Pág 1.p65 - Toledo Presidente Prudente

unitoledo.br

Pág 1.p65 - Toledo Presidente Prudente

Edição

Edição

Mês: Novembro

Ano: 2007

95


2102

Editorial

“Mestre não é quem sempre ensina, mas quem, de repente, aprende.”

15 de outubro de 2007: no calçadão

da Toledo/PP, centenas de

alunos se fazem presentes numa

homenagem a seus professores.

No palco, montado especialmente

para a ocasião, um grupo,

composto pelos representantes

de classe de todos os cursos, presenteia,

em nome da faculdade,

cada um dos docentes que ali

estão, pelo seu dia.

Uma solenidade que simboliza

o respeito e reconhecimento

devidos a um profissional que

possui a mais nobre das missões:

MITIGAÇÃO DA RENÚNICA TÁCITA EM FACE DA

PRESCRIÇÃO PRETÓRIA

EXPEDIENTE

Mantenedores

Marlene de Toledo Pennacchi

Bruno Roberto Pereira de Toledo

Zely Maria Leite de Toledo

Diretor Geral

Milton Pennacchi

Redação e Fotos

Virgínia Zagnoli

Diagramação

Virgínia Zagnoli

Arte

marca - X

propaganda e marketing

Jornalista Responsável

Sérgio Tibiriçá Amaral - M.T.B. - 208-30

Webmaster

Rodrigo Abucarma

Colaboração

Empresa Júnior Toledo

Livraria M. Toledo

Impressão

Gráfica Oeste Notícias

Conselho Editorial

Clarice Yoshioka

Ana Luzia Videira Parisotto

Maria Inês Pennacchi Amaral

Sérgio Tibiriçá Amaral

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL TOLEDO

Praça Raul Furquim, 9

Presidente Prudente - SP

CEP 19030-430

Fone: (18) 3901-4000

E-mail: imprensa@unitoledo.br

contribuir para que o conhecimento

seja partilhado, compartilhado

e mais ainda, construído

e reconstruído vezes sem fim.

Outrora venerada, a figura do

professor, em especial no Brasil,

sofre as conseqüências de mudanças

culturais que, ao reduzirem

a distância entre este e o aluno,

permitem uma relação mais

próxima entre eles, mas que redundam,

muitas vezes em atitudes

desrespeitosas por parte do

segundo.

Atitudes antes impensáveis são

tomadas por alunos que se sen-

Com o escopo de cumprir a

determinação do art. 5º, inciso

LXXVIII, da Constituição

Federal, que assegura

a razoável duração do

processo e os meios que garantam

a celeridade de sua

tramitação, foi editada a

Lei 11.280/2006 que revogou

o art. 194 do Código Civil

(Lei 10.406/02).

Referido artigo preconizava

que era vedado ao magistrado

argüir de ofício a

prescrição, exceto se uma

das partes fosse absolutamente

incapaz.

Além disso, foi acrescentado

o § 5º ao artigo 219 no

Código de Processo Civil

permitindo o reconhecimento

de ofício, pelo juiz,

da prescrição.

A Lei 11.280/06 fez surgir

a “praescriptio pretor”

(prescrição pretória), segundo

a qual o juiz, a qualquer

momento e em qualquer

grau de jurisdição,

pode reconhecê-la de ofí-

tem em posição de igualdade,

quando não, de superioridade

face ao professor, mormente em

instituições particulares.

É uma inversão de valores que

deve ser combatida, sob pena de

condenarmos a já precária estrutura

de ensino do país a uma situação

ainda mais vulnerável.

Por outro lado, é inegável que

ao professor cabe, não somente

formar o profissional, mas sobretudo

o cidadão que, integrado à

sua comunidade, será o responsável

pelo futuro da mesma; sua

evolução ou derrocada depende

cio, sem provocação das

partes.

Na prescrição pretórita,

há transferência da faculdade

de argüição da prescrição

– do réu para o juiz.

Naquela, a parte interessada

exercita tal faculdade,

trata-se de prescrição pura

e simples, com opção de renunciá-la

(conforme art.

191, do Código Civil).

A prescrição reconhecida

de ofício pelo juiz mitiga o

princípio do contraditório

(art. 5º, LV, da Constituição

Federal), pois caso o juiz a

alegue no início da lide (in

limine litis), ao receber a

inicial antes da citação do

réu, pode reconhecer e extinguir

o processo com resolução

de mérito (arts. 269,

IV e 295, IV, do Código de

Processo Civil).

Neste ponto, há controversas

doutrinárias. Alguns

entendem que o juiz deveria

dar ciência ao réu da

decisão.

unicamente daqueles que a compõem.

Cumpre-lhe, portanto, um

papel que reveste a docência de

um sentido maior.

Contudo, para que suas palavras

repercutam na mente e no

coração de seus alunos, o professor

deve se pautar, dentro e

fora da sala de aula de forma condizente

com suas preleções. O

contrário resultará em descrédito

e todos nós sabemos que um

exemplo vale mais que qualquer

discurso.

Ao compor o seu quadro docente,

a Toledo/PP busca, essen-

Outros, que o contraditório

estaria garantido em

grau de recurso (nas contrarazões

de apelação, caso o

autor resolvesse recorrer da

decisão).

Além de ferir o princípio

do contraditório e da ampla

defesa, esposados no texto

constitucional, o magistrado

estaria mitigando a

renúncia à prescrição, prevista

no artigo 191 do codex.

De acordo com o citado

dispositivo, a renúncia da

prescrição pode ser tácita

ou expressa, desde que preenchidos

dois requisitos: a)

consumação da prescrição;

b) ausência de prejuízo a

direito de terceiro.

A renúncia tácita perde

aplicabilidade, uma vez que

não é permitido ao requerido

defender-se da pretensão

do autor, quando a prescrição

for pronunciada de

ofício pelo magistrado.

Por seu turno, a renúncia

Guimarães Rosa

cialmente, profissionais que se

constituam em referência não

somente por sua formação técnica,

mas também e sobretudo

por sua conduta ética.

Essa preocupação: buscar os

melhores professores, espelha

nosso respeito ao futuro, representado

por nossos hoje alunos.

Professor, obrigado pelos

seus ensinamentos!

Professor, obrigado pelo seu

exemplo!

*Milton Tiago Elias Santos Sartório

expressa (art. 191, 1ª parte,

CC) quedar-se-ia inerte

frente à argüição judicial in

limine litis – no início da

lide – sem a oitiva da parte

interessada (devedor).

Portanto, a prescrição pretórita

(“praescriptio pretor”)

pode ser reconhecida

pelo juiz em qualquer tempo

e grau de jurisdição.

Suas conseqüências são supressão

do direito ao contraditório

e mitigação da

renúncia tácita ou expressa.

Diferentemente daquela,

a prescrição propriamente

dita faculta à parte

interessada argüí-la ou renunciá-la

(art. 191 do CC).

*Milton Tiago Elias Santos

Sartório - Advogado,

formado em 2006 pelas Faculdades

Integradas “Antônio

Eufrásio de Toledo” de

Presidente Prudente/SP e

colaborador da Revista Nacional

de Direito e Jurisprudência

(RNDJ) de Ribeirão

Preto/SP.


3

Toledo/PP comemora Dia do Professor

“Ser professor é saber estar

disponível aos colegas

e ter um espírito de cooperação

e de equipe na troca

enriquecedora de saberes e

sentimentos, sem perder a

própria identidade...

Ser professor é consumir

horas e horas, pensando

em cada detalhe daquela

aula que, mesmo ocorrendo

todos os dias, a cada dia

é única e original...

Ser professor é entrar

numa aventura maravilhosa

de ensinar e aprender...

Ser professor é importar-se

com o outro numa

dimensão de quem cultiva

uma planta muito

rara que necessita de

atenção, amor e cuidado...

Ser professor é ser um

escolhido que vai

fazer“levedar a massa”

para que esta cresça e se

avolume em direção a um

mundo mais fraterno e

mais justo...

Ser professor é ter a capacidade

de “sair de

cena, sem sair do espetáculo...

Ser professor é apontar

caminhos, mas deixar

que o aluno caminhe com

seus próprios pés...”

(autor desconhecido)

Por essas e outras definições, o

mundo do professor é o mundo

do fascínio e da beleza do compartilhamento,

da troca, do respeito

ao próximo. Enfim uma

profissão que envolve muita liberdade

de expressão, e a partilha,

modo apaixonado, dos conhecimentos,

convicções e pontos

de vista. Sendo assim, com

toda essa importância, dia 15 de

outubro é comemorado o Dia do

Professor e, como forma de prestigiá-los,

a Toledo/PP os homenageou

no dia com frases relacionadas

a cada um, feitas pelos

alunos e lhes entregou um presente,

uma toalha com a logo da

faculdade. “É tão bom poder dizer:

Mestres, muito obrigado!!!”,

ressaltou o diretor geral da Toledo/PP,

Milton Pennacchi.

Para os professores, esta homenagem

teve seu significado especial

e marcante e só reforça a

imagem positiva que têm da Toledo/PP

e a vontade de continuarem

seguindo esta profissão

nesta casa de ensino!

“Particularmente gostei muito

da homenagem. Se bem que a

Toledo/PP nunca se esqueceu

dos seus professores e a cada ano

nos faz uma surpresa. O mimo é

de muito bom gosto e será guardado,

quer dizer, usado com bastante

carinho” –

Jurandir José dos Santos.

“A Toledo é uma verdadeira

família, e como tal, nunca esquece

dos seus filhos. Sentimento

de orgulho é pouco para expressar

o que é fazer parte da Toledo/

PP” – Fábio Ibanhez Bertuchi.

“Eu não esperava uma homenagem

como esta! Foi muito legal

e apenasreafirma o compromisso

que a Toledo/PP tem para

com seus professores, transformando-os

em verdadeiros membros

dessa grande família” -

Gilberto Ligeiro.

“Sem dúvida nenhuma um reconhecimento

desse nível torna

ainda mais gratificante essa

profissão” – Paulo Pinheiro.

“Gostei muito

dessa recepção,

da lembrança, do

carinho que recebemos

e desse

momento de integração

entre os

professores” –

Márcia Heloísa

de Oliveira.

“Que homenagemmaravilhosa!

Foi muito

bom e adorei a

idéia de os alunos

terem criado

as frases sobre os

professores” – Rosângela Neves.

“A faculdade está de parabéns,

foi uma atitude maravilhosa” –

Maria Cecília.

“Eu não esperava ser homenageado

assim. Gostei muito, foi

muito gratificante” –

Emanuel Calvo.

“Fiquei emocionado com a

homenagem, senti-me valoriza-

do e motivado para continuar a

missão de ensinar e aprender” –

João Cezário Giglio Marques.

Os professores com os alunos, representantes de sala

“A homenagem prestada aos

professores foi muito significativa.

Gostei muito da idéia de envolver

toda a “Familía Toledo” -

funcionários, direção e principalmente

os alunos,

que são nossa maior fonte

de inspiração. Além do

mimo recebido, o depoimento

dos alunos foi

sensacional.Tudo isso

nos fortalece

ainda mais para

podermos continuar realizando

um papel muito

importante para as pessoas

e, principalmente, para a

comunidade de Presidente Prudente

e região” –

Oscar Massaru Fujita.

“Evidentemente que toda homenagem

é muito gratificante,

principalmente para quem a recebe.

Particularmente, gostei

muito da homenagem, que foi

diferente, envolvendo os alunos

nesta surpresa preparada

para nós, professores. A Toledo/PP

está de parabéns por essas

inovações” – Everson

José Juarez.

“A Toledo/PP, em mais um

momento, faz-nos sentir

como uma família. A possibilidade

da homenagem é vivificada

a cada ano. O fato de sermos

chamados pelo nome e

pelas características pessoais fez

perceber a menção por parte

também dos alunos que contribuíram

com a nossa caracterização.

Foi excelente a idéia. A carreira

docente foi a escolhida por

mim como principal; auxiliar

no processo de ensino-aprendizagem

é algo mágico e gratificante

dia após dia, mas o carinho

dispensado pela Faculdade em

um dia especial é algo que nos

faz adotarmos o nome da instituição

como um patronímico de

família. Assim, subscrevo-me

como, Gilmara da Toledo/PP.

Não posso deixar de agradecer

àqueles que me fazem professora,

obrigada a todos os alunos” –

Gilamara Funes.


2104

Ex-aluno lança livro na área de Programação

Petter Villa Real, é este o nome

do ex-aluno de Administração

da Toledo/PP que lançou, junto

com o professor da Universidade

Estadual de Marília – UEM,

Carlos Sica, um livro “Programação

Segura Utilizando PHP

– fale a linguagem da Internet”,

da editora Ciência Moderna. Sucesso

total em vendas, este livro

ficou no Ranking da Editora

como o 4º mais vendido.

O que ocorreu é que a mesma

linha de pesquisa que Petter seguiu

em sua Pós-Graduação, Carlos

estava seguindo em seu doutorado

na Espanha. Assim, eles

se juntaram o trabalho evoluiu

e virou um livro. “Esta obra traz

um apanhado geral sobre como

funcionam as fraudes na Internet,

e a partir desse princípio,

dispõe de algumas técnicas para

que a empresa se precavenha

contra esses ataques”, explicou

Petter que, ao longo do tempo,

vem colhendo os frutos desse

trabalho.

Petter se formou em 2002, durante

a faculdade trabalhava na

Alimentos Wilson, na área de

expedição.

Logo que se formou, foi contratado

pela mesma empresa, na

área de compras. Em 2005 começou

a fazer Pós-Graduação na

área de informática na UEM. Em

sua monografia, ele desenvolveu

um sistema como apoio da Web

para uma empresa da região.

“Desde quando comecei a fazer

administração, sabia que queria

trabalhar nesta área, mas precisava

da visão administrativa, por

isso optei por este curso. Só a

informática não me daria os conhecimentos

empresariais de

que eu precisava”, disse.

Já em 2006, Petter foi chamado

para fazer parte da equipe de Tecnologia

da Informação na Alimentos

Wilson, onde está até os

dias de hoje.

Agora, ocupa o cargo de analista

de sistemas. Com os resultados

dessa pesquisa, ele teve

mais certeza de que tomou a decisão

certa.

“Pelo menos 50% das fraudes

que a gente encontrou não são

relativas à falha do sistema, mas

sim à humana ou de processos,

por isso, foi muito importante a

minha graduação em administração,

melhorou minha visão

nesse sentido”.

A pesquisa e, conseqüentemente,

o lançamento do livro só

instigaram ainda mais a vontade

do jovem de continuar crescendo.

Além de trabalhar na

Wilson, ele abriu, no começo do

ano, uma empresa

virtual de

WEB Alocation

e desenvolvimento

de software,

a Viamais

que atende Prudente

e região.

Ele pretende

agora buscar novos

mercados e

aumentar sua

empresa, além

de tencionar

lançar outro livro

sobre segurança.

Petter tem 28

anos, é casado

com Naiele Novaes Villa Real,

também formada na Toledo/PP.

É irmão do Charles Alexandre

Villa Real da Silva, formado na

Toledo/PP que saiu no Toledo

News, na edição outubro de 2006,

quando assumiu o cargo de administrador

da Companhia de

Saneamento do Paraná – Sanepar,

em Apucarana – PR.

V Simpósio de Serviço Social abordou os 50

anos da profissão no Brasil

Neste ano, o V Simpósio de

Serviço Social tratou sobre

“Os 50 anos de profissão regulamentada

no Brasil: o desafio

de consolidar direitos em

uma sociedade globalizada e

desigual”.

Quem ministrou a palestra

foi a doutora em educação,

Selma Frossard Costa.

O evento foi realizado no

dia 3 de outubro e contou, em

sua abertura, com uma apresentação

de tango com a aluna

do 3ºano de Serviço Social,

Simone Tavares Gimenez

e de seu irmão Ricardo Gimenez.

Após a abertura, Selma Costa

iniciou sua palestra enfocando

a profissão de assistente

social nos dias em hoje,

abordando os espaços de atuação

do assistente social,

comparando com seu início.

Também falou um pouco a

respeito do futuro dessa profissão.

“No decorrer dos anos, a

profissão do assistente social

foi se desenvolvendo e esta é

uma profissão que está sendo

reconhecida cada dia mais,

principalmente devido à inserção

de profissionais dessa

área em diferentes setores

como na saúde, na educação,

entre outros”, disse.

De acordo com Selma, esta

é uma área que tem muito para

crescer ainda.

“Para que isso ocorra, depende

principalmente dos assistentes

sociais que devem assumir,

com competência, profissionalismo

e ética, os novos

espaços que vêm surgindo,

não perdendo de vista a garantia

dos direitos de cada um.

Outro ponto muito importante

que está auxiliando no desenvolvimento

dessa profissão

são os trabalhos interdisciplinares

que vêm ocorrendo,

por meio dos quais os assistentes

sociais se abrem para

interagirem com outras profissões”,

enfatizou.

Os organizadores

do evento, alunos

do D.A XV de

Maio afirmam que

o Simpósio foi

muito bom.

“Estamos muito

satisfeitas com o

resultado do nosso

simpósio, pois

foram muitas as

dificuldades e obstáculosenfrentados,

chegando a

ter momentos em que pensamos

que não iria mais ser realizado.

Mas, hoje, temos a certeza

de que o sucesso do evento

se deu porque houve perseverança

de toda a equipe organizadora,

que permaneceu

unida neste trabalho, sem contar

com o apoio do corpo docente

e discente da faculdade.

Recebemos muitos elogios de

professores e alunos e acredi-

Selma Frossard Costa

tamos que este foi um momento

de grande aprendizagem, no

qual tivemos a oportunidade

de conhecer diferentes posicionamentos

que perpassam a

nossa profissão o que enriquece

a nossa formação. O Simpósio

foi um grande exemplo

de protagonismo do nosso curso!!”,

afirmou a presidente do

D.A XV de Maio, Michelle Cavalli.


Vida d dde

d e eestudante

e

Toledo e Fiesp lançam pesquisa inédita na

região para o ramo industrial

A

Toledo/PP, por meio da

Empresa Júnior Toledo

EJT, em parceria com a Federação

das Indústrias do Estado de

São Paulo - FIESP de Presidente

Prudente, divulgaram, no dia

3 de outubro de 2007, para membros

da FIESP e do Centro das

Indústrias do Estado de São Paulo

– CIESP e imprensa um novo

trabalho feito: Sondagem de Opinião

CNI Industrial da região de

Presidente Prudente.

Trata-se de uma nova pesquisa

para a região em que são

analisados dados de evolução

e expectativa do industrial

quanto à produção, emprego,

vendas, compra, exportação,

situação financeira da empresa

e outros fatores do setor industrial

instalado na região de

Presidente Prudente. A pesquisa,

consagrada nacionalmente,

é aplicada pela primeira vez na

região e será realizada a cada

trimestre.

O professor e coordenador do curso de Administração da Toledo/PP,

Ronaldo Mancini foi quem fez a explanação sobre a Sondagem Industrial

A Empresa Júnior Toledo - EJT

estabeleceu parceria com a Confederação

Nacional das Indústrias

– CNI e Federação das Indústrias

do Estado de São Paulo –

FIESP, com o objetivo de aplicar

pesquisas, no que tange à

Sondagem Industrial em Presidente

Prudente e região. “A idéia

desta parceria foi devido à carência

de informações a respeito da

região de Presidente Prudente e

também pelo conhecimento do

excelente trabalho da EJT, formada

por alunos e professores

muito capacitados que poderiam

nos ajudar. O resultado até agora

foi muito positivo, já que nós,

do setor industrial, podemos saber

quais são os principais problemas

que nos cercam e as possíveis

soluções”, ressaltou o diretor

do Departamento de Ação

Regional - Depar, Pérsio Isaac.

“É muito interessante saber

como anda a situação do nosso

setor e vejo também aqui uma

possibilidade de todos se entrosarem

e conseqüentemente se

conhecerem mais para que seja

possível promover melhoras”,

enfatizou o diretor da FIESP em

Presidente Prudente, Giovanni

Tonet. “Os resultados dessa pesquisa

servem como parâmetros

tanto para as indústrias existentes

como também para aquelas

que tenham interesse em se instalar

em Prudente e região. Acredito

que, juntos,

poderemos trazer

cada vez mais melhoras

para nossa

cidade e a região

e com isso atrair

cada vez mais novas

empresas. A

prefeitura já está

incentivando

essa vinda de empresas

e esses dados

só vão nos

ajudar”, afirmou

o secretário de

Desenvolvimento

Econômico de

Presidente Prudente,

Ricardo Nakaya.

Sondagem Industrial - A

pesquisa denominada “Sondagem

Industrial” é de abordagem

qualitativa com um forte apoio

quantitativo. Foi iniciada em

1998 e realizada trimestralmente

pela CNI e pelas Federações

das Indústrias em 22 estados do

país (AC, AL, AM, BA, CE, ES,

GO, MA, MG, MS, PA, PB, PE,

PR, RJ, RN, RR, RS, SE, SC, SP e

TO), embora sejam consultadas

empresas de todo o território nac

i o n a l .

Esta pesquisa tem como finalidade

a oferta de informações aos

empresários, mostrando a eles o

que está acontecendo em termos

de mercado, nos dias de hoje, e o

que o setor pode esperar para os

próximos seis meses.

A Sondagem Industrial tem

como foco principal coletar informações

sobre a evolução da

atividade da indústria brasileira

de transformação, bem como

identificar o sentimento dos empresários

industriais. Tais informações

ajudam no sentido de

compreender, de forma estatística,

o papel desempenhado pela

indústria brasileira, assim como

a realização de inferências objetivando

estimativas, no que diz

respeito à evolução do setor. Trimestralmente

é publicado o Índice

de Confiança do Empresário

Industrial (ICEI), elaborado

com base na Sondagem Industrial,

um indicador de antecedência

da atividade industrial e

que é construído com base em

um bloco especial de perguntas

da pesquisa.

De acordo com a pesquisa, o

índice de Confiança do Empresário

Industrial (ICEI) do Brasil

ficou em 60,3 pontos, São Paulo

59,5 e Presidente Prudente e região

situou-se em 50,9 pontos,

valor 9,4 abaixo da média nacional.

Com isso, a pesquisa mostrou

que a economia nacional

não apresentou severas alterações,

segundo constatação junto

aos empresários respondentes.

As condições das empresas continuaram

as mesmas.

No que se refere às expectativas

para os próximos meses em relação

à economia brasileira, 47,9%

dos empresários nacionais pesquisados

acham que deve permanecer

a mesma, em São Paulo

esta porcentagem sobe para

56,3% e em Presidente Prudente

e região 27,8% dos respondentes

acham que deve permanecer a

mesma enquanto que 50% estão

c o n f i a n t e s .

Quanto às expectativas das empresas,

é

unânime

a confiabilidade

futura.

Com relação

às demandas

por seus

produtos,

as perspectivas

para os

próximos

seis meses

são de aumento

em nível nacional e no estado de

São Paulo, com 45,4% e 44,6% dos

pesquisados respectivamente. No

que diz respeito a Presidente Prudente,

vai continuar estável para

50,0% dos respondentes, mantendo

assim o mesmo número de colaboradores

para 66,7%, comprando

a mesma quantidade de matéria

prima para 50,0% dos entrevistados.

A perspectiva das exportações,

por sua vez, para os próximos

seis meses será mantida estável,

segundo a pesquisa. Para o Brasil,

São Paulo e Presidente Prudente,

respectivamente 46,2%,

45,8%e 62,5%.

Hoje para o Brasil, São Paulo e

Presidente Prudente, o volume

de produção das empresas mostrou

aumento e a evolução do número

de empregados se manteve

estável, usando a capacidade

de produção instalada entre 70%

a 79%.

A margem de lucro operacional

foi satisfatória para 47% do

Brasil, sendo que 34,2% acharam

ruim. Em São Paulo, o resultado

foi próximo ao do Brasil, ficando

em torno de 50,0% satisfatória e

32,9% ruim. Em Presidente Prudente,

ficou entre 50,0% satisfatória,

contra 27,8% ruim.

5

De acordo com a pesquisa, no

Brasil, o que constituiu problemas

reais para as empresas foi a

elevada carga tributária para

72,5% dos entrevistados, competi-

No dia do lançamento estavam reunidos membros da Fiesp, do Ciesp

e da Toledo/PP

ção acirrada de mercado para

44,3% e 29,9% para taxas de juros

elevadas. Já em São Paulo, 78,4%

foi para a elevada carga tributária,

44,3% para competição acirrada de

mercado e 34,4% para taxas de câmbio.

Para Presidente Prudente,

89,7% para elevada carga tributária,

pois temos uma das mais altas

do mundo, 40,0% para a taxa de

câmbio que despencou, valorizando

mais os produtos nacionais dificultando

as exportações, 38,6%

para competição acirrada de merc

a d o .

De acordo com a supervisora da

Empresa Júnior Toledo, Maria Lúcia

Ribeiro da Costa o próximo passo

é ter um maior volume de empresas

respondentes. “Como no 2º

trimestre atingimos a meta de 18

empresas respondentes e como a

divulgação do dia 3 de outubro trouxe

o apoio do conselho da FIESP/

CIESP, as perspectivas de ampliação

da amostra e possibilidade de

comparação de períodos subseqüentes

são bastante positivas. Pretendemos

ter vários períodos pesquisados,

com um volume maior

de empresas respondentes, assim

vai gerar um leque de informações

imprescindíveis para desencadear

ações e projetos de desenvolvimento

regional”, finalizou Maria Lúcia.


2106

Estudantes buscam estágio desde o 1º ano do curso

Vida d dde

d e eestudante

e

Porta de entrada para o mercado

de trabalho: Esta pode, sem

dúvida nenhuma, ser uma das

definições do estágio, atividade

exercida por estudantes, enquanto

fazem faculdade. O estágio

ajuda na formação complementar

e contribui para que empresas

conheçam habilidades e talentos

dos estudantes. E o que

antes eram exceções, ou seja,

poucos faziam estágio devido às

poucas ofertas e também à falta

de interesse, hoje é quase uma

regra, já que muitas empresas, na

hora da contratação, exigem que

a pessoa tenha alguma experiência

anterior.

Pelo seu grau de importância,

cada dia mais cedo os estudantes

estão buscando oportunidades

de estágio, ao contrário do

que acontecia há alguns anos,

onde muitos só corriam atrás

depois do 2º ou 3º ano, hoje, essa

busca já começa no 1º ano. Esse

fato pode ser constatado porque

o mercado também está abrindo

mais vagas para esse público recém-chegado

à faculdade. “O

aluno, desde o 1º ano da faculdade

já pode buscar um estágio

e, além disso, pode contar com o

Núcleo de Estágio da Toledo -

NET que faz todo o trabalho de

iniciação de sua carreira, desde

orientação, divulgação de oportunidades

e realização de palestras

voltadas ao mercado de trabalho”,

explicou o gestor de estágio

do NET, Fábio Ibanhez

Bertuchi.

Hoje, a Toledo/PP tem mais de

50 alunos dos 1ºs anos estagiando

em diversas empresas e áreas

Com o intuito de, cada vez

mais, oferecer aos seus alunos

o que há de melhor em

termos de qualidade de ensino

e apoio acadêmico, a

Toledo/PP, por meio do

Núcleo de Estágio da Toledo

- NET, apresenta o sis-

do mercado. “Acredito que começar

a estagiar cedo é fundamental

e, para isso, os alunos dos

primeiros anos devem aproveitar

tudo o que a Toledo/PP oferece,

com o intuito de melhorar

a qualificação dos discentes.

Nesse sentido, a instituição disponibiliza

aos alunos o NE-

Twork, realizado pelo NET, todo

semestre; Simpósios; Iniciação

Científica; a Empresa Júnior

Toledo – EJT; Juizado Especial

Civil e outros. Percebemos, por

meio do número de

alunos efetivados no ano passado,

que o objetivo do estágio está

sendo alcançado e as empresas

estão valorizando este processo,

pois é a oportunidade que encontram

de conhecer o perfil do futuro

profissional”, discorreu

Fábio.

Os alunos do primeiro ano que

já estão fazendo estágio acreditam

que esta oportunidade só irá

acrescentar em suas vidas profissionais.

“Além é claro da oportunidade

de se ver na prática o

que se aprende na teoria, o estágio

também nos possibilita outros

tipos de aprendizado com

outras áreas e o relacionamento

com as pessoas. Quem tiver a

oportunidade, deve começar

cedo a fazer um estágio, mesmo

que sobre pouco tempo para o

lazer. Posso afirmar que vale

muito a pena”, falou o aluno do

1º ano de Direito, Bruno Bianchi

Dominato que faz estágio no

Braghin, Fayad, Klebis e Pinto

Advogados. “Busquei o estágio

para entender melhor aquilo que

aprendo em sala de aula e está

tema online de “Cadastro de

Currículo”.

A idéia principal é padronizar

o currículo de forma

clara e objetiva e criar um

banco de dados.

“Com isso esperamos dar

um retorno mais rápido às

sendo muito bom. Começar a

fazê-lo desde o primeiro ano só

vai enriquecer meu currículo e

aumentar minhas chances no

mercado de trabalho”, disse a

aluna do 1º ano de Ciências

Contábeis, Caroleyne Martins

Lozzi, que faz estágio na Líder

Empresa de Contabilidade S/C

Ltda. “Quando pensei em fazer

estágio, foi buscando acrescentar

novos conhecimentos e também,

começando antes, posso ter

a oportunidade de ver várias áreas,

o que pode me ajudar na hora

de decidir qual carreira quero

seguir. O estágio também está me

fazendo crescer muito e até mesmo

mudou minha visão sobre a

realidade da sociedade”, afirmou

a aluna do 1º ano de Serviço Social,

Janaína Fernanda Eduardo,

que faz estágio na Prefeitura

Municipal de Presidente Venceslau.

“Por meio do estágio, estou

tendo uma melhor visão do meu

curso e tendo uma maior noção

do dia-a-dia de um escritório de

advocacia. Sem dúvida uma

oportunidade única, pois estou

começando logo no primeiro

ano”, enfatizou a aluna do 1º ano

de Direito, Regiane Novaes Pardim,

que faz estágio na Advocacia

Roberto Lanffranchi.

“Só vejo pontos positivos em

quem começa a ter experiência

profissional desde cedo pois,

além de auxiliar no aprendizado

da matéria, é um diferencial

lá na frente na hora da busca por

uma vaga no mercado”, falou a

aluna do 1º ano de Administração,

Jéssica Cristina da Silva

necessidades das inúmeras

empresas e órgãos públicos

que buscam os alunos da

Toledo/PP para a realização

de estágio e também para

emprego. O cadastro de currículo

estende-se tanto para

alunos da graduação e pós-

Caroleyne

Regiane

Laursen, que faz estágio na Unimed.

Serviço – Os alunos interessados

em fazer um estágio, seja

de qualquer curso ou ano, podem

procurar o Núcleo de Estágio da

Toledo/PP – NET que também disponibiliza

vagas de emprego para

alunos e ex-alunos Toledo/PP.

Cadastre seu currículo na Toledo

graduação quanto para exalunos”,

explicou o gestor

de estágio da Toledo/PP,

Fábio Ibanhez Bertuchi.

A partir do começo do ano

que vem, somente os alunos

e ex-alunos cadastrados terão

a possibilidade de con-

Bruno

Jéssica

Janaína

correr às oportunidades oferecidas

pelo NET, que este ano já

soma cerca de 250 oportunidades

aos alunos e ex-alunos.

Para cadastrar seu currículo

basta entrar no site

www.unitoledo.br na página

do NET


Vida d dde

d e eestudante

e

Simpósio de Direito atrai

mais de 400 pessoas

Mais de 400 pessoas estiveram

presentes no Simpósio de Atualização

Jurídica da Toledo/PP,

realizado nos dias 10 e 11 de outubro

de 2007, pelos alunos dos

5º anos de Direito da faculdade.

O evento foi muito produtivo

Gabriel Pires

e contou com temas bem polêmicos

como “A Investigação Criminal

pelo Ministério Público”,

palestra ministrada pelo promotor

de justiça, Gabriel Lino de

Paula Pires; “As Recentes Decisões

do Supremo Tribunal Federal”,

ministrada pelo mestre e

doutor em Direito Penal, Luiz

Flávio Gomes; “Prevenção e

Erradicação do Trabalho Infantil

– Proteção ao Adolescente

Trabalhador”, ministrada pelo

professor do Centro de Pós-Graduação

da Toledo/PP, o juiz do

trabalho, José Roberto Dantas

Luiz Flávio Gomes com os alunos dos 5ºs

anos de Direito

Oliva, autor do livro “O Princípio

Da Proteção Integral e o Trabalho

da Criança e do Adolescente

no Brasil” e “A constitucionalização

do aborto dos fetos

anencefálicos”, realizada pelo

mestre e advogado, Cristiano de

Souza Mazeto.

Além desses palestrantes,

o Simpósio contou

com diversos profissionais

convidados para serem

debatedores. Foram

eles: o professor da Toledo/PP

e advogado,

Marcelo Agamenon

Góes de Souza, o professor

da Toledo/PP e delegado

Marcus Vinícius

Aquotti, o professor da

Toledo/PP e promotor,

Jurandir José dos Santos,

o promotor André Luís

Felício, o ex-aluno da

Toledo/PP e procurador,

Nilton Carlos de Almeida

Coutinho, o advogado e

professor da Toledo/PP, Gilberto

Ligeiro, o subdelegado Márcio

Antônio de Oliveira Scudeler,

o auditor fiscal do trabalho,

Sebastião Estevan dos Santos, o

juiz Sila Silva Santos e com o

professor de Medicina Legal da

Toledo/PP, José Hamilton do

Amaral.

Para os organizadores ,o evento

atingiu as expectativas.

“Mantivemos a tradição da Toledo/PP

em realizar grandes

eventos na esfera jurídica. O

simpósio reuniu diversas autoridades,

nas mais

diversas áreas

profissionais,

q u a i s

sejam, juízes,

promotores, advogados,auditores,

médicos

e provou, mais

uma vez, que o

direito é um cursomultidisciplinar.

Os ouvintes,

indubitavelmente, saíram satisfeitos

com a qualidades das exposições.

Ademais, os

temas foram atuais e, como não

poderia deixar de ser, altamente

polêmicos. Cito como exemplo

a excelente palestra do professor

Gabriel que tratou sobre

José Roberto Oliva

a possibilidade de haver investigação

criminal pelo MP e o

tema do Cristiano Mazeto que

defendeu a constitucionalização

da interrupção da gestação

dos fetos anencefálicos, palestra

essa que foi

“apimentada” pelas excelentes

Cristiano Mazeto

ponderações do professor José

Hamilton. Foi um sucesso”,

ressaltou o aluno do 5º ano de

Direito, um dos responsáveis

pela organização do Simpósio,

Lucas Pires Maciel.

Alunos do Colégio

RDS visitam Toledo

Em outubro, como parte do

programa Visita Agendada Toledo/PP,

alunos do 7º ano (antiga

6ª série do Ensino Fundamental)

do Colégio Raio de Sol

- RDS vieram até a Toledo/PP

para assistir a uma palestra sobre

Orçamento Familiar, ministrada

pela supervisora da

Empresa Júnior Toledo – EJT,

Maria Lúcia Ribeiro da Costa e

depois foram conhecer as instalações

da faculdade.

Posteriormente à visita, a professora

Sônia Botosso, que acompanhou

os alunos durante à visita

enviou flores e um cartão direcionado

à instituição com os seguintes

dizeres: “À equipe Toledo e

Empresa Júnior que nos receberam:

o objetivo de nossa visita foi plenamente

atingido. Naquele dia, conhecemos

um pouco mais a razão

do permanente sucesso desta instituição”.

Esta visita faz parte do projeto

Ganhar R$ Mente que Sônia está

desenvolvendo com os alunos. “Minha

intenção é ensinar a matemática

de uma forma diferenciada para

7

prender a atenção deles, assim decidi

pedir ajuda da Toledo/PP, para

melhor elaborar este trabalho, trazendo

mais conhecimentos e recursos.

Depois da visita, posso dizer

que foi maravilhoso. Tudo o que

vimos aqui está totalmente de acordo

com o que esperávamos”, afirmou

Sônia. Para os alunos, esta visita

também teve muito valor, pois

Sônia fez um questionário pedindo

a opinião de cada um deles e

todas foram muito positivas.

Serviço – Você que também tem

interesse em trazer sua escola para

visitar a Toledo/PP, ligue para o (18)

3901-4000 e fale com a Juliana Barrios

ou Gilmara Funes.


2108

Vida Vida de de d dde

d Professor

Professor e eestudante

e

Wilson Wilson Machado

Machado

O Toledo News traz novamente uma entrevista com um professor da casa, ilustrando o quadro “Vida de Professor”.

Desta vez, vamos contar a história do professor Wilson de Luces Fortes Machado, que tem 45 anos, nasceu em Santos,

mas foi criado em Belo Horizonte – MG. “Aos oito anos, minha certeza era a de que seria militar do exército. Aos 10

anos, fui estudar no Colégio Militar em Belo Horizonte - MG e, depois, em Fortaleza - CE. A desistência de ser militar

aconteceu no momento de escolher entre a Academia das Agulhas Negras, em Resende - RJ, que forma oficiais do

exército ou fazer vestibular. Optei pelo segundo porque estava certo de que queria ser professor porém, ainda não tinha

certeza de qual área e até chegar a esta conclusão passei por algumas experiências”, contou.

Formado em Economia em 1988, pela Universidade Federal de Viçosa – MG, na Toledo/PP, é professor de Economia

nos cursos de Administração e Ciências Contábeis, Economia de Serviços e Economia Industrial no curso de Economia

e de Sociologia, Teoria Política, Economia Brasileira e Economia Política no curso de Serviço Social. Tem

especialização em Planejamento Regional pela Universidade Federal de Uberlância – MG e mestrado em Ciência da

Religião pela Universidade Metodista de São Bernardo do Campo, com dissertação em Movimento Social, Religião e

a Terra. Leciona na Toledo/PP desde 1989 quando foi convidado pelo coordenador do curso na época para lecionar na

casa.

Ele é casado com Selma Regina de Luces Fortes Andrade e Machado e pai de Marina Alves Machado e Lucas de

Luces Fortes Andrade e Machado.

TN – Como e quando tomou sua

decisão quanto à profissão?

WM – Desde novo gostava

muito de estudar e foi então que,

ao decidir ir para a universidade,

tive a certeza de que queria

mesmo ser professor, pois a intenção

era estudar o resto da

vida. Mas como nem toda decisão

é tão fácil ainda não sabia

em qual área. Foi então que terminei

o Ensino Médio e fui fazer

Zootecnia na Universidade

Federal de Viçosa, em Minas

Gerais, pois a intenção era trabalhar

com Economia Rural.

Porém, depois de dois anos de

curso, percebi que queria mesmo

era fazer Economia, então

mudei de curso.

TN – Gostou do curso que fez?

Você era um aluno dedicado?

WM – Desde o começo já gostei

do curso e posso dizer que

estudei pra caramba.Claro que

não deixei de festar, eu dava meu

jeitinho. Era um aluno que estudava

muito, porém nunca deixei

de participar das atividades

de política estudantil(ainda estávamos

sob a ditadura), culturais

e esportivas da faculdade, dos

projetos de extensão e é claro dos

agitos também. Nos finais de semana

eu ainda participava dos

projetos de movimentos sociais.

TN – Fazendo uma compara-

ção com a época que o senhor

estudou, houve mudanças significativas

no curso de Economia?

WM – Nossa!!! Muitas. Pra se

ter uma idéia a Economia de

antes tinha ênfase em planejamento

público, já hoje é totalmente

voltada para o ramo empresarial.

Na verdade, a Economia

em si mudou muito. Antes,

o Estado intervinha mais na economia

para promover o desenvolvimento,

dos anos 80 para cá,

a intervenção do Estado foi só

para controlar a inflação, os gastos

públicos e dívida externa, ou

seja, apenas para estabilizar a

economia, cabendo aos municípios

cuidar desse desenvolvimento.

TN - E exame e DP, você já ficou

em alguma matéria? Qual?

Com que matéria o senhor mais

se identificava?

WM – Olha, apesar de ser um

aluno esforçado já peguei exame

sim, em Álgebra Linear, uma

matéria bem complicada, mas

DP nunca no curso de Economia.

Enquanto cursei Zootecnia

peguei várias DPs devido as

greves na universidade ou pro-

Professor Wilson fazendo uma das coisa que mais

gosta: lecionar

Como dizem os próprios alunos “seu

bom humor nos inspira sempre”

blemas decorrentes da luta contra

a ditadura. Já a matéria, ou

melhor, as matérias das quais eu

mais gostava eram Sociologia,

Geografia Econômica, História

do Pensamento Econômico,

Economia do Brasil e Economia

Rural.

TN – Sente saudades dos seus

tempos de faculdade?

WM – Muitas! Foi um período

excelente, não só em termos

de aprendizado como também

de amizades, conhecimento cultural

e o gosto pela militância

política. Eu morei em república

durante o tempo em que cursei

Zootecnia, Economia e,

depois de formado, enquanto

fazia estágio. Foi um período

muito bom, inesquecível!

TN – Em que área o senhor

fez estágios?

WM – Sempre no que hoje

chamamos de Organizações

Não Governamentais – ONGs

na área de desenvolvimento

comunitário.

TN – Você acha importante o

estágio durante a faculdade?

WM – O estágio é mais do

que importante, pois é a oportunidade

que temos, enquanto

estudantes, de aprender, adquirir

mais experiência, amadurecer,

além de ser uma opor-

tunidade para nos direcionar naquilo

que vamos exercer em

nossa atividade profissional. Na

verdade foi, por meio do estágio,

que decidi o que iria fazer e pude

ver que não seria um Economista

de carreira e sim utilizar a economia

para trabalhos ligados à

sociologia e ao planejamento regional.

TN – Foi nessa área que fez seu

mestrado, do que tratou mais especificamente

em sua dissertação?

E o que pôde ser aproveitado

em seu trabalho?

WM – Fiz uma pesquisa com

assentamentos de sem-terra na

cidade de Sumaré. A intenção

era saber como atuavam os grupos

religiosos dentro do Movimento.

Foi muito interessante e

deu para ver como viam a si mesmos,

o mundo e como se organizam

de forma diferente, em

tudo, na divisão de tarefas, organização,

produção, costumes,

etc. Todo esse aprendizado, e

convivência com os assentados,

com certeza, enriqueceu meus

conhecimentos que conseqüentemente

pude transmitir aos

meus alunos tanto em nível acadêmico

quanto humano.

TN – Como o senhor contou,

desde novo queria ser professor.

Hoje, com quase 20 anos de profissão,

se sente realizado?

WM – Muito. A profissão de


Vida d

d

professor é uma possibilidade

que o ser humano tem de trocar

experiências e de se relacionar

com muitas e diferentes pessoas

ao mesmo tempo. Não consigo

me imaginar fazendo outra coisa,

acredito que não teria o prazer

que tenho como quando estou

dando aulas. Acredito que

teria ficado doido se tivesse seguido

carreira de economista

dentro de uma empresa, não

agüentaria essa rotina. A sala de

aula é mesmo meu espaço, me

sinto como se estivesse em casa.

Posso dizer que até hoje sinto frio

na barriga quando inicio uma

nova turma, sinto uma enorme

de e

e

estudante

ansiedade, mas tudo isso é muito

gratificante. Aonde vou en-

contro ex-alunos meus e isso me

deixa mais feliz ainda, pois os

vejo encaminhados no mercado

de trabalho. Mas olha, só sentirei

100% de realização depois

de morto, pois sou muito inquieto

e sempre quero mais! Sempre

acho que sei pouco e preciso

aprender! Mas isso é muito bom

nos faz sentir vivos!

TN – O senhor também está

lecionando para os alunos do programa

de extensão Toledo Aberta

à Melhor Idade. Como está

sendo essa experiência?

WM – Estou adorando, é muito

bom ver a energia que essas

pessoas têm nessa idade! Isso só

enriquece meus conhecimentos

e minha experiência, já que trabalho

hoje com um público extremamente

heterogêneo: alunas

da Melhor Idade, alunos regulares

da Toledo/PP e tenho

dado cursos para mulheres em

assentamentos de nossa região.

TN – Quais são seus programas

prediletos nas horas de lazer?

WM – Escutar músicas, reaggerock,

blues, jazz e MPB, assistir

a filmes e passear com meu filho

(minha filha mora em Minas e

vem passar férias e feriados prolongados

comigo). Hoje em dia

sou muito caseiro, o que mais

gosto mesmo é ficar em casa.

Gosto de cozinhar e, nos finais

de semana, costumo receber parentes

e amigos para almoços e

uma cervejinha. Ultimamente

também tenho ido ao estádio

acompanhar o time da cidade, o

Oeste Paulista.

TN – E para finalizar, professor,

quais são seus planos?

WM – Olha, primeiramente

não pretendo deixar a região de

Presidente Prudente, me radiquei

aqui e é por aqui que quero

9

ficar, ainda mais que agora parte

da minha família, mãe e irmão

vieram de Minas Gerais morar

aqui em Prudente.

Pretendo continuar lecionando

e depois, quem sabe, morar

no campo para criar ou plantar

algo.

O doutorado também é algo

que penso, porém conciliar

minhas aulas com ele não será

tarefa muito fácil. Mas quem

sabe mais para frente. Por enquanto,

prossigo meus estudos

sobre assuntos que me interessam

e que, de alguma forma,

contribuem para enriquecer as

aulas que tenho dado.

Encontro de Iniciação e Extensão atinge

expectativas e terá mudanças em 2008

Ocorreu, nos dia 18 e 19 de setembro

de 2007, na Toledo/PP, o

III Encontro de Iniciação Científica

e II Encontro de Extensão

Universitária.

Cerca de 500 pessoas, entre ouvintes

e expositores, participaram

deste evento que contou

com a apresentação de 221 trabalhos,

sendo que desses 86.88%

foi de alunos da graduação nas

áreas de: Administração, Ciências

Contábeis, Direito, Engenharia

Ambiental, Fisioterapia,

Matemática, Pedagogia e Serviço

Social.

Além da Toledo/PP, o Encontro

contou com a participação

de discentes e docentes

das unidades de ensino:

Universidade Estadual de

Maringá - UEM, Unesp -

Campus de Presidente Prudente,

Unesp - Campus de

Marília, Universidade Metodista

de Piracicaba, Unitoledo

de Araçatuba, Fundação

de Ensino do Município de

Assis, Universidade do Oeste

Paulista - UNOESTE, Instituição

Toledo de Ensino de Bauru,

Faculdades Adamantinense Integradas

- FAI e Fundação de

Ensino Superior “Eurípedes So-

ares da Rocha” de Marília.

“O evento atingiu as expectativas,

contou com um número

maior de trabalhos

apresentados em

relação ao ano passado;

além do que,

foram trabalhos de

boa qualidade e

nossos alunos se

destacaram, já que

estavam bem preparados

para a

apresentação. A

avaliação dos professorescoordenadores

de seção e dos participantes

nas categorias de expositor e

ouvinte também apontaram que

o evento obteve os resultados esperados.

A avaliação do evento,

na íntegra, pode ser conhecida

no site www.unitoledo.br/”, con-

tou a coordenadora do

Núcleo de Estudos e Pesquisas

da Toledo

NEPE, Vera Lúcia Canhoto.

De acordo com Vera, para o

próximo encontro, a avaliação

apontou as sugestões de inserir

mesa redonda com profissionais

discutindo assuntos referentes à

linha de pesquisa Estado, Socie-

dade e Desenvolvimento, bem

como a diminuição do número

de trabalhos por salas permitindo

assim maior tempo de apresentação

dos trabalhos e de debates.

Os professores que fizeram

parte da comissão editorial e da

coordenação de seção apontaram

que os trabalhos apresentaram

ótima qualidade.


10 210

Vida d

d

de e

e

Biblioteca

Biblioteca

Dando seqüência ao quadro Conheça

a Toledo, nesta edição vamos

levar vocês, leitores, à Biblioteca

“Visconde de São Leopoldo” da

Toledo/PP!

Ela existe desde a criação da Instituição,

em 1961. Já foi localizada

em vários lugares e, desde 1992,

funciona no prédio atual, que ocupa

uma área de 643 metros quadrados.

A Miriam Cabrera, coordenadora

da biblioteca, vai nos guiar nessa

viagem a um local que, segundo

a mesma, hoje se destaca como um

“centro ativo de aprendizagem, a

qual possui duas funções básicas

que colaboram com a instituição na

formação do seu aluno: função educativa,

que compreende o apoio no

contexto “ensino-aprendizagem”,

como instrumento de auto-educação,

iniciação à pesquisa científica,

complementação da atuação do professor,

oferecendo seus recursos e

serviços de modo a atender as necessidades

do processo educacional

e função cultural , que diz respeito

às múltiplas possibilidades de estudo,

à ampliação dos conhecimentos

e idéias, à descoberta de culturas

e visões de mundo diferentes”.

Guarda-volumes: essa é uma viagem

diferente; o usuário deve guardar

seu material antes de embarcar.

Ele vai de mãos vazias e, na volta,

traz uma bagagem especial: o conhecimento!

Obras de referência: são as enciclopédias,

dicionários, Atlas, etc,

acessíveis apenas para consulta local

ou reprodução no centro de cópias,

que fica na sala ao lado.

Periódicos: mil revistas sobre os

mais variados assuntos, numa sala

de leitura com sofá! Parece que estamos

em casa!

Área de leitura para 240 pessoas

e Salas de estudo: tem as individuais

e outras para grupo. Psiu,

silêncio!

Acervo de audiovisual: composto

por 1.461 fitas de vídeo, 673

exemplares de DVDs e 497 exemplares

de CD, é um setor que vem

despertando, cada vez mais, o interesse

do usuário.

Acervo geral: já imaginou 34.452

títulos e 62.639 exemplares de livros?

Pois estão todos aqui! Além

estudante

disso, o acervo é aberto, o que permite

livre acesso às estantes.

Sala de audiovisual: conta com

14 lugares e é disponibilizada para

alunos e professores.

Sala de Processamento

Técnico: é um espaço que abriga

a sala da Miriam, coordenadora da

Biblioteca e as meninas do processamento

técnico propriamente dito.

Cabe às bibliotecárias, Miriam e

Alessandra, a classificação, catalogação

e indexação do material, tudo

de acordo com normas específicas

(aquelas letrinhas e números enormes

na lombada do livro tem uma

razão de ser, afinal...). Já as técnicas

carimbam o material, conferem a

lista de compras, emitem relatórios

estatísticos, etiquetam o material,

controlam a entrada de periódicos,

restaram material, etc. Essas

atividades são desenvolvidas pela

Lucilene, Márcia e Marli.

Serviço de Referência: é parada

obrigatória para todo mundo que

faz monografia ou trabalho de curso.

A Alessandra é a pessoa mais

procurada da Biblioteca em determinados

períodos, seja para levantamento

bibliográfico ou para orientar

a confecção e normalização de

trabalhos acadêmicos e

científicos de acordo com as normas

da ABNT.

Balcão de Empréstimo: empréstimo,

devolução, liberação de reserva,

reposição de material nas estantes,

auxílio na consulta ao acervo

(tanto digital como local), ufa! Haja

fôlego para Sandra, Elisangela,

Maria de Lourdes (Luquinha) e

Tereza Raquel!

Portadores de necessidades especiais:

elevador, rampas, terminal

de consulta especial e uma equipe

especialmente capacitada constituem

a estrutura para atender esses

usuários, que podem ou não,

pertencer à comunidade acadêmica.

Egressos e comunidade externa:

a biblioteca da Toledo/PP é uma das

poucas que realiza empréstimo para

ex-alunos. Além disso, disponibiliza,

à comunidade externa, acesso

ao acervo para pesquisa, bem como

aos demais serviços oferecidos à

comunidade acadêmica.

Política de Desenvolvimento de

Coleções: a aquisição de

material bibliográfico é feita

sistematicamente, de

acordo com o documento

“Política de Desenvolvimento

de Coleções”. O processo

de compra consiste basicamente

nos pedidos de

professores e alunos (solicitados

através do sistema

da biblioteca) que são encaminhados

à Comissão de

Biblioteca para aprovação.

Os títulos de bibliografia

básica são comprados automaticamente

em número recomendado

pelo MEC. Os

usuários que solicitaram o

material são avisados quando

da sua chegada na biblioteca.

Informatização: todos os

serviços são informatizados,

possibilitando o acesso via rede

local ou web através do PERGA-

MUM, software usado por mais de

120 bibliotecas brasileiras. Dessa

forma, eliminou-se o papel nos

comprovantes de empréstimo, devolução

e renovação. Além de ajudar

o meio ambiente, o processo

se tornou mais ágil, possibilitando

maior rapidez no atendimento.

Lembrete: como toda comunicação

é feita por e-mail, é necessário que

o usuário sempre acesse a sua caixa

postal da Toledo/PP.

A biblioteca conta também com

15 computadores para consulta ao

acervo, sistema de segurança monitorado

por câmeras de vídeo e

sistema antifurto.

Avaliação institucional: segundo

a Miriam, a avaliação institucional

é um dos grandes fatores para

aprimoramento do setor, pois permite

avaliar e analisar todos os serviços,

melhorando cada vez mais.

Contribuem igualmente para essa

melhoria, as sugestões recebidas

diretamente na biblioteca ou trazidas

pelos membros da Comissão de

Biblioteca.

Climatização: a climatização total

do espaço físico é uma benção,

vocês não acham? Nada como um

bom ar condicionado para nos

manter dispostos nessa jornada

pela biblioteca!

Expediente: O horário de funcionamento

da biblioteca é de segunda

a sexta-feira, das 7h às 22h30 e

aos sábados, das 7h às 16h.

Bem, chegamos ao final da nossa

Equipe Equipe da da Biblioteca

Biblioteca

viagem! Esperamos ter contribuído

para mostrar a vocês, um pouco

mais da nossa, da sua Biblioteca

Visconde de São Leopoldo!

CURIOSIDADES

A Biblioteca homenageia, com seu

nome, José Feliciano Fernando

Nunes Pinheiro, o Visconde de São

Leopoldo. Esse político, escritor e

historiador da época do império,

foi o propositor da primeira faculdade

de direito do Brasil, efetivada

pelo decreto imperial de 11 de agosto

de 1827.

A Sala de Obras Raras conta com

preciosidades de 1795, como o “Repertório

das Ordenações e Leis do

Reino de Portugal”, bem como inúmeras

obras de 1800 e início de

1900. A sala possui aparelho esterilizador

do ar que diminui umidade,

fungos e bactérias, preservando

o tesouro bibliográfico existente

ali.

No setor de restauração e conservação

de materiais, são realizados

pequenos reparos com material

importado realizado por técnicas

que fizeram curso com profissional

da Associação Brasileira de

Encadernação e Restauro. No período

de 2002 a 2007, o acervo da Biblioteca

simplesmente dobrou.

Maria de Lourdes (Luquinha) é

a Miss Simpatia! Com seu sorriso

largo e permanente bom humor, é a

campeã de popularidade!

A Elisângela tem uma das letras

mais bonitas da biblioteca; anotações

no livro tombo ficam por conta

dela.

A Lucilene e a Marli são as veteranas

da turma, enquanto que a Tereza

Raquel é a mais nova integrante

da equipe.

Um lugar para cada coisa e cada

coisa no seu lugar: esse é o lema

das detalhistas Sandra e Márcia!

Os campeões de empréstimo

na Biblioteca são:

Alunos da graduação

Direito: Kelly Nepomuceno

Leite

Administração: Natália

Bariani Bagi

Ciências Contábeis: Gustavo

Bernardi Antunes

Serviço Social: Bruna

Manuela Rodrigues Calle

Economia: André de Mattos

Boaretto

Aluno da Pós-graduação:

Larice Cristina Rosa

Professor: Sandro Marcos Godoy

Ex-aluno: Tatiane Ferrari

Caversan

Livros mais emprestados:

Normalização de Apresentação de

Monografias e Trabalhos de Curso -

Faculdades Integradas “Antônio

Eufrásio de Toledo

O Mundo de Sofia - Jostein

Gaarder

DVD mais emprestado:

CSI - Crime Scene Investigation


Vida d dde

d e eestudante

e

Aluna Aluna da da Melhor Melhor Idade Idade expõe expõe telas telas no no Prudenshopping

Prudenshopping

“Peço licença a esse novo Criador

para, por meio de tintas e pincéis,

com toda humildade, tentar passar

para as telas um pouco das belezas

que Ele nos deixou graciosamente,

enfeitando planícies, colinas, vales

e montanhas e ainda pincelando o

céu com as cores do arco-íris. Obrigada,

meu Deus, por tuas maravilhas

que nos inspiram sempre”.

Essas simples e marcantes palavras

refletem os sentimentos da

aluna do programa de extensão

da Toledo/PP, Toledo Aberta à

Melhor Idade, Eni Andrade que

entre os dias 1º e 7 de outubro

fez uma exposição de suas telas

no Prudenshopping. O tema de

sua exposição foi “Cores e Flores”

e a técnica usada foi óleo

sobre tela, no estilo moderno

com transparência na pintura.

Aos 72 anos de idade, sendo

quase 40 deles dedicados à pintura,

Eni disse que encontrou

nessa arte algo que preencheu

sua vida. “Pintar e cantar são coisas

que aquecem o meu coração,

colorem

a

vida e,

junto

com a

ajuda

d e

Deus,

ocupam

os espaços

vazios

da mi-

n h a

vida”,

disse

E n i

que faz aulas de violão, toca no

Coral da Associação dos Professores

Aposentados do Magistério

Público do Estado de São

Paulo – Apampesp e faz parte do

Ministério de Visitação da Igreja

Metodista. “Todas as músicas

Eni recepciona suas amigas da Melhor Idade da

Toledo/PP que foram prestigiar sua exposição

de louvor que ajudaram na vida,

hoje canto nas casas em que vou

visitar onde há pessoas doentes,

com depressão e que precisam de

uma ajuda. A sensação é muito

boa”.

Ela fez cursos de óleo sobre tela

durante o período em que freqüentava

a Escola normal quando

se formou em magistério. Fez

aula com a professora de arte,

Teça Nardi, e se especializou em

Campinas na técnica de transparência

na pintura. Participou,

em Outubro de 2002, do VIII Circuito

Internacional de Arte Brasileira

com três telas, representando

Presidente Prudente em

Paris (França) e Viena (Áustria);

participou também da 1ª Exposição

Itinerante de Presidente

Prudente e já realizou várias exposições

individuais

em Prudente algumas

coletivas em

Campinas.

Quanto ao Toledo

Aberta à Melhor

Idade, Eni está muito

satisfeita. “Entrei

neste ano e no primeiro

semestre fiquei

só observando,

agora, no segundo,

já posso afirmar que

tomei a decisão cer-

ta de ter entrado neste

programa. Hoje eu

conto os dias para

chegar as aulas do

programa, é tudo

muito especial. Passamos

por momentos

de muitas emoções e

a troca de experiências

é algo muito enriquecedor.

Eu tinha

um sonho de aprender

informáticae a

Toledo/PP me possibilitou

realizá-lo. Estou

amando, a sensação

é muito boa. Enfim

este programa é

uma bênção”, afirmou.

Com tantas atividades,

ela se diz uma pes-

Eni Andrade em sua exposição

11

soa muito elétrica “Vou além dos

limites dos meus 72 anos”, mas

não quer parar. “Enquanto eu tiver

vida e energia, quero continuar

fazendo todas as atividades.

Agradeço a Deus todos os dias os

dons que ele me deu e me dedico

a fundo neles, sou muito feliz e

não tenho tempo para chorar o

leite derramado”. Eni é casada

com o bancário, Euclides Gomes,

mãe de Luiz Fernando e avó de

dois netos, Pedro Henrique e Carlos

Eduardo.

Espanhol na Melhor Idade: nunca é tarde para aprender

Os alunos do programa de extensão

Toledo Aberta à Melhor

Idade estão cada dia mais satisfeitos

com o que vêm aprendendo.

Uma das disciplinas de destaque

é o Espanhol que lhes possibilita

um contato com uma

nova língua, fato que para a maioria

em sua época, era considerado

algo de luxo e que, nos dias

de hoje, é requisito fundamental

para conseguir uma vaga no

mercado de trabalho. “Sei que

não irei mais trabalhar, mas é

ótimo poder falar outra língua,

principalmente quando viajamos.

Além disso, não podemos

parar de aprender nunca”, ressaltou

a aluna Anastácia Nishida.

“Estou gostando muito de

aprender espanhol pois, na minha

época, se aprendia mais o

inglês ou francês e hoje você sabendo

espanhol, pode se virar

em qualquer lugar. Eu mesma

viajei recentemente e já pude

utilizar o que aprendi. Além disso,

as aulas são fantásticas, a professora

é muito paciente conosco

e tem uma excelente didática”,

afirmou a aluna Flora Filizola.

“Acho ótimo ter aula de espanhol,

pois é uma língua muito

gostosa de aprender. Meu marido

é espanhol, então é muito

bom aprender para podermos

falar também em outra língua”,

contou a aluna Edna Donha.

Não são só elas que aprendem,

para mim também está sendo

uma experiência de vida muito

boa que me faz aprender muito

em cada aula. Procuro dar aulas

bem dinâmicas e o resultado está

ótimo, eles têm muita facilidade

para assimilar o conteúdo. Posso

afirmar que nunca é tarde para

começar algo, para aprender e

parabenizo os alunos deste programa

que não querem ficar ociosos

dentro de casa sem fazer

nada e buscam atividades tão importantes

como essas do programa”,

disse a professora de Espanhol,

Edna de Paula.

Entre as dinâmicas da aula de

espanhol, os alunos levaram

uma foto de suas famílisa e fizeram,

em espanhol, uma redação

contando sobre todos(fotos).


12 210

Serasa: Vida d dde

d da

serviço e eestudante

e do desenvolvimento do Brasil

emprega cada vez mais alunos da Toledo

A cada dia mais o Núcleo de

Estágio da Toledo – NET comprova

sua seriedade, compromisso

e preocupação com o fu-

Leandro, Naiara e Ana Cláudia com o gerente da

agência de PP e a coordenadora, Sérgio Marcelino e

Mariana Andrade

turo de seus alunos. Não só com

as diversas oportunidades de estágio

que disponibiliza, mas

também com os empregos.

O NET não quer apenas que

os alunos e ex-alunos da Toledo/PPconsig

a m

u m a

oportunidade,

mas sim

uma atividadepromissora

em

empresas

que

possam

oferecer

melhores

condições para cada um.

Exemplo disso, podemos destacar

a Serasa, a maior empresa

da América Latina em pesquisas,

informações e análises econômico-financeiras

para apoiar

decisões de crédito e negócios,

além de ser referência mundial

no segmento.

No ano passado, um aluno da

Toledo/PP, Leandro Placidino

Azevedo, por meio do NET, pas-

sou por um processo de seleção

e foi contratado para trabalhar

na empresa e, neste ano, mais

duas alunas também foram selecionadas

e hoje fazem

parte

do quadro

de funcionáriosdesta

tão conceituada

empresa.

“É muito

bom estar

nesta empresa

que,

de acordo

com informações

que obtenho

com

amigos que

trabalham em outros locais, se

diferencia principalmente por

sua filosofia de trabalho. Um local

que te dá amparo e excelentes

condições de trabalho, o

que me deixa muito realizado

Leandro

em pensar que estou me formando

e já consegui uma colocação

no mercado em uma empresa

deste porte. Pretendo

continuar aqui e poder exercer

outras funções, já que, dentro

da própria empresa, é possível

atuar em diferentes áreas”, afirmou

o aluno do 4º ano de Administração,

Leandro Placidino

Azevedo que trabalha como

assistente de cadastro na Serasa.

“Antes de ser contrata pela Serasa

eu já havia feito, por duas

vezes trabalhos temporários lá,

em todas as vezes por meio do

NET, ou melhor, todas as oportunidades

profissionais que tive

até hoje foi pela ajuda do NET.

Agora, estou

muito feliz com

esta oportunidade,

pois a Serasa

tem um contexto

ético muito

bom, plano de

carreira, com

várias possibilidades

de crescer

dentro da empresa.

Pretendo

aprender muito

e jamais sair

desta empresa”,

disse a aluna do

3º ano de Ciências

Contábeis, Naiara Cristina

Moriya que é auxiliar de escritório

da Serasa.

“Me sinto muito privilegiada

em estar apenas no 2º ano da

faculdade e já conseguir um

emprego nesta empresa. Com

certeza é uma ótima oportunidade

que está auxiliando muito

no meu aprendizado e só

consegui graças a ajuda da Toledo

por meio do NET”, salientou

a aluna do 2º ano de Administração,

Ana Cláudia Rodrigues

Reis que atua no atendimento

ao cliente, na Serasa.

Para o gerente de agência de

Presidente Prudente, Sérgio

Marcelino, a Serasa é uma empresa

que busca profissionais

específicos para cada área e

que, pelo contato que tem com

os alunos da Toledo/PP, pode

afirmar a excelente qualidade

da faculdade.

“A Serasa contrata profissionais

de acordo com o perfil do

cargo existente, sendo assim a

pessoa tem que ter as competências

exigidas para a área,

depois disso o que conta são as

experiências profissionais, foco

no autodesenvolvimento, olho

no futuro e dominar línguas.

Com base nos três alunos que

tenho aqui da Toledo/PP, posso

dizer que estão muito bem preparados

e com condições de

crescerem no mercado”.

Serasa

Naiara

A Serasa conta com cerca de

2500 profissionais qualificados

para a captação, a manutenção,

a criação, a

análise, a

divulgação

e a multiplicação

dos produtos

e serviçosoferecidos

para

todo o Brasil

e o exterior,

24 horas

por dia,

todos os

dias da semana,dentro

de padrõesrígidos

de segurança e confidencialidade.

Subsidia com informações

cerca de 4 milhões de negócios/dia

no país, para 400 mil

clientes diretos ou indiretos e

tem acordos com empresas

congêneres no mundo inteiro,

para facilitar, principalmente,

as exportações brasileiras e atrair

investidores para as corporações

e os projetos nacionais.

A Serasa está presente em todos

os setores da economia para

os quais estende, também, sua

atuação como Autoridade Certificadora

e de Registro, nas diversas

modalidades de certificados

digitais nos meios eletrônicos,

incluindo a Internet,

para dar segurança, credibilidade

e validade jurídica aos negócios

e às informações nesses

ambientes.

A Serasa foi eleita a melhor

empresa para se trabalhar no

Brasil. O anúncio foi feito em

agosto de 2006, pela revista

Época.

A pesquisa foi realizada pela

consultoria internacional

Great Place to Work Institute,

criadora do conceito, que faz

esse trabalho em 29 países do

mundo. No Brasil, este é o

nono ano da lista — agora em

parceria com a revista Época.

A Serasa está no ranking da

revista Exame deste ano como

Ana Cláudia

a Melhor Empresa para a Mulher

Trabalhar. Pelo 9º ano

consecutivo, aparece na lista

geral.

Figura ainda entre as dez melhores

empresas para se trabalhar

na América Latina.


14 210

Vida d

d

“Tenho uma vida muito corrida. Fácil não é, mas com

certeza é muito boa!!!”

Nesta edição, o Vida de Estudante vai contar a história da aluna do 4º ano de Serviço Social, Marcela

Coladello Ferro, de 24 anos que, além desta faculdade, faz Pedagogia na Unesp e estágio pelos dois cursos.

Marcela é filha do autônomo, José Carlos Ferro e da funcionária pública, Marina Coladello.

TN – Marcela você se forma

este ano em Serviço Social.

Sempre quis seguir esta carreira?

MF – Não. Comecei a fazer o

curso sem nem saber ao certo o

que eu queria. Na verdade, eu

tinha acabado de fazer um curso

técnico de Turismo Agrícola

e não queria seguir esta profissão.

Assim, comecei a me informar

sobre alguns cursos e optei

por Serviço Social. E no final

do primeiro ano, decidi que

também queria fazer Pedagogia.

Foi quando comecei este segundo

curso.

TN – Mas por que decidiu fazer

os dois cursos simultaneamente,

não é muito cansativo?

MF – Quis fazer juntos, pois

um complementa o outro em

tudo, até mesmo nas matérias.

Além do mais, assim que me for-

Na edição de julho de 2007 do

Toledo News, registramos, na

coluna Ex-alunos por Onde

Andam, um pouco da história do

ex-aluno de Direito, José Carlos

Evangelista, formado em 1989

que está morando em Rondonópolis,

no Estado de Mato Grosso,

onde exerce a função de Defensor

Público. Agora em outubro

de 2007, mais especificamente

no dia 10, ele esteve em Presidente

Prudente e fez questão de

vir à Toledo/PP. “Estou encantado,

na verdade, mais encanta-

de e

e

estudante

mar, quero fazer um mestrado

em educação para me tornar

uma educadora social em algum

projeto social e lecionar. Mas

olha, realmente, é meio complicado,

mas aos poucos fui entrando

no ritmo e me acostumando.

Claro que já deu vontade de jogar

tudo para cima, mas como

gosto muito dos dois cursos que

faço não tive coragem.

TN – Além dos estudos você

também faz estágios?

MF – Faço estágio no Centro

de Referencia de Assistência

Social – CRASS aos finais de semana

e três vezes por semana,

estágio obrigatório em escolas

pelo curso de Pedagogia. Além

de participar do projeto da

Unesp, Sala de Leitura, onde todos

os dias atendo alunos de escolas

públicas para a Hora do

Conto.

do, pois assim já era, em ver a

Toledo/PP tão modificada, bem

maior e também com a recepção

que tive do senhor Milton que

sempre se demonstrou essa pessoa

tão família, sempre gentil,

carinhoso e carismático. A Toledo/PP

continua com o ar que

sempre teve, sem muita impessoalidade,

totalmente acolhedora.

Estou imensamente feliz em

poder voltar a casa em que estudei.

Sinto muitas saudades, é uma

sensação muito gostosa estar

aqui novamente”, afirmou.

TN – Marcela, com todas essas

atividades você consegue ser

é uma aluna nota 10. Qual seria

a receita?

MF – Prestar atenção nas aulas

e é claro gostar do que faz é o

mais importante. Eu gosto muito

do que faço e tenho prazer em

fazer, assim tudo é facilitado, já

que tenho pouco tempo para estudar.

Além disso, também em

casa tenho todo o apoio e motivação

necessários para seguir em

frente.

TN – Você acha que tudo isso

vale a pena?

MF – Com certeza, pois são experiências

que estão só enriquecendo

meus conhecimentos tanto

no lado profissional quanto

no pessoal. Faço dois cursos de

que gosto e que se complementam,

o que vai ajudar depois de

formada.

José Carlos foi recepcionado

pelo diretor geral da Toledo/PP,

Milton Pennacchi e pelo coordenador

do curso de Direito,

José Carlos entre o professor Eduardo Gesse e a

assessora da diretoria, Clarice Yoshioka

TN – E como você define sua

Vida de Estudante?

MF – Uma vida corrida como

a de muitos outros colegas que

também estudam, fazem estágios,

trabalham, que abrem mão

de suas horas de lazer, casa, família,

mas por um motivo que

José Carlos entre o diretor geral da

Toledo/PP, Milton Pennacchi e o

coordenador do curso de Direito, Sérgio

Tibiriçá Amaral

Sérgio Tibiriçá Amaral.

Tem 41 anos, é divorciado

e pai de três filhos: Janaína,

Juliane e Lucas.

vale a pena. Fácil não é, mas

com certeza é muito boa!

TN – E quais são seus planos?

MF – Quero fazer um mestrado

na área de educação, comparando

as escolas do centro e da

periferia e em breve começar a

lecionar.

José Carlos em frente a placa da sua turma que

foi a responsável pela colocação da Deusa da

Justiça


14 210

Vida d

d

“Tenho uma vida muito corrida. Fácil não é, mas com

certeza é muito boa!!!”

Nesta edição, o Vida de Estudante vai contar a história da aluna do 4º ano de Serviço Social, Marcela

Coladello Ferro, de 24 anos que, além desta faculdade, faz Pedagogia na Unesp e estágio pelos dois cursos.

Marcela é filha do autônomo, José Carlos Ferro e da funcionária pública, Marina Coladello.

TN – Marcela você se forma

este ano em Serviço Social.

Sempre quis seguir esta carreira?

MF – Não. Comecei a fazer o

curso sem nem saber ao certo o

que eu queria. Na verdade, eu

tinha acabado de fazer um curso

técnico de Turismo Agrícola

e não queria seguir esta profissão.

Assim, comecei a me informar

sobre alguns cursos e optei

por Serviço Social. E no final

do primeiro ano, decidi que

também queria fazer Pedagogia.

Foi quando comecei este segundo

curso.

TN – Mas por que decidiu fazer

os dois cursos simultaneamente,

não é muito cansativo?

MF – Quis fazer juntos, pois

um complementa o outro em

tudo, até mesmo nas matérias.

Além do mais, assim que me for-

Na edição de julho de 2007 do

Toledo News, registramos, na

coluna Ex-alunos por Onde

Andam, um pouco da história do

ex-aluno de Direito, José Carlos

Evangelista, formado em 1989

que está morando em Rondonópolis,

no Estado de Mato Grosso,

onde exerce a função de Defensor

Público. Agora em outubro

de 2007, mais especificamente

no dia 10, ele esteve em Presidente

Prudente e fez questão de

vir à Toledo/PP. “Estou encantado,

na verdade, mais encanta-

de e

e

estudante

mar, quero fazer um mestrado

em educação para me tornar

uma educadora social em algum

projeto social e lecionar. Mas

olha, realmente, é meio complicado,

mas aos poucos fui entrando

no ritmo e me acostumando.

Claro que já deu vontade de jogar

tudo para cima, mas como

gosto muito dos dois cursos que

faço não tive coragem.

TN – Além dos estudos você

também faz estágios?

MF – Faço estágio no Centro

de Referencia de Assistência

Social – CRASS aos finais de semana

e três vezes por semana,

estágio obrigatório em escolas

pelo curso de Pedagogia. Além

de participar do projeto da

Unesp, Sala de Leitura, onde todos

os dias atendo alunos de escolas

públicas para a Hora do

Conto.

do, pois assim já era, em ver a

Toledo/PP tão modificada, bem

maior e também com a recepção

que tive do senhor Milton que

sempre se demonstrou essa pessoa

tão família, sempre gentil,

carinhoso e carismático. A Toledo/PP

continua com o ar que

sempre teve, sem muita impessoalidade,

totalmente acolhedora.

Estou imensamente feliz em

poder voltar a casa em que estudei.

Sinto muitas saudades, é uma

sensação muito gostosa estar

aqui novamente”, afirmou.

TN – Marcela, com todas essas

atividades você consegue ser

é uma aluna nota 10. Qual seria

a receita?

MF – Prestar atenção nas aulas

e é claro gostar do que faz é o

mais importante. Eu gosto muito

do que faço e tenho prazer em

fazer, assim tudo é facilitado, já

que tenho pouco tempo para estudar.

Além disso, também em

casa tenho todo o apoio e motivação

necessários para seguir em

frente.

TN – Você acha que tudo isso

vale a pena?

MF – Com certeza, pois são experiências

que estão só enriquecendo

meus conhecimentos tanto

no lado profissional quanto

no pessoal. Faço dois cursos de

que gosto e que se complementam,

o que vai ajudar depois de

formada.

José Carlos foi recepcionado

pelo diretor geral da Toledo/PP,

Milton Pennacchi e pelo coordenador

do curso de Direito,

José Carlos entre o professor Eduardo Gesse e a

assessora da diretoria, Clarice Yoshioka

TN – E como você define sua

Vida de Estudante?

MF – Uma vida corrida como

a de muitos outros colegas que

também estudam, fazem estágios,

trabalham, que abrem mão

de suas horas de lazer, casa, família,

mas por um motivo que

José Carlos entre o diretor geral da

Toledo/PP, Milton Pennacchi e o

coordenador do curso de Direito, Sérgio

Tibiriçá Amaral

Sérgio Tibiriçá Amaral.

Tem 41 anos, é divorciado

e pai de três filhos: Janaína,

Juliane e Lucas.

vale a pena. Fácil não é, mas

com certeza é muito boa!

TN – E quais são seus planos?

MF – Quero fazer um mestrado

na área de educação, comparando

as escolas do centro e da

periferia e em breve começar a

lecionar.

José Carlos em frente a placa da sua turma que

foi a responsável pela colocação da Deusa da

Justiça


CHAVES - FOI SEM

QUERER QUERENDO

LUÍS JOLY, FERNANDO

THULER E PAULO

FRANCO

MATRIX

“Este livro traz histórias e curiosidades

de um dos personagens de

maior sucesso na TV brasileira,

Chaves. Tem um capítulo só de curiosidades,

como as famosas frases

e bordões dos personagens, as diferentes

dublagens que o programa

teve e episódios raros. No ar há

mais de 20 anos aqui no Brasil, o

seriado tem um público cativo e

vem conquistando a sua terceira

geração de telespectadores. Todo

esse sucesso merecia um registro

oficial, então os jornalistas Luís

Joly, Fernando Thuler e Paulo

Franco lançaram um livro que conta

a saga de sucesso do seriado. Sobre

o sucesso do programa, Luís e

Fernando (em uma entrevista a

Revista QUEM, de 26/10/05) não

arriscam dar um parecer fechado

sobre o assunto. Aliás, o título do

livro já pergunta isso: Foi Sem

Querer Querendo?. ‘O texto e as

piadas continuam agradando. É um

livro que vale a pena ler, recordar,

pois mostra a visão de negócios que

um produto considerado “precário”

diante de efeitos tecnológicos

disponíveis atualmente, consegue

permanecer atual e fazer sucesso”.

Rodrigo Abucarma

Webdesigner

Toledo/PP

CRIMES QUE ABALARAM

O BRASIL

MARCELO FARIA DE

BARROS

WILSON AQUINO

GLOBO

“O livro conta, em forma de reportagem,

alguns dos crimes mais

famosos que abalaram o Brasil,

como por exemplo o Crime da Mala,

ocorrido no Porto de Santos em

1928, apresentado no programa de

TV “Linha Direta Justiça” e que é

retratado no livro por Marcelo Faria

de Barros, jornalista da TV Globo.

O livro é uma reportagem muito

bem feita e que relata outros crimes

como o Dana de Teffé: o crime

sem cadáver, Chico Picadinho, Irmãos

Naves, A fera da Penha, Crime

do Sacopã e o Mistério do desaparecimento

do menino Carlinhos.

Assim como o programa de televisão,

a forma investigativa com que

o livro se apresenta, faz com que a

leitura fique a cada momento mais

atraente. O que mais me empolgou

para a compra e leitura do livro é

que um dos repórteres responsáveis

pelo livro, Marcelo, é prudentino

e filho da minha orientadora

de mestrado em Educação a Dra.

Helena Faria de Barros. Prestigiar

alguém da nossa região foi o primeiro

impulso para a leitura do livro

e que foi aumentando a cada

momento”.

Gilmara Pesquero

Fernandes Mohr Funes

Professor e Coordenadora da

Extensão

Professor Oscar Fujita

participa de evento de

Educação a Distância

O professor Oscar Massaru

Fujita teve seus artigos aprovados

nos dois dos principais

eventos do país, na área de Educação

a Distância: o Encontro

Internacional Virtual Educa em

São José dos Campos-SP e o 13º

Congresso Internacional de

Educação a Distância (Abed), em

Curitiba-PR.

Professor da Toledo/PP há 8

anos, e pesquisador da Universidade

de São Paulo - USP,

Fujita tem se especializado na

formação de profissionais de

Administração de Empresas via

Educação a Distância.

Gustavo Endo participa

de evento na UFSCAR

O aluno do 4º ano de Administração

da Toledo/PP, Gustavo

Yuho Endo, foi um dos estudantes

selecionados para participar

do XV Congresso de

Iniciação Científica e da 7ª

Jornada Científica da UFS-

Car, que ocorreu em outubro,

em São Carlos.

Gustavo apresentou um resumo

de sua monografia que tem

como título “Uma análise dos

modelos porterianos aplicados

no setor de materiais esportivos”,

orientado pelo professor

Alexandre Sassaki – o resumo

do seu artigo está no site da Toledo/PP.

“Gostei muito dessa experiência,

pois foi uma oportunidade

para ter contato com pessoas

de diversas faculdades, trocar

conhecimentos, e também

ter a experiência de apresentar

trabalho. Participei ainda de um

minicurso sobre biodiesel que

foi muito interessante. Acredito

que, como eu, quem pretende

fazer um mestrado deve participar

desses eventos que são bons

não só para agregar conhecimentos,

como também para o currículo”,

ressaltou Gustavo, que

pretende continuar escrevendo

artigos e participar de outros encontros.

1º - O Segredo

BYRNE, Rhonda

Ediouro

15

2º - O Caçador de Pipas

HOSSEINI, Khaled

Nova Fronteira

3º - Memórias de uma

gueixa

GOLDEN, Arthur

Imago

4º - A distância entre

nós

UMRIGAR, Thrity

Nova Fronteira

5º - Neve

PAMUK, Orhan

Companhia das Letras

apoio

Livros mais

retirados:

Biblioteca

“Visconde de

São Leopoldo”


16 10

Fotos Fotos no no Toledo Toledo News

News

Os interessados em terem suas fotos no Toledo News

devem mandar para o e-mail: imprensa@unitoledo.br

Alunas dos 5º anos A e B, na Festa à Fantasia realizada no dia 13 de setembro, em comemoração

a entrega das monografias. São elas: Jussara, Kelly, Leliane, Lucimar, Luana, Lilian e Gislaine

Agora sim... alunos do 4º A ano de Direito

O ex-aluno de Direito, Nelson Gonçalves de Souza Júnior em sua posse

para Defensor Público do Mato Grosso com a defensora de lá, Karol Rotini

IMPRESSO IMPRESSO FECHADO

FECHADO

PODE PODE SER SER ABERTO ABERTO ABERTO PELA PELA ECT

ECT

O aluno do MBA em Marketing e Gestão de Vendas, Rodrigo

Abucarma se diverte com o boneco do Tic-Tac em dia de

trabalho no Prudenshopping

Alunos do MBA em Marketing e Gestão de Vendas em

dia de trabalho no Prudenshopping

Fotos Fotos no no site

site

Todas as fotos de festas e churrascos da

Toledo que são enviadas para o site estão

dentro do link Intervalo da Toledo

O ex-aluno de Direito, Leonardo Rizo Salomão na

sua posse para Procurador da Fazenda Nacional

Churrasco do 1º ano dos alunos de

Ciências Contábeis

Mais alunos do MBA em Marketing e Gestão de

Vendas em dia de trabalho no Prudenshopping

IMPRESSO IMPRESSO ESPECIAL

ESPECIAL

1.74.18.0033-9 1.74.18.0033-9 - - DR/SPI

DR/SPI

ASSOCIAÇÃO

ASSOCIAÇÃO

EDUCACIONAL EDUCACIONAL TOLEDO

TOLEDO

..CORREIOS...

..CORREIOS...

More magazines by this user
Similar magazines