Views
3 years ago

auto-avaliação - Universidade Católica de Pelotas

auto-avaliação - Universidade Católica de Pelotas

3

3 Identificação das gerações de alunos (sujeitos da pesquisa) e cálculo das taxas de diplomação, evasão e retenção dos cursos Em primeiro lugar, torna-se importante definir o termo evasão. “Entende-se por evasão da Universidade como o desligamento do estudante da instituição na qual está matriculado, transferindo-se – ou não – para outra universidade” (LEITE, TUTIKIAN e HOLZ, 2000, p.130). Nesse sentido, deve-se concluir que se pode considerar evadido da universidade, todo aluno que: desistir formalmente de sua vaga ou transferir-se para outra instituição. Em segundo lugar, é preciso esclarecer a idéia de retido, ou seja, do “aluno que, apesar de esgotado o prazo máximo de integralização curricular fixado pelo Conselho Federal de Educação, ainda não concluiu o curso, mantendo-se matriculado ou vinculado de alguma forma na universidade” (MEC/SESU, 1997, p. 23). O prazo máximo de integralização curricular é equivalente ao prazo mínimo de integralização curricular acrescido de 50%. Retidos, então, são os alunos matriculados ou em situação que corresponda a trancamento formal ou abandono informal (esgotado o tempo máximo). No caso dos cursos de Medicina, por exemplo, cujo prazo mínimo de integralização curricular é, normalmente, de seis anos, o prazo máximo seria de nove anos. Em função da preservação de suas vagas, algumas instituições de ensino superior costumam estabelecer uma sanção denominada jubilamento para os alunos que não cumprem o prazo máximo. Sendo assim, caso não se forme durante esse período, o aluno poderá ser eliminado sumariamente da instituição. Em terceiro lugar, torna-se necessário definir o conceito de geração completa: Geração completa é aquela em que o número de diplomados mais o número de evadidos, mais o número de retidos (nas instituições que não possuem jubilamento) é igual ao número de ingressantes no ano-base, considerando o tempo máximo de integralização curricular do curso. (LEITE, TUTIKIAN e HOLZ, 2000, p. 130-131). Nesse sentido, a fim de que se calculem as taxas de diplomação, evasão e retenção de um curso, torna-se indispensável a utilização de um relatório específico como o apresentado a seguir: Dinâmica das gerações de alunos de um curso ( tempo mínimo de integralização = 8 semestres ). Sem / N o Total Form. Matric. Tranc. Desist. Transf. Aband. 1996/01 120 56 14 17 13 07 13 1996/02 73 18 12 13 02 12 16 1997/01 86 23 15 23 04 09 12 1997/02 78 20 13 14 06 02 22 1998/01 77 01 39 11 10 03 13 1998/02 54 00 21 13 09 03 08 1999/01 89 00 43 20 14 03 09 1999/02 18 00 07 04 03 00 04 2000/01 60 01 29 16 04 01 09 2000/01 24 00 15 04 02 01 02 2001/01 76 00 49 09 12 02 04 2001/02 27 00 18 04 02 00 03 2002/01 89 00 75 01 13 00 00 Fonte: Centro de Informática da UCPel. 6

Observe-se que as gerações sombreadas correspondem (no corte que se fez em 2002/01), respectivamente, à geração equivalente ao tempo mínimo de integralização curricular (1998/02) e à geração em que se identifica, logo após, o tempo máximo de integralização curricular (1996/01). De posse dos dados que correspondem à geração completa de 1996/01, podem-se calcular as taxas a seguir: TAXA DE DIPLOMAÇÃO = 56 / 120 = 46,67% TAXA DE EVASÃO = ( 13 + 7 ) / 120 = 16,67% TAXA DE RETENÇÃO = ( 14 + 17 + 13 ) / 120 = 36,67% A padronização do critério de cálculo dessas taxas é fundamental à auto-avaliação da Universidade. 4 Classificação dos alunos de acordo com a situação e o rendimento acadêmico Recomenda-se utilizar os históricos escolares dos alunos como o principal instrumento de coleta de dados nesta fase da investigação. Por intermédio do histórico escolar, além de identificarse a situação, a chave, o nome, a data de nascimento, o endereço, o telefone, a forma de ingresso e as notas obtidas no processo seletivo, pode-se analisar o rendimento acadêmico semestral e integral dos alunos de cada geração. De acordo com a categorização de alguns autores contemporâneos, por exemplo Latiesa (1992), devem-se classificar os alunos em três grandes grupos: com rendimento acadêmico ótimo (RAO), com rendimento acadêmico considerado (RAC) e com rendimento acadêmico sofrível (RAS). Terá rendimento acadêmico ótimo (RAO) todo o provável formando no tempo mínimo de integralização curricular. Deve ter rendimento acadêmico considerado (RAC), todo aluno com rendimento acadêmico semelhante ao ótimo (por exemplo, com no máximo duas reprovações), mas que não seja formando no tempo mínimo. Com rendimento acadêmico sofrível serão considerados os alunos que não se enquadrarem como RAO ou RAC. A idéia, nesta etapa, é construir uma tabela capaz de classificar os alunos da geração de tempo mínimo como segue: Identificação da situação e rendimento acadêmico de alunos. Chave Situação e Rendimento 36144 Matric. / RAO 36258 Matric. / RAO ... ... 36282 Matric. / RAC 36345 Matric. / RAC ... ... 36523 Tranc. / RAS 36721 Tranc. / RAC ... ... 36147 Desist. / RAS ... 36603 Aband. / RAC ... ... Fonte: Tabela a ser construída pelos coordenadores com base nos relatórios do Centro de Informática. 7

ATLAS DE HISTOLOGIA2 - Universidade Católica de Pelotas
PPI - Universidade Católica de Brasília
folder colorido_turma2.cdr - Universidade Federal de Pelotas
Empregabilidade na ED - Universidade Católica Portuguesa
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Introdução - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação do PowerPoint - Universidade Federal de Pelotas
PCR Assimétrico RT- PCR - Universidade Federal de Pelotas
cultivadores - Universidade Federal de Pelotas
Resumo - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Manejo da Pastagem - Universidade Federal de Pelotas
Anexo 2 - Universidade Federal de Pelotas
Membranas 1 - Universidade Federal de Pelotas
TRATORES AGRÍCOLAS - Universidade Federal de Pelotas
Resumo - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação do PowerPoint - Universidade Federal de Pelotas
máquinas para preparo do solo - Universidade Federal de Pelotas
Apresentadora - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação do PowerPoint - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
VIDA E MORTE - Universidade Católica Portuguesa
Anexo 2 - Universidade Federal de Pelotas