Cá estou de volta no filme 'De ida para o passado* - cpvsp.org.br

cpvsp.org.br

Cá estou de volta no filme 'De ida para o passado* - cpvsp.org.br

os, seringueiras e muitas outras essên-<br />

cias de potencialidade extrativista presente<br />

e futura.<br />

O desenvolvimento dessas florestas,<br />

com fmteiras nativas, pode garantir uma<br />

produção em média de meia tonelada de<br />

alimentos por hectare ao ano, doze metros<br />

cúbicos de madeira de lei, além de diver-<br />

sas outras essências de valor econômico.<br />

Essas áreas ocupadas com pastagens<br />

produzem, após o terceiro ano, menos de<br />

cem quilos de carne por hectare ao ano, o<br />

que as toma antieconômicas.<br />

Greves<br />

GE-CAMPINAS<br />

Os trabalhadores da General Eletric<br />

de Campinas, SP suspenderam a greve<br />

dia 23 de outubro, depois de 26 dias<br />

parados. O Sindicato dos Metalúrgi-<br />

cos tenta negociar a readmissão de 56<br />

metalúrgicos, o pagamento dos dias<br />

parados e maior liberdade de organi-<br />

zação sindical. Os patrões endurece-<br />

ram, não querem atender as reivindi-<br />

cações e não reconhecem a perda sala-<br />

rial de 144,61%. A empresa concedeu<br />

só 15% em setembro, 15% em outubro<br />

e 10% em novembro e, mesmo assim,<br />

a título de "antecipação salarial".<br />

GM-SP<br />

Após dois dias de greve, os 7 mil<br />

metalúrgicos da General Motors de<br />

São Caetano do Sul, SP, decidiram<br />

retomar ao trabalho no dia 19 último.<br />

Os trabalhadores reivindicavam 33% e<br />

conquistaram apenas 25% sobre os<br />

salários de setembro, 15 dias de férias<br />

para os metalúrgicos que permanece-<br />

ram 34 dias em licença remunerada<br />

em abril e maio e calendário para dis-<br />

cussão dos estatutos da comissão de<br />

brica.<br />

METALÚRGICOS DO RIO<br />

Até o fechamento deste n- da<br />

Quinzena, dia 26.10, os metalúrgicos<br />

do Rio continuavam em greve, com-<br />

pletando 14 dias de paralisação. Des-<br />

de o início da greve, houve paralisa-<br />

ções da Via Dutra e manifestações na<br />

Av. Brasil, com enfrentamento da po-<br />

luía que, inclusive, baleou três operá-<br />

rios na fábrica QRPRESS de compo-<br />

Os povos da floresta, seringueiros,<br />

castanheiros, agricultores das vazantes e<br />

índios, não só vivem como também lutam<br />

em defesa da natureza, sabendo que dela<br />

dependem para viver.<br />

Quem possibilitou a abertura da BR-364<br />

e de Rondônia aos incendtòrios foram os<br />

próprios agentes financeiros internacionais<br />

e a classe política dirigente, interessada na<br />

pilhagem da madeira, minérios e na latífun-<br />

dizaçáo da região.<br />

O desmatamento irracional é arma po-<br />

derosa contra o homem libertário, que tem<br />

nentes eletrônicos. Os metalúrgicos<br />

reivindicam 247% de reposição sala-<br />

rial e a categoria já rejeitou a proposta<br />

da FDUAN de 136%.<br />

PORTUÁRIOS DE SANTOS-SP<br />

Os 9000 portuários, em greve des-<br />

de o dia 8 de outubro, autorizaram o<br />

secretário nacional de transportes<br />

Henrique Amorim a encaminhar ao<br />

Ministério da Economia a proposta de<br />

incorporação gradual e mensal de Cr$<br />

20,000 já oferecidos. Os patrões só<br />

aceitam a incorporação após janeiro.<br />

BRAHMA E ANTARCTICA<br />

Os funcionários da Brahma aceita-<br />

ram a proposta de reajuste salarial<br />

apresentada pela empresa no dia 26 de<br />

outubro e voltaram ao trabalho dia 29<br />

último. Os trabalhadores conquistaram<br />

reajustes que variam de 80% a 45%,<br />

de acordo com a faixa salarial. O piso<br />

salarial passa para Cr$ 25 mil.<br />

Além do reajuste, a Brahma criou<br />

uma política salarial própria que prevê<br />

reajustes trimestrais de 80% do índice<br />

de Preço ao Consumidor (IPC), acu-<br />

mulado no trimestre. O primeiro rea-<br />

juste será feito em janeiro do próximo<br />

ano.<br />

Já os funcionários da Antarctica<br />

continuam rejeitando a proposta da<br />

empresa e mantêm a paralisação ini-<br />

ciada em 22 de outubro. A última<br />

proposta da Antarctica é reajuste de<br />

52% e reposição trimestral de 80% da<br />

variação do IPC, acrescentando um<br />

abono de Cr$ 3 mil, que saia pago<br />

em novembro.<br />

ELETKICITÁRIOS DO RIO<br />

Os 600 funcionários da CERJ en-<br />

traram em greve dia 22 de outubro por<br />

360% de reajuste sobre os salários de<br />

março. Até o dia 23 último, os patrões<br />

mantinham contraproposta de 60% em<br />

no extrativismo a saída para fugir das rela-<br />

ções escravagistas do trabalho na cidade<br />

e nas fazendas.<br />

Cabe ao povo através de suas organi-<br />

zações populares, informar-se para exer-<br />

cer bem o direito de voto, a fim de escolher<br />

seus representantes poUücos e com eles<br />

participar da orientação do desenvolvi-<br />

mento do país, com responsabüdade eco-<br />

lógica e justiça social<br />

CVaêdo França) é anganhato agrônomo e<br />

fundador da Eacoia Urra da Agricultura Eco-<br />

lógica (ELAE).<br />

outubro, 17% em novembro e 4% de<br />

produtividade, e os trabalhadores, por<br />

sua vez, mantêm a greve.<br />

MOTORISTAS<br />

DE PORTO ALEGRE<br />

Durou três dias a greve dos 10 mü<br />

motoristas e cobradores daquela capi-<br />

tal, que reivindicavam 84% de rea-<br />

juste salarial. Oiívio Dutra, prefeito<br />

(PT), disse ter suspeitas de que a pa-<br />

ralisação tenha sido planejada pelas<br />

próprias empresas que queriam o au-<br />

mento das passagens.<br />

MOTORISTAS DE BH<br />

Os motoristas de Belo Horizonte<br />

terminaram a greve dia 11 de outubro<br />

conquistando antecipação de 26%,<br />

embora a categoria reivindicasse 78%<br />

Os salários da categoria passaram a<br />

ser os seguintes: Motoristas Cr$<br />

34.200 mil, despachantes Cr$ 21.818<br />

mil, fiscal Ci$ 18.473 mil e trocador<br />

Cr$ 15.272 mü.<br />

BANCO CENTRAL<br />

Em 22 de outubro os funcionários<br />

do Banco Central em Brasília decidi-<br />

ram rejeitar a proposta de 15% apre-<br />

sentada pelo ministro do TST e conti-<br />

nuam em greve. Os trabalhadores rei-<br />

vindicam 80% e querem ser reconhe-<br />

cidos como bancários e não como<br />

funcionários públicos.<br />

OPERÁRIOS DA OAS<br />

Os operários da OAS localizada em<br />

Salvador, BA, deflagraram uma greve<br />

por tempo indeterminado dia 24 de<br />

outubro, nos canteiros de obra da em-<br />

presa que detém quase 50% dos em-<br />

preendimentos imobiliários em Salva-<br />

dor. As reivindicações são: o cumpri-<br />

mento do acordo de janeiro mais o<br />

dissídio de março, fim das demissões<br />

em massa e do desconto dos 13 dias<br />

parados durante a greve da categoria<br />

em agosto último.