Views
4 years ago

Imbricações de gênero e raça nas trajetórias escolares - Fazendo ...

Imbricações de gênero e raça nas trajetórias escolares - Fazendo ...

Imbricações de gênero e raça nas trajetórias escolares - Fazendo

Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a 28 de agosto de 2008 Imbricações de gênero e raça nas trajetórias escolares e acadêmicas de jovens que ingressaram pelo sistema de cotas na Universidade de Brasília Wivian Weller; Erika do Carmo L. Ferreira; Ana Paula Meira (UnB) Universidade; ações afirmativas; jovens negras. ST 57 - Políticas de Mulheres e Políticas de Gênero Notas introdutórias Políticas de ação afirmativa vêm sendo implementadas em universidades federais brasileiras desde 2004 com o intuito de reduzir as desigualdades étnico/raciais e de superar os processos de sujeição e de exploração da população negra ao longo da história. Dada a complexidade da configuração racial do Brasil, torna-se relevante refletir sobre experiências cotidianas dos/as jovens ao longo da vida e repensar as relações raciais em instituições de prestígio – vinculadas à própria produção do conhecimento – para que metas de permanência e de efetiva inclusão dos/as jovens negros/as no ensino superior sejam cumpridas. Este trabalho é parte de uma pesquisa referente à trajetória escolar e familiar de jovens que ingressaram na Universidade de Brasília pelo sistema de cotas 1 . Buscamos verificar como são constituídas as relações étnico-raciais e de gênero nos contextos sociais em que vivem; como reagem diante de práticas cotidianas de discriminação e como o ingresso na universidade por meio do sistema de cotas pode interferir no processo de auto-representação racial. A perspectiva teórica que tem embasado nossa pesquisa está centrada em autores que buscam reafirmar o caráter simbólico, transitório e inter-relacional das identidades sociais e culturais, entre outros: Stuart Hall, Homi Bhabha, Erving Goffman, Anselm Strauss, Les Back, Judith Butler e Tomaz Tadeu da Silva. Utilizamos grupos de discussão e entrevistas narrativas como principais instrumentos de coleta de dados e a base de análise é o método documentário de interpretação (cf. Bohnsack, 2004; Bohnsack/Weller, 2006; Weller, 2005 e 2006). Enfocamos no presente artigo as relações de gênero e étnico-raciais inicialmente na escola, tendo em vista que a vivência escolar como importante forma de integração social pode ser fonte de reflexão para que processos de hierarquização decorrentes de classificações pautadas nas marcas corporais de gênero e raça sejam desvelados e para que o sexismo e o racismo mostrem-se com suas sutis faces. Levamos em conta também a vivência acadêmica, com o interesse de verificar se a condição universitária e a classificação como cotista interferem na auto-representação racial e de gênero das jovens e como se dá esse processo.

Questão de gênero e raça: o desempenho ... - Fazendo Gênero
Gênero e Sexualidade nas práticas escolares ... - Fazendo Gênero
Gênero e sexualidade nas práticas escolares ... - Fazendo Gênero
1 Gênero e Sexualidade nas Práticas Escolares ... - Fazendo Gênero
Gênero e Sexualidade nas Práticas Escolares ... - Fazendo Gênero
Sexualidade, gênero, cor/raça e idade em ... - Fazendo Gênero
1 Gênero, raça/etnia e escolarização. ST 23 Ana ... - Fazendo Gênero
Gênero e sexualidade nas práticas escolares. ST ... - Fazendo Gênero
Gênero e sexualidade nas práticas escolares ST ... - Fazendo Gênero
1 Gênero e sexualidade nas práticas escolares - Fazendo Gênero ...
MULHER SURDA: LUTAS E TRAJETÓRIA - Fazendo Gênero
História, gênero e trajetórias biográficas – ST 42 - Fazendo Gênero ...
homossexualidade: qual a sua visibilidade na ... - Fazendo Gênero
Construindo uma nova masculinidade: - Fazendo Gênero 10 - UFSC
Preconceito de Gêneros na Tecnociência ... - Fazendo Gênero
TRAJETÓRIAS ESCOLARES FEMININAS NA EDUCAÇÃO DE ...
Sexualidade, conflitos de gênero e adoção: Por ... - Fazendo Gênero
GÊNERO, MASCULINIDADE E DOCÊNCIA: - Fazendo Gênero