Defesa - GPER

gper.com.br

Defesa - GPER

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO

MESTRADO EM EDUCAÇÃO

LINHA DE PESQUISA TEORIA E PRÁTICA

PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

PROJETO IDENTIDADE E A PRÁTICA PEDAGÓGICA

DO PROFESSOR DE ENSINO RELIGIOSO


A CIDADANIA

NA FORMAÇÃO

DE PROFESSORES

PARA O ENSINO RELIGIOSO

LÉO MARCELO PLANTES MACHADO

Orientador:

Prof. Dr. SÉRGIO ROGÉRIO AZEVEDO JUNQUEIRA

Curitiba, dezembro de 2006


COMPREENSÃO DE CIDADANIA DO

PROFESSOR DE ENSINO RELIGIOSO


Geral

Compreender as concepções de cidadania

que os professores de Ensino Religioso

possuem e reproduzem ao exercer sua

profissão


Específicos

* Identificar a concepção sobre cidadania

expressa por docentes que trabalham com

o Ensino Religioso

* Elaborar um referencial histórico sobre

as concepções de cidadania

* Articular a relação entre cidadania e o

Ensino Religioso


Na formação de professores para a

área de Ensino Religioso, como está

contemplada a questão da cidadania?


Abordagem

Fenomenológica

Instrumento:

* questionário


EGRESSOS DO CURSO

DE CIÊNCIAS DA RELIGIÃO /

LICENCIATURA DE GRADUAÇÃO PLENA EM

ENSINO RELIGIOSO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE REGIONAL DE

BLUMENAU (FURB/SC)


DOS CONCEITOS À REALIDADE BRASILEIRA

EDUCAÇÃO, FORMAÇÃO DE PROFESSORES

ENSINO RELIGIOSO


CAPÍTULO I

DOS CONCEITOS À

REALIDADE

BRASILEIRA


CIDADANIA NA ANTIGUIDADE

PÓLIS GREGA (Cidades-estado)

- Homens Livres - Estrangeiros - Escravos

- Região Urbana (Ágora – reuniões públicas)

- Cidadão se define pela liberdade do indivíduo e pela

igualdade entre os pares

- Atuação dos homens livres nos negócios públicos (direitos

políticos)

- Cidadão - civis -habitantes da cidade com atividades

políticas: civitas civiatis (condição de cidadão), civitate donare

(dar alguém); civitatem amittere (perder o direito)

ROMA

Patrícios Plebeus – Libertos

Cidadania Ativa Cidadania

A NATUREZA DETERMINA QUEM SERÁ O CIDADÃO

(NASCIMENTO)

Escravos


REVOLUÇÃO FRANCESA E CIDADANIA

Sociedade Francesa – estamentos

Rompeu com o direito obtido pelo nascimento

De deveres do súdito para direitos do cidadão

Carta Constitucionais

Estado de Direito – Igualdade perante a Lei

1789 - Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão

1791 – Constituição Francesa (recupera a diferenciação romana)


LOCKE

legitima a exploração burguesa

propriedade - o fruto que o corpo produz pelo trabalho

tudo que retira da natureza (pelo criado, pelo cavalo,...)

Cidadão – tem propriedade do corpo

não cidadãos – tem corpo mandado

ROUSSEAU

KANT

Contrato Social

Não separa igualdade da liberdade

Expõe a democracia direita

Cidadão – tem igualdade e liberdade

Estado de Direito

Governo pelas Leis

O Estado de Direito – assegura a cidadania


CIDADANIA

CIDADANIA TRADICIONAL

CIDADANIA MODERNA OU LIBERAL

– titularidade de direitos

CIDADANIA ATUAL

- gozo efetivo dos direitos e deveres

- prática da reivindicação da apropriação de espaços

- construção


CONTEXTO ATUAL

CIDADANIA: relacionamento entre uma sociedade política e

seus integrantes

- CIDADANIA E CIDADÃO

- DIREITO A TER DIREITOS

- DIREITOS E DEVERES

- DIREITOS CIVIS, POLÍTICOS E SOCIAIS (Marshall)

- INCLUSÃO/EXCLUSÃO

-medindo a inclusão ou exclusão do indivíduo a

determinados direitos pode-se avaliar o quanto ele está

tendo acesso a cidadania

- CIDADANIA CONTEMPORÂNEA: visão de inclusão total


A CIDADANIA NO BRASIL

COLONIZAÇÃO – desprovimento da cidadania

- ERA VARGAS E ESTADO NOVO – cidadania regulada

- INDUSTRIALIZAÇÃO - espaços sociais de lutas

- 1988 – CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA - constituição cidadã

- CIDADANIA COMO CONQUISTA

- PARA A MAIORIA DOS BRASILEIROS É CONSIDERADA

COMO CONSTRUÇÃO DE CIMA PARA BAIXO - OUTORGA

- CIDADANIA DE BAIXA INTENSIDADE (CANDAU)


CAPÍTULO II

EDUCAÇÃO,

CIDADANIA

E FORMAÇÃO DE

PROFESSORES


EDUCAÇÃO E CIDADANIA

- EDUCAÇÃO MEDIAÇÃO PARA A CONSTRUÇÃO DA

CIDADANIA (SEVERINO, 1993)

- VÁRIAS SEGMENTOS EDUCAM PARA A CIDADANIA

- A ESCOLA É UM DESTES SEGMENTOS

- LDB – EXERCÍCIO DA CIDADANIA

Educação é um ato de cidadania quando em sua prática ela é

fundamentalmente justa e ética contra a exploração do sujeito,

em favor de sua vocação de ser mais (FREIRE, 1993)


A CIDADANIA DO PROFESSOR

PESQUISA DE CAMPO – EGRESSOS DA FURB

- CONCECPÃO DE CIDADANIA

participação consciente de uma

pessoa na sociedade

manifestar espontaneamente

seus direitos na sociedade

deixar de ser individualista e

utilizar o que é de todos de maneira

responsável

Realização pessoal do indivíduo

e vida política (coletividade)

PARTICIPAÇÃO

DIREITOS

PÚBLICO E

PRIVADO


A CIDADANIA DO PROFESSOR

PESQUISA DE CAMPO – EGRESSOS DA FURB

- CONCECPÃO DE CIDADANIA

Construção de valores, de

preceitos de uma conduta geral – Lei

participar ativamente tendo as

mesmas oportunidades dentre de

uma comunidade

é poder exercer os seus direitos e

cumprir os seus deveres

ORDENAMENTO

JURÍDICO

IGUALDADE

DIREITOS E

DEVERES


CONSCIÊNCIA CIDADÃ

PREOCUPAÇÃO SOCIAL

ONDE O INDIVÍDUO ESTÁ

INSERIDO

CONSCIÊNCIA DOS

DIREITOS PARA QUE A

CIDADANIA POSSA SER

EFETIVADA


A FORMAÇÃO DE PROFESSORES E A

CIDADANIA

Formação

“uma atividade desenvolvida com o propósito de

conferir ao sujeito formado uma competência”

(HADJI, 2001, p. 119)

COMPETÊNCIA

HABILIDADES

proporcionar

ações que

contribuam

para a

construção e o

exercício da

cidadania


“[..] estamos completamente emaranhados a discursos políticos,

[...] com inúmeras pretensões particulares e interesseiras”

APONTA PARA A DISCUSSÃO SOBRE QUAL CIDADANIA?

“sem a pretensão de manipula-los, que os façam adquirir o

sentido da pluralidade na sociedade em que vivemos”

desinstalando “um olhar individualista onde a pessoa passa a

perceber que mais importante do que os ‘EUS’ existe uma força

maior e melhor chamada ‘NÓS’”

“[...] primeiro, fazer uma leitura coerente da realidade sóciopolítico-econômica

do país e, em segundo lugar, como nos

situarmos diante desta realidade”

POSICIONAR-SE


“[...] contextualização dos conteúdos, [...] possibilitando a

discussão destes mesmos temas, levantam-se críticas”

conteúdos necessários para o contexto no qual estão inseridos,

tendo a consciência “da responsabilidade em participar

ativamente de nossa sociedade”

PARTICIPAÇÃO

“o conceito de cidadania é associado à idéia do ser cidadão.

Cidadão é aquele que tem participação na sociedade”

(BONETI, 2003, p. 34).

⌦ FAZER PARTE

⌦TER PARTE

“em síntese, todas as pessoas são cidadãos”

(BONETTI, 2006, p. 118)


CAPÍTULO III

O ENSINO RELIGIOSO

E A CIDADANIA


A DIMENSÃO RELIGIOSA DAS PESSOAS E SOCIEDADES

Desde os primórdios, as religiões orientaram os homens no seu processo

civilizatório, criando as estruturas que propiciariam a vida em grupo, como

as interdições, os tabus, os mitos e leis, com o objetivo de situar o individuo

nas suas relações, consigo mesmo, com o transcendente e com seu

semelhante. (JUNQUEIRA et. al, 2003, p. 167)

- GEERTZ (1998)

O homem é religioso porque tem tendência a ser e não porque tem o hábito

de freqüentar uma religião

- PLURALIDADE

- NENHUMA TRADIÇÃO RELIGIOSA

É SOBERANA E ABSOLUTA


A PRÁTICA DO ENSINO RELIGIOSO E A CIDADANIA

PERCURSO HISTÓRICO DO ENSINO RELIGIOSO

- Constituição de 1988 – FONAPER – LDB (Art 33) - PCNER´s

- O MODELO FENOMENOLÓGICO

Inserção

da

cidadania

- SER CRÍTICO

preocupar-se com a sociedade em que se vive,

olhar pelos mais necessitados e marginalizados,

ter uma visão diferente do senso comum,

ser solidário,

viver a sua espiritualidade e respeitar a espiritualidade do outro,

não ser omisso e indiferente, enfim é lutar pela vida (de todos)


A FORMAÇÃO PARA PROFESSORES DO ER.

COMO CAMINHO PARA CIDADANIA

- necessidade de implantação cursos de

licenciaturas para esta o ER.

- visão histórico-critico

- visão de totalidade (dimensões: econômico,

política, afetiva, social e cultural)

- respeito a pluralidade religiosa e cultural

- ética e coerência

- trabalhar com o fenômeno Religioso

- preparar para ação de mediador entre a

culturas


precisamos mudar, urgentemente, o paradigma de

formação de professores para incorporar uma

concepção mais ecológica que permita a articulação

das vivências dos alunos com um projeto político

pedagógico de curso em que os desejos que temos

em relação à formação de professores se

concretizem. Precisamos atuar a partir de uma

perspectiva mais histórica, mais social, mais crítica,

a partir de uma concepção de homem menos

segmentado (MARIN, 1996, p. 163)


O desafio que se coloca, neste momento em

que pela modernidade há uma complexificação

da escola, é o de como formar profissionais com

competência pedagógica para preparar o

homem para a vida social, para o exercício do

trabalho e para a cultura da consciência políticosocial

[...] (BRZEZINSKI, 1998, p. 162)


CONSIDERAÇÕES


Formação de professores

processo reflexivo e crítico sobre a

prática educativa específica desta área

de conhecimento

exercício da cidadania


Ensino Religioso

Direito do cidadão

exercício de sua cidadania

desenvolva suas potencialidades


OS EGRESSOS APONTAM

⌦ participação

⌦ direitos

⌦ coletividade

⌦ exercer

⌦ ser crítico

Estas cinco palavras formam como que balizas para

uma compreensão de cidadania.

Cabe destacar que estas concepções no contexto das

respostas dos pesquisados correspondem a uma

cidadania outorgada, concedida.


OS EGRESSOS APONTAM

Perspectivas de inserção, mas não trouxeram à tona

exemplos da concretização da cidadania

Professor exemplo dessa prática, uma vez que é um

profissional preparado para educar novos cidadãos

Educar para a cidadania não é apenas desenvolver o

senso crítico do indivíduo é ser coerente e mostrar com

atitudes práticas


Avançar para uma cidadania conquistada

Processo de luta que marcou a história do

Ensino Religioso


O papel do educador ou educadora é

portanto da compreensão de que, se

é negada a cidadania ao educando,

ele ou ela, se torna incapaz de

participar de um projeto de construção

de cidadania na qual eles possam

vislumbrar novas perspectivas


Tempo

Necessidade de distanciamento do texto


“A história não é feita de indivíduos, ela é socialmente feita por nós todos e a cidadania é o máximo de uma presença crítica no mundo

da história por ela narrada”

(FREIRE, 2001, p. 129)

“A história não é feita de

indivíduos, ela é

socialmente feita por nós

todos e a cidadania é o

máximo de uma presença

crítica no mundo da história

por ela narrada”

(FREIRE, 2001, p. 129)

More magazines by this user
Similar magazines