NAS PÁGINAS 15 E 16 6 - Veran

veran.com.br

NAS PÁGINAS 15 E 16 6 - Veran

NAS PÁGINAS 15 E 166666666

Cinema de animação

também para adultos

PÁG. 4

Inclusão social

na moda

PÁG. 11

Receitas arretadas em

homenagem ao

dia do nordestino

PÁG. 13

Ano 10 | Nº 49 | 1 a 15 de outubro de 2009 Ferraz | Guaianases | Mogi | Poá | Suzano


EDITORIAL

Um saudável

resgate

O

utubro é mês das crianças e o Jornal Veran propõe

uma reflexão sobre a importância de encarar

a vida sem perder o que há de melhor na infância:

a diversão. Entrevistamos especialistas e adultos bem

sucedidos em suas profissões, mas que encontram tempo

para distrair a cabeça, fazendo o que gostam. Imperdível!

Fator fundamental para o desenvolvimento saudável,

a alimentação das crianças também está em foco nesta

edição. E para não perder o viés infantil, nosso colunista

Carlos Gaspar Jr fala sobre as animações no cinema.

Mas este mês também é dos professores, dos deficientes

físicos e dos nordestinos. Assim, aproveitamos para

levantar um debate sobre a relação dos alunos com os

mestres na atualidade, fizemos a cobertura do primeiro

concurso de moda inclusiva do mundo e preparamos receitas

“arretadas” de gostosas.

Pensa que é só isso? Que nada! Tome um fôlego, porque

vem mais por aí: Equoterapia, dia a dia dos vereadores,

ofertas... Respire fundo e boa leitura!

ESPAÇO DO LEITOR

Câmara Municipal de Poá

Requeiro à mesa, na forma regimental, em regime de

urgência, para que seja consignado nos Anais desta Casa

VOTOS DE CONGRATULAÇÕES ao Veran Supermercados,

por todas as iniciativas em prol do meio ambiente

adotadas pela empresa.

Dentre as relevantes ações do grupo, pode-se citar: coleta

de pilhas e baterias, recolhimento do óleo de cozinha,

disponibilização de sacolas oxibiodegradáveis, bem como a

comercialização de sacolas retornáveis, dando a oportunidade

dos clientes optarem pela troca da costumeira sacola

plástica pela sacola durável.

Tais iniciativas são dignas de destaque, pois refletem a

consciência da iniciativa privada de que a preservação ambiental

é obrigação de todos e as ações individuais fazem a

diferença, sim, para um meio ecológico mais equilibrado e

para o desenvolvimento sustentável do planeta. Espera-se

que o exemplo desta grande empresa seja seguido não só

por outras empresas, mas pela população em geral.

Lauriston Roberto Ferreira Barros, vereador

Veran responde:Agradecemos os votos e ressaltamos

nossa percepção de que, para mudar o mundo é preciso,

primeiro, mudar a si mesmo. Acreditamos que é importantíssimo

adotar atitudes sustentáveis, por isso, agir dessa

forma não é mais que nosso dever. Nossa colaboração

para a comunidade é ajudar a difundir essa consciência,

de forma simples, no dia a dia e, principalmente, através

do exemplo de nossas próprias ações.

EXPEDIENTE

Idealização:

Departamento de Promoção e Marketing

VERAN Supermercados

Opiniões:

SAC VERAN: 0800 193620

sac@veran.com.br

JORNALVERAN49

www.veran.com.br

Jornalista responsável:

Rafael Osti MTB: 56890

Redação:

Cristina Gomes, Ana Paula Costa, Ricardo

Resende, Sérgio Colacino Jr, Sandya Coelho,

Joesandra Silva e Bárbara Barbosa

11 4678.6765 (R. 219).

VERAN E VOCÊ REFLEXÃO

Veran inicia coleta seletiva

Começa este mês na loja de Poá uma ação piloto

para a coleta seletiva de resíduos secos

(alumínio, plástico, papel e vidro). A iniciativa

é fruto de uma parceria com a CRUMA (Cooperativa

de Reciclagem Unidos pelo Meio Ambiente),

sediada na cidade. O Veran coletará os resíduos internos

e receberá os resíduos de toda comunidade.

Todos os resíduos serão doados à cooperativa,

que separa e vende os materiais para pagar os cus-

Evento comemora

revitalização do

Beco do Sapo

No dia 19/09 o Grupo de Arte Frontispício

realizou um evento para comemorar o primeiro

ano da revitalização do Beco do Sapo,

em Mogi das Cruzes, com exposição de telas, fotos,

escultura em madeira, teatro de bonecos e curtasmetragens.

O grupo é formado pelos artistas João Ruiz, Zeti,

Marco Aurélio, Enzo Ferrara, Marineis Dias, Nerival

Rodrigues e Sirley Lacerda. Para o evento,

foram convidados também Adelaide Lawitschka

Swettler, Adelaide Reis, Maguinho, Sandro Souza

de Oliveira, Felipe Saraiva e o Grupo Zapt.

O objetivo do grupo foi valorizar o Beco como

um espaço cultural da cidade, democratizando o

Vem aí o 5º concurso

de culinária

Você tem uma boa receita? Uma antigo prato

de família, um experimento culinário que

deu certo? Então participe do 5º Concurso de

Culinária do Espaço Veran! Ao todo, são mais de R$

8 mil em prêmios, além da chance de ter sua receita

publicada em nosso próximo livro.

Você pode inscrever quantas receitas quiser, doces

e salgadas, desde que sejam originais e criativas. A

comissão julgadora será formada por nutricionistas

e culinaristas, que avaliarão os pratos seguindo os

seguintes critérios: praticidade, originalidade, criatividade,

economia e ingredientes de fácil acesso.

A ficha de inscrição pode ser retirada em qualquer

loja e o prazo final para entrega é dia 15/12. A final

acontecerá em 2010, no dia 26/03, no Espaço Veran

de Ferraz de Vasconcelos. É a chance de mostrar seu

talento, participe!

Design e Diagramação:

Landini Design + Comunicação

11 2737.9077

Ilustrações:

www.nicoilustracao.com.br

Impressão:

Gráfica OESP 11 3856.2424

Enzo Ferrara

tos de operação e o “salário” dos 30 cooperados.

Se você quiser participar, basta levar seus resíduos

separados à loja. É muito importante para o

processo de reciclagem que os produtos estejam

limpos e secos, bastando um enxágue com água

para fazê-lo.

O CRUMA também faz a retirada nas casas,

bastando haver uma mobilização entre os vizinhos.

Entre nessa você também!

Dia agitado no Beco “cultural” do Sapo

acesso às artes plásticas, cinema e à cultura em geral.

Bela iniciativa!

Ação brasileira

na mídia

Realizada ao longo do mês de setembro, a campanha

brasileira do Veran foi destaque na mídia regional

e também na supermercadista. O resgate

da cultura brasileira foi elogiado nas páginas do Diário

Empresarial (caderno semanal de negócios do jornal O

Diário de Mogi) e nos sites da APAS (Associação Paulista

de Supermercados) e da revista Supermercado Moderno.

Fique atento aos cupons!

Apartir deste mês, os cupons para participação

na promoção, recebidos a cada R$ 50 em

compras, serão válidos apenas para a promoção

vigente, não podendo mais ser utilizados em outras

promoções.

Circulação:

Ferraz, Guaianases,

Mogi, Poá e Suzano

Tiragem:

100.000 exemplares

AJUDE A FAZER A

PRÓXIMA EDIÇÃO

Mande sua opinião,

sugestão ou crítica

através do

0800 193620

ou pelo e-mail:

sac@veran.com.br

Um padrinho muito estranho

E

m homem pobre do sertão pernambucano

não sabia mais quem

convidar para ser padrinho de seu

décimo primeiro filho. Aquilo encafifava o

pai desse mundaréu de rebentos.

- Meu filho não pode ficar sem padrinho,

isso dá má sorte - resmungava o homem

por toda parte.

Preocupado com tal situação, o homem

capinava a grama ao redor de sua simples

Ilan Brenman

é psicólogo,

mestre e

doutor pela

faculdade

de educação

da USP, autor de livros

infanto-juvenis e contador

de histórias

casa, quando um homem

de terno, óculos

e chapéu escuros,

montado num jegue

reluzente, se aproximou

e disse:

- Seu problema está

resolvido! Serei o padrinho

do seu filho!

O simples homem olhou aquele forasteiro,

e sem refletir muito, concordou. O

misterioso padrinho abriu seu alforje, tirou

um saco com moedas de ouro e disse:

- Tome, isso irá ajudá-lo. Todo ano voltarei

para ver meu afilhado.

O homem não podia acreditar naquela

sorte. O ouro fez a vida de toda família melhorar,

e como havia prometido, o misterioso

padrinho todo ano voltava para ver

seu afilhado e na ocasião sempre deixava

um saco com mais moedas de ouro.

Depois de quinze anos, o misterioso padrinho

se aproximou do jovem afilhado,

olhou para seu pai e disse:

- Está na hora de levar meu afilhado

para meu castelo. Lá vou educá-lo.

- Mas ele está tão bem aqui, somos

ricos e podemos educá-lo aqui mesmo -

respondeu o pai.

O misterioso padrinho aproximou

seu rosto ao do pai, tirou os óculos escuros

e disse:

- Você não vai fazer uma desfeita dessas

para uma pessoa que ajudou tanto

sua família, não é?

O coração do pai de repente disparou,

todos os pêlos do seu corpo estavam eriçados,

um cheiro forte de enxofre invadia

o ambiente inteiro. Sem quase poder falar,

deixou que o levasse.

Depois de um dia inteiro de viagem, os

dois chegaram a um suntuoso castelo. O

misterioso padrinho mostrou o quarto

do afilhado e disse:

- Eu viajo muito, você ficará para sempre

no meu castelo, será meu criado.

Para não dizer que não vou educá-lo,

você pode mexer na minha biblioteca.

O jovem era muito inteligente e começou

a devorar a biblioteca do padrinho.

Lá descobriu a verdadeira identidade

daquele misterioso homem. Ele era nada

mais nada menos que o COISA-RUIM, O

CAPETA.

Quando o diabo voltava para o castelo,

o jovem fingia-se de burro, arrumava,

limpava, passava e nada dizia. Mas

era só o tinhoso sair que ele mergulhava

nos livros de magia e bruxaria.

Após muito tempo de leitura, o jovem

começou a praticar seus conhecimentos.

Ele desenvolveu poderes extraordinários,

estava na hora de pô-los em prática. Numa

manhã ensolarada, decidiu fugir e voltar

para sua casa. Assim que lá chegou, abraçou

a família e disse ao pai:

- O meu padrinho é o diabo. Precisamos

derrotá-lo. Eu vou me transformar

num belo cavalo. Você pode me vender,

mas não esqueça de me entregar sem os

freios, se não nunca mais voltarei a ser o

que era antes.

O pai obedeceu. Assim que o jovem

se transformou num cavalo, colocou a

sela, o freio e foi à cidade.

O diabo, que já tinha passado pelo

castelo, estava espumando de raiva:

como aquele frangote teve coragem de

fugir. Ele estava a caminho da casa do

jovem quando deu de frente com o pai

montado naquele belo animal.

- Bom dia, meu bom homem - disse o

diabo. - Que belo animal, você me venderia

ele por dez sacos de moedas de ouro?

Como o dinheiro enlouquece as pessoas.

O pai simplesmente esqueceu de

tudo, desmontou, pegou os sacos e foi

embora. O diabo reconheceu as artimanhas

do jovem

- Quer dizer que você não é tão burro assim,

ficou lendo minha biblioteca, não é?

Mal acabou de falar, o diabo montou

no cavalo e passou dois dias cavalgando

sem parar, seu chicote funcionava a todo

vapor. O jovem nada podia fazer, o freio

impedia seu desencantamento. Mas ainda

bem que diabo também tem fome e sede.

Depois de dois dias terríveis, o tinhoso

decidiu descansar numa pousada. Pediu

para um criado do lugar dar água

ao cavalo:

- Sem tirar o freio! - exigiu.

No rio, o cavalo não abaixava a cabeça

de jeito nenhum:

- Vai pro diabo que o carregue! - pensou

o criado. - Vou tirar o freio desse pobre

animal.

Assim que o cavalo ficou sem o freio,

o jovem voltou à forma original, aproximou-se

do rio e gritou:

- Aba, aba, aba! Quero ser uma piaba!

E lá estava uma piaba mergulhando no

rio. Acontece que o diabo não deixou

barato, e gritou:

- Ira, ira, ira! Quero ser

uma traíra!

E lá estava uma traíra

mergulhando no

rio, nadando atrás

de uma piaba. Assim

que o jovem

sentiu sua cauda

sendo mordiscada

pela traíra, pegou

um impulso

e saltou para fora

da água gritando:

- Inha! inha!

inha! Quero ser uma rolinha!

E lá estava uma rolinha voando nos

ares. Mas o diabo não ia largar o osso, ele

também pegou impulso, saltou para fora

da água e gritou:

- Ão! ão! ão! Quero ser um gavião!

E lá estava um gavião perseguindo a

pequena rolinha. Quando o jovem sentiu

uma bicada numa das asas, deu um rasante,

pousou no parapeito da janela de

uma linda princesa e rapidamente gritou:

- El! el! el! Quero ser um anel!

E lá estava ele na mão da princesa. Por

sorte, a princesa ficou assustada com tal

fenômeno e fechou a janela. O diabo quase

perdeu a cabeça de gavião na janela

fechada.

Ela olhou o anel com atenção, quando

de repente, ele começa a falar:

- Preste atenção! Daqui a pouco baterá

na porta do castelo um homem querendo

comprar-me. Diga ao rei que me venda

bem caro, mas em vez de passar o anel

ao comprador, você tem que me jogar ao

chão com muita força.

Antes mesmo de a princesa perguntar

sobre aquela loucura toda, alguém bateu

na porta do castelo. Ela saiu correndo,

cochichou rapidamente no ouvido do

pai, que fez cara de espanto, e abriram a

porta.

O homem ofereceu uma fortuna pelo

anel. O rei aceitou, o diabo pagou, mas

assim que a princesa tirou o anel dedo,

atirou-o ao chão e o jovem gritou:

- Ilho! ilho! ilho! Quero ser cinco grãos

de milho!

O diabo ficou furioso e gritou:

- Alo! alo! alo! Quero ser um galo!

O galo se atirou com voracidade em

cima dos grãos de milho. A princesa, que

havia simpatizado com anel, resolveu

ajudar e escondeu um dos grãos embaixo

do seu sapato. E antes do diabo comer

o quarto grão de milho, o jovem gritou

com dificuldade embaixo do sapato da

princesa:

- Osa! osa! osa! Quero ser uma raposa!

A princesa levou um tombo com o

aparecimento da raposa embaixo do seu

sapato. O animal voou em cima do galo,

devorou-o e gritou:

- Em! em! em! Quero ser um homem!

O jovem, de barriga cheia, sentou

numa poltrona, suspirou e contou toda

sua história para a princesa. É claro que

eles se apaixonaram, se casaram, tiveram

muitos filhos e viveram felizes para

sempre.

Texto extraído da Coleção Contador de

Histórias de Bolso: Brasil: editora Moderna

JORNALVERAN49

www.veran.com.br


CULTURA

A nova animação e a velha infância

Um dia desses fui incumbido de ser

babá (ou babão) da minha sobrinha

de 5 anos, e pensando num

jeito fácil e eficiente de entreter a “ferinha”,

aluguei alguns desenhos. Começamos a

nossa sessão com Kung Fu Panda (2008,

produzido pelos estúdios DreamWorks).

Pra todos aqueles que um dia já assistiram

um desenho, o filme não tem nada de

diferente. A mensagem é a mesma desde

Carlos

Gaspar Jr. é

formado em

Rádio e TV e

pós-graduado

em Cinema e

Fotografia. Amante da sétima

arte, já escreveu e dirigiu

diversos curta-metragens.

que os filmes infantis

existem... “Nunca desista

dos seus sonhos”,

“seja, acima de tudo,

persistente” e “valorize

suas amizades”... Você

nunca notou isso? A fórmula

não mudou. Sempre

temos o “mocinho

e a mocinha” (pelos quais torcemos) e o

inimigo que será derrotado no final com

uma boa lição de moral, acima de tudo.

Então pergunto aos senhores: Por

que só eu dei risada das piadas do Po (o

panda do desenho)? Quer dizer, será que

nossas crianças (que na verdade são o

público-alvo desses filmes) têm maturidade

suficiente para entender que enfrentarão

decepções a vida inteira e que,

se elas não acreditarem nos sonhos, eles

não vão se realizar?

Reconheço que já fiz perguntas demais,

então vamos às possíveis respos-

Inaugurado oficialmente no dia 20 de

março de 2006, o Museu da Língua

Portuguesa recebeu, em seus três

primeiro anos de funcionamento, mais

de 1.600.000 pessoas, consolidando-o

como um dos museus mais visitados do

Brasil e da América do Sul.

O museu apresenta uma exposição

diferente, usando tecnologia

de ponta e recursos

interativos para a apresentação

de seus conteúdos. Isso

porque, o acervo, nosso idioma,

é um “patrimônio imaterial”

e não pode ser guardado

em uma redoma de vidro.

JORNALVERAN49

www.veran.com.br

tas: Desde o primeiro longa de animação

(El Apóstol, do argentino Quirino Cristiani,

em 1917) até o sucesso de Toy Story

(primeira parceria da Pixar com a Walt

Disney, também o primeiro longa totalmente

feito em computador, lançado em

1995), nossas crianças se tornaram mais

inteligentes, o que permitiu ou obrigou

os estúdios a fazerem filmes mais inteligentes

e com piadas mais audaciosas.

Nesse período, o mercado parou de

receber as velhas histórias dos livros

usados para fazerem as crianças

dormir, como Bela Adormecida, Branca

de Neve e os 7 Anões e começou a lançar

seus próprios heróis, como a dupla Mike

e Sulley (Monstros S.A., 2001) e o mais

famoso de todos, Shrek (2001). O ogro

se deu tão bem nas telonas que ganhou

duas sequências e já é até papai.

A segunda resposta que encontrei para

explicar essa evolução do cinema de animação

(sem entrar no ambiente da tecnologia,

claro, pois só ela já obrigaria os

desenhos a evoluírem), foi o fato de que

hoje a animação é o gênero mais bem

sucedido do cinema americano (e os EUA

são nosso ponto de referência quando se

trata de produções cinematográficas).

Boa parte do sucesso se deve à “infantilização”

do público. Isso quer dizer

que não são as crianças que amadureceram,

e sim os adultos que voltaram

a ser crianças (conseguiu entender?).

A prova disso é, que nos últimos anos,

além dos longas de animação fomos invadidos

por super heróis e brinquedos.

A Marvel e a DC Comics colocaram

seus melhores personagens nas telonas

(Homem-Aranha, X-Men, Wolverine,

Batman e o Super-Homem).

Quadrinhos famosos amosos

também foram parar arar no

cinema: V de Vingança, ngança,

Sin City e 300, como omo jjá


vimos aqui no Jornal Jornal al

Veran. Nos últimos

anos, nossos antigos

brinquedos ganharam haram

vida (Transformers erss e

G.I. Joe - pra quem m não

lembra são os Comandos mandos

em Ação) e até os famosos mosos

brinquedos LEGO O (em

parceria com os estúdios túdios

da Warner Bros) virarão irarão

filme em Hollywood, wood,

uma produção que

misturará realidade ade e

animação.

No final, acho o que

simplesmente as s

duas partes da

“teoria” formam m

a resposta correta a

pra tudo isso: Enn- Museu da Língua mistura

história e modernidade

Localizado na Estação da Luz, em São

Paulo, o museu contou com uma equipe

de criação e pesquisa composta por

mais de trinta profissionais, entre sociólogos,

museólogos, especialistas em

língua portuguesa e artistas.

El Apóstol 1917

Branca de Neve

e os 7 Anões 1937

Bela Adormecida 1959

Toy Story 1995

Monstros S.A 2001

Shrek 2001

Kung Fu Panda 2008

Principais atrações

Grande Galeria: tela de 106 metros

com projeções simultâneas de filmes

que mostram a língua portuguesa no

cotidiano de seus usuários.

Palavras Cruzadas: totens dedicados

às influências das línguas e dos

povos que contribuíram para formar o

português falado no Brasil.

Linha do Tempo: uma linha com

recursos interativos onde o visitante

pode conhecer melhor a história da

língua portuguesa.

Beco das Palavras: sala com jogo

eletrônico interativo onde, além de

brincar com a criação de palavras, o

quanto as crianças se tornam adultos,

os adultos voltam a ser crianças! Essa é

que é a grande verdade.

Ah, já ia me esquecendo... Da minha

“sessão pra amansar fera” só mencionei

o Kung Fu Panda porque a minha sobrinha

dormiu no meio do filme e eu tive

que assistir ao outro sozinho!

visitante conhece a origem e o significado

das mesmas.

Auditório: projeção de um filme de

10 minutos sobre as origens da Língua

Portuguesa falada no Brasil.

Praça da Língua: espécie de “planetário

da língua”, composto de imagens

projetadas e áudio.

Elevadores: Também são espaços expositivos,

pois dão visão total da escultura

“árvore de palavras” criada por

Rafic Farah, com 16 metros de altura.

Além disso, no interior dos elevadores,

o visitante pode ouvir uma espécie de

mantra, composto por Arnaldo Antunes,

que repete as palavras “língua” e

“palavra” em vários idiomas.

Exposições temporárias: Até o dia 11

de outubro, a exposição “O Francês no

Brasil em Todos os Sentidos” ocupa o

primeiro andar do museu, celebrando

o ano da França no Brasil. Vale a pena!

Cadê o respeito

pelos professores?

Operfil dos alunos em sala de

aula mudou muito nos últimos

30 anos. A postura dos

jovens passou da atenção, dedicação

e respeito pelo educador para o desinteresse

e falta de disciplina. O ator

principal na formação desses futuros

cidadãos, o professor, adquiriu múltiplas

funções com o objetivo de educar,

promover e favorecer o desenvolvimento

de crianças e adolescentes em

todos os setores sociais. Mas o papel

do professor no Brasil ainda é levado

a sério?

Com o decorrer dos anos, a sociedade

passou a ver o professor não apenas

como um formador e defensor das

políticas públicas, que visam a cidadania

plena e a garantia dos direitos.

Após a Constituição de 1988, que garantiu

o direito de educação a todos

os cidadãos, houve uma separação no

ensino, sendo dividido em público e

privado.

As escolas privadas conquistaram

a classe média e média alta com

profissionais mais valorizados. Já os

colégios públicos que mudaram seu

paradigma, atenderam a população

mais carente. “O problema foi que os

professores das escolas públicas passaram

a ter uma carga de trabalho

e responsabilidade muito maiores,

mas os rendimentos foram diminuídos”,

explica Clovis Donizeti Berti,

que atua como professor de história

há 25 anos.

Novas formas de

relacionamento

Hoje, a velocidade de interação com

os meios de comunicação e o imediatismo

de ideias, impôs um novo ritmo nas

relações entre professores e alunos. As

mudanças nas hierarquias familiares

e sociais fizeram com que as escolas e

seus educadores sofressem um grande

impacto. “Na sociedade brasileira, o

alto nível de liberdade trouxe a informalidade

quase que total, impedindo

que o relacionamento aberto entre os

dois seja saudável, respeitoso e prazeroso”,

afirma o historiador.

Para o professor de ciências biológicas,

Antonio Cesário de Lima, que

atua há 23 anos, a relação professor x

aluno mudou porque a concepção dos

Número de analfabetos, segundo dados atuais do IBGE:

11,5% das crianças de oito a nove anos.

A UNESCO estima que mais 18 milhões de professores

são necessários para que a meta de Educação Primária

Universal seja atingida até 2015

53,23 milhões de alunos matriculados no ensino fundamental

em 2008, um aumento de alunos em escolas de educação

profissional no país em relação ao ano anterior, com acréscimo

de 14,7 pontos percentuais (dados do Censo 2008)

Há 2,5 milhões de profissionais do magistério em exercício –

entre professores, diretores e coordenadores pedagógicos,

segundo o Conselho Nacional de Trabalhadores da

Educação (CNTE)

jovens com relação à função

da escola é diferente de

30 anos atrás. “O interesse

do aluno sempre foi fundamental

no aprendizado.

Hoje ele precisa perceber

que a escola não é um lugar

só para se divertir e brincar,

mas sim o local onde

ele irá adquirir conhecimento

e formação para o

futuro”, destaca.

O desrespeito

pelos

professores

é uma

realidade?

Para o educador de história, a

agressividade de muitos alunos atinge

em primeiro lugar os professores,

que são os representantes dos padrões

sociais. “Por não compreender a complexidade

social, o jovem vai enfrentar

os membros da família ou agentes

sociais, no qual o professor está inserido”,

garante. “Dessa forma, desrespeito

e desânimo dão as mãos

como meios de resistência aos

professores”.

Nas escolas públicas, os educadores

são vistos como funcionários

que devem entender totalmente os

“desejos juvenis”. Já nos colégios

privados, muitos estudantes vêem

o professor como o seu empregado

particular, não como um agente

social. “É difícil ao jovem compreender

o novo papel do educador

numa sociedade imediatista, onde

a desigualdade social e a impunidade

são grandes”, reforça Berti.

“É necessário mudar a mentalidade

da sociedade, se quisermos

melhorar a escola. Precisamos melhorar

muito o nosso poder de representação

para dar um exemplo

mais positivo ao ato de ensinar e

aprender”, garante o historiador.

Obedecendo ao novo acordo ortográfico

Educar, o caminho

para o futuro

Atenção, respeito, proteção e

conhecimento são alguns dos valores

fundamentais para a instrução e

educação de crianças e adolescentes.

Quem não se lembra com carinho

de um professor da infância? A

postura mais humana e cuidadosa

dos educadores colabora para a

formação de uma cultura cidadã, que

visa um futuro mais próspero.

Segundo a Unesco, para que

todos os professores sigam esses

valores, é necessário uma formação

profi ssional com qualidades pessoais

e intelectuais compatíveis com a

profi ssão, além da consciência do

dever de contribuir com o ensino e o

exemplo ao desenvolvimento social,

cultural e econômico da sociedade.

O papel do educador, segundo Lima,

é preparar os indivíduos

para o mercado de

trabalho e a cidadania.

“O professor tem um

participação fundamental

nessa formação, pois,

até se tornar um bom

profi ssional, todo mundo é

instruído por um professor”, rr”,

ressalta.

JORNALVERAN49

www.veran.com.br


QUALIDADE DE VIDA

Alimentação

dos bebês

exige atenção

Aalimentação tem papel fundamental

em nosso crescimento e

desenvolvimento durante toda

vida. Além de fornecer elementos para

o funcionamento do corpo, a alimentação

abastece o organismo com uma

série de nutrientes, com funções específicas.

Para as crianças, que estão em fase

de crescimento e necessitam de maiores

quantidades de nutrientes, uma

alimentação saudável possibilita crescimento

e desenvolvimento adequados,

melhora o funcionamento de órgãos,

sistemas e aparelhos e atua na prevenção

de doenças a curto e longo prazo

como: anemia, doenças infecciosas,

obesidade, hipertensão, ão, diabetes e os

teoporose.

Segundo a Organização ação Mundial de

Saúde (OMS), 75% do o desenvolvimento

do cérebro ocorre ao longo dos dois

primeiros anos de vida. ida. Deficiências

nutricionais nesse período eríodo podem ter

consequências irreversíveis. rsíveis.

A boa notícia é que e o leite materno

atende perfeitamente às necessidades

dos lactentes, sendo muito mais do

que um conjunto de nutrientes,

por conter substâncias as com atividades

protetoras e imunomomunomoduladoras.

Ou seja, protege

contra alergias, estimula mula o

desenvolvimento do sistema istema

imunológico e a maturação ração

dos sistemas digestivo vo e

neurológico.

Diante da impossibibilidade do aleitamento to

materno, deve-se uti-

lizar uma fórmula infantil

(tipo NAN) que

satisfaça as necessidades

do lactente.

Esses produtos trazem

na embalagem

a idade para qual

são recomendados.

O leite de vaca (in

natura, integral,

pó ou fluido), não

JORNALVERAN49

www.veran.com.br

é apropriado para crianças menores

de 1 ano, por ter baixo teor de ácidos

graxos essenciais, carboidratos, ferro,

zinco, vitaminas D, E e C, altas taxas de

proteínas e sódio. Ou seja, totalmente

desaconselhável como fonte de alimentação

para os bebês.

Por isso, o leite materno é tão importante.

É completo e atende plenamente

as necessidades de desenvolvimento

dos bebês. Se, por algum problema, a

mãe não puder amamentar, a recomendação

dos profissionais é usar produtos

específicos para a alimentação

de lactentes.

Fontes: Dra. Ana Regina Folegatti Lira

(CRM (CRM 53185), pediatra, especialista em

nutrologia nutrologia e mestre em pediatria pela

EPM-UNIFESP

Temas de Pediatria, nº 86 –

Nutrição e desenvolvimento

cerebral da criança – Dr.

Mário Cícero Falcão

Dez passos para uma alimentação saudável

para crianças menores de 2 anos

Passo 1

Passo 2

Passo 3

Passo 4

Passo 5

Passo 6

Passo 7

Passo 8

Passo 9

Dar somente leite materno até os 6 meses, sem oferecer água,

chás ou quaisquer outros alimentos.

A partir dos 6 meses, introduzir de forma lenta e gradual

outros alimentos, mantendo o leite materno até os 2 anos de

idade ou mais.

Após os 6 meses, dar alimentos complementares (cereais,

tubérculos, carnes, leguminosas, frutas e legumes), três vezes

ao dia, se a criança receber leite materno, e cinco vezes ao dia,

se estiver desmamada.

A alimentação complementar deverá ser oferecida sem rigidez

de horários, respeitando-se sempre a vontade da criança.

A alimentação complementar deve ser espessa desde o início e

oferecida com colher; começar com consistência pastosa

(papas/purês) e, gradativamente, aumentar a consistência até

chegar à alimentação da família.

Oferecer à criança diferentes alimentos ao dia. Uma alimentação

variada é, também, uma alimentação colorida.

Estimular o consumo diário de frutas, verduras e legumes nas

refeições.

Evitar açúcar, café, enlatados, atados,

frituras, refrigerantes, balas,

salgadinhos e outras guloseimas uloseimas

nos primeiros anos de vida.

Usar sal com moderação. ão.

Cuidar da higiene no preparo reparo

e manuseio dos alimentos; ntos;

garantir garan o seu armazenamento namento

e con conservação adequados. dos.

Passo 10

Estimular ar

a criança a doente

e convalescente a se

alimentar, oferecendo endo o

sua alimentação

habitual e seus

alimentos

preferidos,

respeitando

a sua aceitação.

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria

Equoterapia

O cavalo a serviço da vida

Numa definição simples, equoterapia

é um método terapêutico

que utiliza o cavalo para o

desenvolvimento físico, psicológico e

educacional de pessoas portadoras de

deficiência ou com necessidades especiais.

Apesar de pouco conhecido, esse

tratamento tem contribuído, e muito,

para a socialização, autoconfiança e

auto-estima daqueles que o praticam.

No Brasil, o método possui uma entidade

específica, conhecida por Associação

Nacional de Equoterapia (Ande-Brasil),

criada em 1997. Segundo

informações da Ande, a terapia realizada

com o auxílio de cavalos é indicada

para pacientes com lesões neuromotoras

de origem encefálica ou medular, patologias

ortopédicas congênitas ou adquiridas

por acidentes diversos e disfunções

sensório-motoras. Além disso, pessoas

que tenham necessidades educativas

especiais, distúrbios evolutivos, comportamentais

e de aprendizagem também

podem se submeter a esta prática.

Apesar de ser um tratamento relativamente

caro, por utilizar um cavalo,

animal que exige cuidados específicos,

a equoterapia tem seu papel social. A

Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais

(Apae), por exemplo, disponibiliza

aos seus alunos esse tipo de terapia

sem custo algum.

Outras entidades filantrópicas, como

a própria Ande, com sede em Brasília,

oferecem a equoterapia gratuitamente,

com o apoio de órgãos federais e do trabalho

voluntário.

Pedro Matheus de Assis, de dez anos,

nasceu prematuro. Como consequência,

ele não anda e tem dificuldades para

falar. Desde os dois anos praticando

equoterapia, o garoto, que é aluno

da Apae de Mogi, tem evoluído com o

passar do tempo. “O Pedro teve uma

lesão neurológica por falta de oxigênio

e ficou com um comprometimento na

coordenação motora. Na equoterapia,

o movimento que o cavalo faz ao andar

exige que o praticante mexa o quadril.

Então, quando está a cavalo, o Pedro

tem a sensação de que está andando. O

desenvolvimento dele é bom, a coluna

está mais firme”, detalha Evadne da

Costa Assis, mãe de Pedro. “Quando

ele era bebê, montava acompanhando

porque não tinha equilíbrio, mas hoje

já monta sozinho”, conta.

“É importante ressaltar que o resultado

vem aos poucos. Muitas pessoas

acham que é mágica, mas não é. É um

tratamento lento, que precisa de dedicação,

só assim haverá resultado”,

acrescenta.

No centro rural da Apae, que fica em

Mogi, os alunos são acompanhados de

perto por equoterapeutas, psicólogos

e fisioterapeutas, entre outros profissionais.

Evadne conta que, para Pedro,

assim como para outros praticantes, o

tratamento acaba tendo seu lado lúdico.

“Enquanto eles desenvolvem a parte

física, há psicólogos que acompanham

de perto. Eles aprendem formas, cores,

tudo de forma lúdica. Além disso, o animal

não quer nada em troca, é inocente,

o que cria entre o praticante e o cavalo

um amor verdadeiro”, destaca.

O cavalo e sua

contribuição

Na equoterapia, o praticante e o

cavalo estabelecem uma relação harmoniosa

e conseguem atuar juntos no

desenvolvimento do paciente. A base

desta relação é a afetividade, estabelecida

graças à confiança recíproca.

Ande-Brasil: Divulgação

Cavalo contribui para o controle motor e a socialização dos praticantes

De acordo com a Ande, a primeira

manifestação quando um ser humano

está a cavalo é o ajuste tônico (movimento

automático de adaptação). Em

outras palavras, o cavalo nunca está

totalmente parado. A troca de apoio

das patas, o deslocamento da cabeça

ao olhar para os lados, as flexões da

coluna e o abaixar e alongar do pescoço,

entre outros movimentos, obrigam

o cavaleiro a um ajuste no seu

comportamento muscular, a fim de

compensar os desequilíbrios provocados

pelo animal.

O ajuste tônico torna-se rítmico conforme

o cavalo caminha e é esse um dos

princípios fundamentais da equoterapia.

Em 30 minutos de trabalho, o cavaleiro

executa de 1.800 a 2.250 ajustes

tônicos. Isso quer dizer que, em meia

hora de tratamento, o paciente produz

diversos deslocamentos da cintura pélvica,

que produzem vibrações transmitidas

ao cérebro com a frequência de

180 oscilações por minuto, o que já foi

apontado como sendo a mais adequada

à saúde.

Segundo Tatiana Lermontov, equoterapeuta

e autora do livro A Psicomotricidade

na Equoterapia, na esfera social,

a equoterapia é capaz de diminuir

a agressividade, tornar o paciente mais

sociável, melhorar sua autoestima, diminuir

antipatias, construir amizades

e treinar padrões de comportamento,

como ajudar, ser ajudado, aceitar as

próprias limitações e as limitações do

outro. “O fato de estar ao ar livre ajuda

a relaxar, na redução rápida da ansiedade,

a aliviar as tensões, além de ajudar

na correção de posturas corporais.

Ajuda a desenvolver a personalidade

como um todo, assim como favorece

a quebra das barreiras defensivas

e permite que a pessoa elabore novas

respostas a comportamentos estabelecidos

anteriormente”, explica.

Obedecendo ao novo acordo ortográfico

JORNALVERAN49

www.veran.com.br


Se você é do tipo que diz não ter

um minuto livre para atividades

que não lembrem suas tarefas

profissionais ou deveres domésticos,

saiba que sua chance de desenvolver o

estresse e todos os problemas que ele

traz é maior que a das pessoas que têm

um hobby. E mais: encontrar tempo

para uma ocupação capaz de desviar

sua atenção das preocupações com o

trabalho é uma questão muito simples,

basta definir prioridades.

Ao se dedicar a atividades de lazer

- sem descuidar de suas obrigações -

você quebra a rotina do dia, alivia as

tensões e (como um argumento para

sensibilizar aqueles que consideram o

trabalho a única coisa que interessa)

aumenta a disposição para encarar

as tarefas profissionais. “O organismo

humano pode ser comparado a

um carro”, diz a médica Alexandrina

Meleiro, do Instituto de Psiquiatria

do Hospital das Clínicas de São Paulo.

“Colocá-lo para trabalhar

durante horas

seguidas todos

os dias da semana

pode provocar superaquecimento

e diminuir a vida

útil do motor”.

Encontrar

tempo para

as atividades

extras

é mais

fácil do

8

CAPA

JORNALVERAN49

www.veran.com.br

que parece. E quando sua diversão

lembra a infância, é melhor ainda.

“Quando a pessoa faz algo por prazer,

o tempo deixa de ser um problema.

Atividades que fazem as pessoas se

lembrar de épocas felizes da vida -

como é o caso da infância - são boas

escolhas”, sugere o psicólogo Luiz

Carlos Torres.

E como descobrir a atividade que

mais combina com você? Isso depende.

A forma de avaliar se o hobby é

adequado ou não é subjetiva. Qualquer

atividade pode transformarse

num hobby. A pessoa pode, por

exemplo, dedicar-se a uma coleção

de selos. Ou praticar algum esporte.

Ou trocar mensagens com desconhecidos

pela internet. Ou ainda tomar

aulas de danças de salão ou assistir a

filmes clássicos. Um cuidado importante

é impedir que o hobby termine

por tomar todo o tempo livre e acabe

afastando a pessoa da convivência

com a mulher, o marido, filhos ou

amigos. “A vida social também é importante.

O hobby deve ser um passatempo,

não ocupar todo o tempo da

pessoa”, adverte.

E fica um alerta: é preciso ter o cui-

dado de evitar que o passatempo se

transforme em obsessão e em fonte de

preocupação. “Quem for tão exigente

com seu desempenho no passatempo

quanto é no ambiente de trabalho

nunca conseguirá relaxar”, diz o psicólogo.

“A atividade profissional também

deve ser prazerosa, para que os

momentos de lazer não se reduzam a

mera compensação das frustrações do

escritório”.

Voltando a ser criança

Brinquedos, bonecas, super-heróis,

camisetas de desenho animado. Você

deve estar pensando: tudo isso é coisa

de criança! Na verdade, é muito comum

encontrar adultos que gostam

de usar e ter objetos que lembrem a

sua infância. A febre é tão grande que

existe um termo para designar as pessoas

que têm este comportamento.

Elas são chamadas de kidults, mistura

de criança com adulto.

É o caso de Mariéllen Emidio Figueroa.

A nutricionista de 25 anos não

esconde a paixão por um hobby que

tem desde criança: colecionar bonecas.

E não é só isso. “Sempre gostei de

tudo relacionado às bonecas, desde

menina”. Tudo comemeçou quando ela tinha ha

10 anos. “Minha tia

me comprou uma booneca de presente de

natal. A partir daí, aí,

não parei mais. Todo do

aniversário eu pedia ia

uma”, conta.

O tempo foi passsando, a coleção ão

crescendo. Ela tammbém.

“Conforme fui

ficando mais velha, ha,

parei de ganhar as

bonecas. Mas semempre cuidei delas, e

toda vez que passaava perto de uma loja oja

de brinquedos ficava ava

com aquela vontade”, de”,

se diverte. “Depois comecei

a estudar fora ora e

a coleção parou de e vez.

Mas quando voltava a para

casa, a primeira coisa isa que

fazia era ir ver como mo elas

estavam”, diz.

E foi nessa época a que o

hobby começou a ajudar.

“Eu trabalhava, estudava studava e

morava longe de casa, asa, da família.

Comecei a sentir falta

disso e levei as bonecas necas comigo.

Montei um quarto rto para elas

dentro do meu e comprei um

iate para elas”, explica. lica. E não foi

só ela quem aprovou ou a mudança.

“As minhas amigas as não saíam lá

de casa! Todo mundo ndo as adorava, a

gente brincava, parecíamos recíamos crianças

mesmo”.

Para ela, o hobby y faz parte da vida.

“Eu não me vejo sem em essas bonecas.

Até hoje quando alguma amiga de in-

fância vem aqui, a gente brinca, se diverte.

Já pedi para minha tia que mora

no no exterior me mandar uma nova que

foi lançada na Europa e a coleção vai

crescer sempre”, promete. promete.

E a mensagem para quem tem vergonha

de “voltar a ser criança” é bem bem

clara: “Todos nós já fomos criança um

dia e é uma época muito legal. Faz bem

para a mente, é divertido. Quem não

gosta de diversão?”, defende.

Mas não são apenas as bonecas que

despertam a criança nos adultos. O

supervisor supervisor de TI Eduardo José Rodrigues

tem 42 anos e pratica aeromodelismo

há 10. Esse interesse

surgiu da paixão pela aviação,

que começou ainda na infância.

Para ele, o ideal seria praticar

todo final de semana, porémrém

não tem sido possível. possível. O

rádio (equipamento que serve

para controlar o avião)

está precisando de uma

revisão geral e não pode

ser utilizado, fato que que não

o impede de estar com os

amigos na pista, para jo-

gar uma conversa fora e observar as

mmáquinas

voadoras.

Para ele, ter um hobby pode ajudar

a superar situações de estresse. “Meu

primeiro p avião, por exemplo, comprei

de d um senhor que estava sofrendo de

depressão d

e o médico incentivou a

procurar p uma distração. Foi quando

ele e iniciou no aeromodelismo e, desde

d então, não largou mais. Hoje, é sua

grande g paixão e a depressão foi embora”,

r relata.

“No hobby acabamos nos desligando

g dos problemas, preocupações

e correrias que a vida moderna nos

impõe i e focamos naquilo que nos dá

prazer. p Quando estou com meu avião,

transformo-me t

numa criança com seu

brinquedo, b

o que é muito bom. Não

vejo v problemas, preocupação, só vejo

distração d e alegria”.

Esporte também

é hobby

Seja coletivo ou individual, esporte é

sinônimo s de diversão para muita gente.

t Natação, corrida e até a pelada de

final f de semana valem. O importante é

colocar c o corpo em movimento.

A securitária Luzinete Ferreira de

MMelo,

de 33 anos, é um bom exemplo.

CCorre

quatro vezes por semana e pra-

ttica

musculação. “Quando estou em

aatividade

física com uma boa música,

ssaio

de órbita, esqueço de tudo. Se fico

ttrês

dias sem ir para a academia, mi-

nnhas

pernas doem, fico insuportável”,

rrevela.

Outro hobby é o surf, influência de

um u ex-namorado. Pelo menos duas vezes

z por mês ela vai à praia. Além disso,

s já viajou para pegar onda na Costa

Rica. R “O surf é mágico! As ondas, mesmo

m sendo marolinhas, são mágicas.

Pratico P há sete anos”, conta.

Na opinião dela, ter um hobby é

muito m importante: “Faz parte do meu

dia d a dia. Se tive um dia difícil e sei

que, q ao sair do trabalho, vou fazer o

que q gosto, tudo muda”.

Música para relaxar

Outro hobby comum é a música. Tocar

c um instrumento distrai e faz bem

para p a alma. A estudante Fabiana Alves

v Ferreira, 25 anos, descobriu o interesse

t pela música ainda na infância.

“Aos “ 7 anos já cantava no coral infantil

da d igreja. Quando tinha 15, aprendi a

tocar t violino”.

Até os 18 anos, ela praticava uma

hora h por dia. Depois, com o trabalho

e os estudos, a prática passou para os

A coleção de Mariéllen é diversão para ela e as amigas

Música: hobby que ajudou Fabiana a ser mais disciplinada

fins de semana. “Eu costumava tocar

no quarto dos fundos da casa, pois minha

família já não aguentava mais ouvir

os mesmos exercícios e melodias. É

um instrumento que exige muita disciplina

e paciência”, ressalta.

A paixão e dedicação à música levou

Fabiana a ensinar crianças a tocar violino.

“Foi uma experiência fascinante”,

conta. Para ela, o hobby traz muitos

benefícios para a saúde física e mental.

“Além de aliviar o estresse, me tornei

uma pessoa mais centrada e disciplinada

em vários aspectos da minha vida

pessoal e profissional. A música exige

muito da pessoa. Você desenvolve raciocínio

lógico, coordenação motora e

aprende a arte da improvisação”.

E você, tem um hobby? Tá esperando

o quê pra começar a se divertir?

JORNALVERAN49

www.veran.com.br

9


MAIS

Seja fiscal do seu vereador

Se pessoas acima do peso ou muito

pequenas têm dificuldade para

encontrar roupas, imagine quem

tem algum tipo de deficiência. Foi pen-

que estabelece reserva de percentual

de vagas em empresas a trabalhadores

com deficiência. O ingresso de maior volume

dessas pessoas no mercado de trasando

em promover essa discussão que

balho gera consequente aumento de seu

Sabe aquele reajuste no pagamento

do Imposto Predial e Territorial

Urbano (IPTU) de sua casa? E

aquelas alterações no zoneamento que

permitem a instalação de indústrias

Tire suas

dúvidas

a Secretaria de Estado dos Direitos da

Pessoa com Deficiência criou o concurso

“Moda Inclusiva”.

Segundo dados do IBGE (Instituto

Brasileiro de Geografia e Estatística), no

poder aquisitivo e também da demanda

por peças de vestuário.

Um evento assim “tem significado econômico

para o mercado e para os profissionais

envolvidos, mas, sobretudo tem

em uma região residencial? Todas estas

Como é fi xado o número

último censo demográfico, em 2000,

um significado para as pessoas com de-

mudanças, que afetam diretamente a

vida dos moradores são discutidas pelos

vereadores nas câmaras municipais.

Todos os assuntos importantes e que

mexem com a vida de uma comunidade

passam pela avaliação e aprovação

dos vereadores, que, além de dar o aval,

rejeitar, discutir e debater todas as medidas

propostas pelo prefeito, fiscalizam

os atos do Executivo (prefeitura) e verifi-

de vereadores?

Nas cidades, o Poder Legislativo é

exercido pelas câmaras municipais.

O número de parlamentares, em

cada cidade, é fixado pela Lei

Orgânica do Município. A cidade de

São Paulo, por exemplo, conta com

55 vereadores eleitos dentre os

cidadãos maiores de 18 anos e no

o Brasil tinha 24,6 milhões de pessoas

portadoras de alguma deficiência, o que

correspondia a 14,5% da população brasileira.

Para essas pessoas, a autonomia é

muito importante. Colocar uma camisa

sem ajuda, por exemplo, é possível quando

no lugar dos botões forem utilizados

velcros ou mesmo botões com imã.

ficiência. A sociedade está olhando para

elas”, disse o governador José Serra.

Aninha representa região

O Alto Tietê marcou presença no concurso.

Anna Paula Navarro Pulice, de

nove anos, desfilou com a roupa criada

pela estudante Tammy Takahama. Portadora

de osteogênese imperfeita, doença

popularmente conhecida como ossos de vicam

se as verbas destinadas ao municí-

exercício dos direitos políticos.

dro, a menina conta que gostou do desfile:

pio estão sendo bem aplicadas.

“Foi muito legal, me senti uma pop star”.

Além de fiscalizar, o vereador deve

Quais são as atribuições

A menina, que mora em Poá, ficou

legislar, isto é, analisar e votar projetos

do vereador?

conhecida na região em 2002, graças a

de lei apresentados pelos próprios parla-

Cabe à Câmara, com sanção do

Talento reconhecido: Ganhadoras miram mercado em ascensão

campanha “Amigos da Anna”, que arrementares,

pelo Executivo ou pela socie-

prefeito, dispor sobre as matérias

cadou fundos para que ela pudesse fazer

dade civil. O parlamentar exerce suas

funções também fora das salas do legislativo,

seja visitando as comunidades ou

participando de discussões sobre temas

municipais em eventos fora da Câmara.

Por isso, a quantidade de horas trabalhadas

dependerá muito do político – ele

pode ser “vereador” 24 horas, discutindo

e defendendo os interesses da cidade.

Alguns mantém a profissão que tinham

de competência do município,

especialmente assuntos de interesse

local; decretação e arrecadação

dos tributos de sua competência;

discussão e aprovaçãao do Plano

Diretor, que estabelece as diretrizes

do crescimento urbano; discussão

e aprovação do orçamento anual e

da Lei de Diretrizes Orçamentárias,

a final, em desfile apresentado no evento.

Os modelos eram pessoas portadoras de

deficiências físicas, muitos deles amigos

dos estilistas. A seleção dos finalistas foi

baseada na criatividade e na adequação

das peças ao público-alvo. De lá, saíram

três vencedores, que ganharam, entre

outros prêmios, um estágio remunerado

na empresa Vicunha, publicação do croqui

finalista na revista Manequim, creclusiva,

com modelagens diferenciadas,

adaptadas e tecidos especiais. No Brasil,

o mercado de vestuário para pessoas

com deficiência ainda é pouco explorado,

mas a moda inclusiva tem um grande

potencial para se tornar um novo e

expressivo segmento.

“Trata-se de um mercado consumidor

bastante representativo, que qualquer

segmento gostaria de ter”, ressaltou a

uma cirurgia no Canadá.

A família luta pela causa da filha

desde o descobrimento da doença em

2001, quando, aos nove meses, ela

caiu pela primeira vez e fraturou o

fêmur. “Antes do tratamento a Anna

se fraturava em média três vezes ao

ano. Agora, depois do tratamento, esse

número caiu para um. Hoje ela leva

uma vida normal e feliz”, conta o pai.

antes de se eleger. O importante mesmo é

que planeja onde e como aplicar

Concurso valorizou beleza e praticidade das peças

dencial para o São Paulo Fashion Week e secretária dos Direitos da Pessoa com A história de luta e conquistas será

acompanhar o trabalho do vereador e veri-

o orçamento do município;

cortesias para o Pense Moda (evento que Deficiência, Linamara Battistella. contada no livro A Chave da Vitória, que

ficar se ele tem honrado o seu voto. A mais

sobre a dívida pública municipal;

O concurso

promove um intercâmbio cultural entre O tema ganha ainda maior relevância tem lançamento previsto para novembro

recomendada é acompanhar as sessões, se

fiscalização das atividades

O “Moda Inclusiva” recebeu traba- profissionais brasileiros por meio de pa- em função da Lei de Cotas (Lei 8213/91), deste ano.

informar e ver como ele se posiciona em

comerciais, industriais e de serviços

lhos de estudantes universitários da lestras e debates para o crescimento cria-

Obedecendo ao novo acordo ortográfico

assuntos polêmicos. Se não for possível,

na cidade; vigilância sanitária;

área de moda de todo o estado de São tivo da moda brasileira).

acompanhe pelo menos o seu desempenho

– com os projetos propostos e aprovados e

seja o verdadeiro fiscal de seu vereador.

Como falar com o seu vereador

Ferraz de Vasconcelos São Paulo

Site: www.camaraferraz.sp.gov.br Site: www.camara.sp.gov.br

Telefone: 4674-1818

Telefone: 3396-4000

Sessões: Às segundas-feiras, a partir Sessões: Às terças, quartas e quintas-

das 18 horas (Avenida Dom Pedro II, feiras, a partir das 15 horas (Viaduto

180, centro de Ferraz)

Jacareí, 100, São Paulo)

criação de cargos públicos e fixação

dos respectivos vencimentos; bens

do domínio do Município; regime

jurídico dos agentes públicos

municipais; polícia administrativa;

zona urbana, urbanizável ou de

expansão urbana, entre outras

matérias.

Eles têm o poder

de fi scalizar?

Paulo. O evento aconteceu no Memorial

da América Latina e foi uma iniciativa

para estimular a criação de modelos de

vestuário adaptados às necessidades das

pessoas com deficiência.

O concurso foi aberto para os estudantes

criarem roupas pensando em deficiências

específicas, como para a tetraplegia,

deficiência visual, dificuldade de movimentação,

entre outras. Cada estudante

poderia inscrever até três trabalhos.

Os estilistas desenvolveram roupas

Para Daniela Auler, da Secretaria de

Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência,

o primeiro concurso de moda

inclusiva do mundo veio para melhorar

a qualidade de vida e a autoestima de

pessoas com deficiência. “A importância

do evento foi promover o debate sobre a

moda inclusiva, incentivar o surgimento

de novas soluções em relação ao vestuário

para a pessoa com deficiência,

impactar o público e responsabilidade

social para estimular o surgimento de

Mogi das Cruzes

Site: www.cmmc.com.br

Telefone: 4798-9500

Sessões: Às terças e quartas-feiras, a

partir das 15 horas (Avenida Vereador

Narciso Yague Guimarães, 381, no

Centro Cívico)

JORNALVERAN49

www.veran.com.br

Suzano

Site: www.camaradesuzano.sp.gov.br

Telefone: 4744-8000

Sessões: Às segundas e quartasfeiras,

a partir das 19 horas

(Rua Paraná, 70, Jardim Paulista)

Poá oá

Site: www.camarapoa.sp.gov.br

Telefone: 4634-6060

Sessões: Às terças-feiras, a partir

das 19h30 (Rua Vereador José Calil,

100, centro de Poá).

Sim, as câmaras também possuem

a função de fiscalização dos atos

do Poder Executivo, inclusive os da

administração indireta. Tal controle

abrange os atos administrativos, de

gestão e até a fiscalização financeira

e orçamentária do município.

pensando não só na beleza estética, mas

também na funcionalidade, como a fácil

colocação com zíperes ou velcros, modelagem

estreita (para quem é cadeirante não

ficar com a roupa embolada), bolsos em

lugares estratégicos e espaço para os deficientes

visuais guardarem suas bengalas.

Os vinte melhores croquis foram para

um novo segmento de mercado, além de

colaborar na complexa discussão sobre

a inserção das pessoas com deficiência

na sociedade”, ressaltou.

Mercado pouco explorado

No exterior já existem diversas marcas

e lojas especializadas em moda in- Anna Paula desfilou as peças produzidas pela estudante Tammy Takahama

JORNALVERAN49

www.veran.com.br 11

10

Concurso valoriza

moda inclusiva


COME-SE

Pudim de tapioca com calda

de coco queimado do Mocotó

C

Pense numa sobremesa bem gostosa, pra comer em dias de festa. É esta.

Não sei se vamos conseguir fazer o coco queimado do jeito do chef Rodrigo,

crocante, aromático, mas não custa tentar.

omo já disse aqui algumas

vezes, fui jurada no Prêmio

Paladar (prêmio que reúne os

maiores gourmets do Brasil)

deste ano. Durante este tempo

tive vida dupla - não podia

contar pra ninguém, além de familiares e

amigos íntimos e mantive um blog paralelo.

É de lá que resgato este texto escrito

assim que cheguei em casa após a comilança

no Mocotó, que concorria ao prêmio

com dois pratos: Escondidinho de queijo

Neide Rigo é

nutricionista,

consultora

de cozinha

e nutrição

da revista

Caras e também autora

do blog come-se.blogspot.

com. Neste espaço, divide

experiências culinárias de

dar água na boca, mas que

sejam de fácil reprodução.

de cabra com legumes

e Baião-de-dois.

O sábado quente

e ensolarado estava

bom para uma cerveja

bem gelada e o

tempo sobrando permitiu

a “viagem” até

Vila Medeiros sem

pressa. Metrô até

Tucuruvi e depois ônibus Parque Novo

Mundo na saída do metrô, à esquerda.

O motorista do microônibus com ar

condicionado a R$ 2,30 parecia estar

bem treinado para levar visitantes de

longe ao bar famoso. Mocotó? Pode

deixar, que eu deixo vocês na porta. E

assim foi. Descemos na esquina da rua

Gustavo com Nossa Senhora do Loreto

e dali já víamos a muvuca na frente do

bar. Muito fácil chegar lá.

Esperamos menos de meia hora pra

conseguirmos uma mesa para dois -

Ananda, minha filha, e eu. Antes, tomei

uma cerveja, comi torresminho crocante

e bolinhos de abóbora com carne seca

- deliciosos, lançamento que ainda não

estava no cardápio.

Pedimos o prato que estava concor-

rendo à categoria Trivial, o baião de

dois; e o escondidinho de queijo de de cabra

com legumes, categoria Laboraoraatório Paladar. O pudim de tapioca, a,

na sobremesa, estava sublime, mas s

infelizmente não concorria a prê-

mio nenhum. Certamente daria a

prêmios ao pudim de tapioca com m

cobertura de coco crocante e calda de dee

caramelo, ao torresminho crocante, te, ao

sarapatel, cozido no ponto certo e com

sabor delicado de cominho, ao atendimento

e pelo fato de ser muito barato

pelo bom que é. Recomendo muito.

12

JORNALVERAN49

www.veran.com.br

Neide Rigo

Mocotó - Rua Nossa Senhora do Loreto, 1100 - Vila Medeiros - Tel. 2951-3056

Receita do chef Rodrigo Oliveira

Ingredientes

75 g de tapioca granulada

375 mml

de creme de leite fresco

200 ml de leite de coco

2 ovos

2 gemas

100 ml de leite

1 lata de leite condensado

Calda para a forma

200 g de açúcar

70 ml de água

Calda de Coco Queimado

500 g de açúcar

uma pitada de anis-estrelado em pó

100 ml de água

100 g de coco fresco ralado

200 ml de leite coco

Comece o preparo do pudim

Hidrate a tapioca com o creme fresco e o

leite de coco por pelo menos duas horas.

Calda para a forma

Coloque numa panela a água e o açúcar e

leve ao fogo, mexendo devagar até formar

uma calda caramelizada. Espalhe numa

forma para pudim e reserve.

Prepare a calda de coco

Caramelize o açúcar e junte o anis, a

água e o leite de coco. Cozinhe até obter

o ponto de fio grosso. Reserve. Aqueça

o coco ralado em uma frigideira,

mexendo sempre até dourar. Junte à

calda, misture e reserve.

Continue o preparo do pudim:

misture os ovos, as gemas, o leite e

o leite condensado. Mexa bem, coe

numa peneira fina e junte à tapioca

hidratada.

Coloque a mistura na forma untada e

asse em banho-maria a 150º por 40

minutos ou até firmar. Resfrie o pudim

e sirva com a calda quente.

Rende: 8 porções

R E C E I T A S

500 gramas de feijão verde

250 gramas de carne de sol ou carne

de charque escaldada e picada em

cubinhos pequenos

Coentro, 1 cebola e 1 tomate picadinhos

1 colher (chá) de manteiga

Meia xícara de água

500 gramas de açúcar

Bolo de Rolo

Ingredientes

200 gramas de manteiga

200 gramas de açúcar

200 gramas de farinha de trigo

200 gramas de goiabada derretida

5 ovos

Preparo

Bata bem o açúcar, a manteiga e as gemas. Acrescente a farinha de trigo e por último

as claras em neve. Unte com manteiga e farinha uma forma própria para bolo de

rolo. Espalhe com 1 colher de sopa uma camada bem fininha de massa.(Com os

ingredientes listados, a massa renderá mais ou menos 6 formas). Leve ao forno

quente bem rapidinho, só para secar. Vire sobre um pano de prato, espalhe a goiabada

derretida ainda quente e vá enrolando os bolos. O aspecto final é o de rocambole.

Macaxeira gratinada

Ingredientes

2 quilos de macaxeira (aipim ou mandioca)

1 quilo de carne de charque (carne seca, jabá) sem gordura

1 colher de sopa de manteiga (ou 2 de manteiga de garrafa)

2 cebolas médias, cortadas em fatias finas

300 gramas de queijo coalho ou mussarela

1 copo de requeijão

Preparo

Deixe a carne de molho, mais ou menos 2 horas, trocando sempre de água para tirar o sal.

Cozinhe em panela de pressão, com água que cubra, até ficar bem macia. Desfie, desprezando

a pele. Reserve. Frite a carne na manteiga, junte a cebola e reserve. Experimente o sal. Se

precisar, acrescente um pouco mais. Amasse a macaxeira com um garfo, tire os fiapos e

junte o requeijão, misturando bem. Num pires ou refratário, vá colocando metade do purê

de macaxeira. Por cima, coloque toda a carne acebolada. Cubra com a outra metade da

macaxeira e, por último, cubra com o queijo fatiado finamente. Regue com um fio de azeite

de oliva, cubra com papel alumínio e leve ao forno para gratinar.

Arrumadinho

Ingredientes

Baba de Moça

Ingredientes

2 colheres de sopa de manteiga ou

margarina

1 xícara de farinha de mandioca

Sal e pimenta a gosto

Preparo

Cozinhe o feijão com sal. Frite a carne em 1 colher de manteiga. Faça uma farofa

fritando a farinha com o restante da manteiga, sal e pimenta. Arrume em camadas

numa travessa o feijão verde, coloque por cima a carne, os temperos picadinhos e por

cima de tudo a farofa. Enfeite com coentro e sirva com uma cerveja bem gelada.

5 gemas de ovo

200 ml de leite

Preparo

Misture todos os ingredientes e leve ao fogo. Mexa sempre, até começar a ferver.

Retire do fogo e deixe esfriar. Decore com merengue italiano e cereja.

Tapioca

Ingredientes

1 quilo de fécula de mandioca ou polvilho doce

2 litros de água

Preparo

Numa tigela, deixe a fécula de mandioca de molho por 2 horas. Escorra a água e coloque

a fécula sobre um pano branco. Deixe secar por 2 horas e, em seguida, passe por

uma peneira. Leve ao fogo baixo uma frigideira de ferro ou antiaderente, sem untar.

Mantenha a chama baixa. Com uma colher, coloque um pouco de massa na frigideira,

alisando para ficar bem macia, por cerca de 3 minutos, ou até a tapioca dar liga.

Repita a operação até terminar a massa. Recheie com Romeu e Julieta ou com outro

recheio de sua preferência.

Dicas

Romeu e Julieta: Meio quilo de queijo fresco e 200 gramas de goiabada cremosa caseira

ou pronta. Com a tapioca ainda na frigideira, coloque as fatias de queijo e por cima

a goiabada. Dobre e sirva quente.

Coco e leite condensado: Com 200 gramas de coco ralado e 200 gramas de leite condensado.

Espalhe o coco sobre a tapioca pronta e distribua por cima o leite condensado.

Dobre e sirva quente.

Recheio de banana e queijo coalho: Descasque 4 bananas e corte-as ao meio, no sentido

do comprimento. Numa frigideira, aqueça 1 colher de (sopa) de manteiga e frite as

bananas. Com 200 gramas de queijo coalho fatiado, meia xícara de (chá) de açúcar e

1 colher de (chá) de canela em pó, recheie as tapiocas: coloque as fatias de queijo e por

cima a banana. Polvilhe com o açúcar e a canela. Dobre e sirva quente.

1 quilo de camarão médio

1 colher (chá) de pimenta malagueta

amassada

4 colheres (sopa) de azeite de dendê

1 colher (sopa) de gengibre ralado

1 xícara (chá) de leite de coco

4 colheres (sopa) de suco de limão

Bobó de camarão

Ingredientes

1 colher (sopa) de alho amassado

1 cebola grande partida ao meio

Meio maço médio de coentro amarrado

Meia xícara (chá) de cebola ralada

1 cenoura grande picada

1 quilo de mandioca

Sal a gosto

Preparo

Limpe os camarões, retire as cascas e as cabeças s

(reserve) e lave bem. Coloque os camarões em um uma ma

tigela e tempere com o suco de limão, o alho e o sal. De Descasque escasque

a mandioca, corte em pedaços de mais ou menos 7 ce centímetros ntímetros

e retire a fibra central. Lave-a, coloque em uma panela, nela,

junte

as cascas e as cabeças dos camarões, a cebola, a cenoura ennoura

e o

coentro. Cubra com 2,5 litros de água, leve ao fogo e cozinhe i h com

panela tampada por 35 minutos, ou até a mandioca ficar bem macia.

Retire a mandioca e coe o caldo que se formou na panela. Transfira a metade da

mandioca para o liquidificador, junte 2 xícaras de (chá) do caldo morno e bata até

obter um mingau grosso. Se necessário, junte mais caldo. Pique a outra metade

da mandioca e reserve. Pique a metade do maço do coentro e reserve. Transfira

a mandioca batida para uma panela, junte a mandioca picada, os camarões,

o azeite de dendê, o gengibre, a pimenta malagueta, o leite de coco, o coentro

reservado e o sal. Misture e cozinhe, mexendo de vez em quando, até os camarões

ficarem rosados. Sirva com arroz branco e molho de pimenta.

Obedecendo ao novo acordo ortográfico

JORNALVERAN49

www.veran.com.br

13


SUDOKU

Primeiro dia na empresa e deve

chegar na sala do chefe seguindo

esta sequência de portas:

14

DIVIRTA-SE

6

1 9

1

7

1 8

4

6

7

5 3 7

3 4

5 9

2 5

JORNALVERAN49

www.veran.com.br

9

5

4

1

6

5

3

4

7

Nesta sala

de aula

apenas três

crianças

conseguem

ver a maçã

na lousa.

Trace linhas

retas da

maçã até

os rostos

e indique

quais são.

Preencha com o significado de cada

ícone e veja na vertical a base de tudo.

E

D

U

C

A

Ç

Ã

O

SOLUÇÕES: Sala de aula: m,c,f. Cruzadas: alimentação, saúde, cultura, comunicação, trabalho, segurança, habitação, transporte.

More magazines by this user
Similar magazines