Views
3 years ago

auto-avaliação - Universidade Católica de Pelotas

auto-avaliação - Universidade Católica de Pelotas

5 A compreensão do

5 A compreensão do sucesso Nesta fase da investigação, deve-se incrementar a tabela construída no item anterior, com os indicadores correspondentes às categorias que se pretende analisar. Reitera-se que a viabilização desses indicadores depende da disponibilidade da base de dados do Centro de Informática. Sugerese, como primeiro exercício, que se analisem, pelo menos, as seguintes categorias: origem socioeconômica, características pessoais e escolares. Para analisar a origem socioeconômica, dentre outras possibilidades, pode-se utilizar como indicador o tipo de financiamento que o aluno dispõe para custear a Universidade, ou seja, se é pagante ou bolsista (Fundação – FDAZ, Crédito Educativo Federal ou FIES – CEF). Como indicadores das características pessoais, sugere-se que se utilizem o gênero (masc. ou fem.) e a idade e, finalmente, como indicador da categoria que se rotulou como características escolares, pode-se utilizar a natureza jurídica das escolas onde os alunos concluíram o ensino médio (se ensino público ou particular). Observe-se a tabela a seguir: CHAVE SITUAÇÃO IDADE GÊN. ORIGEM ESC. T. FINANC. 36144 Mt / RAO 31 F E. Público Bolsa/FDAZ 36258 Mt / RAO 43 M E. Público Particular 36283 Mt / RAO 23 M E. Privado Particular 36422 Mt / RAO 22 F E. Privado Bolsa/FDAZ 36460 Mt / RAO 23 M E. Público Particular 36483 Mt / RAO 23 F E. Público Particular 36522 Mt / RAO 23 M E. Privado Particular 36549 Mt / RAO 23 F E. Público Bolsa/FDAZ 36616 Mt / RAO 22 M E. Privado Particular 36282 Mt / RAC 23 M E. Privado Particular 36345 Mt / RAC 21 M E. Privado Particular 36390 Mt / RAC 21 F E. Público Bolsa/FDAZ 36502 Mt / RAC 22 M E. Privado Particular 36648 Mt / RAC 22 F E. Público Particular 36752 Mt / RAC 22 M E. Privado Bolsa/CEF 36763 Mt / RAC 24 M E. Público Bolsa/CEF 36919 Mt / RAC 27 M E. Supletivo Bolsa/CEF 36523 Tc / RAC 26 F E. Privado Particular 36721 Tc / RAC 39 M E. Supletivo Particular 36817 Tc / RAC 34 M E. Público Particular 36147 Dv / RAC 24 F E. Público Particular 36508 Dv / RAC 24 M E. Privado Particular 36344 Tf / RAC 22 M E. Privado Particular 36526 Tf / RAC 21 M E. Público Particular 36303 Ab / RAC 28 M E. Público Particular 36586 Ab / RAC 42 M E. Público Particular TABELA Ώ – Identificação de alunos de uma geração com RAO e RAC. Fonte: Adaptação de Rodrigues (2003). 8

A idéia, após a construção da TABELA Ώ, é inferir se a origem social, as características pessoais ou as escolares influenciam no rendimento acadêmico dos alunos, classificados com RAO e RAC. De acordo com os dados exemplificados na TABELA Ώ, seria possível concluir o que segue: − em primeiro lugar, que a origem social, bem como as características pessoais têm nula ou escassa influência no êxito do rendimento acadêmico obtido na universidade. Observe-se que dentre os alunos com RAO e mesmo entre os com RAC, encontram-se vários estudantes com bolsas (CEF/FDAZ) que somente são concedidas mediante comprovação de carência; − em segundo lugar, que variáveis como a idade, ou mesmo o gênero (masculino ou feminino) parecem não exercer influências sobre o rendimento acadêmico; − em terceiro lugar, que a distinção entre o ensino público e/ou privado no que diz respeito à vida pregressa dos sujeitos, igualmente, parece não influenciar no rendimento acadêmico. Observe-se a alternância, nesse sentido, em relação às origens escolares dos alunos com RAO e RAC. Essas inferências poderão não se ratificar em todas as carreiras. No entanto, é esse, justamente, o objetivo desta etapa da auto-avaliação dos cursos. Inicia-se o processo com base no banco de dados socioeconômico existente e, na medida em que se avança, passa-se a incorporar a essa base, cada vez mais, novas variáveis. Espera-se, nos próximos três anos, acrescer à base de dados existente, no mínimo, as categorias existentes no questionário socioeconômico utilizado no Enade, disponível em http//www.inep.gov.br/superior/enade/gabaritos_provas.htm. De qualquer modo, objetivando compreender ainda mais o sucesso acadêmico, parece pertinente que se investigue os alunos com RAO e RAC, utilizando-se o seguinte roteiro-sugestão de entrevista semi-estruturada: Nome do aluno: Chave: Tempo de dedicação aos estudos Estratégias utilizadas para estudar Perspectivas profissionais Relevância da profissão no mercado de trabalho Pergunta(s) livre(s) – Por exemplo, o motivo do trancamento ou da evasão? Outras iniciativas que o aluno julgue relevantes para justificar o sucesso. ------------------------------------------------------------------------------------------------ ------------------------------------------------------------------------------------------------ ------------------------------------------------------------------------------------------------ Observe que a divulgação do resultado dessas entrevistas poderá ser de extrema importância para a disseminação de práticas e estratégias de estudos entre os alunos e professores. Reitere-se o caráter formativo da auto-avaliação, o qual deve permitir o aperfeiçoamento, especialmente, pelo fato de colocar toda a comunidade acadêmica em um processo de reflexão e auto-consciência institucional. 9

ATLAS DE HISTOLOGIA2 - Universidade Católica de Pelotas
PPI - Universidade Católica de Brasília
folder colorido_turma2.cdr - Universidade Federal de Pelotas
Empregabilidade na ED - Universidade Católica Portuguesa
Introdução - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação do PowerPoint - Universidade Federal de Pelotas
PCR Assimétrico RT- PCR - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
cultivadores - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Resumo - Universidade Federal de Pelotas
Resumo - Universidade Federal de Pelotas
Resumo - Universidade Federal de Pelotas
Manual do Estudante - Universidade Católica de Brasília
Apresentação do PowerPoint - Universidade Federal de Pelotas
máquinas para preparo do solo - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Apresentação - Universidade Federal de Pelotas
Anexo 1 - Universidade Federal de Pelotas
Apresentadora - Universidade Federal de Pelotas
Universidade do Minho Relatório de Actividades 2007