corrente contínua corrente contínua - Eletronorte

eln.gov.br

corrente contínua corrente contínua - Eletronorte

corrente contínua

34

Brito, diretora da entidade, criada

pela Eletrobrás e demais empresas

do Sistema, “desde 1986, a

organização trabalha em prol da

preservação da memória do setor

de energia elétrica, com pesquisas

históricas e tratamento do

patrimônio documental”.

Segundo Marilza (ao lado), a

publicação atualizada tem 130

páginas e tiragem de mil exemplares,

abordando fatos do setor

desde o século XIX até o XXI, os

principais marcos históricos, o surgimento das

empresas, inventos, empreendimentos etc.

É ilustrado com aquarelas de Mario Penna Bering,

ex-presidente da Cemig e da Eletrobrás.

O livro traz ainda seis pranchas formando um

cartaz com o resumo da obra.

“A Eletronorte quer manter

viva a memória da eletricidade no

Brasil, por isso se tornou instituidora

do Centro e patrocina obras

importantes. Atua também em

trabalhos específicos, inclusive

relacionados à sua própria história,

como no caso das edições

comemorativas. Ela é parte do

conteúdo desse livro, assim como

Furnas, Chesf, Light, Eletrosul,

Sulgipe e Cepel”.

Viva a Arte - Após 25 shows

de sucesso, o projeto cultural

Viva a Arte, realizado pelo Centro

Integrado de Cultura e Meio Ambiente

Caburé, estará fechando o

ano com chave-de-ouro, com a participação do

cantor e compositor Paulinho Pedra Azul, e de

Marcelo Jiran (teclados), ambos de Minas Gerais,

em dezembro de 2008. A segunda edição

do projeto recebeu da Eletronorte R$ 98 mil

em patrocínio, o que possibilitou trazer artistas

de renome como Xangai (foto ao pé da página),

Simone Guimarães, o comediante Ruiter,

Renato Mota e o pianista Leandro

Braga.

Rivaldo Gomes de Alcântara,

o Boréu (ao lado), músico,

percursionista e sindicalista, é

o coordenador do Viva a Arte e

representante do Sindicato dos

Eletricitários – Stiu-DF, um dos

patrocinadores do evento. Ele

afirma que o projeto ganhou

tanta importância que vem

sendo debatido até em mesa

de negociação, nos acordos

coletivos. “Cobramos, principalmente

da Eletrobrás, que além dos grandes

projetos, que ela patrocine projetos de menores

custos também, muitas vezes, conduzidos

por pessoas sem acesso à mídia. São pessoas

envolvidas no meio cultural, não visam ao lucro,

mas produzem coisas interessantes, pois

sempre há um público para qualquer arte. Em

2009 vamos enveredar para o lado do autêntico

sertanejo, devemos trazer Zé Mulato e Cassiano,

entre outros do gênero”, afirma.

Mas o mais interessante da próxima temporada

– comenta Boréu - será a divulgação

dos grandes poetas, que têm produções belíssimas

e as pessoas mal sabem que foram

eles que escreveram: gente como Capinam,

More magazines by this user
Similar magazines