Views
4 years ago

Pesquisas FAU 2007/2008 - fauusp

Pesquisas FAU 2007/2008 - fauusp

PROJETOS

PROJETOS PESQUISA/EXTENSÃO 239

Título do projeto Coordenador(a) Colaborador(a) Agências de fomento Parcerias Vigência Resumo Espaços de sociabilidade em franjas metropolitanas: projetos participativos junto a Comunas da Terra do MST Catharina Pinheiro Cordeiro dos Santos Lima Eugenio Fernandes Queiroga Caio Boucinhas Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) 2006 - atual Desde 2004, os professores Catharina Lima, Eugenio Queiroga (FAUUSP) e Caio Boucinhas vêm desenvolvendo experiências integradas de ensino, pesquisa e extensão referentes a projetos participativos de espaços livres de uso coletivo em assentamentos humanos situados em franjas metropolitanas. A partir de 2006, estabeleceu-se parceria com o MST para atuar, de maneira crítica e reflexiva, em processos participativos junto a assentamentos instalados nos “eixos metropolitanos” paulistas. Tais assentamentos, intitulados “Comunas da Terra”, constituemse em experiência nova do referido movimento, são áreas menores, mais densas, onde se questiona a fronteira entre o campo e a cidade; são, portanto, lugares de alto interesse para a pesquisa referente às novas territorialidades urbanas. Na Comuna D. Pedro Casaldáliga, situada no município de Cajamar, região metropolitana de São Paulo, os trabalhos visaram um plano geral da paisagem e ambiente para o assentamento. O debate envolveu alunos de graduação, assentados de todas as faixas etárias, coordenadores do MST, técnicos do INCRA e professores. Entre 2007 e 2008, realizou-se no local, com apoio da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP, um intenso processo participativo de projeto relativo ao espaço lúdico, visando o protagonismo infantil. Em 2008, as ações se voltaram, também, para o Assentamento Irmã Alberta, no município de São Paulo, envolvendo alunos de graduação e pós-graduação. Trata-se, portanto, de um articulado processo de aprendizado, onde além da troca de saberes produz-se, pelo método da pesquisa-ação, conhecimento novo e compartilhado entre os atores envolvidos. 240 A FAU PESQUISA NOS SEUS 60 ANOS

Download do Informativo - fauusp