E mais... - Usina do Porto

usinadoporto.com.br

E mais... - Usina do Porto

ANO XVI • Nº 111 • julhO 2011 • Distribuição Gratuita

aPoio:

Págs. 2 e 7

:: Sergio Napp

:: Renato Pereira

:: Paulo Amaral

:: Marcelo O. da Silva

:: Caetano Silveira

:: Luciano Alabarse

:: Walter Galvani

Pág. 3

Pág. 9

Sergius Gonzaga

Valência Losada

Pág. 3

Rosani Feron

E mais... :: Jaime Cimenti

:: Teniza Spinelli

:: Thamara Pereira

:: Caho Lopes

:: Dr. Nilton Alves

:: Dra. Beatriz B. Amaral

:: Camilo de Lélis

:: Adeli Sell

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


2

Laura, Minha Linda

Circula uma história por estes dias que, si non è vero è ben trovato.

Dizem que Barack Obama e sua esposa, Michele, resolveram

fazer um programa diferente, cansados que estavam de toda

pompa, circunstância e salamaleques que a posição que

ocupam exige. Resolveram então ir a um restaurante bem

simples, muito parecido com aqueles que frequentavam à época

que se conheceram, nos tempos de vacas magras. Escolhido

o restaurante, lá se foram devidamente amparados por toda

comitiva de segurança que certamente tem que acompanhar o

homem mais poderoso do mundo.

Depois dos procedimentos de segurança, sentaram-se a mesa

e, enquanto olhavam o cardápio, o dono do restaurante pediu

permissão ao chefe da segurança para cumprimentar Michelle

Obama. O agente falou ao pé do ouvido de Barack, e este

assentiu com a cabeça. O dono do restaurante então aproximouse,

cumprimentou formalmente Barack Obama com uma breve

reverência e olhou profundamente nos olhos de Michelle, pegou

sua mão e beijou-a em sinal de respeito, mas com uma ponta

de ternura que não passou desapercebida por Barack. Michelle

sorriu, o homem sorriu de volta, pediu licença e retirou-se.

Obama, intrigado com aquele momento de quase ternura,

perguntou a Michelle porque o dono do restaurante havia pedido

para cumprimentá-la, e não a ele. Ela então contou que, quando

eram jovens, o dono do restaurante era apaixonado por ela.

Barack Obama deu um sorriso de canto e perguntou, num misto

Por Caho Lopes - Escritor e Empresário

de ironia e ciúme: “Então, se tivesses casado com ele, serias

dona deste restaurante?”. Michelle tirou os olhos do cardápio por

um momento, deitou um olhar carinhoso sobre o marido, sorriu

e disse: “Não, querido, se eu tivesse casado com o dono do

restaurante, ele seria o presidente dos Estados Unidos!”.

Eu, aqui no meu canto do universo, bem mais pacato e simples

que o de Barack Obama, tenho minha Laura. Depois que a

conheci, comecei a transformar-me em um homem diferente.

Uma reformulação emocional, pessoal e espiritual começou uma

revolução em minha vida através do amor, carinho e devoção

desta mulher. Ela teve a paciência e a sabedoria necessárias para

me indicar os caminhos, para corrigir minhas rotas, para esperar

minhas loucuras passarem, para suportar meus maus humores.

Amparou-me quando deixei de gostar de mim, escutou meus

desabafos e, com a soma de todo este amor, dedicação e carinho,

foi me ajudando na estrada daqueles que querem uma vida mais

harmoniosa, mais feliz, buscando momentos de paz e procurando

evitar os conflitos.

Brinco com as iniciais do seu nome, e a chamo de Laura,

Minha Linda.

É a mulher que me mostrou que posso ser senhor do meu

destino, e que nada é impossível para quem acredita e resiste.

Laura, Minha Linda.

Rua Miguel Tostes, 771 • cj 03 • POA/RS

CEP 90430-061 • CNPJ: 74.783.127/0001-60

51 3012 7292 • usinadoporto@superig.com.br

www.usinadoporto.com.br

Editor e Jornalista - Jorge Luiz Olup (DRT/RS nº 12460)

Administração - Jorge Luiz Olup e Nelza Falcão Olup

Jornalista Responsável - Thamara de Costa Pereira

Direção de Arte - Jorge Luiz Olup

Editoração - Airton Schineider

Tiragem - 10 mil exemplares

Impressão - Correio do Povo

Colaboradores: Sergius Gonzaga, Valência

L o s a d a , R o s a n i F e r o n , Wa l t e r G a l v a n i ,

Dra. Beatriz Bohrer do Amaral, Camilo de Lélis,

Caetano Silveira, Dr. Nilton Alves, Paulo Amaral,

Marcelo Oliveira da Silva, Sérgio Napp, Teniza Spinelli,

Renato Pereira, Luciano Alabarse, Jaime Cimenti,

Thamara de Costa Pereira, Caho Lopes, Adeli Sell,

Paulo Rogério Dias Couto e Mara Cassini Andreta

As opiniões expostas nos textos assinados são

de inteira responsabilidade dos autores e não

correspondem necessariamente à posição do Jornal.

Créditos fotos 6º Festival de Inverno

Diego Mujica, Fernando Laszlo, Ignacio

Varchausky, Claudio Neves, Egis Porto,

Divulgação Pessoal dos Artistas e do

Festival de Inverno.

Agenda Cultural – 25 de julho a 31 de agosto de 2011 - Consulte a programação completa no site: www.usinadoporto.com.br

THEATRO SÃO PEDRO

Até 31/07 - Sab e Dom – 15h - O Circo de Bonecos. Grupo

Tholl (RS) Texto Oscar Von Pfuhl. Dir. João Bachilli

Até 31/07 - Ter, Qua, Qui, Sex e Sab - 21h - Dom - 20h -

Exotique. Grupo Tholl (RS) Dir. João Bachilli

02/08 – 19h30 - Lançamento do livro Olho de Vidro de

Márcia Tiburi (RS/SP) Foyer Nobre

4, 5, 6 e 7/08 - Qui, Sex e Sab – 21h - Dom – 18h -

Homens de Perto 2 (RS) C/ Zé Victor Castiel, Rogério

Beretta e Oscar Simch. Dir. Néstor Monastério. Texto Artur

José Pinto

11, 12, 13 e 14/08 - Qui, Sex e Sab - 21h - Dom - 18h -

Viver Sem Tempos Mortos (RJ) C/ Fernanda Montenegro.

Dir. Felipe Hirsch

15/08 – 21h - Orquestra de Câmara Theatro São Pedro

(RS) Nelson Freire. Reg. Antônio Carlos Borges-Cunha

19, 20 e 21/08 - Sex e Sáb – 21h - Dom – 18h - Improvável

(SP) C/ Anderson Bizzocchi, Daniel Nascimento, Elidio

Sanna e convidados. Dir. Cia. Barbixas de Humor

24/08 – 21h - Simone Leitão (RS) No programa obras de

Bach, Barber, Ginastera, Mehmari e Rachmaninoff.

27 e 28/08 - Sab - 21h - Dom - 18h - Pamonha e Panaca

(RJ) C/ Samantha Shumütz e Ricardo Blat. Dir. Ernesto

Piccolo. Texto Rógério Blat

23/08 – 19h - TSP Acontece – Freud e os Escritores -

Freud e Arthur Schnitzler. C/ Dione Detanico, Lenira Fleck

e Liana Timm. Dir. Graça Nunes

Musical Petropar - Todas as quartas-feiras úteis -

12h30min - Foyer Nobre

03/08 – Kate Hamilton – Viola, Martin Munch – Piano e

Milton Masciadri – Contra-baixo

10/08 – Rafael Costa de Souza - Piano

17/08 – Duo Milene Aliverti - Cello e Lucia Cervini - Piano

24/08 – Samuca – Acordeon

31/08 – Greice Morelli – Voz e Violão

FUNDAÇÃO IBERÊ CAMARGO

Até 30/10 - A Linha Incontornável – Desenhos de Iberê

Camargo. Curadoria de Eduardo Veras. A exposição

Além da linha ocupará um piso expositivo na Fundação

Iberê Camargo, e compreenderá, além de pinturas, obras

à grafite, nanquim e guache. A principal intenção da

mostra é abordar a idéia de afirmação – muito cara à arte

moderna – do desenho como uma linguagem autônoma.

Até 28/08 - Iberê Camargo e o ambiente cultural do pósguerra.

Com curadoria do crítico Fernando Cocchiarale,

ocupando dois pisos expositivos da Fundação Iberê

Camargo. Ao lado de trabalhos de Iberê Camargo,

a exposição reunirá obras pontuais dos principais

representantes de movimentos como o Abstracionismo

informal, Concretismo e Neocontrestimo, além de artistas

que não se filiaram a nenhuma destas tendências.

Entrada Franca. As empresas Gerdau, Itaú, Camargo

Corrêa, Vonpar e De Lage Landen garantem a gratuidade

do ingresso.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Departamento de Relações Públicas e Atividades

Culturais. DRPAC - todos os eventos são gratuitos

Até 29/07 - Mostra coletiva reúne artistas de Bagé no

Espaço Novos Talentos. A exposição “Talentos nos 200

anos de Bagé” reúne pinturas de Rita Gomes, Rachel

Beckman, Heloísa Beckman, Maria do Carmo Marques,

Rejane Osório e Jussara Casarin.

28/07 – 18h30 - Sarau no Solar apresenta Tamburilando

Canções. Com o violonista, compositor e cantor Felipe

Azevedo

16/08 – 20h30 - OSPA volta ao Teatro Dante Barone

01 a 05/08 - Natureza é retratada no Espaço Novos

Talentos. Com a exposição Natureza em Cores do artista

Francisco Maciel

08 a 12/08 - ASSURCON SERRA expõe no Novos

Talentos. Assosiação dos Usuários de Rodovias

Concedidas, realiza uma exposição de charges de

diversos cartunistas

15 a 19/08 - Em Cartaz de Ricardo Dias é a nova atração

do Espaço Novos Talentos. A mostra conta com um

conjunto de telas, que incorporam a colagem, a pintura

e o desenho com diferentes tipos de materiais e técnicas.

22 a 26/08 - Assembleia realiza a Primeira Semana

de Valorização da Pessoa com Deficiência. Dentre as

programações, a fotógrafa Kica Catro realizará uma

exposição no Espaço Novos Talentos. No dia 25/08 será

realizado um Sarau sobre a Acessibilidade, no Teatro

Dante Barone.

Na galeria dos Municípios segue a lista de cidades que

irão expor:

Santo Angelo: 1 a 5/08 - Santa Maria do Herval: 8 a 12/08

- Balneário Pinhal 15 a 19/08

Marian Starosta expõe na JB Scalco. No mês de agosto,

uma exposição de registros fotográficos da Cia Rubens

Barbot Teatro de Dança, da vida íntima de Rubens Barbot

e Gatto Larsen e da própria companhia na sua sala de

criação e no atelier.

CASA DE CULTURA MÁRIO QUINTANA

Até 28/08 - Exposições do IEAVI. Empilháveis IV, na

Sala Augusto Meyer – 3º andar, Vagas Naus, no Espaço

Maurício Rosemblatt – 3º andar, Aqui, Ali e Acolá, na

Fotogaleria Virgílio Callegari – 7º andar

Até 14/08 - Instalação Sobre as Águas, de Ana

Norogrando, no MAC. Galeria Sotero Cosme do MACRS

Até 02/08 - terças-feiras 20h - Reator - Espetáculo fala

do assassinato de Abraham Lincoln por um ator. Escrito,

dirigido e protagonizado por Walney Costa. Teatro Teatro

Bruno Kiefer

03/08 - No Fundo do Mar espetáculo infantil que terá

apresentações únicas em três horários no Teatro Bruno

Kiefe 14h30min e 15h30min haverá sessões fechadas

para escolas e às 20h, aberta ao público.

05/08 a 04/09/2011 - Sex a dom - 20h - Sexo, Mentiras e

Gargalahadas. O Stand Up Comedy de personagens que

é um verdadeiro show de humor. Teatro Carlos Carvalho

MARGS

- Xico Stockinger obras do acervo, 9 de agosto a 9 de

outubro.

- 8° Bienal do Mercosul 10 setembro a 15 de novembro.

Até 15/08 - Labirintos da Iconografia

Acervo Permanente do MARGS. Exposição de uma

seleção variada da coleção de obras do Museu,

apresentando momentos significativos da produção

artística realizada no Brasil e em outros países.

Informações e agendamento de visitas orientadas no

Núcleo de Extensão Cultural, subsolo do Museu. De

segunda a sexta, das 10 às 18 horas. Fone 51 3227.2311

e 3212 2281 ou e-mail: extensao@margs.rs.gov.br

CENTRO CULTURAL CEEE ERICO VERISSIMO

Até 30/07 - Exposição Na Tomada – Revolução, Conforto

e Evolução – Os cenários estão montados no hall de

entrada do prédio e nas salas do 2º andar, onde está

localizado também o Museu de Eletricidade do RS (Mergs)

Até 10/08 - Exposições Caderno de Desenho de Capa

Azul – Composta de desenhos e fotografias, da artista

plástica Marta Loguercio. Na sala O Arquipélago, 1º andar.

26/07 – 19h - Eventos, Seminários, Oficinas e Cursos

Jornal Porto Poesia – Lançamento do jornal Porto Poesia.

Sala Ana Terra, 3º andar.

Até 25/08 – das 15h30 às 17h às quintas-feiras - Cultura

Francesa – Aprenda Francês Cantando. Com a Dra.

Janete Cecin. Sala O Retrato 4º andar

27/07 - das 15h às 17h - Curso Un mois, un thème (Um

mês, um tema) - Início dia, que nesta primeira etapa terá

como tema a ser desenvolvido Scènes de genre (cenas

populares).

27/07 – 19h - Sarau Quarta tem Sarau no Quarto - Sarau

Aquele que conheceu apenas a sua mulher, e a amou,

sabe mais de mulheres do que aquele que conheceu mil.

Leon Tolstoi

Literário, c/ Renato Mattos Motta, Paulo Accurso e

Fernando Menegotto, que terão como convidada especial

a poeta Juliana Meira na Sala O Retrato, 4º andar

Sábados – 15h30 - Projeto Cidade das Crianças - Aberto

a crianças de quatro a onze anos, com a realização de

atividades artísticas e lúdicas, como teatro de sombras,

desenhos, fotografias, literatura, brincadeiras tradicionais,

música, visitas e passeios a locais e eventos culturais do

Centro Histórico de Porto Alegre. Gratuito. Sala Anexa

Sarau com Ritmo, organização de Benedito Saldanha,

durante todo o ano, na segunda terça-feira de cada mês.

A Academia Brasileira de Letras e Artes de Porto Alegre,

em parceria com o Clube literário Ipiranga e CCCEV,

promove mensalmente, às 19h com entrada franca.

Toda a programação poderá ser conferida no site

www.cccev.com.br ou no blog www.cccev.blogspot.com.

MEMORIAL DO RIO GRANDE DO SUL

Salas do Tesouro

Terças a sábados das 10h às 18h, domingos e feriados,

das 13h às 17h - Exposição História e Saúde – Diálogos

com a Dor e a Cura, de Leonor Schwartsmann e Rejane

Penna, por tempo indeterminado. Salas do Tesouro, 2º

andar

Terças a sábados, das 10h à 18h, domingos e feriados

das 13h à 17h - Exposição sobre o Barão de Mauá. Sala

Múltiplos Usos

26 de julho, às 18h até 5/08 de terças a sábados, das 10h

à 18h, domingos e feriados das 13h à 17h - Exposição

sobre o Bicentenário de Bagé. Salas Décio Freitas

Abertura em 15/08 às 18h até 03/09 - Exposição em

homenagem à Sandra Pesavento. Salas Décio Freitas

24/08 - 18h às 21h - Mesa-redonda Porto Alegre, Traços

de um Passado reconstruído em Fotografias. Auditório

Oswaldo Goidanich

25/08 das 17h às 18h15min - Conferência da Academia

Rio Grandense de Letras. Auditório Oswaldo Goidanich

27/08 – das 9h às 13h - Seminários e Debates: a questão

negra em evidencia. Auditório Oswaldo Goidanich

Até 20/08 - Exposição Barão de Mauá. Espaço Sala

Múltiplos Usos

Visitas Guiadas O Memorial do Rio Grande do Sul

disponibiliza para grupos com a supervisão de um

monitor de história e serve como complemento didáticopedagógico

para as turmas escolares

Boneco Memorélio. O Memorial do Rio Grande do Sul

promove apresentações do Boneco Memorélio para o

público infanto-juvenil. Para agendar as visitas guiadas e

o Boneco Memorélio: 51 3224.4376

TEATRO DO SESC

03, 04 e 05/08 – 20h - As conchambranças de quaderna.

De Ariano Suassuna. Elenco dirigido por Inez Viana (RJ)

06 a 21/08 Sáb 20h e dom 18h - Tartufo. Grupo Farsa a

partir da obra de Molière

24 a 26/08 - 15h e 15h40 - Louça Cinderela. Cia Gente

Falante (RS)

30/08 - 15h e 15h40 - 31/08 a 03/09 - 10h e 15h - Xirê

das Águas – Orayeyê ÔH. Cia Gente Falante. Teatro de

Objetos e Teatro Narrativo

11/08 às 15h – 12/08 as 10h e 15h - A roupa nova do rei.

Grupo Farsa (RS)

31/08 – 20h - Projeto Sonora Brasil - 3º Circuito - Duo

Ferragutti / Kramer (SP/RS)

Até 28/07 – 19h - Tributo a Tim Maia Acústico. Café SESC

Centro

11 e 25/08 – 19h - Alemão Ronaldo. Cantor e compositor de

rock n’roll e ex-líder da extinta banda de rock Bandaliera.

Café SESC Centro

02 a 31/08 - Exposição Questão de Sentido, de Fabriano

Rocha. Desenhos sobre papel inéditos realizados em

2011. Café SESC Centro

SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA

Até 14/08 - Exposição dos Premiados no V Prêmio

Açorianos de Artes Plásticas. Sala Aldo Locatelli

Até 5/08 - Cadê o Lobo? – Exposição. Reúne trabalhos

do grupo Atelier 402 formado por Betina Borne, Carmem

Eunice da Silva, Luiz Leite e Rejane Michel. Paço

Municipal (Sala da Fonte)

Até 5/08 - Dias Claros e Azuis – Exposição de Helena

d’Avila e Tais Bruck de Freitas. Mostra de fotografia. Paço

Municipal (Porão do Paço)

Até 23/08 - Festival de Inverno. Shows nacionais e

internacionais, cursos e palestras com especialistas na

área de ciências humanas e outras atrações. Informações:

(51) 3289.8050

Até 29/07 - Inscrições de Candidatos para os Cursos do

Atelier Livre. Local: Atelier Livre da Prefeitura

02, 09, 16, 23 e 30/08 – 20h - Cinzas às Cinzas – Teatro

Adulto - Teatro Aberto (espetáculos experimentais)

Auditório Álvaro Moreyra

03, 10, 17, 24 e 31/08 – 20h - Apenas o Fim do Mundo

Teatro Adulto - Novas Caras (incentiva novos talentos da

cidade) Teatro de Câmara Túlio Piva

05, 06 e 07/08 - Sex e Sáb - 21h e Dom - 20h - De Um a

Cinco – Dança e Tão Longe, Tão Perto, Tão Perto, Tão...

Teatro Renascença

5, 6, 7, 12, 13, 14, 19, 20, 21, 26, 27 e 28/08 - Sex e

Sáb - 21h e Dom 20h - Roda Gigante. Teatro de Câmara

Túlio Piva

11, 12, 13 e 14/08 - Qui a Sáb - 21h e Dom - 20h –

Sobrado. Teatro Renascença

13, 14, 20, 21, 27 e 28/08 – 20h - Exercícios sobre

a Cegueira. Inspirada pelo quadro de Brueghel, que

constitui uma reflexão sobre a cegueira da alma humana.

Dir. Camilo de Lélis. Auditório Álvaro Moreyra

13, 14, 20, 21, 27 e 28/08 – 16h - A Princesa engasgada

– Teatro Infantil. Dir. Cássio Schonarth. Auditório Álvaro

Moreyra

13, 14, 20, 21, 27 e 28/08 – 16h - Opereta Pé de Pilão –

Teatro Infantil. Texto Mário Quintana. Dir. Cláudio Levitan.

Teatro de Câmara Túlio Piva

16/08 – 20h - Música dos Gaúchos. Teatro de Câmara

Túlio Piva

17/08 – 20h - Quartas na Dança - Bom Voyage Andanças.

C/ o Grupo Andanças. Teatro Renascença

18/08 – 20h - Sons da Cidade – Xandele, Luis Vagner e

Convidados. Teatro Renascença

19, 20, 21, 26, 27 e 28/08 - Sex e Sáb - 21h e Dom - 20h

- 5 Tempos para a Morto – Teatro Adulto. Dir. Gilberto Icle.

Teatro Renascença

20, 21, 27 e 28/08 – 16h - Pimenta do Reino em Pó –

Teatro Infantil. Dir. Suzi Martinez. Teatro Renascença

30/08 – 19h30 - República do Rock – Vera Loca +

Mandala. Teatro de Câmara Túlio Piva

30 e 31/08 – 21h - Mi Porto Alegre Querido – Dança. Dir.

Geral e Concepção Edison Garcia. Teatro Renascença

CENTRO CULTURAL USINA DO GASÔMETRO

Até 14/08 - Ciúme – Exposição de Marcelo Eugênio -

4º andar

31/07 – á tarde - Usina na Praça. Alvo do Sistema (música)

Praça Anexa

Até 31/07 - Kennetth Anger: Prazer em Conhecê-lo. De

Kennetth Anger. Mezanino 2º andar

Até 31/07 - Casa – Exposição fotos de Simone Blauth.

Galeria dos Arcos

31/07 - 16h - Alvo do Sistema (música)

7/08 - 16h - Quarto Sensorial (música)

14/08 - 16h - Dominique Aidujar (circo)

21/08 -16h - III Raul Vive! com PertuRbadores (música)

28/08 - 16h - Luana Pacheco (música)

Usina na Praça - Até 4/12 aos domingos à tarde - Shows

de música, teatro, poesia, dança e mágica. Praça Anexa

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Foto Cibele Donato

Assim como as instituições arquivísticas são antigas

no Brasil, em nível nacional - em 1838 nasce o Arquivo

Público do Império, hoje Arquivo Nacional - em Porto

Alegre não foi diferente. As primeiras atividades

arquivísticas surgem em 1830, quando a Câmara

solicita que os documentos produzidos por ela sejam

organizados e inventariados. Porém somente em 1988,

com a promulgação da nova Constituição, o documento é

considerado patrimônio “Art. 216. Constituem patrimônio

cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial,

tomados individualmente ou em conjunto, portadores de

referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes

grupos formadores da sociedade brasileira, nos quais se

incluem. IV - as obras, objetos, documentos, edificações

e demais espaços destinados às manifestações artísticoculturais;”

O modelo de instituição arquivística no município

passa por diversas fases, sendo que em 1972, iniciamse

os primeiros trabalhos de organização e descrição

dos documentos de valor histórico, visando ao acesso

do pesquisador. Com esse trabalho nasce a primeira

semente, que mais tarde se transforma no Arquivo

Histórico de Porto Alegre, vinculado à Secretaria Municipal

da Cultura, criada em 1988. Um ano depois, pela Lei 6.387,

passa a denominar-se Arquivo Histórico de Porto Alegre

Moysés Vellinho, oficialmente ligado à Coordenação da

Memória Cultural dessa Secretaria.

O ano de 1994 marca profundamente a trajetória

desta Instituição com a transferência para a nova sede

num dos casarões construídos no final do século XIX,

numa chácara na antiga Estrada do Mato Grosso, atual

Avenida Bento Gonçalves. O Arquivo Histórico de Porto

Alegre Moysés Vellinho ocupa atualmente um complexo

de três prédios nessa área. São esses os dois casarões

já existentes no local e restaurados especificamente para

ocupação das dependências do Arquivo e mais uma área

edificada, em 1999, especialmente para guarda do acervo.

Como Instituição arquivística, tem por função recolher,

Por Valência Losada - Diretora Artística do Theatro São Pedro

Theatro São Pedro – Um palco sem tempo

Embora nossa sociedade tenha hoje

interesses e princípios muito distantes

daqueles que regiam o fazer teatral

grego, é fato admitir que nosso teatro

viva dias controversos, já que para os

gregos fazer arte era também celebrar

a vida como ato político, de educação

e responsabilidade civil.

Seja por uma questão de ordem

econômica ou simplesmente para

atender as expectativas do público (que

cada vez mais busca o entretenimento),

o que temos em abundância é um

cenário de empobrecimento da esfera

crítica, das reflexões e da vocação

primeira do teatro, ser instrumento de

transformação do indivíduo.

São raros os espaços no Brasil

(públicos ou privados), que seguem

coerentes com as diretrizes ideológicas

ou filosóficas do teatro, um exemplo que

vale ser enaltecido acaba de completar

153 anos, situa-se no centro da capital

dos gaúchos e atende pelo nome de

Theatro São Pedro. Casa centenária,

Por Rosani Feron - Diretora do Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho

Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho

O guardião da memória administrativa do município

organizar, conservar e disponibilizar os documentos

considerados de valor permanente, produzidos pelo poder

público municipal ou privados, de interesse público. Seu

acervo é constituído de documentos históricos, oriundos

desde a antiga Câmara – 1764, Intendência 1892 a

1930, Poder Executivo até a presente data. Além desses

documentos, há uma hemeroteca (coleções de revistas

e jornais) bastante procurada.

Os pesquisadores e usuários são atendidos na Sala de

Pesquisa, ambiente próprio para tal atividade, de segunda

a sexta-feira, das 8h30min às 12h e das 13h30min

às 17h30min. Esse atendimento é a forma prática de

disponibilizar o acervo para o cidadão, seja historiador ou

não, para que os documentos sejam fonte de resgate da

memória e da identidade, pelo conhecimento do passado.

No entanto, a procura pelos documentos históricos,

via de regra, é movida pelas necessidades acadêmica,

escolar ou profissional. Faz-se necessária a formação

dos indivíduos desde a infância para despertar o

interesse espontâneo pela pesquisa. Para promover essa

formação, o Arquivo desenvolve o Programa de Educação

Patrimonial, pioneiro no Estado, que iniciou em 04 de

agosto de 1997, com a oficina Papel Antigo e Papel Velho

que fala do documento histórico, com seu suporte de papel

de trapos e uma Broca conscientizada que orienta para

as noções de conservação e preservação documental,

ao mesmo tempo em que os acompanha numa viagem

na máquina do tempo levando-os ao ano de 1772, ano

da fundação da Cidade. A oficina é destinada a alunos

das séries iniciais do ensino fundamental. Atualmente, o

Programa desenvolve 7 oficinas para alunos de todas as

faixas etárias e visitas guiadas para estudantes e público

em geral.

Com 39 anos de serviços prestados à comunidade,

o Arquivo busca cada vez mais se aperfeiçoar para

atender a legislação vigente e responder às expectativas

da comunidade.

referência para artistas e público,

sinônimo de qualidade e compromisso

com a arte.

O Theatro São Pedro sempre foi palco

para as montagens tradicionais, mas

também protagonista para espetáculos

precursores de estéticas, linguagens e

estilos. Soube como poucos entender

os novos tempos e criar uma identidade

contemporânea, sem sucumbir aos

apelos ou banalizações do mercado.

Neste sentido o que temos é a

oferta de uma programação plural e

de qualidade, onde há espaço para a

comédia, o drama, a tragédia, a música,

a dança e toda a manifestação que visa

ampliar e fortalecer nosso teatro como

espaço democrático.

Em meio a um período de incertezas

sobre o real papel do teatro em nossa

sociedade, por um breve instante serve

de alento saber que nossa ágora está

ao alcance dos olhos, de frente para a

Praça da Matriz.

3

Fotos Ricardo Stricher e Divulgação/PMPA

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


4

Através de uma nova modalidade de

financiamento e apoio da Petrobras Cultural, o

segundo disco solo de Mário Falcão não é físico,

não é tátil. As músicas estão disponibilizadas

gratuitamente para audição e até mesmo para

baixar no site www.amador.mus.com. Segundo

o autor, por intermédio deste formato o retorno é

muito melhor do que pelo modo tradicional, dada a

extrema dificuldade do músico independente obter

uma boa distribuição da sua obra e a execução da

mesma pelas emissoras de rádios.

As 10 canções que fazem parte do trabalho

são simples e sofisticadas. Mário é um compositor

de ofício. Um excelente construtor de agradáveis

melodias e harmonias, além de um hábil carpinteiro

de letras inteligentes e muito bem sacadas. E isso

não é de hoje. Após muito serviço prestado para

a cultura musical da cidade – tanto em trabalhos

solos, como em parcerias e participações de

trabalhos de outros músicos, inclusive como um

dos integrantes da ótima Orquestra de Mantra

Rudraksha, Mário Falcão gravou seu primeiro

disco em 2004, uma produção independente com

financiamento do Fumproarte. Este CD lhe rendeu,

muito merecidamente, os Prêmio Açorianos

de Melhor Compositor e Melhor Disco de MPB

daquele ano. Ainda nesta época (2004/2005)

participou do Festival “Uma Canção Para Porto

Alegre”, gravando a bossa-choro “Quando Te Vi”

(parceria com Carmem Nunes) e recebendo uma

grande votação popular.

Agora Mário nos brinda com o excelente

“Amador”. As músicas apresentam arranjos

entre a MPB e o jazz. E para tanto se vale dos

competentíssimos músicos Ricardo Arenhaldt

(bateria), Clóvis Boca Freire (contrabaixo), Luis

Mauro Filho (piano) e Zé Ramos (guitarra e

produção musical); assim como as participações

especiais do percussionista Fernando Sessé, da

cantora Ana Paula Lonardi e do violinista Karlo

Kulpa. Todas as canções têm letra e música de

Mário Falcão.

Por Caetano Silveira - Compositor e Produtor Cultural

O cantor e compositor Mário Falcão

lança seu álbum virtual “Amador”

A faixa título, que leva o instigante nome de

“Amador”, é uma linda e romântica bossa-nova,

e que pode ser conferida também em formato de

vídeo clipe no site. A letra, como é de praxe em se

tratando deste compositor, é extremamente bem

composta e inspirada: “acho que deu pra perceber

o nosso amor dilata / o som no ar, a ideia no

papel / a poesia chega sem complicação / deixa

um sorriso de felicidade em mim (...) concede a

dança do amor / a quem apenas é um amador”.

“Sem Título” é uma interessante canção que se

vale da anáfora pra dizer: “sem sorrir nem chorar

/ sem ter nada pra dar / sem amor, sem perdão

/ sem nenhuma ilusão”. E o álbum segue com

Mário cantando o amor com delicadeza e leveza

como em “Dança dos Laços de Fita” – “o teu olhar

/ descoberta de ouro, pepita / desentoca qualquer

eremita / (...) / o teu olhar / arrepia a lembrança que

fica”. O cronista aparece em “Junho”: “desenhando

paraísos / absorvendo absurdos / definindo a cena

que não se vê / reparando alegrias / desfazendo

preconceitos / traduzindo a vida que não se lê”.

No gostoso samba “Quem Mandou”, faz uma

homenagem ao Estado: “o feitor da madrugada /

avermelha o céu azul / quilombola bola samba /

rebola Rio Grande do Sul”.

Todas as canções são muito boas. “Nosso

Abraço”, doce e quase uma oração, e a meio

interiorana “Vamos Chegar”, uma das minhas

favoritas, são apresentadas apenas com voz e

violão, mas não perdem nada em brilho para as

outras, devidamente arranjadas com apurado

bom-gosto.

Além das músicas estarem disponíveis para

ouvir e baixar, o site ainda oferece as cifras de

todas as canções para que os interessados

possam tocá-las.

Com o perdão do trocadilho: “Amador” é coisa

de profissional.

Foto Arquivo Pessoal

Foto Leticia Nunes

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Foto Fernando Zugno

Do crítico uruguaio Jorge Arias ao meu amigo Camilo

de Lélis, os elogios à interpretação de Vika foram, todos,

superlativos. O filósofo Francisco Marshall, dono do

Studio Clio, em email onde me comentou o espetáculo,

pedia desculpas por não saber o nome da atriz que

fazia a Clitemnestra na primeira parte do espetáculo,

(na segunda, dez anos depois, o mesmo personagem

foi defendido por Ida Celina, com seu brilho usual) mas

que não podia deixar de registrar sua admiração pela

excelência de seu trabalho. Camilo chegou a escrever

que Vika iria ganhar o Açorianos de Melhor Atriz do ano.

Ao mesmo tempo em que concordei com ele, fiquei

preocupado - porque jurados de prêmios são sensíveis

e incompreensíveis como os mistérios de Fátima, e

vão se sentir pressionados com manifestações como

essa. Melhor deixar assim, Camilo, e recordar o ensaio

em que, depois da cena tensa de enfrentamento entre

ela e Marcelo Adams (cuja criação de Agamenon é

igualmente brilhante), todos os seus colegas de elenco

irromperam em aplausos comovidos, alguns com

Tico – Tico

Um tico-tico estufa as penas, inchado de preguiça, e

gorjeia seu canto miúdo ao sol das duas horas da tarde.

Marcos Agostinho estrebucha, agonizando à beira da estrada.

Fora tocaiado ao meio dia, a mando do coronel Jorjão.

Nem uma viva alma para rezar um credo e ouvir sua última

confissão. Bem que ele queria, naquele transe, ter uma mão

amiga segurando na sua. A hora dele tinha chegado, e o

caboclo tentava lembrar de alguma oração por inteiro. Porém,

o passarinho de topete preto pulava, pra lá e pra cá, no ramo

do Maricá empoeirado, roubando o fiapinho de atenção, que

ele tanto precisava pra rezar.

- Que diabo de tico-tico bonitinho, só falta mesmo falar.

Pois, faça o favor de me escutar, seu peralta. Ouça-me o

pensamento, que em pensamento nem preciso falar, só

imaginar, e, isso, você pode bem entender.

Desde criança que Agostinho tinha certas manias

esquisitas, que o faziam passar por doido. A vizinhança da

viúva, sua mãe, lhe apontava: “Lá está o Gostinho, falando

com a formigas cortadeiras, como se elas fossem gente, dona

Anacleta, esse menino precisa de um doutor!”

- Você que tem asinhas ligeiras, senhorzinho, podia ir

até a casa de Iracema e bater lá na janela dela, não podia?

O pássaro saltou para um galho mais perto do homem que

agonizava e ficou paradinho, parece até que compreendia. A

respiração de Agostinho era curta, quase que só no começo

da garganta. Tinha muita bala dentro do corpo. Uma porção.

- Então, meu pequeno, veja se tem lembrança, que

nunca atirei de bodoque em nenhum dos teus parentes. Nos

passarões sim, muitas vezes.

Mesmo quando moleque era mais por necessidade do

que por divertimento, que ele ia à caça. Era só pra ajuntar

Por Luciano Alabarse - Diretor de Teatro e Coordenador Geral do Porto Alegre Em Cena

Vika Schabbach: Que Grande Atriz!

O seleto grupo das grandes atrizes gaúchas (Sandra Dani/Araci Esteves/Ida Celina/Tânia Farias, entre outras) não

estará completo se a ele não for agregado o nome de Vika Schabbach. Vika, como é conhecida por todo mundo da classe

teatral, vem demonstrando, trabalho após trabalho, um talento invulgar e uma entrega à arte da interpretação que lhe dão,

por justiça, acesso a esse agrupamento restrito. Agora mesmo, brindou o público local com uma soberba interpretação de

Clitemnestra, na montagem de “Ifigênia em Áulis + Agamenon”, imantando as apresentações com a eletricidade emocionante

que somente as grandes atrizes demonstram.

lágrimas, testemunhando a profunda emoção daquele

momento.

Tenho um orgulho enorme por contar com Vika na

equipe dos meus fiéis colaboradores, parceria que

começou há uns bons cinco anos, quando a chamei para

integrar o coro de Medeia, desse mesmo Eurípedes que

agora nos reuniu mais uma vez. Após a apresentação

de Medeia, nosso querido Ivo Bender me abraçou e se

derramou em elogios à Vika; desde então, Ivo não perde

os meus espetáculos – para conferir não só a direção,

mas a interpretação minuciosa e fulgurante que a “nossa”

grande atriz empresta às suas criações.

Sua primeira característica a ser ressaltada é a

disponibilidade com que colabora com a direção. Sempre

atenta, disciplinada e estudiosa, Vika não falta a ensaios,

não se atrasa, e é das primeiras a decorar o texto. Como

diria Clarice Lispector, ela é “aos poucos”. Presta atenção

concentrada à todas as orientações, sem abrir mão de

sua contribuição pessoal ao resultado coletivo. É fácil

trabalhar com ela. Vika é um bicho de teatro, não tem

ataques, está sempre de bom humor, alto astral, mesmo

em cenas de alta voltagem dramática que lhe exigem

exaustão e/ou sutilezas. Outra coisa que me chama a

atenção é o impressionismo das emoções com que burila

sua interpretação. Por isso mesmo, um personagem

denso e contraditório como a Clitemnestra de Eurípedes,

para quem a conhece, é mais uma prova de seu enorme

talento. A rainha desconfiada, atingida no âmago de seu

amor materno ao defender a filha Ifigênia dos imperativos

determinados pelo rei Agamenon, é uma grande e

definitiva criação cênica, a iluminar a temporada teatral

do presente ano. Vika vai do silêncio doído à acusação

Por Camilo de Lélis - Teatrólogo

uma carnezinha magra, na hora da bóia - sempre um feijão

aguado, um arroz minguado -, a alguma folha de almeirão

do mato, que sua mãe colhia, aqui e ali, na beira da estrada.

- Já que Deus te mandou pra me fazer companhia nessa

passagem braba, passarozinho, leve no teu bico um pouco do

meu sangue pra minha noiva. Deixe lá na vidraça da janela,

só um pingo vermelho, bem pequenino, que ela vai saber que

sou eu quem tá te enviando. Diga pra ela pegar as roupas

do enxoval e arribar pra cidade grande. Se ela ficar aqui, o

malvado vai ter a presa ao alcance da mão. Vai acontecer

bem assim. Primeiramente, vai ter um banzé de polícia e

investigação fingida, quando acharem meu corpo caído, sem

vida, aqui nesta posição. Então, vêm as perguntas. Ela não

pode dizer nada, muito menos que o coronel Jorjão, andava

querendo lhe pegar na marra, sem respeitar noivado, nem

futuro casamento. É melhor que ela se faça de sonsa, pra não

levantar suspeita. Por uns dois ou três dias vão deixar ela em

paz, é o tempo que ela tem. Ela tem de ir pra rodoviária na

madrugada, e se picar pra capital. Tem lá a tia dela, não tem?

Pois, então, ela vai. Lá ela faz rezar uma missa, pra que Deus

me tire do purgatório, pelo amor da Virgem Santa. Depois,

aos bocadinhos, que trate de me esquecer. Que cuide da

vida, que agora vai ser só dela. Eu, também, me despeço pra

sempre, pois - do outro lado - de que me adianta recordar...

Fizera papel de homem. Foi tirar satisfação com

o coronel, na frente da família dele pra quem Iracema

cozinhava. Ela não queria que ele fosse, mas foi, e não

se arrepende. É como acontecia quando derrubava, com

uma pedra certeira, uma pomba do mato. Não pensava no

acontecido. Destino. Está feito. É Deus quem põe, e o diabo

quem dispõe, e se acabou.

peremptória, construindo a célebre personagem com

uma emoção crispada, onde o corpo ajuda a fala e a fala

determina a postura corporal, o corpo vergado ao peso

da situação vivida.

Um dia, depois de um espetáculo particularmente

brilhante, onde todos os sentimentos da personagem

levaram a platéia ao êxtase, Vika, no camarim, me dizia

o quanto havia se divertido na sessão. Porque o prazer

de estar em cena é outro aspecto dessa profissional

talentosa. Eu, que tenho o privilégio de contar com ela

em minhas últimas direções (Bodas de Sangue, Platão

Dois em Um e Édipo) sou testemunha de seu evidente

amadurecimento cênico, dos seus recursos técnicos,

da sua intuição fulminante. Estamos tão afinados que

levamos nossa parceria do palco ao “Porto Alegre em

Cena”, onde entreguei à ela a tarefa de tratar diretamente

com todos os grupos convidados, resolvendo os mais

diferentes problemas da logística do festival. Mesmo

diante dos momentos mais difíceis, Vika mantém o olhar

sereno e a vontade de rir diante de situações que, por

vezes, tangenciam o absurdo e me levam à loucura.

O teatro do Rio Grande do Sul tem em Vika

Schabacch uma de suas personalidades mais marcantes,

competentes e generosas. E se me restrinjo aqui ao

período de nossa parceria artística, isso não quer dizer

que Vika tenha começado comigo. Não. Duas vezes

formada pelo DAD, ex-integrante do grupo “Cuidado

Que Mancha”, por onde passa, minha cúmplice teatral

conquista elogios e amigos fiéis. Como corresponde à

atriz maravilhosa que ela é.

5

Foto Márcio Peixe

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


6

Foto Arquivo pessoal

Por Walter Galvani - Jornalista, Escritor e Presidente do Conselho Estadual de Cultura

O Professor Sorriso

Quando o Clóvis Duarte começou

sua carreira eu já andava aí, pelo

jornalismo, atuando no Correio do

Povo e na Folha da Tarde e agora,

quando ele nos deixa eu continuo,

não sei por quanto tempo, embora

militando em outros veículos.

Aliás, esses mudam, assim como

o próprio prof. Clóvis mudou da

TV2 Guaiba, para a Band ou para a

Pampa, mas o que nunca mudou, e

isso vai nos acompanhar enquanto

vivermos com sua lembrança, foi o

seu sorriso que, no começo até lhe

granjeou este simpático apelido:

era o “Professor Sorriso” porque a

todos acolhia com a sua simpatia,

com a sua compreensão, com a

busca de auxiliar quem precisava

de divulgação para sua atividade

e, sem dúvida, para os que

procuravam, através da Cultura,

do Turismo ou do Lazer, ajudar

os seus semelhantes na busca da

felicidade.

Para muito além da Copa do Mundo

A Copa do Mundo virou fetiche para

alguns. Para outros, um fantasma.

Digo que será um tormento para

algumas autoridades. Nem fetiche nem

fantasma resolvem os dilemas que ela

já nos impôs e outros que virá a impor.

Mas quanto aos tormentos, bem, isto é

com as autoridades.

A Copa não admite adoradores, mas

gestores capazes. Odeia pirotecnica,

agrada-lhe a ação concreta. Como

também nem mete medo nem

assombra ninguém competente, mas

pode escrever, vai dar sustos nos

incompetentes. E aí virá o tormento.

Nas obras da Arena, que parecem

estar caminhando bem, já tivemos

duas greves. Foi preciso ação rápida

dos empreendedores e negociação

sindical para estancar o problema. No

Inter, há problemas com a empresa

que vai tocar a obra. Mas nada que

não se recupere no tempo. Isto se não

houver outros tropeços.

Já no setor público, parece que

ali as coisas não vão tão bem assim.

Nada parece avançar nas obras de

ampliação de ruas. Algo quase invisível

foi feito na Beira Rio. E o resto? Sem

notícias. Pelo menos não públicas.

E na questão da Grande Cruzeiro,

com as obras de ampliação da grande

avenida que corta o bairro Cruzeiro do

Sul? Até agora não vi moverem uma

palha, um grão de areia. Não fossem

as lideranças comunitárias da região

nada teria acontecido. Os locais de

realocação foram encontrados e/ou

apontados pelos moradores. Se algum

local foi perdido é culpa de algum

gestor do Demhab.

Quem propôs as edificações para

garantir que nenhuma das 1.800

famílias tenha que sair dali fui eu, assim

como propus, através de um Projeto de

Lei, o Bônus Moradia para quem quiser

sair do local.

Eu tenho buscado, de todas as

formas, colaborar para que as coisas

evoluam nas obras da Copa, que

sejam superados os problemas. Mas

fico pasmo que até agora o Demhab

não tenha garantido os recursos do

Minha Casa, Minha Vida para esta

região. Como fico mais perplexo ainda

com a Smam, por não ter dado ainda a

Licença Ambiental para esta obra.

Mas a “Copa” não se resume apenas

na execução de algumas obras. Tudo o

que venha a ser feito tem que ficar para

o bem-estar dos nossos moradores,

para muito além dos jogos mundiais.

Por coincidência ele foi cremado

no Dia do Amigo, que uma pesquisa

pelo Google logo esclareceu para

os interessados, era o dia em que

Neil Armstrong colocou o pé na

Lua, em nome da Humanidade.

“A Lua foi conquistada afinal”...

Bem, não foi, mas andou perto o

“início da colonização”.

Partida prematura dele, que

nem chegara aos 70, hoje uma

longevidade conquistada por muita

gente.

Assim, não há quem, atuando na

Imprensa ou na Literatura aqui no

estado, não se tenha beneficiado

pela atuação de Clóvis Duarte e

quem com ele esteve em contato

direto não há de esquecer o sorriso

com que acolhia a todos no estúdio

onde estivesse ele atuando, fosse

o Câmera 2 ou o Estúdio Pampa,

ou a Band ou Difusora então, ou a

RBS-TV

Grande Clóvis, lá estavam, em

Por Adeli Sell - Vereador e presidente do PT-POA

Por isso, obras de infra-estrutura,

novas vias, preparação de mão obra,

algo mais do que precário nos dias de

hoje, tudo tem que ficar para o futuro.

Será que já não seria hora de treinar

os nossos taxistas? E o que dizer

dos demais serviços? Quando isto

vai começar de fato? Este ProJovem

Trabalhador é o mesmo fracasso que

foram as outras edições. Sem falar nos

cursos do chamado PETI (Programa

de Erradicação de Trabalho Infantil).

Parece que também não deu certo

ainda. Afinal, quando vamos fazer um

bom balanço e ver onde erramos e

partir para outras formas de capacitar

as pessoas?

Iniciada a Copa, não haverá “o

jeitinho brasileiro” para aquilo que

não foi planejado e pensado. Além da

qualidade dos serviços, como vamos

encantar turistas em inglês, espanhol,

italiano, francês e mandarim? Parece

que ainda pensamos como na

República do Piratini, onde o gauchês

era a língua oficial.

Não só de futebol vive o Brasil, nem

só de futebol vai se fazer uma Copa do

Mundo.

sua despedida, muitos dos seus

amigos e uma pergunta cruzando

o ar interrogativo das pessoas:

“E agora, Porto Alegre? Quem

substituirá o Professor Sorriso?”

Façamos votos para que esta

bandeira não fique no chão e

que suas filhas e produtores,

apresentadores amigos e chefias

amigas, como o Paulo Sérgio Pinto,

por exemplo, ajudem a conduzir

o barco dos aflitos que tanto

contaram com a colaboração, o

apoio desinteressado e a múltipla

atividade dele.

Isso não é uma despedida. É

uma homenagem a quem sempre

soube valorizar seus amigos e

colegas, só que seus amigos eram

tantos e mesmo os desconhecidos

em amigos se transformavam ao

cabo de cinco segundos dentro do

estúdio. Adeus, mestre e amigo!

Foto Arquivo pessoal

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


PROGRAMAÇÃO DO 6º FESTIVAL DE INVERNO

Saiba mais no hotsite do Festival de Inverno: www.portoalegre.rs.gov.br/festinverno

Shows

Teatro Renascença (R$ 10,00)

10/7 - 19h - Martin Buscaglia (participação especial: DuoDeno)

27/7 - 21h - Nelson Coelho de Castro

28/7 - 21h - Chango Spasiuk & Renato Borghetti

29/7 - 21h - DeFalla

30/7 - 21h - Ignacio Varchausky & Cuarteto La Bordona

31/7 - 19h - Cuatro Vientos & Banda Municipal de Porto Alegre

Teatro de Câmara – 19h (gratuito)

27/7 - Alvo do Sistema, Roots Rap & W Negro

28/7 - Apanhador Só

29/7 - Paulinho Fagundes

30/7 - Gisele De Santi

31/7 - Érlon Péricles (participação especial: Shana Müller e Pirisca Grecco)

Teatro do Bourbon Country – 21h (*)

25/7 Lobão (também: palestra às 15h no Teatro Renascença – R$ 5,00)

26/7 Pedro Aznar (participação especial: Antônio Villeroy)

27/7 Arnaldo Antunes (também: palestra às 15h no Teatro de Cãmara – R$ 5,00)

23/8 Soledad Villamil

*R$ 30 – platéia baixa e camarotes

*R$ 20 – platéia alta

Cursos

O Mundo Árabe Contemporâneo – 25, 26, 27 e 28/7 – Teatro Renascença – R$ 20,00

9h às 10h30 - Paulo Vizentini e Analúcia Danilevicz Pereira

Oficina de Conto – de 25 a 29/7 – Sala Álvaro Moreyra – R$ 20,00

9h às 10h30 – Alcy Cheuíche

O Amor na Poesia Brasileira – 26 a 28/7 – Teatro Renascença – R$ 20,00

10h30 às 12h - Affonso Romano de Sant’Anna

Oficina de Crônica – 25 a 29/7 – Sala Álvaro Moreyra – R$ 20,00

10h30 às 12h – Walter Galvani

Simões Lopes Neto e a Gauchesca – 25 a 29/7 – Sala Álvaro Moreyra – R$ 20,00

14h às 15h30 – Luís Augusto Fischer

Ópera em Quatro Partes – 25, 26, 27 e 29/7 – Sala Álvaro Moreyra – R$ 20,00

15h30 às 17h - Tatata Pimentel

Brasil de 1954 a 1964 – 26, 27 e 28/7 – Sala Álvaro Moreyra – R$ 20,00

17h às 18h30 - Voltaire Schilling

Felicidade? – 25, 26, 27 e 28/7 – Sala Álvaro Moreyra – R$ 20,00

18h30 às 20h – Márcia Tiburi

Caio F.: 15 Anos Depois – 25 e 26/7 – Teatro Renascença – gratuito com senhas

19h às 21h – Luciano Alabarse, Juarez Fonseca, Amanda Costa e Dea Martins

50 Anos de Legalidade – 25, 26, 27 e 28/7 – Sala Álvaro Moreyra – R$ 20,00

20h às 21h30 – Paulo Markun, Duda Hamilton, Juremir Machado da Silva,

Gunter Axt e Ricardo Chaves

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

7

MAIS FACILIDADE,

MAIS LIMPEZA.

A partir da segunda quinzena de julho, Porto Alegre será a primeira capital

brasileira a implantar o sistema de coleta de lixo automatizada, beneficiando

o Centro Histórico e mais parte de 10 bairros adjacentes (veja mapa).

Os contêineres que receberão o lixo orgânico domiciliar serão instalados

a, no máximo, 100 metros um do outro. A coleta será diária, por caminhão

compactador.

GASÔMETRO

GUAÍBA

João Goulart

COLETA AUTOMATIZADA DE LIXO

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

Mauá

PARQUE

M. S.

SOBRINHO

Edvaldo P. Paiva

Ipiranga

Mauá

MERCADO

RODOVIÁRIA

Voluntários

Ramiro

Barcellos

PARQUE

FARROUPILHA

Cristóvão Colombo

Ipiranga

PARQUE

MOINHOS

DE VENTO

Confira as vantagens desse novo e moderno sistema:

O lixo pode ser depositado nos contêineres

a qualquer hora do dia ou da noite

Elimina o mau cheiro ocasionado pelo lixo exposto

Termina com o amontoamento de lixo na rua

Evita a ação de cães, gatos, ratos e outros animais

É mais limpeza para a sua rua e seu bairro

A rapidez da operação contribui para a agilidade no trânsito.

COMO FUNCIONA:

Pise no pedal

Quando a tampa

abrir, deposite

o lixo no contêiner

O caminhão

compactador realiza

a coleta e recoloca o

contêiner no lugar

Silva Só Mariante

IMPORTANTE:

Dr. Timóteo

Goethe

A coleta seletiva não

sofrerá alterações.

O sistema automatizado

é exclusivo para

a coleta de lixo

orgânico domiciliar.


8

Por Teniza Spinelli - Jornalista

Gutê: Premiado escultor gaúcho volta a

expor em Porto Alegre

O escultor gaúcho Carlos Augusto da Silva, mais conhecido por Gutê, transferiu-se para São Paulo

na segunda metade da década de 1980. Na capital paulista, o artista desenvolveu sua carreira e

lá mantém atelier, participando com destaque do movimento artístico do país. Em recente visita

a Porto Alegre, no mês de junho, Gutê ganhou Sala Especial em sua homenagem na Galeria de

Arte Paulo Capelari. Na oportunidade, o artista mostrou um conjunto de 15 esculturas em materiais

como bronze, pedra, madeira e alumínio, representativas de diversas fases de seu trabalho.

TRAJETÓRIA EXPRESSIVA

Dedicando-se há mais de 40 anos à escultura, Gutê possui uma trajetória reconhecida

nacionalmente. Já expôs na Bienal de São Paulo e suas obras integram o acervo de importantes

espaços culturais tais como o Museu de Arte de São Paulo e o Museu de Arte do Rio Grande do

Sul, além de galerias, praças, parques e prédios do Brasil e do mundo. Com intensa produção, já

assinou cerca de 30 mil obras, entre múltiplos e peças únicas. Sua mais recente contribuição é a

escultura denominada “O Tambor”, erguida na Praça Brigadeiro Sampaio, no Centro Histórico de

Porto Alegre, que integra o projeto Museu de Percurso do Negro.

INÍCIO DA CARREIRA EM PORTO ALEGRE

Gutê estudou e recebeu orientações técnicas no Atelier Livre da Prefeitura Municipal de Porto

Alegre entre 1974 e 1977. Tornou-se profissional já na adolescência. A partir de 1975, passou a

frequentar coletivas e salões. Recebeu vários prêmios, entre eles, o do 1º Salão Nacional Casa

Velha, em Novo Hamburgo, em1982. É autor da escultura para a sede do SENAC, em Porto

Alegre, e outras em diversos prédios de centros profissionais. Realizou exposições individuais em

Porto Alegre, onde inclusive lecionou. Suas figuras aladas tornaram-se marca personalizada de

seu trabalho. Utiliza materiais diversos como pedra, bronze, madeira e resina. Foi chamado pelo

desenhista Wilson Alves de “o construtor de sonhos”. É verbete no Dicionário de Artes Plásticas

no Rio Grande do Sul de Renato Rosa e Décio Presser.

PLENITUDE CRIATIVA

O retorno de Gutê a Porto Alegre e, a exposição de suas obras em Sala Especial, é uma justa

homenagem a este artista gaúcho talentoso, com temática singular e, com domínio técnico da

escultura em suas várias modalidades, passando da madeira à pedra e ao bronze, entre outros

materiais. Além disso, para os que já o conhecem é uma oportunidade de rever suas obras e para

aqueles que nunca as viram, o momento certo de conferir a força escultórica de um artista, em

plena potencialidade criativa.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Por Sergius Gonzaga - Secretário Municipal da Cultura

6 o Festival de Inverno

e a boa invasão platina

A atriz e cantora Soledad Villamil, protagonista do

oscarizado filme “O Segredo dos Seus Olhos”, é outra

vez uma das grandes atrações do Festival de Inverno

de Porto Alegre. A programação da sexta edição do

festival tem 15 shows, oito cursos de alto nível, duas

oficinas e três palestras com destacados artistas e

especialistas no período de 25 a 31 de julho de 2011.

E outra vez com importante participação de músicos

argentinos e uruguaios.

Pedro Aznar é outro portenho que volta à capital

gaúcha para reforçar o sotaque mercosureño, marca

do evento. Os argentinos Ignacio Varchausky e

seu Cuarteto La Bordona, a banda Cuatro Vientos,

o multicultural Chango Spasiuk e o uruguaio Martin

Buscaglia fecham a participação estrangeira. Aproveito

para frisar que o evento será totalmente patrocinado

pela Prefeitura de Porto Alegre, através da Secretaria

Municipal da Cultura.

O concerto de abertura do festival aconteceu no dia

10 de julho, com o uruguaio Martin Buscaglia, às 19h

no Teatro Renascença. O último concerto acontecerá

após a semana do festival, em 23 de agosto, às 21h,

no Teatro do Bourbon Country, com Soledad Villamil.

A musa argentina teve um contratempo nas filmagens

que realiza em Madri e não poderá estar em Porto

Alegre no fim de julho. A Secretaria da Cultura atendeu

o pedido da cantora no sentido de postergar a data

levando também em consideração o enorme sucesso

de crítica que teve sua participação no festival do ano

passado.

O fato de abrirmos e encerramos a programação com

artistas do Prata não é evidentemente coincidência.

O Festival de Inverno já nasceu com a intenção de

festejar essa nossa identidade com os hermanos do

Cone Sul. Queremos com isso solidificar a condição

da capital gaúcha como cabeça de ponte da cultura

latino-americana em direção ao Brasil. Vários artistas

de carreira internacional ressaltam Porto Alegre como

palco de suas primeiras incursões no panorama cultural

brasileiro e acreditamos que isso deve ser fomentado

e festejado em nosso Estado.

Também apostamos outra vez nas revelações

e destaques do Prêmio Açorianos de Música.

Reafirmamos assim nosso compromisso com a

produção local e damos conseqüência real a essa

espécie de certificado de qualidade que o prêmio

incorporou. Haverá shows com Apanhador Só, Gisele

De Santi, Paulinho Fagundes, Alvo do Sistema, W

Negro, Roots Rap, Érlon Péricles e Nelson Coelho

de Castro, além do retorno de diletos filhos do rock

gaúcho: DeFalla.

As atrações nacionais ficam com Lobão e Arnaldo

Antunes, que também farão palestra sobre seus

projetos literários. A lista completa-se com as

participações especiais de Antônio Villeroy, Renato

Borghetti, Shana Müller, Pirisca Grecco, Duo Deno

(Arthur de Faria e Pezão) e a Banda Municipal de

Porto Alegre, presente em todas as edições do festival.

Entre os nomes da programação de cursos e

oficinas, estão os escritores Affonso Romano de

Sant’Anna e Alcy Cheuíche, os jornalistas Paulo

Markun, Duda Hamilton, Juremir Machado da Silva,

Tatata Pimentel, Juarez Fonseca, Ricardo Chaves

e Walter Galvani, os professores Paulo Vizentini,

9

Fotos Divulgação SMC/PMPA

Analúcia Danilevicz Pereira, Luís Augusto Fischer,

Voltaire Schilling, Márcia Tiburi, Amanda Costa, Gunter

Axt, a produtora cultural Dea Martins e o diretor de

teatro Luciano Alabarse.

Os shows ocorrem no Teatro Renascença e no

Teatro do Bourbon Country, com preços fortemente

subsidiados, sendo R$ 30 o mais caro e R$ 10 o mais

barato. Os shows no Teatro de Câmara serão gratuitos,

com retirada de senhas uma hora antes dos eventos

no local. Os cursos de cinco dias (em certos casos

menos) custam R$ 20 e as palestras com Lobão,

Arnaldo Antunes e Ignácio Varchausky custarão R$ 5.

O Festival de Inverno mantém assim sua política

de ingressos acessíveis e também democrática. A

ideia do festival é levar espetáculos e ideias de alto

teor artísticos ao público de Porto Alegre nas férias de

inverno, festejando assim essa marca cultural dessa

região do país que é parte tão cara e importante da

nossa identidade.

Convidamos todos a usufruir desse grande evento

da capital gaúcha e desejamos muito prazer e boas

reflexões.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


10

Foto: arquivo pessoal

A incontinência urinária pode ser definida como toda a perda

involuntária de urina. É mais comum nas mulheres por apresentarem

um menor comprimento uretral e terem maior

chance de dano à estrutura musculofascial durante a gestação

ou parto.

A perda urinária involuntária é um caso importante de restrição

das atividades diárias, tanto físicas como sociais, principalmente

nas faixas etárias mais avançadas. Porém, pode

manifestar-se também em mulheres jovens, que têm suas

atividades profissionais e esportivas limitadas.

A incidência da incontinência urinária na população é de

difícil avaliação, porque muitas mulheres não procuram auxílio

médico por acharem que o fenômeno é normal ou se

adaptam à situação com medidas paliativas. Entretanto os

estudos demonstram uma prevalência de até 40% na população

feminina adulta.

O número de partos também é fator que influencia na prevalência

da incontinência urinária.

A incontinência urinária por sua vez pode ser classificada

em três grandes grupos:

1. Incontinência Urinária de Esforço (tosse, espirro);

2. Incontinência Urinária de Urgência (contrações do músculo

da bexiga, de forma espontânea);

3. Incontinência Urinária Mista.

Além da gestação, cirurgias ginecológicas prévias, dimi-

Você já foi ao cinema porque precisava desopilar,

rindo ou chorando? É provável que sim. Filmes podem

realmente nos ajudar a resolver problemas. Como?

Trazendo idéias para serem compartilhadas e evocando

sentimentos adormecidos. Por exemplo, um filme sobre

um alcoólatra pode nos mostrar as conseqüências do

abuso de álcool. Um filme pode também nos fazer sentir

melhor por despertar certas emoções. Além da estória, a

própria tecnologia do cinema, que combina efeitos visuais

e auditivos, é capaz de estimular o nosso cérebro para

avaliar um problema ou situação de forma diferente da

habitual, induzindo a novos insights e novas soluções.

Às vezes, tudo que você precisa é de um empurrão na

direção certa e filmes que correspondam à sua situação

de vida podem funcionar como catalisadores, ajudando

a articular sentimentos, reformatar problemas, identificar

potencialidades e priorizar valores, oferecendo esperança,

encorajamento e inspiração.

Problemas no casamento? Já viu As Pontes de

Madison? Neste filme uma dona de casa passa alguns

dias sozinha, enquanto o marido e os filhos viajam.

Durante este tempo, ela conhece um fotógrafo sensível

e atencioso, diferente do marido. Eles se apaixonam. O

fotógrafo acaba o seu trabalho e a família deve retornar. A

esposa tem que decidir se fica com o marido e os filhos ou

se parte com o fotógrafo. Ela fica. O marido não era capaz

de dispensar as mesmas atenções que o amante, mas

esteve sempre presente e havia provido as necessidades

da família. Para a personagem de Meryl Streep foi mais

importante o que ela tinha ganho, através dos anos, no

seu casamento, como os filhos e a segurança familiar,

do que o romance. Vejamos alguns outros exemplos de

filmes e situações de vida.

Em um Lago Dourado. Henry e Jane Fonda encenam

muitas das situações reais do relacionamento entre

Por Dr. Nilton Alves - Ginecologista CREMERS 15.193

Incontinência urinária na mulher

Por Beatriz Bohrer do Amaral - Diretora da Radimagem e Radiologista

Problemas? Vá ao cinema!

nuição do hormônio feminino e problemas neurológicos também

podem estar associados à perda urinária.

Uma boa história clínica (anamnese), seguida por um

exame físico detalhado, bem como exames complementares

com estudo urodinâmico são importantes para o diagnóstico

final.

O tratamento da incontinência urinária pode ser dividido

em manejo conservador ou clínico e manejo cirúrgico.

A ausência de alterações anatômicas perineais significativas,

assim como uma avaliação urodinâmica normal ou

sugerindo uma incontinência urinária de urgência nos fazem

considerar um tratamento conservador que pode ser a reabilitação

da musculatura pélvica com exercícios perineais, cones,

eletroestimulação, terapia de reposição hormonal, bem

como fármacos que modificam as contrações do músculo da

bexiga e do tônus uretral.

O manejo cirúrgico está indicado nos casos de incontinência

urinária por defeito anatômico. As técnicas usadas variam

amplamente, desde procedimentos clássicos com incisão

abdominal, cirurgias vaginais, videolaparoscópicas, assim

como técnicas minimamente invasivas com o uso de telas

de última geração para reforço e reconstrução de estruturas

musculofasciais danificadas.

pai e filha. Assistir a este filme com pais idosos pode

criar um clima de compreensão, ajudando a superar

desentendimentos passados.

Melhor Impossível. O personagem de Jack Nicholson

oferece-nos um exemplo de como lidar com o transtorno

obsessivo-compulsivo.

Magnólias de Aço. Sally Field, Julia Roberts e Olympia

Dukakis demonstram o valor da amizade feminina para

superar os problemas que a vida nos apresenta.

Tomates Verdes Fritos. Quando a vida nos passa uma

rasteira, Kathy Bates, Jessica Tandy e Mary Stuart irão nos

ensinar como levantar, sacudir a poeira e dar a volta por

cima.

Clube dos Homens. Harvey Keitel, Frank Langella e

outros cinco amigos reúnem-se para discutir e aprender

a entender as suas emoções. Pode ajudar os homens a

falarem mais abertamente sobre os assuntos do coração.

A idéia é escolher um filme em que os personagens

representem situações de vida semelhantes às suas. Se

o assunto escolhido for pesado, é importante que você

tenha privacidade de poder chorar, se sentir vontade,

sem se importar com a presença dos outros. Portanto, é

melhor locar um filme em vídeo ou DVD e o assistir em

casa, assim você poderá também rever cenas que julgar

mais importantes ou significativas. Uma outra sugestão

é formar um “clube de vídeo” e assistir filmes sobre um

assunto específico - relações afetivas, pais idosos, filhos

adolescentes, dinheiro, separações, perdas – e depois

discutir com um grupo de amigos.

Os filmes não vão necessariamente resolver os seus

problemas, mas, podem fazê-lo sentir-se melhor. O que

você está esperando? Vá já providenciar a pipoca e bom

proveito!

Próxima palestra do projeto Mulher e Saúde

Data: 27 de julho às 16hs - Tema: Benefícios e Riscos dos Exames Preventivos - Palestrante: Beatriz Bohrer do Amaral,

Radiologista - Local: Radimagem - Endereço: Av. Cristóvão Colombo, 1691 - ENTRADA FRANCA

Traga 1kg de alimento ao perecível - Informações: 51- 2125-0505 - radimagem@radimagem.com.br

www.radimagem.com.br

Foto: arquivo pessoal

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Visite o mais novo espaço virtual cultural.

www.usinadoporto.com.br

O website cultural do jornal Usina do Porto,

O Jornal da Cultura será fundamental à área cultural por

promover o apoio à cultura e a interatividade entre os colunistas,

artistas, a comunidade e todos interessados.

Você encontra temas como arte, teatro, cinema, música,

literatura, gastronomia, turismo e muito mais...

Consulte a Agenda Cultural na íntegra.

Acesse e deixe seu comentário para que

possamos aprimorá-lo ainda mais.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

11


12

Os temperos da Irlanda

na Serra Gaúcha

Nem só de café colonial, founde e pratos da culinária ítalo-germânica vive a Serra

Gaúcha. A cada ano, surgem na região novidades gastronômicas inspiradas na

cozinha de outros países. Recentemente inaugurado, o Irlandês Restaurant & Pub

é, como sugere o nome, um pequeno pedaço da Irlanda em Gramado. A decoração

lembra um pub europeu, com ambiente aconchegante e agradável, mas o cardápio é

de restaurante, oferecendo cortes de carne diferenciados, característicos da culinária

irlandesa. Como não poderia deixar de faltar, outro destaque são as cervejas, com

chope importado da Guinness, Stella Artois ou Erdinger.

Os diferencias na elaboração dos pratos do Irlandês vão desde as receitas

exclusivas até as máquinas de preparo de ultima geração. Carro chefe da casa, a

costelinha de porco ao molho barbecue é marinada durante 32 horas em um tempero

especial. Com mais três horas para seu preparo final, o segredo deste prato está na

utilização de ingredientes frescos e tempero caseiro. A maciez da carne e o sabor

aprimorado combinam com as sete opções de acompanhamentos. A sugestão é provar

a batata assada com bacon e sour cream, acompanhados de um bom vinho da reserva

cabernet sauvignon. Preparado em chapa frisada, com opções de acompanhamento

à escolha do cliente, o T-Bone é outra especialidade. O corte de filé mignon e contrafilé

em forma de “T” é servido com criatividade e sabor marcante. O cardápio oferece

ainda opções de entrada saborosas, como onions rings ou anéis de cebola com os

molhos honey mustard (a base de mostarda e mel) e tartare. Para a sobremesa, um

delicioso cheesecake com calda de frutas vermelhas dá o toque final.

Com a chegada do frio, o Irlandês também preparou alguns pratos especialmente

para se curtir o melhor do inverno. A sugestão da casa é o filé ao molho de gorgonzola,

acompanhado de arroz branco e cebolas caramelizadas no mel, sucesso entre

os clientes. Harmonizado com um vinho de uva Merlot, chileno ou brasileiro, ou

então da uva malbec argentina, a combinação dos sabores é ainda mais intensa.

Costelinha de porco e sopas no pão são outras dicas do cardápio, para dar um toque

especial à estação. Além da gastronomia, outro destaque do restaurante e pub é a

qualidade do atendimento e dos serviços. Aberto diariamente, a partir das 11h30min

até aproximadamente meia noite, o ambiente tem capacidade para 130 pessoas, é

todo climatizado e possui telas planas onde passam jogos do campeonato brasileiro,

shows e esportes radicais.

Por Thamara de Costa Pereira - Jornalista

Irish meat pie

(torta irlandesa de carne)

- 1 cebola média picada

- 2 dentes de alho picados

- 30 ml de azeite de oliva

- 7 g de zimbro seco e triturado (tempero especial)

- 300 g de carne moída

- sal e pimenta a gosto

- 125 ml da cerveja Irlandesa Guinness

- 2 batatas médias cozidas e descascadas

Modo de Preparo:

Refogar o alho e a cebola no azeite de oliva até dourar. Adicionar a carne moída

com sal, pimenta e 5g de zimbro. Refogar até dourar. Adicionar a cerveja Guinness.

Deixar reduzir um pouco da cerveja, porém não deixar secar completamente, para

que fique pouco úmido. Reserve. Com as batatas faça um purê, temperando com

sal, pimenta e o restante do zimbro. Numa tigela de porcelana pequena, coloque

primeiro a carne com o caldo, preenchendo em torno de dois terços da tigela. Cubra

o restante da tigela com o purê de batatas. Leve ao forno por 20 minutos a 180ºC.

Decore com um trevo da sorte Irlandês de três folhas. Bom apetite! Tempo de preparo:

35 minutos / Rendimento: 4 porções.

Abertas as inscrições para o Concurso Sioma Breitman de Fotografia

A Câmara Municipal da capital gaúcha abriu, as inscrições para o XII Concurso Sioma Breitman de Fotografia. Nesta edição, serão premiados

trabalhos em preto e branco que obedeçam ao tema Porto Alegre, Cidade dos Contrastes. Reformulado e com os valores dos prêmios reajustados,

o concurso passa a ser bienal e a contar com duas categorias - Foto Digital e Foto Convencional. Outras novidades foram incluídas nas regras do

Sioma: a publicação de catálogo dos trabalhos selecionados e a inclusão das fotos em banco de imagens originais sobre Porto Alegre. Como nas

edições anteriores, as obras escolhidas farão parte de exposição com abertura em 31 de agosto, na Semana de Aniversário da Câmara.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas, de segunda a sexta-feira, no Memorial da Câmara Municipal de Porto Alegre (Avenida Loureiro da

Silva, 255, térreo) até 19 de agosto. Serão aceitas inscrições pelos correios, desde que postadas até 12 de agosto. Podem participar fotógrafos

profissionais e amadores.

Os três primeiros lugares, nas duas categorias do concurso, receberão R$ 2.500,00, R$ 2.000,00 e R$ 1.500,00, respectivamente, além de diplomas.

Aos classificados em 4º, 5º e 6º lugares serão concedidos diplomas de Menção Honrosa. O regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis na

página eletrônica www.camarapoa.rs.gov.br

História

Instituído em 1996, o concurso era anual e tinha Porto Alegre como tema fixo, podendo ser inscritas somente fotos em preto e branco produzidas

em processo convencional (película). Após 11 edições e diante de reivindicações de fotógrafos, a Câmara atualizou a competição, aceitando fotos

digitais, mudando a periodicidade (para não coincidir com o Salão de Artes da Casa) e criando um assunto (ligado à Capital) específico a cada ano.

O concurso foi criado a partir de projeto de resolução apresentado pelo vereador e ex-prefeito João Antonio Dib (PP) para homenagear o fotógrafo

Sioma Breitman (1903-1980). Nascido na Ucrânia, Sioma viveu a maior parte do tempo em Porto Alegre e divulgou a capital gaúcha por meio de seu

trabalho, principalmente em preto e branco, reconhecido internacionalmente.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

Foto Divulgação


Gainsbourg – O Homem que Amava as

Mulheres é o mais novo ícone da tendência

cada vez mais dominante no cinema

atual no sentido de narrar biografias de

maneira não linear, sem compromisso com

o encadeamento cronológico dos fatos

e mesmo com os fatos em si. O diretor

Joann Sfar (um artista gráfico que debuta

em altíssimo nível no cinema) entrega a

chave de leitura antes dos créditos finais

do filme: sua devoção pelo cantor francês

é grande demais para ater-se à verdade

sobre Serge Gainsbourg; ele prefere suas

mentiras.

Embora Vie Héroïque (o título original

faz um trocadilho com erotique, marca

registrada das canções e da vida do

cantor) não vá preparar o leitor para jogos

de pergunta e resposta sobre a vida de

Gainsbourg, suas ‘mentiras’, que incluem

desenhos e bonecos que intervém no

filme, são poeticamente esclarecedoras

sobre o espírito do protagonista. É assim

desde o início: ainda em meio à ocupação

militar de Paris pela Alemanha, durante

a Segunda Guerra, vemos o menino

aprendiz de piano sendo perseguido por

caricaturas grotescas, saídas dos cartazes

de propaganda nazista, onde judeus eram

representados como demônios de orelhas

e narizes enormes. Uma dessas figuras se

transformará no alter ego mais ousado e

“A partir da ideia inicial de identificar artistas que

tivessem dentre seus trabalhos obras que abordam

formas de empilhamento, estabeleceu-se a linha

condutora que permeia a Exposição Empilháveis IV.

Estes levam em consideração, não apenas o simples

empilhar de objetos, mas o processo e a proposta de

construção do mesmo.

As obras conversam com o conceito literal de sobrepor

coisas, pôr objetos dispostos uns sobre os outros,

acumular ou amontoar, através da diversidade de

formas, técnicas, representações, suportes, imagens,

definindo uma forma estética e autoral, inerente ao

universo de trabalho de cada artista.

Considerando-se que no dia-a-dia nos deparamos

com inúmeras formas de organizações verticais, onde

identificamos diferentes sobreposições, os trabalhos

apresentados representam a riqueza visual de cores,

formas, dimensões, de empilhamentos vivenciados

no cotidiano de cada autor, o qual é representado

na particularidade da produção dos artistas: Adriana

Andricopulo, Adriana Xaplin, Alexandra Eckert, Ana

Por Marcelo Oliveira da Silva - Coordenador de Comunicação da Secretaria Municipal da Cultura

Gainsbourg, que cantava e encantava mulheres

narigudo de Gainsbourg, incendiando-lhe as

ideias a cada vez que a vida lhe apresenta

uma encruzilhada. Sfar, também judeu

e francês, embala isso tudo com muita

ternura.

Outras passagens deliciosas, reveladoras

do caráter conquistador do músico,

acontecem em seqüência, primeiro no

atelier onde ele aprendia pintura (a arte

que Gainsbourg de fato perseguiu até o

início da idade adulta, quando tocava piano

em bares apenas para pagar as contas). O

menino teima em virar o pescoço sempre

que pode para contemplar a modelo nua,

retratada pelos colegas mais velhos,

com o professor tornando seu pescoço

de volta à natureza morta a sua frente.

Logo em seguida, no café para onde

consegue atrair a modelo, a fim de tomar

um inocente refrigerante, ele cantará com

outras frequentadoras do bar, achando

finalmente um propósito para as aulas de

piano exigidas pelo pai, amante da música

clássica.

A graça do filme reside exatamente

nessas e noutras tantas situações

francamente fantasiadas pelo diretor, que

no entanto criam o imaginário que o autor

de fato ocupa na percepção de seus fãs.

Nada é dito ou mostrado sobre as duas

primeiras mulheres de Gainsbourg. E

quem se importa? Tampouco a última delas

tem seu nome pronunciado ou indicado.

E daí? Era a jovem com quem o fauno,

já maduro e famoso, terá seu último filho.

Basta. O filme encerra com um passeio de

carro dos três pela praia, que compõe o

toque hedonista que o cantor personificará

durante toda sua existência. O abuso do

álcool, causa de sua morte prematura aos

62 aos está bem marcado, mas não temos

detalhes de sua decadência até a morte,

em 1991. E quem sentirá falta disso? Bem,

talvez aqueles que fazem questão de se

destacar nos jogos de pergunta e resposta.

Mas pra esses há livros suficientes.

Há vários outros aspectos que

essa recriação da vida de Gainsbourg

certamente vai trazer de novo à pauta.

Por exemplo a atmosfera da França que

então, e talvez pela última vez, ditava as

tendências de comportamento globais, da

saia curtíssima à blusa colada. Revivemos

a criação do hit internacional Je t’aime moi

non plus nas jornadas sexuais do cantor

com Brigitte Bardot (maravilhosamente

encarnada por Laetitia Casta). Entendemos

com a dor de cotovelo de Gainsbourg,

quando esse affair termina, porque a

música foi mantida na gaveta por tantos

anos, até ser exorcizada de lá na voz

de seu novo amor, Jane Birkin (também

excelente na pele de Lucy Gordon),

sua parceira mais constante e mãe de

O Projeto Empilháveis chega à quarta edição,

com 40 artistas participantes

Becker, Ana Chassot Ledur, Ana Bettini, Anita Porto,

Antônio Augusto Bueno, Caren Czerwinski, Carmem

Salazar, Carusto Camargo, Cinthia Sfoggia, Clara

Figueira, Denis Nicola, Ena Lautert, Esther Bianco,

Fabriano Rocha, Giana Kummer, Jana Castoldi, Kátia

Costa, Leonardo Fanzelau, Lílian Gomes, Lorena

Steiner, Luci Sgorla, Mara Radé, Marcelo Armani, Maria

Eunice Araújo, Maristela Winck, Miriam Gomes, Neca

Sparta, Rodrigo DMart, Rodrigo Núñez, Rogério Livi,

Rosana Almendares, Rosane Morais, Silvia Giordani,

Tereza Mello, Vinicius Vieira, Walter Karwatzki e Yara

Baungarten.”

Atelier de Arte Plano B

A Mostra Empilháveis IV integra a programação

da Galeria Augusto Meyer, da Casa de Cultura

Mário Quintana. Visitação até 28 de agosto de

2011. Contatos: 3216.9913 e 8448.4895 (Atelier de

Arte Plano B) Informações sobre os artistas e os

trabalhos expostos podem ser encontrados em www.

projetoempilhaveis.blogspot.com

sua filha Charlotte, também cantora.

E percebemos o quanto essa música, cujo

texto são basicamente sussurros de um

casal fazendo sexo, abalou a burguesia da

época, sendo proibida nos EUA, Espanha,

Itália e Inglaterra a pedido do Vaticano.

Marca ainda mais ridícula da moralidade

nacionalista do século passado, hoje

inconcebível para adolescentes e préuniversitários,

é a reação dos militares

e ex-combatentes franceses quando

Gainsbourg, após uma temporada na

Jamaica, resolve embalar a Marselhesa,

o hino nacional da França, no ritmo do

reggae. Embora não tenha acontecido

exatamente naqueles termos, o incidente

serve perfeitamente para a caracterização

de sua alma rebelde.

Desnecessário dizer que a música é um

ponto alto do filme e que será uma sorte

pro seu bolso se na saída do cinema não

houver uma loja de cds e dvds repleta

de álbuns de Gainsbourg. A recriação de

ambientes e objetos também acompanha

o alto nível geral do filme, que certamente

é puxado pela grande semelhança do

ator Eric Elmosnino com Gainsbourg e

pela sua atuação espetacular. Daqueles

filmes de se comprar o dvd e, em festas

onde criança não entra, deixar as imagens

rodando no telão a noite inteira.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

13

Foto Divulgação


14

Expedicionários

Há pouco comentando, com o Eduardo e o Bruno,

sobre a nossa viagem me dou conta de quanto ela foi

interessante, instrutiva e divertida. Saímos cada um com

suas expectativas específicas. A minha era a de realizar

um sonho antigo, conhecer a Grécia e suas famosas ilhas.

Para tanto precisava passar pela Turquia. Qual não foi a

minha surpresa ao encontrar em Istambul e Capadócia

belezas que eu não poderia imaginar.

Como explicou nosso líder, não estávamos fazendo

uma excursão, mas sim uma expedição. De fato assim

foi. Percorremos a pé quilômetros e quilômetros num

verdadeiro trabalho arqueológico de descobertas

entusiasmantes. Raramente usamos algum transporte

nas cidades em que andamos. A não ser quando se

fazia absolutamente necessário. Em Atenas resolvemos

conhecer o porto de Pireus e, sem dúvida, não podíamos

ir do centro de Atenas até o porto a pé. Tomamos um

ônibus. Tão logo desembarcamos, pusemo-nos a caminhar

para conhecer o que o porto nos oferecia em se tratando

de pontos pitorescos. Foi sempre assim. Saíamos pela

manhã, um rápido lanche ao meio-dia para voltarmos ao

hotel à noitinha. Um banho, vez que outra uma troca de

roupa, e já estávamos na rua em busca de um restaurante

para jantarmos. Descobrimos, desta forma, mais do que

imaginávamos e do que estava em nossa programação.

Não faltaram, como não poderia neste tipo de viagem,

momentos inusitados. Um deles quando nos perdemos,

à noite, pelas vielas de Santorini a poucos metros de

nosso hotel. Outro, quando, no aeroporto de Istambul em

direção a Atenas, dois de nossos companheiros quase

seguiram, por engano, para Saigon: pouco antes do

embarque trocaram o portão sem nada avisar e eles não

se deram conta.

Saímos de Portinho no dia 24 de junho e retornamos no

dia 10 de julho. Quinze dias trepidantes. Andamos tanto

e vimos tantas novidades que, às vezes, olhando uma

O lobo do mar - de Jack London, autor do clássico

O chamado da selva e outros títulos imortais, narra

o embate entre Humphrey, homem de letras e

Wolf, o implacável capitão do navio pirata Ghost.

Jack London viveu na literatura e na vida real uma

sucessão de aventuras. L&PM Pocket, 310 páginas,

telefone 3225.5777

LIVROS

Vendemos e

Compramos

Consulte-nos

LOPO GONÇALVES, 33 - FONE (51) 3221 0203

www.sapereaudelivros.com.br

Como se tornar um educador de sucesso - do

professor e escritor Simão de Miranda traz dicas,

conselhos, propostas, lembretes, maneiras e duas

reflexões mais alongadas que auxiliam a novatos

e experientes na feitura de um projeto educacional.

Vozes, 104 páginas, telefone 3226.3911

CooJornal Um jornal de jornalistas sob o regime

militar - organizado por Rafael Guimaraens,

Ayrton Centeno e Elmar Bones, traz reportagens

selecionadas de um jornal que se destacou pela

qualidade editorial e pela busca da verdade, em

tempos difíceis, de muita censura. 272 páginas,

Libretos, telefone 3233.3804

Por Sergio Napp - Escritor

foto lembramo-nos de um passeio que ficara no passado.

A Cisterna, por exemplo. Nem estava na programação.

Mas saindo de um dos templos de Istambul alguém

lembrou que ela ficava perto e sugeriu visitá-la. Fomos,

mais levados pelo entusiasmo do colega que outra coisa.

Não nos arrependemos: um dos mais interessantes

passeios feitos. A Cisterna é a antiga caixa d’água de

Istambul, agora desativada e transformada em atividade

turística. Impressionante a construção de suas galerias

subterrâneas.

E, falando nisso, o que dizer das cidades subterrâneas

da Capadócia? Assustador imaginar-se que, naqueles

labirintos, viviam centenas de cristãos fugindo de seus

perseguidores, e criando outros tantos labirintos unindo as

cidades entre si por centenas de metros abaixo da terra.

Acocorar-se para se penetrar naqueles labirintos onde

dormiam, comiam, faziam suas orações e necessidades

nos leva a descobrir uma civilização jamais imaginada.

E a viagem de balão sobre a Capadócia? Imagino que

mais de quarenta balões subiram aos ares pela manhã.

Se pensarmos que 14 era a capacidade de cada balão,

incluindo os pilotos, quase quinhentas pessoas estavam

a alturas incalculáveis vendo do alto uma Capadócia com

sua formação geológica característica.

Faltou a Grécia: Atenas e seus monumentos; as

ilhas, Mikonos, Paros e Santorini com sua arquitetura

encantadora, seus brancos e azuis, o calor quase

insuportável e suas praias.

Há uma semana estamos de volta e sonho, todas as

noites, com detalhes dos lugares por onde passamos. Se

pudesse estaria na estrada em outros roteiros, escavando

caminhos com a poeira das estradas salgando os pés, com

o sol tentando dourar, mais que a pele, nosso interior, com

os olhos pesquisando ruelas, labirintos, sons, formas, risos.

De tudo, ficou um gosto de quero mais.

Por Jaime Cimenti - Jornalista e Escritor

A Capela de Três Vendas de Catuípe e a história

da imigração italiana - do professor, poeta e

escritor José Hildebrando Dacanal, tem ensaios e

fotos e aborda, de modo amplo, a partir de vários

ângulos, a imigração italiana no Rio Grande do

Sul e seus desdobramentos. Editorial Soles,

3224.7612 / 3384.8579

Pensar Sensível - com organização de Luiz Carlos

Bombassaro, Cláudio Almir Dalbosco e Evaldo

Antonio Kulava, traz textos deles e de Eduardo

Luft, Ernildo Steine Urbano Zilles, entre outros, em

comemoração aos setenta anos de Jayme Paviani,

grande nome da nossa cultura. EDUCS, 592 páginas,

www.ucs.br

Noitadas - é uma coletânea de crônicas de Jorge Maurício

Porto Klanovicz, publicadas no jornal Hora H de Ijuí. Tratam

de política, futebol, pessoas e outros temas de importância da

atualidade. Apresentação de Paulo Denisar Fraga, AGE Editora,

telefone 3061.9385

Foto Luciana Thomé

Foto: arquivo pessoal

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Eliza morreu?

Eu me pergunto se Eliza Samudio

morreu. Pode ser que não. Afinal não se

esconde tão facilmente um cadáver nos

dias de hoje. Até antigamente, quando não

havia maior conhecimento sobre o DNA,

era difícil, pois o corpo aparecia boiando

num rio, ou era farejado por um cão, ou

indicado por uma testemunha.

O caso concreto do caso Bruno – se

não lembram, eu ajudo: Bruno era aquele

goleiro do Flamengo, acusado de ter

assassinado cruelmente a namorada - é

que, até agora, ninguém achou o corpo de

Eliza. Morto. Talvez o encontrem – vivo,

quem sabe na Suíça, no interior da Itália ou

nos confins da Manchúria. Porque nada é

impossível. Uma teoria, por exemplo, seria

a de que Bruno, assediado pela amante

que conhecera durante uma orgia, e que

o pressionava a reconhecer a paternidade

de um filho nascido daquela noite, teria

combinado o seguinte: - “Olha, tu te manda

daqui, não me enche o saco e eu pago as

tuas despesas. Te envio uma mesada e

estamos combinados.” Eliza teria aceito o

negócio e tudo estaria arranjado. Só que

com um detalhe: Eliza resolveu não voltar.

Nem reaparecer, onde quer que fosse.

Surgem protagonistas do caso, o que

Muito antes das Redes Sociais e até do

Telégrafo sem fio, o mais eficiente meio de

comunicação sempre foi e será o das salas

de espera. É na sala de espera, do teatro,

dos cinemas, do dentista e principalmente

do SUS que reside a maior de todas as

ouvidorias. Com a vantagem que não tem

raker para se meter no assunto. Ouvese

maravilhas criativas, conjectura-se a

respeito, tira-se as respectivas conclusões

e c´est fini.

O menina tá com um furúnculo lá nela, eu

vim onte mas não tinha ficha, hoje eu vim de

novo mas bem que eu não queria, porque

me disseram que esse doutor é muito

passado... Ai a gente pensa. Passado com

quem? Com a menina ou com o furúnculo?

Ou será mais propriamente com a mãe da

menina? E esse termo, mais antigo do que

ouvir a conversa dos outros, passado, quer

dizer exatamente o quê? Que pobre do

médico que além sofrer o salário do SUS

Sala de espera

Por Paulo César B. do Amaral - Artista plástico, curador e escritor

enreda o melhor enredo: Macarrão, amigo

do peito de Bruno, aliás, amigo das costas,

pois nelas carrega para todo sempre

tatuada uma declaração amorosa dirigida

ao goleiro. Este Macarrão, provável

cúmplice do negócio, bem poderia

ser uma pizza; um sobrinho de Bruno,

que já apresentou umas cinco versões

desconexas sobre o crime, confundindo

as investigações que duram anos, e nas

quais se acharam aqui e ali apenas o

que seria o sangue de Eliza, o cabelo de

Eliza, e nada mais, coisas que poderiam

ser forjadas sem nenhuma dor. Mas por

quem?; e um criador de cães ferozes que

teriam devorado a vítima. Fantasioso, não

é mesmo? Mas, diante do que temos visto,

é uma teoria possível. Todas são quando

se trata de crimes.

Enquanto isso, o Flamengo demitiu o

goleiro sem justa causa, voltou atrás num

primeiro instante e poderá estar à mercê de

um processo milionário que, após vencido

pelos advogados de Bruno, renderá a este

uma indenização milionária, e o goleiro,

tornado herói de uma nação condoída

e arrependida de julgá-lo a priori por um

crime que não teria cometido, venderá o

próprio passe para um outro time, quem

Por Renato Pereira - Jornalista

ainda é obrigado a se passar com mãe do

furúnculo porque com a grana que faz ele

se virar em oito empregos não consegue

pegar mais nada que se aproveite? Ou não.

Simplesmente o passado é porque o Dr.

trabalha à moda CPI. Deixa estourar pra ver

no que é que dá. No caso, o furúnculo.

Claro que em salas de espera mais sutis,

como de cinema, por exemplo, os papos

rolam muito mais lights. Olha a pressão

velho! – Mas o filme é água com açúcar,

você mesmo escolheu, velha. Não é o filme,

Agenor, é o sal da pipoca. E outra tantas de

casal que vale a pena ouvir, principalmente

porque a sua companhia está olhando

outro assunto. Um horror o vestido dela! O

cavalheiro se fazendo de distraído ao lado

espiando para o ângulo oposto: Belíssimo

traseiro. Não sei como é que o cara sái com

uma mulher assim. Garanto que não é dele...

Agora teatro é diferente. Teatro é Teatro.

Todos espremidamente acotovelados antes

sabe da Europa, ou da Manchúria, onde

reencontrará Eliza e os dois passarão a

viver juntos para sempre. Por que não?

Vamos ver.

Toda esta introdução sobre um texto que

encontrei no meu baú de descartados é

aproveitada agora para rememorar os

fatos que acontecem no Brasil de cada dia,

amplamente difundidos pela imprensa, que

causam comoções intensas num primeiro

instante, indiferença duas semanas após,

e caem no esquecimento em menos de

um ano, dada a profusão de episódios

análogos por sua natureza ou semelhantes

por sua repercussão.

Vejam o “mensalão”, que agora começa

a ser relembrado, apenas pela retomada

do processo no STF, quase uma década

depois de sua descoberta, que causou

baixas pesadas no governo Lula. Resistirá

o “mensalão” às notícias sobre as quedas

dos ministérios de Palocci (pela segunda

vez em dois governos sucessivos) e de

Nascimento, um peixe muito maior talvez,

mas apenas, digamos assim, low profile?

Estes fatos terminam todos por aparentarem

ser apenas pontinhas de poderes icebergs,

sobretudo os da vida política brasileira de

imagem tão desgastada. C’est la vie qui

court, and the show goes on…

que abram-se as portas da platéia (essa

invenção vem dos romanos, quando eram

jogados aos leões. Se a peça for uma

reverenda droga, melhor sofrer sentado

do que no amassamento da espera que

abram as portas). Me juraram que o ator

principal é gay. Positivo. Notou como nem

tem pipoqueiro na frente do teatro? Pois a

mulher do pipoqueiro descobriu que eles

estavam tendo um caso e armou o maior

barraco Quando o papo alheio não nos

aguça a audição porque é mais, digamos,

politicamente inserido na classe politizada

que vai ao teatro: Me juraram que a Dilma

é homem. Também já me falaram. E que

ela., na verdade, é o Lula travesti. Pior. No

governo inteiro é tudo assim. De mulher

mesmo só tem a loiraça do Michel Temer...

Não tem Rede Social que possa, por mais

frequentada que seja, que nos forneça os

subsídios de uma sala de espera. A sala é ao

vivo, não tem fotografia falsa, e ninguém fala

abobrinha. Em sala de espera é só assunto

que interessa ao nosso sistema auditivo

e movimenta os neurônios em busca de

uma explicação sobre qualquer assunto

mesmo que não saibamos patavinas do

que se trata. Os papos mais elaborados,

não se sabe porque, são invariavelmente

na sala de espera dos dentistas. A doutora

é muito boa, já me arrancou o sizo duas

vezes, mais um molar e três incisivos. A

chapa da minha contra prima ela fez com

ela, ficou perfeita. Nem precisa guardar no

copo de noite. Dorme com ela e tudo. Só

que ela ronca e o marido fica tri feliz. Feliz

com o barulho? Isso. É que ele é espanhol

e pensa que o barulho da dentadura

batendo uma na outra é castanhola... A

elaboração do papo se deve ao temor que

todos nós temos do dentista (uma espécie

de porão do DOI-CODI pós ditadura). Daí

a importância da sala de espera cheia no

dentista. Além de aliviar a atenção, a gente

não ouve a tortura da broca do infeliz que

tá lá dentro.

CENTRO - INDEPENDÊNCIA - BOM FIM - RIO BRANCO - PETRÓPOLIS - MOINHOS DE VENTO - AUXILIADORA - CIDADE BAIXA -

MENINO DEUS - SANTA CECÍLIA - CAMINHO DO MEIO - ZONA NORTE - ZONA SUL E FLORESTA

Foto Tonico Alvares

Palácio Piratini - Prefeitura Municipal de Porto Alegre - Secretaria Estadual de Educação – Depto. Pedagógico - Assessoria de Projetos Especiais para 258 Escolas Estaduais – SMED – para 92 Escolas Municipais - Secretaria Municipal de Cultura - Centro Municipal de Cultura - SETUR - Secr. de Estado do Turismo - Usina

do Gasômetro - Teatro da Ospa - Teatro de Câmara - Museu da Comunicação Social - Teatro de Arena - Teatro Bruno Kiefer - Salão de Atos da UFRGS - Assembléia Legislativa - Solar dos Câmara - Theatro São Pedro - Casa de Cultura Mário Quintana - Teatro do SESC - Curso Mauá - Rede Hoteleira - Shopping Praia de

Belas - ARI - Ass. Riograndense de Imprensa - Sind.Comp.Musicais do Estado/RS - Academia Kyokushin - Sec. de Cultura do RS - Agências de Publicidade - IOF-Instituto Ortopedia e Fisioterapia - Museu Joaquim José Felizardo - Arte Café - Bazar Londres - Guarida Imóveis - Clínica Menino Deus - AGAPA (Associação

Gaúcha de Pintura Artística) - GBOEX Previdência Privada - Confiança Companhia de Seguros - Super Pizza - Espaço Dança e Memória - Instituto Estadual de Cinema (SEDAC) - Secretaria Estadual da Saúde – Cia. das Pizzas - Ótica Andradas - School - Casa dos Óculos - Tia Iara - Líber Livros - 5 à Sec - .com Cyber

Café - Gambrinus - Pronto Olhos - Anita Cell - Rede Drogadil - Cachorro do Rosário (Emancipação, Shopping Total e Mariante) – Churrascaria São Rafael - Barranco - Livraria Nova Roma - General Rock - Fisk - Bar do Beto - Laboratório Marques Pereira - Mauá - Biblioteca Pública do Estado - Haiti - Ótica Moinhos de Vento

- Wow! - DAER - Zil Vídeo - Livraria Vozes - Trianon - Café Arte & Cia - Homeograal - Assistir Escitório de Advocacia - Se Acaso Você Chegasse - Livraria Londres - Banca 43 - Livraria do Mercado e Banca Bang-Bang - Palavraria Livraria-Café - Panificação Copacabana - Bar e Café Pan Americano - Bar Chopp e Restaurante

Pacífico - Chopp & Companhia - Copão - Papillon - Sierra Maestra - Restaurante Natural Flor de Maçã - Planet Dog - Escola Arte Educação - Morano - Galeria Arte & Fato - Beiruth - Maomé - Matheus Confeitaria, Buffet e Café - Essência da Fruta – Academia Bio Ativa – Só Portáteis - Cyber Point - Bazar Londres - Print Cópias

– Paradouro Pet – Drogabel – FINASA – Porto Pastéis – Roberto Celular – COMUI: Conselho Municipal do Idoso – SIMPA: Sindicato dos Municipários de POA - Lyon Press - Ferragem Bom Fim – Ferragem Igor – Óptica Santo Antônio – Belver Óticas – Brubins Bistrô Cafeteria Congelados – Feito à Mão Café – Café Paris

– Centralfarma - Color House - Stratus Celular - Café dos Cataventos – Casa de Ferragens - Corebrás - Café do Porto – Café - Clínica Visão – Restaurante Solle Mio - Café Concerto Mário Quintana - Companhia do Cachorro do Rua da Praia Shopping - Garcias Churrascaria – Garcias Bar - Cachorro Gordo – Clindent –

Laboratório Crol – Móveis Masotti – Personalle – Todeschini - LilliPut - Jazz Café – El Viejo Panchos - Le Bistrot - Bistrô Torta de Sorvete - Café do Porto - Just Coffee - Z Café - Dublin Irish Pub - A Lenha Pizzaria – Amêndoa - Café Atelier do Pátio - Puppi Baggio – pastas & molhos - Usina de Massas - Barbarella Bakery - Tutto

Riso - Bistrô da Rua – Sexxxy Butik – Bella Morano – Sulina Grill - La PizzaMia - Churrascaria Laço Aberto - Churrascaria Schneider - Silva & Rossol Advogados Associados - SIJ – Serviço de Informação do Judiciário - Via di Trento - Villa Rústica - Café Correto - Miau da Cabral - Churrascaria Komka - Churrascaria Santo

Antônio – Lamb’s – Drogamaster – Tablado Andaluz: Curso de Dança e Restaurante – Copão - Parque Virtual - ABIC - Associação Brasileira de Intercâmbio Cultural - Consultório Dr. Nilton Alves – Piovesani – Radimagem – Jazz Café – Bar da Bel – Tortaria – LilliPut - Le Bistrot - Café Correto - RD-Assessoria Jurídica - Estocke

Off - Centro Médico Rubem Rodrigues - Bistrô Torta de Sorvete - Café do Porto - Ponto de Antiguidades - Just Coffee - Z Café - Dublin Irish Pub - A Lenha Pizzaria - Amêndoa - Café Atelier do Pátio - Puppi Baggio – pastas & molhos - Vinhos Giuliano - Usina de Massas - Barbarella Bakery - Tutto Riso - Bistrô da Rua - Vila

Madalena - Chopp Stübel – Casa Elétrica – Advogare – Assessoria Jurídica – Tec Líder - Mac Dinhos - Cachorro do Porto - Castanhas Express - Per Tutti Galeto - Sashiburi - Peppo Cucina - Bom Bocado - Churrascaria Laço Aberto - Baumbach Restaurante – Churrascaria Na Brasa - Miau da Cabral - Xis Moita - Opus - La

Chiviteria - Se Acaso Você Chegasse - AGEA - Assoc. Gaúcha de Economiários Aposentados - Cine House - Home Theater Automação Residencial - IOF - Telas Gaudi - Intit. de Ortopedia e Fisioterapia - Sapere Audi!Livros - Clínica Odontológica Dr. Nelson Monteiro - English Consultancy - Radicom - Clinica de Diagnóstico

Médico por Imagem - SAT Aeroporto Internacional Salgado Filho - SAT Mercado Público do Bom Fim - SAT Mercado Público - SAT Usina do Gasômetro - SAT Linha Turismo – Terminal Linha Turismo - SAT Praia de Belas Shoping - SAT Shopping Bourbon Country - SAT Moinhos Shopping – SAT Shopping Total – FAMURS:

Federação das Associações de Municípios do RS - Ritter Hotel - Porto Alegre Ritter Hotel – Novotel - Hotel Deville – Hotéis Continental - Everest Hotéis - Harbor Hotéis - Plaza São Rafael - Plaza Porto Alegre – Rede Versare - Hotel Sheraton Porto Alegre - Big Sisor

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

15


As novidades

da Serra Gaúcha

para o inverno

Turismo no Brasil é sinônimo de praia, calor e litoral, mas

no Sul com as quatro estações bem definidas, tem um

inverno muito diferente. Com estrutura para receber os

visitantes, a Serra Gaúcha atrai turista com suas inúmeras

atrações.

Em Gramado, a hotelaria investe no conforto e no requinte

para atrair hóspedes do Brasil inteiro. Recentemente, o

Hotel Alpestre, um dos mais tradicionais da cidade, passou

por uma ampliação. Agora, o empreendimento possui

6.500 metros quadrados de área e 101 apartamentos,

incluindo quatro acomodações para atender a demanda

por apartamentos de luxo. Com decoração em estilo

provençal, os apartamentos possuem banheira de

hidromassagem para duas pessoas, com travesseiros

anatômicos, acionador de jatos rotativos e mini jatos,

além de uma bela vista para o parque que cerca o hotel.

O Alpestre conta ainda com duas piscinas, quadra de

tênis, pista para caminhadas, play ground e transporte

gratuito para o centro de Gramado.

Em Canela, uma dica de lazer é o Alpen Park. Primeiro

empreendimento do Brasil a exibir filmes em quatro

dimensões, o parque possui sala de cinema equipada

com uma tecnologia inovadora. Além da visão em 3D

com óculos especiais, a projeção simula movimentos nas

poltronas, rajadas de vento e respingos d’água, fazendo

com que o público interaja diretamente com o filme. A pista

de trenó, primeira deste tipo no país, é outra atração do

Alpen Park, com uma descida de 950 metros repleta de

curvas. Para os amantes de aventura, o empreendimento

oferece uma variedade de esportes ao ar livre, como

rapel, escalada, bungee trampolin, arvorismo, tirolesa e

os passeios de quadriciclo pela mata nativa que envolve

o parque.

A gastronomia se destaca como outro atrativo da Serra

Gaúcha. Com uma culinária tipicamente colonial, a região

contempla opções para agradar a todos os paladares.

Uma das últimas novidades, recentemente inaugurada,

é o Irlandês, restaurante e pub de Gramado. E como não

poderia deixar de faltar, o famoso chocolate da Serra

Gaúcha é sempre uma boa pedida. Com a Chocolate Do

Parke, o turista encontrará uma linha de produtos com

diversas opções do tradicional chocolate da região.

Por Thamara de Costa Pereira - Jornalista

Em 2011, a Assembleia fortalece a vocação de discutir os temas que são fundamentais para os gaúchos. Por meio

das comissões, do Fórum Democrático e dos deputados, o Parlamento vai valorizar a democracia e a participação

de todos na construção de um Estado com desenvolvimento sustentável e inclusão social.

www.al.rs.gov.br • www.twitter.com/assembleiars

Fotos Ernani Marques

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA: O ESPAÇO DOS GRANDES DEBATES DO RIO GRANDE.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

More magazines by this user
Similar magazines