Eleições Petros 2013 - SindiPetro..

sindipetropepb.com.br

Eleições Petros 2013 - SindiPetro..

Eleições Petros 2013

Vote nos candidatos apoiados pela FUP e Sindicatos

14

Conselho Deliberativo

22

Conselho Fiscal

ABILIO TOZINI (TITULAR)

Analista de Sistemas Pleno da TIC/TIC-CORP, com 28 anos de Petrobrás. Foi diretor do

Sindipetro-RJ por seis mandatos, onde atuou como tesoureiro na gestão 1994/1996,

quando equalizou as finanças do Sindicato. Foi diretor da AEPET e coordenou o

Movimento Nação Brasil, que impediu a reforma da Constituição do Collor. Atuou nas

Secretarias de Finanças, Administração, Formação e Saúde e Meio Ambiente. Luta

pela primeirização, combate ao assédio, ocultação de acidentes. Atualmente, é diretor

da Secretaria de Assuntos Jurídicos e Institucionais da FUP.

VICENTE PONTES (SUPLENTE)

Engenheiro de equipamentos sênior (UO-RNCE). Entrou na Petrobrás em 1978.

Trabalhou até 1990 na UO-SEAL. Formado na UFBA, com especialização em Engenharia

de Manutenção e MBA em gestão de negócios pela USP. Atualmente, é Diretor da

AEPET-RN e do Sindipetro-RN. Tem vasta experiência em administração de projetos

e gerenciamento de equipes. Nos últimos anos, acumulou amplo conhecimento sobre

a Petros, principalmente nas áreas de gestão financeira e previdenciária, atuando

ativamente em defesa dos direitos dos trabalhadores, dos aposentados e pensionistas.

DEYVID BACELAR (TITULAR)

Técnico de Segurança na RLAM, ingressou na Petrobrás em 2006. É Diretor de SMS do

SINDIPETRO-BA e representante da CUT na Comissão Estadual do Benzeno na Bahia.

Graduado em Administração pela UEFS, com especializações em SMS no IFBA e em

Gestão de Pessoas na UFBA. Foi Diretor do Sindicato dos Químicos e Petroleiros da

Bahia na gestão 2008-2011. Tem larga experiência na fiscalização e auditoria da

gestão de SMS da Petrobrás e na defesa dos trabalhadores.

FERNANDO MAIA (SUPLENTE)

Técnico de Operação Sênior do Setor de Craqueamento da REFAP (RS). Ingressou na

Petrobrás em 1988. Tem 45 anos de idade e graduação em Tecnologia de Gestão

Financeira pela Universidade Luterana do Brasil. É presidente do Sindipetro-RS, onde

também já foi Diretor de Administração, Patrimônio e Finanças. Em 2011, foi eleito

representante dos trabalhadores no C.A. da REFAP S.A., onde atuou até a refinaria

voltar a ser reintegrada à Petrobrás.


Eleições Petros: vote 14 e 22

14 NO CONSELHO DELIBERATIVO E 22 NO CONSELHO FISCAL

NOSSAS PROPOSTAS E NOSSO PROGRAMA DE TRABALHO

Defender os direitos e interesses dos participantes e assistidos de todos os Planos da Petros

Alterar o Estatuto da Petros, garantir a eleição da metade da Direção da Petros e ampliar a nossa participação na gestão, conforme previsto no AOR.

Aprovar políticas de investimentos que aumentem a rentabilidade e a segurança de todos os Planos.

Fiscalizar todos os gastos da Entidade e propor medidas para a redução dos custos de administração da Petros e de todos os seus Planos.

Implantar Comitês Gestores para cada Plano, compostos por participantes e assistidos eleitos, para acompanhar a sua administração e seus investimentos

Melhorar e implantar, onde for possível, a carteira de empréstimos pessoais, aos participantes e assistidos, de acordo com o patrimônio de cada Plano.

Acompanhar, questionar e fiscalizar a política de investimento, aprovada no Conselho Deliberativo da Petros, para cada Plano.

Propor investimentos em ativos que garantam a sustentabilidade dos Planos e contribuam no crescimento da economia, com geração de emprego e renda.

Votar contra qualquer proposta de investimento em empresas que não são socialmente e ambientalmente responsáveis.

Acompanhar e fiscalizar, as demonstrações contábeis da Petros, assim como todos os atos de gestão da sua Diretoria Executiva.

Acompanhar, fiscalizar e emitir, semestralmente, Relatório sobre os Controles Internos da Petros e dos seus Planos, conforme determina a Resolução CGPC 13 e propor providências.

Manter um canal de comunicação direto para divulgar, com transparência, nossa atuação nos Conselhos e todas as informações necessárias aos participantes e assistidos

de todos os Planos.

Propor políticas de fomento e estímulo ao Sistema fechado de previdência complementar brasileiro.

Propor e cobrar a realização de campanhas e cursos de formação sobre a importância da previdência complementar no futuro do trabalhador e a modalidade e o funcionamento

dos Planos.

Lutar para resolver as várias pendências que ainda existem no Plano Petros e buscar a sua melhoria

Buscar a ampliação das conquistas do Acordo de Obrigações Reciprocas – AOR.

Garantir a opção individual dos participantes e assistidos repactuados e não repactuados e defender o patrimônio do Plano que é de todos.

Melhorar os benefícios dos assistidos através dos superávits do Plano.

Cobrar as outras dívidas da Petrobrás e das demais patrocinadoras e aumentar os superávits do Plano, através da Ação Civil Pública da FUP que está sendo julgada na

Justiça comum.

Cobrar a revisão e o pagamento dos benefícios dos assistidos e seus valores retroativos decorrentes das suas ações judiciais que já foram julgadas procedentes (Níveis

salarias e outras).

Exigir que a Petros inclua a Petrobras e demais patrocinadoras nas ações judiciais dos participantes e assistidos que possam causar impactos financeiros e atuarias no Plano.

Eliminar o limite de idade do grupo 78/79.

Diminuir o redutor atuarial do limite de idade, no cálculo do beneficio do grupo pós 79.

Retirar o teto de contribuição e de beneficio do grupo pós-82, com custeio específico e sem aumento de contribuição para os demais participantes.

Cobrar a abertura de novo prazo de adesão ao BPO - Benefício Proporcional Opcional do Plano.

Cobrar mudança no cálculo do BPO, para incluir, no período de apuração, as contribuições realizadas pelo participante, desde a sua adesão a repactuação.

Cobrar o recolhimento das contribuições das empresas patrocinadoras, sobre o complemento da RMNR, desde a data da sua implantação e o recálculo dos benefícios

concedidos nesse período.

Cobrar a migração dos recursos dos participantes que se desligaram do Plano, mas não se desligaram das empresas patrocinadoras, para o Plano Petros 2.

Buscar a melhoria dos benefícios dos anistiados, que se desligaram do Plano devido a extinção de alguma das suas empresas patrocinadoras e que ingressaram no Plano Petros 2.

Buscar o direito do anistiado que já voltou aposentado a ter o serviço passado que os demais tiveram.

Buscar forma de resgatar a parte empresa que os anistiados deixaram em seu plano que tinham quando suas empresas foram extintas.

Aumentar a abrangência e cobertura previdenciária do Plano Petros 2 e propor melhorias nos seus benefícios

Incluir todos os trabalhadores das empresas do Sistema Petrobrás no Plano (Usinas Termelétricas, Liquigás, e outras).

Aumentar o valor do teto de benefício de risco do Plano.

Melhorar o Simulador do Plano, para facilitar a consulta do participante, em relação ao cálculo do seu benefício futuro, o valor da sua contribuição, e outras informações relevantes.

Aprimorar a administração dos outros Planos da Petros e difundir uma cultura previdenciária entre

os trabalhadores (Anaparprev, Sanasa, Unimed BH, Petros das empresas privatizadas e outros)

Estimular a adesão de novos participantes, para ampliar a previdência complementar em outras categorias.

Realizar campanhas nas empresas patrocinadoras e entidades instituidoras sobre a importância da previdência complementar para o futuro do trabalhador.

Incluir outras modalidades de benefícios, que ainda não estão previstos nos regulamentos desses Planos.

Melhorar a cobertura previdenciária desses Planos, através da alteração dos seus respectivos Regulamentos e Convênios de adesão.

Para atingir todos esses objetivos, atuaremos em conjunto com as diversas organizações dos trabalhadores:

FUP e seus Sindicatos filiados, ANAPAR, CNQ, CUT, CTB e demais Centrais, Confederações, Federações,

Sindicatos e Associações

More magazines by this user
Similar magazines