Visão Judaica - outubro de 2002 Chesvan / Kislev 5763

visaojudaica.com.br

Visão Judaica - outubro de 2002 Chesvan / Kislev 5763

20

Manifestações anti-semitas em

jornais no interior do Paraná

“Quem diria que da nossa amada

Paranaguá sairia tamanha mediocridade”.

Com estas palavras, de justa indignação

o jovem Charles Chapaval Wikler,

respondeu em carta ao vereador

Alceu Maron (PPB), o pronunciamento

anti-semita que este fez na Câmara

Municipal e que foi publicado no jornal

Gazeta Parnanguara.

Maron usou da tribuna para referirse

ao “massacre que ocorre no Oriente

Médio”. Declarando ser homem de posições

definidas, disse que o “que existe

no Oriente Médio é ‘a maldição judaica

que paira sobre o mundo há séculos’”.

Entre outras parlapatices, o aprendiz de

nazista ainda falou que ”Israel não só

não quer deixar o território que não lhe

pertence ser ocupado pelo povo palestino

como ainda espanta e surpreende

com sua ousadia e desfaçatez ao não

permitir que Jerusalém seja ocupada

pelos palestinos”.

Reação

Surpreso, Charles Wikler respondeu

ao vereador: “Não nos conhecemos pessoalmente

e nem faço a mínima questão

que isso ocorra, pois pessoas como

você merecem apenas o desprezo”.

“Mesmo assim” — prosseguiu — “faço

isso em homenagem ao meu querido avô

Leão Chapaval, que orgulhoso contava

histórias de fraternidade entre os descendentes

de árabes e judeus de nossa

Paranaguá. Mal sabia meu avô que um

dia alguém desprovido de bom senso e

com o coração transbordando de ódio,

tentaria trazer à nossa comunidade problemas

que a distância nos impede de

compreender em sua totalidade”.

“Pessoas das famílias Akim, Buffara,

Farah, Mattar, Cecy entre outras, devem

estar como nós, tentando entender onde

você quer chegar com esse racismo, pois

nossa família Chapaval sempre conviveu

em paz, como verdadeiros irmãos da comunidade

árabe de Paranaguá”. Mais

Visão Judaica - outubro de 2002 Chesvan / Kislev 5763

adiante observa: ”Malditos, não são os

judeus que você mencionou (e que na

sua falta de conhecimento confunde com

israelenses), mas pessoas como você,

que com sua ignorância impedem o mundo

de ser melhor. Finalizando, Wikler

acrescenta que o vereador merece um

processo por racismo, incurso na Lei

Afonso Arinos.

Em Cascavel

Também na imprensa de Cascavel se

registraram manifestações anti-semitas.

O jornal Gazeta do Paraná vem publicando

artigos (como os de Fernando

Egypto, que por sinal acaba de ter sua

condenação por racismo confirmada em

sentença da Justiça do Rio de Janeiro)

e cartas de cunho anti-semitas. Recentemente,

uma dessas cartas expressava

revolta pela morte de um palestino

sem as duas pernas, pelo Exército de

Israel e acusando os judeus de barbarismos

e monstruosidades.

Reagindo a isso, o curitibano Leon

Hirsch escreveu carta ao jornal observando

que as acusações “continham

meias verdades, omissões e desinformação”.

Omitiu-se, por exemplo, que

o palestino morto era terrorista e que

ficara sem as pernas ao montar uma

bomba como as que “mataram inocentes

que estavam numa discoteca, numa

pizzaria, num hotel, numa universidade

e nos ônibus”. “Não li no jornal nenhuma

carta condenando esses atos

terroristas”, disse Hirsch.

Ele lembrou do caso do seqüestro do

navio de passageiros Achilles Lauro,

quando um inválido em cadeira de rodas,

com 78 anos de idade foi jogado ao

mar pelos terroristas, morrendo afogado.

Recordou ainda os ataques a escolas,

como em Maalot onde crianças foram

mortas e ainda o assassinato dos

atletas israelenses nas Olimpíadas de

Munique há 30 anos atrás quando não

havia ocupação alguma.

A Cabala e a nova Era

Shmuel Lemle*

Há muito tempo anunciada, segundo todos os mestres cabalistas finalmente

chegamos à Era de Aquário, a Era da Iluminação. O que isto significa?

Desde o princípio da Criação o homem busca respostas para suas mais

profundas indagações. Por que estamos aqui? Por que o mundo foi criado?

Por que existe o caos, o sofrimento e a dor? Onde está D-us?

Muitas pessoas, ao longo da história, tiveram acesso às respostas a tais

perguntas.Mas a humanidade ainda não estava pronta para receber um conhecimento

tão poderoso. Era preciso uma maior evolução espiritual.

Abraão, nosso Patriarca, revelou pela primeira vez a compreensão cabalística

do universo no Livro da Formação, o Sefer Ietsirá (recentemente foi

lançada uma versão em português deste livro, pela Editora e Livraria Sefer).

Isaac e Jacob também receberam esses ensinamentos, assim como Moshe

Rabeinu, que no Monte Sinai recebeu o corpo revelado da Torá, e também a

parte oculta, a Cabala. A Cabala está para a Torá assim como a alma está

para o corpo, o corpo não possui vida sem o sopro da alma, a Torá não pode

ser compreendida sem o conhecimento da Cabala. A Torá oculta, a Cabala

revela. De acordo com a Cabala, a Torá é um código cósmico, todo o conhecimento

do universo está contido na Torá, mas é preciso saber decifrar esse

código. E o Zohar, a principal obra da Cabala, é a chave mestra que decifra

este código. Escrito em aramaico por Rabi Shimon Bar Yochai há cerca de

2.000 atrás, o Zohar permaneceu restrito, até a nossa época, a um pequeno

grupo de sábios por geração. Mas o próprio Zohar previu que isto iria acontecer,

e previu também que chegaria a hora em que seus segredos e maravilhas

seriam revelados a toda humanidade.

E esta hora chegou. Na primeira metade deste século o fundador do Centro

de Cabala, o Rabino Yehuda Ashlag, dedicou-se à incrível tarefa de traduzir o

Zohar inteiro para o hebraico, tornando seus ensinamentos muito mais acessíveis.

E nos últimos vinte anos, com a direção do Rav Berg e de sua esposa

Karen, os diversos Centros de Cabala ao redor do mundo inteiro têm trabalhado

para transmitir a antiga sabedoria da Cabala em uma linguagem acessível a

qualquer pessoa, sem que seja precisa ter nenhum conhecimento prévio, apenas

um desejo sincero de aprender e de se transformar.

O Zohar afirma que somente através do estudo da Cabala a humanidade

poderá sair do exílio espiritual no qual atualmente se encontra de forma misericordiosa,

sem sofrimento. As respostas para as perguntas que formulamos

acima, e que todos os seres humanos têm feito ao longo dos últimos

milhares de anos, estão agora ao alcance de todos, nesta Era de Aquário,

através da revelação da sabedoria cósmica da verdade, a Cabala.

O Centro de Cabala está lançando pela primeira vez na história uma tradução

completa do Zohar em inglês, abrindo as portas desta sabedoria para

cada vez mais pessoas. Com os ensinamentos da Cabala disponíveis, e com

a própria energia que o Zohar emana, a humanidade tem agora as ferramentas

para tomar controle do seu destino e eliminar o caos e o sofrimento da

paisagem humana. Só através do conhecimento espiritual e da conexão com

a imensa Força da Luz do Criador podemos remover por completo a desumanidade

e o ódio de nosso meio, e revelar o bem estar e a felicidade que são

um direito de nascença de todos os seres humanos.

* Shmuel Lemle é professor do Centro de Cabala do Rio de Janeiro e aluno do

cabalista Rav Berg, diretor internacional do The Kabbalah Centre –

www.kabbalah.com Contato: Telefax: 0**(21)2525-3353 – e-mail:

shmuel.lemle@kabbalah.com

More magazines by this user
Similar magazines