28etnias no Brasil - Missões Nacionais

missoesnacionais.org.br

28etnias no Brasil - Missões Nacionais

ede próxima a um bambuzal. Não demorou muito para tomarmos

conhecimento de que se tratava da sogra do Carlito

e que ela apresentava muitas dificuldades para andar, e, por

esta razão, passava o dia todo na rede. Ele, o Carlito, concluiu

com a afirmação: “Se ela tivesse uma cadeira de rodas, poderia

locomover-se de tal forma que não precisaria permanecer

o dia todo na rede”.

Dispomos em nosso coração adquirir a cadeira de rodas para

que a Dª. Venância pudesse ter um pouco mais de liberdade

em seus movimentos. Procuramos a Primeira Igreja Batista

de Dourados, na pessoa do pastor Samuel, para informar

esta necessidade e indagar sobre o que a igreja poderia ajudar.

Prontamente este líder acionou o Ministério da Ação Social

que, no devido tempo, providenciou a cadeira de rodas para

atender a necessidade daquela senhora indígena.

Enfim, ao chegarmos ao acampamento e comunicarmos a

provisão de Deus para aquela necessidade, dona Venância

expressou a sua alegria em lágrimas, o que emocionou a todos

nós. Que recompensa foi ver a alegria daquela senhora,

em meio a lágrimas, ser rodeada por sua filha, genro e netos.

Queridos, é servindo ao Senhor que podemos abençoar

vidas. Quando nos dispomos a servi-lo, crescemos em comunhão

a Ele, somos edificados pelos serviços ministrados

para o Reino e principalmente, por permitir que vidas sejam

alcançadas com a graça do misericordioso Deus. Ações estas

que glorificam o seu nome.

Agradecemos ao Senhor, pela disponibilidade da 1ª IB de

Dourados e de seu pastor, que com sensibilidade, nos atendeu

e providenciou a resposta a esta necessidade do trabalho

missionário, concedendo à dona Venância, a oportunidade

de ter melhor qualidade de vida.

Ao finalizarmos estes pensamentos, queremos expressar a afirmativa:

Nhandejáry ta pende rovasa – Deus abençoe a todos.

Dona Venância,

sua filha e genro

ladeados pelos

missionários Pr.

Samuel e Ilma

Uma família resgatada pelo senhor

Como fruto do trabalho realizado em Sapiranga, RS,

quero destacar a conversão da família da irmã Zenilda,

mais conhecida como “cita” (na foto). Antes de sua conversão,

ela e suas filhas professavam a fé no catolicismo,

mas a sua vida estava sem sentido. Ela nos disse que

sempre que voltava da missa estava pior do que antes.

Ou seja, para seus problemas, anseios e angústias não

havia sido apresentada a solução, que é Jesus Cristo.

Sempre frequentava os bailões e fazia de tudo para fugir da

realidade em que vivia. Chegou a pensar em suicídio pelo

fato de não haver sentido em sua vida. Como infelizmente

o Rio Grande do Sul detém o título de estado com maior

incidência de suicídio dentro do Brasil, pois a cada 50 minutos

uma pessoa se suicida no estado, se ela tivesse cometido

o suicídio, seria mais uma pessoa neste dado estatístico.

Diante destas angústias vividas, uma irmã de outra igreja

a orientou a procurar uma igreja onde ela encontrasse

Jesus. A irmã Zenilda procurou nossa igreja e no primeiro

dia em que foi ao culto aceitou a Cristo e desde então

pudemos perceber uma transformação em sua vida.

Louvado seja Deus, que usou nossas vidas e hoje a irmã

Zenilda é serva fiel do Senhor Jesus, testemunha aos vizinhos,

parentes e colegas de trabalho sua fé em Cristo.

No mesmo dia em que aceitou a Cristo, ela chegou em casa

e contou as boas-novas às suas filhas, dizendo que elas deveriam

visitar nossa igreja e conhecer a Cristo como ela

havia conhecido.

As filhas – Jéssica e Daniela – a princípio se mostraram

resistentes, mas com muita oração e jejum realizamos estudos

bíblicos com elas e após algumas semanas as duas

aceitaram a Cristo.

No mês seguinte à sua conversão, elapediu seu envelope de

dízimo, pois entendeu que mesmo diante das dificuldades,

a fidelidade ao Senhor era algo fundamental na vida cristã.

A Bíblia é clara quanto às bênçãos de Deus àqueles que são

fiéis. Ela ainda não tinha sua casa própria, mas como por

um milagre, ela conseguiu comprar o terreno e construir

sua casa, um ano antes do planejado, testificando assim o

derramar das bênçãos do Senhor sobre os que são fiéis.

Mãe e filhas foram batizadas no mesmo dia e elas permanecem

firmes até hoje e participando dos trabalhos da igreja.

Realizamos um Pequeno Grupo semanalmente na casa delas,

as filhas hoje são líderes das crianças, participam do louvor,

grupo de teatro, grupo de coreografia, enfim, estão todas integradas

na igreja. A Daniela, com apenas um mês de batizada,

já participou da Trans como voluntária em Sapi-

41

More magazines by this user
Similar magazines