campanha salarial 2010 - Sindicato dos Bancários do Maranhão

seebma.org.br

campanha salarial 2010 - Sindicato dos Bancários do Maranhão

Publicação do Sindicato dos Bancários do Maranhão • XIII • Nº 151 • agosto/2010

CAMPANHA SALARIAL 2010

Fique informado! Acesse o nosso site www.bancariosma.org.br

BANCÁRIOS DO MARANHÃO NÃO ABREM MÃO DA

REPOSIÇÃO DAS PERDAS SALARIAIS

Os bancários do Maranhão protestaram, no dia 10

agosto em frente ao BB Deodoro, em São Luís, com discurso,

distribuição de caldo e forró. Foi o lançamento da

Campanha Salarial 2010 que cobra dos patrões a pauta

de reivindicação do Movimento Nacional de Oposição

Bancária(MNOB).

A categoria decidiu em assembleia, no dia 04 de agosto,

lutar pela reposição das perdas salariais do Plano

Real e reajuste de 24%. Nessa assembleia, os bancários

autorizaram ainda a diretoria a realizar negociações coletivas,

celebrar convenção coletiva de trabalho, convenções/acordos

coletivas aditivos, bem como convenção/

acordo de PLR e, frustradas as negociações, de defen-

der-se e/ou instaurar dissídio coletivo de trabalho, bem

como delegar poderes para tanto. E mais, aprovaram o

desconto assistencial de apenas 1%, a ser feito uma vez

nos salários dos empregados em razão da contratação a

ser realizada.

Por presentear banqueiros e Governo com as perdas

salariais desde 1994, como tem feito nos últimos anos,

a pauta da ‘aliada’ CONTRAF/CUT foi rejeitada no Maranhão.

Para os trabalhadores, já basta tanto suor por

salários rebaixados e metas exploradoras. Por melhores

condições de trabalho e salário, esta luta é dos bancários!

Confi ra a pauta de reivindicação na pág 3

Festança do Dia do Bancário

Na Sede Recreativa, no dia 28 de agosto, a partir das 8h

Futebol, música, churrasco e muita diversão!

Bancário sindicalizado, não esqueça sua carteirinha.

Pág 4


Editorial

O Itaú-Unibanco, o Bradesco e o

Santander lucraram, respectivamente,

R$ 6,4 bilhões, R$ 4,6 bi e R$ 2,3 bi.

O Banco do Brasil marcou o dia 16/08

para publicar o balanço do 1º semestre

de 2010. Decerto o BB fi gurará entre

os três maiores outra vez. Até o fi nal

de agosto, todos os bancos já deverão

ter consolidado seus resultados. E a

cada resultado consolidado, acompanhamos

a saúde econômico-fi nanceira

dos bancos evoluir de forma exponencial.

É notável e invejável a capacidade

dos banqueiros de duplicarem seus

patrimônios a cada três anos.

Do ponto de vista da categoria

bancária, que diuturnamente se esbalda

de trabalhar para cumprir as metas

que proporcionam essa fantástica

acumulação de riqueza dos banqueiros,

estamos na contramão do bom

momento das empresas para as quais

dedicamos os melhores anos das nossas

vidas. Afi rma-se isso porque há

anos sequer conseguimos recuperar o

poder aquisitivo que detínhamos antes

do Plano Real, em 1994. Por isso, o

Sindicato dos Bancários do Maranhão,

o de Bauru e o do Rio Grande do Norte

desafi am o comodismo irresponsável

da Contraf/CUT em se contentar

com as migalhas de reajustes acima

da infl ação, reajustes que nem mesmo

nos aproximam do poder de compra

RÁPIDAS

2

Campanha salarial 2010 X aloprados

de outrora.

Em momento coincidente com o

fi nal do governo Lula, o Brasil é a sétima

ou oitava economia do mundo,

mas o 75º em desenvolvimento humano,

segundo a última aferição da Organização

das Nações Unidas (ONU).

O cenário de concentração de renda é

brutal para grande parte da sociedade.

Não apenas por conta e obra do

governo. Contudo, se bem observarmos,

veremos que outras categorias

vinculadas ao Executivo avançaram

na recuperação do poder de compra

nos últimos oito anos. Logicamente,

categorias não manietadas pela burocracia

cutista, cuja preocupação tem

passado muito longe dos interesses de

qualquer trabalhador.

Após a edição 2177 da revista Veja,

muitos enxergarão a quem realmente

serve a atual estrutura da Contraf/

CUT. Gerardo Santiago, ex-membro

da Comissão de Empresa do BB, que

migrou da corrente petista DS para a

Articulação Sindical logo no início do

primeiro mandato de Lula, em 2003, é

entrevistado na referida edição. Vindo

das entranhas da poderosa Previ/BB,

sabe-se lá porque hoje Gerardo desnuda

o caráter dos ex-dirigentes da

Contraf/CUT que se embrenharam de

corpo e alma nos cargos e benesses

ofi ciais. Sólida mesmo, só a certeza de

que a categoria bancária tem servido

de moeda de troca para que os interesses

pessoais ou de grupelhos sejam

atendidos.

Talvez agora fi que mais claro o que

sempre repisamos: não é a troco de

nada que o governo Lula tem sido poupado

de negociar diretamente com os

grevistas nas sucessivas campanhas

salariais a partir de 2003. As traições

da Contraf/CUT têm rendido bons resultados,

principalmente para: Paulo

Bernardo, ministro do Planejamento e

ex-dirigente bancário do Paraná; José

Pimentel, ex-ministro da Previdência,

ex-dirigente do SEEB-CE e candidato

ao senado pelo PT-CE; Ricardo Berzoini,

ex-ministro da Previdência e ex-do

Trabalho, ex-dirigente do SEEB-SP e

novamente candidato a dep. federal

pelo PT-SP; João Vaccari, ex-dirigente

da CUT e do SEEB-SP, atual tesoureiro

do PT e conselheiro do fundo de pensão

de Furnas. A lista de benefi ciários

é enorme e não dá para exibir todos

neste exíguo espaço. Mas que pelo

menos a categoria tenha presente

que o Sindicato dos Bancários do Maranhão

nunca compactuou e sempre

tem denunciado o desvio de fi nalidade

que a CUT e seu braço na categoria

bancária, a Contraf, tem nos submetido

desde antes mesmo de Lula ter

chegado ao Palácio do Planalto.

Bradesco:

Campeão do caos no

atendimento

Em visita a agências do Bradesco na

capital, a direção do Sindicato constatou

o verdadeiro caos a que estão sendo

submetidos clientes e usuários em razão

da superlotação. Numa campanha

de esclarecimento e incentivo à denúncia

por parte da população, o Sindicato

está denunciando, em publicações no

jornal AQUI Maranhão, o descaso dos

bancos no cumprimento da Lei das Filas

estadual há mais de 8 anos

O Sindicato denunciou à Superintendência Regional do Trabalho(SRT) o quanto a reforma

nas agências do UNIBANCO na Rua Grande e Rua da Paz tem provocado transtornos aos clientes

e agravos à saúde dos bancários, sem qualquer precaução do banco

O Sindicato também denunciou à SRT o descaso do Banco do Brasil quanto ao serviço de

manutenção dos aparelhos de ar condicionado nas agências da Areinha e Renascença, em São

Luís. O calor é absurdo!


Nesta campanha salarial, esta é a luta da categoria no Maranhão

Remuneração

-Reajuste salarial de 24% para todos

e Reposição das perdas

-PLR de 25% do lucro, linear para

todos

-Piso salarial do salário mínimo do

Dieese (R$ 2.157,88)

-Elevação do auxílio-refeição, cesta-alimentação,

13ª cesta-alimentação

e auxílio creche/babá para o valor

de um salário mínimo para cada item

-Campanha nacional pela Isonomia

nos Bancos Públicos

-Plano de Cargos e Salários que

valorize os bancários, sem discriminação.

Saúde do Trabalhador

-Fim das metas

-Combate ao assédio moral

-Combate as doenças ocupacionais

-Delegados sindicais em todos os

bancos privados

Pressionada pelos bancários, a

Caixa implantou o novo Plano de

Funções Gratificadas (PFG) no mês

de julho. Para combater a implementação

que acontece de forma

agressiva e discriminatória, o Sindicato

dos Bancários do Maranhão

ajuizou Reclamação Trabalhista coletiva

questionando as imposições

da Caixa.

Na ação do SEEB/MA são apontadas

as ilegalidades quanto à não

vinculação ao plano da FUNCEF; violação

do acesso à justiça; exigência

do pedido de desistência da função;

discriminação dos empregados que

permanecerão no PCC; e da redução

da remuneração, já que todas

as funções com jornada de oito horas

passam a ter gratificação inferior

ao da respectiva função do Plano

anterior. O Sindicato solicitou ainda

a declaração de nulidade de todas

as incongruências provenientes no

novo PFG.

Para a diretoria do SEEB, os empregados

da CEF não devem fazer

opção para o novo Plano, abrindo

mão de direitos com a assinatura de

nenhum termo de opção, pois além

de estarem fazendo renúncia ao seu

patrimônio trabalhista, estão pondo

em risco outras garantias, como a incorporação

de 100% da gratificação

e do CTVA. Aos empregados para

-180 dias de licença-maternidade

automática, SEM isenção fiscal aos

Bancos

-Assistência médica, hospitalar,

odontológica e medicamentosa gratuita

Emprego

-Estabilidade e mais contratação

de bancários

-Ampliar a contratação de mulheres,

negros e pessoas com deficiência

-Jornada de 6 horas para todos,

sem redução salarial

-Fim das terceirizações

Sistema Financeiro

-Estatização

do Sistema Financeiro

-Fim dos

correspondentes

Bancários

-Em defesa

quem não houve migração automática,

o novo PFG pode trazer ainda

outros prejuízos de forma individual,

como o caso dos que já têm funções

incorporadas por decisão judicial.

Portanto, a orientação é aguardar o

desfecho da ação na Justiça, na qual

inclusive foi pedido com despacho

de liminar.

Atenção! Os bancários que tiverem

outras questões individuais prejudicadas

pelas imposições discriminatórias

do banco devem procurar

a assessoria jurídica do Sindicato.

O atendimento específico pelos advogados

para questões trabalhistas

obedece aos seguintes horários:

- Dr. Antônio Nunes Leitão: segundas

e quartas, das 17h30 às

19h30;

- Dr. Antônio Emílio: sextas, das

17h30 às 19h30

Frente Jurídica

Com participação do Sindicato

dos Bancários do Maranhão, uma

frente jurídica reuniu, no dia 23 de

julho, no Rio de Janeiro, sindicatos

e entidades de defesa dos trabalhadores

para atuar, de forma conjunta

e coordenada, na defesa dos empregados

da CAIXA que permanecem

no plano de benefícios REG/REPLAN

da FUNCEF.

Representando os bancários

do Maranhão, David Sá Barros,

dos Bancos Públicos 100% Estatal

-Defesa do papel social dos bancos

públicos

Eixos Gerais de Campanha

- Estabelecimento de duas mesas

de negociação: uma para negociar

a pauta dos bancos privados com a

Fenaban e outra, com a pauta dos

bancos públicos, para negociar com

o Ministério da Fazenda

-Eleição de Comandos de Base

nas assembleias

PFG/CAIXA: SEEB/MA ajuíza ação contra discriminação

Targino Junior e o assessor jurídico

Nunes Leitão, fizeram as seguintes

observações:

- Criação de um depositário de

teses jurídicas, peças técnicas e jurisprudência

para subsidiar todas as

entidades.

- Importância de uma minuta

padrão para facilitar a entrada de

ações pelas diversas entidades

- Necessidade de perícia atuarial

no REG/REPLAN.

- Incorporação, como vantagem

pessoal, da diferença salarial decorrente

da redução de jornada de 8h

para 6h

- Problemas oriundos da mudança

do tipo de serviço, do perfil requerido

e possibilidade de retaliação no

caso de gerentes de retaguarda que

estão migrando para o PFG como

supervisores, ou seja, para o atendimento

das respectivas agências

A frente jurídica é presidida por

Marta Turra, presidente do SEEB/

RN, e composta ainda pelos Sindicatos

do ES e Bauru, PREVHAB (Previdência

Complementar), ANPAF (Associação

Nacional dos Procuradores

Federais), ANEAC (Associação Nacional

dos Engenheiros e Arquitetos

da CEF), ANAPHAB (Associação Nacional

dos ex-empregados do BNH)

e AGECEF/BA (Associação dos Gestores

da CEF/BA).

3


É dia 28 de agosto, sábado, a grande festa em homenagem ao Dia do Bancário. Na

programação, Torneio Início de futebol, churrasco, muita música (mistura de ritmos)

com a banda Kizoeira e diversão pra toda família.

A partir das 12h, a cerveja custará apenas R$2,00. Comida, refrigerante, pipoca, picolé

e brincadeiras pra criançada são inteiramente grátis. Venha e traga sua alegria pra

fazer a nossa festa!

A bola continua rolando. Agora todas as terças e quintas, a partir das 19h, nos belos

gramados da Sede Recreativa. A intenção é congregar a categoria e cada bancário sindicalizado pode levar um

convidado. Participe! Movimente-se!

Futebol feminino das bancárias do Maranhão. É isso aí. Já temos 4 equipes

dispostas a participar de um possível campeonato feminino. Vamos fazer acontecer! Interessadas, entrem em

contato com o Secretário de Assuntos Sócio-Culturais, Edvaldo Castro, pelos telefones 3311-3500 ou 8124-7272.

4

FESTANÇA DO DIA DOS BANCÁRIOS

Lucros bilionários e irresponsabilidade social com os bancários

são os resultados marcantes do BB em 2009 e primeiro semestre/2010

Às vésperas de publicar mais um

balanço de patamar igual ou superior

aos concorrentes diretos, no caso

Bradesco e Itaú-Unibanco, o BB deve

até hoje aos bancários a implantação

de um plano odontológico e um de

cargos comissionados, além da implantação

de um Comitê Nacional de

Ética. Estes compromissos foram assumidos

nas campanhas salariais de

2008 e de 2009.

Quanto ao caso específi co da

atuação do BB no Maranhão, o esfacelamento

da Gerel São Luís, em

2007, centralizou serviços de supor-

Como se a desorganização administrativa

acarretada pela centralização

dos serviços de suporte em

outros estados não fosse sufi ciente

para atormentar o cotidiano de trabalho

dos maranhenses, a Superintendência

do Banco tem pressionado

fortemente os gestores das agências

e suas equipes pelo atingimento

de metas sabidamente abusivas.

Ano após ano, o Maranhão sempre

alcançou resultados satisfatórios no

ranking nacional.

Marinheiro de primeira investidura,

o atual superintendente tenta

aqui alavancar a sua carreira, ainda

que para isso tenha de jogar na lata

Bancários participem!

Banco do Brasil

te às agências do estado em outras

unidades da federação, quais sejam

Belém, Brasília, Goiânia etc. A partir

daquele ano, a desorganização administrativa

do banco tem levado ao

caos o cotidiano das agências. Como

consequência, tem algumas funcionando

até sem fornecimento de

cafezinho e lanche, por defi ciência

operacional na contratação, que não

é mais realizada nesta praça.

Também são muitas as reclamações

de aparelhos de ar condicionado

defeituosos por falta de manutenção,

causando desconforto tanto aos

do lixo todo o histórico pessoal de

quem sempre atendeu satisfatoriamente

aos apelos da empresa nas

sucessivas e extenuantes campanhas

por resultados. Há situação de

gerente que se aposentou para não

sofrer o constrangimento de regredir

na carreira. Sabe-se que pelo menos

30 engoliram goela abaixo a “alternativa”

de concorrer para postos inferiores

aos que ocupavam, depois

de serem confrontados com a possibilidade

de “degola”.

“A prata da casa tem sido desmerecida,

essa é a impressão dos depoimentos

que nos chegam. Mas a

reação deve ser de resistência. Os

funcionários quanto aos clientes. Há

áreas do estado totalmente descobertas

e sem contrato porque a contratação

está sob condução na longínqua

Belém /PA. De outro ângulo,

há fi rmas que amargam longo atraso

quanto ao recebimento dos valores

a que fazem jus pela prestação de

serviços. A agência Estilo, no Calhau,

é um exemplo. Até hoje o construtor

espera o pagamento pela obra inaugurada

desde 02/2010. Por essas e

outras, é ruim o clima de trabalho

nas agências do BB, seja na capital

ou interior do Estado.

Gerentes das agências no Maranhão sofrem pressão abusiva da Superintendência do BB

que forem convocados para onde

não querem ir, não devem registrar

concorrência. Como a ampla maioria

acumula mais de dez anos ininterruptos

nas suas investiduras, caso sejam

descomissionados, devem procurar o

Sindicato para ajuizar a ação que incorpora

a comissão de gerente”, afi rma

David Sá Barros, presidente do

SEEB-MA.

More magazines by this user
Similar magazines