A gestão não nasce brasileira, mas torna-se - Movimento Brasil - HSM

movimentobrasilhsm.com.br

A gestão não nasce brasileira, mas torna-se - Movimento Brasil - HSM

dicial em si, mas, historicamente, reduziu a importância das estruturas

e processos nas empresas brasileiras, fazendo com que, em

boa parte delas, a tomada de decisões seja ágil. isso só não é convertido

em vantagem competitiva maior, de velocidade e intraempreendedorismo,

por conta de o sistema ainda ser altamente hierárquico

e seguir os velhos parâmetros que Gilberto freyre batizou

de “casa-grande e senzala”, com os não líderes sendo considerados

“ninguém”, como diria o sociólogo Darcy ribeiro. O pensamento de

curto prazo tem um paralelo interessante da “insatisfação”

saudável, que nos leva para frente e nos faz

mudar, muito pregada por empresas como a Ambev.

isso é uma fortaleza nossa, uma vez que, como

Guimarães rosa dizia, “o homem satisfeito dorme”.

6. Alegria. Embora Oswald de Andrade e Sérgio Buarque

de Holanda não tenham apontado a cordialidade

brasileira, qualquer executivo estrangeiro que visita

uma instalação no País diz: a alegria, o bom humor e a afabilidade

encontrados aqui chegam a ser contagiantes. Esse ambiente de trabalho

descontraído e agradável, decorrente também da informali-

Na república

velha, firmam-se

polêmicos líderes

locais; poderiam

ser vistos como

empreendedores

que enfrentam

seus governos,

mas passam à história

como “coronéis”

–símbolos do

atraso do País.

1899-

1910

O brasileiro Alberto

Santos Dumont

constrói um avião

impulsionado por

motor a gasolina

e decola com ele

em Paris. Embora

sua invenção não

seja mundialmente

reconhecida,

ele mostra uma

capacidade de

inovação que se

repetiria muitas

vezes ao longo

da história brasileira,

como com

o biocombustível

etanol

1906

imigrantes impulsionamempreendedorismo

com pequenos

negócios comerciais

e industriais,

enquanto as leis

trabalhistas de

Getulio vargas

criam um mercado

consumidor mais

sólido.

A gestão não nasce brasileira, mas torna-se

O sociólogo Alberto

Guerreiro

ramos questiona

a era industrial

em A nova ciência

das organizações,

defendendo que

a economia (o

mercado) seja só

dos motivadores

de decisões das

empresas.

Nasce a Petrobras,

fruto de uma

campanha liderada

pelo escritor

Monteiro lobato,

entre outros, exigindo

do governo

que o petróleo

aqui descoberto

seja explorado

por uma empresa

brasileira.

dade e do relacionamente descritos no item 4 desta lista, pode ser

um motor de produtividade poderoso, mas, ao mesmo tempo, pode

tornar-se uma perigosa distração. Outro senão é que o ganho só é

contabilizado quando se respeita a fronteira entre o cordial e o invasivo,

algo que nem sempre ocorre.

7. Aprendizado. Ainda falta aos brasileiros a disciplina tão necessária

ao aprendizado permanente formal, é verdade, porém, no que se re-

fere a aprender informalmente, eles mostram

estar bem na fita –talvez pelo fato de o Brasil

ser um país jovem não apenas em história,

como também, por enquanto, na faixa etária

majoritária de sua população. Essa curiosidade

fica evidente quando observamos o lado “early

adopter” do consumidor brasileiro, que costuma

estar sempre pronto a incorporar novas

tecnologias. Outras características, como não

sermos refratários ao estrangeiro e nossa alta sociabilidade, potencializam

a capacidade de aprendizado. Se puder haver um equilíbrio

entre o informal (tácito) e o formal (explícito –ao qual, muitas vezes,

A visão de curto

prazo gera uma

bem-vinda

insatisfação

instala-se uma

grande leva de

multinacionais

e há forte investimento

em

infraestrutura por

parte do governo.

Mas a restrição

a informações

reduz o empreendedorismo.

1920-

1940

1950

1960-

1970

1953

É lançado

o primeiro

grande

livro de

management

de autor

brasileiro, História

da administração,

de João

Bosco lodi.

1971

1972

villem flusser,

filósofo tcheco naturalizadobrasileiro,

afirma que os

códigos medeiam

nossa imaginação,

ao explicar que a

comunicação é um

processo artificial,

dependente de

símbolos, com

os quais se constroem

códigos. É

visto como um

prenúncio da

era em redes

vivida hoje.

idalberto Chiavenato

lança seu

primeiro livro,

introdução à

teoria geral da

administração.

Com as obras que

se seguiriam, ele

se consagraria um

dos maiores autores

da disciplina

no País.

HSM Management • Brasil: Presença na Gestão que Dá Certo • Edição Especial Março 2011

fotos: Divulgação/Arquivo HSM

1976

11

More magazines by this user
Similar magazines