E mais... - Usina do Porto

usinadoporto.com.br

E mais... - Usina do Porto

ANO XVI • Nº 112 • AgOstO 2011 • Distribuição Gratuita

aPoio:

Págs. 2 e 7

:: Sergio Napp

:: Renato Pereira

:: Paulo Amaral

:: Marcelo O. da Silva

:: Caetano Silveira

:: Luciano Alabarse

:: Walter Galvani

Pág. 3

Pág. 9

Tarso Genro

Luiz C. Mandelli

Pág. 3

Maria A. Zubaran

E mais... :: Jaime Cimenti

:: Teniza Spinelli

:: Thamara Pereira

:: Caho Lopes

:: Dr. Nilton Alves

:: Dra. Beatriz B. Amaral

:: Camilo de Lélis

:: Adeli Sell

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


2

Por Caho Lopes - Escritor e Empresário

Canção Incompreensível

O tempo há de passar. Não se iluda.

Academias, comida saudável, peeling, botox, praticar exercícios

regularmente, evitar o stress. Qualidade de vida (e viver

loucamente não é igualmente qualitativo), satisfação pessoal e

paz interior não seguem fórmulas, nem estão a disposição nas

prateleiras das farmácias e drogarias, nos bares ou nas bocas das

favelas. Não estão em sua alma nem em seu coração porque não

podem ser aprisionados: sua essência é a volátil.

Nossas ilusões tornam o mundo aceitável, e dão sentido a nossas

vidas. Fazem-nos sentir confortáveis no sofá da sala nova,

seguros no condomínio fechado, estáveis com a promoção pela

qual tanto trabalhamos. Os sentidos logram nossas raízes, nosso

paladar viciado que nos cobra cada vez mais este lixo químico e

gostoso ao qual chamamos de comida, enquanto gastamos cada

vez menos energia. Cada vez sentimos menos as pessoas através

do toque e do tato, cada vez mais vemos novas e crescentes

necessidades de consumo. Cada vez menos sentimos o cheiro da

chuva e da grama cortada, e cada vez menos nós conseguimos

ouvir o silêncio da solidão.

Somos fanfarrões dançando pelo mundo, agarrados nos postes

com uma garrafa na mão, balbuciando canções incompreensíveis

para as ruas desertas repletas de casas vazias. Estamos sós, e

nenhum de nós sabe quando vai chegar a hora de cair o pano.

Nossas certezas são ilusões. Nada faz sentido porque tudo está

conectado através dos elos que criamos com o aço de nossas

emoções, estas emoções sobre as quais tão pouco saboreamos

em sua plenitude, sobre as quais apenas reagimos, para o bem

ou para mal.

A criança na favela fica feliz com o papelão que cobre o buraco

rente a sua cama, por onde antes entrava o ar frio da noite e que,

agora, está fechado. O adolescente de classe média bate com

violência a porta de casa, pois o carro que acaba de ganhar não

é um modelo novo. O milionário saudita passa uma tarde alegre

rodeado dos netos, e se a idade não permite o pique esconde, os

olhos se enchem de imagens inebriantes das crianças que correm

como um dia ele já correu. A jovem chora a morte do pai e, na

capela ao lado a mulher chora a morte do filho. E logo ali, do outro

lado do mundo, uma nova vida acontece: um filho planejado,

amado e esperado acaba de nascer, fazendo com que um homem

e uma mulher derramem lágrimas de alegria, pelo simples motivo

de que tudo está em seu lugar.

O tempo há de passar, não se iluda.

Você não tem garantias de nada, não se engane.

Ninguém pode ocupar o seu lugar, mas você não é insubstituível.

Ninguém é melhor do que você; isto é relativamente fácil de

aceitar. Você não é melhor do que ninguém, e com isto é quase

impossível de se conviver.

Como disse Charles Chaplin, “A vida é uma peça de teatro que

não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva

intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem

aplausos.”

Ri de ti mesmo, e descobre que, ao longe e ao fim, pouca coisa

importa. Busca o que te é realmente importante.

É um longo e solitário caminho.

E o tempo há de passar, não se iluda.

Rua Miguel Tostes, 771 • cj 03 • POA/RS

CEP 90430-061 • CNPJ: 74.783.127/0001-60

51 3012 7292 • usinadoporto@superig.com.br

www.usinadoporto.com.br

Editor e Jornalista - Jorge Luiz Olup (DRT/RS nº 12460)

Administração - Jorge Luiz Olup e Nelza Falcão Olup

Jornalista Responsável - Thamara de Costa Pereira

Direção de Arte - Jorge Luiz Olup

Editoração - Airton Schineider

Tiragem - 10 mil exemplares

Impressão - Correio do Povo

Colaboradores: Tarso Genro, Luiz Carlos

Mandelli , Maria Angélica Zubaran, Walter Galvani,

Dra. Beatriz Bohrer do Amaral, Camilo de Lélis,

Caetano Silveira, Dr. Nilton Alves, Paulo Amaral,

Marcelo Oliveira da Silva, Sérgio Napp, Teniza Spinelli,

Renato Pereira, Luciano Alabarse, Jaime Cimenti,

Thamara de Costa Pereira, Caho Lopes, Adeli Sell,

Paulo Rogério Dias Couto e Mara Cassini Andreta

As opiniões expostas nos textos assinados são

de inteira responsabilidade dos autores e não

correspondem necessariamente à posição do Jornal.

Créditos fotos

18º Porto Alegre Em Cena

Edson Kumasaka, Viviane Castelleoni,

Rui Mendes, Carol Sachs, Claudio Etges,

Joan Tomás, Marina Fujiname, Jorge

Rosenberg, Isaumir Nascimento, Claudia

Ribeiro, Divulgação Pessoal dos Artistas

e do Porto Alegre Em Cena.

Agenda Cultural – 22 de agosto a 30 de setembro de 2011 - Consulte a programação completa no site: www.usinadoporto.com.br

THEATRO SÃO PEDRO

Musical Petropar - Todas as quartas-feiras úteis - 12h30min

- Foyer Nobre

24/08 – Samuca – Acordeon

31/08 – Greice Morelli – Voz e Violão

14/09 – Antônio Benito Crivellaro - piano

21/09 – Ivone Pacheco - piano e concertina

28/09 – Cristina Sorrentino – voz, Karlo Kulpa – violino, Luis

Mauro Filho – piano, Amaury Iablanovsky – flauta e Jorge

Dorfmann - baixo acústico

24/08 – 21h - Simone Leitão (RS) No programa obras de Bach,

Barber, Ginastera, Mehmari e Rachmaninoff.

27 e 28/08 - Sab - 21h - Dom - 18h - Pamonha e Panaca (RJ)

C/ Samantha Shumütz e Ricardo Blat. Dir. Ernesto Piccolo.

23/08 – 19h - TSP Acontece – Freud e os Escritores - Freud

e Arthur Schnitzler. C/ Dione Detanico, Lenira Fleck e Liana

Timm. Dir. Graça Nunes

06/09 - 19h - TSP Acontece – Freud e os Escritores - Freud e

Lou Andreas-Salomé

03/09 – 21h e 04/09 – 18h - Farsa da Boa Preguiça (RJ) Texto

Ariano Suassuna. Dir. João das Neves.

De 07/09 à 25/09 - 18° Porto Alegre Em Cena –

Veja Programação completa na página 7

FUNDAÇÃO IBERÊ CAMARGO

Até 30/10 - A Linha Incontornável – Desenhos de Iberê

Camargo. Curadoria de Eduardo Veras. A exposição Além da

linha ocupará um piso expositivo na Fundação Iberê Camargo,

e compreenderá, além de pinturas, obras à grafite, nanquim

e guache. A principal intenção da mostra é abordar a idéia de

afirmação – muito cara à arte moderna – do desenho como

uma linguagem autônoma.

Até 28/08 - Iberê Camargo e o ambiente cultural do pós-guerra.

Com curadoria do crítico Fernando Cocchiarale, ocupando

dois pisos expositivos da Fundação Iberê Camargo. Ao lado

de trabalhos de Iberê Camargo, a exposição reunirá obras

pontuais dos principais representantes de movimentos como o

Abstracionismo informal, Concretismo e Neocontrestimo, além

de artistas que não se filiaram a nenhuma destas tendências.

Entrada Franca. As empresas Gerdau, Itaú, Camargo Corrêa,

Vonpar e De Lage Landen garantem a gratuidade do ingresso.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Departamento de Relações Públicas e Atividades Culturais.

DRPAC - todos os eventos são gratuitos

22 a 26/08 - Assembleia realiza a Primeira Semana

de Valorização da Pessoa com Deficiência. Dentre as

programações, a fotógrafa Kica Catro realizará uma exposição

no Espaço Novos Talentos. No dia 25/08 será realizado um

Sarau sobre a Acessibilidade, no Teatro Dante Barone.

23/08 – 18h - Marco Araújo e Adriano Priori em voz e violão no

Recanto Gaúcho

Galeria dos Municípios

22 a 26/08 - A fotógrafa Kika Castro integra a Primeira Semana

de Valorização da Pessoa com Deficiência expondo fotos de

modelos com deficiência.

5 a 12/09 - Marco Santierri expõe sua mostra fotográfica sobre

o município de Alegrete.

12 a 23/09 - Exposição de Santo Angelo. Fabiano Millani

26 a 30/09 - O município de Maratá expõe suas potencialidades.

Espaço Novos Talentos

22 a 26/08 - “Pintando com a boca”, de Paula Arpini

29/08 a 9/09 - O artísta plástico Elcio Costa apresenta a

mostra Faces

Sala JB Scalco

02 a 29/09 - “Ainda cabe minha Aldeia no Mundo?” Mostra

fotográfica de Marco Antônio Nedeff

CASA DE CULTURA MÁRIO QUINTANA

22/08 – 20h - A turnê da banda Humanish de lançamento do

álbum Humanish. Teatro Carlos Carvalho

Até 04/09 - Sex a dom - 20h - Sexo, Mentiras e Gargalahadas.

O Stand Up Comedy de personagens que é um verdadeiro

show de humor. Teatro Carlos Carvalho

24 e 25/08 – 20h - Il Faut Trouver Chaussure à Son Pied -

É Preciso Encontrar o Sapato Ideal para o Seu Pé. Dir. Décio

Antunes e coreografia de Maria Waleska Van Helden. Teatro

Bruno Kiefer

24, 25 e 26/08 - das 18h às 20h - Seminário do Atelier Livre da

Prefeitura. A Casa de Cultura Mario Quintana sedia o seminário

Projeto 72 Horas. Sala de Convenções A2B2, entrada franca

26 e 27/08 – 20h - Espetáculo ‘La Garantia Soy Yo’. Teatro

Bruno Kiefer

25/08 – 19h30 - Dimitri Cervo no Conversas com o Compositor.

Auditório Luis Cosme

30/08 – das 18h às 22h - Projeto Música e Poesia na Casa.

Teatro Bruno Kiefer

Até 18/09 - Exposição Arte+Arte – Transversalidades. Galeria

Sotero Cosme

Até 31/08 - Exposição Salamanca do Jarau. Hall da Biblioteca

Lucília Minssen

Até 28/08 - Exposições do IEAVI. Empilháveis IV, na Sala

Augusto Meyer, Vagas Naus, no Espaço Maurício Rosemblatt,

Aqui, Ali e Acolá, na Fotogaleria Virgílio Callegari

03/09 – 18h30 - Show Abrindo Horizontes. Teatro Bruno Kiefer

04/09/2011 – Sex a dom - 20h - Sexo, Mentiras e Gargalhadas.

Teatro Carlos Carvalho

Oficinas com inscrições abertas na CCMQ. Inscrições

na Central de Informações - térreo da Casa de Cultura.

Informações adicionais podem ser obtidas pelos telefones (51)

3221.7147 e 3221.7083

MARGS

Até 09/10 - Stockinger: Os Diversos Tempos da Forma

10/10 a 15/11 - 8° Bienal do Mercosul

Até 15/08 - Labirintos da Iconografia

Acervo Permanente do MARGS. Exposição de uma seleção

variada da coleção de obras do Museu, apresentando

momentos significativos da produção artística realizada no

Brasil e em outros países.

Informações e agendamento de visitas orientadas no Núcleo

de Extensão Cultural, subsolo do Museu. De segunda a sexta,

das 10 às 18 horas. Fone 51 3227.2311 e 3212 2281 ou e-mail:

extensao@margs.rs.gov.br

CENTRO CULTURAL CEEE ERICO VERISSIMO

Até 06/09 - O Universo Feminino em Paulina Eizirik - A

curadoria é de Sabrina Lindemann. São 21 pinturas, obras

produzidas de 1985 a 2003. Sala Ana Terra

24/08 - 19h - Quarta tem Sarau no Quarto – Meus Poemas

Sou Eu Escrito, direção do poeta Renato de Mattos, e

acompanhamento musical de Paulo Accurso e Fernando

Menegotto. Sala O Retrato

01/09 – 19h - Quarta tem Sarau no Quarto – Meus Poemas

Sou Eu Escrito. Thiago de Mello. Auditório Barbosa Lessa

08/09 – 19h - Quarta tem Sarau no Quarto – Poetas Iluminadas,

coordenação da cantora, poeta e jornalista Angélica Rizzi. Sala

O Retrato

Até 25/08 - Quintas-feiras - das 15h30 às 17h - Cultura

Francesa – Aprenda Francês Cantando. Com a Dra. Janete

Cecin. Sala O Retrato

Até 25/10 - Terças-feiras - das 15h30 às 17h - Cultura Francesa

– Curso Gramática Francesa – Ministrado pela professora Inés

Alonso. Sala O Retrato

31/08 - 15h30 - Conversa de Livraria – Ao Vivo – Edição

Maria Carpi. Exibição do documentário Vida e Obra – Maria

Carpi. Mesa-redonda com Maria Carpi e Fabrício Carpinejar,

mediação Luzimar Stricher. Auditório Barbosa Lessa. Vagas

limitadas. Inscrições gratuitas nos telefones (51)3226.7974 e

3228.9710 ou secretaria@cccev.com.br.

Sábados – 15h30 - Projeto Cidade das Crianças - Aberto a

crianças de quatro a onze anos, com a realização de atividades

artísticas e lúdicas, como teatro de sombras, desenhos,

fotografias, literatura, brincadeiras tradicionais, música, visitas

e passeios a locais e eventos culturais do Centro Histórico de

Porto Alegre. Gratuito. Sala Anexa

Sarau com Ritmo, organização de Benedito Saldanha, durante

todo o ano, na segunda terça-feira de cada mês. A Academia

Brasileira de Letras e Artes de Porto Alegre, em parceria com

o Clube literário Ipiranga e CCCEV, promove mensalmente, às

19h com entrada franca.

MEMORIAL DO RIO GRANDE DO SUL

24/08 - das 18h às 21h - Mesa-redonda Porto Alegre, Traços

de um Passado reconstruído em Fotografias. Auditório

Oswaldo Goidanich

25/08 - das 17h às 18h15min - Conferência da Academia Rio

Grandense de Letras. Auditório Oswaldo Goidanich

25, 26/08 – 19h30 - Projeto da Legalidade. Mesa redonda.

Auditório Oswaldo Goidanich

27/08 - das 9h às 13h - Seminários e Debates: a questão negra

em evidencia. Palestrante Sra. Leunice Martins de Oliveira.

Auditório Oswaldo Goidanich

Até 03/09 - Exposição em homenagem à Sandra Pesavento.

Salas Décio Freitas

05/09 - das 16h às 18h - Palestra sobre o Padre Landell de

Moura. Auditório Oswaldo Goidanich

06/09 - das 16h às 18h - Palestra sobre Convivências Culturais

LDNRS. Auditório Oswaldo Goidanich

01 a 10/09 - Mostra de várias exposições realizadas pelas

escolas públicas de Porto Alegre. Térreo

Visitas Guiadas O Memorial do Rio Grande do Sul disponibiliza

para grupos com a supervisão de um monitor de história e

serve como complemento didático-pedagógico para as turmas

escolares

Boneco Memorélio. O Memorial do Rio Grande do Sul

promove apresentações do Boneco Memorélio para o público

infanto-juvenil. Para agendar as visitas guiadas e o Boneco

Memorélio: 51 3224.4376

TEATRO DO SESC

24 a 26/08 - 15h e 15h40 - Louça Cinderela. Cia Gente Falante

(RS)

30/08 - 15h e 15h40 - 31/08 a 03/09 - 10h e 15h - Xirê das

Águas – Orayeyê ÔH. Cia Gente Falante. Teatro de Objetos

e Teatro Narrativo

31/08 – 20h - Projeto Sonora Brasil - 3º Circuito - Duo Ferragutti

/ Kramer (SP/RS)

Até 28/07 – 19h - Tributo a Tim Maia Acústico. Café SESC

Centro

25/08 – 19h - Alemão Ronaldo. Cantor e compositor de rock

n’roll e ex-líder da extinta banda de rock Bandaliera. Café

SESC Centro

Até 31/08 - Exposição Questão de Sentido, de Fabriano

Rocha. Desenhos sobre papel inéditos realizados em 2011.

Café SESC Centro

18° Porto Alegre em Cena – Veja Programação completa na

página 7

29/09 – 20h - Sucesso a qualquer preço. Grupo Ação (RS).

Teatro Adulto. Dir. Antonio Orellana

08/09 – 19h - Rosa Tattooada e Jeison. Café SESC Centro

22/09 – 19h - Benjamin e Ginger. Café SESC Centro

30/09 – 20h - 4º Circuito Sonora Brasil 2011. Dino Rocha (MS)

Cinesesc – Exibição de Filmes

01/09 a 31/10 - Segunda a Sexta - das 9h às 19h - Curtas no

SAC - Cine SESC e Programadora Brasil

08 a 30/09 - Exposição Amplificados. Exposição fotográfica do

renomado fotógrafo Marcelo Nunes. Café SESC Centro

SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA

23 e 30/08 – 20h - Cinzas às Cinzas – Teatro Adulto - Teatro

Aberto (espetáculos experimentais) Auditório Álvaro Moreyra

24 e 31/08 – 20h - Apenas o Fim do Mundo – Teatro Adulto

- Novas Caras (incentiva novos talentos da cidade) Teatro de

Câmara Túlio Piva

26, 27 e 28/08 - Sex e Sáb - 21h e Dom 20h - Roda Gigante.

Teatro de Câmara Túlio Piva

27 e 28/08 – 20h - Exercícios sobre a Cegueira. Inspirada

pelo quadro de Brueghel, que constitui uma reflexão sobre

a cegueira da alma humana. Dir. Camilo de Lélis. Auditório

Álvaro Moreyra

27 e 28/08 – 16h - A Princesa engasgada – Teatro Infantil. Dir.

Cássio Schonarth. Auditório Álvaro Moreyra

27 e 28/08 – 16h - Opereta Pé de Pilão – Teatro Infantil. Texto

Mário Quintana. Dir. Cláudio Levitan. Teatro de Câmara Túlio

Piva

26, 27 e 28/08 - Sex e Sáb - 21h e Dom - 20h - 5 Tempos para

a Morto – Teatro Adulto. Dir. Gilberto Icle. Teatro Renascença

27 e 28/08 – 16h - Pimenta do Reino em Pó – Teatro Infantil.

Dir. Suzi Martinez. Teatro Renascença

30/08 – 19h30 - República do Rock – Vera Loca + Mandala.

Teatro de Câmara Túlio Piva

30, 31/08 e 01/09 – 21h - Mi Porto Alegre Querido – Dança. Dir.

Geral e Concepção Edison Garcia. Teatro Renascença

23 e 30/08 e 06 e 13/09 - Das 17h às 28h30 - Oficina de

Prosa: Primeiro Percurso. Biblioteca Pública Municipal Josué

Guimarães

Até 28/08 - Daquele Lugar – Exposição de Claiton Fadini.

Centro Municipal de Cultura, Arte e Lazer Lupicínio Rodrigues

– Saguão

02/09 a 02/20 – Aquaplay. Nelton Pellenz. Galeria Iberê

Camargo

02, 03 e 04/09 – Sex e Sáb - 21h e Dom - 20h - Hotel Fuck –

Teatro Adulto. Teatro Renascença

Até 09/09 - Proibido Mortal – Exposição Pablo Ferretti. Paço

Municipal – Sala da Fonte

Até 09/09 - Memórias de Um Urbano – Exposição Carusto

Camargo, Gilberto Menegaz e Guto Maahs. Paço Municipal

– Porão

16/09 a 14/10 – Pinturas de Gastão Hofstetter. Casa Torelly –

Sala Paulo Osório Flores

16/09 a 14/10 - É Primavera. Simone Bernardi. Paço Municipal

- Porão

16 a 23/09 - Coleção Renato Rosa. Paço Municipal – Sala

Aldo Locatelli

25/09 - Das 10h às 17h - Feira de Troca de Livros de Porto

Alegre – X Edição. Parque da Redenção – Monumento

Expedicionário

28/09 – 20h - Quartas na Dança – O Resto é Perfume. Com

Companhia Seelentanz. Teatro Renascença

28/09, 05, 19 e 26/10 – 20h - Pequenos Fatos – A vida real

pode ser fantástica – Teatro Adulto - Novas Caras (incentiva

novos talentos da cidade) Teatro de Câmara Túlio Piva

18º Porto Alegre em Cena - Apresentações de espetáculos

locais, nacionais e internacionais. Informações: (51) 3232.1652

e www.usinadoporto.com.br e www.poaemcena.com.br

República do Rock – 19h30 - Teatro de Câmara Túlio Piva.

Informações: (51) 3289.8153

Sons da Cidade – 20h - Teatro Renascença. Informações:

(51) 3289.8153

CENTRO CULTURAL USINA DO GASÔMETRO

Usina na Praça - Até 4/12 aos domingos à tarde - Shows de

música, teatro, poesia, dança e mágica. Praça Anexa

28/08 - 16h - Luana Pacheco (música)

4/09 - 16h - Xama in Dança (dança)

11/09 - 16h - Tribo Brasil (música)

18/09 - 16h - Circo Petit-Poá RS (circo)

25/09 - 16h - Rasta Fúria e Os Horácios (música)

Sala 309

27 e 28/08 – 20h – Santa Estação Dia de Teatro - Laboratório

de Criação: Die Hamletmaschine

03 e 04/09 – 18h - Synkronos - experimento com o público I e

II (teatro) Vai!ciadeteatro

Sala 502

25/08 - 19h30 CulturaRockClub - Intervenção Sonora

(experimentação)

28/08 - 16h - O que é a Música?

26, 27 e 28/08 - 20h - Lady Macbeth. Satori Associação Teatral

10/09 – 17h30 - CulturaRockClub recebe Tio Vico

Sala 209

27 e 28/08 - 19h - o ar que respiramos juntos (dança)

Companhia Municipal de São Leopoldo. Direção Marco

Filippin. Trilha sonora Bebeto Alves

3 e 4/00 - 20h - Eduardo Severino Cia. de Dança. Sobreviventes

(dança) Cia Municipal de Dança de Caxias do Sul

Sala 504

27 e 28/08 - 17h – Neelic - Intimidade (teatro) inspirado na obra

de Nelson Rodrigues, Álbum de Família

27 e 28/08 – 20h - K (teatro) Espetáculo inspirado na obra

O Processo de Franz Kafka

03, 04, 10, 11, 17, 18, 24 e 25/09 - 17h - Os Saltimbancos

(teatro infantil) Espetáculo da Escola de Teatro do Grupo

Neelic, nível intermediário.

10/09 – 19h - Sarau de Livre Expressão Artística. Com os

atores do Grupo Neelic.

Sala 400

10,11,17 e 18/09 - 20h – Teatrofídico. Viva-Água-Viva de

Clarice Lispector (Teatro)

30/09 – 20h - Ensaio Aberto Quem tem medo de Itália Fausta

(teatro)

Sala 402

27/08 – das 20h às 24h – Depósito de Teatro - Sarau especial

de aniversário – Depósito (15 anos) de Teatro. Grupo Depósito

de Teatro

A partir de 27/08 - Exposição Depósito (15 anos) de Teatro.

Grupo Depósito de Teatro

23/09 – 20h e 01/10 – 18h - Experimentos Teatrais

Contemporâneos (teatro) Dir. Scheiler Fagundes e Karina

Rocca

23/09 – 21h - Vídeo-Memória – Meduza de Rayban (vídeo)

03/09 – das 19h às 23h - Sarau da revolução – em parceria

com Teatrofídico. Grupo Depósito de Teatro e Teatrofídico.

Salas 402 e 400

Sala 505

25/08 – 20h – Grupo dos Cinco - Projeto De Quinta. Leitura

dramática dos textos Os habitantes do Bairro Bosque, e Uma

bala para dois, de Rafael Baião. C/ Silvia Ramos e Cia Cênica

28/08 – 18h - Domingo mágico. Com a Associação dos

Mágicos dos RS

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Por Luiz Carlos Mandelli - Presidente da 8ª Bienal do Mercosul

Por uma Bienal do Mercosul no campo expandido

Fotos Eduardo Seidl e Cristiano Sant’Anna/indicefoto.com

O Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo, museu de

história da cidade de Porto Alegre, tem como sede o Solar

Lopo Gonçalves, construído entre 1845 e 1855, na antiga

Rua da Margem (atual João Alfredo), com arquitetura do

estilo luso-colonial, para ser “residência de chácara” da

família do comerciante português Lopo Gonçalves Bastos.

Lopo foi também vereador por dois mandatos, provedor

da Santa Casa de Misericórdia (1851); fundador do Banco

da Província do Rio Grande do Sul (1858) e da Praça do

Comércio de Porto Alegre (atual Associação Comercial) e

proprietário de um dos maiores patrimônios da sociedade

porto-alegrense da época.

Na década de 1970, após diversas ocupações, o Solar

Lopo Gonçalves encontrava-se em ruínas. A ameaça

da perda de um dos últimos exemplares da arquitetura

luso colonial na cidade levou um grupo de intelectuais

de Porto Alegre a uma campanha na imprensa local

para a preservação do Solar e colocou em discussão

a necessidade de um espaço para guardar o passado

histórico e a memória da cidade.

Uma comissão coordenada pelo historiador Moacyr

Flores elaborou o projeto de criação de um Museu

Histórico Municipal para a cidade de Porto Alegre em

1978. Em 13 de março de 1979, através do decreto 6.598,

o prefeito Guilherme Socias Villela criou o Museu de Porto

Alegre, com a finalidade de reunir, em um único espaço

físico, o acervo histórico e cultural da cidade. A primeira

sede do Museu situava-se à Rua Lobo da Costa, nº. 291,

no bairro Cidade Baixa. O acervo do Museu de Porto

Alegre originou-se do arquivo da prefeitura municipal de

Porto Alegre, onde o historiador Walter Spalding reuniu

documentos, mapas e objetos da História da cidade.

A partir de 1980, tiveram início as obras de restauração

do Solar Lopo Gonçalves, coordenadas pelo arquiteto

Nestor Torelly Martins. O restauro foi concluído em 1982

O processo de criação das Bienais

do Mercosul tem sido marcado por

inovações constantes. A realização

da sua 8ª edição, de setembro a

novembro desse ano, dá um novo rumo

na consolidação das Bienais de artes

visuais no sul do Brasil e coloca Porto

Alegre definitivamente no circuito das

artes contemporâneas mundiais.

Sob o título Ensaios de Geopoética,

a 8ª edição da Bienal trata da

territorialidade e sua redefinição crítica

a partir de uma perspectiva artística.

Reunirá 106 artistas de 33 países

que desenvolvem obras que discutem

noções de país, nação, identidade,

território, mapeamento e fronteira sob

os aspectos geográficos, políticos e

culturais, promovendo a reflexão em

torno desses temas. Embora seja a

Bienal do Mercosul mais internacional

até o momento, a participação de

artistas nacionais é grande: são 38

artistas brasileiros, sendo 15 do RS.

Seu projeto curatorial, concebido pelo

curador-geral dessa edição, José Roca,

está composto por sete grandes ações,

abordadas por meio de estratégias

expositivas e ativadoras: Casa M,

Cadernos de Viagem, Continentes,

Além Fronteiras, Cidade Não Vista,

Geopoéticas e a exposição do artista

homenageado, Eugenio Dittborn. Os

espaços expositivos que irão receber as

Por - Diretora do Museu Porto Alegre Joaquim Felizardo

Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo: lugar

de memórias e histórias da cidade de Porto Alegre

e o Museu de Porto Alegre foi transferido para o Solar.

Em 23 de dezembro de 1993, houve uma mudança no

nome do Museu, que passou a denominar-se Museu de

Porto Alegre Joaquim José Felizardo, em homenagem ao

historiador e criador da Secretaria Municipal da Cultura.

O Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo conta a

História da cidade através de três importantes acervos:

o acervo histórico, o acervo fotográfico e o acervo

arqueológico. O acervo histórico é composto por cerca

de 1.300 peças do final do século XIX e do século XX,

compreendendo coleções de intendentes municipais,

indumentária, instrumentos musicais, mobiliário, artefatos

religiosos, entre outros objetos pertencentes aos cidadãos

porto-alegrenses.

Na Fototeca Sioma Breitman encontra-se o acervo

fotográfico, composto por aproximadamente 20.000

fotografias de Porto Alegre dos séculos XIX e XX, além

de álbuns e coleções particulares. Essas imagens foram

registradas por fotógrafos de destaque como Barbeitos &

Irmãos, Virgílio Calegari, Irmãos Ferrari, Léo Guerreiro e

Pedro Flores. Parte desse acervo fotográfico encontra-se

digitalizado e disponível para consulta de pesquisadores

na Sala Acervo Digital, via auto-atendimento.

O acervo arqueológico compreende aproximadamente

120.000 peças, entre fragmentos e objetos, referentes a

sítios de ocupação pré-histórica e histórica da cidade.

Trata-se de peças cerâmicas, líticas, de louça, vidro,

metal, couro e osso.

Como um espaço vivo e dinâmico, o Museu de Porto

Alegre Joaquim Felizardo realiza exposições de longa

e curta duração e promove encontros culturais mensais

como o “Diálogos no Museu”, cursos e oficinas. Além

disso, realiza visitas mediadas que atendem a estudantes

de escolas, de universidades e a grupos.

mostras da Bienal são os Armazéns do

Cais do Porto, o Santander Cultural, o

MARGS e diversos espaços da capital

e de outras cidades do RS.

Essa Bienal não pretende ser apenas

uma grande exposição. Não pretende

ser uma Bienal que acontece a cada dois

anos, mas sim um evento que acontece

durante dois anos, estendendo-se

também no tempo, com projetos que

perduram ou que são pontos de partida

para novas articulações entre agentes

culturais. Por isso, projetos como a

Casa M e Cadernos de Viagem, além

de ações do Projeto Pedagógico,

iniciaram suas ações no início de 2011.

Também não é uma Bienal concentrada

em um único local ou cidade, mas sim

um evento que reverbera por todo o

território gaúcho, passando por mais

de 20 cidades.

A preocupação com a formação

de público e a educação para a arte

contemporânea é uma constante

na Bienal do Mercosul. O Projeto

Pedagógico da 8ª edição, idealizado

pelo curador e artista Pablo Helguera,

amplia as ações que foram realizadas

nas bienais anteriores e expande seu

alcance, levando artistas e atividades

educativas a diversas regiões do

RS, promovendo a participação das

comunidades. O Projeto Pedagógico

se preocupa em oferecer atividades

específicas para os diversos tipos

de público, que vão de cursos para

professores a agendamentos de visitas

guiadas.

A Bienal é fruto de um trabalho

conjunto, colaborativo e, para que tudo

isso aconteça, é necessária a dedicação

de um grande número de pessoas,

organizações, empresas e governos.

Todos os eventos e ações da Fundação

são oferecidos gratuitamente ao público,

com recursos incentivados por uma

rede de patrocinadores, parceiros e

apoiadores, que viabilizam o conjunto

das ações que compõem o projeto e

fazem com que a 8ª edição se seja

um sucesso. Parceria é uma palavra

que bem define a integração entre

a Fundação Bienal e os órgãos que

participaram ativamente da organização

desse evento. Essa parceria também

se estende à Equipe Curatorial que,

desde o inicio, procurou entender a

comunidade local e apresentou um

projeto que atendia a uma demanda da

Fundação.

A c r e d i t a m o s q u e a r t e p o d e

transformar a vida das pessoas. Por

isso, trabalhamos para que a 8ª Bienal

do Mercosul deixe suas marcas para

as futuras gerações e contribua para a

formação de cidadãos mais críticos e

participantes.

3

Fotos Divulgação Museu J.J Felizardo

Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

Rua João Alfredo, 582 – Cidade Baixa

Fone: 3289.8098 – e-mail: museu@smc.prefpoa.com.br

Aberto de terças a sextas-feiras, das 9h às 11h30 e

das 14h às 17h30 e aos sábados, das 13h30 às 17h30

Entrada Franca

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


4

O Sambista de Bagé

...E seresteiro, baladista, chorão, cancionista,

enfim: Jerônimo Jardim é tudo isso e mais um

pouco.

Mesmo nascido na cidade de Jaguarão, por

acaso — o pai, militar, estava com a família de

passagem pelo município —, o artista tem uma

grande empatia com o município de Bagé, local

onde foi criado e onde toda a sua história na

música teve início.

História essa que não é pouca: passou pelo

importante grupo Pentagrama, fez suas primeiras

parcerias com Luis Coronel, depois com Ivaldo

Roque. Participou de inúmeros festivais. Criou

sambas para a Praiana, teve produção de disco

por Ivan Lins, gravação de “Moda de Sangue”

por Elis Regina. Foi protagonista de momentos

marcantes na história dos festivais, como quando

sua canção “Purpurina”, interpretada por Lucinha

Lins, obteve vaias no Maracanãzinho ao vencer

o MPB Shell de 1981, desbancando a canção

favorita pela maioria do público.

Jerônimo Jardim teve mais vaias em

Uruguaiana, em 1985, ao vencer a Califórnia da

Canção com sua “Astro Haragano”. Escreveu

livros infantis. Foi o vencedor de prêmios como

o Lupicínio Rodrigues, 2000, o Açorianos pelo

Conjunto da Obra, em 2008, primeiro lugar no

festival de Porto Alegre de 2010, em parceria com

o cantor e compositor Gelson Oliveira. Recebeu a

Medalha Cidade de Porto Alegre, em 2011.

Enfim, o que não falta para esse bageense de

coração é história.

Agora, o compositor lança seu ótimo “De

Viva Voz”, onde recorda o tempo de serestas,

sambas e chorinhos na Bagé de sua juventude.

E é o bom samba e seus matizes que norteia o

trabalho, que abre com “Violão, meu violão”. Uma

bonita homenagem, cheia de categoria, ao seu

instrumento clássico. Depois vem a faixa-título,

uma seresta bastante sentimental, onde o autor

brinca com a diferença de idade, sua e de sua

companheira, cantando “será que vais lembrar

Por Caetano Silveira - Compositor e Produtor Cultural

/ as noites de paixão / pois só terás de meu /

retratos no porão / o que não se perdeu / e o que

virou canção”. O disco segue, muito bem dosado

e sacado, ora sobre a tônica do bom-humor, como

em “Minha Negra”, onde diz “minha nega só se

deita / quando já nasceu o sol / no domingo se

ajeita / vai sozinha ao futebol”, assim como em

“Se eu tô na boa”, onde Jerônimo faz um divertido

dueto com a cantora Greice Morelli; alternando

com momentos mais intimistas, como em “Sinto

Muito”, canção que Greice, que além de assinar

a letra (música de Jerônimo), canta sozinha,

numa bela interpretação que conta ainda com um

fantástico solo de sax do Pedrinho Figueiredo.

Confesso que uma das minhas canções

favoritas é a forte e bela “Amsterdã” (letra do

jornalista Timóteo Lopes), que fala da relação

de amor e ódio com a cidade grande: “e aí me

vens cheia de encantos mil / penosamente bela,

medonhamente vil / teu pão é fantasia, teu circo

hipocrisia / me apontas todo o dia a ponta de um

fuzil...”. O disco fecha com o alegre frevo “Lenha

na fogueira” (letra de Clair Jardim).

O álbum, que foi gravado ao vivo em dois

shows (dias 6 e 7 de janeiro de 2011) na sala

Álvaro Moreyra, no Centro Municipal de Cultura

de Porto Alegre, conta com quatorze canções,

todas de Jerônimo (algumas com parceiros), com

exceção de “Acordei em Madureira”, composta

pelos amigos bageenses, Ciro Vaz e José Ducos.

O músico é acompanhado pelo violonista

Toneco da Costa (que é também o diretor musical),

o flautista e saxofonista Pedrinho Figueiredo (que

também faz vocais), João Vicente no violão de 7

cordas, Luis Arnaldo no cavaquinho, Fernando do

Ó na percussão e os vocais de Greice Morelli. O

disco é uma produção totalmente independente

pelo selo Via Brasil/Virtual Music, em parceria

comercial com Ayrton dos Anjos. Pra saber mais,

acesso o site do artista, www.jeronimojardim.com

Foto Arquivo Pessoal

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Recebo muitos e-mails diariamente. Procuro

responder, com presteza, aos que tratam de trabalho,

deleto a maioria e, para mim mesmo, guardo

pouquíssimos. Pois uma manhã dessas, ao abrir a caixa

do meu hotmail, encontro um da Carlota Albuquerque,

figura central da dança gaúcha e artista que admiro

profundamente. Carlota falava de sua viagem à Paris,

onde conheceu a Cartoucherie, de Ariane Mnouchkine,

e, principalmente, sobre o “Porto Alegre em Cena”, com

uma emoção engasgante. Me dei conta, feliz, que, para

além das pontuais divergências cotidianas, as intenções

do festival estão mais claras à classe artística local .

Ao completar dezoito edições e, assim, atingir sua

maioridade, é fato que a programação do festival tem

chamado, como nunca, a atenção da mídia nacional.

Haverá um dia em que, concomitantemente, se

Parana-í

“...o corpo da voz, pode-se dizer assim, corpo, por que é

matéria que tange outra matéria, pois não?...tanto quanto, por

comparação, o vento no taquaral, que tristeza, heim?...mas

qual, nem o vento, muito menos os gomos da taquaraçu se

lamentam, nada dói, é tão só o resultado do ar que empurra e

a planta que estala...donde me vem, então, esse sentimento,

tão sentido, de tristeza, heim?...digo que vem de eu ser

puxado pela lembrança do corpo da voz...quero dizer da voz

de gente, pois de bichos, que não têm fala, o que se pode

saber?...no entretanto, algo das feras, mesmo das bestas,

também se pode falar, sim...pois, a senhora minha mãe

contava do miado da onça pintada, em ronda à sua choupana

de sapê, nos peraus do rio Paraná, era melancolia, era

soledade, dava um medo açucarado de morrer sangrado pelo

puma-jaguara, medo mole-mole, quase querendo...também,

há quem diga...sim...também falam dos peixes, que são

mudos, porém me lembro dos guinchos dos jundiás de longos

bigodes e ferrões pontiagudos, quando fisgados pra fora da

água...alguma dó, eu sentia deles, bem mais que das outras

qualidades de peixe, que agonizavam, em silêncio, no fundo

da canoa, pois não? mas, então, mesmo nos bichos, mesmo

nas plantas batidas pela ventania chuvosa, mesmo na lenha

úmida chiando na queimada, mesmo nas coisas, todas, sem

vida, que emitem ruídos assombrosos, é só do corpo da voz

de gente, por comparação e lembrança, que achei sustento

Por Luciano Alabarse - Diretor de Teatro e Coordenador Geral do Porto Alegre Em Cena

Foto Manton Salvador Sabater

Estrella Morente, o em Cena e o e-mail da Carlota

apresentarão aqui “A Flauta Mágica”, dirigida por Peter

Brook, e “A última Gravação de Krapp”, de Bob Wilson.

Será uma noite histórica para nosso calendário cultural,

de guardar na memória pra sempre.

No meio de atrações incríveis (Alan Platel/

Maria Bethânia/Philip Glass/Zé Miguel Wisnik/Adriana

Calcanhotto), quero registrar a presença de Estrella

Morente, artista espanhola verdadeiramente excepcional.

É a primeira vez que a filha de Enrique Morente vem à

América do Sul, e sua apresentação, asseguro, marcará

época, numa noite onde a palavra “imperdível” não será

usada em vão. É de Estrella, entre tantas maravilhas, a

voz de “Volver”, que Penélope Cruz dublou no filme de

Almodóvar. Anote aí e depois não diga que não avisei.

Como a crônica desta edição é feita de considerações

sobre o festival, peço licença para compartir com meus

oito leitores o e-mail da Carlota. Mais do que uma

derrapada narcísica, ele demonstra o aval dos grandes

artistas locais ao “Porto Alegre em Cena”, já cientes da

batalha que é fazer um festival assim, sem concessões

fortuitas, sem preguiça ou esmorecimento por parte

de sua equipe – composta por nomes de diferentes e

importantes grupos do teatro gaúcho, a quem o festival

deve seu aperfeiçoamento contínuo. O email da Carlota

segue aí.

“Querido Luciano,

Hoje li uma matéria sobre o 18° Porto Alegre em Cena

e então não poderia deixar de te revelar minha emoção

em perceber que fazia parte de uma história inimaginável:

estar no mesmo festival de Peter Brook, Robert Wilson,

Ariane Mnouchkine e Pina Bausch.

Minhas loucas fantasias concretizadas e - aí sim -

vem transbordando emoções e sentimentos em fogo e

tempestade, aqueles que “remexem as memórias” como

diria Caio Fernando Abreu.

Então, com tudo isto, meu querido Luciano, resolvi te

escrever e antes de agradecer, te contar que tive o prazer

de assistir na Cartoucherie a obra “Les Naufragés du Fol

Espoir” e que estive lá porque me havias possibilitado

Por Camilo de Lélis - Teatrólogo

de especular... o corpo da voz, antes de haver sentido de

entendimento nela, se me entende...pois não?...então, é

disso que eu quero falar...isso que é sentimento puro, que

vem antes mesmo do pensar conversado dentro da gente,

é sim!...que coisa...heim?...pois não?...justamente...dentro,

essa carne de voz não existe, quando é dentro, só existe a

alma da voz, que é o pensamento...quando é fora, essa alma

penada, que é nosso pensar dentro, tem de ter um corpo,

igual a tudo que habita o mundo...pois...então, essa falação

pensada ocupa o corpo da voz...quer me dar um tantinho

de atenção agora? então...ouça...pois sim, que eu vi...ouvi,

escutei, assuntei, quero lhe dizer, que é a voz, sempre ela,

pois, sem ela, a fala é visagem, espiritagem, não há...se me

entende...antes...antes de haver fala, tantas vezes, essa voz

desossada de palavras, é sentimento só, é um gemido...pois,

então...um mugido de boi...bambuzal rangendo, só que é

na gente, se me entende...é um ai suspirado, por falta de

outra gente...pode ser? sim...é o neném, que não sabe falar

e, então, ele chora, e é só a mamãezinha dele, que sente

o que ele tem, que sabe o que ele quer, pois não?...então,

quando tudo se findar, das coisas vistas, eu mais nada puder

enxergar, ainda, por último, hei de escutar o murmurar do rio

Paraná...então...dentro de mim, entenderei que alguém me

quer bem e me chama no fundo das águas, num perau de

sombras, assim: Paraná...Parana-iê...Parana-í...Paraná”.

a emoção de “Les Éphémères” aqui em Porto Alegre.

Minha viagem, graças ao amor incondicional de minha

irmã e meu cunhado que moram próximo à Paris, tinha

uma certeza: conhecer a companhia.

Sobre o que aconteceu comigo lá, talvez agora

não tenha importância revelar, pois é tão íntimo e

transformador que levarei algumas sessões terapêuticas

para tornar consciente ... absorver.

Théâtre du Soleil é trabalho de GRUPO, a Cartoucherie

é espaço mágico, comovente. Tudo. Do jantar antes do

espetáculo, à revelada preparação dos atores e atrizes

ao público. É casa de mãe, de irmã (da minha): tem

aconchego. É receber cobertores para nos aquecer

do frio, e isso acontece antes do espetáculo e que até

fizemos questão de imitar em nossa temporada no Museu

do Trabalho (graças aos cobertores da Stravaganza).

Pois imitar a generosidade é abrir uma corrente do bem.

Com tudo isso e muito mais - inconfessável - o que

gostaria de te dizer que lá em dezembro deste 2010,

artistas da companhia contaram que viriam para Porto

Alegre. BaH! Disse para minha irmã, o Luciano Alabarse

colocou Porto Alegre no mapa (na era do cartão a minha

ficha caiu, né). A dimensão artística disso?! Meu Deus!

Saímos do espetáculo e da Cartoucherie como quem

sai de um santuário (e era um santuário), abençoadas.

Meu caro Luciano, gostaria então de agradecer e

de escrever sobre minha admiração por ti, que poderia

revelar pessoalmente, mas a vida afasta afetos, sei lá

os motivos... Fico pensando que em conversas de bar

a gente tem às vezes a reclamar do Em Cena, mas é

coisa de família, arrumando a casa para abrir espaços.

Então fica aqui gravado meu carinho e agradecimento.

Gostaria de aprender contigo, a capacidade de criar

elefantes rosa dentro da geladeira ou colocar 1000

pessoas num “fuca” e por aí afora. Me ensina a arte de

vencer as guerras?

Todo carinho eterno

Carlota Albuquerque”

5

Foto Márcio Peixe

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


6

Foto Arquivo pessoal

Por Walter Galvani - Jornalista, Escritor e Presidente do Conselho Estadual de Cultura

Ouvir a tudo e a todos

Foi uma surpresa, uma alegria e uma responsabilidade

a mais sobre os meus ombros, a recondução ao

cargo de presidente do Conselho Estadual de Cultura

na tarde do dia 9 de agosto. Prometo que nunca mais

falarei nisso, pois, esta será a minha última eleição

no Conselho. No ano que vem, me restarão dez meses

de mandato e não vou querer chatear as pessoas

uma vez mais, com o meu nome.

Espero, de hoje até 9 de agosto de 2012, conseguir

realizar tudo o que seja possível e não vou bancar

aqui aqueles mandatários que dizem, que tudo virá

com a Copa de 2014.

Essa Copa, no ano em que estarei completando

oitentinhas, quero comemorar em casa, vendo os

jogos pela tv e escutando rádio, como sempre fiz e

lembrando que estive presente em 54, 58, 62, 66, 70,

74, 78, 82, 86, 90, 94, 98, 2002, 2006 e 2010.

Como jornalista e até como especializado em esportes,

nas quatro primeiras citadas. Depois, o futebol

me deixou e fui fazer arte e cultura. É assim mesmo,

quando a gente não dá mais para o couro...

Ainda não me aposentei, nem pretendo me aposentar.

Fui eleito para um novo período de presidência, é

pouco, apenas um ano, mas pretendo trabalhar do-

Desarmamento – Uma opção pela vida

O Rio Grande do Sul espera recolher

neste ano pelo menos dez mil armas

com a versão estadual da Campanha

Nacional de Entrega Voluntária de

Armas e Munições (Cevam/2011).

Desde que foi iniciada, em 2003,

o Estado tem ficado entre os três

entes da federação que mais entrega

armamentos de forma voluntária.

Cabe ressaltar que a criação do

Estatuto do Desarmamento, em

dezembro de 2003, não tirou do

cidadão o direito de possuir armas. O

que ocorreu foi um regramento especial

e uniformizado em todo o País, pois ao

entregar sua arma, o sujeito realiza um

ato pela vida: preservando além da

sua, a dos demais.

Figuramos hoje no topo de uma lista

ingrata, indesejada e vexatória, pois

somos a segunda nação em números

absolutos de mortes por armas de

fogo no mundo, perdendo apenas para

a Rússia. Em números percentuais,

estamos na quinta posição. Um ranking

que não é de dar orgulho a ninguém.

Segundo recente pesquisa realizada

pelo Observatório Nacional de

Segurança Pública, contabilizando os

dados das Secretarias de Segurança

dos Estados e também do SUS, cerca

de 80% das mortes por armas de fogo

ocorridas no Brasil são decorrentes das

armas ditas legais, em outras palavras,

das que tem a venda permitida no

País. Apenas 20% das mortes são

provenientes do tráfico de armas.

Muitas dessas armas que ceifam

vidas em nossa sociedade um dia

pertenceram a um cidadão, policial

ou vigilante, estando assim registrada

nos órgãos de competência. Por

assaltos ou outros motivos acabaram

caindo nas mãos de bandidos. Esses

dados não significam que temos que

afrouxar a fiscalização e o combate

Por Adeli Sell - Vereador e presidente do PT-POA

à entrada destes armamentos, muito

pelo contrário. O que temos que propor

é o debate de ações alternativas

de combate, como a unificação das

legislações sobre armamentos com

as nações vizinhas. Em países como

Argentina e Uruguai, por exemplo,

armas automáticas e de calibres

maiores tem sua venda permitida, o

que acaba facilitando a entrada ilegal

no Brasil.

Mas voltando a nossa realidade, vale

ressaltar que em pouco mais de 30

dias de campanha, já foram recolhidas

aproximadamente mil unidades no Rio

Grande do Sul. Um indicador positivo,

dada a ausência de divulgação da

campanha na mídia.

Aos que dizem “primeiro desarme o

ladrão, depois o cidadão”, eu afirmo: “a

arma na mão do cidadão pode armar

o ladrão”.

brado para que não fique devendo nada.

Quero continuar o meu trabalho de aproximação

com as partes, com os setores diversos da cultura,

com o interior do estado, com os municípios.

É a minha divida pessoal e o que mais ambiciono

é quitá-la neste próximo mandato que já começou,

aliás.

Podem me cobrar. E vamos fazer mais: mandemme

seus pleitos, quero estar em condições de tudo

atender, debater, conversar, programar e aprovar o

que for possível e botar em ação.

Receberei tudo e todos.

E tenho certeza que o mesmo propósito anima

meus companheiros de Câmara Diretiva: Nicéa Brasil,

a vice; Hamilton Braga, o secretário e Waldir da

Silveira, o assessor especial da diretoria.

Não tem essa de dizer que não posso, por motivos

éticos, ouvir os pleitos. Posso sim. Ouvir, significa escutar,

apreciar, debater, examinar, mas não quer dizer

aprovar.

É isso que pretendo a partir deste momento e obrigado

a este órgão dedicado a levar a cultura ao povo,

pela oportunidade de dar este discurso.

Foto Arquivo pessoal

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


PROGRAMAÇÃO DO 18º PORTO ALEGRE EM CENA

Apresentações de espetáculos locais, nacionais e internacionais.

Informações: (51) 3232.1652

www.usinadoporto.com.br e www.poaemcena.com.br

Theatro São Pedro - 21h e dom às 18h

07/09 - A Mulher Sem Pecado - POA

10/09 - Meu Quintal - Ná Ozzetti - SP

11/09 - Zé & Celso - Canções do Teatro Oficina – SP

12, 13 e 14/09 - O Micróbio do Samba - Adriana

Calcanhotto - RJ

16, 17 e 18/09 - A Lua Vem da Ásia - RJ

19/09 - Philip Glass - EUA

20/09 - A Dama Indigna - Cida Moreira - SP

23, 24 e 25/09 - Krapp’s Last Tape - Itália/EUA

Teatro do SESI - 21h

22 e 23/09 - Well Wishing - Binari - Coréia do Sul

Teatro do Bourbon Country - 21h

06 e 07/09 - Maria João & Mario Laginha - Portugal

13, 14 e 15/09 - Out of Context - For Pina - Bélgica

16 e 17/09 - An intimate evening with Marianne -

Faithfull & Doug Pettibone - Inglaterra

21, 22 e 23/09 - Une Flûte Enchantée - França

24 e 25/09 - Mujeres - Estrella Morente - Espanha

27/09 - Mônicas - Atração de Encerramento

Salão de Atos da UFRGS - sáb às 21h e dom às 18h

17 e 18/09 - Pterodátilos - RJ

Teatro Renascença - 20h e dom às 18h

07, 08 e 09/09 - Dueto para Um - SP

11/09 - Hotel Fuck - Num Dia Quente a Maionese

Pode te Matar - POA

13,14 e 15/09 - A Chegada de Lampião no Inferno - RJ

17 e 18/09 - Nomeolvides - Carlos Villalba - Argentina

20, 21 e 22/09 - Blackbird - Uruguai

24 e 25/09 - Medeé - França/Burkina Faso

Sala Álvaro Moreyra - 23h

08, 09 e 10/09 - Cordel do Amor Sem Fim - PE

11 e 12/09 - Amar - Argentina

17, 18 e 19/09 - A História do Homem que ouve

Mozart e da Moça do lado que Escuta o Homem - RJ

21, 22 e 23/09 - Os Credores - SP

24/09 - Clube do Fracasso - POA

Teatro de Câmara - 22h

09, 10 e 11/09 - O Amor de Clotilde por um certo Leandro

Dantas - PE

13, 14 e 15/09 - Neva - Uruguai

16/09 - 9 Mentiras sobre a Verdade - POA

17/09 - 5 Tempos Para a Morte - POA

19, 20 e 21/09 - Ninguém Falou que Seria Fácil - RJ

22, 23 e 24/09 - Pequeno Inventário de Impropriedades - SC

Teatro Bruno Kiefer - 19h

07 e 08/09 - Nada Del Amor Me Produce Envidia -

Argentina

10 e 11/09 - Devolução Industrial (16h)

13, 14 e 15/09 - Music-Hall - Uruguai

20 e 21/09 - Dolor Exquisito - Argentina

22/09 - Dia Desmanchado - POA

Teatro Carlos Carvalho - 18h

08, 09 e 10/09 - Dois Perdidos Numa Noite Suja - SP

13, 14 e 15/09 - Dentro da Noite - RJ

21, 22 e 23/09 - Agreste Malvarosa - RJ

Teatro do SESC - 20h

12 e 13/09 - Pálido Colosso - SP

14, 15 e 16/09 - O Ruído Branco da Palavra Noite - SP

19, 20 e 21 - O Fantástico Reparador de Feridas - SP

Instituto Goethe - 19h

12 e 13/09 - Alma Boa de Lugar Nenhum - Carlos Careqa - SP

20, 21 e 22/09 - Ella - Uruguai

Teatro do CIEE - 21h

07, 08 e 09/09 - Labirinto - RJ

10/09 - Andromeda Mega Express Orchestra - Alemanha

12 e 13/09 - A Vida Como Ela É - SC

15, 16 e 17/09 - Histórias de Amor Líquido - RJ

22 e 23/09 - Bethânia e as Palavras - RJ

Museu do Trabalho - 21h30

19/09 - Ditos e Malditos: Desejos da Clausura - POA

21/09 - A Tecelã - POA

Ilha das Pedras Brancas

Saída às 18h30min da Usina do Gasômetro (Av. João

Goular, 551 - Centro) até o Sava Club (Av. Guaíba, 4127 -

Vila Assunção). De lá sai o barco que conduz o público até

a Ilha das Pedras Brancas. Percurso de barco: 1h. Em caso

de mau tempo o espetáculo será remarcado.

10 à 19/09 - Viúvas - Performance sobre a Ausência - RS

Hipódromo do Cristal - 20h

12/09 - Hybris - POA

Usina do Gasômetro - 20h

15/09 - Wonderland e o que M. Jacksom encontrou por lá - POA

Descentralização / Teatro de Rua

06/09 - Histórias de uma mala só - EMEB Liberato Salzano

Vieira da Cunha - Região 5 - Norte (15h)

07/09 - Cabaré do Ivo - Sala Álvaro Moreyra (23h)

07/09 - O amor de Clotilde por um certo Leandro Dantas -

PE - SEST/SENAT - Região 1 - Humaitá/Navegantes (20h)

08/09 - O amor de Clotilde por um certo Leandro Dantas -

PE - ULBRA Concórdia - Região 2 - Noroeste (19h30)

09/09 - Bach para Crianças - Escola Antão de Farias -

Região 3 - Leste (16h)

10/09 - Isaías in Tese - Ilha Grande dos Marinheiros -

Região 17 - Ilhas (19h)

11/09 - Hybris - Hipódromo do Cristal RS (20h)

12/09 - Tablao - EMEF Vila Montecristo - Região 12 -

Centro-Sul (19h30)

13/09 - Histórias de uma Mala Só - EMEF Presidente

Vargas - Região 14 - Eixo-Baltazar (15h)

14/09 - História da Tigresa - EMEF Vereador Martim Aranha

- Região 10 - Cruzeiro (19h30)

15/09 - História da Tigresa - EMEF Professor Anísio

Teixeira - Região 15 - Sul (19h30)

16/09 - A Milímetros de Mercúrio - EMEF Alberto Pasqualini

- Região 8 - Restinga (19h30)

17/09 - Isaías in Tese - Centro Cultural Lomba do Pinheiro -

Região 4 - Lomba do Pinheiro (17h)

18/09 - Pessoas III - As Memórias - SABEM Belém Novo -

Região 13 - Extremo Sul (20h)

19/09 - Tartufo - Escola Municipal Emílio Meyer - Região

9 - Glória (19h30)

20/09 - A lição - Teatro de Arena - Região 16 - Centro (18h)

20/09 - O mapa_Cristóvão 400 - Tepa - Região 16 - Centro

(21h)

21/09 - Tartufo - Salão Paroquial da Igreja São José do

Murialdo - Região 7 - Partenon (20h)

22/09 - A Cãofusão, uma aventura legal pra cachorro -

CESMAR - Região 6 - Nordeste (15h30)

23, 24 e 25/09 - Sua Incelença, Ricardo III - Recanto

Europeu - Parque Farroupilha - Região 16 - Centro (18h30)

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

7


8

Por Teniza Spinelli - Jornalista

Mara Caruso e o Livro de Artista

Mara Caruso é uma artista de talento que reparte sua experiência com generosidade entre os alunos

do Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre. Ela coordena oficinas de “Arte Postal”, “Livro de Artista” e

GIMP (Oficina de manipulação digital) e, integra uma rede de incentivo à produção contínua das Artes

visuais nas suas interfaces. No projeto “Livro de Artista” Mara une as artes visuais à literatura, poesia,

patrimônio cultural e humanidades. A proposta, em sintonia com outros grupos de artistas, caminha

além de nossas fronteiras. Entre os exemplos de exposições realizadas sob a coordenação de Mara

Caruso estão as mostras temáticas “Partidas e Chegadas”, “Parque Farroupilha, a redenção do Olhar”,

“As Flores em Porto Alegre”, “A fauna nativa de Porto Alegre” e “O pão nosso”. A proposta “Um livro para

Porto Alegre” homenageou nossa cidade. A partir de temáticas específicas dá-se então o intercâmbio.

As exposições já percorreram países da Itália, Espanha, Inglaterra, Dinamarca, Suiça, Hungria, Lituânia,

Egito e Estados Unidos. Em palestra, a convite da Academia Literária Feminina do Rio Grande do Sul,

Mara Caruso falou dessa experiência singular e expôs, através de imagens, o trabalho dos artistas da

rede que coordena. Nela, criam-se laços, disseminam-se afetos e se expõem as obras, congregando

diversos artistas e diferentes públicos de todo o mundo.

Livro de Artista

Na visão de Mara Caruso os livros de artista

não são livros sobre arte e artistas. “São obras

de arte em si, que utilizam o conceito do livro.

O termo foi originalmente dado para descrever

livros que tiveram a sua origem no movimento

de arte conceitual dos anos de 1960. Segundo

Mara os livros de artistas sempre estiveram

presentes de alguma forma, nas cartas de Van

Gogh, nos diários de Gauguin e, nos de Frida

Kahlo, por exemplo. William Blake, com seu

livro Song of Experience and of Innocence, faz

ilustrações que compõem com as palavras em

uma obra única.”

Dentro do projeto das palestras de escritores,

na ALFRS, Mara Caruso explicou: “Tanto se

considera livro de artista qualquer livro que

contenha uma intervenção de um artista,

como se exclui desta categoria aqueles

que reproduzem apenas as suas obras, ou

que versam sobre a sua vida ou que têm

ilustrações suas. Alguns artistas cultivam um

caderno de anotações, desenhos, registros, aí

armazenam histórias do seu dia-a-dia, do seu

fazer cotidiano. Estes cadernos-livros podem

conter a gênese do processo criativo, revelam o

processo da criação, do pensamento e, muitas

vezes, tornam-se a própria obra.”

Para finalizar a artista acrescentou: “O

que distingue os livros de artistas dos outros

é a utilização do livro como suporte de um

projeto artístico específico, não restringindo

ao papel e tinta, mas incorporando todos os

tipos de materiais que o artista deseja utilizar,

onde podem aparecer o desenho, a pintura,

a gravura, a escultura, a cerâmica e outras

técnicas de representação.

Mara Caruso é graduada e licenciada em

Artes Plásticas, pelo Instituto de Artes da

UFRGS, com extensão em Desenho, Litografia,

Lito-offset e Arte Eletrônica. Ela realizou

exposições e participou de salões no país e no

exterior. Grande parte da sua trajetória tem sido

dedicada às atividades didáticas. É casada com

o também artista plástico Armando Almeida. A

artista está presente em publicações tais como

o Dicionário de Artes Plásticas no RS de Renato

Rosa e Décio Presser, no livro A Página violada,

de Paulo Silveira/UFRGS, e nas revistas Tacce,

Ruvo di Puglia/Itália, Noi Donne, Milão/Itália,

Explore: Xerox também é arte e, no Book Arts

Newsletter, 39, 2008.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

Fotos Arquivo Pessoal


Por Tarso Genro – Governador do Estado do Rio Grande do Sul

Cultura: O pão que alimenta a cidadania

A cultura tem o grande poder de nos tirar da indiferença. Ela nos leva sempre à

reflexão. Vetor de expressão simbólica e representação social, a cultura também se

transformou num ativo importante para uma economia que queremos mais dinâmica,

equilibrada e solidária.

Temos nela a marca do ativismo cultural e do compromisso dos gaúchos com

um diálogo mais amplo com a América Latina. Assim como ousamos na promoção

de atividades como o “Porto Alegre em Cena” e o próprio Fórum Social Mundial, o

nosso Estado tem o firme propósito de constituir-se em centro produtor e integrador

da cultura do MERCOSUL. Essa disposição conforta-se na ampliação da atuação

e no fortalecimento da Secretaria de Cultura.

A questão cultural percorre todos os parâmetros do desenvolvimento. E nós

tivemos a felicidade de escolher o Assis Brasil como secretário da Cultura porque

ele tem essa enorme universalidade. É um sujeito do ramo, um grande escritor. Uma

pessoa que sempre acompanhou as grandes questões culturais do estado seja do

ponto de vista da crítica, da música, do cinema da literatura. É um representante

digno do Rio Grande do Sul no cenário nacional.

Portanto, a questão cultural para o nosso governo é como um pão. Mas um pão

subjetivo. Um pão que deve acompanhar sempre um outro pão. O pão que alimenta.

A cultura, por sua vez, alimenta a cidadania, a dignidade e a cabeça das pessoas. O

pão cultural é um elemento vital para o projeto que nós apresentamos para o Estado.

9

Fotos Caroline Bicocchi/Palácio Piratini/Sul

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


10

Foto: arquivo pessoal

O câncer de mama é a neoplasia mais freqüente na

mulher brasileira. Ocorre principalmente após os 40 anos de

idade, muito embora a sua incidência em faixa etária mais

jovem tenha aumentado em todo o mundo.

Apresenta, de maneira geral, uma incidência na população

de 50 novos casos por ano para cada cem mil mulheres.

A etiologia do câncer de mama é desconhecida, mas existe

o que chamamos de fatores de risco para o desenvolvimento

do câncer. Observa-se, também, que do início desta

transformação neoplásica até a possibilidade do diagnóstico,

muitos anos podem ter passado.

Temos conhecimento, hoje, que 5 a 10% dos casos

de câncer de mama são hereditários e que mulheres

portadoras de mutações do gene BRCA1 têm mais chance

de desenvolver câncer de mama e ovário.

Sabemos, ainda, que 80% dos casos de câncer de mama

são do tipo esporádico, onde o processo da oncogênese

é gerado por meio de mutações ocorridas durante a vida

e auxiliadas por fatores adjuvantes, na maioria das vezes

ignorados.

Podemos classificar como fatores de risco primário o sexo

feminino, idade maior de 40 anos, história familiar (mãe ou

irmã com câncer de mama, especialmente bilateral ou na

pré menopausa), nuliparidade, primeiro parto após os 30

anos, lesões esclerosantes complexas chamadas de cicatriz

radial e lesões histológicas como carcinoma lobular in sito.

São considerados fatores de risco secundário a menarca

precoce (menos de 11 anos), menopausa tardia, raça branca,

aumento de peso na pós menopausa, terapia de reposição

O dito popular “Quando menos vale mais” pode ser

aplicado em relação a alguns procedimentos médicos,

com benefício para os pacientes e economia para a saúde.

Este é o caso do tratamento do câncer de mama. Ao

longo dos anos, a tendência foi de cirurgias cada vez

menos agressivas, diminuindo a morbidade do tratamento,

sem afetar o prognóstico da doença.

Há quarenta anos, a cirurgia preconizada era a

mastectomia radical, que retirava não só a mama doente,

como também a musculatura adjacente e os linfonodos ou

gânglios da axila. Pode-se imaginar o grau de mutilação

desta cirurgia e compreender o pânico das mulheres em

relação a este tipo de câncer. A idéia era de que, retirando

o máximo possível de tecido, o câncer seria erradicado

antes que pudesse se espalhar para outros órgãos.

Mas, estudos demonstraram que o câncer de mama,

mesmo quando pequeno, pode começar a se disseminar

precocemente, deixando traços da doença após a

cirurgia. Na década de 80, ficou provado que, para muitas

pacientes, a retirada apenas de parte da mama com o

tumor mais o uso de radiação, o chamado tratamento

conservador, era tão eficaz quanto a mastectomia. O uso

da radioterapia e da quimioterapia passou a ser usado,

Câncer de mama

Por Beatriz Bohrer do Amaral - Diretora da Radimagem e Radiologista

Quando menos vale mais

Por Dr. Nilton Alves - Ginecologista CREMERS 15.193

hormonal por mais de dois anos, alta ingesta de gordura e

uso crônico de álcool.

O câncer de mama, em seus aspectos biológicos, é

uma doença heterogênea e complexa, fato que pode ser

observado pelas múltiplas formas de apresentação clínica

e morfológica, pelas diferenças na pré e pós menopausa,

pelos diferentes graus de agressividade tumoral e potencial

metastático.

Do ponto de vista histológico, 90% dos carcinomas são do

tipo ductal ou de suas variantes e os lobulares correspondem

a menos de 10%.

Após o diagnóstico de câncer de mama, uma adequada

avaliação clínica, laboratorial e exames de imagem se fazem

necessários para o correto estadiamento do tumor. Feito o

estadiamento, nos casos iniciais o tratamento conservador

constituído pela setorectomia (retirada de uma parte da

mama), esvaziamento axilar ou linfonodo sentinela e

radioterapia é o método de escolha para a maioria dos casos.

A proporção relativa entre o volume do tumor e o volume da

mama é o principal parâmetro para a indicação de cirurgia

conservadora e determinante do resultado estético.

Nos casos de retirada total da mama, a reconstrução

imediata deve ser oferecida, sempre que possível, a todas

as candidatas à mastectomia.

O acompanhamento das pacientes tratadas deve ser

sistemático e rigoroso e a reabilitação física, psicológica e

da qualidade de vida devem ser buscadas durante e após o

manejo terapêutico.

então, como tratamento complementar à cirurgia com o

objetivo de tratar doença microscópica.

Os médicos, porém, continuaram a pensar que mesmo

doença microscópica nos gânglios axilares deveria ser

retirada e, por isto, foi mantido o esvaziamento axilar.

A partir do início dos anos 90, a técnica de biópsia do

linfonodo sentinela, que é o primeiro gânglio exposto

à disseminação das células doentes, passou a poupar

aquelas pacientes sem metástases no sentinela da cirurgia

axilar mais ampla e das suas freqüentes complicações:

dor, infecção, inchaço do braço e comprometimento da

sua mobilidade. Para as pacientes com doença no gânglio

sentinela, seguia a indicação da retirada dos demais

gânglios, acreditando-se, assim, aumentar a sobrevida.

Agora, mais um passo foi dado em benefício das

mulheres com câncer de mama. Um estudo recente

mostrou que, para aquelas com tumores de até 5,0 cm, não

há vantagem no esvaziamento axilar quando o linfonodo

sentinela for positivo, pois todas serão igualmente tratadas

com quimioterapia. Cai mais um dogma no tratamento

do câncer de mama, que passa a ser cada vez menos

agressivo, diminuindo complicações, sem prejuízo para a

chance de cura.

Próxima palestra do projeto Mulher e Saúde

Dia: 31/08/2011 às 16 horas - Tema: Saúde Mental? A Prevenção é Possível?

Palestrante: Ana Paula Terra Machado, Psicanalista - Local: Radimagem - Endereço: Av. Cristóvão Colombo, 1691

ENTRADA FRANCA – Levar 1kg de alimento não perecível - Informações: (51) 2125.0505

www.radimagem.com.br

Foto: arquivo pessoal

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Visite o mais novo espaço virtual cultural.

www.usinadoporto.com.br

O website cultural do jornal Usina do Porto,

O Jornal da Cultura será fundamental à área cultural por

promover o apoio à cultura e a interatividade entre os colunistas,

patrocínio

apoio cultural

artistas, a comunidade e todos interessados.

Você encontra temas como arte, teatro, cinema, música,

literatura, gastronomia, turismo e muito mais...

Consulte a Agenda Cultural na íntegra.

Acesse e deixe seu comentário para que

possamos aprimorá-lo ainda mais.

Descontos de 50%, consulte www.poaemcena.com.br

financiamento

BILHETERIA - USINA DO GASÔMETRO

28 de agosto – 8h às 20h

29 de agosto a 05 de setembro – 10h às 20h

06 a 26 de setembro – 12h às 18h

INTERNET E CALL CENTER

Internet – 28 de agosto, a partir das 13h – demais dias, 24h

Call Center – 28 de agosto, a partir das 13h;

seg a sáb – 9h às 22h/domingos e feriados – 12h às 18h

NOS TEATROS

Na bilheteria, se houver ingressos à venda, 1h antes da apresentação

Sujeito à taxa de conveniência

PONTOS DE VENDA – lojas MY TICKET

Andradas, 1342 – lj 46 – Centro – POA (seg a sex – 9h às 18h e sáb – 9h às 17h)

Padre Chagas, 326 – lj 6 – Moinhos de Vento – POA (seg a sáb – 9h às 20h)

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

Secretaria da Cultura

Rio

Grande

do Sul

Governo do Estado

realização

apresentam

11


12

Azeite de oliva na sobremesa

Por Thamara de Costa Pereira - Jornalista

O azeite de oliva já se tornou ingrediente indispensável na mesa do brasileiro, ele faz parte também do universo de

criações dos chefs de vanguarda. Conhecido por incrementar saladas e salgados, além de fazer bem a saúde, o azeite

de oliva espanhol esta cada vez mais presente também em bolos e doces. A campanha Azeite Sua Vida, que incentiva o

uso do azeite de oliva espanhol mostrando os benefícios que ele traz à saúde, gastronomia e bem estar, selecionou três

deliciosas receitas de doces e bolos para adoçar a vida dos brasileiros. Mais informações: www.azeite.com.br

Bolo de Iogurte e Azeite Espanhol da Dona Joana

Ingredientes:

-1 copo de iogurte natural

- 2 xícaras de açúcar de açúcar

- 3 xícaras de farinha

- 3 ovos

- ½ xícara de Azeite de Oliva

- 1 colher (chá) de fermento em pó Raspa de um limão

Modo de Preparo:

Aqueça o forno a 170 graus. Misture os secos. Acrescente alternadamente

os ovos, o iogurte e o azeite. Misture as raspas de limão. Asse por 35 minutos.

Brigadeiro com Azeite de Oliva

Docinho muito conhecido no Brasil e com presença obrigatória em festas infantis.

Elaborado basicamente com leite condensado e chocolate. A manteiga é usada

opcionalmente, para deixar a massa um pouco mais macia. Nesta receita foi adicionado

o azeite de oliva dando um excelente resultado.

Ingredientes:

- 1 lata de leite condensado

- 3 colheres (sopa) de chocolate em pó

- 2 colheres (sopa) de azeite de oliva

- 1/2 xícara (chá) de chocolate granulado

Modo de Preparo:

Misture em uma panela o leite condensado, o chocolate em pó e 1 colher (sopa) de

azeite de oliva. Leve ao fogo e cozinhe, mexendo sempre no mesmo sentido, por 6

minutos ou até a massa ficar consistente e aparecer o fundo da panela. Retire do fogo.

Transfira para um prato fundo e deixe amornar. Com a massa modele 25 bolinhas.

Use o restante do azeite de oliva para untar as mãos. Passe no chocolate granulado e

arrume em forminhas de papel.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

Fotos Divulgação


Última Estaçāo (Last Station), do

americano Michael Hoffman (também autor

de uma das adaptacões shakespeareanas

para Sonhos de uma Noite de Verão, em

1999), tem todos os ingredientes de um

típico exemplar do cinemão inglês, da

mesma cepa de realizações de David Lean

ou James Ivory. Essa biografia dos últimos

dias do escritor Leon Tolstói é contada

de maneira íntima e ao mesmo tempo

distanciada, tal como num romance onde

a personagem que narra a história é ela

mesma um escritor.

Há certamente paixão nesse relato,

que deveria ser descrito não apenas como

a morte de um escritor de exceção, mas

também o ocaso de um amor notável.

Contudo, essa paixão não desconsidera

as motivações das outras partes envolvidas

no conflito. Ao contrário, a discordância

é respeitosa e acima de tudo paira uma

busca autêntica do narrador pela melhor

versão possível dos fatos. Essa é a

abordagem do livro homônimo do escritor

e professor universitário americano Jay

Parini, e o narrador em questão é Valentin

Bulgakov, que de fato existiu (como todos

os outros personagens do filme) e foi o

último secretário de Tolstói, tornandose

ele próprio mais tarde um escritor de

sucesso.

(Um terceiro aspecto, que vai interessar

O Restaurante Bar Chopp Gambrinus, o “antigo

mais tradicional”, há 122 anos faz parte da história de

Porto Alegre. Localizado em um dos nossos principais

patrimônios o Mercado Público no Centro Histórico

de Porto Alegre. Já recebeu vários prêmios e troféus.

É frequentado por um público eclético: pessoas de

renome nos cenários cultural, político, social, artístico

da cidade, de outros estados e países, já que é indicado

pela rede hoteleira para visitantes e turistas.

Ambiente aconchegante e climatizado tem em

sua decoração peças originais do início do século

XX. Acima da “Mesa 1”,a cadeira e foto de Francisco

Alves - Rei da Voz.

Marlene Barden gerencia o Gambrinus mantendo

um severo controle de qualidade desde a seleção dos

produtos até a confecção dos pratos. É assessorada

por uma equipe eficiente e atenciosa.

No almoço ou jantar podemos saborear um

Por Marcelo Oliveira da Silva - Coordenador de Comunicação da Secretaria Municipal da Cultura

Tolstói, Sofia e a incomunicabilidade aos 80 anos

especialmente o público feminista e a

ser discutido em termos acadêmicos -

sublinho que o autor da história original é

um pesquisador prestigiadíssimo - é que a

condessa Sofia Tolstoia se revela uma coautora

de partes importantes de Guerra e

Paz, a obra mestra do escritor.)

O conflito em questão nasce do desejo

da comunidade de intelectuais ‘tolstoianos’,

em socializar os direitos autorais dos

livros do escritor russo, então o mais influente

da Europa e uma lenda Rússia, um

verdadeiro herói nacional vivo. No cerne

da filosofia tolstoiana, que calou fundo nas

mentes russas de então, está o embrião

das mais elevadas utopias socialistas e

comunistas, que alguns anos depois tomariam

o poder naquele país ainda profundamente

dominado por uma aristocracia

particularmente feudal e semi-esclavagista

em 1910: a fraternidade para se alcançar a

igualdade e, com essa, a liberdade.

Acontece que a condessa (magnificamente

interpretada por Helen Mirren),

mulher do escritor, também ele um nobre,

estava preocupada com o futuro de seus

oito filhos. A pregação de seu marido, que

também praticava em suas propriedades

o princípio da posse comunitária, estava

arruinando a fortuna e a herança da família.

Sofia vai estar numa ponta desse cabo de

guerra e na outra os tolstoianos mais radi-

Gambrinus

O antigo mais tradicional

cais, chefiados pelo também escritor Vladimir

Chertkov.

Sem didatismos, o diretor e o autor da

novela deixam para o espectador apreender

(ou não...) que esse diletantismo

exacerbado, que poderia ser traduzido na

expressão “mais realista que o rei”, ou a

atitude de se levar excessivamente ao pé

da letra os escritos de Tolstói, desvirtuou

tanto a intenção originalmente libertadora

do escritor quanto, mais tarde, o próprio

movimento comunista.

Percebemos isso na primeira ruptura,

quando a namorada de Bulgakov resolve

deixar a comunidade Tolstoiana em razão

do puritanismo de Chertkov e seus asseclas

– algo do qual o próprio Tolstói (igualmente

interpretado com brilho pelo octagenário

e venerando ator canadense Christopher

Plummer) discordava. A segunda ruptura

é do próprio Bulgakov (talvez a melhor

interpretação da relativamente jovem

carreira do escocês James McAvoy), que

numa memorável discussão com Chertkov

no leito de morte de Tolstói o adverte que

seus atos estavam moldando a memória

do escritor mais de acordo com as próprias

fraquezas de Chertkov do que com os

ideais do mestre.

Chertkov é também mais um notável

acerto na trajetória impressionantemente

ascendente do americano Paul Giamatti.

delicioso e variado cardápio da mais tradicional

culinária portuguesa: frutos do mar, como tainha

recheada com camarão, filé de congrio e linguado

ao molho de camarão, além de filé de salmão com

alcaparras e champignon, carnes nobres e pratos

típicos da região, No inverno é servido mocotó e

feijoada.

O Gambrinus tem o mais tradicional happy hour

para relaxar após um dia atribulado, degustando

bolinhos de bacalhau e petiscos variados, como

bacalhau, pastéis de camarão e sanduíche aberto.

Bebidas variadas como Chopp nacional, cervejas

importadas e artesanais, receitas de caipirinhas de

frutas, carta de vinhos nacionais e importados, entre

eles os da Reserva Especial do Gambrinus.

Não perca a oportunidade de conhecer O Gambrinus!

Fone: 51 3226.6914 – www.mercadopublico.com.br

As atuações todas são certamente um dos

pontos altos dessa produção elegante e

fidedigna, que também tem a qualidade

de não se enamorar da própria qualidade.

Não há uma cena que dure mais que o

necessário para pontuar uma fotografia

particularmente bela, não há nada fora de

lugar ou tempo.

Não é certamente um filme alegre.

E a morte de Tolstói não choca por si.

Tratava-se de um homem já bastante velho

e alquebrado, sob constante tratamento

médico. No entanto há um dilema complexamente

dolorido entre o amor entre o

conde e a condessa: e a incapacidade de

ambos de encontrar um meio termo entre

seus interesses em um momento de suas

vidas, a velhice, quando seria de se esperar

um tanto mais de sensatez. E é nesse

paradoxo do homem que deixa a casa doente

e aos 80 anos que se apresenta um

dos encantamentos amargos da obra: a

incomunicabilidade essencial dos amantes

à despeito da paixão mutuamente admitida,

a imutabilidade intrínseca de seus

caráteres e, talvez, se o espectador quiser

interpretar assim, a inexorabilidade de um

prazo de validade nas relações amorosas.

Ou não.

A Usina do Pastel chega ao segundo semestre de 2011 com ótimas novidades! Além de estar as vésperas de lançar o novo design de seu site a Usina lançou mais de 15 novos

sabores que se juntam aos mais de 60 já existentes. Entre as novas opções, destacamos: o número 67 (Margarita), o 71 (Carne, ovo, cebola, bacon e requeijão), o 73 (Catupiry,

provolone, tomate, alho e parmesão), o 76 (Tomate seco, rúcula e ricota) e o 78 (Alcatra, queijo gorgonzola e cebola caramelada). Vale a pena lembrar que os novos sabores não

são apenas de Pastéis, mas também das deliciosas panquecas e batatas recheadas que a Usina oferece! Você pode desfrutar dos produtos da Usina do Pastel visitando-a na

Cristóvão Colombo, 2614, solicitando via online através de www.usinadopastel.com.br ou ligando diretamente para 3337.0141 ou 3029.0142.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

13

Fotos João Alberto Cruz de Melo


14

Inquietação

Tem dias em que a gente se sente como quem partiu

ou morreu. Tem dias em que a gente olha pela janela e

um baita sol nos espia, mas vemos chuva e neblina. Não

adianta alguém nos assegurar, é sol, vemos o que os

olhos querem que vejamos, chuva e vento. Não se trata de

incompatibilidade visual, mas algo que rói por dentro, algo

que nos incomoda, que nos atrapalha, chega a doer. Nossa

pele grita, é sol, cara!, mas lá de dentro uma voz encolhida

responde, baixa e segura, é chuva. A alma enregela e não

há lençol térmico, abraços cheios de carinho, ou vinho tinto

que a recupere. Assim levamos os dias, estes dias em que

tudo nos parece cinza.

É um sobe-e-desce de escadas e a sensação de que

nada vale a pena. Que todo o esforço para abrir portas

esbarra na impaciência de ter de abri-las. Comemos

porque precisamos, vamos à academia porque o coração

exige, cumprimos um que outro compromisso urgente com

o máximo que a boa-vontade nos permite. Sabemos que é

necessário reagir, que o mundo precisa de nós, que não há

futebol, não há missa, não há shows, não há viagens, se

não estivermos a postos. Cadê a vontade para tanto, onde

se escondeu a determinação que nos impelia a percorrer

léguas sem nada de língua pra fora? Deve ter adormecido

entre cobertores e música para relaxar.

Sabemos que temos de pagar contas, levar os cachorros

para o banho, escrever o artigo aquele, a letra que nos

pedem, o capítulo que falta para terminar a novela, tratar

de resolver o problema da câmera, ir ao dentista. Temos

o lançamento do novo livro, a preparação de mais um

Aristóteles - O conhecimento como ferramenta de

decisão de Christa Maseric

mostra como a clareza e a objetividade do grande

pensador grego podem ser utilizadas

para analisar argumentos e raciocínios e tomar

decisões. Editora Vozes, 96 páginas, telefone

3226.3911, www.universovozes.com.br

Maigret em Vichy do grande mestre dos romances

policiais, o belga Georges Simenon, narra a

história estranha de um casal, a partir de uma

pergunta da esposa do lendário inspetor Maigret.

L&PM Pocket, 176 páginas, www.lpm.com.br

Um animal espera do poeta, médico e escritor

gaúcho José Eduardo Degrazia, autor de dezesseis

obras em edição especial, da Coleção Minibuks,

traz poemas que tratam de muitos temas atuais

e relevantes. Editora Território das Artes, www.

territoriodasartes.com.br

Por Sergio Napp - Escritor

CD, apanhar os extratos no banco, os documentos no

Fórum. Sabemos de tudo. A lista à nossa frente é extensa.

Mas só o que fazemos é olhar a chuva e mastigar,

compulsivamente, barras de chocolate.

Tem uma música tocando no rádio: até ontem era a

melhor do mundo, nos dias de hoje, uma chatice. Tem

uma garota nos olhando safada: até ontem era tudo o que

desejávamos, nos dias que passam, bate a indiferença.

Tem uma oportunidade única de conhecer o Tibet, sonho

acalentado por anos a fio, hoje, preferimos a cama. O

tempo não para, mas todo o sentimento é se esquecer

embaixo das cobertas esperando a banda passar.

Nestes dias em que a chuva teima em cobrir o sol, não

somos nós os que nos fazemos presentes: outros nos

habitam. Outros que nos induzem a esquecer os sonhos,

as brincadeiras de roda, os papos descontraídos, o melhor

Shiraz da face da terra; a dançar pelo infinito, a voar com

os pássaros, a percorrer estrelas, a beber o mar, a salgar

a alma, a arriscar no skate, a saltar de paraquedas, a pular

no vulcão, a enfrentar a vida.

Nestes dias somos um tempo malfeito, uma expedição

que não deu certo, um caminho à Compostela que ficou

pela metade, um passeio pela cidade subterrânea que

falhou, uma saudade que nasceu à noite e se espalhou

pelo dia. Não há nada a fazer nestes tempos a não ser

cruzar os braços, fechar os olhos e suspirar profundamente.

Resta a absurda esperança de que, ao acordarmos

de nós mesmos, um puta sol nos encare, embora lá fora

chova a cântaros.

Por Jaime Cimenti - Jornalista e Escritor

Menino com pássaro ao ombro do escritor,

administrador cultural, letrista e poeta Sergio Napp,

com ilustrações em cores de Walther Moreira Santos,

narra a visão poética e sensível de um menino, desde

o nascimento. Artes e Ofícios Editora, 32 páginas,

telefone 3311.0832.

24 letras por segundo com organização de Rodrigo

Rosp, traz narrativas dele e de outros 16 autores,

feitas a partir de grandes filmes de Almodovar, Woody

Allen e outros. Antes o cinema nascia dos livros,

agora a literatura nasce do cinema. 192 páginas, Não

Editora, telefone 9109.5678, 9963.6540.

Meia-Noite na História - Comentários às teses de Walter

Benjamin sobre o conceito de história do professor universitário

espanhol Reyes Mate fala de um tempo em que na Europa não

havia nenhuma esperança, fala da resistência de Benjamin,

que se recusava a abandonar a Europa, ao contrário de outros

judeus perseguidos. 438 páginas, Editora Unisinos, telefone

51-3590.8239 – 3590.8238 editora@unisinos.br

Foto Luciana Thomé

Foto: arquivo pessoal

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Dia desses fui ao cinema. Arrastado mas

fui. Dada à minha relutância, ameaçaram

chamar o guincho ai eu resolvi ir por bem.

É algo realmente muito estranho. Mal você

chega, o torturador (pode ser o parente

mais próximo ou o amigo mais longincuo) te

enfia um pacote de cinco quilos de pipoca

no colo. Sem nenhuma pombinha próxima

para você jogar pelo menos meio pacote.

Não senhor. Tem que comer tudo! E azar

da pressão alta porque a pipoca do cinema

é estourada dentro de um saleiro gigante.

Menos mal que você cospe a casquinha da

pipoca toda na nuca do infeliz que está no

andar de baixo. Esse é o jogo. Tem cara

que vai ao cinema pela pipoca, mas eu desconfio

que a maioria é pela tezão da casquinha

na nuca.

Aí, numa tela gigante, imagens aterrorizantes

de comerciais estapafúrdios antecedem

o que seria o filme. Que só começa

A culpa é do sistema

Talvez nunca antes as relações entre fornecedor e consumidor

tenham chegado a pontos tão extasiantes, inacreditáveis até,

como nos dias atuais. Comprei um refrigerador na Loja PONTO

FRIO, do Iguatemi, no dia 25 de julho. Como era nosso desejo

doar o antigo refrigerador a uma pessoa carente, informamos

ao vendedor que a data de entrega deveria ser precisa, pois

para recebermos o refrigerador comprado, teríamos antes que

descartar o velho para abrir espaço na cozinha. O vendedor

disse que a entrega poderia ser feita em até uns três dias

após, e minha mulher insistiu neste detalhe da data da entrega,

advertindo: - Vocês podem entregar quando quiserem, não

temos pressa, mas quando for a data escolhida, isso terá de ser

feito a rigor. A data marcada foi o dia 5 de agosto.

Como o refrigerador não chegasse até o fim da tarde, telefonei

para a Loja PONTO FRIO para saber o que estava acontecendo.

Atendeu-me o vendedor que nos havia vendido e disse que a

entrega estava marcada para o dia 10 de agosto. Respondi-lhe

que ele estava enganado, que era o dia 5, e, percebendo que

sua tergiversação estava esgotada, terminou reconhecendo o

fato, argumentando, entretanto, que haviam trocado o sistema

antigo e que o novo sistema teria marcado outra data para a

entrega, o dia 10. A esta altura estávamos sem o refrigerador

antigo, recolhido cedo pela manhã, os alimentos distribuídos

sobre mesa, fogão, pia...

Aí começou a novela. O gerente dos vendedores e o gerente

geral da loja foram contatados e informaram que no sábado o

problema estaria resolvido. Temos o costume de sair aos fins de

semana, seja para viajar ou passear. Para que não houvesse

problema com a entrega, nos revezamos para sair. Passou-se

o sábado e nada. Os alimentos de freezer já estavam perdidos,

Por Paulo César B. do Amaral - Artista plástico, curador e escritor

Por Renato Pereira - Jornalista

Vá e depois me conte

depois que todos os celulares presentes

chamaram, cochichos foram proferidos em

altos brados e os namorados, não sei por

que, se comportaram como se já fossem

casados: um querendo ficar mais longe do

outro. Esperando que se apague a luzinha

de emergência. Deduzindo-se daí que o

cinema quis ser avião e faltou verba.

Quem viu, disse o filme era interessante.

Eu, lamentavelmente, não tive oportunidade.

A pipoca ocupou todo o meu cérebro. Come,

cospe. Cospe, come, joga o saco a quem te

enfiou nessa gelada ou chama o lanterninha

e reclama que a pipoca está fria. Só que cinema

não tem mais lanterninha. O que nos

dá uma terrível nostalgia. Que saudade! Da

pipoca que serviam em cabaré. Era igual só

não tanto. E, claro, sempre tinha algo feminino

ao lado, quando não, dos dois lados,

para repartir o pouquinho do sal. Além do

que, tinha-se tudo alto, menos a pressão.

os outros já tínhamos descartado. Liguei para o gerente da loja,

que pediu mil desculpas, reiterou a falha do sistema, e garantiu

que a mercadoria seria entregue na terça-feira, pois sairia do

depósito de Curitiba um dia antes.

Como nada chegasse à nossa porta no fim de tarde da data

aprazada, liguei para a PONTO FRIO e pedi para chamarem

o gerente da loja. Ele estava em reunião (a velha desculpa de

quem não quer atender), provavelmente com o Senhor Sistema

– imagino - que tem se revelado um incompetente que mais

merece é ser despedido. O gerente não ligou dando retorno,

assim como não obtive sucesso nas inúmeras tentativas de ligar

para o SAC, cujo número, impresso atrás da Nota Fiscal (0800

2865500) responde por uma voz eletrônica: - A Telemar informa

que o serviço não está ativo..., etc., etc.

Agora, enquanto tomo uma cerveja quente e espero o

refrigerador prometido para hoje, concluo estas inconformadas

linhas pensando na desídia da PONTO FRIO para com um

fornecedor que fica privado de um refrigerador por quase uma

semana; na demora em atenderem telefonemas de reclamações;

nas sucessivas tentativas de “enrolar” o cliente, submetendo-o

a chicanas pelas quais só aparece um responsável: o sistema,

este relapso Senhor Sistema, causador de tantos males do

mundo moderno.

O que deverei fazer, meus advogados dirão depois, mas, de

minha parte, como mero escrevinhador desta coluna, adiantome

agora para aconselhar meus leitores a não comprar na Loja

PONTO FRIO, pois é uma verdadeira FRIA.

E tenho a mais absoluta certeza que

quando o mundo ruir num imenso terremoto,

que é a mais moderna preconização, vai

valer a pena estar dentro do cinema. O som

é tão mais tonitroante que nem vai se notar

o planeta se desmanchando. O barulhão da

tela é o seguinte: quem montou esqueceu

as caixas de som que montaria em outros

trinta cinemas ou o dono do shopping só

alugou a sala nesta condição por ter ficado

totalmente surdo durante a obra.

Ai começam as surpresas. Você se joga

para trás e cadê o travesseiro? Não tem. E

a poltrona ainda reclina para lhe enganar,

fazendo de conta que você está confortavelmente

em casa sem a tortura da pipoca e

com o banheiro no mesmo andar. Que aliás

faz parte de prova de gincana: achar o banheiro

do cinema. Olhando pra cima, pelo

rastro dos pinguinhos não vale. E aquilo que

você pensa que é a geladeira onde a ceva

ELETROELETRÔNICA

Porteiro Eletrônico Residencial/Coletivo

V i d e o P o r t e i r o R e s i d e n c i a l / C o l e t i v o

Central de Portaria

Central Telefônica

Sistema CFTV

Instalações Elétricas Residenciais

Airton Schineider - [51] 8577 0573

a s t . e l e t r o e l e t r o n i c a @ h o t m a i l . c o m

está sedutoramente lhe chamando é só

uma gorda de branco que chegou atrasada.

Pegar no sono, como em casa, nem

pensar! Ao seu lado livre - do outro está

quem teve a idéia de levar você ao cinema

- está um zagueiro com um potente cotovelo

que entra em ação ao primeiro ronco,

natural no escurinho. A juventude é mais

cinéfila porque a pouca luminosidade ajuda

cara feio arranjar com quem ficar. Agora,

passou dos 50, é mais recomendável

ir à matiné. Pelo menos a barulhada das

crianças não deixa você pagar o mico de

pegar no sono. Agora, a suprema tortura

do cinema depois das telonas caseiras

com multi opções cinematográficas é que

por mais boa vontade que você tenha com

a Sétima Arte, não dá pra trocar de canal.

ELETROELETRÔNICA

Porteiro Porteiro Eletrônico Residencial/Coletivo

V i d eV o i dPe o r tP eo ir r to e iR reo sRi de e sni dc ei an l c/ iCa ol / l eC to ilv eo t i v o

Central Central de Portaria de Portaria

Central Central Telefônica

Sistema Sistema CFTV CFTV

Instalações Elétricas Elétricas Residenciais

(51) 8577•0573

Airton Airton Schineider - [51] - [51] 8577 8577 0573 0573

a s t a. es lt e. et rl eo te rl oe et rl eo tn rioc na i@ c ah @o thm oat im l . ac iol . mc

o m

ast.eletroeletronica@hotmail.com

CENTRO - INDEPENDÊNCIA - BOM FIM - RIO BRANCO - PETRÓPOLIS - MOINHOS DE VENTO - AUXILIADORA - CIDADE BAIXA -

MENINO DEUS - SANTA CECÍLIA - CAMINHO DO MEIO - ZONA NORTE - ZONA SUL E FLORESTA

Foto Tonico Alvares

Palácio Piratini - Prefeitura Municipal de Porto Alegre - Secretaria Estadual de Educação – Depto. Pedagógico - Assessoria de Projetos Especiais para 258 Escolas Estaduais – SMED – para 92 Escolas Municipais - Secretaria Municipal de Cultura - Centro Municipal de Cultura - SETUR - Secr. de Estado do Turismo - Usina

do Gasômetro - Teatro da Ospa - Teatro de Câmara - Museu da Comunicação Social - Teatro de Arena - Teatro Bruno Kiefer - Salão de Atos da UFRGS - Assembléia Legislativa - Solar dos Câmara - Theatro São Pedro - Casa de Cultura Mário Quintana - Teatro do SESC - Curso Mauá - Rede Hoteleira - Shopping Praia de

Belas - ARI - Ass. Riograndense de Imprensa - Sind.Comp.Musicais do Estado/RS - Academia Kyokushin - Sec. de Cultura do RS - Agências de Publicidade - IOF-Instituto Ortopedia e Fisioterapia - Museu Joaquim José Felizardo - Arte Café - Bazar Londres - Guarida Imóveis - Clínica Menino Deus - AGAPA (Associação

Gaúcha de Pintura Artística) - GBOEX Previdência Privada - Confiança Companhia de Seguros - Super Pizza - Espaço Dança e Memória - Instituto Estadual de Cinema (SEDAC) - Secretaria Estadual da Saúde – Cia. das Pizzas - Ótica Andradas - School - Casa dos Óculos - Tia Iara - Líber Livros - 5 à Sec - .com Cyber

Café - Gambrinus - Pronto Olhos - Anita Cell - Rede Drogadil - Cachorro do Rosário (Emancipação, Shopping Total e Mariante) – Churrascaria São Rafael - Barranco - Livraria Nova Roma - General Rock - Fisk - Bar do Beto - Laboratório Marques Pereira - Mauá - Biblioteca Pública do Estado - Haiti - Ótica Moinhos de Vento

- Wow! - DAER - Zil Vídeo - Livraria Vozes - Trianon - Café Arte & Cia - Homeograal - Assistir Escitório de Advocacia - Se Acaso Você Chegasse - Livraria Londres - Banca 43 - Livraria do Mercado e Banca Bang-Bang - Palavraria Livraria-Café - Panificação Copacabana - Bar e Café Pan Americano - Bar Chopp e Restaurante

Pacífico - Chopp & Companhia - Copão - Papillon - Sierra Maestra - Restaurante Natural Flor de Maçã - Planet Dog - Escola Arte Educação - Morano - Galeria Arte & Fato - Beiruth - Maomé - Matheus Confeitaria, Buffet e Café - Essência da Fruta – Academia Bio Ativa – Só Portáteis - Cyber Point - Bazar Londres - Print Cópias

– Paradouro Pet – Drogabel – FINASA – Porto Pastéis – Roberto Celular – COMUI: Conselho Municipal do Idoso – SIMPA: Sindicato dos Municipários de POA - Lyon Press - Ferragem Bom Fim – Ferragem Igor – Óptica Santo Antônio – Belver Óticas – Brubins Bistrô Cafeteria Congelados – Feito à Mão Café – Café Paris

– Centralfarma - Color House - Stratus Celular - Café dos Cataventos – Casa de Ferragens - Corebrás - Café do Porto – Café - Clínica Visão – Restaurante Solle Mio - Café Concerto Mário Quintana - Companhia do Cachorro do Rua da Praia Shopping - Garcias Churrascaria – Garcias Bar - Cachorro Gordo – Clindent –

Laboratório Crol – Móveis Masotti – Personalle – Todeschini - LilliPut - Jazz Café – El Viejo Panchos - Le Bistrot - Bistrô Torta de Sorvete - Café do Porto - Just Coffee - Z Café - Dublin Irish Pub - A Lenha Pizzaria – Amêndoa - Café Atelier do Pátio - Puppi Baggio – pastas & molhos - Usina de Massas - Barbarella Bakery - Tutto

Riso - Bistrô da Rua – Sexxxy Butik – Bella Morano – Sulina Grill - La PizzaMia - Churrascaria Laço Aberto - Churrascaria Schneider - Silva & Rossol Advogados Associados - SIJ – Serviço de Informação do Judiciário - Via di Trento - Villa Rústica - Café Correto - Miau da Cabral - Churrascaria Komka - Churrascaria Santo

Antônio – Lamb’s – Drogamaster – Tablado Andaluz: Curso de Dança e Restaurante – Copão - Parque Virtual - ABIC - Associação Brasileira de Intercâmbio Cultural - Consultório Dr. Nilton Alves – Piovesani – Radimagem – Jazz Café – Bar da Bel – Tortaria – LilliPut - Le Bistrot - Café Correto - RD-Assessoria Jurídica - Estocke

Off - Centro Médico Rubem Rodrigues - Bistrô Torta de Sorvete - Café do Porto - Ponto de Antiguidades - Just Coffee - Z Café - Dublin Irish Pub - A Lenha Pizzaria - Amêndoa - Café Atelier do Pátio - Puppi Baggio – pastas & molhos - Vinhos Giuliano - Usina de Massas - Barbarella Bakery - Tutto Riso - Bistrô da Rua - Vila

Madalena - Chopp Stübel – Casa Elétrica – Advogare – Assessoria Jurídica – Tec Líder - Mac Dinhos - Cachorro do Porto - Castanhas Express - Per Tutti Galeto - Sashiburi - Peppo Cucina - Bom Bocado - Churrascaria Laço Aberto - Baumbach Restaurante – Churrascaria Na Brasa - Miau da Cabral - Xis Moita - Opus - La

Chiviteria - Se Acaso Você Chegasse - AGEA - Assoc. Gaúcha de Economiários Aposentados - Cine House - Home Theater Automação Residencial - IOF - Telas Gaudi - Intit. de Ortopedia e Fisioterapia - Sapere Audi!Livros - Clínica Odontológica Dr. Nelson Monteiro - English Consultancy - Radicom - Clinica de Diagnóstico

Médico por Imagem - SAT Aeroporto Internacional Salgado Filho - SAT Mercado Público do Bom Fim - SAT Mercado Público - SAT Usina do Gasômetro - SAT Linha Turismo – Terminal Linha Turismo - SAT Praia de Belas Shoping - SAT Shopping Bourbon Country - SAT Moinhos Shopping – SAT Shopping Total – FAMURS:

Federação das Associações de Municípios do RS - Ritter Hotel - Porto Alegre Ritter Hotel – Novotel - Hotel Deville – Hotéis Continental - Everest Hotéis - Harbor Hotéis - Plaza São Rafael - Plaza Porto Alegre – Rede Versare - Hotel Sheraton Porto Alegre - Big Sisor

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

15


Saborear deliciosos pratos da culinária espanhola,

passar um final de semana com todo o charme e requinte

que a Serra Gaúcha tem a oferecer e ainda concorrer

a uma viagem de sete dias com acompanhante para a

Madri. Esta é a proposta do Serrano Resort Convenções

& SPA, em Gramado/RS, administrado pela GJP Hotéis

& Resorts, com o pacote temático ¡Hermosa España!, de

2 a 4 de setembro.

O pacote, que conta com o patrocínio do Bradesco, tem

como destaque o Jantar Temático espanhol com shows

da Companhia Cristina Pedron de Dança Flamenca e

da banda Trama Trio. A culinária ficara a cargo do chef

Cacá Borges, há mais de oito anos membro permanente

da equipe do celebrado chef Claude Troisgros, que

apresenta o programa “Que Marravilha”, no canal GNT.

Na ocasião, também será sorteada entre os presentes a

viagem a Madri, com passagens aéreas e hospedagens

para duas pessoas. “Diante do sucesso da edição do

pacote temático Villa Serrano, realizado em maio, agora

é a vez dos hóspedes e convidados saborearem o

melhor dos temperos e gostos da culinária espanhola

no ¡Hermosa España! Mais uma atração exclusiva que o

Serrano Resort traz aos seus visitantes”, explica o gerente

geral do Serrano Rogério Poloni. Reservas pelo telefone

0800 600 8088.

Por Thamara de Costa Pereira - Jornalista

O Charme da Espanha

no Serrano

Neste semestre, a Assembleia gaúcha se consolidou como espaço de grandes debates e de intensa atividade parlamentar. Mais

de 8 mil pessoas participaram do Programa Destinos e Ações para o Rio Grande e 146 audiências públicas foram realizadas

pelos deputados em suas comissões temáticas em Porto Alegre e no interior. No segundo semestre, a gestão compartilhada que

valoriza a transparência e a responsabilidade social continua no Parlamento.

www.al.rs.gov.br • www.twitter.com/assembleiars

Cia de Dança Cristina Pedron

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA: O ESPAÇO DOS GRANDES DEBATES DO RIO GRANDE.

Fotos Divulgação

Chef Cacá Borges

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

More magazines by this user
Similar magazines