PONTO DE PARTIDA

escolasemear.g12.br

PONTO DE PARTIDA

PONTO PONTO DE PARTIDA PARTIDA

CALENDÁRIO CULTURAL

13 DE MAIO, DIA DA FRATERNIDADE BRASILEIRA

Expressa no primeiro artigo da Declaração universal dos direitos do homem, a fraternidade é a afirmação

de que todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos, são dotados de razão e de

consciência e devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.

Leia mais página 2

MATÉRIA JORNALÍSTICA OU TEXTO

Paixão pela Leitura

Consagrado como um dos mais importantes programas de promoção de leitura já realizados no país, o

Leia Brasil conta com a parceria do Ministério da Cultura, Ministério da Educação ONU, Fundação Biblioteca

Nacional, Unesco, Comunidade Solidária, Fundação Oswaldo Cruz, IBGE e Fundação Vitor Civita,

entre outras instituições culturais, educacionais, comunitárias e empresariais.

Leia mais página 4

RELEITURA VÍDEO PONTOLINKS

Paixão pela

leitura

A reescrita, em forma de

paráfrase ou de paródia, de

um poema, substituindo a

“sacolinha de plástico” por:

mala, bolsa, baú, mochila...

Leia mais página 6

Elsa e Fred

O filme resgata valores

que infelizmente estão aos

poucos e ao mesmo tempo,

rapidamente, sendo esquecidos

pela sociedade contemporânea.

Leia mais página 8

MAIO

Maurício de Souza criou

alguns personagens com

necessidades especiais

para que possamos entender

como sentem, pensam

e agem pessoas com

algum tipo de deficiência,

que precisam não só de

cuidados especiais, mas

também do nosso respeito,

atenção e carinho.

Leia mais página 10

1


PONTO DE PARTIDA

2

01 - DIA DO TRABALHO

01 - DIA DA LITERATURA

BRASILEIRA

03 - DIA DO SERTANEJO

03 - DIA DO PARLAMENTO

03 - DIA DO SOL

03 - DIA DO SERTANEJO

05 - DIA NACIONAL DA

COMUNICAÇÃO

05 - DIA DO EXPEDICIONÁRIO

05 - DIA DO EX-COMBATENTE

06 - DIA DO TAQUÍGRAFO

06 - DIA DO CARTÓGRAFO

07 - DIA DO OFTALMOLOGISTA

07 - DIA DO ARTISTA

PLÁSTICO

08 - DIA DAS MÃES (SEGUNDO

DOMINGO DE MAIO)

08 - DIA DO PINTOR

08 - DIA MUNDIAL DA CRUZ

VERMELHA

10 - DIA DO CAMPO

10 - DIA DA CAVALARIA DO

EXÉRCITO BRASILEIRO

CALENDÁRIO

CULTURAL

11 - DIA DAS COMUNICAÇÕES

SOCIAIS

11 - DIA DO BARBEIRO

12 - DIA DO ENFERMEIRO

13 - DIA DA FRATERNIDADE

BRASILEIRA

13 - DIA DA ABOLIÇÃO DA

ESCRAVATURA NO BRASIL.

13 - DIA DO ZOOTECNISTA

14 - DIA DO SEGURADOR

14 - DIA CONTINENTAL DO

SEGURO

15 - DIA DO ASSISTENTE

SOCIAL

16 - DIA DO GARI

17 - DIA DAS TELE

COMUNICAÇÕES

18 - DIA DO VIDREIRO

18 - DIA INTERNACIONAL DOS

MUSEUS

19 - DIA MUNDIAL DOS MEIOS

DE COMUNICAÇÀO SOCIAL 19 -

DIA DO ADVOGADO

21 - DIA DA LÍNGUA NACIONAL

22 - DIA DO APICULTOR

22 - DIA DO ECONOMIÁRIO

24 - DIA DO TELEGRAFISTA

24 - DIA DO DATILÓGRAFO

24 - DIA DO OSTENTO

24 - DIA DA INFANTARIA

(EXÉRCITO BRASILEIRO)

25 - DIA DO TRABALHADOR

RURAL

25 - DIA DO INDUSTRIAL

25 - DIA DO MASSAGISTA

27 - DIA DO PROFISSIONAL

LIBERAL

28 - DIA DO GRÁFICO

28 - DIA DA ASCENÇÃO DO

SENHOR

28 - DIA DA SAÚDE

29 - DIA DO ESTATÍSTICO

29 - DIA DO SOCIÓLOGO

29 - DIA DO GEÓGRAFO

30 - DIA DO GEÓLOGO

30 - DIA DO BANDEIRANTE

30 - DIA DA RECORDAÇÃO

31 - DIA DO COMISSÁRIO(A)

DE BORDO

31 - DIA DO ENXADRISTA

31 - DIA DA JUVENTUDE

LUTERANA DO BRASIL

31 - DIA DO GEÓLOGO


PONTO DE PARTIDA

Saiba um pouco mais...

DIA DA FRATERNIDADE BRASILEIRA - 13 DE MAIO - HISTÓRIA DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE

Expressa no primeiro artigo da Declaração universal dos direitos do homem, a fraternidade é a afirmação de que todos

os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos, são dotados de razão e de consciência e devem agir uns para

com os outros em espírito de fraternidade.

É um conceito filosófico profundamente ligado às ideias de Liberdade e Igualdade e com os quais forma o trio que car-

acterizou grande parte do pensamento revolucionário francês. Vale lembrar que dos três foi o único que não esteve no

lema Iluminista que era “Liberdade, Igualdade e Progresso”.

Fraternidade é uma idéia que estabelece o homem como animal político, fez uma escolha consciente pela vida em so-

ciedade e para tal convive com seus semelhantes numa relação de igualdade, visto que em essência não há nada que

hierarquicamente os diferencie: são como irmãos (fraternos). Este conceito é a peça-chave para a plena configuração

da cidadania entre os homens, pois, por princípio, todos os homens são iguais. De uma certa forma, a fraternidade não é

independente da liberdade e da igualdade, pois para que cada uma efetivamente se manifeste é preciso que as demais

sejam válidas.

É eventualmente confundida com a expressão caridade e solidariedade, embora elas tenham significados radicalmente

diferentes. A fraternidade expressa a dignidade de todos os homens, considerados iguais e assegura-lhes plenos direitos

(sociais, políticos e individuais).

Disponível em: http://www.portalescolar.net/2011/04/dia-da-fraternidade-brasileira-13-de.html

3


PONTO DE PARTIDA

4

USO

MATÉRIA

JORNALÍSTICA OU TEXTO

Divulgação em mural da escola para que os profissionais e alunos tomem conhecimento do Programa Leia Brasil;

Incentivo à leitura;

Produção de textos;

Pesquisas;

Troca de informações;

Trabalhos individuais e em grupo;

Ciranda de leitura;

Prática dos mandamentos do contador de histórias;

Paixão pela Leitura

Disseminar a paixão pela leitura. Este é o propósito do programa que já é um sucesso em todo o Brasil.

Consagrado como um dos mais importantes programas de promoção de leitura já realizados no país, o Leia Brasil conta

com a parceria do Ministério da Cultura, Ministério da Educação, ONU, Fundação Biblioteca Nacional, Unesco, Comuni-

dade Solidária, Fundação Oswaldo Cruz, IBGE e Fundação Vitor Civita, entre outras instituições culturais, educacionais,

comunitárias e empresariais. Sua credibilidade é resultado de 8 anos de trabalho sério e de pessoas apaixonadas pela

leitura e pelos livros, como a professora Suely Rocha, que é assessora regional do Leia Brasil - Programa de Leitura da

Petrobrás no Estado de São Paulo desde 1997. Quem está promovendo a leitura tem que ter paixão e conseguir passar

essa paixão para os alunos, argumenta Suely, que é professora de Língua Portuguesa, com especialização em Literatura

Comparada e Semântica e viciada em livros.

O Leia Brasil é composto por 16 bibliotecas volantes percorrendo os Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo

e Rio Grande do Sul. No Brasil, são atendidos 57 municípios, 541 escolas, num total de 550 mil alunos e 16.500 profes-

sores por mês.


PONTO DE PARTIDA

No Estado de São Paulo, o programa atinge 27 municípios, 211 escolas, aproximadamente 200 mil alunos e quase 8

mil professores. O programa tem à disposição 240 mil livros de literatura . 8.500 títulos selecionados pela Fundação

Biblioteca Nacional, parceira da Petrobras na iniciativa . e conta com quase 5 milhões de empréstimos de livros por ano.

Sugestão de leitura

Existe um livro pouco conhecido mas que propicia um belo trabalho em sala de aula: Contos Contidos, de Maria Lúcia

Simões, da RHJ, editora de Minas Gerais. É um livro que conta o conto, de Zetti Bonaventura, da Editora Paulus, sobre

o que está por trás do conto, muito importante para uma pessoa que se propõe a ser um promotor de leitura, conclui a

professora Suely Rocha.

Os mandamentos do contador de histórias

Os dez mandamentos para (bem) contar histórias:

1. Escolha uma história de que você goste muito e deseja contar.

2. Leia essa história muitas vezes.

3. Feche os olhos e imagine o cenário, os personagens, o tempo...

4. Escolha a voz para o narrador e para os personagens da história.

5. Exercite seu poder de concentração.

6. Escolha sua melhor forma de memorização.

7. Tenha cuidado com sua postura e os vícios de linguagem.

8. Conte para alguém antes de contar para todo o mundo.

9. Na hora de contar, olhe para todos: o olhar diz muita coisa.

10. Seja natural, deixe falar o seu coração e seduza o ouvinte para que ele deseje ouvir novamente.

Síntese

Síntese: O texto traz informações sobre o Programa Leia Brasil e sua área de atuação. Além disso, dá sugestões de livros

para quem se propõe a ser um promotor de leitura. Para que os contadores de história desempenhem bem essa função,

a matéria dá “dicas” importantes.

Fonte ; Revista “Ao Mestre Com Carinho”, de 21 de fevereiro de 2001.

5


PONTO DE PARTIDA

6

Destinatário

Sugestão

Autor

Neusa Sorrenti. O gatinho que cantava. Lê,p.23

Informações

RELEITURA

1º ao 4º anos do Ensino Fundamental I

Disciplinas de Língua Portuguesa, Literatura e Arte

Perdi uma sacolinha de plástico

Cheia de sonhos, bilhetes,

botões, caquinhos brilhantes,

esperanças, pedrinhas de víspora,

crença em cegonhas

e em Papai Noel.

Se alguém achar ou souber seu paradeiro,

por favor, me mande um recado

que eu pego minhas botas sete léguas

• A reescrita, em forma de paráfrase ou de paródia, de um poema, substituindo a “sacolinha de plástico” por: mala,

bolsa, baú, mochila...é um excelente recurso para produção de texto, visto que, sendo algo já conhecido, as

crianças se sentem mais à vontade para escreverem aquilo que conhecem e já vivenciaram. Ao propor a reescrita

do poema, o professor deixará a turma livre para criar ou poderá sugerir variações das frases iniciadas.


PONTO DE PARTIDA

• Outra sugestão é pegar uma sacola de plástico, cobrir a logomarca que está nela com papel colorido

e escrever o poema neste papel. Este trabalho poderá ser feito em dupla ou em grupo. Aproveite para

chamar a atenção para a Lei Municipal 9.529 / 2008, que proíbe o uso de sacolas plásticas feitas de

derivados do petróleo.

• Cultive em seus alunos o hábito dos alunos fazerem o rascunho do poema em uma folha para que

depois possam passá-lo a limpo no papel colado na sacola. Isso os levará à observância de possíveis

erros, avanço de hipóteses, além do compromisso de um trabalho bem feito em sua realização. Depois

de prontas, poderão ser penduradas em um fio de nylon na parede da sala ou corredor da escola.

• O professor pode trabalhar também com seus alunos o caderno de classificados de um jornal, onde se

anuncia a perda de algo. Este classificado inclusive pode ser publicado num jornal da cidade e as crianças

e suas respectivas famílias deverão encontrar o anúncio e mandarem para a escola. Além de divertido,

mexerá com todo mundo, provocando um prazer imenso e lúdico no processo de ensino aprendizagem.

Depois dessa experiência, provavelmente muitos outros serão criados, dando oportunidade até mesmo

a uma exposição ou criação de um livrão. Sugestão: as perdas podem ser diversas tais como: sonhos,

um animal de estimação, brinquedos ou outro objeto como assim desejar.

7


PONTO DE PARTIDA

8

Destinatário

Uso

DEO

Elsa e Fred

5º, 6º e 7º anos do Ensino Fundamental I

Disciplinas de Ciências, Língua Portuguesa, Ética, Música e Arte.

O filme resgata valores que infelizmente estão aos poucos e ao mesmo tempo, rapidamente, sendo

esquecidos pela sociedade contemporânea. A compreensão de que a Terceira Idade pode ser a

melhor, depende do ponto de vista e das intervenções que você, caro educador dará ao processo

como um todo.

Crie uma tarde com os avós. Entreviste-os. Faça um portifólio dessa tarde. Junto à professora de

Artes, organizem uma exposição com fotos solicitadas previamente para esse momento. Ensaiem

um recital com músicas antigas, perguntando antes aos avós quais eram as músicas preferidas

dele. Gravar um CD talvez não fique tão caro para dar de lembrança aos ilustres convidados.

O filme Elsa e Fred do diretor Marcos Carnevale é sobre o amor na terceira idade. Um fato já que

na realidade me encanta os olhos, pois é adorável ver um casal de velhinhos em maneiras idílicas.

No cinema não é diferente, principalmente quando nota-se a maneira delicada em que sentimentos

de carinho e compreensão humana se revelam presentes no cinema argentino. E o “Filho da Noiva”

também é um filme que podemos enquadrar como complemento para a afirmação, já que fala da

delicadeza da condição de amar na terceira idade.

Os dois personagens de Elsa e Fred durante o filme, constroem uma relação de causar inveja em

qualquer paixão adolescente. A meta de Elsa é fazer com que Fred sorria, já que ele passou parte

da vida com a preocupação de sustentar a família, estando ao lado de uma mulher organizada.


PONTO DE PARTIDA

A meta de Fred é acreditar em Elsa, mesmo com todas as suas mentiras sobre a realidade de sua

vida.

E em meio às muitas homenagens explícitas à Felline, podemos apenas citar sobre o que ele fala a

respeito do diretor italiano: um mestre em enlouquecer a produção de seus filmes. Pois pedia que

a equipe arrumasse coisas extraordinárias. Esse é exatamente o caso de Elsa, nutrir a sua vida

através da fantasia, fugindo do padrão da realidade possível, principalmente quando o casal da

terceira idade irá reconstituir a clássica cena em que Anita entra na Fontana di Trevi. Ainda nos pre-

parativos, faz com que Fred sofra para encontrar um gato branco durante a noite. Enfim, ele ape-

nas consegue um acinzentado. Mas, é o que Elsa diz: “nós também não somos Anita e Marcelo”.

Filmografia

Título Original: Elsa y Fred

Gênero: Drama

Atores: Manuel Alexandre (Fred),China Zorrilla

(Elsa),Bianca Portillo (Cuca)

Roberto Carnaghi (Gabriel),José Ángel Egido (Paco)

Diretor: Marcos Carnevale

Ano: 2005

Duração: 108 min.

Distribuidora: Columbia TriStar Films de Argentina / Paris

Filmes

Site Oficial: www.elsayfred.com

9


PONTO DE PARTIDA

Destinatário

10

PONTOLINKS

Disciplinas de Informática, Língua Portuguesa, Arte e História, Ciências da Natureza do 1º ao 5º

ano do Ensino Fundamental I.

Sugestões

Maurício de Souza criou alguns personagens com necessidades especiais para que possamos

entender como sentem, pensam e agem pessoas com algum tipo de deficiência, que precisam não

só de cuidados especiais, mas também do nosso respeito, atenção e carinho. São esses os perso-

nagens: Tati ( Síndrome de Down), André (autista), Luca ( cadeirante) e Dorinha ( deficiente visual).

Alguns sites foram criados para ajudar os interessados a compreender melhor os portadores de

necessidades especiais que, apesar de possuírem suas limitações, são capazes de fazer muitas

outras coisas. Além disso, nos ensinam que todos somos únicos e, sendo assim, ser diferente é

normal.

Seguem abaixo algumas sugestões de sites para pesquisa sobre o assunto.

• www.monica.com.br/mural/sindrome_down.htm

• www.monica.com.br/mural/dorinha.htm

• www.monica.com.br/mural/dorinha-mascote.htm

• www.monica.com.br/mural/luca.htm

• www.ama.org.br/preview/turmadamonica01.htm

• www.meujornal.com.br/CBN/jornal/matérias/integra.aspx?id=981194

• www.ama.org.br/html/info.turm.php

• www.youtube.com/watch?y=2XLe8CyBFjw&feature=related

• www.youtube.com/watch?y=DgrFlgvF7KU&feature=related

Similar magazines