5 mil quelônios devolvidos ao rio

uruatapera.com

5 mil quelônios devolvidos ao rio

Ano XV Nº 144

ABRIL 2007

R$ 2,00

www.uruatapera.com

5 mil quelônios devolvidos ao rio

Projeto Pé de Pincha mostra que educação ambiental contagia comunidades do interior. Regional-5

Aprendendo a amar a natureza: criança participa da soltura de quelônios no lago Piraroacá, na comunidade Desengano, município de Terra Santa

INCLUSÃO

Escola abre

espaço para

os especiais

A meta é atender 90 crianças de

Terra Santa, além da alfabetização

de jovens e adultos - EJA.

Variedades - 8

EDUCAÇÃO

Professores

ganham um

salário maior

Em Oriximiná, a educação se

reflete nos vencimentos dos professores,

os maiores do Pará.

Serviço - 2

ALTERNATIVA

Tecnologia

gera renda

na floresta

A proposta é reproduzir na área

plantada a dinâmica de crescimento

das espécies nativas.

Atualidades - 7

Muito lixo retirado das águas

Crianças especiais ganham espaço na escola nova, com o que se promove a inclusão social

Comunitários transportam mudas e conciliam as espécies fl orestais

MEIO AMBIENTE

Mutirão limpa o

igarapé do Melgaço

A Prefeitura realiza há 2 anos educação

ambiental junto às comunidades.

Cidades - 3

MINERAÇÃO RIO DO NORTE/DIVULGAÇÃO

SAÚDE

Laboratório

é referência

regional

Agentes de saúde fazem visitas

diárias e entregam hipoclorito à

população oriximinaense.

Cidades- 3

ESCOLAS

Combate

à Evasão

Serviço -2

CURUÁ

Guerreiro quer

viabilizar ponte

Superposição da BR-163 com a PA-254 pode

ajudar no asfaltamento e construção da ponte

entre Óbidos e Alenquer. Regional - 5

Encomendadores de Almas em ação

TRADIÇÃO

Ritual se

mantém há

séculos

A Encomendação de Almas é

costume protuguês celebrado há

200 anos na região.

Política - 4

MINERAÇÃO RIO DO NORTE/DIVULGAÇÃO


2 ABRIL - 2007

Professores de Oriximiná ganham

os melhores salários do Pará

“Investir na educação

é a melhor forma de promover

o desenvolvimento

do município. Hoje os professores

de Oriximiná têm

o melhor salário do Estado,

aliado a cursos de formação

para a garantia da qualidade

de ensino. Isso se evidencia

com nossos alunos sendo

destaque nacionalmente”

afirma o prefeito Argemiro

Diniz, que acaba de

realizar mais um curso

Com a liberação da pesca

de dez espécies de peixes

nos rios e lagos do Oeste paraense,

a pesca artesanal recomeçou.

As espécies liberadas

Para chamar a atenção

da sociedade para a poluição

dos rios e igarapés da região,

a direção da Escola de Ensino

Fundamental Professor

Assunção realizou caminhada,

na manhã do último dia

24. Às 7 horas estudantes e

professores saíram de frente

da escola e percorreram as

ruas do centro da cidade. Ao

chegar à rua 24 de Dezembro,

alunos ergueram faixas e cartazes

apelando às pessoas para

que não poluam mais o rio

As turmas de educação

infantil este ano aumentaram

o número de alunos de modo

surpreendente em Oriximiná.

Há 14 unidades de atendimento

no município. Com

as novas regras do setor, não

existem mais creches ou casulos,

todas são denominadas

escolas de educação infantil.

Das 7 escolas municipais,

6 são conveniadas com

APMIO – Associação de

Proteção à Maternidade e

Infância de Oriximiná, to-

Diretora-Editora responsável

Franssinete Florenzano

Colaborador especial

Emanuel Nassar

Editoração eletrônica

Calazans

Fotolito e impressão

Rua Gaspar Viana, 778

Tel. 0xx91.32300777

www.uruatapera.com

uruatapera@uruatapera.com

Av. Independência, 1857

Oriximiná-PA. CEP 68270-000

Tel/Fax. 0xx91.32221440

CNPJ 23.060.825/0001-05

de Formação Continuada.

Promovido pela Secretaria

Municipal de Educação, o

curso, direcionado a professores

da zona urbana,

serviu para avaliar o processo

ensino-aprendizagem em

Oriximiná e traçar o planejamento

educacional a ser

executado em 2007, além

de oferecer subsídios para

a formação dos professores

e contribuir para melhorar

a qualidade de ensino no

são acari, tambaqui, curimatá,

jatuarana, pirapitinga, pacu,

fura-calça, aracu, branquinha

e mapará.

12 tipos de peixes ain-

Trombetas, fonte de vida da

população oriximinaense.

Para Edvaldo de Souza,

chefe do Ibama na região, a

atitude da direção da escola é

elogiável, porque num momento

em que a sociedade

mundial está preocupada com

o efeito estufa, aquecimento

global, é preciso que, de todas

as formas, a população

seja alertada para o quanto

isso tudo pode comprometer

a existência do homem na

Terra. “A Amazônia está sen-

talizando o atendimento de

2.272 crianças matriculadas.

Animado com os avanços, o

diretor de educação infantil

no município, Adélcio Corrêa

Júnior, prevê o que a demanda

aumente ainda mais, à medida

em que as famílias estão mais

conscientes de seu dever e da

importância da inserção de

suas crianças na escola.

Mas a Secretaria Municipal

de Educação está preocupada

com o índice considerado

altíssimo de evasão

TELEFONES ÚTEIS

Gabinete do Prefeito – (93) 3544 1319

PREFEITURA MUNICIPAL DE ORIXIMINÁ ÀS SUAS ORDENS

Secretaria Municipal de Educação – (93) 3544 1224

Secretaria Municipal de Bem-Estar e Assistência Social – (93) 3544 1169

Secretaria Municipal de Saúde – (93) 3544 1587

Argemiro: educação é a mais importante política pública

da continuam com a pesca

proibida, como, por exemplo,

acari e o tambaqui. Pela instrução

normativa nº. 43/2005,

a proibição da pesca, comer-

do destruída sem pudor pelo

homem, que joga lixo no rio,

portanto o que está acontecendo

hoje aqui é louvável,

haja vista que tudo que é feito

em defesa do meio ambiente

deve ser aceito”, disse.

O chefe do Ibama informou

que foi criada a UNI-

DA- União Integrada em

Defesa Ambiental, que busca

envolver principalmente as

autoridades de Oriximiná,

para que tomem consciência

de sua importância e respon-

escolar na educação infantil.

No ano passado, a evasão foi

na ordem de 20%, e a esperança

é de que fique entre 10

a 8 % em 2007. “É um enorme

desafio, mas nós estamos

nos esforçando muito”, diz

Adélcio.

Para mudar essa realidade,

a Prefeitura investe na

qualificação profissional e

em projetos específicos para

combater a evasão escolar na

educação infantil. “Fazemos

diagnósticos para saber quais

Secretaria Municipal de Infra-Estrutura – (93) 3544 1119

cialização e transporte desses

peixes que estavam em seu

período de reprodução iniciou

desde 15 de novembro

do ano passado. Pirarucu só

sabilidade em relação à proteção

do meio ambiente.

Para a diretora da Escola

Professor Assunção, Heldra

Carvalho, o objetivo é mobilizar

a sociedade e chamar

a atenção de todos na preservação

das águas. “O nosso

rio Trombetas está sendo

degradado a cada dia pela a

insensatez dos homens. Toda

a história de nossa cidade é vivida

através do rio Trombetas,

que precisa urgentemente ser

tratado, antes que desapare-

são as crianças e o porquê do

seu afastamento da escola.

Imediatamente os próprios

professores que atuam nessas

escolas em que há faltas injustificadas

e evasão fazem visitas

às famílias. É nesse momento

os professores incentivam

para que as crianças retornem

às salas de aulas, e os pais têm

atendido”, afirma Adélcio.

O corpo docente da

educação infantil municipal é

composto por 154 professores.

90% deles têm o ensino médio

município. Subdividido

em dois níveis, o curso

foi ministrado na Escola

Lameira Bitencourtt para

professores de 1ª a 4ª série,

e na Escola Santa Maria

Goretti para os professores

de 5ª a 8ª série.

De acordo com informações

da Secretária de

Educação, Iza Fernandes,

a Prefeitura de Oriximiná

investe hoje em Educação

38% do Produto Interno

Pescadores voltam à ativa mas ainda há restrições

poderá ser pescado a partir de

1º de junho.

Já é intenso o movimento

dos pescadores se

preparando para a pesca, de-

Estudantes fazem caminhada em defesa das águas

ça”, alertou a educadora.

Segundo Heldra, apesar

de haver pessoas que lutam

para a preservação de nossas

águas, ainda é necessário se

fazer o trabalho de conscientização.

“É dever de todos lutar

em prol desse objetivo. Se nós

não cuidarmos da água, isso

tudo pode acabar, inclusive

nossas vidas”, advertiu.

Heldra aproveitou a

oportunidade para esclarecer

que a caminhada é apenas uma

parte do ‘Projeto de Bem Com

completo em nível de magistério.

Cada escola tem uma

coordenação em permanente

contato com a diretoria, que

define a programação letiva,

os cursos de educação continuada

para os professores e o

acompanhamento administrativo

e técnico-pedagógico de

todas as escolas. Os técnicos

visitam cada estabelecimento

de ensino.

A educação infantil

também atua com bons resultados

no interior do mu-

Secretaria Municipal de Cultura – (93) 3544 2681

Secretaria Municipal de Turismo –(93) 3544 2072

Hospital - Maternidade São Domingos Sávio – (93) 3544 1371

Hospital Municipal – (93) 3544 1370

Defensoria Pública – (93) 3544 4000

Fórum – (93) 3544 1299

Polícia Civil – (93) 3544 1219

Bruto do município. “Esse

investimento coloca Oriximiná

com o status de uma

das melhores merendas

escolares do Brasil, além

de oferecer aos seus professores

o melhor salário

do Pará. Os estudantes também

se destacam obtendo

boas médias no Enem e nas

Olimpíadas de Matemática,

Astronomia e Astronáutica,

entre outros”, festeja a

educadora.

pois de 4 meses de proibição.

A expectativa geral é de que

este ano a safra e a venda de

pescados será melhor que a

do ano passado.

a Água’, que acontece na escola

no decorrer do ano. Nesse

projeto, há alunos que são

monitores e que orientam seus

colegas a não desperdiçar água

do bebedouro e não jogar lixo

fora dos lixeiros, por exemplo.

Há atividades específicas para

a questão ambiental, que serão

implementadas ao longo de

2007. Participaram da caminhada

o Corpo de Bombeiros,

o Grupo AIGA -Alunos

do Iracema Givone em Ação,

Ibama e imprensa.

Prefeitura combate à evasão escolar no ensino infantil

A V Semana de Combate

ao Câncer foi trabalhada

de modo a esclarecer a população

de Oriximiná quanto

aos cuidados para evitar a doença.

A secretária de saúde,

Wagna Lúcia, desenvolveu

atividades nas unidades de

saúde referentes à prevenção

do câncer. Segundo a

enfermeira Regina Selma

Guerreiro, é de responsabi-

lidade dos enfermeiros a coordenação

dessas unidades,

juntamente com os agentes

de saúde. Durante toda a

semana houve programação

alusiva. A Secretaria de

Saúde também aumentou a

coleta de preventivos, destaca

Regina Selma.

A enfermeira ressalta

que essas atividades já são

rotineiras nas unidades de

saúde de Oriximiná e que a

secretaria está apenas intensificando,

durante a campanha

educativa.

Lembrando que o câncer

é a segunda maior causa

de morte no Estado, no

Brasil e no mundo, Regina

Selma explica que o exame

preventivo é indolor, rápido

e não deixa nenhum tipo

de trauma, possibilitando a

SERVIÇO

Intensificadas ações de prevenção ao câncer

oportunidade de descobrir

a doença antes que ela se

instale.

A secretaria tem à disposição

da população três

ginecologistas e também os

clínicos que atendem essas

pessoas com os resultados

obtidos nos exames. Todos

os resultados alterados são

analisados pelos médicos; em

seguida, são encaminhados à

secretaria para exames especializados

como colposcopia,

biópsia e outros que estão

disponíveis para garantir o

tratamento.

Regina Selma Guerreiro,

depois de trabalhar já

algum tempo no Posto de

Saúde Dr. Lauro, assumiu

recentemente a Diretoria

da Atenção Básica, que está

voltada para reorganizar as

nicípio, onde há em torno de

40 classes infantis, nas escolas

pólos e diversas localidades,

sem contar as escolas multisseriadas,

onde a demanda de

crianças de 5 e 6 anos é muito

grande. A meta é de atender

este ano 3.100 crianças, nas

zonas rural e urbana. O Programa

Bolsa Família, que

exige que a criança estude,

ajuda. Em contrapartida, um

dos fatores prejudiciais é a

mudança de bairros ou do

município.

ações Básicas de saúde do

município. A meta é melhorar

serviços e ampliar o

acesso da população, para

que a secretaria de Saúde

preste realmente serviços de

melhor qualidade. Seu raio

de ação inclui as demandas

nos postos de saúde, os

programas de PACS e PSF,

vigilância e saúde e vigilância

sanitária.


Mutirão para limpar o

Igarapé do Melgaço

Cerca de setenta sacos

de lixo foram retirados do

leito do igarapé do Melgaço

por servidores da Prefeitura

Municipal de Oriximiná,

auxiliados pelos moradores

dos bairros Nossa Senhora

Perpétuo Socorro e Cidade

Nova, que não mediram esforços

para realizar o trabalho.

O mutirão foi coordenado

pela Secretaria de Turismo e

Meio Ambiente.

Há dois anos a Prefeitura

trabalha mutirões com

as comunidades, para ensinar

a importância da limpeza pública

e suas conseqüências ambientais

e na saúde pública. O

primeiro bairro que recebeu

esse tipo de trabalho foi o São

José Operário. “Hoje estamos

realizando esse trabalho em

Há oito anos com campus

avançado no município, a

Universidade Federal Fluminense

pretende ampliar suas

ações em Oriximiná, atuando

em várias áreas, em convênio

com a Prefeitura.

O reitor da UFF, Roberto

Sales, diz que vai procurar a

governadora Ana Júlia e pedir

ajuda para manter e ampliar

as atividades da Universidade

em Oriximiná. “Eu assegurei

ao prefeito Argemiro Diniz

que nosso interesse é técnico,

A Prefeitura Municipal

de Oriximiná, através da Secretaria

de Meio Ambiente e

Turismo, desenvolve o Projeto

Coleta Seletiva do Lixo,

uma iniciativa ambiciosa que

trabalha todas as facetas do

lixo, envolvendo educação,

saúde e preservação ambiental.

Durante o processo de

tratamento, é feita a separação

dos resíduos sólidos pela população.

O material reciclável

(papéis, vidros, plásticos,

metais e outros) é recuperado

e o restante do lixo orgânico

vai para a usina de compostagem,

onde é transformado

em adubo.

Segundo o prefeito

Argemiro Diniz, o projeto

prevê em sua primeira fase

a capacitação dos moradores

Cem agentes de saúde

visitam diariamente as residências,

nas áreas urbana e

rural de Oriximiná, e fazem

a distribuição de hipoclorito

à população. A substância é

produzida pelo Laboratório

de Controle de Qualidade de

Água, fundado em maio de

2003, no âmbito da Secretaria

de Saúde. O município é um

dos poucos que cumpre o

Programa Pactuado Integrado

– Epidemiologia e Controle

de Doenças no Estado do

Pará.

O preço do hipoclorito

custa em torno de um real e

cinqüenta, enquanto que o

produzido no laboratório de

Oriximiná sai por menos de

um centavo o frasco com 50

ml. A embalagem é reciclada

pelo laboratório, dentro de

rigoroso padrão de quali-

parceria com as escolas de

ensino fundamental para que

se tenham os dois paralelos

em ação”, explica o prefeito

Argemiro Diniz.

Nos próximos meses

serão realizadas oficinas e as

escolas receberão material didático,

inclusive uma cartilha

intitulada ‘Lixo: este problema

tem solução’, produzida pela

Prefeitura.

Sobre a despoluição no

Igarapé do Melgaço, a secretária

Fátima Guerreiro Prestes

disse que os moradores que

residem próximo ao local é

que solicitaram a operação.

“Fizemos uma ação em parceria

com a comunidade,

a Prefeitura cedeu todo o

material e conseguimos com

a iniciativa privada o suporte

queremos ajudar a população

de Oriximiná”, enfatiza.

Roberto Sales planeja,

para maio, a chegada ao município

de várias equipes da

UFF, integradas por médicos

residenciais, enfermagem e

técnicos de meio ambiente

e também em saneamento

básico. E conta com o apoio

da Prefeitura.

A UFF é uma das cinco

maiores universidades do

País. Roberto Salles também

conversou com o prefeito Ar-

dos bairros, e se efetiva nas

14 Escolas de Ensino Fundamental

da cidade, assim

como em quatro grandes

comunidades pólos da zona

rural: comunidade do Lago

do Salgado, comunidade do

Curupira, comunidade do

Rapa-Pau e comunidade do

Ajarazal e suas respectivas

escolas. Para isso, a Prefeitura

conta com o apoio dos servidores

da Secretaria de Meio

Ambiente e Turismo, uma

equipe técnica e de professoras

pedagogas, remanejadas

da Secretaria Municipal de

Educação.

Para a Secretária Fátima

Guerreiro Prestes, é um

megaprojeto de alto custo e

representa um desafio para

a administração municipal

dade, exigido pelo prefeito

Argemiro Diniz. Ele destaca a

importância da devolução dos

frascos para o reaproveitamento:

“Os cidadãos se beneficiam

duplamente - o hipoclorito é

manipulado constantemente

pelo laboratório e a poluição

do meio ambiente é controlada”,

justifica.

A reciclagem dos frascos

é de qualidade e Stela

destaca o apoio que recebe

do Prefeito, que sempre preza

a qualidade do material. As

equipes de profissionais de

saúde monitoram e cadastram

os sistemas de abastecimento

da Cosanpa, o micro-sistema

implantado pela prefeitura na

zona rural, além do sistema de

abastecimento alternativo na

zona rural. Também fazem

coleta e análise de pontos

extras, além das coletas so-

necessário para que obtivéssemos

êxito nessa empreitada

difícil”, destacou.

Outro fator positivo, segundo

a secretária, foi o interesse

da população para que a

ação de sucesso como a que foi

feita acontecesse na cabeceira

do Melgaço que, devido ao

avanço urbano, estava sendo

destruído. “Esperamos que,

depois desse trabalho, os moradores

de Oriximiná tenham

mais responsabilidade com o

lixo, é importante que se saiba

que lixo tem solução”.

A técnico-pedagoga Benedita

Lobato esclareceu que

a ação foi de muita responsabilidade,

principalmente da

população que esteve presente,

e que essa contribuição da

população tende a aumentar.

gemiro Diniz sobre a importância

estratégica do crédito

de carbono - retirada do gás

carbônico na atmosfera, em

troca de recursos financeiros

em Euros. Ele informou que

o grupo que a UFF dispõe de

profissionais na área ambiental

pode ajudar a desenvolver esse

projeto.

A idéia é discutir sobre o

lixo, os resíduos da Mineração

Rio do Norte, quanto tempo

a empresa vai ficar e os planos

da mineradora para depois que

Coleta seletiva de lixo envolve escolas

e para a própria população,

que tem a oportunidade de

trabalhar uma nova idéia. “É

um investimento do prefeito

Argemiro Diniz no Meio

Ambiente e na qualidade de

vida. Com o devido trabalho

também da reciclagem, não

cabe, portanto, uma avaliação

baseada unicamente

na equação financeira dos

gastos da Prefeitura com o

lixo, que despreze futuros

ganhos ambientais, sociais,

econômicos e políticos”,

realça Fátima, enfatizando

que a intenção não é gerar

recursos, mas reduzir o

volume do lixo. “Sua principal

vantagem é estimular a

consciência ambiental, que

promove ainda o surgimento

da educação da população

licitadas pelos diversos órgãos,

como Ibama. Já foram

realizadas pelo laboratório,

inclusive, análises de água

nos municípios de Óbidos,

Santarém e Juruti.

Em Oriximiná, a equipe

controla as águas de entrada,

chamadas de água bruta,

que chegam até a estação

da Cosanpa, e são tratadas,

para o consumo pela população.

“Seguimos o padrão da

Portaria 518, que nos dá os

parâmetros mínimos da água

com qualidade”, salienta a

coordenadora.

Sobre a necessidade do

hipoclorito manipulado no

próprio laboratório, a diretora

esclarece que “na realidade

a água que chega até às residências

deveria estar tratada,

haja vista que temos a água de

micro-sistema, a água de po-

CIDADES

Para Benedita, existe uma

grande perspectiva em relação

a esse projeto. “Para que

houvesse esse mutirão foram

realizados vários encontros

com moradores que residem

próximos da área afetada,

quando esclarecemos que o

Igarapé do Melgaço está sendo

poluído constantemente

por moradores dos próprios

bairros”, alertou.

Waldirene Almeida,

também técnico-pedagoga,

enfatizou que espera depois

desse mutirão que os próprios

moradores tomem atitudes e

não fiquem esperando ações

da Prefeitura. “Estamos conscientizando

as pessoas para

que se reeduquem e preservem

o meio em que vivemos”,

declarou.

Universidade Fluminense quer

ampliar atuação em Oriximiná

a lavra de bauxita acabar. “O

município tem que planejar

o que vai fazer depois que

esse minério acabar, alguém

precisa pensar nisso”, disse o

reitor, completando que “é

aí que nós entramos, a Universidade

é que tem gabarito

pra isso”. A própria UFF vai

bancar o salário dos estagiários

que a universidade enviará a

Oriximiná, são bolsistas e não

trarão ônus à Prefeitura, a não

ser que façam plantão médico

no hospital do município.

em relação à manutenção da

limpeza dos espaços públicos

da cidade e do interior”,

comemora.

A primeira etapa do projeto

começou com a capacitação

das lideranças das associações

de bairros, que adquirem

as primeiras informações,

conhecimentos e habilidades

sobre o tratamento do lixo,

com o objetivo de atuar posteriormente

como agentes

ambientais nos bairros.

O projeto é uma iniciativa

da Prefeitura Municipal

como estratégia para o desenvolvimento

da educação

ambiental, conta com a participação

da coletividade e tem

apoio especial da Mineração

Rio do Norte, da Sectam e do

Ibama de Porto Trombetas.

Laboratório de hipoclorito é referência regional

ços artesianos, etc, então para

o tratamento dela é necessária

a inserção de hipoclorito a

2,5%”, enfatiza, revelando

que, além da manipulação, o

laboratório também envaza,

rotula e entrega o hipoclorito

à população, dentro das boas

práticas de manipulação. O

equipamento foi cedido pela

Funasa.

A diretora faz um apelo

para que as pessoas que utilizam

o hipoclorito devolvam

os frascos, que são comprados

pela Prefeitura, através

da Secretaria de Saúde. Stela

enfatiza que tratar água é um

trabalho demorado, porém se

não tratá-la as conseqüências

são maiores e mais caras do

que um frasco de hipoclorito.

“Vale ressaltar que a prevenção

ainda é muito mais cômoda do

que remediar”, finaliza.

informes

P

residida por Júnior Ferrari e integrada

por Alexandre Von, Carlos Martins, Antônio

Rocha e Junior Hage, a Comissão

de Representação de Deputados para análise sobre

o terminal graneleiro da Cargill foi a Santarém

conversar com representantes da Cargill, Ministério

Público Federal, Justiça Federal, Prefeitura, Câmara

Municipal, sindicatos de trabalhadores e produtores

rurais e Ibama. Em todos os órgãos visitados foram

protocolados ofícios solicitando posicionamento sobre

o assunto. Nesta semana, em Belém, a Comissão

reúne com representante da Companhia Docas do

Pará e analisa as respostas obtidas. O clima é favorável

à elaboração da EIA-Rima e normalização do

funcionamento do terminal.

Garcinha Chupa-Osso

Este ano os obidenses que residem em Belém vão

apresentar o cordão folclórico A Garcinha. A idéia é

divulgar e mobilizar a colônia chupa-osso para um

encontro cultural no mês de junho. Coordenando

o cordão, Eduardo Dias, Ary Ferreira e Eládio

Canto, que já têm o local de ensaio, na casa do

José Raimundo Canto. Contatos: indiocurumu@

hotmail.com .

Peixe apreendido

Cerca de 30 toneladas de peixe foram apreendidas

no oeste do Pará. Seis embarcações pescavam irregularmente

no Lago Grande de Curuai, que fica

no braço direto do rio Amazonas, entre Santarém,

Óbidos e Juruti.

Inscrições abertas

O 7º Festival da Canção será realizado nos dias 09

e 10 de agosto de 2007. As 12 músicas finalistas

serão incluídas no DVD e no CD gravados ao vivo

durante o festival. A premiação inclui ainda troféus

e dinheiro para os 3 primeiros colocados e na

categoria Aclamação Popular, além de troféus para

as categorias Melhor Letra, Melhor Intérprete e

Melhor Arranjo. Inscrições, pessoalmente ou pelos

Correios, até 31 de maio de 2007. O endereço: rua

Rio Tapajós, s/nº – Porto Trombetas – Oriximiná

– PA - CEP 68275-000 - Fone: (93) 3549-7598 e

3549-7767 – Fax: (93) 3549-1494. Regulamento

completo no site www.festivaisdobrasil.com.br/

fecan.trombetas .

Chance profissional

O Programa Jovem Aprendiz, parceria da MRN e

SENAI, atende 41 alunos matriculados para o período

de 2007/2008, nos cursos de Mecânica Geral,

Mecânica de Automóveis e Marcenaria/ Carpintaria.

Os estudantes com melhor desempenho serão

selecionados para estagiar na Mineração Rio do

Norte, em Porto Trombetas. Todos os participantes

do Programa receberão bolsa conforme legislação,

além de participarem do Plano de Assistência

Médica da MRN. Os selecionados contarão também

com passagem de ida e volta para Santarém,

alojamento, lavanderia e alimentação durante o

tempo de duração do estágio. Wilson Florenzano

Calderaro, diretor do Centro de Formação Profissional

do SENAI de Santarém, destaca que o curso

é uma oportunidade para os jovens. Dá o primeiro

empurrão para iniciar uma carreira.

Fora da aula

A Escola Raimundo de Sousa Coelho, em Juruti,

está com 800 alunos e tem só 4 salas de aula. Para

atender a demanda, funciona em quatro turnos

- matutino, intermediário, vespertino e noturno.

Este ano quase 400 novos alunos, de fora do

município, efetuaram matrícula na rede pública.

Todos filhos de trabalhadores da Alcoa. Na escola

Zelinda Guimarães, para amenizar o problema

foram improvisadas salas de aula no refeitório e

até no barracão. A maior demanda é do projeto

de Educação de Jovens e Adultos (EJA), pessoas

que pararam de estudar e agora querem concluir

o ensino médio.

Inclusão digital

ABRIL - 2007 3

Uma parceria de R$ 15 milhões entre a Eletronorte

e Governo do Estado vai permitir o acesso on-line

em alta velocidade a municípios do interior paraense.

Na primeira fase, a empresa compartilhará

sua capacidade de transmissão de dados e, num

segundo momento, o governo estadual ampliará

a capacidade de transmissão ao longo do tronco

principal de propriedade da Eletronorte, com a

aquisição de equipamentos para acesso à rede. O

governo negocia a ligação de antenas nas escolas

e o lançamento de sinais de rádio para iniciar o

processo de inclusão digital. Serão instalados telecentros,

infocentros, cyber cafés comunitários, TVs

e rádios comunitárias sobre a estrutura da rede da

Eletronorte. A meta é de que em quatro anos todos

os 143 municípios paraenses estejam integrados.


4 ABRIL - 2007

Argemiro incentiva Escola de Música

Mais de duzentos alunos,

divididos em sete turmas,

estão matriculados para

estudar música em Oriximiná.

A Escola de Música

integra as ações do Plano

Plurianual da Secretaria de

Cultura, Desporto e Lazer,

que está sendo implantado

pelo prefeito Argemiro Diniz.

Seis dos alunos são bolsistas,

o que reflete os avanços, já

que no ano passado apenas

um aluno era atendido com

bolsa de estudos.

As aulas são ministradas

de segunda a sexta, nos turnos

matutino e vespertino.

Os monitores e os bolsistas

são todos componentes da

Banda de Música da Casa da

A Pastoral da Juventude

mobilizou milhares de pessoas

para assistir ao espetáculo

‘Paixão, Morte e Ressureição

de Cristo’, encenado pelas

ruas de Oriximiná, por sessenta

atores amadores, na

Quinta-feira Santa.

O evento, que faz parte

do calendário cultural anual

do município, contou com a

participação ativa de catorze

grupos de jovens de todos

os bairros de Oriximiná, que

se empenharam durante três

Na ausência do prefeito

Argemiro Diniz, que estava

viajando, o vice-prefeito Roberto

Souza, que estava em

exercício, recebeu cerca de

oitocentos comunitários para

debater os problemas enfrentados

em suas localidades.

Representantes da Pastoral

da Terra pediram apoio

A prefeitura de Oriximiná

iniciou o asfaltamento

da PA-439, que vai até o

aeroporto da cidade. As

obras estão sendo realizadas

com recursos próprios do

município. “Com os 4.400

Km de asfalto que nós já

executamos Oriximiná ganha

desenvolvimento em

infra-estrutura e os moradores

dos ramais no entorno da

rodovia ganham qualidade

de vida, pois terão melho-

Cultura, que é integrada por

vinte e três membros.

A secretária de Cultura,

Desportos e Lazer, Hilda

Viana, conta que as turmas

são dividas em Básico I, Básico

II, Avançado e Avançado

II, e que uma das maiores

preocupações da secretaria é

diminuir o grande número de

desistência que vinha acontecendo

nos últimos anos.

“Este ano eu vou acompanhar

de perto o desempenho na

escola, para que não haja

displicência dos professores

e principalmente dos alunos”,

diz Hilda Viana.

O prefeito Argemiro

Diniz deslanchou o cronograma

cultural de 2007 em

meses em ensaios, para que

tudo saísse perfeito.

O coordenador da Pastoral

da Juventude, Alexandre

Pantoja, considera que o

resultado é muito gratificante

para todos os envolvidos no

espetáculo. “Representar o

sofrimento que Jesus Cristo

passou representa um alívio

para nós, que levamos uma

mensagem de paz à população.

É muito bom para a cultura do

nosso município e para o grupo

como um todo”, enfatiza.

Lideranças comunitárias reivindicam e são atendidas

logístico da Prefeitura para a

desapropriação de terras improdutivas

a serem repassadas

a várias famílias que não têm

onde morar. Outra reivindicação

foi de moradores da

invasão do Penta, que pedem

a legalização urgente do terreno,

que só assim ganhará

luz elétrica, água encanada,

res condições de escoar

sua produção”, ressalta o

prefeito Argemiro Diniz,

informando que as obras

estão avançando dentro do

cronograma previsto. Homens

e máquinas trabalham

em sintonia para garantir a

conclusão dos serviços dentro

do prazo de, no máximo

30 dias, diz o secretário municipal

de Infra-Estrutura,

Francisco Florenzano.

O asfaltamento da PA-

Argemiro Diniz e Roberto Souza: prioridade para a educação cidadã dá bons resultados

4 horas de encenação da Paixão de Cristo em Oriximiná

Durante quatro horas,

mais de duas mil pessoas

acompanharam a montagem

da peça, percorrendo as

ruas da cidade. A cada passo,

a emoção tomava conta

da multidão, que lembrava

o percurso feito por Jesus

Cristo, em Jerusalém, numa

impressionante manifestação

de fé católica.

A encenação começou

ainda na capela de Santa

Luzia, quando Pôncio Pilatos,

então governador da

escolas e um posto de saúde.

O Prefeito interino, acompanhado

dos vereadores Toninho

Picanço e Neto Andrade,

se prontificou a atender todas

as lideranças que foram até a

prefeitura para negociar.

Venilson Taveira, presidente

do Cefetban – Centro

de Estudos e Pesquisas

Judéia, representado pelo

ator Silas da Silva, entregou

Jesus aos soldados romanos.

Em seguida, os atores saíram

pelas ruas da cidade, seguidos

pela multidão de populares,

que aumentava em cada rua

percorrida.

A cada estação, o ator

Madson Gomes, que há sete

anos trabalha no espetáculo e

pela primeira vez representou

Jesus, arrebatava a assistência,

com sua forte interpretação,

comovendo principalmente

dos Trabalhadores do Baixo-

Amazonas, que participou da

reunião, disse estar satisfeito e

que todas as decisões tomadas

estavam dentro do esperado.

“Fomos recebidos pelo Dr.

Roberto, as pautas que discutimos

foram atendidas e

um dos pontos principais que

discutimos foi a reativação

as pessoas mais idosas.

Após quase quatro horas

de caminhada, o espetáculo

chegou à Capela de

São Francisco, no conjunto

habitacional Casas Populares.

A cena de crucificação de Jesus

Cristo fez com que toda

a assistência fosse tomada de

forte emoção. Muitas pessoas

choravam copiosamente.

O jovem ator Madson

Gomes também ficou

muito emocionado, vivendo

com autenticidade o papel

do Conselho de Desenvolvimento

Sustentável, e já ficou

marcada a primeira reunião

para o dia 19 de abril. A

intenção é fazer com o que

conselho possa realmente

funcionar, nossa avaliação é

altamente positiva”, elogiou.

Outra liderança que

participou da mesa de ne-

Prefeitura está asfaltando a estrada estadual

Oriximiná com a realização

do Orixifolia. A Escola de

Música veio na seqüência.

Depois da Semana Santa

Cultural, com o ritual da

Encomendação de Almas e a

encenação da Paixão de Cristo,

virá a Mostra de Teatro e

o Festival da Castanha em junho,

enfatiza Antônio Lima,

chefe de Divisão Técnica da

Secretaria.

O prefeito Argemiro

Diniz fez um apelo especial

aos pais dos alunos, no

sentido de que colaborem

com a iniciativa da Prefeitura

Municipal, acompanhando e

incentivando seus filhos e não

permitindo que eles desistam

das aulas.

Banda de música municipal traça diretrizes para 2007

A secretária de Cultura,

Desportos e Lazer, Hilda Viana,

reuniu os integrantes da

Banda de Música Municipal

de Oriximiná para traçar as

metas para este ano. A idéia

é estreitar os laços de afinidade

do grupo e, com isso,

aproximar mais a Banda e

Empenhados em preservar

uma tradição tão marcante

quanto o Círio fluvial

noturno, os oriximinaenses

mais uma vez celebraram o

ritual da Encomendação de

Almas, durante a Semana

Santa. A população tem consciência

do valor histórico e

turístico da manifestação, e

a idéia é reforçar esse evento

no calendário cultural do

município.

os professores, explica Hilda

Viana.

A Prefeitura está contratando

professores de Santarém

para ministrar cursos

aos músicos da Banda, sobre

leitura de partitura e a limpeza

de instrumentos. “Esses

cursos são muito importan-

Os encomendadores de

almas são homens amortalhados

de branco que cantam

tarde da noite, com o acompanhamento

de matracas, de

casa em casa, orações aos santos

e às almas do purgatório. A

cerimônia de ‘encomendação

das almas’ é um costume de

origem européia medieval

muito comum em diversas

zonas rurais do Brasil no séc.

XIX. As cerimônias se realiza-

tes para os componentes. É

muito importante a reciclagem

da Banda”, explica a

secretária.

Sobre os bolsistas, Hilda

Viana deixou claro que

só será beneficiado quem

realmente estiver interessado.

Será feita uma avaliação pelas

pessoas que vão ministrar o

curso, dando oportunidade

para o aluno que sobressair,

enfatizou.

Hilda disse que este

ano fiscalizará pessoalmente

todas as ações, tanto da

Banda quanto da Escola

de Música e que a meta

Enquanto o dinheiro estadual não vem, Argemiro adianta o serviço

é reduzir a evasão. A secretária

declarou que os

erros do passado não serão

repetidos, que sua intenção

é proporcionar nova roupagem

à Banda de Música,

e que está à disposição de

qualquer aluno ou componente

para prestar esclare-

439 é a realização de um

antigo sonho dos oriximinaenses.

O Governo do

Estado já havia prometido

mandar recursos para a realização

da obra, mas até hoje

não chegou. Para atender a

necessidade da população

que trafega dia e noite nesse

perímetro, a Prefeitura

de Oriximiná liberou os

recursos para a conclusão

do trecho.“O asfaltamento

é mais um compromisso

cimentos. “Nós queremos

que vocês sejam grandes

profissionais”, disse Hilda

Viana, destacando, ainda,

o desempenho de Elis, exaluna

da Banda que passou

na Universidade Estadual

do Pará e que agora fará

parte da Banda.

de Jesus Cristo. Ele pregou a

necessidade de buscar a paz e

a verdadeira felicidade através

da fé. Madson aproveitou

para aconselhar os jovens

para que não se envolvam

com drogas, e sugeriu que

façam teatro, que considera,

além de terapia, uma eterna

aprendizagem, e afasta todos

dos vícios.

O grupo Pastoral da

Juventude se apresentou também

à noite do dia 06, no

Cliper Santo Antônio.

gociações foi Irmã Fátima,

coordenadora da Pastoral Social.

Ela também considerou

as discussões positivas. Foram

debatidas as necessidades,

tanto pelo lado governo

como do lado de quem fez as

reivindicações. Irmã Fátima

disse que tudo isso faz parte

da democracia.

cumprido pela Prefeitura,

que traz o melhoramento

no tráfego na PA-439. É um

sonho que se realiza” festejou

Argemiro Diniz.

Os oriximinaenses

também vão receber da

Prefeitura Municipal nos

próximos dias duas importantes

obras, a construção

do Terminal Hidroviário e o

asfaltamento da rodovia até

o aeroporto, melhorando em

muito o acesso à cidade.

Ritual da Encomendação de Almas é atração turística

vam nas sextas-feiras durante

a Quaresma ou durante o

mês de novembro, quando

POLÍTICA

Passados de pai para fi lho, os cânticos e rezas amedrontam

um grupo composto só de

homens cobertos de branco

rezava e cantava pelas ruas de-

sertas depois da meia-noite.

Os rezadores percorrem

as ruas da cidade e param

em frente às residências para

orar pelos mortos. Os moradores

não abrem as portas

durante a reza, porque senão

“enxergarão as almas dos

mortos, e receiam vê-las”.

Com as cantigas para as almas

realizam a “recomenda” ou

“encomenda”.

As orações são declama-

das musicalmente em coro,

no cemitério e em frente às

casas com mortos recentes.

A Encomendação é uma antiga

devoção quaresmal de

Portugal. “Encomendar”,

“lembrar”, “apregoar” as almas

ou “cantar às almas” era

uma tradição religiosa macabra.

Altas horas da noite, os

encomendadores, com xales

nas cabeças, cantavam num

tom cavo e lúgubre.


Cerca de 5 mil quelônios

foram devolvidos aos

rios pelo Projeto Pé-de-Pincha,

em cinco comunidades

ribeirinhas - Desengano,

Conceição, Aliança, Tucunaré

e Pintado – do município de

Terra Santa. Os moradores

atuam como voluntários e

crianças de 1ª à 4ª série ganham

bolsas de estudos no

valor de R$ 80,00.

“As crianças são filhos

de voluntários que participam

do Projeto e a bolsa é um

incentivo do Projeto Jovem

Cientista, do Fundo de Amparo

à Pesquisa do Amazonas”,

explica Paulo César Andrade,

coordenador do projeto e

professor da Faculdade de Ciências

Agrárias da UFAM. “As

escolas são grandes parceiras

na preservação das espécies

ameaçadas de extinção”.

O Pé-de-Pincha conta

com o apoio da Mineração

Rio do Norte, do Projeto

Pró -Várzea e das Prefeituras.

Pincha, na região, significa

REGIONAL

Guerreiro aponta fonte de recursos

para a ponte sobre o rio Curuá

O deputado Gabriel

Guerreiro, líder do PV na

Assembléia Legislativa, está

empenhado em obter recursos

para a recuperação da rodovia

PA-254 e construção da ponte

sobre o rio Curuá, ligando

Alenquer a Óbidos. A ponte

é uma das principais reivindicações

dos municípios da

Calha Norte, e há anos vem

sendo prometida. Guerreiro

despachou com o secretário

executivo de Transportes, Valdir

Ganzer, mostrou um mapa

da área, explicou a importância

da obra e apontou caminhos

para a viabilidade do projeto.

Como a PA-254, que

integra os municípios localizados

na margem esquerda do

rio Amazonas, se superpõe à

BR-163 (Santarém-Cuiabá),

no trecho que vai do acesso

a Alenquer até a estrada

do BEC, entre Oriximiná e

Gabriel Guerreiro mostrou a Ganzer a viabilidade e importância da PA-254 e da ponte do Curuá

5 mil quelônios devolvidos aos rios em Terra Santa

MINERAÇÃO RIO DO NORTE/DIVULGAÇÃO

Estudantes na soltura de quelônios no lago Piraroacá

OZÉAS SANTOS - ALEPA

Óbidos, Gabriel Guerreiro

sugeriu a Ganzer a solicitação

de recursos federais, que

podem ser inclusive do PAC

– Programa de Aceleração do

Desenvolvimento.

O deputado também

convidou Ganzer a percorrer

a região oeste do Pará, a fim

de constatar a necessidade de

atendimento de vários pleitos

na área de transportes como,

por exemplo, a construção de

terminais hidroviários adequados

a passageiros e cargas

e a pavimentação das estradas

intermunicipais.

O secretário de Transportes

gostou da iniciativa de

Gabriel Guerreiro. “Assim

fica mais fácil trabalhar. O

deputado veio me trazer a

solicitação e já me apontou

o ‘caminho das pedras’ para

conseguir o dinheiro necessário”,

elogiou Ganzer.

tampinha de garrafa. A analogia

se deve à semelhança

das pegadas deixadas por

estes quelônios na areia com

a marca da tampa das garrafas

de refrigerante. “Ações como

essa demonstram o quanto

os voluntários gostam da sua

terra e estão conscientes de

que o caminho para preservar

o meio-ambiente é o trabalho

em parceria”, afirma José

Haroldo de Paula, assessor

de relações comunitárias da

MRN. Todos os voluntários

ABRIL - 2007 5

Gabriel Guerreiro esclareceu

que a pavimentação

da PA-254 e a construção

da ponte sobre o rio Curuá

são estratégicas para o desenvolvimento

de todos os

municípios da Calha Norte.

“É um sonho e também uma

luta muito grande da nossa

região.

É preciso pensar em

soluções práticas a fim de que

essas obras finalmente sejam

concretizadas e os municípios

localizados na margem

esquerda do rio Amazonas

tenham a oportunidade de

cumprir sua vocação. O traçado

da Santarém-Cuiabá coincide

com o da PA-254 e não

há por que o governo federal

deixar de nos atender. Tenho

confiança de que, juntando

esforços, podemos fazer desse

sonho a realidade”, enfatizou

o parlamentar.

recebem treinamento para

fazer o manejo dos ovos e

criar os filhotes de tracajás,

tartarugas, pitiús, peremas

e calalumãs. Os filhotes são

soltos com 3 meses de vida,

quando já estão fortes o suficiente

para sobreviverem

sozinhos. Desde a captura

dos ovos até a soltura, o processo

leva 6 meses. “No seu

habitat natural, apenas 1%

dos filhotes sobrevive. Com

o projeto, esse número sobe

para 20%,


6 ABRIL - 2007

O município de Juruti

comemora no dia 9 de abril

124 anos de fundação. Para

marcar o aniversário, uma

extensa programação foi

montada, encerrando com

festa popular no Tribódromo.

A origem do município

remonta a uma aldeia dos

“- Eu era aluna do Colégio

Santo Antônio, onde

estudei no período de 1942

a 1949/50. Foi nesta época

que ouvi uma interessante

história que vou lhe contar

pelo interesse que tem

e porque escreve sobre este

assunto de aparições, visagens

e assombrações.”

Quem assim falava era

a senhora Maria de Nazaré

Boulhosa Nassar, esposa do

amigo jornalista, escritor e

membro da Academia Paraense

de Letras, Rafael Costa.

D.Nazaré nasceu em

Belém, mas era filha de fazendeiros

no Município de

Cachoeira do Arari, no Marajó,

onde sempre passava

as férias. De pais religiosos,

muito católicos, na idade escolar

foi estudar no Colégio

Santo Antônio, das Irmãs Dorotéias,

Ordem fundada pela

Irmã Paula Francineti, e que

fica localizado na Praça Dom

Macedo Costa, 521, em Belém.

Mas deixemos D. Nazaré

contar a história que ouviu na

década de quarenta.

“- Naquele tempo tudo

era muito diferente. Os meios

de transportes do Sul para

o Norte e vice-versa eram

apenas por via marítima ou

aérea. Não havia estradas, nem

se falava em Belém-Brasília.

Aliás, Brasília nem existia.

Então qualquer encomenda

comercial utilizava o frete

marítimo, até porque o frete

aéreo era caríssimo. Era costume

as irmãs encomendarem

os tecidos de São Paulo para a

confecção de hábitos das reli-

ascida em 1874, minha

Navó paterna tinha 25

anos no ano em que o padre

João Braz faleceu. Na realidade,

os únicos fatos seguros da

incerta biografia desse sacerdote

é que ele foi o primeiro

vigário de Juruti e que faleceu

em 1899. Minha avó sequer

chegou a conhecê-lo pessoalmente,

considerando que, na

época, ele já havia sido banido

para sempre da cidade. Ao longo

do tempo, muitas histórias

e boatos foram se espalhando

sobre ele pelo Baixo-Amazonas,

sendo a mais marcante

e talvez a mais comentada, a

história que minha avó não

cansava de repetir na velhice:

que esse frade foi expulso de

Juruti por seu envolvimento

amoroso com diversas jovens

da paróquia, tendo deixado alguns

descendentes por lá. Por

causa das peraltices do cura,

a população teria se rebelado

contra ele e, para o bem da

moral e dos bons costumes,

achou por dever expulsá-lo da

comunidade.

Em seguida, ao que se

conta, cheio de indignação ao

se ver escorraçado impiedosamente

por seu rebanho, e num

gesto de extremo desencanto,

ele raspou das sandálias franciscanas

qualquer resquício de

solo jurutiense, amaldiçoando

o lugar e seus habitantes por

um período de cem anos.

Histórias reais ou lendas

sobre padres que amaldiçoaram

cidades não chegam a ser

tão incomuns na Amazônia.

índios Mundurucus que,

em 1818, ficou sob a direção

de um missionário, com

poderes paroquiais. Com

a construção de uma igreja

pelos índios, foi logo transformada

em Freguesia, sob a

proteção de Nossa Senhora

da Saúde. Pela Lei nº 930,

WALCYR MONTEIRO

walcyr@supridados.com.br

giosas e uniformes das alunas,

porque o preço em Belém era

muito caro.

A história foi contada

para mim e minhas colegas

por uma irmã Dorotéia, de

quem não lembro o nome.

Ela disse que, em certa

ocasião, na década de trinta,

a direção do estabelecimento

fez uma encomenda que,

conforme já dito, vinha por

transporte marítimo, e nada

da encomenda ser entregue.

Após muito procurarem, receberam

a informação do diretor

do Cais do Porto:

- A encomenda das senhoras

foi extraviada!

- Mas, extraviada, como?

São vários fardos de fazenda

e tecidos! Como pode ter se

extraviado um lote de fardos?

- Não sabemos lhe dizer.

Só que já fizemos procuração

por toda parte e nada... Não

conseguimos de forma nenhuma

encontrar!

As irmãs ficaram desesperadas.

A encomenda não

O caso mais clássico que se

tem notícia aconteceu na

cidade de Maués, terra da

minha outra avó, de onde um

padre também foi expulso no

século XIX, fazendo o mesmo

gesto de raspar o solo das suas

sandálias enquanto rogava sua

célebre praga sobre a cidade,

com palavras que acabaram

entrando para o folclore da

terra do guaraná: “Maués,

mau sois e mau serás”, ele

teria proclamado com a força

inabalável da fé. Mas voltando

ao caso do padre João Braz, o

que mais me soou estranho e

atiçou minha curiosidade, foi

saber que ele estava sepultado

na mesma Juruti de onde havia

saído enxotado pela população

há mais de cem anos. Após

confirmar com um velho

morador a veracidade dessa

informação, aproveitei uma

ida recente àquela cidade para

visitar o túmulo desse controvertido

religioso.

O cemitério fica na primeira

rua de Juruti, no lado

ocidental de quem chega no

porto, e se debruça, alheio às

enchentes, sobre uma grande

ribanceira de terra firme.

Entrei naquele lugar cheio

de silêncio em torno de onze

da manhã e com um calor de

rachar, mas privilegiado pela

bela vista do grande Amazonas

correndo vivo lá embaixo. O

acesso foi fácil porque o gradil

da entrada estava entreaberto e

não havia nenhum vigia, ninguém

para indagar o que eu

estava fazendo ali e muito me-

Aparição no cais do porto

de 15 de julho de 1879, Juruti

passou a ser ponto de escala

da navegação a vapor subvencionada

pelo governo. Foi

assim que a então Freguesia

de Juruti ganhou elevação à

categoria de Vila, de acordo

com a Lei nº 1.152, de 9 de

abril de 1883.

estava no seguro e elas iam

perder dinheiro, que no caso

era muito preciso, pois elas

não tinham de onde tirar para

uma nova encomenda, sem

falar no atraso que acarretaria

começar tudo de novo.

Então começaram a fazer

uma novena à Paula Francineti.

Todas as noites elas se

reuniam e rezavam, fazendo

o pedido para que os fardos

fossem localizados.

Logo depois, numa certa

manhã, foi feita uma ligação

telefônica para o Colégio de

alguém que se identificou

como um dos diretores do

Cais do Porto, falando que

tinha ido uma irmã lá no armazém,

dizendo saber onde os

fardos se encontravam.

Imediatamente um grupo

de irmãs se dirigiu para lá,

para saber o que tinha ocorrido.

É preciso que se diga que,

naquela época, nenhuma irmã

andava sozinha. Elas sempre

saíam em grupo de três, quatro

ou mais, daí estranharem

a informação de que apenas

uma irmã, sozinha, tivesse se

dirigido ao Cais do Porto.

Lá chegando, procuraram

o diretor e perguntaram

o que tinha acontecido.

O diretor tranqüilamente

respondeu:

- Foi, sim! Veio uma

irmã aqui e foi mostrar os fardos

num lugar em que jamais

ADEMAR AYRES DO AMARAL

ademar@amazon.com.br

Cem anos de maldição

nos para me fornecer qualquer

tipo de orientação. A sorte é

que o túmulo do padre João

Braz não é difícil de distinguir,

pois de uns tempos para cá é a

única sepultura daquele campo-santo

que vive coberta de

plantas e flores. Ela fica a uns

dez metros à esquerda de uma

grande cruz de madeira que

chamam de cruzeiro, a qual

se acha fincada sobre uma base

circular de cimento, que está

sempre enlameada por restos

de velas derretidas, como um

vestígio dos muitos promesseiros

que lá vão cumprir suas

obrigações com as almas.

O cruzeiro está bem no

centro do cemitério e chegase

a ele seguindo o único e

acanhado calçamento que vai

do portão de entrada até a base

da cruz. O lugar onde repousa

o padre João Braz é um jazigo

simples, aparentando completo

abandono e marcado por

OPINIÃO

Festa pelos 124 anos de Juruti

Em Juruti, a principal

manifestação religiosa é o

rio de Nossa Senhora

da Saúde, padroeira da

cidade, realizado no dia

23 de junho com o Círio

Fluvial, que sai do Lago

das Piranhas com destino à

sede do Município. No dia

seriam descobertos, a menos

que fossem mostrados, como

de fato ocorreu...! Nós já tínhamos

dado por perdidos...

As irmãs estavam incrédulas.

Quem poderia ser?

Olharam o diretor sem acreditar

muito no que dizia.

O diretor, por sua vez, se

sentia um tanto desconfortável

diante da situação, pois sentia

o olhar de incredulidade das

irmãs. De repente, olhando

as medalhas que as irmãs levavam

penduradas no peito,

uma única carreira retangular

de tijolos que quase desaparece

por baixo da abundante

vegetação. Apenas na cabeceira

ainda permanece de pé a parte

que sobrou de uma decorada

estrutura de ferro, já carcomida

pelos anos, onde foi fixada

uma tosca placa de latão pintada

de preto, com a seguinte

inscrição em letras brancas:

“eu sou a ressurreição e a vida”

Jo.11.25, 1º Vigário de Juruti,

Pe. João Braz, † 1899.

A histórica e descuidada

sepultura do Padre João Braz,

no cemitério de Juruti, é um

retrato fiel do total desamparo

e desleixo com a memória da

cidade. Porém, o incrível da

história, o mais inacreditável,

foi constatar que naquele

sítio dos mortos jogados ao

desmazelo, a campa onde

descansa o sacerdote esteja

sempre plena de um verde

exuberante e entremeado por

cachos vermelhos de jasmins

de S. Benedito, sem que ninguém

sequer tenha tido algum

interesse ou piedade de lhe

conceder um mísero regador

de água. Muitas pessoas na

cidade andam se perguntando

a causa desse mistério e o

porquê do túmulo do padre se

preservar assim tão florido nos

últimos tempos. Para alguns

02 de julho, as festividades

são encerradas com um

leilão de animais.

O Festival das Tribos,

que acontece desde 1986,

é o ponto alto do folclore

e turismo locais. O Tribódromo,

palco dessa festa,

tem uma arena de três mil

exclamou:

- Olha aí, foi essa que

veio...!

As irmãs se

entreolharam.

Na medalha estava gravada

a efígie de Paula Francineti...

Então disseram:

- Olhe, meu senhor!

Esta é Paula Francineti, a fundadora

de nossa Ordem. Só

que ela não vive mais...

O diretor ficou espantado.

Então disse que ela chegou

dizendo que ia mostrar onde

mais idosos e sábios moradores

de Juruti, a resposta que

está na ponta da língua é que

esse é o definitivo sinal de que

a maldição dos cem anos acabou,

e que, lá da eternidade, o

padre faz florir seu túmulo em

sinal de perdão pela velhacaria

que fizeram com ele e como

benção pelos bons tempos

que estão chegando a reboque

da bauxita.

Mas ainda há dúvidas

e muita controvérsia sobre o

que realmente teria acontecido

há mais de um século e que

culminou com o banimento

do pároco do município. Na

verdade, ouvindo a voz do

povo, a gente fica sabendo que

há outra história(ou será lenda?),

muito mais interessante e

pouco divulgada sobre o malfadado

acontecimento. Diz

essa outra versão, que o real

motivo da desordem não passou

de um belo e tumultuado

caso de amor correspondido.

Jovem, bonito e comprimido

pela fervura dos hormônios,

o padre chega a Juruti e logo

começa a ser assediado pelas

moçoilas do lugar. Resistiu o

quanto pôde, mas um dia foi

vencido pela beleza selvagem

e pelo olhar suplicante da filha

de um poderoso coronel do

cacau, por quem logo se apaixonou

perdidamente.

O caso já ia longe quando

o pai da moça descobriu a

tórrida paixão, fazendo espalhar

o boato maldoso que o

vigário era um devorador de

donzelas e que deveria sair da

metros quadrados, com

capacidade para abrigar 7

mil pessoas. É lá que se

apresentam grupos folclóricos,

danças e cantos típicos

e, na apoteose, no último

dia, as tribos Mundurukus

e Muirapinimas disputam

o título.

estavam os fardos, foi acompanhando

um encarregado e,

após localizá-los, disse:

- O senhor já pode avisar

ao colégio que os fardos foram

encontrados...!

As irmãs Dorotéias ouviram

tudo muito emocionadas

e atribuíram a um milagre de

Paula Francineti, que, ouvindo

os pedidos desesperados das

irmãs da Ordem que havia

fundado, foi pessoalmente

mostrar onde estavam os

fardos...”

paróquia. Rico e influente, o

fazendeiro conseguiu arrebanhar

a população e a situação

ficou tão insustentável que a

igreja se viu obrigada a transferir

o Padre João Braz para o

vilarejo de Terra Santa

Tempos depois, para

lavar a honra, o fazendeiro

arranjou, a seu gosto, um

pretendente rico com quem

obrigou a filha a se casar. A

notícia do enlace não demorou

chegar a Terra Santa

e muito menos ao conhecimento

do padre, levando-o

ao desespero e mais tarde

ao suicídio. Outros também

contam uma história de amor,

mas trocam a donzela por

uma senhora casada, o que

teria resultado no assassinato

do sacerdote, pelo marido

traído, na mesma rua que hoje

leva o seu nome.

Bom, junto com duas

fotos do túmulo florido, isso

foi tudo o que eu consegui

apurar sobre o triste destino do

Padre João Braz. Não é muita

coisa, apenas folhas esparsas

de um tesouro perdido da

história de Juruti. Deixo para

o leitor a opção de decidir

entre o personagem do padre

devorador de donzelas - que

dizem ser verídica - e o da

lenda que fala de uma grande

paixão. Da minha parte, eu

prefiro mil vezes ficar com a

lenda. Ainda que trágicas, essas

narrativas envolvendo amores

impossíveis e paixões avassaladoras,

são muito mais bonitas

e melhores de sonhar.


Frente Pró-Hidrovias começa a agir

Com 37 deputados

membros, de todas as bancadas

partidárias, a Frente

Parlamentar Pró-Hidrovias

do Pará foi oficialmente

instalada, tendo como convidado

especial o secretário

executivo de Transportes,

Valdir Ganzer. Foi eleito

à unanimidade como presidente

o deputado Luis

Cunha, líder do PDT, idealizador

da Frente. O vicepresidente

é o deputado

Alexandre Von (PSDB) e

relator o deputado Gabriel

Guerreiro, líder do PV.

O secretário Valdir Ganzer,

deputado estadual licenciado

(PT), aderiu como membro

colaborador e disse que, com a

criação da Frente, o parlamento

paraense ganha nova dimensão.

Elogiando a iniciativa de

Luis Cunha, ele revelou que

era um antigo sonho seu promover

o debate sobre questões

estratégicas para o Estado na

Assembléia Legislativa.

O deputado Arnaldo

Sistemas agro-florestais viram alternativas de renda

Conciliar a cultura de

diferentes espécies vegetais

em um mesmo espaço, dando

ao agricultor a oportunidade

de plantar e colher os resultados

ao longo de todo o ano.

Esta é a proposta dos Sistemas

Agro-Florestais, iniciativa realizada

através de parceria entre

a Mineração Rio do Norte

(MRN), Instituto Nacional

de Pesquisas Amazônicas

(Inpa) e Empresa de Assistência

Técnica e Extensão Rural

(Emater/ PA).

A proposta é reproduzir,

na área plantada, a

Jordy (PPS) realçou a importância

das hidrovias e propôs

que o tema seja abordado

em conjunto com a Comissão

de Meio-Ambiente da

Alepa, já que os projetos

hidroviários no Pará estão

todos paralisados em função

de uma guerra jurídica sob

o argumento de impactos

ambientais negativos.

Gabriel Guerreiro lembrou

que a utilização dos

rios como meios naturais e

econômicos de transporte

é feita na Europa desde o

século XVII. Em 1648, começaram

a ser construídos

os canais de interligação dos

principais rios do continente,

visando o desenvolvimento

da economia e a defesa territorial.

A mais importante

ligação foi entre os rios Reno

e Danúbio, promovendo a

interligação leste-oeste até

chegar ao porto de Rotterdã,

um dos maiores do mundo.

Enfatizando que todas as

hidrovias são importantes,

dinâmica de crescimento na

floresta. Como explica José

Haroldo de Paula, assessor

de Relações Comunitárias

da MRN, “a implantação

dos Sistemas nas comunidades

Saracá e Boa Nova, em

Oriximiná, é parte de acordo

assumido pela MRN com

estas comunidades durante

o processo de licenciamento

das minas de bauxita Almeidas

e Aviso, conduzido pelo

Inpa desde o final do ano de

2004.”

A partir deste ano, a

Emater assume a coordenação

Guerreiro disse que Europa

e Estados Unidos já têm,

há séculos, consciência da

importância do transporte

aquaviário. Mas, no Pará, a

construção de um canal de

apenas 20 quilômetros no

Marajó foi embargada.

Conversa com comunitários para esclarecer o projeto

técnica do projeto. “Juntamos

na mesma área culturas de

ciclo curto, médio e longo,

como acontece na natureza.

ATUALIDADES

Alexandre Von lembrou

que há mais de dez anos

vem participando da luta em

prol das hidrovias e propôs

a realização de seminários

regionais no oeste, sul, sudeste

e nordeste do Pará, e

em especial no arquipélago

Assim, o agricultor terá sempre

produtos para consumo

e venda, sem depender do

ciclo de crescimento de uma

OZÉAS SANTOS - ALEPA

Alexandre Von, Luis Cunha e Gabriel Guerreiro: agenda positiva e relatório para ajudar hidrovias

marajoara, para esclarecer a

população acerca dos projetos

de hidrovias.

Luis Cunha já definiu

a agenda inicial da Frente,

que inclui visitas de cortesia

à governadora, aos veículos de

comunicação; à Federação das

única cultura”, explica Aluísio

Ribeiro Santos, agrônomo da

Emater.

Membros das duas comunidades

receberam a visita

dos técnicos no barracão da

comunidade Boa Nova. A

visita incluiu palestra sobre

plantio e arranjos, entrega de

cerca de 12.000 mudas de espécies

frutíferas, como limão

taiti, mamão, laranja enxertada,

abacate, maracujá e pupunha,

além de espécies nativas

de madeira de lei, como

cedro, pau d’arco e andiroba.

A MRN doou também ma-

ABRIL - 2007 7

Indústrias do Estado do Pará

– Fiepa; e ao presidente da

Companhia Docas do Pará,

para convidá-los a integrar

a Frente, na condição de

colaboradores.

Também serão s convidados

o Sindicato das Empresas

de Navegação Fluvial e

Lacustre do Estado do Pará –

Sindarpa, Associação Comercial

do Pará – ACP; Federação

Nacional de Empresas de

Navegação Marítima, Fluvial,

Lacustre e de Tráfego Portuário

-Fenavega, Prefeituras e

Câmaras Municipais.

A Frente Parlamentar

Pró-Hidrovias do Pará foi

criada para reforçar a luta por

um grande corredor de desenvolvimento

interligando

as hidrovias do Marajó, Capim,

Tocantins/Araguaia/Rio

das Mortes, Tapajós/Teles

Pires/Juruena e Xingu com

as rodovias e ferrovias, num

sistema multimodal, de modo

a aproveitar todas as suas potencialidades

naturais.

teriais e ferramentas. Este

ano o projeto também será

implantado nas comunidades

do Saracá e Lago Sapucuá, em

Oriximiná. Outras atividades

estão previstas, envolvendo

preparação de horta escolar e

palestras sobre saúde e educação

ambiental. “Os Sistemas

representam alternativa de

renda. Além de atender as

necessidades da geração atual,

melhorando sua qualidade de

vida, garantem o atendimento

das necessidades futuras”,

diz José Haroldo. O projeto

beneficiará 70 famílias.


8 ABRIL - 2007

lô, Franssi, Estava eu em

ASão Paulo, mais precisamente

na Praça da Sé, quando

de mim se aproximou uma

cigana.

Era uma mulher bonita,

de vestes espalhafatosas, pulseiras,

colares, anéis. Segurava

um baralho nos dedos de

unhas pintadas com esmalte

extravagante.

Ela veio sorrindo: “Meu

bonito, quer saber a sua sorte,

quer?”

Respondi com outro

sorriso, agradeci e fui

andando.

Naquele instante me

lembrei da música do Lindomar

Castilho: “vem, ó

cigana bonita... ler o meu

destino”...

A minha memória também

me trouxe, naquele momento,

uma ciganinha que

chegou a morar na esquina

de casa, em Santarém.

Eram diversas famílias,

que alugaram parte do imóvel

que existia bem no cruza-

mento da Francisco Corrêa

com a rua Floriano Peixoto,

que na época pertencia ao

Seu Vicente, um cearense que

vendia carvão.

Ele vivia de eterno mau

humor e por qualquer deslize

dava surras e mais surras no

Ariel e no João, os filhos.

A vizinhança toda escutava

a peia. Era a mochinga

cantando no lombo e os

gritos dos pobres moleques,

meus parceiros de papagaio

e peteca.

Mas eu falava na ciganinha

bonita.

Até o início da década

de sessenta, faltava muita água

em Santarém.

Em algumas esquinas

do centro da cidade existiam

torneiras públicas onde o

pessoal fazia fila, para encher

a lata vazia de “querosene

Jacaré” e existiam também os

chamados “aguadeiros”, que

carregavam da beira do rio e

vendiam pela cidade.

Pois é. Era na torneira

JOSÉ WILSON MALHEIROS

jwmalheiros@hotmail.com

da esquina de casa que as ciganas

se reuniam para aparar

água, para conversar.

E eu ficava olhando,

admirado, aquela gente, digamos

assim, diferente. Homens,

mulheres, crianças,

que muitas vezes se comunicavam

em uma língua que eu

não entendia.

No meio deles a zíngara

adolescente, com sua saia

VARIEDADES

Escola dá exemplo de inclusão social

Numa homenagem à

professora que foi precursora

no ensino para crianças especiais

no município, a Escola

Simone das Neves Pinheiro,

em Terra Santa, é destinada

a alunos de 1ª à 4ª série do

ensino fundamental. Cerca

de 60 alunos com deficiência

física e mental e dificuldade

de aprendizado já estão sendo

atendidos na nova escola, junto

aos outros alunos da rede

pública. Totalmente adaptado

às necessidades físicas dos

alunos especiais, o prédio foi

construído com recursos da

MRN e mobiliado com recursos

do FIA (Fundo da Infância

e Adolescência), através

de doações da BHP Billiton,

acionista da MRN.

A proposta é estender o

atendimento para 90 alunos,

o mês passado, re-

Ncebi um telefonema

do jornalista Edson Salame

propondo-me um desafio

idealizado pelo conterrâneo

José Sales, da Polícia Federal:

a composição do Hino do

Estado do Tapajós. Ponderei

que a idéia de criação do novo

Estado, além de polêmica,

ainda tramita no Congresso

Nacional. Mas, enfim, topei

a parada.

Em menos de uma semana,

o hino estava pronto,

com letra e música de minha

autoria. Em contato com o

Odair Corrêa, santareno,

vice-governador do Estado do

Pará, entreguei-lhe a partitura

da composição para canto e

piano. Agora, estou concluindo

o arranjo para orquestra.

E brevemente elaborarei o

arranjo para coro a 4 vozes

mistas.

A música do Hino de

Santarém, composta por meu

pai (Wilson Fonseca, Isoca)

em 1941, somente recebeu

letra, de autoria de Paulo

Rodrigues dos Santos, em

1948, quando se comemorava

o primeiro centenário de elevação

da “Pérola do Tapajós” à

categoria de cidade. O hino só

foi oficializado em 1971, pela

Lei Municipal nº 245.

Em 1996, Wilson Fonseca

compôs a peça “Amazônia”

(suíte em 3 movimentos:

samba estilizado, fox-slow e

frevo), que dedicou à Amazônia

Jazz Band, a pedido do

Maestro Andi Pereira. Mas a

sua estréia mundial apenas

ocorreu em 27.03.2007, no

Theatro da Paz (Belém), na

abertura da temporada da

A população de Terra Santa prestigiou a inauguração da escola Kaio Maciel Cavalcanti, de três anos, será beneficiado

além de manter a alfabetização

de adultos. Para Júlio

Sanna, diretor-presidente da

MRN, a empresa não pode se

limitar ao que normalmente

se oferece para a comunidade,

ou seja, emprego e impostos.

“Temos a visão de que nossas

VICENTE MALHEIROS DA FONSECA

AJB, sob regência do Maestro

Ricardo Aquino, que

prestou bela homenagem ao

compositor paraense. Foi a

última realização da Associação

Amigos do Theatro da

Paz, sob a minha Presidência,

pois tive que renunciar a esse

cargo, em virtude de recente

orientação estabelecida pelo

Conselho Nacional de Justiça,

que disciplina as vedações

impostas aos magistrados de

exercerem outras funções.

Permaneço na ATP na condição

de simples associado.

Outra música inédita

de Isoca, composta em 1992

– o poema sinfônico “América

500 Anos” – somente teve

a sua primeira audição em

17.11.2006, pela Orquestra

Sinfônica do Theatro da Paz,

sob regência do Maestro

Mateus Araújo, na Casa da

Cultura, em Santarém (PA),

onde foi realizado um concerto

inédito da OSTP, com a

apresentação de composições

de três gerações da família

Fonseca, durante a solenidade

ações podem ser ampliadas

para áreas como, saúde, educação,

meio ambiente e geração

de renda. O importante

é alocarmos os recursos de

forma inteligente para mostrar

que somos uma empresa

que, além de gerar empregos,

vjmf@terra.com.br

Hino do Estado do Tapajós

de lançamento da obra “Meu

Baú Mocorongo” (Wilson

Fonseca).

Do Rio de Janeiro, recebi

um precioso presente

da amiga Maria Helena de

Andrade, pianista paraense,

a quem dediquei a minha

“Valsa Santarena nº 45”, que

ela promete estrear, em breve,

em palco paraense. Refiro-me

à revista “Projeto Chico Bororó”

(Francisco Mignone)

com o registro de partituras

musicais do festejado compositor

paulista – que adotou,

na juventude, aquele heterônimo

–, além de um CD gravado

pelo Trio D’Ambrosio

(Maria Helena de Andrade,

piano; Aizik Geller, violino; e

Maria Célia Machado, harpa),

resultado dos seminários de

música Pro Arte, patrocinados

pela Eletrobrás. São

canções, maxixes, cateretês,

valsas, tangos, fox-trot e onestep,

que me fizeram lembrar

da obra musical de meu avô

(José Agostinho da Fonseca) e

de meu pai (Wilson Fonseca),

praticamente contemporâneos

de Mignone. Meu avô

nasceu em 1886, mas não

conheceu o mestre paulista.

Eu e meu pai o conhecemos

em Belém, quando Mignone

vinha ao Pará, em companhia

da pianista paraense Maria

Josephina, sua esposa, e ficavam

hospedados na casa do

médico Maurício Coelho de

também contribui para a melhoria

das condições de vida

da população ao nosso redor”,

comenta Júlio Sanna.

Kaio Maciel Cavalcanti,

de três anos, será uma

das crianças beneficiadas. A

partir do próximo ano ele já

Souza. “Chico Bororó” (revista

e CD) é uma realização

magnífica, exemplo extraordinário

de valorização da

nossa cultura musical. Nunca

é tarde...

Antes da edição oficial

de parte da obra musical de

meu pai (cujo 1º volume

foi publicado em 1976, com

peças para coral), eu mantive

contato com Francisco Mignone,

que esteve em Belém

e ministrou um curso de

harmonia no Conservatório

“Carlos Gomes”, que eu freqüentei,

enquanto estudante

universitário, por volta de

1969.

Após examinar algumas

composições de meu pai - que

eu lhe mostrei -, Mignone

afirmou, com convicção: “seu

pai é um grande melodista...”.

E depois de receber os primeiros

volumes publicados

da obra musical de Isoca,

Mignone escreveu uma carta

a Wilson Fonseca e declarou

o seguinte: “... cheguei à conclusão

que V. S. sabe ‘onde

tem o nariz’ e estudou música

de verdade. A tudo isso

agregou boa fantasia inventiva

cheia de gostosos acordes

melódicos e harmônicos”

(cf. manifestação transcrita ao

final do Volume III da Obra

Musical de W.F.).

Eis, então, a letra do

“Hino do Estado do Tapajós”,

ainda inédito:

Zíngara

rodada vermelha, berloques,

batom, turbante ficava me

olhando exatamente como

diz o poeta (“... esse seu olhar,

quando encontra o meu, fala

de umas coisas que eu não

posso explicar...”), sorria e

cantava a bonita música do

Luiz Gonzaga, “Qui nem

Jiló”:

“Saudade assim faz

roer

E amarga que nem jiló

Mas ninguém pode

dizer

Que me viu triste a

chorar

Saudade, o meu remédio

é cantar...”

Todo dia lá pelas cinco

da tarde lá estava eu na porta

de casa para ver a ciganinha

cantora.

será matriculado na Escola

e passará a contar com toda

a atenção dos monitores e

professores. “A cada quinze

dias vamos para Santarém

para as sessões de fisioterapia

do Kaio, que têm por objetivo

ajudar no desenvolvimento

HINO DO ESTADO DO TAPAJÓS

Letra e Música: Vicente José Malheiros da Fonseca

Belém (PA), 18 de março de 2007

I

Azul é a cor das tuas águas

Tapajós meu lindo rio

E o Xingu, que beleza sem par,

Dois irmãos que me fazem feliz.

Do Amazonas varonil

Ao Trombetas faz vibrar

Nossa luta que busca a vitória

Faz livre teu povo que a história bem diz.

Estribilho

Tapajós – agora sim

És o Estado que sonhei

Na Amazônia colossal

No Brasil que sempre amei.

Nossos rios têm lindas praias

E eu mergulho o coração

Solto forte a minha voz

Pra te exaltar meu Tapajós.

II

Teu hino é mais que poesia

Tantas águas de emoção

A bandeira tremula no céu

Tapajós, eu te quero tão bem.

O Brasil de norte a sul

Reconhece a nossa voz

Conquistada ao longo da história

Tua gente, tua glória, faz coro também.

Estribilho

Tapajós – agora sim

És o Estado que sonhei

Na Amazônia colossal

No Brasil que sempre amei

Nossos rios têm lindas praias

E eu mergulho o coração

Solto forte a minha voz

Pra te exaltar meu Tapajós.

Vicente Malheiros da Fonseca – Magistrado, Professor e

Compositor

Ela cantava sempre a

mesma música, me olhava e

sorria convidativa.

E se eu fugisse com ela?

Ia ser cigano também. Um

cigano apaixonado.

Se uma moça da sociedade

santarena chegou a fugir

com um trapezista de circo,

eu também poderia fugir com

uma cigana, ora bolas. Tudo

vale a pena se a alma não é

pequena, diria o Pessoa.

Confesso que aquele

olhar cigano me fazia sonhar.

Nele existiam segredos, céus

e mares navegados pelos ancestrais

de sua raça e eu ficava

torcendo para o tempo não

passar, como o Roberto Carlos

de “ Amor Perfeito”.

Quando escrevo esta

crônica coloco o CD para

tocar:

“Cigana Nuvem

Zizi Possi

Se eu não te conhecesse

bem

Me entregava assim

Todo, de corpo e alma

de sua coordenação motora.

Acredito que, a partir do momento

em que ele começar a

freqüentar as aulas na Escola,

ele terá uma evolução ainda

maior no seu tratamento”,

diz Deusilana Santos Maciel,

mãe de Kaio.

Outra que também

está comemorando é a professora

Ozanira Alves dos

Santos. Após trabalhar 13

anos com educação especial

para crianças, ela concluiu recentemente

um treinamento

de 120 horas para melhorar

sua qualificação. “O maior

prazer que sinto ao lidar com

as crianças especiais é saber

que podemos mostrar para a

sociedade que eles são capazes

de vencer suas barreiras e

nós, de ajudá-los a vencê-las”,

realça.

pra você

Mas a luz que brilha em

meus olhos

Detém o meu coração

(Não deixe ele se

perder)

As armadilhas que tu

tens

Pra ganhar o jogo

E me tornar cativo seu

Faz a luz que guia os

meus olhos

Deter o meu coração

És cigana nuvem que

passa

Aqui no meu céu

E amanhã, eu sei

Deixa as chuvas caindo

em mim

Soberana estrela que

enfeita

O cetim do céu

Ou me queres rei

Ou me terás

Igualzinho a ti.”

Por onde andará a ciganinha,

uma das flores mais bonitas

da minha adolescência?

Hoje ela é “qui nem

jiló”...

More magazines by this user
Similar magazines