Relatório Anual e de Sustentabilidade Eletrosul 2011 (PDF 11,69 Mb)

eletrosul.gov.br

Relatório Anual e de Sustentabilidade Eletrosul 2011 (PDF 11,69 Mb)

elatório anual e de

sustentabilidade eletrosul 2011


elatório anual e de

sustentabilidade

2011


GRI

4.8

Missão, visão e valores das empresas eletrobras

Missão

Atuar nos mercados de energia de forma integrada, rentável e sustentável.

Visão

Em 2020, ser o maior sistema empresarial global de energia limpa, com

rentabilidade comparável à das melhores empresas do setor elétrico.

Valores

• Foco em resultados

• Empreendedorismo e inovação

• Valorização e comprometimento das pessoas

• Ética e transparência

Declaração de Posicionamento

Estratégico da Eletrosul

Eletrosul 2020: uma empresa sustentável e competitiva, padrão

de excelência em geração e transmissão de energia elétrica.

Princípios Éticos Eletrosul

I – Dignidade Humana e Respeito às Pessoas

II – Integridade

III – Sustentabilidade

IV – Transparência

V – Impessoalidade

VI – Legalidade

VII – Profissionalismo

CONSELHO DE

ADMINISTRAÇÃO

Valter Luiz

Cardeal de Souza

Presidente

Eurides Luiz Mescolotto

Cláudia Hofmeister

Luiz Antonio Alves de Azevedo

William Rimet Muiz

Celso Knijnik

CONSELHO FISCAL

Sônia Regina Jung

Antonio Gomes

de Farias Neto

Mario Augusto Gouvêa de

Almeida

DIRETORIA EXECUTIVA

Eurides Luiz Mescolotto

Diretor-Presidente

Antonio Waldir Vituri

Diretor Financeiro

Diretor Administrativo

(Interino)

Ronaldo dos Santos Custódio

Diretor de Engenharia

Diretor de Operação (Interino)


sumário

1. Mensagem da Administração 4

2. Sobre este relatório 6

3. Perfil da Empresa 10

4. Governança Corporativa 28

5. Dimensão Econômico-financeira 42

6. Dimensão Social 62

7. Dimensão Ambiental 90

8. Prêmios e Reconhecimentos 103

9. IBASE 104

10. Perspectivas 106

11. Demonstrações Financeiras

e Notas Explicativas 107

12. Agradecimentos 195

13. Índice Remissivo GRI 196


mensagem da administração

1. Mensagem da Administração

GRI

1.1 1.2

O ano de 2011 foi marcado por importantes acontecimentos

para a Eletrosul. A empresa ganhou

visibilidade internacional com seu projeto pioneiro

de energia solar fotovoltaica – o Megawatt Solar – e

teve participação muito bem-sucedida nos leilões

de transmissão e de energia nova, reforçando sua

atuação voltada à sustentabilidade, de acordo com

seu posicionamento estratégico.

O retorno da empresa à geração de energia, em

2011, não poderia ser mais adequado. Com um investimento

de mais de R$ 400 milhões, em parceria

com outras empresas, no Complexo Eólico Cerro

Chato, em Sant’Ana do Livramento, no Rio Grande

do Sul, a empresa passa a trabalhar com fontes

alternativas de geração de energia, auxiliando o

país a diversificar sua matriz energética, um dos

4

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


quesitos-chave para o desenvolvimento sustentável.

Com apoio da holding Eletrobras, a empresa

também conseguiu comercializar no último ano

21 parques eólicos no extremo Sul e Litoral

Sul gaúchos, nos quais irá investir, em conjunto

com parceiros estratégicos, perto de R$ 1,7 bilhão.

Assim, o primeiro empreendimento eólico da Eletrosul

simboliza um novo momento não só para

a empresa, mas para o país. Acreditamos que a

energia dos ventos continuará sendo uma alternativa

promissora para o futuro energético brasileiro,

como fonte complementar. Por essa razão

e aproveitando a expertise adquirida, a Eletrosul

deverá entrar com força nos leilões programados

para 2012.

Esse esforço continuado para recompor seu parque

de geração e se tornar referência em fontes

alternativas de energia tem levado a Eletrosul a

recuperar seus ativos de maneira acelerada. Em

2011, a empresa atingiu a casa dos R$ 9,6 bilhões

– patrimônio quase quatro vezes maior que em

2003, quando ainda estava impedida de realizar

investimentos em geração e transmissão.

Somente em 2011, o valor dos investimentos realizados

pela Eletrosul e em parcerias, por meio de

Sociedades de Propósito Específico (SPEs), aproxima-se

de R$ 2,1 bilhões, considerando apenas o

montante que coube à estatal nos empreendimentos.

São investimentos que mantêm a empresa

com um dos melhores desempenhos do setor em

termos de disponibilidade do serviço de transmissão

de energia.

O esforço da diretoria e dos empregados está direcionado

neste sentido: manter a posição de destaque

com sua expertise em transmissão e, mais

ainda, tornar-se referência na geração a partir de

fontes alternativas e limpas, como a eólica e a solar,

em concordância com as demandas nacionais

e internacionais.

Conselho de administração

Diretoria executiva

Mensagem aos Acionistas

A Administração da Eletrosul Centrais

Elétricas S.A., em conformidade com a

legislação societária brasileira e as disposições

estatutárias, apresenta o Relatório

de Administração e as Demonstrações Financeiras

referentes ao exercício de 2011,

acompanhados dos pareceres dos Auditores

Independentes e do Conselho Fiscal.

Encontram-se, neste Relatório, as principais

informações sobre o desempenho empresarial,

com números que demonstram

a consolidação da empresa em sua função

de concessionária de serviços públicos de

transmissão e produtora independente de

geração de energia elétrica – sem deixar

de lado o consistente trabalho realizado

para promover o desenvolvimento econômico

e social em sua área de atuação.

A Administração da empresa, com o propósito

de corresponder às expectativas

do governo, dos acionistas, dos clientes,

dos parceiros e da comunidade onde

atua, presta esclarecimentos adicionais

necessários.

eletrosul centrais elétricas s.a. 5


sobre este relatório

2. sobre este relatório

A Eletrosul publica anualmente seu Relatório

Anual da Administração, bem como

o Relatório de Responsabilidade Socioambiental,

o qual é destinado ao órgão regulamentador

do setor, Aneel (Agência Nacional

de Energia Elétrica). O Relatório de Responsabilidade

Socioambiental das Empresas de

Energia Elétrica, definido pela Aneel, é reportado

desde 2008, sendo o último realizado

em 2010. Com o objetivo de incorporar

padrões internacionais em seus modelos de

relatório, optou-se por utilizar as diretrizes

propostas pela GRI (Global Reporting Initiative)

para a realização de seu relatório

anual de responsabilidade socioambiental

e seu Relatório Anual da Administração,

que, compilados em um único documento,

passam a ser denominados Relatório Anual

e de Sustentabilidade Eletrosul. Assim, a

empresa atende às necessidades administrativas,

às especificações governamentais

e aos padrões da holding Eletrobras, dando

continuidade ao processo de relacionamento

e comunicação de forma transparente e

eficiente com todos os seus públicos estratégicos.

3.2 3.3 3.11

GRI

O objetivo da aplicação da metodologia da GRI

no relatório de sustentabilidade é aprimorar a

qualidade e a transparência na apresentação de

desempenho e de práticas de gestão, buscando

um impacto positivo e abrangente no mundo dos

negócios.

Dessa forma, este relatório destaca as principais

práticas adotadas pela empresa, alinhadas com

o Plano Estratégico da atual gestão, e os respectivos

desempenhos nas dimensões econômica,

social e ambiental, compreendidos entre 1 o de

janeiro e 31 de dezembro de 2011. 3.1 GRI Os

dados aqui apresentados foram baseados em

levantamentos periódicos realizados por meio

de indicadores de desempenho próprios, bem

como a partir do estudo de documentos internos

e de entrevistas realizadas com gestores da instituição.

3.5 3.7 3.8

GRI

A Eletrosul possui participação em diversas Sociedades

de Propósito Específico (SPEs), nas quais

possui mais de 20% do controle acionário. Os dados

deste relatório não contemplam tais empresas

na sua totalidade, pois são tratadas de forma autônoma

em termos de administração, de forma que a

Eletrosul não reporta os indicadores das mesmas,

salvo os econômicos.

O relatório abrange toda a administração com principais

operações próprias da Eletrosul, que possui

sede em Florianópolis e atua nos estados de Rio

Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso

do Sul e Rondônia. 3.6 2.7

GRI

6

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


Nível de aplicação C

da GRI / G3 AUTODECLARADO

A Eletrosul autodeclara ter atingido nível de

aplicação C da GRI/G3 no seu relatório de sustentabilidade

2011. Nesta publicação, somou

71 indicadores. O total de indicadores apresenta

51 essenciais e 20 adicionais, classificados

a seguir:

• Econômico (EC) – 5

• Meio Ambiente (EN) – 23

• Práticas Trabalhistas e

Trabalho Decente (LA) – 15

• Direitos Humanos (HR) – 4

• Sociedade (SO) – 7

• Responsabilidade pelo Produto (PR) – 4

• Setorial (EU) – 13

Eventuais comentários ou esclarecimentos sobre

este relatório podem ser enviados para Assessoria

de Gestão Empresarial (ASG) da Eletrosul, por

meio dos seguintes contatos: (48) 3231.7690 ou

(48) 3231.7131 e e-mail: sustentabilidade@eletrosul.gov.br

3.4 GRI

Os indicadores e as informações relatadas no modelo

GRI não passarão inicialmente por processo de

asseguração. No entanto, considerando que o relatório

atenderá também à divulgação de informações

constantes no Relatório de Administração, parte das

informações passará por verificação externa. Ainda,

quase a totalidade dos indicadores serão reportados

no relatório de sustentabilidade da holding Eletrobras,

o qual será objeto de asseguração. 3.13 GRI

O Relatório de

sustentabilidade

Eletrosul 2011

respondeu a

71

indicadores

eletrosul centrais elétricas s.a. 7


sobre este relatório

principais indicadores de 2011

econômico-financeiros

Indicador 2011

Receita Operacional Bruta 1.467,9

Receita Operacional Líquida 1.360,4

Lucro Operacional Bruto 502,2

Lucro Líquido 104,6

Ativos Totais 9.609,2

Patrimônio Líquido 2.631,3

Indicador 2011

Liquidez corrente (%) 1,41

Participação de capital de terceiros* (%) 38,49

Margem Líquida (%) 12,23

Rentabilidade do capital próprio (médio) (%) 2,93

EBITDA (R$ Milhões)** 352,8

* O AFAC foi considerado no PL.

** Excluídos os efeitos da adoção do ICPC 01.

ambientais

Indicador 2011

Número de empregados treinados nos programas de educação e conscientização ambiental 284

Percentual de empregados treinados nos programas de educação e conscientização ambiental 18,28 %

Número de alunos atendidos em programas de educação e conscientização ambiental 19400

Recursos Aplicados em P&D Voltados ao Meio Ambiente (R$ Mil) 466

Recursos Aplicados em Cultura, Esporte e Turismo (R$ Mil) 1.016

Recursos Aplicados em Saúde (R$ Mil) 6.085

sociais

Indicador 2011

Número total de empregados 1554

Empregados até 30 anos de idade (%) 17,63

Empregados com idade entre 31 e 40 anos (%) 29,21

Empregados com idade entre 41 e 50 anos (%) 32,18

Empregados com idade superior a 50 anos (%) 20,98

Número de mulheres em relação ao total de empregados (%) 17,18

Mulheres em cargos gerenciais – em relação ao total de cargos gerenciais (%) 11,11

Empregadas negras (pretas e pardas) – em relação ao total de empregados (%) 0,58

Empregados negros (pretos e pardos) – em relação ao total de empregados (%) 7,11

Empregados negros (pretos e pardos) em cargos gerenciais em

relação ao total de cargos geren ciais (%)

Estagiários em relação ao total de empregados (%) 7,98

Empregados do programa de contratação de aprendizes (%) 2,97

Empregados portadores de deficiência 36

4,04

8

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


eletrosul centrais elétricas s.a. 9


dimensão ambiental


3. Perfil da Empresa


perfil da empresa

| 3.1 Histórico

Criada em 1968, a Eletrosul Centrais Elétricas S.A.

construiu o início de sua história como uma empresa

pública, transpondo crises financeiras no

setor elétrico e profundas transformações políticas

no país. Em 1998, como parte do processo de

privatização que ocorria no país, toda a área de

geração da empresa foi vendida para a iniciativa

privada, deixando para a Eletrosul apenas os negócios

de transmissão de energia.

Após um período de dificuldades, em 2004, a empresa,

sempre controlada pela Eletrobras, recebeu

a licença para voltar aos negócios de geração e a

partir daí tem trabalhado com grande foco em sustentabilidade.

Afinal, o setor elétrico, principalmente

nos empreendimentos de geração hidrelétrica,

apresenta forte interferência ambiental e social na

comunidade de entorno. Por isso, metodologias e

tecnologias têm sido desenvolvidas no sentido de

mitigar e/ou compensar os efeitos socioambientais

dos empreendimentos.

12

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


Linha do tempo

eletrosul

1968-1974

• Criada a Centrais Elétricas do Sul do Brasil – Eletrosul S.A.,

subsidiária da Eletrobras, de âmbito regional, com sede em Brasília

e escritório central no Rio de Janeiro.

• Inicia as atividades de geração e transmissão de energia elétrica,

nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

• Construção das hidrelétricas Salto Osório, no Rio Iguaçu (PR), e

UHE Salto Santiago, com trabalho pioneiro e sistemático para a

redução dos impactos ambientais e a preservação dos recursos

naturais.

• Construção do sistema de transmissão interligando os três estados

da Região Sul.

• Funcionamento de 492 km de Linhas de Transmissão.

• Início da operação da hidrelétrica de Passo Fundo.

1975 a 1979

• Entram em funcionamento as primeiras unidades do Complexo

Termelétrico de Jorge Lacerda e UHE Salto Osório.

• Ampliação em 1.637 km de novas Linhas de Transmissão.

• A sede e o escritório central da empresa passam a operar em

Florianópolis.

1980 a 1984

• Mato de Grosso do Sul passa a integrar a área de atuação da

Eletrosul.

• A capacidade instalada nominal de geração de energia elétrica da

empresa alcança 3.222 MW. A extensão das Linhas de Transmissão,

nas diferentes tensões, soma 6.047 km. A capacidade de

transformação atinge os 4.662 MVA instalados, em 15 subestações.

1985 a 1989

• Criação do Conselho de Administração, órgão colegiado de funções

deliberativas que passa a dividir a gestão empresarial com a

Diretoria Executiva.

• Entram em funcionamento mais quatro subestações, ampliando a

capacidade em 1.706 MVA.

eletrosul centrais elétricas s.a. 13


perfil da empresa

1990 a 1994

• A Eletrosul inicia o programa de implantação do telecontrole de 16

subestações de 230 e 138 kV.

• É formado o Núcleo da Ação da Cidadania contra a Fome e a

Miséria e pela Vida, fruto da solidariedade dos empregados da

Eletrosul.

• Inaugurada a Conversora de Frequência de Uruguaiana,

interligando os sistemas elétricos argentino e brasileiro até a

potência de 50 MW.

1995 a 1999

• A Eletrosul é incluída no Programa Nacional de Desestatização

(PND).

• Inauguração da UTE Jorge Lacerda IV, com potência de 350 MW,

com aumento de 11% na capacidade de geração da empresa. Jorge

Lacerda, com suas quatro unidades somando 832 MW, torna-se o

maior complexo termelétrico da América Latina.

• Privatização da Geração da Eletrosul.

• A Eletrosul se transforma numa empresa de transmissão de

energia elétrica, com cerca de 30% de sua dimensão original, e

encerra o ano com 1.325 empregados.

• A Eletrosul, como primeira estatal federal de transmissão de

energia elétrica, passa também a atuar, provisoriamente, como

Operador Nacional do Sistema (ONS) para a Região Sul.

• Queda de 13 torres da Linha de Transmissão (LT) Areia-Campos

Novos (525 kV), provocadas por ventos com rajadas superiores a

170 km/h. Os trabalhos de recuperação foram executados por um

efetivo de 248 pessoas, de forma ininterrupta e em parceria com

outras empresas do setor, possibilitando a recuperação de todas as

torres em 13 dias e constituindo um recorde nacional.

• Implantação da Subestação de Santo Ângelo (RS).

2000 a 2004

• Retomada a condição de participar do segmento de geração

de energia elétrica em março de 2004 (Lei n o 10.848),

concomitantemente com a aprovação do Novo Modelo do Setor

Elétrico.

• Autorizada a realizar emergencialmente obras para reconectar

a ilha ao sistema interligado nacional, em virtude de acidente

ocorrido durante a manutenção na rede de distribuição, que deixou

às escuras a parte insular de Florianópolis por 52 horas.

• Recebimento do Prêmio Valor 1000, oferecido pelo jornal Valor

Econômico, como empresa de melhor desempenho no setor

elétrico.

• A Regional do Paraná recebe o reconhecimento na faixa bronze no

ciclo 2002 e ouro em 2003 e 2004 do Prêmio Qualidade do Governo

Federal (PQGF), do Programa de Qualidade do Governo Federal,

coordenado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

• É publicado o primeiro Balanço Social da Eletrosul.

14

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


2005 a 2010

• Inauguração do novo Centro de Operação do Sistema Eletrosul

(Cose), um dos mais modernos do país.

• Conquista, no leilão de energia nova, da implementação da Usina

Hidrelétrica Passo São João (77 MW), no Rio Grande do Sul.

• Conquista do lote para construção da Usina Hidrelétrica de Mauá

no terceiro leilão de energia nova, em consórcio formado com a

Copel.

• Aneel transfere para a Eletrosul a concessão da Usina Hidrelétrica

São Domingos, em Mato Grosso do Sul (MS).

• Vence em parceria o leilão da UHE Jirau, primeiro

empreendimento fora de sua área de atuação, e conquista três lotes

das Linhas de Transmissão do Rio Madeira.

• A Eletrosul, em parceria com a Wobben, sagrou-se vencedora na

disputa para a implantação e exploração do Complexo Eólico Cerro

Chato, composto de três parques de 30 MW cada, localizado no

município de Sant’Ana do Livramento, no Estado do Rio Grande do

Sul.

• Vence o leilão para a construção da Hidrelétrica Teles Pires, com

capacidade de 1.820 MW, em Mato Grosso (a Eletrosul tem 24,5% da

obra, ou seja, 445,9 MW).

• Prêmio de melhor empresa de energia elétrica do país – revista

IstoÉ Dinheiro, por cinco anos consecutivos (2005 a 2009).

• Geração do primeiro MWh da Eletrosul, no período de 6 de

fevereiro a 4 de março, de energia solar acumulada na planta-piloto

(cobertura fotovoltaica), na sede.

• Adesão ao Pacto Global, da Organização das Nações Unidas (ONU).

• Inauguração da Casa Eficiente, a qual está entre as certificadas

durante o lançamento da Etiqueta Nacional de Conservação de

Energia para residências e edifícios multifamiliares.

• Interligação energética completa da Ilha de Santa Catarina, via

cabos submarinos, com o Sistema Interligado Nacional.

• Lançamento da Nova Marca do Sistema Eletrobras e

consequentemente da Eletrosul.

• A Eletrosul é classificada entre as 150 melhores empresas para

trabalhar no Brasil, segundo o Guia Você S/A – Exame.

• Certificação NBR ISO 9001:2008 – Oficina Central de

Equipamentos e recertificação da área de suprimentos.

Eletrosul foi uma das 58 empresas a receber o Selo da 3 a Edição

Pró-Equidade de Gênero – a empresa foi também uma das nove

organizações que ganharam o Selo pelo terceiro ano consecutivo e,

em função disso, recebeu homenagem especial.

eletrosul centrais elétricas s.a. 15


Perfil da empresa

Eletrosul retorna à

geração:

Em junho de 2011,

a Aneel autorizou

a entrada em

operação comercial

do primeiro circuito

do Complexo Eólico

Cerro Chato.

Destaques do ano de 2011

A Eletrosul assinou

um contrato de

financiamento com

o banco Alemão

KfW, no valor de

2,8 milhões de

euros, marcando

definitivamente

a concretização

do projeto batizado

como “Megawatt

Solar”

• A Eletrosul assume 100% do controle societário

da Artemis e 75% da Uirapuru, que teve os 25%

de ações restantes assumidos pela Fundação Eletrosul

de Previdência e Assistência Social (Elos).

• A Eletrosul e a Telebras assinaram o contrato

de cessão de uso de infraestrutura do sistema

de transmissão de energia elétrica e de fibras

ópticas, viabilizando o anel óptico do Sul do Plano

Nacional de Banda Larga (PNBL). A empresa,

efetivamente, contribui para a consolidação

de um projeto inclusivo de governo, que leva o

acesso à informação e ao conhecimento para

parcelas da população mais carentes e em áreas

pouco assistidas.

• A Eletrosul assinou um contrato de financiamento

a fundo perdido com o banco Alemão

KfW, no valor de 2,8 milhões de euros, marcando

definitivamente a concretização do projeto batizado

como “Megawatt Solar”. A Eletrosul será a

primeira a comercializar energia solar no país.

• Em junho de 2011, a Aneel autorizou a entrada

em operação comercial do primeiro circuito, com

cinco aerogeradores, do Complexo Eólico Cerro

Chato. A partir dessa data, a Eletrosul volta, oficialmente,

à geração e reforça seu posicionamento

estratégico, que visa investir em energias alternativas.

Com os ventos de Sant’Ana do Livramento,

os aerogeradores em operação comercial produzem

em sua capacidade máxima 10 MW, principalmente

durante a noite.

Eletrosul reafirma compromisso com metas de

desenvolvimento do milênio e assina um protocolo

de intenções formalizando o apoio ao Movimento

Nós Podemos Santa Catarina – braço da articulação

nacional, que incentiva ações para reduzir as

diferenças sociais no Brasil. O projeto pretende dar

continuidade à promoção dos Objetivos do Milênio

por meio da Secretaria Estadual do Movimento

Nós Podemos Santa Catarina, bem como expandilo

através da estruturação de Comitês Municipais

dos ODM nas principais regiões de Santa Catarina.

• A Eletrosul concluiu o lago da Usina Hidrelétrica

Passo São João (UHE PSJ) – o primeiro reservatório

desde a sua volta à geração de energia. Além disso,

foram iniciadas as obras da Usina Hidrelétrica Teles

Pires, entre Mato Grosso e Pará: a segunda obra estruturante

para o setor energético brasileiro, na qual

a Eletrosul tem participação, além de Jirau, e que reafirma

a capacidade de expansão da empresa para

outras regiões do país. A Eletrosul se firmou, mais

uma vez, como uma empresa extremamente competitiva

nos leilões de transmissão de energia. Conquistou,

em parceria, a concessão de 969 km de linhas

e de três subestações, que reforçarão o sistema de

transmissão nos estados do Paraná, Santa Catarina

e Rio Grande do Sul. A Eletrosul investiu, em 2011, R$

659 milhões em ativos de geração e transmissão.

16

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


eletrosul centrais elétricas s.a. 17


perfil da empresa

A Eletrosul

conquistou,

em parceria, a

concessão de 969

km de linhas e de

três subestações,

que reforçarão

o sistema de

transmissão nos

estados do Paraná,

Santa Catarina e

Rio Grande do Sul.

A Eletrosul investiu,

em 2011, R$ 659

milhões em ativos

de geração

e transmissão

| 3.2 a empresa

Apresentação dos dados gerais e de informação técnicas e legais da empresa.

GRI

NOME COMPLETO DA UNIDADE E SIGLA

Eletrosul Centrais Elétricas S.A.

Sigla: Eletrosul

CNPJ 00.073.957/0001-68

Natureza jurídica

Vinculação ministerial

Sociedade de Economia Mista

Ministério de Minas e Energia (MME)

Endereço completo da sede Rua Deputado Antônio Edu Vieira, 999,

Bairro Pantanal – Florianópolis, Santa Catarina, CEP

88040-901, fone (48) 3231 7000, fax (48) 3234 5678

Endereço da página institucional na internet

Normativos de criação, definição de competências e estrutura

organizacional, regimento interno ou estatuto e respectiva data

de publicação no Diário Oficial da União (DOU)

Função de governo predominante

Tipo de atividade

2.1 2.2 2.4 2.6

www.eletrosul.gov.br

Constituída em 23/12/1968 e autorizada a funcionar pelo

Decreto n o 64.395 de 23/04/1969

Energia

Concessionária de serviços públicos de transmissão e

produtora independente de geração de energia elétrica.

A Eletrosul Centrais Elétricas S.A. é uma sociedade

de economia mista de capital fechado, concessionária

de serviços públicos de transmissão e produtora

independente de geração de energia elétrica constituída

em 1968 e autorizada a funcionar pelo Decreto

n o 64.395 de 23/04/1969. Subsidiária das Centrais

Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobras) e vinculada ao

Ministério de Minas e Energia (MME), apresenta, em

31/12/2011, um ativo total de R$ 9,6 bilhões e a seguinte

composição acionária: 2.3 GRI

ELETROBRAS USIMINAS CEEE COPEL CELESC CSN OUTROS

99,7451% 0,1184% 0,1013% 0,0290% 0,0032% 0,0024% 0,0007%

NOTAS

1. Empregados que retornaram ao

serviço nos termos da Lei n o 8.878,

de 11/05/1994.

Além disso, a Eletrosul assumiu em 2011, 100%

do controle societário da Artemis e 75% da Uirapuru,

a qual teve os 25% de ações restantes

assumidos pela Fundação Elos. 2.8 GRI

A empresa tem sede em Florianópolis, estado de

Santa Catarina, e atuação no Brasil, nos três estados

da Região Sul, Mato Grosso do Sul e Rondônia, por

meio da participação no Consórcio Energia Sustentável

do Brasil (ESBR), Norte Brasil Transmissora de

Energia (NBTE), Porto Velho Transmissora de Energia

(PVTE), e Mato Grosso e Pará, por meio do Consórcio

Teles Pires Energia Eficiente. 2.5 2.7 2.8

GRI

Contando com 1.554 empregados próprios, 404

terceirizados e 121 anistiados 1 , realiza estudos e

projetos, constrói e opera instalações de transmissão

de energia elétrica, está construindo instalações

de geração, presta serviços de telecomunicação

e pratica outros atos de comércio decorrentes

dessas atividades. Além disso, investe em pesquisa

e desenvolvimento, fomentando o uso de fontes

alternativas de energia.

No que se refere ao planejamento energético, cabe

ao Ministério de Minas e Energia, por meio da Empresa

de Pesquisa Energética (EPE), a responsabilidade

de realizar os estudos que subsidiam o planejamento

energético brasileiro, sejam eles para

planejamento da expansão do mercado, geração

ou transmissão de energia elétrica. A EPE trabalha

em parceria com os agentes na definição da

expansão dos segmentos de mercado e transmissão,

nos quais a Eletrosul atua fortemente, seja na

consolidação dos dados de mercado da Região Sul

18

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


do país, seja participando dos grupos de estudos

que definem a expansão dos principais sistemas de

transmissão no país. eu10 eu19

GRI

O portfólio da Eletrosul contempla como segmentos

de negócio a transmissão, a geração e a

comercialização de energia elétrica, bem como a

prestação de outros serviços associados ao setor,

tais como operação e manutenção de transmissão

e telecomunicações.

Alinhada às políticas públicas do Governo Federal,

a Eletrosul investiu, em 2011, R$ 92,2 milhões

na área de transmissão própria e R$ 496,9

milhões na área de geração própria, que, somados

aos investimentos realizados por meio das

controladas em obras de geração e transmissão,

alcançaram o valor de R$ 2,1 bilhões.

Em 2011 as obras de duas novas Linhas de

Transmissão próprias foram concluídas. Não

foi gerada energia em plantas próprias da empresa,

pois seus empreendimentos de geração

estão ainda em construção. eu1 eu4

GRI

Os clientes da Eletrosul são, em sua maioria,

empresas distribuidoras de energia, que totalizavam,

em 31 de dezembro de 2011, 21 empresas.

A área de atuação preponderante da

Eletrosul compreende os três estados da Região

Sul e Mato Grosso do Sul, que respondem

por, aproximadamente, 17,7% do PIB e 18,0%

do mercado total de energia elétrica brasileiro,

abrigando uma população da ordem de 30 milhões

de habitantes, o que representa 15,6% da

população brasileira. Também respondem por

31% da produção pecuária, 27,8% da produção

agrícola, 21,7% da indústria e 21,5% do comércio

nacional.

As associações e instituições das quais a empresa

participa estão descritas abaixo: 4.13 GRI

A Eletrosul investiu

em 2011, R$ 92,2

milhões na área

de transmissão

própria e R$ 496,9

milhões na área de

geração própria,

que somados aos

investimentos

realizados

por meio das

controladas em

obras de geração

e transmissão,

alcançaram o valor

de R$ 2,1 bilhões

Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)

Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)

Associação Brasileira das Grandes Empresas de Transmissão de Energia Elétrica (Abrate)

Associação Brasileira de Empresas Geradoras de Energia Elétrica (Abrage)

Associação Brasileira de Gerência de Riscos (ABGR)

Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH)

Associação Brasileira Energia Eólica (ABEEólica)

Associação dos Integrantes do Fórum Catarinense pelo Fim da Violência e da Exploração Sexual Infantojuvenil

Brix Energia e Futuros S.A.

Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE)

Comissão de Integração Energética Regional (Cier)

Comitê Brasileiro da Comissão de Integração Energética Regional (Bracier)

Comitê Nacional Brasileiro de Produção e Transmissão de Energia Elétrica (Cigré) Brasil

Conselho Regional de Enfermagem de Santa Catarina (Coren-SC)

Conselho Regional de Medicina de Santa Catarina (CRM-SC)

Empresa de Pesquisa Energética (EPE)

Fundação Comitê de Gestão Empresarial (Fundação Coge)

Fundação Eletrosul de Previdência e Assistência Social (Elos)

Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi)

Instituto para o Desenvolvimento das Energias Alternativas na América Latina (Ideal)

Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS)

eletrosul centrais elétricas s.a. 19


perfil da empresa

20

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


| 3.3 estrutura organizacional

A estrutura organizacional da Eletrosul é composta

dos níveis e órgãos correspondentes,

apresentados a seguir e representados no organograma

da empresa:

Administração Superior

ASSEMBLEIA GERAL DOS ACIONISTAS – A Assembleia

Geral dos Acionistas, convocada e

instalada de acordo com a lei pertinente e o

Estatuto Social da Eletrosul, tem poderes para

decidir sobre todos os negócios da empresa e

tomar as resoluções que julgar convenientes a

sua defesa e desenvolvimento.

CONSELHO FISCAL – Órgão colegiado responsável

pela fiscalização dos atos dos administradores

da Eletrosul e verificação do cumprimento

dos seus deveres legais e estatutários.

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO – Órgão colegiado

de mais alto nível da administração da

Eletrosul, cuja finalidade é estabelecer as diretrizes

e as políticas maiores da empresa.

DIRETORIA EXECUTIVA – Órgão colegiado responsável

pela direção geral da Eletrosul, respeitadas

as diretrizes fixadas pelo Conselho de

Administração.

PRESIDÊNCIA E DIRETORIAS – Órgãos responsáveis

pelo planejamento, coordenação e controle

de atividades específicas a sua área de atuação,

definidas na Lei das Sociedades Anônimas,

no Estatuto Social e no Manual de Organização

da empresa. Comporta a função de Assistente

Executivo e Assessor Especial.

Assessoramento

Órgãos que prestam assessoramento ao Conselho

de Administração, à Presidência e às Diretorias

na formulação de estratégias e planos de

ação: Auditoria; Assessorias; Coordenadorias;

Secretaria Geral; e Ouvidoria.

Administração Intermediária

Órgãos que constituem as unidades administrativas,

organizados por meio de departamentos

e coordenações, responsáveis pela operacionalização

dos programas de trabalho, que têm

subordinados a si órgãos de gerências operacionais.

Administração Operacional

Órgãos que executam os planos de trabalho,

previamente estabelecidos, referentes às suas

atividades específicas, e organizados por meio

de divisões.

Órgãos Especiais

COMITÊ – Órgão colegiado permanente, designado

formalmente por deliberação de Diretoria, que

tem como função analisar, estudar, propor e avaliar

as políticas da empresa.

COMISSÕES, GRUPOS DE TRABALHO e FORÇAS-

TAREFA – Órgãos colegiados temporários, designados

formalmente por deliberação de Diretoria,

que têm como função analisar, estudar,

propor e avaliar alternativas para a solução de

problemas específicos da empresa.

Os Órgãos Especiais não comportam subordinação.

A seguir é apresentado o organograma da Eletrosul.

eletrosul centrais elétricas s.a. 21


Estrutura

organizacional

NOTA:

Neste Organograma não estão

representados os Órgãos da

Administração Operacional

Conselho Fiscal

Assembleia dos

acionistas

Conselho de

administração

Auditoria interna

AUD

diretoria executiva

Diretoria

administrativa

Diretoria

financeira

Presidência

DA

DF

PRE

Assessoria de

gestão da

diretoria

administrativa

Assessoria de

gestão da diretoria

financeira

Assessoria

econômico-

-financeira

Assessoria de

comunicação social

e marketing

Secretaria

geral

AGA

AGF

AEF

ACS

sge

Coordenadoria

de

avaliação

econ.-financ.

de projeto

Assessoria de

gestão

empresarial

Assessoria

jurídica

CAEP

ASG

AJU

Coordenadoria

de capt. de

recursos e

aval. das part.

acionárias

Assessoria de

responsabilidade

social

Coordenadoria

de direito

administrativo,

ambiental e de

energia

ccpA

ARS

CDAE

departamento

de gestão de

suprimentos

Departamento

de gestão da

informação e

infraestrutura

Departamento

de gestão de

pessoas

Departamento

de

planejamento

e orçamento

Departamento

de operações

financeiras

Departamento

de

contabilidade

Ouvidoria

geral

ovge

Coordenadoria

de direito do

trabalho,

tributário e

patrimonial

dgs

dgi

dgp

dpo

doF

dco

cttp

Coordenadoria

de Controle de

Processos e

Gestão de

Riscos

ccpr

Escritório

de Brasília

erbr

Escritório

Regional do

Rio Grande

do Sul

errs

22 Relatório anual e de sustentabilidade 2011


legenda

nome do órgão

siglA do

órgão

diretoria de

operação

diretoria de

engenharia

DO

DE

Assessoria de gestão

da diretoria de

operação

Assessoria de

comercialização de

energia

assessoria de

gestão da

diretoria de

engenharia

assessoria de

regulação de

negócios

assessoria de

implantação de

projetos

AGO

ACE

AGE

ARN

Aip

coordenadoria

de regulação de

contratos

crco

coordenadoria

de negócios

cdne

Departamento

de

engenharia

do sistema

Departamento

de

planejamento

do

sistema

Departamento

de pesquisa,

desenvolvimento

e eficiência

energética

Departamento

de

engenharia

de geração

Departamento

de

patrimônio

imobiliário e

meio ambiente

coordenação

da

hidrelétrica

de mauá

coordenação

regional do

programa

luz para

todos

des

dps

dpe

deg

dpm

chm

lpt

Departamento

de

operação

do sistema

Departamento

de

manutenção

e apoio à

operação

Departamento

de

engenharia

e

manutenção

departamento

de

telemática

dos

dmo

dem

dtl

eletrosul centrais elétricas s.a. 23


perfil da empresa

Perfil dos Empregados

(em 31/12/2011) GRI 2.8

A Eletrosul possui um total de 1.554 empregados

ativos próprios. Em 2011, foram admitidos 83

profissionais e demitidos 134. Adicionalmente,

a empresa conta com uma força de trabalho

de jovens profissionais de 124 estagiários. Mais

detalhes na dimensão social.

| eu6

3.4 Confiabilidade do sistema GRI

As responsabilidades, as regras e os procedimentos

que envolvem a operação do sistema sob o

comando e a execução da Eletrosul são normatizados

no Manual de Operação, alinhados com os Procedimentos

de Rede estabelecidos pelo Operador

Nacional do Sistema. As intervenções no sistema

elétrico são analisadas, documentadas e otimizadas

por uma equipe de programação de desligamentos,

objetivando maximizar a disponibilidade

do sistema. Para tanto, a empresa mantém uma

equipe de engenharia especializada em estudos

elétricos, que assegura a operação dentro dos padrões

de segurança sistêmica visando à confiabilidade

e à disponibilidade dos seus ativos.

Os técnicos operadores da Eletrosul são treinados

e certificados sistematicamente para, em caso de

contingência, restabelecer o sistema no menor

24

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


tempo possível. Todas as manobras executadas

pela operação em tempo real seguem rígidos critérios

desenvolvidos para mitigar erros e assegurar

a confiabilidade e a disponibilidade do sistema

elétrico. A Eletrosul coordena a operação através

do Centro de Operação do Sistema Eletrosul (Cose),

dividido em Centro de Operação da Transmissão

(COT), Centro de Operação da Geração (COG) e Centro

de Operação de Telecomunicações (CCT). Os comandos

de operação são executados por Centros

Regionais de Operação de Instalações (Croi), com o

auxílio de assistentes de operação local nas instalações,

com a possibilidade de operação em backup

através do Centro de Operação de Contingência

(COC) centralizado no Cose.

Todas as ocorrências no sistema sob responsabilidade

operativa da Eletrosul, quer sejam desligamentos

intempestivos ou procedimentos operativos,

são objeto de análise detalhada, através de

uma rotina de análise do desempenho dos procedimentos

da operação. Nessa rotina, os procedimentos

executados e o tempo de recomposição

do sistema são classificados e avaliados com vista

à qualidade da operação. Além disso, o desempenho

das proteções aplicadas nas instalações da

Eletrosul é alvo de análise detalhada sempre que

as proteções são requisitadas pelo sistema elétrico,

garantindo a eficiência e a segurança dos

serviços de transmissão.

As equipes de manutenção são descentralizadas

e a logística e o dimensionamento destas são

desenvolvidos de forma sistemática, através de

análises e cálculos feitos pela área de Engenharia

de Manutenção da empresa. As equipes de Coor-

eletrosul centrais elétricas s.a. 25


perfil da empresa

A Eletrosul tem

tido um dos

melhores índices

de Parcela Variável

- PV do Brasil,

obtendo posição

de destaque em

relação às demais

concessionárias

denação Técnica e de Engenharia de Manutenção

realizam análises sistemáticas do desempenho

das instalações, com base nos dados disponíveis

nos sistemas de gestão. Dessas análises resultam

as definições de melhorias e reformas a serem

implantados nas instalações, visando manter a

confiabilidade do sistema.

Além disso, a empresa possui um aprimorado

estoque reserva de torres, equipamentos e acessórios,

visando minimizar ao máximo os tempos

de indisponibilidade, sem onerar os ativos da

empresa.

Em decorrência de seu excelente desempenho

operacional, a Eletrosul tem tido um dos melhores

índices de Parcela Variável (PV) 2 do Brasil,

segundo os relatórios do Operador Nacional do

Sistema Elétrico (ONS), obtendo posição de destaque

em relação às demais concessionárias.

| 3.5 Pesquisa e Desenvolvimento

GRI

eu8

NOTAS

2. A PV, estabelecida na Resolução

Normativa n o 270/2007 da Aneel,

é a parcela da receita deduzida

do Pagamento-Base das Funções

de Transmissão – FT por conta de

indisponibilidades, restrição operativa

temporária, cancelamento de

intervenções fora do prazo estabelecido e

atraso na entrada em operação de novas

FT, de responsabilidade da concessionária

de transmissão.

Por ser um processo contínuo, o desenvolvimento

e a inovação tecnológica são permanentemente

fomentados por políticas, estratégias e diretrizes

vinculadas aos negócios da empresa e do Sistema

Eletrobras. Dessa forma, busca--se assegurar

prioridade nas pesquisas de novas tecnologias

nas áreas de geração e transmissão de energia

elétrica que atendam às demandas do ambiente

competitivo.

A Eletrosul possui uma Política de Pesquisa, Desenvolvimento

e Inovação (P&D+I), alinhada às

diretrizes da holding.

Em consonância com as diretrizes da Política de

Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Eletrobras,

as empresas do Sistema realizam seguidos

encontros para avaliar ações e propostas de novos

projetos de pesquisa, além de verificar a possibilidade

de cooperação entre empresas.

Os projetos que compõem a carteira de Pesquisa &

Desenvolvimento na Aneel são desenvolvidos com

universidades e centros de pesquisas conceituados,

promovendo--se, assim, condições para a geração

de conhecimento científico, o desenvolvimento tecnológico

e a internalização do conhecimento.

26

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


A parceria de mais de 30 anos com o Centro de

Pesquisa de Energia Elétrica (Cepel) 3 possibilita

a realização de encontros, reuniões técnicas e

projetos específicos, abrangendo estudos energéticos

e econômico-financeiros de sistemas

elétricos, supervisão, controle e proteção de

sistemas elétricos, planejamento e operação

• Descargas Atmosféricas: fatores ambientais

que atuam na incidência de descargas atmosféricas

em Mato Grosso do Sul;

• Medição de Resistência de Aterramento de

Torres de Transmissão utilizando a corrente

induzida pela linha de transmissão;

• Avaliação de para-raios ZnO através de metodologias

de medição da corrente de fuga;

• Análise TCs: desenvolvimento de uma metodologia

de análise de Transformadores de Corrente;

elétrica e tecnologia de equipamento de transmissão.

Os projetos de pesquisa contam cada

vez mais com a participação de equipes técnicas

da Eletrosul.

Com relação ao programa P&D, em 2011, a Eletrosul

concluiu os seguintes projetos:

• Tratamento de Vinhaça: desenvolvimento de

um sistema de digestão anaeróbica de alto desempenho

para o tratamento de vinhaça visando

ao aproveitamento energético do Biogás;

• Análise PV: avaliação da adequação da parcela

variável como mecanismo de remuneração da

qualidade do serviço de transmissão;

• Rede de Sensores Passivos: desenvolvimento

de uma rede de sensores passivos para medição

de integridade de equipamentos em sistemas de

energia com Transmissão sem Fio;

Essas ações foram

resultado de um

investimento total

de R$ 1.476 milhão

em pesquisa e

desenvolvimento

no ano de 2011.

Dessa forma, a

empresa reafirma

seu compromisso

de contribuir com

a educação, o

estudo de novas

fontes de energia e

o desenvolvimento

sustentável

do país

• Eletrólito Polimérico: desenvolvimento de

Eletrólito Polimérico para utilização em Células

a Combustível;

• Energia por Indução: obtenção de fonte de

energia por indução nos para-raios ao longo da

linha de transmissão;

• GD Renovável: geração de energia elétrica

por fontes renováveis: condicionantes técnicos,

econômicos, sociais e ambientais;

• EPI: sistema de proteção individual contra choques

elétricos.

Dos programas de P&D em andamento, podemos

destacar os seguintes projetos:

• Replantar: reintrodução das espécies ameaçadas

de extinção;

• Créditos de Carbono: analisar alternativas de

investimento no setor de energia elétrica com potencial

para gerar créditos de carbono e contribuir

para agregar valor ao produto (energia elétrica) e

à imagem da empresa.

Além dos projetos de P&D, acima citados, a Eletrosul

também está desenvolvendo os seguintes

projetos com recursos próprios:

• Monitoramento da Água: monitoramento em

tempo real da qualidade da água na alça de vazão

reduzida da UHE Passo São João pelo uso de uma

rede de sensores sem fio;

• Torre de Emergência: desenvolvimento de protótipos

de torres de emergência;

• Biogás-H: obtenção de hidrogênio através da

reforma do biogás para conversão em energia

renovável;

• Bio-óleo: estudo da utilização de bio-óleo

em motores diesel para geração termelétrica

distribuída;

• Eletrisol II: desenvolvimento de processos industriais

para fabricação de células solares com

pasta de alumínio.

Essas ações foram resultado de um investimento

total de R$ 1,476 milhão em pesquisa e desenvolvimento

no ano de 2011. Dessa forma, a empresa

reafirma seu compromisso de contribuir com a

educação, o estudo de novas fontes de energia e

o desenvolvimento sustentável do país.

NOTAS

3. Na parceria com o Cepel, vem

sendo aplicado um valor similar

ao estabelecido pela Lei n o

9.991/2000 para desenvolvimento

tecnológico, reforçando o processo

de inovação.

eletrosul centrais elétricas s.a. 27


dimensão ambiental


4. governança

corporativa


governança corporativa

A Eletrosul,

além de integrar

o Comitê de

Sustentabilidade

do Sistema

Eletrobras, tem em

sua estrutura de

gestão um Comitê

de Sustentabilidade

Empresarial,

vinculado ao

Conselho de

Administração e

coordenado pelo

Diretor-Presidente

A Eletrosul cumpre suas atribuições, definidas

pela Lei n o 6.404 das Sociedades por Ações, em

que apresenta sua Alta Administração, constituída

pela Assembleia Geral, o Conselho de

Administração, o Conselho Fiscal e a Diretoria

Executiva.

Objetivando a plena transparência e publicidade

dos atos da administração e contribuindo para o

efetivo controle social da gestão pública, a Ouvidoria

Geral da Eletrosul tem como finalidade

ser um canal permanente de comunicação com

os trabalhadores e com a sociedade, contribuindo

para o desenvolvimento da empresa, para a

cultura da cidadania e para a preservação dos

direitos individuais e coletivos.

A Auditoria Interna, por sua vez, vinculada ao

Conselho de Administração, tem a função de

assessorar a Administração da empresa na verificação

dos atos, procedimentos e processos

empresariais, sob a ótica da legalidade, moralidade,

economicidade, ética e transparência.

A Eletrosul, além de integrar o Comitê de Sustentabilidade

do Sistema Eletrobras, tem em

sua estrutura de gestão um Comitê de Sustentabilidade

Empresarial, vinculado ao Conselho

de Administração e coordenado pelo Diretor-

Presidente. Observadas as restrições decorrentes

de sua condição de empresa de capital

fechado, alinha-se às melhores práticas de

Governança Corporativa, consoante aos princípios

estabelecidos pelo Instituto Brasileiro de

Governança Corporativa (IBGC).

A Coordenadoria de Gestão de Processos e de

Riscos (CCPR) tem o objetivo de identificar, analisar,

avaliar e monitorar, de forma integrada

com as áreas de negócios, os riscos críticos entre

os pilares estratégico, financeiro, operacional

e de compliance, além de revisar, implantar,

acompanhar e avaliar os controles internos dos

processos da empresa.

É importante salientar que a auditoria independente

é realizada em conformidade com a Instrução

CVM n o 381, de 14/01/2003, referendada

pelo Ofício Circular/CVM/SNC/SEP n o 01/2007,

de 14/02/2007. Para tal, foi contratada a empresa

PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes

exclusivamente para a prestação de

serviços técnicos especializados de auditoria

das Demonstrações Financeiras, compreendendo

os exercícios de 2009 a 2013.

A Eletrosul, como empresa do Sistema Eletrobras,

está aprimorando o seu Modelo de Gestão

e traduzindo os requisitos de sustentabilidade

em práticas de gestão.

Convém destacar que, mesmo sendo empresa

de capital fechado, as ações da Eletrosul impactam

a valorização da Eletrobras e, consequentemente,

produzem efeitos no mercado acionário,

fonte importante para captação de recursos

para novos investimentos. Por outro lado, ao

participar desse processo, a empresa está se

beneficiando de financiamentos de fontes nacionais,

por meio da estruturação de um modelo

de gestão que incorpora valores de desenvolvimento

sustentável, aspectos de responsabilidade

social e ambiental com as partes interessadas

e critérios de excelência de gestão exigidos

pelo mercado de crédito.

Sendo assim, a Eletrosul vem refinando a aplicação

de boas práticas de governança corporativa,

utilizando como modelo o Código das

Melhores Práticas de Governança Corporativa

instituído pelo IBGC.

30

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


| 4.1 Estrutura de governança da organização

GRI

4.1

A estrutura da governança corporativa da Eletrosul

é constituída pela Assembleia Geral de Acionistas, o

Conselho de Administração, o Conselho Fiscal e a Diretoria

Executiva, e conta com o apoio de órgãos de

assessoramento e comitês estratégicos, conforme

apresentado na figura abaixo:

Estrutura de

governança

corporativa

Assembleia geral

dos acionistas

Conselho de

administração

Conselho fiscal

Auditoria interna

Comitê de

sustentabilidade

empresarial

Comitê estratégico

de investimentos

Comissão permanente

de ética

Diretoria executiva

Comitê permanente

para questões de

gênero

Diretoria

administrativa

Diretoria

financeira

Presidência

Diretoria de

operação

Diretoria de

engenharia

Comitê de P&D

Em 2011, a alta direção realizou três reuniões de

assembleia geral, sendo uma ordinária e duas extraordinárias,

dez reuniões do conselho fiscal e de

administração, e 49 reuniões de diretoria executiva.

Para assuntos de natureza estratégica, são constituídos

grupos específicos, conforme descritos a seguir:

Comitê de Sustentabilidade

Empresarial da Eletrosul (CSEE)

O CSEE foi criado em 10/07/2007 tendo as seguintes

atribuições:

• assessorar a Diretoria Executiva em assuntos

relacionados à sustentabilidade;

de gestão sustentável alinhada ao Planejamento

Estratégico;

• acompanhar a elaboração dos relatórios corporativos;

• avaliar e formular recomendações com respeito

à estratégia de relacionamento da empresa com

seus diversos públicos (interno e externo);

• dar cumprimento aos requisitos do Pacto Global

e aos compromissos de desenvolvimento do milênio,

assumidos pelo Governo Federal perante a

ONU, dos quais a Eletrosul é signatária;

Comitê permanente

de análise

de patrocínio

• avaliar as políticas e propor diretrizes empresariais

que contemplem a gestão sustentável –

acompanhamento e avaliação de resultados;

• implementar e manter programa de melhoria

• atender o Comitê de Sustentabilidade do Sistema

Eletrobras e manter programa de ações de

conscientização do público interno sobre sustentabilidade

empresarial;

eletrosul centrais elétricas s.a. 31


governança corporativa

• avaliar e recomendar ações no plano de melhoria de gestão, focada em ações de sustentabilidade.

A estrutura do CSEE está apresentada na figura abaixo:

Coordenação geral

Secretaria executiva

CSEE

Núcleo de gestão das

informações estratégias

(nugie)

Subcomitê Dimensão

econômica (SUBCE)

Subcomitê Dimensão

social (SUBCS)

Subcomitê Dimensão

Ambiental (SUBCA)

Comitê Permanente

para Questões de Gênero

A consciência e o compromisso com a responsabilidade

social numa empresa passam cada vez

mais pela incorporação de valores como igualdade,

dignidade e justiça. Nesse sentido, a Eletrosul

vem buscando promover a igualdade de oportunidades

entre homens e mulheres, respeitando as

suas diferenças biológicas e erradicando as desigualdades

socioculturais. Para tanto, foi instituído

o Comitê para Questões de Gênero da Eletrosul,

formalizado em 2006 e composto atualmente

por 19 empregados e empregadas de diversas

áreas da empresa. O comitê tem por atribuição

fomentar debates, implantar e monitorar projetos

e ações voltadas para a mulher e contribuir para

o desenvolvimento sustentável na região em que

atua, por meio da proposição da política de equidade

de gênero. Com essa perspectiva, a empresa

aderiu à quarta edição do Programa Pró-Equidade

de Gênero e Raça 2011/2012, da Secretaria

de Políticas para as Mulheres da Presidência da

República (SPM/PR), com o objetivo de dar continuidade

às ações que vem desenvolvendo.

Dessa forma, foi observada a ampliação do número

de mulheres em cargos de chefia e decisão, com

uma valorização da diversidade social dentro da empresa,

também por meio de um processo preventivo

às questões de discriminação no ambiente de trabalho,

promovendo maior sensibilização, socialização

de conhecimento e garantia de direitos sociais.

Comitê de Pesquisa,

Desenvolvimento e Inovação

Tecnológica

Criado em 2002, o Comitê de Pesquisa, Desenvolvimento

e Inovação Tecnológica da Eletrosul tem a

responsabilidade de avaliar e decidir sobre Projetos

de Pesquisa realizados pela empresa.

O comitê é coordenado pelo Departamento de

Pesquisa, Desenvolvimento e Eficiência Energética

(DPE) e composto de dez empregados, com

oito suplentes, todos designados pela Diretoria

Executiva da Eletrosul e por profissionais e/ou

entidades vinculadas direta ou indiretamente

a atividades de pesquisa e desenvolvimento e

à inovação tecnológica. Poderão participar de

32

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


euniões do Comitê, mediante convite feito pelo

Coordenador-Geral, outras personalidades que,

notoriamente, possam contribuir nas decisões.

Comissão Permanente de Ética

A Comissão Permanente de Ética da Eletrosul

foi criada em 2001 com o objetivo de disseminar

conhecimento e esclarecer dúvidas quanto à conduta

ética entre seus empregados, administradores

e prepostos. Assim é possível minimizar a

subjetividade das interpretações pessoais sobre

princípios morais e éticos, bem como fortalecer

a imagem da empresa e de seus empregados perante

a sociedade.

Além disso, a comissão é responsável por apurar,

mediante denúncia ou ofício, conduta em desacordo

com as normas éticas e recomendar, acompanhar

e avaliar, no âmbito do órgão ou entidade

a que estiver vinculada, o desenvolvimento de

ações, objetivando a disseminação, a capacitação

e o treinamento sobre o tema.

A Comissão é formada por um presidente e dois

membros efetivos, com mesmo número de suplentes,

bem como uma pessoa responsável pela

secretaria executiva do comitê.

Comissão Permanente

de Análise de Patrocínio

Institucional

A Comissão Permanente de Análise de Patrocínio

Institucional tem o objetivo de aprovar projetos

para patrocínio e apoio da Eletrosul, de acordo com

a Tabela de Níveis e Limites de Competência (NLCR).

Para que os projetos sejam aceitos é preciso que

tenham caráter estruturante para comunidades de

baixa renda, visando novas oportunidades de trabalho

e renda, que sejam voltados à formação profissional,

visando propiciar maior empregabilidade

dessa população. Além disso, são aceitos aqueles

que revelem e mantenham novos atletas que já tenham

se destacado em sua modalidade esportiva,

bem como projetos educacionais ou de formação

cultural em comunidades de baixa renda.

o Gerente da Assessoria de Gestão da Diretoria de

Engenharia e o Gerente da Assessoria de Gestão

da Diretoria de Operação.

Conselhos

O Conselho de Administração é um órgão colegiado

com funções deliberativas, eleito pela Assembleia

Geral dos Acionistas. O Conselho de Administração

é integrado por até seis membros, com

reputação ilibada e idoneidade moral, eleitos pela

Assembleia Geral, os quais designarão entre eles o

Presidente, todos com prazo de gestão de um ano,

admitida a reeleição. Destes, três são considerados

Conselheiros Independentes por não possuírem

vínculo com o segmento de energia elétrica.

Um dos membros do Conselho de Administração

é indicado pelo Ministro de Estado do Planejamento,

Orçamento e Gestão. Após a alteração do

Estatuto Social, ocorrida em setembro de 2011, o

Conselho de Administração passará a contar com

um membro eleito pelos empregados e respectivo

suplente, escolhidos pelo voto direto de seus pares

dentre os empregados ativos em eleição a ser

realizada no início de 2012, organizada pela empresa,

em conjunto com as entidades sindicais que

os representem, nos termos da legislação vigente.

A remuneração dos conselheiros é fixada em 10%

da remuneração média dos diretores da companhia,

não havendo remuneração variável.

Até o exercício de 2011, a Eletrosul não possuía

processo formal de avaliação de seus conselheiros

de administração. No entanto, essa prática está em

elaboração para implementação no ano de 2012.

A comissão é regida pela NG-075 e constituída

pelo Chefe de Gabinete do Diretor-Presidente, o

Gerente da Assessoria de Gestão Administrativa,

eletrosul centrais elétricas s.a. 33


governança corporativa

| 4.2 Responsabilidade com Partes Interessadas

4.4 4.14 a 4.17

GRI

A comunicação e a divulgação relacionadas à Governança

Corporativa para as partes interessadas são

atendidas no conjunto dos procedimentos de gestão,

como os relatórios de Gestão e Administração,

publicação de Balanço, de Relatórios Financeiros e

das estratégias e objetivos estratégicos constantes

do Plano Estratégico. O plano de comunicação da

empresa é apresentado no quadro a seguir:

plano de comunicação eletrosul

PARTES

INTERESSADAS

INSTRUMENTO OBJETIVO PERIODICIDADE

Acionista

RD – Resolução de Diretoria

PRD – Proposta de Resolução de Diretoria

DCA – Deliberação do Conselho de Administração

Mapa Estratégico e Correspondências internas e

externas

Comunicar Planos, Estratégias, Metas

e Resultados

Anual

Ag. reguladoras

(Aneel)

Reuniões

Relatórios

Comunicar Planos, Estratégias e

Resultados sobre Questões

Institucionais, Técnicas e

desempenho econômico,

social e ambiental

Anual

Financiadores

(bancos)

Reuniões Técnicas

Comunicar Indicadores Financeiros

sobre Questões Institucionais e Técnicas

Quando

necessário

Órgãos

fiscalizadores

(TCU, GCU)

Relatórios de Administração e Gestão,

Balanços Financeiros, Reuniões Técnicas

Demonstrações Financeiras

Comunicar Planos, Estratégias

e Resultados sobre Questões

Institucionais e Técnicas

Anual

Clientes

Parceiros (SPEs)

Reuniões Técnicas

Relatórios

Pesquisa de Satisfação de Clientes

Reuniões Técnicas

Relatórios

Receber e fornecer informações sobre

questões técnicas e de Satisfação dos

Clientes

Comunicar, Planos, Estratégias e

Resultados sobre Questões

Institucionais e Técnicas

Fornecedores Reuniões Técnicas Esclarecer Dúvidas

Anual

Anual

Quando

necessário

Sociedade

Jornal de grande circulação (release),

Relatórios, Internet, Ouvidoria

Atendimento de Consultas e

Solicitações de informações

Frequente

Público Interno

Seminários, Reuniões Técnicas, Caderno de

Gestão, Portal de Gestão, Banner, Intranet, Saiba

Mais, Jornal da Eletrosul, Ouvidoria, Lotus Notes,

Filmes de Pequena Duração, Blog da Diretoria

Dar Conhecimentos aos Empregados

dos Planos, Estratégias e Resultados

Quando

necessário

Principais órgãos ambientais com os quais a Eletrosul mantém relacionamento:

Órgão

Ibama

Fatma

Fepam

Defap

IAP

Imap

descrição

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis

Fundação do Meio Ambiente/SC

Fundação Estadual de Proteção Ambiental/RS

Departamento de Florestas e Áreas Protegidas

Instituto Ambiental do Paraná/PR

Instituto de Meio Ambiente Pantanal/PR

Obs.: além dos órgãos ambientais, outras instituições

são envolvidas na elaboração dos documentos, como

as prefeituras municipais, o Instituto do Patrimônio

Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Fundação

Nacional do Índio (Funai) e o Departamento Nacional

de Produção Mineral (DNPM).

34

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


A Eletrosul possui práticas de relacionamento

com seus principais públicos de interesse (acionistas,

clientes, fornecedores, público interno,

sociedade, parceiros, agências regulatórias,

financiadores e investidores), conforme consta

no quadro a seguir:

PARTES INTERESSADAS

Acionistas

Clientes

Financiadores e Investidores

Parceiros

Fornecedores

Agências Regulatórias

Sociedade

Público Interno

PRINCIPAIS REQUISITOS

Retorno do capital investido, boa imagem perante clientes e sociedade, transparência e

integridade das informações

Baixa indisponibilidade do sistema elétrico

Adoção de práticas economicamente viáveis, socialmente responsáveis e ambientalmente

corretas

Retorno do capital investido

Volume de requisições, critérios justos para escolha de propostas

e pagamento no prazo acordado

Cumprimento da legislação, normas regulamentadoras e contratos/autorizações

Atendimento da legislação, comportamento ético, cidadania empresarial, respeito ao

meio ambiente

Oportunidades de crescimento e desenvolvimento profissional, remuneração e benefícios

competitivos e ambientes de trabalho seguros e saudáveis

Os empregados contam com o informativo

eletrônico diário Saiba Mais, disponibilizado

no início das manhãs. O Saiba Mais apresenta

informações sobre os novos empreendimentos,

andamento das obras, investimentos

financeiros, ações, projetos e programas de

sustentabilidade desenvolvidos pela Eletrosul.

Os empregados ainda contam com o Jornal

da Eletrosul, publicação impressa mensal que

também aborda todos os assuntos supracitados,

porém com um grau maior de aprofundamento

e esclarecimento, uma vez que se trata

de um veículo de comunicação de maior durabilidade

do que o Saiba Mais.

Outro canal de comunicação é o Saiba, comunicado

eletrônico extraordinário enviado aos empregados

quando da necessidade de divulgação

de fatos relevantes.

Além desses canais voltados aos empregados, a

Eletrosul conta ainda com um e-mail institucional

da Assessoria de Comunicação Social e Marketing

para envio de notas aos empregados e

de uma mídia, denominada TV Corporativa, com

telas espalhadas por diversos locais de circulação

na sede da empresa, que permite também a

divulgação de informações importantes de forma

bastante sintética.

A publicidade realiza uma função de apoio na

divulgação ao público interno, por intermédio

da distribuição de fôlderes informativos, banners,

deos institucionais e cartilhas de gestão

e políticas da Eletrosul.

Como ferramenta de divulgação de fatos relevantes,

a empresa possui um sistema de videoconferência

que garante uma comunicação em tempo real com

todas as unidades e seus empregados. Para acompanhar

e aprimorar o relacionamento com seus empregados,

a Eletrosul realiza a aplicação de Pesquisa

de Clima Organizacional. Além disso, a empresa passará

a contar, a partir de 2012, com um representante

titular eleito pelos empregados e respectivo suplente

em seu Conselho de Administração. Em 2012, a empresa

promoverá processo eleitoral para eleger um

empregado que será o representante de todo o contingente

profissional no Conselho de Administração

da Eletrosul.

Já no caso dos acionistas, são realizadas reuniões

periódicas anuais, nas quais são discutidos temas

relevantes de gestão e governança, com a possibilidade

de recomendações por parte dos participantes,

já que a Assembleia Geral dos Acionistas,

como órgão soberano da organização, possui funções

deliberativas e de verificação da legalidade e

legitimidade dos atos da administração. 4.4 GRI

eletrosul centrais elétricas s.a. 35


governança corporativa

Em 2011 foi

alcançada a

porcentagem

de 95,5%, em

contrapartida aos

95,2% de 2010,

o que demonstra

que está sendo

efetiva a gestão

da satisfação dos

clientes da Eletrosul

| 4.3 Satisfação de clientes

GRI

pr5

A aplicação da Pesquisa de Satisfação de Clientes

ocorre na Eletrosul, anualmente, desde 2001,

sendo que os índices obtidos desde 2003 estão

acima dos 91% em grau de satisfação. Em 2011

foi alcançada a porcentagem de 95,5%, em contrapartida

aos 95,2% de 2010, o que demonstra

que está sendo efetiva a gestão da satisfação

dos clientes da Eletrosul.

A empresa possui ainda indicadores que medem

o índice de satisfação geral no conceito

muito satisfeito, que recebeu a seguinte evolução:

39,5%

38,1%

53,3%

2009 2010 2011

Já a pesquisa setorial recebeu o índice de 100%

nos anos de 2009, 2010 e 2011. Além disso, a satisfação

com relação a produtos ou serviços, em

2011, foi de 97,2%.

Os mecanismos utilizados para retorno pelos

clientes são a própria pesquisa de satisfação,

as visitas aos clientes realizadas pelos gerentes

das áreas envolvidas, as reuniões técnicas,

os telefones disponibilizados para os contatos

entre a empresa e seus clientes e os e-mails

dos profissionais responsáveis pelos produtos

elencados. Os produtos avaliados são os serviços

de: operação em tempo real; processos de

pós-operação, programações de desligamento;

estudos de pré-operação; estudos de pósoperação;

manual de procedimentos operativos;

estudos do planejamento da operação de

curto e médio prazo; serviços de comunicação

multimídia e permissão de uso de infraestrutura

de telecomunicações.

As informações levantadas por meio da pesquisa

permitem prospectar o conceito/imagem da Eletrosul

perante seus clientes; medir a satisfação dos

clientes com a empresa, levando em conta a atual

oferta de produtos e serviços; avaliar o atendimento

prestado, a qualificação técnica, a padronização

técnica, as práticas utilizadas, os instrumentos

de gerenciamento de rotinas, a pontualidade, o

cumprimento de obrigações, entre outros; medir

o grau de relacionamento e interação entre a em-

36

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


presa cliente e a Eletrosul (comunicação pessoal,

interatividade, canais de acesso): assistência, esclarecimento,

sugestões, reclamações e o grau de eficiência

(confiabilidade no sistema) na perspectiva

do cliente; prospectar necessidades não atendidas;

levantar a percepção de atualização tecnológica e

de introdução de melhorias; avaliar a comunicação

e prospectar valor dos atributos de mensuração

dos indicadores de satisfação na percepção

dos entrevistados.

| 4.4 Transparência

GRI

pr6 pr7 pr9

A transparência na divulgação das informações é

ingrediente fundamental na formação da imagem

de qualquer organização. Nesse sentido, a Eletrosul

entende que é essencial que as empresas

estejam cada vez mais comprometidas com uma

boa política de divulgação de suas informações.

Enquanto empresa de economia mista, a instituição

está obrigada a publicar três relatórios anuais,

além das demonstrações financeiras, sendo:

Relatório de Gestão, Relatório de Administração

e Relatório de Responsabilidade Socioambiental,

que, sob orientação da Aneel, substituiu, a partir

de 2008, o Balanço Social, produzido desde 2003.

GRI 3.2 3.3

RELATÓRIO

Administração

Gestão

Responsabilidade

Socioambiental

DESCRIÇÃO

É elaborado em conformidade com a legislação societária brasileira (Lei n o 6.404/76) e as disposições

estatutárias. O Relatório contempla as principais informações relativas ao desempenho

empresarial, que consolida ainda mais sua função de empresa concessionária de serviços

públicos de energia elétrica, com ações direcionadas ao desenvolvimento econômico, ambiental

e social.

É atribuição do TCU analisar e aprovar as contas e para isso ele emite Instruções Normativas e

Decisões Normativas anuais orientando a elaboração do Relatório de Gestão. Com base nas

informações desse relatório, o TCU julga as contas da Eletrosul. A CGU é quem recebe a documentação,

faz auditoria da gestão no período de que trata o relatório e encaminha o resultado

com todo o processo para o TCU, que analisa toda a documentação por meio da Secretaria de

Comércio Exterior (Secex) e aprova ou não.

A partir de 2008, a Aneel passou a exigir o relatório socioambiental das empresas concessionárias

e permissionárias do serviço de energia elétrica. Esse relatório substitui o Balanço Social

produzido desde 2003.

A Auditoria Interna (AUD) elabora o Plano Anual

de Atividades da Auditoria Interna (Paint), que

é aprovado pela CGU e pelo Conselho de Administração.

Baseado na Matriz de Riscos, o Paint

atende aos requisitos dos artigos 4 e 6 da Instrução

Normativa n o 7 da CGU, incluindo aquele que

define a periodicidade mínima na qual devem

ser avaliadas todas as áreas e sistemas auditáveis.

Após aprovação do plano pelo Conselho de

Administração e pelo CGU, ele é encaminhado

ao Conselho Fiscal para acompanhamento. Os

resultados das atividades de auditoria interna

são reportados à CGU, mensalmente, através do

Relatório Mensal de Atividades da Auditoria, e,

anualmente, através de Relatório de Atividades

de Auditoria Interna (Raint). Os resultados das

atividades de auditoria interna são reportados,

ao Presidente do Conselho de Administração, ao

final de cada trabalho, através de uma via do relatório

de Auditoria; para os demais membros do

Conselho de Administração e para os membros

do Conselho Fiscal, é encaminhado mensalmente

o Relatório Mensal de Atividades da Auditoria.

A empresa segue as diretrizes da Política de Comunicação

Integrada, da Política de Patrocínio e

do Código de Ética Único das empresas Eletrobras.

Ao mesmo tempo, atende à legislação específica,

como o Código Brasileiro de Autorregulamentação

Publicitária, além dos instrumentos

normativos, leis e decretos regulamentados pela

Secretaria de Comunicação Social da Presidência

da República (Secom). Em 2011, não houve registro

de não conformidade com regulamentos

e códigos voluntários relativos a comunicações

de marketing.

eletrosul centrais elétricas s.a. 37


governança corporativa

| 4.5 Código de Conduta da Empresa

GRI

4.8

A Eletrosul dispõe

de uma Norma de

Gestão Empresarial,

aprovada em 2001,

cuja finalidade é

estabelecer regras

de conduta a

serem observadas

pelos empregados

nas relações de

trabalho. A Norma

inclui orientações

éticas e morais,

deveres, proibições

e penalidades,

que são aplicados

a todos os

empregados da

empresa

Com o objetivo de oferecer orientações com relação

à conduta de seus empregados, a Eletrosul dispõe

de uma Norma de Gestão Empresarial, aprovada

em 2001, cuja finalidade é estabelecer regras

de conduta a serem observadas pelos empregados

nas relações de trabalho. A Norma inclui orientações

éticas e morais, deveres, proibições e penalidades,

que são aplicados a todos os empregados

da empresa.

As dúvidas em relação a essa Norma são sanadas

| 4.6 Controle Interno

A negociação de títulos mobiliários no mercado

financeiro dos Estados Unidos forçou as empresas

do Sistema Eletrobras a adaptarem--se às

orientações da seção 404 da Lei Sarbanes-Oxley,

que determina a avaliação e o monitoramento

dos controles e procedimentos internos para a

emissão de relatórios financeiros e exige que os

Diretores Financeiros e Diretores Executivos avaliem

e atestem a eficácia dos controles internos da

companhia.

Diante dessa requisição, a certificação de conformidade

dos controles internos de acordo com os

princípios da Lei Sarbanes-Oxley passou a ser uma

das exigências que as empresas Eletrobras passaram

a cumprir perante a Securities and Exchange

Commission (SEC), órgão que autoriza a negociação

de ações na Bolsa de Valores de Nova York.

formalmente pela Comissão Permanente de Ética

da Eletrosul, que, por sua vez, é orientada sob

observância do Código de Conduta da Alta Administração

Federal, aprovada pelo Presidente da

República, em 21 de agosto de 2000.

Em 2010, foi criado o Código de Ética Único das

empresas Eletrobras, aplicado em todas as controladas,

reforçando a importância da dimensão

ética nas decisões e práticas empresariais

do grupo.

Como parte da adequação das empresas Eletrobras

às exigências da SEC e da CVM, a Eletrosul

criou em 2010 a Coordenadoria de Gestão de Processos

e de Riscos (CGPR) com a responsabilidade

(em conjunto com as áreas de negócios da empresa

– proprietários de riscos) de identificação,

avaliação e monitoramento integrado dos riscos

da empresa e de acompanhamento dos controles

internos dos processos corporativos.

Em 2010 e 2011, a Eletrosul foi incluída no ciclo

de Certificação SOx das empresas Eletrobras,

requerendo testes constantes em seu ambiente

de controle interno para a emissão de relatórios

financeiros.

Nesse sentido, foi contratado o trabalho de auditoria

independente da PricewaterhouseCoopers

Auditores Independentes. Em 2010 a consultoria

realizou testes de validação de controles internos

até abril de 2011, com a posterior emissão

do relatório.

38

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


| 4.7 Gestão de risco

Na Eletrosul o princípio da precaução é levado

em consideração nas avaliações de riscos operacionais,

estratégicos, financeiros e de conformidade,

bem como nas avaliações de riscos e impactos

ambientais nos novos empreendimentos

e nas instalações antigas.

Subordinada à Presidência e com caráter

consultivo e de suporte, a Coordenadoria de

Controles Internos e Gestão de Riscos (CCPR),

conjuntamente com as áreas de negócios, realiza

a identificação, avaliação e monitoramento

dos controles internos e de gestão de riscos da

empresa, contribuindo para as decisões das

Diretorias e do Conselho de Administração da

empresa. Com gestão integrada de processos

e riscos nos segmentos de geração e transmissão

e com a base metodológica da ISO 31000

e do Coso – ERM, busca minimizar os impactos

negativos dos eventos de riscos quando materializados

e maximizar as oportunidades identificadas

ao longo do desenvolvimento do negócio

de energia.

Para tanto, a área de gestão de risco acompanha

o mapeamento, a avaliação, o monitoramento e

o gerenciamento dos riscos aos quais a empresa

está exposta; avalia e recomenda planos de ação

para mitigar riscos e aproveitar oportunidades

de cada negócio e promove a comunicação com

as partes interessadas sobre os principais riscos

detectados para atuar com as diversas áreas de

negócio na implantação de medidas preventivas

e corretivas.

Além disso, com o objetivo de agregar valor ao

negócio e adequar os processos às exigências da

Lei Sarbanes-Oxley, a CCPR realiza um monitoramento

periódico e sistemático dos controles

internos para a certificação dos processos nas

normas nacionais e internacionais. Esse monitoramento

busca identificar oportunidades e pontos

de melhorias para aprimorar os processos

permitindo o alinhamento da gestão da empresa,

considerando riscos e oportunidades.

Para riscos de acidentes nos empreendimentos,

a empresa utiliza procedimentos de monitoração

da segurança, tais como: inspeção

visual e técnica, manutenção periódica, estudos

pluviométricos (operacional) e avaliações

instrumentais (medições com piezômetros,

sensores de deslocamento, entre outros),

acompanhamento de projeto técnico de instalação,

comunicação com a comunidade do

entorno e isolamento do raio de abrangência,

no caso de torres eólicas, por exemplo.

A Eletrosul também realiza o levantamento

dos aspectos e dos impactos ambientais e

sociais envolvidos em cada empreendimento

de geração e transmissão de energia elétrica

por meio de estudos ambientais e seus

respectivos relatórios (Estudos de Impacto

Ambiental – EIA/Rima e Relatórios Ambientais

Simplificados – RAS), com a proposição

de programas que contemplem medidas mitigadoras

e compensatórias. Esses documentos

são submetidos aos órgãos ambientais

competentes com o objetivo de fundamentar

o licenciamento ambiental dos empreendimentos,

abrangendo os meios físico, biótico

e social. Nesse sentido, também é prática da

Eletrosul promover ações de recuperação de

áreas degradadas, gerenciamento de resíduos,

reposição florestal, educação ambiental e

monitoramento e controle de processos erosivos.

4.11 GRI

Na Eletrosul

o princípio da

precaução é levado

em consideração

nas avaliações de

riscos operacionais,

estratégicos,

financeiros e de

conformidade, bem

como nas avaliações

de riscos e impactos

ambientais nos novos

empreendimentos

e nas instalações

antigas

eletrosul centrais elétricas s.a. 39


governança corporativa

| 4.8. Iniciativas Voluntárias GRI 4.12

A empresa aderiu

ao Pacto Global

comprometendo-

-se com princípios

básicos de defesa

dos direitos

humanos, direitos

do trabalho,

proteção do meio

ambiente e combate

à corrupção.

No mesmo ano,

ocorreu a assinatura

de memorando de

entendimento com

o Programa das

Nações Unidas para

o Desenvolvimento

(PNUD),

comprometendo-se

a alavancar ações

para o atingimento

dos Objetivos de

Desenvolvimento do

Milênio

Com o intuito de manter-se alinhada com as diretrizes

globais de sustentabilidade e responsabilidade

socioambiental, a Eletrosul participa de maneira

voluntária dos seguintes movimentos:

Pacto Global e Metas do Milênio: a empresa

aderiu ao Pacto Global em 26/11/2006 comprometendo-se

com princípios básicos de defesa dos direitos

humanos, direitos do trabalho, proteção do

meio ambiente e combate à corrupção. No mesmo

ano, ocorreu a assinatura de memorando de entendimento

com o Programa das Nações Unidas

para o Desenvolvimento (Pnud), comprometendo-

-se a alavancar ações para o atingimento dos Objetivos

de Desenvolvimento do Milênio;

Fórum Catarinense pelo Fim da Violência e

da Exploração Sexual: em conformidade com as

diretrizes estratégicas da Política de Investimento

Social, a Eletrosul aderiu ao Fórum, que promove

a realização de ações sociais voltadas à proteção

e defesa dos direitos da criança e do adolescente

em situação de vulnerabilidade social, maus tratos,

abuso, exploração sexual e/ou moral;

Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho

Escravo: a empresa formalizou, em dezembro

de 2011, a sua adesão ao Comitê de Coordenação

e Monitoramento do Pacto Nacional pela Erradicação

do Trabalho Escravo, fundado em 2005

pelo Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade

Social, pelo Instituto Observatório Social,

pela ONG Repórter Brasil e pela Organização Internacional

do Trabalho (OIT) com o objetivo de

implementar ferramentas para orientar o setor

empresarial e a sociedade brasileira a não comercializarem

produtos de fornecedores que utilizem

o trabalho escravo;

Movimento Nós Podemos Santa Catarina:

em 2011, a empresa apoiou a elaboração do

diagnóstico da situação dos Objetivos de Desenvolvimento

do Milênio (ODM) em Santa Catarina

e realizou o I Simpósio 8 Jeitos de Mudar o Mundo.

O movimento propõe intensificar esforços

para o alcance dos ODM em âmbito local, alinhado

aos princípios do Pacto Global na promoção

de políticas públicas;

Coep Nacional – Comitê de Entidades no Combate

à Fome e pela Vida: criado em 1993, a

partir da mobilização da sociedade civil deflagrada

pelo Movimento pela Ética na Política e pelo

sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, o comitê

tem por objetivo reunir empresas para somar esforços

na articulação e implementação de ações

voltadas para o combate à fome e à miséria. O

Coep é um dos principais articuladores de organizações

públicas e privadas para a promoção de

iniciativas visando ao desenvolvimento humano e

social, em especial as realizadas em comunidades

de baixa renda de todo o país;

Programa Pró-Equidade de Gênero: o Programa

tem por objetivo a promoção da igualdade

de oportunidades entre homens e mulheres,

no âmbito das organizações públicas e privadas,

baseadas no desenvolvimento de novas concepções

na gestão de pessoas e na cultura organizacional,

para alcançar a equidade de gênero e

raça no mundo do trabalho e a eliminação de

todas as formas de discriminação no acesso,

remuneração, ascensão e permanência no emprego.

O programa também é direcionado para

garantir o exercício dos direitos laborais das trabalhadoras

e trabalhadores, ao distinguir com

o Selo Pró-Equidade de Gênero e Raça as organizações

comprometidas com a justiça social, a

igualdade de gênero, etnicorracial e o trabalho

decente, conjugando a lógica do exercício dos direitos

com a lógica dos negócios, considerando

que a igualdade entre homens e mulheres constitui

atualmente um pilar fundamental da gestão

organizacional e do êxito empresarial;

40

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


Desde 2006,

o Programa

Ações Integradas

desenvolveu 30

projetos voltados

às comunidades

indígenas. A Eletrosul

não apresentou, em

2011, nenhum caso de

violação dos direitos

dos povos indígenas

Princípios de Empoderamento das Mulheres:

em outubro de 2010, a Eletrosul assinou a

adesão da empresa na lista de signatárias da declaração

de apoio a esses princípios, estabelecidos

pelo Fundo das Nações Unidas para o Desenvolvimento

das Mulheres (Unifem) e pelo Pacto

Global das Organizações das Nações Unidas

(ONU), com o intuito de ampliar a promoção da

igualdade de gênero no ambiente de trabalho;

Programa Ações Integradas: desde 2006, o

Programa Ações Integradas, coordenado pela

Eletrosul em sua área de atuação, desenvolveu

30 projetos voltados às comunidades indígenas.

A empresa empenha-se em estreitar cada

vez mais o seu relacionamento com as comunidades

indígenas, quilombolas, agricultores

familiares, atingidos por barragens a partir

do desenvolvimento de projetos sociais que

compõem o Programa Ações Integradas, por

exemplo, os cursos de capacitação indígena e

a implementação de Centros Comunitários de

Produção nas comunidades beneficiadas pelo

Programa Governamental Luz para Todos.

Além disso, a Eletrosul não apresentou, em

2011, nenhum caso de violação dos direitos dos

povos indígenas; GRI hr9

Mão de Obra Infantil na Empresa e na Cadeia

Produtiva: em 2011 a empresa realizou três ações

voltadas a esta temática:

• Sensibilizou seus empregados para o engajamento

na Campanha Nacional de Luta contra o Abuso e

Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, com

a distribuição e divulgação de material da campanha

estimulando a proteção e a defesa dos direitos da

criança e do adolescente a uma vida digna, contra

o abuso sexual.

• Realizou o painel “Práticas afirmativas de organizações

para a erradicação da violência e exploração

sexual infantojuvenil”, para sensibilizar e mobilizar

empregados e a sociedade catarinense para o Dia

Estadual de Mobilização pelo Fim da Violência e

Exploração Sexual Infantojuvenil. O evento contou

com a participação do Ministério Público, do Fórum

Catarinense pelo Fim da Violência e Exploração Sexual

Infantojuvenil e de outras entidades envolvidas

nessa temática no Estado de Santa Catarina.

• Aderiu também à campanha de combate ao trabalho

infantil, disponibilizando em sua página institucional

informações e orientações a respeito dessa

temática.

eletrosul centrais elétricas s.a. 41


dimensão ambiental


5. dimensão

econômico-financeira


dimensão econômico-financeira

A Eletrosul, com

Capital Social de

R$ 1.577,7 milhões,

apresenta, após

consolidar suas

demonstrações

Financeiras,

Patrimônio Líquido

de R$ 2.631,3

milhões. obteve

em 2011, Receita

Operacional Bruta

de R$ 1.467,9

milhões e Lucro

Líquido de R$

104,6 milhões

NOTAS

4. Focus – relatório de mercado de

06/01/12.

5. EPE – Resenha Mensal do Mercado de

Energia Elétrica de set/11.

6. Dados das distribuidoras da Região

Sul e do MS (Copel, Celesc, RGE, AES Sul,

CEEE e Enersul) (até set/11).

Em 2011, o PIB brasileiro cresceu 2,9% 4 , enquanto

o mercado nacional de energia elétrica registrou

um aumento de 3,8% 5 . Para o mercado regional

da empresa (Região Sul e Mato Grosso do Sul), o

consumo total de energia elétrica teve uma variação

de 3,9% em relação ao ano de 2010 6 .

É importante ressaltar o potencial de desenvolvimento

da economia regional e a consequente

expansão do mercado de energia elétrica, para o

qual estudos coordenados pela Empresa de Pesquisa

Energética (EPE) apontam um crescimento

médio anual de 4,6% para o próximo decênio.

Espera-se um crescimento de demanda no setor

ainda maior para os próximos anos, especialmente

com a Copa do Mundo de Futebol a ser realizada

no Brasil em 2014.

Diante desse cenário, a Eletrosul atuou na forçatarefa

denominada “GT Copa 2014”, coordenada

pelo Ministério de Minas e Energia, com participação

da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), do

Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e de

empresas de transmissão e distribuição, que analisaram

o atendimento elétrico das capitais-sedes

dos jogos da Copa do Mundo (Curitiba e Porto Alegre

no caso da Região Sul). Os reforços de transmissão

já planejados, com investimentos da ordem

de R$ 500 milhões para o Estado do RS e de

R$ 240 milhões para o Estado do PR, deverão proporcionar

o adequado atendimento às cidades de

Porto Alegre e Curitiba, durante o período da Copa

do Mundo de 2014.

Para tanto, a empresa vem investindo em novos

empreendimentos, bem como na manutenção e

em melhorias em seu sistema. A principal fonte

de captação de recursos da Eletrosul é o Banco

Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

(BNDES), órgão vinculado ao Ministério do Desenvolvimento,

Indústria e Comércio Exterior que

tem como objetivo apoiar empreendimentos que

contribuam para o desenvolvimento do país. Além

disso, a empresa pode recorrer a outras fontes,

como bancos, bem como à holding Eletrobras,

que, como empresa de capital aberto, acessa fontes

estrangeiras de capital.

A Eletrosul, no âmbito do planejamento empresarial

da transmissão, vem desenvolvendo diversos

estudos para integração e acesso das novas centrais

geradoras eólicas vencedoras no leilão de

energia A-3 de agosto de 2011, que estão localizadas

na região de Sant’Ana do Livramento e Santa

Vitória do Palmar. Elaborou ainda os estudos de

acesso da nova central geradora Megawatt Solar,

cujos painéis fotovoltaicos serão instalados no pátio

e no edifício-sede da empresa, bem como vem

desenvolvendo estudos de integração de novos

potenciais prospectados pela área de negócios da

empresa. Vem realizando ainda estudos de qualidade

de energia relativos aos empreendimentos

de geração eólica Cerro Chato I, II e III, os quais já

se encontram em operação.

Além disso, presta consultoria à Eletrobras

quanto aos estudos de solicitação de acesso da

nova interligação Brasil-Uruguai (525 kV), bem

como no fornecimento de dados à empresa uruguaia

U.T.E., para o desenvolvimento dos estudos

e projeto da conversora de frequência backto-back

de Melo (500 MW).

A Eletrosul, com Capital Social de R$ 1.577,7

milhões, apresenta, após consolidar suas Demonstrações

Financeiras, Patrimônio Líquido

de R$ 2.631,3 milhões. Obteve em 2011 Receita

Operacional Bruta de R$ 1.467,9 milhões e Lucro

Líquido de R$ 104,6 milhões.

A performance da Eletrosul na gestão empresarial

tem possibilitado, de forma significativa, aumentar

a receita de transmissão de energia elétrica

em termos reais, o que permite ampliar de

modo continuado seu volume de investimentos,

totalizando um montante de R$ 2,1 bilhões em geração

e transmissão, incluindo os aportes em Sociedades

de Propósito Específico (SPEs) e em consórcio

em parceria com a Copel, no ano de 2011.

Os empréstimos e financiamentos atingiram um

saldo de R$ 3.905,8 milhões, perante um patri-

44

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


mônio líquido de R$ 2.631,3 milhões e um ativo

total de R$ 9.609,2 milhões. Essa estrutura de

capital, aliada à capacidade interna de geração

de recursos, possibilita a alavancagem financeira

necessária para custear novos investimentos.

Como resultado desses investimentos, a receita anual

permitida (RAP) atingiu, em 2011, o montante de

R$ 920,9 milhões. Fazendo uma evolução dos últimos

12 anos, representa mais de 5,6 vezes a receita

apurada no exercício de 1999 (R$ 165,9 milhões).

A seguir apresentamos quadro-resumo com os principais

indicadores econômico-financeiros consolidados,

destacando que os resultados dos três períodos

estão de acordo com as novas normas contábeis:

(em R$ milhões)

RESULTADO CONSOLIDADO 2009 2010 2011

Receita Operacional Bruta 1.051,5 1.158,6 1.467,9

Receita de Transmissão 804,1 793,7 878,5

Receita de Construção 220,3 315,5 514,2

A receita anual

permitida (RAP)

atingiu, em 2011,

o montante de

R$ 920,9 milhões.

fazendo uma

evolução dos

últimos 12 anos,

representa mais

de 5,6 vezes a

receita apurada no

exercício de 1999

(R$ 165,9 milhões)

Outras 27,1 49,4 75,2

Receita Operacional Líquida 957,1 1.067,0 1.360,4

Lucro Operacional Bruto 528,6 478,0 502,2

Resultado do Serviço 405,5 251,4 267,9

Resultado Financeiro (54,8) (1,2) (144,7)

Lucro Líquido 214,4 67,6 104,6

Ativos Totais 5.617,7 7.050,6 9.609,2

Patrimônio Líquido 2.424,7 2.636,4 2.631,3

Dívida Bruta 1.781,0 2.577,3 3.905,8

Dívida Líquida 1.472,8 2.218,5 3.281,6

Principais indicadores de performance da controladora no exercício

Indicadores Econômico-financeiros 2009 2010 2011

Liquidez corrente (%) 1,18 1,26 1,41

Participação de capital de terceiros* (%) 39,15 42,32 38,49

Margem Líquida (%) 26,2 8,51 12,23

Rentabilidade do capital próprio (médio) (%) 8,10 2,18 2,93

Ebitda (R$ milhões)** 422,0 295,9 352,8

* O Afac foi considerado no PL.

** Excluídos os efeitos da adoção do ICPC 01.

eletrosul centrais elétricas s.a. 45


dimensão econômico-financeira

Detalhamento da Demonstração do Valor Adicionado –

DVA da controladora (conforme balanço societário) GRI EC 1

geração de riqueza 2011 2010

RECEITA OPERACIONAL (Receita bruta de vendas de energia

e serviços)

R$ mil % Δ% R$ MIL %

1.428.671 100 1,67 1.405.260 100

Receita do serviço de O&M 470,923 32,96 8,05 435.827 31,01

Receita de construção e transmissão 92.201 6,45 (14,89) 108.330 7,71

Receita de construção e geração 489.194 34,24 (7,41) 528.325 37,60

Receita com o ativo financeiro 320.932 22,46 11,89 286.822 20,41

Receita de comercialização de energia 33.721 2,36 28,28 21.305 1,52

Receita do serviço prestado a terceiros 19.127 1,34 (4,88) 20.108 1,43

Provisão para créditos de liquidação duvidosa (2.247) (0,16) 310,79 (547) (0,04)

Outras receitas do serviço 4.820 0,34 (5,30) 5.090 0,36

(-) INSUMOS (Insumos adquiridos de terceiros: compra de

energia, material, serviços de terceiros etc.)

789.568 100 (11,74) 894.641 100

Resultado Não Operacional 50.641 100 303,86 (24.841) 100

= VALOR ADICIONADO BRUTO 689.744 100 41,99 485.778 100

( - ) QUOTAS DE REINTEGRAÇÃO (depreciação, amortização) 2.542 100 6,32 2.391 100

= VALOR ADICIONADO LÍQUIDO 687.202 100 36,37 483.387 100

+ VALOR ADICIONADO TRANSFERIDO (Receitas financeiras,

resultado da equivalência patrimonial)

188.315 100 (8,94) 206.792 100

= VALOR ADICIONADO A DISTRIBUIR 875.517 100 23,19 690.179 100

46

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


Com a geração de riqueza por meio de crescimento continuado, a Eletrosul proporciona a distribuição

de parte dessa riqueza, conforme demonstra no quadro a seguir:

Distribuição da Riqueza - Por Partes Interessadas 2011 2010

R$ mil % R$ MIL %

EMPREGADOS 331.794 37,90% 304.070 44,05%

GOVERNO (impostos, taxas e contribuições, e encargos setoriais) 161.045 18,39% 156.443 22,68%

FINANCIADORES 279.306 31,91% 162.043 23,47%

ACIONISTAS 103.372 11,80% 67.623 9,80%

= VALOR ADICIONADO DISTRIBUÍDO (TOTAL) 875.517 100% 690.179 100%

No quadro a seguir, estão detalhados para a parte interessada “Governo”, de forma segregada, os

valores relativos a tributos e contribuições dos encargos específicos do setor como forma de melhor

evidenciar a carga tributária e de encargos sobre a prestação do serviço público de energia elétrica:

Distribuição da Riqueza - governo 2011 2010

R$ mil % R$ MIL %

TRIBUTOS/TAXAS/CONTRIBUIÇÕES 124.954 14,27% 123.045 18,24%

ICMS 204 0,02% 180 0,03%

PIS/PASEP 11.489 1,31% 9.978 1,45%

COFINS 52.950 6,05% 45.987 6,66%

ISS 280 0,03% 207 0,03%

IRPJ a pagar do exercício 8.488 0,97% 15.293 2,22%

CSSL a pagar do exercício 3.799 0,43% 6.354 0,92%

INSS 44.552 5,09% 45.046 6,53%

OUTROS 3.190 0,37% 2.771 0,40%

ENCARGOS SETORIAIS 36.091 4,12% 33.398 4,44%

RGR

CCC

CDE

CFURH

TFSEE

ESS

P&D

23.418

---

4.209

-

8.464

2,67%

---

0,48%

-

0,97%

19.385

---

4.020

-

7.222

2,81%

---

0,58%

-

1,05%

= VALOR DISTRIBUÍDO (TOTAL) 161.045 18,39% 156.443 22,68%

Investimentos na Concessão

A realização do programa dos investimentos em geração e transmissão é apresentada a seguir:

Investimentos 2011 2010

R$ mil Δ% R$ MIL

Expansão da Geração/Distribuição/Transmissão (expansão reforço)* 618,946 (0,48%) 621.955

Renovação da Distribuição/Transmissão NA NA NA

Subtransmissão NA NA NA

* Compõem as ações de ampliações do sistema de transmissão no Sul, ampliação do sistema de transmissão na Região Sul e no Estado de Mato

Grosso do Sul; reforços e melhorias no sistema de transmissão na Região Sul e em Mato Grosso do Sul e manutenção do sistema de transmissão

de energia elétrica. Os valores apresentados não foram corrigidos (valores históricos).

eletrosul centrais elétricas s.a. 47


dimensão econômico-financeira

Outros Indicadores

Outros indicadores da Controladora 2011 2010

VALOR Δ% VALOR

Receita Operacional Bruta (R$) 941.724 7,32% 877.482

Deduções da Receita (R$ Mil) (96.807) 16,69% (82.959)

Receita Operacional Líquida (R$ Mil) 844.917 6,34% 794.523

Custos e Despesas Operacionais do Serviço (R$ Mil) (649.741) 9,75% (592.040)

Receitas Irrecuperáveis 7 (R$ Mil) - - -

Resultado do Serviço (R$ Mil) 195.176 (3,61%) 202.483

Participação Societária (R$ Mil) 33.675 3,60% 32.505

Resultado Financeiro (R$ Mil) (122.246) (957,20%) 14.261

Outras Receitas/Despesas 9.054 105,66% (159.979)

IRPJ/CSSL (R$ Mil) (12.287) (43,24%) (21.647)

Lucro Líquido (R$ Mil) 103.372 52,87% 67.623

Juros sobre o Capital Próprio (R$ Mil) - - -

Dividendos Distribuídos (R$ Mil) 98.203 27,01% 77.321

Custos e Despesas Operacionais por MWh vendido (R$ Mil) - - -

Riqueza (valor adicionado líquido) por Empregado (R$ Mil) 442 46,84% 301

Riqueza (valor adicionado líquido) por Receita Operacional (%) 72,97% 32,46% 55,09%

Ebitda ou Lajida (R$ Mil) 352.830 19,24% 295.888

Margem Ebitda ou Lajida (%) 37,47% 11,12% 33,72%

Liquidez Corrente 1,41 11,90% 1,26

Liquidez Geral 1,53 (0,65%) 1,54

Margem Bruta (lucro líquido/receita operacional bruta) (%) 10,98% 42,41% 7,71%

NOTAS

7. De acordo com os valores informados

para efeito de Revisão tarifária, nos

termos do item I.4.2 da Resolução

Normativa n o 234, de 7 de novembro de

2006.

Margem Líquida (lucro líquido/receita operacional líquida) (%) 12,23% 43,71% 8,51%

Rentabilidade do Patrimônio Líquido (lucro líquido/patrimônio líquido) (%) 2,93% 33,94% 2,18%

Estrutura de Capital

Capital próprio (%)

Capital de terceiros oneroso (%) (empréstimos e financiamentos)

Inadimplência de Clientes (contas vencidas até 90 dias/receita operacional bruta

nos últimos 12 meses)

36,62%

25,63%

(19,07%)

(0,19%)

45,25%

25,68%

0,00 - 0,00

48

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


| 5.1 investimentos por tipo de negócio

5.1.1. Geração

A atual carteira de empreendimentos de geração de energia elétrica conta com investimentos

previstos de R$ 7.212 milhões e totaliza 1.957,4 MW de potência instalada.

UHE

PCH

Empreendimentos

Potência

Instalada

Previsão de entrada

em operação

Passo São João (RS) 77 MW 2012

São Domingos (MS) 48 MW 2012

Complexo São Bernardo (SC)

Complexo Alto da Serra (SC)

Barra do Rio Chapéu 15 MW 2012

João Borges 19 MW 2012

Itararé 9 MW A definir

Pinheiro 10 MW A definir

Coxilha Rica 18 MW A definir

Santo Cristo 19,5 MW A definir

São Mateus 19 MW A definir

A atual carteira de

empreendimentos de

geração de energia

elétrica conta com

investimentos

previstos de R$ 7.212

milhões e totaliza

1.957,4 MW de

potência instalada

Complexo Lava Tudo (SC)

Antoninha 13 MW A definir

Gamba 10,8 MW A definir

Malacara 9,2 MW A definir

SOL Megawatt Solar (SC) - 1 MW 2012

UHE Passo São João (RS)

O enchimento do reservatório foi realizado nos

meses de agosto e setembro. O empreendimento

está na fase final de implantação e apresenta

avanço físico acumulado de 88,9%.

UHE São Domingos (MS)

Foram adquiridas todas as propriedades necessárias

à construção da usina e do reservatório. O

desvio do rio pelas adufas ocorreu em julho, e foi

iniciado em novembro o desmatamento do reservatório.

Avanço físico acumulado: 72,8%.

PCH Barra do Rio Chapéu (SC)

Concluído o desvio do rio e iniciada a construção

do vertedouro. Está em andamento a construção

eletrosul centrais elétricas s.a. 49


dimensão econômico-financeira

Em 2011, a

Empresa investiu

R$ 1.592,0 milhões

no segmento

de geração de

energia elétrica,

considerando-se

os investimentos

em obras próprias

e em parceria

do túnel de adução e a casa de força. Foi concluído

o sistema de conexão da usina. Avanço físico

acumulado: 67,9%.

Empreendimentos em Parceria

Empreendimentos

Consórcio

UHE Mauá (PR)

Composição Societária

Eletrosul 49%

Copel 51%

PCH João Borges (SC)

Foram adquiridas todas as propriedades necessárias

à construção da usina e do reservatório.

O canal de adução foi concluído. Foi iniciado em

outubro o desmatamento do reservatório. Está

em construção a SE Coletora Itararé e em fase de

conclusão as adufas de desvio do rio. Avanço físico

acumulado: 52,7%.

Potência

Instalada

Previsão de entrada

em operação

176,9 MW* 2012

Eletrosul 24,5%

UHE Teles Pires (MT/PA)

Neoenergia 50,1%

Furnas 24,5%

445,9 MW* 2015

Odebrecht 0,9%

Eletrosul 20%

UHE Jirau – ESBR (RO)

Suez 50,1%

Chesf 20%

750 MW* 2014

Camargo Corrêa 9,9%

SPE

Complexo Eólico Cerro

Chato (RS)

Eletrosul 90%

Wobben 10%

81 MW* 2011

Complexo Eólico Sant’Ana do

Livramento (RS)

Eletrosul 49%

Rio Bravo Investimentos 41%

Fundação Elos 10%

38,2 MW* 2013

Complexo Eólico Chuí (RS)

Eletrosul 49%

Rio Bravo Investimentos 51%

70,5 MW* 2014

Complexo Eólico Santa Vitória

do Palmar (RS)

Eletrosul 49%

Rio Bravo Investimentos 51%

126,4 MW* 2014

* Considerando apenas o percentual da Eletrosul.

UHE Mauá (PR)

Eletrosul (49%) e Copel (51%) – Foram concluídas

a barragem e a construção das LTs 230 kV e da

Subestação Elevadora. A subestação da Casa de

Força Complementar (11 MW) está com 50% da

montagem eletromecânica executada. Ocorreu o

início do comissionamento da primeira unidade

geradora da usina principal. Avanço físico acumulado:

97,04%.

UHE Teles Pires (MT)

A Eletrosul (24,5%), em parceria com as empresas

Neoenergia (50,1%), Furnas (24,5%) e Odebrecht

(0,9%), sagrou-se vencedora do Leilão Aneel n o

004/2010 para implantação e exploração da UHE

Teles Pires. O início das obras ocorreu no segundo

semestre de 2011, com a implantação do canteiro

pioneiro, acesso, alojamentos, programas ambientais

e trabalhos de supressão de vegetação. Foi

aprovado o empréstimo-ponte BNDES à Companhia

Hidrelétrica Teles Pires e liberada a primeira

parcela em dez/2011. A previsão é que as primeiras

unidades entrem em operação comercial em 2015.

UHE Jirau (RO)

A UHE Jirau está sendo construída pela Energia

Sustentável do Brasil, constituída pela Eletrosul

(20%), Chesf (20%) Suez (50,1%) e Camargo Corrêa

(9,9%). Em 2011 foi concluída a concretagem

do vertedouro e realizado o desvio do rio em setembro.

Foi iniciada a construção da barragem

principal. Avanço físico acumulado: 67,69%.

50

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


UEE Cerro Chato (RS)

A Eletrosul (90%), em parceria com a empresa

Wobben (10%), concluiu a implantação das usinas

Cerro Chato I, II e III com sete meses de antecipação

em relação ao cronograma Aneel.

Em 2011, a empresa investiu R$ 1.592 milhões no

segmento de geração de energia elétrica, considerando-se

os investimentos em obras próprias

e em parceria.

5.1.2. Transmissão GRI 2.8

O Sistema de Transmissão Próprio da Eletrosul é

constituído por 39 subestações e uma conversora

de frequência (localizada na fronteira do Brasil

com a Argentina), com uma capacidade total de

transformação de 22.269,3 MVA, além de 10.006,1

km de Linhas de Transmissão.

Além disso, a Eletrosul tem envolvimento com

mais 32 subestações e 1.911,9 km de Linhas de

Transmissão de propriedade de outras empresas,

nas quais possui equipamentos e/ou bays instalados,

ou presta serviço de manutenção e/ou operação,

totalizando uma capacidade de transformação

de 23.745,3 MVA.

Além de investir

em ativos próprios,

a Eletrosul

participa, como

parceira, em outros

empreendimentos

de transmissão de

energia elétrica.

Nas Sociedades

de Propósito

Específico (SPEs)

aplicou, em 2011,

R$ 218,8 milhões,

que, somados

aos exercícios

anteriores,

perfazem um

investimento

total de R$ 665,9

milhões

Sistema de Transmissão Eletrosul

Próprio

Parceria/Prestação

de Serviços

Total

Subestações 40 32 72

Capacidade de Transformação (MVA) 22.269,30 1.476,00 23.745,30

Tensão (kV) km km km

69 56,2 - 56,2

132 12,5 - 12,5

Linhas de Transmissão (km)

138 1.841,30 338,20 2.179,50

230 5.150,60 569,30 5.719,90

525 2.945,50 1.004,43 3.949,93

Total 10.006,10 1.911,93 11.918,03

Além de investir em ativos próprios, a Eletrosul

participa, como parceira, em outros empreendimentos

de transmissão de energia elétrica. Nas

Sociedades de Propósito Específico (SPEs) a seguir

listadas, aplicou, em 2011, R$ 218,8 milhões,

que, somados aos exercícios anteriores, perfazem

um investimento total de R$ 665,9 milhões.

eletrosul centrais elétricas s.a. 51


dimensão econômico-financeira

Empreendimentos em Parceria

Empreendimento

Composição Societária

Artemis Transmissora de Energia S.A. Eletrosul 100%

Eletrosul 24,5%

Construtora Integração Ltda.

Eletronorte 24,5%

Abengoa Brasil 51%

Costa Oeste Transmissora de Energia S.A.

Eletrosul 49%

Copel 51%

Empresa de Transmissão de Energia do Rio Grande do Sul S.A. – RS Energia Eletrosul 100%

Eletrosul 27,4%

Empresa de Transmissão do Alto Uruguai S.A. – Etau

Transmissora Aliança 52,6%

CEEE 10%

DME Energética 10%

Marumbi Transmissora de Energia S.A.

Eletrosul 20%

Copel 80%

Eletrosul 24,5%

Norte Brasil Transmissora de Energia S.A. – NBTE

Eletronorte 24,5%

Abengoa Brasil 51%

Porto Velho Transmissora de Energia S.A. – PVTE Eletrosul 100%

Transmissora Sul Brasileira de Energia S.A.

Uirapuru Transmissora de Energia S.A.

Eletrosul 80%

Copel 20%

Eletrosul 75%

Fundação Elos 25%

Na gestão dos seus ativos pertencentes à rede básica, a Eletrosul apresenta o seguinte desempenho

quanto à disponibilidade:

valores em %

instalação 2009 2010 2011

Linhas de Transmissão 99,93 99,92 99,90

Banco de Capacitores 99,88 99,81 99,75

Reatores 99,95 99,89 99,94

Transformadores 99,92 99,89 99,88

Disponibilidade Total 99,92 99,89 99,90

Em 2011 foram contabilizados investimentos na

Ampliação do Sistema de Transmissão da Região

Sul e Estado de Mato Grosso do Sul, no valor de

R$ 67,66 milhões, aplicados na expansão e infraestrutura

do sistema de transmissão.

Nessa área, foram concluídos seis empreendimentos

previstos nas Resoluções Autorizativas Aneel

n o 2.164/2009, 2.327/2010 e 2.589/2010, conforme

descrito a seguir:

• SECCIONAMENTO DA LT 138 kV ITAJAÍ

FAZENDA-FLORIANÓPOLIS: Implantação dos

trechos de linha: Biguaçu-Florianópolis e Itajaí

Fazenda-Biguaçu, em 138 kV, 3,58 km de extensão,

circuito simples, cabo tipo CAA 477 kcmil,

52

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


originários do seccionamento da LT 138 kV Itajaí

Fazenda-Florianópolis.

• SE CANOINHAS 230/138 kV – AMPLIAÇÃO

“E”: Substituição de dois autotransformadores

230/138 kV (TF1 e TF2) de 75 MVA cada, por duas

unidades de 150 MVA cada, e substituição de seis

transformadores de corrente 138 kV.

• SE JOINVILLE 230/138/69 kV – AMPLIAÇÃO

“J”: Instalação de módulo de conexão, em 230

kV, arranjo BPT, para adequação da conexão do

Autotransformador TR7 230/138 kV e adequação

do módulo de conexão do Autotransformador TR4

230/138 kV.

• SE XANXERÊ 230/138 kV – AMPLIAÇÃO “I”:

Substituição do Autotransformador TF3 230/138

kV, de 84 MVA, por uma unidade de 150 MVA e

substituição do Autotransformador TF4 230/138

kV, de 75 MVA (a ser remanejado para SE Dourados),

por uma unidade de 150 MVA.

• SE CURITIBA 525/230 kV – AMPLIAÇÃO “K”:

Relocação da Barra de Transferência 230 kV.

• SE DOURADOS 230/138 kV – AMPLIAÇÃO “F”:

Implantação do 4 o autotransformador 230/138 kV,

de 75 MVA (remanejado da SE Xanxerê) e conexões

associadas.

Além disso, a empresa foi autorizada a executar

sete novos empreendimentos nos termos

das Resoluções Aneel 2.879/2010, 3.161/2011

e 3.232/2011, com conclusão prevista para o

decorrer de 2012 e 2013, conforme descrito a

seguir:

• SECCIONAMENTO DA LT 138 KV BIGUAÇU--

-TIJUCAS-CAMBORIÚ MORRO DO BOI: Seccionamento

1 x 0,2 km, Circuito Simples, correção

de derivação simples em Tijucas, com o

objetivo de flexibilizar a operação do sistema

na região, em razão da impossibilidade de desligamentos

na referida linha de transmissão.

eletrosul centrais elétricas s.a. 53


dimensão econômico-financeira

• SECCIONAMENTO DA LT 138 kV JORGE LA-

CERDA A-PALHOÇA, em circuito duplo e módulos

de conexão associados, para implantação da nova

SE Garopaba (Celesc), para viabilizar a implantação

da nova Subestação Garopaba 138 kV pela

distribuidora Celesc.

• SECCIONAMENTO da LT 138 kV IMBITUBA--

-PALHOÇA, em circuito duplo e módulos de conexão

associados, para implantação da nova SE

Palhoça Pinheira (Celesc), para viabilizar a implantação

da nova Subestação Palhoça Pinheira 138

kV pela distribuidora Celesc.

• SE JOINVILLE – Ampliação “K”, complementação

da conexão do Autotransformador TF-5

138/69 kV e relocação dos Autotransformadores

TF-7 e TF-8, para aumentar a flexibilidade operativa

e o atendimento aos critérios de confiabilidade

da subestação.

• SE JOINVILLE NORTE – Ampliação “C” para

instalação do 3 o Autotransformador 230/138-

-13,8 – 150 MVA, para evitar que na perda de uma

54

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


das unidades existentes ocorra sobrecarga na unidade

remanescente.

• SECCIONAMENTO LT 230 kV PASSO FUNDO-

-MONTE CLARO, em circuito duplo, para a SE

Nova Prata 2 (CEEE), evitando possíveis subtensões

na região de Nova Prata, na contingência da

LT 230 kV Nova Prata 2-Monte Claro.

• Realocação de trecho da LT 230 kV Cascavel

Oeste-Guairá, 0,6 km da LT 230 kV Cascavel Oeste-Guaíra

(isolada em 525 kV) na chegada da SE

Cascavel Oeste.

No que se refere aos Reforços e Melhorias do Sistema

de Transmissão, em 2011, foram contabilizados

investimentos de R$ 19,66 milhões. Esses

investimentos visam à realização das modificações

e alterações necessárias nas instalações da

Eletrosul, para retirar restrições ao sistema de

transmissão e melhorar a confiabilidade e flexibilidade

da sua operação e manutenção. Para aten-

eletrosul centrais elétricas s.a. 55


dimensão econômico-financeira

der às necessidades do Plano de Modernização

das Instalações de Interesse Sistêmico (PMIS) e

de outras de interesse exclusivo da empresa, foram

concluídos 15 empreendimentos previstos no

PMIS e nas Resoluções Autorizativas Aneel n o

2.040/2009, 2.376/2010 e 2.837/2011, conforme

descrito a seguir:

• SE PASSO FUNDO 230/138 kV, 168 MVA:

Substituição de transformador de corrente 13,8

kV para serviço auxiliar.

• SE JOINVILLE NORTE 230/138 kV, 300 MVA:

Implantação de módulo de entrada de linha para

LT Joinville IV 138 kV (Celesc).

• SE BLUMENAU 525/230/138 kV, 1962 MVA:

Substituição da proteção da LT 525 kV Curitiba.

• SE CURITIBA 525/230 kV, 1344 MVA: Substituição

da proteção da LT 525 kV Blumenau.

• SE BLUMENAU 525/230/138 kV, 1962 MVA:

Substituição de três Transformadores de Corrente

do Circuito 230 kV Biguaçu.

• SE CURITIBA 525/230 kV, 1344 MVA: Substituição

de seis Transformadores de Corrente da LT

525 kV Blumenau.

• SE JORGE LACERDA A 230/138/69 kV, 399,8

MVA: Implantação de um módulo de entrada de

linha de 69 kV.

• SE BIGUAÇU 525/230/138 kV, 972 MVA: Implantação

de um módulo de entrada de LT 138

kV, para a SE Tijucas, de propriedade da Celesc.

• SE CURITIBA 525/230 kV, 1344 MVA: Substituição

dos Transformadores de Corrente da linha

para Joinville Norte, Joinville, São Mateus e do

vão interligador.

• SE CURITIBA 525/230 kV, 1344 MVA: Substituição

dos Transformadores de Corrente da interligação

com a SE Umbará devido à superação em

regime permanente.

56

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


• SE FLORIANÓPOLIS 138/69 kV, 75 MVA:

Substituição dos Transformadores de Corrente

do módulo do DJ n o 312 (TF1).

• SE JORGE LACERDA A 230/138/69 kV, 399,8

MVA: Substituição dos Transformadores de Corrente

dos módulos dos Disjuntores n o 452 (LT Tubarão),

442 (LT Braço do Norte) e 422 (TF8).

• SE JOINVILLE 230/138/69 kV, 691 MVA: Substituição

dos barramentos principal e de transferência

de 230 kV.

• SE URUGUAIANA: Aquisição e instalação do

Sistema Especial de Proteção (SEP) de subtensão.

• SE MONTE CLARO 230 kV: Revisão do Sistema

Especial de Proteção (SEP) de controle de carregamento

da LT Monte Claro-Farroupilha, com a

inclusão de novos estágios de atuação.

Essas melhorias e reforços oferecem maior disponibilidade,

confiabilidade e flexibilidade ao sistema

de transmissão da Eletrosul. Mantendo a regularidade,

a continuidade, a segurança e a atualidade

do serviço público de transmissão de energia elétrica,

compreendem a modernidade das técnicas

e a conservação das instalações de transmissão,

em conformidade com o contrato de concessão do

serviço público de transmissão de energia elétrica

e os Procedimentos de Rede.

Além disso, visando ao aumento de capacidade

de transmissão e ao aumento de confiabilidade

do Sistema Interligado Nacional (SIN), a Eletrosul

foi autorizada a implantar reforços em instalações

de transmissão integrantes da Rede

Básica e das demais Instalações de Transmissão

através da Resolução Autorizativa Aneel n o

2.837/2011, realizando dois reforços significativos

para 2013, conforme descritos a seguir:

• SE JOINVILLE, 230/138/69 kV, 691 MVA:

Substituição dos transformadores de corrente dos

vãos dos transformadores 1, 2, 3, 5, 7, e dos vãos

das Subestações Ilhota, Joinville SC, Tigre, São

Bento do Sul e Joinville IV-1.

• SE ILHOTA, 138/69 kV, 100 MVA: Substituição

dos transformadores de corrente do vão Joinville.

Certificação 9001

Manutenção da Certificação NBR ISO 9001:2008

dos processos de recapacitação de equipamentos

de pátio, e regeneração de óleo mineral isolante e

gás SF 6

, que em novembro de 2011 completou um

ano. A certificação confere garantia de qualidade

aos equipamentos recapacitados na Oficina Central

da Eletrosul.

Linhas de Transmissão

Em 2011, a Eletrosul concluiu a construção do

Centro de Treinamento de Gravataí (CTG), destinado

ao treinamento das equipes de manutenção

de linhas em montagem e manutenção

de torres estaiadas. Foram instaladas quatro

torres, sendo duas torres autoportantes nas

extremidades e duas torres estaiadas intermediárias.

Com a conclusão do CTG, as equipes de

manutenção de linhas já podem receber treinamentos

de intervenções e montagem de torres

estaiadas, o que antes só podia ser realizado na

linha ou em emergências.

Interconexões Internacionais

Brasil-Argentina: a empresa, por meio da Conversora

de Frequência de Uruguaiana (50 MW),

possibilita o intercâmbio de energia elétrica, interligando

Paso de Los Libres/Argentina com Uruguaiana/Brasil.

Brasil-Uruguai: para esta interconexão elétrica,

a empresa, como contratada da Eletrobras,

presta serviços de operação e manutenção da

LT 230 kV Livramento 2-Rivera e do módulo da

SE Livramento 2 de integração com a Conversora

de Frequência de Rivera, com capacidade

de 70 MW, interligando Rivera/Uruguai com

Sant’Ana do Livramento/Brasil. Realiza o registro

dos montantes de intercâmbio de energia

elétrica nessas duas interconexões, informando

a Câmara de Comercialização de Energia

Elétrica (CCEE), com a finalidade de operacionalizar

a comercialização no Sistema Interligado

Nacional (SIN).

eletrosul centrais elétricas s.a. 57


dimensão econômico-financeira

A Eletrosul sagrou-

-se vencedora no

Leilão Aneel

nº 02/2011 (A-

3) em agosto

de 2011. Foram

constituídas três

holdings (SPEs

Livramento,

Santa Vitória do

Palmar e Chuí)

responsáveis pela

implantação do

total de 21 parques

no RS, totalizando

480 MW de

potência instalada.

O Complexo

Eólico Livramento

teve suas obras

iniciadas em

dezembro, com

o objetivo de

antecipar o

cronograma de

implantação em 12

meses em relação

ao cronograma

Aneel

| 5.2 Comercialização

Durante 2011, a Eletrosul manteve a entrega de

37 MW médios referente aos 31 Contratos de Comercialização

de Energia Elétrica no Ambiente

Regulado (CCEARs) da UHE Passo São João, iniciada

em janeiro de 2010. Adicionalmente, em 1 o

de janeiro de 2011, a UHE Mauá começou o suprimento

de 94,08 MW médios, vendidos por meio

de 24 CCEARs.

Considerando os novos cronogramas da entrada

em operação comercial da UHE Passo São João

e Mauá, todo o lastro da energia e potência necessário

para cumprir os CCEARs (131,08 MW médios)

foi assegurado por contratos de compra de

energia elétrica (CCVEEs) firmados no Ambiente

de Contratação Livre.

Visando assegurar o lastro até o início da geração

comercial das duas usinas (previsto para

2012), foram realizados leilões de compra de

energia. Esses certames também compuseram

o lastro da UHE São Domingos.

No total, a Eletrosul adquiriu 94,19 MW médios,

montante suficiente para atender às obrigações

contratuais das três usinas durante 2012.

58

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


A empresa vem

desenvolvendo

ações com o

objetivo de

obter vantagens

competitivas na

Plataforma de

Energia Renovável.

Em seu plano

estratégico, vem

desenvolvendo

projetos de

expansão de

empreendimento

em energia

hidráulica, eólica e

energia solar, bem

como o estudo

de viabilidade de

implantação de

empreendimentos

com o benefício do

crédito de carbono

| 5.3. Novos Negócios

A Eletrosul, em parceria com o Fundo Rio Bravo,

a Elos e outras pequenas participações, sagrouse

vencedora no Leilão Aneel n o 02/2011 (A-3) em

agosto de 2011. Foram constituídas três holdings

(SPEs Livramento, Santa Vitória do Palmar e Chuí)

responsáveis pela implantação do total de 21 parques

no RS, totalizando 480 MW de potência instalada.

O Complexo Eólico Livramento teve suas

obras iniciadas em dezembro, com o objetivo de

antecipar o cronograma de implantação em 12

meses em relação ao cronograma Aneel.

Além da performance nas eólicas, outra vitória

importante para a Eletrosul foi a contratação de

450 MW de energia, ao valor de R$ 102,00 o MWh,

relativa à ampliação da UHE Jirau.

Destaca-se, ainda no ano de 2011, a conquista de

três lotes em Leilões de Transmissão promovidos

pela Aneel. A Eletrosul, em parceria com a Copel,

conquistou o Lote E do Leilão de Transmissão Aneel

004/2011, compreendendo a implantação da LT

Cascavel Oeste-Umuarama (230 kV), com 143 km

de extensão, e da SE Umuarama (230/138 kV). Esses

empreendimentos irão reforçar o suprimento

de energia elétrica à região noroeste do Paraná.

eletrosul centrais elétricas s.a. 59


dimensão econômico-financeira

No leilão 006/2011, novamente em parceria com a

Copel, a Eletrosul conquistou os Lotes A e F. O Lote

A compreende a implantação de uma nova subestação

SE Camaquã 3, 230/69 kV, e quatro Linhas de

Transmissão: LT 230 kV Nova Santa Rita-Camaquã

3, com 140 km de extensão; LT Camaquã 3-Quinta,

com 163 km de extensão; LT 525 kV Salto Santiago-

Itá, com 190 km de extensão, e LT 525 kV Itá-Nova

Santa Rita, com 305 km de extensão. Já o Lote F

envolve a implantação de uma subestação, Curitiba

Leste 525/230 kV, e de uma LT 525 kV Curitiba-

Curitiba Leste, com 28 km de extensão.

Mudanças Climáticas GRI ec2

As empresas de energia estão expostas a riscos

físicos e implicações financeiras em decorrência

das mudanças climáticas extremas que podem

afetar a disponibilidade das Linhas de Transmissão

de energia. Para garantir altos índices de

disponibilidade de seu sistema de transmissão,

a Eletrosul possui indicadores, pesquisas de

fatores ambientais e uma robusta estrutura de

controle de Linhas de Transmissão e subestação.

Historicamente as regiões de atuação da Eletrosul

não estão expostas a desastres naturais de

grande magnitude, mas o aumento da intensidade

de algumas perturbações, como vendavais,

chuvas e descargas atmosféricas, podem afetar,

ao longo dos anos, os negócios da empresa

como um todo.

Diante desse ambiente, a Eletrosul entende que

as mudanças climáticas são desafios aos quais

a empresa está exposta. Em termos de implicações

financeiras, não foi identificado aumento

dos custos de manutenção e reparo de Linhas de

Transmissão em decorrência de ações climáticas

extremas, porém, identificar riscos, vulnerabilidades

e oportunidades tornou-se uma estratégia

que agrega valor ao negócio da companhia e

que permite aproveitar os efeitos físicos causados

pelas potenciais mudanças do clima em seu

benefício e de toda a sociedade.

É por isso que a empresa vem desenvolvendo

ações com o objetivo de obter vantagens competitivas

na Plataforma de Energia Renovável.

Em seu plano estratégico, vem desenvolvendo

projetos de expansão de empreendimento em

energia hidráulica, eólica e energia solar, bem

como o estudo de viabilidade de implantação de

empreendimentos com o benefício do crédito de

carbono.

Um dos projetos nesse sentido é o desenvolvimento

de um sistema de digestão anaeróbica de

alto desempenho para tratamento de vinhaça 8

visando o aproveitamento energético do biogás,

realizado em parceria com o Instituto de Tecnologia

para o Desenvolvimento (Lactec) desde

abril de 2011 na região de Umuarama (PR).

Destacam-se também o projeto Bio-óleos, um

estudo sobre a viabilidade de utilização de bioóleos

em motores diesel para utilização em células

a combustível, e o projeto de Energia por

Indução, que estuda a obtenção de fonte de

energia por indução nos para-raios ao longo de

linha de transmissão.

| 5.4 Impactos socioeconômicos

GRI

EC9

NOTAS

8. Produto resultante da destilação do

licor de fermentação do álcool de cana-

-de-açúcar; restilo, vinhoto.

A Eletrosul entende que, além das ações ambientais

diretamente relacionadas aos empreendimentos

da empresa, o investimento socioambiental

realizado nas comunidades faz emergir,

mesmo que indiretamente, impactos econômicos

consideráveis, como o desenvolvimento dos chamados

Centros Comunitários de Produção, nas

localidades que receberam benefícios do Programa

Luz para Todos. As unidades de produção

e acesso a novas tecnologias têm por objetivo

melhorar e diversificar as produções nas comunidades

tradicionais, difundindo o uso eficiente

60

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


da energia elétrica e gerando renda a essas comunidades.

As regiões de empreendimentos elétricos passam

por profundas mudanças sociais, ambientais e econômicas,

com diversos impactos para a economia

local. O crescimento demográfico e o aumento da

oferta de empregos levam a um impacto direto no

mercado de bens e prestação de serviços, principalmente

em função de um aumento considerável

no número de consumidores potenciais, dinamizando

a economia desses municípios.

As propriedades atingidas pela implantação de

empreendimentos são em sua maioria exploradas

para fins econômicos. Assim, desde o início

das obras de engenharia essas propriedades terão

suas áreas alteradas, influindo diretamente

na renda familiar. Há também um aumento do

tráfego rodoviário, rural e urbano, em função da

mobilização de equipamentos e deslocamento

de empregados.

A infraestrutura local também é impactada devido

a interferências com pontes e estradas situadas

dentro da área do futuro reservatório e APP.

O mercado imobiliário regional passa por alterações

temporárias, uma vez que surge a necessidade

de compra de terras particulares em grande

escala, num curto espaço de tempo, elevando valores,

acirrando disputas, aquecendo o mercado

e desestabilizando a questão fundiária regional.

Além disso, há um aumento temporário das receitas

públicas municipais, em função da instalação

de diversas empresas na área e consequente

aumento da base arrecadatória do município,

da compra de equipamentos e materiais para

construção e também da prestação de serviços,

como alimentação e transporte, para os empregados

da obra. Esse aumento significativo, ainda

que temporário, colabora para a melhoria de

infraestrutura nos municípios atingidos e consequentemente

na região como um todo.

produção energética desses empreendimentos

em âmbito regional, possibilita um incremento

industrial nos municípios da região, potencializando

a geração de demandas de emprego e

aumento de renda familiar.

A compensação financeira pela utilização dos

recursos hídricos para fins de geração de energia

elétrica é um percentual que as concessionárias

e empresas autorizadas a produzir energia

por geração hidrelétrica pagam pela utilização

de recursos hídricos. A Aneel gerencia a arrecadação

e a distribuição dos recursos entre os

beneficiários: estados, municípios e órgãos da

administração direta da União.

Além disso, a Eletrosul prima por realizar melhorias

nas comunidades do entorno de seus

empreendimentos, como reassentamentos individuais

em estruturas melhores que as anteriores,

melhorias na infraestrutura do local, como

malhas viárias, entre outras. Tais melhorias podem

ser observadas nos programas ambientais

voltados à comunidade, por exemplo, os Programas

da Usina Hidrelétrica Passo São João, que

contou com os seguintes benefícios:

• Resgate Socioambiental da Paisagem;

• Programa de Apoio ao Desenvolvimento

Turístico;

• Programa de Remanejamento da População e

Reorganização das Áreas Remanescentes;

• Programa de Recomposição do Sistema Viário

e da Infraestrutura Básica;

• Pacuera – Plano de Conservação e Uso do

Entorno do Reservatório Artificial;

• Programa de Educação Ambiental –

envolvendo escolas e a comunidade.

A Eletrosul prima

por realizar

melhorias nas

comunidades do

entorno de seus

empreendimentos,

como

reassentamentos

individuais em

estruturas melhores

que as anteriores,

melhorias na

infraestrutura do

local, como malha

viárias, entre outras

A adição de energia firme ao sistema elétrico

nacional, a se considerar o aproveitamento da

eletrosul centrais elétricas s.a. 61


dimensão ambiental

62

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


6. dimensão Social

eletrosul centrais elétricas s.a. 63


dimensão social

A Eletrosul amplia

o alcance de seus

compromissos

mediante o

desenvolvimento de

diversos programas,

com foco em educação

em conservação

de energia elétrica,

promoção de arte

regional, educação

para acesso ao

mercado de trabalho,

desenvolvimento de

atividades esportivas,

desenvolvimento

tecnológico e de

infraestrutura das

comunidades,

valorização de

empregados

terceirizados,

voluntariado

corporativo, geração

de trabalho, renda

e inclusão social

A Eletrosul, almejando o desenvolvimento sustentável

da sociedade, promove ações que têm

impacto positivo sobre o meio ambiente e o desenvolvimento

econômico, social e cultural das

comunidades das áreas de atuação da empresa,

sempre pautada em sua Política de Investimento

Social, que determina as diretrizes e os focos de

atuação do investimento social da empresa.

Convicta de que Responsabilidade Social é um

dos marcos de uma política empresarial baseada

na integridade, igualdade e inclusão social, e buscando

alcançar os objetivos de inserção e melhor

relacionamento da empresa com a sociedade e a

comunidade, a Eletrosul amplia o alcance de seus

compromissos mediante o desenvolvimento de

| 6.1 Público Interno

Em 2011 o quadro próprio da Eletrosul contava ao

final do período com um total de 1.554 empregados

próprios e 404 terceirizados. Foram 83 empregados

admitidos por intermédio de Concurso

Público e 11 empregados readmitidos de acordo

com a Lei da Anistia, n o 8.878, de 11/05/1994. Segundo

a Orientação Normativa MPOG/RH n o 4 de

09/07/2008, a readmissão dos empregados anistiados

não onera o limite de 1.672 vagas estabelecido

pela Portaria MP n o 19 de 28/12/2006 do

Departamento de Coordenação e Governança das

Empresas Estatais (Dest). Dessa forma, o grau de

ocupação do limite de vagas da empresa em 2011

foi de 92,94% do total estabelecido.

diversos programas, com foco em educação em

conservação de energia elétrica, promoção de arte

regional, educação para acesso ao mercado de trabalho,

desenvolvimento de atividades esportivas,

desenvolvimento tecnológico e de infraestrutura

das comunidades, valorização de empregados terceirizados,

voluntariado corporativo, geração de

trabalho, renda e inclusão social.

A Eletrosul apoia formalmente duas iniciativas

da Organização das Nações Unidas (ONU): o Pacto

Global (Global Compact) e as Metas do Milênio.

Por meio do Pacto Global, a Eletrosul compromete-se

com princípios básicos de defesa

dos direitos humanos, direitos do trabalho, proteção

do meio ambiente e combate à corrupção.

Em 2011 também ocorreram 134 desligamentos,

sendo que 86,67% dos casos provêm do Plano de

Readequação Programada do Quadro de Pessoal

(Preq). O Preq é composto dos seguintes programas:

(a) Programa de Repasse de Conhecimentos

(PRC) – destinado à retenção do conhecimento

crítico da empresa; (b) Programa de Bônus para

o Desligamento Voluntário por Cumprimento de

Metas (PCM) – como estímulo ao repasse do conhecimento

na quantidade e qualidade exigida

pela empresa; (c) Programa de Orientação para a

Aposentadoria (Popa) – voltado para a preparação

psicossocial de empregados e cônjuges no que diz

respeito à aposentadoria e os seus reflexos. Dessa

forma, a taxa de rotatividade do quadro funcional

da empresa em 2011 ficou, excepcionalmente, em

6,9%. Os 11 empregados requisitados de outros

órgãos, em atuação na Eletrosul, foram alocados

em áreas estratégias de forma a colaborar com os

desafios e as metas da empresa. la1 la2

GRI

O quadro a seguir apresenta a evolução do número

de empregados nos três últimos exercícios:

Quadro Funcional DEZ/2009 DEZ/2010 DEZ/2011

Empregados 1.556 1.605 1.554

Empregados Anistiados (Lei n o 8.878/94) 24 112 121

QUADRO PRÓPRIO DE EMPREGADOS 1.580 1.717 1.675

(+) Admissões 82 114 83

(+) Readmissões de Empregados Anistiados (Lei n o 8.878/94) 24 88 9

(–) Desligamentos 109 65 134

VARIAÇÃO DO QUADRO PRÓPRIO (3) 137 (42)

Requisitados 7 8 11

64

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


Composição dos empregados da empresa:

GRI

la13

dados quantitativos 2011

1. Número de empregados (por categoria funcional)

a) Cargos gerenciais 98

b) Cargos com nível superior 529

c) Cargos sem nível superior 927

2. Empregados permanentes por categoria funcional

Cargos com nível superior – Feminino 141

Cargos com nível superior – Masculino 388

Cargos gerenciais – Feminino 11

Cargos gerenciais – Masculino 87

Cargos sem nível superior – Feminino 115

Cargos sem nível superior – Masculino 812

3. Empregados abaixo de 30 anos

Feminino 55

Masculino 156

4. Empregados entre 30 e 50 anos

Feminino 157

Masculino 858

5. Empregados acima de 50 anos

Feminino 55

Masculino 273

6. Empregados em cargos gerenciais

Acima de 50 anos – Feminino 3

Acima de 50 anos – Masculino 32

Amarelos – Feminino 0

Amarelos – Masculino 1

Indígenas – Feminino 0

Indígenas – Masculino 0

Negros – Feminino 1

Negros – Masculino 0

Pardos – Feminino 0

Pardos – Masculino 3

Pessoas com deficiência – Feminino 1

Pessoas com deficiência – Masculino 0

eletrosul centrais elétricas s.a. 65


dimensão social

dados quantitativos (continuação) 2011

7. Empregados em cargos com nível superior

Acima de 50 anos – Feminino 16

Acima de 50 anos – Masculino 82

Amarelos – Feminino 0

Amarelos – Masculino 3

Indígenas – Feminino 0

Indígenas – Masculino 0

Negros – Feminino 2

Negros – Masculino 11

Pardos – Feminino 0

Pardos – Masculino 5

Pessoas com deficiência – Feminino 0

Pessoas com deficiência – Masculino 3

8. Empregados em cargos sem nível superior

Acima de 50 anos – Feminino 47

Acima de 50 anos – Masculino 202

Amarelos – Feminino 0

Amarelos – Masculino 4

Indígenas – Feminino 0

Indígenas – Masculino 2

Negros – Feminino 2

Negros – Masculino 16

Pardos – Feminino 4

Pardos – Masculino 47

Pessoas com deficiência – Feminino 6

Pessoas com deficiência – Masculino 25

Composição do órgão de governança – grupos minoritários

Empregados acima de 50 anos 17

Mulheres 8

Negros, amarelos, pardos e indígenas 3

Pessoas com deficiência 0

Composição do órgão de governança – faixa etária

a) Abaixo de 30 anos 2

b) Entre 30 e 50 anos 31

c) Acima de 50 anos 17

Composição do órgão de governança – gênero

Feminino 8

Masculino 42

66

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


Como a maioria das empresas no setor de infraestrutura,

a Eletrosul possui um quadro funcional

essencialmente masculino (67,34% dos terceirizados

e 82,82% dos empregados próprios

e com faixa etária predominante (61,51%) de

31 a 50 anos. Do total de empregados próprios,

529 estão em cargos com nível superior e

98 assumem cargos gerenciais.

As horas-homem trabalhadas na empresa em

2011, incluindo empregados próprios e terceirizados,

foram 3.574.796 horas. Com relação aos

empregados próprios, houve um total de 383

dias perdidos em todas as regiões e 77.329 horas

em falta, contabilizando uma taxa de absenteísmo

de 2,27%. GRI la7

O salário médio dos empregados corresponde a

5,15 vezes o salário mínimo nacional (salário-base

R$ 545,00) e o menor salário praticado pela

empresa no ano foi de R$ 2.118,58. GRI ec5

O perfil da remuneração, ou seja, proporção de

remuneração de mulheres para homens, é de

84,22%; vale dizer, que as mulheres ganham

PERFIL DA REMUNERAÇÃO – PERCENTAGEM

DE EMPREGADOS EM CADA FAIXA DE SALÁRIOS

Até 1.600,00

De 1.600,01 a 3.200,00

De 3.200,01 a 6.400,00

De 6.400,01 a 9.000,00

Acima de 9.000,00

11,78% a menos do que os homens. No entanto,

a proporção do salário-base entre homens e

mulheres é próxima de zero, pois o salário-base

é o mesmo para todos que ingressam na empresa.

Tal fato se explica porque o quadro funcional

é predominantemente de homens, os quais atuam

na sua imensa maioria nas áreas de operação

e manutenção, as quais demandam grande

volume de adicionais trabalhistas, garantidos

em lei e/ou acordos coletivos. GRI la14

A empresa tem a prática de respeitar a livre associação

sindical e de categoria para realização de

Acordos Coletivos de Trabalho, em conformidade

com a legislação vigente. GRI HR5 A totalidade

dos empregados é abrangida por acordos de negociação

coletiva. GRI la4 A empresa contrata

Cláusula de Acordo Coletivo de Trabalho em que se

compromete a discutir previamente com os sindicatos

signatários eventuais alterações das normas

internas incorporadas aos Contratos Individuais de

Trabalho dos Empregados que porventura venham

a implicar diminuição das vantagens já adquiridas;

contudo, na referida cláusula não há prazo mínimo

para notificação. GRI la5

2011 2010 2009

0

4,05

52,90

24,20

18,85

0

18,82

66,79

7,85

6,54

0,38

40,51

52,47

4,56

2,09

Como a maioria das

empresas no setor

de infraestrutura, a

Eletrosul possui um

quadro funcional

essencialmente

masculino:

67,34%

dos terceirizados,

82,82%

dos empregados

próprios, e com faixa

etária predominante

(61,51%) de

31 a 40 anos

Do total de

empregados próprios,

529

estão em cargos

com nível superior e

Por Categorias (salário médio no ano corrente) – R$

Cargos de diretoria

Cargos gerenciais

Cargos universitários

Cargos não universitários

29.616,32

10.146,23

6.427,28

3.840,54

27.861,07

10.544,51

5.766,24

3.756,99

26.534,35

7.829,35

4.600,82

3.069,28

98

assumem cargos

gerenciais

eletrosul centrais elétricas s.a. 67


dimensão social

| 6.2. Empregados Terceirizados

GRI

la1 eu16 eu17 eu18

O Programa Terceira

de Primeira – 3D1

tem como objetivo

assegurar o respeito

e a proteção à

saúde, bem como

a integridade dos

empregados das

empresas contratadas

e das pessoas físicas

prestadoras

de serviços

Para manter maior foco em seus negócios, a Eletrosul

terceiriza os serviços de limpeza, vigilância,

jardinagem, recepção, copa e outras atividades

de caráter continuado que não são atendidas pelo

Plano de Cargos e Remuneração da empresa. Esses

serviços são executados por 404 profissionais,

que somados aos 1.554 empregados da empresa

representam 21% da força de trabalho.

Nos contratos que são firmados entre a Eletrosul e

as empresas prestadoras de serviços são incluídas

cláusulas que preveem a obrigatoriedade do cumprimento

da legislação relacionada à saúde ocupacional

e segurança do trabalho, sendo realizado

acompanhamento sistemático do cumprimento

das obrigações. Essa é uma das ações previstas no

Programa Terceira de Primeira (3D1), que tem

como objetivo assegurar o respeito e a proteção à

saúde, bem como a integridade dos empregados

das empresas contratadas e das pessoas físicas

prestadoras de serviços.

Por intermédio do programa busca-se atuar nos

fatores de risco, promovendo a melhoria contínua

em saúde, segurança, relações interpessoais e

qualidade de vida.

Em relação à gestão de serviços contratados, os

profissionais de segurança do trabalho desenvolveram

diversas atividades, como análise de documentos,

emissão de pareceres, acompanhamento

e fiscalização de aspectos de Segurança e Saúde

do Trabalho nas diversas obras em andamento na

empresa durante o ano de 2011.

Outras ações de natureza socioeducativa foram

desenvolvidas pelo Programa, como:

• mapeamento da formação escolar dos empregados

terceirizados;

• realização da pesquisa “A Terceirização na

Eletrosul: a percepção dos empregados e seus

vínculos de trabalho”, tendo como objetivo demonstrar

a visão dos terceirizados sobre a empresa

e as condições de trabalho.

• reunião na ERRS com o Sindicato dos Empregados

em Empresas de Asseio e Conservação

(Seeac-RS) sobre proposta de plano de saúde

aos empregados;

• palestra com psicólogo sobre a temática “Relacionamento

Interpessoal”;

• buscou-se proporcionar mais conforto e melhores

condições de trabalho aos empregados

terceirizados;

• durante os trabalhos de acompanhamento às

áreas descentralizadas, foram realizados atendimentos

do Serviço Social e Saúde aos empregados

terceirizados.

Destaca-se, também, a continuidade do Projeto

de Elevação do Nível de Escolarização dos Empregados

Terceirizados da sede, iniciado em agosto

de 2010 e viabilizado a partir da celebração de

parceria entre a Secretaria de Estado de Educação

de Santa Catarina e a Eletrosul. O Projeto tem

o objetivo de aumentar o nível de escolaridade

de terceirizados, com previsão para conclusão do

curso de ensino médio em meados de 2012 e do

ensino fundamental no final de 2012.

68

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


eletrosul centrais elétricas s.a. 69


dimensão social

| 6.3. Treinamentos e desenvolvimento

GRI

la10 la11 la12

O grande foco de

2011 foi centrado

na unificação das

práticas de educação

corporativa em

todas as empresas

Eletrobras, por meio

de um alinhamento

das ações de

desenvolvimento

de pessoas com as

estratégias de

negócios, visando

ao fortalecimento

do seu capital

intelectual e humano

A atividade de Educação Corporativa na Eletrosul

em 2011 teve como prioridade a adoção de

novas ações educacionais, alinhadas com os

conceitos de gestão por competências. Além

disso, buscou a realização de práticas pedagógicas

que proporcionassem maior eficácia no

processo ensino-aprendizagem. O grande foco

de 2011 foi centrado na unificação das práticas

de educação corporativa em todas as empresas

Eletrobras, por meio de um alinhamento

das ações de desenvolvimento de pessoas com

as estratégias de negócios, visando ao fortalecimento

do seu capital intelectual e humano.

GRI la11 la12

Indicadores 2009 2010 2011

Empregados Treinados 1.345 1.595 1.494

Homem-Hora Treinado 93.707 99.311 117.677

Média de horas de Treinamento 55 56 65

Índices de Empregados Treinados (%) 80,1% 90,31% 82,90%

Força de Trabalho Treinada (%) 2,90% 2,92% 3,40%

Investimento Total (R$ mil) 3.919 3.371 4.004

Valor Médio Investido por Empregado (R$ mil) 2,9 2,1 2,7

OBS: Para o cálculo dos indicadores de Educação Corporativa é considerado o total de empregados que estiveram na empresa

ao longo do ano de 2011.

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL 2011 2010 2009

Valor investido em desenvolvimento profissional e educação (%) 2,00 1,58 2,26

Quantidade de horas de desenvolvimento profissional por empregado/ano 65 56 55

Dentre as ações educacionais desenvolvidas no

ano de 2011, merecem destaque:

• Plano de Desenvolvimento e Capacitação de Pessoas

do Sistema Eletrobras.

• Planejamento de Desenvolvimento de Equipes

(PDEquipe), a fim de consolidar a capacitação e o

desenvolvimento dos empregados em competências

críticas afetas à área.

• VI Fórum de Treinamento e Desenvolvimento

(T&D) da Eletrosul, cujo objetivo é o alinhamento

entre Setor de Treinamento e Representantes de

T&D de todas as áreas da empresa.

• Conclusão do Processo de Certificação de Operadores,

considerando todas as instalações e o

Centro de Operação do Sistema. No total foram

certificados 178 operadores.

• Principais Cursos técnicos realizados em 2011:

a) Operação de Geração;

b) Sistema de Aterramento;

c) Montagem de Torres Estaiadas;

d) NR10 atualização, reciclagem, básico e complementar;

e) Qualificação para Eletricistas de Manutenção LT

até 525 kV; NR33, entre outros.

70

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


| 6.4. Plano de Carreira e Remuneração (PCR)

O PCR é parte integrante do Modelo de Gestão

Integrada de Pessoas das empresas Eletrobras, e

a concepção metodológica adotada no desenvolvimento

do PCR foi baseada no conceito de Competências

e Resultados, sendo estes os orientadores

da evolução dos empregados nas respectivas

carreiras, observando-se o alinhamento com o

Plano Estratégico da empresa. As competências

subsidiam todos os processos de Gestão de Pessoas,

tais como Carreira, Educação Corporativa,

Captação, Planejamento de Recursos Humanos,

Remuneração e Avaliação de Desempenho.

A partir desse entendimento, foi definido um dos

pilares fundamentais para o PCR, denominado

Eixo de Atuação Profissional, que congrega um

conjunto de competências organizacionais visando

explicitar as diferentes expectativas em relação

aos profissionais nele alocados. São sete os Eixos:

Geração; Transmissão; Distribuição; Suporte ao

Negócio; Pesquisa e Inovação; Gestão Integrada;

Gestão de Investimentos e de Programas Federais.

Os Eixos de Atuação Profissional refletem as naturezas

de trabalho presentes na empresa, compostos

dos macroprocessos interdependentes e

de mesma natureza, geradores de valor agregado

para os clientes e/ou acionistas, que se desdobram

em processos.

Em termos de configuração de cargos, o PCR trabalha

com CARGOS AMPLOS, que correspondem a

espaços ocupacionais com o objetivo de dar maior

flexibilidade aos profissionais para assumirem diferentes

papéis na organização e, assim, permitir

maior alinhamento entre a atuação do profissional

e as expectativas e necessidades da própria pessoa

e da empresa, respeitando os requisitos específicos

de cada formação.

A seguir são apresentados os CARGOS AMPLOS do

PCR:

• Nível Médio Suporte (PMS)

Cargo destinado aos profissionais com requisito

de escolaridade de Ensino Médio ou Médio Técnico

que não esteja especificado no cargo PMO.

• Nível Médio Operacional (PMO)

Cargo destinado aos profissionais com formação

registrada no Crea ou no CRQ ou Técnico de Segurança

do Trabalho.

• Nível Superior (PS)

Cargo destinado aos profissionais com requisito de

escolaridade de Ensino Superior.

• Pesquisador (PP) – Exclusivo do Cepel

Cargo destinado aos profissionais com requisito

de escolaridade de Ensino Superior com características

e perfil de atuação diferenciados e

específicos para a atividade de pesquisa.

eletrosul centrais elétricas s.a. 71


dimensão social ambiental

72

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


| 6.5. Benefícios

GRI

la3

Em 2011, a Eletrosul investiu R$ 110.472 mil em benefícios

para todos os seus empregados diretos 9 e dependentes,

dos quais se destacam assistência médica

e odontológica, auxílio-creche e auxílio por filho

especial, auxílio-funeral, cobertura para incapacidade,

fundo de aposentadoria, licença-maternidade e

paternidade, remuneração variável, seguro de vida

em grupo, transporte fretado, vale-alimentação,

vale-refeição e vale-transporte.

Em linha com os valores da empresa, os direitos

relacionados a maternidade são tratados com a

devida importância. Em 2011, 11 empregadas tinham

direito à licença-maternidade (e gozaram

dela), das quais todas retornaram à atividade

laboral e permaneceram no cargo. No mesmo

sentido e com 100% dos resultados, 34 homens

gozaram da licença-paternidade, retornando e

permanecendo no trabalho.

No que se refere à licença-maternidade estendida,

o acordo coletivo de trabalho (ACT) determina que a

prorrogação da licença-maternidade será garantida

desde que a empregada apresente requerimento à

área de Gestão de Pessoas até o final do primeiro

mês após o parto, sendo concedida imediatamente

após a fruição da licença-maternidade. Durante o

período de prorrogação da licença-maternidade, a

empregada terá direito a sua remuneração integral.

GRI la15

A participação financeira dos empregados nos custos

dos programas constantes no Plano de Saúde

é específica para cada sistema de utilização, quais

sejam: credenciamento ou reembolso.

• No sistema de credenciamento a empresa participa

financeiramente com 80% das despesas e o

empregado participa financeiramente com 20% das

despesas.

• No sistema de reembolso, a participação financeira

da empresa varia de acordo com o salário-base

do empregado em relação ao menor salário da tabela

e o número de seus dependentes, conforme

os percentuais na tabela abaixo, aplicados sobre

o valor das despesas apresentadas ou até o preço

máximo das Tabelas de Serviços.

TABELA DE PARTICIPAÇÃO – Sistema Reembolso

número de dependentes

De 0,0 A 3,00

vezes MST*

Salário-base do Empregado

De 3,01 A 5,00

vezes MST

De 5,01 A 7,00

vezes MST

Acima de 7,00

vezes MST

Nenhum 65% 60% 55% 50%

1 e 2 75% 70% 65% 60%

3, 4 e 5 80% 75% 70% 65%

6, 7 e 8 85% 80% 75% 70%

9 ou mais 90% 85% 80% 75%

* MST – Menor Salário da Tabela vigente na Eletrosul

É de responsabilidade do empregado o valor da parcela que ultrapassar a aplicação da Tabela de Participação,

sobre os comprovantes, bem como a quantia que exceder o preço máximo constante na Tabela

de Serviço adotada pela empresa.

NOTAS

9 Empregados terceirizados não fazem

parte deste grupo.

eletrosul centrais elétricas s.a. 73


dimensão social

Programa de

Preparação

Profissional – PPP:

| 6.6. Sistema de Gestão do Desempenho (SGD)

GRI

la12

136

jovens atendidos

e investimento de

R$ 500.170,48

Programa

Jovem Aprendiz:

Tendo em vista o Plano de Transformação do

Sistema Eletrobras, iniciado em 2008, que busca

as melhores práticas de gestão e de negócios,

incluindo uma gestão integrada de pessoas,

as empresas Eletrobras passaram a contar

com um Sistema de Gestão de Desempenho

(SGD) unificado.

Foi iniciada no ano de 2011 a implantação do SGD

unificado para as empresas Eletrobras. O SGD

está estruturado em dois blocos distintos de avaliação:

Competências e Resultados. Por meio do

SGD será avaliado o desempenho individual e coletivo

da totalidade dos empregados, alinhado às

estratégias empresariais.

O lançamento oficial do ciclo foi realizado em

1 o de junho de 2011, iniciando assim a etapa de

Planejamento. Ainda nessa etapa, no mês de julho,

os gerentes foram capacitados em Elaboração

de Metas, visando auxiliá-los na concepção

das metas de suas equipes.

91

jovens atendidos

e investimento de

R$ 903.822,49

Programa Estágio

Curricular:

230

estudantes atendidos

e investimento de

R$ 895.040,15

| 6.7. Programas de Preparação

para o Mercado de Trabalho

A Eletrosul, consciente de sua responsabilidade

social, desenvolve programas de preparação de

jovens para o mercado de trabalho, dentre os

quais se destacam: Programa de Preparação Profissional

(PPP), que em 2011 atendeu 136 jovens

com investimento na ordem de R$ 500.170,48;

Programa Jovem Aprendiz, em parceria com

o Senai, que no ciclo 2010/2011 beneficiou 91

jovens, representando um investimento total de

R$ 903.822,49; e Programa Estágio Curricular,

destinado ao aprimoramento de estudantes

regulamente matriculados e com frequência

efetiva nos cursos de ensino médio, técnico ou

superior, que beneficiou, em 2011, 230 estudantes,

representando um investimento total de

R$ 895.040,15.

| 6.8. Pesquisa de Clima Organizacional

A empresa desenvolveu, em conjunto com as

demais empresas Eletrobras, a II Pesquisa Unificada

de Clima Organizacional, que foi encaminhada

a 100% dos empregados, sendo que 843

empregados participaram da pesquisa, correspondendo

a 54,7% de participação.

74

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


| 6.9. Saúde e Segurança

GRI

la6 la7 la8 la9

No que diz respeito à gestão de saúde, a empresa

atua em duas grandes frentes perante seus

empregados, considerando os contextos: saúde

ocupacional e assistencial.

Quanto à gestão da saúde ocupacional, que

compreende segurança do trabalho, bem-estar

social e qualidade de vida, a empresa desenvolve

um trabalho que visa à preservação da integridade,

do bem-estar das pessoas, relações

interpessoais e clima organizacional favoráveis

à saúde e ao crescimento pessoal, profissional e

organizacional.

Para tanto, é desenvolvido um programa de

ações integradas denominado PESSOAS – Plano

Eletrosul de Segurança do Trabalho, Saúde Ocupacional

e Acompanhamento Social/Funcional.

Esse programa engloba atividades de prevenção

por meio da supervisão e acompanhamento

de segurança, saúde e acompanhamento social

das equipes operacionais, bem como programas

focados no condicionamento físico, gestão

da ergonomia e outros, como: Programa Saúde

é Vida, Programa de Prevenção e Tratamento à

Dependência do Álcool e outras Drogas, Programa

de Atendimento à Pessoa com Deficiência,

Programa 3D1 – Terceira de Primeira (gestão de

segurança e saúde de empregados terceirizados)

e Programa de Qualidade de Vida. GRI la8

São 17 Comissões Internas de Prevenção de Acidentes

(Cipas) e um comitê local de saúde e segurança.

Além disso, foi constituído, em 2011, o

Comitê Permanente da NR-10 10 , formado por 11

empregados, os quais representam a totalidade

das áreas da empresa, com o objetivo de discutir

a adequação em toda a empresa do dispositivo

legal relativo à segurança nos serviços em instalações

elétricas. Em sua totalidade, os empregados

estão representados nas comissões de

saúde e segurança. GRI la6

E com o intuito de garantir a segurança em sua

cadeia de negócio, a Eletrosul passou a exigir,

em 2011, a informação dos índices de acidentes

para as empresas contratadas e prestadores de

serviço. GRI eu16

Dentre as ações desenvolvidas destacam-se: o

Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

(PPRA) e o Programa de Controle Médico de Saúde

Ocupacional (PCMSO). No PPRA são identificadas,

avaliadas e neutralizadas as possibilidades

de risco de acidentes/doenças e/ou condições

desfavoráveis no processo e/ou ambiente de trabalho,

tornando-as conhecidas dos empregados, e

adotadas as medidas necessárias a um ambiente

laboral seguro e saudável. Por ocasião do levantamento

dos riscos ambientais, os empregados são

solicitados a trocar informações sobre os métodos

e processos de trabalho.

Outra forma de participação dos empregados

se dá na ocasião da elaboração/atualização dos

mapas de riscos, realizados pelas Cipas, e ainda

por intermédio da revisão global dos PPRAs,

que ocorre anualmente em todos os estabelecimentos,

realizada pela equipe de Segurança do

Trabalho. Além desses, nos Encontros Anuais

das Cipas da Eletrosul são discutidas as melhores

práticas desenvolvidas pelas diversas Cipas

da Eletrosul e apresentadas, pelos cipeiros,

críticas e sugestões de mudanças de situações

específicas que afetam ou podem vir a afetar a

saúde e segurança dos trabalhadores e o próprio

patrimônio da empresa. Em 2011, foi realizado

o V Encontro de Cipas, que contou com

a presença de 15 cipeiros, entre presidentes e

vice-presidentes.

NOTAS

10. Norma Regulamentadora do

Ministério do Trabalho que versa sobre

segurança em instalações e serviços em

eletricidade.

eletrosul centrais elétricas s.a. 75


dimensão social

O direcionamento

e a qualidade de

investimentos na

gestão da saúde

ocupacional e

segurança do trabalho

vêm contribuindo

para a manutenção de

nenhuma ocorrência

de acidentes fatais

e de doenças

ocupacionais nos

últimos quatro anos

Ainda em 2011 a empresa, preocupada em promover

melhorias no atendimento aos empregados

e terceirizados, aprovou o desenvolvimento

e a implementação de um Plano de Atendimento

às Situações de Emergência (Pase), em parceria

com a Universidade Federal de Santa Catarina

(UFSC), com o intuito de responder às demandas

de emergências voltadas às diferentes realidades

identificadas na Eletrosul, buscando, por

intermédio de uma pesquisa aplicada, o desenvolvimento

de metodologias adequadas, procurando

aperfeiçoar e customizar os protocolos

existentes na área de Urgência e Emergência,

conferindo maior segurança aos empregados

e gerando conhecimento às demais empresas

Eletrobras.

A seguir são apresentados os indicadores de

Acidentes de Trabalho (com e sem Afastamento)

de 2011:

DESCRIÇÃO 2011

Número total de acidentes de trabalho com empregados 27

Total de acidentes típicos 19

Acidentados típicos da empresa sem afastamento 8

Total de acidentados de trajeto da empresa com afastamento 1*

Total de acidentados de trajeto da empresa sem afastamento 0

Média de acidentes de trabalho por empregado/ano 2011 1,13

Número total de dias perdidos em função de acidentes 383

Acidentes que resultaram em mutilações ou outros danos à integridade física e/ou prestadores

de serviço com afastamento permanente do cargo (incluindo LER) (%)

0

Índice TF (taxa de frequência) total da empresa no período, para empregados 6,63

*Acidente ocorrido com empregado da Eletrosul prestando serviço para a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Santa

Catarina – SRTE/SC.

No último ano também foi acordado com os sindicatos

o aprimoramento das ações de segurança,

com o compromisso da empresa em realizar

o aprimoramento das brigadas de emergência

em suas instalações. Com relação a acidentes e

doenças ocupacionais ocorridas no ano de 2011,

a ocorrência de acidentes fatais e doenças ocupacionais

foi zero; especificamente no que se

refere a acidentes típicos, foram registradas 19

ocorrências.

O direcionamento e a qualidade de investimentos

na gestão da saúde ocupacional e segurança do

trabalho vêm contribuindo para a manutenção de

nenhuma ocorrência de acidentes fatais e de doenças

ocupacionais nos últimos quatro anos. GRI la7

76

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


| 6.10. Previdência Complementar

GRI

ec3

A Eletrosul é patrocinadora da Fundação Eletrosul

de Previdência e Assistência Social (Elos),

entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo

básico a complementação de aposentadoria

de seus empregados. As contribuições e

as responsabilidades da patrocinadora são paritárias

com as dos participantes, nos termos

da legislação vigente.

A fiscalização e o controle da Fundação Elos são

efetivados por representantes designados pela

alta administração da Eletrosul para o Conselho

Deliberativo, o Conselho Fiscal e a Diretoria Executiva

da fundação, em conjunto com os representantes

dos participantes eleitos e indicados

nesse órgão. Estes, no cumprimento de suas

atribuições, suprem as ações de supervisão, fiscalização

e controle da patrocinadora, além de

auditorias regulares e extraordinárias realizadas

pela Auditoria Interna da patrocinadora e por

auditoria independente.

Além do Plano de Benefício Definido (BD), existente

desde a criação da Elos e que busca a

complementação de aposentadoria com base

no salário real médio dos últimos 36 meses de

atividade do empregado, em relação ao valor

do benefício de aposentadoria da Previdência

Oficial, em 2010 teve início o processo de adesão

a um novo tipo de Plano, na modalidade de

Contribuição Definida (CD).

O Plano CD consiste em pagamento de um benefício

em função do saldo de conta individual

do participante, constituído pelas contribuições

do participante e patrocinadora, corrigido pela

rentabilidade da aplicação desses recursos no

mercado financeiro, descontados os respectivos

custos do Plano.

A natureza do Plano CD difere do Plano BD pelo

seu caráter individual, visto que o BD tem caráter

de mutualismo.

Desde 31/12/2009, o Plano BD está fechado para

novas adesões, e os empregados admitidos a partir

dessa data podem se inscrever no Plano CD.

O plano na modalidade BD apresentou, em

31/12/2011, a seguinte posição:

Ativos Garantidores

Exigível Atuarial

Déficit Técnico Acumulado

R$ 735.188 mil

R$ 818.726 mil

R$ 83.538 mil

Participantes Assistidos 548

Pensionistas 33

Participantes Ativos 695

Participantes Autopatrocinadores 6

eletrosul centrais elétricas s.a. 77


dimensão social

Atualmente, a participação no plano de previdência vigente é voluntária, e somente aqueles empregados

que se interessam pelo benefício têm a opção de participar. O valor da contribuição pode ser realizado

pelo empregado que optar pelo benefício com base em um valor de piso e de teto.

PREPARAÇÃO PARA A APOSENTADORIA 2011 2010 2009

Investimentos em previdência complementar (R$ mil) 21.578 16.185 13.658

Número de beneficiados pelo programa de previdência complementar 1.566 1.556 1.430

Número de beneficiados pelo programa de preparação para aposentadoria 82 106 94

O planejamento para aposentadoria dos empregados da Eletrosul está mapeado e definido conforme

a tabela abaixo: GRI eu15

Empregados por categoria funcional que podem se aposentar nos próximos 5 anos (%)

Cargo gerencial 1,03

Cargos com exigência de nível universitário 2,45

Cargos sem exigência de nível universitário 6,69

Empregados por categoria funcional que podem se aposentar nos próximos 10 anos (%)

Cargo gerencial 1,03

Cargos com exigência de nível universitário 1,54

Cargos sem exigência de nível universitário 8,43

Empregados que podem se aposentar nos próximos 5 anos por região (%)

Região Centro-Oeste 0,45

Região Norte 0,06

Região Sul 9,65

Empregados que podem se aposentar nos próximos 10 anos por região (%)

Região Centro- Oeste 1,21

Região Norte 0,19

Região Sul 20,08

78

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


| 6.11. Sociedade

GRI

so1 so3 so9

As principais comunidades com as quais a Eletrosul

se relaciona são proprietários de terras,

rurais ou urbanas, diretamente atingidas por

seus empreendimentos, e associações denominadas

comunidades de entorno, bem como

grupos da sociedade civil organizada nas áreas

ambiental, social e de transmissão da cidadania

e do saber.

6.11.1 Projetos Sociais

por Área e por Estado

de Atuação da Empresa

Seguindo sua política de patrocínio, a empresa

investiu um total de R$ 1.147.000,00 em projetos

culturais e esportivos no ano de 2011.

Foram 11 projetos culturais e audiovisuais beneficiados

nos estados do Rio Grande do Sul e

Santa Catarina por meio de editais relacionados

à Lei Rouanet, somando mais de R$ 1 milhão. O

maior deles recebeu R$ 350.000,00 através de

edital da Eletrobras.

Já os projetos esportivos foram patrocinados

por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, disponibilizando

R$ 135.000,00 para dois projetos em

Santa Catarina.

No projeto Reluz Novo Hamburgo – no qual a Eletrosul

atuou como mediadora –, a Prefeitura Municipal

de Novo Hamburgo realizou investimento

com 25% de entrada e 75% de financiamento

através da Reserva Global de Reversão (RGR). Em

2011 a meta obtida foi de 10% do total do projeto.

O valor total do projeto é de R$ 9.538.195,20 e a

economia de energia final prevista por ano é de

7.155.420 kWh. O projeto engloba a instalação de

22.956 pontos de iluminação pública e 3.272,56

kW instalados. GRI eu7

Os empreendimentos da Eletrosul não dispõem de

recursos orçamentários para a implementação de

ações socioambientais além dos requisitos legais,

entretanto, a empresa vem desenvolvendo algumas

iniciativas visando minimizar seus impactos

socioambientais e estreitar o relacionamento com

a população de convivência.

O investimento social realizado pela organização

ocorre por intermédio do patrocínio a projetos

socioambientais (edital de patrocínio e projetos

sociais convidados/parcerias), apoio a programas

governamentais e desenvolvimento de projetos

socioambientais próprios há mais de 10 anos.

De acordo com a política de investimento social

da Eletrosul, as parcerias devem ser estabelecidas

com instituições idôneas, mediante Termo

de Compromisso, definindo as responsabilidades

das partes, de forma a conferir transparência na

utilização dos recursos, e devem estar alinhadas

ao negócio da empresa e ao gerenciamento de

impactos socioambientais e corresponsabilidade

da empresa em relação ao desenvolvimento social

do país.

A Eletrosul, em parceria com o Instituto Voluntários

em Ação (IVA-SC), oferece à comunidade em

geral Oficinas de Capacitação para elaboração de

Projetos Sociais com o objetivo de oportunizar às

organizações sem fins lucrativos a capacitação

para que possam elaborar seus projetos de forma

técnica e sistematizada, podendo participar

de editais de projetos de diversas empresas e

organizações governamentais, bem como para

capacitá--las a gerenciar de melhor forma e mais

profissionalmente seus projetos, principalmente

aqueles que contam com recursos de parceiros,

sejam eles públicos ou privados.

Programa Integrado

de Desenvolvimento

Sustentável

O Programa Integrado de

Desenvolvimento Sustentável

emerge da necessidade de consolidar

projetos atualmente em processo

de extinção e do dimensionamento

de um único programa que propicie

o desenvolvimento de políticas

públicas, da sustentabilidade e do

desenvolvimento local, a partir

dos projetos socioambientais em

desenvolvimento.

O Programa visa, portanto, consolidar

uma ferramenta de gestão que esteja

alinhada à política de investimento

social da empresa, aos negócios, às

diretrizes do Sistema Eletrobras, aos

relatórios de gestão empresarial,

ao Planejamento Estratégico e

ao Programa Nacional Brasil sem

Miséria, do Governo Federal.

A sua implementação propicia

a integração, a padronização e

a otimização dos processos de

gestão, bem como a inserção

e o fortalecimento da imagem

da empresa nas comunidades

próximas das instalações,

empreendimentos e implantação

de negócios; assertividade nos

investimentos; redução de custos

operacionais atrelados aos riscos

e vulnerabilidades; transformação

socioambiental positiva das

comunidades e contribuição de

forma sistemática para o alcance dos

critérios requeridos pelos relatórios

de gestão.

eletrosul centrais elétricas s.a. 79


80

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


A capacitação é divulgada nos sites da Eletrosul

e do IVA-SC, bem como nos jornais de maior circulação

por meio da Chamada Pública. A Oficina

é realizada on line, de forma gratuita, através do

site do IVA, e as matérias ficam disponíveis no site

conforme o cronograma de realização das oficinas.

Esse projeto beneficiará as entidades interessadas

em participar de editais (públicos ou privados)

em todos os estados de atuação da Eletrosul.

Durante o período de inscrição dos projetos sociais

no edital social, a empresa oferece uma consultoria

às entidades para o cadastro dos projetos

sociais esclarecendo dúvidas e orientações na

elaboração dos projetos sociais.

Os projetos recebidos por meio de edital são avaliados

em quatro etapas:

Primeira Etapa – Triagem administrativa –

Realizada pela equipe da Assessoria de Responsabilidade

Social (ARS) e com caráter eliminatório.

Nessa etapa serão verificadas a documentação

enviada e o formato de apresentação do projeto.

A documentação é analisada em relação à legislação

e aos requisitos do Edital.

Segunda Etapa – Análise Técnica – Realizada por

uma comissão técnica multidisciplinar, coordenada

pela ARS, com as seguintes representações:

• Representantes técnicos da ARS;

• Representantes técnicos do Comitê de Sustentabilidade

Empresarial Eletrosul, das dimensões

social, econômica e ambiental;

• Representantes da Eletrosul nos Estados de

atuação;

• Representantes da sociedade civil organizada

que tenham competência técnica e representatividade

na sociedade. Cada estado de atuação da

empresa tem representantes da sociedade.

A ARS seleciona as entidades de representatividade,

consulta e formaliza o convite. Nesta etapa,

a Eletrosul oferece uma Oficina de Capacitação

para Análise dos Projetos Sociais, a fim de capacitar

a Comissão Técnica indicada pela Eletrosul

para julgar e selecionar os projetos inscritos no

Edital para patrocínio, buscando garantir a sustentabilidade

do Projeto e o alinhamento às diretrizes

e aos princípios da empresa. Os projetos

sociais são analisados nos estados de origem por

seus representantes, garantindo a transparência

dos processos perante a sociedade.

Os projetos são avaliados pelos seguintes critérios:

• Alinhamento às Diretrizes: alinhamento aos objetivos

e ao foco do Investimento Social da Eletrosul;

• Relevância Social: apresenta diagnóstico social

que justifique a sua atuação e o grau de importância

e abrangência em relação ao atendimento das

necessidades e prioridades da comunidade para a

inclusão social;

• Viabilidade: dispõe de equipe técnica, capacidade

operacional e institucional viáveis, em relação

ao objetivo proposto, contando com outros recursos

financeiros próprios ou de parceiros;

• Potencial de Continuidade: conta com parcerias

de outros setores/empresas ou desenvolve

alternativas para a manutenção/continuidade do

projeto;

• Interação com Políticas Públicas: atende a uma

agenda local, regional ou nacional;

• Avaliação de Processos e Resultados: apresenta

indicadores para o monitoramento e a avaliação

do processo e dos resultados;

• Comunicação: prevê um plano de comunicação

que inclui como contrapartida a divulgação da

marca Eletrosul;

• Oportunidades para o Voluntariado: oferece

oportunidades para atuação de voluntários.

Terceira Etapa – Análise final – Nesta etapa a

Comissão Permanente de Análise de Patrocínios da

Eletrosul avalia, seleciona e recomenda à Diretoria

Executiva os projetos que passaram pela triagem

administrativa e pela análise técnica. São recomendados,

preferencialmente, os projetos apresentados

para serem desenvolvidos nas localidades

de empreendimento e prospecção de negócios

da empresa.

Seguindo sua

política de patrocínio,

a empresa investiu

um total de

R$ 1.147.000

em projetos culturais

e esportivos no

ano de 2011

O projeto Reluz

Novo Hamburgo prevê

a instalação de

22.956

pontos de iluminação

pública e

3.272,56 kW

instalados. a economia

de energia final

prevista por ano é de

7.155.420 kWh

eletrosul centrais elétricas s.a. 81


dimensão social

Quarta Etapa – Ratificação – A Diretoria Executiva

ratifica os patrocínios sociais selecionados

e recomendados.

Nos projetos aprovados, após o processo de formalização

da parceria, são realizadas reuniões

nos estados de origem dos projetos com o objetivo

de apresentar institucionalmente a empresa

e as regras de parcerias, entre outros esclarecimentos.

Também são realizadas visitas in loco aos

projetos patrocinados. Os resultados dos projetos

são medidos por meio de relatórios de acompanhamento

das atividades do projeto e relatório

final de prestação de contas.

A Eletrosul oferece para todos os patrocinados Oficina

para Gerenciamento de Projetos Sociais, com

o objetivo de capacitá-los a gerenciar de forma melhor

e mais profissional seus projetos, principalmente

aqueles que contam com recursos de parceiros,

sejam eles públicos ou privados, de tal forma que

seus resultados possam ser acompanhados, monitorados

e mensurados, a fim de que sua ação possa

ser avaliada, bem como seu impacto.

Ao final do patrocínio é realizada a pesquisa de

satisfação com os patrocinados e beneficiados dos

projetos sociais com o objetivo de medir o grau de

satisfação e o impacto do investimento, resultando

no aprimoramento dos nossos processos.

Para atender às necessidades de um público de

diversas faixas etárias, a empresa subdividiu seus

eixos de atuação em:

• Educação para a cidadania: visa ampliar a consciência

crítica dos públicos prioritários do investimento

social;

• Educação complementar: projetos educativos

complementares à educação formal na rede pública

de ensino;

• Educação para qualificação profissional: projetos

que propiciem a educação profissional e o

desenvolvimento de habilidades para inserção de

comunidades de baixa renda historicamente discriminadas

no mercado de trabalho;

• Geração de trabalho e renda: projetos de empreendedorismo

comunitário que possibilitem a

criação de novas unidades produtivas e a expansão

de unidades já existentes;

• Conservação do meio ambiente: projetos que

tenham a finalidade de conservação de meio

ambiente, garantindo a sustentabilidade para as

futuras gerações;

• Direitos da criança e do adolescente: projetos

sociais aprovados pelos Conselhos da Criança e

do Adolescente (municipal, estadual e federal)

que visem à proteção de crianças e adolescentes

em relação a maus tratos, abusos e exploração

sexual/moral e combate ao trabalho infantil.

6.11.2. Participação em Projetos

Sociais Governamentais GRI so5

A Eletrosul, como subsidiária da Eletrobras, atua

alinhada às diretrizes das políticas governamentais.

Atualmente apoia os seguintes programas

governamentais:

Maior projeto – 18 o Porto Alegre em Cena

O Porto Alegre em Cena sempre se destacou

pelo ineditismo e ousadia de sua programação

e inestimável contribuição às artes cênicas

gaúchas. Trazendo à cidade alguns dos grupos

mais importantes do teatro e da dança, não só

do Brasil, mas de todo o mundo, o festival já

é hoje ponto de referência cultural e artística.

Em 2011 realizou-se a sua 18 a edição, de 6

a 26 de setembro, colocando à disposição

do público aproximadamente meia centena

de espetáculos a preços populares, em praças

públicas, teatros e espaços alternativos

espalhados pela cidade. Em cada edição, o

festival recebe uma média de 100 mil espectadores.

Durante um mês, a cidade vira

palco e mesa de debates para artistas e

profissionais de teatro que estarão conversando,

interpretando, atuando, instigando,

diversificando linguagens, expandindo horizontes,

semeando mudanças, discutindo

propostas e, acima de tudo, encantando o

público gaúcho.

82

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


Projetos Estruturais investido em 2011 investido em 2010

Programa de Preparação Profissional para o Primeiro Emprego (PPPPE) R$ 471.445,21 R$ 132.419,48

Programa Jovem Aprendiz R$ 903.822,49 R$ 587.757,45

Programa Estágio Curricular R$ 894.925,09 R$ 576.741,67

Programa Pró-Equidade de Gênero – Comitê de Gênero R$ 17.676,53 R$ 24.872,83

Programa Luz para Todos R$ 5.950.903,83 R$ 6.836.956,75

Programa Ações Integradas (LPT) R$ 137.596,00 R$ 782.761,91

Total R$ 8.376.369,15 R$ 8.941.510,09

Programa Luz Para Todos

Coordenado pelo Ministério de Minas e Energia

(MME), de acordo com art. 7 o do decreto

n o 4.873, de 11 de novembro de 2003, e operacionalizado

com a participação das Centrais

Elétricas Brasileiras S.A. – Eletrobras e das empresas

que compõem o sistema Eletrobras, o

programa é desenvolvido em parceria com os

governos estaduais, concessionárias de energia

e cooperativas de eletrificação rural e tem

como meta nacional levar energia elétrica a 3

milhões de domicílios rurais (15 milhões de pessoas

até 2011).

Na Região Sul e em Mato Grosso do Sul, a meta é

atender 250.861 domicílios (1.254.305 pessoas até

2011). Para alcançar essa meta, a Eletrosul investiu,

em 2011, R$ 5,9 milhões no programa, vinculados

à realização física.

Atendimento de domicílios no Programa Luz Para

Todos, com participação Eletrosul:

Realizado em 2010 Realizado em 2011 Acumulado até 2011

Área de Atuação da Eletrosul Domicílios Pessoas Domicílios Pessoas Domicílios Pessoas

Total 27.311 136.555 11.695 58.475 250.524 1.252.620

Mato Grosso do Sul 4.747 23.735 3.043 15.215 39.565 197.825

Paraná 13.115 65.575 4.263 21.315 78.532 392.660

Santa Catarina 1.800 9.000 563 2.815 41.792 208.960

Rio Grande do Sul 7.649 38.245 3.826 19.130 90.935 453.175

O programa Ações Integradas, que é parte integrante

do Programa Luz para Todos, objetiva

transformar o acesso à eletricidade em uso social e

produtivo, e também em um instrumento capaz de

alavancar o desenvolvimento de comunidades isoladas

e tradicionalmente excluídas do desenvolvimento

nacional (comunidades indígenas, quilombos, assentamentos,

agricultores com base econômica na

agricultura familiar e/ou atingidos por barragens).

Os projetos apoiados consistem principalmente no

desenvolvimento de Unidades de Inclusão Digital e

Centros Comunitários de Produção.

eletrosul centrais elétricas s.a. 83


dimensão social

| 6.12. Comunidades atingidas

GRI

so9

so10

A Eletrosul busca

sistematizar o

levantamento dos

impactos gerados

a partir de suas

operações nas

localidades onde

atua por meio

de uma pesquisa

socioeconômica

e ambiental dos

municípios a serem

atingidos por seus

empreendimentos

De maneira geral, qualquer empreendimento elétrico

envolve diretamente os seres humanos, seus

meios de produção e de auferir renda para a sua

sobrevivência e seu desenvolvimento econômico,

além de seus laços afetivos e culturais. Durante a

fase de planejamento, a expectativa de oportunidades

de trabalho promove um fluxo migratório,

com diversos impactos na região. E durante a

construção, o aumento real do contingente populacional

também influencia as comunidades

locais, acarretando significativas mudanças para

seus moradores.

Diante desse cenário, a empresa entende que é necessário

estabelecer um bom relacionamento com

a comunidade local. Por isso, a Eletrosul vem buscando

sistematizar o levantamento dos impactos

gerados a partir de suas operações nas localidades

onde atua por intermédio de uma pesquisa socioeconômica

e ambiental dos municípios a serem atingidos

por seus empreendimentos com o objetivo

de conhecer a percepção das comunidades sobre

seus impactos. Para um melhor gerenciamento

dessas ações, em 2011, a Eletrosul estruturou o

Programa Integrado de Desenvolvimento Sustentável,

que, entre outras finalidades, propõe a integração

de suas ações com políticas públicas, de

forma a gerir o atendimento aos interesses e necessidades

das comunidades, principalmente nas

demandas oriundas dos municípios das regiões impactadas

por seus empreendimentos. Em alguns é

possível perceber a melhoria da condição de vida

da população por meio da pesquisa de satisfação

realizada anualmente com os patrocinados, parceiros

e beneficiados pelos projetos sociais.

Por se tratar de situações complexas e de múltiplos

interesses, muitas decisões são tomadas com

base em diálogos com a comunidade. A participação

das pessoas afetadas ocorre por meio de

audiências públicas, reuniões e outros encontros

nos quais são elaborados acordos que definem os

preços mínimos de desapropriação, a forma de

desapropriação e outras condições. Para assistir

os reassentados, há a instalação de escritórios nos

locais afetados para atendimento ao público atingido

e à comunidade.

Para garantir negociações coerentes e justas, o primeiro

passo é a realização de um cadastramento

84

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


com dados dos proprietários e das áreas atingidas.

Para os casos de instituição de faixas de servidão

para as Linhas de Transmissão, há um registro da

faixa para restrições de uso, mediante indenização

correspondente. Para as desapropriações (subestações

e usinas de geração), ocorre a desapropriação,

mediante a aquisição da propriedade. No caso

de reservatórios, é analisada a viabilidade da área

remanescente e a possibilidade de o proprietário

continuar residindo e/ou utilizando o local.

Além disso, acontece o pagamento das despesas

legais (taxas, certidões, escrituras, registros,

impostos etc.) de responsabilidade da

Eletrosul e também um diligenciamento da

construção que consiste no acompanhamento,

com vista a propiciar um relacionamento harmônico

com os proprietários, de maneira que

impeçam embargos e prejuízos ao bom andamento

das obras.

Após as indenizações, outras ações são realizadas

no sentido de garantir o direito à cidadania, reforçando

a responsabilidade social da empresa:

• Apoio para que sejam encontradas soluções

compatíveis com o poder aquisitivo das pessoas

atingidas, como orientação técnica à construção

da nova casa;

• Orientação técnica para que haja melhor aproveitamento

do material existente na edificação a

ser demolida;

• Suporte financeiro para realização da mudança;

• Pagamento de aluguel durante um período necessário

para a relocação do cidadão;

• Indenização dos custos necessários à regularização

do imóvel a ser desapropriado e aquele a ser

adquirido ou construído;

• Assistência técnica e jurídica, mesmo que de

modo informal, na aquisição de novo imóvel;

• Intermediação em acordos entre proprietários e

inquilinos;

• Busca de parcerias institucionais objetivando soluções

e operacionalização das ações necessárias

à viabilização das remoções, e

• Viabilização nas Prefeituras Municipais da isenção

do IPTU sempre que se fizer necessário.

É estabelecido um contato pessoal entre os técnicos

da empresa e a população local para esclarecer

dúvidas e auxiliar as famílias diante das mudanças

a serem enfrentadas. Aqueles que terão

sua residência realocada merecem uma atenção

maior na composição dos valores indenizatórios,

pois existe um componente de readaptação do cidadão

a outra situação.

Em 2011 foi realizado um diagnóstico socioambiental

e econômico dos municípios das regiões

impactadas pelos empreendimentos eólicos no Estado

do Rio Grande do Sul (Santa Vitória do Palmar

e Chuí). O diagnóstico teve como objetivo gerir o

atendimento aos interesses e necessidades das comunidades,

identificar na comunidade local a sua

percepção e o grau de informação a respeito do

empreendimento, identificar os possíveis problemas

socioeconômicos e ambientais do município,

assim como as principais demandas, necessidades

e expectativas, caracterizar o público-alvo segundo

variáveis socioeconômicas e mapear os veículos

de informações voltados para esse público. Com o

diagnóstico, foi possível potencializar o direcionamento

dos investimentos perante o poder público

que visem o bem-estar social da população local,

priorizando demandas emergenciais em detrimento

de expectativas. Além disso, o estudo confirmou

o apoio da comunidade local ao empreendimento,

evidenciando um impacto positivo na região.

Em 2011 foi realizado

um diagnóstico

socioambiental e

econômico dos

municípios das regiões

impactadas pelos

empreendimentos

eólicos no estado do

Rio Grande do Sul

(Santa Vitória do

Palmar e Chuí).

Com o diagnóstico, foi

possível potencializar

direcionamento

dos investimentos

junto ao poder

público que visem

o bem-estar social

da população local,

priorizando demandas

emergenciais em

detrimento de

expectativas

eletrosul centrais elétricas s.a. 85


dimensão social

A Eletrosul prima por

realizar melhorias na

comunidade local,

como reassentamentos

individuais em

estruturas melhores

que as anteriores,

melhorias na

infraestrutura do

local, como malha

viária, entre outras,

demonstradas nos

Programas Ambientais

voltados à comunidade

| 6.13. Deslocamentos

Nos empreendimentos de Linhas de Transmissão

(LTs), os deslocamentos ocorrem em casos esporádicos,

mais especificamente quando da passagem

da linha em áreas urbanas. Em áreas rurais,

a faixa de servidão da LT corresponde a uma

área pequena, ocupando assim menor espaço

nas propriedades, não atingindo diretamente as

moradias da comunidade afetada. Caso isso aconteça,

e não haja possibilidade de deslocamento

na mesma propriedade, há a necessidade do

reassentamento ou indenização. Já na área dos

reservatórios dos empreendimentos de Usinas

Hidrelétricas, o deslocamento ocorre com mais

frequência. Primeiramente, ocorre a identificação

das propriedades ao longo do rio que será represado.

Paralelamente ao licenciamento ambiental

e à elaboração do Projeto Executivo, há o cadastro

socioeconômico, que levanta informações sobre

a população afetada.

Além disso, há o cadastro fundiário, que subsidia

os processos de desapropriação, apoio à realocação

na propriedade remanescente ou realocações

para outras propriedades. Os valores praticados

nas indenizações de terras, culturas, edificações,

e outros são fundamentados em pesquisa de preços

e valores praticados na região do empreendimento,

sendo previamente apresentados em

reuniões específicas com a comunidade atingida.

definem os preços mínimos de desapropriação,

a forma de desapropriação e outras condições.

Em 2011 não ocorreram deslocamentos físicos,

no entanto duas pessoas foram economicamente

deslocadas e 273 pessoas foram indenizadas.

O valor financeiro total desembolsado a título

de indenização para as pessoas deslocadas em

2011 foi de R$ 61.238,54. eu22 GRI

A Eletrosul prima por realizar melhorias na comunidade

local, como reassentamentos individuais

em estruturas melhores que as anteriores, melhorias

na infraestrutura do local, como malha viária,

entre outras, demonstradas nos Programas

Ambientais voltados à comunidade, por exemplo,

os Programas da Usina Hidrelétrica Passo São

João, listados abaixo:

• Resgate Socioambiental da Paisagem;

• Programa de Apoio ao Desenvolvimento Turístico;

• Programa de Remanejamento da População e

Reorganização das Áreas Remanescentes;

• Programa de Recomposição do Sistema Viário

e da Infraestrutura básica;

Os valores indenizatórios de cada caso são apresentados

individualmente aos proprietários antes

mesmo da disponibilização dos recursos, a qual

ocorre somente após o aceite. A Eletrosul adquire

as áreas para a implantação dos empreendimentos,

assumindo os custos correspondentes.

A participação das pessoas afetadas ocorre por

meio de audiências públicas, reuniões e outros

encontros nos quais são elaborados acordos que

• Pacuera – Plano de Conservação e Uso do Entorno

do Reservatório Artificial;

• Programa de Educação Ambiental – envolvendo

escolas e a comunidade.

Além disso, o componente indígena é contemplado

em todos os estudos ambientais dos empreendimentos,

quando aplicável, bem como nos

diversos relatórios ambientais gerados. GRI eu20

86

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


| 6.14. Práticas anticorrupção e antipropina

GRI

so2 so3 so4

A Eletrosul dispõe de uma Norma de Gestão

Empresarial, que abrange questões sobre Conduta

nas Relações de Trabalho, aprovada em

25/09/2001, cuja finalidade é estabelecer regras

de conduta a serem observadas pelos empregados

nas relações de trabalho, além de fornecer

orientações éticas e morais, deveres, proibições

e penalidades, aplicadas a todos os empregados

da empresa.

As dúvidas em relação a essa norma são sanadas

formalmente pela Comissão Permanente de Ética

da Eletrosul. Esta, por sua vez, é orientada sob

observância do Código de Conduta da Alta Administração

Federal e aprovada pelo Presidente da

República em 21 de agosto de 2000.

A empresa também aderiu ao Código de Ética

Único das empresas Eletrobras, que, através do

alinhamento dos princípios e condutas já consolidadas

no âmbito dos códigos de ética das subsidiárias,

constituiu-se em um documento único

que visa nortear as ações e decisões em todos os

âmbitos, respeitando os princípios e compromissos

das empresas do Sistema. Em seu item 1.9, o

Código de Ética ressalta a necessidade de repúdio

e denúncia de toda forma ou tentativa de corrupção,

suborno, propina e tráfico de influência.

| 6.15. Direitos Humanos

na Gestão de Fornecedores

GRI

hr1 hr2 hr5 hr9

A gestão de Suprimentos na Eletrosul é uma

ação compartilhada entre diversas instâncias

internas, com perfis, estruturas, atribuições,

competências e responsabilidades específicas,

ficando a cargo do Departamento de Gestão de

Suprimentos (DGS) a tradução dos preceitos legais

em normatização e procedimentos internos.

Todas as contratações de obras, serviços e equipamentos

na Eletrosul obedecem às legislações

de compras nacionais, internacionais e às específicas

para convênios.

Na transparência dos processos de compras são

utilizados os meios de publicação formais e legais,

ou seja, publicação de avisos e resultados em Diário

Oficial da União, jornais de grande circulação,

utilizando o site na internet do licitações-e do

Banco do Brasil e disponibilização dos editais no

site da empresa, tendo alto número de acessos

para downloads dos editais.

O volume de aquisições realizadas apresenta os

seguintes dados:

INDICADORES 2009 2010 2011

N o de Licitações Finalizadas 915 1.037 456

N o de Itens Contratados 1.876 1.970 1.007

Contratações Formalizadas 1.082 1.201 558

Valor das Contratações – R$ mil 450.582 445.868 170.978

eletrosul centrais elétricas s.a. 87


dimensão social

A Eletrosul prioriza

a destinação de

recursos (Fundo de

Amparo à Infância

e à Adolescência –

FIA) a organizações

que desenvolvam

Projetos de proteção

e defesa dos

direitos de crianças

e adolescentes em

situação de risco ou

vulnerabilidade

NOTAS

11. Mais informações sobre as campanhas

e eventos específicos a esta temática

realizados em 2011 no link www.Eletrosul.

gov.br/home/conteudo.php?cd=1227.

As principais contratações de obras e equipamentos

associados efetivadas no período foram as

seguintes:

• Usina Hidrelétrica de São Domingos, localizada

em Mato Grosso do Sul;

• PCH João Borges, localizada no complexo do Rio

Caveiras, em Santa Catarina;

• UHE Passo São João, no Rio Grande do Sul;

• Execução do empreendimento da Ampliação “C”

e “E” da SE Biguaçu 138 kV, em Santa Catarina;

• LT 138 kV UHE São Domingos – SE Água Clara, em

Mato Grosso do Sul;

• Ampliação “J”/“J2” da SE Joinville 230 kV, em Santa

Catarina;

• Ampliação “F” da SE Dourados 230/138 kV, em

Mato Grosso do Sul;

• Execução da Variante LT 750 kV Ivaiporã-Itaberá

– Circuitos I e II, no Paraná.

Em todas as regiões de operação da empresa, a

construção de Usinas Hidrelétricas e/ou Pequenas

Centrais Hidrelétricas (PCHs) e a limpeza de faixas

abaixo das Linhas de Transmissão (LTs) são atividades

que apresentam riscos de ocorrências de

trabalho infantil e empregados jovens expostos.

Com o intuito de minimizar esses riscos, a empresa

realiza diversas ações com seus empregados e

fornecedores.

Após aderir a um Fórum específico de combate à

violência e exploração sexual infantojuvenil, a empresa

procura desenvolver iniciativas de sensibilização

de seus empregados e demais públicos 11 .

Além disso, em sua Política de Investimento Social,

a Eletrosul prioriza a destinação de recursos

(Fundo de Amparo à Infância e à Adolescência –

FIA) a organizações que desenvolvam Projetos

de proteção e defesa dos direitos de crianças e

adolescentes em situação de risco ou vulnerabilidade,

aprovados pelos Conselhos de Direitos da

Criança e do Adolescente (municipais, estaduais

e federais), na proteção contra violência (maus

tratos, abuso, exploração sexual e/ou moral), em

projetos de combate ao trabalho infantil, à profissionalização

de adolescentes, além de orientação,

apoio sociofamiliar e medidas socioeducativas. Ao

conscientizar empregados e contratados, estes se

tornam multiplicadores na erradicação de ocorrências

desse tipo de violência e exploração.

E para formalizar tais diretrizes em suas operações,

a Eletrosul exige de seus fornecedores o

cumprimento dos direitos humanos e trabalhistas,

mediante cláusulas contratuais. Em 2011,

foram realizados 558 contratos, todos contendo

cláusulas relacionadas a Diretos Humanos, como

a apresentação de declaração formal da não utilização

de mão de obra escrava e/ou trabalho

infantil. Do total de contratos firmados em 2011,

aqueles com nível de aprovação pelo Conselho

de Administração representam 3% do volume

total dos contratos, os quais representam 65%

do volume financeiro total dos contratos firmados

pela empresa.

Outra cláusula presente em seus editais é a que

exige que a mão de obra contratada seja capacitada

e qualificada, obrigando a empresa contratada

a comprovar a realização de treinamentos, por

meio de certificados.

No intuito de promover a equidade de gênero, a

empresa realizou em 2011 diversas ações desenvolvidas

pelo Comitê de Gênero da Eletrosul, que

não foram enquadradas formalmente como treinamento,

mas que seguem as diretrizes da Secretaria

Especial de Políticas para as Mulheres da

Presidência da República.

Ao mesmo tempo, a empresa entende que é necessário

garantir os direitos trabalhistas de seus

empregados e fornecedores, incluindo o de organização

e associação, conforme previsto na Cons-

88

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


tituição Brasileira e no artigo 9 o da Lei de Greve,

n o 7.783, de 28/06/1989. Nos casos de greve, a

empresa negocia com os sindicatos a permanência

dos empregados necessários para que o fornecimento

de energia seja mantido. Assim, até

hoje não foi identificada nenhuma ação quanto ao

cerceamento desse direito aos empregados, bem

como aos fornecedores.

6.15.1. Fornecedores GRI ec6

A Eletrosul, por trabalhar em consonância com

a Lei n o 8.666/93 na seleção de fornecedores e

em atendimento ao compromisso firmado com o

Pnud – Pacto Global, exige dos seus fornecedores

o cumprimento do Disposto no Inciso XXXIII

do Art. 7 o da Constituição Federal, solicitando,

para fins de registro cadastral e habilitação em

licitações, uma declaração. Esta deve ser assinada

pelo representante legal da empresa,

comprovando que a empresa não possui no seu

quadro funcional menores de 18 anos em trabalho

noturno, perigoso ou insalubre, nem menores

de 16 anos em qualquer atividade, salvo como

aprendiz, nem empregados executando trabalho

degradante ou forçado.

A qualificação dos fornecedores, quando aplicável,

é complementada por meio da avaliação técnica

atendendo à NBR 12.966 – Avaliação técnica

de fornecedores e da exigência de Sistema de

Gestão da Qualidade (SGQ), segundo os requisitos

da norma NBR ISO 9001 para os fornecedores

de materiais abrangidos pelo Projeto NBR

19000, das empresas Eletrobras. A avaliação de

protótipos também é um recurso utilizado em

complementação às avaliações ou como único

requisito de qualificação.

Em 2011 foram pagos R$ 170.978.230,55 a fornecedores

das regiões de atuação da empresa.

As contratações de fornecedores são realizadas

conforme legislação nacional vigente, a qual determina

isonomia no processo de contratação de

serviços e produtos para as empresas estatais.

Dessa forma, não é possível privilegiar os fornecedores

locais nos processos de contratação.

A Eletrosul, por

trabalhar em

consonância com a Lei

8.666/93 na seleção

de fornecedores e,

em atendimento ao

compromisso firmado

com PNUD – Pacto

Global, exige dos

seus fornecedores

o cumprimento do

Disposto no Inciso

XXXIII do Art. 7º da

Constituição Federal

eletrosul centrais elétricas s.a. 89


dimensão ambiental

90

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


7. dimensão ambiental

eletrosul centrais elétricas s.a. 91


dimensão ambiental

A Eletrosul, com

base em seu

posicionamento

estratégico, tem

trabalhado para

diversificar as fontes

de energia geradas

pela empresa,

sempre privilegiando

as renováveis,

buscando,

assim, o melhor

aproveitamento

energético com

o menor impacto

socioambiental

A Eletrosul, com base em seu posicionamento

estratégico, tem trabalhado para diversificar as

fontes de energia geradas pela empresa, sempre

privilegiando as renováveis, buscando, assim,

o melhor aproveitamento energético com

o menor impacto socioambiental.

Tendo como política o compromisso de implantar

e manter seus ativos operacionais com absoluta

observância às legislações ambientais e respeito

às populações abrangidas pelos seus empreendimentos,

desenvolve suas atividades priorizando

a prática do bom relacionamento com todas as

partes interessadas.

Para tanto, a Eletrosul atua na elaboração e execução

de projetos, obtenção de licenças ambientais

para a implantação de empreendimentos e gestão

dos ativos, levantamentos físicos, avaliação de terras

e benfeitorias, negociação e regularização de bens

imóveis e acompanhamento de obras.

A Política Ambiental das empresas Eletrobras estabelece

princípios para o tratamento das questões

socioambientais associadas aos empreendimentos

de energia elétrica das empresas que integram o

sistema Eletrobras. A premissa fundamental de sua

formulação é a conformidade com as diretrizes das

políticas públicas relativas a meio ambiente, recursos

hídricos e bem-estar social, bem como com os

acordos internacionais dos quais o Brasil é signatário,

como a Convenção do Clima, a Agenda 21, o

Protocolo de Quioto e outros.

A política traz princípios de articulação interna,

para que seja assegurada a incorporação da dimensão

ambiental aos processos da empresa,

e externa, para a implantação de programas e

ações ambientais articuladas com outros setores

e instituições, além de princípios de relacionamento

com a sociedade, uso sustentável dos

recursos energéticos locais e regionais, apoio

ao desenvolvimento tecnológico e científico

aplicado às questões ambientais e integração

dos sistemas da gestão ambiental das empresas

Eletrobras.

Foram investidos em 2011 R$ 1.330.552,71 em

preservação da biodiversidade, R$ 2.502.872,05

em recuperação de áreas degradadas e mais

R$ 1.380.964,56 em outros projetos ambientais,

totalizando o valor de R$ 5.214.389,32 em

investimentos e gastos em proteção ambiental.

GRI en30

Em 2011, a empresa recebeu uma única multa

resultante de não conformidade com leis e regulamentos

ambientais no valor de R$ 3 milhões,

sendo este objeto de discussão na esfera administrativa,

em fase de recurso. GRI en28

| 7.1 Licenciamentos ambientais

O balanço do licenciamento ambiental dos empreendimentos

da Eletrosul em 2011 foi positivo.

Ao todo foram obtidas 26 licenças ambientais,

sendo sete Licenças Prévias (LP), oito Licenças

de Instalação (LI) e 11 Licenças de Operação.

Além dessas licenças, foram obtidas outras 35

autorizações, sendo seis autorizações emitidas

pelo Iphan, oito Autorizações de Supressão de

Vegetação (ASV), cinco Declarações de Utilidade

Pública (DUP), sete Autorizações de Resgate de

Fauna, oito Autorizações Ambientais e uma Autorização

de Transporte de Resíduo.

92

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


| 7.2 Inventário de emissões de GEE

GRI

en16 en17 en18

Em 2011, um dos destaques no sentido de minimizar

impactos ambientais pelas operações da

Eletrosul foi o desenvolvimento anual do inventário

de emissões de gases de efeito estufa (GEE)

pelas empresas Eletrobras, incluindo a Eletrosul.

A empresa não utiliza combustíveis fósseis em

seus processos produtivos, apenas para transportes.

Atualmente, sua frota total compreende

364 veículos, divididos em 177 automóveis,

141 utilitários e 46 caminhões, presentes em

quatro estados brasileiros: Santa Catarina, Rio

Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Paraná.

Volumes de emissões 2011 2010 2009

Volume anual de gases do efeito estufa (CO 2

, CH 4

, N 2

O, HFC, PFC,

SF 6

), emitidos na atmosfera (em toneladas de CO 2

equivalentes).

11.347,53 toneladas

de CO 2

/eq

32.774,63

toneladas

de CO 2

/eq

9.010,30

toneladas

de CO 2

/eq

A frota é utilizada para o deslocamento de pessoal

e equipamentos entre as Divisões Regionais da

Eletrosul e também onde seja necessária a execução

dos serviços fins da empresa. Além disso, a

empresa dispõe de transporte de pessoal através

de micro-ônibus para atender a projetos sociais

em que está envolvida, bem como atender alguns

dos empregados que estão em treinamento, ou

em deslocamento para o local de trabalho.

O transporte da Eletrosul também abrange, através

de contrato, disponibilizações de aeronaves para fiscalização

e visualização aérea das obras da empresa.

O transporte pesado se enquadra no translado de

transformadores entre subestações da Eletrosul,

nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul,

Mato Grosso do Sul e Paraná, e eventualmente em

outras subestações de interesse da empresa, por

exemplo, o transporte de equipamentos e materiais

de usinas hidrelétricas e de cargas fracionadas entre

as áreas da empresa de até 15.000 kg.

Para monitorar o uso dos combustíveis fósseis nos

processos administrativos, a empresa utiliza software

específico da área de transportes, em operação

desde junho de 2008, e possui contrato licitado com

a Empresa Brasileira de Tecnologia e Administração

de Convênios Hom Ltda. (EcoFrotas – Goodcard) desde

o mesmo período. GRI en29

2011 2010 2009

Fontes alternativas (gás, energia eólica, energia solar etc.) ND ND ND

Consumo total de energia (em kWh) 19.057.078,00 17.319.838 12.095.841

Consumo de energia por kWh distribuído (vendido) NA NA NA

Consumo total de combustíveis fósseis pela frota

de veículos da empresa por quilômetro rodado.

817.202,95 litros

14.255.631,00 km

809.362,72 litros

9.844.970 km

689.155,24 litros

8.214.730 km

- Diesel 448.349,25 L 441.851,2 L 339.810,41 L

- Gasolina 344.022,26 L 277.067,8 L 190.439,59 L

- Álcool 24.831,44 L 90.443,62 L 158.905,24 L

- Gás natural NA NA NA

eletrosul centrais elétricas s.a. 93


dimensão ambiental

Foram investidos

R$ 1.330.552,71

em preservação da

biodiversidade

R$ 2.502.872,05

em recuperação de

áreas degradadas e

R$ 1.380.964,56

em outros projetos

ambientais

totalizando o valor de

R$ 5.214.389,32

em investimentos e

gastos em proteção

ambiental

Quanto à redução de emissão de gás hexafluoreto

de enxofre (SF 6

), podemos citar algumas

iniciativas, implantadas ou em andamento:

GRI en19

• Tratamento/regeneração do gás SF 6

existente

em cilindros antigos que são encaminhados ao

Sertão do Maruim pelas equipes de manutenção

e que, após tratamento e ensaios, retorna

ao estoque;

• Utilização de máquinas de gás para armazenamento

e tratamento do gás SF 6

em serviços

que necessitem a retirada do gás do equipamento,

possibilitando posterior retorno do gás

ao equipamento;

• Implantação de novos instrumentos e dispositivos

para a realização das manutenções e comissionamento,

que reduzem as emissões de gás,

tais como medidores digitais do ponto de orvalho

do gás SF 6

e mangueiras com superfície interna

em aço inoxidável ou teflon, dotadas de válvulas e

adaptações com retenção e engate rápido;

• Instalação permanente de manômetros para

supervisão da pressão de gás SF 6

em disjuntores

que ainda não o possuem, evitando a conexão

e desconexão de instrumento portátil

nas leituras anuais que possibilitava eventuais

perdas de gás SF 6

associadas a esse processo;

• Elaboração de instrução de manutenção para

a identificação de vazamento de gás SF 6

em

disjuntores;

• Aprimoramento das especificações técnicas

de artefatos de vedações, bem como do processo

de inspeção deles;

• Implantação de roteiro específico para controle

da quantidade e consumo de gás em cada

setor de manutenção;

• Emissão de instrução de manutenção especificando

a quantidade de gás mínima e máxima

necessária para cada setor de manutenção,

em função da forma construtiva dos equipamentos

instalados.

94

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


| 7.3 Eficiência energética

GRI

en5 en6 en7 en26

A Eletrosul entende que a eficiência energética

deve fazer parte de seu negócio e, por

isso, realiza diversos investimentos na área.

Uma das metas da empresa nesse sentido é

tornar todas as suas instalações eficientes,

obtendo a Etiqueta Nacional de Conservação

de Energia para Edificações Comerciais, tanto

para o projeto quanto para a construção.

Além disso, a Eletrosul tem por objetivo que

todas as novas instalações sejam baseadas

no conceito zero energy building, ou seja,

utilizando instalações mais eficientes e com

baixa ou nenhuma emissão de carbono.

A equipe de eficiência energética realiza

visitas técnicas para verificação das instalações

e propõe melhorias quando necessário,

além de trabalhar a partir de demandas que

partem diretamente da área de interesse. A

empresa tem por prática o acionamento e

desligamento da iluminação e ar condicionado

apenas no período entre 7h e 18h30,

salvo em locais onde há trabalho em turno,

além da separação dos circuitos de iluminação

próximos a janelas e aberturas. Além

disso, a empresa está investindo na reestruturação

da iluminação e instalações de ar

condicionado de suas dependências com o

objetivo de torná-los mais eficientes. No ano

de 2011 foi realizado o projeto de Retrofit

da Iluminação do auditório do prédio-sede,

trocando 58 pontos de iluminação, com redução

de 3,8 kW de potência instalada com

um custo de R$ 809,68. Também foram

substituídos oito pontos de iluminação com

lâmpadas fluorescentes por LED em uma

sala da Divisão Regional de Santa Catarina,

com redução de 0,234 kW a um custo de

R$ 3.907,98.

Já na Divisão Regional de Santa Catarina,

o sistema de refrigeração de ar de expansão

indireta por central de água gelada foi

substituído por um novo sistema de expansão

direta com fluxo de refrigerante variável

(VRF). Além de promover uma melhoria do

ambiente de trabalho dos empregados, prevê-se

uma redução de consumo de 386.480

kWh anuais e de potência instalada de 114,34

kW, com um custo total de R$ 2.040.000,00.

No que tange à sociedade como um todo,

a empresa acredita que é necessário disseminar

conhecimento e engajar as pessoas

para o consumo consciente. A iniciativa

de maior relevância no sentido de

educar a população para o tema é a Casa

Eficiente. Em funcionamento desde 2006

nas dependências da sede administrativa

da empresa, o projeto dissemina informações

e conhecimento relevantes para a

população com relação à eficiência energética

doméstica. Em 2011, 2.204 visitantes,

incluindo escolas, tiveram a oportunidade

de entender a importância da conservação

dos recursos naturais e de quanto a economia

e o uso racional de energia elétrica são

importantes para a manutenção do meio

ambiente.

Além disso, os profissionais de eficiência

energética da empresa apresentam, em

eventos e escolas, através de palestras, os

projetos realizados pela empresa, incluindo

conceitos de eficiência energética e conservação

de energia.

Uma das metas da

empresa é tornar todas

as suas instalações

eficientes, obtendo

a Etiqueta Nacional

de Conservação

de Energia para

Edificações Comerciais,

tanto para o projeto

quanto para a

construção. Além disso,

a Eletrosul tem por

objetivo que todas as

novas instalações sejam

baseadas no conceito

zero energy building,

ou seja, utilizando

instalações mais

eficientes e com baixa

ou nenhuma emissão

de carbono

eletrosul centrais elétricas s.a. 95


dimensão ambiental

| 7.4 Projeto Megawatt Solar

GRI

en6

A Eletrosul é uma das empresas do Setor Elétrico com atuação

mais destacada em projetos fotovoltaicos no Brasil. A

empresa vem desenvolvendo projetos de pesquisa em diversas

frentes nesse segmento a alguns anos, agregando

conhecimento ao longo do tempo:

• Foi um dos financiadores do projeto Eletrisol, executado

pela PUC-RS e que implantou uma planta-piloto de fabricação

de células e módulos fotovoltaicos;

• Contratou com a mesma instituição a elaboração de um Plano

de Negócios para implantação de uma indústria de produção

de células e módulos fotovoltaicos, contemplando todo o

conhecimento técnico obtido do projeto Eletrisol e agregando

os aspectos legais, fiscais e tributários envolvidos; e

• Está em fase de contratação de um projeto de P&D Aneel

de pesquisas para purificação do silício em grau solar.

Em paralelo às ações de pesquisa, a empresa vem também

desenvolvendo projetos-piloto e plantas comerciais empregando

essa tecnologia. Esses projetos, integralmente

implantados nas dependências do edifício-sede da Eletrosul,

comporão um grande complexo fotovoltaico superior a

1.000 kW, que, além de se tornar uma possibilidade de receita

para a empresa, também formará competência técnica

própria para futuros projetos no país.

No estacionamento do edifício-sede da Eletrosul, encontrase

em operação, desde fevereiro de 2009, a Planta-Piloto

Fotovoltaica. Como seu próprio nome diz, seu objetivo é

servir como piloto para empreendimentos maiores, como

o Projeto Megawatt Solar, a fim de desenvolver competência

técnica e avaliar os impactos da inserção dessa fonte

na rede elétrica. Com potência instalada de 11,97 kWp

e uma área de cobertura de 228 m², produziu em 2011,

cerca de 13,32 MWh, que foram absorvidos pelo edifício-

-sede. Estima-se que essa geração seja equivalente ao consumo

anual de 6,2 residências da Região Sul do Brasil. O

investimento para sua implantação foi de R$ 397.627,73.

Em setembro de 2011, a Eletrosul lançou o edital de

concorrência internacional n o 913.112.043 para contratar

a implantação da Sol Megawatt Solar. Esse projeto

visa à construção de uma usina fotovoltaica de 1 MW nas

dependências da sede da Eletrosul (estacionamentos e

cobertura do edifício-sede), utilizando tecnologia de módulos

de silício cristalino, e coloca a Eletrosul em evidência

nesse setor, haja vista que será o maior projeto brasileiro

integrado a uma edificação. É esperada a produção

de 1.150 MWh por ano – equivalente ao consumo de 570

residências –, evitando a emissão anual de 188 teq de CO 2

na atmosfera.

O orçamento total do edital foi de R$ 10.778.175,37, e o

projeto conta com financiamento não reembolsável do

banco alemão KfW e apoio técnico da agência alemã de

cooperação internacional (GIZ – Deutsche Gesellschaft für

Internationale Zusammenarbeit).

Como forma de estimular o crescimento de um mercado

de energia verde no país e agregar valor à energia fotovoltaica

produzida, será vinculada à comercialização dessa

energia a emissão de um Selo Solar, sob gestão do Instituto

Ideal. Esse selo poderá ser utilizado em diversos mecanismos

de comunicação da empresa compradora da energia

como uma ferramenta de marketing, dando ao cliente final

a visão sustentável da empresa. Em função dessa estratégia,

a energia produzida pela usina será comercializada no

Ambiente de Contratação Livre.

Além dessa usina comercial, o edital prevê a instalação

de uma planta experimental de 8 kW de potência, contemplando

outras tecnologias fotovoltaicas instaladas em

estruturas metálicas ajustáveis em inclinação e orientação

solar, permitindo o estudo comparativo de desempenho

desses sistemas perante diversas condições de operação.

Com essas ações, a empresa se solidifica como uma das

principais protagonistas na utilização dessa tecnologia tão

promissora no nosso país.

96

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


| 7.5 Materiais e insumos

GRI

en1 en2

O principal insumo utilizado pelas Linhas de

Transmissão de energia que pode representar

um importante impacto ambiental é o óleo mineral

isolante contaminado com ascarel, uma

bifenila policlorada (PCB). A Convenção de Estocolmo,

da qual o Brasil é membro signatário,

propôs uma meta de eliminação das PCBs até

2025. Por isso, a Eletrosul está desenvolvendo

seu inventário de PCBs.

Em 2007, teve início o trabalho de levantamento

da quantidade de óleo mineral isolante contaminado

pelo ascarel, concluído em 2011 com

um total de 463 transformadores de força e

reatores avaliados. Entretanto, a avaliação do

nível de contaminação do óleo dos transformadores

auxiliares e de instrumentos ainda está

em andamento.

Além disso, foram adquiridas em 2011 0,83 tonelada

de SF 6

, 20,70355 toneladas de folhas A4

e 3,101 toneladas de copos plásticos, e foram

descartadas 0,63 tonelada de isoladores e 3,33

toneladas de bauxita ativada. Para minimizar o

impacto ambiental causado pela utilização desses

materiais, a Eletrosul regenerou 83.000 litros de

óleo mineral isolante e adquiriu 9,04955 toneladas

(3.755 resmas) de papel A4 reciclado.

Em 2011, foram

adquiridas

0,830 toneladas

de SF 6

, 20,70355

toneladas de folhas

A4 e 3,101 toneladas

de copos plásticos, e

foram descartadas

0,630 toneladas de

isoladores e 3,330

toneladas de

bauxita ativada

| 7.6 Energia

GRI

en4

O consumo de energia na Eletrosul engloba a energia elétrica utilizada nas instalações

administrativas e operacionais. Em 2011, o consumo de energia aumentou em razão da expansão

das operações, conforme quadro a seguir:

consumo 2011 2010 2009

Consumo total de energia (em kWh) 19.689.982,00 17.319.838 12.095.841

Para minimizar

o impacto

ambiental causado

pela utilização desses

materiais, a Eletrosul

regenerou 83.000

litros de óleo mineral

isolante e adquiriu

9,04955 toneladas

(3.755 resmas) de

papel A4 reciclado

| 7.7 água

GRI

en8

O setor de Gestão Ambiental atualmente envida

esforços na sistematização das ações ambientais

na empresa, por meio do software ambiental

da Eletrosul (Sistema de Monitoramento das

Ações Ambientais – SMAA), envolvendo contabilização

do consumo de água, energia, geração

de resíduos e situação jurídico-ambiental

da empresa.

O consumo de água é proveniente do abastecimento

da rede pública e de fontes subterrâneas,

conforme tabela a seguir:

eletrosul centrais elétricas s.a. 97


dimensão ambiental

2011 2010 2009

Abastecimento (rede pública) 40.092,99 m 3 26.274,27 m 3 19.421,33 m 3

Fonte subterrânea (poço) 45.207,00 m 3 37.954 m 3 396.689 m 3

Captação superficial (cursos d’água) 3.024,00 m 3 6.096 m 3 1.190 m 3

Consumo total de água (em m 3 ) 101.586,00 m 3 82.657 m 3 425.697 m 3

Consumo de água por empregado (em m 3 )

65,16 m 3 /

empregado

51,4 m 3 /

empregado

42,6 m 3 /

empregado

| 7.8 Gestão de Resíduos

GRI

en22 en23 en24 en26

Os resíduos sólidos gerados pelas atividades de escritório

da Eletrosul, tanto no edifício-sede da empresa

quanto nas demais instalações administrativas,

são recolhidos pelas empresas municipais de

coleta, e os recicláveis são destinados às associações

de catadores de resíduos recicláveis dos municípios

interessados, via convênio, contribuindo significativamente

na redução do volume de materiais

descartados no meio ambiente e possibilitando a

geração de empregos por meio das associações.

98

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


Para acompanhar esse processo, a empresa tem

a prática de exigir Certificados de Destinação, que

contemplam todas as informações necessárias

para controle do processo.

A gestão dos resíduos é realizada de maneira eletrônica

por meio do software ambiental da Eletrosul,

Sistema de Monitoramento das Ações Ambientais

(SMAA), monitorado pelo Setor de Gestão

Ambiental (Segea) e com alimentação de informações

descentralizada. Além disso, a empresa

formalizou sua preocupação com o transporte

correto de produtos perigosos entre suas áreas,

elaborando e distribuindo material instrutivo às

áreas envolvidas.

Em 2011 houve 14 ocorrências de derramamento,

com um volume de 600 litros de óleo, segundo

registros de contingência. GRI en23

Atualmente, os resíduos recicláveis gerados pela

sede da empresa são encaminhados para um processo

de triagem, por meio de recipientes específicos

disponibilizados pela empresa com posterior

destinação às Associações de Catadores de Resíduos

Recicláveis, via convênio, contribuindo não

só na gestão de resíduos sólidos, mas também

socialmente por meio da geração de empregos

indiretos para muitas famílias.

Além da sede, outras áreas celebraram convênios,

como a Divisão Regional de Mato Grosso do

Sul, a Subestação e o Setor de Manutenção de

Dourados, a Divisão Regional do Paraná, a Subestação

e o Setor de Manutenção de Londrina,

a Divisão Regional da Região Oeste, a Subestação

e o Setor de Manutenção de Santo Ângelo, a Divisão

Regional de Santa Catarina, a Subestação e o

Setor de Manutenção de Joinville.

Essa ação, em atendimento ao Decreto Federal

n o 5.940/2006, será estendida a todas as unidades

da empresa.

Os resíduos sólidos perigosos gerados pelas atividades

de manutenção e operação do sistema de

transmissão propriamente ditas, realizadas nas

oficinas, nas divisões regionais e nos laboratórios,

são coletados e armazenados seletivamente nas

fontes segundo sua característica principal (resíduos

oleosos, resíduos com solventes, latas de

tinta, entre outros). Quando atingem determinado

volume, os resíduos são encaminhados para sua

destinação final por empresas especializadas em

transporte, tratamento e disposição final dessa

categoria de resíduos. GRI en24

É prática da empresa a exigência de Certificados

de Destinação, que contemplam todas as informações

necessárias para controle do processo

– por exemplo, tipo de resíduo, data, localização,

volume, entre outros.

Atualmente, a contratação e a gestão do processo

de destinação final dos resíduos sólidos, tanto

de Classe I quanto de Classe II, ocorrem de modo

pulverizado e descentralizado, sob responsabilidade

das unidades geradoras. A seguir, apresentamos

o quadro com o peso total dos resíduos

por tipo e ano. GRI en22

Os resíduos sólidos

caracterizados como

resíduos perigosos

são coletados

e armazenados

seletivamente

nas fontes e

encaminhados

para empresas

especializadas

em transporte,

tratamento e

disposição final dessa

categoria de resíduos.

Para acompanhar

esse processo, a

empresa tem a prática

de exigir Certificados

de Destinação, que

contemplam todas

as informações

necessárias para

controle do processo

2011 2010 2009

Quantidade anual (em toneladas) de resíduos sólidos gerados

(lixo, dejetos, entulho etc.).

32,1 t de resíduos

perigosos

+

61,4 t de resíduos

não perigosos

3,6 t de resíduos

perigosos

+

40,7 t de resíduos

não perigosos

24,963 t de resíduos

perigosos

+

89,261 t de resíduos

não perigosos

eletrosul centrais elétricas s.a. 99


dimensão ambiental

| 7.9 Biodiversidade

e Unidades de Conservação

GRI

en11 en12 en13 en15

É prática da empresa

desenvolver ações

de recuperação de

áreas degradadas,

reposição florestal

e monitoramento,

gerenciamento de

resíduos e controle de

processos erosivos.

Geralmente, essas

práticas são executadas

pelas empreiteiras

contratadas para

execução das obras,

sob coordenação e

responsabilidade da

Eletrosul

Os empreendimentos de geração da Eletrosul não

estão em áreas de Unidades de Conservação. A

empresa possui 498,59 km de Linhas de Transmissão

que passam por Unidades de Conservação.

Contudo, devido às estreitas faixas de servidão

os impactos na biodiversidade não são tão

significativos quanto aqueles causados pelos empreendimentos

de geração, devido à característica

linear das Linhas de Transmissão. GRI en11

No caso das Linhas de Transmissão, devido às

estreitas faixas de servidão, os impactos na biodiversidade

são baixos, motivo pelo qual não foram

previstos planos futuros específicos para a gestão

desses impactos.

De qualquer forma, os impactos ambientais são

inevitáveis nos empreendimentos elétricos. No

caso das hidrelétricas, por exemplo, podemos citar

a supressão da vegetação e a inundação, que

podem representar a perda de hábitat natural

para fauna e flora, podendo causar o desaparecimento

de algumas espécies. Além disso, o efeito

de borda causado pela formação de fragmentos

menores causa modificações das condições ambientais

e consequente alteração da composição

faunística. O carreamento de material particulado

e a alteração no fluxo da água também oferecem

grande interferência no ambiente.

florestal e monitoramento, gerenciamento de

resíduos e controle de processos erosivos. Geralmente,

essas práticas são executadas pelas

empreiteiras contratadas para execução das

obras, sob coordenação e responsabilidade da

Eletrosul. en12 en14

GRI

Quando da implantação de empreendimentos,

por exemplo, a empresa compensa as áreas de

vegetação suprimidas por meio de reposição

florestal. O número de mudas plantadas em

2011 foi de 458.156 relativas à Usina Hidrelétrica

Passo São João. Além disso, são realizadas

campanhas de monitoramento de fauna antes

da implantação do empreendimento, o que permite

realizar levantamento das espécies existentes

no local antes da intervenção; salvamento

de flora antes da supressão de vegetação e

reposição florestal visando à manutenção da

variabilidade genética das populações e resgate

e afugentamento de fauna visando ao salvamento

de espécimes durante o enchimento do

reservatório. Como atualmente todas as usinas

estão em fase de implantação, também estão

previstos programas de monitoramento para o

período após a conclusão das obras, a fim de

se obter um comparativo mais detalhado quanto

à biodiversidade da área de compensação.

GRI en13

No intuito de mitigar esses impactos, a companhia

desenvolve EIA/Rimas – Estudos de Impacto

Ambiental e Relatórios de Impacto Ambiental (ou

Relatórios Ambientais Simplificados – RAS, para

empreendimentos de pequeno porte) e executa

todas as medidas ambientais necessárias quando

da implantação de novos empreendimentos.

É prática da empresa desenvolver ações de

recuperação de áreas degradadas, reposição

A área de atuação da Eletrosul envolve os biomas

do Cerrado (Região Centro-Oeste), Mata

Atlântica (Sul), Pampas (Sul) e Floresta Amazônica

(Norte), onde existem diversas espécies

ameaçadas de extinção. Para acompanhar o

impacto das operações da empresa nesse sentido,

são elaborados Relatórios de Monitoramento

de Fauna durante a execução dos programas

ambientais. O EIA/Rima lista as espécies ameaçadas

de extinção existentes na área do empre-

100

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


endimento. Durante a execução dos programas

ambientais, são elaborados os Relatórios de

Monitoramento de Fauna. GRI en15

7.9.1. Áreas de

Proteção Ambiental

GRI

en13

As diretrizes defendidas pela Eletrosul na manutenção

de APPs priorizam a utilização de modelos

de conservação da biodiversidade para a

conservação da biofuncionalidade e resgate de

interações entre organismos do sistema. Essa

visão prima em refazer processos naturais da

sucessão, aumentando a resiliência e direcionando

a comunidade para a sua integração com

a paisagem que a rodeia, refletindo sobre seus

processos e sua atual capacidade de campo.

Dentro desse contexto, a empresa já está utilizando

nas APPs o processo de nucleação, que visa gerar

pequenos núcleos e aguardar que os grandes

espaços desocupados entre eles sejam lentamente

ocupados por uma diversidade compatível com o

conjunto de aptidões bióticas e abióticas da área

em questão. Como resultado, essas técnicas produzem

uma variedade de fluxos naturais sobre o

ambiente degradado, mantendo processos-chave

e contribuindo para resgatar a complexidade de

condições dos sistemas naturais.

| 7.10 Gestão Ambiental Eletrosul GRI en26

Em julho de 2007 iniciou-se na empresa a execução

de ações de melhoria ambiental aprovadas

pelo Programa de Gestão Ambiental da Eletrosul

11 . O programa busca a sistematização, a uniformização

e a adequação das ações de gestão

ambiental desenvolvidas pelas diversas áreas da

empresa. Em continuidade ao trabalho, foi criado

em 2009 o Setor de Gestão Ambiental – Segea/Dima/DPM

para atuar na fase pós-implantação

de empreendimentos e desenvolver outras

ações ambientais relacionadas com as atividades

da empresa.

Assim, além das ações realizadas nos Programas

Ambientais de cada empreendimento, podemos

citar algumas iniciativas realizadas em 2011 com

o objetivo de mitigar os impactos ambientais de

produtos e serviços da empresa:

7.10.1. Campanha Anual

Contra Queimadas

Desde 1995, a Eletrosul desenvolve a Campanha

Anual contra Queimadas, em caráter preventivo

e educativo. O objetivo é informar os

proprietários rurais que possuem áreas junto

às Linhas de Transmissão e subestações de

energia elétrica, bem como a população em

geral, sobre os riscos dessa prática em áreas

próximas a esses locais.

A campanha é constituída por jingle de 60 segundos,

veiculado em rádios AM, principalmente do

interior, outdoors, cartazes, fôlderes, bonés e sacolas

para utilização em armazéns. Esse material

é distribuído a proprietários, sindicatos, prefeituras

e outras entidades com as quais o público-alvo

se relaciona.

NOTAS

11. Aprovado pela DD-1188-05 de

26/06/2007 e normatizado pela NG-090

de 20/08/2008.

eletrosul centrais elétricas s.a. 101


dimensão ambiental

7.10.2. Programa Hortas Comunitárias

Este programa tem por finalidade a manutenção e a preservação das faixas de servidão de Linhas de

Transmissão, especialmente nos grandes centros urbanos. Sua abrangência são as faixas de servidão

de Linhas de Transmissão compatíveis com a finalidade do projeto nos estados de atuação da Eletrosul.

Este programa

tem por finalidade

a manutenção e a

preservação das

faixas de servidão de

Linhas de Transmissão,

especialmente nos

grandes centros

urbanos. Sua

abrangência são as

faixas de servidão de

Linhas de Transmissão

compatíveis com a

finalidade do projeto

nos estados de atuação

da Eletrosul

102

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


8. Prêmios e Reconhecimentos

GRI

2.10

Melhores & Maiores da Revista Exame

Pelo quinto ano consecutivo, a Eletrosul está presente no

ranking Melhores & Maiores da Exame, edição 2011. A estatal

marcou posição em nove quesitos avaliados pela revista, em

relação ao desempenho das empresas, em 2010. O volume de

investimentos realizados pela Eletrosul colocou a empresa na

45 a colocação entre as mil pesquisadas pela Exame, que mais

investiram no Brasil. É citada, também, entre as 50 Maiores

Estatais por Vendas, ocupando a 39 a colocação – duas posições

acima do balanço de 2009 – e entre as 500 Maiores

em Vendas, com a 488 a posição. Já no quesito Maiores em

Dividendos, no qual figuram as empresas que melhor remuneraram

seus acionistas, a Eletrosul emplacou o 5 o lugar. Na

estratificação por estado, a Eletrosul ficou com a 3 a colocação

em Santa Catarina no item Riqueza Criada por Empregado,

subindo uma posição em relação ao último ranking. O indicador

aponta a produtividade e a contribuição média de cada

um na riqueza gerada pela empresa. A Eletrosul se posicionou,

ainda, entre as 100 Maiores da Região Sul. A empresa

ficou na 72 a colocação, subindo uma posição em relação ao

levantamento anterior.

Casa Eficiente

A Eletrosul recebeu, no dia 21 de julho, as etiquetas com o

nível “A” do Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) pela

Casa Eficiente, parceria entre Eletrobras, Procel (Programa

Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e a Universidade

Federal de Santa Catarina/Laboratório de Eficiência Energética

em Edificações (UFSC/LABEEE). Esse foi o primeiro processo

de etiquetagem para um edifício com características

residenciais a ser realizado por um Organismo de Inspeção de

Eficiência Energética em Edificações (OI3E).

Empresa Cidadã 2011 da ADVB-SC

A Eletrosul recebeu prêmio Empresa Cidadã 2011 da ADVB-SC

por patrocinar o projeto “Agricultura Urbana – A Revolução

dos Baldinhos”, implementado no Bairro Chico Mendes, em

Florianópolis, que utiliza resíduos orgânicos para a produção

de alimentos. Com o apoio da Eletrosul, há três anos, foi iniciado

o trabalho de coleta de resíduos orgânicos para compostagem

e posterior uso das famílias para produzir alimentos saudáveis

nos quintais das casas. O projeto tem reconhecimento

internacional e já representou o Brasil e Santa Catarina em

evento em Turim, na Itália, em 2010.

Certificado de Destaque

em Comunidade

Na realização do Fórum de Gestão Sustentável, reunindo empresas

deres em responsabilidade socioambiental na Região

Sul, a Eletrosul recebeu certificado de reconhecimento pelo

relacionamento com a comunidade. A Eletrosul foi uma das

dez empresas que receberam a certificação nos sete temas

propostos pelo Instituto Ethos – a empresa ficou em 8 o lugar

no tema Comunidade e recebeu o Certificado de Destaque

em Comunidade.

500 Maiores do Sul da Revista Amanhã

No ranking das 500 Maiores do Sul, da revista Amanhã, a Eletrosul

conquistou a 24 a posição e obteve a 6 a posição entre as

100 maiores empresas de Santa Catarina. Outros destaques

da empresa foram a 3 a colocação, entre as 50 maiores de SC,

no item Patrimônio Líquido; 11 a posição em Maiores Receitas

Brutas, e 3 o lugar em Lucro Líquido.

Certificação de

Responsabilidade Social 2011

A Eletrosul recebeu Certificação de Responsabilidade Social

2011, conferida pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

Essa certificação é mais um reconhecimento importante das

ações da Eletrosul em questões sociais e ambientais.

Pelo quinto ano consecutivo, a Eletrosul está presente no ranking

Melhores & Maiores da Exame, edição 2011. A estatal marcou posição em nove

quesitos avaliados pela revista, em relação ao desempenho das empresas, em 2010

eletrosul centrais elétricas s.a. 103


ibase

9. ibase

1 - Geração e distribuição de riqueza Em 2011 Em 2010

Distribuição do Valor Adicionado 18,4% governo 37,9% empregados 22,7% governo 44,0% governo

A Demonstração do Valor Adicionado - DVA está apresentada, na íntegra, no

conjunto das Demonstrações Financeiras

2 - RECURSOS HUMANOS

2.1 - Remuneração

11,8% acionistas 31,9% financiadores 9,8% acionistas 23,5% financiadores

Em 2011 Em 2010

Folha de pagamento bruta (FPB) 204.619 216.224

- Empregados 202.690 214.514

- Administradores 1.930 1.710

Relação entre a maior e a menor remuneração:

- Empregados 16,10 16,17

- Administradores 1,0 1,0

2.2 - Benefícios Concedidos Valor (mil) % sobre FPB % sobre RL Valor (mil) % sobre FPB % sobre RL

Encargos Sociais 70.074 34,25% 8,29% 71.128 32,90% 8,95%

Alimentação 19.234 9,40% 2,28% 15.191 7,03% 1,91%

Transporte 197 0,10% 0,02% 339 0,16% 0,04%

Previdência privada 58.631 28,65% 6,94% 20.696 9,57% 2,60%

Saúde 16.665 8,14% 1,97% 13.575 6,28% 1,71%

Segurança e medicina do trabalho 1.796 0,88% 0,21% 1.631 0,75% 0,21%

Educação ou auxílio-creche 3.933 1,92% 0,47% 1.124 0,52% 0,14%

Cultura - 0,00% 0,00% - 0,00% 0,00%

Capacitação e desenvolvimento profissional 4.085 2,00% 0,48% 3.421 1,58% 0,43%

Participação nos lucros ou resultados 33.196 16,22% 3,93% 30.221 13,97% 3,80%

Outros 5.931 2,90% 0,70% 5.553 2,57% 0,70%

Total 213.742 104,46% 25,29% 162.879 75,33% 20,49%

2.3 - Composição do Corpo Funcional

N o de empregados no final do exercício 1.554 1.605

N o de admissões 83 114

N o de demissões 134 65

N o de estagiários no final do exercício 124 218

N o de empregados portadores de necessidade especiais no final do exercício 31 31

N o de prestadores de serviços terceirizados no final do exercício 404 548

N o de empregados por sexo:

- Masculino 1.287 1.341

- Feminino 267 264

N o de empregados por faixa etária: - -

- Menores de 18 anos -

- De 18 a 35 anos 551 528

- De 36 a 60 anos 982 1.054

- Acima de 60 anos 21 23

N o de empregados por nível de escolaridade:

- Analfabetos - -

(Valores expressos em milhares de reais)

- Com ensino fundamental 14 23

104

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


- Com ensino médio 144 136

- Com ensino técnico 575 564

- Com ensino superior 530 557

- Pós-graduados 291 325

Percentual de ocupantes de cargos de chefia, por sexo:

- Masculino 81,48% 89,80%

- Feminino 18,52% 10,20%

2.4 - Contingências e passivos trabalhistas Em 2011 Em 2010

N o de processos trabalhistas movidos contra a entidade 1.193 974

N o de processos trabalhistas julgados procedentes 75 19

N o de processos trabalhistas julgados improcedentes 81 11

Valor total de indenizações e multas pagas por determinação da Justiça 737 1.462

3 - Interação da Entidade com o Ambiente Externo Valor (mil) % sobre RO % sobre RL Valor (mil) % sobre RO % sobre RL

3.1 - Relacionamento com a Comunidade

Totais dos investimentos em:

Educação 2.052 1,77% 0,24% 1.789 2,00% 0,23%

Cultura 362 0,31% 0,04% 1.025 1,15% 0,13%

Saúde e infraestrutura 6.085 5,27% 0,72% 7.006 7,85% 0,88%

Esporte e lazer 654 0,57% 0,08% 300 0,34% 0,04%

Alimentação - 0,00% 0,00% - 0,00% 0,00%

Geração de trabalho e renda 1.352 1,17% 0,16% 1.676 1,88% 0,21%

Outros 2.515 2,17% 0,30% 2.084 2,33% 0,26%

Total dos investimentos 13.020 11,26% 1,54% 13.880 15,55% 1,75%

Tributos (excluídos encargos sociais) 119.293 103,14% 14,12% 105.576 118,27% 13,29%

Compensação financeira pela utilização de recursos hídricos - 0,00% 0,00% - 0,00% 0,00%

Total – Relacionamento com a Comunidade 132.313 114,40% 15,66% 119.456 133,82% 15,04%

3.2 - Interação com os Fornecedores

Nos critérios de responsabilidade social utilizados para a seleção de seus fornecedores, são exigidos controles os quais seguem legislação e normas específicas com ênfase na Lei das Licitações

n o 8.666, de 21/06/1993, Lei n o 10.520, de 17/07/2002, Decreto n o 5.450, de 31/05/2005. São realizadas pesquisas de satisfação abordando o sistema de cadastramento de fornecedores e o sistema de

pregão. É fiscalizado o cumprimento de questões como treinamento e pagamento de pessoal, uniforme, alimentação, saúde e segurança de pessoal e de terceiros.

4 - Interação com o Meio Ambiente Valor (mil) % sobre RO % sobre RL Valor (mil) % sobre RO % sobre RL

Investimentos e gastos com manutenção nos processos operacionais

para a melhoria do meio ambiente

Investimentos e gastos com a preservação e/ou recuperação

de ambientes degradados

Investimentos e gastos com a educação ambiental para empregados,

terceirizados, autônomos e administradores da entidade

154 0,13% 0,00% - 0,00% 0,00%

709 0,62% 0,08% 2.292 2,57% 0,29%

3 0,00% 0,00% - 0,00% 0,00%

Investimentos e gastos com educação ambiental para a comunidade 124 0,11% 0,01% 132 0,15% 0,02%

Investimentos e gastos com outros projetos ambientais 5.657 4,89% 0,67% 1.067 1,20% 0,13%

Quantidade de processos ambientais, administrativos e judiciais

movidos contra a entidade

Valor das multas e das indenizações relativas à matéria ambiental, determinadas

administrativa e/ou judicialmente

- 0,00% 0,00% - 0,00% 0,00%

- 0,00% 0,00% - 0,00% 0,00%

Passivos e contingências ambientais - 0,00% 0,00% 599 0,67% 0,08%

Total da Interação com o meio ambiente 6.647 5,75% 0,76% 4.090 4,59% 0,52%

5 - Outras informações

Receita Líquida (RL) 844.917 794.523

Resultado Operacional (RO) 115.659 89.270

eletrosul centrais elétricas s.a. 105


dimensão perspectivas ambiental

10. perspectivas

Nos empreendimentos,

próprios e em parcerias

serão investidos,

até 2016, perto de

R$ 9 bilhões

considerando apenas

os valores que cabem

à Eletrosul. são mais

de R$ 7,2 bilhões

em obras de geração

e mais de R$ 1,7 bilhão

em transmissão

O cenário que se apresentou em 2011, com a participação

efetiva de empreendimentos eólicos

nos leilões A-3 e de reserva, a preços competitivos,

leva a crer que a energia dos ventos continuará

sendo uma alternativa promissora para o

futuro energético brasileiro, como fonte complementar.

Por essa razão e aproveitando a expertise

adquirida, a Eletrosul deverá entrar com força

nos leilões programados para 2012.

Nos empreendimentos, próprios e em parcerias,

já licitados nos leilões da Aneel – parte deles,

inclusive, em construção – serão investidos,

até 2016, perto de R$ 9 bilhões, considerando

apenas os valores que cabem à Eletrosul. São

mais de R$ 7,2 bilhões em obras de geração e

mais de R$ 1,7 bilhão em transmissão.

até o final do ano, gerando um megawatt-pico.

Com esse projeto, a Eletrosul dá sua parcela de

contribuição para que a energia solar no país

comece a ganhar forma e, a exemplo da eólica,

em um horizonte de 10 anos se consolide como

fonte alternativa complementar à nossa matriz

energética. O projeto servirá de estímulo para

que iniciativas semelhantes se repliquem no

Brasil e, também, para aprofundar as pesquisas

na área de geração fotovoltaica.

Com todos esses investimentos e os que estão

por vir, junto dos bons ventos que movem a

economia do país, a Eletrosul irá recuperar seus

ativos de geração em tempo recorde, considerando

o horizonte de prazo de grandes obras

de infraestrutura.

A empresa deverá concretizar, também, em

2012, o Megawatt Solar. Um novo edital de licitação

internacional está prestes a ser lançado e

a expectativa é que a usina entre em operação

E é com esse espírito empreendedor, essa visão de

futuro, e alinhada às políticas de desenvolvimento

econômico do país, que a Eletrosul quer continuar

crescendo de maneira responsável e sustentável.

106

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


11. Demonstrações Financeiras

e Notas Explicativas

sumário

1. balanço patrimonial 108

2. demonstração de resultados 110

3. demonstração de resultados abrangentes 110

4. demonstração das mutações do patrimônio líquido 111

5. demonstração dos fluxos de caixa 112

6. demonstração do valor adicionado 114

7. notas explicativas às demonstrações financeiras 115

8. relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 192

9. parecer do conselho fiscal 194


demonstrações financeiras e notas explicativas

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A

BALANÇO PATRIMONIAL

Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

(em milhares de reais)

Controladora

Consolidado

ATIVO 2011 2010 2011 2010

CIRCULANTE

Notas

Caixa e equivalentes de caixa 4 257.339 135.560 624.187 358.785

Clientes 6 107.185 91.109 127.475 99.235

Ativo financeiro de transmissão 7 118.851 115.735 152.543 140.357

Créditos de energia renegociados 8 127.639 128.635 127.639 128.635

Dividendos a receber 9 10.493 7.481 - -

Devedores diversos 10 31.505 13.159 31.969 17.864

Desativações, alienações e serviços em curso 12 32.782 31.676 32.782 31.842

Tributos a recuperar 13 30.983 16.409 42.509 22.866

Almoxarifado 30.767 30.363 30.767 30.363

Cauções, depósitos e fundos vinculados 5 2.019 40.489 27.311 83.211

Outros créditos 15 10.744 20.291 11.969 24.052

760.307 630.907 1.209.151 937.210

NÃO CIRCULANTE

Ativo Realizável a longo prazo

Créditos de energia renegociados 8 479.752 544.043 479.752 544.043

Tributos a recuperar 13 62.463 6.580 131.960 63.462

Ativo fiscal diferido 16 122.312 133.219 135.440 140.805

Cauções, depósitos e fundos vinculados 5 29.514 12.465 45.911 20.427

Adiantamento para aumento de capital 14 367.527 42.390 - -

Ativo financeiro de transmissão 7 2.400.742 2.413.312 3.618.110 3.042.939

Outros créditos 15 16.819 14.233 21.253 29.733

3.4 79. 129 3.16 6.242 4 .4 3 2 .426 3 .84 1.409

Investimentos 17 1.348.816 883.452 3.281 3.307

Imobilizado 18 1.538.955 1.048.797 3.735.612 2.150.154

Intangível 19 79.795 96.841 228.760 118.483

6.446.695 5.195.332 8.400.079 6.113.353

TOTAL DO ATIVO 7.207.002 5.826.239 9.609.230 7.050.563

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 108

108

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A

BALANÇO PATRIMONIAL

Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

(em milhares de reais)

Controladora

Consolidado

PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO 2011 2010 2011 2010

CIRCULANTE

Notas

Financiamentos e empréstimos 21 149.408 88.085 265.903 130.973

Fornecedores 20 109.546 115.592 325.022 196.676

Folha de pagamento 52.049 39.600 52.686 40.012

Participação nos lucros e resultados 48 33.470 31.096 33.470 31.096

Tributos a recolher 22 46.324 50.749 61.303 58.517

Dividendos a pagar 44 24.552 19.332 24.552 19.332

Obrigações estimadas 23 29.918 81.005 32.104 81.837

Entidade de previdência complementar 29 13.534 10.734 13.534 10.734

Pesquisa e desenvolvimento 29.477 24.014 31.887 24.553

Provisão para perdas com contrato oneroso 7.215 21.235 7.215 21.235

Outros passivos 26 41.899 20.047 56.779 33.894

NÃO CIRCULANTE

537.392 501.489 904.455 648.859

Financiamentos e empréstimos 21 1.692.082 1.408.224 3.639.933 2.446.289

Tributos a recolher 22 136.476 155.400 136.476 155.400

Passivo fiscal diferido 16 240.313 275.616 248.412 278.432

Provisões para contingências 24 52.235 76.790 52.545 77.100

Entidade de previdência complementar 29 51.860 25.881 51.860 25.881

Adiantamento para aumento de capital 30 1.810.793 724.125 1.833.233 728.835

Concessões a pagar - Uso do Bem Público 25 21.200 18.060 58.416 35.868

Passivo atuarial 29 19.714 4.146 19.714 4.146

Outros passivos 26 13.659 125 19.136 13.401

PATRIMÔNIO LÍQUIDO 31

4.038.332 2.688.367 6.059.725 3.765.352

Capital social 1.577.686 1.577.686 1.577.686 1.577.686

Reservas de lucros 1.055.880 1.050.711 1.055.880 1.050.711

Ajuste de avaliação patrimonial (75.940) (50.005) (75.940) (50.005)

Dividendos adicionais propostos 73.652 57.991 73.652 57.991

2.631.278 2.636.383 2.631.278 2.636.383

Participação de não controladores - - 13.772 (31)

TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO 7.207.002 5.826.239 9.609.230 7.050.563

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 109

eletrosul centrais elétricas s.a. 109


demonstrações financeiras e notas explicativas

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS

Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

(em milhares de reais)

Controladora

Consolidado

Notas 2011 2010 2011 2010

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 37 844.917 794.523 1.360.393 1.066.995

CUSTO OPERACIONAL

Custo com Energia Elétrica 39 (110.583) (42.643) (110.583) (42.643)

Energia comprada para revenda (124.603) (27.324) (124.603) (27.324)

Provisão (reversão) perdas contrato oneroso 14.020 (15.319) 14.020 (15.319)

Custo de Operação 39 (219.650) (210.836) (223.125) (216.786)

Pessoal, material e serviços de terceiros (213.270) (206.683) (214.343) (213.577)

Provisões para créditos de liquidação duvidosa (2.247) (547) (2.511) (547)

(-) Recuperação de despesas 3.152 2.858 3.560 4.802

Outros (7.285) (6.464) (9.831)

-

(7.464)

Custo do Serviço Prestado a Terceiros 39 (10.312) (14.121) (10.312) (14.121)

Custo de Construção 39 (92.201) (108.330) (514.193) (315.450)

LUCRO OPERACIONAL BRUTO 412.171 418.593 502.180 477.995

Despesas Operacionais 39 (183.525) (185.850) (200.769) (196.334)

Participações nos lucros e resultados 48 (33.470) (30.260) (33.470) (30.221)

RESULTADO DO SERVIÇO 195.176 202.483 267.941 251.440

Resultado de Participações Societárias 33.675 32.505 - -

Resultado Financeiro 41 (122.246) 14.261 (144.696) (1.198)

Outras Receitas/Despesas, Líquido 42 9.054 (159.979) 9.062 (153.215)

LUCRO OPERACIONAL 115.659 89.270 132.307 97.027

Imposto de renda e contribuição social 43 (12.287) (21.647) (27.677) (29.495)

LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO 103.372 67.623 104.630 67.532

Atribuível a:

Acionistas da controladora 103.372 67.623 103.372 67.623

Acionistas não controladores - - 1.258 (91)

Total de ações ordinárias 48.906.141 48.906.141 48.906.141 48.906.141

Lucro básico e diluído por ação ordinária 2,11 1,38 2,14 1,38

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS ABRANGENTES

Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

(em milhares de reais)

C on t ro la d ora

C onsolidado

2 0 11 2 0 10 2 0 11 2 0 10

LUCRO L ÍQ UID O DO EXERCÍC IO 103.372 67. 623 10 4 . 630 67.532

Ajustes de hedges de fluxo de caixa 2.310 (13.225) 2.310 (13.225)

Ajuste de ganhos (perdas) atuariais (33.746) (19.680) (33.746) (19.360)

Imposto de renda e contribuição social diferidos 5.501 4.396 5.501 4.396

RE S ULTADO A BRANGENT E D O EXERCÍC IO 77. 437 3 9. 114 78. 695 3 9.343

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 110

110

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO

Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

(em milhares de reais)

Capital

Social

Reservas de

Lucros

Lucros

Acumulados

Ajuste de

Avaliação

Patrimonial

Dividendos

Adicionais

Propostos

Patrimonio

Líquido dos

Sócios da

Controladora

Participação

dos não

Controladores

Patrimônio

Líquido

Consolidado

SALDOS EM 31/12/2009 1.245.042 1.046.641 13.768 (21.496) 140.778 2.424.733 - 2.424.733

Resultado abrangente do exercício

Ajuste de ganhos (perdas) atuariais - - - (19.360) (19.360) (19. 360)

Ajustes de hedges de fluxo de caixa - - - (9.149) - (9. 14 9) - (9.14 9)

Incorporação do AFAC ao capital 332.644 - - - - 332.644 - 3 32 .644

Dividendos aprovados AGO - (140.778) (14 0 .778) - (14 0. 778)

Lucro líquido do exercício - - 67.623 - - 67.623 - 67.623

-

Destinação para AGO

Dividendos mínimos obrigatórios - (19.330) (19.33 0) - (19. 330)

Dividendos excedente aos

- (57.991) 57.991

-

mínimos obrigatórios

-

-

Reserva Legal - 4.070 (4.070) - - -

1.577.686 1.050.711 - (50.005) 57.991 2.636.383 - 2.636.383

Participação de não controladores - - - - - - (31) (31)

SALDOS EM 31/12/2010 1.577.686 1.050.711 - (50.005) 57.991 2.636.383 (31) 2.636.352

Resultado abrangente do exercício

Ajuste de ganhos (perdas) atuariais - - - (28.566) - (2 8.5 66) - (2 8.5 66)

-

Ajustes de hedges de fluxo de caixa - - - 2.631 - 2 .631 - 2.631

Dividendos aprovados AGO - - - - (57.991) (5 7.991) - (5 7. 991)

Lucro líquido do exercício - - 103.372 - - 103. 372 - 10 3.3 72

Destinação para AGO

Dividendos mínimos obrigatórios - - (24.551) - - (2 4 .5 5 1) (24.551)

Dividendos excedente aos

- - (73.652) - 73.652

mínimos obrigatórios

- -

Reserva Legal - 5.169 (5.169) - - - -

1.577.686 1.055.880 - (75.940) 73.652 2.631.278 (31) 2.631.247

Participação de não controladores - - - - - - 13.803 13. 803

SALDOS EM 31/12/2011 1.577.686 1.055.880 - (75.940) 73.652 2.631.278 13.772 2.645.050

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 111

eletrosul centrais elétricas s.a. 111


demonstrações financeiras e notas explicativas

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

(em milhares de reais)

ATIVID AD ES O PERACIO N AIS

Con trolad ora

Con solid ado

2011 2010 2011 2010

Lucro antes d o imposto d e rend a e da con trib uição social 115.659 8 9.270 132.307 97.027

Despesas (receitas) que não afetam o caixa

Receita de Ativo Financeiro (32 0 .932) (2 86.82 2) (396.684) (341.827)

A mortização de Ativo Financeiro 422.587 354 .764 32 3.520 479.660

Depreciação e amortização 2.542 2 .391 2 .557 2 .4 28

A mortização ágio investimentos 22.336 20 .524 2 2.336 20 .524

V ariação monetária 14 .360 (37.928) 14 .360 (38.34 0)

Encargos financeiros gerados 165.928 47.977 2 84 .577 54 .353

Resultado de equivalência patrimonial (33.675) (32 .505) - -

A juste a valor presente de tributos 5.0 85 5.896 5.085 5.896

Redução do valor recuperável de ativos (Impairment) 6.381 135.138 6.381 135.138

Provisões para perdas ativos da geração 35.2 06 - 35.2 06 -

Perdas do ativo permanente 328 4.315 328 4.315

Provisões para contingências (4.718) 16.778 (4 .718) 16.778

Provisões para crédito de liquidação duvidosa 2 .247 547 2.511 547

Comp. A posent. Especial/passivo atuarial 14.321 3.2 62 14 .321 3.2 62

Provisão para perdas com contrato oneroso (14.02 0) 15.319 (14 .0 20) 15.319

G anho na avaliação da participação anteriormente detida (74.166) - (74 .166) -

Passivo atuarial (CV M 60 0) (18.510) - (18.510) -

Outros (16.880) (2 1.119) (34 .915) (2 4 .756)

Su btotal 208.420 228 .537 168 .169 333.297

(Acréscim o) d ecréscim o n os ativos operacion ais

Clientes (18.2 87) (2 .898) (30.72 8) 4.166

Créditos de energia renegociados recebidos 178.512 117.514 178.512 117.514

Devedores diversos (22.953) (14 .2 17) (2 2.936) (16.251)

Desativações, alienações e serviços em curso (1.10 6) (9.2 63) (1.106) (9.224)

T ributos a recuperar (37.44 5) 4 6.836 (52 .4 15) 25.4 57

A tivo fiscal diferido 16.0 87 (64 .0 68) 9.0 71 (69.892)

A lmoxarifado 581 (4 .0 56) 581 (4 .0 56)

Cauções, depósitos e fundos vinculados 2 1.4 22 (51.309) 2 8.539 (65.22 1)

Outros créditos 13.403 (4 .2 26) 6.173 12.188

Su btotal 150.214 14.313 115.6 91 (5.319)

Acréscim o (d ecréscim o) n os passivos op eracionais

Fornecedores (6.04 5) 46.642 14 4.285 116.733

Folha de pagamento 12 .448 3.2 36 12.646 3.358

Participações nos Lucros e Resultados 2 .374 7.837 2.374 7.798

T ributos a recolher (2 4 .252) 3.609 (14 .125) 2 .937

Passivo fiscal diferido (35.30 2) 48.349 (33.572) 38.943

Obrigações estim adas (63.374) (7.4 41) (63.196) (12.677)

Entidade de previdência complementar 28.399 7.242 2 8.399 7.2 42

Pesquisa e desenvolvimento 5.4 63 5.144 7.2 05 3.780

Outros passivos 35.384 6.979 4 3.986 (5.412)

Su btotal (44.905) 121.597 128 .002 162.702

Caixa p roveniente d as atividad es op eracion ais 429.388 453.717 544.169 587.707

Pagamento de encargos financeiros (117.801) (92 .995) (134 .2 84) (10 1.151)

Recebim ento de encargos financeiros 49 4 49 4

Imposto de Renda e Contribuição Social pagos (33.0 75) (10 2 .583) (34.879) (10 2 .583)

Depósitos Judiciais (6.976) (10 .2 25) (6.976) (10 .225)

Caixa líqu id o d as atividades op eracion ais 271.585 247.9 18 368 .079 373.752

112

Relatório anual e de sustentabilidade 2011

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 112


ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

(em milhares de reais)

Controlad ora

Con solidado

2011 2010 2011 2010

ATIVID ADES DE IN VESTIMENTO

Ativo Financeiro (92.201) (4 77.648) (514 .193) (315.450)

Em ativo imobilizado (501.425) (515.048) (1.596.740) (1.192.517)

Em ativo intangível (81.062) (5.676) (80.208) (6.616)

Em participações societárias (662.399) (4 12.933) 26.284 4 0.719

Baixa de participação societária - 215.4 46 - -

Recebimento de remuneração dos investimentos societários 24 .093 13.502 - -

Outros investimentos 27 3.075 60 3.075

Caixa líquido d as atividades d e investim en tos (1.312.967) (1.179.282) (2.164.797) (1.470.789)

ATIVID ADES DE FINANCIAMENTO

Empréstimos e financiamentos obtidos 365.368 551.088 1.290.708 828.029

Adiantamento para futuro aumento de capital (AFAC) 972.279 626.625 990.009 626.625

Pagamento de empréstimos e financiamento-principal (73.165) (55.519) (117.276) (82.94 8)

Pagamento de remuneração aos acionistas (86.293) (213.601) (86.293) (213.601)

Pagamento Entidade Previdência Complementar (15.028) (10.4 70) (15.028) (10.470)

Total d as ativid ades de financiam ento 1.163.161 898.123 2.062.120 1.147.635

Variação

Redu ção n o caixa e equ ivalentes de caixa 121.779 (33.24 1) 265.4 02 50.598

Caixa e equivalen tes d e caixa no in ício d o exercício 135.560 168.801 358.785 308.186

Caixa e equivalen tes d e caixa no fim do exercício 257.339 135.560 624 .187 358.784

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 113

eletrosul centrais elétricas s.a. 113


demonstrações financeiras e notas explicativas

01 - CÁLCULO DO VALOR ADICIONADO

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO

Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

(em milhares de reais)

Controladora

Consolidado

2011 % 2010 % 2011 % 2010 %

Receita

Receita de geração de energia - - 8.486 -

Receita do serviço de O&M 470.923 435.827 481.861 451.950

Receita com o ativo financeiro 320.932 286.822 396.684 341.827

Receita de construção transmissão 92.201 108.330 514.193 315.450

Receita de construção geração 489.194 528.325 1.153.451 1.146.593

Receita de comercialização de energia 33.721 21.305 33.721 21.305

Receita do serviço prestado a terceiros 19.127 20.108 28.232 20.108

Provisão para créditos de liquidação duvidosa (2.247) (547) (2.511) (547)

Outras receitas e despesas 50.641 (24.841) 50.649 (17.981)

Outras receitas do serviço 4.820 5.090 4.705 7.966

1.479.312 1.380.419 2.669.471 2.286.671

( - ) Insumos adquiridos de terceiros

Materiais 9.755 10.761 10.141 11.071

Serviço de terceiros 69.109 60.411 657.511 634.310

Custo de construção transmissão 92.201 108.330 514.193 315.450

Custo de construção geração 489.194 528.325 489.194 528.325

Energia elétrica comprada para revenda 124.603 27.324 124.603 27.324

Seguros 2.515 2.754 2.853 2.912

Valor recuperável de ativos (Impairment) 6.381 135.138 6.381 135.138

Provisão (reversão) perdas ativos geração 35.206 - 35.206 -

Provisão (reversão) perdas na comercialização (14.020) 15.319 (14.020) 15.319

Provisão (reversão) para contingências (14.205) 3.154 (14.205) 3.154

Outros (11.171) 3.125 (8.950) 1.904

789.568 894.641 1.802.907 1.674.907

(=) Valor adicionado bruto 689.744 485.778 866.564 611.764 380.091

( - ) Depreciação e amortização 2.542 2.391 2.557 1.446 2.428

(=) Valor adicionado líquido 687.202 483.387 864.007 609.336 378.645

(+) Valor adicionado recebido em transferência

Resultado de participações societárias 33.675 32.505 - -

Receita aplicação financeira 29.762 17.797 43.850 20.353

Rendas sobre créditos de energia renegociados 113.226 149.188 113.226 149.188

Outras receitas financeiras 11.652 7.302 16.322 9.033

188.315 206.792 173.398 178.574

(=) Valor adicionado total a distribuir 875.517 690.179 1.037.405 787.910

02 - DISTRIBUIÇÃO DO VALOR ADICIONADO

Pessoal

Remuneração/benefícios/FGTS 272.271 31,10 256.378 37,15 280.179 27,01 263.387 33,43

Contingência/indenização trabalhista 11.732 1,34 14.170 2,05 11.732 1,13 14.170 1,80

Aposentadoria especial/passivo atuarial 14.321 1,64 3.262 0,47 14.321 1,38 3.262 0,41

Participação nos resultados 33.470 3,82 30.260 4,38 33.470 3,23 30.221 3,84

331.794 37,90 304.070 44,05 339.702 32,75 311.040 39,48

Governo

Tributos (PIS/PASEP,COFINS, ISS) 68.115 7,78 59.122 8,57 81.112 7,82 91.646 11,63

Encargos Regulatórios 36.091 4,12 30.628 4,44 39.242 3,78 14.789 1,88

Encargos sociais 44.552 5,09 45.046 6,53 45.181 4,36 45.389 5,76

Contribuição social 3.799 0,43 6.354 0,92 8.037 0,77 8.501 1,08

Imposto de renda 8.488 0,97 15.293 2,22 19.641 1,89 20.992 2,66

161.045 18,39 156.443 22,68 193.213 18,62 181.317 23,01

Financiadores

Encargos sobre tributos 7.379 0,84 14.373 2,08 7.414 0,71 15.890 2,02

Encargos de dívidas 77.395 8,84 66.453 9,63 187.650 18,09 129.290 16,41

Variações monetárias 45.409 5,19 27.972 4,05 50.818 4,90 27.972 3,55

Aluguel 2.420 0,28 2.017 0,29 3.311 0,32 2.322 0,29

Outras despesas financeiras 146.703 16,76 51.228 7,42 150.667 14,52 52.546 6,67

279.306 31,91 162.043 23,47 399.860 38,54 228.020 28,94

Acionistas

Dividendos mínimos obrigatórios 24.551 2,80 16.060 2,33 24.551 2,37 16.060 2,04

Dividendos adicionais propostos 73.652 8,41 48.181 6,98 73.652 7,10 48.181 6,11

Lucros retidos 5.169 0,59 3.382 0,49 6.427 0,62 3.292 0,42

103.372 11,80 67.623 9,80 104.630 10,09 67.533 8,57

Valor adicionado distribuído 875.517 100,00 690.179 100,00 1.037.405 100,00 787.910 100,00

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

114

Relatório anual e de sustentabilidade 2011

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 114


ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A

Notas explicativas às demonstrações financeiras

(Controladora e Consolidado)

Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010

(em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma)

NOTA 1 – INFOR MA ÇÕ ES GER AIS

(a) A Companhia

A Eletrosul Centrais Elétricas S.A. (“Eletrosul”, “Companhia” ou “Controladora”), é uma companhia fechada de economia

mista federal, com sede em Florianópolis (SC), controlada pela Centrais Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobras).

Foi constituída em 23 de dezembro de 1968 e tem como objetivo principal a transmissão e a geração de energia elétrica

através de investimentos próprios e em parceria, estando presente nos estados de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do

Sul, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará e Rondônia.

A Companhia pode ainda, realizar estudos, projetos, construção, operação e manutenção das instalações dos sistemas de

transmissão e de geração de energia elétrica, estando essas atividades regulamentadas pela Agência Nacional de Energia

Elétrica (ANEEL), vinculada ao Ministério de Minas e Energia (MME). Adicionalmente, a concessionária está autorizada a

participar de consórcios ou de outras companhias, com o objetivo de desenvolver atividades nas áreas de energia.

O sistema de transmissão de energia elétrica, da Eletrosul, possui 10.006,1 km de linhas de transmissão, e potência de

transformação de 22.269,3 MVA em 39 subestações e uma conversora de freqüência na fronteira do Brasil com a

Argentina. Além das instalações próprias, a Companhia possui equipamentos ou presta serviços de operação e/ou

manutenção em mais 31 subestações e nos sistemas de integração com o Uruguai (Rivera) e Argentina (Garabi).

O parque gerador é formado por 3 (três) hidroelétricas e 2 (duas) PCH’s, todas em construção. Além dos sistemas de

transmissão e parque gerador próprio, a Companhia participa em outras sociedades, logo a seguir relacionadas, para

implantação e operação de sistemas de transmissão compostos por 4.337,3 km de linha, 9 subestações com capacidade de

transformação de 1.669 MVA, 1 subestação coletora com capacidade de transmissão de 800 MW, 2 usinas hidroelétricas

com capacidade instalada de 5.570 MW, e 24 parques eólicos com capacidade instalada de 582 MW, conforme nota 2.

(b) Aquisição de ações das controladas em conjunto Artemis e Uirapuru

Em 11 de agosto de 2011, a Companhia adquiriu da Cymi Holding, sua participação de 51% das ações detidas na Artemis

Transmissora de Energia S/A, passando a ser uma subsidiária integral, e 26% das ações detidas na Uirapuru Transmissora

de Energia S/A, passando a Companhia a deter 75% de participação acionária, sendo os demais 25% de participação

atualmente pertencentes à Fundação Eletrosul de Previdência e Assistência Social (ELOS). Os detalhes da combinação de

negócios estão apresentados na nota 53.

(c) Empresas controladas

Empresa de Transmissão de Energia do Rio Grande do Sul S/A – com sede em Florianópolis, estado de Santa Catarina, a

empresa foi constituída em dezembro de 2005 para a construção, operação e manutenção da linha de transmissão 525 kV,

Campos Novos (SC) – Nova Santa Rita (RS).

Porto Velho Transmissora de Energia S/A – com sede em Florianópolis, estado de Santa Catarina, em fase pré-operacional,

a empresa foi constituída em junho de 2008 para a implantação, operação e manutenção da Linha de Transmissão Coletora

Porto Velho – Porto Velho, Subestação Coletora Porto Velho, em 500/230 kV, e duas estações conversoras CA/CC/CA Backto-Back,

em 400 MW, bem como demais instalações. O empreendimento está sendo construído no município de Porto

Velho, estado de Rondônia.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 115

eletrosul centrais elétricas s.a. 115


demonstrações financeiras e notas explicativas

Artemis Transmissora de Energia S/A – com sede em Florianópolis, estado de Santa Catarina, a empresa foi constituída em

agosto de 2003 para construção, operação e manutenção das linhas de transmissão 525 kV, Salto Santiago (PR)– Ivaiporã

(PR) e Ivaiporã (PR) - Cascavel D’Oeste (PR).

Uirapuru Transmissora de Energia S/A - com sede em Florianópolis, estado de Santa Catarina, a empresa foi constituída em

agosto de 2004 para a construção, operação e manutenção da linha de transmissão 525 kV, Ivaiporã (PR)- Londrina (PR).

Eólica Cerro Chato I S/A – com sede em Florianópolis, estado de Santa Catarina, a empresa foi constituída em janeiro de

2010 para construção, geração e manutenção do Parque Eólico Coxilha Negra V, em Sant’Ana do Livramento no estado do

Rio Grande do Sul. Em 12 de dezembro de 2011, o Conselho de Administração da Eletrosul enviou à submissão da

autorização do Conselho de Administração da Eletrobras a proposta de aquisição, pela Companhia, da participação

societária de 10% detida pela Wobben Windpower Indústria e Comércio Ltda. das ações representativas do capital social da

SPE Eólica Cerro Chato I pelo preço total de R$ 5.160 mil, a preços de 31/12/2011. Caso a compra seja efetivada a

Companhia passará a deter 100% das ações representativas do capital social da SPE Eólica Cerro Chato I.

Eólica Cerro Chato II S/A – com sede em Florianópolis, estado de Santa Catarina, a empresa foi constituída em janeiro de

2010 para construção, geração e manutenção do Parque Eólico Coxilha Negra VI, em Sant’Ana do Livramento no estado do

Rio Grande do Sul. Em 12 de dezembro de 2011, o Conselho de Administração da Eletrosul enviou à submissão da

autorização do Conselho de Administração da Eletrobras a proposta de aquisição, pela Companhia, da participação

societária de 10% detida pela Wobben Windpower Indústria e Comércio Ltda. das ações representativas do capital social da

SPE Eólica Cerro Chato II pelo preço total de R$ 9.010 mil, a preços de 31/12/2011. Caso a compra seja efetivada a

Companhia passará a deter 100% das ações representativas do capital social da SPE Eólica Cerro Chato II.

Eólica Cerro Chato III S/A - com sede em Florianópolis, estado de Santa Catarina, a empresa foi constituída em janeiro de

2010 para construção, geração e manutenção do Parque Eólico Coxilha Negra VII, em Sant’Ana do Livramento no estado

do Rio Grande do Sul. Em 12 de dezembro de 2011, o Conselho de Administração da Eletrosul enviou à submissão da

autorização do Conselho de Administração da Eletrobras a proposta de aquisição, pela Companhia, da participação

societária de 10% detida pela Wobben Windpower Indústria e Comércio Ltda. das ações representativas do capital social da

SPE Eólica Cerro Chato III pelo preço total de R$ 8.330 mil, a preços de 31/12/2011. Caso a compra seja efetivada a

Companhia passará a deter 100% das ações representativas do capital social da SPE Eólica Cerro Chato III.

(d) Empresas controladas em conjunto

Etau Transmissora de Energia do Alto Uruguai S/A – com sede no município do Rio de Janeiro, estado do Rio de Janeiro, a

empresa foi constituída em maio de 2002, para a construção, operação e manutenção da linha de Transmissão 230 kV,

Campos Novos (SC) – Barra Grande (SC) – Lagoa Vermelha (RS) – Santa Marta (RS).

Norte Brasil Transmissora de Energia S/A – com sede no município do Rio de Janeiro, estado do Rio de Janeiro, a empresa

foi constituída maio de 2008. A empresa está em fase pré-operacional e tem como atividade a transmissão de energia

elétrica, explorando o empreendimento Linha de Transmissão Coletora Porto Velho– Araraquara 2.

Construtora Integração Ltda – com sede no município do Rio de Janeiro, estado do Rio de Janeiro, a empresa foi constituída

em junho de 2009, e tem como objetivo exclusivo a construção, montagem e serviços associados às instalações referentes

ao lote G do Leilão ANEEL n° 007/2008, para Linha de Transmissão LT +/- 600KV coletora Porto Velho – Araraguara 2.

ESBR Participações S/A - com sede no município do Rio de Janeiro, estado do Rio de Janeiro, a empresa foi constituída em

agosto de 2008 e tem como objetivo único participação na Sociedade de Propósito Específico Energia Sustentável do Brasil

S/A, em fase pré-operacional, cuja atividade é a construção, operação e manutenção da UHE Jirau, localizada no estado de

Rondônia, para geração de energia elétrica.

Companhia Hidroelétrica Teles Pires S/A - com sede no município do Rio de Janeiro, estado do Rio de Janeiro, a empresafoi

constituída em novembro de 2010 e tem como objetivo exclusivo a construção, operação e manutenção da UHE Teles Pires,

localizada no Rio Teles Pires entre os estados de Mato Grosso e Pará, para geração de energia elétrica.

Costa Oeste Transmissora de Energia S/A* - com sede no município Curitiba, estado do Paraná, a empresa foi constituída

em dezembro de 2011 e tem como objetivo exclusivo a construção, operação e manutenção da linha de Transmissão

230/138 kV, Cascavel Oeste – Umuarama (PR).

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 116

116

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


Santa Vitória do Palmar Holding S/A* – com sede em Florianópolis, estado de Santa Catarina, a empresa foi constituída em

novembro de 2011 e tem como objetivo único participação em Sociedades de Propósito Especifico, todas em fase préoperacional,

constituídas para exploração dos empreendimentos Verace I, II, III, IV, V, VI, VII. VIII , IX e X, todos localizados

no estado do Rio Grande do Sul.

Livramento Holding S/A* – com sede em Florianópólis, estado de Santa Catarina, a empresa foi constituída em novembro

de 2011 e tem como objetivo único participação em Sociedades de Propósito Especifico, todas em fase pré-operacional,

constituídas para exploração dos empreendimentos Cerro Chato IV, V e VI, Cerro dos Trindade e Ibaraputiã I, todos

localizados no estado do Rio Grande do Sul.

Chuí Holding S/A* – com sede em Florianópólis, estado de Santa Catarina, a empresa foi constituídaem dezembro de 2011 e

tem como objetivo único participação em Sociedades de Propósito Especifico, todas em fase pré-operacional, constituídas

para exploração dos empreendimentos Chuí I, II, IV e VI, todos localizados no estado do Rio Grande do Sul.

Marumbi Transmissora de Energia S/A* – com sede no município Curitiba, estado do Paraná, a empresa foi constituída em

dezembro de 2011 e tem como objetivo exclusivo a construção, operação e manutenção da linha de Transmissão 525 kV

Curitiba - Curitiba Leste (PR) e Subestação Curitiba leste 525/230 kV (3+1 res.) x 224 MVA.

Transmissora Sul Brasileira de Energia S/A* – com sede no município Curitiba, estado do Paraná, a empresa foi constituída

em dezembro de 2011 e tem como objetivo exclusivo a construção, operação e manutenção da linha de Transmissão 230 kV

Nova Santa Rita - Camaquã 3; linha de Transmissão 230 kV Camaquã 3- Quinta; linha de Transmissão 525 kV Salto Santiago

- Itá; linha de Transmissão 525 kV Itá - Nova Santa Rita; Subestação Camaquã 3 230/69 kV.

* Controladas em conjunto constituídas no final do exercício que ainda não apresentam valores em suas demonstrações financeiras para

serem incluídos no consolidado da Eletrosul, visto que ainda não existiram aportes de capital.

NOT A 2 – CON CESSÕ ES

2.1 Concessões e autorizações próprias

(a) Transmissão

A Companhia possui concessão para construção e operação de subestações e linhas de transmissão, a seguir

discriminadas:

Data de

Data da

Linhas de Transmissão/Subestações

vencimento da

concessão

concessão

Contrato de Concessão nº 057/2001-ANEEL

- 37 subestações de transmissão, 1 conversora de frequência e 9.413 km de

linhas de transmissão em 525 kV, 230 kVe 138 kV

Contrato de Concessão nº 010/2005-ANEEL

- Linha de Transmissão 525 Kv Campos Novos - Blumenau com 360 km de

extensão e 1 subestação de transmissão

Contrato de Concessão nº 004/2008-ANEEL

- Linha de Transmissão 230 kV Presidente Médice - Santa Cruz com 233 km

de extensão

Contrato de Concessão nº 005/2009-ANEEL

- Subestação Missões em 230/69 kV (150 MVA)

20/06/2001 07/07/2015

04/03/2005 03/03/2035

17/03/2008 16/03/2038

28/01/2009 27/01/2039

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 117

eletrosul centrais elétricas s.a. 117


demonstrações financeiras e notas explicativas

(b) Geração

A Companhia possui concessão/autorização para construção e operação das Usinas Hidroelétricas (UHE) e das Pequenas

Centrais Hidroelétricas (PCH), a seguir discriminadas que se encontram em fase pré-operacional. (ver nota 18):

Usinas Hidroelé tricas (UHE)

Data prevista

para entrar em

ope ração

Rio

Potência

instalada

(não auditado)

Data

Concessão/

Permissão

Data de

v encim ento

da

concessão

UHE Passo São João 2012 Rio Ijuí (RS) 77,0 MW 15/08/2006 14/08/2041

UHE Mauá - equivalente a 49% - consórcio 2012 Rio Tibaji (PR) 176,9 MW 03/07/2007 02/07/2042

UHE São Domingos 2012 Rio Verde (MS) 48,0 MW 11/12/2002 10/12/2037

Peque nas Ce ntrais Hidroe lé tricas (PCH)

PCH Barra do Rio Chapéu 2012 Rio Braço do Norte (SC) 15,0 MW 05/05/2004 04/05/2034

PCH João Borges 2012 Rio Caveiras (SC) 19,0 MW 21/12/2005 20/12/2035

PCH Pinheiro 2013 Rio Caveiras (SC) 10,0 MW 16/12/2005 15/12/2035

PCH Itararé 2013 Rio Caveiras (SC) 9,0 MW 15/12/2005 14/12/2035

PCH Santo Cristo 2014 Rio Pelotinhas (SC) 19,5 MW 26/11/2007 25/11/2037

PCH São Mateus 2014 Rio Lava Tudo (SC) 19,0 MW 01/03/2007 28/02/2037

PCH Coxilha Rica 2014 Rio Pelotinhas (SC) 18,0 MW 01/03/2007 28/02/2037

PCH Antoninha 2014 Rio Lava Tudo (SC) 13,0 MW 26/11/2007 25/11/2037

PCH Gamba 2014 Rio Lava Tudo (SC) 10,8 MW 26/11/2007 25/11/2037

PCH Malacara 2014 Rio Lava Tudo (SC) 9,2 MW 26/11/2007 25/11/2037

Total

444,4 MW

A Usina Hidroelétrica de Mauá, com potência instalada de 361 MW, está sendo construída no Rio Tibaji, entre os municípios

de Telêmaco Borba e Ortigueira, no Estado do Paraná, através de consórcio formado pela Eletrosul e COPEL, com

participações de 49% e 51%, respectivamente.

Quando todos os empreendimentos próprios e em parcerias entrarem em operação, a Companhia terá uma potência

instalada na geração de 1.962,4 MW.

2.2 Concessões e autorizações das controladas e controladas em conjunto

(a) Linhas de Transmissão:

SPE's Partic. Linha de Transmissão

Etau 27,40%

LT 230 kV Campos Novos (SC) – Barra Grande (SC) – Lagoa

Vermelha (RS) – Santa Marta (RS)

Artemis 100,00%

LT 525 kV Salto Santiago (PR) – Ivaiporã (PR) e Ivaiporã (PR) –

Cascavel D´Oeste (PR)

Extensão

(KM)

Data da

Concessão

Vencimento

da Concessão

187,0 18/12/2002 17/12/2032

376,0 18/02/2004 17/02/2034

Uirapuru 75,00% LT 525 kV Ivaiporã (PR) – Londrina (PR) 120,0 04/03/2005 03/03/2035

RS Energia

Norte Brasil* 24,50%

LT 525 kV Campos Novos (SC) – Nova Santa Rita (RS) 260,0 27/04/2006 26/04/2036

LT 230 kv Monte Claro - Garibaldi (RS)* 33,0 06/10/2010 05/10/2040

LT Coletora Porto Velho (RO) – Araraguara 2 (SP), em CC, +

600 kV

2.375,0 26/02/2009 25/02/2039

Porto Velho* 100,00% Linha de Transmissão Coletora Porto Velho – Porto Velho 17,3 26/02/2009 25/02/2039

Costa Oeste* 49,00% LT 230 kV Cascavel Oeste - Umuarama (PR) 143,0 12/01/2012 12/01/2042

Marumbi* 20,00% LT 525 kV Curitiba - Curitiba Leste (PR) 28,0 ** **

LT 230 kV Nova Santa Rita - Camaquã 3; LT 230 kV Camaquã

Sul

80,00% 3- Quinta; LT 525 kV Salto Santiago - Itá; LT 525 kV Itá - 798,0 ** **

Brasileira*

Nova Santa Rita

Construtora

Integração

100,00%

24,50%

Construção da LT Coletora Porto Velho (RO) – Araraguara 2

(SP), montagem e serviços associados.

- - -

* Em fase pré-operacional.

** Data prevista para assinatura do contrato em 03/2012, com vencimento da concessão em 30 anos.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 118

118

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


(b) Subestações

SPE's Partic. Subestação

Porto Velho* 100,00%

RS Energia* 100,00%

Subestação Coletora Porto Velho 500/230 kV. Duas

Estações Conversoras CA/CC/CA Back-to-Back em 400 MW.

Capac.

Transf.

Data da

Concessão

Vencimento

da Concessão

800 MW 26/02/2009 25/02/2039

SE Foz do Chapecó 230/138 kv (ampliação), 100 MVA 06/10/2010 05/10/2040

SE Caxias 6 203/69 kv 330 MVA 06/10/2010 05/10/2040

SE Ijuí 2 230/69 kv 300 MVA 06/10/2010 05/10/2040

SE Lageado Grande 230/69 kv 83 MVA 06/10/2010 05/10/2040

SE Nova Petrópolis 2 230/69 kv 166 MVA 06/10/2010 05/10/2040

Costa Oeste* 49,00% SE Umuarama 230/138 kv 300 MVA 12/01/2012 12/01/2042

Marumbi* 20,00% SE Curitiba leste 525/230 kV (3+1 res.) x 224 MVA 224 MVA ** **

Sul

Brasileira*

80,00% SE Camaquã 3 230/69 kV 166 MVA ** **

* Em fase pré-operacional.

** Data prevista para assinatura do contrato em 03/2012, com vencimento da concessão em 30 anos.

(c) Usinas Hidroelétricas e Eólicas

SPE's Partic. Usina Rio

Potência

Instalada

Data operação

comercial

Data

Concessão/Pe

rmissão

Vencimento

Concessão/

Permissão

Usinas Hidroelétricas

ESBR Participações* 20,00% UHE Jirau Rio Madeira (RO) 3.750 MW 01/2013 13/08/2008 12/08/2043

Teles Pires* 24,50% UHE Teles Pires Rio Teles Pires (MT) 1.820 MW 01/2015 07/06/2011 06/06/2046

Usinas Eólicas

Eólica Cerro Chato I 90,00% EOL Cerro Chato I (RS) 30 MW 11/2011 25/08/2010 24/08/2045

Eólica Cerro Chato II 90,00% EOL Cerro Chato II (RS) 30 MW 09/2011 25/08/2010 24/08/2045

Eólica Cerro Chato III 90,00% EOL Cerro Chato III (RS) 30 MW 05/2011 25/08/2010 24/08/2045

Parques Eólicos (RS): Chuí

Chuí* 49,00% I, II, IV e V; Minuano I e II; 144 MW 01/2014 ** **

Livamento* 49,00%

Santa Vitória do

Palmar*

49,00%

Parque Eólicos (RS):

Ibirapuitã I; Cerros

Chatos IV, V e VI; Cerros

Dos Trindade

Parques Eólicos: Verace I

a X

90 MW 01/2014 ** **

258 MW 01/2014 ** **

* Em fase pré-operacional.

** Data prevista para assinatura do contrato em 03/2012, com vencimento da concessão em 35 anos.

2.3 Renovação das Concessões

A Companhia possui empreendimentos vinculados ao contrato de concessão nº 057/2001 que passará por processo de

renovação da concessão em 2015.

Conforme cláusula Décima, segunda subcláusula do Contrato de Concessão nº 057/2001, “a extinção da concessão

determinará, de pleno direito, a reversão ao Poder Concedente dos bens vinculados ao serviço, procedendo-se aos

levantamentos e as avaliações, bem como a determinação do montante de indenização devida à Transmissora, observados

os valores e as datas de sua incorporação ao sistema elétrico”.

Em 31 de dezembro de 2011, o valor residual dos empreendimentos vinculados ao contrato de concessão nº 057/2001 era

de R$ 1.668.159 mil.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 119

eletrosul centrais elétricas s.a. 119


demonstrações financeiras e notas explicativas

NOT A 3 – R ESUM O D AS PR IN CIPAI S PRÁTICAS C ONTÁB EIS

3.1 Base de apresentação das demonstrações financeiras

As demonstrações financeiras individuais e consolidadas em 31 de dezembro de 2011 e 2010 foram elaboradas de acordo

com as práticas contábeis adotadas no Brasil, considerando o custo histórico com base de valor, bem como o valor justo

para alguns ativos e passivos financeiros, compreendendo as disposições da legislação societária prevista na Lei 6.404/76

com as alterações das Leis nº 11.638/07, nº 11.941/09, e as normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM),

bem como os demais pronunciamentos, interpretações e orientações emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis

vigentes em 31 de dezembro de 2011.

A aprovação das demonstrações financeiras individuais e consolidadas foi dada pela Administração em 26 de março de

2012.

A preparação de demonstrações financeiras requer o uso de certas estimativas contábeis críticas e também o exercício de

julgamento por parte da administração no processo de aplicação das políticas contábeis da Companhia. Aquelas áreas que

requerem maior nível de julgamento e possuem maior complexidade, bem como as áreas nas quais premissas e estimativas

são significativas para as demonstrações financeiras, estão divulgadas na nota 3.19. Os resultados reais podem apresentar

variações em relação às estimativas.

3.2 Consolidação

(a) Demonstrações Financeiras consolidadas

As demonstrações financeiras consolidadas foram preparadas e estão sendo apresentadas conforme as práticas contábeis

adotadas no Brasil, incluindo os pronunciamentos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPCs).

Transações entre companhias, saldos e ganhos não realizados em transações entre empresas do Grupo são eliminados. Os

prejuízos não realizados também são eliminados a menos que a operação forneça evidências de uma perda (impairment)

do ativo transferido. As políticas contábeis das controladas são alteradas quando necessário para assegurar a consistência

com as políticas adotadas pela Companhia.

(a.1) Controladas

Controladas são todas as entidades (incluindo as entidades de propósito específico) nas quais aCompanhia tem o poder de

determinar as políticas financeiras e operacionais, geralmente acompanhada de uma participação de mais do que metade

dos direitos a voto (capital votante). A existência e o efeito de possíveis direitos a voto atualmente exercíveis ou

conversíveis são considerados quando se avalia se a Companhia controla outra entidade. As controladas são totalmente

consolidadas a partir da data em que o controle é transferido para a Companhia. A consolidação é interrompida a partir da

data em que o controle termina.

(a.2) Controladas em conjunto (Joint Ventures)

As controladas em conjunto (joint ventures) são todas as entidades (incluindo as entidades de propósito específico) nas

quais a Companhia não tem o poder individual de determinar as políticas financeiras e operacionais, as quais são tomadas

conjuntamente com os demais acionistas. As controladas em conjunto são consolidadas proporcionalmente à participação

acionária da companhia. A consolidação é interrompida a partir da data em que o controle termina.

(b) Demonstrações financeiras individuais

Nas demonstrações financeiras individuais as controladas, controladas em conjunto e coligadas são contabilizadas pelo

método da equivalência patrimonial. Os mesmos ajustes são feitos tanto nas demonstrações financeiras individuais quanto

nas demonstrações financeiras consolidadas para chegar ao mesmo resultado e patrimônio líquido atribuível aos acionistas

da controladora.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 120

120

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


3.3 Práticas contábeis específicas do setor elétrico:

(a) Almoxarifado (inclusive imobilizado)

Os materiais em almoxarifado, classificados no ativo circulante, estão registrados ao custo médio de aquisição e aqueles

destinados a investimentos em ativos de geração estão classificados no ativo imobilizado, pelo custo de aquisição em

conformidade com o disposto nas Instruções Contábeis do Manual de Contabilidade do Setor elétrico (MCSE).

(b) Imobilizado

Registrado ao custo de aquisição ou construção, deduzido de depreciação calculada pelo método linear, tomando-se por

base os saldos contábeis registrados nas respectivas Unidades de Cadastro (UC), conforme determina a Portaria DNAEE nº

815, de 30 de novembro de 1994 e Resolução ANEEL nº 02, de 24 de dezembro de 1997, às taxas anuais constantes da

tabela anexa à Resolução Normativa nº 240, de 05 de dezembro de 2006. As taxas de depreciação da ANEEL refletem a

vida útil econômica dos bens. Em função do disposto nas Instruções Contábeis do Manual de Contabilidade do Setor

Elétrico, os juros, encargos financeiros e variações monetárias, relativos aos financiamentos obtidos de terceiros,

efetivamente aplicados nos ativos de geração em curso, estão registrados nesse subgrupo como custo.

(c) Alienações e desativações em curso

(c.1) Desativações em curso

Refere-se ao valor das desativações em andamento de Unidades de Adição e Retirada - UAR, por motivos técnicooperacionais

e sinistros, através do sistema de Ordem de Desativação - ODD. Seu saldo representa os valores líquidos da

UAR desativada e todos os gastos incorridos com a sua remoção, identificados por analíticos (ODD).

(c.2) Alienações em curso

Refere-se ao valor das alienações de bens e direitos através do sistema de Ordem de Alienação - ODA que ainda estão em

andamento. Apresenta os valores líquidos dos bens ou direitos alienados e dos gastos com pessoal, serviços de terceiros e

outros gastos efetuados com a alienação.

3.4 Ativos e Passivos Financeiros

(a) Caixa e equivalentes de caixa

Caixa e equivalentes de caixa incluem caixa, contas bancárias e aplicações financeiras e outros investimentos de curto

prazo de alta liquidez com vencimentos originais de três meses ou menos, que são prontamente conversíveis em um

montante conhecido de caixa e que estão sujeitos a um insignificante risco de mudança de valor.

(b) Clientes

Estão reconhecidos com base no regime de competência, atualizados quando aplicável e contratualmente exigido.

(c) Depósitos vinculados

Representam aplicações financeiras mantidas para pagamentos futuros específicos. Os saldos são mantidos até o total

cumprimento de determinadas obrigações contratuais por parte dos fornecedores. Após seu reconhecimento inicial, esses

investimentos são mensurados pelo custo amortizado, utilizando o método da taxa efetiva de juros.

(d) Ativo financeiro da concessão

Refere-se ao ativo financeiro a receber pela Companhia no âmbito das concessões de transmissão de energia elétrica. O

contrato de concessão regulamenta a exploração dos serviços públicos de transmissão de energia elétrica pela Companhia,

onde:

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 121

eletrosul centrais elétricas s.a. 121


demonstrações financeiras e notas explicativas

• O preço é regulado (tarifa) e denominado Receita Anual Permitida (RAP). A transmissora não pode negociar preços

com usuários. O contrato tem sua RAP atualizada monetariamente por índice de preços uma vez por ano e

revisada a cada quatro anos. Geralmente, a RAP de qualquer Companhia de transmissão está sujeita a revisão

anual devido ao aumento do ativo e de gastos decorrentes de modificações, reforços e ampliações de instalações.

• Os bens são reversíveis no final da concessão, com direito de recebimento de indenização (caixa) do poder

concedente sobre os investimentos ainda não amortizados.

Com base nas características estabelecidas no contrato de concessão de transmissão de energia elétrica da Companhia, a

Administração entende que estão atendidas as condições para a aplicação da Interpretação Técnica ICPC 01 - Contratos de

Concessão, a qual fornece orientações sobre a contabilização de concessões de serviços públicos a operadores privados, de

forma a refletir o negócio de transmissão de energia elétrica, abrangendo parcela estimada dos investimentos realizados e

não amortizados ou depreciados até o final da concessão classificada como um ativo financeiro por ser um direito

incondicional de receber caixa e outro ativo financeiro diretamente do poder concedente.

Considerando que a Companhia não se encontra exposta a riscos de crédito e demanda e que a receita é auferida com base

na disponibilidade da linha de transmissão, toda infraestruturade transmissão foi registrada como ativo financeiro.

O ativo financeiro inclui ainda a indenização que será efetuada com base nas parcelas dos investimentos vinculados a bens

reversíveis, ainda não amortizados ou depreciados, que tenham sido realizados com o objetivo de garantir a continuidade e

atualidade do serviço concedido.

(e) Provisão para créditos de liquidação duvidosa

Está reconhecida em valor considerado suficiente pela Administração para cobrir as perdas prováveis na realização das

contas a receber com base em julgamento sobre o valor individual de cada crédito, para créditos vencidos a mais de 6

meses ou quando inferior, mediante análise dos casos específicos.

(f) Financiamentos e empréstimos

Os financiamentos e empréstimos são reconhecidos pelo valor justo no recebimento dos recursos, líquido dos custos da

transação e passam a ser mensurados pelo custo amortizado, sendo acrescido de encargos, juros e variações monetárias

nos termos contratuais, incorridos até a data do balanço.

3.5 Imposto de renda e contribuição social sobre o lucro líquido

O imposto de renda e a contribuição social correntes são calculados, com base nas alíquotas efetivas, sobre o lucro líquido

ajustado nos termos da legislação vigente. A compensação de prejuízos fiscais e de base negativa da contribuição social

está limitada a 30% do lucro tributável, quando aplicável.

O imposto de renda e a contribuição social diferidos são calculados sobre as diferenças temporárias entre as bases de

cálculo do imposto sobre ativos e passivos e os valores contábeis das demonstrações financeiras. As alíquotas desses

impostos, definidas atualmente para determinação desses créditos diferidos, são de 25% para o imposto de renda e de 9%

para a contribuição social sobre o lucro líquido.

Impostos diferidos ativos são reconhecidos na extensão em que seja provável a sua realização.

3.6 Depósitos judiciais

Os depósitos são atualizados monetariamente e apresentados como dedução do valor de um correspondente passivo

constituído quando não houver possibilidade de resgate dos depósitos, a menos que ocorra desfecho favorável da questão

para a entidade.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 122

122

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


3.7 Intangível

(a) Programas de computador (softwares)

Os gastos inerentes à obtenção de ativos incorpóreos são reconhecidos como ativo intangível, em especial as licenças de

programas de computador que são capitalizadas e amortizadas pelo tempo da licença. Os gastos associados à manutenção

dos programas de computador são reconhecidos quando incorridos, como despesa do exercício.

(b) Ágio

O ágio resultante da aquisição de participação acionária em controladas é representado pela diferença entre o valor pago

e/ou a pagar pela aquisição de um negócio e o valor justo dos ativos e passivos da controlada adquirida.

O ágio é fundamentado em expectativas de resultado futuro e por possuir tempo de vida definido devido ao fato de estar

relacionado com o prazo determinado nos contratos de concessão, é amortizado no prazo, na extensão e na proporção dos

resultados projetados. O ágio alocado a ativos e passivos identificáveis é amortizado na proporção em que esses ativos e

passivos na controlada são realizados.

(c) Direitos de uso de bem público

São os valores contratados relativos ao direito do uso de bem público para exploração do potencial de energia hidráulica,

decorrentes de contratos de concessão onerosa com a União, demonstrados ao custo amortizado e atualizados pelas taxas

de juros ou índices contratuais incorridos até a data do balanço, ajustados a valor presente, com base em uma taxa de

desconto aprovada pela diretoria da Companhia.

3.8 Investimentos em controladas e coligadas

(a) Custo e/ou valor patrimonial

Os investimentos em sociedades controladas e coligadas são registrados e avaliados pelo método de equivalência

patrimonial, reconhecido no resultado do exercício como receita (ou despesa) operacional. Para efeitos do cálculo da

equivalência patrimonial, ganhos ou transações a realizar entre a Companhia e suas coligadas e equiparadas são

eliminados na medida da participação da Companhia; Quando necessário, as práticas contábeis das controladas e coligadas

são alteradas para garantir consistência com as práticas adotadas pelaCompanhia.

3.9 Encargos setoriais

Estão contabilizados como dedução da receita operacional bruta, e são apurados pelo regime de competência.

(a) Taxa de Fiscalização de Serviços de Energia Elétrica (TFSEE)

A TFSEE equivale a 0,5% (cinco décimos por cento) do valor econômico agregado pelo concessionário, permissionário ou

autorizado, inclusive no caso de produção independente e autoprodução, na exploração de serviços e instalações de

energia elétrica.

(b) Reserva Global de Reversão (RGR)

A RGR é um encargo pago mensalmente pelas empresas concessionárias de geração, transmissão e distribuição de energia

elétrica, com a finalidade de prover recursos para reversão e/ou encampação, dos serviços públicos de energia elétrica.

Seu valor anual equivale a 2,5% dos investimentos efetuados pela concessionária em ativos vinculados à prestação do

serviço, é limitado a 3,0% de sua receita anual.

(c) Pesquisa e Desenvolvimento

A Lei 9.991, de julho de 2000, estabelece que as empresas detentoras de concessão para exploração de serviços de energia

elétrica são obrigadas a realizar investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), visando o aperfeiçoamento

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 123

eletrosul centrais elétricas s.a. 123


demonstrações financeiras e notas explicativas

tecnológico da atividade, em montante equivalente a 1% da ROL, sendo 0,40% para Pesquisa e Desenvolvimento (P&D),

0,40% para Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) e 0,20% destinados à Empresa de

Pesquisa Energética (EPE).

3.10 Contas a pagar aos fornecedores

As contas a pagar aos fornecedores são obrigações a pagar por bens ou serviços que foram adquiridos de fornecedores no

curso normal dos negócios, sendo classificadas como passivos circulantes se o pagamento for devido no período de até um

ano (ou no ciclo operacional normal dos negócios, ainda que mais longo). Caso contrário, as contas a pagar são

apresentadas como passivo não circulante.

Elas são, inicialmente, reconhecidas pelo valor justo e, subseqüentemente, mensuradas pelo custo amortizado com o uso

do método de taxa efetiva de juros. Na prática, são normalmente reconhecidas aovalor da fatura correspondente.

3.11 Demais ativos e passivos

São demonstrados por valores conhecidos ou calculáveis, acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes rendimentos

(encargos) auferidos (incorridos) até a data do balanço. Estão classificados no ativo e passivo não circulante,

respectivamente, os direitos realizáveis e as obrigações vencíveis após doze meses.

3.12 Receitas e despesas financeiras

As receitas e despesas financeiras são compostas basicamente por juros e variações monetárias decorrentes de aplicações

financeiras, empréstimos e financiamentos, parcelamento de tributos e créditos de energia renegociados. Custo de

empréstimos que não são diretamente atribuíveis à aquisição, construção ou produção de um ativo qualificável é

reconhecidos no resultado através do método de juros efetivos.

3.13 Provisões

As provisões são reconhecidas quando a Companhia tem uma obrigação presente, legal ou não formalizada. São

reconhecidas quando um evento passado gerou uma obrigação futura, com probabilidade de saída de recursos e seu valor

pode ser estimado com segurança. Dessa forma, o valor constituído como provisão é a melhor estimativa de liquidação de

uma provável obrigação na data das demonstrações financeiras, levando em consideração os riscos e as incertezas

relacionadas

3.14 Benefícios pós-emprego

(a) Plano de complementação de aposentadoria e pensão

A Companhia participa do plano de aposentadoria e pensão, administrado pela Fundação Eletrosul de Previdência e

Assistência Social, que provêm a seus empregados pensões e outros benefícios pós-emprego.

O passivo reconhecido no balanço patrimonial relacionado aos planos de pensão de benefício definido é o valor presente da

obrigação de benefício definida na data do balanço menos o valor de mercado dos ativos do plano, ajustado: (i) por ganhos

e perdas atuariais; (ii) pelas regra de limitação do valor do ativo apurado; e (iii) pelos requisitos de fundamentos mínimos. A

obrigação do benefício é calculada anualmente por atuários independentes usando o método de crédito unitário projetado.

O valor presente da obrigação de benefício definido é determinado mediante o desconto das saídas futuras de caixa,

usando-se as taxas de juros condizentes com o rendimento de mercado, as quais são denominadas na moeda em que os

benefícios serão pagos e que tenham prazos de vencimento próximos daqueles da respectiva obrigação do plano de

pensão.

As dívidas contratas referem-se aos requisitos de fundamentos mínimos e são consideradas na determinação de um

passivo adicional referente a contribuições futuras que não serão recuperáveis.

Os ganhos e perdas atuariais, decorrentes de ajustes com base na experiência e nas mudanças das premissas atuariais, são

debitados ou creditados diretamente ao patrimônio líquido em outros resultados abrangentes no período em que

ocorrerem. Para o plano de contribuição definida, a Companhia paga contribuições à Fundação Elos em bases

compulsórias, contratuais ou voluntárias.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 124

124

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


(b) Plano de benefícios de assistência médica aos aposentados

Além do programa de aposentadorias e pensões, a Companhia suporta, igualmente, um programa de assistência médica

aos empregados aposentados por invalidez e seus dependentes, durante os primeiros 5 anos, sem que o vínculo

empregatício com a Eletrosul tenha cessado. As obrigações com esse programa também foram calculadas atuarialmente,

demonstradas no mesmo laudo já citado.

(c) Participação nos lucros e resultados

A Companhia provisiona a participação de empregados e diretores no resultado, em função de plano de metas. Tais valores

são registrados no resultado na rubrica participações no lucro.

3.15 Apuração do resultado

As receitas e as despesas são reconhecidas pelo regime de competência.

3.16 Questões ambientais

A Companhia capitaliza os gastos relativos as demandas ambientais consubstanciadas nas “condicionantes ambientais”

exigidos pelos órgãos públicos do meio ambiente para a concessão das respectivas licenças que permitirão a execução dos

projetos nas áreas de geração e transmissão. Os “condicionantes ambientais” correspondem a compensações que devem

ser realizados para a execução do projeto, visando reparar ou evitar danos ao meio ambiente no local da realização dos

empreendimentos.

3.17 Combinação de negócios

As combinações de negócios são contabilizadas utilizando o método de aquisição. O custo de aquisição é mensurado pelo

total da contrapartida transferida, avaliada com base no valor justo dos ativos e passivos na data da aquisição, e o valor de

qualquer participação de não controladores na adquirida. As despesas relacionadas à aquisição são reconhecidos na

demonstração do resultado, conforme incorridos. O excesso do custo de aquisição relativamente ao valor justo dos ativos

identificáveis adquiridos e passivos assumidos é registrado como ágio (nota 19e nota 53).

Se a combinação de negócios for realizada em estágios, o valor da aquisição da participação societária detida

anteriormente é reavaliado a valor justo na data da aquisição, sendo os impactos reconhecidos na demonstração do

resultado.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 125

eletrosul centrais elétricas s.a. 125


demonstrações financeiras e notas explicativas

3.18 Consolidação das demonstrações financeiras

As demonstrações financeiras consolidadas foram preparadas de acordo com os Pronunciamentos Contábeis (CPCs), e

incluem as informações financeiras da Companhia e de suas controladas e controladas em conjunto (joint ventures) a

seguir relacionadas:

Com po sição da pa rticipação so cietária

Participa ção Direta (%) Participação Indire ta (%)

Coligadas, Co ntrola das diretas e /ou

em conjunto

Co nsolidação 2 011 2010 2 011 2010

Em o peração - -

Tra nsm issão

Artemis In tegral 100,0% 49,0% - -

Etau Proporcion al 27,4% 27,4% - -

RS En ergia In tegral 100,0% 100,0% - -

U irap uru In tegral 75,0% 49,0% - -

In tegração Proporcion al 24,5% 24,5% - -

Geração

Cerro Chato I (i) In tegral 90,0% 90,0% - -

Cerro Chato II (ii) In tegral 90,0% 90,0% - -

Cerro Chato III (iii) In tegral 90,0% 90,0% - -

Em fase pré-ope racio nal

Tra nsm issão

Costa O este Proporcion al 49,0% - - -

Marumbi Proporcion al 20,0% - - -

Norte Brasil Proporcion al 24,5% 24,5% - -

Porto Velho In tegral 100,0% 100,0% - -

Sul Brasileira Proporcion al 80,0% - - -

Geração

Chuí Holding Proporcion al 49,0% - - -

Chuí I Proporcion al - - 49,0% -

Chuí II Proporcion al - - 49,0% -

Chuí IV Proporcion al - - 49,0% -

Chuí V Proporcion al - - 49,0% -

Min uan o I Proporcion al - - 49,0% -

Min uan o II Proporcion al - - 49,0% -

ESBR Participações Proporcion al 20,0% 20,0% - -

Energia Susten tável Proporcion al - - 20,0% 20,0%

Livramento Holding Proporcion al 49,0% - - -

Ib irapuitã I Proporcion al - - 49,0% -

Cerro Chato IV Proporcion al - - 49,0% -

Cerro Chato V Proporcion al - - 49,0% -

Cerro Chato VI Proporcion al - - 49,0% -

Cerro dos Trindade Proporcion al - - 49,0% -

San ta Vitória do Palmar Holding Proporcion al 49,0% - - -

Verace I Proporcion al - - 49,0% -

Verace II Proporcion al - - 49,0% -

Verace III Proporcion al - - 49,0% -

Verace IV Proporcion al - - 49,0% -

Verace V Proporcion al - - 49,0% -

Verace VI Proporcion al - - 49,0% -

Verace VII Proporcion al - - 49,0% -

Verace VIII Proporcion al - - 49,0% -

Verace IX Proporcion al - - 49,0% -

Verace X Proporcion al - - 49,0% -

Teles Pires Proporcion al 24,5% - - -

(i) A primeira unida de do a eroge ra dor entrou em operaçã o comercial e m 2 9.11.2011.

(ii) A primeira unidade do ae rogerador e ntrou em ope ra ção come rcia l em 30 .0 9.2011.

(iii) A prime ira unidade do aerogerador entrou e m operação comercial em 31.0 5.2011.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 126

126

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


Os ativos e passivos nessa data foram considerados de forma integral ou proporcional nas demonstrações financeiras

consolidadas de acordo com a forma de controle. As receitas e despesas foram incluídas a partir da aquisição do controle

acionário. Adicionalmente, os seguintes procedimentos foram adotados:




Eliminação das participações no patrimônio líquido das controladas;

Eliminação do resultado de equivalência, e

Eliminação dos saldos de ativos e passivos, receitas e despesas entre as empresas consolidadas.

3.19 Estimativas e julgamentos contábeis críticos

As estimativas e os julgamentos contábeis são continuamente avaliados e baseiam-se na experiência histórica e em outros

fatores, incluindo expectativas de eventos futuros, consideradas razoáveis para as circunstâncias.

(a) Redução ao valor recuperável de ativos financeiros e não financeiros

A Companhia verifica se há evidência objetiva de que o ativo financeiro ou o grupo de ativos financeiros está deteriorado.

Um ativo ou grupo de ativos está deteriorado e os prejuízos de impairment são incorridos somente se há evidência objetiva

de impairment com resultado de um ou mais eventos ocorridos após o reconhecimento inicial dos ativos (um "evento de

perda") e aquele evento (ou eventos) de perda tem impacto nos fluxos de caixa futuros estimados do ativo ou grupo de

ativos financeiros que pode ser estimado de maneira confiável.

Quando houver perdas, ela é reconhecida pelo montante em que o valor contábil do ativo ultrapassa seu valor recuperável,

que é o maior entre o preço liquido de venda e o valor em uso de um ativo.

Para fins de avaliação, os ativos são agrupados em grupos de ativos para o qual existem fluxos de caixa identificáveis

separadamente (unidade geradora de caixa).

(b) Base de determinação do ativo financeiro de concessão

A Companhia adotou a premissa que os bens são reversíveis no final da concessão, com direito de recebimento integral de

indenização (caixa) do poder concedente sobre os investimentos ainda não amortizados. Existe discussão de interpretação

legal e regulatória sobre qual contrato de concessão tem direito à indenização. Para contratos assinados após 1995 existem

diversas interpretações sobre o direito ou não de receber indenização no processo de reversão dos bens no final da

concessão. A discussão específica é se o valor residual do custo do projeto básico/original também terá direito à

indenização ou somente as adições/investimentos posteriores realizados após a construção do projeto básico/original o

terão, desde que aprovados pelo poder concedente. Com base nas disposições contratuais, nas interpretações dos aspectos

legais e regulatórios e parecer jurídico de consultor independente, a Companhia adotou a premissa de que será indenizada

pelo projeto básico e investimentos posteriores (vide nota 7).

3.20 Mudança de política contábil

A administração da Companhia, segundo a nova política da Holding Eletrobras, decidiu alterar a política de avaliação dos

investimentos nas Sociedades de Propósito Específico (SPE´s), assim como a de consolidação das demonstrações

financeiras, a partir do 2º trimestre de 2011. Esta alteração prevê que a administração, a partir desta data, estará utilizando

demonstrações das SPE´s com 30 dias de defasagem (neste caso 30 de novembro) para calcular a avaliação dos

investimentos e a consolidação, como faculta a norma contábil.

Devido a esta alteração, neste exercício, deve-se salientar a mudança de prática contábil para fins de comparabilidade dos

resultados, visto que no período anterior utilizado para comparação a data das demonstrações financeiras utilizadas para

fins de avaliação dos investimentos nas SPE´s e consolidação era de 31 de dezembro de 2010, ou seja, continha um período

de 12 meses de resultado e em 2011 compreende apenas 11 meses de resultado.

O efeito desta mudança não gerou impacto significativo que afete a comparabilidade das demonstrações financeiras.

3.21 Normas e interpretações de normas que ainda não estão em vigor

Novas normas e interpretações que afetam a Companhia emitidas pelo IASB (International Accounting Standards Board)

ainda não entram em vigor para o exercício encerrado em 31.12.2011, a seguir relacionadas. Todavia, não houve adoção

antecipada dessas normas e alterações de normas por parte da Companhia.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 127

eletrosul centrais elétricas s.a. 127


demonstrações financeiras e notas explicativas

IFRS 9 – Instrumentos Financeiros. Estabelece duas categorias de mensuração principais para os ativos financeiros.

Aplicável a partir de 01.01.2015.

IFRS 10 - Demonstrações Financeiras Consolidadas. Define que existe apenas uma base de consolidação, ou seja, o controle.

Adicionalmente, a IFRS 10 inclui uma nova definição de controle que contém três elementos: (a) poder sobre uma investida;

(b) exposição, ou direitos, a retornos variáveis da sua participação na investida e (c) capacidade de utilizar seu poder sobre

a investida para afetar o valor dos retornos ao investidor. Aplicável a partir de 01.01.2013.

IFRS 11 - Acordos de Participação. Aborda como um acordo de participação onde duas ou mais partes têm controle

conjunto deve ser classificada. Aplicável a partir de 01.01.2013.

IFRS 12 - Divulgações de Participações em Outras Entidades. Esta norma trata da divulgação aplicável a entidades que

possuem participações em controladas, acordos de participação, coligadas e/ou entidades estruturadas não consolidadas

Aplicável a partir de 01.01.2013.

IFRS 13 – Mensuração do Valor Justo. Define valor justo, explica como mensurá-lo e determina o que deve ser divulgado

sobre essa forma de mensuração. Aplicável a partir de 01.01.2013.

Revisão do IAS 12 – Tributos diferidos. Recuperação de Ativos Subjacentes. Estabelece critérios para apuração da base fiscal

de um ativo. Aplicável a partir de 01.01.2012

IAS 28 – Investimentos em coligadas e empreendimentos controlados em conjunto. Trata dos aspectos relacionados ao

registro de investimentos em associadas e estabelece os requerimentos para a aplicação do método de equivalência

patrimonial para a contabilização de investimentos em associadas e empresas com controle compartilhado. Aplicável a

partir de 01.01.2013.

IAS 1 – Apresentação de itens de outros resultados abrangentes. Agrupam em Outros Resultados Abrangentes os itens que

poderão ser reclassificados para lucros ou prejuízos na demonstração de resultado do exercício. Aplicável a partir de

01.01.2013.

NOTA 4 - C AIX A E EQUIVALENTE S DE C AIXA

a) Aplicações no mercado

As aplicações financeiras da Companhia, em consonância com a Resolução nº 2.917, de 19/12/2001, do Banco Central do

Brasil, encontram-se aplicadas no fundo de investimento financeiro – extramercado exclusivo VII do Banco do Brasil S.A.,

que tem como meta de rentabilização 98% da Taxa Média da SELIC (TMS). São operações que tem como características

liquidez diária, baixo risco e remuneração que em dezembro de 2011, essa rentabilidade bruta média da Eletrosul atingiu

11,39% ou 98,23% da TMS.

Controladora

Consolidado

Caixa e equivalentes de caixa 2011 2010 2011 2010

Circulante

Numerário disponível 10.948 6.083 99.893 6.604

Aplicações financeiras 246.391 129.477 524.294 352.181

Total 257.339 135.560 624.187 358.785

O detalhamento das aplicações financeiras se dá como se segue:

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 128

128

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


Controladora

Consolidado

Instituição Financeira Tipo Aplicação Indexador 2011 2010 2011 2010

ABN CDB CDI - - 156 2.283

Banco do Brasil CDB CDI - - 180.547 115.883

Banco do Brasil Fundo Exclusivo CDI 117.547 25.138 117.547 25.138

Banco do Brasil Fundo FAE CDI 128.844 104.339 128.844 104.339

Banco Itaú CDB CDI - 45.589 57.499

Bradesco CDB CDI - - 12.277 12.448

HSBC CDB CDI - - 368 1.488

Safra CDB CDI - - 10.013 9.336

Votorantin CDB CDI - - 27.781 20.227

Votorantin Debêntures CDI - - 1.172 3.540

246.391 129.477 524.294 352.181

b) Títulos e valores mobiliários

A seguir os títulos e valores mobiliários são apresentados por natureza (ver nota 15):

Controladora

Consolidado

Títulos e valores mobiliários 2011 2010 2011 2010

Não Circulante

Ações 39 39 39 39

Notas do Tesouro Nacional (NTN) 97 92 97 92

Total 136 131 136 131

O detalhamento dos títulos e valores mobiliário se dá como se segue:

Títulos

Age nte Financeiro

Custodiante

Controladora

Consolidado

Ve ncime nto Inde xador 2011 2010 2 011 2 010

NTN-P Banco do Brasil 21/03/2018 TR+6% aa 2 2 2 2

NTN-P Banco do Brasil 28/12/2015 TR+6% aa 92 87 92 87

NTN-P Banco do Brasil 28/12/2014 TR+6% aa 3 3 3 3

97 92 97 92

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 129

eletrosul centrais elétricas s.a. 129


demonstrações financeiras e notas explicativas

NOT A 5 – C AUÇ Õ ES, D EPÓ SI TO S E FUNDO S VINC ULADOS

A seguir as cauções, depósitos e fundos vinculados são apresentados por natureza:

Cauções, depósitos e fundos vinculados

Controladora

Consolidado

2011 2010 2011 2010

Circulante

Caução CEF - garantia ANEEL 9 9 9 9

Caução CEF - PCH São Mateus 13 13 13 13

Caução Bradesco - CBLC 319 38.833 319 38.833

Fundo vinculado BB conv. SENAI 6246 14 84 14 84

Fundo vinculado BB conv. PRC-PRODEEM 1.137 1.068 1.137 1.068

Fundo vinculado BB conv. PROCEL ECV-042/04 136 124 136 124

Fundo vinculado BB conv. PROCEL ECV-028/05 249 228 249 228

Fundo vinculado BB conv. ECV-182/2006 142 130 142 130

Fundo Vinculado - Time Deposit - ESBR-P - - 25.283 42.722

Fundo vinculado garantia aluguéis - - 9 -

Subtotal 2.019 40.489 27.311 83.211

Não circulante

Fundo vinculado BNDES Mauá 9.127 - 9.127 -

Fundo vinculado BB Mauá 9.269 - 9.269 -

Fundo vinculado BB O&M Aplicação 1.206 1.102 1.206 1.102

Fundo Vinculado - Time Deposit - ESBR-P - - 3.867 1.761

Fundo vinculado garantia de financiamentos 9.912 11.363 22.442 17.564

Subtotal 29.514 12.465 45.911 20.427

Total 31.533 52.954 73.222 103.638

O valor demonstrado na rubrica "Cauções Bradesco - CBLC" é composto basicamente por recursos destinados a dar

Garantia Financeira (GF) junto à CCEE, em função das UHE Passo São João e UHE Mauá não estarem, ainda, gerando

energia. Em 2011 a CCEE liberou esta garantia, uma vez que a empresa adquiriu lastro de energia no mercado.

Os valores das rubricas "Fundo Vinculados BNDES Mauá e BB Mauá" referem-se à constituição da conta reserva de garantia

dos contratos de financiamento da UHE Mauá junto ao BNDES e Banco do Brasil conforme cláusulas contratuais.

O valor na rubrica “Fundo Vinculado – Time Deposit - ESBRP” refere-se a aplicações financeiras em time deposit realizadas

pela ESBR com a finalidade de lastrear as garantias das cartas de crédito emitidas pelo Banco do Brasil e Banco Itaú em

favor dos fornecedores Dong Fang e Hyosung. O prazo estimado de utilização destas aplicações para pagamentos aos

fornecedores é calculado com base em cronogramas de fornecimento propostos pela Dong Fang e Hyosung, revisados ao

menos trimestralmente.

O detalhamento dos fundos vinculados se dá como se segue:

Controladora

Consolidado

Instituição Financeira Tipo Aplicação Indexador 2011 2010 2011 2010

Banco do Brasil CDB CDI 11.118 12.465 12.051 13.423

Banco do Brasil Fundo Exclusivo CDI 18.645 228 18.645 228

Banco do Brasil Fundo FAE CDI 1.429 1.406 1.429 1.406

Banco do Brasil Time deposits libor + spread - - 5.631 15.199

Banco Itaú Time deposits 1,7%-2,0% - - 19.652 29.284

Bradesco CDB CDI 319 38.833 8.679 42.611

CEF Conta remunerada TR 22 22 22 22

Citibank Fundo CDI - - 7.113 1.465

31.533 52.954 73.222 103.638

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 130

130

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


NOT A 6 – C LI EN TES

Controladora

2011

2010

vincendas vencidas total total

Uso da rede elétrica 95.146 4.619 99.765 79.363

Conexão ao sistema de transmissão 8.161 - 8.161 8.044

Comercialização de energia 2.768 - 2.768 5.001

(-) Prov. créd. liquid. duvidosa - (3.509) (3.509) (1.299)

106.075 1.110 107.185 91.109

Consolidado

2011

2010

vincendas vencidas total total

Uso da rede elétrica 109.742 5.244 114.986 87.489

Conexão ao sistema de transmissão 13.494 - 13.494 8.044

Comercialização de energia 2.768 - 2.768 5.001

(-) Prov. créd. liquid. duvidosa - (3.773) (3.773) (1.299)

126.004 1.471 127.475 99.235

I - O valor de R$ 3.773 mil refere-se à provisão para créditos de liquidação duvidosa de faturas vencidas há mais de seis

meses e que se encontra em processo de cobrança/negociação entre as partes envolvidas.

vincendas

Vencidas

até 90

dias

Controladora

2011

Vencidas a

mais de

90 dias

total

2010

total

Origem/Clientes 106.075 435 4.184 110.694 92.408

(-) Prov. créd. liquid. duvidosa - - (3.509) (3.509) (1.299)

106.075 435 675 107.185 91.109

vincendas

Vencidas

até 90

dias

Consolidado

2011

Vencidas a

mais de

90 dias

total

2010

total

Origem/Clientes 125.889 629 4.730 131.248 100.534

(-) Prov. créd. liquid. duvidosa - - (3.773) (3.773) (1.299)

125.889 629 957 127.475 99.235

NOT A 7 – A TI VO FIN AN CEIRO DE TR AN SMISS ÃO

A rubrica Ativo Financeiro – ICPC 01, refere-se ao ativo financeiro a receber pela Companhia e Controladas no âmbito das

concessões de transmissão de energia elétrica, decorrente da aplicação do modelo financeiro.

De acordo com a Interpretação Técnica ICPC 01 e a Orientação Técnica OCPC 05, os ativos de transmissão por possuírem

certas características (abaixo), estão ao alcance da aplicação do IFRIC 12:

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 131

eletrosul centrais elétricas s.a. 131


demonstrações financeiras e notas explicativas

a) As empresas de transmissão têm a obrigação contratual de construir, operar e manter a infraestrutura;

b) A maioria dos contratos tem prazo de concessão de 30 anos;

c) Na média, a vida útil econômica estimada dos bens é superior ao prazo de concessão;

d) A atividade de transmissão não é competitiva. Não existe competição entre as empresas (existe entre os investidores

para obtenção da concessão);

e) A concessionária é interposta entre o poder concedente e os usuários;

f) A atividade é sujeita à condição de generalidade (direito de livre acesso) e continuidade;

g) Alguns contratos têm garantia de manutenção do equilíbrio econômico financeiro;

h) O contrato estabelece quais os serviços e para quem deve ser prestados.

i) O preço é regulado por tarifa. A Transmissora não pode negociar preços com os usuários.

j) A RAP é fixa e atualizada monetariamente por índice de preços uma vez por ano e revisada a cada 4 anos.

k) Os bens são reversíveis ao final da concessão, com direito de recebimento de indenização (caixa) do poder concedente

sobre os investimentos ainda não amortizados.

Considerando a natureza do ativo financeiro, classificado como recebível, a infraestrutura construída será recebida através

de dois fluxos de caixa:

(i)

(ii)

A parcela dos investimentos que será amortizada com o recebimento das RAPs que serão faturadas para os

usuários do sistema, é classificada entre curto e longo prazo considerando a expectativa de recebimento destes

valores, tendo por base a data de encerramento das concessões.

A parcela dos investimentos realizados e não amortizados ou depreciados até o final da concessão foi classificada

como um ativo financeiro indenizável a ser recebida diretamente do Poder Concedente ou para quem ele delegar

essa tarefa. Este ativo financeiro está registrado pelo valor presente do direito e é calculado com base no valor

residual dos ativos construídos pertencentes à infraestrutura que serão indenizados pelo Poder Concedente;

Controladora

Consolidado

Ativo Financeiro 2011 2010 2011 2010

Circulante

Ativo Financeiro Amortizável RAP (I) 118.851 115.735 152.543 140.357

Subtotal 118.851 115.735 152.543 140.357

Não circulante

Ativo Financeiro Amortizável RAP (I) 589.004 693.867 1.429.642 1.129.607

Ativo Financeiro Indenizável (II) 1.811.738 1.719.445 2.188.468 1.913.332

Subtotal 2.400.742 2.413.312 3.618.110 3.042.939

Total 2.519.593 2.529.047 3.770.653 3.183.296

As premissas utilizadas pela Companhia para determinação do ativo financeiro foram as seguintes:

(i)

(ii)

(iii)

Ativo Financeiro Indenizável - a Companhia reconheceu em suas demonstrações financeiras o valor residual dos

ativos de transmissão ainda não amortizados, como ativo financeiro, determinado com base nas taxas de

depreciação aprovadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica- ANEEL.

Ativo Financeiro Amortizável pela RAP – A Companhia reconheceu em suas demonstrações financeiras em

01.01.2009 como ativo financeiro amortizável a diferença entre o valor total líquido da infraestrutura de

transmissão e o valor residual da infraestrutura na data do término do contrato de concessão. A partir de

01.01.2009 as novas adições decorrentes das novas construções e/ou ampliações da infraestrutura de transmissão

são registradas como ativo financeiro.

Receita Financeira – A Companhia reconheceu em suas demonstrações financeiras, a título de receita financeira,

valor calculado sobre recebíveis registrados como Ativo Financeiro (antigo Imobilizado), com base em taxa

apurada conforme o fluxo de recebimento das RAPs (RAP bruta (-) valor alocado para receita de O&M) até o final

dos contratos de concessão do serviço de transmissão de energia elétrica.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 132

132

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


(iv) Receita de O&M - A Companhia reconheceu em suas demonstrações financeiras, Receita de Operação e

Manutenção (O&M), considerando os valores realizados de pessoal, material, serviços e outros (PMSO) no período,

acrescidos das taxas de PIS e Cofins e das taxas referente os encargos regulatórios (RGR, taxa de fiscalização e

P&D)

(v) Margem de Construção, Receita de Construção e Custo de Construção. A Companhia reconheceu em suas

Demonstrações financeiras, margem de lucro zero sobre os valores registrados a titulo de receita de construção

de empreendimentos de transmissão, cuja construção é efetuada por terceiros, haja vista que a condição precípua

de empresa concessionária de energia elétrica, cujo objeto empresarial é o de manter e operar, pelo prazo da

concessão, o empreendimento, onde o retorno ocorre através do recebimento da receita anual permitida(RAP).

O impacto da adoção do ICPC 01 nas demonstrações financeiras da Companhia são apresentados como segue:

Controladora

Consolidado

Transmissão 2011 2010 2011 2010

Saldo do Ativo Financeiro 2.529.047 2.119.340 3.183.296 3.006.639

(+) Efeito da Participação Societária - - - (15.038)

(+) Receita de Construção 92.201 108.330 514.193 324.349

(+) Receita Financeira 320.932 286.822 396.684 347.006

(+) Incorporação SC Energia - 369.319 - -

(-) Amortização, recebimentos, baixas e transferências (422.587) (354.764) (323.520) (479.660)

Saldo do Ativo Financeiro 2.519.593 2.529.047 3.770.653 3.183.296

Saldos contábeis considerando a adoção dos

CPC´s

= Saldo do Ativo financeiro amortizável RAP 707.855 809.602 1.582.185 1.269.964

= Ativo Financeiro de Concessão indenizável 1.811.738 1.719.445 2.188.468 1.913.332

Total 2.519.593 2.529.047 3.770.653 3.183.296

NOT A 8 – CRÉD ITO S D E EN ER GI A REN EGOCI ADOS

Os créditos renegociados referem-se a créditos junto à União, atualizados pelo IGP-M e acrescidos de juros de 12,68 % a.a.,

decorrentes da assunção dos haveres que a Companhia possuía nas concessionárias estaduais de energia elétrica. Sob a

égide da Lei nº 8.727/93, a União assumiu, refinanciou e reescalonou a dívida em 240 parcelas, vencíveis a partir de abril

de 1994. Vencido o prazo de 20 anos e remanescendo saldo a pagar, uma vez que a União repassa somente os recursos

recebidos dos estados que, por sua vez, estão limitados por lei em níveis de comprometimento de receitas, o parcelamento

será estendido por mais 120 meses. Os tributos incidentes sobre a receita decorrente da atualização desses créditos estão

sendo diferidos. (ver nota 16).

Controladora e Consolidado

Movimentação no período: 2011 2010

Saldo final do período anterior 672.678 641.004

Recebimentos (178.512) (117.514)

Atualização monetária 32.944 69.754

Juros 80.281 79.434

Saldo do período final 607.391 672.678

Circulante 127.639 128.635

Não Circulante 479.752 544.043

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 133

eletrosul centrais elétricas s.a. 133


demonstrações financeiras e notas explicativas

NOT A 9 – DI VID END OS A REC EB ER

Dividendos

Controladora

2011 2010

Sociedades de Propósito Específico (SPE)

Artemis

% de participação

100,00% 4.863 2.676

Cerro Chato III 90,00% 652 -

Etau 27,40% 513 1.975

Integração 24,50% 2.060 -

Norte Brasil 24,50% 250 -

Porto Velho 100,00% - 768

RS Energia 100,00% 773 1.077

Uirapuru 75,00% 1.382 985

10.493 7.481

Os valores apresentados nesta rubrica referem-se aos dividendos mínimos obrigatórios destinados pelas SPE’s conforme

provisionados e apresentados em seus balanços. Porém, uma vez que a consolidação das informações das Controladasé

feita com defasagem de 30 dias (vide nota 3.20), os valor apresentados em 2011 estão baseados no lucro líquido constante

nos Demonstrativos de Resultados das Investidas em 30 de novembro de 2011.

NOT A 10 – DEV EDOR ES D IVER SOS

Controladora

Consolidado

2011 2010 2011 2010

Rendas a receber - encargos de dívidas 1.403 1.403 1.403 1.403

Adiantamentos a fornecedores 21.779 1.330 21.971 1.554

Eletrobrás Participações S.A. - Eletropar 7.023 7.023 7.023 7.023

Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. 280 280 280 280

Adiantamentos a empregados 4.199 5.120 4.226 5.120

Créditos com empregados 150 327 277 327

Credenciamento médico 2.332 2.342 2.332 2.342

Outros devedores 1.362 2.357 1.480 6.838

(-) Prov. créd. liquid. duvidosa (7.023) (7.023) (7.023) (7.023)

31.505 13.159 31.969 17.864

Os créditos com a Eletrobras Participações S.A. (Eletropar), vinculados a créditos que a mesma detém na Eletronet, que por

sua vez, teve sua falência decretada, estão incluídos na provisão para perdas com créditos de liquidação duvidosa. (ver

nota 11).

Do valor R$ 21.779 mil da rubrica "adiantamentos a fornecedores", R$ 20.000 mil refere-se ao pagamento do termo aditivo

nº 7 do contrato 90570180 - Construtora CVP Ltda., referente execução do projeto civil e obras civis da UHE Passo São

João.

NOT A 11 – PRO VISÃO P AR A CR ÉDITO D E LI QUID AÇ ÃO DU VIDO SA

Com base em avaliação jurídica e no critério de imputar os créditos vencidos há mais de seis meses, a Companhia mantém

provisão para perdas com créditos de liquidação duvidosa, concernentes a “consumidores, concessionárias e

permissionárias” (nota 6) registrados no ativo circulante, no valor de R$ 3.773 mil, “devedores diversos” (nota 10),

registrados no ativo circulante, no valor de R$ 7.023 mil, referentes a créditos com a Eletropar, vinculados a créditos que a

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 134

134

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


mesma detém na Eletronet, que por sua vez teve a sua falência decretada e “outros créditos” (nota 15) registrados no ativo

circulante, no valor de R$ 4.610 mil.

Nessa mesma linha de avaliação, mantém, também, provisão para perdas com créditos de liquidação duvidosa, registrada

no não circulante sob a rubrica de “Outros créditos”, no valor de R$ 10.154 mil, concernentes à atualização monetária em

litígio judicial, calculada sobre créditos de energia renegociados na vigência do Plano Real. (ver nota15).

Movimentação da provisão para devedores duvidosos:

Ativo Circulante

Nota

Saldo em

31.12.2010

Provisões

Reversões

Baixas para

perdas

Saldo em

31.12.2011

Concessionários 6 1.299 2.405 (195) - 3.509

Devedores diversos 10 7.023 - - - 7.023

Outros créditos 15 4.574 619 (583) - 4.610

Ativo Não Circulante

Con soli da do

2011

Outros créditos 15 10.154 - - - 10.154

Ativo Circulante

Nota

Saldo em

31.12.2009

Provisões

Reversões

Baixas para

perdas

Saldo em

31.12.2010

Concessionários 6 395 1.101 (197) - 1.299

Devedores diversos 10 7.023 - - - 7.023

Outros créditos 15 5.049 849 (1.205) (119) 4.574

Ativo Não Circulante

Consolidado

2010

Outros créditos 15 10.154 - - - 10.154

NOTA 12 – DESATI VAÇ Õ ES, ALI EN AÇ ÕES E SER VIÇO S EM CURS O

Controladora

Consolidado

S ERV IÇOS EM CURSO 2 011 2 010 2 011 2010

Con strução da casa susten tável 126 126 126 126

Con vên io MME - 009/2004 Evit. Cap ac. Prodee 151 135 151 135

Imp lan tação LT 525 kV Cam pos Novos/San ta Rita-RS 16 405 16 405

Imp lan tação n ovo Trafo p / Gerdau - SE Charq ueadas 508 695 508 695

Imp lan tação Em preendim entos Eólicos 1 88 1 88

Projeto Alto U ruguai 2.226 1.357 2.226 1.357

P& D AN EEL diversos 8.969 7.855 8.969 7.855

Sub stituição de transfor. III-GEN VISA n a SE Join ville 743 743 743 743

An álise de p rojeto acomp. Com is. das instalações 4.633 3.018 4.633 3.018

Licitações e Leilões ANEEL 230 433 230 433

Engenh aria do p roprietário UHE Mauá 1.936 954 1.936 954

Sin istro tran sform ador Sideróp olis IV 872 872 872 872

Fon tes alternativas geração de en ergia eletrica 2.199 2.138 2.199 2.138

Sin istro tran sform adores SE Curitiba 28 4.409 28 4.409

Troca sistem a clim atização Sertão do Maruim 1.818 - 1.818 -

O utros serviços 3.460 3.757 3.460 3.902

27.9 16 2 6 .9 85 2 7.9 16 2 7.130

DESA TIV AÇÕES EM CURSO 3.6 51 3.6 04 3.6 51 3.625

A LIENA ÇÕES EM CURSO 1.2 15 1.087 1.2 15 1.087

32 .7 82 31.676 32.782 31.842

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 135

eletrosul centrais elétricas s.a. 135


demonstrações financeiras e notas explicativas

NOT A 13 – TRIB UTO S A R EC U PER AR

Controladora

Consolidado

2011 2010 2011 2010

ICMS 13.892 10.238 17.299 11.739

PIS 10.703 928 23.047 11.022

COFINS 49.305 4.202 106.166 50.986

Contribuição Social 5.885 1.894 6.121 1.894

Imposto de Renda 16.733 5.415 24.169 8.071

Outros créditos 1.038 1.113 1.777 3.417

Ajustes a valor presente de tributos (4.110) (801) (4.110) (801)

93.446 22.989 174.469 86.328

Circulante 30.983 16.409 42.509 22.866

Não circulante 62.463 6.580 131.960 63.462

ICMS, PIS e COFINS referem-se a créditos tomados na compra de ativo imobilizado e na formação do ativo financeiro da

transmissão. Parte dos créditos de PIS e COFINS a compensar serão recuperados a partir da entrada em operação

comercial das Usinas e PCH’s.

NOT A 14 – AD I ANTAM EN TO P AR A FU TURO AUM ENTO D E C AP IT AL

a) Composição dos saldos de AFAC’s:

Controladora

2011 2010

Composição do saldo por empresa

Cerro Chato I 86.760 14.130

Cerro Chato II 80.910 14.130

Cerro Chato III 74.790 14.130

Livramento 3.742 -

Porto Velho 50.000 -

RS Energia 66.258 -

Santa Vitória do Palmar 5.067 -

TOTAL 367.527 42.390

b) Movimentação:

Controladora

2011 2010

Saldo Inicial 42.390 27.063

(+) AFAC aportado no exercício 419.515 168.110

(-) Integralização de capital (94.378) (152.783)

Total 367.527 42.390

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 136

136

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


NOT A 15 – OU TROS CR ÉDITOS

Controladora

Consolidado

Nota 2011 2010 2011 2010

Títulos de créd.a receber/Alien., bens e direitos 3.493 4.120 3.493 4.120

Créditos por serviços prestados a terceiros 10.341 8.286 2.275 8.286

Títulos e valores mobiliários 4 136 131 136 131

Valores bloqueados judicialmente 20 651 61 651

Reserva Global de Reversão (RGR) - 3.322 - 3.322

Dispêndios a reembolsar 7.734 14.809 7.756 14.809

Prêmio de seguro 382 355 14.006 488

Créditos em litígio 10.154 10.154 10.154 10.154

(-) Prov. créd. liquid. duvidosa 11 (10.154) (10.154) (10.154) (10.154)

Depósitos vinculados a litígios 6.025 4.156 6.112 7.662

Empréstimo compulsório-aq. de combustível 1.876 1.804 1.876 1.804

Outros créditos a receber 2.166 1.464 2.117 17.086

(-) Prov. outros créd. liquid. duvidosa 11 (4.610) (4.574) (4.610) (4.574)

27 .5 63 34.524 33.2 22 53.7 85

Circulante 10.744 20.291 11.969 24.052

Não circulante 16.819 14.233 21.253 29.733

O valor da rubrica “Títulos de créditos a receber / Alienação, bens e direitos” refere-se, basicamente, a créditos com o

Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), relativo à transferência dos bens integrantes do Centro de Operação do

Sistema Eletrosul (COSE), autorizada pela ANEEL, através do Ofício nº 281, de 16 de abril de 2001, na forma prevista pelo

artigo 15 da Lei nº 9.648, de 27 de maio de 1998. Em dezembro de 2002, o valor de R$ 7.736 mil foi pactuado em 152

meses, com juros de 5% a.a., mais taxa de administração de 2% a.a., vencível a partir de janeiro de 2003. Em 31 de

dezembro de 2011, o valor atualizado era de R$ 2.829 mil (R$ 3.495 mil em dezembro de 2010).

O valor de R$ 10.341 mil na rubrica “Créditos por serviços prestados a terceiros”, refere-se, basicamente, a serviços

prestados à Uirapuru Transmissora de Energia S.A., decorrente de contrato de prestação de serviços de gerenciamento e

supervisão de qualidade, serviço de comissionamento e serviços de pré operação, operação e manutenção executados

durante a construção da linha de transmissão 525 kV, Ivaiporã (PR) - Londrina (PR). O contrato é recebido em parcelas

mensais, sendo atualizado anualmente pelo IGPM, com vencimento final em junho/2034.

O valor de R$ 7.734 mil na rubrica “Dispêndios a reembolsar”, refere-se, basicamente a valores a receber de outras

entidades referentes a despesas com pessoal cedido e valores decorrentes do empreendimento UHE Mauá a ser

reembolsado pela Copel através de encontro de contas. Os custos relativos ao contrato estão sendo reconhecidos na SPE

de acordo com os pagamentos.

NOT A 16 – TR IB UTO S D I FER IDOS

Os tributos diferidos ativos são reconhecidos na extensão em que seja provável que o lucro futuro tributável esteja

disponível para ser utilizado na compensação das diferenças temporárias, com base em projeções de resultados futuros

elaboradas e fundamentadas em premissas internas e em cenários econômicos futuros que podem, portanto, sofrer

alterações.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 137

eletrosul centrais elétricas s.a. 137


demonstrações financeiras e notas explicativas

O imposto de renda e a contribuição social diferidos sobre diferenças temporárias são demonstrados como segue:

Ativo não circulante

Controladora

Consolidado

2011 2010 2011 2010

Ajuste valor presente de tributos 1.398 272 1.398 272

Provisões cíveis e fiscais 8.670 12.200 8.670 12.200

Provisões trabalhistas 21.496 24.642 21.496 24.642

Passivo atuarial 6.702 1.410 6.702 1.410

Plano de read. Progr. do quadro de pessoal - 17.324 - 17.324

Provisão para crédito de liquidação duvidosa 4.025 3.197 4.025 3.197

Provisão para perdas contratos onerosos 2.453 7.220 2.453 7.220

Amortização ágio s/ investimento 8.480 7.920 8.480 7.920

Valor recuparável de ativos (Impairment) 48.575 45.947 48.575 45.947

Participação nos lucros e resultados 11.287 10.203 11.287 10.203

Prejuízo fiscal e base negativa de contribuição social - - 4.633 2.687

Contribuição benefício geração atual 9.226 1.650 9.226 1.650

Derivativos - - 4.792 3.767

Outros - 1.234 3.703 2.366

122.312 133.219 135.440 140.805

Passivo não circulante

Receita de atual. créditos energia renegociados 205.469 227.797 205.469 227.797

Parcelamento Especial (PAES) 1.242 2.950 1.242 2.950

Provisão ajustes de adoção CPC's 11.427 26.578 12.582 26.578

Outros 22.175 18.291 29.119 21.107

240.313 275.616 248.412 278.432

O diferimento dos tributos incidentes sobre a receita de atualização dos créditos de energia renegociados – Lei nº 8.727/93

foi iniciado em janeiro de 1999. Até dezembro de 1998, todos os tributos incidentes sobre tais receitas (juros e variação

monetária) foram recolhidos pelo regime de competência. Todavia, os valores recolhidos até aquela data já ultrapassavam

aos valores efetivamente recebidos da União com o pagamento da dívida à Eletrosul, por conta da Lei nº 8.727/93.

Destarte, de forma a preservar o patrimônio da Companhia, a Administração optou por diferir os tributos, a partir de

janeiro de 1999, para recolhimento com base nos valores efetivamente recebidos.

Até dezembro de 2004, foram compensados os valores recolhidos até a competência dezembro de 1998. A partir de janeiro

de 2005, passou-se a tributar e recolher sobre os valores efetivamente recebidos. Essa situação é decorrente do fato de

que a União paga as parcelas mensais de sua dívida de acordo com o que recebe dos Estados, que, por sua vez, estão

limitados por lei em níveis de comprometimento de suas receitas, conforme descrito na nota 8.

A expectativa de compensações dos ativos e passivos fiscais diferidos são as seguintes:

Consolidado

2011 2010

Ativo fiscal diferido

ativo de imposto diferido a ser recuperado depois de mais de 12 meses 106.908 96.565

ativo de imposto diferido a ser recuperado em até 12 meses 28.532 44.240

135.440 140.805

Passivo fiscal diferido

passivo de imposto diferido a ser liquidado depois de mais de 12 meses 214.399 232.598

passivo de imposto diferido a ser liquidado em até 12 meses 34.013 45.834

248.412 278.432

Passivo de imposto diferido líquido 112.972 137.627

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 138

138

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


NOT A 17 – IN VESTIM ENTOS

17.1 Movimentação dos investimentos nas controladas e controladas em conjunto

No ano de 2011:

Participações em SPE's

Part. Saldos em Integralização Equivalência Ajus. Aval. Dividendos Amort. Incorporação Saldos em

Adições

(%) 31/12/2010 AFAC Patrimonial patrimonial propostos Ágio / Venda 31/12/2011

Em ope ra ç ão

Artemis* 100,0% 77.177 173.989 - 13.602 - (10.517) (1.949) - 252.302

Cerro Chato III 90,0% - - - 2.927 - (652) - - 2.275

Etau 27,4% 17.934 - - 5.413 - (1.507) - - 21.840

RS Energia 100,0% 142.646 - - 3.253 - 304 - - 146.203

Uirapuru* 75,0% 24.455 30.584 - 4.474 - (3.092) (301) - 56.120

Integração 24,5% 2.312 - - 8.646 - (2.060) - - 8.898

Em fase pré-operacional

Costa Oeste 49,0% - 196 - - - - - - 196

ESBR Partipações 20,0% 412.001 142.799 - (3.646) 3.254 - - - 554.408

Norte Brasil 24,5% 9.434 6.394 - 1.164 (623) (250) - - 16.119

Porto Velho 100,0% 194.186 - - (1.330) - 768 - - 193.624

Teles Pires 24,5% - 94.378 - (828) - - - - 93.550

Outros investimentos 3.307 (26) - - - - - - 3.281

Totais 883.452 448.314 - 33.675 2.631 (17.006) (2.250) - 1.348.816

* Incluído nas adições da Artemis o valor de R$ 128.596 mil e na Uirapuru o valor de R$ 17.072 mil referentes Goodwill, conforme

demonstrado na nota 53.

No ano de 2010:

Participações em SPE's

Part. Saldos em Integralização Equivalência Ajus. Aval. Dividendos Amort. Incorporação Saldos em

Adições

(%) 31/12/2009 AFAC Patrimonial patrimonial propostos Ágio / Venda 31/12/2010

Em operação

Artemis 49,0% 74.098 508 - 11.230 - (8.218) (441) - 77.177

Cerro Chato I 90,0% - 180 - (180) - - - - -

Cerro Chato II 90,0% - 180 - (180) - - - - -

Cerro Chato III 90,0% - 180 - (180) - - - - -

Etau 27,4% 17.818 - - 4.514 - (4.398) - - 17.934

RS Energia 100,0% 124.399 15.732 - 3.592 - (1.077) - - 142.646

SC Energia 100,0% 185.060 - - 6.185 - - - (191.245) -

Uirapuru 49,0% 21.351 - - 4.149 - (1.045) - - 24.455

Integração 24,5% - - - 2.312 - - - - 2.312

Em fase pré-operacional

ESBR Partipações 20,0% 202.388 213.801 - (2.952) (1.236) - - - 412.001

Estação 24,5% 23.961 - - 240 - - - (24.201) -

Norte Brasil 24,5% 14.840 1.946 - 561 (7.913) - - - 9.434

Porto Velho 100,0% 9.210 155.467 27.063 3.214 - (768) - - 194.186

Outros investimentos 3.316 - - - - - - (9) 3.307

Totais 676.441 387.994 27.063 32.505 (9.149) (15.506) (441) (215.455) 883.452

17.2 Informações financeiras resumidas de controladas e controladas em conjunto

As principais informações financeiras dos balanços das controladas e controladas em conjunto estão demonstrados a

seguir, pelos valores originais sem considerar a proporcionalidade.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 139

eletrosul centrais elétricas s.a. 139


demonstrações financeiras e notas explicativas

No ano de 2011:

Empresa

Part. (% )

em

31.12.2011

Receita

operacional

2011

Lucro (prejuízo)

líquido do

exercício

Ativo total

Passivo

Patrimônio

Líquido

Em operação

Artemis 100,0% 47.746 20.447 275.812 111.969 163.843

Cerro Chato I 90,0% 5 (772) 148.348 149.228 (880)

Cerro Chato II 90,0% 1.363 4 155.261 155.358 (97)

Cerro Chato III 90,0% 6.620 3.357 164.024 160.771 3.253

Etau 27,4% 34.296 24.665 136.588 56.692 79.896

RS Energia 100,0% 65.097 3.254 329.664 132.429 197.235

Uirapuru 75,0% 16.213 7.756 100.411 46.237 54.174

Integração 24,5% 53.260 35.405 69.670 24.944 44.726

Em fase pré-operacional

ESBR Participações 20,0% 87 (18.231) 10.002.312 7.230.271 2.772.041

Norte Brasil 24,5% 562.935 4.302 753.737 712.925 40.812

Porto Velho 100,0% 248.296 (1.329) 445.582 253.385 192.197

Teles Pires 24,5% - (3.381) 469.772 473.152 (3.380)

No ano de 2010:

Empresa

Part. (%)

em

31.12.2010

Receita

operacional

2010

Lucro (prejuízo)

líquido do

exercício

Ativo total

Passivo

Patrimônio

Líquido

Em operação

Artemis 49,0% 47.667 22.919 280.905 126.239 154.666

Etau 27,4% 26.647 16.464 118.686 53.272 65.414

RS Energia 100,0% 23.495 3.591 274.719 131.307 143.412

Uirapuru 49,0% 15.746 8.609 103.053 55.803 47.250

Integração 24,5% 11.622 9.320 11.740 2.420 9.320

Em fase pré-operacional

Cerro Chato I 90,0% - (309) 23.299 23.408 (109)

Cerro Chato II 90,0% - (301) 23.422 23.523 (101)

Cerro Chato III 90,0% - (304) 23.465 23.569 (104)

ESBR Participações 20,0% - (14.758) 6.624.371 4.564.365 2.060.006

Norte Brasil 24,5% 144.976 2.768 245.436 198.220 47.216

Porto Velho 100,0% 178.538 3.154 195.046 2.287 192.759

17.3.Aquisições de participação acionária em controladas em conjunto

17.3.1 Artemis Transmissora de Energia S/A

A Artemis foi constituída em 19 de agosto de 2003, sob a modalidade de Sociedade de Propósito Específico (SPE), para a

construção, operação e manutenção das linhas de transmissão 525 kV, Salto Santiago (PR) – Ivaiporã (PR) e Ivaiporã (PR) -

Cascavel D’Oeste (PR), com concessão por 30 anos, outorgada pela União por intermédio da ANEEL. A obra foi concluída

em 30 de outubro de 2005, data da entrada em operação.

O empreendimento conta com 376 km de linha de transmissão e 810 torres.

Em 12 de novembro de 2010 o Conselho de Administração da Companhia autorizou a aquisição da participação acionária de

51% da Cymi Holding S.A, passando a Artemis quando da concretização do negócio e transferência das ações a ser uma

subsidiária integral.

O processo de aquisição foi aprovado pela ANEEL, CADE e BNDES, tendo sido finalizada o processo de aquisição em 11 de

agosto de 2011. Os detalhes da combinação de negócios são apresentados na nota 53.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 140

140

Relatório anual e de sustentabilidade 2011


17.3.2 Uirapuru Transmissora de Energia S/A

A Uirapuru foi constituída em 17 de dezembro de 2004, sob a modalidade de Sociedade de Propósito Específico (SPE), para

a construção, operação e manutenção da linha de transmissão 525 kV, Ivaiporã (PR) - Londrina (PR), com concessão por 30

anos, outorgada pela União por intermédio da ANEEL. A obra foi concluída em 9 de julho de 2006, data da entrada em

operação. O empreendimento conta com 120 km de linha de transmissão e 265 torres.

Em 12 de novembro de 2010, o Conselho de Administração da Companhia autorizou a aquisição da participação acionária

de 26% da Cymi Holding S.A, passando a Companhia a deter quando da concretização do negócio e transferência das ações

75% de participação acionária no capital da Uirapuru.

O processo de aquisição foi aprovado pela ANEEL, CADE e BNDES, tendo sido finalizada a aquisição em 11 de agosto de

2011. Os detalhes da combinação de negócios são apresentados na nota 53.

17.4 Valor recuperável de investimentos – Artemis Transmissora de Energia S/A

A Companhia realizou testes de recuperabilidade para o seu investimento na Artemis, tendo apurado e reconhecido no

resultado do exercício, desvalorização no montante de R$ 33.855 mil, decorrentes da diferença entre fluxos de caixa futuro

descontado a valor presente e o valor total do investimento após a realização da combinação de negócios, reconhecido

diretamente no resultado do exercício. A seguir, quadro demonstrativo com os valores apurados para o encerramento do

exercício utilizados as demonstrações financeiras da subsidiária em 30.11.2011:

Em R$ mil

Valor do investimento da Eletrosul (i) 163.843

Goodwill (ii) 129.567

(-) Amortização acumulada do ágio (2.391)

291.019

Valor presente dos fluxos de dividendos 257.164

Provisão para ajuste a valor recuperável 33.855

(i) Inclui ganho pela atualização a valor justo pela parcela anteriormente detida, conforme descrito na nota 3.17, demonstrado na nota

53.

(ii) Parcela da mais valia do preço pago não alocada aos ativos e passivos adquiridos (Goodwill).

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 141

eletrosul centrais elétricas s.a. 141


demonstrações financeiras e notas explicativas

17.5 Informações das participações em controladas e controladas em conjunto

No quadro a seguir, apresentamos detalhes das empresas controladas e controladas em conjunto:

17.4 Informações das Sociedades Investidas

SPE's

%

Part.

Sócios %

Data inicio

da

operação

Data inicio

Construção

Data

término

concessão

Artemis 100,0 - - 2004 2003 2034

Transmissora Aliança 52,6

Etau

27,4

CEEE 10,0 2004 2003 2032

DME Energética 10,0

Uirapuru 75,0 ELOS 25,0 2005 2004 2035

RS Energia 100,0 - - 2009 2006 2036

Norte Brasil 24,5

Eletronorte 24,5

Abengoa Brasil 51,0

2013 2009 2039

Porto Velho 100,0 - - 2012 2009 2039

Costa Oeste 49,0 Copel 51,0 2013 2012 2042

Sul Brasileira 80,0 Copel 20,0 2014 2012 2042

Marumbi 20,0 Copel 80,0 2014 2012 2042

SUEZ 50,1

ESBR Participações 20,0

CHESF 20,0 2013 2009 2043

Camargo Corrêa 9,9

Neoenergia 50,1

Teles Pires 24,5 Furnas 24,5 2015 2011 2045

Odebrecht 0,9

Cerro Chato I 90,0 Wobben 10,0 2012 2010 2045

Cerro Chato II 90,0 Wobben 10,0 2012 2010 2045

Cerro Chato III 90,0 Wobben 10,0 2011 2010 2045

Chuí 49,0 Rio Bravo Investimentos 51,0 2014 2012 2047

Livramento 49,0

Rio Bravo Investimentos 41,0

Fundação Elos 10,0

2014 2012 2047

Santa Vitória do Palmar 49,0 Rio Bravo Investimentos 51,0 2014 2012 2047

Construtora Integração 24,5

Eletronorte 24,5

Abengoa Brasil 51,0

- - -

142

Relatório anual e de sustentabilidade 2011

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 142


NOT A 18 – IM OBILIZADO

(a) Imobilizado

Controladora

Consolidado

Geração 2011 2010 2011 2010

Imobilizações em curso

UHE Passo São João 538.999 431.601 538.999 431.601

UHE Mauá 641.540 479.190 641.540 479.190

UHE São Domingos 272.062 126.778 272.062 126.778

UHE Jirau - - 1.705.054 1.043.006

UHE Teles Pires - - 77.849 -

PCH Barra do Rio Chapéu 89.383 53.985 89.383 53.985

PCH Itararé 4.256 3.927 4.256 3.927

PCH João Borges 67.361 22.290 67.361 22.290

PCH Pinheiro 3.829 3.675 3.829 3.675

PCH São Mateus 6.813 6.739 6.813 6.739

PCH Coxilha Rica 9.081 8.884 9.081 8.884

PCH Malacara 2.801 2.800 2.801 2.800

PCH Santo Cristo 7.807 7.807 7.807 7.807

PCH Antoninha 5.110 5.109 5.110 5.109

PCH Gamba 3.594 3.593 3.594 3.593

EOL Cerro Chato I - - 129.085 19.190

EOL Cerro Chato II - - 142.073 19.376

EOL Cerro Chato III - - 142.174 19.626

Usina Solar Fotovoltaica Megawat 653 - 653 -

Estação aprov. Geração Eólica 2.934 2.919 2.934 2.919

(-) Provisão valor recuperável dos ativos (142.870) (135.138) (142.870) (135.138)

Total Geração 1.513.353 1.024.159 3.709.588 2.125.357

Administração

Imobilizações em serviço 36.151 35.327 36.493 35.486

(-) Depreciação acumulada (taxa média de 5,9%) (14.743) (12.647) (14.769) - (12.647) 0

Imobilizações em curso 4.194 1.958 4.300- 1.9580

Total Administração 25.602 24.638 26.024 24.797

Total Imobilizado Líquido 1.538.955 1.048.797 3.735.612 2.150.154

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 143

eletrosul centrais elétricas s.a. 143


demonstrações financeiras e notas explicativas

(b) Movimentação do ativo imobilizado:

No ano de 2011:

Controladora

31.12.2010

Vlr líquido Adições Baixas

31.12.2011

Transferências Depreciação Vlr líquido

Geração

Em curso 1.159.297 581.432 (85.035) 529 - 1.656.223

Total 1.159.297 581.432 (85.035) 529 - 1.656.223

Adm inistração

Em serviço 35.327 - (103) 927 - 36.151

Depreciação acumulada (12.647) - - - (2.096) (14.743)

Em curso 1.958 4.684 (6) (2.442) - 4.194

Total 24.638 4.684 (109) (1.515) (2.096) 25.602

Impairment (135.138) 27.474 - - - (107.664)

Provisão perdas ativo geração - - (35.206) - - (35.206)

TOTAL 1.048.797 613.590 (120.350) (986) (2.096) 1.538.955

Consolidado

31.12.2010

Vlr líquido Adições Baixas

31.12.2011

Transferências Depreciação Vlr líquido

Geração

Em curso 2.260.495 1.676.481 (85.047) 529 - 3.852.458

Total 2.260.495 1.676.481 (85.047) 529 - 3.852.458

Adm inistração

Em serviço 35.471 198 (103) 927 - 36.493

Depreciação acumulada (12.658) - - - (2.111) (14.769)

Em curso 1.984 4.764 (6) (2.442) - 4.300

Total 24.797 4.962 (109) (1.515) (2.111) 26.024

Impairment (135.138) 27.474 - - - (107.664)

Provisão perdas ativo geração - - (35.206) - - (35.206)

TOTAL 2.150.154 1.708.917 (120.362) (986) (2.111) 3.735.612

No ano de 2010:

Controladora

31.12.2009

Vlr líquido Adições Baixas

31.12.2010

Transferências Depreciação Vlr líquido

Geração

Em curso 648.873 519.762 (9.500) 162 - 1.159.297

Total 648.873 519.762 (9.500) 162 - 1.159.297

Adm inistração

Em serviço 35.087 - (1.531) 1.771 - 35.327

Depreciação acumulada (11.869) - - - (778) (12.647)

Em curso 3.115 4.000 (47) (5.110) - 1.958

Total 26.333 4.000 (1.578) (3.339) (778) 24.638

Impairment - (135.138) - - - (135.138)

TOTAL 675.206 388.624 (11.078) (3.177) (778) 1.048.797

144

Relatório anual e de sustentabilidade 2011

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 144


Consolidado

31.12.2009

Vlr líquido Adições Baixas

31.12.2010

Transferências Depreciação Vlr líquido

Geração

Em curso 1.073.482 1.197.525 (10.473) (39) - 2.260.495

Total 1.073.482 1.197.525 (10.473) (39) - 2.260.495

Adm inistração

Em serviço 35.144 102 (1.531) 1.771 - 35.486

Depreciação acumulada (11.869) - - - (778) (12.647)

Em curso 3.115 4.000 (47) (5.110) - 1.958

Total 26.390 4.102 (1.578) (3.339) (778) 24.797

Impairment - (135.138) - - - (135.138)

TOTAL 1.099.872 1.066.489 (12.051) (3.378) (778) 2.150.154

(c) Indisponibilidade de bens

De acordo com os artigos 63 e 64 do Decreto nº 41.019, de 26 de fevereiro de 1957, os bens e as instalações utilizados na

produção, transmissão, distribuição e inclusive comercialização de energia elétrica, são vinculados a estes serviços

públicos, não podendo ser retirados, alienados, cedidos ou dados em garantia hipotecária sem a prévia e expressa

autorização do órgão do Poder Concedente.

A Resolução ANEEL nº 20/99 regulamenta a desvinculação de bens das concessões do Serviço Público de Energia Elétrica,

concedendo autorização prévia para desvinculação de bens inservíveis à concessão, quando destinados à alienação,

determinando, ainda, que os recursos da alienação sejam depositados em conta bancária vinculada, para que sejam

reaplicados na concessão.

(d) Reversão de bens vinculados à concessão

Ao término dos contratos de concessão, todos os bens e instalações vinculados as usinas passarão a integrar o patrimônio

da União, mediante indenização das parcelas dos investimentos ainda não amortizados ou depreciados que tenham sido

autorizados e realizados com o objetivo de garantir a continuidade e atualidade do serviço concedido.

(e) Valor recuperável dos ativos (Impairment)

(i) UHE Passo São João

Conforme orienta o CPC 01, a Companhia testa anual a recuperabilidade para os seus ativos de longa duração, com base no

valor presente do fluxo de caixa futuro, utilizando como premissa uma taxa de desconto adequada para o segmento de

geração, bem como projeção de caixa futuro refletindo as receitas e custos com base nos valores realizados até 31 de

dezembro de 2011.

Em 2010, a Companhia constatou indícios de impairment durante a fase pré-operacional de construção na Usina Passo São

João, face o atraso da construção do empreendimento, registrando em 2010 provisão para impairment no montante de R$

135.128 mil. Em 2011, a Companhia reconheceu no resultado reversão de perdas de impairment anteriormente registradas

no valor de R$ 27.474 mil, conforme fluxos de caixa futuros trazidos a valor presente e comparados com o valor dos

investimentos realizados. O fluxo de caixa foi elaborado para o período da concessão de 2012 a 2042, considerando o valor

das receitas de venda da energia atualizadas até 2012, descontando os impostos incidentes sobre o faturamento, os

encargos regulatórios, os custos e despesas operacionais e os impostos incidentes sobre o resultado. Foi aplicada uma taxa

de desconto de 5,49 % sobre as projeções futuras de fluxo de caixa.

(ii) Pequenas Centrais Hidrelétricas

A ANEEL através do Despacho nº 1.387, indeferiu o pedido de outorga da Companhia para implantação e exploração das

PCHs Antoninha, Coxilha Rica, Gamba, Malacara, Santo Cristo e São Matheus. A Eletrosul interpôs recurso e o referido

processo administrativo encontra-se aguardando inclusão em pauta para Deliberação da Diretoria Colegiada da ANEEL.

A Administração da Companhia consubstanciada na opinião de sua Assessoria de Regulação e Negócios, a qual atribui grau

de risco provável o não provimento do Recurso Administrativo interposto, opta por reconhecer a provisão contábil no

Balanço no montante de R$ 35.206 mil, correspondentes ao valor dos investimentos realizados até 31 de dezembro de

2011.

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A 145

eletrosul centrais elétricas s.a. 145


demonstrações financeiras e notas explicativas

NOT A 19 – IN TAN GÍ VEL

Controladora

Consolidado

2011 2010 2011 2010

Intangível

Softwares 4.252 4.252 4.443 5.268

Uso de bens públicos 21.200 18.060 58.416 35.868

Intangível - Direito de concessões 113.319 113.319 261.485 116.578

Ajuste a valor recuparável - - (33.855) -

138.771 135.6 31 290.489 157.714

(-) Amortização acumulada

Softwares 20% (3.426) (3.104) (3.488) (3.104)

Intangível - Direito de concessões * (56.325) (36.240) (59.016) (36.681)

(59 .751) (39 .344) (6 2.504) (39.785)

Intangível em curso

Softwares 775 554 775 554

Total Intangível 79 .795 96 .841 228.760 118.483

A movimentação do intangível esta demonstrada abaixo:

Softwares

Uso de bens

públicos

Controladora

Ágio por

expectativa

de

rentabilidade

Ajuste a valor

recuperável

Total

Saldos em 31.12.2009 1.839 14.859 93.671 - 110.369

Adições 249 3.201 3.492 - 6 .942

Amortização (387) - (20.083) - (20 .47 0)

Saldos em 31.12.2010 1.701 18.060 77.080 - 96.841

Adições 221 3.140 - - 3.361

Alienação Baixa - - - - -

Amortização (321) - (20.086) - (20 .40 7)

Saldos em 31.12.2011 1.601 21.200 56.994 - 79.795

Softwares

Uso de bens

públicos

Consolidado

Ágio por

expectativa

de

rentabilidade

Ajuste a valor

recuperável

Saldos em 31.12.2009 1.916 30.644 94.995 - 127.555

<