Views
4 years ago

Pesquisas FAU 2007/2008 - fauusp

Pesquisas FAU 2007/2008 - fauusp

Nome do pesquisador(a)

Nome do pesquisador(a) Título da pesquisa Parcerias Vigência Resumo Anália MMC Amorim Ensino de estrutura para estudante de arquitetura - uma especulação projetual estrutural e construtiva Escola da Cidade 2005-2009 O ensino de Sistema Estrutural é o objeto dessa pesquisa. Este normalmente é feito através de uma pequena base conceitual e uma pesada carga de cálculo. Sabemos de antemão que não há forma sem estrutura, logo o arquiteto como propositor de formas é o responsável pela estrutura. Assim sendo, a forma e o sistema estrutural, o qual a viabiliza estaticamente e a compromete esteticamente, fazem parte da concepção do projeto. Ensinar o sistema estrutural tomando como base apenas os mecanismos de verificação que o cálculo propicia é privilegiar uma etapa que metodologicamente vem a posteriori. Exigir que o estudante conceba uma estrutura através do cálculo é paradoxal. A verificação só será possível depois que a forma, com suas respectivas determinações de material, dimensão, ritmo, modulação, esteja concebida. Para que as preocupações estruturais já estejam presentes nos primeiros croquis é necessário que o ensino desta disciplina seja baseado no estudo da concepção do sistema estrutural dos edifícios. Depois que estes ensinamentos tenham sido incorporados, o cálculo poderá vir a fazer parte do aperfeiçoamento da concepção da estrutura e da forma. O número vem depois do fenômeno proposto. Inverter este processo é acreditar que a etapa de concepção estrutural esteja sanada, o que é um engano. Mais de uma vez inquiri estudantes de arquitetura que já haviam cursado todas as disciplinas de sistemas estruturais, o que, de fato, era momento fletor e obtive o silêncio ou os enganos como resposta. Ainda assim, ele sabia me responder onde e qual o valor do momento fletor máximo de uma viga. Isto me fez concordar que o ensinamento do cálculo estrutural deverá vir depois que tivermos intimidade com a concepção do sistema estrutural que garante a existência da forma. A concepção estrutural é preocupação que deve acompanhar o estudante desde os primeiros passos. PESQUISA RELATIVA AO REGIME DE TRABALHO NA USP – SEM APOIO EXTERNO 255

Nome do pesquisador(a) Título da pesquisa Núcleo de pesquisa Vigência Resumo Produtos obtidos Nome do pesquisador(a) Título da pesquisa Laboratório Vigência Resumo Bruno Roberto Padovano ECÓPOLE OESTE / Parâmetros e diretrizes urbanísticas para a estruturação territorial da Região Oeste da Grande São Paulo NUTAU 1990-2010 Resumo A pesquisa retoma trabalho anterior realizado na década de 1990 sobre o futuro de São Paulo (São Paulo Megacidade 2000), que elaborei junto a outros pesquisadores e estudantes da FAUUSP, resultando na sua apresentação na 3ª BIA e na Conferência Internacional sobre Megacidades realizada em Hong Kong, em 2000. Pelas dinâmicas de expansão registradas nessa década, as premissas e hipóteses daquela pesquisa foram confirmadas e há a necessidade de se avançar nesse trabalho com vistas a uma sua possível aplicabilidade, com o surgimento de amplos movimentos comunitários e o apoio das prefeituras da região (Fórum da Raposo Tavares e Fórum da Castello Branco) à idéia de um sistema de transporte de massas, conforme indicado na pesquisa anterior. A pesquisa, nesse contexto, visa realizar um diagnóstico exaustivo da região, com a definição de parâmetros e diretrizes urbanísticas que possam promover a estruturação territorial para fins de permitir o desenvolvimento urbano sustentável, para uma população estimada em 6 milhões de habitantes até o ano 2050. Álbum e pranchas encaminhadas para a 3ª BIA e Conferência Internacional sobre Megacidades 2000, em Hong Kong. Eduardo Alberto Cusce Nobre Transformações no paradigma do planejamento e no processo de produção da cidade contemporânea LABHAB 2003 - atual A pesquisa busca identificar as modificações ocorridas no processo de produção e no paradigma de planejamento da cidade contemporânea, em função das transformações que vêm ocorrendo no Sistema Capitalista nos últimos trinta anos. Do ponto de vista do processo de produção da cidade, a desregulamentação da ação do grande capital, promovida pelo Estado e a sua associação com os promotores imobiliários, possibilitou a expansão de uma diversidade de grandes projetos imobiliários. Do ponto de vista do paradigma do planejamento, o desmantelamento do Estado do Bem-Estar Social e sua substituição pelo Estado Neoliberal têm ocasionado a flexibilização da política urbana e a adoção do Planejamento Urbano Estratégico, no qual as cidades são vistas única e exclusivamente como mercadorias a serem consumidas pelo mercado mundial. Essas transformações ocasionaram a implementação de uma grande quantidade de projetos urbanos e imobiliários, que vêm alterando significativamente as características morfológicas dos bairros nos quais se instalaram, ocasionando grandes impactos físico-espaciais e socioeconômicos nessas áreas. Por outro, o agravamento da crise econômica na década de 1980 e a falta de políticas sociais consistentes ocasionaram o acirramento de formas de ocupação subnormais e da segregação no território. O principal objetivo da pesquisa é analisar os impactos dessas transformações, principalmente no que tange as transformações das políticas urbanas; os impactos das mudanças econômicas na estrutura urbana; a dinâmica imobiliária e forma urbana; precarização da qualidade de vida e habitação subnormal. A pesquisa é desenvolvida de forma comparativa, sendo que a principal referência de estudo é a Região Metropolitana de São Paulo. 256 A FAU PESQUISA NOS SEUS 60 ANOS

  • Page 1:

    A FAU PESQUISA NOS SEUS 60 ANOS

  • Page 4:

    5 7 17 61 91 125 149 159 177 197 21

  • Page 8 and 9:

    (1) Criada em 1934 a Universidade d

  • Page 10 and 11:

    (8) Em maio de 1969, tiveram seus d

  • Page 12 and 13:

    (14) PEREIRA, M. e SAWAYA, S. (Orgs

  • Page 14 and 15:

    (21) No ano de 2008, a FUPAM oferec

  • Page 16:

    (22) Paulo Mendes da Rocha, profess

  • Page 20 and 21:

    NÙCLEOS, LABORATÓRIOS E GRUPOS DE

  • Page 22 and 23:

    Núcleo Ano de formação Líder(es

  • Page 24 and 25:

    Laboratório Ano de formação Líd

  • Page 26 and 27:

    Linhas de pesquisa Equipe O LABAUT

  • Page 28 and 29:

    Laboratório Ano de formação Líd

  • Page 30 and 31:

    Equipe Laboratório Ano de formaç

  • Page 32 and 33:

    Laboratório Ano de formação Líd

  • Page 34 and 35:

    Linhas de pesquisa Equipe Laborató

  • Page 36 and 37:

    Laboratório Ano de formação Líd

  • Page 38 and 39:

    Laboratório Ano de formação Líd

  • Page 40 and 41:

    Equipe Equipe INPE Laboratório Ano

  • Page 42 and 43:

    Linhas de pesquisa Equipe Grupo de

  • Page 44 and 45:

    Grupo de pesquisa Ano de formação

  • Page 46 and 47:

    Linhas de pesquisa Equipe Grupo de

  • Page 48 and 49:

    Grupo de pesquisa Ano de formação

  • Page 50 and 51:

    Financiamento Linhas de pesquisa Eq

  • Page 52 and 53:

    Linhas de pesquisa Equipe Principai

  • Page 54 and 55:

    Grupo de pesquisa Ano de formação

  • Page 56 and 57:

    Grupo de pesquisa Ano de formação

  • Page 58 and 59:

    Grupo de pesquisa Ano de formação

  • Page 60:

    Linhas de pesquisa Grupo de pesquis

  • Page 64 and 65:

    INICIAÇÃO CIENTÍFICA, INICIAÇÃ

  • Page 66 and 67:

    INICIAÇÃO CIENTÍFICA, INICIAÇÃ

  • Page 68 and 69:

    INICIAÇÃO CIENTÍFICA, INICIAÇÃ

  • Page 70 and 71:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 72 and 73:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 74 and 75:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 76 and 77:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 78 and 79:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 80 and 81:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 82 and 83:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 84 and 85:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 86 and 87:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 88 and 89:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 90:

    INICIAÇÃO CIENTÍFICA, INICIAÇÃ

  • Page 94 and 95:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 93

  • Page 96 and 97:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 95

  • Page 98 and 99:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 97

  • Page 100 and 101:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 99

  • Page 102 and 103:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 101

  • Page 104 and 105:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 103

  • Page 106 and 107:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 105

  • Page 108 and 109:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 107

  • Page 110 and 111:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 109

  • Page 112 and 113:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 111

  • Page 114 and 115:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 113

  • Page 116 and 117:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 115

  • Page 118 and 119:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 117

  • Page 120 and 121:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 119

  • Page 122 and 123:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 121

  • Page 124:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 123

  • Page 128 and 129:

    TESES DE DOUTORADO 127

  • Page 130 and 131:

    TESES DE DOUTORADO 129

  • Page 132 and 133:

    TESES DE DOUTORADO 131

  • Page 134 and 135:

    TESES DE DOUTORADO 133

  • Page 136 and 137:

    TESES DE DOUTORADO 135

  • Page 138 and 139:

    TESES DE DOUTORADO 137

  • Page 140 and 141:

    TESES DE DOUTORADO 139

  • Page 142 and 143:

    TESES DE DOUTORADO 141

  • Page 144 and 145:

    TESES DE DOUTORADO 143

  • Page 146 and 147:

    TESES DE DOUTORADO 145

  • Page 148:

    TESES DE DOUTORADO 147

  • Page 152 and 153:

    PÓS-DOUTORADO 151

  • Page 154 and 155:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 156 and 157:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 158:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 162 and 163:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 164 and 165:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 166 and 167:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 168 and 169:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 170 and 171:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 172 and 173:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 174 and 175:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 176:

    As atividades ora propostas inserem

  • Page 180 and 181:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 182 and 183:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 184 and 185:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 186 and 187:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 188 and 189:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 190 and 191:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 192 and 193:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 194 and 195:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 196:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 200 and 201:

    AUXÍLIO À PESQUISA E OU PARCERIAS

  • Page 202 and 203:

    Produtos Convênio Coordenador(a) n

  • Page 204 and 205:

    Coordenador(a) nacional Vice-coorde

  • Page 206 and 207: Coordenador(a) nacional Título da
  • Page 208 and 209: Coordenador(a) nacional Coordenador
  • Page 210 and 211: Coordenador(a) nacional Título da
  • Page 212: AUXÍLIO À PESQUISA E OU PARCERIAS
  • Page 216 and 217: Instituição Coordenador FAU Situa
  • Page 218: Instituição Coordenador(a) FAU Si
  • Page 222 and 223: AUXÍLIOS À PARTICIPAÇÃO E ORGAN
  • Page 224 and 225: AUXÍLIOS À PARTICIPAÇÃO E ORGAN
  • Page 226 and 227: Nome do pesquisador(a) Título da p
  • Page 228 and 229: Palavras-chave visando à sua prese
  • Page 230 and 231: Nome do pesquisador(a) Título da p
  • Page 232 and 233: Evento Organizador(a) Local Data Ag
  • Page 234 and 235: Evento Organizador(a) Professor con
  • Page 236: Evento Organizador(a) Local Data Ag
  • Page 240 and 241: PROJETOS PESQUISA/EXTENSÃO 239
  • Page 242 and 243: Título do projeto Coordenador(a) A
  • Page 244 and 245: instâncias de governo e superar a
  • Page 246 and 247: Título do projeto Coordenador(a) A
  • Page 248: Título do projeto Coordenador(a) A
  • Page 252: OUTRAS MODALIDADES DE APOIO À PESQ
  • Page 258 and 259: Nome do pesquisador(a) Título da p
  • Page 260 and 261: A publicação envolveu a atualiza
  • Page 262 and 263: Nome do pesquisador(a) Título da p
  • Page 264: Nome do pesquisador(a) Título da p
  • Page 268 and 269: Nome do periódico Editor-chefe Com
  • Page 270 and 271: Nome do periódico Editor-chefe Com
  • Page 272: PERIÓDICOS EDITADOS NA FAUUSP 271
  • Page 276 and 277: Serviço de apoio Professor Coorden
  • Page 278: Serviço de apoio Professor Coorden