O mérito no feminino - Sonangol Limited - Oil Trading Services

sonangol.co.uk

O mérito no feminino - Sonangol Limited - Oil Trading Services

SOnangOl ReFORça

PReSTÍgiO eM áFRiCa

www.sonangol.co.ao

Notícias

Mensário de informação corporativa • Nº 12 • Março 2008 Director: João Rosa Santos • Distribuição interna e gratuita

Conquistar um lugar de destaque em África e no mundo faz parte da visão da Sonangol.

A sua recente participação na Exposição de Oil & Gas, realizada em Abuja,

na Nigéria, reafirmou o prestígio e a notoriedade da petrolífera estatal angolana.

O nosso petróleo, de facto, vai mesmo muito longe. Página 2

adMiniSTRadORa anaBela FOnSeCa

O mérito no feminino

Por ocasião do dia 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, a Eng.ª

Anabela Fonseca, Administradora da Sonangol E.P., acedeu ao convite

do nosso Jornal e falou da mulher que é, da empresa onde trabalha, da

família a que pertence. Uma entrevista doseada de objectividade e de

realismo, que vale imenso a pena ler. Página 7

FESTEJAMOS MAIS

UM ANIVERSÁRIO!

A Sonangol, 32 anos depois, continua a fazer história. A cada ano que passa cresce

e desenvolve-se, apresentando resultados robustos que espelham bem a verdadeira

dimensão da sua grandiosidade e que dão motivos aos angolanos para sorrirem de

orgulho e de satisfação. Página 8 e 9

COnTRiBUiR PaRa O BeM COMUM

da POPUlaçãO dO andUlO

Na Sonangol, a Responsabilidade Social é um princípio ético e humano fundamental que

visa a busca permanente do bem comum e do desenvolvimento sustentável. A população

do município do Andulo, na província do Bié, comprovou esta verdade. Os equipamentos

informáticos ofertados, certamente, darão nova vida à região. Página 4


2

SONANGOLnotícias

Nota de Abertura

Estamos em Março. Como devem perceber, por razões

e motivações plena e antecipadamente justificadas,

este número é especialmente dedicado a todas

as mulheres da Sonangol, de Angola, de África e do

mundo.

Rezam as páginas mais honradas da história que Março

é um mês feminino. A cada dia oito uma merecida

homenagem à mulher acontece.

Nesta edição apresentamos, por isso, uma extensa

e interessante entrevista com a Eng.ª Anabela Brito

Fonseca, a única mulher que integra o Conselho de

Administração da Sonangol E.P..

Anabela Fonseca abriu o livro e, com propriedade,

falou do seu dia-a-dia, da afirmação da mulher, do

crescimento da empresa, da importância da família,

motivos pelos quais esta é uma convidativa e agradável

entrevista que vale a pena ler.

Ainda nesta edição destacamos a realização de um

conjunto de actividades em saudação ao trigésimo

segundo aniversário da Sonangol, E.P., assinalado a

25 de Fevereiro último, bem como outras realizações

de grande impacto para a nossa organização.

A internacionalização da Sonangol merece igualmente

atenção neste número, pelo que convidamos o leitor

a fazer uma breve incursão pela participação da Sonangol

na Nigéria Oil & Gas.

O objectivo deste colectivo redactorial é garantir sempre

a melhor qualidade editorial. Desta forma, outros

temas não menos importantes constam igualmente

da ementa, a qual, acreditamos, estará à altura de

contribuir para a satisfação de todos.

Por isso, sem mais delongas, e com a esperança de

um retorno breve e efectivo, tanto necessário quanto

desejado, para a melhoria do nosso Jornal, terminamos

desejando felicidades e votos de bom trabalho e longa

vida a todas as mulheres da Sonangol, de Angola e de

todo o mundo.

Até breve!

aCOnTeCeU

A Sonangol esteve presente na Conferência ‘Nigéria Oil &

Gas 2008’, realizada em Abuja e inaugurada pelo Presidente

da República, Umaru Yar’Adua. Nos dias em que decorreu

a Conferência, realizou-se também uma Exposição, na

qual as empresas presentes puderam apresentar os seus

produtos e serviços.

Detentora de um espaço em que espelhou de forma clara,

concisa e actuante a força corporativa do Grupo, a So-

Realizou-se recentemente uma Assembleia de trabalhadores

da SH no edifício sede da Sonangol com o objectivo

de balancear as actividades do ano findo e de perspectivar

o presente exercício económico.

O encontro, presidido pelo Presidente do Conselho de

Gerência, António Sabalo, foi considerado positivo. Na

oportunidade, o Presidente exortou os trabalhadores

daquela subsidiária a cumprirem rigorosamente o seu

papel profissional e a reforçarem continuamente as suas

eMPOSSadO

COnSelHO

FiSCal DA

SONANGOL,E.P.

O Conselho Fiscal da Sociedade Nacional

de Combustíveis de Angola

(Sonangol), constituído por Manuel

Neto da Costa, Américo Miguel da

Costa e Eleutério Veríssimo Mavela,

Presidente e Vogais respectivamente,

tomou posse em Luanda, numa cerimónia

testemunhada pelos Ministros

dos Petróleos, Desidério Costa, e das

Finanças, José Pedro de Morais. Na

ocasião, o titular da pasta dos Pe-

SOnangOl enalTeCe INDÚSTRIA

PETROLÍFERA ANGOLANA NA NIGÉRIA

tróleos felicitou a equipa empossada

e exortou os novos responsáveis

a trabalharem com dedicação para o

desenvolvimento do país.

nangol fez-se representar nesta Exposição com um stand

prático e eficaz, no qual se evidenciavam todas as áreas

de negócio do Grupo. Visto por um número significativo

dos 500 conferencistas que visitaram o local, o stand da

Sonangol suscitou algumas questões por parte dos que o

observaram atentamente. A equipa da Sonangol presente

no local foi questionada variadíssimas vezes sobre a sua

presença neste evento, sobretudo por se tratar da primeira

vez que o fez. Os visitantes quiseram saber se esta presença

significa, por exemplo, a entrada da Sonangol no mercado

petrolífero nigeriano através da exposição e promoção do

seu branding e dos seus produtos.

No cômputo geral, a participação da Sonangol correu

muitíssimo bem, tendo sido marcada pela promoção e

divulgação da sua estrutura orgânica, da produção diária

e dos desafios futuros do Grupo ( feita em língua inglesa),

o que constituiu uma mais-valia para o reconhecimento

externo do crescimento contínuo da Sonangol tanto a nível

regional como a nível internacional.

aSSeMBleia de TRaBalHadOReS NA HOLDING’S

competências pessoais.Aquele responsável sublinhou

ainda que a integração, a partilha e a dedicação ao trabalho,

em linhas gerais, devem ser os valores da empresa,

para a criação de um clima de desenvolvimento positivo

e motivador no seio da organização.

Instado a pronunciar-se sobre os factos significativos

do ano findo, o Presidente do Conselho de Gerência da

SH, enfatizou a passagem da Sonangol SGPS a Sonangol

Holding’s LDA e a constituição de várias empresas, com

particular destaque para a Biocom, a Servite e o Centro

de Convenções de Talatona.

Para a Sonangol Holding’s o presente ano é de grandes

desafios no universo empresarial do Grupo, sublinhou

António Francisco Sabalo, que recomendou empenhamento

geral no exercício de uma gestão rigorosa e séria e o

comprometimento de todos nos objectivos definidos.

Gestores e técnicos daquela subsidiária discutiram os

vários aspectos considerados na agenda de trabalhos,

designadamente o conjunto de acções que visa medir o

desempenho da empresa.

CRIADA

SOnangOl

SHiPPing

angOla

Com o objectivo de transportar petróleo

bruto e derivados por via marítima,

gerir navios petroleiros e de cabotagem

próprios ou de terceiros, foi criada recentemente

a empresa de navegação

Sonangol Shipping Angola (Luanda,

Limitada) abreviadamente designada

por Sonangol Shipping, Limitada. Dos

seus órgãos sociais constam a Assembleia-Geral,

o Conselho de Gerência e

o Conselho Fiscal.

Ficha técnica

Propriedade Sonangol E.P. Sede Rua 1º Congresso do MPLA, Nº 8 a 13 • Caixa Postal 1316 • Luanda • Tel: 22 66 32100/103 • Fax: 222 392877 • www.sonangol.co.ao conselho de administração

Presidente Manuel Vicente Administradores Syanga Abílio, Anabela Fonseca, Fernando Roberto, Mateus de Brito Edição Gabinete de Comunicação e Imagem (hld.gci@sonangol.co.ao) Director João

Rosa Santos Conselho Editorial José Mota, Cristina Novaes, Beatriz Silva, José Oliveira, Miguel Mendonça, Sónia Santos, Carlos Guerreiro, Lúcia Anapaz, F. Vieira Dias Conselho Redactorial Raimundo

Vilares, Paula Almeida, Roberto Graça, Marta Sousa e Lúcio Santos Secretariado Teresa Nestor, Ana Victor e Helena Tavares Distribuição Carvalho Neto, Diogo Lino e Mateus Tavares Fotografia José

Quarenta, Quintiliano dos Santos, Joy Artur, Carlos Gonçalves Design gráfico, apoio editorial e produção Editando - Edição e Comunicação, Lda. impressão Litotipo tiragem 5000 Exemplares


ReCURSOS HUManOS

COM NOVA ESTRUTURA ORGÂNICA

A Direcção de Recursos Humanos da Sonangol E.P.

conta com uma nova estrutura orgânica. De acordo

com um despacho assinado pelo PCA, Eng. Manuel

Vicente, o objectivo desta alteração é o de dotar

o Grupo Sonangol de capacidade de gestão sob a

prestação coordenada e integrada dos serviços de

Recursos Humanos. Reza igualmente o despacho que,

Ana Edith Mateus da Costa Gaspar

Martins foi nomeada Directora da

Direcção de Auditoria e Normalização,

em substituição de Carlos

Alberto Milagre Domingos Pitra.

O PCA do Grupo nomeou ainda

Câmia Marísia da Silva Fernandes

Magalhães para Chefe de Departamento

de Gestão e Controlo; Rosa

Maria Delgado Braz Martins para

Chefe de Departamento de Serviços

de Suporte; e Celso Saturnino

Sousa e Oliveira para Chefe de

Departamento de Operações e Manutenção. Todos

estes Colegas pertencem à Direcção de Manutenção

e Infra-estruturas da Sonangol E.P..

Na Sonangol Distribuidora, Fernandes Fontoura foi

nomeado e empossado no cargo de Director da Direcção

de Transportes de Luanda, em substituição de

Fernando Graça, que recentemente passou à reforma.

Foram igualmente empossados os Delegados de Vendas

do Zaire, Uíge e Kuanza Norte, respectivamente

Elias Cardoso Camilo, Victor Manuel Rodrigues Coelho

e António Juscelino de Oliveira.

Na Sonangol Logística, Joel Lukinzu foi empossado

ao abrigo da nova Norma de Organização, deverão

os órgãos de gestão e de administração das empresas

subsidiárias proceder, com apoio da Direcção

de Auditoria e Normalização (DAN), à adequação

das respectivas estruturas de Recursos Humanos,

estando a sua implementação dependente de ratificação

por parte do Conselho de Administração da

Sonangol E.P.. Assim, em função desta nova orgânica,

foram nomeados Aldino Remi Sachambula, Chefe do

Departamento de Políticas e Planeamento; Aurora

Rodrigues Cardoso, Chefe do Departamento de Desenvolvimento

e Carreiras; Teresa Gomes Fernandes,

Chefe do Departamento de Administração de Pessoal;

David Isaac Maria, Chefe do Departamento de Formação

Profissional; e Maria Luísa de Jesus Gameiro,

Chefe do Gabinete de Apoio Técnico. De recordar que

João da Reconciliação André é o Director de Recursos

Humanos da Sonangol E.P..

COnSelHO de adMiniSTRaçãO

CRIA NOVOS GRUPOS DE TRABALHO

Despachos recentes rubricados pelo Presidente do

Conselho de Administração da Sonangol E.P. dão

conta da criação de dois Grupos de Trabalho, com

missões específicas de carácter operacional e estratégico.

O primeiro grupo tem a missão de implementar

o Projecto de Stockagem de asfalto na região

do Soyo e na província do Namibe. Patrocinado pelo

Administrador Fernando Roberto e coordenado por

Nelson Rodrigues Pacheco, este grupo é composto

pelos seguintes membros: Juan Gonzalez (Consultor

Técnico), José Teixeira de Oliveira, José da Costa

Bordo, Marcelino Mónica André, Pedro Xavier e Rui

Benjamim.

O segundo grupo, com a missão de definir a estratégia

do negócio de refinação, é coordenado

por Rodolfo Aguiar e dele fazem igualmente parte

Almeida Nicolau, Carla Tavares, Celestino Cardoso,

Eduardo Sofrimento, Nelson Santana, Gil Ferreira,

Vicente Inácio e Xavier Queta.

Para analisar os parâmetros de gestão integrada

de Risco Empresarial no Grupo Sonangol, tendo em

vista a necessidade de se implementar um sistema

tecnológico de segurança, foi criado um outro Grupo

de Trabalho que reportará ao Presidente do Conselho

de Administração da Sonangol, E.P., e que é coordenado

por António Victor Santos e constituído por

Álvaro da Cunha Cândido dos Santos (DTI), Carlos

Alberto Milagre Pitra (DAN), João Rosa Paulo dos

Santos (GCI), João Matias (DGR), João da Reconciliação

André (DRH) e Vicente Sebastião Inácio (QSSA).

Os titulares do CCC, DEX e DPRO poderão colaborar

com o Grupo quando e sempre que necessário.

MOViMenTaçÕeS NA ORGANIZAÇÃO

no cargo de Assessor do Conselho

de Gerência, em cerimónia assistida

por responsáveis do negócio

e convidados.

Na ESSA, Renato Paulo do Nascimento

Amaro foi nomeado Chefe

de Departamento de Vendas da

Direcção Comercial e Felicidade

Gisela Miguel é a nova Chefe de

Departamento de Assistência ao

Cliente da mesma Direcção. Na Direcção

de Formação, Gil Migtjens

de Oliveira passa a exercer o cargo

de Chefe de Departamento de Formação em Segurança,

Industriais e Técnicos, e Felisberta Chitaqut

Ucuhamba é a nova Chefe de Departamento de Formação

para Cursos Administrativos. Na Direcção de

Contabilidade e Finanças, Bernardino Simão Francisco

é o novo Chefe de Departamento de Finanças e Dana

Marquesova Pereirova a Chefe de Departamento de

Contabilidade.

Na Sonagás foram nomeados e empossados Divaldo

Kienda Feijó Palhares como Chefe de Departamento

de Contabilidade e Faustino Viegas Sousa Salvador

como Chefe de Departamento de Finanças.

PCg da lOgÍSTiCa

VISITA CABINDA

aCOnTeCeU

Uma Delegação da Sonangol Logística, chefiada pela Presidente do

Conselho de Gerência, Filomena Rosa, e composta pelo Gerente Operacional,

Manuel Borges Sobrinho, e por outros responsáveis da empresa,

realizou recentemente uma visita de trabalho ao TOC - Terminal

Oceânico de Cabinda. Durante esta visita, a Delegação inteirou-se do

funcionamento do Terminal bem como do andamento das obras que

visam o aumento da sua capacidade de armazenagem. Houve ainda

tempo para reunir com os trabalhadores e para lhes transmitir orientações

concretas sobre as melhoria das condições sociais e laborais

em curso na empresa.

SegURança eMPReSaRial

DEFINE ESTRATÉGIAS

A Direcção de Segurança Empresarial da Sonangol E.P., sob orientação

do seu Director, Victor Santos, reuniu recentemente, na cidade do

Lubango, para fazer o balanço das suas actividades e para definir as

estratégias para 2008. Entre os vários desafios que estão em cima da

mesa destaca-se o aproveitamento das sinergias existentes, designadamente

com o QSSA para a integração de factores comuns da Política

de Segurança Corporativa e com a DAN para a elaboração de Normas e

de Procedimentos comuns. Apostar na valorização dos seus quadros é

também um objectivo a prosseguir no ano em curso.

As sessões de abertura e de encerramento desta magna reunião foram

presididas pelo Director Territorial Sul, Alexandre da Natividade.

3

SONANGOLnotícias


4

SONANGOLnotícias

aCOnTeCeU

MUNICÍPIO DO ANDULO

ReCeBe aPOiO da SOnangOl

RaiMuNDo VilaReS

A Sonangol, no quadro da sua Política

de Responsabilidade Social, instituiu um

projecto corporativo nacional denominado

PROMOCOM, gerido pela Direcção de

Tecnologias de Informação (DTI), que visa

dotar as camadas estudantis, professores

e outras pessoas que queiram aprender,

de todas as províncias do país, de conhecimentos

sobre sistemas de informação.

Para o efeito, uma Delegação chefiada

por Manuel Livongue, quadro sénior da

companhia, e que integrou técnicos da

DTI, entre os quais Oswaldo Conceição,

responsável do projecto para a parte

Centro-Sul, esteve recentemente no município

do Andulo, província do Bié, para

fazer a entrega de 10 computadores, que

ficaram instalados numa sala do Instituto

Médio de Educação (INE).

Numa cerimónia simples, que decorreu

na sala onde foram instalados os aparelhos,

a Administradora local, Maria Lúcia

Chicapa, considerou o gesto “uma grande

caminhada “ que se iniciou rumo ao desenvolvimento

e regozijou-se por o Andulo

ser o primeiro município da província a ser

contemplado com computadores, tendo

Maria Lúcia Chicapa

fez ainda notar que “não

há problemas com os

combustíveis e graças

ao concessionário os

postos nunca ficaram

sem os produtos necessários

para abastecer as

populações que servem."

anda caracterizado o acto como “muito

valioso”.

Por seu turno, Oswaldo Conceição referiu

que o projecto tem em carteira a formação

de um elemento nas instalações da DTI,

para que este possa transmitir os conhecimentos

adquiridos aos demais usuários

do equipamento agora doado.

Manuel Livongue fez a entrega dos computadores.

Durante a permanência de dois dias no

Andulo, a Delegação da Sonangol cumpriu

um programa de visitas elaborado pela

Administração Municipal, que compreendeu

deslocações à Missão Evangélica do

Chilesso, à Missão Católica do Chicumbe,

ambas a 20 km da sede, ao Centro Materno

Infantil, ao Hospital Municipal, à

Sala de Convenções, com capacidade para

500 pessoas, ao Instituto Médio Agrário,

inaugurado no dia 4 de Fevereiro pelo

Primeiro Ministro Fernando da Piedade

Dias dos Santos “Nandó“.

Na Missão Evangélica do Chilesso, a Delegação,

sempre acompanhada da Administradora,

viu e apreciou as águas termais

daquela localidade provenientes do subsolo

e, segundo informações colhidas no

momento, de origem vulcânica.

O Instituto Médio Agrário, um centro de

ensino com todas as condições criadas

para uma aprendizagem eficiente, tem

capacidade instalada para 1200 alunos,

embora neste primeiro ano seja apenas

frequentado por 300 no curso básico de

mecanização. Estão aqui alojados como

internos 105 alunos, apesar da capacidade

do internato ser de 260.

O Instituto conta com os serviços de uma

empresa para as áreas de manutenção, de

lavandaria, limpeza e catering. Tem dois

geradores de 36 kV cada um, que funcionam

24 horas por dia. Para o líquido vital,

a água, a instituição tem um tanque com

capacidade de armazenagem de 80 mil

litros.

O DESPOntaR DO anDULO

O Andulo é um dos nove municípios que

constituem a província do Bié. Fica a 610

km de Luanda, a 245 do Huambo e a 315

de Malange.

A actividade principal da população local

é a agricultura e, de acordo com Maria Lúcia

Chicapa, já na Administração Colonial,

nos anos 60, foi no Andulo que se lançou

a extensão rural, depois de uma pesquisa

das terras que dão para todo o tipo de

cultivo.

Maria Lúcia sublinhou, contudo, que o desenvolvimento

da agricultura local ainda

não se encontra no ritmo que deseja,

devido às dificuldades de mecanização,

mas que o Ministério da Agricultura, em

conjunto com a Direcção Provincial, está

a incrementar um programa de tracção

animal, que irá contribuir para fomentar

o cultivo das terras disponíveis.

Em termos de energia, a sede do município

tem dois geradores e nas três comunas que

constituem o Andulo existem três geradores

que funcionam das 18 horas à meia

noite nos dias normais e das 18 horas às 6

horas aos fim de semana.

Em termos de combustíveis, a Administradora

Municipal disse que o Andulo foi

o primeiro município da província do Bié

que beneficiou de postos de abastecimento

da Sonangol, os quais têm servido para

abastecer as populações. Na Calussinga,

uma comuna do município, também existe

um posto de abastecimento.

Maria Lúcia Chicapa fez ainda notar que

não há problemas com os combustíveis e

graças ao concessionário os postos nunca

ficaram sem os produtos necessários para

abastecer as populações que servem.

O Andulo tem uma população estimada de

310 mil habitantes e uma camada estudantil

que ronda os 81 mil alunos.


A Voz do Trabalhador

BaRÓMeTRO

POR OcaSiãO DO 8 DE MaRçO, Dia intERnaciOnaL Da MULhER, O JORnaL

SOnanGOL nOtíciaS anDOU PELa EMPRESa E REcOLhEU aLGUMaS OPiniõES

DaS MULhERES qUE aqUi tRaBaLhaM, DESiGnaDaMEntE SOBRE cOMO VêEM

O POSiciOnaMEntO Da MULhER na nOSSa EMPRESa. LEiaM E FiqUEM a cOnhEcER

taMBéM.

MaRia Da GRaça F.B. Pina

Assistente de Recursos Humanos

19 anos de empresa

O posicionamento da mulher na empresa é hoje significativo.

Nos primeiros anos da empresa verificou-se que as mulheres

ainda não tinham lugares de destaque, limitavam-se a ocupar

lugares subalternos ou administrativos. A mulher no geral,

ao longo de vários anos, foi submissa às normas imperativas do homem, até que

decidiu lutar pelos seus direitos nas Sociedades. E foi por esta luta ter tido um forte

impacto que as Nações Unidas decretaram o 8 de Março como Dia Internacional da

Mulher. Contudo, mesmo existindo esta data na sociedade em que vivemos ainda

existe muita discriminação, principalmente nos países subdesenvolvidos e em vias

de desenvolvimento.

tERESa DE LOURDES DE aLMEiDa

Assistente de Recursos Humanos

23 anos de empresa

A evolução do posicionamento da mulher na nossa empresa

tem sido notória, pois com bastante esforço tem conseguido

conquistar lugares de destaque. Activas e assumidas, as mulheres

da Sonangol desempenham o seu papel nos diferentes

ramos e actividades com responsabilidade, contribuindo para o desenvolvimento

da empresa e primando pela boa imagem e conduta social.

Neste Março Mulher deixo aqui um pequeno desafio a todas as mulheres angolanas

e do mundo: “Trabalhem com mais profissionalismo, maior dedicação, espírito

encorajador e de vitória. E lembrem-se sempre que, apesar dos desafios e dos sacrifícios,

o importante é nunca desistir, porque só assim conseguiremos alcançar

os nossos objectivos”.

antónia VaRELa

Chefe de Sessão de Formação – Sonair

27 anos de empresa

Sou da opinião que o posicionamento da mulher na nossa

empresa tem um certo equilíbrio se tivermos em consideração

o número, embora tímido, de mulheres que desempenham

altos cargos na Administração da Sonangol. O mesmo se

verifica na esfera social e política de Angola e em África.

Posso dizer que ser Mulher, trabalhadora, mãe e esposa, só é possível porque

somos MULHERES. De outra forma não seria possível este quadrinómio, porque

de contrário a equação seria: ‘Filho, Homem,Trabalhador, Pai, Esposo’. E será que

aguentariam?

Neste Março Mulher desejo a todas as mulheres da Sonangol um maior engajamento

e maior determinação no alcance dos seus objectivos pessoais e profissionais.

SaNToS BRaSileiRo

PROdUZ MilagRe

PeTROlÍFeRO

afoNSo chipepe

Verso & Reverso

No início do mês de Novembro de

2007 ative-me a uma notícia que

correu mundo fora. Era a euforia no

Brasil, só que desta vez não era o futebol

mas sim o petróleo descoberto no

fundo da Baía de Santos (por sinal terra

natal do Rei Pelé do futebol de todos os

tempos; ai! mas que coincidência).

Daí, pus-me a consultar os títulos das

páginas dos maiores jornais brasileiros,

que a seguir menciono. Jornal do

Brasil: “O mega campo Tupi guarda

entre cinco e oito milhões de barris, o

suficiente para colocar o Brasil entre

os maiores exportadores do mundo”.

Folha de S. Paulo: “A descoberta revela

enorme campo de petróleo e gás

debaixo de espessa camada de sal, ao

longo da costa num território que vai

do Estado do Espírito Santo até ao de

Santa Catarina”. Zero hora: “O Brasil

salta do 24º lugar para o oitavo entre

os maiores produtores no Mundo” e “A

Petrobrás dispara na Bolsa de Valores,

com alta de 14%”. O Dia: “É mega descoberta

estratégica: a maior reserva de

petróleo e gás na história do Brasil e

tem o potencial de produção avaliado

em 48 mil milhões de dólares”. Gazeta

Mercantil: “A revelação do mega poço

de petróleo acontece quando o preço

do álcool hidratado subiu 8% no último

mês e quando se prevê que o gás natural

fique 25% mais caro nos próximos

dois anos”. Folha da Região: “A falta

de preço do Etanol produziu imediato

aumento do preço dos combustíveis”.

No entanto, é bom que se previna o

leitor contra certos exageros, pois nem

sempre os grandes anúncios de descoberta

de reservas são confirmados

posteriormente. Recordo, por exemplo,

que em 1974 foi anunciada a descoberta

de 800 milhões de barris no campo

de Garoupa, no Rio de Janeiro, só que

na realidade veio apenas a verifica-se

um quarto do valor anunciado inicialmente.

O anúncio da descoberta de reservas

gigantes no meio da crise do gás está

a ser visto como uma estratégia. Já se

sabia que as reservas brasileiras de petróleo

são de 14,4 milhões de barris. A

descoberta anunciada eleva o potencial

em mais de 50% do até aqui disponível,

mas a exploração demora seis ou sete

anos até produzir resultados.

A ver vamos. Santos não fazem só

milagres de samba e de futebol, mas

também de ouro negro, de que tanto

necessitam os nossos irmãos brasileiros.

5

SONANGOLnotícias


6

SONANGOLnotícias

aCOnTeCeU

Festejar a Mulher Angolana

dia

inTeRnaCiOnal

da MUlHeR

ASSINALADO

NA SONANGOL

As mulheres da Sonangol foram agraciadas no passado

dia 7 de Março com um programa de actividades

especial e a elas inteiramente dedicado. O evento

ocorreu por ocasião do dia 8 de Março, dia internacionalmente

consagrado à Mulher.

Esta iniciativa, apadrinhada pelo Conselho de Administração

da Sonangol E.P., teve lugar em todas

as instalações e edifícios funcionais da Sonangol e

constou de cerimónias de felicitações, entrega de

flores e de presentes às mulheres da Sonangol.

Na Mensagem do Conselho de Administração é destacada

a importância e o papel preponderante da

mulher em toda a estratégia de desenvolvimento

e consolidação da empresa estatal de petróleo de

Angola.

Mais do que as palavras, as imagens que vos deixamos

falam por si e atestam a grandeza, o significado

e o lugar de destaque da mulher na Sonangol.


anabela Brito fonseca, administradora da Sonangol e.p.

a MUlHeR TeM SaBidO eSTaR à alTURa

DaS SuaS ReSpoNSaBiliDaDeS

Anabela Brito Fonseca é uma

mulher da linha da frente.

Integra o Conselho de Administração

da mais prestigiada

empresa angolana, a Sonangol.

Entre os seus actuais cinco

membros é a única mulher.

Este aparente “desequilíbrio”

pouco ou quase nada lhe diz.

Antes pelo contrário. É motivo de

maior engajamento, de empenho

e de dedicação contínua em nome

da afirmação feminina. De resto,

tem plena consciência do facto.

A mulher de hoje não é a mesma

de ontem. Pelo menos na

Sonangol esta é a verdade.

Afinal, como faz questão de

sublinhar, independentemente

do lugar que cada uma ocupa,

a Mulher tem sabido estar à altura

das suas responsabilidades.

João RoSa SaNToS

Eng.ª, os nossos sinceros agradecimentos por ter acedido

ao nosso convite. a classe feminina na Sonangol

está de parabéns. a sua presença no conselho de administração

da Sonangol E.P. é motivo que orgulha a

Mulher angolana. como se sente ocupando tão prestigiante

cargo?

Como referiu na sua pergunta é um motivo de muito orgulho

ter sido escolhida para um cargo de tão elevada

responsabilidade. É sem dúvida uma responsabilidade

muito grande, porque existe sempre a preocupação de

não decepcionar, quer os que apostaram e confiaram

em mim quer aqueles que no dia-a-dia esperam de mim

sempre a realização de um bom trabalho.

acreditamos, pela dimensão da nossa empresa, que

tem uma agenda de trabalho muito preenchida. como

consegue conciliar os afazeres profissionais com as

suas responsabilidades domésticas e familiares?

Por vezes é muito difícil conciliar todas as responsabilidades.

Infelizmente, como o dia só tem 24 horas alguma

coisa tem que ser adiada. A prioridade é dada quase sempre

aos afazeres profissionais. A resolução das questões

familiares é deixada com frequência para segundo plano

ou adiada para alturas com menos pressão. Mas há

sempre formas de ultrapassar os contratempos normais.

Tenho recebido todo o apoio familiar possível, o que

ajuda bastante nas muitas tarefas quotidianas que tenho

para desempenhar. Quando necessário essas tarefas são

repartidas, o que sem dúvida ajuda no estabelecimento

das nossas agendas.

Eng.ª, que áreas de trabalho estão sob a sua supervisão

directa e qual a estratégia seguida para garantir o

cumprimento integral das mais diferentes missões?

Tenho sob a minha supervisão as Direcções de Operações

de Comercialização (DOC) e de Serviços Sociais (DSS),

Direcção esta que absorveu algumas funções da DSM e a

área social da DRH. Sou igualmente responsável pelas Unidades

de Trading Sonangol Ltd, Sonangol USA e SONASIA,

a ESSA, a Refinaria de Luanda e o Projecto SONAREF.

Existe um canal permanentemente aberto nos dois sentidos,

para que, sempre que haja necessidade, se marquem

encontros com os colaboradores para analisar e debater os

vários temas que estas unidades abordam. Há bastante

flexibilidade na marcação desses encontros, que por

vezes sofrem alterações em função de outras tarefas.

Sou também Presidente não Executiva dos Conselhos

de Administração da Petromar e da Angoflex (duas

participadas).

as mulheres na Sonangol ocupam cada vez mais

cargos de responsabilidade. quer comentar?

Tem, de facto, aumentado significativamente

o número de mulheres em cargos de responsabilidade.

Mas é importante referir

que as dificuldades que as mulheres

enfrentam são sempre a dobrar

quando comparadas com as dos

homens. Já foram alcançados

muitos progressos mas, ainda

assim, em alguns

aspectos, existem

diferenças muito

grandes. Na So-

enTReViSTa

nangol felizmente já se notam alguns avanços mas ainda

precisamos de fazer muita coisa para alcançarmos o ideal.

Gostaria, no entanto, de realçar que sou apologista de

que todos os nossos direitos devem ser adquiridos por

mérito e não simplesmente porque somos mulheres ou

porque a lei assim o determina.

E os homens na Sonangol, como os caracteriza? Será

que aceitam o género com naturalidade?

Não é possível separar os homens da Sonangol dos homens

de outras empresas e da sociedade em geral. Eles

são homens, ponto final. São como todos os outros homens.

Tal como as mulheres, são seres humanos e têm

virtudes e defeitos. Pergunta-me se aceitam as mulheres

com naturalidade? Eles têm que aceitar, penso que não

têm outra alternativa.

a Sonangol encontra-se em franca ascensão. Os resultados,

a cada ano que passa, conhecem melhorias

significativas. Onde reside, em sua opinião, o segredo

para o alcance de resultados tão animadores?

A Sonangol tem vindo a apostar com bastante ênfase na

formação contínua dos seus trabalhadores e também na

formação de jovens, aumentando desta forma o nível

profissional e académico dos seus quadros. Este é, na

minha opinião, um dos segredos e se calhar o que mais

contribui para os resultados animadores que a Sonangol

tem vindo a alcançar.

Estamos no início de um novo ano. O que tem em perspectiva

para 2008?

Imprimir toda a celeridade ao projecto Sonaref, por forma

a que ainda este ano se iniciem as obras de construção

da refinaria do Lobito. Iniciar a implementação das recomendações

do estudo de vulnerabilidade que foi feito

à refinaria de Luanda, durante o processo de transição

para a Sonangol. Essa iniciativa vai permitir converter a

refinaria num centro de resultados, concluir a organização

da DSS e efectivar a mudança para as novas instalações,

o que vai permitir a prestação de melhores serviços aos

nossos trabalhadores. Prosseguir com todas as acções

programadas para a área de trading.

qual a sua opinião sobre o nosso Jornal e outras publicações

da nossa empresa, nomeadamente a Sonangol

Magazine e a Sonangol Universo?

Todas essas publicações têm vindo a melhorar bastante, quer

ao nível do conteúdo quer ao nível gráfico e da imagem.

quer deixar alguma mensagem especial aos nossos

leitores?

Quero, e até agradeço a oportunidade, pois não estamos

a ser capazes de passar para as novas gerações valores

e princípios que sempre caracterizaram os angolanos.

Gostaria de sugerir que em todas as publicações da nossa

empresa fosse dado grande ênfase às questões educativas.

Que os aspectos educativos do homem como ser humano

na sociedade pudessem ocupar um espaço de referência

nas nossas publicações. E recordar com frequência que os

angolanos sempre foram tolerantes e muito solidários,

que sempre exerceram a caridade, que sempre tiveram

um espírito de entre-ajuda muito acentuado. Temos que

evitar a todo o custo ficarmos frios e desumanos. E o

Jornal é o instrumento ideal para isso.

7

SONANGOLnotícias


eM FOCO

o

32aniVeRSáRiO

da SOnangOl

UMA CAMINHADA QUE ORgUlHa UMa naçãO


A Sociedade Nacional de

Combustíveis de Angola

(Sonangol) assinalou no dia

25 de Fevereiro último o 32º

aniversário da sua existência.

Uma data memorável,

este ano comemorada sob

o signo da preservação

ambiental, uma caminhada

ascendente de produção e

transformação que orgulha

toda uma nação.

João Rosa Santos

De 25 de Fevereiro de 1976 ao mesmo dia de 2008, nada

mais, nada mesmo, do que 32 anos se passaram. É

esta a distância no tempo que melhor ajuda a compreender

e a conhecer o tempo de vida, a maturidade, o

traquejo, a experiência da prestigiada e bem sucedida

empresa Sonangol.

32 anos que emanam um portfólio de relevantes serviços

prestados, um dicionário convincente e sempre actual

de realizações, uma realidade que cresce imparável, que

se afirma global, inovadora, modernizadora.

Desde a pesquisa até à distribuição, passando pela produção,

logística, petroquímica e refinação, aviação,

comunicações, formação e shipping, a Sonangol é hoje um

Grupo empresarial de sucesso, implantado, ramificado

e consolidado não somente em Angola como em África,

na Europa, na Ásia e na América.

De uma pequena e franzina unidade de negócios petrolíferos,

nestes 32 anos de marcha, a Sonangol deu

passos de gigante, conquistou espaço, assumiu com

destreza e inteligência o seu papel de força líder no

desenvolvimento de Angola.

actividades realizadas

É frequente ouvir-se da boca das gentes de Angola que

onde há vida está a Sonangol. Este sempre saudável,

actual e actuante slogan iluminou as mais variadas actividades

programadas, no país e no estrangeiro, em

saudação aos 32 anos da empresa.

Do programa, o ponto mais alto aconteceu em Luanda,

cidade sede da Sociedade Nacional de Combustíveis de

Angola, no dia 25 de Fevereiro com a realização de uma

conversa ao pequeno almoço entre o Conselho de Administração

da Sonangol e jornalistas dos mais variados

órgãos de comunicação social.

O encontro, fortemente aplaudido pelos fazedores de

opinião, serviu para partilhar opiniões, balancear mais

um exercício económico e informar a nação dos mais

recentes resultados da empresa.

Como sempre, Manuel Vicente e a sua equipa estiveram

à altura de todas as perguntas colocadas, mostrando

transparência e domínio dos dossiers que fazem do petróleo

um assunto permanentemente actual.

Contando com pouco mais de 8000 trabalhadores, a Sociedade

Nacional de Combustíveis de Angola personifica

um integrado e competente Grupo empresarial onde se

destacam, no país, cerca de 10 subsidiárias, cinco além

fronteiras e mais ou menos meia centena de participações

em empresas e instituições de pendor económico.

Nos últimos tempos, a Sonangol tem vindo a registar

um ascendente sem precedentes em todos os sectores

e segmentos de actividade, como resultado de um dinâmico

e estruturante programa estratégico de negócios,

recheado de sentido de oportunidade e oleado de um

refinado “favo” e apetência de desenvolvimento.

Mas a Sonangol não é apenas o seu umbigo. Empresa

socialmente responsável, tem a particularidade de saber

estar presente em todos os momentos e climas da

nação angolana.

A sua actuação e as realizações neste domínio são, no

mínimo, apenas e tão somente um exemplo exímio. O seu

engajamento junto da comunidade, o apoio e o incentivo

ao desporto, à cultura, à preservação ambiental, à

saúde, à educação, à ciência e à tecnologia fazem dela

uma eterna campeã da responsabilidade social.

Ainda no âmbito do seu aniversário, foi inaugurada no

Huambo uma escola com 12 salas de aula, cuja reabilitação

foi patrocinada pela petrolífera estatal angolana. Em

Luanda também houve inaugurações importantes: uma

loja de vendas da MsTelcom e duas mini-instalações de

enchimento de gás nos municípios de Cacuaco (Panguila)

e de Viana (Calumbo), respectivamente.

De igual forma, a prática desportiva esteve uma vez mais

em evidência, através da realização de um quadrangular

de futebol de salão e de uma concorrida prova de

atletismo.

A importância da preservação do meio ambiente constituiu

a razão central das comemorações da Sonangol.

Um pouco por toda a empresa realizaram-se meeting’s

sobre o tema e uma importante exortação mereceu de

todos a viva e pontual atenção.

É assim a Sonangol, ontem, hoje e sempre, a produzir

para transformar, contribuindo para o progresso e para

o desenvolvimento da nação angolana.


10

SONANGOLnotícias

elO

A SEGURANÇA COMO

SUPORTe eSTRaTégiCO

cRiSTiNa NoVaeS

A Segurança dos Sistemas de Informação é um dos elementos

de maior valor na utilização da informação (dados

informatizados) nas organizações modernas. A protecção

desses dados obriga à criação de políticas de segurança

de informação com o objectivo de preservar o valor que

possuem para a organização (ou indivíduo).

As políticas de segurança de informação consistem num

conjunto formal de regras que devem ser seguidas pelos

utilizadores dos recursos de uma organização. A sua

implementação deve ser realista e definir claramente as

áreas de responsabilidade dos utilizadores, do pessoal de

gestão de sistemas e redes e da Direcção. A Segurança é

uma componente inerente à responsabilidade hierárquica,

a quem compete assegurar a aplicação da regulamentação,

promover a formação e informação dos seus colaboradores

e controlar o ambiente em que o trabalho decorre.

A Segurança é uma atitude e uma vontade que se deve

afirmar no respeito e aplicação das normas, regras e instruções

aplicáveis, e na iniciativa e contributo para o seu

aperfeiçoamento.

Conheça então a Política de Segurança da Informação em

vigor no Grupo Sonangol e torne estas regras um hábito

no desempenho das suas funções:

“A Protecção de Informação confidencial pertencente à Sonangol

E.P. ou às outras empresas que confiaram tal informação à

Sonangol E. P., é essencial para a sobrevivência do nosso negócio

e para a nossa reputação. Estas Informações, relacionadas

com todas as áreas de negócio da empresa, podem estar sob

a forma física, electrónica e intelectual. Os exemplos comuns

incluem projectos de gestão, código de computador, planos

de “marketing”, informação sísmica, informações contidas

no arquivo electrónico central e resultados operacionais.

Os trabalhadores da Sonangol E. P. devem ter o cuidado de

não transmitirem informações confidenciais a pessoas não

autorizadas, de forma intencional ou acidental. A revelação

de informação confidencial não intencional, pode ser tão

prejudicial como a revelação intencional, e os trabalhadores

devem estar atentos à possibilidade de revelações inadvertidas

que possam acontecer em circunstâncias sociais ou no decurso

de interacções normais com clientes ou outros parceiros de

negócio. As áreas de negócio da empresa devem estabelecer e

manter a segurança física e electrónica de toda a informação

confidencial. As exigências e viabilidades de segurança de

informação diferem dentro da empresa.

A máxima responsabilidade pela segurança de informação

recai sobre os trabalhadores, mas cada área de negócio é

responsável pelo estabelecimento da Política de Segurança

de Informação e procedimentos apropriados.

A Direcção de Informática e Telecomunicações será responsável

pela publicação e actualização das directrizes gerais e

melhores práticas deste processo, e pela prestação de assistência

técnica. O Gabinete de Qualidade, Saúde, Segurança

e Ambiente coordenará e administrará o processo, incluindo

a formação apropriada em colaboração com a Direcção de

Informática e Telecomunicações. As violações a Política de

Segurança de Informação, podem resultar em acção disciplinar

de acordo com a Lei Geral do Trabalho, Regulamentos Internos

da Sonangol E. P. e Contrato de Trabalho”.

Banda Desenhada

Conselhos Úteis

Como organizar a vida diariamente?

• Planificação horária

A chave é ter uma agenda bem organizada, que

reflicta o tempo a despender em cada tarefa a realizar

(trabalhar, comer, descansar).

• Respeitar as horas de sono

É recomendável dormir mais de seis horas para que

haja estabilidade no pensamento e na acção.

• Uma boa alimentação

Apostar na verdura e na fruta. Evite a coca-cola e o

café porque produzem uma falsa sensação de fortaleza.

• Organizar o espaço

É fundamental saber aproveitar os espaços disponíveis

para melhor render.

AlgUmAs técnicAs de RelAxAmentO

• Feche os olhos por alguns segundos várias vezes

ao dia. Faça inspirações profundas e lentas em sessões

repetidas ao longo do dia.

• Quando sente que o seu ânimo dimimui ou está

angustiado, faça uma pausa e siga algumas das

sugestões anteriores. Outro movimento simples e

muito bom para relaxar é movimentar os ombros

para cima e para baixo de forma longa e lenta e esticar

as mãos ao mesmo tempo.

• Estabeleça horários e rotinas de relaxamento e

exercícios pré-definidos com durações específicas.

Estes rituais podem transformar-se em verdadeiros

“oásis” que o afastam da angústia ameaçadora.

• Inscreva-se num ginásio. Além de iniciar um programa

de exercícios regular, sentirá que uma boa

condição física ajuda a diminuir a predisposição

para os efeitos do stress, para a ansiedade e para

a depressão.

nOVa aTiTUde nO TRaBalHO

MISSãO DA SONANGOL LOGíSTIcA


NOVA DINÂMICA

na COMUniCaçãO

Comunicar é SoNaNgol

A exemplo de todas grandes organizações

empresariais, a Sonangol

dá passos firmes com

vista à implementação de um

processo de comunicação interna

actual e actuante.

Esta comunicação é assumida

como um factor estratégico

para o sucesso da Companhia,

fundamental para os resultados

do negócio, humanizador

e potenciador da consolidação

da identidade da organização.

A sua exequibilidade é resultado

da criação de uma central de informação.

aS FREntES Da cOMUnicaçãO

intERna

Com a dimensão da nossa empresa e as

exigências crescentes do seu público interno,

importante se torna encontrar uma

ferramenta que permita aglutinar a grande

maioria dos trabalhadores em torno de um

objectivo comum.

Portal da Intranet

A gestão do portal deverá integrar técnicos

do GCI e da DTI, devendo ser um apêndice

da Sonangol TV. A informação relevante

disponibilizada no canal, nomeadamente

os vídeos, as notícias e a informação

de utilidade pública, deverá ser, necessariamente,

inserida no portal. A sua actualização

é diária. De igual forma, um

serviço informativo diário é produzido via

intranet.

Site Institucional

A vertente institucional da empresa deve,

igualmente, ser tramitada pela central de

informação (área operacional), onde, entre

outras responsabilidades, destacamos a

produção de conteúdos informativos sobre

a empresa, clientes, parceiros, investidores,

elaboração e distribuição de notas e

comunicados de imprensa (press releases)

e relatórios de contas.

Sonangol TV

O canal Sonangol TV integra técnicos do

GCI, sendo que os conteúdos informativos

deverão ser produzidos em parceria com

agências especializadas. A informação é

diariamente actualizada e os programas

por via de regra bilingues. Os compactos

noticiosos não excedem os 10 minutos de

emissão. Os programas reflectem o quotidiano

da empresa.

Publicações Sonangol

O jornal Sonangol Notícias, com periodicidade

mensal, é o elo mais forte da comunicação

interna da Companhia. Retrata,

mensalmente, os acontecimentos, os factos,

as realizações, a vida da empresa em

cada trinta dias. O fomento da motivação

laboral, a consolidação de uma cultura de

equipa, o incentivo ao bom desempenho

e a formação constituem o epicentro da

grelha editorial desta publicação. O jornal

tem 16 páginas.

Por seu turno, a revista Sonangol Magazine,

publicação de periodicidade quadrimestral,

é um veículo de união entre

a empresa, a imprensa e a comunidade.

Os temas nela abordados reflectem não

somente a Sonangol por dentro como,

também, as mais variadas facetas da sociedade,

ou seja, no capítulo social, cultural,

desportivo, económico, etc. A revista tem

64 páginas.

eSTRaTégia

Os outros veículos de comunicação, como

sejam os jornais murais, estão igualmente

disponíveis.

Pretende-se com esta estratégia maior

eficácia na comunicação interna, menos

desperdícios de sinergias, mais racional

e efectivo aproveitamento dos recursos,

menos redundância, melhor aproveitamento

das competências, mais e melhor

informação para todos os colaboradores

da empresa.

É com base nesta plataforma comunicacional

que se conseguirão criar entre todos

ideias e objectivos comuns, formar o novo

colaborador, fazer da união, do trabalho

em equipa e da força da razão, uma inesgotável

fonte de sucesso.

11

SONANGOLnotícias


12

SONANGOLnotícias

COnCURSO

A

e o Meio Ambiente

PaRTiCiPe! ReFReSqUe OS SeUS COnHeCiMenTOS.

OS PRéMiOS PROMeTeM!

1

2

3

4

5

A Sonangol é uma empresa ambientalmente

responsável. Indique 5 das principais referências

da Política Ambiental da empresa.

1.

2.

3.

4.

5.

Qual é a data consagrada ao ambiente na República

de Angola?

R:

Para que data se prevê o início do fim da queima

de gás em Angola?

R:

Diga 3 das principais organizações nacionais

engajadas na protecção ambiental.

1.

2.

3.

Preservar o Meio Ambiente é uma responsabilidade

colectiva. Comente esta frase.

R:

REGRaS DO cOncURSO

a) O concurso é dirigido apenas a trabalhadores do Grupo Sonangol;

b) As respostas deverão ser entregues até ao dia 30 de Abril de 2008

em envelope fechado ou por e-mail, no Gabinete de Comunicação

e Imagem;

c) Cada participante deverá identificar-se, referenciando o seu nome

completo, empresa e área de serviço;

d) O vencedor e os prémios serão anunciados no dia 05/06/08;

e) O júri é constituído por trabalhadores do GCI, GQSSA e DRH.

aMBienTe

neURÓBiCa

PROPORCiOnadOR de BOM

aMBienTe PROFiSSiOnal

RoBeRTo gRaça

ESTE ARTIGO VISA SUGERIR AO

LEITOR COMO MELHORAR O SEU

POTENCIAL CEREBRAL, COMEçANDO

POR EXEMPLIFICAR QUE O SIM-

PLES GESTO DE TROCAR DE MãO

PARA PENTEAR O CABELO, CON-

TRARIANDO O HÁBITO DE ROTINA

E OBRIGANDO à ESTIMULAçãO DO

CÉREBRO, CONSTITUI UMA NOVA

TÉCNICA PARA APERFEIçOAR A

CONCENTRAçãO, ExERCITANDO A

CRIATIVIDADE E A INTELIGêNCIA.

É com bastante frequência que nos dias

de hoje nos deparamos com situações

em que espontaneamente esquecemos

nomes, números de telefones, compromissos

previamente agendados, datas de

aniversários anteriormente registadas na

memória, a localização de um determinado

objecto doméstico frequentemente usado,

ou ainda o esquecimento de que já contamos

uma história à mesma pessoa repetidamente.

Estes sinais, no entanto, não só

estão associados à condição psico-física do

ser humano como têm uma relação muito

forte com as preocupações quotidianas.

Tais preocupações são responsáveis por

comentários do tipo: a pessoa A está a

perder a memória ou ainda que a pessoa

B está muito esquecida. Em alguns casos,

comentários do género são tidos como razão

de gozo, sendo que às vezes acarretam

uma certa inquietação, particularmente,

para aquelas pessoas que geralmente são

muito exigentes consigo mesmas em termos

de memorização de factos.

É importante realçar aqui um aspecto

muito curioso relacionado com o esquecimento

e que é o facto de o mesmo na

sua maioria ser fruto de acontecimentos

recentes, ao passo que factos passados

há muito tempo, dificilmente saem da

memória.

Isto serve para enfatizar que a descoberta

da Neurociência veio patentear que o

cérebro apesar de passar pelo processo de

envelhecimento - natural e do qual ninguém

pode escapar – continua a possuir

uma capacidade extraordinária de crescer,

mudar o padrão das ligações mentais e de

renovar as células cerebrais. É assim que

conscientes desta descoberta, os autores

Lawrence Katz e Manning Rubin (2000)

revelam que “é possível tomar providências

para combater o esquecimento, favorecendo

a diminuição do desconforto”.

Por outras palavras, podemos depreender

que ambos atribuem ênfase ao facto das

pesquisas do cérebro mais recentes apontarem

para novos métodos que podem ser

incorporados nas actividades diárias a fim

de desenvolverem e preservarem as acções

cerebrais. Por meio destes métodos,

a pessoa pode aumentar a capacidade do

seu cérebro de lidar com os declínios na

agilidade mental e, assim, manter o pleno

funcionamento do mesmo.

Houve, por isso, a necessidade de atribuir

um nome aos métodos acima referidos

pelos cientistas, daí ter surgido o termo

Neuróbica, a denominada ‘aeróbica dos

neurónios’, que é uma nova forma de exercício

cerebral projectada para manter o

cérebro ágil, saudável, criando novos e

diferentes padrões de actividades dos neurónios.

Por outras palavras, este exercício

aumenta a saúde geral do cérebro ao longo

da vida, enquanto o mesmo envelhece. Por

conseguinte, devemos oferecer ao cérebro

experiências fora da rotina ou inesperadas,

usando várias combinações dos

sentidos – audição, visão, paladar, olfacto

e tacto. Esta combinação apresenta-se

importante pelo facto de cerca de 80%

do nosso dia-a-dia ser ocupado por rotinas

que, apesar de terem a vantagem

de reduzir o esforço mental, ocultam a

sua real capacidade. É pertinente realçar

aqui que dados fidedignos revelam que

o ser humano ao longo da sua existência

social nem sequer chega a utilizar 80% da

capacidade total do seu cérebro.

Há, no entanto, uma variedade de exercícios

mentais para impedir que as acções

de rotina não ensombrem o potencial do

nosso cérebro, servindo assim os seguintes

exercícios como exemplo:

• Escovar os dentes com a mão contrária

da que geralmente usamos;

• Andar pela casa de trás para frente;

• Vestir de olhos fechados;

• Estimular o paladar, comendo coisas

diferentes;

• Traçar um novo trajecto para ir ao trabalho;

• Trocar o lado do rato do seu computador;

• Usar o relógio no pulso contrário.

Para finalizar, realço que este artigo é somente

uma forma de sugerir aos estimados

leitores várias maneiras de potenciarem os

seus cérebros, isto é, uma forma bastante

diferente de praticar exercícios cerebrais

habituais tais como os jogos de cartas, os

quebra-cabeças ou o xadrez. Considero

importante divulgar a Neuróbica pelo facto

de a ver como um método importante,

porque se configura como uma proposta

de mudança do comportamento rotineiro,

proporcionando a si mesmo um bom ambiente

pessoal e profissional. Aqui fica o

conselho deste articulista:

Tente paulatinamente praticar estes exercícios,

fazendo algo diferente com o outro

lado do seu cérebro de modo a estimular e a

manter activos todos os seus neurónios.


A IMPORTÂNCIA

da exPeRiênCia

PROFiSSiOnal

O tema em análise neste artigo pode ser entendido,

por alguns, como sendo polémico,

mas o nosso interesse reside no facto deste

tema em particular ter uma ligação estreita

com o tema do desempenho. E, sem mais delongas,

fizemos a seguinte pergunta: ‘Basta

ter um “canudo”, isto é, um mestrado ou uma

pós-graduação para que um recém-formado,

que não tenha posto à prova os conhecimentos

adquiridos e o seu desempenho, beneficie

de um tratamento diferenciado do do

simples licenciado, de igual modo, incipiente

dentro de uma organização?

Dissemos logo à partida que discordamos

da ideia e esclarecemos que não basta ter

o certificado ou o diploma de mestre ou de

pós-graduado para que se possa obter um

tratamento distinto sem ter, a posteriori,

exercido uma função relacionada com o

objecto da especialidade.

De facto, sem a experiência na função, sem

os conhecimentos técnico-profissionais,

e sem responsabilidades acrescidas, seria

injusto enquadrar um recém-formado que

se apresenta ainda aquém das expectativas

imediatas, exigindo, deste modo, um plano

de integração/estágio.

Geralmente, todas as pessoas possuem

talento, diferenciando-se unicamente por

graus: ter mais talento ou ter menos talento.

No entanto, devemos saber que o talento, de

per si, não é tudo; é fundamental desempenhar

muito mais para atingir o sucesso.

tRaBaLhaR O taLEntO

Neste prisma, para maximizar o talento, a

qualquer nível que se situa, é necessário

desenvolvê-lo, trabalhando, somente, os

pontos fortes; sendo este o trilho que faz

atingir o padrão desejado de habilidades.

E se assim o queremos, a escolha é nossa:

“certa” ou “errada”.

Apesar de tudo, é importante lembrar que

a experiência se ganha na prática, pois as

competências são alcançadas após ter posto

em prática os conhecimentos, habilidades

e atitudes no desempenho. E, portanto, é

imprescindível “passar pelo fogo” do desempenho

para que se meça o quanto se vale;

pois só assim é que se chega à aquisição de

novas competências, sem as quais o canudo

não representa coisa nenhuma.

Parafraseando Scott B. Parry, diremos que as

competências são um conjunto de conhecimentos,

habilidades e atitudes correlacionadas,

que influenciam, em parte apreciável,

o exercício da função, tendo ligação com

o desempenho, com metas mensuráveis e

padrões preestabelecidos e cujo resultado

pode ser orientado para a formação e para

o desenvolvimento.

Para nos situarmos no mesmo diapasão, gostaríamos

de esclarecer alguns conceitos:

O ‘cOnhEciMEntO’ é entendido como a capacidade

cognitiva que permite ligar os factos

entre si para detectar oportunidades; é o

saber-saber, o que adquirimos nas escolas,

universidades e nos livros; podendo ser aprofundado

no trabalho e na escola da vida.

‘haBiLiDaDE’ é O ‘SaBER-FaZER’, tudo o

que utilizamos com base nos nossos conhecimentos

no dia-a-dia.

Portanto, sem o conhecimento adequado,

como corresponder a uma dada situação que

requer de nós uma resposta imediata?

‘atitUDE’ é o que nos conduz a cultivar a nossa

habilidade em função de um determinado

conhecimento, sendo o ‘querer fazer’.

Nesta base interligada, caso não haja vontade

de agregar os conhecimentos apreendidos

por outrem e neles produzir algo de pessoal

que imprima progresso ou melhoria, a formação

académica convencional, por si só,

em todas as suas formas e níveis, em nada

concorre para um crescimento individual.

Por essa razão, todo o recém-formado (Li-

âNgela João

cenciado, Mestre ou Pós-graduado), sem

experiência laboral, tem um enquadramento

igual, que é o de estagiário.

haBiLiDaDE E atitUDE

1º Caso - Com menos Conhecimento, com menos

Habilidade e com menos Atitude.

É deveras paradoxal, até incongruente, aceitar

encontrar alguém com o diploma sem o

‘saber-saber’. Ora, a vida oferece-nos tantos

exemplos que não podemos assustar-nos

quando, às vezes, se estuda decorando a

matéria para passar de ano, sem a mínima

capacidade de raciocínio, interligando factos

entre si para posteriores argumentos

discursivos úteis e favoráveis.

2º Caso - Tendo Conhecimento mas menos

Habilidade e menos Atitude.

O indivíduo possui o ‘saber-saber’ teórico,

sem uma adaptação prática ao exercício da

sua função. Nesta circunstância, é preciso

sugerir uma acção de integração, durante a

qual o referido indivíduo se vai moldando e

aliando a teoria à prática, a fim de se ajustar

às respectivas competências técnicas.

Ao invés do acima referenciado, pode acontecer

também que o indivíduo continue a

saber muito, mas a nem sempre utilizar tudo

o que sabe; tornando-se, deste modo,

menos competente. Trata-se, pois, de um

competente incompetente.

3º Caso - Tendo menos Conhecimento e manifestando

mais Habilidade e mais Atitude.

Com menos conhecimento indica aqui a limitação

em termos académicos, ocorrendo

também a possibilidade de estar em presença

de um autodidacta, com uma forte cultura

individual, que adquira competências através

da sua aprendizagem contínua.

É um elemento que demonstra eficácia,

“fazendo as coisas certas” e que, apesar de

progredir em situações de mudança e de

caos, desafia o ‘status quo’, porque produz

resultados, quer prosperar e não apenas

sobreviver, e é isso que qualquer empresa

pretende. Então, por que não investir neste

profissional?

Sem sombra de dúvida, com a educação

aprende-se a pensar e a formação ensina

a fazer; ambos são de suma importância

dentro de qualquer organização.

4º Caso - Mais Conhecimento, manifestando

ter mais Habilidade e mais Atitude.

Projectando-nos sempre em termos de resultados,

sem uma análise profunda, a actual

situação dá-nos a entender que estamos

perante um indivíduo muito talentoso. Mas

para o nosso objectivo, devemos apreender

as diferenças subtis existente ente ‘eficiência’

e ‘eficácia’.

Percebê-las é de grande valor porque contribuem

para a melhoria do nosso desempenho

e, consequentemente, ajudam-nos na obtenção

do sucesso contínuo nos resultados.

No contexto da administração, ‘eficiência’

resume-se a “fazer as coisas de maneira

correcta”, isto é, fazer um trabalho de maneira

adequada, sem erros, e que garanta a

qualidade do mesmo.

Consiste, por isso, na relação que se esta-

ViSãO

belece entre os resultados alcançados e os

recursos utilizados.

‘Eficácia’ é “fazer bem, as coisas certas”. Ela

acontece quando executamos um trabalho,

conseguindo atingir cabalmente o resultado

esperado, no momento adequado.

Esta nossa escolha justifica-se pela necessidade

de esclarecer que para ser bem sucedido

no cargo ou na função, é preciso alcançar o

que a organização espera de si e, ao mesmo

tempo, atingir os objectivos fixados com o

menos erros possíveis. Não obstante, em

alguns casos, os erros constituem o trampolim

para a criatividade.

Quando se é eficaz sem a eficiência, ou seja,

quando se faz o que é certo para atingir as

metas acordadas mas apresentando trabalho

com erros diversos, o facto acarreta poucas

possibilidades de alcançar os objectivos estabelecidos.

Em contrapartida, sendo eficiente mas não

eficaz, ou seja, executar tarefas ou cumprir

com os objectivos fixados, tendo um

mínimo de erros, mas ainda sim, por falta

de competência que permita alcançar os

resultados, o indivíduo estará longe dos

objectivos desejados.

De qualquer forma, para o talento, a eficácia

é imprescindível e a eficiência é o desejável.

aPOStaR na EFicÁcia E na EFiciência

A partir destas considerações podemos concluir

que sendo eficiente e eficaz, ao mesmo

tempo, atingir-se-ão sempre resultados

surpreendentes. Por isso, não basta ter o

canudo, pois este constitui simplesmente

um meio que conduz a um aprendizado contínuo.

E, por conseguinte, o crescimento e a

distinção partem das nossas escolhas.

Para que isto aconteça, basta que nos inspiremos

nos princípios descritos por John

C. Maxwell no livro intitulado ‘Talento não

é Tudo’. São eles:

1) Acreditar na sua missão estimula o talento.

2) A paixão, na sua realização, fortalece o

talento.

3) A iniciativa põe o seu talento em acção.

4) O foco direcciona o seu talento.

5) A preparação posiciona o seu talento.

6) A prática aguça o seu talento.

7) A perseverança sustenta o seu talento.

8) A coragem testa o seu talento.

9) Ser receptivo ao ensino expande o seu

talento.

10) O carácter protege o seu talento.

11) Os relacionamentos influenciam o seu

talento.

12) A responsabilidade fortalece o seu talento.

13) O trabalho em equipa multiplica o seu

talento.

Nesta senda, seja qual for o nosso talento,

a nossa escolha é que faz de nós aquilo que

somos. Para sermos nós mesmos e realizarmos

mais do que imaginámos, é determinante

conhecermo-nos a nós mesmos afim

de agregarmos valores à nossa pessoa e aos

outros em simultâneo.

13

SONANGOLnotícias


14

SONANGOLnotícias

TRiBUna

Visão

• Tornar-se numa Empresa petrolífera integrada e competitiva;

• Manter-se como catalisadora do desenvolvimento nacional;

• Estar à altura das suas responsabilidades para com o Estado,

para com os seus parceiros económicos e para com a sociedade;

• Conquistar um lugar de destaque no mercado Africano;

• Projectar-se no mercado internacional como entidade

de prestígio.

VALORES CORPORATIVOS

• Orientação para o Cliente

O Cliente é a razão da nossa existência. Importa, por conseguinte,

que todo o nosso esforço seja focalizado na satisfação

plena das necessidades e expectativas dos nossos Clientes.

• Engajamento com a Comunidade

Participar no desenvolvimento local e contribuir, na medida

do possível, para outras actividades de carácter social.

• Desempenho

Adoptar práticas de gestão que permitam avaliar o desempenho

da empresa e satisfazer as expectativas do Estado

e de outros parceiros.

• Valorização dos nossos Funcionários

Adoptar políticas de gestão de Recursos Humanos que

permitam atrair, desenvolver, motivar e remunerar com

base no desempenho individual.

Lei Geral do trabalho DIREITOS E DEVERES DO TRABALHADOR

art. 43 – Deveres do empregador

a) Tratar e respeitar o trabalhador como seu

colaborador e contribuir para a elevação do

seu nível material e cultural e para a sua

promoção humana e social.

b) Contribuir para o aumento do nível de

produtividade, proporcionando boas condições

de trabalho e organizando-o de forma

racional.

c) Pagar pontualmente ao trabalhador

o salário justo e adequado ao trabalho

realizado, praticando regimes salariais

que atendam à complexidade do posto de

trabalho, ao nível da qualificação, conhecimento

e capacidade do trabalhador da

forma que como se insere na organização

do trabalho e aos resultados no trabalho

desenvolvido.

d) Favorecer boas relações de trabalho

dentro da empresa, atender na medida do

possível aos interesses e preferências dos

trabalhadores quando da organização do

trabalho e contribuir para a criação e manutenção

de condições de paz social.

e) Recolher e considerar as criticas, sugestões

e propostas dos trabalhadores relativas

à organização do trabalho e mantê-lo

informado das decisões tomadas em todos

os assuntos que directamente lhe respeitem

ou de que possam resultar alterações nas

condições de prestação do trabalho.

f) Proporcionar aos trabalhadores meios de

formação e aperfeiçoamento profissional,

designadamente elaborando planos de formação

profissional e adoptando as medidas

necessárias à sua execução.

g) Tomar as medidas adequadas de higiene

e segurança no trabalho, cumprir rigorosamente

e velar pelo cumprimento das normas

legais e das directivas das entidades

competentes sobre higiene e segurança

no trabalho e sobre medicina no trabalho

• Comunicação Efectiva

Uma empresa com comunicação aberta que promova a partilha

de informação, de experiências e conhecimentos, por forma

a garantir a contínua aprendizagem.

• Trabalho em Equipa

Adoptar princípios de trabalho em equipa, congregando

o conhecimento disponível na empresa, com vista a obtenção

de sinergias (2 + 2 = 5).

• Saúde, Segurança e Ambiente

Aplicar, na gestão diária, normas e procedimentos que permitam

implementar uma política de SSA (Saúde, Segurança e Ambiente)

que tenha como prioridade número um a protecção dos nossos

trabalhadores, da população e do ambiente.

• Delegação e Responsabilidade

Adoptar princípios de descentralização da tomada de decisão,

de poderes e autoridade, sem perder de vista a responsabilidade

e o controlo de resultados.

• Conduta Ética

Observar os princípios de Ética de negócio que permitam manter

intactos a idoneidade e prestígio da Sonangol.

e instruir constantemente sobre higiene e

segurança no trabalho.

h) Assegurar a consulta dos órgãos de

representação dos trabalhadores em todas

as matérias em que a lei estabelece a

obrigação de serem informados e ouvidos

e facilitar, nos termos legais, os exercícios

de funções sindicais e de representação dos

trabalhadores.

i) Não celebrar nem aderir a acordos com

outros empregadores no sentido de reciprocamente

limitarem a admissão de trabalhadores

que a eles tenha prestado serviços e

não contratar, sob forma de responsabilidade

civil, trabalhadores ainda pertencentes

ao quadro de pessoal de outro empregador,

quando dessa contratação possa resultar

concorrência desleal.

j) Cumprir todas as demais obrigações

legais relacionadas com a organização e

prestação do trabalho.

Gente

GRAÇA VALENTE aPOSTa na FORMaçãO

paula alMeiDa

Graça da Silva Valente, secretária executiva

do Conselho de Gestão da Sonangol Logística,

bacharel em Gestão de Empresas,

está neste momento nos Estados Unidos

da América a frequentar um curso superior

de Gestão de Recursos Humanos como

bolseira da Sonangol.

O grande objectivo de Graça Valente é

o de concluir a formação superior para,

como disse, “melhor servir a empresa e

os seus novos desafios, sobretudo neste

processo de mudança que a companhia

está a registar“.

Entrou para a Sonangol Distribuidora

em 1996, para a área dos Recursos Humanos,

onde foi promovida a técnica de

RH. Mais tarde foi para a GPLOG, também

como técnica, e posteriormente integrou

os quadros da Sonangol Logística como

secretária do Conselho de Direcção.

Passou pela Universidade Agostinho

Neto, Faculdade de Economia, onde fre-

Parabéns

Luzia

Sobrinho

13 DE MARçO

Apolinária

Airosa Sousa

17 DE MARçO

Domingos

Pedro Sardinha

22 DE MARçO

quentou o 3º ano do curso de Gestão de

Empresas.

Gestão de Recursos Humanos, no entender

de Graça Valente, “é uma área de formação

bastante importante e oportuna, tendo

em conta o crescimento da empresa, a

Sonangol, havendo toda a necessidade

de se fazer uma trabalho mais profundo

na função RH, sobretudo, por causa dos

desafios que a indústria petrolífera impõe

no mercado “.


Sabia que...

a FeCHaR

Da mesma forma que a falta de comunicação leva o ser humano ao isolamento estéril e à alienação,

na empresa ela representa a perda de competitividade, de produtividade e de qualidade.

Quebra Cabeças

Apresentamos dois jogos de Sudoku: um mais fácil (o da esquerda) e um mais difícil (o da direita).

Pense bem e divirta-se!

Recordar é viver

Em cada 25 de Fevereiro há sempre um retempero de energias. Cada um como cada qual, ontem mais novitos, hoje

mais ou menos ”assim-assim”, todos juntos continuamos fazendo parte da História da Sonangol. Para quê mais

palavras se a foto atesta a veracidade dos factos?

Correio do Leitor

Escrevo a para elogiar o nosso novo Edificio (Torre da Sonangol), que deu uma

nova imagem à Baixa de Luanda. Este edifício, que beneficiará não só a Sonangol

como todos nós angolanos, é mais uma das muitas obras que a Sonangol, apostada

que está na reconstrução do país, tem vindo a fazer de Cabinda ao Cunene.

José João, em Malange

Sonangolando...

João RoSa SaNToS

caPitaL FEMininO

A mulher é, por excelência, um elo de decisão

e de desenvolvimento de um País.

O quotidiano prova a verdade do facto. As

senhoras de Angola e do mundo inteiro

são uma alavanca indispensável à modernização,

à inovação e ao crescimento

multifacetado das nações.

O capital feminino conhece tempos áureos,

tempos de dignidade, de reconhecimento

e de afirmação. Trata-se de um processo de

valorização do seu potencial no quadro de

uma estratégia sem exclusão de direitos e

oportunidades iguais para todos.

Na actualidade, o género é cada vez mais

prioridade. As políticas e as actuações

dos Centros de Decisão primam por caminhos

mais igualitários, promovendo e

motivando os bons actos de cidadania e

a capacidade de acção e de realização de

cada um.

O capital feminino ganha, por isso, espaço

e consolida-se à velocidade de cruzeiro.

A cada dia que passa cresce o número de

mulheres que assumem lugares chaves na

vida política, económica, social, cultural

e desportiva. Isto é, de facto, não por

mero acaso mas, e acima de tudo, pela

sua qualidade e pelas competências demonstradas.

Já lá vão os tempos da mulher casa/cozinha.

A revelação feminina segue imparável,

sucedendo-se exemplos indutores

que ajudam a abrir portas e janelas que

permitem a ventilação de novos e mais

promissores ventos.

Reconhecer a importância do capital feminino

é desenvolver um conhecimento

transformador de atitudes e comportamentos,

em consciência e através do aprofundamento

da sã convivência. O desafio

não se esgota apenas em escritos ou bonitas

palavras. São necessárias mais acções,

porque, de facto, a mulher merece mais.

A vida segue em frente. Neste Março da

mulher, que cada um reflicta, procure fazer

o seu melhor e contribuir positivamente

para o alicerçar de uma

sociedade mais

justa e de

maior causa

social.

15

SONANGOLnotícias

More magazines by this user
Similar magazines