Views
5 years ago

Encyclopedia republicana : revista de sciencias e litteratura (ao ...

Encyclopedia republicana : revista de sciencias e litteratura (ao ...

21 ENGYCLOPEDIA

21 ENGYCLOPEDIA REPUBLICANA «Eu que arremesso ás boccas esfaimadas 'Dos túmulos, os lírios perfumados, "Das donzellas as carnes delicadas "E dos velhos os membros congelados; "Eu que esmago nas mãos as esperanças. «Todas as illusões da Humanidade; «O sorriso vermelho das creanças, «As phantasias vãs da mocidade, "Não posso erguer meus olhos, côr da terra, "Até litar seus raios deslumbrantes! "Eu não sei que mysterios elle encerra, "O Sol. o rei dos astros fecundantes! E a minh'alma, escutando attentamente Aquella voz sinistra, sem pavor. Ergue seus olhos puros, docemente E no Sol reconhece um creador. Ô centenário DE Ernesto Pires. SEBASTIÃO JOSÉ D£ CARVALHO E MELLO MARQUEZ DE POMBAL, Ha tempo, logo depois da commemoração civica do tri-centenario de Camões, quando vibiava ainda na grande alma popular a grata recordação d'essa festa triumplial, aventou-se a nobre idéa de solemnisar condignamente o primeiro centenário do illustre homem de Estado, cujo nome gloriosa synthelisa a condemnação de dois factos que lêem conturbado o paiz ncs últimos tempos — a invasão dos jesuitas e a criminosa subserviência ás imposições da Ingla- terra. O Grande Oriente Lusitano, tentando dar um publico testemunho de que no sen organismo existe ainda um sopro de vida consola- dor, apressou-se a corresponder á corrente da opinião. Reuniu e resolveu commemorar por modo significativo a data escolhida para a glorificação posthuma do edificador da moderna Lisboa. Tal e tão patriótica resolução, tomada pelos pedreiros livres, beliscou a santíssima orthodoxia de um descendente idiota e degenerado de Sebastião de Carvalho e Mello, o qual publicou em o jor- nal catholico A Nação uma seraphica epistola em que espectorava

o CENTENÁRIO DO MARQUEZ DE POMBAL 23 a sua indignação sorna de jesuila cachelico. Como qup. atacado da dansa de S. Vito, o beato declarou e protestou perante o mundo christão que não consentiria na manifestação feita por aquelles precitos e excommungados. . . E os manes do athleta, para quem as fúteis convenções e os falsos prejuízos eram débeis liames que elle despedaçou sem o minimo esforço, se não fossem apenas o producto de poética phantasia, sentir-sc-hiam corridos de vergonha do procedimento abjecto do homem que por hallucinação religiosa não trepidou cuspir uma negra aíTronta nas mais gloriosas tradições legadas pelo seu maior! Ponhamos porém de parte a epistola indignada do hierático fi- dalgo; porque não será o chocho escripto, nem o de todos os seus congéneres, se a elles aprouvesse seguir o exemplo, que poderão obstar a que o paiz salde a sua divida de reconhecimento, como o governo obnoxio de então não poude obstar ao pagamento d'essa outra contrahida ha três séculos para com a memoria immortal do épico cantor das nossas glorias. A grande festa deve realisar-se, mas não com o só concurso d'esta ou daquelía classe; deve sel-o com a consagração de todos os homens animados d'um altruísmo são, abrilhantada com a assistência e o enlhusiasmo de todo o paiz pelo qual Sebastião de Carvalho e Mello batalhou, errou e soffreu. Sabemos que algumas famílias sentir-se-hão alancear de recordações lúgubres ao vlbrar- Ihes no coração os eccos da manifestação nacional; porque muitos dos seus antepassados succumbiram á rigido estadista. perseguição e á vindicta do Respeitemos o seu lucto e a sua dor. Mas não seja isso obstá- culo ao intento, pois que nos demonstra a analyse rigorosa dos fa- ctos e o estudo desapaixonado da época em que occorreram, que, para o austero reformador conseguir a regeneração e alevantamento da pátria, foi-lhe mister passar o seu carro triumphante por sobre um montão de cadáveres e molhar em sangue a penna que lavrou os decretos que ainda hoje nos assombram pela sua previsão e audácia. Ainda assim os que houverem de escrever acerca de Sebastião de Carvalho e Mello não se devem deixar cegar pela luz que irradia do heroe, que tal não seria fazer a historia e a critica dos factos; seria tecer um panegyrico imbecil de chronista fradesco. É preciso que vejamos sempre o verdugo na pessoa do homem intemerato, animado de um espirito forte, innovador, com as scintillações extranhas d'um semi-deus ; que descubramos a face do algoz cruelissimo no estadista corajoso, da tempera do aço, o qual, tão somente escudado na passividade d'um rei de opera cómica, reconstruiu Lisboa — tornando-a mais bella, magnificente, sobretudo mais moderna, — a cidade que um calaclysmo horroroso quasi reduzira a um montão de ruinas; que atacou de frente as exorbitan-

  • Page 1 and 2: m11: 'm, llisí .ÍICV'.'Í
  • Page 5: iíCLOPEOm REPOBL Re vista de Seien
  • Page 9 and 10: EiíCLOPEDIA REPUBL Revista cleScie
  • Page 11 and 12: TITULO de El\CYCL0PEDI4 REPIBLICA^A
  • Page 13: ções que esses resultados hoje in
  • Page 16 and 17: 2 EíSí:y(:lopedia republicana Des
  • Page 18 and 19: EiNCYCLOPEDIA REPUBLICANA lamentam
  • Page 20 and 21: e>
  • Page 22 and 23: . ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA que o n
  • Page 24 and 25: 10 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA . — S
  • Page 26 and 27: 12 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA ves, de
  • Page 28 and 29: 14 ENCYCLOPEDIA REPUBLICADA as for
  • Page 30 and 31: i6 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA SOS av
  • Page 32 and 33: 18 ENGYCLOPEDIA REPUBLICANA (los pe
  • Page 34 and 35: 20 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA A chega
  • Page 38 and 39: íi EiNCYCLOPEDIA REPUBLICANA les p
  • Page 40 and 41: 26 ENCICLOPÉDIA REPUBLICANA sem es
  • Page 42 and 43: ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA 'oríuqat
  • Page 44 and 45: 30 ENCYCLOPEUIA REPUBLICANA por alm
  • Page 46 and 47: 32 ENCYCLOPEDIA REPUBLICArSA rança
  • Page 48 and 49: 34 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA giiagem
  • Page 50 and 51: 36 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA Auréo
  • Page 52 and 53: 38 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA te, lin
  • Page 54 and 55: . : 40 ENOYCLOPEDIA REPUBLICANA diz
  • Page 56 and 57: 42 EiNCYCLOPEDIA REPUBLICANA Ningu
  • Page 58 and 59: 44 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA diiricu
  • Page 60 and 61: 46 ENCYGLOPEDIA REPUBLICANA Não es
  • Page 62 and 63: . 48 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA Como
  • Page 64 and 65: 50 EiNGYCLOPEDIA HEPUBLICANA » —
  • Page 66 and 67: . 52 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA vinli
  • Page 68 and 69: 54 . ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA — M
  • Page 70 and 71: 56 EiNCYCLOPEDIA REPUBLICAINA —
  • Page 72 and 73: 38 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA » -
  • Page 74 and 75: 60 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA VII !I?
  • Page 76 and 77: 6t ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA direita
  • Page 78 and 79: 64 ENXYCLOPEDIA REPUBLICANA Livros
  • Page 80 and 81: 66 EiNGYCLOPEDIA KEPUBLICANA A gent
  • Page 82 and 83: 68 ENCYCLOPEDIA REPUBLICAN Foram es
  • Page 84 and 85: 70 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA ! Depoi
  • Page 86 and 87:

    72 ENOYGLOPEDIA REPUBLICANA volvime

  • Page 88 and 89:

    74 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA Ainda n

  • Page 90 and 91:

    76 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA do lado

  • Page 92 and 93:

    78 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA não no

  • Page 94 and 95:

    80 EiNCYCLOPEDIA KEPUBLICA^A Assim,

  • Page 96 and 97:

    ENOYCLOPEDIA REPUBLICANA ctores pod

  • Page 98 and 99:

    m ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA a sua fo

  • Page 100 and 101:

    86 ENCYCLOPEDIA HEPUBLICANA Adminis

  • Page 102 and 103:

    ENCYCLOPEDIA REPUBLICARIA visão da

  • Page 104 and 105:

    90 : ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA adver

  • Page 106 and 107:

    92 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA COS dos

  • Page 108 and 109:

    94 ENCYCLOPEDIA REPUBLICAN agitaç

  • Page 110 and 111:

    96 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA eram ma

  • Page 112 and 113:

    èg ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA vilha,

  • Page 114 and 115:

    íoo en«:yclopedia republicana ph)

  • Page 116 and 117:

    102 ENCYCLOPEDIA REPUBLIGAINA magic

  • Page 118 and 119:

    lOi ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA cowo a

  • Page 120 and 121:

    106 ENGYCLOPEDIA REPUBLICANA OS alb

  • Page 122 and 123:

    1,08 : ENOYCLOPEDIA REPUBLICANA O l

  • Page 124 and 125:

    no ENCVCLOPEDIA REPUBLICANA Pandegn

  • Page 126 and 127:

    I.i2 EiXCYCLOPEDIA REPUBLICANA este

  • Page 128 and 129:

    114 ENGYGLOPEDIA REPUBLlCAiNA sario

  • Page 130 and 131:

    116 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA Na Gr

  • Page 132 and 133:

    MH en(:yclopedia republicana A reda

  • Page 134 and 135:

    120 ENCYGLOPEDIA REPUBLICANA pado e

  • Page 136 and 137:

    12-2 ENXYCLOPEDIA HEPUBLICANA ao fa

  • Page 138 and 139:

    124 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA Asia,

  • Page 140 and 141:

    126 EiNCYCLOPEDIA REPUBLICADA — Q

  • Page 142 and 143:

    128 ENGYCLPEDIA REPUBLICANA Para n

  • Page 144 and 145:

    130 ENOYCLOPEDIA REPUBLICANA por pe

  • Page 146 and 147:

    . ! . 132 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA

  • Page 148 and 149:

    134 ENCYCLOPEUIA REPUBLICANA — De

  • Page 150 and 151:

    136 EXCYCLOPEDIA REPUBLICA^A XXV Ca

  • Page 152 and 153:

    138 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA O syba

  • Page 154 and 155:

    140 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA ! Quae

  • Page 156 and 157:

    142 ENGYGLOPEDIA REPUBLICANA est ho

  • Page 158 and 159:

    144 ENCYCLPEDIA REPUBLICANA gigante

  • Page 160 and 161:

    146 ENGYCLOPEUIA HEPUBLICANA a gene

  • Page 162 and 163:

    148 ENGYCLOPEDIA REPUBLICANA Biblin

  • Page 164 and 165:

    150 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA lar ai

  • Page 166 and 167:

    !52 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA iugiie

  • Page 168 and 169:

    •154 ENCYCLOPEDIA HEPUBLICANA Por

  • Page 170 and 171:

    156 EiNCYCLOPEUIA REPLBLICANA Longe

  • Page 172 and 173:

    ! 158 eni:yglopedia republicana par

  • Page 174 and 175:

    160 en

  • Page 176 and 177:

    l-ei ENGYCLOPEDIA REPUBLICANA Se as

  • Page 178 and 179:

    164 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA talha

  • Page 180 and 181:

    186 ENCYCLOPEDIA UEFUBLICANA O simo

  • Page 182 and 183:

    ! 168 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA SÓ

  • Page 184 and 185:

    170 ENr.YCLOPEblA REPUBLICANA subju

  • Page 186 and 187:

    .J72 EXCYCLOPEDIA REPUBLK^ANA —On

  • Page 188 and 189:

    t74 ENOYCLOPEDIA REPUBLICANA Biogra

  • Page 190 and 191:

    tí^ ENGYGLOPEDIA REPUBLICANA cujos

  • Page 192 and 193:

    178 ENCYCLOPEDIA REPUBLICADA u. fec

  • Page 194 and 195:

    180 ENCYGLOFEDIA REPUBLICANA OS mem

  • Page 196 and 197:

    182 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA 2." Um

  • Page 198 and 199:

    I8i ENCYCLOPEDIA HEPUBLICANA mos re

  • Page 200 and 201:

    186 ENOYCLOPEDIA REPUBLICANA Poeta

  • Page 202 and 203:

    i88 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA celho

  • Page 204 and 205:

    190 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA Nos di

  • Page 206 and 207:

    192 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA acompa

  • Page 208 and 209:

    194 ENOYCLOPEDIA HEPUBLICANA dim da

  • Page 210 and 211:

    iOe ENCVCLOPKDIA REPUBLICANA armas

  • Page 212 and 213:

    EiNCYCLOPEDIA KEPUBLICANA para rece

  • Page 214 and 215:

    HbO ENCVCLOPEDIA REPUBLICANA luiç

  • Page 216 and 217:

    à(ji> Faro. ENCYCLOPEDIA REPUBLICA

  • Page 218 and 219:

    204 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA Olhara

  • Page 220 and 221:

    JHHi EiNCYCLOPEDIA REPUBLICANA biu

  • Page 222 and 223:

    2ftK ENCYCLOPEDIA HEPUBLICANA tos e

  • Page 224 and 225:

    âlO ENGYCLOPEDIA REPUBLICANA A nos

  • Page 226 and 227:

    212 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA 1° S.

  • Page 228 and 229:

    2íli EXCYCLOPEDIA REPUBLICANA nhã

  • Page 230 and 231:

    216 Faro. ENGYCLOPEDIA REPUBLICANA

  • Page 232 and 233:

    nn ENOYCLOPEDIA KEPUBLIGANA Homem e

  • Page 234 and 235:

    220 EtNCYCLOPEDIA HEPUBLICANA adora

  • Page 236 and 237:

    222 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA Sigo d

  • Page 238 and 239:

    224 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA III Qu

  • Page 240 and 241:

    ENOYCLOPEDIA REPUBLICANA 80-81) ond

  • Page 242 and 243:

    228 EXGVr.LOPEDIA REPUBLICAxNA quer

  • Page 244 and 245:

    830 E:\CYCLOPEDIA REPUBLICANA de i:

  • Page 246 and 247:

    è32 EiNCYCLOPEDIA REPUBLICANA seus

  • Page 248 and 249:

    234 Porlimão, Ferragudo, e Meixilh

  • Page 250 and 251:

    236 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA Ajoelh

  • Page 252 and 253:

    238 ENGYCLOPEDIA REPUBLICANA tas, m

  • Page 254 and 255:

    240 ENCYCLOPEDIA UEPUBLICANA com a

  • Page 256 and 257:

    t42 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA Duas a

  • Page 258 and 259:

    244 EXCYCLOPEDIA REPUBLICANA Lisboa

  • Page 260 and 261:

    246 ENCYCLOPEDIA REPUBLICANA da hon

  • Page 262:

    Reis Dâmaso: — O homem das caute

  • Page 269 and 270:

    «NDINQ si^oi. DEC 8 1982 VE POCKET

O Panorama; semanario de litteratura e instrucção. v. 1-5, maio 6 ...
O Panorama; semanario de litteratura e instrucção. v. 1-5, maio 6 ...
Manual de litteratura; ou, Estudos sobre a litteratura dos principaes ...
Obra Completa - Universidade de Coimbra
A nova geração; estudo sobre as tendencias actuaes de litteratura ...
Revista Trendy
Revista LiteraLivre 2ª Edição
O Panorama; semanario de litteratura e instrucção. v. 1-5, maio 6 ...
download da revista - Irmãs de São José
revista BANG! [ ] - Saída de Emergência
Revista de Letras - Utad
Revista Criticartes 5 Ed
Clique aqui para fazer o download da revista em formato ... - Portal Its
Revista - Associação Brasileira de Águas Subterrâneas
Revista do Ibama Ano II-nº4
Revista Pneus e Cia nº10 - Sindipneus