Views
5 years ago

Migrações do passado e do presente: uma ... - Fazendo Gênero

Migrações do passado e do presente: uma ... - Fazendo Gênero

entre a vida

entre a vida do trabalho e familiar, pois há uma maior flexibilidade horária e uma melhor autonomia para atender mais comodamente as responsabilidades profissionais e familiares. O protagonismo das mulheres imigrantes empresárias também são determinantes para (re)pensar em torno à construção social do imigrante como uma categoria social. É nesse sentido que o presente texto pretende aprofundar a reflexão e os interrogantes relacionados com a presença empresarial de origem estrangeira na Espanha. Desse modo, através dos “lugares comuns” que formam as experiências comerciais e urbanas das brasileiras em ambas as cidades, a analise estará centrada no papel que joga emprendedorismo comercial/empresarial dessas migrantes na (re)construção social da categoria imigrante. Três elementos: força de trabalho, provisionalidade e problema social são analisados e contrastados com o papel que joga o empresariado imigrante na reconstrução dessas três condições e contradições que geralmente são impostas aos imigrantes na Espanha. O papel do protagonismo empresarial latino-americano na (re)construção social da categoria “imigrante” no contexto espanhol. A categoria “imigrante” geralmente identifica a um sujeito social representado e construído através de imagens que são associadas a toda uma serie de problemas sociais. A partir de distintos olhares teóricos e metodológicos, alguns autores demonstraram como, no contexto espanhol, a imigração e o imigrante foram relacionados com diversos problemas sociais. (Santamaría, 2002; Van Dijk, 1997; San Roman 1997; Stolcke, 1995). Dessa forma, as pessoas originárias do chamado Terceiro Mundo que vivem nos países “desenvolvidos” são injustamente acusadas pelas principais questões que preocupam a população. O desemprego, o aumento da insegurança, a deterioração dos serviços sociais, a escassez da moradia, entre outras temáticas que preocupam também o chamado primeiro mundo, são, muitas vezes, responsabilizadas pela “excessiva” presença dos imigrantes. Muitos são os líderes de partidos conservadores e da extrema direita que não se cansam em argumentar que os estrangeiros são os responsáveis por todas as desgraças morais e sociais. Ao acusarem de modo pragmático e

mágico aos imigrantes, “esquecem-se” de debater as principais causas da recessão econômica e do ajuste capitalista que atinge praticamente toda a economia mundial. No entanto, segundo Aramburu (2002), a presença e a visibilidade das diversas empresas e empreendimentos dos imigrantes, em plena expansão nas principais cidades espanholas, supõem uma espécie de “anomalia” para a imagem pré-concebida do imigrante e contribuem a criar heterogeneidade ao próprio modo de conceber ao “imigrante” como uma categoria social. A proliferação de iniciativas empreendedoras das migrantes residentes em Barcelona e Madri vem crescendo e se diversificando de maneira muito significativa. Apesar de que as atividades comerciais se situam, majoritariamente, no âmbito das micro-empresas, como é o caso do pequeno comercio, bares, restaurantes, agencias de viagem, serviços de limpeza, salão de beleza, locutórios, entre outros, também há uma grande variedade de atividades como ONG´s, agências de cooperação internacional, associações culturais, espaços educativos, meios de comunicação social, clínicas de saúde, entre outros empreendimentos. Todas estas diferenciadas iniciativas das imigrantes têm contribuído a debilitar a imagem do “imigrante” como uma categoria social fundada através de imagens de pobreza, marginalidade e delinqüência. Uma das primeiras incidências dessas atividades empresariais na reconstrução da categoria imigrante está relacionado com a “revitalização” do espaço geográfico onde esses comércios estão localizados. Alguns autores coincidem que a abertura de empresas de imigrantes, tanto em Madrid, como em Barcelona, se produz em um contexto de larga crise do pequeno comercio tradicional de base familiar, que foi revitalizado pela recente presença dos imigrantes. (Aramburu, 2002; Solé y Parella, 2005; Cebrian y Bodega, 2002). Da mesma forma, as zonas de Madri e Barcelona onde há mais empreendimentos de imigrantes é justamente em espaços que foram comercialmente deprimidos em décadas anteriores. Dois bairros que pertencem ao distrito central de ambas as cidades são exemplos destacados. Em Madri está o bairro de “Lavapies” e em Barcelona o “Raval”. A presença de empresas administradas por pessoas de origem estrangeira nessas áreas deu um maior dinamismo às atividades comerciais, econômicas e sociais desses bairros em que se encontrava uma alta porcentagem de degradação. Outro tópico que essas atividades comerciais permite romper é com a idéia de que o imigrante é essencialmente uma força de trabalho, em que muitas vezes é injustamente acusado de “roubar” o emprego dos chamados autóctones. Se consideramos, de acordo com Sayad (1998), que um imigrante é concebido principalmente como uma força de trabalho, já que o trabalho é que o faz

Migrações: Implicações Passadas, Presentes E - Unesp
Migrações do passado e do presente: uma ... - Fazendo Gênero
1 Migrações do passado e do presente: uma análise cruzando ...
GÊNERO E PSICOLOGIA: UM DEBATE EM ... - Fazendo Gênero
Cozinha doméstica e cozinha profissional: do ... - Fazendo Gênero
Gênero e Religião ST. 23 Erica Piovam de Ulhôa ... - Fazendo Gênero
uma análise comparativa do percentual de ... - Fazendo Gênero
ANTEPROJETO DE DOUTORADO - Fazendo Gênero 10
IDENTIDADES DE/NA FRONTEIRA - Fazendo Gênero
Download do Trabalho - Fazendo Gênero - UFSC
Gênero: multiplicidade de representações e ... - Fazendo Gênero
Download do Trabalho - Fazendo Gênero - UFSC
Gênero: multiplicidade de representações e ... - Fazendo Gênero
Gênero e Religião – ST 24 Sônia Cristina Hamid ... - Fazendo Gênero
violência de gênero eo novo sujeito do ... - Fazendo Gênero
Gênero: multiplicidade de representações e ... - Fazendo Gênero