Adão Machado

abev.com.br

Adão Machado

Com o bip do controle de

infecção na sexta à tarde


Para começar a tarde,

Você é chamado vai uma reunião com o corpo

clínico para definir uma política de controle

de antimicrobianos e recebe diversas

sugestões:


• O administrador quer restringir tudo que é caro (pip/tazo,

carbapenêmicos, cefalosporinas de quarta geração, novos

antifúngicos, etc.)

• O infectologista quer restringir cefalosporinas, pois induzem

beta-lactamases

• O cirurgião lembra que a profilaxia cirúrgica está um caos

• O pediatra enfatiza o controle de glicopeptídeos

• O oncologista lembra que as quinolonas são fortes indutoras

de resistência e devem ser controladas

• O hematologista recomenda evitar o uso de cloranfenicol

• Com um sorriso irônico o clínico observa que com todas essas

restrições nada sobrará para tratar os pacientes


Argh!

O que eu faço?


O que fazer?

1. Restringir cefalosporinas, pois isso tem impacto

comprovado

2. Restringir quinolonas, pois estão ligadas ao

surgimento de MRSA; além disso, são vastamente

usadas e abusadas

3. Restringir glicopeptídeos

4. Restringir profilaxia cirúrgica

5. Não restringir, para não se incomodar

6. Restringir tudo e ver o que acontece, apesar do

sorriso do clínico


Você está pronto para sair e o telefone

toca.

A chefe da UTI pediátrica avisa que a

residente que realizou plantão na na

noite anterior está apresentando

vesículas de pele sugestivas de

varicela.

O que fazer?


Você responde:

a) Deixa eu tomar um café (na verdade eu preferia um

trago) e depois eu vou até aí conversar com vocês.

b) A médica deve ir embora imediatamente sem

conversar com mais ninguém e só retornar ao

hospital quando as lesões estiverem secas.

c) A médica deve ser encaminhada ao Serviço de

Medicina Ocupacional para avaliação.

d) Antes da médica ir embora ela deve conversar com

os profissionais da CCIH.

e) A médica deve ser autoclavada


Várias possibilidades.

• Você pode tomar um café (rápido).

• Depois vá até a UTI Pediátrica e converse com a

residente com suspeita de varicela.

• Questione se ela ficou apenas dentro da UTI ou esteve

em outros setores.

• Registre todos os pacientes, familiares e profissionais

com quem ela teve contato.

• Encaminhe a médica ao Serviço de Medicina

Ocupacional.

• Se confirmar varicela, ela deve ser afastada do trabalho

e somente retornar quando as lesões estiverem secas.


Você descobre que, ao sair do

plantão, a médica examinou e

evoluiu as crianças da equipe X.

Detalhe: a equipe X é de

crianças com HIV...


Condutas a serem tomadas:

• Investigar todos os contatos com a médica portadora de varicela.

• Investigar o status imunológico para varicela dos profissionais, pacientes e

familiares que foram contatos.

• Se possível, vacinar os profissionais contactantes não imunes.

• Se possível, sorologia para profissionais contactantes não imunes.

• Afastar do trabalho os profissionais não imunes do 8° ao 21° dia após o

contato.

• Imunoglobulina (VZIG) para os pacientes contactantes não imunes

imunodeprimidos e abaixo de 1 ano de idade (dentro de 96 h do contato) e

vacina para os demais. Lembrar que varicela começa a ser transmitida 48 h

antes de surgirem as lesões.

• Colocar em enfermaria conjunta ou isolamento todos os pacientes não

imunes do 8° ao 21° dia após o contato e até 28° dia para pacientes

imunodeprimidos ou que receberam VZIG.

• Providenciar isolamento imediato de novos casos.

• Orientar familiares não imunes contactantes para não virem ao hospital no

período de risco. Mães e pais podem vir ao hospital, com restrições de

circulação e observação rigorosa quanto ao aparecimento de lesões.

American Academy of Pediatrics. Pediatrics.

Red Book 2003. 26ª ed.

ed


As coisas já acalmaram, você

voltou para sua sala e está

recolhendo suas coisas para

sair.

Eis que ligam do Centro de

Tratamento Intensivo (CTI)...


Um paciente internou com extensa massa

tumoral necrótica e abundante secreção na

segunda-feira. Resultado da cultura mostrou

Pseudomonas aeruginosa resistente a tudo.

Você colocou o paciente em isolamento e

orientou as precauções.

O telefonema é para avisar que mais três

pacientes apareceram com Pseudomonas

com o mesmo padrão de resistência.


Surto!!!


O que você faz?

• Vai ao CTI e xinga todo mundo

• Desconfia dos antibiogramas e vai discutir

com o pessoal do laboratório

• Inicia um estudo epidemiológico

• Submete os germes a análise molecular

• Senta e chora

• Larga a área da saúde e abre uma pousada


Os pacientes só tinham em comum estar na CTI.

Os germes eram molecularmente diferentes.

O que você conclui?

• Falhou a higienização das mãos

• Deve haver um veículo comum

• Pseudomonas pode se comportar

dessa forma

• O problema deve ser a pressão de

seleção por antimicrobianos


O problema deve ser pressão de

seleção por antimicrobianos; você

deve pensar num novo modo de usar

esses medicamentos na unidade.


Final do dia...

More magazines by this user
Similar magazines