Novas Normas final 2.vp

sbpqo.org.br

Novas Normas final 2.vp

- INSTRUÇÕES AOS AUTORES -

1. Missão

1.1. A Pes qui sa Odon to ló gi ca Bra si le i -

ra (POB) é um pe rió di co de publicação

trimestral que tem por ob je ti vo dissemi -

nar e promover o in ter câm bio de infor -

mações das várias áre as às quais se

dedica a pes qui sa odontológica.

1.2. A POB está aber ta a con tri bu i ções

da co mu ni da de científica nacional e in -

ter na ci o nal.

2. Categorias de tra ba lhos aceitos

2.1. São aceitos trabalhos de pes qui sa

bá si ca e apli ca da (incluindo es tu dos clí -

ni cos).

2.2. Não são aceitos relatos de caso

nem re vi sões de literatura, exceto em ca -

rá ter ex cep ci o nal, me di an te convite da

comissão de publicação.

2.3. Te ses e/ou monografias devem ser

reescritas nos moldes de um ar ti go cien -

tí fi co.

3. Idi o ma

3.1. São aceitos trabalhos re di gi dos no

idi o ma inglês.

4. Responsabilidade pelo conteúdo

4.1. Os conceitos e as informações en -

contrados nos ori gi na is e pu bli ca dos na

re vis ta são de in te i ra responsabilidade

do(s) autor(es), não refletindo, necessa -

riamente, a opi nião da Co mis são de Pu -

blicação ou do Conselho Edi to ri al.

5. Ine di tis mo e direitos au to ra is

5.1. Os tra ba lhos enviados para pu bli -

ca ção de vem ser iné di tos, não sen do per -

mitido o en vio si mul tâ neo a outro

pe rió di co.

5.2. A sub mis são dos ori gi na is à POB

implica a trans fe rên cia in te gral e irrevo -

gá vel de seus di re i tos autorais.

5.3. Os originais de vem ser acom pa -

nha dos de um termo de trans fe rên cia e

de cla ra ção de responsabilidade, firmado

por todos os autores, uma original e uma

có pia, como se gue:

Eu (nós), [nome(s) do(s) au tor(es)], au -

tor(es) do tra ba lho in ti tu la do [tí tu lo do

trabalho], o qual sub me to(emos) à apre -

ci a ção da Pesquisa Odontológica Brasi -

leira para nela ser publicado, de cla -

ro(amos) con cor dar, por meio deste

suficiente ins tru men to, que os direitos

autorais re ferentes ao ci ta do trabalho

tornem-se propriedade ex clu si va da Pes -

qui sa Odontológica Bra si le i ra des de a

data de sua sub mis são, sendo vedada

qualquer reprodução, total ou parcial,

em qual quer ou tra par te ou meio de di -

vulgação de qual quer natureza, sem que

a pré via e necessária autorização seja so -

licitada e obtida junto à Pes qui sa Odon -

tológica Brasileira. No caso de a publica -

ção não ser ace i ta, a trans fe rên cia de

direitos autorais será automaticamente

revogada após a devolução de fi ni ti va do

ci ta do tra ba lho por parte da Pesquisa

Odon to ló gi ca Brasileira, me di an te o re -

cebimento, por parte do(s) autor(es), de

ofício es pe cí fi co para esse fim. Decla -

ro(amos) ainda que o citado trabalho não

foi nem está sen do con si de ra do para pu -

blicação em ou tra re vis ta, quer seja no

for ma to im pres so ou eletrônico.

[Data/as si na tu ra(s)]

6. Suporte físico e quantidade dos

ori gi na is

6.1. Tex to (incluindo tabelas e qua -

dros), esquemas e gráficos de vem ser

sub metidos em mídia digital (disquete ou

CD-ROM), sem pre acom pa nha dos de

três (3) có pi as com ple tas em papel.

6.2. Das três (3) có pi as descritas no

item an te ri or, duas (2) cópias de vem vir

sem ne nhu ma identificação dos autores,

para que a ava li a ção possa ser realizada

com isen ção.

6.3. As imagens (fo to gra fi as, radio -

grafias, mi cro gra fi as) devem ser subme -

ti das em três (3) jogos em papel

fo to grá fi co, com for ma to de 10 cm x

15 cm, para per mi tir uma visualização

completa dos as sun tos desejados.

6.4. Não se rão aceitas ima gens pre vi a -

men te di gi ta li za das, isto é, aque las que

fo rem re sul tan tes de máquina fotográfica

di gi tal ou previamente “sca ne a das” pe -

lo(s) au tor(es).

6.5. Não se rão aceitas ima gens fora de

foco, impressas em pa pel não fotográfico

ou resultantes de qual quer outro tipo de

impressão ca se i ra ou não pro fis si o nal.

6.6. Ima gens di gi ta is po de rão ser ace i -

tas desde que sua captação pri má ria te -

nha ocor ri do já em ta ma nho (10 cm x

15 cm) e re so lu ção ade qua dos (300 dpi).

Máquinas fotográficas digitais co mer ci a -

is ou se mi pro fis si o na is não al can çam os

parâmetros ci ta dos e, por tan to, não se

prestam a pro du zir ima gens com quali -

dade profissional para reprodução.

6.7. As ima gens digitais des cri tas no

item an te ri or só serão aceitas quando

acompanhadas das cópias em pa pel refe -

ridas no item 6.3.

6.8. Não se rão ace i tas imagens di gi ta is

artificialmente “aumentadas” em pro gra -

mas com pu ta ci o na is de edi ção de ima -

gens.

7. Comunicação entre au tor(es) e re vis ta

7.1. A cópia em papel que contém a

identificação dos autores, con for me cita -

da no item 6.1 acima, deve tra zer em sua

última pá gi na, se pa ra da das restantes,

os da dos com ple tos (endereço, telefone(s)

e e-mail) de todos os autores, indican -

do-se para qual autor de ve rão ser en -

caminhadas as correspondências da

Comissão de Publicação e/ou da secreta -

ria da Revista.

8. Avaliação

8.1. Ori gi na is que deixarem de cum -

prir qual quer uma das nor mas aqui

publicadas re la ti vas à for ma de apre -

sentação, por in com ple tu de ou inade -

quação, se rão su ma ri a men te devolvidos

antes mes mo de se rem sub me ti dos à

avaliação quanto ao mé ri to do tra ba lho e

à con ve niên cia de sua publicação. A de -

volução será acompanhada de um ofí cio

contendo o código do item des res pe i ta do.

8.2. Uma vez aprovados na ava li a ção

quanto à for ma de apre sen ta ção, os origi -

nais se rão submetidos à apreciação da

Comissão de Pu bli ca ção, do Con se lho

Editorial ou de Assessores ad hoc, que

dispõem de plena autoridade para ava -

liar o mé ri to do trabalho e de ci dir so bre a

conveniência de sua pu bli ca ção.

8.3. A cri té rio da Co mis são de Pu bli ca -

ção, do Conselho Edi to ri al ou de Asses -

sores ad hoc, os ori gi na is po de rão ser

devolvidos aos autores com sugestões

para que estes re a li zem altera ções no

texto e/ou nas imagens.

8.4. Os pra zos fixados para nova sub -

missão dos ori gi na is cor ri gi dos se rão in -

formados no ofí cio que acompanha os

77


ori gi na is e de ve rão ser rigorosamente

respeitados.

8.5. A nova sub mis são fora dos pra zos

es ti pu la dos acar re ta rá o can ce la men to

de fi ni ti vo do pro ces so de avaliação e a

de vo lu ção definitiva dos originais.

8.6. Os tra ba lhos que, a critério da Co -

mis são de Publicação, do Con se lho Edi -

torial ou de Asses so res ad hoc, não fo rem

con si de ra dos con ve ni en tes para pu bli ca -

ção na POB serão devolvidos aos au to res

em ca rá ter definitivo.

8.7. Durante todo o pro ces so de avalia -

ção, os no mes dos avaliadores per ma ne -

cerão em si gi lo pe ran te os au to res, e os

no mes des tes permanecerão em si gi lo

pe ran te aqueles. Para tanto, serão uti -

lizados ori gi na is sem identificação dos

autores, conforme es ti pu la o item 6.2

acima.

9. Devolução dos originais

9.1. Qu an do ace i tos para publicação,

os ori gi na is (incluindo ima gens e quais -

quer mídias en vi a das) não se rão de vol vi -

dos aos autores, per ma ne cen do nos

ar qui vos da POB.

9.2. É expressamente re co men da do

que os au to res mantenham em seu ar -

qui vo cópia com ple ta dos ori gi na is, vi -

san do pre ca ver-se contra possíveis

ex tra vi os.

10. Imagens em co res

10.1. A publicação de imagens em

cores será custeada pelo(s) au tor(es) in -

teressado(s), que deve(m), para tanto, ex -

pres sar seu in te res se por escrito ao

sub me ter os originais.

10.2. Em caso de ma ni fes ta ção de in -

te res se por parte do(s) autor(es), a POB

pro vi den ci a rá um orçamento dos custos

en vol vi dos que po de rão variar de acordo

com o nú me ro de imagens, sua distribui -

ção em pá gi nas di fe ren tes e a publicação

con co mi tan te de ma te ri al em cores por

par te de ou tro(s) au tor(es).

10.3. Uma vez apre sen ta do ao(s) au -

tor(es) o or ça men to dos cus tos cor res -

pon den tes ao ma te ri al de seu interesse,

este(s) deverá(ão) assinar o or ça men to e

res pon sa bi li zar-se legalmente pela quita -

ção dos referidos custos junto à em pre sa

fornecedora dos serviços de re pro du ção

em co res.

11. Ti tu la ção dos autores

11.1. Na cópia iden ti fi ca da dos origi -

na is (ver item 6.1), a ti tu la ção do(s) au -

tor(es) de ve rá ser apre sen ta da na for ma

de no ta(s) de rodapé.

11.2. Será ace i ta uma única titulação

e uma úni ca filiação por au tor. O(s) au -

tor(es) deverá(ão), por tan to, escolher

den tre suas ti tu la ções/fi li a ções aquela

que julgar(em) a mais im por tan te.

11.3. To dos os dados de ti tu la ção e fi -

li a ção devem ser apre sen ta das por ex ten -

so, sem nenhuma abre vi a ção.

12. Co mi tê de Ética

12.1. Qualquer trabalho que envolva

estudo com se res hu ma nos, in clu in do-se

ór gãos e/ou te ci dos iso la da men te, bem

como prontuários clínicos ou re sul ta dos

de exa mes clí ni cos, deverá es tar de acor -

do com a Resolução 196/96 do Con se lho

Na ci o nal de Saúde e seus complemen tos,

e ser acom pa nha do de con sen ti men to

por es cri to do paciente e apro va ção da

Co mis são de Ética da uni da de em que o

tra ba lho foi re a li za do.

12.2. Não de vem ser uti li za dos no

mate rial ilustrativo no mes ou ini ci a is do

pa ciente.

12.3. Os experimentos com seres hu -

ma nos devem in di car se os pro ce di men -

tos uti li za dos es tão de acordo com os

pa drões éticos do Comitê de Pes qui sa em

Se res Hu ma nos (seja ins ti tu ci o nal ou re -

gi o nal) e com a De cla ra ção de Hel sinky

(1975) re vi sa da em 1983.

12.4. Nos ex pe ri men tos com ani ma is

de vem ser seguidos os gui as da Insti tu i -

ção dos Conselhos Nacionais de Pesquisa

so bre o uso e cuidado dos ani ma is de la -

bo ra tó rio.

13. Re da ção

13.1. Os ori gi na is deverão ser re di gi -

dos em in glês, rigorosamente de acor do

com a norma culta do idioma nos seus

as pec tos mor fo ló gi cos e sintáticos.

13.2. Re co men da-se fortemente que

o(s) autor(es) bus que(m) assessoria

lingüís tica profissional (re vi so res e/ou

tradu tores certificados em lín gua por -

tuguesa e in gle sa) antes de sub me ter(em)

ori gi na is que pos sam con ter in cor re ções

e/ou ina de qua ções mor fo ló gi cas, sin tá ti -

cas, idi o má ti cas ou de es ti lo.

13.3. Ori gi na is iden ti fi ca dos com in -

cor re ções e/ou ina de qua ções mor fo ló gi -

cas ou sin tá ti cas serão sumariamente

de vol vi dos an tes mesmo de se rem sub -

me ti dos à avaliação quan to ao mérito do

tra ba lho e à conveniência de sua pu bli -

ca ção.

14. For ma ta ção digital e li mi tes

quantitativos

14.1. Os arquivos di gi ta is (texto e/ou

ilustrações) devem ser compatíveis com

IBM-PC.

14.2. O texto de ve rá ser for ne ci do em

ar qui vo di gi tal gerado em programa de

edição de tex to Mi cro soft Word for Win -

dows.

14.3. O texto de ve rá ser digitado em

fon te Arial tamanho 12, em fo lhas de pa -

pel tamanho A4, com espaço duplo e

mar gem de 3 cm de cada um dos lados,

perfazendo um to tal de no má xi mo 15

páginas ou 23.000 caracteres com es pa -

ços, o que for atin gi do pri me i ro, incluin -

do tabelas, quadros, esquemas, gráficos

e respectivas legendas, e também as le -

gen das das imagens.

14.4. As imagens (fo to gra fi as, radio -

grafias e mi cro gra fi as) de vem ser subme -

ti das em separado (ver itens 6.1 a 6.8

aci ma).

14.5. Um má xi mo de 8 ima gens

poderão ser submetidas, desde que ne -

ces sá rias ao registro científico e à com -

preensão do as sun to.

14.6. As imagens de vem ser apre sen -

ta das in di vi du al men te, cada uma com

sua res pec ti va le gen da.

14.7. Não se aceitam montagens de

imagens.

14.8. Para otimizar a qua li da de de re -

pro du ção, grá fi cos e esquemas poderão

ser sub me ti dos em for ma to di gi tal, na

for ma de arquivos ge ra dos em programa

de desenho vetorial CorelDraw ou Illus -

tra tor.

14.9. Os gráficos de vem sem pre ser

acompanhados dos respectivos valores

nu mé ri cos que lhes deram ori gem.

15. Numeração, citação e posicionamento

de tabelas, qua dros, esquemas e gráfi -

cos

15.1. As tabelas, os quadros, esque -

mas e grá fi cos de vem ser numerados

con se cu ti va men te em al ga ris mos arábi -

cos.

15.2. As le gen das de tabelas e qua -

dros de vem ser colocadas na par te supe -

ri or dos mes mos.

15.3. As le gen das de es que mas e grá -

fi cos de vem ser co lo ca das na par te infe -

rior dos mes mos.

15.4. To das as ta be las e todos os qua -

dros, es que mas e gráficos, sem ex ce ção,

de vem ser ci ta dos no corpo do texto.

15.5. As tabelas, os quadros, esque -

mas e gráficos de vem ser posicionados

di re ta men te sob suas ci ta ções no corpo

do tex to.

16. Numeração, citação e posicionamento

de ima gens (fo to gra fi as, ra di o gra fi as

e mi cro gra fi as)

16.1. As imagens de vem ser nu me ra -

das con se cu ti va men te em algarismos

arábicos.

16.2. As le gen das das ima gens devem

ser co lo ca das na par te in fe ri or das mes -

mas.

16.3. To das as imagens, sem exceção,

de vem ser ci ta das no corpo do texto.

16.4. As imagens de vem ser submeti -

das em separado e, por tan to, não de vem

ser po si ci o na das no corpo do tex to.

17. Notas

17.1. As notas de ro da pé de vem ser

in di ca das com asteriscos e res tri tas ao

mínimo in dis pen sá vel.

78


18. Grafia de termos científicos, comer -

ciais e unidades de medida

18.1. Os ter mos ci en tí fi cos de vem ser

grafados por ex ten so, em vez de seus cor -

res pon den tes sim bó li cos abre vi a dos. In -

cluem-se nessa clas si fi ca ção: no mes de

com pos tos e ele men tos quí mi cos e binô -

mi os da no men cla tu ra microbiológica,

zoológica e botânica.

18.2. Os no mes ge né ri cos de pro du tos

de vem ser pre fe ri dos às suas respectivas

marcas co mer ci a is, sem pre se gui dos, en -

tre parênteses, do nome do fabricante, da

cidade e do país em que foi fa bri ca do, se -

parados por vírgula.

18.3. Uni da des de me di da de vem ser

apre sen ta das ri go ro sa men te de acordo

com o Sis te ma Inter na ci o nal de Me di das.

19. Disposição dos ele men tos constituin -

tes do tex to

19.1. Os ele men tos constituintes do

tex to de vem ser dis pos tos se gun do a se -

qüên cia apresentada abaixo:

a) Espe ci a li da de ou área en fo ca da

na pes qui sa

b) Tí tu lo no pri me i ro idioma

c) Tí tu lo no se gun do idi o ma

d) Nome(s) do(s) autor(es)

e) Resumo no pri me i ro idi o ma

f) Des cri to res no pri me i ro idioma

g) Re su mo no se gun do idi o ma

h) Des cri to res no se gun do idioma

i) Intro du ção

j) Ma te ri al e mé to dos

k) Resultados

l) Dis cus são

m) Con clu são(ões)

n) Agra de ci men tos (se hou ver)

o) Referências bibliográficas

20. Conteúdo dos ele men tos constituin -

tes do tex to

a) Espe ci a li da de ou área en fo ca da

na pes qui sa: uma úni ca pa la vra que per -

mi ta ao le i tor iden ti fi car de imediato a es -

pe ci a li da de ou área à que pertence a

pes qui sa.

b) Tí tu lo no pri me i ro idi o ma: o tí tu lo

deve ser con ci so (limitado a duas linhas

de no má xi mo 60 caracteres cada), con -

tendo so men te as in for ma ções necessá -

rias para a iden ti fi ca ção do con te ú do.

c) Tí tu lo no se gun do idi o ma: idem ao

item anterior.

d) Nome do(s) autor(es): se pa ra dos

com que bra de li nha. A cada au tor deve

cor res pon der uma nota no rodapé da pri -

meira página contendo sua ti tu la ção/ fi -

li a ção (ver item 11 aci ma).

e) Resumo no pri me i ro idioma: con -

sis te na apre sen ta ção con ci sa e seqüen -

ci al, em um úni co pa rá gra fo, de

problema tra ta do, pro po si ção do traba -

lho, ma te ri al e mé to dos, re sul ta dos e

conclusões. Deve ter no má xi mo 250 pa -

lavras.

f) Des cri to res no pri me i ro idioma:

correspondem às pa la vras ou expressões

que iden ti fi quem o con te ú do do artigo.

Para a escolha dos descritores, deve-se

consultar a lis ta de “Des cri to res em

Ciências da Sa ú de - DeCS”, elaborada

pela BIREME, e a de “Des cri to res em

Odontologia - DeOdonto”, ela bo ra da pelo

SDO/FOUSP. Um má xi mo de 5 descrito -

res devem ser in clu í dos.

g) Re su mo no se gun do idi o ma: idem

ao item e) aci ma. Sua redação deve ser

paralela à do re su mo no pri me i ro idioma.

Deficiências lin güís ti cas não justificam a

falta de pa ra le lis mo e devem ser previa -

men te resolvidas (ver item 13 aci ma).

h) Des cri to res no se gun do idi o ma:

idem ao item f) acima.

i) Intro du ção: deve apresentar com

cla re za o problema ou objeto tratado na

pesquisa e sua re la ção com os ou tros tra -

balhos na mes ma li nha ou área. A hipó -

tese ou objetivo deve ser concisamente

apre sen ta da no final desta se ção. Exten -

sas re vi sões de li te ra tu ra de vem ser evi -

tadas e substituídas por re fe rên ci as aos

trabalhos bibliográficos mais recentes,

onde cer tos as pec tos e re vi sões já te -

nham sido apre sen ta dos.

j) Ma te ri al e mé to dos: iden ti fi car os

métodos, equi pa men tos (en tre pa rên te -

ses dar o nome do fabricante, cidade,

esta do e país de fabricação) e procedi -

mentos em de ta lhes suficientes para

permitir que ou tros pesquisadores re -

produzam os re sultados. Dar referências

de mé to dos estabelecidos, in clu in do mé -

to dos es ta tísticos; oferecer re fe rên ci as e

descrições bre ves que te nham sido publi -

ca das, mas ain da não sejam bem conhe -

cidas; des crever mé to dos no vos ou

substancialmente mo di fi ca dos, dar as

razões pa ra usá-los e avaliar as suas li -

mitações. Iden ti fi car com pre ci são todas

as drogas e subs tân ci as químicas utiliza -

das, incluindo nome(s) ge né ri co(s), do -

se(s) e via(s) de ad mi nis tra ção.

k) Re sul ta dos: de vem ser apre sen ta -

dos com o mí ni mo pos sí vel de discussão

ou interpretação pes so al, acompanhados

de tabelas e/ou ma te ri al ilus tra ti vo ade -

quado, quando necessário. Não repetir

no texto to dos os da dos já apresentados

em ilustrações e ta be las. Da dos estatísti -

cos de vem ser sub me ti dos a análises

apro pri a das.

l) Dis cus são: deve res trin gir-se ao

significado dos dados ob ti dos, evitan -

do-se hipóteses não fun da men ta das nos

re sul ta dos, e re la ci o ná-los ao conheci -

men to já exis ten te e aos ob ti dos em ou -

tros es tu dos re le van tes. Enfa ti zar os

aspectos novos e im por tan tes do estudo

e as con clu sões derivadas. Não re pe tir

em de ta lhes da dos ou ou tros ma te ri a is já

citados nas se ções de Introdução ou Re -

sultados. Incluir im pli ca ções para pes -

quisas futuras.

m) Con clu são(ões): deve(m) ser per ti -

nente(s) aos objetivos propostos e justifi -

cados nos dados ob ti dos. A hi pó te se de

trabalho deve ser respondida.

n) Agra de ci men tos: agradecimentos

de aju da técnica, apoio financeiro e ma -

terial de vem es pe ci fi car sua natureza,

contribuição ou mes mo apo io que não

justificariam a autoria ou mes mo re la ção

que possa gerar con fli tos de interesse.

Podem ser mencionadas pes so as que te -

nham con tri bu í do intelectualmente para

o ar ti go, mas cu jas contribuições não

justifiquem a au to ria, re la ci o na das a co -

leta de da dos, participação nos ex pe ri -

mentos, re vi são crítica do es tu do etc. Os

autores de vem obter autorização das

pessoas às quais são dirigidos os agrade -

cimentos, evi tan do que le i to res pos sam

não in ter pre tar cor re ta men te os mes -

mos.

21. Referências bibli o grá fi cas

As re fe rên ci as de vem ser or de na das alfa -

beticamente, nu me ra das e nor ma ti za das

de acordo com o Estilo Van cou ver. Os tí -

tulos de pe rió di cos de vem ser abreviados

de acordo com o Index to Den tal Literatu -

re e im pres sos sem ne gri to, itá li co ou gri -

fo, de ven do-se usar a mesma apresenta -

ção em to das as re fe rên ci as, não devendo

ser pon tu a dos. Nas pu bli ca ções com até

seis autores, citam-se todos; aci ma de

seis autores, cita-se o pri me i ro seguido

da ex pres são la ti na et al. A exa ti dão das

referências é de res pon sa bi li da de dos au -

tores. Comunicações pessoais, tra ba lhos

em andamento e os não pu bli ca dos não

devem ser in clu í dos na lis ta de referên -

cias, mas ci ta dos em no tas de ro da pé.

21.1. Exemplos de re fe rên ci as:

Li vro com um autor

Stahl SM. Essen ti al psychopharmaco -

logy: neuroscientific basics and practi -

cal application. 2 nd ed. New York: Cam -

bridge Uni ver sity Press; 2000.

Li vro com dois au to res

Mat hew son RJ, Pri mosch RE. Funda -

men tals of pediatric den tistry. 3 rd ed.

Chicago: Qu in tes sen ce Bo oks; 1995.

Em su por te eletrônico

Wot hers ponn AC, Fal zon MR, Isa ac son

PG. Fractures: adults and old people

[monograph on CD-ROM]. 4 th ed. New

York: Lip pin cott-Ra ven; 1998.

Ueki N, Higashino K, Ortiz-Hi dal go

CM. Histopathology [monograph on li -

ne]. Houston: Addi son Bo oks; 1998.

[ci ted Jan 27]. Available from: URL:

http://www.hist.com/dentistry

79


Li vro com até seis au to res ci tam-se to -

dos, aci ma de seis au to res cite os seis

primeiros se gui do da expressão et al.

Capítulo de livro

Stahl SS. Marginal le si on. In: Gold man

HM, Co hen DW. Pe ri o don tal the rapy.

5 th ed. St. Lou is: Mosby; 1973. p.94-8.

Em su por te eletrônico

Chandler RW. Principles of in ter nal fi -

xa ti on. In: Wong DS, Ful ler LM. Prost -

he sis [mo no graph on CD-ROM]. 5 th ed.

Phi la delp hia: Sa un ders; 1999.

Tichemor WS. Persistent sinusitis after

surgery. In: Tichenor WS. Sinusitis:

treatment plan that works for asthma

and allergies too [monograph online].

New York: Health On the Net Founda -

tion; 1996. [cited 1999 May 27]. Avail -

able from: URL: http://www.si -

nuses.com/postsurg.htm

Artigo de periódico

Morgado LMC, Sa gre ti OMA, Guedes-

Pinto AC. Re im plan tes dentários. Rev

Bras Odontol 1992;49:38-44

Yetman AT, Kyong-Jin L, Ham il ton R,

Mar row WR, Pitt HA, Hammel D. Ma -

lignant lymphoma. Can cer 2001;

87:1638-44.

Com mais de seis au to res

McWhinney S, Brow ER, Malcolm J,

Vil la C, Groves BM, Quaife RA, et al.

Iden ti fi ca ti on of risk factors for in cre a -

sed cost, char ges, and length of stay

for cardiac pa ti ents. Ann Thorac Surg

2000; 70:702-10.

Em su por te eletrônico

Nerallah LJ. Correção de fís tu las pela

téc ni ca de bipartição ve si cal. Uro lo gia

On line [pe rió di co on li ne] 1998 [ci ta do

1998 Dez 8]; 5(4):[te las]. Dis po ní vel

em: URL: http://www.epm.br/ci rur -

gia/uron li ne/ ed0798/fis tu las.htm

Chagas JCM, Szejn feld VL, Jor get ti V,

Carvalho AB de, Pu er ta EB. A den si to -

metria e a bióp sia ós sea em pacientes

ado les cen tes. Rev Bras Ortop [pe rió di -

co em CD-ROM] 1998;33(2).

Artigo sem indicação de autor

Ethics of life and de ath. World Med J

2000;46:65-74.

Gu i de li nes for referral to a gynecologic

on co lo gist: rationale and benefits.

Gynecol Oncol 2000;78(Pt2):S1-S3.

Organização ou Sociedade como autor

World Me di cal Asso ci a ti on De cla ra ti on

of Hel sin ki. Ethi cal principles for medi -

cal re se arch involving hu man sub -

jects. Bull World He alth Organ

2001;79:373-4.

Organização Panamericana de la Sa -

lud. Pre ven ción y con trol del den gue

clá si co y hemorrágico en Cen tro a mé ri -

ca. Bol Ofi ci na Sanit Pa nam [periódico

en CD-ROM] 1966;121:368-72.

Fascículo sem in di ca ção de volume

Graf R. Hip so no grapht: how reliable?

Dynamic versus static exa mi na ti on.

Clin Orthop 1992;(218):18-21.

Volume com suplemento

Shen HM. Risk assessment of nic kel

carcinogenicity. Envi ron He alth Pers -

pect 1994;102 Suppl 1:275-82.

Fascículo com su ple men to

Moy AB, Sheldon R. Contripetal ten si -

on and endothelial. Chest 1994;105(3

Suppl):107-8.

Sem vo lu me ou fascículo

Brown WV. The ben e fit of aggressive

lipid lowering. J Clin Practice

2000:344-57.

Re su mo

Clement J, De Bock R. He ma to lo gi cal

complications [abstract]. Qu in tes sen -

ce Int 1999;46:1277.

Errata

Whi te P. Doctors and nurses [pu blis -

hed er ra tum in Br Med J 2000;

321:677]. Br Med J 2000;321:839.

Artigo ci ta do por outros au to res – apud

Codman EA. Epyphyse al chondroma -

tous giant cell tu mors the up per and of

the hu me rus (1920) apud Mo ser RP,

Madewell JE. Radiol Clin North Am

1987;25:2049.

Dis ser ta ções e Te ses

Antoniazzi JH. Avaliação in vi tro de efi -

ciência do selamento marginal pela vi -

bração na face ou no cone de guta-per -

cha quando da obturação de canais

radiculares [Tese de Livre-Docência].

São Paulo: Faculdade de Odontologia

da USP; 1982.

Ciampioni AL. Ava li a ção do de sem pe -

nho clínico de restaurações de resina

composta em molares de cí du os: dois

anos de acompanhamento [Disserta -

ção de Mes tra do]. São Pa u lo: Fa cul da -

de de Odontologia da USP; 1992.

Em suporte eletrônico

Ballester RY. Efeito de tratamentos

térmicos sobre a morfologia das partí -

cu las de pó e cur vas de resistência ao

CREEP em fun ção do con te ú do de

mer cú rio, em qua tro li gas co mer ci a is

para amál ga ma [Tese em CD-ROM].

São Paulo: Fa cul da de de Odon tologia

da USP; 1993.

Tra ba lho apre sen ta do em evento

Sil va JH. Preparo da ca vi da de bu cal.

In: 16º Congresso Bra si le i ro de Pa to lo -

gia Bucal: 1995; São Pa u lo. Ana is. São

Pau lo: Sociedade Bra si le i ra de Pa to lo -

gia Bucal; 1995. p.27-9.

Em su por te eletrônico

Go mes SLR. No vos mo dos de conhe -

cer: os recursos da Internet para uso

das Bi bli o te cas Uni ver si tá ri as

[CD-ROM]. In: 10º Se mi ná rio Nacional

de Bi bli o te cas Uni ver si tá ri as; 1998

Out 25-30; Fortaleza. Anais. Fortaleza:

Tec Treina; 1998.

Barata RB. Epidemiologia no sé cu lo

XXI: perspectivas para o Brasil. In: 4º

Congresso Brasileiro de Epidemiologia

[online]; 1998 Ago 1-5; Rio de Janeiro.

Anais eletrônicos. Rio de Janeiro:

ABRASCO; 1998 [citado 1999 Jan 17].

Disponível em URL: http://www.abras -

co.com.br/epirio98/

22. Encaminhamento dos originais

22.1 Os ori gi na is deverão ser en vi a dos

para:

PESQUISA ODONTOLÓGICA BRASILEI -

RA

SBPqO – So ci e da de Bra si le i ra de Pes -

qui sa Odon to ló gi ca

Av. Prof. Li neu Prestes, 2.227

Ci da de Uni ver si tá ria “Arman do Sal les

de Oliveira”

05508-900 - São Paulo - SP - Brasil

23. “Check-list” do material a ser enviado

• Car ta de en ca mi nha men to

• Termo de transferência e declaração

de res pon sa bi li da de as si na da por

to dos os au to res

• Te le fo nes e e-ma ils de to dos os

au to res

• Xerox do pa re cer do Co mi tê de Ética

• Um original com ple to contendo a

iden ti fi ca ção dos autores

• Duas cópias sem qual quer

iden ti fi ca ção dos autores

• Três jogos de imagens (com

identificação no verso)

• Mídia digital (disquete ou CD-ROM)

con ten do to dos os arquivos em

for ma to eletrônico (texto e imagens).

80

More magazines by this user
Similar magazines