1 - Centro de Documentação e Pesquisa Vergueiro

cpvsp.org.br

1 - Centro de Documentação e Pesquisa Vergueiro

As professoras das escolas de

_ centros comunitários, que

estão reivindicando junto ao pre-

feito Felipe Sant'Anna, um au-

mento no valor do convênio

mantido entre a Prefeitura e as

comunidades, voltaram ontem

pela manhã ao Palácio Antônio

Lemos, levando cerca de 150 alu-

nos das escolas, para cobrarem a

definição do Executivo Munici-

pal quanto as suas reivindicações.

O prefeito não estava no Palácio

e, segundo informou o chefe de

seu gabinete, não voltaria mais.

Para a' renovação do con-

vênio de 1979, a Prefeitura está

oferecendo 30 cruzeiros aos cen-

tros comunitários para cada alu-

no matriculado (cerca de 27 mil

no total), o que, segundo as pro-

fessoras, é insuficiente para pagar

um salário "decente" para elas.

Com o convênio elevando o valor

unitário para 60 cruzeiros — a

quantia reivindicada —, elas di-

zem que o salário pode aumentar

de 500 para 900 cruzeiros, ainda

ass/m abaixo do salário-mmimo

regional.

Numa das vezes em que ss

professoras foram falar com j

Prefeito, houve a promessa ■ oe

uma "negociação" junto à CNEL

(Campanha Nacional de Escolas

de Comunidade), órgão vincula-

do ao MEC, e o único que pode-

PAGITJA 14

Aluta

Escolas comunitárias querem aumento

ria arcar com a elevação emftkfá,

do orçamento previsto para o at*

sunto. Ontem, dia 16, 3 represen-

tantes da CNEC se deslocariam

de Brasília para Belém, para estu-

darem a questão. As professoras

foram, então, saber como ia fiear

a situação.

Dois ônibus uãr3-lQtaao5_

levaram os alunos, a maioria do

bairro do Juninas, até o Palácio

Antônio Lemos, e cerca de 100

professoras, grande parte tam-

bém do Jurunas, saíram cada

qual de suas casas para o prome-

tido encontro. A resposta obtida

no Gabinete do Prefeito foi de

que os representantes da CNEC,

infelizmente, chegariam somente

dia 20, quando então teriam uma

reunião com o professor Mário

Guzzo, Secretário Municipal de

Educação.

Professores, alunos e pais de

família, representando^ as escolas

comunitárias que funcionam nos

diversos bairros de Belém, foram

ontem à Prefeitura, para falar com o

prefeito Luiz Felipe SanfAnna.

Foram recebidos pelo chefe de Gabi-

nete que informou que o prefeito não

se encontrava no momento, e que o

assunto só poderia ser tratado depois

do dia 20.

Falando à Província e TV Mara-

joara, os membros da Comissão disse-

ram que tinham ido até à Prefeitura,

para uma audiência com o gestor

.municipal, tentando obter o aumento

do auxilio pago às escolas comunitá-

rias, através da Semec.

Enquanto os 8 representan :

tes das escolas subiam até o gabi-

nete, os restantes ficaram espe-

rando em grupo na Praça D. Pe-

dro II, bem em frente, "algumas

crianças aproveitando para brin-

car, distantes do fato de que são

prejudicadas. Segundo uma das

professoras, as aulas ainda não

foram iniciadas, aguardando-se a

solução dos seus problemas leva-

dos ao Executivo Municipal.

AS ESCOLAS - Ã

comissão representava as escolas

São Benedito, do Telégrafo; São

Pedro, do Telégrafo; Escolinha

do Mickey, da Sacramenta; São

Jorge, da Sacramenta; Klautau,

da Sacramenta; Io. de Setembro,

da Sacramenta; Monte Alegre, do

Jurunas; Limoeiro, do Jurunas;

Jaú, do Jurunas; Bom Jardim, do

Jurunas; Helena Dias do Jurunas;

Batista, do Telégrafo; Honório

José dos Santos, do Jurunas; Pau-

lo Roberto, do Jurunas, e São

Raimundo, do Atalaia.

Professora» e crianças, reunidas, á espera do prefeito.

O)

i

o

g-

n i

E

«

■o

o

■o

1

E

SI)

i

9

More magazines by this user
Similar magazines