Pesquisa Especial de Tabagismo PETab - libdoc.who.int

libdoc.who.int

Pesquisa Especial de Tabagismo PETab - libdoc.who.int

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e os Centers for Disease Control and Prevention (CDC) dos Estados

Unidos se reuniram em agosto de 2006, com um grupo de especialistas com o objetivo de discutir a vigilância

do tabaco em adultos e fazer recomendações para o desenvolvimento de um protocolo padrão. A consulta

feita a esses especialistas também reconheceu como desafios a escassez de recursos e as complexidades metodológicas

na implementação de pesquisas sistemáticas de tabaco em adultos, além de ter identificado a falta

de comparabilidade das pesquisas nacionais em andamento.

O Global Adult Tobacco Survey – GATS * é uma pesquisa domiciliar e foi lançado em fevereiro de 2007 como

um novo componente do Global Tobacco Surveilance System (GTSS). O GATS permitirá aos países coletar dados

sobre medidas-chave de controle do tabaco na população adulta.

A implementação do GATS reforçará a capacidade dos países de planejar, implementar e avaliar programas

de controle do tabaco. O GATS também auxiliará os países a cumprirem as determinações estabelecidas na

Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT) da OMS, gerando comparabilidade nacional e internacional.

Além disso, a OMS desenvolveu um conjunto de seis medidas que estão relacionadas com a redução

da demanda dos produtos de tabaco, conhecido como MPOWER ** . Essas medidas foram propostas como um

ponto de entrada para a implementação da Convenção-Quadro. A aplicação efetiva das estratégias propostas no

MPOWER ajudará os países a reduzirem a epidemia de tabagismo e a cumprirem com o estabelecido na CQCT.

O GATS foi implementado inicialmente em 14 países onde vivem mais da metade dos fumantes do mundo

e portanto são responsáveis pela maior carga de consumo do tabaco: Bangladesh, Brasil, China, Egito, Índia,

México, Filipinas, Polônia, Federação Russa, Tailândia, Turquia, Ucrânia, Uruguai e Vietnã.

O Comitê Nacional do GATS

O Ministério da Saúde, por meio de um Comitê Executivo, foi a agência nacional de coordenação da pesquisa. O

Comitê é composto dos seguintes órgãos: Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), Instituto Nacional de Câncer

(INCA) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). O Comitê também trabalhou em colaboração com

a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que é a responsável técnica pelo Suplemento Saúde da Pesquisa Nacional

por Amostra de Domicílios (PNAD).

Agência Implementadora

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foi a agência responsável pela implementação da pesquisa,

seguindo o protocolo-padrão do GATS.

Parceiros Internacionais

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) viabilizou a introdução do

GATS no âmbito do governo brasileiro de forma a obter o compromisso político, além de fornecer assistência

técnica e administrativa, coordenando todas as fases de implementação da pesquisa com os parceiros nacionais

e internacionais com o objetivo de facilitar e fortalecer a capacidade nacional de vigilância.

Os CDC forneceram assistência técnica para que o protocolo padronizado e a metodologia do GATS

fossem implementados. Estes incluíam questionários com perguntas básicas e opcionais, um plano de

amostragem e uma série de manuais e guias. A Fundação CDC foi responsável pela gestão dos fundos.

A Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health prestou apoio técnico quanto ao desenvolvimento da metodologia

e do protocolo do GATS.

Pesquisa Especial de Tabagismo - PETab

O apoio financeiro para a pesquisa foi fornecido pela Bloomberg Iniciative to Reduce Tobacco Use e pelo Ministério

da Saúde do Brasil.

* No Brasil, o GATS foi implementado com o nome de PETab (Pesquisa Especial de Tabagismo).

** Monitor – Monitorar o uso de tabaco e políticas de prevenção; Protect – Proteger a população da fumaça do tabaco; Offer – Oferecer ajuda para deixar

de usar produtos de tabaco; Warn – Advertir sobre os perigos do tabaco; Enforce – Fazer cumprir a proibição da publicidade, promoção e patrocínio de

tabaco; Raise – Aumentar os impostos sobre os produtos de tabaco.

4

More magazines by this user
Similar magazines