Revista Aposta - CTT

ctt.pt

Revista Aposta - CTT

108

XXVII JOGOS NACIONAIS DOS CTT

A grande festa da família postal

PRÉMIOS NEURÓNIO

Os prémios com mais pinta do ano

CERTIFICAÇÃO OPE

Manter a excelência


ÍNDICE

2

www.ctt.pt

4

40

10

42

A revista Aposta foi escrita ao abrigo

do novo Acordo Ortográfico

Esta revista foi impressa em Creaprint Silk de

125 gramas (miolo) e 250 gramas (capa), ambos

com certificação ecológica.

3

4

10

14

16

20

26

32

37

38

42

43

EDITORIAL

Porque somos CTT!

BREVES

ATUAL

Em defesa do património cultural na Europa

Consciência ambiental cada vez mais forte

PORTUGAL CONNOSCO

Da Sé do Porto para o Portugal Connosco

QUALIDADE

Manter a excelência

CAPA

XXVIII Jogos Nacionais dos CTT

EVENTOS

Os prémios com mais pinta do ano!

DAR UM GIRO

O baluarte defensivo do Algarve

AGENDA CULTURAL

EMISSÕES

Desporto à escala global corre o mundo em selos

Fajãs dos Açores: a beleza do recortado insular

OPINIÃO

Meios de pagamento - tendências futuras

VAGARES

FICHA TÉCNICA PUBLICAÇÃO MENSAL . DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Diretor Miguel Salema Garção . Diretora Executiva Adriana Eugénio . Redação Bruno Vilão, Elsa Duarte, Inês Noronha Macedo, José Duarte Martins, Raquel Moz e Rosa Serôdio

Layout Strat Design . Conceção Gráfica . Miguel Dantas e Samuel Trindade . Fotografia Pedro Mónica, Pedro Cruz e Arquivo CTT. Agradece-se ao CNC e à CM de Castro Marim a

cedência de fotos . Capa Samuel Trindade . Produção Comunicação . Propriedade CTT Correios de Portugal, S.A. Av. D. João II, Lote 1.12.03, 1999-001 LISBOA . Tel.: 210 470 300

. Pessoa coletiva nº 500077568 . Impressão Peres - Soctip . Finishing Mailtec . Tiragem 27 600 exemplares . Depósito Legal 186482/02

A revista Aposta é impressa na Peres Soctip, empresa com Sistema de Gestão Ambiental certificado segundo a norma NP EN ISO 140001:2004 (certificado nº PT08/02476)

Isenta de registo na ERC ao abrigo do Dec. Regulamentar nº. 8/99, de 9 junho - artº. 12º. Nº. 1 a.


Miguel Salema Garção

Porque somos CTT!

Realizou-se em Leiria mais uma edição dos Jogos Nacionais

do CDCR. Esta reunião da família postal é, sem dúvida, uma

festa de celebração com enorme sentimento de partilha e

com uma saudável componente desportiva.

Nas várias modalidades em disputa foi com agrado que

verificámos o espírito olímpico bem presente, com os vários

atletas e equipas a darem o seu melhor na procura da

obtenção dos melhores resultados. Venham os próximos!

O mês de junho trouxe mais uma boa notícia para os CTT e

em particular para as equipas das Operações que trabalham

no COC-S (Centro Operacional de Correio do Sul) e no EPA

(Entreposto Postal Aéreo), constituintes da Estação de

Permuta de Lisboa. O presidente do IPC (International Post

Corporation) confirmava a extensão durante os próximos três

anos do Certificado de Excelência pela qualidade de

processamento do correio internacional atribuído em 2009

àquelas unidades operacionais. Sem dúvida, um facto

assinalável de enorme importância e que a todos nos enche

de orgulho. A certificação de excelência do IPC funda-se num

processo independente liderado por especialistas externos,

sob a supervisão do responsável pela certificação do IPC.

Nesta época de verão em que aproveitamos para descansar

e ter algum tempo junto das nossas famílias há, também,

que recarregar baterias para os desafios do presente com os

olhos postos no futuro. Somos uma enorme equipa com

grande capacidade, competência, valências e sem medo das

barreiras que, certamente, encontraremos no mercado onde

estamos inseridos. Porque temos história, porque temos

serviços e produtos, porque temos os melhores dos

melhores, cá estamos e estaremos para vencer o desafio.

Porque somos CTT!

aPOSTa num minuto...

12

Os CTT assinalaram o Dia Mundial do Ambiente com um conjunto

de ações que tiveram elevada participação dos trabalhadores.

Muitos foram premiados com uma planta aromática.

14

Foi com um sentimento especial que o Carteiro Manuel Alvim viu

a sua foto premiada no projeto “Portugal Connosco – O Olhar

dos Carteiros” após uma carreira dedicada aos CTT.

32

A paisagem natural e a riqueza do património histórico fazem da

vila de Castro Marim um autêntico convite aos sentidos e dão as

boas-vindas a uma viagem pelo tempo.

38

Os Jogos Olímpicos de Londres voltam a fazer do desporto um elo

de união entre povos e culturas, promovendo valores como a

competição saudável e o respeito pelo próximo.

EDITORIAL

3


BREVES

4

CTT em destaque no

Grande Prémio APCE 2012

O Grande Prémio APCE 2012 distinguiu os CTT em diversas categorias

pela excelência em vários trabalhos de comunicação empresarial.

Dois projetos vencedores e cinco trabalhos de mérito conferiram aos

CTT um lugar de destaque nesta edição da Gala da APCE

A Direção da Associação Portuguesa de Comunicação de

Empresa e o Júri do Grande Prémio APCE 2012 distinguiram

os CTT na Gala de Proclamação dos Vencedores deste

evento de referência no panorama nacional de comunicação

empresarial. A cerimónia de entrega dos prémios da edição

deste ano decorreu no dia 28 de junho, no Auditório

Lusitania Seguros, em Lisboa, com os CTT a serem

galardoados com diversos projetos. O júri independente

sagrou os vencedores nas 20 categorias, de entre os

141 trabalhos inscritos por 58 concorrentes.

Dos oito trabalhos propostos, os CTT obtiveram dois

primeiros lugares nas categorias de Televisão Corporativa,

com o projeto “Via TV”, e de Edição Especial, com o Livro

“Portugal Connosco – O Olhar dos Carteiros”. Além destes

dois primeiros prémios, os CTT foram ainda distinguidos pelo

mérito de mais cinco trabalhos remetidos a concurso. (Ver

quadro)

Durante a cerimónia, Elisabete Brigadeiro, da Câmara

Municipal de Oeiras, foi eleita por voto secreto pelos seus

pares como Comunicadora do Ano, enquanto Álvaro Esteves

recebeu da Direcção da APCE o Prémio Carreira, pelo

excelente contributo para a comunicação.

Criado em 1995, o Grande Prémio APCE tem vindo a

distinguir a excelência na estratégia da comunicação

organizacional, estimulando, reconhecendo e divulgando as

melhores iniciativas dos profissionais do setor. ● Bruno Vilão

Grande Prémio APCE 2012

Vencedores

Televisão Corporativa – “Via TV”

Edição Especial - Livro “Portugal Connosco – O Olhar

dos Carteiros”

Trabalhos de Mérito

Vídeo e Webcast – “Sinistralidade Laboral”;

Campanha de Comunicação Interna – “Portugal

Connosco - O Olhar dos Carteiros”;

Publicação Interna – “Aposta”;

Capa – “Aposta #97”;

Intranet – “Comunidade CTT


aPOSTa 108

A participação da Seleção Portuguesa no Campeonato

Europeu de Futebol foi acompanhada pela filatelia.

Assim, para motivar a equipa e os adeptos, os CTT

lançaram, no dia 4 de junho, uma emissão comemorativa

do apuramento de Portugal para o UEFA Euro 2012. A série

é composta por um selo (€0,68) e por um bloco filatélico

GSCP promove “Teatro em Portugal”

No dia 21 de junho, realizou-se no “Museu Vivo da Fogaça”,

junto à Estação de Correio Santa Maria da Feira, uma sessão

de autógrafos com Duarte Ivo Cruz, autor do livro “Teatro em

Portugal”, que contou com a presença de clientes, filatelistas

e representantes de entidades públicas. No espaço onde

decorreu a sessão, os participantes tiveram oportunidade de

apreciar as especialidades gastronómicas de Santa Maria da

Feira, destacando-se a famosa fogaça.

Da ação, dinamizada pela GSCP/RSCP11/EC Santa Maria da

Feira com a colaboração de todos os RSC, resultou a venda

de mais de 84 livros, traduzida numa receita superior a

três mil euros. ● rs

Apoio à Seleção

Nacional passou

pela filatelia

(€2,50), assinados pela Concept Advertising, que exibem o

jogo de matraquilhos como elo de união entre apaixonados

pelo futebol.

Um mês mais tarde, a 4 de julho e depois de finalizada a

competição, foi a vez da série “Viva Portugal!”, composta

por um bloco filatélico com um selo de €1,50, assinalar

o desempenho da Seleção Lusa naquele campeonato. O

design é de Francisco Galamba e, desta vez, é a bandeira

portuguesa a protagonista. ● ED

Chefias da GSCLS reúnem-se em Cabo Ruivo

No dia 21 de junho teve lugar no auditório do edifício de

Cabo Ruivo, em Lisboa, a reunião de chefias da GSCLS.

O encontro, subordinado ao lema “Vontade de Fazer”, foi

aberto pelo SNC Hernâni Santos. A análise de resultados e a

definição de estratégias para o 2º semestre deste ano foram

matérias apresentadas pelo GSCLS Pedro Silva e pela Adjunta

de Atendimento Lurdes Além.

De salientar a presença de Daúto Faquirá, treinador português

de futebol nascido em Moçambique, que desenvolveu o tema

“Motivação de Equipas de Alto Rendimento”. ● rs

BREVES

5


BREVES

6

Algumas zonas do globo terreste tiveram, no início do mês

de junho, a oportunidade de ver o planeta Vénus passar à

frente do Sol, um fenómeno astronómico de grande raridade.

Os CTT assinalaram o momento com um selo (€2,00) e

À descoberta de Talentos

Os CTT lançam mais um passatempo interno - “À descoberta

de Talentos” - que pretende dar visibilidade aos muitos e

variados talentos que os trabalhadores desenvolvem nos

seus tempos livres.

A iniciativa dirige-se a todos os trabalhadores do Grupo

CTT. A aceitação deste desafio obedece ao preenchimento

e envio por email ou correio de uma ficha de inscrição até

ao dia 14 de setembro de 2012.

No intuito de alargar a participação de trabalhadores,

as atividades abrangidas pelo passatempo incluem as

CTT presentes nas

Feiras do Livro

Tal como aconteceu na capital, também no Porto os CTT

marcaram presença em mais uma edição da Feira do

Livro, que decorreu de 31 de maio a 17 de junho. Como

habitualmente, os visitantes puderam adquirir obras de

elevada qualidade a preços reduzidos e participar em

sessões de autógrafos com autores de títulos editados

recentemente pelo Clube do Colecionador dos Correios.

Este ano foram também surpreendidos com uma novidade:

a realização de sessões de autógrafos com alguns dos

autores das imagens incluídas no livro “Portugal Connosco

– O Olhar dos Carteiros”. É o caso da ação que teve lugar

no dia 14 de junho e que levou à Avenida dos Aliados os

Carteiros Manuel Alvim, do CDP 4000 Porto, e José Duarte,

do CDP 4405 Valadares, para autografarem 38 exemplares

Trânsito Solar de Vénus

visto pela filatelia

um bloco filatélico (€3,00), lançados no dia 27 de junho,

assinados pelo Atelier Acácio Santos e Elizabete Fonseca.

«A Humanidade apenas observou este fenómeno por seis

vezes: em 1639, 1761, 1769, 1874, 1882 e 2004. O último

trânsito de Vénus ocorreu na manhã do dia 8 de junho de

2004 e foi inteiramente visível em Portugal Continental»,

pode ler-se no texto da pagela que completa a coleção.

O evento deste ano não foi, no entanto, vislumbrado em

céu português.

O próximo trânsito solar de Vénus observável da Terra

acontecerá no dia 11 de dezembro de 2117. ● ED

seguintes categorias: I) Escrita; II) Trabalhos Manuais; III)

Pintura; IV) Desporto; V) Teatro; VI) Dança; VII) Música; VIII)

Colecionismo; IX) Voluntariado.

O calendário das várias fases deste passatempo, os critérios

de seleção das participações, os prémios e a divulgação dos

talentos, além de outros aspetos, encontram-se explicitados

no regulamento criado para o efeito que, juntamente com

a ficha de inscrição, estão disponíveis no Correios Online

nº 45 e no portal corporativo Comunidade CTT. Aceite este

desafio e partilhe os seus talentos. ● jDm

do livro que publica os seus trabalhos (na foto).

De realçar o empenho e dinamismo das equipas da GSCLS,

GSCP e DRM que asseguraram e prestigiaram a presença

dos CTT nas Feiras do Livro de Lisboa, Porto e Funchal.

Apesar dos tempos difíceis, o esforço destes profissionais

refletiu-se nos resultados alcançados: 890 livros vendidos

e uma receita de cerca de 40 mil euros. ● rs


aPOSTa 108

Postcontacto e Grupo Auchan

reforçam relação comercial

A Postcontacto ganhou o concurso do Grupo Auchan/

/Jumbo – Zona Sul, relativo à distribuição dos seus folhetos

publicitários, por um período de 18 meses. A partir de julho,

o relacionamento comercial com este cliente estratégico

é reforçado, passando a Postcontacto a assegurar a

distribuição de cerca de 2 milhões de folhetos por mês na

Margem Sul (Grande Lisboa) e Algarve. Este contrato vem

alavancar a atividade da empresa nestas zonas específicas

do país e robustecer a rede de distribuição aí existente.

Tourline Express leva

premiados aos Açores

As delegações que venceram os índices de Qualidade da

Tourline Express tiveram direito à habitual recompensa. A

viagem anual que premeia as 20 agências da Tourline Express

com melhor nota durante 2011, no ranking nacional de

Qualidade, aconteceu de 6 a 10 de junho de 2012 e levou

as equipas vencedoras até ao arquipélago dos Açores, em

Portugal. Esta é a 4ª edição da Viagem da Qualidade, que

no passado teve como destinos a Alemanha, a Holanda

e ainda a ilha da Madeira, com o objetivo de motivar as

delegações a trabalhar melhor para obter os altos padrões

de excelência da empresa espanhola de correio urgente

Tourline Express lança

serviço para ramo das óticas

A Tourline Express acaba de lançar

o serviço Tourline Ópticas, com

o objetivo de oferecer soluções

especializadas de alta qualidade

neste ramo de negócio, com a garantia

máxima de qualidade, segurança e

a preços competitivos. Desenvolvido

à medida das necessidades das

empresas e laboratórios que fabricam

produtos de ótica e audiologia,

sujeitos à recolha, transporte e

entrega de encomendas com caráter

de urgência, a Tourline Ópticas garante

agora um serviço com prazo de 24

horas para volumes até dois quilos,

em qualquer ponto da geografia

peninsular, sábados incluídos. A

criação de embalagens específicas,

assegurando a inviolabilidade no

transporte de artigos de grande

fragilidade e sensibilidade, é mais

um exemplo na adaptação da

empresa do Grupo CTT às leis do

mercado empresarial, que tem

apostado na logística dedicada a

setores industriais específicos. ● rm

O controlo de qualidade de serviço vai ser fortalecido com

a utilização de meios tecnológicos de acompanhamento da

distribuição (controlo de rotas via GPS).

Já este ano a Postcontacto tinha adquirido 30 novos

dispositivos GPS. Agora, a aquisição de mais 25 aparelhos

vai possibilitar a cobertura quase total da rede, garantindo

aos clientes maiores níveis de fiabilidade e de reporte das

campanhas em distribuição. ● rs

e logística do Grupo CTT. A comitiva teve oportunidade de

visitar a ilha de São Miguel, conhecida pelas belas paisagens

vulcânicas, aproveitando ainda para explorar as tradicionais

plantações de ananás e de chá e para apreciar a exuberante

natureza da Reserva Natural da Lagoa do Fogo. ● rm

BREVES

7


BREVES

8

A cerimónia do cinquentenário do Instituto de Ciências

Sociais da Universidade de Lisboa reuniu convidados e

amigos na Cidade Universitária, no passado dia 4 de julho,

para assinalar a efeméride com o lançamento de uma

emissão filatélica comemorativa e um concerto de música

experimental do instrumentista luso-angolano Victor Gama.

O Auditório A. Sedas Nunes recebeu o Vice-Presidente dos

CTT, Pedro Coelho, e o Diretor de Filatelia, Raul Moreira,

para darem início às celebrações de aposição do carimbo,

na presença do Diretor do ICS, Jorge Vala, do Investigador

e Professor Universitário, António Costa Pinto, que é

também membro do Conselho de Filatelia para avaliar as

propostas temáticas de cada plano anual filatélico, e ainda

do Professor José Manuel Rolo, que esteve responsável pela

Comissão Coordenadora das Comemorações dos 50 anos

da instituição.

Em 1962 era inaugurado o Gabinete de Investigações Sociais

(GIS), em pleno regime ditatorial, orientado para a análise

social e para o estudo da realidade portuguesa. Composto

por um reduzido corpo de investigadores, sob a direção do

cientista social, político e professor Adérito Sedas Nunes,

o GIS veio impulsionar os estudos sociais e a pesquisa

sobre as sociedades contemporâneas. Com a revolução de

1974, a instituição acolheu vários investigadores exilados e

diversificou a atividade científica, dando lugar ao Instituto

das Ciências Sociais em 1982, que consolidou o projeto

inovador de apoio à comunidade académica.

O ICS ocupou o atual edifício em 2003, que hoje oferece

importantes recursos de investigação, através do valioso

acervo da Biblioteca de Ciências Sociais, além de integrar

diversas redes internacionais de partilha de documentação

e dados para a pesquisa comparada das mudanças sociais

no contexto europeu. A emissão filatélica que celebra os

progressos desta instituição é assinada por José Brandão

e composta por dois selos de tarifa até 20 gramas, para os

territórios nacional e europeu, que retratam a imagem de

Adérito Sedas Nunes e a fachada do edifício do ICS.

ICS celebra 50 anos

com selos e música

A história do ICS foi

homenageada em

selos com direito a

música experimental

ao final da tarde. Para

ver, ouvir e conhecer

Música antropológica

A cerimónia encerrou com música ao final da tarde. Alguns

instrumentos exóticos no palco anunciavam a experiência

sonora que se iria seguir com o projeto musical de

Victor Gama. Nascido em Luanda, o trabalho artístico do

compositor interseta áreas que vão da música à imagem,

da gravação à instalação áudio e vídeo, do desenho à

construção de instrumentos musicais contemporâneos. A

investigação intercultural levou já a arte de Victor Gama aos

mais prestigiados palcos internacionais, tendo escolhido

para a plateia do ICS um espetáculo multimédia inserido

num projeto que desenvolveu no deserto do Namibe,

sobre o trabalho de investigação do antropólogo angolano

Augusto Zita N’Gongweno, cujo desaparecimento nos anos

80 estará relacionado com o programa de armamento e

testes nucleares que o regime de apartheid da África do Sul

desenvolvia. Ao som dos belíssimos instrumentos Dino,

Toha e Acrux, são projetadas imagens de uma estrada no sul

de Angola, ao longo da qual existem sete casas em ruínas

separadas 12 quilómetros entre si, que faziam parte do

sistema administrativo colonial.

As pesquisas do professor tiveram esta estrada como ponto

de partida para o estudo de um conceito de expansionismo

europeu, motivado pela utopia das sociedades ideais.

Os seus cadernos desapareceram no suspeito acidente

rodoviário que o vitimou, mas foram recentemente

descobertas referências ao seu trabalho numa base militar

sul-africana, após a ingerência dos serviços secretos

daquele país em Angola durante os anos 80.

Este testemunho de som e imagem é uma poderosa viagem

acústica que desperta os sentidos e confronta diferentes

verdades e realidades. Tem sido também essa a missão do

ICS ao longo de 50 anos: provocar, explorar, testar, propor

novas leituras sobre a nossa experiência histórica, cultural

e sociológica.

Conheça o trabalho do compositor em www.victorgama.org.

● raquEl moz


aPOSTa 108

Os CTT marcaram presença na VI Feira

do Cavalo, em Ponte de Lima, que decorreu naquela

vila minhota entre 21 a 24 de junho. A parceria incluiu

o lançamento de um carimbo comemorativo na data de

abertura e de um Inteiro Postal alusivo ao evento.

A Loja/EC de Ponte de Lima assegurou o funcionamento do

posto de correio e do pavilhão dos CTT instalado na feira.

CTT cedem dois

quadros superiores

à DariAcordar

Os CTT assinaram no dia 3 de julho, no âmbito da sua

política de Responsabilidade Social, um protocolo de

cooperação que visa a cedência temporária de dois

quadros superiores da Empresa, para apoiar o trabalho

de coordenação e operacionalização da instituição

particular de solidariedade social DariAcordar. A cerimónia

decorreu no auditório do Edifício CTT, na presença do

Vice-Presidente Pedro Coelho, do Presidente da Associação

DariAcordar, António Costa Pereira, do Diretor da Qualidade

e Sustentabilidade dos CTT, Luís Paulo, além dos dois

engenheiros informáticos do quadro, António Marques e

Micaela Aparício, que ali irão permanecer em regime de

empréstimo, com duração prevista de um ano, mantendo o

vínculo à Empresa que continuará a garantir o pagamento

dos respetivos salários.

A DariAcordar colabora na promoção de atividades

com IPSS, ONG, misericórdias, autarquias e outras

CTT associam-se à

Feira do Cavalo em

Ponte de Lima

Para lá do carimbo e do IP, os CTT disponibilizaram

uma oferta variada de produtos postais e filatélicos,

incluindo algumas obras editoriais.

O patrocínio e o envolvimento na Feira do

Cavalo são consequência da importância que a

empresa atribui à relação de proximidade com

as populações e à sua consolidação no território

nacional. A Feira do Cavalo de Ponte de Lima

atrai anualmente cerca de 150 mil visitantes, sendo um

importante ponto de encontro e negócio para empresas

e indivíduos.

Recorde-se que o cavalo é um símbolo tradicional dos

CTT que está impresso na imagem da empresa, a lembrar

o tempo em que os carteiros o usavam como meio

de transporte. ● jDm

entidades, sendo a grande dinamizadora do movimento

“Zero Desperdício”. Este assenta na parceria entre

estabelecimentos de restauração e instituições de

solidariedade, a quem são oferecidas refeições e outros

bens alimentares não utilizados, combatendo a fome

e as dificuldades de sobrevivência da população mais

carenciada. Estima-se que 360 mil pessoas passem fome

em Portugal, enquanto 50 mil refeições acabam diariamente

no lixo dos restaurantes de todo o país. “Portugal não se

pode dar ao lixo!” é o lema da campanha em curso, que os

CTT já estão a apoiar. ● rm

BREVES

9


ATUAL

10

Em defesa do

património cultural

na Europa

O Príncipe das Astúrias e o Presidente da República

Portuguesa obliteraram o bilhete-postal

que perpetua o congresso anual da Europa Nostra,

que aconteceu pela primeira vez em Portugal. A

cerimónia decorreu no Mosteiro dos Jerónimos,

em Lisboa, durante a entrega dos Prémios União

Europeia para o Património Cultural

Foi no dia 1 de junho que o Mosteiro

dos Jerónimos abriu as suas portas

para acolher a entrega dos prestigiados

Prémios União Europeia para o

Património Cultural – Europa Nostra.

Em 2012 foram galardoados 28

projetos, entre os quais está a

recuperação dos seis órgãos da

Basílica de Mafra, integrando assim

Portugal a lista das melhores práticas

na área da salvaguarda do património.

Seis destes projetos receberam ainda o

Grande Prémio, que distingue

trabalhos de excecional relevância

neste campo.

No decurso da cerimónia teve lugar

a obliteração de 1º dia do

bilhete-postal, que vai levar por esse

mundo fora a preocupação da Europa

Nostra com a preservação do

património cultural e natural.

O Presidente da República Portuguesa,

Aníbal Cavaco Silva, e o Príncipe das

Astúrias, Felipe de Borbón y Grécia,

carimbaram e assinaram o

bilhete-postal na presença de altas

individualidades, de que se destacam

a Comissária Europeia responsável

pela Educação, Cultura, Multilinguismo

e Juventude, Androulla Vassiliou, e o

famoso tenor e presidente da Europa

Nostra, Plácido Domingo. Também os

CTT estiveram representados pelo

Vice-Presidente Pedro Coelho e pelo

Diretor de Filatelia, Raul Moreira.

Este foi, sem dúvida, um dos

momentos importantes do Congresso

anual da Europa Nostra, não

esgotando o programa que, de 29 de

maio a 2 de junho, trouxe à capital

portuguesa muitas das organizações

que a compõem e outras de defesa do

património europeu, assim como

profissionais, voluntários e laureados.


copyriht CNC / EUROPA NOSTRA - Autoria Pedro Melim

Cultura no centro da sociedade

Um fórum subordinado ao tema

“Salvaguardar o Património Ameaçado

da Europa” que contou com o apoio da

Fundação Calouste Gulbenkian, uma

conferência do arquiteto holandês

Wessel de Jonge, responsável pelo

restauro da fábrica de design Van Nelle

em Roterdão e vencedor de um Grande

Prémio Europa Nostra em 2008, assim

como um concerto dos seis órgãos

restaurados e premiados da Basílica de

Mafra, foram outros eventos que

preencheram estes dias.

Plácido Domingo afirmou nas suas

intervenções que, perante a crise, temos

de assumir a emergência de pôr a

defesa da cultura, da criação, do

património e da memória como

primeiras prioridades da sociedade

contemporânea. Guilherme d’Oliveira

Martins, Presidente do Centro Nacional

de Cultura (CNC) e do Tribunal de

Contas, considerou que «precisamos de

uma estratégia coordenada a partir da

complementaridade entre iniciativas da

sociedade civil, dos Estados e das

organizações internacionais e

supranacionais, que ponha a cultura no

centro da sociedade. E Vasco Graça

Moura salientou-o expressamente,

ligando cidadania ativa a proteção

do património».

Em Portugal, a Europa Nostra é

representada pelo CNC, entidade que

organizou este ano a edição do

A OBLITERAÇÃO DE 1º DIA DO

BILHETE-POSTAL, QUE VAI LEVAR POR

ESSE MUNDO FORA A PREOCUPAÇÃO DA

EUROPA NOSTRA COM A PRESERVAÇÃO

DO PATRIMÓNIO CULTURAL E NATURAL,

DECORREU NA CERIMÓNIA DE ENTREGA

DOS PRÉMIOS UNIÃO EUROPEIA

PARA O PATRIMÓNIO

congresso, realizado pela primeira vez

no nosso país.

A Europa Nostra é a voz do

património europeu, congregando

250 Organizações Não Governamentais

e Sem Fins Lucrativos, com uma

representatividade e participação de

cerca de 5 milhões de cidadãos de

toda a Europa. Conta também com o

apoio direto de mais de 1500 membros

individuais e 150 entidades públicas e

empresas. Esta vasta rede dá corpo a

um poderoso movimento de apoio ao

património histórico ameaçado e aos

lugares e paisagens de valor cultural,

procurando salvaguardá-los

para as gerações presentes e

vindouras. • ROSA SERÔDIO

O Príncipe das Astúrias e

o Presidente da República

Portuguesa protagonizaram

o momento da obliteração

do bilhete postal,

na presença de

altas individualidades

ATUAL

11


ATUAL

12

Consciência ambiental

cada vez mais forte

A 5 de junho, o mundo celebrou o Dia do Ambiente. Os CTT não deixaram passar a

data em branco. As iniciativas levadas a cabo refletiram o posicionamento sustentável

da Empresa e registaram elevada adesão dos trabalhadores

«Toda a nossa existência, enquanto

indivíduos e sociedades, depende do

ambiente. A natureza presta-nos serviços

essenciais de suporte à vida, que, de tão

frequentemente usados, nos habituamos

a desvalorizar: o ar que respiramos, a

água que bebemos, os alimentos que

ingerimos, todas as formas de energia

existentes (incluindo as fósseis), o

conforto climático, etc.», refere Luís Paulo,

Diretor de Qualidade e Sustentabilidade

(QDS), a propósito da importância que o

ambiente assume em todo o planeta e da

necessidade da sua preservação por

todos e cada um de nós, enquanto

cidadãos e profissionais. Por isso, os CTT

quiseram assinalar a 5 de junho o Dia

Mundial do Ambiente, procurando

«alertar os seus trabalhadores para esta

realidade, numa perspetiva cívica e de

negócio. Não sendo uma empresa

utilizadora intensiva de recursos

naturais, também influenciamos

significativamente os ciclos naturais:

pelos consumos de energia, água e

papel (sem o qual, por exemplo, não

existiria comunicação em suporte físico),

pelas emissões atmosféricas ou pelos

resíduos gerados. Ao utilizar mais

racionalmente esses recursos e ao

alavancar receitas provenientes da nossa

gama de produtos eco, estamos

simultaneamente a tornar mais

sustentáveis a Empresa e o Planeta».

A ação que decorreu no átrio do Edifício

CTT, em Lisboa, não deixou ninguém

indiferente. A partir das 12h00, os

trabalhadores foram convidados a

participar no jogo da roleta ambiental,

que visava testar os conhecimentos na

matéria. «Os 3 pilares da sustentabilidade

são: económico, social e comunitário?».

Acertaram os que responderam falso. «O

que são as alterações climáticas?». A

resposta correta: «Mudanças

significativas no clima». «O meuselo dos

CTT utiliza papéis e/ou tintas que são...».

A solução surgiu naturalmente: «amigas

do ambiente». As perguntas sucediam-se

a um ritmo imparável. «O vento produz

energia...?», «O que significa os 3 R?»,

«Qual o meio de transporte que emite

mais emissões de CO2 por Km

percorrido?». As réplicas prontas e


O VPCA Pedro Coelho entregou os prémios

aos contemplados do Edifício CTT, em Lisboa

FICOU A CONVICÇÃO DE QUE ESTAS INICIATIVAS CONTRIBUEM CLARAMENTE PARA

O ENVOLVIMENTO E A MOTIVAÇÃO DOS TRABALHADORES, GERANDO MOMENTOS

ALEGRES E DE SÃO CONVÍVIO. E DEMONSTRARAM QUE A PREOCUPAÇÃO COM O

AMBIENTE É UMA CONSTANTE NO UNIVERSO CTT

certeiras revelaram que a lição está bem

interiorizada. E a tômbola depressa se

encheu com as senhas correspondentes

às respostas certas dos trabalhadores que

não hesitaram em aderir à atividade.

Cheirinhos aos molhos...

Por volta das 15h00 foi altura de

encerrar a sessão e passar ao sorteio

dos vencedores. O Vice-Presidente

Pedro Coelho fez questão de entregar a

cada um dos 30 felizes contemplados o

prémio a que tiveram direito: uma planta

aromática. Se de início os primeiros a

responder à chamada ainda puderam

escolher entre a oferta disponível

(óregãos, tomilho, manjericão, coentros,

cebolinho...) o cheiro da sua preferência,

à medida que as plantas iam

encontrando dono, essa possibilidade

esgotou-se. Mesmo assim era visível o

agrado com que as pessoas recebiam o

que lhes cabia.

No lounge contíguo ao átrio decorreu

em simultâneo uma feira do livro

dedicada ao ambiente, promovida pelo

Centro de Documentação e Informação.

O programa só ficou completo com a

realização, no final da tarde, de uma

palestra subordinada ao tema “Hortas

Urbanas – Da Teoria à Prática”. Jorge

Cancela, arquiteto paisagista e dirigente

da AVAAL-Associação para a Valorização

da Alta de Lisboa, falou sobre o conceito

da ecologia cívica numa zona de Lisboa.

Por seu lado, João Pires Belo, geógrafo e

hortelão urbano, trouxe à assistência

uma perspetiva prática. A agricultura

urbana, sob a forma de hortas, é uma

das melhores práticas para a

valorização ambiental, que impulsiona a

melhoria da qualidade de vida nas

cidades, a ligação entre gerações e a

interculturalidade, da comunidade em

geral e dos diretamente envolvidos.

A celebração da data foi alargada aos três

Centros Operacionais de Correio. Na Maia,

Taveiro e Cabo Ruivo, os trabalhadores de

todos os turnos e serviços que aí

funcionam tiveram também oportunidade

de participar em idêntica ação,

respondendo a questões sobre o

ambiente e habilitando-se a ganhar uma

planta. Foi distribuída mais de uma

centena de vasos, sendo o manjerico o rei

da festa nos COC Centro e Sul. Em todos

estes edifícios a satisfação dos

trabalhadores em participar era notória,

as manifestações de agrado foram uma

constante, as sugestões para o

desenvolvimento de atividades

semelhantes e mais frequentes não

paravam de surgir. Ficou a convicção de

que estas iniciativas contribuem

claramente para o envolvimento e a

motivação dos trabalhadores, gerando

momentos alegres de convívio. E

demonstram que a preocupação com o

ambiente é uma constante no universo

CTT, confirmada pelo QDS: «A enorme

adesão às ações levadas a cabo nos

principais polos de concentração de

trabalhadores mostrou que essa

consciência ambiental é cada vez mais

forte entre nós». • ROSA SERÔDIO

ATUAL

COC-N COC-C COC-S

13


ATUAL PORTUGAL CONNOSCO

14

Da Sé do Porto para

o Portugal Connosco

A cidade do Porto foi o cenário de fundo para uma das fotografias

vencedoras do projeto “Portugal Connosco – O Olhar dos Carteiros”.

Um prémio com um sentimento especial para

o Carteiro Manuel Alvim, após uma vida dedicada aos CTT

A zona da Sé é considerada o berço da

cidade do Porto, ordenada em seu redor

depois de ter sido um conjunto de

pequenos povoados. Ao cimo do

terreiro da Sé erguem-se algumas

construções de valia arquitetónica,

como o Paço Episcopal, de onde é

visível um aglomerado de casas

marcado pela diferença de volumes e

cores que se estende até ao Rio Douro.

Foi precisamente uma dessas casas

que serviu de inspiração à fotografia

com que Manuel Alvim se destacou

no projeto “Portugal Connosco - O

Olhar dos Carteiros”.

Manuel Alvim é um rosto já bem

conhecido naquela zona histórica do

Porto. Presença habitual num bairro de

população envelhecida, este Carteiro do

CDP 4000 Porto está sempre disponível

para os clientes que procuram

entabular uma conversa e resgatar um

pouco da sua atenção. Afinal, essa é

uma das características mais marcantes

da profissão do Carteiro em tantas

zonas de Portugal.

Com 38 anos ao serviço dos CTT, Manuel

Alvim fala com orgulho da sua profissão

e do giro da Sé que desempenha há

sete anos: «É um prazer ser carteiro e ter

este giro, gosto das pessoas, as pessoas

gostam de mim e sinto-me bem aqui». O

contacto com a população da Sé é a

particularidade que mais valoriza na sua

profissão e esta realidade está bem

expressa no seu dia a dia pois, como

assinala, «passo aqui grande parte do

meu tempo. Mesmo depois de acabar o

serviço venho para a Sé conviver um

pouco mais com as pessoas».

Entusiasmado com o projeto Portugal

Connosco desde a primeira hora,

Manuel Alvim assume que «esta foi

das melhores ideias que a empresa

teve nos últimos anos e envolveu de

forma apaixonada milhares de Carteiros.

Mais de 80 mil fotografias tiradas é

obra», destaca.


Um reconhecimento merecido

A ideia de participar instalou-se no

preciso momento em que teve

conhecimento da iniciativa dos CTT e

optou por centrar a objetiva da sua

câmara no giro da Sé. A beleza desta

zona histórica consolidou a sua

convicção de que iria ter uma foto

premiada. «Existem muitos pontos de

interesse, por isso todas as fotografias

que tirei foram aqui. Pode-se dizer que

joguei em casa», comenta com clara

boa disposição.

Segundo nos confidencia, «achei que ia

ser premiado com a fotografia de um

fontanário da Sé, mas acabou por ser

esta», aludindo à foto vencedora que

apresenta a fachada de um prédio antigo

com uma cliente especial. A imagem

encantou Manuel Alvim no decurso do

seu giro pois os traços de antiguidade e

envelhecimento do prédio «dão uma

forma abstrata à fachada que achei

muito natural e fora do vulgar. Além

disso, o preto e o branco em contraste

na fachada, mas em sintonia com a

Dona Rosa, vestida de preto com os

cabelos brancos a abrir a porta de casa,

foram uma casualidade interessante».

A frase que escreveu para legendar a

fotografia é ilustrativa disso mesmo:

“Uma fachada rasgada de negro, com

um portal aberto, de tão longe se abre,

de tão perto se vê”. Manuel Alvim relata

que assim que viu «a fachada com o

elemento humano nos mesmos tons

captei logo a fotografia». A Dona Rosa,

sempre sorridente e pronta a conversar,

apressa-se a confirmar: «Estava a meter

a chave à porta quando me tirou a

fotografia. Nem dei fé!». Para depois

acrescentar que vive ali há 59 anos e

que «era um prédio de luxo nessa altura.

Até estrangeiros vinham pedir para ver a

casa por dentro. Agora o prédio está

assim velho, mas pelos vistos continua a

chamar a atenção», acrescenta.

A alegria de ter uma fotografia em

destaque nas dez melhores é bem

evidente no rosto de Manuel Alvim. E as

suas palavras confirmam a linguagem

facial ao relatar que ficou «realmente

contente pois é um prestígio e um

reconhecimento merecido por tantos

anos ao serviço da empresa. Para o final

da minha carreira foi das melhores

coisas que me podia ter acontecido»,

revela emocionado. A rematar,

afirma que «no meio de 80 mil

fotografias tinha de haver muitas

com qualidade. Já vi o livro e há

efetivamente imagens fantásticas, o que

só valoriza a iniciativa». Além da

qualidade expressa das imagens

captadas, este é claramente um projeto

em que os Carteiros ficaram bem na

fotografia. • BRUNO VILÃO

PORTUGAL CONNOSCO

MANUEL ALVIM CONSIDERA O PORTUGAL CONNOSCO

COMO UMA DAS MELHORES IDEIAS QUE A EMPRESA

TEVE NOS ÚLTIMOS ANOS, ENVOLVENDO DE FORMA

APAIXONADA MILHARES DE CARTEIROS

15


RUBRICA CERTIFICAÇÃO OPE

16

A recertificação de

excelência da Estação

de Permuta de Lisboa

(COC-S e EPA) pelo IPC

com pontuação elevada é

motivo de orgulho para os

CTT. É também a certeza

de que o empenho dos

seus trabalhadores na

qualidade focada nos

clientes se manterá

Manter a excelência

O mês de junho trouxe uma boa

notícia para os CTT e em particular

para as equipas da OPE (Operações)

que trabalham no COC-S (Centro

Operacional de Correio do Sul) e

no EPA (Entreposto Postal Aéreo),

constituintes da Estação de Permuta

de Lisboa. O presidente do IPC

(International Post Corporation)

confirmava a extensão durante os

próximos três anos do Certificado

de Excelência pela qualidade

de processamento do correio

internacional, atribuído em 2009

àquelas unidades operacionais (ver

Aposta 78).

Foi o culminar de um processo que

envolveu centenas de profissionais,

desde diretores a carteiros, sob a

orientação de vários gestores e áreas,

com destaque para a OPE, COC-S, EPA

e QDS.

A certificação de excelência do IPC

funda-se num processo independente

liderado por especialistas externos,

sob a supervisão do responsável pela

certificação do IPC. Um questionário

de autoavaliação aplicado ao processo

de certificação aborda e avalia as

áreas de organização do trabalho,

relações de interface e controlo de

qualidade. Numa primeira certificação

exige-se que o operador postal

alcance um mínimo de 90% em cada

uma daquelas três categorias. Já

as recertificações, como foi o caso,

pressupõem padrões mais exigentes.

Uma vez concluída a autoavaliação,

uma equipa de auditores do IPC

realiza uma inspeção in loco,

envolvendo as diversas funções da

Estação de Permuta (Office Exchange),

nomeadamente o inbound, outbound

e as operações da ou das unidades

de correio aéreo. Além disso, a

equipa avalia como é gerido o correio

internacional entre as estações de

permuta e como interagem na parte

do percurso interno e no transporte

internacional, respetivamente.

O certificado de excelência concedido

pelo IPC reconhece aos Operadores

Postais um alto padrão de qualidade

de serviço e garante consistência,

independência, transparência e

gestão pró-ativa entre todos os

membros participantes.

Um processo contínuo

O processo que agora culminou

com a recertificação da Estação de

Permuta de Lisboa para os próximos

três anos envolveu diretamente

134 trabalhadores do COC-S (Cabo

Ruivo) ligados ao tratamento e à

expedição do correio internacional

e 21 da unidade de correio aéreo

do aeroporto, o EPA, que constitui a

primeira fase na componente Inbound,

além de, na expedição, zelar pelos

procedimentos de entrega e custódia

do correio nas mãos dos handlers.

Isto, para lá de outros profissionais

da Qualidade e das Operações

que acompanharam a evolução

do processo e interagiram com os

responsáveis do IPC.

Como evidencia o QDS Luís Paulo,

numa análise ao relatório de

auditoria de manutenção do IPC,

este novo período de certificação


aPOSTa 108

Nuno Lopes prepara o envio de mais uma expedição

que a equipa do EPA fará seguir no voo respetivo

trienal foi acompanhado por uma

pontuação excelente que coloca os

CTT nos lugares de topo do ranking

europeu, no correio internacional.

Importa acrescentar que à excelência

dos profissionais intervenientes,

o investimento nas tecnologias e

sistemas de controlo concorreram

decisivamente para a manutenção

do reconhecimento alcançado. É o

caso do controlo dos trajetos das

correspondências, da avaliação

dos prazos de entrega e a melhoria

das performances onde são usadas

modernas tecnologias de RFID (rádio

frequência), entre outras inovações

de caráter tecnológico, operacional

e de organização. Acresce relevar

o excelente trabalho de equipa na

elevação dos níveis de qualidade

no processamento do correio

internacional, tendo sido avaliados

cerca de 201 itens, repartidos pelas

três grandes categorias já referidas.

Parâmetros com exigências mínimas

requeridas para o processo de

recertificação de 91%, mas que

superámos com um score total de

95%. Um resultado final tanto mais

significativo, como salientou o COCS

Nuno Galão, tendo em consideração

que «Portugal ocupa a periferia do

continente europeu, dependendo

muitas vezes de fatores alheios, como

as ligações aéreas, para cumprir o

desejado D+1», ao contrário de países

situados no centro da Europa que têm

alternativas fiáveis de transportes.

De acordo com os dados disponíveis

relativos a maio de 2012 os índices

de eficiência do COC-S relativamente

ao correio inbound e outbound eram

respetivamente de 98,80% e 99,70%,

bem acima dos padrões exigidos.

Outro dado interessante assenta na

média mensal de tráfego de correio

internacional com cerca de 7,5 milhões

de objetos entrados e tratados a que

corresponde aproximadamente 265

mil quilos. Nuno Galão manifestou

ainda a satisfação pela empresa e

toda a sua equipa terem superado

os referenciais exigentes do IPC

associados a esta auditoria de

A CERTIFICAÇÃO DE ExCELêNCIA

DO IPC FUNDA-SE NUM PROCESSO

INDEPENDENTE LIDERADO POR

ESPECIALISTAS ExTERNOS, SOB A

SUPERVISÃO DO RESPONSáVEL PELA

CERTIFICAÇÃO DO IPC

CERTIFICAÇÃO RUBRICA OPE

manutenção, confirmando mais três

anos de excelência reconhecida, mas

que anualmente será avaliada por

auditorias internas rigorosas.

Tendo a supervisão do EPA, João

Patrocínio (COQ+RICAM) aludiu ao

empenho dos trabalhadores neste

processo e ao papel importante dos

“ground handlers”, parceiros que

tomam a custódia das malas de

correio no interface com os aviões.

Por isso, para lá dos trabalhadores do

EPA, também eles foram envolvidos

(Ground Force e Portway) para que

tudo corresse harmoniosamente e o

processo de certificação não pudesse,

por qualquer não conformidade

exterior, vir a ser posto em causa.

Reconheceu que a perceção pela

equipa de que a certificação, além

do aspeto operacional, também tem

implicações comerciais (utilização de

Lisboa para estação de trânsito de

correio) cimentou um envolvimento já

de si habitual. Finalmente, sublinhou

o trabalho desenvolvido por Isabel

Oliveira do RICAM que liderou o

17


RUBRICA CERTIFICAÇÃO OPE

18

Elementos da equipa do REG/INT do COC-S

Nuno Galão gere o COC-S, agora

recertificado pelo IPC

processo de instalação do IPS, sistema

que gere toda a atividade do EPA e

constitui a âncora do processo de

certificação, e por Humberto Silva no

acompanhamento de toda a operação

e preparação para a certificação.

O caminho percorrido foi longo e teve

assento com uma primeira certificação

também pelo IPC em outubro de 2005.

Seguiram-se três anos de atividade

certificada. Findo o período, concluiu-

-se uma auditoria de manutenção

que foi superada com distinção. Após

um ajuste de agenda, decorreu nova

auditoria que resultou na manutenção

da certificação de excelência do IPC

em junho de 2009 por mais três anos,

agora renovado até 2015. Cumpre

notar que entre as auditorias IPC

procedeu-se à implementação de

várias recomendações de melhoria e

realizaram-se anualmente auditorias

internas, um processo coordenado por

Ana Simão, da QDS.

Como nota complementar, registe-se

que paralelamente à certificação IPC,

os COC já se encontram certificados

pelas normas ISO para diversos

referenciais (qualidade, ambiente e

segurança). O EPA também já iniciou

esse processo.

Duas vozes autorizadas

Numa visita ao turno da noite do

COC-S, Nuno Lopes, carteiro há 21

anos, que integra a equipa dos

Registos e Correio Internacional (REG/

INT) desde 2002, testemunhou a

alegria que sentiu pela recertificação e

o orgulho por pertencer a uma equipa

altamente reconhecida. Assinalou que

a extensão da certificação culminava

o empenho de todos os trabalhadores

que se esforçaram por um objetivo

comum. E porque trabalham a pensar

nos clientes/destinatários, deixou

ainda escapar um sentimento de

afetividade, lembrando que nas épocas

festivas sobressai a preocupação de

nunca falhar. «São tempos em que o

Parte da equipa do EPA com Mauro Traça (1º à

esquerda) e João Patrocínio (4º a contar da direita)

APESAR DE PORTUGAL DEPENDER MUITAS VEzES DE FATORES ALhEIOS, COMO AS

LIGAÇõES AÉREAS, PARA CUMPRIR PRAzOS, ENCONTRA-SE NO TOPO DO RANkING IPC

tráfego aumenta consideravelmente e

abundam as chamadas “encomendas

da saudade” que importa chegarem em

tempo útil aos seus destinatários...».

Nuno Lopes rematou a sua intervenção,

acreditando que vão manter os níveis

de excelência como resultado de

uma rotina de sucesso, porque «aqui

ajustamos a oferta à procura e temos

sempre como objetivo “saldos zero”».

Mauro Traça, responsável interino pelo

EPA quando a Aposta ali se deslocou,

é um dos 21 profissionais da “air mail

unit” (AMU) de Lisboa que se orgulham

dos resultados alcançados e vivem com

responsabilidade a manutenção de

altos padrões de serviço. Há 13 anos

no EPA, interveio em todas as fases do

processo. «Tínhamos consciência de

que este teste era muito importante

para a Empresa», por isso o empenho

entre todos foi grande, assim como nas

relações com os parceiros que operam

diretamente com o EPA. «Apesar das

maiores exigências que o processo

deste ano envolveu, o profissionalismo

reconhecido e a coesão da equipa que

trabalha em conjunto há já alguns anos

ajudaram a superar mais este desafio».

● josé DuartE martins


CAPA

20

A chegada das 28 delegações do

Centro de Desporto, Cultura e Recreio

(CDCR) dos CTT a Leiria dificilmente

poderia passar despercebida, até ao

mais distraído transeunte: tal era o

mar de gente, vestida a rigor nos tons

da bandeira corporativa (encarnado e

branco), que desfilava ao compasso

enérgico dos bombos dos Cartapum,

do CDCR do Porto.

O encontro estava marcado no antigo

Mercado Sant’Ana, atual Centro

Cultural, onde, mesmo antes do

desfile, o Vice-Presidente dos CTT,

Pedro Coelho, o Presidente da Câmara

Municipal de Leiria, Raul Castro, e o

A grande festa

da família postal

Presidente da Comissão Organizadora

dos XXVII Jogos Nacionais, João

Campos, assinaram e carimbaram o

Inteiro Postal alusivo ao evento.

À medida que as delegações do CDCR

foram preenchendo o espaço do

antigo mercado, o eco das salvas de

palmas soava cada vez mais alto e a

animação dos atletas tornou-se mais

do que evidente.

Sem fazer esperar a plateia - que o sol

já ia alto - o Presidente da Comissão

Organizadora, João Campos, deu

início à sessão de abertura com um

discurso de boas-vindas, expressando

a «imensa alegria e satisfação» da

Entre os dias 7 e 10 de junho, Leiria

vestiu-se de encarnado e branco para

receber a vigésima sétima edição dos

Jogos Nacionais dos CTT. Cerca de 850

pessoas participaram com entusiasmo

na festa do desporto e da cultura

organizada pelo CDCR

Delegação do CDCR de Leiria em

receber todos os participantes.

O Presidente da Union SCIPT (Union

for Sports, Culture and Tourism in the

Postal and Telecommunication Sector),

John Saliba, presença assídua nos

Jogos Nacionais dos CTT, dirigiu-se

à assistência em português, apesar

da sua nacionalidade maltesa,

para manifestar o seu «orgulho em

estar mais uma vez com os CTT,

na maravilhosa e histórica cidade

de Leiria».

Tomou, depois, a palavra o Presidente

da Direção Nacional do CDCR, Rui

Cabaço, que agradeceu o empenho


aPOSTa 108

da Comissão Organizadora e o apoio

da Câmara Municipal de Leiria. Rui

Cabaço enalteceu ainda o «apoio

claro e inequívoco que a nossa

Empresa, através do seu Conselho

de Administração, concedeu para

que nada faltasse a este grande

evento, que é o orgulho do CDCR e um

prestígio para os CTT».

O Presidente da Câmara Municipal de

Leiria, Raul Castro, proferiu um breve

discurso para dar as boas-vindas aos

participantes e desejar-lhes sucesso

nas competições.

Logo de seguida, subiu ao palco o

Vice-Presidente dos CTT, Pedro Coelho,

para declarar solenemente abertos os

XVII Jogos Nacionais. O VPCA dirigiu-

-se ainda aos atletas, salientando que

estes são sempre «um exemplo de

animação, desportivismo e coragem».

Desporto, Cultura e (muita!) amizade

Andebol, Atletismo, Bowling, Damas,

Futsal, Pesca, Setas, Snooker, Ténis de

Campo, Ténis de Mesa, Tiro ao Alvo,

Tiro aos Pratos, Voleibol e Xadrez são

as modalidades desportivas que se

disputam durante os quatro dias em

que se realizam os Jogos Nacionais. O

À MEDIDA qUE AS DELEGAÇõES DO CDCR FORAM

PREENChENDO O ESPAÇO DO ANTIGO MERCADO,

O ECO DAS SALVAS DE PALMAS SOAVA CADA

VEz MAIS ALTO E A ANIMAÇÃO DOS ATLETAS

TORNOU-SE MAIS DO qUE EVIDENTE

O VPCA dos CTT, Pedro Coelho, a discursar na abertura oficial dos Jogos Nacionais

(à esquerda) e a carimbar o inteiro postal alusivo ao evento (à direita)

Estádio Municipal Magalhães Pessoa

serviu de cenário principal, sendo

que as modalidades complementares

decorreram na Pista de Pesca de

Monte Real e Carreira (no rio Lis), no

Campo de Tiro da Rota do Sol, no

Centro Internacional de Ténis de Leiria,

no “Good Bowling”, e nos Pavilhões

de Parceiros e Telheiro, Gândara dos

Olivais e Pousos.

Apesar de a luta pelos primeiros

lugares do pódio ser bem renhida, o

espírito de equipa, o companheirismo

e a amizade foram transversais ao

longo de todas as competições.

Manda a tradição que os Jogos

Nacionais dos CTT incluam sempre um

programa cultural bem preenchido e

Os CTTom, do CDCR de Lisboa

este ano não foi exceção. No jantar

de abertura, a animação esteve a

cargo do artista Martim Vicente, um

dos finalistas do programa televisivo

“Ídolos”, e do Grupo de Fados do CDCR

de Lisboa. No dia seguinte, o Grupo

de Cantares do CDCR de Braga e os

CTTom de Lisboa animaram o festival

de música portuguesa que decorreu

no bonito Jardim Luís de Camões, o

maior espaço verde de Leiria, que se

desenvolve ao longo das margens do

rio Lis. Para sábado ficou reservada a

atuação dos Grupos Corais dos CDCR

de Beja, Coimbra, Funchal e Lisboa, no

Orfeão de Leiria, do Grupo Etnográfico

do CDCR do Porto e dos Grupos de

Danças e Cantares dos CDCR de

CAPA

21


CAPA

22

APESAR DE A LUTA PELOS PRIMEIROS LUGARES DO

PóDIO SER BEM RENhIDA, O ESPíRITO DE EqUIPA, O

COMPANhEIRISMO E A AMIzADE FORAM TRANSVERSAIS

AO LONGO DE TODAS AS COMPETIÇõES

Coimbra e Santarém, durante o festival

de Folclore que decorreu também no

Jardim Luís de Camões.

Uma justa homenagem

Domingo, 10 de junho, foi dia de

despedidas e de regresso a casa, mas

não sem antes se realizar um dos

momentos mais aguardados deste

evento: a entrega dos troféus aos

vencedores, de que se encarregou o

ADCOO dos CTT, Carlos Dias Alves.

O administrador dirigiu-se ainda à

assistência e elogiou o empenho

da Direção Nacional do CDCR e

da Comissão Organizadora na

concretização dos XXVII Jogos Nacionais.

Ainda a anteceder o encerramento

oficial da jornada, o Presidente do

CDCR, Rui Cabaço, prestou homenagem

ao fundador dos Jogos Nacionais –

– Américo Rodrigues – cujos 92 anos

de idade não o impediram de estar

presente no evento. É graças a este

antigo quadro dos CTT que, já desde

1965, a cada dois anos, a grande

família postal se reúne para participar

nas competições desportivas, que

constituem um feliz pretexto para

conviver e reencontrar amigos de

longa data. ● inÊs noronHa maCEDo


aPOSTa 108

Ténis de Campo – Veteranos

Henrique Tavares em representação de Luís

Nascimento / Almada

Ténis de Mesa – Veteranos

António Pereira / Porto

Ténis de Campo – Seniores

João Miguel Campos / Leiria

Snooker

Ivo Dias / Porto

Os vencedores

Ténis de Campo – Seniores Femininos

Filomena Geraldes / Lisboa

Xadrez

José Paulino / Faro

Bowling – Femininos

Helena Gomes / Porto

Tiro ao Alvo

José Costa / Portimão

Ténis de Mesa - Seniores

Arménio Ferreira em representação de

Hélder Costa / Porto

Setas – Femininos

Anabela Pavão / Ponta Delgada

Bowling – Masculinos

Ângelo Silva / Porto

Tiro aos Pratos

Alberto Rodrigues / Castelo Branco

CAPA

23


CAPA

24

Atletismo – Veteranos

Gaudêncio Lopes / Aveiro

Pesca

Hermínio Martins / Braga

Já DESDE 1965 qUE, A CADA DOIS

ANOS, A GRANDE FAMíLIA POSTAL

SE REúNE PARA PARTICIPAR NAS

COMPETIÇõES DESPORTIVAS, qUE

CONSTITUEM UM FELIz PRETExTO

PARA CONVIVER E REENCONTRAR

AMIGOS DE LONGA DATA

Voleibol Misto - Funchal

Setas – Masculinos

Luís Nobre / Caldas da Rainha

Comissão Organizadora do CDCR de Leiria

Futsal - Lisboa

Andebol - Leiria

Damas

Paulo Areias / Coimbra


RUBRICA PRÉMIOS NEURóNIO

26

Os prémios com mais

pinta do ano!

A festa das estatuetas para os melhores do Marketing

Relacional tardou mas não faltou. Gente cheia de pinta

rumou ao centro da cidade para aclamar os melhores

trabalhos do ano e os profissionais mais inspirados

Os Prémios Neurónio 2012 quiseram

provar que o Marketing Relacional

tem pinta que nunca mais acaba.

O Cinema São Jorge abriu as

portas a 31 de maio e juntou os

profissionais do setor para festejar a

criatividade nacional com a entrega

dos galardões mais prestigiados do

país, entre publicitários, anunciantes,

marqueteiros e entusiastas na arte de

comunicar emoções.

«Espero que todos tenham trazido as

suas pintas!», desafiava Carla Cruz

no discurso inicial que daria lugar

à aguardada cerimónia de entrega

das cobiçadas estatuetas. Já lá vão

21 anos desde que os CTT e a APAP

(Associação Portuguesa das Empresas

de Publicidade, Comunicação e

Marketing) começaram a organizar em

parceria esta que é a mais importante

festa anual de reconhecimento da

excelência, nas estratégias e soluções

criativas que melhor compreendem a

linguagem dos estímulos e aproximam

anunciantes de consumidores.

Ao longo dos anos o evento tem

crescido, com o apoio de outros

parceiros como a APAN (Associação

Portuguesa de Anunciantes), a

AMD (Associação de Marketing

Direto) e a ACEPI (Associação do

Comércio Eletrónico e da Publicidade

Interativa), hoje contando também

com a colaboração ativa das revistas

especializadas Marketeer e Meios &

Publicidade.

A presente edição sofreu alguns

atrasos em relação às anteriores,

com o difícil encontro de agendas e

disponibilidade de datas para marcar

a festa no calendário. Acabou por

deslizar de um ano para o outro, o

que só aumentou as expectativas

dos participantes. Encontradas as

condições ideais, as pessoas com

mais pinta da cidade vieram até à

Avenida da Liberdade para um fim

de tarde diferente. O Cinema São

Jorge recebeu os convidados para o

evento que revelaria os vencedores,

de entre 65 trabalhos inscritos por

11 entidades participantes.

«Este ano também sentimos as

dificuldades que o país está a

atravessar, com uma diminuição na

inscrição de trabalhos e na participação

em geral, mas que não se refletiu na

qualidade dos trabalhos. Estamos por

isso hoje aqui a celebrar algo de grande


aPOSTa 108

A IMAGEM DO wEBSITE FOI

CONSTRUíDA COM A AJUDA DO

PúBLICO. OS PARTICIPANTES

ACRESCENTARAM AS SUAS PINTAS

AO LAyOUT E CRIARAM UM MOSAICO

COM MAIS DE 1075 UPLOADS

relevância num momento de crise e

de gestão orçamental orientada para

os resultados, que é a preocupação

com a eficiência e com o retorno dos

investimentos. Essa é a principal

mensagem desta edição», que viria a

dar o mote para a conferência da tarde,

anunciou Carla Cruz, a Diretora de

Marketing dos CTT.

Para debater o tema “Marketing

Effectiveness – an investment

perspective” foi convidado o

especialista britânico Andrew Sharp,

que veio a Portugal falar da sua

experiência, apresentando exemplos

práticos de como ajudar as marcas

a conquistarem uma verdadeira

vantagem competitiva e sensibilizando

a audiência para a importância do

retorno dos investimentos. Andrew

Sharp é formado em Psicologia e dirige

hoje a sua empresa Value-Judgement,

vocacionada para a análise de eficácia

do marketing no Reino Unido e

na Irlanda.

A lixívia e o relógio

«Quem é que aqui me sabe responder

qual é o principal objetivo do

marketing? Vender mais ou fazer

dinheiro? O que acham?», começou por

perguntar o conferencista convidado

desta 21ª edição dos Prémios

Neurónio. «As duas coisas estão

naturalmente relacionadas e é um

facto que o marketing visa maximizar o

retorno dos investimentos, mas o real

propósito das estratégias de marketing

não é apenas vender mais produtos.

É fazer dinheiro!». O que se pretende é

criar valor, de tal modo que a relação

entre o custo de produção e o preço

de comercialização permitam a maior

margem de lucro possível.

As técnicas são cada vez mais

criativas para comunicar valor aos

consumidores, apelando à qualidade,

à necessidade, à identidade, à

personalização e à diferenciação. Só

assim se percebe que um frasco de

lixívia Domestos de 750 ml, com um

custo de produção de €0,13, possa ser

Carla Cruz, Diretora de Marketing dos CTT

PRÉMIOS NEURóNIO RUBRICA

vendido ao preço de retalho de €1,15,

com uma margem de lucro de 785%.

Ou no caso das vendas de artigos de

luxo, um relógio Omega Speedmaster,

que custa €125,00 a produzir, seja

comercializado por cerca de €1.950,00

com um proveito de 1460%. É isto que

o marketing faz. E assim se pagam as

campanhas com os George Clooneys, as

Nicole Kidmans ou os Daniel Craigs.

As estratégias de marketing bem

sucedidas são aquelas que trazem

maior retorno a qualquer negócio. Há

que fomentar o interesse e a procura,

para depois colher resultados. O

processo de construir a reputação de

marcas e produtos tem evoluído muito

nos últimos anos, sob a influência

27


RUBRICA PRÉMIOS NEURóNIO

28

O VPCA Pedro Coelho e Luis Filipe Borges

das novas tecnologias e da internet

que estão a mudar o paradigma dos

mercados e o comportamento dos

tradicionais grupos alvo. As campanhas

televisivas e radiofónicas, que no

passado eram as grandes difusoras

de publicidade em massa, estão a

ser destronadas pelo poder das redes

sociais. E cada vez se torna mais

difícil vender gato por lebre, quando o

consumidor também tem o poder de

influenciar os seus pares, positiva ou

negativamente, a respeito de qualquer

novidade.

Criar relações duradouras e fidelizar

clientes é por isso o grande desafio da

atualidade. E o marketing relacional,

que utiliza meios complementares de

contacto com os consumidores, tem

um papel importante a desempenhar.

O Direct Mail, que é a forma de

publicidade postal endereçada a

bases de clientes selecionadas, além

de permitir uma considerável redução

de custos por ser direcionada a

clientes reais e potenciais em áreas

geográficas de maior interesse, pode

explorar o impacto físico que as peças

físicas enviadas por correio geram.

A criatividade de apelar aos cinco

sentidos é um filão inesgotável que os

media digitais têm o dom de potenciar.

As experiências são partilhadas,

sugeridas, comentadas e difundidas

em cadeia de forma exponencial. É só

fazer like.

Mas apesar do mundo virtual ter cada

vez mais expressão, a relação com

os clientes procura ser cada vez mais

próxima, física e cúmplice. É aí que o

Marketing Relacional pode surpreender

e provocar estímulos emocionais

que perdurem no tempo. No reino

da comunicação tridimensional há

vantagem em conhecer bem a pinta

dos consumidores.

Uma festa às pintas

Esta edição dos “Melhores Pintas em

Marketing Relacional” arrancou com

o lançamento oficial do concurso no

dia 1 de março de 2012. Foi enviado

um mailing alusivo ao tema da festa,

apelando à participação e remetendo

os participantes para o site dos Prémios

Neurónio, onde um teaser convidava

os internautas a integrar o mosaico

“Tenho Pinta de…”. A imagem foi sendo

construída ao sabor da criatividade

coletiva, os participantes iam

acrescentando as suas ideias no layout

do site através do upload de imagens

diversas. O público criou um mosaico

no website com mais de 1075 pintas.

A presença e partilha do tema na rede

social Facebook também teve um

papel determinante na projeção dos

Prémios Neurónio 2012, contribuindo

para 647 visitas ao site e permitindo

que 44.628 pessoas individuais

vissem os conteúdos associados à

página eletrónica de referência. As

inscrições encerraram a 17 de abril e a

A CERIMóNIA DE ATRIBUIÇÃO

DOS PRÉMIOS NEURóNIO FOI

APRESENTADA PELO COMEDIANTE

LUíS FILIPE BORGES, TAMBÉM

CONhECIDO POR “BOINAS”, UMA

DAS CARAS CONhECIDAS DO

PROGRAMA TELEVISIVO “5 PARA A

MEIA-NOITE”

Andrew Sharp

apreciação dos trabalhos foi confiada a

um júri de reputados profissionais que

dariam o veredicto sobre a excelência

das propostas.

O elenco responsável pela seleção dos

pintas do ano foi presidido por Filipa

Nascimento (TMN), acompanhada por

Ana Luísa Fontoura (Fnac Portugal),

André Novais de Paula (IPAM), Jorge

Coelho (OgilvyOne), Miguel Abreu

(Nespresso Portugal e APPM), Pedro

Batalha (Fullsix Portugal) e Rui Lourenço

(Euro RSCG).

O segredo esteve bem guardado até ao

dia da festa. Os convidados chegaram

ao final da tarde ao Cinema São Jorge

e foram recebidos com pinta nacional,

num beberete de acolhimento onde

não faltou a genuína identidade lusa:

pastéis de bacalhau, chouriço e broa,


aPOSTa 108

BOA PINTA PARA O MAILING “ExTENSÃO”

DA CTT ExPRESSO qUE RECEBEU A MENÇÃO

hONROSA NA CATEGORIA B2B. OS CLIENTES

RECEBERAM PELO CORREIO UMA ExTENSÃO DE

TOMADA TRIPLA, COM A FORMA DE UMA CARRINhA

DA FROTA DA EMPRESA

caldo verde e cervejas mini rodaram

de mão em mão, animando o espaço

e mostrando que o que é português é

bom. As estatuetas seriam mais uma

prova disso.

A apresentar o espetáculo de atribuição

dos Prémios Neurónio só poderia

estar um grande pintas. O mestre-

-de-cerimónias foi o comediante Luís

Filipe Borges, também conhecido por

“Boinas”, uma das caras conhecidas

do programa televisivo “5 Para a

Meia-Noite”. E a tarde contou com

O MkT e a COM em festa animada

muitos momentos divertidos sob a sua

batuta, numa sucessão de prémios e

menções honrosas distribuídos por

10 categorias distintas, 3 prémios

especiais e 4 prémios globais.

Os principais galardões foram

atribuídos à Melhor Campanha eleita

pelo Público “Staples Troika – A Crise

Pela Poupança” e à Melhor Campanha

eleita pelo Júri “Pomar Compal –

–Semear P’ra Ganhar”.

A Sumol+Compal recebeu o troféu de

Melhor Anunciante e a Fullsix Portugal

conquistou o título de Melhor Agência.

E quem tem pinta tem prémio

A CTT Expresso obteve uma Menção

Honrosa na categoria Business to

Business (B2B), com um trabalho

inserido na campanha de comunicação

integrada (Imprensa, Outdoor, Rádio),

que foi difundida em novembro de

2011. O Direct Mail da CTT Expresso

“Somos a extensão do seu negócio”,

concebido pela agência STRAT, foi

mailing campanha extensão ctt expresso

enviado a colaboradores e clientes

empresariais, potenciando o

envolvimento dos targets com a marca.

O feedback desta campanha foi

bastante positivo, pela inovação,

criatividade e utilidade da peça: uma

extensão de tomada tripla com a forma

de uma carrinha da frota CTT Expresso.

A empresa líder do mercado B2B no

setor do correio urgente e logística tem

privilegiado a proximidade no contacto

com os seus stakeholders, fator

que a distingue entre os operadores

CEP (Courier, Express & Parcels) em

Portugal. E assim se ganham prémios.

A tarde passou num piscar de olhos.

Os vencedores estão de parabéns.

Muitas palmas para todos no final, com

os cumprimentos do Vice-Presidente

dos CTT, Pedro Coelho, que presidiu

à cerimónia. Ficou a vontade de

continuar a promover encontros como

este, onde se celebra a criatividade e a

imaginação. E está pintado o retrato.

● raquEl moz

PRÉMIOS NEURóNIO RUBRICA

29


RUBRICA PRÉMIOS NEURóNIO

30

E os Prémios Neurónio 2012 vão para…

CATEGORIAS GERAIS CATEGORIAS TÉCNICAS

A. B2C (Business to Consumer)

Campanha: Sagres Somos Gulosos

Agência: Grand Union

Anunciante: Sociedade Central de

Cervejas

Menção honrosa

Campanha: Padrinhos MIAU MIAU

Agência: tribeCRM

Anunciante: EFFEM

Menção honrosa

Campanha: STAPLES TROIKA - A Crise

pela poupança

Agência: tribeCRM

Anunciante: Staples Office Center

B. B2B (Business to Business)

Campanha: Microscópio

Agência: Sardinha Comunicação

Anunciante: ANA Aeroportos

Menção honrosa

Campanha: Mailing Campanha Extensão

Agência: STRAT

Anunciante: CTT Expresso

C. Caráter não lucrativo

Campanha: Lixo para a Moody’s

Agência: Proximity Digital

Anunciante: Proximity Digital

Menção honrosa

Campanha: Carta de Prisioneiro

Agência: McCann Erickson

Anunciante: Amnistia Internacional

D. Autopromoção

Campanha: NOSSA HORA. Screensaver

oficial da hora portuguesa.

Agência: NOSSA

Anunciante: NOSSA

E. Melhor Direct Mail

Campanha: ORIGAMI - Extracto Digital

Agência: NOSSA

Anunciante: Activo Bank

F. Melhor Direct Digital (website, Ação

Digital ou Social Media)

Campanha: Pomar Compal - Semear P’ra

Ganhar”

Agência: Fullsix Portugal

Anunciante: Sumol+Compal

Menção honrosa

Campanha: Makiver

Agência: Fullsix Portugal

Anunciante: AKI

Menção honrosa

Campanha: Europoupança – Tio

Manzarrinhas

Agência: Fullsix Portugal

Anunciante: McDonald’s Portugal

Menção honrosa

Campanha: Super Bock Puxa pela

amizade

Agência: Fullsix Portugal

Anunciante: Unicer

G. Melhor Ação de Field Marketing ou

Media Alternativo

Não tem vencedor

h. Melhor Programa de Fidelização /

Programa de CRM

Campanha: Sagres VIP Tour

Agência: Grand Union

Anunciante: Sociedade Central de

Cervejas

I. Melhor Ação Mobile

Não tem vencedor

J. Melhor Campanha Integrada

Campanha: The Match Ford Focus

Agência: OgilvyOne

Anunciante: Ford Lusitana SA

PRÉMIOS ESPECIAIS

Prémio Eficácia

Campanha: Pomar Compal - Semear P’ra

Ganhar”

Agência: Fullsix Portugal

Anunciante: Sumol+Compal

Prémio Campanha Green

Não tem vencedor

Prémio Inovação

Campanha: Super Bock Puxa pela

amizade

Agência: Fullsix Portugal

Anunciante: Unicer

PRÉMIOS GLOBAIS

Melhor Campanha eleita pelo Público

Campanha: Staples Troika – A Crise Pela

Poupança

Agência: tribeCRM

Anunciante: Staples Office Center

Melhor Campanha eleita pelo Júri

Campanha: Pomar Compal - Semear P’ra

Ganhar”

Agência: Fullsix Portugal

Anunciante: Sumol+Compal

Melhor Anunciante

Sumol+Compal

Melhor Agência

Fullsix Portugal


DAR UM GIRO

32

O baluarte defensivo

do Algarve

A vila de Castro Marim está bem guardada no recanto mais a leste da costa algarvia.

A paisagem natural aliada ao património histórico deslumbra ao primeiro contacto,

enquanto os “Dias Medievais” dão as boas-vindas a uma viagem pelo tempo

Como num livro de estórias de encantar,

passear pelas ruas de Castro Marim é um

convite explícito a abraçar o imaginário

da Idade Média. Lugar de indescritíveis

encantos e envolta numa quietude que

parece fazer suspender o tempo, esta vila

histórica foi desde sempre eleita como

reino encantado. Considerada como o

baluarte defensivo do Algarve, Castro

Marim parece esquecida no recanto mais

a leste da costa algarvia, mas não parou

no tempo e continua a encantar os

viajantes com a sua paisagem natural, o

património histórico e religioso, a

gastronomia e o artesanato.

A simbiose perfeita entre a beleza

paisagística, histórica e cultural faz

desta vila algarvia um autêntico convite

aos sentidos. A sobranceria da vista

sobre o Guadiana e sobre a reserva

natural do Sapal, assim como a

imponência do castelo e do forte,

passando pela singularidade das

igrejas, deslumbram ao primeiro

contacto e marcam o compasso de um

passeio inesquecível.

A vila ocupa uma posição estratégica,

desde cedo utilizada para proteger a

costa sul portuguesa. Terra onde os

fenícios se estabeleceram desde os

primórdios da história em busca de

cobre e estanho, Castro Marim foi

posteriormente ocupada pelos mouros

durante vários séculos até à conquista

cristã em 1242. Em 1277, D. Afonso III

concedeu-lhe Carta de Foral com grandes

privilégios para atrair população mais

facilmente àquela zona, mandando

erguer o castelo medieval, onde

inicialmente a vila se desenvolveu. Do

alto do castelo, classificado como

Monumento Nacional desde 1920, é


possível uma visão de 360 graus sobre

Espanha, o rio Guadiana, Vila Real de

Santo António, o Oceano Atlântico, o

Sapal, a ponte Internacional do

Guadiana, a serra algarvia e paisagens a

perder de vista.

Praça militar de relevo

Com a entrada no século XV, e com o

incremento das campanhas

ultramarinas, a Coroa Portuguesa

encontrou no Algarve o melhor

posicionamento geográfico e estratégico.

A proximidade ao norte de África

permitia manter mais facilmente as

praças portuguesas no continente

africano, além de controlar possíveis

ataques de corsários vindos do sul ou da

vizinha Espanha.

Dada a importância militar acrescida

deste ponto, D. João IV mandou restaurar

o castelo e fazer novas obras de

DAR UM GIRO

A SIMBIOSE PERFEITA ENTRE

A BELEZA PAISAGÍSTICA E

HISTÓRICA FAZ DESTA VILA

ALGARVIA UM AUTÊNTICO

CONVITE AOS SENTIDOS

fortificação, construindo o Forte de

S. Sebastião e o Revelim de Santo

António, no âmbito das Guerras da

Restauração com Espanha em 1640.

Castro Marim tornava-se assim na praça

militar mais importante de todo o

Algarve, altura em que a vila começou a

crescer para fora do recinto muralhado.

O Revelim de Santo António, de menores

dimensões, teve igualmente um valor

estratégico assinalável pela sua posição

33


DAR UM GIRO

34

dominante sobre o curso do Guadiana.

No interior deste Revelim edificou-se a

Ermida de Santo António, uma

construção barroca de elevada

qualidade arquitetónica. Recentemente,

a recuperação e requalificação da colina

do Revelim teve como objetivos a

reabilitação da estrutura militar, da

Capela de Santo António, do Moinho e

da Praça de Santo António, bem como a

criação de uma estrutura de apoio à

receção turística do Concelho. Esta

intervenção, vital para o

desenvolvimento cultural de Castro

Marim, conduziu também à construção

de um anfiteatro ao ar livre, de espaços

de hortas tradicionais e de um jardim de

inspiração andaluza que proporciona

um agradável passeio.

Entre o património histórico e

a beleza natural

Na ondulação que liga os dois montes

que abrigam Castro Marim, ergue-se a

Igreja Matriz de Nossa Senhora dos

Mártires, a Santa Padroeira da vila.

Inicialmente edificada no século XVI, e

CASTRO MARIM É A VILA

TIPICAMENTE ALGARVIA

DE CASAS CAIADAS

DE BRANCO COM O AZUL,

O VERDE E O AMARELO

A DOMINAR

OS APONTAMENTOS

DAS FACHADAS

ampliada no final do século XVIII, esta

igreja destaca-se das casas da vila pela

sua bonita cúpula e convida a uma

observação mais detalhada.

Protegida entre o Castelo e o Forte de São

Sebastião, Castro Marim é a vila

tipicamente algarvia de casas caiadas de

branco com as barras das portas e janelas

pintadas de cores vivas. O azul, o verde e

o amarelo dominam os apontamentos

das fachadas, emprestando uma certa

intemporalidade bem conservada à vila,

pois todas as ruas refletem a típica

arquitetura algarvia de cariz popular. Mas

mais relevante que a construção

arquitetónica das casas são as chaminés

que, balançando entre a originalidade e o

geometrismo, assinalam a

individualidade das habitações.

Mas o encanto de Castro Marim não se

esgota no seu património histórico e no

carácter pitoresco da vila. Mesmo ao

lado, em torno do rio Guadiana,

desenvolveu-se um habitat original que

é local de grande atração. O Sapal de

Castro Marim é o local de abrigo e

reprodução de numerosas espécies de

peixes, moluscos e crustáceos,

funcionando como viveiro natural.

Classificado como reserva natural, é um

verdadeiro paraíso de plantas indígenas

e aves migratórias. Por toda a parte

despontam flores silvestres, palmeiras,

malmequeres de praia, valverde do

Sapal e outras espécies botânicas de

rara beleza. Em redor podem

encontrar-se e ouvir-se diversas aves

como o perna-longa, a cegonha branca,

garças, flamingos e mergulhões. No

Sapal de Castro Marim os visitantes


DAR UM GIRO

DIAS MEDIEVAIS

CASTRO MARIM

35


DAR UM GIRO

36

CLASSIFICADO COMO RESERVA NATURAL,

O SAPAL DE CASTRO MARIM É UM VERDADEIRO

PARAÍSO DE PLANTAS INDÍGENAS E AVES MIGRATÓRIAS

podem ver de perto cores, padrões e

texturas da natureza que ainda

permanecem intocáveis.

Esta é também uma zona muito rica

em Jardins de Sal de onde se destaca a

fina flor de sal marinho, produto ideal

para culinária, realçando o sabor dos

alimentos. Não muito distantes, as

praias de Altura-Alagoa, Verde e Retur,

unidas por um vasto areal e envolvidas

por uma vegetação de verdes pinhais,

são autênticos paraísos de areia

fina a descobrir.

Regresso aos dias medievais

Esquecendo a civilização

contemporânea e a azáfama do

quotidiano, o evento anual “Dias

Medievais” propõe uma visita guiada ao

imaginário da Idade Média. No final do

mês de agosto, durante quatro

animados dias plenos de mistério, a vila

torna-se numa página arrancada de um

livro de história. Num ambiente

totalmente adaptado à época, os

visitantes partem numa viagem pelo

tempo rumo a uma época habitada por

reis e rainhas, nobres e monges,

cavaleiros destemidos e monstros.

A cavalaria e os torneios, o imaginário

lúdico da época, a animação de rua, a

exibição de artes e ofícios, trocas

comerciais, espetáculos teatrais e

musicais e os banquetes, com toda a

De onde enviar os seus postais...

A beleza natural de Castro Marim,

assim como a quietude própria da vila

convidam a escrever umas linhas e a

enviar um postal. Mesmo no centro da

vila, a Estação de Correio local e a

simpática equipa castromarinense

está à sua disposição para responder

às suas necessidades postais. (Na

foto, Ângela Machado, Gestora de Loja

de Castro Marim, e Pedro Rodrigues,

Responsável de Serviço ao Cliente).

variedade de iguarias que já então se

confecionavam, deixam anualmente

milhares de pessoas com os olhos

abertos de espanto. A Vila de Castro

Marim regista uma grande afluência de

turistas que procuram na sua

tipicidade algum dos encantos de

outrora. Durante quatro dias

inesquecíveis a vila adorna-se para se

perder nas voragens do tempo.

Muito mais se poderia dizer sobre este

pacato recanto do sotavento algarvio.

Mas o melhor é mesmo rumar a sul e

partir à descoberta desta vila onde a

ancestralidade histórica se combina na

perfeição com os vestígios de

modernidade. • BRUNO VILÃO


* “Cascais Music Festival” no Hipódromo Manuel Possolo, Cascais, 16 a 29 julho, 21h, a

partir de 18€

* “Bon Iver” no Coliseu do Porto, 25 julho, 21h, a partir de 25€

* “Expofacic 2012” no Parque Expo – Desportivo S. Mateus, Cantanhede, 25 julho a 5

agosto, 22h, a partir de 3,50€

* “Sudoeste TMN 2012” na Herdade da Casa Branca, Zambujeira do Mar, 1 a 5 agosto,

19h, a partir de 20€

* “I Love Portugal” no Parque da Vizela, 4 agosto, às 11h, a partir de 7,50€

* “Herodíades” no Teatro da Politécnica, Lisboa, de 4 a 27 julho, quarta a sábado às 19h,

a partir de 5€

* “Contos em Viagem – Cabo Verde” no Teatro Meridional, Lisboa, de 11 a 29 julho, quarta

a sábado às 22h, a partir de 10€

* “Auto da Feiticeira Cotovia” na Quinta da Regaleira, Sintra, até 22 julho, sexta a domingo

às 21h, 10€

* “Café IMPROV” no hotel NH Liberdade, Lisboa, até 28 julho, sábado às 21h30, a partir

de 8€

* “Alice no País das Maravilhas” na Quinta da Regaleira, Sintra, até 31 agosto, sexta e

sábado às 17h00, domingo às 11h e às 17h, 7€

* “Romeu e Julieta” na Casa das Artes, Famalicão, 20 julho, 21h30, 2€

* “A Amante do Reizinho e outras histórias de D. Manuel II” de Vasco Duprat, Oficina do

Livro, 14,90€

* “O Prisioneiro do Céu” de Carlos Ruiz Zafón, Editorial Planeta, 21,90€

* “Passeio à beira-mar” de Joan Andersen, Noites Brancas, 13,50€

* “Tanto Mar – À descoberta das melhores praias de Portugal” de Pedro Adão e Silva e

João Catarino, Clube do Autor, 16,50€

* “Teoria Geral do Esquecimento” de José Eduardo Agualusa, D. Quixote, 15,90€

* “Verão Quente” de Domingos Amaral, Casa das Letras, 15,90€

* “Um Homem com Sorte” de Nicholas Sparks, Editorial Presença, 18,17€

“O Filho Único” (Instalação, Som) no Museu Coleção Berardo, Lisboa, até 25 agosto,

todos os dias das 10h às 19h, entrada livre

“Fernanda Gomes” (Instalação) no Museu da Cidade, Lisboa, até 26 agosto, terça a

domingo: 10 – 13h/14h – 18h, 2€

“António Palolo” (Vídeo) na Culturgest, Lisboa, até 2 setembro, segunda, quarta, quinta

e sexta das 11h às 19h, sábado, domingo e feriados das 14h às 20h, a partir de 2€

“Jef Geys: As sombras de Lisboa” na na Culturgest, Lisboa, até 2 setembro, segunda,

quarta, quinta e sexta das 11h às 19h, sábado, domingo e feriados das 14h às 20h, a

partir de 2€

destaque

destaque

destaque

destaque

* As sugestões assinaladas com este símbolo podem ser adquiridas nas Estações de Correio ou através da loja virtual e da bilheteira on-line em www.ctt.pt

AGENDA CULTURAL

O Festival “I Love Portugal”

é uma celebração do que

é português, como a

gastronomia tradicional,

o artesanato e os ranchos

folclóricos. Inclui ainda

concertos de Tony Carreira,

Mickael Carreira e David

Carreira, juntos pela

primeira vez em palco.

Bilhetes à venda em

exclusivo nos CTT

A popularidade da peça

“Romeu e Julieta”, de

William Shakespeare,

e um elenco de luxo

constituído por atores

como Diogo Infante,

André Gago, João Lagarto

e Custódia Galego,

têm levado várias

centenas de pessoas até

à Casa das Artes de Vila

Nova de Famalicão

Luanda, 1975, véspera da

Independência. Uma

mulher portuguesa,

aterrorizada com a evolução

dos acontecimentos, ergue

uma parede separando o

seu apartamento do

restante edifício - do resto

do mundo. Durante quase

trinta anos sobreviverá a

custo, como uma náufraga

numa ilha deserta.

Fernanda Gomes realizou

a sua primeira exposição

individual no Rio de

Janeiro em 1988. Desde

então tem marcado um

percurso singular com

exposições em alguns dos

mais prestigiados espaços,

como a Tate Modern,

Miami Art Gallery, Art

Gallery de Vancouver e o

Museu de Serralves

37


EMISSÕES

38

Desporto à escala global

corre o mundo em selos

As Olimpíadas de Londres são o evento desportivo do verão

e os CTT celebram a competição com duas emissões filatélicas,

uma dedicada aos Olímpicos, outra aos Paralímpicos

Os Jogos Olímpicos de verão voltam a

fazer do desporto um elo de união

entre povos e culturas e a evidenciar

valores como a competição saudável e

o respeito pelo próximo. Os CTT

obedeceram às regras do jogo e,

através da filatelia, prestam

homenagem ao maior evento

desportivo do mundo. As emissões

incluem dois selos cada uma (N20g e

I20g), exibem design de João Machado

e foram lançadas no dia 19 de junho.

«O Movimento Olímpico é um

fenómeno revelante à escala planetária,

na defesa da Paz, dos Direitos

Humanos, Igualdade de Género e

preservação do Ambiente», escreve

José Vicente Moura, Presidente do

Comité Olímpico de Portugal, que

assina a pagela da série dedicada aos

Jogos Olímpicos.

Esta XXX Olimpíada realiza-se em

Londres e em 2012 também se assinala

o centenário da primeira participação

de Portugal nesta competição. Foi em

Estocolmo, no ano de 1912, e a edição

foi marcada pela participação de seis

atletas portugueses e pela morte do

corredor Francisco Lázaro, durante a

maratona, devido a desidratação.

Já na 29ª edição, que decorreu em

2008 em Pequim, o nosso país ganhou

duas medalhas, uma de Ouro e outra de

Prata. Este ano, Portugal é representado

por 75 atletas que competem em várias

modalidades desportivas.

O maior evento desportivo da era

moderna promove um relacionamento

positivo entre diferentes povos,

culturas e visões e decorre entre

27 de julho e 12 de agosto.

Com esta emissão, os CTT e o Comité

Olímpico Português voltam a unir-se

numa parceria que já remonta a


OS CTT PRESTAM HOMENAGEM AO MAIOR EVENTO DESPORTIVO DA ERA MODERNA

ATRAVÉS DE DUAS EMISSÕES COM DESIGN DE JOÃO MACHADO

meados do século passado.

«Esta iniciativa configura uma

oportunidade para a divulgação do

Olimpismo e das superiores causas e

valores educativos e civilizacionais que

lhe estão associadas, constituindo

simultaneamente um ensejo para o

enriquecimento do acervo iconográfico

e filatélico nacional», acrescenta

Vicente Moura.

Igualdade, Inclusão, Excelência

Já entre 29 de agosto e 9 de setembro

realiza-se a 14ª edição dos Jogos

Paralímpicos, o maior evento desportivo

à escala global destinado a atletas

portadores de deficiência física e

intelectual. A participação de pessoas

com incapacidade intelectual foi

suspensa em 2000 e o ano de 2012

marca também o regresso destes

desportistas à competição.

«Os Jogos Paralímpicos […] refletem os

mais elevados padrões desportivos de

excelência e diversidade», escreve

Humberto Santos, Presidente do Comité

Paralímpico de Portugal, autor do texto

da pagela que completa a emissão.

Em 2008, os atletas paralímpicos

portugueses conquistaram 1 medalha

de Ouro, 4 de Prata e 2 de Bronze.

Este ano Portugal será representado

nas modalidades de Atletismo, Boccia,

Natação, Remo e equitação «que darão

o seu melhor no sentido da

superação, personificando

o lema do Comité Paralímpico

de Portugal – Igualdade, Inclusão

e Excelência Desportiva»,

acrescenta Humberto Santos.

É a terceira vez que a cidade de Londres

acolhe os Jogos Olímpicos (o que

também aconteceu em 1908 e em

1948) e a primeira que recebe os

Paralímpicos. • ELSA DUARTE

EMISSÕES

39


EMISSÕES

40

Fajãs dos Açores:

a beleza do recortado insular

As fajãs dos Açores chegaram à filatelia e prometem aguçar a curiosidade

de turistas de todo o mundo. Os microclimas ajudam à fertilidade

daqueles locais e a sua beleza natural enche de orgulho o arquipélago

Espaços de biodiversidade, situados entre a terra e o mar, as fajãs açorianas

partilham entre si a capacidade de deixar o visitante sem fôlego perante

inigualável beleza.

Os CTT homenagearam este património natural através de uma emissão filatélica

lançada no Dia Mundial do Ambiente.

Os quatro selos e os dois blocos filatélicos mostram as paisagens e a pagela

explica as características daqueles locais. «Devido à sua origem, topografia e

disposição, as fajãs geraram as suas particularidades em microclimas,

ecossistemas, biodiversidade e paisagens, que o açoriano aproveitou com muito

esforço e carinho, trabalhando estes pequenos nacos de terreno, incrustados na

ilharga das ilhas e situados entre a rocha e o mar», escreve Manuel Teixeira Brasil,

que assina o texto da pagela.


A série foi lançada no dia 5 de junho no Centro de

Interpretação da Fajã da Caldeira de Santo Cristo e contou com

a presença de vários convidados, entre os quais, Carlos Dias

Alves, ADCOO dos CTT, Carlos Inácio, OPE, Álamo de Menezes,

Secretário Regional do Ambiente e Mar, João Bettencourt,

Diretor Regional do Ambiente, Aires Reis, Presidente da

Câmara Municipal da Calheta São Jorge, e Rui Sequeira,

Delegado da Ilha da Secretaria do Ambiente de São Jorge.

Visita guiada

A ilha de São Jorge é conhecida como “a ilha das fajãs” e os

amantes da filatelia têm agora a oportunidade de conhecer,

enviar e colecionar estes locais. «Estes pequeninos lugarejos

têm características muito próprias, que não só as

individualizam como as especificam umas em relação às

outras, nomeadamente na ilha de São Jorge, que é a

verdadeira pátria das fajãs», escreve Teixeira Brasil.

A fajã da Caldeira de Santo Cristo (bloco filatélico com selo de

€1,75) é considerada uma das mais bonitas e será a mais

popular da Ilha de São Jorge. Foi classificada em 1984 como

Reserva Natural Parcial devido à existência de amêijoas na

lagoa. As águas são cristalinas e a presença de ondulação,

aliada ao envolvimento paisagístico de extraordinária beleza,

faz com que goze de grande popularidade junto dos

praticantes de surf e bodyboard de todo o mundo.

O caminho que liga esta fajã à dos Cubres será um dos mais

famosos circuitos pedestres da ilha, bastante popular entre

os turistas.

A fajã dos Cubres ilustra o outro bloco filatélico (com selo de

€2,30) e é um importante habitat de aves aquáticas mas o

seu nome deriva de uma planta de flores amarelas.

Localiza-se no lado norte da ilha e a lagoa existente terá sido

formada pela ação erosiva do mar e das águas das chuvas. O

culto religioso é em honra de Nossa Senhora de Lourdes e os

devotos acreditam que atrás da igreja há um poço de

águas milagrosas.

No margem sul da ilha de S. Jorge encontra-se a fajã das

Almas. Esta, por sua vez, é apresentada em selo (€0,32) e

tem construções modernas e acessos alcatroados, o que

tem contribuído para a atração de moradores permanentes.

Tem duas ermidas e permite uma vista privilegiada para a

ilha do Pico.

Por outro lado, completamente inacessível a qualquer veículo

motorizado, está a fajã d’ Além Norte (selo €0,68). Para lá

chegar é preciso percorrer um caminho estreito e ingreme.

A fajã de São João (selo €2,00) é conhecida pelo café

e pelo artesanato e, entre agosto e setembro, muitos dos

habitantes não permanentes regressam para as vindimas.

A fajã Grande (selo €0,80) é habitada por um número

considerável de pessoas e, desta forma, possui bons

acessos. A pesca assume um papel central naquele local.

A emissão filatélica exibe ainda, na capa da pagela, a fajã

dos Vimes, conhecida pelas colchas feitas de forma artesanal,

e a série conta com design de Francisco Galamba. • ELSA DUARTE

OS AMANTES DA FILATELIA TÊM AGORA A OPORTUNIDADE DE CONHECER,

ENVIAR E COLECIONAR AS FAJÃS DOS AÇORES

EMISSÕES

41


OPINIÃO

42

Helena Rodrigues

Administradora da PayShop

A PAYSHOP PRETENDE

CONTINUAR A TRAZER

AOS PORTUGUESES, AO

RETALHO E ÀS EMPRESAS,

MAIS SERVIÇOS DE

PAGAMENTO COM OS

VALORES QUE SÃO A

NOSSA IDENTIDADE:

SIMPLES, UNIVERSAIS,

CONVENIENTES E

EFICAZES

Meios de pagamento -

- tendências futuras

À época de lançamento da PayShop, em 2001, os portugueses dispunham de

alternativas pouco convenientes no pagamento das suas contas. Caso

pretendessem pagá-las em dinheiro, de forma presencial, enfrentavam horários

muito limitados, elevados tempos de espera, processos manuais e poucos locais

de pagamento. Já no que se refere às duas alternativas de pagamento que

envolviam o sistema bancário – Multibanco e débito direto - implicavam ter conta

bancária, realizar uma operação algo complexa com códigos na rede ATM, e, no

caso dos débitos diretos, uma dificuldade aumentada na gestão das datas de

pagamento mais convenientes aos orçamentos familiares.

A PayShop veio propor um meio de pagamento fácil, próximo, que evita

deslocações propositadas, e inclusivo na medida em que está acessível a todos

(bancarizados ou não, de qualquer faixa etária, dispensa registos ou adesões e

não exige domínio de meios eletrónicos) pelo que toda a população pode usar o

serviço. Hoje, estimamos que cerca de três milhões de pessoas sejam utilizadoras

dos serviços payshop.

Portugal é, já desde há alguns anos, um país com uma elevada taxa de

bancarização e de posse e utilização de cartões (quase dois per capita). Ainda

assim, houve espaço para o aparecimento de uma proposta de pagamento em

dinheiro simples, conveniente e universal, como a nossa.

Contudo, com a crescente massificação da internet e dos sistemas de

homebanking, podem levantar-se algumas questões relativas ao futuro dos

pagamentos de contas em dinheiro. Mesmo assim, em tempos como os atuais,

há uma maior apetência por soluções de pagamento simples e eficazes, como,

por exemplo, as oferecidas pela PayShop. Mas também no setor bancário se

assiste a uma menor complexidade na oferta de serviços financeiros, com maior

foco em fontes de rentabilidade tradicionais. Por outro lado, há uma maior

pressão sobre o setor financeiro para rentabilizar investimentos, o que tem vindo

a adiar a entrada em funcionamento de modelos de pagamento alternativos,

como os pagamentos sem contacto e móveis, de interesse para o consumidor e

rentabilidade muito menos evidentes.

O nível de inovação tecnológica neste setor no nosso país é muito elevado, e a

PayShop pretende continuar a trazer aos portugueses, ao retalho e às empresas,

mais serviços de pagamento com os valores que são a nossa identidade: simples,

universais, convenientes e eficazes.


Samuel Trindade / AG / COM

HORIZONTAIS: 1 - Os CTT e as Estradas de Portugal estão a desenvolver uma solução de pagamento de (...) exclusivamente

eletrónicas, para clientes que circulam em veículos de matrícula estrangeira. 2 - A si mesmo; corto e trituro com os dentes.

3 - Um grupo de trabalhadores dos CTT e respetivos filhos foi convidado para uma manhã no jardim Zoológico para apresentação

da (...), recentemente apadrinhada pelo Grupo CTT. 4 - Ação; detritos. 5 - Espádua; minguar. 6 - Designa dor,

admiração, repugnância (interj.). 7 - As Catedrais portuguesa chegam à filatelia com a emissão “(...) das Catedrais” lançada

em maio; aquelas. 8 - Omissão de uma ou mais palavras que se subentendem; molibdénio (s.q.). 9 - Encostar-se (prov.). 10

- Ciumento; assumiu expressão alegre. 11 - Contr. da prep. de com o det. ou pron. dem. a; passados. 12 - Os CTT lançaram

em junho a campanha solidária “Vamos Abraçar a (...)”, que visa recolher materiais consumíveis médicos e de enfermagem

a favor do Hospital Ayres de Menezes, em São Tomé e

1 2 3 4 5 6 7 8 9 Príncipe. 13 - Cabana de índios (Bras.); agastamento.

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

VERTICAIS: 1 - O Grupo CTT voltou a reunir com os seus parceiros

financeiros, (...) e Fidelidade Mundial, e reconheceu

os que mais se destacaram na dinamização comercial no 2º

semestre de 2011; a CTT Expresso é o operador responsável

pela entrega de produtos musicais comercializados pela (...),

a loja online de música mais antiga de Portugal. 2 - Ósmio

(s.q.); basta! (interj.); árvore leguminosa cesalpinácea. 3 -

Pato (Beira); muito bom; sociedade anónima (abrev.). 4 - O

Presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia, Manuel

Carrageta, respondeu a questões colocadas pela (...). 5 - Dizse

da consoante proferida, tocando com o ápice da língua

nas gengivas dos incisivos superiores; transpiro. 6 -

Transportes Internacionais Rodoviários (sigla); exprime a

ideia de ar, vento (pref.); jornada. 7 - Há 25 anos que o (...)

muda vidas numa Europa que se quer múltipla e coesa e os

CTT associaram-se às comemorações com o lançamento de

uma emissão filatélica; método. 8 - Noroeste (abrev.);

tomba; quinto mês do ano civil. 9 - Modorra; língua eslavónica

falada outrora na Prússia.

Procure as dez diferenças entre os desenhos.

Complete com números de 1 a 9.

8

7 4 2 1

8 9 3 4

8 6 9

4 7 3 1

2 9 3

5 1 8 2

7 6 5 4

GRAU DE DIFICULDADE: JJJHH

7 9 8 2 6 5 1 4 3

5 6 3 7 4 1 8 2 9

4 1 2 9 8 3 6 7 5

9 3 1 6 7 8 4 5 2

6 4 7 5 9 2 3 1 8

8 2 5 1 3 4 7 9 6

2 5 4 8 1 6 9 3 7

1 8 9 3 5 7 2 6 4

SOLUÇÕES:

PALAVRAS CRUZADAS:

HORIZONTAIS: 1 - Portagens. 2 - Se; roo. 3 - Chita. 4 - Ato; cisco. 5 -

Pá; marmar. 6 - Ui. 7 - Rota; as. 8 - Elipse; Mo. 9 - Amouroar. 10 -

Cioso; riu. 11 - Da; idos. 12 - Saúde. 13 - Oca; amuo.

VERTICAIS: 1 - MAPFRE; CDGO. 2 - Os; tá; olaia. 3 - Reco; ótimo; SA.

4 - Aposta. 5 - Apical; suo. 6 - TIR; aer; ida. 7 - Erasmus; ordem. 8 -

NO; cai; maio. 9 - Sopor; borusso.

DIFERENÇAS: 1.Cor interior do barco, 2.Corrente do barco,

3.Pessoas na praia, 4.Perna direita do carteiro, 5.Carrinho na areia,

6.Peças de madeira para amarrar o barco, 7.Palavra Nazaré,

8.Nuvens, 9.Bolso do colete, 10.Cor exterior do barco.

SUDOKU: 3 7 6 4 2 9 5 8 1

VAGARES ATUAL

2

43

More magazines by this user
Similar magazines