MAGAZINE 2

fcolella

Marillion Brasil Magazine n. 2 / 2013

MARILLION

BRASI L

MAGAZINE

NESTA EDIÇÃO:

Marilion Weekend 2013

Novos lançamentos: CDs, LPs, DVDs etc.

Clocks Already Ticking: o novo DVD no Guiness Book

A Comunidade Marilion Sul-americana

História e Discografia - Parte 2

Espaço do fã

Ano I / No. 2

MAI/2013


índice

notícias 2

weekend Holanda 11

weekend Montreal 19

weekend UK 20

comunidade Marillion A.do Sul 24

discografia Oficial e Bootlegs 25

espaço do Fã 29

Edição

Paulo Mathias

Design e Capa

Paulo Mathias

Fabiano Colella

Textos

Paulo Mathias

Irene de Souza

Silvio Rodrigues

Luciano Pacheco

Ricardo José D. Fortes

Fotos

Stefan Schulz

Irene de Souza

Silvio Rodrigues

Luciano Pacheco

Ricardo José D. Fortes

Revisão/Tradução

Nilda M Freitas

Paulo Mathias

www.marillion.com.br

facebook.com/MarillionBrasilFanClub

facebook.com/marillion.brasil

e-mail: contato@marillion.com.br

editorial

A 2.a Edição da Revista Marillion Brasil -

o Fã-Clube do Marillion no Brasil (e na

América do Sul) acaba de chegar com

muitas notícias.

O estrondoso sucesso dos 3 Weekends, a

inserção no Livro dos Recordes Guiness do

Boxset Clocks Already Ticking que levou

apenas 10 horas e 31 minutos após a

gravação do show para estar disponível

para venda, a turne de shows de Steve

Hogarth e Richard Barbieri, a preparação

do álbum de fotos de Steve Rothery, a

volta de Pete Trewavas aos estúdios para a

gravação do novo álbum do super grupo

Transatlantic, e o início das gravações do

2.0 álbum do Edison´s Children, seu

projeto solo com Eric Blackwood, Fish

lançando um novo álbum após um jejum

de 5 anos...

Acabou? Ainda não. A consolidação da

união dos Países da América do Sul em

torno de um único objetivo: trazer o

Marillion com maior frequencia para o

Brasil e para a América do Sul. E o sonho

do Weekend South America ainda está

vivo. A Comunidade Marillion America do

Sul conta hoje com: Argentina, Brasil, Chile,

Mexico, Panamá e Venezuela. E estamos

trabalhando para que mais países entrem

na Comunidade, trabalhando para

organizar os seus fans em suas páginas

locais.

Continuamos com a Discografia Oficial e

não-Oficial (Bootlegs). Nesta edição vamos

falar do 1.0 álbum de estúdio Script For A

Jester´s Tear.

E no Espaço do Fã, temos a presença do

Luciano Pacheco


.

Clocks Already Ticking

notícias

Este é o título do novo Box lançado pelo Marillion durante o Weekend-UK. Este Box

composto por 2 DVDs e 3 Cds, entrou para o Guinness World Records como o DVD

mais rápido a ser lançado após a sua gravação - apenas 10 horas e 31 minutos para

gravar, editar e colocá-lo a venda. Este DVD contém o show da noite de 6.a feira, dia

12 de Abril, do Marillion Weekend UK 2013 em Wolverhampton Civic..Este álbum foi

inserido na categoria World´s Fastest DVD release, no Guinness.

Projetos do Pete : novos discos do Transatlantic e Edison´s Children

Pete Trewavas está nos Estados Unidos em sessões de gravação do novo (2.0) álbum

do Edison´s Children, seu projeto-solo com o Eric Blackwood. A previsão de lançamento

deste novo álbum é para o 3.0 trimestre de 2013.

Terminando as sessões do novo álbum do Edison´s Children, Pete começará os trabalhos

para o novo álbum (4.0) do super grupo Transatlantic, junto com Neal Morse, Roine Stolt

e Mike Portnoy. A previsão de lançamento deste novo álbum é para meados de 2014.

2


Steve Hogarth e Richard Barbieri em turnê européia

notícias (cont.)

Mr. H e Mr. Barbieri anunciaram o início de sua turnê européia de divulgação do álbum

´Not The Weapon, But The Hand’ . Para esta turnê, foi montada uma banda com os

seguintes integrantes:

Steve Hogarth - Vocal Principal e Piano

Richard Barbieri - Sintetizadores

David Gregory - Guitarra e Teclados

Ken Papenfus - Vocal e Guitarra

Carl Papenfus - Vocal e Teclados

Yolanda Charles - Vocal e Baixo

Andy Gangadeen - Bateria

David Gregory e Andy Gangadeen são velhos conhecidos dos fãs da banda de Hogarth.

Yolanda Charles é uma baixista muito conhecida em Londres - já tocou com Paul Weller

e Robbie Williams.

Ken Papenfus e Carl Papenfus são os principais integrantes da banda norte-irlandesa

“Relish” formada em 1995 e com 3 álbuns lançados. Brian May (Queen) e Larry Mullen

(U2) são fans “de carteirinha” dessa banda.

“Eu escolhi Ken e Carl principalmente por suas vozes. Eu queria ter grandes cantores no

palco, para cobrir os arranjos vocais e efeitos mais complexos do álbum. Junto com a

bela voz da Yolanda, eu e o Richard temos certeza que, vocalmente, a banda vai ser tão

boa quanto musicalmente” - palavras de Hogarth. Até o fechamento desta edição, as

datas confirmadas eram:

Agosto:

29 - Germany - Berlin FritzClub

31 - Poland - Inowroclaw Festival

Setembro:

1 - Poland - Krakow Studio Club

3 - Germany - Munich Backstage

4 - Germany - Bonn Bruckenforum

5 - Belgium - Verviers Spirit of 66

7 - France Paris - Le Trabendo

8 - Holland - Uden De Pul

9 - Holland - Amsterdam Paradiso

11 - UK - Manchester Ritz

12 - UK - London Scala 3


Steve Rothery prepara seu álbum de fotos.

notícias (cont.)

Steve Rothery está trabalhando para lançar, ainda em 2013, seu álbum de fotos que

tem o nome de ‘Postcards From The Road’. A idéia de lançar o(s) álbum(ns) de fotos

surgiu depois do retorno positivo de suas exposições realizadas por toda a Europa.

As fotos foram tiradas durante toda a sua carreira.

“A fotografia é a única coisa, além da música, que eu acho ter uma habilidade natural.

Comecei a fotografar quando tinha 16 anose usava uma velha camera russa Zenit B.

Atualmente, uso uma Canon 5D Mk2. Eu adoro capturar esses “pequenos pedaços do

tempo” , algo que fiz ao longo desses anos. Tenho dezenas de milhares de imagens que

fotografei ao longo desses 34 anos junto ao Marillion. Eu quero documentar isso e fazer

uma turnê pelo mundo” , disse Rothery ao Marillion Brasil.

Rothery espera lançar até 5 volumes de ‘Postcards From The Road’ e está pensando em

financiar este projeto por meio de uma campanha Kickstarter - site de financiamento

coletivo que busca apoiar projetos inovadores.

“Eu estou adicionando fotos ao meu site o tempo todo, para que as pessoas tenham

idéia de como serão os livros. Eu estou vendendo cópias através do site e em exposições

que fiz e que ainda farei este ano”, explicou Rothery.

Abaixo, algumas fotos e a história por trás de cada uma delas por Steve Rothery:

Bill Smith, mergulhador, foi motivado pela

canção ‘Out Of This World’ a procurar os

destroços do barco Bluebird de Donald

Campbell em Coniston Water. Eu era o

seu fotógrafo oficial no dia em que o barco

foi resgatado, no ano 2000. Foi uma

experiência incrível e comovente.

4

Foto tirada durante uma turnê na Alemanha, em 1987.

Nosso “Manager” da turnê conseguiu garantir 1ônibus

de turnê da Empresa Puma, emprestado. “Não é lá

muito confortável, mas é de graça” deve ter sido esse

o raciocínio dele. Depois de concertos exaustivos e de

noites de festa,precisavamos dormir onde fosse possível.


Após um jejum de 5 anos, Fish está na ativa novamente.

notícias (cont.)

Excelente notícia para os “apaixonados” fãs do Fish. Após 5 anos sem gravar, Fish volta

ao estúdio para lançar seu novo álbum chamado ‘A Feast Of Consequences’ com data

prevista de lançamento ainda no 1.0 semestre de 2013. E já saiu em turnê - chamada

de ‘Moveable Feast Tour’

A previsão é do lançamento inicial de uma versão

DeLuxe com tiragem de 5000 cópias. Esta versão virá

com 1 CD e 1 DVD com o Making Of além de um

encarte com 100 páginas. Como sempre, toda a arte do

novo álbum está sendo desenvolvida por Mark Wilkinson.

Uma versão comercial em embalagem plástica com 1

CD também será lançada em seguida. E há a previsão de

lançar o álbum em vinil para o final do ano.

Algumas datas da turnê The Moveable Feast Tour já estão definidas. Confiram abaixo:

17/05/2013 - O2 ABC Glasgow

18/05/2013 - Lemontree Aberdeen

19/05/2013 - The Sage Gateshead

21/05/2013 - Arc Stockton

22/05/2013 - Corn Exchange Stamford

23/05/2013 - Parr Hall Warrington

25/05/2013 - Picturedome Holmfirth

26/05/2013 - Robin Bilston

27/05/2013 - The Stables Milton Keynes

29/05/2013 - O2 Academy Islington

30/05/2013 - Komedia Bath

31/05/2013 - The Wharf Tavistock

01/06/2013 - The Brook Southampton

Em 25 de Abril, Fish completou 55 anos de idade. Em comemoração a esta data,

foi lançado o FISHHEADS CLUB BRAZIL, o Fã-clube OFICIAL do Fish no Brasil. Muitos

trabalhos serão desenvolvidos: website, sorteios, etc... Tudo com o objetivo de trazer o

Fish ao Brasil. Foi criado um grupo no Facebook para facilitar a união dos fans no

Brasil e na América do Sul. Convidamos a todos a conhecer e participar.

https://www.facebook.com/groups/326187590817815/

5


Novos lançamentos no site do Marillion

notícias (cont.)

Novos Lps, Cds e DVDs foram lançados no site do Marillion. Confiram abaixo:

CD 1: CD 2:

Best Of Leamington. CD duplo com o áudio do Marillion

Weekend - UK realizado em Leamington Spa nos dias 6,7

e 8 de Maio de 2011. Este CD contém a seleção das

melhores músicas tocadas no Weekend, selecionadas dos

Cds Holidays in Eden, A-Z e Glow Must Go On.

Splintering Hearth Gazpacho

The Party Half The World

Waiting To Happen Afraid Of Sunlight

This Town One Fine Day

The Rakes Progress The Only Unforgivable Thing

100 Nights Pseudo Silk Kimono

Born To Run King

Especially True Sugar Mice

The Invisible Man Out Of This World

Best of Montreal. CD Duplo com o áudio do Marillion

Weekend em Montreal nos dias 8, 9 e 10 de Abril de 2011.

Este CD contém a seleção das melhores músicas tocadas

no Weekend, selecionadas dos Cds Holidays in Eden, A-Z

e Glow Must Go On.

6


CD 1: CD 2:

Splintering Hearth Asylum Satellite #1

This Town A Voice From The Past

The Rakes Progress The Wound

100 Nights Zeparated Out

Waiting to Happen Beyond You

A Collection Gazpacho

How can it Hurt Go!

Man of a Thous a n d F a c e s This Strange Engine

Memory Of Water (Big Beat Mix)

No Such Thing

Pseudo Silk Kimono

Quartz

King

notícias (cont.)

Brave Live 2013. Esta nova versão foi produzida para

coincidir com o Marillion Weekend 2013. Este Box

Contém 1 DVD e 1 CD de áudio É o mesmo conteúdo

do DVD e do CD de aúdio lançado em 2002. Apenas

com a arte de capa diferenciada para facilitar a diferença

entre as 2 versões.

DVD : CD :

Opening Titles River (edit)

Bridge Bridge

Living With the Big Lie Living with the Big Lie

7


Runaway Runaway

Goodbye to All That Goodbye to all That

Wave Wave

Mad Mad

The Opium Den The Opium Den

The Slide The Slide

Standing In The Swing Standing In The Swing

Hard As Love Hard As Love

The Hollow Man The Hollow Man

notícias (cont.)

Alone Again in the Lap of Luxury Alone Again in the Lap of Luxury

Now Wash Your Hands Now Wash Your Hands

Paper Lies Paper Lies

Brave Brave

The Great Escape The Great Escape

Made Again Made Again

The Last of You The Last of You

Fallin´from the Moon Fallin´from the Moon

EXTRAS:

Entrevista com a banda em Abril de 2002

8


notícias (cont.)

Brave duplo vinil. Relançamento da EMI. São 2 Lps de

180g mantendo a mesma capa dupla e a arte da 1.a

da 1.a edição.

Disco 1: Lado 1 Disco 2: Lado 1

Bridge Alone Again in the Lap of Luxury

Living with the Big Lie Now Wash Your Hands

Runaway Paper Lies

Goodbye to all That Brave

Disco 1: Lado 2 Disco 2: Lado 2

Wave The Great Escape

Mad Made Again

The Opium Den The Great Escape (Spiral Remake)

The Slide

Standing In The Swing

Hard As Love

The Hollow Man

Best Live Vinyl Box Set. Esta é a versão em

vinil dos 2 Cds Best Live, lançado pela Racket

em 2011. Estes 4 Lps são uma coletânea de

versões ao vivo coletadas de vários álbuns

da Racket Records entre 2003 e 2011.

9


notícias (cont.)

Grendel Picture Disc 2013. Lançamento da EMI

para o Record Store Day 2013. Edição limitada a

750 cópias e vendida apenas em 1 único dia.

Atualmente, só é possível comprar em sites de

leilões, como o eBay ou em lojas especializadas.

Lado A - Grendel EMI Demo, gravada em 1982 no Fair Deal Studios.

Lado AA - Grendel gravada ao vivo para o programa de rádio da BBC

1´s Friday Rock Show no The Reading Rock Festival de 1983.

Edição limitada em Vinil duplo na cor azul

do álbum Radiation remixado e remasterizado.

São 2 Lps de 180g e alta qualidade de áudio.

Está sendo vendido, em “pre-order” até o dia10

de Junho de 2013.

Lado 1: Lado 2:

Costa Del Slough Now She´ll Never Know

Under The Sun These Chains

The Answering Machine Born to Run

Three Minute Boy

Lado 3: Lado 4:

Cathedral Wall

A Few Words For The Dead Gravura exclusiva de Carl Glover.

10


Relato de Silvio Rodrigues:

marillion Weekend - Holanda

Nos dias 8, 9 e 10 de Março de 2013, foi realizado o

Marillion Weekend Holland, em CenterParcs, Port

Zelande.

Com um público estimado de 3000 (ou +) pessoas,

o evento reuniu fans de quase 50 Países. O Center

Parcs é um local com uma estrutura excepcional

para acolher eventos desse tipo. É formado de

“Chalés” de vários tamanhos com toda a estrutura

que o(s) hóspede(s) necessite(m). Conta com fogão

e geladeira (pequena), para que o hóspede possa

preparar suas refeições, se assim preferir. Conta com

Supermercado interno para atender aos hóspedes.

O Marillion Brasil - e o Brasil - estiveram muito bem

representados na Holanda. Silvio Rodrigues, Irene

de Souza, Luciano Pacheco e Nubia Mohté, dentre

tantos outros, estiveram presentes. Abaixo, os

depoimentos do Silvio e da Irene sobre essa

maravilhosa experiência vivida no Weekend.

Como se diz por aí, o 1.0 Marillion Weekend a gente nunca

esquece!

Na verdade, o Marillion Weekend começou,prá mim, na 5.a

feira dia 07. Cheguei em Amsterdã por volta das 7 horas da

noite. Deixei as malas no aeroporto de Schiphol e fui direto

para o encontro dos fãs no Pub Tara. Foi estranho e ao

mesmo tempo gratificante estar lá. Endereços eletrônicos

e fotos de perfil no Facebook, transformaram-se em pessoas reais. A esquadra lusobrasileira

estava lá, assim como gente de toda parte do mundo, reunidas em um espaço

bem aconchegante. Foi uma prévia do que iria vivenciar no fim-de-semana.

Na manhã seguinte, partimos em direção a Port Zelande. Cheguei por volta das 2 da

tarde. Logo de cara, Steve Rothery veio nos cumprimentar. Simpático, como sempre,

deu-me toda atenção e conversamos sobre o Show no Rio de Janeiro, em 2012.

Steve Hogarth conversava e tirava fotos com os fãs a

poucos metros dali.

As horas seguintes foram de reconhecimento do terreno

- as acomodações e facilidades do CenterParcs - assim como

a preparação do material de divulgação do Fã-clube

Marillion Brasil,pendurando as faixas na nossa casa e

também no carro da nossa comitiva.

Tempo ainda para reconhecer tantas outras pessoas ao

redor do mundo que chegavam a todo instante.

11


marillion Weekend - Holanda

É chegada então, a hora de entrar na tenda dos shows

para a primeira noite do Weekend, dedicada ao álbum

Radiation. Ainda não acreditava que estava ali, cercado

de um público apaixonado e amistoso. A cada música

você via a satisfação e a emoção estampada nos rostos

das pessoas. Ao final da execução de Radiation, o que

se seguiu foi um desfile de Hits. Durante a apresentação de Slainte Mhath, Hogarth fez

um brinde ao Fish, o que imediatamente, provocou uma ensurdecedora ovação. Logo

após, ao tocarerm Lavender, vejo um rapaz chorando copiosamente. Num primeiro

momento parecia um exagero mas, quando percebi, vi muitas pessoas chorando e não

demorou para que as lágrimas rolassem também dos meus olhos. Para terminar de

“matar”, ainda teve Script For A Jester´s Tear no bis. Depois do show, Steve Rothery veio

até a platéia conversar com os fãs e tirar fotos. Inacreditável. Após o show, fomos todos

para a “Noite das Caipirinhas”, em uma das casas da comitiva portuguesa. Além de toda

a esquadra luso-brasileira, ainda tivemos presenças ilustres - o fotógrafo Andy Wright e

a esposa de Pete Trewavas, Fiona. As horas passam depressa e, quando nos demos

conta já eram 4 horas da manhã. Hora de dormir um pouco. O Sábado começa com

uma visita a tenda de Merchandising. Práticamente, todo o catálogo da Racket estava a

disposição dos fãs, que faziam uma enorme fila.Um verdadeiro convite a tentação!

Da minha parte, posso dizer que saí da loja bem mais pobre de dinheiro, mas muito,

muito Feliz!

Fomos então para o Market Dome, assistir um pouco do

Marillion Karaokê e visitar as tendas das The Web - os Fãs

Clubes Oficiais. No mesmo horário, na Adventure Factory,

rolava a 1.a fase do Marillion Quiz. Fomos até lá ajudar a

equipe da The Web Portugal-pude ajudá-los em 2 respostas.

O entardecer veio rápido e a ansiedade disparava, pois era

a noite dedicada ao álbum Brave. Conseguimos ficar na

grade, em posição privilegiada para a gravação do DVD. A execução de Brave foi

devastadora, emocionalmente. Muitas pessoas choraram na noite anterior, mas nada

comparado ao que vi e senti nesta noite. “H” teve uma noite brilhante.Nunca vi alguém

cantar e interpretar com tanta intensidade. Ao final de The Great Escape, tanto a banda

quanto a platéia pareciam exaustos, não de cansaço físico, mas da carga de emoção

proporcionada por Brave. A banda retornou para executar Made Again,com a presença

de representantes dos quase 50 países presentes no Weekend. A 2.a parte do Show foi

repleta de músicas obscuras, como Drilling Holes, Rich, The Damage e Seasons End.Uma

noite inesquecível. Após o show, Eric Blackwood que havia tocado com Pete as músicas

do projeto de ambos - Edison´s Children - também apareceu para conversar com os fãs.

Passei um bom tempo conversando com ele. Sujeito muito bacana, esse Eric!

12


marillion Weekend - Holanda

O pós-party foi dedicado as festas de Rock,promovida pela

Lucy Jordache no Adventure Factory, e pela Stephanie no

Market Dome. Optamos por tomar umas cervejas na festa

Rock e depois dela, mais uma rodada de conversas que

atravessaram a madrugada. O frio, que até então estava

tolerável, veio com toda força - a previsão para Domingo era

de chuva, frio e neve. Por este motivo, não fiz muita força em

acordar cedo para a corrida de 10Km promovida por Mark Kelly.

Sim, havia chegado o Domingo... último dia no Paraíso.

Dia para visitar o Marillion Museum, que foi brilhantemente

organizado pelo Andy Rotterham, da The Web UK, que

contou com a ajuda da Filipa Bastos. Dali, corremos direto

para a tenda onde estava sendo realizada a final do Marillion

Quiz, com a participação dos integrantes da banda, que

também participaram de um Q&A com perguntas feitas pelos

fãs, além do Swap the Band, onde um ou mais membros da

banda é (são) substituído(s) pelos fãs. Para mim, o destaque ficou para uma versão, ao

violino, de You´re Gone. Mas todos se saíram muito bem! Hora de voltar para casa, para

uma refeição rápida e voltar para a última noite de show, chamada Secret Sunday. Até

então, nenhuma música do novo álbum Sounds That Can´t Be Made havia sido tocada,

o que fez com que todos pensassem que teriamos o álbum tocado na íntegra. Foi o que

aconteceu, porém as músicas foram diluídas pelo set, não seguindo a sequência do CD.

O show começou com Gaza e um fato inusitado aconteceu. Um rapaz, na primeira fila,

ficou de costas para o palco durante toda a música, fazendo seu protesto silencioso pelo

conteúdo polêmico da canção. Ao final da execução da música, virou-se para o palco e

curtiu o show como todas as outras pessoas.

A cada música executada, dava um nó na garganta,

pela sensação de que aquele sonho estava cada vez

mais próximo do fim. Steve Hogarth chorou com a

platéia cantando Waiting To Happen - eu chorei outras

tantas vezes: durante Pour My Love, com saudades da

minha esposa e do Brasil, durante King Of Sunset Town,

Lembrando do meu 1.0 show do Marillion, em 1990,

no Hollywood Rock, durante The Sky Above The Rain pela beleza da música e a chuva

de papel picado ao final da execução e, por fim (fim?), durante uma eletrizante versão

de Garden Party, que encerrou o show. Para mim, o momento mais emocionante do

fim de semana estava por vir. Acenderam-se as luzes e todos na pista começam a dançar

13


marillion Weekend - Holanda

ao som de Hocus Pocus, do Focus. Eis então que surge Steve Hogarth para dançar com

os fãs na platéia. Tive a oportunidade de cruzar com ele. Quando ele me viu, chorando

pela milionésima vez, parou e eu fui até ele para dar um abraço. Agradeci a ele pelo

Maravilhoso Weekend que ele e todos do Marillion me proporcionaram. Ele, então,

visívelmente emocionado, me beijou no rosto e foi continuar a sua farra junto aos fãs.

Nunca mais esquecerei aquele momento. Para mim, o gesto foi uma síntese do que é o

Marillion: uma Banda que retribui aos fãs todo o carinho e respeito que merecem.

Bom, hora de se despedir da comitiva luso-brasileira em mais um encontro em uma das

casas dos Portugueses. Muitas lágrimas, mas também muitas gargalhadas. É o fim...

Arrumam-se as malas e lá estamos nós, as 7 da manhã, de volta para Amsterdã. Não sei

como eles vão fazer para superar este Marillion Weekend, mas não duvido que o façam.

Agora, é torcer para que tenhamos um Marillion Weekend aqui na América do Sul.

Quem sabe em 2015...

14


Relato de Irene de Souza:

marillion Weekend - Holanda

A experiência de ver seu “ídolo” de perto é, para um(a) fã, algo que fica marcado para

sempre em sua vida, principalmente se for um fã da Banda Marillion.

Eu tive a felicidade de conhecer e me tornar fã dessa banda e, particularmente de Steve

Hogarth, tão Maravilhoso!

Participar de um Marillion Weekend foi meu desejo desde que assisti ao DVD ‘This

Strange Convention’ de 2007. Lindo! Minha primeira oportunidade de tentar ir foi em

2011, quando comprei os tickets para o Weekend no Canadá. Não consegui os vistos.

Fiquei tão triste! Não desisti e acabei conseguindo vê-los em uma convenção de hippies

na Alemanha. Mas essa, é outra história...

Dei mais sorte neste ano. Passo, então, a compartilhar um pouco dessa experiência

fabulosa. A viagem do Brasil até a Holanda foi de quase 13 horas de vôo. Viagem bem

cansativa para minha irmã e eu, que pouco viajamos em nossas vidas.

Chegando ao CenterParcs em Port Zélande, fomos recebidas pela moça do fã-clube de

Portugal que recepcionava os fãs de língua portuguesa. Mostrou nossos alojamentos e

nos apresentou a algumas pessoas. Que lugar Maravilhoso! As casas são muito bonitas

externamente, e muito confortáveis e organizadas, internamente. É uma espécie de

vila a beira-mar - não sei se esta é a designação apropriada. O tempo estava nublado e

frio mas, mesmo assim, adorei dar um passeio por lá vendo barcos e pássaros por todo

lado. Estava muito ansiosa esperando a hora do 1.0 show. Queria ir logo para a fila.

Queria ficar bem em frente ao piano do “H” e “colada” na barra de separação do palco

da platéia. Não consegui ficar em frente. Fiquei na barra, mas bem à direita. Haviam

telas nas laterais, o que ajudava um pouco. O Eric Blackwood estava deste lado e eu

disse para ele: “Hi Eric”. A banda DeeExpus, que teve a participação do Mark Kelly, nos

fez dançar um pouco. Era a noite de “Radiation”.

Este foi um dos 1.0s álbuns da banda que comprei. Ouvi muito todas as músicas e eu

gosto muito dele.

Quando chegou a hora da banda entrar no palco, a euforia tomou conta dos fãs. A

presença de palco do Hogarth é uma coisa deslumbrante. Ele é como um “Rei em sua

propriedade” que vai muito além do palco. Contagia a platéia com seu carisma, a sua

expressividade vocal e física. E, musicalmente, se encaixa perfeitamente no trabalho dos

Músicos.

15


marillion Weekend - Holanda

A guitarra de Steve Rothery é mesmo impressionante - não é a tôa que os fãs o chamam

Pete, Ian e Mark não são menos impressionantes. Muitas pessoas choravam de alegria e

emoção durante a apresentação de alguma música que tivesse um significado a mais

para elas.

O sorriso podia ser visto nos rostos de quase todos ali. Eu quase não podia desviar os

olhos do palco - nem consegui tirar muitas fotos. Esqueci o cansaço da longa viagem,

da fome, sede, dor nos pés e nas pernas - eu e minha irmã não podíamos sair do lugar.

Minha única necessidade era ficar ali participando de toda aquela alegria e emoção.

O telão me ajudava a ver com detalhes, as expressões no rosto do “H”. A música “Under

The Sun” tem um arranjo musical muito interessante, e a letra, não sei se digo irônica, ou

divertida e bem humorada, é muito significativa e ficou muito bonita. “Cathedral Wall”

foi maravilhosamente interpretada. “A Few Words For The Dead” , com a sua linda

mensagem, foi emocionante.

No Sábado, tentei conseguir um lugar melhor, chegando na fila mais cedo. Chovia

fininho e fazia muito frio. Conseguimos suportar até a abertura dos portões. E valeu a

pena, porque consegui um lugar melhor, quase em frente ao piano do “H”. Fiquei um

pouco de lado, mas o palco, dessa v ez, tinha uma passarela que quase encostava na

barra, onde o Hogarth foi várias vezes. Era a noite de “Brave”. A euforia e a alegria me

pareciam ainda maiores que na noite anterior. Havia um rapaz muito alto, com o rosto

pintado igual a capa do álbum. Na noite anterior, um grupo de fãs fantasiados - da The

Web Italy - foram fantasiados com roupas que protegem contra a radiação.

Não vou destacar momentos do show. Para mim, foi todo emocional e impecável.

16


marillion Weekend - Holanda

Finalmente, Domingo! Já se podia sentir uma certa melancolia por ser o último dia.

Teríamos que nos despedir das pessoas que conhecemos lá e com quem tínhamos

compartilhado momentos tão felizes. Chegamos cedo na fila, depois de almoçarmos

uma refeição preparada pela minha irmã. Assistimos ao final da competição Q&A -

as perguntas e respostas entre a banda e os fãs. Dessa vez, foi melhor ainda pois

consegui ficar em frente ao palco, no ponto central. A banda iniciou o show com Gaza,

e pude olhar os olhos de “H”, bem de perto. Nenhum sonho, dormindo ou acordada,

foi tão impactante, maravilhoso e brilhante. Ele cantou a linda “Invisible Ink” , que eu

adoro e “Pour My Love”. Preciso dizer que gosto dessa também (rs) ?

Nos 3 dias do Weekend fez muito frio e choveu mas, dentro da tenda dos espetáculos,

estávamos como que acima das nuvens, longe dos problemas e das preocupações de

nossas vidas, em um Céu muito azul e com o Sol brilhando todo o tempo - “The Sky

Above The Rain” .

No que depender de mim, estarei no próximo Marillion Weekend pois valeu a pena

cada centavo gasto e cada quilômetro percorrido até chegar lá.

17


marillion Weekend - Holanda

A programação do Weekend em Port Zélande foi a seguinte:

Noite de Sexta (Friday Night)

- abertura com a Banda DeeExpus (p/mais informações,acessem http://deeexpus.co.uk/)

- execução do álbum Radiation na íntegra.

Tarde de Sábado (Saturday Afternoon) na Adventure Factory Stage

- Alan Reed - cantor e compositor escocês mais conhecido por ser um dos fundadores

do grupo de rock progressivo PALLAS.

Noite de Sábado (Saturday Night)

- abertura com o Edison´s Children - projeto do Pete Trewavas e do Eric Blackwood.

o Fã-clube Marillion Brasil é o Fã-clube OFICIAL do Edison´s Children no Brasil.

juntem-se a nós no Facebook :

https://www.facebook.com/groups/359833977381280/

- show da Banda SWEET BILLY PILGRIM

- execução do álbum Brave na íntegra.

Noite de Domingo (Sunday Night)

- show da Banda HARVEST (para mais informações, acessem www.harvestband.com)

- execução do novo álbum Sounds That Can´t Be Made intercalado com outras músicas

DeeExpus

Edison´s Children

Alan Reed

Harvest Sweet Billy Pilgrim

18


marillion Weekend - Montreal

Nos dias 22, 23 e 24 de Março de 2013, foi realizado o

Marillion Weekend Montreal, no Théâtre L'Olympia com

um público estimado em mais de 3000 pessoas.

Este Weekend é realizado em um teatro, não oferecendo

a mesma infra-estrutura oferecida na Holanda..

Para quem viaja para assistir, tem que arrumar hotel ou

outro tipo de acomodação para ficar os 3 dias.

O Marillion Brasil (e o Brasil) não contou com nenhum

Fã brasileiro neste evento. A programação foi a seguinte:

6.a feira (Friday Night)

- abertura com a Banda Mystery de Quebec. Esta banda

conta com Benoit David (ex-Yes) nos vocais. Para mais

informações, visitem www.unicorndigital.com/mystery

- a noite da execução do álbum Radiation, na íntegra.

Sábado (Saturday Night)

- show do Edison´s Children - projeto solo do Pete

Trewavas e do Eric Blackwood as 2 horas da tarde.

- abertura com Jacob Moon, cantor e compositor que

ficou bastante conhecido no Youtube por gravar suas

apresentações em cima do telhado de sua residencia.

Mais informações visitem www.jacobmoon.com

- a noite da execução do álbum Brave na íntegra.

Domingo (Sunday Night)

- Swap The Band ( a tarde ). Neste evento, os fans que

cantam ou tocam, podem subir ao palco e cantar ou

Mystery tocar junto com o Marillion.

- abertura com show da LUCIE LYNCH. Mais informações

visitem www.lucieslighthouse.com

- show com a Banda Sound Of Contact do filho do Phil

Collins, Simon Collins. Esta banda conta tambem com a

presença de John Wesley (Fish, Porcupine Tree). Mais

informações, visitem http://www.soundofcontact.com

- a noite do álbum Sounds That Can´t Be Made , tocado

Jacob Moon intercalado com outras músicas.

Lucie Lynch Sound Of Contact Edison´s Children

19


marillion Weekend - UK

Nos dias 12, 13 e 14 de Abril de 2013, foi realizado o

Marillion Weekend UK , no Civic Wolverhampton. com

um público estimado em 2000 pessoas.

Este Weekend é realizado em um teatro, não oferecendo

a mesma infra-estrutura oferecida na Holanda..

Para quem viaja para assistir, tem que arrumar hotel ou

outro tipo de acomodação para ficar os 3 dias.

O Marillion Brasil (e o Brasil) contou com a presença do

Ricardo José Discacciati Fortes estava lá e nos conta sua

experiência.

Relato do Ricardo José Discacciati Fortes.

Comprei o ticket do show, reservei o hotel, etc...

e depois de uma espera quase sem fim, o grande

dia havia chegado: 12 de Abril de 2013.

Vôo Munique-Londres com a Easyjet, o mais barato

que consegui. Claro que não é mais aquele perrengue

da época de estudante, época do Hollyood Rock em

1990 quando assisti ao Marillion pela primeira vez e

quando toda a grana já ia pro ingresso e com o que

sobrava tínhamos de optar quase entre a cerveja ou ...

a cerveja.. (o que mais era preciso!!!!) e depois ainda

tínhamos que esperar o busão até o dia amanhecer

para cruzar a ponte Rio Niterói. Mas, apesar da carreira

estável, como Pai de Família com 4 filhos, não dava prá

esbanjar e, para falar a verdade, onde estaria o espírito

roqueiro se viajasse de Lufthansa ou British Air Lines....

Foram vários e vários anos sonhando em participar de um

Marillion Weekend, mas, por uma razão ou outra, filhos

pequenos (4 para ser mais exato), mudanças, etc...nunca

havia conseguido. Até que, em Novembro de 2012, fui

ao show do Marillion em Munique, com minha esposa.

Diante da minha emoção e entusiasmo em vê-los outra

vez (a última havia sido no Brasil em 1997), minha esposa

deu-me quase que um ultimato: “Voce tem de realizar o

seu sonho, não deve adiar mais!!!!

Chegada em Londres e na hora da imigração, me pergunta o agente: o que o senhor

veio fazer em UK? Respondo já imaginando que ele iria pensar "crazy man": Eu vim

participar de uma convenção de uma banda chamada Marillion em Wolverhampton.

O agente me dá uma olhada na cara e diz: “I am old enough to know the FISH-era” ,

carimba o passaporte e diz: “Enjoy the concerts!!!!”.

20


marillion Weekend - UK

.

Wolverhampton, aqui vou eu... um trem de

Gatewick para a estação Victoria e depois de

metrô até a estação Eaton...

Londres para Wolverhampton a bordo de um

trem da Virgin Trains - sim do mesmo grupo

do selo Virgin Records, de bandas como Genesis

e King-Crimson - esse era um momento que havia

até planejado, pois além de ser mineiro, onde

como todos sabem, tudo é "trem bom", sou

engenheiro ferroviário e os trens são uma paixão

antiga. Por isso era a hora de escutar: "This Train is my life".

O sonho só estava começando...

Na chegada ao hotel Brittania, já em Wolverhampton, a fila do checkin ia até quase a

porta de entrada, uma salada de fans do Marillion. Ali já dava prá reconhecer ingleses

na maioria, holandeses, argentinos, entre outros.

Check-in feito, subo para ver o quarto e acreditem, era bem "Rock and Roll", mas, o

mais importante, o hotel ficava a 15 minutos a pé de onde aconteceriam os shows e

além do mais, não pretendia passar muito tempo dentro do quarto.

No saguão do hotel encontro o meu, àquela altura, conhecido do facebook Jorge e

sua simpática esposa Gabriela, ambos de Buenos Aires. Apesar da eterna richa Brasil

e Argentina, a empatia foi quase instantânea. Conversamos um pouco sobre as nossas

vidas e sobre o Marillion, claro, e rumamos todos juntos para o Civic-Hall.

Logo na entrada, meu coração já batia forte. Pulseira laranja na mão e a 1.a coisa a ser

feita, ainda no Hall, foi encomendar o DVD que seria gravado naquela noite.

Entramos no Civic-Hall ainda quase vazio e

começamos a confraternizar com os outros

fãs, a expectativa de todos era enorme,

principalmente daqueles q como nós, nunca

haviam participado de um Marillion Weekend.

Mas havia fãs que estavam completando a

tríplice coroa, ou seja, haviam ido aos três

Marillion Weekend e exibiam orgulhosos, as

três pulseiras ainda no pulso. Incrível !!!!

Depois de alguns minutos, abri a minha

bandeira do Brasil, que não largaria mais até

o Domingo. Quem já esteve em qualquer

evento fora do Brasil, sabe como a nossa bandeira

chama a atenção e aproxima as pessoas. E ela,

mais uma vez mostraria sua força nestes três dias.

Quebra de recorde do Guinness, saudação do H

para o Brasil e imortalizada no DVD, brinde para o

Fish, Brave completo debaixo de uma verdadeira

ovação dos fans, o incrível filme de Donald Campbell

21


em "Out of This World", H cantando as músicas

da era Fish como nunca havia visto antes, a

confraternização dos fans, a chuva de papel em

"The Sky Above The Rain", a escalada de H em

"Garden Party" e os fans em verdadeiro estado de

êxtase completo dançando "Hocus Pocos" ao final

do terceiro dia. Meu Deus......

Me faltariam palavras para descrever em detalhes,

o que foram estes três dias de shows e tambem

nunca conseguiria transcrever para o papel tudo o

que senti, mas creio que voces vão sentir um pouco

da minha emoção ao ver as fotos e ao assistir o DVD

"Clocks already ticking" ou os vídeos que estão disponíveis

no YouTube..

Um abraço a todos os fans do Marillion Brasil.

E do Brasil.

Ricardo”

Uma “palavrinha” do Marillion Brasil:

marillion Weekend - UK

“Não temos como não nos emocionarmos ao ouvir relatos como o do Ricardo.

A experiência vivida em um Marillion Weekend é realmente INESQUECÍVEL.

Mas temos que agradecer muito a uma pessoa muito especial para o Ricardo

e que se tornou muito especial para o Marillion Brasil: sua esposa DÉBORA

Muito, mas Muito Obrigado mesmo por fazer o Ricardo voltar a ser “criança”

outra vez. Um Grande Abraço e um Grande Beijo do Brasil.

E aqui, a Família do Ricardo.

22


6.a feira (Friday Night)

- abertura com Aziz Ibrahim, ex-guitarrista

do Stone Roses, tocou com Simply Red,

Asia, a banda de Mr. H e, mais recente,

com a banda de Steven Wilson. Está

lançando um novo álbum chamado

‘Rusholme Rock'. Para mais informações,

visitem www.aziz.co.uk

- a noite da execução do álbum Radiation, na íntegra.

Sábado (Saturday Night)

- show do Edison´s Children - projeto solo

do Pete Trewavas e do Eric Blackwood.

- abertura com a Banda Relish da Irlanda do

Norte. Mais informações visitem

http://www.relishmusic.com/

- a noite da execução do álbum Brave na íntegra.

Domingo (Sunday Night)

- abertura com show da TOUCHSTONE.

Esta banda é pouco conhecida por aqui.

Seu 1.0 álbum contou com com John Mitchell

(Kino, ItBites, Arena...) na mixagem e Tim Duran

(Motorhead, Marilyn Manson,...) masterizando

este álbum. Seu 2.0 álbum contou com a presença

do ganhador do Oscar Jeremy Irons narrando a

introdução. Eles tem feito a abertura de shows de

bandas como It Bites, Arena, Von Hertzen e Magenta,

dentre outros.

Mais informações: http://www.touchstonemusic.co.uk/

marillion Weekend - UK

23


comunidade Marillion América do Sul

Após a turnê do Marillion pelo Brasil e América do Sul, além do México, alguns países

da América do Sul criaram Grupos no Facebook visando a unificação e centralização

fans. O Fã-clube Marillion Brasil, após contatos com os organizadores locais, sugeriu

que esses Grupos se unissem em um único objetivo: trazer o Marillion com maior

frequência e que fossem adotados alguns padrões que facilitassem a identificação

dos Fã-clubes. Foi criada então, a Comunidade Marillion América do Sul (ou Comunidad

Marillion Sudamérica para os países de língua hispânica).

Um dos primeiros padrões adotados foi a criação de Páginas no Facebook, para uma

maior divulgação entre os fans. Juan Miguel A. Achalandabaso, da Venezuela, ficou

encarregado da criação das logomarcas a serem utilizadas por todos. Ficou definido

seguir a linha adotada pelo Marillion Brasil - o nome da banda seguido do nome do

País - por ser o fã-clube mais antigo e com uma identidade já formada e bastante

conhecida no Facebook e na Internet.

Um dos maiores objetivos dessa união é sensibilizar a banda a fazer um Weekend na

América do Sul, independente de qual País seja escolhido. É muito mais viável, mais

rápido para se deslocar de um País para outro dentro da América do Sul , além de ser

muito mais barato do que ir para a Europa. Abaixo, as Comunidades criadas e seus links

no Facebook. Visitem as Páginas, cliquem em CURTIR (ME GUSTA) e ajudem-nos a

continuar divulgando a música do Marillion no Brasil e na América do Sul..

Marillion Argentina Marillion Brasil Marillion Chile

Marillion México Marillion Panamá Marillion Venezuela

https://www.facebook.com/MarillionArgentina?fref=ts

https://www.facebook.com/MarillionBrasilFanClub?fref=ts

https://www.facebook.com/pages/Marillion-Chile/487281864653470?fref=ts

https://www.facebook.com/MarillionEnMexico2012?fref=ts

https://www.facebook.com/MarillionPanama?fref=ts

https://www.facebook.com/MarillionVenezuela?fref=ts

24


discografia Oficial (e Bootlegs)

"Script For A Jester´s Tear" é o álbum de estréia da banda Marillion. Foi lançado em 14

de Março de 1983. As faixas “He Knows You Know” e “Garden Party” também foram

lançados como Singles e tornaram-se “Top 40 Hits” no Reino Unido. É considerado,

ainda hoje, como um dos melhores discos da banda, apesar de alguns problemas de

produção. É muito nítida a influência de bandas como Genesis, Pink Floyd e Camel,

dentre outras, e os temas explorados por Fish - guerra, amor, elitismo, drogas, fama -

recobrem-se, simultâneamente de sarcasmo e lirismo.

É um álbum introspectivo no qual Fish expõe seus sentimentos sobre a rejeição - as

faixas 1,3 deixam bem claro isso, além de suas críticas sobre problemas sociais - nas

faixas 2,4,5. A última faixa expõe um grande problema vivido por ingleses e irlandeses.

Foi lançado em vinyl (LP), CD e Picture Disc.

Em 1997 foi lançada a versão remasterizada.

Detalhe do Vinil Picture Disc-Frente

CD Picture Disc-V e r s o

Pequena resenha das músicas:

Capa e Contra-Capa LP

Versão Remasterizada- 2 CDs

CD Remasterizado

01. Script for a Jester's Tear (8:42)

É uma canção liricamente melancólica e romântica. Fish conta sobre suas tentativas de

conquistar um amor não correspondido. Toda sua encenação para dizer que a ama foi

em vão, e agora o jogo terminou. No final Fish pergunta abertamente se a sua amada

ainda o ama.

25


discografia Oficial (e Bootlegs)

02. He Knows You Know (5:23)

Essa faixa fala sobre drogas. Fish conta a história de um jovem que é apresentado ao

mundo das drogas pelo amigo experiente. No final, o jovem liga para o pai que apenas

responde: "Não me traga mais problemas!" e desliga o telefone.

03. The Web (8:52)

Essa canção é sobre superar o passado e seguir em frente. Fish conta que está sempre

se desculpando pelos acontecimentos durante seu relacionamento. Cada vez que ele

se vê preso ao doloroso passado é como se ele estivesse preso a uma teia. No final,

embora um pedaço dela ainda esteja em seu coração, Fish toma a decisão de deixa-la,

desfazendo a teia.

04. Garden Party (7:19)

Essa é uma crítica ao elitismo, o jeito com o qual a elite se acha superior às outras

pessoas. Fish descreve uma festa de ricos onde pessoas ambiciosas puxam o saco dos

mais poderosos, os filhos rebeldes reveem seus pais, andorinhas são torturadas pelo

som de Strauss nos violinos, comentam que o rugby é o esporte para os melhores e dai

por diante.

05. Chelsea Monday (8:17)

É uma música sobre a tentativa frustrada de mulheres conquistarem fama a todo custo.

Fish descreve uma mulher aprendiz-de-sedutora que vive em seu mundo de vaidade

em busca da fama. O cenário é Chelsea, distrito de Londres que nos anos 60 foi o

centro do mundo fashion. Fish ironicamente pede paciência a ela, pois talvez um dia as

pessoas sejam atraídas pelo seu charme e seu sorriso. No entanto, por enquanto é

apenas mais uma segunda-feira em Chelsea.

06. Forgotten Sons (8:23)

No álbum ao vivo "Real to Reel", antes de executar "Forgotten Sons", Fish diz: "This is

dedicated to all those who fell on a pavement outside Harrods last Christmas" (Essa é

dedicada a todos aqueles que cairam na calçada fora do Harrods no último natal). Fish

refere-se a um atentado do IRA no qual uma bomba foi atirada em frente a loja Harrods

situada em Londres deixando 6 mortos e ferindo vários outros em 17 de dezembro de

1983.

"Forgotten Sons" expõe a atuação do IRA (Exército Republicano Irlandês), colocando em

xeque a negligência das autoridades e familiares para com os jovens que integram esse

grupo terrorista.

Fish descreve a rotina dos garotos do IRA. Ao dizer que as feridas resultantes do

terrorismo ardem profundamente, o instrumental é interrompido pelos riffs na guitarra

de Rothery para Fish contar um pouco sobre a negligência dos pais desses meninos. A

mãe fica em cima do muro e de lá observa tudo sem comentar e o pai abre outra

cerveja e senta em sua cadeira pouco se importando.

Após solos de teclado e guitarra, Fish descreve a visão dos guardas que cumprem

ordens vindas de políticos que pouco se interessam em saber quem na realidade são

26


discografia Oficial (e Bootlegs)

os terroristas. A morte se aproxima desses meninos quando entra a parte final num

instrumental melancólico no qual Fish conclui que essas crianças são lembradas apenas

quando saem em capas de jornais de uma segunda-feira.

Integrantes:

Fish - Vocal

Steve Rothery - Guitarra

Mark Kelly - Teclado

Pete Trewavas - Baixo

Mick Pointer - Bateria

BOOTLEGS

Nesta edição, iniciamos a seção Bootlegs. Ela é mais voltada para colecionadores (ou

para futuros colecionadores). Esperamos que ela seja útil e que ajude os fans como

material de pesquisa para suas coleções. Não seguiremos aqui uma ordem específica,

tal como data de lançamento, por ex...

O álbum escolhido para a estréia da seção foi FORGOTTEN SONGS Early Demos 80-82.

É um vinil com 43:16 min de duração lançado pela Brother Records (MAR 002). Não há

informação precisa sobre a correta data de lançamento. Foram lançadas várias versões

de capas:

a) Deluxe Vermelho / Preto

b) Deluxe Vermelho / Amarelo

c) Deluxe Marron (Vinil Branco Multi-colorido)

A prensagem original do vinil foi na cor Azul. Depois foram feitas as versões com as

cores Preta, Multi-colorido transparente, Vermelho, Multi-colorido com fundo branco,

Amarelo e Multi-colorido com fundo amarelo.

É uma edição bem rara e muito disputada por colecionadores. Posteriormente, foi

relançado com o título "Second Service".

As músicas deste álbum foram gravadas dos seguintes shows e estúdios:

a) 06-Jun-1980 "Summer Demo", The Enid's Studios, Hertford, UK (demo)

b) ??-Nov-1981 Village Hall, Aston Clinton, UK (platéia)

c) 18/19-Jul-81 Roxon Studios, Watlington, Oxfordshire, UK (demo)

Músicas do álbum:

Lado A: Lado B:

1. Close 09:40 a) 1. Institution Walz 03:59 b)

2. Lady Fantasy 06:37 a) 2. I Know What I Like (In Your Wardrobe) 06:48 b)

3. Alice 05:50 a) 3. He Knows, You Know 03:24 c)

4. Garden Party 06:35 c)

27


discografia Oficial (e Bootlegs)

Capa Vermelha e Preta Capa Verde e Preta Capa Vermelha e Preta

Vinil Preto Vinil Preto Vinil Vermelho Transparente

Capa Vermelha e Preta

Vinil Branco Multi-colorido

Este LP foi posteriormente relançado com o título “Second Service” pelo selo

The Amazing Kornyphone Rebirth Label (TALRL 2166) em vinil Preto com uma

tiragem de 100 cópias. Item extremamente raro e muito difícil de encontrar.

28


espaço do fã: Luciano Pacheco

Deixa eu explicar rapidamente (se é que isso é possível) como me tornei fã da banda

Marillion. Em 1998, lembro ter visto a capa do álbum Misplaced Childhood, e ter me

chamado bastante a atenção. No mesmo ano, ouvia Kayleigh na rádio e queria saber

qual banda era aquela. Pronto, já sabia que era o Marillion. Mas foi a partir de 1991,

através dos discos do meu ex-cunhado, que conheci além do Misplaced, o Fugazi, o

Real to Reel e o Seasons End. Senti desde o início, que aquele era o som que fazia

diferença para mim.

Infelizmente, não cheguei há tempo de vê-los no Hollywood Rock e nem em 1992

(a Internet fazia falta mesmo). Queria saber mais sobre a banda, o que estava por

traz daquelas letras enigmáticas, se a mensagem era a mesma que eu sentia prá mim.

Foi difícil me tornar membro da The Web UK, o Fã-clube Oficial da banda - um amigo

do amigo do amigo que vivia nos Estados Unidos enviou o pagamento da subscrição

do banco dele para a Inglaterra - algo surreal para os dias de hoje.

Mas, valeu a pena pois foi a melhor forma de me manter conectado com o mundo

Marillion, através das fanzines que eles enviam aos assinantes. Além das informações

da The Web-UK , ia diariámente as bancas de revistas na minha cidade, em Minas,

ver se tinha algum artigo sobre a banda ou se encontrava algum fã ou grupo que

também curtisse a banda.

Para mim, ser fã do Marillion foi sempre uma tarefa muito solitária... todo mundo que

curtia Rock conhecia a banda. Mas, só isso... ninguém era Fã.

Até que um dia, em 1997, vi um anúncio numa revista que um cara em São Paulo

queria fazer um fã-clube da banda, coincidindo com a vinda da banda ao Brasil.

Acabei me correspondendo com ele, ficando em sua casa em S.Paulo e assistindo os

2 Shows que o Marillion fez na cidade. Fui também aos shows do Rio de Janeiro e de

Belo Horizonte. Foi a realização de um sonho.

Mas faltava participar de um Weekend, que conhecia através da The Web-UK. Entre

1997 e 2012, muitas mudanças aconteceram na minha vida, mas a paixão que sentia

pela banda nunca mudou.

“Thanks God for the Facebook!” Em 2012 conheci muitos outros fãs e o Marillion Brasil.

Fomos aos shows de S.Paulo e Rio de Janeiro. Conheci muitas pessoas nas filas dos

Shows também. Foi a partir dessa motivação que decidi ir finalmente ao Weekend tão

sonhado.

E, depois de ter ido e vivenciado essa experiência, a pergunta que fica é a segunte:

“Por que não fui antes?” . Você que é Fã do Marillion, por favor, se dê esse presente.

Comece desde já a se programar. Esse é, sem dúvida, um evento imperdível e que

vale a pena o investimento. Estar num Weekend é a celebração máxima não só de

ver por 3 intensos dias a sua banda preferida, mas sobretudo de estar com pessoas

que têm a mesma vibração e que se tornarão seus amigos para o resto de suas vidas.

Estar num Weekend é ter a oportunidade de ver um Steve Hogarth andando de bike

em frente da sua “casa” e, ao final do show, vê-lo chorar de felicidade por ter feito uma

multidão de fãs felizes, fazendo aquilo que ele mais sabe: Cantar. Fiz minha inscrição

achando que seria o único brasileiro no evento. Que nada... tem mais brasileiro louco

do que você pensa! Recebi um e-mail da Stephanie Bradley perguntando se eu não

me importava em ficar com um grupo de brasileiros, que por sua vez, estavam num

grupo de portugueses. Agradeci e ela ainda me disse que essa era a melhor parte do

29


espaço do fã: Luciano Pacheco

serviço dela. Pessoal, é inacreditável o envolvimento de todos com o Marillion. É uma

Família, realmente. Outra coisa: se você não fala Inglês ou outra língua, não tem

problema. Existe uma língua Universal e esse não será um empecilho para você

deixar de ir. Leve uma cachaça, faça caipirinha - ou a leve para a fila antes do show -

você fará muitos amigos.

Afinal, “Everybody in the whole of the world feels the same inside” .

Com Silvio Rodrigues, no Marillion

Weekend 2013 em Center Parcs,

Port Zelande, Holanda.

Com Lucy Jordache e Stephanie

Bradley (organizadoras do

Weekend) em Port Zelande,

Holanda.

Ganhando um autógrafo de Steven Rothery,

durante a passagem de som (Soundcheck)

no Vivo Rio.

30

No meio da multidão, com a bandeira do

Brasil no pescoço, aguardando o show

começar. Em Port Zelande, Holanda.

Marillion Weekend 2013.

More magazines by this user
Similar magazines