 and 125:

    120 SERTÃO no que dizem. Mas não

  • Page 127 and 128:

    Sentados na soleira da pnlhoofi. em

  • Page 129 and 130:

    FIRMO, O VAQUEIRO 125 o via passar

  • Page 131 and 132:

    FIRMO, O VAO.UEIBO 127 sava os dias

  • Page 133:

    FIEMO. O VAQUEIRO 129 — Canta, ca

  • Page 137 and 138:

    A Luiz Murat A cabana, de reboco, c

  • Page 139 and 140:

    CEGA 135 Anna Rosa e Felícia, mãi

  • Page 141 and 142:

    CEGA 137 Com o cobre que tinha comp

  • Page 143 and 144:

    cega : 39 de uma criança taluda e

  • Page 145 and 146:

    CEGA 141 guardo. E, atirando o cMle

  • Page 147 and 148:

    CEGA 143 gueu-se pesadamente com um

  • Page 149 and 150:

    CEGA 145 cos recebendo a filha. Est

  • Page 151 and 152:

    CEGA 117 Num impeto, porém, sem le

  • Page 153 and 154:

    CEGA 149 entre o pranto, ouvia-se-l

  • Page 155 and 156:

    II Três vezes o macho, atrellado

  • Page 157 and 158:

    CEGA 153 Á tarde, quando Cabiúna

  • Page 159 and 160:

    OÉGA 1 55 As aves, espantidiças,

  • Page 161 and 162:

    CEGA 157 de ouvi-la, provocavam-na

  • Page 163 and 164:

    CEGA 159 Os rapazes da musica, moll

  • Page 165 and 166:

    CEGA 161 rancho num potro passarinh

  • Page 167 and 168:

    CEGA 163 terios da superstição do

  • Page 169 and 170:

    CEGA 105 rando a c^ga em segredo, d

  • Page 171 and 172:

    CEGA 167 A cega ergueu -se afflicta

  • Page 173 and 174:

    CEGA 169 — Que é, maraãi ! —

  • Page 175 and 176:

    callosa para que ella acariciasse :

  • Page 177 and 178:

    CEGA 173 ào nas cadeiras, embrulha

  • Page 179 and 180:

    CEGA 175 — E o dontor, Felicinha

  • Page 181 and 182:

    CEGA 177 biúna morreu ! Seu doutor

  • Page 183 and 184:

    OÈQA 179 mesa e a desgraçada, suc

  • Page 185 and 186:

    CEGA 181 E atirou-se, soluçando, s

  • Page 187 and 188:

    CEGA 183 tora com o mesmo carinho c

  • Page 189 and 190:

    CEGA 185 dos brutos que era elle ag

  • Page 191 and 192:

    CEGA 187 tudo, ninguém repara, mas

  • Page 193 and 194:

    CEGA 189 Mas quando ficava só. enc

  • Page 195 and 196:

    C&a: 191 espanto que a negra a enco

  • Page 197 and 198:

    CEGA 193 A cega, que ouvia, sobresa

  • Page 199 and 200:

    CEGA 195 — Ah ! minha filha . . .

  • Page 201 and 202:

    CEGA Vàl aguas plácidas, pelos ca

  • Page 203 and 204:

    CEGA 199 tada á borda do leito, os

  • Page 205 and 206:

    CEGA 201 com desespero num tremor d

  • Page 207 and 208:

    CEGA 203 vas trançadas, galhos de

  • Page 209 and 210:

    CEGA 205 3angne. Eu perdi a cabeça

  • Page 211:

    CÉGÀ 207 da cega, mas ficou de br

  • Page 215 and 216:

    Peita a ultima parada. Manfloví, a

  • Page 217 and 218:

    MANDOVT 213 — Pruve ta, rapaz ! :

  • Page 219 and 220:

    MANDOVI 215 Fora a noite ia esplend

  • Page 221 and 222:

    MANDOVI 217 agudo que. dessa vpz, p

  • Page 223 and 224:

    MANDOVÍ 219 posição em que ficar

  • Page 225 and 226:

    MANDO VI 221 trada, como se ainda q

  • Page 227 and 228:

    MANDOVX 223 novo. Quando chegaram

  • Page 229:

    MANDOVÍ 225 Sapateia, moreninha Qu

  • Page 233 and 234:

    A Olavo Bilac Xa encosta agreste da

  • Page 235 and 236:

    OS VELHOS 231 Viviam modestamente e

  • Page 237 and 238:

    Oã VELHOS 233 fazia um verde alpen

  • Page 239 and 240:

    OS VELHOS 235 muito, devoto e humil

  • Page 241 and 242:

    OS VELHOS 237 até estranhavam que,

  • Page 243 and 244:

    08 VELHOS 2'ÒJ tre. Sentia Da mão

  • Page 245 and 246:

    OS VELHOS _il que a ajudasse a acom

  • Page 247 and 248:

    08 VELHOS 243 quer vir commigo, ven

  • Page 249 and 250:

    OS VELHOS 245 na, erguendo os olhos

  • Page 251 and 252:

    OS VELHOS 247 O negro, louco de dô

  • Page 253 and 254:

    OS VELHOS 249 — Você sahiu um in

  • Page 255 and 256:

    OS VELHOS 251 pelos olhos, pelo nar

  • Page 257 and 258:

    OS VELHOS 253 — Não me deixa só

  • Page 259 and 260:

    OS VELHOS 255 — Você não esteve

  • Page 261 and 262:

    II Annos tranquillos passaram e, se

  • Page 263 and 264:

    OS VELHOS 259 ás velhas yalhas dos

  • Page 265 and 266:

    O" TET/HOSj 201 Erguia a cabeça, p

  • Page 267 and 268:

    OS VELHOS 26J se ella sentia dores

  • Page 269 and 270:

    — Bôca-ncgra! Frecha ! aqui ! ch

  • Page 271 and 272:

    OS VELHOS 26 — Sabe que sou um ho

  • Page 273 and 274:

    OS V1XJIU.S 1'0'J demente do leito,

  • Page 275 and 276:

    OS VELHOS 271 encheu uma medida de

  • Page 277 and 278:

    OS VELHOS 273 caduquice. Pois olha

  • Page 279 and 280:

    OS VELHOS 275 Os milhos, já mortos

  • Page 281 and 282:

    OS VELHOS 277 e trôpega, tartareio

  • Page 283 and 284:

    OS VELHOS 279 dizendo alto, para qu

  • Page 285 and 286:

    OS VELHOS 281 um instante parada, e

  • Page 287 and 288:

    OS VELHOS 283 instante a instante e

  • Page 289 and 290:

    OS VELHOS 285 gue nas veias. Alegro

  • Page 291 and 292:

    08 VELHOS C37 exhalavam. Então ! e

  • Page 293 and 294:

    OS VELHOS 289 das, da boca entreabe

  • Page 295 and 296:

    OS VELH08 291 — Valha-me Deus ! U

  • Page 297 and 298:

    OS VELHOS 293 no coração, firmand

  • Page 299 and 300:

    OS VELHOS 295 Os cães, ouvindo-a,

  • Page 301 and 302:

    OS VELHOS 297 Sorveu o ar com ânsi

  • Page 303 and 304:

    OS VELHOS 299 Romana, que até ent

  • Page 305 and 306:

    OS VELHOS 301 — Como ó que eu vo

  • Page 307 and 308:

    08 VELHOS 303 ella levantou os olho

  • Page 309 and 310:

    OS VELHOS 305 Desanimado afastou-se

  • Page 311 and 312:

    OS VELHOS 3

  • Page 313 and 314:

    OS VELHOS 309 — -Então, gente ;

  • Page 315 and 316:

    OS VELHO? 311 pessoas que a lastima

  • Page 317 and 318:

    OS VELHOS 313 — Quõ coisa, minha

  • Page 319:

    ÍNDICE

  • Page 327:

    IO a> to o £1 H