Views
5 years ago

Untitled

Untitled

FAÇA CÓPIAS DOS TEXTOS

FAÇA CÓPIAS DOS TEXTOS A SEREM LIDOS E DISTRIBUA ENTRE OS ADOLESCENTES E JOVENS PARA INCENTIVAR A SUA PARTICIPAÇÃO MAIS EFETIVA. Em 25 de dezembro de 274, Lúcio Domício Aureliano, que foi imperador de Roma de 270 a 275, inaugurou, com grandes festividades, os Jogos Circences e o Templo de Midas, deus protetor do império e cultuado pelos romanos com o Sol Invicto. Divindade de origem persa, Midas foi adotado pelos gregos e, depois, pelos romanos, pois os navegadores e os militares adoravam-no como o gênio dos elementos naturais. Aureliano, criador da religião do sol, foi o primeiro imperador romano que foi saudado, oficialmente, como divindade. Os cristãos da época aproveitaram-se das solenidades religiosas de adoração ao Deus Sol e das repercussões sociais delas para celebrarem o nascimento de Jesus, que São João chamou de Luz do Mundo. A comunidade cristã do império romano tinha consciência de quem era Jesus, pois sua paixão e morte eram recentes e havia acontecido no próprio império romano, que idolatrava pessoas e vícios. Além disso, todos os cristãos conheciam o sentido da mensagem do profeta Malaquias, que afirmava: “sobre vós, que temeis meu nome, levantar- -se-á o Sol da justiça que traz a salvação em seus raios.” (Malaquias 3.20a). A devoção religiosa que Aureliano inventara e a analogia que os cristãos fizeram da denominação dela coincidiram com a descrição bíblica, aplicavam-se à realidade messiânica e respondiam à expressão litúrgica dos cristãos, que reconheciam o Menino-Deus como o verdadeiro sol que ilumina o mundo e o aquece. Assim, pode-se afirmar que os romanos entenderam porque a comunidade cristã celebrava o Natal de Jesus, como o Filho do Deus verdadeiro, o Messias, o Salvador que foi aguardado por muitas gerações. 1. PAPAI NOEL No século IV, numa região da Turquia, morava um bispo que se chamava Nicolau. Homem humilde, ajudava muito os pobres, por isso o povo gostava muito dele. Um dia, dom Nicolau ficou sabendo que um pai de família não conseguia fazer o casamento de suas filhas porque não tinha dinheiro para pagar o dote, isto é, o conjunto dos bens que leva a pessoa que se casa. O bispo decidiu ajudar, mas sem ninguém saber. Por isso, quando uma das filhas devia casar, à noite, sem ninguém perceber, jogava pela janela um saquinho cheio de moedas de ouro. Durante sua última visita, o bispo foi descoberto pelo pai das meninas, mas Nicolau obrigou o homem a jurar que não ia contar para ninguém. A generosidade de Nicolau nunca mais foi esquecida pelo povo. Em sua honra, difundiu- -se em muitos países da Europa o costume de dar presentes no dia 6 de dezembro, dia do aniversário dele.

Com o passar dos séculos, o papel de entregar presentes passou de São Nicolau para um simpático velhinho de barba branca, chamado Papai Noel que, durante a noite de Natal, passa de casa em casa para entregar presentes às crianças bem comportadas. 2. ÁRVORE DE NATAL Só neste século começou-se a usar o pinheiro como símbolo do Natal. A verdadeira árvore do Natal é o pinheiro, embora, na falta desta, se use também outras árvores. O pinheiro tem esse privilégio por ser uma árvore que nunca perde as folhas. Nos países frios, no tempo do Natal, todas as árvores estão totalmente sem folhas, mas o pinheiro continua viçoso, com suas folhas verdes. A árvore é o símbolo da vida, por isso nós a enfeitamos para receber a verdadeira vida: O Cristo. E assim como o pinheiro é sempre verde, está sempre manifestando e comunicando a vida, em qualquer lugar, em qualquer situação, assim é Jesus, sempre e em todo lugar Ele é para nós vida. PINHEIRINHOS Pinheirinhos que alegria, Trá-lá-lá-lá-lá-lá-lá-lá-lá Sinos tocam noite e dia Trá-lá-lá-lá-lá-lá-lá-lá-lá É Natal que vem chegando Trá-lá-lá-lá-lá-lá-lá-lá-lá Vamos, pois com alegria, Pois já veio ao mundo o Salvador. 3. SINOS O nascimento de Jesus é a grande mensagem que precisa ser anunciada e comunicada a todos. Além de sinal de anúncio, o sino é também sinal de alegria. Um grande acontecimento é anunciado com o toque festivo dos sinos. No Natal queremos significar, com os sinos, que estamos felizes com o fato do Filho de Deus se fazer homem e estar entre nós, e queremos comunicar a todos esta alegria. Queremos que a mensagem do nascimento de Jesus, para a libertação dos homens, se espalhe forte e penetrante por todos os ares. BATE O SINO Bate o sino pequenino, sino de Belém Já nasceu o Deus menino para o nosso bem Paz na terra toca o sino alegra a cantar Abençoa ó Deus menino este nosso lar.