Julho de 2012 - ABACE

abace.org.br

Julho de 2012 - ABACE

O Jornal da Abace - Brasília, DF, julho de 2012 - Ano XIV - Número 165

UM BRINDE HISTÓRICO!

Assembléia Geral

referenda novo

Estatuto da ABACE

No dia vinte e cinco de junho de 2012, na sede da Associação

Brasiliense de Aposentados do Banco Central - ABACE, situada no

conjunto “Venâncio 2000”, em Brasília (DF), realizou-se a

Assembleia Geral Extraordinária, divulgada através do Edital de

17.05.2012, encaminhado a todos os associados convocandoos

para discussão e aprovação do novo Estatuto da ABACE. De

acordo com a ata da reunião, a Assembleia foi iniciada, em

segunda e última chamada, às dez horas e trinta minutos com

quinze associados presentes , como previa o edital.

Os trabalhos tiveram início com a eleição do Presidente e

Secretário para a Assembleia. Por unanimidade foram eleitos

para as funções, respectivamente, os associados Carlos Everaldo

Alvares Coimbra e Edios Ribeiro da Silva.

Após o debate que culminou com a aprovação do novo Estatuto,

os presentes ergueram um brinde histórico, com confiança no

futuro da Associação Brasiliense de Aposentados do Banco

Central. Depois, todos se dirigiram ao clube da ASBAC, onde

juntaram-se a outros associados para um churrasco de

confraternização em homenagem aos 25 anos da ABACE,

completados no mesmo dia. A comemoração de gala, no entanto,

está sendo preparada para setembro deste ano, com uma grande

festa e edição de revista comemorativa ao Jubileu de Prata da

entidade, contando sua história de lutas e conquistas.

No alto, brinde histórico celebra aprovação do novo Estatuto

da ABACE, após Assembleia Geral Extraordinária realizada no

dia 25 de junho de 2012, na sede da Associação; Acima, mesa

diretora composta por Edios Ribeiro da Silva (Secretário Geral),

Carlos Everaldo (Presidente) e Walter Gomes de Oliveira

(Presidente da ABACE); Abaixo, funcionárias e associados

preparam festa de recepção com churrasco comemorativo aos

25 anos da ABACE.

(Mais detalhes na página 3)


Editorial

Para mantermos nossa Associação bem viva,

é imprescindível criar, projetar, planejar e, claro,

realizar. Tudo, muito óbvio, pode parecer.

Contudo, nem sempre é fácil cumprir todos esses

anseios. É incrível como o tempo nos surpreende

e nos atropela. Ainda ontem planejávamos a

reforma dos nossos Estatutos e tudo com muita

tranquilidade, pois tínhamos, de acordo com

nossa programação, mais de um ano pela frente.

O que parecia distante já está presente.

Felizmente, os Associados que se dispuseram a

trabalhar na reforma da nossa Convenção agiram

com muita dedicação e eficiência e, assim,

conseguiram concluir a importantíssima tarefa

que lhes foi proposta. Finalmente, decorrido o

período de quase 60 dias, em que o documento

esteve à disposição do Corpo Social no nosso

portal, na internet, e enviado por e-mails para

muitos, para efeito de apresentação de

sugestões, as Comissões reunidas ultimaram o

trabalho, consolidando o documento inclusive

com a incorporação das sugestões que foram

enviadas. Felizmente, no dia 25 de junho, a

Assembleia Geral, num clima de muito orgulho e

alegria, aprovou o novo Estatuto, conforme

noticiamos nesta edição.

Não obstante nosso

clima de comemorações e festividades neste ano

do JUBILEU DE PRATA DA ABACE, haja vista os

encontros sociais que temos realizado, como

almoços, cafés-da-manhã, chá festivo, etc. e das

interessantíssimas palestras que têm sido

realizadas em nosso auditório sobre os temas de

saúde – medicina natural, direito de família e

outras, num ambiente de muita participação e

total descontração, temos de enfrentar e

administrar também os problemas institucionais

relacionados com nossas aposentadorias. Um

NOSSO AGORA

Ricardo Gondim, no seu artigo TEMPO

PRESENTE, nos diz que, ao recontar seus anos,

descobriu que tinha menos tempo para viver daqui

para frente do que já viveu até agora.

Lembra-nos que se sentiu como aquele menino

que, ao ganhar uma bacia de jabuticabas, chupou

displicentemente as primeiras, porém, ao perceber

que faltavam poucas, passou a roer o caroço.

Dentre outras pérolas, nos diz: “Já não tenho

tempo para lidar com mediocridades”,

acrescentando mais adiante: “Sem muitas

jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente

humana, muito humana, que saiba rir dos seus

tropeços e que não se encanta com seus triunfos...”

No seu “menos tempo para viver”, quis o autor

certamente nos dizer que o que temos em verdade é

NOSSO AGORA, expresso nos anos que nos

restam, porquanto os demais anos já se foram,

tragados pela implacabilidade do tempo,

ABACE - Associação Brasiliense dos Aposentados do Banco Central - Página 2

deles é a perturbadora e inaceitável cobrança que

o Banco Central do Brasil vem fazendo a muitos

aposentados do RJU sobre devolução do FGTS

do período de 1991/1996. É bem verdade que o

SINAL, que, à época, impetrou a ação judicial

respectiva está tomando todas as providências

no sentido de defender o aposentado,

orientando-o sobre a forma de proceder diante

dessa exigência que tanto vexame vem causando

aos colegas. Nesta edição transcrevemos

comunicados do Sindicato e outros esclarecimentos

a respeito. Tratamos nesta edição

também sobre a ação judicial da ABACE,

patrocinada pelo falecido advogado Dr. Décio

Nunes Teixeira, para afastamento do imposto de

renda sobre o pecúlio recebido da CENTRUS em

vida. E por falar no escritório do falecido

advogado Décio, estamos neste número do

NOSSA VOZ prestando importantes esclarecimentos

sobre carteira de ações judiciais do

referido advogado, formada, em grande parte,

por demandas de ex-servidores do Banco

Central. Porém, o que pesa mesmo é ter de

encarar realidades que não podemos modificar –

apenas devemos aceitar. Aquelas impostas pelo

Ser Supremo, que dispõe de nossas vidas, dos

nossos destinos. Não raro, estamos sendo

circunstância que nos aconselha seguir o exemplo

daquele menino que mais saborosas fez as últimas

jabuticabas que lhe restavam na bacia, pelo que

roeu até o caroço.

Pois bem, tal qual aquele garoto, que, com sua

extrema sensibilidade, teve, nas últimas

jabuticabas, o melhor sabor, vamos extrair dos

últimos anos, que temos pela frente, o melhor que

eles nos têm a oferecer, bastando, para isso, que

nos apeguemos às coisas boas e belas, com as

quais é tão pródiga a vida em nos brindar, trazendoas

para bem perto do nosso dia a dia.

Disse-nos um pensador: “Se não levarmos

poesia e beleza conosco, é inútil percorrermos o

mundo”. Quanta verdade! E quão verdadeiro é esse

pensamento, para nos dar a certeza de que

poderemos construir nosso próprio mundo com

essa mesma moldura poética para, juntos,

percorrê-lo: nós e aqueles que nos são mais caros,

comunicados das dificuldades de colegas sobre

sua saúde, do falecimento de grandes colegas e

amigos, de companheiros que muito fizeram por

nossa Associação, que se dedicaram às nossas

causas com desvelo, movidos pelo sentimento

de colaboração e solidariedade. Está ainda bem

viva em nossa memória o empenho do saudoso

colega Roberto Sholl na solução dos assuntos

relativos às nossas aposentadorias.Tentamos

aqui também prestar ao Sholl uma singela porém

sincera homenagem. Não me canso de realçar

que o Sholl, com sua inteligência e disposição

para o trabalho contribuiu, de forma decisiva para

o sucesso de muitos dos pleitos dos colegas que

migraram, por força de Lei, do regime celetista

para o de estatutário, enfrentando, naqueles

momentos uma transmigração de matriz de

direitos muito complexa, que exigiu estudo e

muita prospecção para evitar as perdas que por

certo se consumariam e sumiriam na poeira dos

tempos não fossem o conhecimento e a

perspicácia de colegas como Sholl. Tudo isso,

todo esse esforço, ele nos ofereceu com o

sentimento apenas de coleguismo e solidariedade.

Sholl nos deixou; que a sua alma

descanse em paz, como recompensa de suas

ações neste plano.

já que não faz sentido querermos só para nós aquilo

que nos é prazeroso, valendo não esquecermos,

pelo quanto nos agrada relembrá-lo, que nossa vida

é o reflexo de tudo aquilo que plasmamos em nossa

mente.

Veja quantas pessoas se perdem, se agridem e

se desviam do que lhes seria útil e agradável, pelo

hábito de condenar o mundo e as pessoas, vendo

neles apenas defeitos, quando altruístico seria

descobrir virtudes, o que valeria como estímulo à

prática de ações em defesa de causas nobres, para

reconstrução de um mundo melhor.

Vale ainda lembrar, para reflexão, a máxima de

Arthur Graham, que, com muita propriedade,

proclama: “Uma das razões pelas quais temos

tantos problemas na vida é porque insistimos em

esquecer coisas que deveríamos lembrar e porque,

deliberadamente, nos lembramos de coisas que

deveríamos esquecer”.

José Paes Landim


ABACE - Associação Brasiliense dos Aposentados do Banco Central - Página 3

Após 25 anos, ABACE tem novo Estatuto

Não há dúvidas. O dia 25 de junho de 2012 está

marcado como um dos mais importantes na

história da ABACE. Em reunião na sede da entidade,

no conjunto “Venâncio 2000”, em Brasília

(DF), realizou-se a Assembleia Geral Extraordinária,

de suma importância para o futuro da

Associação, com discussão e aprovação do seu

novo Estatuto, após 25 anos de lutas e conquistas.

Os trabalhos da Assembleia Geral Extraordinária

tiveram início com a eleição do Presidente e

Secretário. Por unanimidade foram eleitos para as

funções, respectivamente, os associados Carlos

Everaldo Alvares Coimbra e Edios Ribeiro da Silva.

De acordo com a ata da reunião, a Assembleia foi

iniciada, em segunda e última chamada, às dez

horas e trinta minutos, como previa o edital de

17.05.2012, com quinze associados presentes.

Terminada a leitura do edital de convocação, o

presidente da Assembleia passou a palavra ao

Presidente da Diretoria Executiva da ABACE, Walter

Gomes de Oliveira, para que ele fizesse a

apresentação do Estatuto proposto. Walter

justificou a necessidade da reforma do Estatuto,

principalmente para colocá-lo em perfeita sintonia

com o desenvolvimento da Associação, entre

outros motivos de real importância. Depois leu os

itens que representavam mudanças substantivas

em relação ao estatuto anterior e discorreu sobre o

método que foi utilizado para elaboração da nova

peça. Começou dizendo que tudo foi planejado a

partir de outubro de 2011, quando foram

designadas duas Comissões de quatro membros

cada uma para trabalharem de forma complementar

nas fases de criação e estruturação da nova

Convenção e, posteriormente, sua revisão geral e

aperfeiçoamentos, que cumpriram suas tarefas nos

devidos prazos, de forma que permitiu a divulgação

da minuta concebida no site da Associação por um

período superior a três meses e a expedição de

vários comunicados para o Corpo Social

informando a aqueles que não utilizam computador

que poderiam solicitar o envio da minuta pelo

Correio para fazer a sua apreciação e, eventualmente,

sugestões. Integraram as Comissões os

Associados Cairo Túlio Cesar de Sousa Cordeiro,

Fernando de Oliveira Ribeiro, José Augusto Alves

Barros, Luiz Gustavo Lins Cavalcante, Celso

Agostinho Martins de Oliveira, Edgard Dias Junior,

José Joviniano Melo e José Romero Libório. Ainda

de acordo com Walter de Oliveira, as sugestões

recebidas foram examinadas pelas duas Comissões

conjuntamente, tendo sido acolhidas algumas

e rejeitadas as demais. Tudo foi cumprido com

admirável fidelidade ao que havia sido pensado no

início, inclusive que a minuta final seria submetida ao

crivo da Assembleia Geral, como de fato foi feito.

Finalizada a exposição do Presidente da ABACE,

o Presidente da Assembleia Geral passou então a

palavra para Fernando de Oliveira Ribeiro, Diretor da

Associação, que elogiou o trabalho das Comissões

e o empenho de produzirem uma peça moderna e

adequada ao nosso estágio atual como feito. Trouxe

também uma informação muito importante que

poderá ter reflexo no dispositivo que trata das

Contribuições dos Associados – o Art. 8º. De acordo

Mesa diretora, composta por Edios Ribeiro da Silva e Carlos

Everaldo (respectivamente Secretário Geral e Presidente da

Assembleia); e Walter Gomes de Oliveira (Presidente da ABACE).

com o Sr. Fernando, existe possibilidade muito

grande de o Convênio INSS/CENTRUS, para efeito

de pagamento de benefícios, ser extinto, em

decorrência de medida governamental. Este fato,

segundo lembrou Fernando, poderá trazer

dificuldades para que o percentual previsto de

contribuição seja aplicado sobre o benefício total

dos Assistidos da Centrus, criando, dessa forma,

um sério complicador para que seja obtida a

integralidade da receita da Associação. Depois de

muita discussão sobre assunto, a Assembleia

decidiu que aprovaria o Estatuto no seu inteiro teor

e, ao mesmo tempo, deixava sua autorização para a

Diretoria Executiva promover apenas no Item I, do

Art. 8º mudança exclusivamente de caráter

redacional, de forma a adequá-lo para que em

qualquer hipótese – manutenção ou extinção do

Convênio – a Centrus possa operacionalizar o

percentual da contribuição mensal do associado

sobre o benefício total recebido. Outras

observações foram feitas pelo Diretor Fernando a

respeito do Art. 30 – Disposições Transitórias, que

trata da prorrogação do mandato da atual diretoria

por um ano e sua preocupação com uma escoima

Um brinde e 15 assinaturas importantes

A Assembleia foi iniciada, em segunda e última chamada,

às dez horas e trinta minutos do dia 25 de junho de 2012,

com quinze associados presentes, como previa o edital.

A foto mostra o brinde após aprovação do novo Estatuto

da ABACE. Da espequerda para a direita: Nye Martins,

Libório, Edgar, Borba, Murilo, Celso Agostinho, Antonio

Torquarto, Carlos Everaldo, Walter, Constantino,

Fernando Ribeiro, Srª. Iracelis (esposa do Sr. Renato

Laranjeira), Edios Ribeiro, Deana e Renato Laranjeira.

final da peça, para garantir a sua perfeição. O

Associado José Romero Libório, no entanto,

discordou da necessidade de nova revisão nesse

sentido, justificando que isso foi observado com

muita atenção pela Comissão revisora. Em final, o

Presidente da Assembleia Geral, Carlos Everaldo,

que também participou ativamente de todos os

debates, colocou em votação a peça na forma

apresentada, obtendo como resultado a aprovação

por unanimidade da minuta e das providências

recomendadas pela Assembleia.

Após o debate que culminou com a aprovação

do novo Estatuto, os presentes ergueram um brinde

histórico, com confiança no futuro da Associação

Brasiliense de Aposentados do Banco Central.

Depois, todos se dirigiram ao clube da ASBAC, onde

se juntaram a outros associados para um churrasco

de confraternização em homenagem aos 25 anos

da ABACE, completados no mesmo dia. A

comemoração de gala, no entanto, está sendo

preparada para setembro deste ano, com uma

grande festa e edição de revista comemorativa ao

Jubileu de Prata da entidade, contando sua história

de lutas e conquistas.


SINAL se manifesta sobre cobrança do

%

FGTS relativo ao período 1991 a 1996

- - O processo é dinâmico e, obviamente, já teve ofício de cobrança do FGTS sacado no período de

vários desdobramentos depois desses informes do 1991 a 1996. O modelo de resposta está disponível

SINAL, publicados também em nossa página na no portal www.sinal.org.br e nas regionais do Sinal.

%

internet. Entretanto, pelo enfoque que foi dado, É importante ressaltar também que foi ajuizado

demonstrando a origem do assunto, julgamos Mandado de Segurança com pedido de liminar

importante publicá-lo para que os envolvidos determinando

a imediata sustação do envio desse

possam melhor se situar.

tipo de correspondência, bem como a proibição

O Sinal informa aos seus filiados que já está de efetivação da ameaça de inscrição na Dívida

+

disponível o modelo de resposta a ser encami- Ativa e no Cadastro Informativo de créditos não

nhado ao Depes pelos servidores que receberam quitados do setor público federal – Cadin.

Breve Histórico

O Banco Central do Brasil foi criado pela Lei nº a devolução dos valores depositados pelo Banco haviam sacado o FGTS por aposentadoria,

4.595, de 31.12.64, com natureza jurídica de nas contas do FGTS a partir de 1º.01.1991. doença, compra da casa própria ou qualquer

autarquia pública federal, sendo seus servidores O SINAL impetrou um Mandado de Segurança outro motivo, não havia interesse no acordo, uma

enquadrados na categoria de bancários, regidos Coletivo em Brasília (DF) e uma Ação Ordinária no vez que, por não terem FGTS a sacar, estariam

pela CLT.

RJ para pedir o desbloqueio das contas que apenas autorizando a cobrança de uma dívida de

A situação jurídica dos servidores do Bacen foram bloqueadas, tendo obtido liminar nos dois legalidade duvidosa.

prevaleceu no regime da Constituição de 1988 e processos determinando que a CEF não repas- Houve também casos de servidores que,

foi mantida pelo artigo 251, da Lei 8.112/90, que sasse ao Banco Central os valores bloqueados mesmo tendo saldo de FGTS bloqueado, não

perdeu a validade em face do julgamento da ADIn até a decisão final das ações.

assinaram o acordo por questões de foro íntimo,

449-2/DF, ocorrido em setembro de 1996 e Uma outra grande pendência entre o Bacen e pois se recusavam a assinar uma confissão de

publicado no DJ de 22.11.96.

seus servidores era a tentativa, por parte do Banco, dívida que tinham convicção de que era ilegal.

Com a eficácia ex tunc da ADIn, todos os de obter a devolução dos valores pagos, em 1994, Os servidores que não assinaram o acordo

servidores ativos do Bacen foram transpostos do por força de ação judicial que determinou o permaneceram nos respectivos processos

regime celetista para o Regime Jurídico Único – pagamento do chamado Plano Bresser.

aguardando decisão final da Justiça.

RJU a partir de 01.01.1991.

Apesar de haver obtido êxito em ação Com relação à devolução do Plano Bresser, o

Todos os servidores que já estavam rescisória, a justiça não determinou a devolução Sinal impetrou mandado de segurança, cuja

aposentados em 31.12.1990 permaneceram dos valores já pagos, o que fez com que o Banco decisão foi favorável aos servidores, impedindo o

regidos pela CLT e aqueles que se aposentaram a não lograsse êxito nas suas tentativas de Bacen de efetuar a cobrança.

partir de 1º.01.1991 tiveram as suas aposen- cobrança.

Quanto aos processos, o mandado de

tadorias convertidas para o RJU, na forma prevista Juntando essas duas pendências, foi editada, segurança está aguardando julgamento de

na Lei 8.112/90.

em junho de 2002, a Medida Provisória nº 45, que Recurso Extraordinário do Sinal e a ação

Para disciplinar essas novas relações, foi previa a possibilidade de levantamento, pelo ordinária ajuizada no RJ, embora tenha

editada a Medida Provisória 1.535/96, a qual, servidor, dos saldos do FGTS 91/96 bloqueados decidido que os saldos bloqueados na CEF

após várias reedições, foi convertida na Lei na Caixa Econômica Federal, desde que relativo aos depósitos efetuados no período de

9.650, de 28.05.1998.

assinasse um documento autorizando a 1991 a 1996 não deveriam ser liberados,

Na sétima edição da MP 1535, em junho de cobrança do Plano Bresser.

deixou claro que os valores já sacados não

1997, foram incluídos parágrafos estabelecendo Acontece que para os servidores que já poderiam ser exigidos.

Fique de olho!

ABACE - Associação Brasiliense dos Aposentados do Banco Central - Página 4

Conforme divulgado nas edições anteriores dos Apitos n° 55, de 14 de maio de 2012, e n° 60, de 21 de maio de 2012, o Sinal ajuizou mandado de

segurança com pedido de liminar para suspender a cobrança feita pelo BACEN referente ao FGTS que foi sacado no período de 1991 a 1996 de acordo com a

legislação vigente à época.

Inicialmente o processo, que recebeu o n° 0023328-56.2012.4.013400, havia sido distribuído ao juiz Alexandre Vidigal, da 20ª VF/DF. No dia 25.05.2012, o juiz

Alexandre Vidigal proferiu decisão alegando impedimento para julgar a causa, por ter grau de parentesco com pessoa participante da ação e determinou o envio do

processo ao juiz substituto.

Diante dessa decisão, o processo foi concluso para a juíza substituta, Mara Lina Silva do Carmo, em 25.05.2012. No final do dia 06.06.2012 fomos informados

pelo advogado da ação que o pedido de liminar feito foi indeferido pela juíza.

A decisão não analisou grande parte dos argumentos trazidos na inicial, como por exemplo, prazo prescricional para a cobrança, direito adquirido, ato jurídico

perfeito, princípio da segurança jurídica, entre outros. A liminar, em resumo, foi indeferida nos seguintes termos:

“(...)

Assim, ao declarar a inconstitucionalidade do art. 251 da Lei n° 8.112/90, o STF entendeu que aos servidores do Banco Central do Brasil deveria ser aplicada a Lei

n° 8.112/90, não havendo que se falar em aplicação das regras da Lei n° 4.595/64.

Além disso, face à adoção do princípio da nulidade da lei inconstitucional em nosso sistema, que, em regra, declara a lei inconstitucional desde seu nascedouro,

vê-se que indevido foi o recolhimento do FGTS no período posterior à edição da Lei n° 8.112/90. (...) Diante disso, INDEFIRO O PEDIDO DE LIMINAR.”

A luta pelo direito dos filiados continua, o próximo passo será a interposição de um recurso chamado Agravo de Instrumento, que é ajuizado diretamente no

Tribunal Regional Federal, pedindo a reforma da decisão de 1ª instância e a concessão da liminar para suspender as cobranças feitas e qualquer ameaça de inscrição

no CADIN.

Diretoria Jurídica – Sinal Nacional


ABACE - Associação Brasiliense dos Aposentados do Banco Central - Página 5

PALESTRA SOBRE INVENTÁRIOS E PARTILHAS

No dia 15 de maio, tivemos em nossa sede uma própria palestrante, deram-se de forma simples e O encontro foi tão envolvente que a palestrante,

interessante e muito proveitosa palestra sobre direta, sem pejo nem constrangimento das extrapolando o seu horário, permaneceu no

Inventários e Partilhas, proferida pela advogada Dra. pessoas, muito contribuiu também para o sucesso auditório até por volta das 13 horas, respondendo e

Celia Arruda de Castro. Extremamente competente, do encontro.

esclarecendo dúvidas..

com especialidade no ramo de direito das famílias, Finalmente, Dra. Célia chamou a atenção de Parabéns à palestrante e àqueles que

Dra. Célia pela segunda vez nos brindou com sua todos sobre os cuidados especiais que se deve ter compareceram e participaram efetivamente com

admirável capacidade de didática, com uma sempre em relação a documentação, prazos, datas, seus questionamentos. É pensamento da Diretoria

verdadeira aula, desta vez sobre inventários e registro de nomes e sobrenomes, nos processos propor, em breve, parceria com o escritório da Dra.

partilhas.

Os participantes do encontro, motivados pelos

sobre os assuntos em tela.

Célia para atendimento aos nossos associados.

exemplos de ordem prática apresentados pela

palestrante a respeito do tema, envolveram-se

fundamente nas questões, estabelecendo até

mesmo paralelos com situações particulares que,

não raro, foram submetidas à consideração da

advogada.

Sem frustrar em nenhum momento qualquer dos

autores de proposições, Dra. Célia atendeu com

muita atenção a todos, dentro das limitações de um

quadro meramente coloquial. O nível dos

questionamentos que, inclusive por estímulos da

PARTICIPAÇÃO DE ASSOCIADOS É IMPORTANTE!

Apesar dos esforços desta Diretoria em oferecer palestras e debates de alto nível, trazendo

assuntos de grande importância para todos, o comparecimento e interesse dos associados tem se

mostrado pequeno.

Quem perde é quem deixa de se esclarecer em assuntos tão relevantes quanto os que temos

trazido para nossa associação.

Para incrementar uma maior participação informamos que estamos interessados em sugestões

de assuntos para palestras, podendo o associado sugerir através de e-mail ou em contato pelo nosso

telefone: 3323-1390.

PARA REFLETIR

Neste número do Nossa Voz, por sugestão do associado Edgard Dias Jr. , publicamos poemas do filósofo chinês Lao-Tsé,

que viveu possivelmente no Século VII aC. Os versos são uma contribuição a esta nova seção, que trará sempre textos

para refletir. Mande VOCÊ também a sua sugestão!

Simplicidade do Coração como Força Cósmica

Do homem, forte em sua virilidade,

Aliado à delicada feminilidade,

Brotam as nascentes do mundo.

Nele está a fonte da vida,

E por isto não será jamais abandonado

Pelas forças que radicam no próprio Eu.

Regressa à ingenuidade da criança

O homem penetrado de luz.

Prefere conservar-se no escuro

Quem se tornou a luz do mundo,

Porque ele é autoluzente.

Jamais o desertarão as potências da luz.

Remonta até à fonte da vida

Quem sabe da sua interna grandeza,

E, não obstante, permanece humilde

Por ele é redimido o mundo.

Sem fim é o borbulhar da sua força

Quem encontrou a simplicidade do seu coração.

Maestria da Vida por uma Dignidade Silenciosa

Quem de boa vontade carrega o difícil

Supera também o menos difícil.

Quem sempre conserva a quietude

É senhor também da inquietude.

Por isto, o sábio carrega de boa mente

O fardo da sua jornada terrestre.

Nunca se deixa iludir

Por deslumbrantes perspectivas.

Trilha com tranquila dignidade

O seu solitário caminho.

O homem profano, porém,

Que se derrama pela vida superficial,

Se esta simplicidade de coração

Se difundir entre os homens,

Tornarão eles a compreender

O mistério de Tao.

O sábio designa homens desses

Para os pontos-chave do mundo

E, graças a homens desses,

O mundo será regenerado.

O verdadeiro poder nasce de dentro do homem.

Explicação: o que provém das conveniências

sociais não tem valor, mas, sim, o que nasce da

consciência individual. Não são as convenções

superficiais do ego que dão dignidade ao homem,

mas, sim, a sua convicção de profundidade. O que

vale é o que o homem é, não o que o homem diz ou

faz ou tem.

Dissolve com sua leviandade

A solidez da sociedade;

Destrói com sua inquietude

A quietude do Reino,

E destrói, também, o seu próprio Reino.

Explicação: o valor não está em atos, mas na

atitude; não está no dizer ou no fazer, mas no Ser. O

Ser é a fonte; o fazer e o dizer são apenas canais,

cujo conteúdo não existe por si, mas graças à

fonte.

Cultura Genuína

Quem anda direito não deixa rasto,

Quem fala bem não diz desacertos.

Quem calcula bem não usa lembretes.

Que fecha bem dispensa fechaduras e ferrolhos,

E, contudo, ninguém o pode abrir.

Quem amarra bem não usa corda nem barbante,

E, contudo, ninguém pode desatar.

Assim, o sábio, em sua madureza,

Sabe sempre ajudar os homens.

Para ele, ninguém está perdido.

Sabe aperfeiçoar tudo o que existe,

E não vê mal em ser algum.

É este o duplo segredo

De toda a realização do homem:

O homem pleni-realizado

Ajuda sempre ao menos realizado.

O homem mais culto

Ajuda sempre ao menos culto.

Pelo que o homem trata com reverência

Ao homem mais maduro que tu.

E envolve em sincero amor

Aquele que necessita de ti.

Quem não age assim

Ignora a cultura genuína.

Vai nisto um grande segredo.

Explicação: o verdadeiro sábio está sempre

disposto a ajudar o menos sábio. A suprema sabedoria

tolera de boa mente ser tachada de loucura.

Quem traz dentro de si o testemunho da

sapiência pode tranquilamente passar por insipiente.

Não necessita ostentar grandeza quem é

realmente grande. Só os pseudos-sábios e os

pseudograndes fazem alarde de sua sapiência e

grandeza.


Medicina Biológica: palestra mostrou como ter mais qualidade de vida

SAÚDE É O QUE INTERESSA, O RESTO

NÃO TEM PRESSA! – Era um slogan de certo

personagem de televisão, de determinado

programa do saudoso Chico Anísio. Vale muito

pra nós, agora. Na verdade, a saúde nos

habilita a desfrutar a aposentadoria com

plenitude.

Evidentemente, nós, como diretores da

ABACE e como aposentados também, temos

obrigação de manter-nos atentos a essas

máximas. Assim é que no dia 08 de maio de

2012, tivemos, no auditório “João Pedro

Pereira de Faria”, em nossa sede, um

encontro/palestra com o Dr. Francisco

Humberto de F. Azevedo, nutrólogo, geriatra,

homeopata e também clínico geral, versando

sobre MEDICINA BIOLÓGICA.

O tema foi muito interessante para todos

pois, no seu desenvolvimento, Dr. Francisco

falou de terapias biológicas como Estimulação

Magnética, Ozonioterapia, Oxigenioterapia,

Radiofrequência, etc., meios que a medicina

naturalista utiliza para tratar e curar diversos

males sem recorrer aos tradicionais remédios

que podem curar também, porém causando,

não raro, muitos efeitos colaterais. Contudo, o

ponto alto do encontro foi exatamente quando

nosso palestrante começou a falar da

alimentação.

Ele comentou sobre os vários alimentos os

quais estão sempre presentes em nossas

mesas, que escondem perigosas substâncias

agressoras ao nosso organismo, colocando em

risco a saúde perfeita. Analisou amplamente os

hábitos modernos, porém nocivos à saúde,

incorporados ao nosso dia-a-dia, que,

segundo ele, muito contribuem para o

enfraquecimento do homem. Demonstrou o

quanto é importante que nos afastemos,

sempre que pudermos, dos alimentos

industrializados, dando preferência aos

alimentos in natura. Enfim, deu-nos um

verdadeiro alerta sobre como exercermos

essa fundamental função do organismo –

alimentar-se.

Os Associados presentes participaram

ativamente do encontro, fazendo muitas

perguntas ao Dr. Francisco, todas elas

respondidas de forma simples, com muita

atenção. Sem dúvida, foi mais um evento útil e

agradável da nossa ABACE.

CHÁ DA TARDE INOVOU A COMEMORAÇÃO DO DIA DAS MÃES

Em 25.05.2012 um grupo de Associados da

ABACE, acompanhado de alguns amigos e

parentes, saiu de Brasília com destino a Portugal,

para curtirem as delícias de um passeio pelo velho

continente, programado pela CONEXTUR.

Acompanhou o grupo, como representante da

empresa, o experiente e cativante profissional da

área de turismo, Osvaldo Joaquim. Muito eficiente

e responsável, Osvaldo mereceu elogio de todos

que integraram a delegação.

Até 06.06.2012, data do retorno ao Brasil, a

delegação cumpriu um roteiro turístico dos mais

agradáveis e instrutivos, conforme descrevemos:

Inicialmente, foi feito um city tour por Lisboa

com parada em alguns pontos de maior interesse,

tais como passagem pela Avenida da Liberdade,

Praça do Marquês de Pombal e Baixa Pombalina,

reconstruída após o terremoto de 1755, no Século

XVI e que é hoje emblema turístico da capital

portuguesa.

Dentre os pontos marcantes com 100% de

satisfação do grupo, destaque para as visitas a

Fátima , como local de peregrinação, o Museu Vida

ABACE - Associação Brasiliense dos Aposentados do Banco Central - Página 6

Neste ano do nosso JUBILEU DE PRATA temos

procurado dar aos eventos sociais, mesmo àqueles

que já fazem parte do nosso calendário,

tradicionalmente, uma feição mais aconchegante,

realçando o sentido do nosso associativismo e os

benefícios que temos auferido com ele nos planos

sócio-recreativo, sócio-cultural e na defesa dos

nossos direitos como aposentados.

Assim é que realizamos, em homenagem às

mães, um Chá festivo nas dependências da ASBAC.

Foi um encontro dos mais agradáveis, que contou

com a presença de aproximadamente160 pessoas.

Um serviço de Buffet de primeiríssima qualidade

foi contratado para servir-nos. Deliciamo-nos com

uma grande variedade de tortas, doces e salgados,

pães, bolos, queijos e tapioca feita na hora, além

dos diversos tipos de chás, chocolate quente, café,

sucos de frutas naturais, etc. Na verdade ficamos,

depois, com um certo complexo de culpa pois

certamente devemos ter interferido na silhueta de

muitos(as) dos(as) participantes que se fartaram

com as irresistíveis ofertas.

E para animar mais ainda a festa, o Torquato nos

arranjou um violonista de primeira linha, o

verdadeiro artista do som, Marinho Lima. O Lima,

com seu maravilhoso repertório, brindou os

presentes com músicas de vários estilos, todas

bem adequadas ao momento. Não resistindo aos

apelos daquelas belas harmonias, alguns até

“gastaram a sola do sapato” fazendo elegantes

volteios no salão improvisado.

Foi uma bela festa e uma belíssima tarde!

Viagem às principais cidades de Portugal e Espanha

de Cristo, Aljustrel, onde viveram os Pastorinhos,

Cidade do Porto, Igreja da Lapa, Palácio da Bolsa ,

Cave de Vinho do Porto para degustação, passeio

de barco pelo Rio Douro, com embarque no Cais de

Gaia e ida até a Estação da Régua , com retorno por

trem até a Estação do São Bento.

Na sequencia, city tour a Guimarães, Capital

Europeia da Cultura; Braga, centro religioso do país;

Barcelos, a conhecida pelo famosa lenda do “Galo”;

e Santiago de Compostela, Coimbra e Universidade,

Bibliotecas do Século XVIII, capela de São Miguel e

Évora, com parada em Santarém.

Diante do sucesso alcançado por mais este

projeto da ABACE, não temos dúvida de que muito

mais Associados estarão, em futuro próximo,

juntando-se a nós em novas viagens


ABACE - Associação Brasiliense dos Aposentados do Banco Central - Página 7

Amigos sempre presentes nas lutas da ABACE

Roberto Paulo Sholl da Silva, conhecido no

Banco pelos colegas simplesmente como Sholl,

foi grande colaborador na administração dos

assuntos jurídico-administrativos da ABACE,

durante o mandato do presidente Jayr Dezolt.

Sucedi ao Jayr e dou também o meu testemunho

que comigo não foi menor a colaboração que

recebi desse competente e saudoso colega,

falecido em 21 de abril de 2012. Na fase ainda de

transição dos colegas - de bancários para

estatutários - os problemas que surgiam eram

muitos e bastante intrincados, principalmente os

concernentes às mudanças na matriz que

compunha os direitos dos funcionários celetistas

transpostos para estatutários. Felizmente, tive

Sholl ao meu lado. Ele, que ficou também no

Outra grande perda também nos deixou triste no início

de 2012: faleceu no dia 18 de maio o nobre colega

Raimundo Nonato Marinho Campos, conhecido em

nosso meio por Campos. Residia em Teresina – PI, onde

findou também a sua existência terrena. Como tinha

familiares morando em Brasília, volta e meia o Campos

nos dava o prazer e a honra de sua presença às nossas

reuniões, palestras e até a alguns encontros festivos.

Apreciava as agradáveis tertúlias, em nossa sede, sobre

os problemas da aposentadoria, nossas histórias de

antigos funcionários e os comentários gerais de cidadãos

aposentados. Gostava da ABACE e nutria especial

consideração pelos colegas. Homem de modos à antiga

(espécime em extinção) era reverente no trato e sempre

rememorava os velhos amigos como Vavá e João Pedro.

Eu, Walter, que mantinha com ele permanente contato,

senti muito o seu passamento. Acompanhei, igualmente,

a sua última batalha. E, para mostrar a fugacidade da

vida, reproduzo abaixo um dos últimos e-mails enviados

por Campos.

segmento de servidores públicos do Banco

Central, se dispôs a liderar na ABACE o

acompanhamento das medidas jurídicoadministrativas

que iam emanando das

Instituições no decorrer do processo de

consolidação da mudança do regime. Foi a minha

sorte e, digo mais, de muitos colegas que

mudaram de regime também, pois o Sholl, como

ex-funcionário do BC e como advogado,

inteligente e arguto, não deixava escapar nada

que pudesse resultar em prejuízo para os

colegas. Analisava e interpretava os fatos com

muita competência e alertava, bem a tempo,

sobre as medidas que deveriam ser tomadas,

fossem no âmbito administrativo ou jurídico, para

evitar a consumação de prejuízos. Na realidade

ele atuou até como uma espécie de assessor do

próprio Banco, quando apontava eventuais

equívocos cometidos na interpretação de

normas e suas aplicações, obtendo, em seguida,

as devidas correções que, não raro, resultavam

em significativas diferenças de ordem financeira

em favor dos Servidores. Muitas das ações

judiciais também, com objeto nesses mesmos

assuntos, já encerradas com sucesso e outras

que tramitam ainda pelos Tribunais, foram

estruturadas com a supervisão dele. Todos nós,

portanto, ficamos devendo muito ao Sholl e,

agora, a única maneira de lhe recompensarmos é

realmente guardando-o em nossa memória

como um homem digno, correto e dotado de raro

espírito de solidariedade. Tenho certeza de que

brevemente comporá também o quadro dos

nossos inesquecíveis sócios beneméritos. Muito

obrigado, Sholl, por mim e por todos os colegas

do Banco Central que lhe devotavam amizade

verdadeira e consideração. Finalmente,

reconheço que se não fosse ele o homenageado

aqui, meu texto, com certeza, seria bem

melhorado ao passar pelo seu crivo. Mas, é a

Vida! Sigamos em frente.

Walter Gomes de Oliveira - Presidente

PELA LEMBRANÇA DO SHOLL

Não conheci o Sholl no ambiente de trabalho do Banco. Tornamo-nos amigos na ABACE, ao tempo em

que a presidi. Se me lembro bem, vários editoriais do nosso Jornal que fiz foram enriquecidos por ele, dada a

sua sagacidade em interpretar e melhorar o que eu pretendia dizer, expressar, aos integrantes da nossa

Associação e também aos colegas de nossas congêneres. Era preciso manter uma convivência de

harmonia entre as associações de aposentados do Banco, a fim de que pudéssemos unir forças nas lutas

que travamos por nossos direitos. Ele nos ajudou imensamente nessas tarefas, com ênfase especial na

resolução dos nossos problemas para a implementação do Voto 377/89. A “batalha” maior foi quando, no Banco, se preparavam as medidas

provisórias regulamentadoras da decisão do STF que determinou fossem os funcionários do Banco “transformados”, de bancários (celetistas) a

funcionários públicos (estatutários).

Escaparam dessa decisão os funcionários que se aposentaram até 31.12.1990. Coube-me, não me lembro por que, a tarefa de integrar grupo de

trabalho, no Banco, para a elaboração da primeira daquelas medidas provisórias . Na ocasião eu era “alimentado” com orientações do Fernando Ribeiro

e do Sholl, ele que era, além disso, uma espécie de “espião”, pois que, não sei como, descobriu, da noite para o dia, que, em uma das versões da medida

provisória em preparação, já estava incrustada a decisão de que os funcionários estatutários poderiam retirar da Centrus os saldos dos recursos que

aportaram na condição de celetistas. E do mesmo modo faria o Banco na contrapartida que houvera aportado à Fundação por aqueles funcionários.

Aqui está um pouco da estória do Sholl conosco, a quem sempre devemos muitos e muitos agradecimentos. Ele, que, além de muito competente no que

fazia, era sobretudo fraterno amigo e sincero. Que Deus o tenha.

Jayr Dezolt - Ex-presidente da ABACE

Raimundo Nonato Marinho Campos

Prezado amigo Walter,

(...) Quanto ao meu estado de saúde,

continuo na luta pela vida. Corri às pressas

para SP em busca de socorro médico no

A.C.Camargo - Hospital do Câncer e lá fui atendido com a

maior presteza possível, tudo por conta do prestígio

profissional do meu sobrinho Rodrigo, me encaixando

para atendimento imediato pelo médico-chefe da

hepatologia, que se reuniu com especialista no

procedimento de "ablação quimioterápica", via arterial,

bloqueando o nódulo surgido no meu fígado. Mas vamos tocar em frente, Deus é

Quem manda em tudo. Se Ele quiser, e vai querer, me será concedida uma

prorrogação da minha existência por mais algum tempo.

Não posso deixar de aqui prestar uma reverência e um grande agradecimento ao

nosso serviço de saúde (PASBC), muitíssimo conceituado no sistema de

atendimento hospitalar em SP.

Do amigo que muito o estima,

Campos


DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - ABACE

BALANÇO PATRIMONIAL - BP ENCERRADO EM 30/04/2012

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO - DRE ENCERRADA EM 30/04/2012

Brasília, DF, julho de 2012 - Ano XIV - Número 165 - Coordenação Editorial: Walter Gomes de Oliveira. Editoração/diagramação: Tomaz André (RP 2829/13/42-DRTDF). Assistente de arte: Jaqueline Monteiro Medeiros Nascimento

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Constantino Aires Vieira Filho - constatino@abace.org.br

José Francisco Desideri Santoro - jfds1@terra.com.br

Silvio Emanuel Cordeiro Simões - hemanoel@ig.com.br

Roberto Alves de Britto - robertobrito@uol.com.br

José Augusto Alves de Barros - jaabarros@hotmail.com

DIRETORIA EXECUTIVA

Presidente: Walter Gomes de Oliveira - presidente@abace.org.br

Vice-Presidente: Cairo Túlio Cesar de Sousa Cordeiro - cairotulio@yahoo.com.br

Diretor Administrativo: Edgard Dias Junior - edgard@abace.org.br

Diretor Financeiro: Fernando de Oliveira Ribeiro - fernando@abace.org.br

Diretor Secretário: Murilo Moreira Veras - murilo@abace.org.br

Diretor Sócio-cultural e de Divulgação: AntonioTorquato dos Santos - torquato@abace.org.br

Diretor de Turismo e Esporte: Cesar Martins Borba - cesar@abace.org.br

ABACE - Associação Brasiliense dos Aposentados do Banco Central - Página 8

CONSELHO FISCAL

Efetivos:

Benito Lima Vasconcelos - benito@abace.org.br

José Romero Libório - medeirosalberto@gmail.com

Alberto de Medeiros - jose.romero@brturbo.com.br

SCS - Qd. 8 - Bl.B50, 8º andar,

Sls. 813/831- Ed. Venâncio 2000

CEP:70.333-900 - Brasília - DF

Fone: (0**61) 3323-1390

Fax: (0**61) 3321-7194

e-mail:abace@abace.org.br

More magazines by this user
Similar magazines