Jornal Sapiencia Internet ESPECIAL ARTIGOS_Layout 1.qxd

fapepi.pi.gov.br

Jornal Sapiencia Internet ESPECIAL ARTIGOS_Layout 1.qxd

TERESINA-PI, SETEMBRO DE 2010

ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS REOLÓGICAS DO MESOCARPO DO BABAÇU

INTRODUÇÃO

O Brasil possui a maior biodiversidade do mundo, estimada

em cerca de 20% do número total de espécies do

planeta. Na floresta de mata seca da Amazônia oriental,

principalmente no Maranhão, destacam-se os babaçuais

ou cocais de Orbignya spp, que é uma das palmeiras brasileiras

mais importantes. Estima-se que potencial produtivo

dos babaçuais esteja em 15 milhões t/ano, sendo

realmente aproveitados somente 30% do estimado, com

grande importância econômica regional. O mesocarpo da

fruta é rico em carboidratos e sais minerais e possui atividades

anti-inflamatórias. Um bom potencial é demonstrado

na área alimentícia, com a utilização do mesocarpo

do babaçu como farinha de baixo teor calórico, podendo

se tornar uma alternativa para dietas de emagrecimento e

uma alimentação saudável. O fruto do babaçu tem

potencial em indústria de cosméticos, obtenção de

óleo comestível, margarinas, saboarias, velas, carvão,

etanol, furfural, ácido acético, metanol, alcatrão,

celulose, papel e álcool anidro; em escala

industrial, principalmente o carvão e o óleo têm

sido produzidos, porém seu potencial para o setor

alimentício, com o pó do mesocarpo do fruto, vem

crescendo rapidamente.

Durante a produção industrial de pós, a avaliação

da distribuição de tamanho das partículas é bastante

importante, já que afeta vários processos e parâmetros,

como compressão, mistura, fluxo das partículas,

etc. As propriedades de fluxo do material também influenciam

operações industriais envolvidas no processamento

do produto.

Com base no exposto acima, ressaltando seu uso

popular, sua importância regional e seu crescente

uso na indústria alimentícia, o presente trabalho visa

avaliar as características reológicas granulométricas

do pó do mesocarpo de babaçu, fornecendo dados

importantes para seu processamento industrial.

METODOLOGIA

Foram analisadas três amostras coletadas em diferentes

regiões do Nordeste com o fruto no estado

maduro. A amostra 1 foi coletada em Caxias , no Estado

do Maranhão, a Amostra 2, em Parnarama, também

no Estado do Maranhão e a terceira amostra, em

União, no Estado do Piauí. Analisou-se também o granulado

preparado a partir do pó do mesocarpo do babaçu.

A determinação da granulometria dos pós foi

realizada segundo a metodologia proposta pela Farmacopeia

Brasileira (4ª ed.). A determinação do índice de

compressibilidade e proporção de Hausner seguiu os critérios

descritos pela farmacopeia americana (United States

Pharmacopeia, 2006). A determinação do ângulo de

repouso estático foi realizada conforme método proposto

por Prista et al. (1991) e Staniforth (2005), baseado na

altura fixa do funil. Para obtenção das velocidades de escoamento

do pó avaliado, utilizou-se o mesmo aparato

utilizado para a determinação do ângulo de repouso e,

com o auxílio de um cronômetro, determinou-se o tempo

necessário para o total escoamento do material através do

funil (Farmacopéia Portuguesa, 2002).

RESULTADOS E DISCUSSÃO

A análise granulométrica das amostras aponta para

uma distribuição com boa uniformidade das partículas nas

amostras 1 e 4 (granulado). A presença de partículas grandes

e pequenas, segundo Prista, pode melhorar as características

de escoamento. (Ver Tabela 01 e Gráfico 01).

Uma propriedade intrínseca dos pós é a resistência

ao movimento relativo das suas partículas quando submetidos

a forças externas. O ângulo de repouso de um

pó é uma das manifestações desta propriedade e o seu

conhecimento tem contribuído para avaliar a dificuldade

apresentada pelos pós para fluírem livremente através

de um orifício para uma superfície livre. Considera-se

GRANULOMETRIA (%) ÂNGULO DE REPOUSO (°)

N°.20 N°.40 N°.60 N°.80 N°.120 Resíduo

Amostra 1 0,49 28,03 22,15 16,32 11,41 21,6 27,166° ∞

Amostra 2 0,00 1,80 10,49 11,60 8,62 67,49 29,245° ∞

Amostra 3 0,09 1,06 15,14 20,08 18,26 45,37 26,587 ∞

Amostra 4 9,48 64,38 22,89 2,71 0,36 0,18 32,76° ∞

com boas propriedades de escoamento um pó com um

ângulo estático de repouso inferior ou igual a 30°. Ângulos

de repouso superiores a 40° sugerem difícil fluxo

dos pós ou granulados. Como pode ser verificado na tabela

01 apenas a amostra 4 apresenta um ângulo de repouso

um pouco acima de 30°, ainda estando dentro dos

limites, o que sugere um bom escoamento. Entretanto,

o tempo de escoamento não pôde ser mensurado, pois

tendia ao infinito.

O método de granulação de pós que possuem escoamento

ruim tem sido bastante utilizado pela indústria visando

obter componentes com melhores características

reológicas. A avaliação das características reológicas das

quatro amostras utilizadas neste estudo demonstrou um

melhoramento do escoamento de pó de mesocarpo do babaçu

com a granulação.

Lívio César C. Nunes – Prof. Dr. da UFPI

liviocesar@hotmail.com

Waleska Ferreira de Albuquerque – Profa. Msc. da UFPI

–waleska@ufpi.edu.br

André Igor O. Prado – Acadêmico de Farmácia da UFPI

carbonyc@gmail.com

Marxwell Arruda da Rocha Lima – Acadêmico de

Farmácia da UFPI

marxwell18@hotmail.com

Kamila Maria de H. Sousa – Acadêmica de

Farmácia da UFPI

kmila.holanda@gmail.com

TEMPO DE ESCOAMENTO (S)

FONTE: Laboratório de Tecnologia Farmacêutica, PIBIC e PIBITI, 2010.1.

CONCLUSÃO

Com base nos estudos e testes realizados verificouse

que o mesocarpo de babaçu apresenta uma grande

aceitabilidade de sua utilização como produto alimentício,

não apresentando grandes dificuldades no seu

processamento, por apresentar características reológicas

adequadas, principalmente quando se encontra na

forma de granulado.

7

More magazines by this user
Similar magazines