Views
4 years ago

Download do Trabalho - Fazendo Gênero

Download do Trabalho - Fazendo Gênero

Download do Trabalho - Fazendo

Fazendo Gênero 9 Diásporas, Diversidades, Deslocamentos 23 a 26 de agosto de 2010 “SE VIRA! VOCÊ NÃO É QUADRADA, É REDONDA!” NOTAS SOBRE GRAVIDEZ E SEXUALIDADE: “NÃO-DIÁLOGO” ENTRE MÉDICOS E GESTANTES? Jéssica Ferreira 1 O artigo tem como objetivo geral apresentar filiações teóricas que embasam minha discussão sobre como se dão relações entre médicos e pacientes em contexto específico e sobre tema recorrente durante a gravidez: questões acerca da sexualidade de gestantes primíparas no último trimestre de gestação. O tema surge a partir de experiência pessoal, quando ouvia e dialogava com médicos e outras gestantes sobre dúvidas relativas à sexualidade; a forma como as levavam aos médicos, respostas recebidas e comentários desses últimos entre si. A frase que dá título ao artigo foi ouvida por mim em conversa entre residente e médico-docente, após consulta de gestante queixando-se de incômodo nas relações sexuais atribuído à barriga. O residente comentava o fato de muitas pacientes fazerem esse tipo de queixas, demonstrando irritabilidade e incompreensão do por que grávidas sentirem-se assim. Disse orientá-las no sentido de que “podiam fazer tudo normalmente, pois não afetaria a criança, buscando a posição mais confortável por causa da barriga!”. Completava: “Essa última mesmo, disse a ela: se vira! Você não é quadrada, é redonda!”. O médico permaneceu calado, apenas acenando com a cabeça. Em um primeiro momento, sentia estranheza por fazerem esses comentários diante de mim. Com o passar do tempo e das consultas, percebi que me tratavam de forma diferente das demais gestantes, muito em função de minha posição social. Luna (2007, p. 117) relata situação semelhante e cita Boltanski (1979) sobre diferenças de tratamento que médicos dispensam a pacientes, de acordo com origens sociais e níveis de instrução. Na maternidade em questão, pública, situada em Salvador-BA, o perfil das pacientes é majoritariamente de mulheres negras de classes populares, com pouca escolaridade. A primeira consulta é feita com enfermeira obstétrica, surpresa ao me ver como paciente, perguntando por que meu pré-natal era feito ali. Na consulta médica, ao entrar na 1 Mestranda em Ciências Sociais. Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. E-mail: jessicafer2004@yahoo.com.br. 1

Trabalho no Mercosul - Marca do Governo Federal para download ...
A Ameaça da Ideologia de Gênero (Revista Cristã)
Download do Livro Lucilia Diniz Frente & Verso
Faça o download da revista completa - UniFil