Views
4 years ago

Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...

Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...

louca!!!” As adultas:

louca!!!” As adultas: “Meu marido não. Ele fala pra mim, assim: “-você tá maluca!!! Você é “Se tem um jogo sábado ou domingo já tem reclamação: “- sábado você vai jogar bola? Domingo você vai jogar bola? Aí não dá!!!” Dentre muitas dificuldades que acompanham o futebol feminino, a questão em conciliar os dias de treino e os compromissos de estudo e trabalho, provam a prioridade profissional, independentemente da idade, deixando o prazer em segundo plano: Resultados “É lógico que nem todos os dias a gente consegue chegar em ponto” “Tive alguns problemas já ter que fazer cursos na segunda-feira no horário do futebol” “Só prova mesmo, que quando tem eu não venho” “Depois que eu comecei a faculdade ficou difícil” A entrevista confirmou os motivos que levam este grupo de mulheres praticar o futebol. Dentre elas a oportunidade e a facilidade que o clube oferece. Mesmo com a mudança na concepção sobre o futebol feminino, as mulheres enfrentam algumas adversidades, como maridos ou pais que são contra a participação, outras equipes que participam com objetivos diferentes quanto ao futebol prazeroso praticado pelo grupo e ainda a dificuldade maior por compromissos particulares do dia a dia, em que se coloca o profissional em primeiro lugar como os estudos, cursos e trabalhos, impossibilitando a prática do futebol. Considerações finais O grupo mostra, apesar da inconstante participação de algumas sócias e de uma pequena perda da solidificação do grupo, ter uma coesão entre as participantes, que buscam o mesmo objetivo final, o da atividade física e divertimento dentro do esporte coletivo. O gosto pelo futebol é apoiado na oportunidade que é oferecida pelo clube, quanto ao local, segurança, privacidade, horário, material didático e profissional. Estas facilidades estão diretamente ligadas às motivações de estarem praticando uma atividade física prazerosa e, junto a isso, perto de seus familiares e amigos. A não participação em determinados períodos, pelas mulheres, decorre de compromissos sociais, de estudos e trabalhos, considerados normais nestas classes, se tornam fatores determinantes. A nova proposta metodológica de construção do discurso do sujeito coletivo a partir do discurso dos sujeitos individuais se mostra produtiva na identificação de novos dados, não verbalizados nas entrevistas de elite. Favorece a autocrítica feminina na participação do futebol 6

feminino, evidencia o prazer das mulheres de classe média alta e alta contrariar a hipótese segundo a qual o futebol é esporte de reserva masculina. Referências BOOTH, W. C.; COLOMB, G. G.; WILLIAMS, J. M. A Arte da Pesquisa. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005. MOREL, M.: SALLES, J. G. C. (2005). Futebol Feminino. In: DaCOSTA, L.P. (Ed.). Atlas do Esporte no Brasil: Atlas do esporte, educação física, atividade físicas de saúde e lazer no Brasil. Rio de Janeiro: Shape. MOURÃO, L; MOREL, M. (2005). As narrativas sobre o futebol feminino: o discurso da mídia impressa em campo. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 26, n. 2, p. 73-86. MOURÃO, L. (2003). Exclusão e inserção da mulher brasileira em atividades físicas e esportivas. In: SIMÕES, A. C. (org). Mulher e esporte: mito e vaidades. São Paulo: Manole STREY, M. N. (1998). Gênero: In; Psicologia Social Contemporânea. Petrópolis: Vozes. http://www.ibge.gov.br/ http://www.nicc.com.br/ Notas 1 Atleta que faz o maior número de gols em uma mesma competição. 2 Terreno baixo, plano e fértil, nas margens de um curso de água; vargem. (Dicionário Aurélio). Local onde são “construídos” campos de futebol para lazer e competições amadoras; 3 Geralmente são empresas do próprio bairro onde a equipe realiza seus jogos e treinamentos, como mercadinhos, padarias, bares, papelaria entre outros. 4 Pessoas que gostam, vivem ou já participaram do futebol de alguma maneira. Criam laços de amizades e familiares. E sobretudo ajudam o esporte. 5 O clube possui: futebol, futsal, vôlei de areia, basquete, natação, hidroginástica, judô, jiu-jítsu, capoeira, sinuca oficial, tênis, danças (de salão, do ventre, lambaeróbica, jazz, balé), musculação e ginástica. Além das atividades sociais como sauna, sala de estética, carteado, coral e eventos. 7

Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis ... - UFSC
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis ... - UFSC
Fazendo Gênero 8 Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder ...
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Entre a casa e a ...
Fazendo Gênero 8 – Corpo, Violência E Poder
Corpo, Violência e Poder - Fazendo Gênero - UFSC
Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder A mulher sob o ...
Corpo, Violência e Poder - Fazendo Gênero 10 - UFSC