EBDA incentiva atividade pesqueira em Cairu

ebda.ba.gov.br

EBDA incentiva atividade pesqueira em Cairu

Nº292 - 22 de Fevereiro de 2013 | www.ebda.ba.gov.br

EBDA incentiva

atividade pesqueira

em Cairu

Foto: Rejane Carneiro

Pescadores artesanais e marisqueiras do Território de Cidadania Baixo Sul, contam com a Assistência Técnica e Extensão Rural

(Ater), da EBDA, nas atividades de pesca e beneficiamento dos produtos. Os trabalhos são conduzidos pelos técnicos do Escritório Local

de Valença que passam orientações sobre prevenção de doenças, medidas higiênicas, técnicas de boas práticas alimentares, entre outras.

As ações têm como objetivo incentivar a atividade pesqueira de forma a que ela se torne mais rentável e saudável. Pág. 05

Com o objetivo de promover a

educação alimentar e ambiental,

e ainda incentivar o trabalho

comunitário e a cidadania, a EBDA e a

Secretaria Estadual de Administração

Penitenciária (Seap), firmaram um

convênio de cooperação técnica, para

ser desenvolvido em penitenciarias

de Salvador. Os internos serão

capacitados para a implantação de

hortas orgânicas. Pág. 03

Agricultores familiares da região

de Juazeiro recebem, até o final

do mês de fevereiro, sementes de

feijão e milho para a próxima safra

de inverno. A ação faz parte do

Programa Semeando, executado

pela EBDA, e visa beneficiar

25 mil produtores rurais, com

230 toneladas de sementes de

qualidade. Pág.07


NOTAS RÁPIDAS

Gerência Regional

de Feira de Santana

Nova chefia na Fazenda Porteiras

A técnica em agropecuária,

Lucimara Santos da Silva, é a nova

chefe da Estação Experimental Fazenda

Porteiras, em Irará, regional de Feira de

Santana. Como chefe da Estação, ela

pretende dar continuidade aos projetos

já desenvolvidos pela EBDA e focar ainda

mais em capacitação de mulheres.

Recém-formada em engenharia

ambiental, ela iniciou seus trabalhos na

agricultura familiar em 2004, com projetos

para o fortalecimento da mandiocultura

na região de Irará, o que resultou,

em 2009, em um trabalho voluntário

realizado na Escola Família Agrícola dos

Municípios Integrados da Região de

Irará, que contempla jovens filhos de

agricultores familiares dos municípios de

Pedrão, Ouriçangas, Santo Anópolis, Água

Fria, Conceição de Maria e Irará.

Gerência Regional

de Itaberaba

Reuniões com lideranças do

Colegiado Territorial

A EBDA de Itaberaba participa,

nos dias 26 e 28, de reuniões com lideranças

do Colegiado Territorial, nas cidades de

Rafael Jambeiro, Santa Terezinha, Itatim

e Iaçu, para alinhar ações e definir os

integrantes das Câmaras Territoriais. Nos

encontros serão abordados temas como:

agricultura, cultura, educação, saúde,

cidadania e meio ambiente. A reunião

definirá projetos e ações para estas áreas,

além de definir os representantes das

referidas câmaras.

Gerência Regional

de Itabuna

Intercâmbio técnico

A equipe de Assistência Técnica

Social e Ambiental (Ates), do Escritório

Local de Camumu, no Baixo Sul do Estado,

promove, na próxima terça-feira (26), um

intercâmbio técnico entre agricultores

familiares do Projeto de Assentamento

(PA) Mariana, localizado na zona rural do

município e o PA Mata do Sossego, em

Igrapiuna. Os assentados vão conhecer

as experiências exitosas do cultivo da

pupunheira, em Igrapiúna, onde existem

150 hectares de área plantada.

O objetivo da atividade é estimular os

agricultores familiares a desenvolverem

trabalhos com a cultura da pupunha,

de forma organizada e cooperativada,

visando o desenvolvimento

socioeconômico do assentamento.

Gerência Regional

de Juazeiro

V Festival Regional do Umbu

Começa nesta sexta-feira (22) e segue até

o próximo domingo (24), no município de

Uauá, localizado a 438 km de Salvador,

o V Festival Regional do Umbu que

tem como objetivo promover a melhoria

das condições de vida dos agricultores

familiares da região.

O evento, que acontece na Praça São João

Batista, no centro da cidade, também visa

divulgar os resultados do beneficiamento

e comercialização dos produtos

oriundos de frutas nativas da caatinga,

especialmente o umbu, símbolo cultural e

ambiental da cidade.

No festival, a EBDA, que participa com um

estande institucional, vai repassar para

a Cooperativa Agropecuária Familiar de

Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc), 300

mudas enxertadas de umbu gigante.

No estande, a empresa também fará

demonstração de tecnologias agrícolas

voltadas para a melhoria da qualidade de

vida no semiárido. Serão oferecidos, aos

agricultores familiares da região, oficina

de artesanato, curso para confecção

artesanal de produtos, a partir da cera de

abelha, e curso de enxertia para produção

de mudas, além da distribuição de mudas

de banana, atemóia, erva-sal e pinha.

Gerência Regional de

Ribeira do Pombal

Capacitação de novos técnicos

Acontece, entre os dias 25 de

fevereiro e 01 de março, na Gerência Regional

de Ribeira do Pombal, uma capacitação

para 30 novos técnicos agrícolas,

contratados pela Chamada Pública, para

desempenharem atividades de Assistência

Técnica e Extensão Rural (Ater), no Território

de Cidadania Semiárido Nordeste

II, onde serão beneficiados 3.120 agricultores

familiares da região. A nova equipe

será habilitada para atender as unidades

de produção familiar dos municípios de

Antas, Nova Soure, Cipó, Novo Triunfo, Euclides

da Cunha e Ribeira do Amparo.

A Voz da EBDA

O alho é um dos temas do

programa desta semana

Agricultores familiares, profissionais

da área rural e demais interessados

serão informados, neste domingo (24), no

Programa A Voz da EBDA, sobre a produção

de alho na Bahia, em uma entrevista com o

engenheiro agrônomo Alírio Xavier.

Na programação, constam também

assuntos como o melhor aproveitamento

de frutas e verduras, com orientação

da nutricionista Maria Helena, que

trabalha na Gerência Regional de Bom Jesus

da Lapa, e a origem e propriedades da

“moringa”, planta de múltiplas utilidades,

com o engenheiro agrônomo Hélio Saulo.

No quadro Fala Produtor, o engenheiro

agrônomo da EBDA, Cândido

Vasconcelos, responde a pergunta do agricultor

familiar Antônio Portugal Seixas,

de Catu, sobre a variedade de capim adequada

para ser cultivada em áreas encharcadas.

Além disso, o meteorologista

do Instituto do Meio Ambiente e Recursos

Hídricos (INEMA), Heráclio Alvez, faz sua

participação semanal, onde falará sobre as

condições climáticas no sudoeste baiano.

O programa vai ao ar às 6h30, na Rádio Sociedade

da Bahia (740/AM), com os principais

assuntos agrícolas de diversas regiões

do estado.

Jornal Novo Dia - Edição 292 - 22 de Fevereiro | www.ebda.ba.gov.br 02

NOTÍCIAS

Mais de 25 mil agricultores familiares recebem sementes

de milho e feijão na região de Juazeiro

Até o dia 28 de fevereiro, a

Gerência Regional da EBDA, em Juazeiro,

realiza a entrega de 230 toneladas de

sementes de feijão e milho, da variedade

Caatingueiro, para mais de 25 mil

agricultores familiares da região. A ação

é uma iniciativa do Programa Semeando,

executado pela empresa.

A distribuição acontece nos

municípios de Campo Alegre de Lourdes,

Canudos, Casa Nova, Curaçá, Juazeiro, Pilão

Arcado, Remanso, Sento Sé, Sobradinho

e Uauá, onde os produtores, além do

“Até o final de março,

inauguraremos um Pavan em

Jussari. Juntos, EBDA e Prefeituras

garantirão atendimento para

um número maior de famílias”,

Elionaldo Faro, presidente da EBDA

Visando ampliar o atendimento

aos agricultores familiares dos municípios

de Jussari e Camacan, localizados no sul

da Bahia, o presidente da EBDA, Elionaldo

de Faro Teles, reuniu-se, na tarde da última

quarta-feira (20), com os prefeitos das

duas localidades, na sede da empresa, em

Salvador.

Durante a reunião ficou

acordado que a EBDA implantará um

Posto Avançado (Pavan) no município

de Jussari, o que permitirá a ampliação

dos serviços de Assistência Técnica e

Extensão Rural (Ater) para centenas de

agricultores familiares criadores de gado

de leite e corte, produtores de cacau, café

e palmito. “A parceria com prefeituras só

traz benefícios para o agricultor familiar.

Até o final de março, inauguraremos um

Pavan, em Jussari, que terá uma equipe

técnica reforçada por profissionais

do município, que serão capacitados

pela EBDA. Juntos, EBDA e Prefeitura

garantirão atendimento para um número

maior de famílias”, disse o presidente da

empresa, Elionaldo Faro.

Para o prefeito do município,

Walnio Muniz, a parceria chega em um

momento oportuno. “Nós entendemos

que a assistência técnica de qualidade

é essencial para o desenvolvimento da

recebimento das sementes, serão

instruídos para produzirem suas próprias

sementes e mudas.

Segundo o gerente Regional

da EBDA em Juazeiro, Osvaldo Lopes

Ribeiro Júnior, a expectativa é de que, aos

poucos, os agricultores, as comunidades

e os municípios produzam e guardem

suas próprias sementes, diminuindo

a dependência do Estado e gerando

autonomia local.

Além da distribuição das sementes,

o Programa Semeando também presta

EBDA ampliará assistência técnica nos

municípios de Jussari e Camacan

agricultura familiar, por isso, firmamos

parceria com a EBDA e não vamos poupar

esforços para que todos os nossos

produtores sejam beneficiados com

capacitações e orientações prestadas

pela empresa”, declarou o prefeito.

Os benefícios também

chegarão ao município de Camacan, que

já possui um escritório da EBDA, e agora

terá a equipe reforçada por mais quatro

técnicos agrícolas e dois agrônomos

cedidos pela Secretaria Municipal da

Agricultura, que dará prioridade aos

trabalhos com as cadeias produtivas

Presidente da EBDA, Elionaldo Teles recebe comitiva das prefeituras

assistência técnica aos agricultores e

promove cursos e palestras através da

Divisão de Produção Vegetal (DPV), da

empresa. Nas capacitações os produtores

aprendem sobre a escolha da área de

plantio, correção do solo, preparo do

terreno, adubação, plantio, tratos culturais

e roguing – eliminação de todas as plantas

indesejáveis e fora do padrão -, e ainda

acompanhamento e orientação para

colheita, beneficiamento (classificação)

da produção, e o armazenamento das

sementes.

do café e do leite. “Percebemos que

juntos podemos caminhar mais rápido

e fazer com que o agricultor aumente

a sua produção e produtividade.

Isso será excelente para o município.

Atualmente, 30% da merenda escolar

de Camacan vem da agricultura familiar

e pretendemos ampliar este número”,

comentou a prefeita municipal, Maria

Ângela Castro.

O trabalho, nos dois municípios,

será coordenado pelo gerente regional

da EBDA de Itabuana, Wagner Ayres, que

também participou da reunião.

Foto: Aurelino Xavier

Jornal Novo Dia - Edição 292 - 22 de Fevereiro | www.ebda.ba.gov.br 03


NOTÍCIAS

Maxixe garante renda para agricultores de Brumado

Agricultora familiar, Liomar Moraes mostra sua plantação de maxixe

Uma cultura originária da

África, introduzida no Brasil pelos

escravos, o maxixe já é tradição no

Nordeste, e tem mercado garantido

na região de Brumado, no centrosul

baiano. Desde os anos 90, com

o trabalho da EBDA, 80 famílias de

agricultores conseguem uma boa

renda de forma sustentável.

O maxixe é uma cucurbitácea,

como a abóbora, pepino, melão e

melancia. Seus frutos são fonte de sais

minerais, principalmente zinco, e têm

poucas calorias. Com essa percepção, o

técnico da EBDA, José Augusto Pinheiro

de Azevedo, viu a possibilidade de

Foto: José Augusto Azevedo

introduzir, nesse nicho de mercado,

famílias das comunidades Bernardo

José, Lagoa do Mourão e do Distrito de

Itaquaraí.

O início do trabalho começou

com a instalação de área com

perímetro irrigado. O ciclo produtivo

do maxixe é de 45 dias, com produção

durante todo ano, e cada produtor

consegue colher de 25 a 30 sacas,

que atualmente eles vendem na faixa

de R$45 reais, a saca. Hoje, toda a

produção dos agricultores familiares

assistidos pela EBDA é absorvida pelo

comércio local, o que gera uma renda

de R$300 a R$400 reais por semana, a

depender das condições de mercado.

Com o apoio da empresa,

eles produzem a própria semente,

fazem a adubação, a biofertilização,

ensacagem e comercialização. “Tenho

o maior orgulho de ter insistido nesse

trabalho com o maxixe”, conta José

Augusto.

A orientação técnica para

que o agricultor familiar possa colher

o ano todo, a depender do tamanho

de sua propriedade, é para que, a cada

15 dias, seja plantada uma quadra.

“Algumas propriedades têm de dois

a três hectares e nelas é cultivado o

maxixe em quadras com área de 20x25

metros”, enfatizou o técnico.

O agricultor Everaldo Aguiar

de Moraes, conhecido como Pelé,

e sua esposa, Liomar de Santana

Moraes, conhecida por Fia, têm uma

propriedade de 15 hectares, e dessa

área utilizam 1,5 ha para a cultura

do maxixe. Com esse espaço eles

produzem aproximadamente cerca de

10 sacos de maxixe por semana. “Desde

que começamos nunca deixamos de

plantar por que este é um dinheiro

seguro; sempre vendemos para os

municípios de Jequié, Barreiras, Bom

Jesus da Lapa, Guanambi, Vitória da

Conquista e até mesmo Salvador”,

disse animado seu Pelé

Agricultores familiares recebem o projeto Quintais

Agroflorestais na região de Senhor do Bonfim

Agricultores familiares da

microrregião de Senhor do Bonfim serão

beneficiados com o projeto Quintais

Agroflorestais, desenvolvido pela EBDA

em todo o Estado. O projeto, que atenderá

em torno de 110 famílias, na região,

consiste na implementação de quintais

residenciais produtivos, com base nos

princípios agroecológicos de produção.

“Trata-se de um projeto de

extrema importância para o agricultor

familiar da nossa região, pois, além de

produzir alimentos saudáveis, ele adquire

autonomia com relação aos insumos

utilizados, que passam a ser produzidos na

própria fazenda”, afirmou Tahís Menezes

Teixeira, bióloga e coordenadora regional

da Assistência Técnica Social e Ambiental

(ATES), do projeto.

Os Quintais Agroflorestais

abrangerão, inicialmente, 21 comunidades

que terão a oportunidade de produzir

alimentos de qualidade, sem a utilização

de agrotóxicos. A produção, que tem

como prioridade o consumo familiar, terá

o excedente comercializado, gerando

renda extra para o agricultor.

Cumprindo etapas

Os agricultores que fizeram esta

parceria com a EBDA já participaram de

uma capacitação inicial realizada pelos

técnicos da empresa e estão sendo

entrevistados, em uma fase de diagnóstico,

para conhecimento da atual situação da

unidade de produção.

Também foram capacitados 22 técnicos

do Escritório Local da EBDA de Senhor do

Bonfim, que trabalharão com o projeto,

com a responsabilidade da implantação

de cinco quintais, cada técnico.

A próxima etapa consiste na

distribuição das mudas e orientação de

plantio, juntamente com a entrega dos

materiais que serão utilizados, tais como

enxada, arame, madeira, entre outros.

Todo o material é cedido pela EBDA, que

também direciona seus técnicos para

o acompanhamento do processo de

produção.

“Esta iniciativa ajuda a

movimentar a economia da região,

dando aos agricultores subsídios para

gerar sustentabilidade econômica neste

momento tão delicado, em função da

seca”, disse Ailton Almeida, gerente

regional da EBDA.

ESPECIAL

EBDA assiste pescadores e marisqueiras de Cairu

Atividade pesqueira é incentivada pela EBDA

Técnicos da EBDA, do Escritório

Local de Valença, através dos trabalhos

de Assistência Técnica e Extensão Rural

(Ater), acompanham as atividades dos

pescadores artesanais e marisqueiras

das ilhas do município de Cairu. A

emissão da Declaração de Aptidão ao

Pronaf (DAP) e cadastros de Unidade de

Produção Familiar (UPF’s) são algumas

das atividades realizadas pela EBDA.

Orientações sobre prevenção

de doenças, medidas higiênicas,

técnicas de boas práticas alimentares

e beneficiamento do pescado

complementam as ações de Ater para

a pesca artesanal desenvolvidas pela

EBDA. A médica veterinária da empresa,

Maiana Machado, explica que o objetivo

das ações é incentivar a atividade

pesqueira de forma que ela se torne

mais saudável e rentável.

As atividades de Ater para

a pesca artesanal são realizadas

periodicamente pelos técnicos da

EBDA. As instruções são passadas aos

pescadores e marisqueiras, no momento

em que eles estão realizando suas

atividades, nos manguezais ou no mar.

Maiana Machado comenta que as

marisqueiras utilizam utensílios como

facas e ganchos, samburás (cestos)

e baldes, para capturar e transportar

os mariscos. “Os objetos utilizados

oferecem risco no momento da captura;

com isso, são necessárias medidas

higiênicas e curativas para os cortes

ocasionados durante a atividade”,

explicou Maiana. Também disse que

é ensinado a higienização correta dos

ferimentos, como a lavagem com água

limpa e sabão, e o uso de curativos com

materiais descartáveis, até o acesso ao

atendimento médico.

“Nós, da EBDA, mostramos

formas seguras para a

execução dos trabalhos, que

para alguns pescadores e

marisqueiras são métodos

ainda desconhecidos”, Maiana

Machado, veterinária da EBDA

Peixes, polvo, camarão e

lagostas são os pescados capturados

pelos homens que trabalham com a

pesca artesanal, realizada com vara,

linha, rede e arpão. Para os pescadores, a

EBDA instrui sobre armazenamento dos

pescados, após a captura. “É importante

que o pescado seja refrigerado

adequadamente no transporte para o

cais, sob uma grossa camada de gelo,

nas proporções de 1kg de gelo por

cada 2kg de pescado; seguindo essas

orientações, o pescador comercializará

seus produtos sem risco de rejeição”,

comenta a veterinária.

Foto: Rejane Carneiro

A importância sobre o uso

do protetor solar, diariamente, é outra

instrução passada para os pescadores

e marisqueiras, que ficam expostos ao

sol por muitas horas. Nas orientações os

técnicos falam sobre a importância da

proteção contra os raios ultravioleta, que

contribuem para o desenvolvimento

do câncer de pele e o envelhecimento

precoce. A técnica da EBDA, Cosmira

Evangelista, comenta que os raios solares

não só provocam o câncer de pele

como também outras enfermidades.

“Queimaduras, danos nos olhos e no

sistema imunológico são alguns dos

problemas ocasionados pela exposição

ao sol, mas estamos buscando informar

não só sobre estes riscos, mas também

orientar sobre o uso do protetor solar,

diariamente, no fator ideal para cada

tipo de pele”, declara a técnica.

Segundo Maiana Machado,

a atividade de mariscagem é passada

de mãe para filhas há gerações e não

requer segredos. Os conhecimentos são

adquiridos no dia a dia, o que acontece

de acordo com as viabilidades dos

fenômenos naturais, como: marés cheia,

vazante e morta. “O verão é a época

ideal para a mariscagem, por facilitar o

acesso aos manguezais e a navegação

das embarcações, permitindo melhores

condições de trabalho”, complementou

Maiana.

Jornal Novo Dia - Edição 292 - 22 de Fevereiro | www.ebda.ba.gov.br 04 Jornal Novo Dia - Edição 292 - 22 de Fevereiro | www.ebda.ba.gov.br 05


GENTE NOSSA

“Trabalhar com o produtor

rural que não teve condições

de estudar, mas que é

absolutamente sábio e que

aprendeu com a vida, não

tem preço”, Paulo Roberto,

técnico agrícola.

Dificilmente um agricultor

familiar que planta palma, e mora na

região de Senhor do Bonfim, não conhece

o extrovertido e sorridente técnico

agrícola da EBDA, Paulo Roberto Rafael de

Freitas, um homem simples e carismático

que há mais de 36 anos lida com a vida

rural.

Natural do município de Saúde,

Paulo iniciou seu trabalho de extencionista

quando ingressou na antiga Emater-Ba, no

ano de 1976, logo depois de se formar na

Escola Federal de Catu. Em 1977, o jovem

rapaz foi alocado no município de Caetité,

onde conheceu a sua “doce Kaká”, a Cacilia

Dulcineia Magalhães, sua esposa e colega

de trabalho há quase três décadas.

Com autoridade de quem

conhece de perto a luta do homem simples

do campo, Paulo diz que o seu prazer está

em levar conhecimento às famílias que

não tiveram acesso à informação. “Na

verdade, o que mais me alegra é saber

que contribuo para a melhoria de vida

das pessoas. Trabalhar com o produtor

rural que não teve condições de estudar,

mas que é absolutamente sábio e que

aprendeu com a vida, não tem preço”.

Em 2001, um novo e grande

desafio foi proposto ao técnico, assumir

a Secretaria de Agricultura do município

de Andorinhas. “Foi uma grande

Amor e dedicação é a mola mestra

de técnico de Senhor do Bonfim

oportunidade. Era o tempo certo de

aproximar a extensão rural do poder

público, e a partir desta parceria buscar

o meio justo de estar ao lado do homem

do campo”, disse Paulo. Competência e

comprometimento o fizeram permanecer

no cargo por 12 anos.

Inquieto e inconformado com

as dificuldades que o agricultor familiar

enfrentava no município, por conta do

clima seco da região, usou sua vasta

experiência em assistência técnica,

amor pela vida rural e vontade de fazer

a diferença, para desenvolver o “Projeto

Palmas para Andorinha”, que incentivava

o uso da palma na alimentação animal. O

projeto fez um enorme sucesso e chamou

a atenção da EBDA, que abraçou a ideia e

o transformou no Programa de Segurança

Alimentar do Rebanho da Agricultura

Familiar do Estado da Bahia.

“Foi uma das maiores conquistas

profissionais que tive. Hoje, a cultura da

palma forrageira no nosso estado é, para

muitos agricultores familiares, a tábua de

salvação de seus rebanhos. Isto para mim

é uma grande honra”, complementou ele.

O profissional dedicado também

é um filho atencioso, bom pai e marido

amoroso, como conta Kaká: “ele é um

homem encantador, que ama e cuida

da família delicadamente, nos mínimos

detalhes. A cada olhar de Beto eu posso

perceber um brilho especial. Agradeço por

ter a oportunidade de dividir a minha vida

com ele”. Juntos, o casal teve três filhos:

Paulo Vitor (27), engenheiro agrônomo;

José Roberto (24), estudante de medicina

veterinária; e Elis (23), formada em

administração.

Foto: Marta Grosso

“Meu pai é o meu maior exemplo

de profissional e, sobretudo, de ser

humano. Todas as minhas conquistas são

reflexo da educação que ele, juntamente

com minha mãe, me deram. Sempre me

ensinou a buscar o que eu quero através

do estudo, do trabalho honesto e do amor

ao próximo. Tenho orgulho de tê-lo como

pai, e se pudesse escolher mil vezes, não

tenho dúvidas que o escolheria sempre,”

diz Elis.

Pai orgulhoso, Paulo sorri e

se emociona quando o assunto são

seus filhos: “não tenho o que dizer, sou

apaixonado por cada um deles. O meu

bem maior.”

E assim apresentamos Paulo

Roberto Freitas, um homem cheio de

determinação, vontade e amor, que faz a

diferença na região de Senhor do Bonfim e

muito orgulha a EBDA.

NOTÍCIAS

EBDA firma parceria com a Penitenciária Lafaiete Coutinho

Em evento na penitenciária, a EBDA entregou um triturador de resíduos orgânicos.

A EBDA e a Secretaria Estadual

de Administração Penitenciária (Seap)

firmaram, na manhã de quarta-feira (20),

um convênio de cooperação técnica,

logística e capacitação profissional. A

ação aconteceu na Penitenciária Lafaiete

Coutinho e visa ampliar, para todo o

Estado da Bahia, trabalhos específicos

de Assistência Técnica e Extensão Rural

(Ater), desenvolvidos pela EBDA, em

penitenciárias, com a implantação de

hortas agroecológicas.

Com o convênio, a EBDA

promoverá a educação ambiental e

alimentar, além de incentivar o trabalho

comunitário e a cidadania para centenas

de internos da penitenciária, que também

contarão com apoio e capacitação para a

implantação de hortas, que contribuem

no processo de ressocialização de cada um

deles.

O engenheiro agrônomo

da EBDA, Horaci Cajazeira, ressaltou

a importância da parceria entre as

instituições. “Este trabalho vai ampliar

as ações de capacitação dos internos

do sistema penitenciário, ao oferecer

uma ocupação e criando uma aptidão

para cultivo de alimentos orgânicos,

que facilitarão na ressocialização dos

beneficiários”, disse o técnico.

Em trabalho conjunto com a

EBDA, a Seap verificou que algumas áreas

nos presídios da Bahia estavam disponíveis

para realização de ações de ressocialização,

envolvendo a agricultura. “Vimos a

oportunidade de usar esses espaços

para humanizá-los com a promoção de

capacitação dos internos para o cultivo de

hortas e produção de mudas”, explicou o

secretário Nestor Duarte.

Até janeiro de 2014, serão

desenvolvidos, pela EBDA, os diagnósticos

participativos, vistorias técnicas para

elaboração e acompanhamento de

projetos agropecuários e de silvicultura

(ciência que se ocupa das atividades

ligadas à implantação e regeneração de

florestas), capacitação técnica de internos

e egressos, realização de palestras técnicaseducativas,

excursões e a divulgação

dos trabalhos técnicos realizados e seus

resultados nas demais Unidades Prisionais

de Salvador, como a Penitenciária Lemos

Brito, Presídio Salvador, Conjunto Penal

Empresa entregou um triturador de resíduos orgânicos para a penitenciária

Internos comercializam hortaliças cultivadas na penitenciária

Feminino, Casa do Albergado e Egressos,

e do interior, no Conjunto Penal de Lauro

de Freitas, Simões Filho, Feira de Santana,

Jequié, Teixeira de Freitas, Valença, Juazeiro

e Itabuna, como também no Presídio de

Vitória da Conquista, Ilhéus, Esplanada,

Eunápolis e Paulo Afonso.

“Este trabalho vai ampliar

as ações de capacitação dos

internos do sistema penitenciário,

ao oferecer uma ocupação, além

de ajudar na ressocialização dos

beneficiários”, Horaci Cajazeira,

técnico da EBDA.

Na ocasião, também foi entregue,

pela EBDA, um triturador de resíduos

orgânicos que proporcionará a produção

de compostos com a utilização de sobras

dos alimentos gerados pelo restaurante

Foto: Aurelino Xavier

da Penitenciária, misturados com material

resultante da limpeza diária das áreas

externas (folhas secas), que servirão na

adubação da horta local.

“Agora vamos acelerar os

trabalhos de compostagem na unidade,

que é um material de difícil aquisição, o

que facilitará a produção de hortaliças

saudáveis”, enfatizou o diretor do presídio,

Vitor Hugo Barreti Galdino.

Os internos Manoel da Cruz

Santos e Natanael da Silva Lima trabalham

na horta do Lafaiete Coutinho e cultivam

couve, alface, coentro, salsinha, pimenta e

outros legumes. Além da atividade com a

horta, eles aprenderam outras atividades.

“Eu já trabalhava com a terra antes de vir

pra cá, mas, com a capacitação técnica da

EBDA, aprendi formas de cultivar com mais

qualidade e aumentar a produtividade.

Além disso, pra nós é uma terapia

maravilhosa”, disse Manoel Santos.

Jornal Novo Dia - Edição 292 - 22 de Fevereiro | www.ebda.ba.gov.br 06 Jornal Novo Dia - Edição 292 - 22 de Fevereiro | www.ebda.ba.gov.br 07


ENSAIO FOTOGRÁFICO

Cultura da pinha em Presidente Dutra garante

desenvolvimento socioeconômico a famílias rurais

A fruta popular conhecida

como pinha ou fruta do conde, destacase

na produção agrícola do município de

Presidente Dultra, considerado o maior

produtor de pinha baiano, onde mais de

2.500 famílias de agricultores familiares

dedicam-se ao cultivo que assegura a renda

Técnico da EBDA, Adão Oliveira visita plantação de pinha

bruta das comunidades rurais do município.

As plantações de pinha ocupam

2.500 hectares de área plantada, boa parte em

regime de sequeiro, e em menor escala com

irrigação. Estima-se que para a safra 2013 sejam

produzidas 18 mil toneladas da fruta, que é

comercializada a R$50 reais a caixa de 25 quilos.

Fruto garante renda para mais de 2.500 famílias Frutos prontos para a comercialização

O fruto tem uma característica

visual marcante, com sementes compridas

de cor preta e brilhante, polpa doce e macia,

com sabor inigualável. Na culinária, a polpa

da pinha pode ser usada para fabricação

de doces, sorvetes, polpas para suco e até

mesmo em pratos salgados.

Fotos: Aurelino Xavier, Nazaré Araújo e Rejane Carneiro

Agricultor familiar recebe assistência técnica da EBDA Plantação de pinha no município de Presidente Dutra

Jornal Novo Dia - Edição 292 - 22 de Fevereiro | www.ebda.ba.gov.br 08

More magazines by this user
Similar magazines