Views
4 years ago

Pesquisas FAU 2007/2008 - fauusp

Pesquisas FAU 2007/2008 - fauusp

Coordenador(a) Título

Coordenador(a) Título da pesquisa Agência Vigência Resumo Alessandro Ventura Produção seriada e projeto arquitetônico: o exemplo da escola secundária FAPESP e CNPq 2004-2007 A pesquisa concluída contém reflexões sobre os princípios da produção modular industrial e verifica suas possíveis repercussões na arquitetura usando como tema um projeto-padrão para escolas secundárias. A forma de produção modular, que representa a face mais avançada da indústria, reproduz nos produtos seus princípios básicos que são a segmentação de componentes e a dispersão territorial. O trabalho visa a verificação da aplicabilidade desses conceitos à concepção arquitetônica. Estima-se que a compreensão dessa nova conjuntura pode contribuir para uma maior inserção profissional dos arquitetos ao oferecer uma visão do pensamento de vanguarda do setor produtivo. Neste trabalho também tratamos da aplicação ao projeto arquitetônico de conceitos operativos do desenho industrial que exigem a construção contínua e seqüencial de modelos de verificação culminando com a construção final de um protótipo. Estima-se que permita uma melhor compreensão do significado do desenho industrial e de sua importante função junto à produção. O trabalho também procura mostrar que o modo fabril fordista foi superado e que novas formas operacionais estão se difundindo rapidamente com grande vantagem social. O tema da produção modular ainda é pouco explorado mundialmente no campo da arquitetura e as referências encontradas são esparsas e pouco conclusivas. No caso brasileiro, quase nulas. As poucas referências internacionais encontradas manifestam uma preocupação mais ligada aos problemas produtivos propriamente ditos, como, por exemplo, a aplicação da robotização na construção. Poucas se referem à busca de um vocabulário para os novos conceitos construtivos, sua sintaxe e sua articulação. Embora não se possa afirmar que esse caminho aponte para um futuro inevitável e de sucesso, procura-se colocar a questão: Qual será a nova personalidade construtiva a partir dos conceitos da construção modular? Na Europa e nos EUA já existem experimentos construtivos com caráter modular. Porém, estes experimentos reproduzem geralmente uma tipologia arquitetônica, típica das construções convencionais. É assim que na Inglaterra, por exemplo, constroem-se casas compostas por quatro ou cinco módulos que, após serem completadas, torna-se difícil distingui-las das construções convencionais. A atual ausência de respostas por parte da arquitetura às novas condições produtivas estabeleceu a base de reflexão do presente trabalho. A pesquisa foi apoiada por vários Auxílios da FAPESP e do CNPq e seu relatório final encontrase depositado na Biblioteca da FAUUSP. AUXÍLIO À PESQUISA – NACIONAL – AUXÍLIO REGULAR 179

Coordenador(a) Título da pesquisa Agência Vigência Resumo Coordenador(a) Vice-coordenador(a) Título da pesquisa Agência Vigência Resumo Ana Maria de Moraes Belluzzo anabelluzzo@uol.com.br Documentos fundamentais sobre arte no Brasil - século XX FAPESP 2006 Pesquisa com múltiplos financiamentos. Ver resumo na página 41 Denise Helena Silva Duarte Marcia Peinado Alucci O impacto da vegetação nos microclimas urbanos CNPq 2007-2009 O objeto desta pesquisa é o efeito da vegetação nas condições microclimáticas urbanas. A partir de diferentes arranjos para a distribuição das áreas verdes na cidade e com o uso de espécies locais, o objetivo é quantificar a intensidade e a distribuição espacial dos efeitos microclimáticos da vegetação, principalmente as alterações de temperatura e umidade do ar e de temperatura superficial no nível do pedestre, utilizando-se modelos de balanço de energia. Atualmente, a carência de áreas verdes tem gerado mudança nos microclimas das grandes metrópoles e, em São Paulo, são evidentes as conseqüências geradas por esta redução da vegetação urbana: enchentes, aquecimento das superfícies urbanas, baixa qualidade do ar, além de aumentar o efeito de ilha de calor na cidade. Portanto, existe a necessidade de se desenvolver estudos preditivos que quantifiquem os efeitos do uso da vegetação, a fim de subsidiar as atividades de planejamento e paisagismo, levando-se em consideração os microclimas locais. A presença da vegetação influencia em dois mecanismos fundamentais para a redução da temperatura nas cidades: o sombreamento e o processo de evapotranspiração. Além de alterar a temperatura, a vegetação também influencia na direção dos ventos, na filtragem da poluição e na proteção de pisos e fachadas externas por meio do sombreamento. Nesta pesquisa, a análise dos resultados será feita utilizando-se modelos de balanço de energia, com o auxílio de ferramentas computacionais, para que possa simular os efeitos da vegetação sobre as condições microclimáticas no nível do pedestre. Um dos modelos mais promissores atualmente é o ENVI-met, um modelo tridimensional para simular as interações entre superfície-vegetação-atmosfera. Observando-se o panorama internacional das pesquisas 180 A FAU PESQUISA NOS SEUS 60 ANOS