Views
3 years ago

Uma Análise Discursiva - Diego Vieira Braga.pdf - Universidade ...

Uma Análise Discursiva - Diego Vieira Braga.pdf - Universidade ...

84 6. ANÁLISES 6.1

84 6. ANÁLISES 6.1 Anúncio anos 1970 Figura 1 Anúncio da marca Orient. Publicado na edição de 28 de março de 1973, na página 53. O primeiro anúncio 55 selecionado pertence à marca Orient. Abaixo, assinala-se a sequência discursiva de referência desta [sdr], sendo extraídas [er] para a análise. 55 A propósito da apresentação dos anúncios, esclarece-se que se realiza uma transcrição devido à visualização de certas formulações estar prejudicada pela resolução das imagens coletadas no site. Informa-se que o quadrilátero vermelho com seta branca localizado sempre no canto direito inferior dos anúncios é elemento

85 [er 1 ] Um relógio para quem não pode parar. [er 2 ] Um dos gestos que você mais repete, o dia inteiro: ver a hora. [er 3 ] A hora de sair e a de chegar, a do almoço e a do encontro. [er 4 ] A hora presa do trabalho, a hora solta do prazer. [er 5 ] E você não pára. Às vezes, nem mesmo pára para ver a hora. [er 6 ] Por isso existe Orient, o relógio de Tóquio, feito para quem não pode nem quer parar no tempo. [er 7 ] Feito por mãos cuidadosas e máquinas precisas, para o pulso de milhões de pessoas em todo o mundo. Você encontra Orient nas melhores casas, com certificado de garantia e garantia de assistência técnica. Peça Orient, mas peça em japonês: Oriêntô. É como se diz no Japão. Quanto à imagem, seccionam-se discursivamente os elementos, sendo extraídas: [er 8 ] correspondente às figuras humanas; [er 9 ] correspondente ao cenário em que essas figuras aparecem; [er 10 ] correspondente ao efeito técnico-visual produzido sobre [er 8 ] e [er 9 ]; [er 11 ] correspondente às faixas horizontais inferiores, contendo modelos de relógios. Em [er 1 ] é feita a afirmação de que o produto se destina a ser adquirido e usado por um público que ―não pode parar‖. Trata-se de uma declaração projetiva, realizada no interior de uma formação social capitalista e de mercado, e por meio da qual se pode aferir a existência de uma representação imaginária do tempo a partir da posição atribuída ao interlocutor, que é coletivo. Para isso, atenta-se para o emprego da negação em [er 1 ]. A forma negativa é, como lembra Indursky (1997), ―um dos processos de internalização de enunciados oriundos de outros discursos, podendo indicar a existência de operações diversas no interior do discurso‖ (p. 213). De fato, ―não pode‖ traz em si uma memória de discursos de alerta e de proibição, que são instituídos na (e instituem a) vida dos sujeitos, primeiro em âmbito familiar, depois no social, notadamente pelas formas jurídicas. O verbo ―parar‖, empregado no modo infinitivo, conecta a negativa anterior a uma perspectiva de movimento, de atividade. O efeito de sentido apresentado trata da impossibilidade dos sujeitos, para os quais o relógio é indicado, não continuarem em movimento. Há um gesto de interpretação direcionando a esse sentido, sustentado tanto pela evidência de movimento provocada pela leitura literal de [er 8 ] e [er 10 ] quanto pelo conhecimento, socialmente compartilhado, da necessidade de prossecução nas atividades da vida diária frente à inexorável marcha do tempo. Os recortes de memória relacionado à funcionalidade do site, para efeito de passagem de uma página a outra em leitura virtual, não sendo considerado como elemento constituinte dos anúncios e, portanto, ignorado nas análises.

da análise do discurso à apreciação das práticas discursivas
UMA ANÁLISE DISCURSIVA DA TERMINOLOGIA DO ... - GELNE
Em que sentido está(ria) a verdade? Uma análise discursiva ... - Latu
experiências discursivas na universidade - Psicanálise & Barroco
A CONSTITUIÇÃO DA MEMÓRIA DISCURSIVA DO ... - fflch
vanessa regina vieira gonçalves - Universidade Estadual de Londrina
Práticas Discursivas em Blogs Políticos - cchla - Universidade ...
ANÁLISE DISCURSIVA DA LITERATURA COMO DISPOSITIVO ...
análise discursiva do telecurso 2000 - Unisul
ÇÃO: UM OLHAR DISCURSIVO SOBRE O TRABALHO DE ... - Unifra
uma análise discursiva do sujeito e seus movimentos - Celsul.org.br
uma análise lingüístico-discursiva de o despertar de kate chopin
a formação discursiva do jogador de futebol em entrevistas ... - ufrgs
INCONFIDÊNCIA MINEIRA: MEDIAÇÕES DISCURSIVAS
Blogs íntimos: percursos no contexto discursivo do meio - ECA-USP
a ferramenta sócio-cultural de análise discursiva em sala de aula ...
Funcionamento discursivo da divulgação de obras literárias - Unisul
CONSTRUÇÃO DISCURSIVA DO SUJEITO - Associação de Leitura ...
universidade federal da paraíba centro de ciências humanas, letras ...
contribuições para a filosofia da linguagem e estudos discursivos
Origens e desdobramentos da semiótica discursiva - Universidade ...
O Sujeito Discursivo Contemporâneo: um exemplo - ufrgs
repercussões da neurolingüística discursiva na ... - Celsul.org.br
da formação discursiva ao simulacro do interdiscurso: o ... - Ufrgs
Tradições discursivas nas culturas populares - Universidade ...
Discurso Siza Vieira - Universidade Técnica de Lisboa
A dualidade de bem/mal e belo/feio na construção discursiva de ...
um estudo da construção linguístico-discursiva do estereótipo