Pesquisa Especial de Tabagismo PETab - libdoc.who.int

libdoc.who.int

Pesquisa Especial de Tabagismo PETab - libdoc.who.int

Mensagem do Diretor do Instituto Nacional de Câncer (INCA)

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) se destaca, no Brasil, pelo seu papel na luta pela redução da morbimortalidade

associada ao tabagismo, em especial do câncer. Para alcançar essa meta, a instituição tem desenvolvido,

de forma coordenada, um conjunto de atividades abordando vários aspectos do controle do tabaco e tem

disseminado os conhecimentos sobre o tema por todo o país.

Para que esse conjunto de ações tenha êxito, o INCA buscou estabelecer parcerias com outras instituições governamentais

e não governamentais no Brasil e com outras nações.

Como uma resposta à globalização e ao aumento da epidemia do tabaco, a Convenção-Quadro para o Controle

do Tabaco foi desenvolvida. Esse tratado estabelece uma série de metas e ações a serem cumpridas pelos

países que fazem parte do mesmo. No Brasil, foi criada uma comissão que passou a trabalhar com o objetivo

de ratificar o tratado no país: a Comissão Intersetorial para a Implementação da Convenção-Quadro (CONICQ),

composta por 16 ministérios.

No final do ano de 2005, o Brasil ratificou a Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco. As responsabilidades

do país no controle do tabaco aumentaram e cresceu a demanda por novas intervenções voltadas para a

produção e o estímulo ao consumo do tabaco.

A partir do final da década de 80, quando foi criado o Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT),

a necessidade de desenvolver mecanismos de avaliação do impacto dessas ações e desenvolver novos estudos

científicos sobre o tema se tornou ainda mais evidente. Entretanto, os dados sobre o uso de tabaco, com

abrangência nacional e incluindo as áreas urbanas e rurais, eram escassos. Além disso, observavam-se diferenças

significativas nos indicadores de uso do tabaco entre as regiões geográficas do país. Essas diferenças indicavam

que os inquéritos, além de abrangentes, deveriam permitir uma maior desagregação dos dados, de forma a

permitir o planejamento de atividades específicas em áreas e/ou grupos de maior risco.

O convite para participar do novo componente do sistema de vigilância em tabagismo da Organização Mundial

da Saúde, a pesquisa em adultos, veio ao encontro dessa necessidade. O sistema não fornece apenas informações

sobre o uso do tabaco, mas também sobre outras dimensões igualmente importantes como cessação,

exposição à mídia, acesso aos produtos, aspectos econômicos e o conhecimento sobre os riscos associados ao

consumo do tabaco.

O GATS no Brasil foi realizado graças ao esforço de um conjunto de órgãos do Ministério da Saúde e do Instituto

Brasileiro de Geografia e Estatística. Outras instituições internacionais, como os Centers for Disease Control and

Prevention (CDC/USA), a Organização Mundial da Saúde, a Organização Pan-Americana da Saúde e a Johns

Hopkins School of Public Health, também contribuíram para o desafio de produzir as informações necessárias

com qualidade.

Os resultados desse esforço não foram em vão. O conjunto de dados que hoje o país dispõe certamente ajudará

a avaliar os pontos em que estamos acertando e os pontos que temos que melhorar.

Esse relatório tem um grande potencial de uso para apoiar ações desenvolvidas por aqueles que trabalham

diretamente nas ações de controle do tabaco. Esperamos que ele seja amplamente difundido em nosso país e

em outros países e que possa contribuir para a luta mundial pelo controle do tabaco.

Pesquisa Especial de Tabagismo - PETab

Instituto Nacional de Câncer

6

More magazines by this user
Similar magazines