16.04.2013 Views

COBERTURAS - Universidade Fernando Pessoa

COBERTURAS - Universidade Fernando Pessoa

COBERTURAS - Universidade Fernando Pessoa

SHOW MORE
SHOW LESS

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

Materiais de Construção ç II<br />

2ºano Engenharia Civil<br />

1<br />

<strong>COBERTURAS</strong><br />

Ano Lectivo 2009/2010


Introdução ç<br />

Os materiais cerâmicos e o corte da pedra foram o passo seguinte através da<br />

pendente e da sobreposição das peças, garantindo uma cobertura durável e<br />

capaz de conduzir as águas até aos pontos mais baixos para sua recolha e<br />

evacuação.<br />

Finalidade :<br />

- Protecção da edificação<br />

- Estético<br />

Requisitos:<br />

- Impermeabilidade<br />

- Isolamento térmico e acústico<br />

Material da Cobertura deve ser:<br />

-Leve<br />

- Sem porosidade<br />

- Inalterável<br />

- Fácil colocação e reposição.<br />

reposição<br />

2


Índice<br />

Conceito de Cobertura<br />

Funções de Coberturas<br />

Especificidade de Cobertura<br />

Conceito Cobertura plana<br />

Tipos de Cobertura<br />

Escolha de uma cobertura para p um edifício<br />

Zoneamento climático adoptado para o continente<br />

Tipo p de telhado<br />

Estruturas de apoio<br />

Tipos p<br />

de asnas<br />

3


Continuação… ç<br />

Dtlh Detalhes dos d elementos l t de d amarração ã<br />

Acabamentos laterais<br />

Classificação de revestimentos<br />

Efeitos da água na construção<br />

Sistema de drenagem de aguas pluviais de coberturas<br />

inclinadas e caracterização<br />

Anomalias das coberturas inclinadas<br />

Coberturas planas de edifícios<br />

Aplicação de quantidades excessivas de argamassa<br />

Descasque por acção do gelo<br />

Multifuncionalidade da cobertura plana.<br />

4


Conceito de Cobertura<br />

AAs coberturas b t são ã estruturas t t que se definem d fi pela l forma, f<br />

observando as características de função e estilo<br />

arq arquitectónico itectónico das edificações edificações.<br />

5


Função ç das Coberturas<br />

AAs coberturas b t têm tê como principal i i l função: f ã<br />

Protecção das edificações ;<br />

Contra a acção das tempestades;<br />

Funções utilitárias (impermeabilidade, leveza, isolamento<br />

térmico e acústico);<br />

Funções estéticas (forma e aspecto harmónico com linha<br />

arquitectónica, dimensão dos elementos , textura e coloração);<br />

Funções económicas( custo da solução adoptada, durabilidade<br />

e fácil conservação dos elementos);<br />

6


Especificidade p de uma Cobertura<br />

CCoberturas b t com Membranas: M b caracterizadas t i d pelo l uso de d<br />

membranas plásticas (lonas), assentadas sobre estruturas<br />

metálicas ou de madeira madeira.<br />

7


Continuação… ç<br />

Cb Coberturas t em malhas lh metálicas: táliCaracterizadas C t i d por<br />

sistemas estruturais sofisticados, em estruturas metálicas<br />

artic articuladas, ladas com vedação edação de elementos plásticos, plásticos acrílicos<br />

ou vidros.<br />

8


Continuação… ç<br />

CCoberturas b t tipos ti cascas: Caracterizadas C t i d por estruturas t t de d<br />

lajes em arcos, em betão armado, tratadas com sistemas<br />

de impermeabili impermeabilização.<br />

ação<br />

9


Continuação… ç<br />

10<br />

TTerraços: estruturas t t em betão b tã armado, d formadas f d por<br />

painéis apoiados em vigas, tratados com sistemas de<br />

impermeabili impermeabilização, ação isolamento térmico e assentamento de<br />

material para piso, se houver tráfego.


Continuação… ç<br />

Tlhd Telhados: são ã as coberturas b t caracterizadas t i d pela l existência itê i<br />

de uma armação – sistema de apoio de coberturas,<br />

re revestidas estidas por telhas (materiais de revestimento).<br />

re estimento)<br />

11


Conceito de Coberturas Planas<br />

AAs coberturas b t planas l são ã caracterizadas t i d por superfícies fí i<br />

planas, ou planos de cobertura, também denominados de<br />

panos ou o águas ág as de uma ma cobertura. cobert ra A cobertura cobert ra deve de e ter<br />

inclinação mínima que permita o escoamento das águas<br />

das chuvas chuvas, e direccionadas segundo o plano de captação<br />

dessas águas.<br />

13


Materiais utilizados para p Coberturas Planas<br />

Os sistemas de apoio de coberturas planas podem ser<br />

executados em: madeira, metal ou betão armado.<br />

Em madeira:<br />

- Si Sistema t de d vigas i e arcos treliçados t li d em madeira d i maciça/ i /<br />

colada;<br />

- Sistema de treliças tipo tesouras;<br />

- Sistema tipo cavalete.<br />

E Em metal: t l<br />

- Sistemas de vigas e arcos treliçados;<br />

- Si Sistemas de d estruturas especiais;<br />

i i<br />

14


Continuação… ç<br />

E Em betão b tã armado: d<br />

- Sistemas de vigas pré-moldadas;<br />

- Sistemas de pórticos;<br />

- Sistemas de estruturas especiais p integradas. g<br />

15


Tipos p de Coberturas<br />

Pd Podemos classificar l ifias coberturas b t em:<br />

Naturais<br />

- Coberturas minerais;<br />

- Coberturas vegetais;<br />

- Coberturas vegetais beneficiadas;<br />

16


Escolha de uma Cobertura para p um Edifício<br />

É necessário á i para qualquer l solução l ã a adoptar d t garanta t a<br />

preservação a longo prazo, pois qualquer edifício esta<br />

ssujeito jeito a variação ariação de temperatura, temperat ra radiação solar, solar água ág a e<br />

vento.<br />

QQuanto t a acção ã da d água á nas cobertura b t inclinadas, i li d as<br />

estanqueidade e garantida pelo revestimento e pela<br />

iinclinação li ã da d cobertura, b t ou seja, j pela l porosidade, id d<br />

impermeabilidade e capacidade de dilatação.<br />

17


Zoneamento climático adoptado para o<br />

continente<br />

Sob a perspectiva das coberturas existem dois tipos de<br />

chuva intensa que devem ser consideradas:<br />

A chuva que cai aproximadamente na vertical;<br />

A A chuva h ttrazida id pelo l vento. t<br />

18<br />

AAmbas b a categorias i contribuem ib para a quantidade id d total l de d<br />

chuva que se tem de dar destino, contudo a segunda<br />

categoria afecta particularmente as cobertura inclinadas de<br />

revestimento descontinuo.<br />

Foto


UUma á água ( (meia i água) á )<br />

Tipos p de Telhado<br />

Caracterizada pela definição de uma superfície plana, com<br />

ddeclivilidade, li ilid d cobrindo b i d uma pequena área edificada difi d ou<br />

estendendo-se para proteger entradas (alpendre)<br />

19


DDuas ááguas<br />

Continuação… ç<br />

Caracterizada pela definição de duas superfícies planas,<br />

com ddeclives li iguais i i ou distintas, di i unidas id por uma linha li h<br />

central denominada de cumeeira. O fechamento da frente<br />

e ddo ffundo d e ffeito it com oitões.<br />

itõ<br />

20


Tê Três águas á<br />

Continuação ç …<br />

Caracterizada como solução de cobertura de edificações de<br />

i l<br />

áreas triangulares.<br />

21


QQuatro t águas á<br />

Continuação… ç<br />

Caracterizada por coberturas de edificações quadriláteras,<br />

d f l i l<br />

de formas regulares ou irregulares.<br />

23


TTrama<br />

Estruturas de apoio p ppara<br />

telhados<br />

Sustentação das telhas (pode não ser necessário em função<br />

ddo tipo i de d telha); lh )<br />

• Ripas<br />

São pregadas sobre caibros. O espaçamento entre ripas<br />

depende do tipo de telha.<br />

24


CCaibros ib<br />

Continuação… ç<br />

São pregados nas terças. O espaçamento em funçao da ripa<br />

empregada, d não deve d ultrapassar l os 50 cm.<br />

Terças<br />

Apoiadas sobre estruturas de apoio (paredes, estrutura<br />

porticadas ou sobre tesouras).<br />

25


Continuação… ç<br />

26


Conceito de Asnas<br />

EEstrutura t t de d madeira d i ou metal t l em forma f de d V invertido i tid destinada d ti d a suportar t o telhado t lh d<br />

de uma construção. Peça oblíqua do madeiramento da tesoura, que liga o pendural à<br />

extremidade do tirante ou linha, e sobre a qual se assentam as terças; o mesmo que<br />

perna perna.<br />

27


Tipos p de Asnas<br />

28


Terminologia das peças que compõem um<br />

telhados<br />

29


Detalhes dos elementos de amarração de uma<br />

cobertura inclinada<br />

30<br />

CCobertura b t iinclinada li d com iisolamento l t térmico té i e<br />

acabamento com telha tradicional<br />

1-Suporte Resistente<br />

2-Primário betuminoso<br />

3- Texself FV 2C (banda<br />

impermeabilizante autocolante)<br />

4- 4 Isolamento térmico<br />

5- Telha tradicional


Acabamentos laterais de Coberturas<br />

Oitã Oitão –elevação l ã externa t em alvenaria l i acima i ddo pé- é<br />

direito, que ocorre com a eliminação da tacaniças .<br />

Platibandas - elevação da alvenaria acima do pé pé-direito, direito,<br />

na mesma projecção das paredes, com o principal<br />

objectivo j de proteger p g<br />

as coberturas.<br />

31


Continuação… ç<br />

32<br />

Bi Beiradas d – CCaracterizadas t i d pela l projecção j ã das d estruturas t t<br />

de apoio de cobertura alem da linha de paredes externas, e<br />

a inexistência ine istência da execução e ec ção com forro. forro<br />

Beirais – Caracterizados pela projecção das estruturas de<br />

apoio i de d cobertura b t alem l da d linha li h das d paredes d externas.<br />

t


Classificação ç dos Revestimentos<br />

AAs condições di õ mínimas í i para revestimento ti t de d<br />

coberturas devem ter as seguintes condições mínimas:<br />

Deve ser impermeável;<br />

Resistente o suficiente para p suportar p as solicitações ç e<br />

impactos;<br />

Possuir Possuir leveza;<br />

Ser durável e devem manter-se inalteradas;<br />

Deve Deve proporcionar um bom isolamento térmico e<br />

acústico.<br />

34


Materiais<br />

Abaixo estão mencionados alguns dos materiais para<br />

revestimento de coberturas:<br />

Chapa Chapa de aço zincado ( coberturas com pequenas inclinações)<br />

Telhas autoportantes ( usadas em coberturas planas e arcadas)<br />

T Telhas lh de d alumínio l í i<br />

Telhas plásticas<br />

Telhas cerâmicas<br />

Telhas de vidro<br />

Telhas de betão<br />

Telhas de policarbonato<br />

35


Efeitos da água g na construção ç<br />

O objectivo bj ti do d sistema i t de d drenagem d é proteger t<br />

habitação da água da chuva e encaminhá-la para<br />

outros pontos para evitar a penetração no interior da<br />

habitação. ç<br />

36


Sistemas de drenagem de águas pluviais de<br />

coberturas inclinadas<br />

37<br />

Funções ç e vantagens g da drenagem g de coberturas<br />

Os primeiros sinais de preocupação de drenar as águas pluviais<br />

remontam há muito,<br />

onde as gárgulas g g tinham a função ç de atirar a água g que q escorria pela p<br />

cobertura longe<br />

dos limites do edifício.<br />

Protege:<br />

<strong>Pessoa</strong>s que passam sobre os beirados;<br />

Pavimentação das ruas;<br />

Paredes exteriores dos edifícios.


Caracterização do sistema de drenagem de<br />

águas pluviais de coberturas inclinadas<br />

• O processo dde ddrenagem hhorizontal i t l é constituído tit íd por<br />

caleiras ou algerozes que recebem a água da cobertura,<br />

e que pela sua inclinação conduzem a água para as<br />

saídas universais. E dai dirigem g as águas g em direcção ç<br />

ao processo de andamento vertical.<br />

• O processo de drenagem vertical vertical, é constituído por<br />

tubos de queda, juntos por encaixe. A ligação à saída<br />

universal i lpode d ser efectuada f d por um troço de d tubo b de d<br />

queda ou por intermédio de uma curva<br />

38


Continuação… ç<br />

39


Anomalias das coberturas inclinadas<br />

A Anomalias li resultantes lt t de d defeitos d f it de d concepção ã é normal l que<br />

quando não são tomadas as medidas necessárias para a<br />

concepção das coberturas estas sofram algumas anomalias ,<br />

estas são detectadas mais frequentemente na cobertura com<br />

telha cerâmica com inclinação ç<br />

insuficiente.<br />

40


Inclinação da cobertura ( pendente)<br />

Continuação… ç<br />

A telha cerâmica com inclinação ç insuficiente, , neste caso ppode pprejudicar j o<br />

escoamento das águas pluviais e facilita a sua infiltração a acumulação de lixos,<br />

musgos e outros agentes com interferência na eficácia de funcionamento da<br />

cobertura.<br />

41<br />

A telha cerâmica com inclinação excessiva, excessiva neste caso pode impedir o<br />

deslocamento e até a queda de telhas por acção de agentes diversos, com especial<br />

destaque q para p ventos dominantes na região. g<br />

Ventilação da cobertura, esta não pode ser descurada pois uma vez que dela<br />

pode resultar a maior parte das anomalias detectadas em coberturas.


Coberturas planas p em edifícios<br />

AAs coberturas b t planas l ou em terraço, t têm tê características t í ti<br />

funcionais que, em muitos casos, são recomendadas ou<br />

iimpostas. t A constatação t t ã frequente f t do d comportamento t t<br />

deficiente deste tipo de coberturas, quase sempre<br />

resultante lt t dde erros ou ddescuidos id dde projecto j t ou dde<br />

execução.<br />

42


Aplicação de quantidades excessivas de<br />

argamassa<br />

43<br />

É comum com m a resolução resol ção de problemas de encaixe encai e e alinhamento de telhas, telhas<br />

recorrendo a quantidades excessivas de argamassa . É uma ideia errada<br />

pois p a acção da humidade a argamassa g comporta-se p de uma forma<br />

totalmente diferente dos materiais cerâmicos. O uso excessivo de<br />

argamassa pode também resultar no deficiente funcionamento na<br />

cobertura porque porque, ao fim de algum tempo é comum aparecerem fissuras<br />

e até fendas na argamassa por onde se registam infiltrações de<br />

humidade.


Descasque q ppor acção ç do ggelo<br />

44<br />

O ddescasque por acção ã ddo gelo l é um problema bl que pode d<br />

ocorrer em coberturas, mesmo com telha cerâmica<br />

resistente ao gelo. gelo Com a ocorrência de variações ariações de<br />

temperatura, frequentes e por espaços de tempo<br />

significativo significativo, a massa da telha fica sujeita a ciclos de gelo<br />

– degelo.


Continuação… ç<br />

A acção ã ddos agentes t atmosféricos t fé i vai-se i ttraduzir d i em<br />

ligeiras alterações de tonalidade, sem que tal corresponda<br />

a uma ma dimin diminuição ição das características das telhas.<br />

telhas<br />

45


Continuação… ç<br />

Ol O levantamento t t de d telhas t lh de d uma cobertura b t não ã é<br />

propriamente um defeito gerado pelo funcionamento do<br />

telhado telhado, mas sim por condições atmosféricas pouco po co<br />

comuns, ou por aplicação de uma geometria de telhado<br />

pouco aconselhável (inclinação acentuada e deficiente) deficiente).<br />

46


Multifuncionalidade da Cobertura Plana<br />

Ti Tipologias l i<br />

Acessibilidade limitada;<br />

Acessíveis à circulação e permanência de pessoas;<br />

Acessíveis à circulação ç e permanência p de veículos; ;<br />

Coberturas ajardinadas;<br />

Coberturas Coberturas de chapas metálica<br />

47


Continuação… ç<br />

48


Continuação… ç<br />

49


Bibliografia g<br />

GGonçalves, l J.(2007).Materiais J (2007) M t i i e processos construtivo. t ti<br />

Porto, CICCOPN<br />

50


Biografia g<br />

DDocente: t MMestre t João J ã GGuerra<br />

Alunas:<br />

Catarina Barros nº18900<br />

Cátia Oliveira nº18918<br />

51


FIM<br />

52<br />

Obrigada pela vossa atenção!!

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!