Facility Management - Centro Empresarial de São Paulo

centroempresarial.com.br

Facility Management - Centro Empresarial de São Paulo

Facility Management

Executivos do Centro Empresarial recebem prêmios da Abrafac

A empresa de seus sonhos

Algumas das melhores empresas

para se trabalhar estão aqui

Animais de estimação

A importância deles em nossas vidas

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | | 1


| | DEZ/JAN/FEV 008- 009


A nova temporada se avizinha

008 está terminando, a temporada está acabando e uma nova jornada

se avizinha. Por analogia, façamos de conta que estamos terminando um

campeonato, o Brasileirão, com as posições praticamente definidas e as equipes

prestes a entrar em processo de preparação para a próxima temporada.

Novas contratações e treinos táticos. Os melhores times não são necessariamente

aqueles que investem mais, mas os que sabem investir melhor.

O ambiente psicológico também influencia. Quem não está contente

rende menos. Muitas vezes, uma equipe perde o campeonato porque se

desestimula. Assim é no mundo corporativo. A continuidade de um bom

trabalho oferecido aos clientes passa pelo que as empresas podem oferecer

aos seus funcionários em termos de estímulo, como oportunidades de

progressão na carreira, treinamento adequado, política de benefícios etc.

Está aí o prêmio “As 150 Melhores Empresas para Você Trabalhar”, que

constantemente destaca empresas do Centro Empresarial de São Paulo e

que não nos deixa mentir. Não é à toa que as empresas grandes e bem

sucedidas estão sempre preocupadas em oferecer o melhor a seus funcionários.

Aí, o envolvimento passa a ser de todos. E como diz o torcedor:

depois, é só correr para a galera.

Mas, muito cuidado com o clima psicológico adverso. O pessimismo

contamina. Estamos encerrando o presente ano. Uma grave crise econômica

global paira sobre o mundo. Antes mesmo que os seus efeitos

práticos alcancem efetivamente a economia, alguns setores já se mostravam

afetados. É claro que gato escaldado tem medo de água fria e

que cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém. Mas, no nosso

caso, o fator psicológico influencia muito porque já passamos por outros

vendavais no passado.

Segundo os especialistas, o país hoje está melhor preparado para lidar

com as crises do que no passado. Isso não significa dizer que não devamos

tomar as precauções devidas. É sim necessário enfrentar o momento com

serenidade, sem açodamento, mas planejando muito bem as ações das

empresas. O alcance da crise sobre nós ainda não é sabido. Mas, de todo o

momento adverso é possível aprender com a experiência. É o que aconselha

o presidente da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) e do Banco

Santander, Fábio Barbosa, que figura entre os nossos entrevistados para o

texto desta edição sobre a crise global. O setor financeiro é um dos principais

personagens do cenário econômico mundial e passa por uma série

de transformações, cuja principal característica no País foi ou está sendo a

fusão e compra das menores instituições pelas maiores.

Em tempos ou não de crise, mais uma vez, é importante a qualidade

do suporte que as empresas possuem para o desenvolvimento de suas

atividades. É aí que entra o facility management, que é o apoio de profissionais

de várias áreas para assegurar a funcionalidade do ambiente, por

meio da integração de pessoas, locais, processos e tecnologia. Esse é um

dos objetivos do Centro Empresarial de São Paulo, que tem três profissionais

premiados no setor. Dois são funcionários do condomínio: Marcos

Maran, gerente de manutenção, e Eduardo Lunardini Silva Mendes , responsável

pela Seção de Obras. O terceiro é Gustavo Bueno Gomes, que atua na

Procter & Gamble, empresa sediada no Bloco E.

Deixando um pouco de lado a seriedade e complexidade de determinados

assuntos, nesta edição também falamos sobre cuidados com a saúde

mental e atividades de relaxamento, como o carinho que dispensamos aos

nossos animais de estimação e um assunto muito comentado nessa época:

as tão sonhadas férias. Para ajudar a planejá-las selecionamos algumas dicas.

Aproveito a deixa para me despedir dos leitores, dando-lhes um espaço

até o início do próximo ano, quando voltaremos com uma nova edição da

nossa revista. Até lá, um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo a todos.

Orestes Quércia

Presidente da Panamby Empreendimentos e Participações Ltda.

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | |


CARTAS

Recebemos a Revista Centro Empresarial

SP News de Set/Out/Nov de 008. Revista

magnífica, com informação sobre o Centro

Empresarial. Gostamos da nova iluminação e

dos jardins.

Parabéns!

Vicente Rego Manito

Presidente

INTARCO Projetos e Consultoria

4 | | DEZ/JAN/FEV 008- 009

Marsh: duas semanas na selva

Thomaz Menezes, presidente da Marsh, e colaboradores no auditório do Centro de Convenções Panamby

A Marsh do Brasil promoveu em novembro a campanha “O Enigma da Selva”, lançada

no âmbito interno da empresa para melhorar a comunicação entre os seus colaboradores.

A idéia foi baseada num texto de autoria de Luis Marins, que só foi explicado no fim da

campanha, realizada no auditório G, do Centro Empresarial de São Paulo.

A campanha durou duas semanas. Na primeira, a recepção da Marsh virou um cenário de

selva. Dois personagens que compunham a campanha foram apresentados. Num dia, o jacaré

veio à Marsh e interagiu com os colaboradores. No outro, o homem da selva fez o mesmo.

Ambos disputaram para que os colaboradores ficassem em seus times. E os colaboradores

não entendiam nada do que estava acontecendo.

Na segunda semana, houve um dia de jogos, disputados no 8 o andar do Bloco F. Cabo

de guerra, queimada, dança da cadeira... todos os jogos foram com bolas de pelúcia que não

machucavam. As competições tiveram a participação de todos os colaboradores da Marsh,

desde o presidente até os personagens jacaré e homem da selva.

No dia seguinte aos jogos, foi feita a apresentação do tal Enigma da Selva. Ao final, a

mensagem: “Pessoas são nosso ativo mais importante. E estas pessoas devem ter atitudes

de Homem da Selva! Liberte o Homem da Selva que existe dentro de você!”


Roberto Shinyashiki lança

DVD de educação corporativa

Roberto Shinyashiki, consultor e autor de

best-sellers publicados pela Editora Gente, lança

o programa de treinamento “Os Donos do Futuro

– Educação Corporativa”. Composto por três DVDs

que trazem temas como Empreendedorismo, Sucesso

e Equipes, o programa tem depoimentos

de Luiza Helena Trajano, superintendente do

Magazine Luiza, Paulo Eduardo Stabile Arruda,

diretor-técnico do Sebrae-SP, Antonio dos Santos

Maciel, diretor-presidente da Suzano Papel e Celulose,

João Carlos Martins, maestro e pianista,

entre outros.

No treinamento sobre Empreendedorismo,

Shinyashiki mostra porque a falta de conhecimento

gerencial é uma das principais causas do

alto índice de fechamento de empresas.

No programa Sucesso, o consultor traça diversos

ângulos sobre o tema. O pianista e maestro

João Carlos Martins participa da discussão,

enriquecendo a reflexão sobre o que é sucesso.

Procter & Gamble faz 20 anos no país

e aposta na inovação

A Procter & Gamble comemorou em setembro

seus 0 anos de Brasil com um almoço que reuniu

clientes, fornecedores e representantes das quatro

agências que trabalham com o anunciante: F/Nazca

S&S, Leo Burnett, MatosGrey e Publicis. Durante

a apresentação foi possível conhecer um pouco

mais deste que é o maior anunciante do mundo

(só nos Estados Unidos investe mais de US$ 5 bilhões

em publicidade) e que marca presença em

80 países, com 1 8 mil funcionários e cerca de

bilhões de consumidores.

Fundada em 18 7 por William Procter, um fabricante

de velas, e James Gamble, que fazia sabão,

a P&G é a maior empresa de bens de consumo do

mundo e tem cerca de 00 marcas, que vão desde

fraldas Pampers até Gillette, passando pelas pilhas

Duracell e produtos Oral B. As marcas globais

faturam hoje mais de US$ 1 bilhão cada uma. Só a

Pampers é responsável por US$ 7 bilhões ao ano.

Instituições financeiras

ganham com Corporate

GoMaps da LAN

Conhecer melhor os processos e traçar estratégias

para atingir objetivos. A partir dessa proposta,

a LAN TI aplicada a negócios criou uma

divisão de consultoria, a LAN: Consulting Services,

que desenvolveu o Corporate GoMaps (da sigla

em inglês GoMAPS – Governance Monitoring and

Analysis Performance Scorecards). Trata-se de um

programa de governança corporativa que oferece

às instituições financeiras uma visão de alto nível

de seus principais processos e respectivos desempenhos.

Com esse acompanhamento, o executivo

pode identificar claramente onde a empresa pode

e precisa melhorar, mantendo o nível desejado

para sua performance no mercado.

Na origem dessa iniciativa estava a Governança

de TI e a experiência de alguns anos da

Já no programa Equipes, Shinyashiki aponta as

principais falhas na gestão de pessoas e como

corrigi-las para ter uma equipe coesa.

LAN na execução de diversos projetos bem-sucedidos

na área. A expertise da consultoria levou à

conclusão de que uma abordagem semelhante

poderia ser aplicada com sucesso às corporações

como um todo.

Diretora da área de Consultoria da LAN,

Ricelle Meller disse que a solução Corporate Go-

Maps permite às empresas uma visão mais precisa

sobre os seus principais processos e de como

Mesmo com esses números, a companhia medir o desempenho através da monitoração

quer mais. O presidente de operações globais de indicadores. Conforme a executiva, “uma vez

da Procter & Gamble, Robert McDonald, res- desenhado e apresentado este método de trasaltou

a importância dos países emergentes, balho, foi imediato o interesse de empresas do

como Brasil, dentro da estratégia de cresci- segmento financeiro, onde o nível de requisitos e

mento global, devido à sua grande população regulamentações exige um grande controle dos

e ao aumento de consumidores. A operação processos internos”, disse.

brasileira, que é comandada pelo egípcio Tarek Por se tratar de um programa de consul-

Farahat, está ganhando participação no mercatoria, sua implantação exige a presença de

do local, com crescimento de faturamento da mão-de-obra terceirizada, com o envolvimen-

ordem de % ao ano. Atualmente, a empresa to ativo dos consultores da Divisão de Consul-

emprega .700 pessoas, mas vê espaço para ting Services da LAN.

crescimento.

A LAN Consulting Services é, também, res-

Para McDonald, o Brasil oferece boas oportuponsável pela implantação nas empresas dos

nidades para atrair mais investimentos, aumen- painéis de desempenho para o monitoramento

tar exportações, além de ser uma importante e a análise da governança específica de TI, bem

base regional. A fábrica de Manaus, por exemplo, como pela modelagem e implantação de proces-

além de abastecer o mercado nacional com produtos

Gillette, exporta para mais de 0 países.

sos e outros serviços.

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | | 5


10

SUMÁRIO

EMPRESAS

EXPEDIENTE

SERVIÇOS

1

TRANSPORTES

16 0

NEGÓCIOS

PETs

O EDITORIAL | 08 PROFISSÕES | 19 ENTREVISTA | 9 PUBLICIDADE

Panamby Empreendimentos e Participações Ltda.

PRESIDENTE: Orestes Quércia DIREÇÃO E ADMINISTRAÇÃO: Alvino José de Oliveira e Sidnei Bertazzoli CENTRO EMPRESARIAL DE SÃO PAULO

NEWS: dezembro/janeiro/fevereiro 008-09 EDIÇÃO, PRODUÇÃO E DIAGRAMAÇÃO: Diferencial Assessoria & Comunicação JORNALISTA RESPON-

SÁVEL: Lucimar Franceschini (MTb. 889/5/1 7 DF) EDITOR CHEFE: Silvano Tarantelli (MTb 14.49 ) REDAÇÃO: Fernando Caldas COLABORADORES:

Rita Gallo, Daniela Maniá, David Brandão e Roberto Shinyashiki COMERCIALIZAÇÃO: Mart Bureau e Editora Tel.: 815-5566 ramal: 7 FOTOS:

Paulo Bareta e Márcia D’Ambrósio IMPRESSÃO: GT Editora e Gráfica Ltda. CONDOMÍNIO CENTRO EMPRESARIAL DE SÃO PAULO: Av. Maria Coelho

Aguiar, 15 Bloco B ASSESSORIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS: Patrícia De La Sala Tel.: (11) 741-6685 /Fax: (11) 741-515 . CENTRO EMPRESARIAL

DE SÃO PAULO NEWS é uma publicação do Centro Empresarial de São Paulo, com distribuição gratuita interna e via postal para executivos,

clientes, fornecedores e formadores de opinião. Todos os textos são de responsabilidade do Centro Empresarial, sendo que os assinados são

de responsabilidade de seus autores, não refletindo necessariamente a opinião da revista. É proibida a reprodução completa ou parcial do conteúdo

desta publicação sem autorização prévia. Envie sua opinião, crítica ou sugestão para a redação: revista@centroempresarialsp.com.br

6 | | DEZ/JAN/FEV 008- 009

4

7

TURISMO


O valor da experiência

Foto: divulgação

A opinião é unânime: experiência está no topo das preferências na hora da contratação

Por Rita Gallo

Segundo duas grandes empresas que têm

escritórios no Centro Empresarial de São Paulo, a

MHA Engenharia e a Marsh Seguros, a bagagem

profissional dos candidatos é um dos requisitos

fundamentais para a sua inserção no quadro de

funcionários dessas corporações.

Há anos no mercado, a MHA, cuja sede é em

São Paulo, com escritórios no Rio e em Santiago, Chile,

tem no profissional de engenharia um dos seus

principais recursos humanos. “Os nossos engenheiros

são responsáveis pelos projetos de instalações

elétricas, hidráulicas e de ar condicionado, além de

fazer gerenciamento de obras. São engenheiros

elétricos, mecânicos, civis e de instalações”, conta o

diretor executivo da MHA, Edison Domingues Junior.

Ele salienta ainda: “Neste período de aquecimento

da economia, a mão-de-obra ficou escassa

e precisamos recorrer ao mercado para encontrar

engenheiros qualificados para atender o aumento

da demanda de trabalho”.

Na busca de novos colaboradores (a empresa

possui 78 funcionários), a MHA privilegiou a experiência.

“Claro que buscamos profissionais que falem

inglês, pois muitos dos nossos projetos envolvem o

idioma, e com conhecimento das normas técnicas

vigentes no mercado atualmente, além de amplo

8 | | DEZ/JAN/FEV 008- 009

conhecimento de informática, mas a bagagem profissional

sempre foi decisiva na hora da escolha”, explica

o diretor da MHA.

“Nosso foco é o cliente, e o engenheiro, em

muitas circunstâncias, está na linha de frente da

empresa, em contato direto com ele. Por isso, é

fundamental que o profissional não tenha apenas

uma postura técnica”, diz Domingues. E acrescenta:

“Após a contratação, o profissional deve se adaptar à

cultura da empresa, que está em constante progresso

e vem exigindo cada vez mais envolvimento dos

nossos engenheiros.”

A MHA Engenharia, empresa nacional especializada

na engenharia consultiva, com sede em

São Paulo, atua no mercado desde 1975. A empresa

conta, até hoje, com 17 milhões de metros

quadrados projetados. Recebeu a certificação ISO

9001: 000 e está em estágio final de certificação

da ISO 14000.

Adaptação

A superintende de Recursos Humanos da Marsh

Seguros, Débora Mello, afirma que o conhecimento

técnico é importante. “Trata-se da condição inicial

para o desenvolvimento da relação entre a empresa

e o candidato a uma vaga. Mas o perfil comporta-

Equipe de funcionários da MHA Engenharia

mental adquiriu um peso muito importante nos últimos

anos”, diz ela.

Hoje, a capacidade de adaptação, a criatividade,

a resiliência e o equilíbrio emocional são partes

importantes no processo de contratação. Para a superintendente

da Marsh, principalmente nos cargos

sêniores, a experiência e os diversos cenários adversos

que o candidato enfrentou conformam um perfil

cada vez mais atraente para as empresas. “Mesmo

na hora de contratar um estagiário é importante

mensurar o grau de dificuldades enfrentadas pelo

candidato. Por exemplo, um currículo de um estudante

que fez intercâmbio no exterior tem um peso

maior”, explica Débora.

Ela acrescenta que, hoje, o mercado vê o candidato

de forma holística. “A formação conta, mas a

história de vida do profissional, também”, ressalta a

superintendente.

A Marsh pertence ao Grupo MMC, líder mundial

em Gerenciamento de Riscos, Consultoria de Benefícios

e Corretagem de Seguros e Resseguros. No

Brasil, conta com 9 escritórios e mais de 800 colaboradores.

O grupo MMC reúne mais de 55 mil colaboradores

em cerca de 100 países e registrou vendas

de US$ 11,4 bilhões em 007, volume 8% maior que

o verificado em 006. n


A arte de atrair clientes

A arte de atrair clientes

O consultor William Caldas, que ministra palestras sobre vendas, atendimento e liderança, fala da importância da educação corporativa

Como a educação corporativa pode ajudar as

empresas?

A espinha dorsal da consultoria em educação

corporativa é fazer com que a empresa vire

uma escola. Para mim, o desafio não é apenas

as crianças estarem na escola, mas trazer o

adulto para a sala de aula. Mas, para isso, esbarramos

em culturas. Percebemos hoje que a

nata das grandes empresas está investindo em

educação de seus funcionários, já a massa crítica,

aquela maioria formada por micro e pequenas

empresas, passa ao largo dessa questão. Porém

é preciso entender que não é a empresa que

decide se vai abrir ou fechar ou se o seu modelo

é o melhor ou não, mas é sim o mercado que

absorve ou expulsa as empresas e os métodos

adotados por elas.

O que as empresas esperam quando contratam

palestras para treinar seus funcionários?

O mercado não quer mais o oba-oba, o show.

As empresas não querem mais ter o mesmo que

foi oferecido para o seu vizinho. Querem algo exclusivo

para si. Por isso, sempre faço a pergunta

aos donos ou gerentes de venda: Qual é a sua dor

de cabeça? O que lhe está tirando o sono? Qual o

seu maior sonho? E faço o mesmo com os funcionários.

Pergunto a eles: O que te anima? O que te

põe para a frente? E a resposta é tratabilidade.

E quais os setores que mais demonstram interesse

em realizar treinamentos para seus funcionários?

Existem dois motivos que levam as empresas

a procurar os treinamentos: ou a coisa está boa e

se quer melhorar ou a coisa está ruim e é preciso

resolver rapidamente a situação. Em ambas as

situações, há o objetivo comum de atrair os clientes.

Trabalho com empresas dos mais variados

setores. Não existe um segmento de mercado

específico. Hoje temos uma economia onde tudo

concorre com tudo.

Inclusive, estou lançando um livro intitulado

“Do porteiro ao presidente, todo mundo vende,

todo mundo atende”, para demonstrar que todos

lutam pelo mesmos clientes. Uma pessoa que

está decidida a comprar um determinado produto

ou serviço pode ser estimulada a mudar

sua escolha, se houver um atendimento que a

conquiste.

Algumas empresas se queixam de que os

clientes hoje são muito exigentes, mas que não

sabem o que querem exatamente. Ao que eu

costumo responder: que bom, pois assim eles estão

dando uma chance para você construir uma

solução para os problemas deles.

Em suas palestras, o que mais inflama o público?

Em minhas palestrar eu costumo falar: “eu

trouxe um cliente para vocês”.

Um cliente de mentirinha

para a gente treinar.

Todo mundo então começa

a olhar para onde eu estou

para ver quem é o cliente. Eu digo

então para as pessoas olharem

para quem está sentado à direita

ou à esquerda delas.

Nesse momento todos começam a

sentir na pele o que a gente precisa fazer rolar

nas empresas. Eu peço para que segurem na

mão de quem está ao lado e olhem no olho da

pessoa. Depois, peço para colocar uma música.

Quando as pessoas começam a perceber o sentido

da interação, elas no final já estão se abraçando.

Com esse clima, eu pergunto a todos: “está

começando ou não uma nova palestra?” O clima

de uma organização não é nada mais que isso:

interação entre as pessoas, lideranças que gostem

de gente e alegria. As pessoas estão tristes.

Não adianta oferecer-lhes apenas conhecimento

técnico. Eu percebo que quanto mais singelas e

simples são as mensagens das palestras, mais as

pessoas se sentem tocadas a agradadas.

A educação corporativa ainda é muito focada

no aspecto técnico. Mas eu pergunto por que o

Diego Hipólito foi a Pequim e voltou de mãos

abanando? Se nos últimos quatro anos ele não

fez mais nada da vida senão treinar, por que

perdeu? Porque o emocional falou mais alto.

Nas palestras ou na vida corporativa: bom humor

é fundamental?

Antigamente, dizia-se que a menor distância

entre duas pessoas era uma linha reta. Hoje, é o

bom humor. Imagine, um cliente sisudo, de cara

fechada, sendo atendido por um vendedor aborrecido

e de mal com seus colegas de trabalho...

Para que exista um clima interativo e positivo

na organização é preciso ter bom humor.

O mais importante é construir um ambiente de

convívio onde circule a empolgação, onde o funcionário

se sinta bem com seus pares

e diga: “Que Maravilha> Eu vim

trabalhar!” n

William Caldas, consultor em

educação corporativa

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | | 9


As melhores empresas

para se trabalhar

Três empresas que operam no Centro Empresarial foram premiadas em 008

Por Rita Gallo

Foto: Eudes Santana

Transformar um ambiente de trabalho em

um local atraente e desafiador, onde os funcionários

cresçam em suas carreiras e impulsionem

o desenvolvimento dos negócios, é a principal tarefa

das companhias que querem atrair e manter

os melhores recursos humanos.

São exatamente essas companhias que estampam

suas histórias na edição de 008 do

prêmio “As 150 Melhores Empresas paras Você

Trabalhar”, promovido pela Editora Abril há 1

anos. Em 008, concorreram à premiação 5 0

empresas, com mais de 14 mil funcionários respondendo

à pesquisa feita pela editora.

Entre as premiadas, três grandes empresas

que têm operações no Centro Empresarial de

São Paulo revelaram o porquê de constarem em

uma lista tão seleta. Bradesco, Gerdau e Accor se

orgulham de seus funcionários e sabem que o

trabalho junto a eles é contínuo e que a recompensa

do esforço em tornar o ambiente profissional

estimulante é despontar no mercado com

serviços e produtos de excelência.

“Uma das principais razões para o Bradesco

estar presente na premiação é sua política

muito sólida e transparente de recursos humanos”,

afirma o superintendente-executivo de RH

do Bradesco, Sérgio Nonato Rodrigues. Segundo

ele, a carreira é fechada e os funcionários entram

na base da pirâmide funcional da instituição, geralmente

como escriturário. “Ou então, como é

o meu caso, quando há compra de outras instituições

e os funcionários passam a trabalhar no

Bradesco”, explica o executivo.

10 | | DEZ/JAN/FEV 008- 009

Além de privilegiar a primeira contratação,

a instituição investe e motiva os seus colaboradores.

“Contamos com cursos presenciais e

treinamentos à distância, através da nossa trainet”,

conta Nonato. Ele acrescenta ainda que o

banco oferece cursos técnicos, comportamentais

e financeiros. A política de benefícios, que inclui

convênios médico, odontológico, refeição, entre

outros, também é fundamental para a permanência

da mão-de-obra na empresa.

O prêmio traz um grande orgulho ao Bradesco,

pois é a constatação do comprometimento do

funcionário com a instituição. “Nós temos mais de

Escritório da Gerdau

85 mil funcionários em todo o Brasil e, com esse

prêmio, sentimos que estamos no caminho correto

com a nossa política de carreira da empresa”,

observa o superintendente do Bradesco. Para ele,

administrar uma população tão expressiva é um

desafio e tanto e é necessário buscar sempre uma

melhoria contínua no atendimento a ela.

Nos últimos nove anos, o Bradesco tem sido

agraciado com o prêmio da Editora Abril, além

de receber o reconhecimento de outros significativos

veículos de comunicação. “Além de nos

dar orgulho, os prêmios reforçam os valores da

instituição”, ressalta o executivo.


Segundo dados da pesquisa Você S/A e Exame,

as pessoas trabalham no Bradesco por muitos

anos – 4% do quadro tem mais de 0 anos

de casa. Há também uma forte identificação dos

empregados com a instituição, “um banco de

bancários”, como se diz nos corredores da sede

da empresa, em Osasco (SP).

Seriedade com a gestão de pessoas

O orgulho da Accor é semelhante ao do

Bradesco. Para o diretor de Recursos Humanos

da Accor Hospitality, Sálvio Cristófaro, é uma satisfação

a empresa ser eleita pela 11 a vez como

integrante do ranking de “As 150 Melhores Empresas

para Você Trabalhar” ( 008- 009). “Para

nós, o compromisso e seriedade com a gestão

de pessoas, o que se reflete na qualidade dos

nossos serviços e na eficiência de cada colaborador,

fazem a diferença e nos qualificam para a

conquista do prêmio”, afirma o diretor.

“Nós fazemos questão de informar a todos

os colaboradores e de compartilhar com eles esta

alegria”, explica Cristófaro. Ele lembra que, “afinal,

o reconhecimento só é possível pela indicação de

nossos colaboradores”.

Segundo o diretor da Accor, é uma honra

ver a companhia entre as melhores empresas

para se trabalhar. “Este ano, em especial, está

sendo uma emoção, pelo privilégio de ganharmos

o quarto lugar e também por conquistar

a primeira posição no segmento de hotelaria

e serviços”, ressalta ele. O grupo francês Accor

contempla atividades como hotelaria (as redes

Sofitel e Ibis, entre outras) e alimentação (Ticket

Restaurante).

“ O reconhecimento só é

possível pela indicação


dos nossos colaboradores

Sálvio Cristófaro, diretor de Recursos

Humanos da Accor Hospitality

Incentivo à capacitação

Outra empresa que mereceu o prêmio dado

pela Editora Abril foi o Grupo Gerdau. Segundo

a empresa, a política de valorização das pessoas

é certamente um dos principais fatores que

levaram ao reconhecimento dos colaboradores.

“Um dos valores da Gerdau é ter em seu time

pessoas comprometidas e realizadas. Para isso, a

empresa procura disponibilizar aos seus colaboradores

condições de crescer e ampliar sua visão de

mundo”, afirma a empresa. Na pesquisa da Você

S/A e Exame, a Gerdau se destacou pelo incentivo

à capacitação e pelas oportunidades de carreira

global oferecidas aos seus colaboradores.

A empresa informou ainda que os colaboradores

receberam a notícia da premiação com

orgulho por integrarem uma das melhores empresas

do país. Para a Gerdau, este é mais um

reconhecimento das políticas e práticas de Recursos

Humanos adotadas pela empresa, que estão

alinhadas à sua cultura, solidificada ao longo de

107 anos de história.

Para manter seus colaboradores informados,

uma siderúrgica do porte da Gerdau, com sede

em Porto Alegre, mantém murais, jornais, informativos,

notícias na intranet e via e-mail. Os benefícios

acompanham a grandiosidade do grupo.

Há vários tipos de empréstimos a juros baixos,

dois planos médicos, previdência privada, auxílio-creche

e farmácia, plano odontológico, participação

nos lucros, bolsas para cursos técnicos,

faculdade, idiomas, pós-graduação e MBA. Com o

objetivo de perpetuar o sucesso do grupo, a multinacional

investe forte em liderança e não deixa

de pensar em sucessão. Todos os gestores (e potenciais

sucessores) passam por três avaliações: o

mapeamento de competências, a avaliação executiva

e a avaliação de desempenho, que abrange

todos os níveis e é realizada anualmente. Um

comitê tem ainda o papel de identificar, avaliar e

treinar os talentos para assumirem cargos mais

altos, segundo informações da pesquisa publicada

na edição especial do prêmio. n

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | | 11


Nova profi ssão, novo conceito

Cresce no Brasil a procura por profissionais especializados

em facility management, atividade muito valorizada nos EUA e na Europa

Foto: Fernando Caldas

1 | | DEZ/JAN/FEV 008- 009

Centro Empresarial de São Paulo

reúne profissionais premiados e

com expertise na gestão de facilidades

Por Fernando Caldas

Há pelo menos três décadas, desenvolvese

no Estados Unidos e na Europa um ramo de

atividades conhecido como Facility Management.

No Brasil, o conceito e a prática começaram a ser

difundidos há aproximadamente 10 anos e, cada

vez mais, cresce o interesse por profissionais que

atuam nesse setor.

A origem da palavra facilidade vem do latim

facilitas, já utilizada no século 16 para denominar

o ato de auxiliar e tornar mais fácil alguma ação.

No mesmo sentido, o conceito moderno refere-se à

combinação de esforços que visam facilitar as atividades

de todas as áreas de uma organização.

Conforme definição da International Facility

Management Association (IFMA), entidade americana

que possui cerca de 18.000 associados,

facility management abarca múltiplas disciplinas

que se dedicam a assegurar a funcionalidade do

ambiente construído, por meio da integração de

pessoas, processos e tecnologia.

Essas definições demonstram a abrangência

dessa atividade, que envolve uma enorme

gama de aspectos que influem diretamente no

ambiente das organizações, embora não constituam

as atividades principais destas, sejam elas

escritórios, indústrias, hospitais, faculdades, universidades,

shopping centers, condomínios empresariais,

centros de convenções ou empresas

comerciais que atuam no varejo em geral.

Por exemplo, para uma indústria automobilística

operar sua linha de produção, precisa

manter o fornecimento de energia e de água, os

sistemas de ar condicionado, infra-estrutura predial

e outros. Embora estes requisitos não sejam

exatamente sua atividade principal, a indústria

precisa estabelecer o bom funcionamento e a regularidade

do provimento desses itens. Aí entra

o gestor de facilities para que essas condições,

necessárias para se desenvolver as atividadesfins

da empresa, sejam satisfeitas.


Desde 006, a Abrafac

premia trabalhos

técnicos e acadêmicos

de profissionais da área

por meio de uma

banca examinadora

formada por especialistas

Nos Estados Unidos e na Inglaterra, países

pioneiros na prática de facility management,

existem escolas para formar esse tipo

de profissional. No Brasil, a Universidade de

São Paulo (USP) é a primeira instituição a oferecer

um MBA nessa especialidade, já em sua

sétima turma.

Profissionalização

No Brasil, a atividade já existe desde 1994,

com acentuado crescimento nos últimos 10 anos.

Isso se explica, entre outras coisas, pela própria

dinâmica do mundo corporativo, que passou a se

dar conta da necessidade de contar com profissionais

dedicados a gerir a manutenção predial,

limpeza, segurança, jardinagem, alimentação,

lay-out de escritórios, revisão de máquinas e

Foto: Paulo Bareta

equipamentos, iluminação, sistema de ar-condicionado,

frota de veículos e outros.

Em 004, foi criada a Associação Brasileira

de Facilities (Abrafac). A entidade sem fins lucrativos

representa os interesses dos profissionais

da área de gestão de facilities e tem como meta

estimular e ampliar o conhecimento sobre o segmento,

através de encontros, estudos e pesquisa

científica e tecnológica.

Segundo o presidente da associação,

Amílcar João Gay Filho, o crescente interesse

em se estender e aprofundar as discussões

em torno do Facility Management é evidenciado

tanto pelos profissionais quanto pelos

empresários dos diferentes ramos de negócio,

em face da multidisciplinaridade que essa atividade

engloba.

Eduardo Lunardini e Marcos Maran receberam prêmio “Os Melhores do Ano”, da Abrafac

Profissionais premiados

Desde 006, a Abrafac promove o prêmio

“Melhores do Ano”, que seleciona trabalhos técnicos

e acadêmicos de profissionais da área por

meio de uma banca examinadora formada por

especialistas. Nas edições de 007 e 008, três

profissionais que trabalham no Centro Empresarial

de São Paulo estiveram entre os premiados.

Marcos Maran, gerente de Manutenção, Operação

de Utilidades e Obras do Centro Empresarial, e

Eduardo Lunardini Silva Mendes, responsável pela

Seção de Obras, receberam seus prêmios, respectivamente,

em 007 e 008, na categoria hors concours.

Tamb´ém em 008, Gustavo Bueno Gomes,

que atua como facility manager para a Procter &

Gamble, a serviço da empresa de gerenciamento

Jones Lang LaSalle, recebeu o prêmio.

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | | 1


“As empresas que têm

a cultura do facility

management adquirem

maior competitividade

porque têm mais velocidade,

podem se concentrar nos

seus negócios principais

e obter melhores resultados”

(Gustavo Bueno Gomes, facility manager)

Atividade essencial

Marcos Maran escreveu uma monografia

sobre a modernização e atualização dos sistemas

de ar condicionado, na qual apresenta um

roteiro de soluções para melhorar a eficiência

e economia de energia dos equipamentos. Em

sua avaliação, facility management não deve

ser entendida como uma atividade de suporte.

“Pessoalmente, não concordo com aqueles que

definem essa atividade como aquela que oferece

apenas suporte. Vejo que ela constitui um

ramo complementar às atividades-fins, porém

essenciais aos processos de produção ou operacionais

das empresas.”

Segundo o engenheiro, o grau de complexidade

e de eficiência das operações das empresas

atingiu um nível tal que a saída para

atender a diversidade da demanda de serviços

com desempenho e resultados satisfatórios foi

a especialização. “Para tratar da administração

predial e dos serviços de manutenção de um

empreendimento empresarial como o nosso

é necessário observar numerosas relações de

interdependência. A legislação mais moderna

aumentou as exigências de segurança das pessoas

e do patrimônio, de medidas de proteção

ambiental, de saúde do trabalho etc.”

Um outro aspecto importante ressaltado por

Maran é que a qualidade não é mais um mero

diferencial. Trata-se de uma exigência geral, regulada

por normas, regras de certificações e de

14 | | DEZ/JAN/FEV 008- 009

boas práticas. “Enfim, o mundo se tornou mais

complexo e passou a exigir mais desempenho

das empresas”, diz ele.

Atualmente, é muito comum escritórios funcionarem

4 horas por dia, com grandes equipes. Por

isso, são imprescindíveis, por exemplo, conhecimentos

específicos de layout, de mobiliário, de ergonomia, de

segurança, de vigilância, de acessibilidade etc. A preocupação

de um gerente de facilities deve se voltar

para a manutenção e adequação de um ambiente

saudável, seguro, confortável e bonito.

“No Centro Empresarial, fazemos muitas

obras. Por isso, precisamos ter especialistas para

contratar projetos e outros serviços envolvidos na

manutenção do condomínio. Precisamos dar conta

de todos os aspectos que conferem atualidade

ao prédio e preservam sua atratividade para

o mercado imobiliário”, observa Maran.

Atualização constante

A modernização e a sincronia com o que

existe de mais novo no setor são ingredientes

fundamentais para o sucesso de qualquer empreendimento

imobiliário. Eduardo Lunardini

destaca que a atenção dirigida aos aspectos da

modernização deve ser constante. Ele diz ser

fundamental o atendimento das demandas de

segurança, das novas exigências legais e tecnológicas,

bem como das mudanças de perfil dos

usuários e de suas necessidades.

Segundo Lunardini, que estudou vários em-

preendimentos do setor, não existe uma fórmula

única, uma receita de bolo, para desenhar cenários

capazes de orientar os processos de modernização.

Cada empreendimento tem suas particularidades

e precisa proceder à análise do mercado imobiliário

e das oportunidades de modernização com

vistas a obter maior competitividade.

Profissão global

Gustavo Bueno Gomes, que presta serviços

para a Procter & Gamble, ressalta que a profissão

do facility manager reflete mudanças trazidas

pela globalização. “Trata-se de uma profissão

global que produz conhecimentos, difunde

informações e as melhores práticas aplicadas no

mundo inteiro, diferenciais competitivos fundamentais

para as empresas de todos os setores.

Empresas que têm a cultura do facility management

adquirem maior competitividade porque

têm mais velocidade e melhores resultados.”

Gomes acrescenta ainda que essa especialidade

apresenta um diferencial no quesito sustentabilidade.

Por gerenciar áreas tão amplas e diversas,

como energia elétrica, água, limpeza, construção,

paisagismo, jardinagem etc., esses profissionais

tornam-se grandes colaboradores nas ações de

proteção ao meio ambiente. “Ajudam a economizar

energia, a promover o uso racional da água, a captação

da água da chuva, a evitar o uso de produtos

que ofendam o meio ambiente, em prol de outros

ecologicamente corretos”, conclui Gomes. n


Construa a

sua vida com

equilíbrio

POR ROBERTO SHINYASHIKI

A maioria das pessoas acha que para ter sucesso precisa deixar a vida

afetiva de lado. Outras pensam que uma vida afetiva saudável depende

do abandono da carreira. Infelizmente, há aqueles que acreditam que ter

sucesso significa deixar seus valores de lado. Outros acham que para ter

muito dinheiro não podem ser pessoas espiritualizadas. À medida que vamos

amadurecendo, aprendemos que não precisamos escolher entre uma

coisa e outra, mas sim descobrir formas de integrar as várias coisas que

nos são importantes.

Você não tem de escolher entre o amor e a carreira. Viva o amor e a

carreira ao mesmo tempo! Você não tem de escolher entre o dinheiro e a

espiritualidade. Viva a espiritualidade próspera!

Um rei quis presentear um sábio, como gratidão por tudo o que ele

havia feito pela família real. Deu-lhe, então, uma tesoura de ouro. Quando

o sábio recebeu o presente, confessou:

— Fico muito grato por seu presente, mas preferia uma agulha que costurasse

e mantivesse juntos os tecidos. Toda a minha vida eu vivi como uma

tesoura, dividindo e separando. Agora quero viver para unir as partes. Quero

ajudar os filhos e seus pais a se amar mais. Ajudar as pessoas que vivem

comigo a ser mais cooperativas. Estimular os casais a conviverem melhor.

Quando as pessoas restringem suas escolhas a “ou isto, ou aquilo”,

estão com uma imensa tesoura na mão, cortando e separando. É melhor

assumir a postura da linha e da agulha, unindo, acrescentando, somando

pontos; criar união, saber ampliar os horizontes e as possibilidades. Viver

com abundância é saber integrar as várias partes da vida.

Você não precisa descuidar da sua carreira para cuidar do namoro. Um

jovem inseguro pode, por exemplo, imaginar que a namorada suprirá as

doses de carinho e segurança que os pais deixaram de lhe proporcionar e

ficar preso somente ao amor, deixando os outros aspectos da sua vida de

lado. Toda relação afetiva é benéfica quando nos dá força para crescer. Mas

quando um relacionamento faz a pessoa trabalhar mal, com o tempo ela

vai querer que o companheiro também relaxe no trabalho e, dessa maneira,

os dois cairão em um abismo, assim como a relação.

Se só pensamos em trabalho e não nos sobra tempo para o amor, isso

é sinal de que o trabalho está sendo usado como fuga — provavelmente

do medo de amar. Talvez a timidez nos impeça de procurar alguém para


Quando restringimos nossas escolhas a ‘ou

isto, ou aquilo’, estamos com uma imensa tesoura

na mão, cortando e separando. É melhor

assumir a postura da linha e da agulha,

unindo, acrescentando e somando pontos

compartilhar nosso afeto. O medo da rejeição pode nos fazer optar pela

solidão, embora essa nunca seja uma solução razoável. Quando alguém

começa a namorar e deixa de lado os amigos, isso é sinal de que esse

relacionamento se tornou um esconderijo em vez de proporcionar descobertas

e aprendizados em conjunto. Manter os amigos é fundamental para

estimular o crescimento do indivíduo.

Finalmente, não há amizade, nem carreira ou relacionamento afetivo

que se sustentem se não estiverem alinhados com a consciência, os valores

e a paz interior. Somente assim poderemos viver em verdadeiro equilíbrio.

Quando você escolhe fazer suas travessias de maneira equilibrada, adquire

a paz interior necessária para trabalhar todos os aspectos de seu ser. A

consciência de que todos os pilares da vida precisam ser arquitetados com

esmero e construídos simultaneamente vai, decerto, proporcionar-lhe uma

vida mais coerente e feliz. Quando há dedicação somente a uma dessas

áreas, a tendência é que você perca o rumo da sua vida.

Imagine uma equipe de rafting formada por oito remadores, quatro de

cada lado do bote. Se as duas duplas da esquerda simplesmente deixarem

de remar, enquanto os quatro remadores da direita mantiverem sua atividade

a plenos pulmões, é certo que o barco começará a girar intensamente

e entrará em um parafuso sem fim, rodando como um pião, sem jamais

sair do lugar. Quem prioriza apenas um ou dois aspectos da vida e deixa os

outros em segundo plano acaba girando no mesmo lugar, como um barco

desgovernado. Pense nisso!!!

Roberto Shinyashiki é psiquiatra, palestrante e autor de 14 títulos, entre eles: Sempre em

Frente, Os Segredos dos Campeões, Tudo ou Nada, Heróis de Verdade, Amar Pode Dar Certo, O

Sucesso é Ser Feliz e A Carícia Essencial (www.clubedoscampeoes.com.br)

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | | 15


Transporte público: a solução

para o caos do trânsito

Linha 9–Esmeralda opera com padrão de serviço de metrô de superfície

Expansão da Linha 5–Lilás, do

Metrô, e da Linha 9–Esmeralda,

da CPTM, amplia as opções de

acesso ao Centro Empresarial,

a partir de vários pontos

da cidade

Por Fernando Caldas

Foto: Jair Pires/STM

16 | | DEZ/JAN/FEV 008- 009

A maioria dos paulistanos considera o trânsito

um dos principais problemas da cidade.

Consenso entre cidadãos, políticos e especialistas,

a expansão e melhoria do transporte público

são vistas como a solução mais satisfatória

para evitar o caos e o colapso na mobilidade

urbana.

Pesquisa feita pelo Ibope em setembro de

008 mostra que aproximadamente 80% dos

entrevistados gastam entre 0 minutos e 4 horas

nos deslocamentos necessários para realizar

as atividades principais do dia-a-dia, como trabalhar,

estudar etc. A média do tempo de deslocamentos

é de 1 hora e 40 minutos.

A mesma pesquisa, encomendada pelo Movimento

Nossa São Paulo, perguntou aos entrevistados

o que mais os motivaria a utilizar os

transportes públicos. Em relação aos ônibus, foi

destacado, por ordem de importância, a melhoria

das condições físicas e mais conforto, a diminuição

do tempo de espera nos pontos, mais linhas

cobrindo percursos não atendidos atualmente e

diminuição do preço da passagem. Em relação

ao metrô, os entrevistados destacaram a necessidade

de mais linhas cobrindo mais áreas e a

diminuição do preço das passagens. Já quanto

aos trens, o maior número de linhas e as condições

físicas das unidades e composições.


Expansão do sistema

Segundo a Secretaria Estadual dos Transportes

Metropolitanos, desde 007 estão sendo

feitos investimentos da ordem de R$ 19 bilhões

no sistema metroferroviário. A perspectiva é a de

que o tempo médio de viagem na malha ferroviária

reduza em 5% até 010. Além disso, o número

de passageiros transportados sobre trilhos

poderá ser ampliado para 55%.

O Plano de Expansão, desenvolvido pela

mesma secretaria, prevê um acréscimo de 0

quilômetros de metrô na cidade de São Paulo

até 010, o equivalente a 1/ de sua rede atual,

de 61, Km. Outra meta é fazer com que 160

quilómetros da linhas férreas da CPTM operem

com o mesmo padrão do metrô.

Metro e trens

Em 010, deve entrar em operação a primeira

fase da Linha 4–Amarela do Metrô, com 1 ,8

km, ligando as estações Luz, República, Paulista,

Faria Lima, Pinheiros e Butantã. A Linha 5–Lilás

(Capão Redondo-Largo Treze) também terá mais

duas estações: Adolfo Pinheiro e Campo Belo,

totalizando 5,7 km de extensão. Estão previstas

ainda a construção da ligação de km entre Vila

Prudente e Oratório, bem como a elaboração dos

projetos de implantação da futura Linha 6–Laranja,

que ligará a Freguesia do Ó à estação São

Joaquim, na Linha 1–Azul.

Quanto à rede da Companhia Paulista de

Transportes Mestroplitanos (CPTM), além da Linha

9–Esmeralda, do Expresso Leste e da Linha

1 –Safira, também devem começar a operar com

padrão de serviço de metrô de superfície a Linha

7–Rubi (Luz-Francisco Morato) e o futuro Expresso

ABC (Luz-Mauá) e a Linha 10-Turquesa (Luz-Rio

Grande da Serra).

Expresso Aeroporto

O governo do Estado deve lançar ainda em

dezembro o edital de licitação do Expresso Aeroporto,

linha de trem rápido entre o bairro da

Luz, na Capital, e o Aeroporto Internacional de

Cumbica, em Guarulhos.

A estação central ficará entre as estações Luz

e Júlio Prestes e funcionará como terminal aeroportuário,

com plataformas exclusivas e balcões

das companhias aéreas, onde poderão ser reali-

Grajaú é uma das quatro novas estacões que já estão em operação na Linha 9–Esmeralda

zados os check-in de passageiros, com entrega de

cartão de embarque e despacho de bagagem.

Outro projeto do governo é o acesso ao aeroporto

de Congonhas por Metrô Leve, partindo

da Estação São Judas, na Linha 1–Azul, com ,4

km de extensão na pri-

Linha 9–Esmeralda, da CPTM,

que corre na lateral da

Marginal Pinheiros, ganhou

nos últimos dois anos

mais 8,5 km

de novas vias e

quatro novas estações

roviário com mais capilaridade. A Linha 5–Lilás,

do Metrô, e a Linha 9–Esmeralda, da CPTM, têm

estações próximas ao complexo empresarial, e

a expansão delas permite a ligação com zonas

mais remotas da cidade.

O trecho inicial da

meira fase, até 010. O

Linha 5–Lilás, que fun-

projeto completo, que

ciona desde outubro

atenderá Jabaquara,

de 00 , conta com

São Judas, Linha 5–Li-

8,4 km de extensão e

lás (Capão Redondo-

opera com seis esta-

Campo Belo) e a Linha

ções: Capão Redondo,

9–Esmeralda da CPTM,

Campo Limpo, Vila

na área de influência

das Belezas, Giovanni

da Avenida Jornalista

Gronchi, Santo Amaro

Roberto Marinho, está

e Largo Treze. A in-

estimado em R$ 1, bitegração

com a rede

lhão, incluindo a compra dos trens.

metroviária é realizada através da Estação Santo

Amaro da CPTM. Essa linha atende aos bairros

Zona Sul

de Capão Redondo, Capela do Socorro, Campo

Limpo, Grajaú, Piraporinha, extremo de Santo

As pessoas que trabalham ou visitam o Amaro e redondezas.

Centro Empresarial de São Paulo poderão dispor O segundo trecho a ser construído ligará a

em breve de uma oferta de transporte metrofer- Estação Largo Treze à Estação Santa Cruz (Linha

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | | 17


1–Azul) e à Estação Chácara Klabin (Linha –Verde).

Serão mais 11 estações: Adolfo Pinheiro, Alto da Boa

Vista, Borba Gato, Brooklin–Campo Belo, Água Espraiada,

Ibirapuera, Moema, Servidor, Vila Clementino,

Santa Cruz e Chácara Klabin. Isso representa

mais 11,7 km de via nesta linha, que vai atender

uma demanda de aproximadamente 650 mil passageiros/dia.

A previsão de conclusão é 01 .

Os usuários da Linha 9–Esmeralda, da CPTM,

que corre na lateral da Marginal Pinheiros, já

conta com 8,5 km de novas vias, quatro novas

estações (Jurubatuba, Autódromo, Primavera-Interlagos

e Grajaú) e 11 novos trens. Segundo a

Secretaria de Transportes Metropolitanos, esta

linha é uma das mais próximas do nível de serviço

almejado.

Atualmente, três estações da Linha 9–Esmeralda

(Ceasa, Villa-Lobos-Jaguaré e Cidade Universitária)

passam por uma completa reforma, que proporcionará

mais conforto e segurança aos usuários.

Os usuários da Linha 9–Esmeralda já viajam

com mais conforto e rapidez. A CPTM colocou,

nos horários de pico, da manhã e da tarde, cinco

trens com seis carros entre as estações Grajaú

e Osasco. Antes, seis trens circulavam com três

vagões. A oferta de lugares aumentou em 1 %

no pico da manhã.

No quesito acessibilidade, as sete estações

da Linha 9–Esmeralda, inauguradas em 001,

Ponto 947

Fácil e eficiente, o serviço de taxi do Centro

Empresarial de São Paulo é uma opção

de transporte para quem trabalha ou visita

o condomínio. Trata-se de um diferencial de

conforto e segurança.

O Ponto de Taxi 947 fica próximo às portarias

e o acesso dos veículos até o nível dos

jardins do condomínio é bastante rápido, seja

qual for a posição do usuário.

A oferta do serviço é feita por 57 carros

18 | | DEZ/JAN/FEV 008- 009

José Ignacio Sequeira de Almeida, presidente da EMTU

dispõem da maioria dos recursos, como elevador,

escadas rolantes e banheiros exclusivos. Porém,

com as novas exigências das NBR 9050: 004

e NBR 140 1: 005, algumas adaptações foram

acrescentadas. Uma das novidades é o mapa

tátil com botoeira para solicitação de auxílio,

por parte do usuário, nas plataformas. Toda a

comunicação visual das estações será readequada,

bem como os guarda-corpos e corrimãos. Nas

áreas externas, estão previstos o rebaixamento

de passeios públicos, pavimentação, retirada de

postes e reserva de locais para parada de veículos,

em especial para pessoas com deficiência.

Taxis com identificação do Centro Empresarial de São Paulo

oferecem conforto e segurança aos passageiros

novos, todos credenciados e com o logotipo do

Centro Empresarial de São Paulo. O veículos são

dotados de ar condicionado, aparelho de rádio e

comunicação com central de rádio.

Os taxistas têm treinamento e orientação ministrados

pela prefeitura. O serviço pode ser solicitado

de qualquer local de São Paulo, garantindo

conforto e segurança aos passageiros. O preço da

corrida é apenas referente ao percurso até o Centro

Empresarial de São Paulo.

Qualidade de Vida

Além da diminuição do tempo de viagens,

a expansão do sistema metroferroviário traz um

impacto positivo do ponto de vista ambiental.

Prevê-se, com a conclusão do plano, a retirada de

5 mil toneladas de poluentes da atmosfera.

A poluição é considerada um problema muito

grave por 94% dos paulistanos, mostra a pesquisa

do Ibope. São Paulo é a sexta cidade mais

poluída do mundo e registra mil mortes por

ano por causa da poluição provocada pelo enxofre.

Certamente, a solução deste problema está

associada à redução do tráfego de veículos. Mas

TAXI

O ponto trabalha com convênios e com

boletos. O pagamento pode ser feito também

com cartões de crédito. Os clientes do Centro

Empresarial recebem tratamento diferenciado.

Existe ainda o serviço de entrega de documentos

e de encomendas.

Para solicitar o serviço de dentro do condomínio,

há dois ramais disponíveis: 808 5

(Portaria MCA) e 86584 (Portaria Marginal). O

telefone direto do ponto é 5851-8759.


outras medidas podem contribuir para melhorar

a qualidade do ar.

O presidente da Empresa Metropolitana de

Transportes Urbanos (EMTU), José Ignacio Sequeira

de Almeida, acredita que a fiscalização e a conscientização

são os melhores caminhos para enfrentar

o problema. Segundo ele, a EMTU trabalha em

duas vertentes no que diz respeito ao controle da

poluição: a inspeção da frota de ônibus que está

sob seu gerenciamento e campanhas educativas.

Na inspeção, são verificados mais de 00 itens

ligados à segurança e manutenção do veículo. Este

controle da manutenção dos ônibus visa assegurar

baixos níveis de emissão de poluentes. Segundo o

pesidente da EMTU, foram vistoriados, entre agosto

e setembro, 470 ônibus do sistema de fretamento

e 00 das linhas regulares. Dos primeiros,

60% apresentaram boas condições. Das linhas regulares,

75% estavam em situação regular.

“O indice é bom. Mas a idéia é que aumente

ainda mais. E para isso é necessário um trabalho

prévio e muito importante: a conscientização dos

motoristas”, diz Almeida.

Em julho passado, a EMTU fez o lançamento,

no Centro Empresarial de São Paulo, do programa

ConscientizAR. O objetivo é reduzir a emissão

de poluentes dos ônibus intermunicipais dos sistemas

regular (comum e especial), de fretamento

e escolar. Cerca de 40 empresas concessionárias

das três regiões metropolitanas estão sendo

orientadas e fiscalizadas para manter os motores

regulados. O trabalho de campo do Programa é

realizado diariamente por técnicos treinados pela

Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental

(Cetesb).

Tecnologias limpas

José Ignacio destaca ainda os projetos da

EMTU que visam desenvolver tecnologias limpas.

Um deles é o protótipo de ônibus movido

a etanol, que se encontra em testes no corredor

metropolitano ABD. O veículo será incorporado à

frota da concessionária Metra (Sistema Metropolitano

de Transporte), indicada pela EMTU/SP, e

por mais uma operadora escolhida pela SPTrans

(São Paulo Transporte), que gerencia o transporte

de ônibus na capital paulista.

A ação é uma iniciativa do Cenbio e mais oito

parceiros: BAFF/SEKAB, Copersucar, EMTU/SP, SP-

Trans, Marcopolo, Petrobras – por meio do Conpet

(Programa Nacional da Racionalização do Uso

dos Derivados do Petróleo e do Gás Natural) e da

Petrobras Distribuidora –, Scania e Unica (União

da Indústria de Cana-de-Açúcar), com incentivo da

União Européia.

O outro é o projeto do ônibus brasileiro a hidrogênio,

que está sendo desenvolvido pelo Ministério

das Minas e Energia com o apoio do Programa das

Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), da

Global Environment Facility (GEF) e da Financiadora

de Estudos e Projetos (FINEP).

O primeiro veículo com célula de combustível

a hidrogênio terá 1 metros de comprimento,

tração elétrica híbrida (célula mais bateria) e

autonomia de 00 Km. O protótipo está sendo

fabricado em Caxias do Sul (RS) e seu desempenho

será verificado no Corredor Metropolitano

ABD em 009. n

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | | 19


Marola ou tsunami?

Cautela e planejamento. Esse é o conselho de quem procura antever

a extensão da crise econômica global para o Brasil

Por Rita Gallo

Fotos: Divulgação

A crise econômica que o mundo enfrenta

representa um grande desafio para os empresários,

que têm que entender e avaliar de que

maneira os impactos da turbulência vão afetar

seus negócios. Trata-se de uma tarefa árdua, já

que a crise traz novas surpresas desagradáveis

a cada dia. Mas, para ter sucesso, é preciso estar

atento a tudo o que acontece em relação a esse

vendaval.

O presidente da Federação Brasileira dos

Bancos (Febraban) e do Banco Santander, Fabio

Barbosa, atenta para a complexidade dessa tarefa

e afirma que há muitas avaliações sobre a

origem da crise e suas conseqüências. “De minha

parte, acho que ainda é cedo para conclusões sobre

sua eventual duração e todos seus impactos.

É cedo também para se entender o que podemos

aprender e o que devemos aperfeiçoar em

um mundo cada vez mais globalizado e mais

interdependente”, afirma ele.

Para o presidente da Febraban, esta crise é

de uma complexidade ímpar, ainda a ser compreendida.

Mas lembra: “Felizmente, seu epicentro

está longe daqui e não a viveremos com a

intensidade que outros estão vivendo e viverão”.

Mesmo com o relativo otimismo do executivo

do Banco Santander, recente matéria publicada

na revista britânica The Economist mostra que a

crise financeira internacional já chegou ao Brasil,

apesar da confiança mostrada inicialmente pelo

presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que chegou

a chamar a turbulência mundial de “crise do

Bush”, referindo-se a um problema isolado provocado

pelo presidente dos Estados Unidos, George

W. Bush.

Para a revista britânica, o crédito no Brasil

está ficando cada vez mais escasso e os bancos

estão mais desconfiados e preocupados em agir

0 | | DEZ/JAN/FEV 008- 009

MAROLATSUNAMI MAROLATSUNAMI

TSUNAMIMAROLATSUNAMIMAROLA

MAROLATSUNAMI MAROLATSUNAMI

TSUNAMI MAROLATSUNAMIMAROLA

MAROLATSUNAMI MAROLATSUNAMI

TSUNAMIMAROLATSUNAMIMAROLA

MAROLAMAROLATSUNAMIMAROLA

TSUNAMI MAROLATSUNAMIMAROL

MAROLATSUNAMIMAROLA

MAROLATSUNAMI MAROLATSUNAMI

TSUNAMIMAROLATSUNAMIMAROLA

MAROLATSUNAMI MAROLATSUNAMI

TSUNAMI MAROLATSUNAMIMAROLA

MAROLATSUNAMI MAROLATSUNAMI

Fabio Barbosa,

presidente da Febraban TSUNAMIMAROLATSUNAMIMAROLA

e do Banco Santander

para minimizar os efeitos da crise, o que foi um

dos principais impulsionadores da fusão entre

o Itaú e Unibanco. Na chamada economia real,

várias indústrias optaram por dar férias coletivas

aos funcionários. A revista afirma ainda que uma

onda de fusões entre bancos poderá acontecer

no Brasil, como conseqüência da turbulência.

A revista britânica elogiou ainda as iniciativas

do governo brasileiro em diminuir a dívida

pública e quitar parte de seus débitos em dólar.

É hora de cautela

Com certeza, a crise provocada por problemas

econômicos nos Estados Unidos e na Europa

irá atingir todos os países de forma mais ou

menos intensa. As empresas brasileiras, dependendo

do ramo de atuação, também poderão

ser afetadas de diferentes formas. Segundo o

diretor técnico do Sebrae-SP, Paulo Arruda, neste

momento de turbulência econômica global,

é preciso manter a calma, apesar de tudo. “O

momento exige cautela, atenção, sensatez e

disposição para eventuais ajustes”, afirma ele.

Para o Sebrae-SP, todos os empresários, independentemente

do porte da sua empresa, devem

dar atenção especial às vendas, à definição

de preços e obtenção de recursos.

Diante desse cenário de turbulência econômica,

o Sebrae-SP preparou o documento “Como agir

na crise”, com orientações e dicas para as empre-


sas superarem com menos dificuldades o período

de incerteza econômica e eventual desaceleração

da economia, prevista para os próximos meses.

“A crise deve fazer com que empresas se

aprofundem cada vez mais em seus processos

e possam orientar as suas ações para atingir

seus objetivos, a curto, médio e longo prazos.

Essa é a opinião da diretora da área de Consultoria

da LAN: Consulting Services, Ricelle Meller.

“Traçar metas ajustadas à realidade é fundamental

para enfrentar um momento de crise

no mercado”, diz ela.

Ricelle trabalha em âmbito nacional com o

Corporate GoMaps (da sigla em inglês GoMAPS -

Governance Monitoring and Analysis Performance

Scorecards). Trata-se de um programa de governança

corporativa que oferece aos executivos uma

visão de seus principais processos e respectivos

desempenhos. Com esse acompanhamento, a empresa,

ou instituição financeira, pode identificar claramente

onde pode e precisa melhorar, mantendo

o nível desejado para o seu desempenho.

A diretora da área de Consultoria da LAN afirma

ainda que a solução Corporate GoMaps permite

às empresas uma visão mais precisa dos principais

processos e de como medir o desempenho.

“Através do monitoramento destes indicadores, as

empresas podem avaliar continuamente como estão

em relação aos seus objetivos e têm a oportunidade

de, rapidamente, corrigir quaisquer desvios

de rumo, antes que estes cresçam”, afirmou.

A crise financeira mundial está repercutindo

num representativo aumento da produção

de spam no mundo. “Os ‘spammers’ vêm usando

o atual estado de crise e se aproveitando

das preocupações dos usuários para tirar vantagem

deles através do direcionamento de

campanhas de spam voltadas para pessoas

que não apenas estão buscando informações

sobre a recessão, mas também para aqueles

que procuram formas de melhorar o seu status

financeiro no cenário de crise”, afirma Vlad

Valceanu, chefe de pesquisa anti-spam da Bit-

Defender, criadora de softwares de segurança

com abrangência internacional.

Futuro

Para Luiz Alberto Marinho, especialista em

marcas e varejo, a crise fez com que o setor de

varejo ficasse em alerta, mas não deve abalar as

vendas do Natal deste ano. “Acho que ainda não

vai haver um impacto significativo. A restrição

maior está sendo na compra de bens duráveis,

como imóveis. Penso que o máximo que pode

acontecer é as pessoas optarem por comprar

presentes um pouco mais baratos. É nesse ponto

que o vendedor deve estar bem preparado para

garantir boas vendas”, avalia.

Spam na Crise

“É extremamente importante que os

usuários de computadores sejam cautelosos

com os e-mails que recebem, bem como em

relação a anúncios que eles escolhem para

clicar”, completa o executivo.

À medida que o mercado de ações

despenca, os ‘spammers’ aproveitam para

tentar atrair seus destinatários através de

promessas de serviços que requisitam eliminação

ou redução de débitos, hipotecas

e outras obrigações fiscais ou de crédito.

Exemplo dessa situação foi uma grande

onda de spam, dirigida à população

norte-americana, que oferecia serviços de

Ricelle Meller, diretora da área de Consultoria da LAN: Consulting Services

Segundo o diretor comercial da Irga, Roberto

Silva, o que se espera é que esta crise atual seja

momentânea e não afete o mercado de transporte

de cargas pesadas e superdimensionadas.

A IRGA Lupercio Torres S.A., primeira empresa

sul-americana a conquistar o certificado ISO

9000 nas áreas de transportes superdimensionados

em peso e dimensão, aluguel de guindastes,

remoções e montagens industriais, projeta

para 008 um faturamento de R$ 5 milhões,

mais que o dobro do valor de 007. n

uma companhia que supostamente ajudaria

devedores a eliminar o arresto de suas

casas. Outras ondas de spam passaram a

usar a crise econômica como uma simples

isca para a venda de drogas, softwares piratas

ou réplicas.

Finalmente, uma das mais recentes

iniciativas de spam tenta se valer de uma

múltipla combinação de e-mails viciados

que são gerados e distribuídos automaticamente,

além de falsos perfis em redes

sociais, que levam o destinatário alvo para

sites onde eles podem “deixar as dívidas

para trás”. n

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | | 1


Saúde

em gotas

A psicoterapeuta Maura de Albanesi

ressalta a importância de

uma vida ritmada

Por Rita Gallo

Foto: Paulo Bareta

No ritmo e sem estresse

Manter o ritmo. Essa é a filosofia ideal para

quem quer tornar a rotina menos estressante e

as energias mais equilibradas. Fazer as refeições

na hora certa e tornar o período da alimentação

um momento sereno também aumentam a

qualidade da nossa vida e têm reflexos positivos

na nossa saúde.

Segundo a psicoterapeuta e mestranda em

psicologia e religião pela Pontifícia Universidade

Católica, Maura de Albanesi, o corpo deve adequar-se

a um ritmo específico para ganhar equilíbrio.

“O nosso organismo sente necessidade de

ser abastecido a cada três ou quatro horas, e

quando esse ritmo se altera, ele se torna ansioso,

o que pode gerar problemas gástricos, entre

outros”, avalia a psicoterapeuta.

A importância de uma vida ritmada pode

ser comparada ao nascer e ao pôr-do-sol, que

sempre acontecem em um período determinado

do dia. “Imagine como seria estressante se

não houvesse um horário para o nascer do sol. O

mesmo acontece quando alimentamos o nosso

corpo sem horários regulares”, diz Maura.

O ser humano necessita de ritmo desde o

nascimento, pois o crescimento está embasado

nos horários das mamadas, dos banhos e do

sono. “Sem horários, a criança se torna estressada”,

afirma a psicoterapeuta.

| | DEZ/JAN/FEV 008- 009

Maura de Albanesi,

psicoterapeuta e mestranda em

psicologia e religião pela

Pontifícia Universidade Católica

Lembre-se que o corpo informa a cada um

de nós que precisa do café da manhã, que o

almoço está chegando e que o dia está terminando

e ele precisa jantar. “É importante

ressaltar que fazer as refeições em horários

pré-estabelecidos, em locais tranqüilos e longe

dos conflitos do trabalho, reduz a obesidade e

torna o horário de trabalho muito mais produtivo

e prazeroso”, explica Maura.

Lutas emagrecedoras

Excelente opção para emagrecer e tonificar a

musculatura, aulas de luta como judô, Jiu-Jitsu, karatê,

kung fu, capoeira, boxe e kick boxing fazem

bem a todos – crianças, adolescentes e adultos. O

esporte está associado à qualidade de vida e é

uma ótima opção para queimar calorias, descarregar

o estresse e manter a saúde em ordem. “A

cada dia, aumenta o número de mulheres nessas

lutas. Elas superaram o preconceito de que lutas

e feminilidade não combinam e dão um toque

especial ao ambiente com suas luvas e quimonos

cor-de-rosa”, ressalta o coordenador de musculação

e lutas da Fórmula, Mauro Cardaci.

Prefira integral

O arroz integral só apresenta vantagens em

relação ao arroz comum. O integral tem grãos intactos,

preservando a película e o gérmen, onde

se encontra a maior concentração de nutrientes.

“Eu indico o arroz integral na maioria das dietas

pelo fato de ter uma maior concentração de

nutrientes. A película concentra mais fibras insolúveis,

que estimulam o sistema gastrointestinal

e diminuem a fome. Além disso, contém grande

quantidade de vitamina B1”, explica o médico nutrólogo

Maximo Asinelli.

MP e Surdez

A Sociedade Brasileira de Otologia constatou

que no Brasil mais de 15 milhões de pessoas sofrem

de algum tipo de deficiência auditiva. “A per-


da auditiva induzida por ruídos, como a poluição

sonora do trânsito, shows e o tempo de exposição

a músicas em alto volume, tem aumentado entre

os jovens”, diz a doutora Valéria Mendrone, otorrinolaringologista

do Lavoisier Medicina Diagnóstica

/ DASA. Para minimizar o problema, é sugerida a

limitação da exposição a sons intensos (shows de

rock, MP , entre outros) por tempo limitado. Para

uma exposição diária a sons de até 85 decibéis

(índice de uma avenida movimentada ou de aeroportos),

o tempo recomendado é de até 8 horas.

Dentes

O sorriso merece uma atenção especial e cuidados

redobrados. Christian Wehba, mestre em

Diagnóstico Bucal, ensina algumas dicas fáceis

para a saúde dos seus dentes. “O principal vilão

da saúde bucal é a cárie, bem como as doenças

relacionadas a ela. Entre as suas causas, estão a

dieta inadequada, falha na higiene bucal e, conseqüentemente,

o acúmulo de placa bacteriana”,

explica. Para evitá-la, basta reduzir a ingestão

freqüente de açúcar e escovar os dentes corretamente

após as refeições.

Protetor solar

No verão, o tempo de exposição ao sol é

mais longo e, por isso, é preciso atenção redobrada

com os cuidados com a pele. Segundo a dermatologista

da Unifesp e membro da Sociedade

Brasileira de Medicina Estética, Mônica Carvalho,

as doenças mais conhecidas são a micose e a

herpes, mas existem muitas outras patologias

que aparecem com freqüência na época do verão.

“A herpes simples, principalmente a labial, é

uma doença freqüente nos períodos de maior

exposição ao sol”, comenta. Ela é causada pelo vírus

herpes simples tipo 1, adquirido normalmente

na infância e adolescência, surgindo em surtos

esporádicos durante a vida adulta. O tratamento

pode ser tópico ou oral.

Já a micose é uma doença causada por

fungos, que são limitados à pele, aos pêlos, às

unhas e às mucosas. “Os fungos que transmitem

a micose podem ser de origem humana,

animal ou do solo e aparecem em locais úmidos,

como a areia da praia”, alerta a doutora

Mônica. Na maior parte das lesões localizadas,

o tratamento tópico (em creme) é suficiente

para a cura.

Em forma

A Associação Americana do Coração e o

Colégio Americano de Ciências do Esporte divulgaram

os novos parâmetros sobre a atividade

física. De acordo com as duas entidades, um

adulto saudável deve acumular pelo menos 0

minutos de atividade aeróbica moderada por

dia, entre cinco e sete vezes por semana. No

estudo são consideradas atividades moderadas

as corridas e as caminhadas com ritmo.

O que a ciência afirma é que, quando o

assunto é saúde, a assiduidade da prática de

exercícios é fundamental e até mais importante

que a intensidade. “Meia hora diária de exercícios

acelera o metabolismo, melhora o condicionamento

físico, o tônus muscular e oxigena o

cérebro”, afirma a professora de educação física

Keli Alencar. n

Visite o site www.saudeemgotas.com.br

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | |


Seres muito especiais

Cuidados com o PETs

são cada vez mais

sofisticados e diversificados

Por Fernando Caldas

Manter animais de estimação é algo cada

vez mais sofisticado. As manifestações de afeto

aos bichinhos envolvem aspectos cada vez mais

variados, sejam eles cães, gatos, pássaros, peixes,

répteis ou pequenos roedores.

Cães e gatos estão presentes em 4 % dos

lares brasileiros, segundo dados levantados pelo

Ibope em 007. A média de gastos mensais com

os animais de estimação é de R$ 10, englobando

custos com alimentação, saúde, higiene, roupas,

brinquedos e outros mimos.

Se antigamente um animal era tratado com

restos de comida, hoje muitos consomem ração

de boa qualidade. De acordo com a associação

dos fabricantes de alimentos para animais, a Anfal

Pet, 40% dos animais domésticos consumiam

alimento industrializado em 00 . Em 008,

esse percentual subiu para 47%.

Afora os itens de consumo convencionais, há

também quem se preocupe com o adestramento,

a estética, o mapa astral e até a agência matrimonial

que encontrará o parceiro ideal para os PETs.

O Pet Shop de José Átila Alves Prereira, no

Edifício Copan, promove festas de aniverários,

organiza amigo secreto e festas juninas, que

atráem grande número de cães e gatos.

Átila destaca que a inovação em relação a

produtos e serviços voltados aos PETs é incessante.

“Além do tradicionail hotel e do serviço de

acompanhamento, existem os tratamentos oftalmológicos

e odontológicos, SPAs, hidromassagem,

relaxamento, uma série de cosméticos para

hidratação, tintura, chapinha etc.”

4 | | DEZ/JAN/FEV 008- 009

José Átila e o labrador Harry

Cuidados básicos

No Brasil, há cerca de 9,7 milhões de cães.

Um cachorro para cada sete habitantes. Deste

total, ,9 milhões são animais abandonados. A

população de gatos soma 14 milhões.

A veterinária Adriana Gianini aconselha às

pessoas que desejam ter animais em casa que

procurem conhecer bem o comportamento das

espécies e das raças. É importante avaliar se o

espaço disponível é compatível com as necessidades

de cada animal.

Adriana acrescenta que a escolha da ração,

remédios para vermes, vacinação e visita ao veterinário

pelo menos uma vez ao ano são os cuidados

básicos que se deve tomar.

Outro alerta da veterinária é em relação à castracão.

“A esterilização é uma maneira de evitar

crias indesejáveis e o conseqüente abandono de

cães e gatos nas ruas. Além disso, diminui as chances

de doenças, como tumores de mama, infecções

no útero e gravidez psicológicas, entre outras.”

A veterinária Adriana Gianini

Foto: Fernando Caldas


Algumas histórias

A Revista do Centro Empresarial de São Paulo

conversou com algumas pessoas que trabalham no

condomínio e descobriu que grande número delas

mantém mais de um bichinho em suas casas.

Patrícia de La Sala, assessora de Relações

Institucionais do Centro Empresarial, conta como

resolveu adotar dois gatinhos. Na tentativa de

desviar o foco da perda de seu cãozino, que morreu

aos 15 anos, ela e sua filha foram fazer uma

visita a uma organização que trata de doações

e adoções de animais. Ali, Patrícia conheceu um

pequeno gatinho.

Embora não tivesse intenção de adotar um

animal, os encantos do filhotinho foram irresistíveis.

Freddy, esse é o nome do felino, tornou-se o

novo membro da casa.

Meses depois, preocupada com a solidão do

bichano, Patrícia decidiu arranjar-lhe companhia.

Voltou à casa de adoção e conheceu Nina, uma

gatinha com problemas de audição, visão e neurológicos,

mas com personalidade cativante.

Em menos de uma semana, os dois gatinhos

já estavam entrosados, apesar das evidentes

diferenças. Freddy é amigável e gentil, um

verdadeiro lord, segundo Patrícia. Nina, ao contrário,

passional, selvagem, mas muito afetiva. A

pequena gatinha, apesar de suas deficiências,

tem conseguido superar suas limitações físicas.

“Ela apresenta um grande potencial para superar

suas deficiências. Salta, pula e cai sempre. Mas é

persistente. Não desiste.”

O temperamento dos gatos mudou a rotina

de Patrícia. Independentes, eles mantêm com ela

uma relação de respeito e de obediência parcial.

“Eles são muito inteligentes. Chamam-me para

abrir a torneira do tanque quando querem beber

água fresca. Eu não os treinei. São eles que me

treinaram. Apesar de eu ser durona, são eles que

comandam. Eu obedeço.”

Dose dupla

Natália Vido trabalha na área de recursos

humanos da Rhodia, mas em casa são seus dois

cachorrinhos que lhe dão trabalho. “Sempre tive

animais e adoro a convivência com eles. São

companheiros para todos os momentos”, diz ela.

Um poodle toy, com um ano e meio de idade,

e uma cadela Dachund, de 5 anos. Essa é a

dupla que faz a alegria de Natália. “Enquanto a

salcichinha é calma e tranqüila, o pequeno poodle

parece estar sempre ligado no 0W.”

Uma das preocupações principais de Natália

com os dois animais diz respeito à alimentação.

Ela procura dar sempre o mesmo tipo de ração,

para evitar os problemas digestivos. Por outro

lado, mantém em dia as consultas com o veterinário

e as vacinas necessárias.

Grande família

Se cuidar de dois animais significa uma

grande responsabilidade, o que dizer de oito?

Este é o número de cães que vivem no sítio de

Barbara Footman, em Embu. A diretora da escola

Mayfair Idiomas conta que a maior parte deles

foi apanhada na rua.

“Sou protetora dos animais. Sofro quando

vejo algum abandonado na rua. Fico aflita e

nervosa. Quero ajudar de qualquer forma. Mas

tenho que me impor limites”, diz ela.

Desde a infância, na Inglaterra, Barbara

mantém bichinhos de estimação em casa. Além

dos oito cachorros, ela tem dois gatos persas que

convivem com ela em seu apartamento em São

Paulo. “Não vejo diferença entre cães e gatos.

Todos são muito amorosos.”

Foto: Mariana Giurno

Patrícia de La Sala com seu gato Freddy

O vigilante Alves e o cão de guarda Bob

A diretora da Mayfair Idiomas diz que se sente

bem quando está na companhia de seus bichinhos.

“Às vezes, sinto-me até culpada por não passar

mais tempo com eles.” Barbara vê seus cães

todo os finais de semana, quando vai à sua chácara,

onde pode conviver também com pássarinhos,

pica-paus e até um casal de tucanos e um macaquinho

que visitam o lugar para apanhar comida.

Cães de guarda

O Centro Empresarial de São Paulo tem

dois cães de guarda que são verdadeiros mascotes

para o condomínio. Hunter, um rotweiler

com 6 anos, e Bob, um doberman com anos,

são tratados como príncipes pelos seguranças

do canil: Alves, Marques, Paulo e Agnaldo.

Os cães recebem treinamento contínuo de um

adestrador, uma vez por semana. Os treinos são feitos

com um figurante e duram uma hora e meia.

Eles são ensinados a fazer a revista, pegar e largar.

Os cães são treinados, mas nunca são acionados

de fato, pois quase não ocorrem circunstâncias

para usá-los. Às vezes, Hunter e Bob

assumem posição nas entradas do condomínio.

“Eles acabam embelezando as portarias, pois até

pose fazem”, diz Alves. O vigilante toma todos

os cuidados para que os cães mantenham porte

elegante. “Cães de guarda não podem ficar obesos

jamais”, adverte. n

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | | 5


Porque eu gosto do Centro

Empresarial de São Paulo

Um dos primeiros lojistas do Centro Empresarial de São Paulo,

Idoil conta sua história de determinação e sucesso

Ele trabalha há mais de 0 anos no Centro

Empresarial. Foi um dos primeiros lojistas a se

estabelecer no local. Seu primeiro contrato foi assinado

em 1976, antes ainda da inauguração oficial

do condomínio, em 8 de setembro de 1977.

Do primeiro grupo de lojistas, Idoil Santo Rosalino

é o único remanescente. Atualmente, ele

dirige uma agência de turismo, a Idoil Turismo,

que já satisfez os sonhos de muitos viajantes.

Mas o primeiro negócio de Idoil no condomínio

foi uma casa lotérica. Em 1976, ele foi convidado

a conhecer o projeto do Centro Empresarial.

Como tinha uma casa de jogos na avenida Maria

Coelho Aguiar, vizinha ao complexo, ele percebeu

uma grande oportunidade para um novo empreendimento.

“Gostei do projeto, confiei e deu certo. Salvo

engano, foi a primeira casa lotérica instalada em

shopping center no Brasil. No passado, ela ficou

entre as dez casas lotéricas que maior movimento

apresentaram em todo o Brasil. Na época, se

fazia muito jogo. Dobrávamos o expediente. Passávamos

dia e noite trabalhando para poder dar

conta do movimento”, lembra Idoil.

Depois de quase 0 anos de atividade no

Centro Empresarial de São Paulo, ele resolveu

mudar de ramo. Inaugurou uma agência de turismo.

Um negócio que lhe tem oferecido muita

satisfação. “As pessoas, quando vão a uma agência

de turismo, querem se sentir seguras. Aqui no

Centro Empresarial, elas se sentem com liberdade

e despreocupadas. Podem sentar-se, deixar

suas bolsas ou carteiras nas cadeiras e escolher

com tranqüilidade seus programas de viagem.”

Idoil conta que seus clientes vêm de vários

bairros de São Paulo e de outros municípios,

também. “Eles vêm aqui porque têm a confiança

6 | | DEZ/JAN/FEV 008- 009

Idoil Santo Rosalino: desde 1976 é lojista no condomínio

de que encontrarão atendimento em um local

agradável, confortável e seguro. Aqui dentro é

como se fosse uma cidade do interior. Todos se

conhecem. Muitos de nossos clientes já trabalharam

no Centro Empresarial e continuam nos

procurando para escolher suas viagens.”

A Idolil Turismo trabalha com toda a gama

de serviços que existe no segmento. Viagens

nacionais e internacionais, ecoturismo, cruzeiro

etc. “Se a pessoas quiserem ir para o exterior

e alugar um castelo, uma limosine ou uma Ferrari,

nós providenciamos. Não falta nada para o

viajante. Tudo o que se imaginar em matéria de

turismo, nós providenciamos. Serviço completo”,

garante Idoil.

O dono da agência destaca que o Centro

Empresarial lhe permite ter um diferencial em

relação a seus concorrentes, pois seus clientes

podem usufruir de uma infra-estrutura e de uma

rede de serviços bastante amplas. ”Gosto do Centro

Empresarial de São Paulo por tudo o que ele

tem de bom para oferecer: agências bancárias,

restaurantes, cafés, farmácia, correio, papelaria,

dentista, médicos e lojas. Aqui não falta nada.”

Idoil é um empresário que não somente fez

sua carreira no condomínio, como também formou

ali sua família, que dá prosseguimento a uma história

de determinação e sucesso. “A pessoa que

vem para cá com a intenção de trabalhar consegue

vencer aqui dentro. Tenho duas filhas que praticamente

nasceram aqui dentro, e hoje trabalham

comigo. Até os netos já começam a conviver no

condomínio e a nos ajudar. Já são três gerações

com história no Centro Empresarial. Tenho certeza

de que, no ritmo em que estou trabalhando, vou

dar empregos também para os meus netos.” n


Diversão, sombra e água fresca

no esperado período de férias

Destinos nacionais e internacionais fazem programações especiais para

recepcionar aqueles que buscam o relaxar neste verão

Praticantes de esqui podem desfrutar da beleza natural da estaçnao de Heavenly

Por Davi Brandão

Há muito tempo os brasileiros não se deparavam

com um ano, literalmente, trabalhoso. Ao

contrário de calendários passados, o ano vigente

teve uma grande ausência dos tradicionais

feriados prolongados, em especial no segundo

semestre, pois, oficialmente, somente no dia 5

de dezembro encontra-se a sinalização vermelha

que simboliza um feriadão.

Dadas as circunstâncias, nada mais justo

que o corpo e a mente comecem a pensar

naquele esperado pedido de férias. E como a

mania de brasileiro é deixar tudo para a última

hora, certamente muitos ainda não definiram

onde aportarão neste período. Esta edição

da revista Centro Empresarial SP News aponta

algumas boas opções de destino, nacional ou

internacional, para que os mais atrasados consigam

aproveitar esse período.

Na Califórnia ou em Nevada, a estação de

esqui Heavenly impressiona seus visitantes pelo

cenário, pois detém uma vista deslumbrante do

Lake Tahoe. O resort fica numa posição privilegiada,

a 914 metros acima do lago, o que permite

que os praticantes de esqui desfrutem da

beleza natural da região enquanto percorrem

as trilhas.

Ao todo, 4,8 mil acres de terreno com neve

abundante, seca e macia, disponível aos praticantes

de esqui, que podem optar por uma das

94 pistas destinadas ao esporte. Nesta temporada,

o empreendimento recepcionará seus visitantes

com algumas novidades, entre elas um

magic carpet na escola de esqui, além de novos

15 acres em trilhas para esquiar e 165 restau-

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | | 7


antes, 108 bares, jazz clubs, blues bars e suas

opções de cassinos. O preço médio do pacote

para o mês de janeiro, oferecido pela American

Airlines SkiClub, custa US$ .911 por pessoa.

Encantos do Costão

A disputada cidade de Santa Catarina também

entra na lista de roteiros brasileiros neste período do

ano. Para aqueles que adoram esportes ou aventuras

radicais, o Costão do Santinho oferece diversas

atrações. Aos mais sossegados, também não faltam

atividades, como rinque de arco e flecha, golfe,

hidroginástica e sand board, entre outras. Destaque

também deste oásis para as férias é sua rica culinária,

que contempla cardápios da requintada cozinha

internacional ao tradicional churrasco.

A agenda musical do espaço também estará

repleta de atrações para o deleite dos hóspedesque

manterão estadia neste período. Com início

no próximo dia 0 de dezembro, a temporada

musical começa com a gravação do DVD do grupo

Exaltasamba. No dia , é a vez de Milton

Nascimento subir ao palco, seguido, no dia 9,

por Alexandre Pires, que cantará as músicas

de seu novo CD. Com força total, em janeiro de

009, os espetáculos musicais continuarão: estão

confirmadas as presenças de Lulu Santos (dia 9),

Paula Toller (dia 16), Martinho da Vila (dia 1); Elba

Ramalho (dia ) e Jorge Aragão (dia 0).

Festa no Litoral

Passar o período de férias no litoral paulistano

é algo comum entre muitos dos cidadãos que

vivem na metrópole. Diversas são as opções de

bons lugares para este período do ano. Aos que

procuram gente bonita e badalação, o Maresias

Beach Hotel se apresenta como uma boa pedida,

pois se revela também como um espaço perfeito

para relaxar e praticar um pouco de exercícios

físicos. Localizado em São Sebastião, no Litoral

Norte de São Paulo, é um destino perfeito, com

formato de ferradura, areia fofa e águas cristalinas.

A praia atrái turistas de todo o Brasil, e o

melhor, de frente para o mar.

Com 9 apartamentos, este hotel tem localização

privilegiada, apenas uma faixa gramada separa

os apartamentos da praia. Os hóspedes contam

com serviço completo, com cadeiras, guarda-sol e

8 | | DEZ/JAN/FEV 008- 009

barman na areia, piscina com hidromassagem e

cascata, sauna, sala de ginástica e salão de jogos.

De todas as áreas do hotel, é possível avistar o

mar e ouvir o barulho das ondas fortes de Maresias,

perfeitas para a prática de surfe.

Situado em uma das mais concorridas praias

do litoral paulista, a praia de Juqueí, o Beach Hotel

conta com uma área de 8. 50 metros quadrados

na ponta da praia, com uma arquitetura

totalmente integrada à beleza da região. Lá

estão presentes o mar, o rio, as ilhas e a montanha.

Tudo em uma só paisagem, e que pode ser

apreciada de qualquer um dos 50 apartamentos

do hotel, que ainda oferece piscina, playground e

estacionamento. No Beach Hotel, é possível pas-

sar o dia usufruindo o serviço completo de praia

ou se programar para passeios de barco para

uma das ilhas que estão próximas da costa.

Alegria no cerrado

Quem diria que os versos da canção “O

sertão vai virar mar”, do Trio Nordestino e que

também titulou o livro de Moacir Scliar, tornarse-ía

realidade. Pois bem, o Rio Quente Resort,

localizado no município de Rio Quente, em Goiás,

provou que tudo é possível e, recentemente,

inaugurou a sua Praia do Cerrado, a maior praia

de águas quentes naturais correntes do mundo,

que oferecerá aos veranistas diversas opções de

shows com atrações nacionais e internacionais.

Beach Hotel, Juqueí


Rio Quente Resorts

Entre as muitas atividades oferecidas no

imenso complexo, é possível mergulhar no lago

transparente, saltar de tirolesa, deixar a adrenalina

correr em um dos muitos toboáguas do

Hot Park ou até relaxar nas águas do Parque

das Fontes, que brotam da terra a uma tem-

peratura média de 70 o C. Piscinas, saunas e

bares aquáticos animam ainda mais a estada.

Isto sem contar a ceia farta, que será elaborada

pelo chef Carlos Pinheiro, e os shows por todo o

empreendimento, que estão sendo preparados

para as festividades de final de ano. n

Serviço:

American Airlines SkiClub – informaçõe:

0 00.789.7778 ou pelo site

www.aaskiclub.com.br).

Costão do Santinho – informações:

0800-481000 ou pelo sites

www.costao.com.

Maresias Beach Hotel – informações:

(1 ) 891-7500 ou pelo site www.

maresiashotel.com.br.

Beach Hotel – informações: (1 )

891-1500 ou pelo site www.beachhotel.com.br.

Rio Quente Resorts – informações:

(11) 51 -4800 ou pelo site www.

rioquenteresorts.com.br

DEZ/JAN/FEV 008- 009 | | 9


Um cenário

contemporâneo

Produtores ressaltam as qualidades do Centro Empresarial

de São Paulo para gravações de filmes publicitários

Por Fernando Caldas

Fotos: Ronei Jr.

Existem alguns cenários urbanos que são

constantes em comerciais de TV e outras peças

publicitárias. Um deles é o Centro Empresarial de

São Paulo. Várias agências de publicidade e produtoras

já elegeram o condomínio como local de

gravação de filmes publicitários para diferentes

produtos e empresas.

Tanto o conjunto arquitetônico do complexo

quanto seus espaços específicos, como jardins, o

traçado viário, as vias pavimentadas, corredores

internos e garagens, são muito valorizados por

sua qualidade estética e pelas boas condições

que essas instalações apresentam.

“O local é muito bom. Tem uma ampla área

para circulação de carros, que favorece bastante

o nosso trabalho. O asfalto é sempre bom e o

meio dos prédios é muito interessante. Todo o

conjunto é versátil, tornado-se um estúdio no final

de semana. Para a gente, é fácil de trabalhar.

Por isso, o espaço é bastante requisitado”, diz o

produtor de locação Kleber Pereira, da JEK Produções,

que já rodou alguns filmes no local, entre

eles, a campanha do Eco Sport, da Ford. Kleber

considera o local excelente para gravar comerciais

de automóveis e motos.

Filmes de vários outros produtos já foram

feitos no condomínio. O também produtor de

locação Diego Lacerda avalia que qualquer

campanha publicitária que precise de um

lugar requintado ou de um ambiente que

represente pessoas descoladas, que pensam

0 | | DEZ/JAN/FEV 008- 009

para frente, tem no Centro Empresarial de

São Paulo uma ótima opção.

“O local é incrível. O concreto, todo o cuidado

com a decoração interna, a arquitetura, os vidros

e aqueles espelhos da fachada, tudo é bem cuidado.

Ele tem uma cara empresarial e representa

a cidade. Acho que sua arquitetura representa

São Paulo muito bem”, afirma Lacerda.

O cenário remete a idéias e conceitos de contemporaneidade

e, por vezes, se reveste até de

um ar futurista. Ronei Jr., produtor de locação e

fotógrafo da Primeira Produção, fez nos últimos

dois anos pelo menos quatro gravações no complexo

empresarial (para o Itaú, Petrobras, Renault

e Volkswagen). Segundo ele, cada filme conta

uma história particular, e o Centro Empresarial os

enriquece das mais diversas formas.

“Fiz um trabalho de banco de imagens para a

Volkswagen. Mas o local serve para muitas coisas

além carros. Tudo o que for relativo ao mundo

dos executivos, ao urbano, a coisas que remetam

ao trabalho, conquista e sucesso, a gente consegue

retratar ali, justamente por causa daquela

cara bem urbana. Os prédios são iguais, têm a

mesma altura e a mesma dimensão. Essa arquitetura

remete a valores de modernidade. Eu fiz

uma filmagem que eram só pessoas andando

no meio dos prédios, retratando uma cidade moderna.

O Centro Empresarial expressa valores de

modernidade. E, além de tudo, o clima e o astral

do local são ótimos”, completa Ronei Jr. n

Making off da gravação do

comercial do Renault Sandero,

produzido pela Base Cinematográfica,

no Centro Empresarial de São Paulo


DEZ/JAN/FEV 008- 009 | | 1


| | DEZ/JAN/FEV 008- 009

More magazines by this user
Similar magazines