Views
5 years ago

Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...

Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...

Futebol Feminino, na

Futebol Feminino, na China (2007). Registre-se, ainda, que Marta da Silva, a principal artilheira 1 do mundial, foi condecorada pela FIFA (do francês: Fédération Internationale de Football Association), com o mérito de melhor jogadora do ano no mundo. Por outro lado, e de forma surpreendente, não tem sido observado no Brasil, ao longo dessas últimas décadas de expressivos resultados do futebol feminino nacional, um esforço organizativo significante para a estruturação de um sistema de formação básica, que não apenas possa revelar novos talentos e viabilizar novas conquistas internacionais para o esporte, mas que igualmente valorize as suas inúmeras possibilidades de contribuição para o desenvolvimento social. Longe disso, pode-se afirmar que o futebol feminino segue no Brasil como desporto ainda discriminado, sendo inclusive considerado, por muitos dirigentes futebolísticos, como um esporte sem perspectivas financeiras, contrariando-se a mística e o valor deste esporte para o sexo masculino e a sua crescente aceitação popular em todo o país. Ainda assim, tem sido observado um significativo aumento da adesão e permanência de praticantes neste desporto, como provável reflexo de uma renovada conjuntura de valores sociais, na qual parentes e amigos incentivam a participação feminina em jogos oficiais de futebol, ou como atividade física, com elevados benefícios para a mulher. O futebol, esporte popular em nosso país, apresenta uma predominância feminina de classe média baixa, principalmente no que diz respeito à competição. Nesta contextualização sócio- econômica desfavorável, a participação dessas mulheres em praças públicas, torneios de várzea 2 , através da formação de dezenas de equipes que não possuem recursos financeiros algum, cabe sobreviver com apoio de pequenas empresas 3 e trabalhos voluntários 4 e sociais. O município de Nova Iguaçu é um local em que o futebol se configura de maneira peculiar, pois que apresenta cerca de cinqüenta mulheres, (adultas, jovens, adolescentes e crianças), que praticam o futebol de maneira prazerosa, igualando esta modalidade de preferência masculina, às demais modalidades esportivas em um clube de classe média alta e alta do município. A constatação desta característica levou-nos à questão: Quais os principais fatores motivacionais em mulheres de classe média alta e alta a praticar o futebol de campo? Nova Iguaçu situa-se na Baixada Fluminense, região integrada por 13 municípios na Área Metropolitana do Rio de Janeiro. É o maior município da Baixada em extensão territorial, e o segundo em população, estimada em 830 mil habitantes, pelo IBGE. Tem alta densidade demográfica, 1.449,60 hab/km². A população é majoritariamente feminina (51,5%), jovem (média de 28,76 anos de idade), formada por negros e pardos (55%). Ocupa a 45ª colocação no ranking estadual em Índice de Desenvolvimento Humano. Mas o município experimenta acelerado processo de desenvolvimento, com diversos empreendimentos imobiliários, reorganização do potencial turístico (vegetação de mata atlântica, com 67% das áreas reservadas, como florestas protegidas 2

pelo IBAMA). Nova Iguaçu conta com indústria e comércio desenvolvidos e possui 300 km de rodovias (federais, estaduais e municipais). Todos os dados do Município mostram a conjuntura de divisão de renda do país, e que em Nova Iguaçu não é diferente. O estímulo de pessoas de classe alta a procurar instituições como clubes, academias e condomínios particulares, cresce paralelo ao crescimento dos problemas econômicos e sociais do país. O Clube Iguaçu Esporte Legal – CIEL - (nome fictício) é uma sociedade civil de direito privado, sem fins lucrativos, de duração indeterminada, fundada nos anos 1950. O clube tem por sua finalidade promover reuniões e eventos de caráter recreativo, desportivo, social, cultural e ecológico. Para ser admitido como sócio, o candidato, além de bom conceito social, moral e profissional, terá que ter sua proposta aprovada pelo Conselho Diretor e satisfazer a delimitadas condições. Dentre muitas atividades recreativas e esportivas 5 o futebol (masculino) sempre esteve presente desde sua fundação até os dias atuais. Já o futebol feminino, a primeira equipe apareceu no início deste século, criada pelo pesquisador formada apenas com adolescentes, que participaram das atividades por um ano. Dois anos mais tarde, várias associadas (jovens e adultas), algumas adolescentes do grupo inicial e ainda algumas visitantes formaram uma nova turma, mais madura e compromissada com a regularidade da prática futebolística, que persiste até os dias atuais. Nesse contexto, sob orientação do mesmo pesquisador, formou-se uma turma maior, com crianças de até dez anos de idade, que participam até os dias atuais. Os objetivos do estudo, cuja base etnográfica privilegiada, são identificar e interpretar os principais motivos que levam à participação da mulher da classe média alta e alta na prática do futebol, considerando seus discursos e o contexto de prática. Para a fundamentação da argumentação a ser desenvolvida no estudo, utiliza-se a abordagem sobre as questões de gênero, com base na linha da Teoria de Representações Sociais, adotando as idéias e os conceitos propostos por Mourão (1998-2005). Amostra e Metodologia Foram pesquisadas 17 mulheres (jovens e adultas) de classe média alta e alta que praticam futebol em clube privado. Feito um levantamento das praticantes, com atenção para variáveis como classes sociais, idades, profissões, tempo e motivos da prática. Após o levantamento, foram realizadas entrevistas de elite com três mulheres do grupo estudado. E no último momento, prevê-se a realização de entrevista do grupo focal, com quatro participantes. A abordagem metodológica terá como principal orientação a proposta de Análise do Discurso do Sujeito Coletivo, que tem como caráter original operar um “triálogo” entre o discurso 3

Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis ... - UFSC
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis ... - UFSC
Fazendo Gênero 8 Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Entre a casa e a ...
Fazendo Gênero 8 – Corpo, Violência E Poder
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder A mulher sob o ...
Corpo, Violência e Poder - Fazendo Gênero - UFSC
Corpo, Violência e Poder - Fazendo Gênero 10 - UFSC