1 - Centro de Documentação e Pesquisa Vergueiro

cpvsp.org.br

1 - Centro de Documentação e Pesquisa Vergueiro

DIA 28 DE MAiO

HORA: 11 DA

KANH/k

LOCAL.: PRAÇA DOA\

PEDRO JL - LARQO

DO PALACIO

VAMO? TOPOS AO

ATO PUBLICO P£LA\

LUTA DE NOSSOS

ITSRRENOS/,

^^a ■ ii 1 ^ ' ■ " - -—■

CONVlTe V) PofOLAÇfíO DOS X)ii/£/?ÍOS QftlitUOS ONDí tífií COÜPLlroS P£LA TÉtitA

Baião:

A luta pelos direitos do povo se

desenvolve em todo Brasil sempre com

as duas faces da moeda. De um lado, o

povo; do outro a repressão. O povo

procurando todos os meios de se de-

fender; a repressão utilizando todas

as calúnias para se justificar.

Agora, em Baião, pacata cidade

do Tocantins, esta luta se desenvolve

entre admiração e risos de toda a ci-

dade, embora todo cuidado deva se

ter para que não termine em tragédia.

É que a mocidade baionense, revol-

tada contra o loteamento da penúl-

tima praça da cidade, resolveu fazer

Simpático e singular protesto. Na

j madrugada da segunda-feira de carna-r

val escreveram em algumas calçadas e

no coreto da praça loteada: "e a nossai

criançada. . . onde é que vai brincar^.

Na terça, formaram um bloco com

o nome de "Branquinho" (todos ves-

tidos de nenês) e foram brincar o car-

naval portando uma faixa com os mes-

mos dizeres escritos na véspera, can-

tando marchinhas sobre o tema.

A população toda prestigiou o

Branquinho, admirando o protesto-

gozação da moçada. Quem não gostou

foi o prefeito Francisco Ramos, que

além de mentiroso, pois tentou negar

tudo em "O Liberal", está mandando

0 povo protesta.

0 prefeito mente

processar os carnavalescos por crime

— pasmem — de subversão e desacato

à autoridade".

O processo já foi instaurado e

alguns estudantes já prestaram depoi-

mento, firmando corajosamente a

posição contrária ao loteamento da

penúltima praça da cidade. Embora

apreensivos com os rumos que a coisa

pode tomar, os rapazes estão firmes:

entrarão com uma Ação Popular con-

tra o loteamento da praça.

A SDDH contactada pelos

bravos rapazes de Baião, tem procu-

rado apoiá-los nesta simpática pele-

ja, inclusive mandando um seu repre-

sentante para verificar in loco a situa-

ção. No entanto, é necessário que todo

o povo paraense se mobilize em defesa

dos jovens baionenses, exemplo de

afirmação da defesa do patrimônio

público, de todas as formas: propa-

gando a luta contra o loteamento da

praça, enviando carta-protestos ao Sr.

Prefeito, solicitando à justiça o imedia-

to arquivamento do tal processo.

Quanto ao Sr. Francisco Ramos, con-

tra quem os rapazes dizem não ter na-

da contra pessoalmente, que se man-

que, deixe de lotear praças, deixe de

inventar calúnias, deixe de ver fantas-

mas em tardes de carnaval.

i

RESISTÊNCIA H*l

PÁGINA 33

More magazines by this user
Similar magazines